POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O AGRONEGÓCIO: O CASO DO ERP (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O AGRONEGÓCIO: O CASO DO ERP (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING)"

Transcrição

1 POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O AGRONEGÓCIO: O CASO DO ERP (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING) 1. INTRODUÇÃO Com a evolução das técnicas de gestão ingressamos na organização baseada na Sociedade Industrial e apoiada nos conceitos de Fayol e Max Weber, que estabeleciam de forma clara as regras de uma organização piramidal hierárquica, sustentada pela presença de alguém em nível superior para orientar as tarefas a serem executadas, conforme relatam RODRIGUEZ; ABREU (1996). Na década de 80, surgem os computadores e, com eles, um mercado desconhecido das grandes empresas de informática na época, que explodiu na revolução da informação, ganhando forma e espaço tornando-se uma Sociedade do Conhecimento. Dessa forma, os valores intangíveis e de difícil qualificação, com a evolução do homem e da sua tecnologia passaram a ser o diferencial competitivo das organizações. Atualmente, este diferencial não existe mais, porque fabricar e comprar tecnologia disponível é algo a que todos podem ter acesso. CESAR, R.(2004) comenta que no setor do agronegócio, apesar da importância do campo se manter ao longo da história do país, os ingredientes para o sucesso nessa área não são os mesmos de séculos passados. As necessidades decorrentes das inovações introduzidas no processamento da matéria-prima agrícola e da diversificação e intensificação das exportações vêm suscitando a utilização de recursos de tecnologia da informação no setor de agronegócios. MARCELLINO, R. (2004) considera que a primeira queda no PIB, após 1992, acendeu a luz amarela de advertência para a economia brasileira. Com um crescimento mais acelerado que outros setores, o agronegócio desponta como o responsável por evitar uma taxa negativa de crescimento, ainda maior do que o índice de -0,2% calculado pelo IBGE. De forma geral, a agroindústria vem empregando tecnologia agrícola de forma intensiva, desde meados da década de 60, mas ainda não faz o mesmo com a tecnologia de informação. Da mesma forma que o processo modernizador ocorreu de forma desigual, por perfil do produtor, por produto e por região, a utilização da informática tende a ocorrer da mesma forma. Assim sendo, indaga-se, em que nível a informática está sendo utilizada nas atividades ligadas à produção agrícola e conseqüentemente na própria gestão desse negócio. A resposta depende para onde se olha, porque pode variar de uma intensiva implantação de sistemas de última geração até o completo desconhecimento sobre toda a tecnologia de informação existente. Acrescente-se, ainda, que sua existência não se traduz, diretamente, para estar disponível ou acessível para a utilização de todos os segmentos e dos produtores de diferentes perfis. O agronegócio que engloba toda uma gama de cadeias produtivas articuladas com a agricultura esta tomada num sentido amplo se transformou nessa grande mola propulsora da economia brasileira, em parte devido ao investimento em pesquisa e em inovações tecnológicas. Todo esse incentivo convergiu para o desenvolvimento de novas variedades de plantas, novos sistemas e métodos (agronômicos e zootécnicos), maior produtividade e competitividade, além de impulsionar outros setores relacionados ao agronegócio, tais como transporte, maquinário, defensivos agrícolas, entre outros. De acordo com CESAR, R. (2004), segundo dados do Ministério da Agricultura, em 2003 o agronegócio respondeu por 34% do produto interno bruto, 37% dos empregos e 42% das exportações. Em período anterior (2003), enquanto a economia brasileira sofreu uma retração de 0,2%, o setor cresceu 6,54%. Apesar de a importância da produção agrícola se manter ao longo da história do país, os ingredientes para o sucesso nessa área não são os

2 mesmos de séculos passados. A competição internacional acirrou-se, as oscilações das bolsas de Nova York e de Chicago precisam ser acompanhadas em tempo real de cada rincão do planeta, as exigências sanitárias e legais obrigam a adoção de um controle cada vez mais rigoroso de dados e informações. Nesse contexto, muitas empresas brasileiras perceberam que pode ser vantajoso exportar produtos acabados, e não apenas matérias-primas, agregando maior valor internamente. São exatamente esses dois fatores a exportação e o processamento das matérias primas agrícolas que levam à utilização de recursos de tecnologia da informação no setor de agronegócios. A chamada automação agroindustrial vem se desenvolvendo significativamente no mundo e em menor escala já está sendo adotada em várias atividades no Brasil. Exemplos são a eletrônica embarcada em máquinas, a agricultura de precisão, o controle de ambientes, a robótica e o processamento pós-colheita. A tecnologia disponível é predominantemente importada, e é necessário um maior esforço nacional para desenvolver, dominar e disseminar tecnologia própria, particularmente naquelas atividades e situações que são peculiares ao país. A maior interação entre os diversos atores do setor agrícola é uma condição importante para a melhor utilização dos recursos disponíveis, e também para aumentar a competitividade das exportações brasileiras. Segundo MAZZALI, L. (2000), a sofisticação dos sistemas de informação e de comunicação foi uma poderosa força na abertura de novas possibilidades de interação entre os agentes econômicos. À crescente capacidade para manipular dados em linhas complexas, associou-se a facilidade de comunicação, reduzindo os custos e ampliando consideravelmente a capacidade de coordenação e controle de funções e atividades no interior das organizações. Por outro lado, a disponibilidade de sistemas de informação constitui elemento facilitador da contratação de recursos para exportação ou pelo mercado externo, favorecendo também uma significativa redução dos custos de transação entre várias empresas. A justificativa para a realização do presente trabalho está relacionada à carência desses recursos por parte de alguns setores do agronegócio. De acordo com CÉSAR, R. (2004), os diversos sub-setores da atividade agroindustrial se encontram em níveis diferentes de incorporação da tecnologia de informação. Assim, o setor sucroalcooleiro está amadurecendo rapidamente desde que o governo saiu do controle de regulação de preços. Na média, as empresas dessa área estão muito preocupadas com TI e propensas a investir. É um mercado que vem buscando tecnologia para o que é diretamente ligado à operação e para o suporte a suas funções. Por sua vez, na atividade citrícola, o Brasil desfruta de uma atuação destacada no mercado internacional de suco concentrado e congelado de laranja (SCCL) e as empresas desse segmento vêm incorporando a tecnologia da informação, constantemente. O setor está investindo, buscando renovar o parque e procurando formas de transformar investimento fixo em variável. O nível de maturidade em TI é, na média, bom. O segmento de grãos, excluindo algumas grandes empresas, ainda é uma área em que o uso de informática está no estágio embrionário. Como as empresas desse segmento não estão sob pressão do mercado, não sentem urgência em investir em TI. No entanto, as organizações empresariais estão capitalizadas e poderiam aproveitar o momento para ganhar eficiência de gestão com o uso de sistemas. Na pecuária, o perfil de adoção de TI está a um passo atrás das empresas de cítricos e do ramo sucroalcooleiro. Embora ainda não esteja amadurecido no uso de informática, há um bom potencial no médio prazo. Há diversas empresas, de outros setores, não referidos, vinculados ao complexo agroindustrial, que atuam em áreas diferentes, desde fornecedoras de insumos e maquinário agrícola até os produtores de produtos com menor peso na balança comercial brasileira. 2

3 Nessas culturas, há um perfil favorável à adoção de TI, na média, similar ao do setor de pecuária e grãos. Entre os fornecedores o nível de adoção de TI é variável. Este trabalho tem como objetivo principal, apresentar e discutir proposta de um sistema integrado de gestão ERP (Enterprise Resource Planning) 1, de pequeno porte, dirigido ao agricultor do setor de grãos, desenvolvido e aplicado em atividades industriais e adaptado e transportado para atividades agroindustriais, visando um controle mais efetivo das atividades de planejamento financeiro (receitas/despesas), organizacional (hierarquias, mão de obra, treinamentos, formas de trabalho) e operacional (processos e instruções de trabalho) A meta é que as estratégias de gestão passem a ter, como referencial, indicadores de desempenho adequados à realidade do agricultor de menor porte, objetivando melhorias de sua atuação, tendo em vista que ele, pelo volume de sua produção, não encontra esse tipo de recurso disponibilizado. A criação do sistema implica no levantamento e na criação de indicadores que gerem parâmetros para a atuação do produtor, relacionados à tomada de decisões necessárias para a garantia e continuidade do seu negócio em bases competitivas. 2. UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ERP (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING) Uma das tendências mais marcantes na área de sistemas de informação nos últimos anos é representada pelos produtos ERP. Esses produtos se caracterizam por um conjunto de subsistemas integrados, capazes de suprir as necessidades de informação e automatizar os diversos processos empresariais, desde a entrada de um pedido de um cliente, até sua expedição, incluindo o planejamento dos recursos financeiros, materiais e humanos para sua produção. O ERP é uma evolução de conceitos mais antigos na área de planejamento e controle da produção nas organizações industriais. Em geral, os produtos ERP agregam as funcionalidades previstas pela filosofia Manufacturing Resources Planning MRP 2 e MRP II 3, que a princípio focalizam a preocupação com os recursos materiais para a produção, com as funcionalidades oferecidas por sistemas das áreas financeira, contábil, comercial e de recursos humanos. Assim, o conceito de ERP tem sua fundamentação no planejamento integrado de todos os recursos necessários para a produção industrial. Entretanto, os produtos ERP buscam uma universalização desses conceitos, propondo sua adaptação para organizações não industriais. No caso específico das empresas do setor agroindustrial, apenas as grandes empresas se beneficiam dessa integração sistêmica, ficando as pequenas, médias e micro empresas com acesso limitado principalmente devido aos elevados custos de aquisição de um sistema completo O mercado do ERP De acordo com HEHN, H.F(1999), um dos fatores que levaram as empresas a procurarem produtos ERP foi, sem dúvida alguma, a necessidade de se prepararem para enfrentar o bug do ano As grandes corporações que dispunham de sistemas antigos viram como uma opção viável o investimento em novos sistemas que já estivessem sem o problema do ano 2000 ao invés de empreenderem esforços na manutenção de seus sistemas antigos. Por outro lado, um outro fator que levou ao crescimento dos negócios referentes ao ERP, relaciona-se ao próprio amadurecimento da informática e à visão, por parte das empresas, da necessidade de investirem em sistemas integrados, como forma de potencializar 1 ERP Sistema de Planejamento dos Recursos Empresarias 2 MRP Planejamento dos Recursos de Materiais. 3 MRPII Planejamento dos Recursos de Manufatura (Produção). 3

4 seus negócios. Diante desse quadro, séries de softwarehouses 4 passaram a oferecer sistemas ERP que, inicialmente, em virtude dos altos investimentos, eram destinados, em sua maior parte, às grandes corporações. Como exemplos de softwarehouses de expressiva participação no mercado podemos citar: SAP, DATASUL, BAAN, LOGOCENTER, IFS, entre outros. A partir de meados da década de 90, observa-se que: a) as grandes corporações já haviam feito sua opção por determinado produto ERP; b) os produtos ERP oferecidos no mercado passaram a se parecer cada vez mais, em termos de funcionalidade. Esses dois fatos, por sua vez, exerceram uma pressão sobre os fornecedores, que passaram a rever suas políticas de preço, buscando ampliar sua fatia de mercado com o oferecimento de soluções para médias empresas; e a introduzir inovações em seus produtos e processos com o objetivo de obter diferenciação no mercado e, com isso, conquistar mais clientes Implantação de ERP: Expectativas, frustrações, promessas e realidade HEHN, H.F (1999) afirma que, passada a febre do ERP, os clientes passaram a questionar dois aspectos cruciais em relação à implantação desses sistemas. O primeiro desses aspectos diz respeito aos fracassos na implantação. Um certo número de projetos fracassou em termos de cumprimento de prazos estipulados e adequação aos orçamentos planejados. Essa situação, longe de ser exceção na área de informática, chega a ser a regra. Em geral, a indústria de software enfrenta graves problemas relacionados à qualidade e à produtividade de seus produtos e processos. Essa situação se potencializou no que diz respeito aos ERP s, na medida em que são sistemas complexos e abrangentes. O segundo aspecto, que começou a ser levantado pelos clientes, diz respeito à efetividade do retorno que as soluções ERP propiciariam aos clientes. As expressões chave aqui podem ser "retorno de investimentos" e "relação custo/benefício". Também aqui podem ser observadas limitações da indústria de software no que diz respeito à clareza em sinalizar ao cliente o quanto um produto de software pode efetivamente propiciar de retorno e em quanto tempo podem ser observados resultados. O questionamento dos clientes em relação ao retorno que o investimento em ERP pode propiciar está relacionado às expectativas depositadas no sistema o que nem sempre se torna realidade. Desenvolve-se uma primeira expectativa sobre o que o ERP pode propiciar quanto ao acesso à informação, no momento em que ela é necessária para o interessado, que efetivamente terá de tomar a decisão em relação àquela situação. Sem dúvida, esta é a expectativa de todo usuário em relação a todo sistema de informação. Por exemplo, em nível operacional, o sistema deve ser capaz de informar com precisão o saldo em estoque de matérias-primas, permitindo que haja a emissão de ordens de compra tão logo se observe que os níveis de estoque são insuficientes para a produção. Outra expectativa diz respeito à possibilidade do ERP propiciar a perfeita integração entre setores da empresa. Um fator crucial para o sucesso dos negócios é a integração entre as áreas que compõem uma empresa. Em termos de sistemas, essa integração é feita através de informações que estão depositadas nos bancos de dados compartilhados pelos setores. Classicamente, os principais problemas relacionados ao armazenamento dos dados são: a redundância e a inconsistência. A primeira referente à duplicação do dado, no Banco de Dados, o que requer controle. A inconsistência, por sua vez, está relacionada ao fato 4 Foi significativo o crescimento do número de empresas fornecedoras de softwares (softwarehouses) a partir de 1998 num processo de preparação para o BUG do milênio 4

5 de que estando um dado armazenado em mais de um local no banco de dados, poderá haver um momento em que o seu conteúdo se apresente diferente em cada um dos locais. 5 A terceira expectativa diz respeito à possibilidade do ERP eliminar conversões de informações entre sistemas diferentes. É possível que uma empresa construa seus sistemas de forma gradativa a partir de soluções de fornecedores ou tecnologias diferentes. Em virtude disso, a integração entre os sistemas exige que se construam interfaces que permitam a conversão dos dados de um sistema para outro. Tais conversões, em geral, constituem retrabalho, implicando em custos que poderiam ser evitados a partir da adoção de sistemas integrados desde a sua concepção. Na esfera gerencial, a necessidade de dispor de ferramentas que permitam o planejamento das atividades operacionais é imprescindível. A possibilidade de previsão das tarefas a serem realizadas, bem como da atribuição de responsabilidades e prazos constitui recurso valioso para o posterior exercício de acompanhamento, controle e avaliação das atividades e da utilização dos recursos. A partir de dados fidedignos e de planejamento adequado, que pode ser oferecido pelo ERP, é possível detectar não conformidades no processo produtivo e propiciar melhorias que permitam um incremento no desempenho operacional, com reflexos na atuação da empresa no mercado. É preciso destacar que essas expectativas seriam realísticas, desde que levado em conta que o ERP é capaz de gerar tais vantagens apenas se compreendido que sua implantação não é uma mera instalação de software, mas tem conseqüências organizacionais e comportamentais profundas. Pode-se considerar que expectativas exageradas em relação ao ERP, por parte dos clientes, constituem conseqüência das estratégias de marketing dos fornecedores. Essas estratégias, em geral, consistem na venda da idéia de que o ERP é uma panacéia, uma solução universal, dando ao mesmo tempo a impressão de que o cliente estaria adquirindo uma solução para a qual seus concorrentes não teriam acesso. A realidade mostra que o ERP não é uma solução para todos os problemas. Por outro lado, a saturação do mercado de grandes empresas fez com que as softwarehouses disputassem do mercado das médias empresas, ocorrendo uma queda de preços e uma certa padronização entre os produtos ERP. Apesar dessas mudanças no mercado, o processo de implantação continua sendo o calcanhar de Aquiles do ERP Cuidados e etapas referentes à implantação do ERP Os problemas relacionados à implantação de ERP se devem, em grande parte, à abordagem adotada inicialmente por clientes e fornecedores. Essa abordagem inicial compreendia que a implantação de um ERP restringia-se, tão somente, à instalação de um software, suscitando apenas cuidados técnicos. Hoje, há um certo consenso de que uma solução ERP abrange aspectos técnicos, organizacionais e comportamentais. Isto é, pela abrangência do ERP, é preciso que se leve em 5 Como exemplo, suponha que o dado a respeito do valor a investir por um departamento esteja armazenado no Banco de Dados da área Financeira e no Banco de Dados da Área de Projetos, configurando uma redundância. Se houver divergência entre os dois valores em virtude de problemas de entrada de dados, pode-se encontrar um valor de U$ 500,00 no item Banco de Dados Financeiros e U$ 5.000,00 no Banco de Dados de Projetos, existindo então uma inconsistência. Uma decisão tomada a partir do dado incorreto terá conseqüências desastrosas para a empresa. 5

6 conta uma série de características administrativas do cliente, bem como se gerencie um série de mudanças de comportamentos dentro da empresa. Decorre disso admitir-se que a implantação de ERP constitui um processo de mudança organizacional. O ERP pode ser encarado como uma best-practice 6 que pode propiciar uma melhoria de desempenho da empresa. Mas, para isso, sua implantação deve seguir as seguintes etapas: Análise de Adequação; Implantação; Uso/Manutenção. Na Etapa 1 Análise de Adequação o aspecto a considerar é que não existem soluções universais. Por melhor que seja o produto ERP escolhido, será necessário um processo de adaptação. Isto foi verdade em grande parte para os produtos internacionais que chegaram ao Brasil. Houve uma necessidade de "tropicalização" do produto, dada as peculiaridades das empresas brasileiras, do mercado nacional e das políticas e leis existentes em nosso país. O primeiro passo é verificar as necessidades da empresa. O objetivo dessa etapa é analisar se as funcionalidades oferecidas pelo produto ERP atendem às necessidades da empresa. O ponto crítico, nesse momento, é que uma análise inadequada dos requisitos do cliente, das funcionalidades do ERP e da relação entre ambos pode levar à implantação de um sistema com restrições operacionais que acarretam queda do desempenho operacional. A Etapa 2 Implantação é feita a partir da análise de adequação,. É preciso definir como o ERP será empregado de forma a contribuir com a melhoria do desempenho organizacional. Nesse sentido é imprescindível criar um ambiente de comprometimento com o sistema, bem como fazer com que os usuários considerem que o ERP é de sua propriedade e responsabilidade. Sem comprometimento e ownership 7 a implantação está fadada ao fracasso. Durante a implantação devem ser realizados: 1. treinamento conceitual para disseminar a filosofia do sistema; 2. treinamento operacional, capaz de permitir o uso do sistema; 3. redesenho de processos, que serão alterados pela entrada do sistema; 4. gestão da mudança organizacional, na medida em que a introdução do ERP implique em uma nova filosofia de trabalho e em mudanças nos processos; 5. garantia da qualidade das informações, pois o sucesso do ERP depende da consistência dos dados existentes; 6. adequação do sistema às necessidades específicas do cliente, através da customização e da parametrização, sendo que a customização consiste em alterar algoritmos de forma a que o processamento atenda aos requisitos exigidos pelo cliente e a parametrização em configurar dados de entrada e de saída de um algoritmo, sem alterar sua lógica, permitindo que o cliente extraia os dados de seu interesse. Etapa 3 Uso/Manutenção É preciso considerar que a gestão do ERP não se encerra com sua implantação. Na verdade apenas se inicia. Assim, após a implantação deve haver um contínuo gerenciamento do comprometimento do pessoal com a filosofia do sistema. Sem isso, o ERP não manterá aderência com a realidade, deixando de ser confiável e não contribuindo efetivamente para a melhoria do desempenho organizacional. Pode-se compreender melhor a necessidade deste contínuo gerenciamento, ao considerarmos a forma com que os sistemas de informação são capazes de apoiar a manutenção de vantagens competitivas da empresa. Nesse sentido torna-se fundamental o cumprimento da etapa 3, referente ao uso e manutenção. 6 Melhores práticas 7 Propriedade 6

7 3.0.ERP COMO MUDANÇA ORGANIZACIONAL NO MERCADO AGROINDUSTRIAL Pelas características do ERP enquanto sistema de informação e filosofia de trabalho, é preciso considerar que a implantação de uma solução como essa vai além dos aspectos técnicos, exigindo uma abordagem que leve em conta a organização e as pessoas que irão utilizá-la. O forte avanço do agronegócio no Brasil - que neste ano deve crescer 7%, mais de sete vezes a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) - vem estimulando os fabricantes de softwares, hardware e prestadores de serviços e consultorias de tecnologia da informação (TI). Trata-se de um segmento pouco explorado e que, no auge do desenvolvimento da informática foi deixado em segundo plano, pois havia muito a explorar na indústria e no setor financeiro. Agora, com a queda de demanda esperada no segmento de TI, especialmente na indústria, as atenções se voltam para esse mercado. A tecnologia já está presente no campo, com ceifadeiras e tratores equipados com ar condicionado e GPS (sistema de posicionamento geográfico por satélite) não constituindo, porém, uma prática de utilização generalizada por todo o agronegócio, considerando-se as diferenças em termos de porte, atividade e região. É nesse mercado que os fabricantes de software de gestão ERP encontram um grande potencial, especialmente nos médios produtores de commodities como açúcar, soja e suco de laranja concentrado e congelado. Há muitas soluções improvisadas, a maioria delas esperando por uma atualização, pois ainda são processadas em sistemas antigos, como Cobol e Clipper. É comum contam os fabricantes ver a velha tela preta com letrinhas verdes. Um dos segmentos que se tem apresentado como usuário do ERP é o sucroalcooleiro. Além disso, 15% de todas as usinas, no máximo, usam alguma solução de gestão integrada. O segmento citrícola, em razão da alta concentração por parte da indústria processadora é mais fechado e há poucas oportunidades para os fabricantes. Enquanto a indústria está na segunda onda, buscando soluções de gestão do TI, o setor agrícola começa agora a atravessar a primeira onda, que é a da implementação de um ERP integrado. São muito comuns os casos de usinas que, em menos de cinco anos, conseguiram quadruplicar a produção devido à queda do dólar, e, agora, para garantirem a produtividade, precisam investir em TI como forma de ganhar competitividade no mercado externo. Cada vez mais o produtor precisa ter a noção precisa da composição dos custos, o histórico das safras, para se programar. A contribuição da tecnologia, nesse caso, deve se apresentar atendendo a essa demanda. No setor sucroalcooleiro a adoção do sistema não é tão recente; na realidade, vem acontecendo desde 1997, porém de forma restrita. A inclusão de módulos específicos entre os convencionais de um ERP é que tem garantido a preferência dos usineiros. Os módulos para análise da terra, para a manutenção de tratores e de usinas; o geoprocessamento para controle da área plantada, do tempo de colheita, da administração de entrada e saída de caminhões para evitar congestionamento; o planejamento do plantio, a análise do grau de sacarose e de álcool, entre outros - foram acrescentados à gestão convencional. 7

8 3.1 - ERP para o produtor de grãos Para a avaliação da possibilidade de utilização do sistema ERP, usualmente adotado na indústria, e transposto para o agronegócio, mais especificamente para o segmento de grãos (soja), foi selecionada uma empresa que produz, em sua propriedade agrícola, soja, cana de açúcar e que também desenvolve atividade rural não agrícola na área do turismo rural. Essa propriedade se localiza em município da região central do estado de São Paulo. Trata-se de uma propriedade de 214 alqueires, sendo em torno de 30 % da terra utilizada anualmente com o cultivo de soja, em caráter rotativo. A história profissional da família proprietária com experiência na indústria de transformação contribuiu para o desejo de construção de um novo cenário, aberto à incorporação de novas experiências dentro de um novo processo de desencadeamento de ações e de tomada de decisões favoráveis ao maior conhecimento, avaliação, controle e gestão da empresa agrícola. Apesar das condições desse produtor não serem as usuais, observadas dentre os produtores desse porte, tornaram possível observar e detectar as dificuldades e as vantagens de aplicação do sistema para o caso da produção de grãos. Os resultados esperados e buscados por parte do usuário evidenciaram-se possíveis, possibilitando os seguintes benefícios: Acesso e integração dos dados em tempo real Planejamento com base em relatórios otimizados Confiabilidade e segurança dos dados gerados Informações mais rápidas e precisas Eliminação de re-trabalhos Tomadas de decisões mais rápidas em função dos erros identificados Dados mais confiáveis sobre os custos envolvidos no plantio Retorno financeiro mediante a correção dos erros verificados; Maior satisfação de clientes e fornecedores devido à agilização dos processos; Contato mais próximo com o cliente no momento da venda do produto final; Facilidade de venda e compra de produtos, devido ao acesso de indicadores financeiros e econômicos. Controle efetivo da safra e dos estoques. A figura 1, abaixo, apresenta alguns indicadores que podem ser utilizados para análise da eficiência e eficácia dos métodos utilizados pelo agricultor de menor porte desde o plantio até a venda de seu produto final. 8

9 Fig. 1 Exemplos de Indicadores gráficos gerenciais utilizando o ERP. Fonte: Sistema Integrado de Gestão implantado em uma Usina Sucroalcoleira 4.0. CONSIDERAÇÕES FINAIS As possibilidades de utilização de sistemas de informação para o agronegócio se mostraram não apenas viáveis, mas necessárias, encontrando receptividade por parte do usuário, cuja atividade produtiva foi foco da observação. O sistema ERP (Enterprise Resource Planning) ainda não implantado na empresa estudada apresentou-se adequado aos anseios do produtor. Os custos-benefícios do empreendimento mostraram-se convenientes, em razão não apenas dos resultados passíveis de serem alcançados no curto prazo, mas daqueles desencadeados no médio e no longo prazo. Se considerado apenas o custo, o acesso a essa ferramenta ficará limitado à possibilidade de sua difusão, a fim de que se possa usufruir dela numa sistemática de produtores consorciados. Por outro lado, a possibilidade de implantação modular nos moldes adotados pela indústria - permite escalonar gastos, viabilizando que a empresa usufrua dos benefícios dessa implantação, desde o início da adoção da ferramenta. 9

10 O principal problema está em difundir a cultura do planejamento integrado e a prática da organização das informações, que devem dar suporte às diferentes formas de planejamento. É possível que o levantamento das condições da empresa desenvolvido a partir da Metodologia da Pesquisa-Ação, formulada por Thiollent, surta melhores resultados do que o simples levantamento de dados e informações, em bases tradicionais REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BECK, M. (2003) Agronegócio já cresceu 5,3% no ano. Jornal O Globo agosto de CESAR, R.(2004) O impacto da TI no agronegócio Computerworld Edição /04/2004. COEN L. Boas regras de gestão ajudam a estabelecer prioridades - 05/08/2004 GIANESI; CORREA; CAON. Planejamento, programação e controle da produção. 2 ed. São Paulo: Atlas, HEHN, H. F. Peopleware. São Paulo: Gente, P JUNKES A, - Sistemas de gestão buscam sobrevida na especialização. Logocenter escolhe setor sucroalcooleiro LAUDON K, LAUDON J. Sistemas de Informação Gerenciais 5º ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall MAZZALI, L O processo recente de reorganização agroindustrial: do complexo à organização em rede. São Paulo: Editora Unesp O'BRIAEN, James A., Sistema de Informação e as Diretrizes gerenciais na era da Internet. São Paulo: Saraiva, RODRIGUEZ Y, M.V.R.;ABREU, M.P. A definição de indicadores em uma organização na sociedade do conhecimento /03/

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro * Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP em uma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas Prof Valderi R. Q. Leithardt Objetivo Esta apresentação tem por objetivo mostrar tanto os benefícios como as dificuldades da implantação

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP)

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Um sistema ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) é um pacote de software que tem por finalidade organizar, padronizar e integrar as

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes

Agora é possível interagir com os fornecedores e clientes O que é ERP? ERP é a sigla de Enterprise Resourse Planning (Planejamento dos Recursos Empresariais). Trata-se de uma técnica moderna de gestão empresarial pela qual todas as informações de todas as áreas

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP

De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP Artigo 02 De onde vieram e para onde vão os sistemas integrados de gestao ERP Este documento faz parte do material que compõe o livro: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRP II / ERP: Conceitos,

Leia mais

Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso

Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso Reflexos das customizações na implantação de sistemas ERP: uma comparação entre dois estudos de caso José Henrique de Andrade (EESC-USP) jandrade@sc.usp.br José Renato Munhoz (UFSCAR) renato.munhoz@citrovita.com.br

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de Recursos da Empresa Sistema Integrado de Gestão Corporativa Prof. Francisco José Lopes Rodovalho 1 Um breve histórico sobre o surgimento do software ERP

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini. E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP 2 ERP Planejamento dos Recursos da Empresa 3 CONCEITO DE

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP Enterprise Resource Planning Implantação de Sistema ERP Jorge Moreira jmoreirajr@hotmail.com Conceito Os ERP s (Enterprise Resource Planning) são softwares que permitem a existência de um sistema de informação

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Advanced Planning and Scheduling

Advanced Planning and Scheduling Advanced Planning and Scheduling Por Soraya Oliveira e Raquel Flexa A importância do planejamento Uma cadeia de suprimentos é composta por diversos elos conectados que realizam diferentes processos e atividades

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Logística e Organização de Cadeias Produtivas

Logística e Organização de Cadeias Produtivas II SEMANA ACADÊMICA DE ENGENHARIA AGRÍCOLA ENGENHARIA DO AGRONEGÓCIO Logística e Organização de Cadeias Produtivas Prof. Luís César da Silva UFES - CCA Desafios do Agronegócio Globalizado Atender padrões

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS ISSN 1984-9354 MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Jamile Pereira Cunha Rodrigues (UESC) Resumo Diante do atual cenário competitivo empresarial, as empresas estão buscando

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS

INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS INOVAÇÃO DE PRODUTO, PROCESSO, ORGANIZACIONAL E DE MARKETING NAS INDÚSTRIAS BRASILEIRAS Fábio Luiz Papaiz Gonçalves Faculdade de Administração CEA Centro de Economia e Administração fabiopapaiz@gmail.com

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados.

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados. MRP l SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados. Material Requirement Planning Planejamento de requisição de materiais. Tecnológica e Organizacional décadas de 60 e 70

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

Sistemas ERP. Profa. Reane Franco Goulart

Sistemas ERP. Profa. Reane Franco Goulart Sistemas ERP Profa. Reane Franco Goulart Tópicos O que é um Sistema ERP? Como um sistema ERP pode ajudar nos meus negócios? Os benefícios de um Sistema ERP. Vantagens e desvantagens O que é um ERP? ERP

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

LOGÍSTICA GLOBAL. Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP.

LOGÍSTICA GLOBAL. Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP. LOGÍSTICA GLOBAL Sistemas de Logística EDI, MRP e ERP. EDI Intercâmbio Eletrônico de Dados Introdução O atual cenário econômico é marcado por: a) intensa competitividade, b) pela necessidade de rápida

Leia mais

ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP EM UM HOSPITAL SUL MATOGROSSENSE: VANTAGENS E DESAFIOS

ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP EM UM HOSPITAL SUL MATOGROSSENSE: VANTAGENS E DESAFIOS ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP EM UM HOSPITAL SUL MATOGROSSENSE: VANTAGENS E DESAFIOS Isabella Venturini Baze (UFMS) isaventurini17@hotmail.com Rafael Sanaiotte Pinheiro (UFMS) rafaelpq03@yahoo.com.br

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial. Contextualização. Aula 4. Organização da Disciplina. Organização da Aula. Área Funcional

Sistemas de Informação Gerencial. Contextualização. Aula 4. Organização da Disciplina. Organização da Aula. Área Funcional Sistemas de Informação Gerencial Aula 4 Contextualização Prof. Me. Claudio Nogas Organização da Disciplina Buscaremos, por meio da apresentação de conceitos, exemplos de como gerar conhecimentos sobre

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

Conversa Inicial. Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação.

Conversa Inicial. Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação. Conversa Inicial Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação. Hoje iremos abordar os seguintes assuntos: a origem dos sistemas integrados (ERPs), os módulos e fornecedores

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO.

FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. Um dos principais pilares da economia, o agronegócio é marcado pela competitividade. Com 15 anos de experiência, a SIAGRI é uma das mais completas empresas

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning

ERP Enterprise Resourse Planning Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC Bacharelado em Sistemas de Informação 2B Fundamentos de Sistemas de Informação Professor: Paulo de Tarso ERP Enterprise Resourse Planning Alexandre

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

ERP ERP ERP TRABALHO SOBRE IMPORTÂNCIA

ERP ERP ERP TRABALHO SOBRE IMPORTÂNCIA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE PERNAMBUCO FCAP TRABALHO SOBRE Clarissa Emmanuelle Mariana Bruna Larissa EQUIPE: Bruna Araruna Bertão Clarissa Pimentel Bandeira

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

Universidade Federal de Goiás UFG Campus Catalão CAC Departamento de Engenharia de Produção. Sistemas ERP. PCP 3 - Professor Muris Lage Junior

Universidade Federal de Goiás UFG Campus Catalão CAC Departamento de Engenharia de Produção. Sistemas ERP. PCP 3 - Professor Muris Lage Junior Sistemas ERP Introdução Sucesso para algumas empresas: acessar informações de forma rápida e confiável responder eficientemente ao mercado consumidor Conseguir não é tarefa simples Isso se deve ao fato

Leia mais

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP

Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Palestra: Entrerprise Resource Planning - ERP Ricardo Vilarim Formado em Administração de Empresas e MBA em Finanças Corporativas pela UFPE, Especialização em Gestão de Projetos pelo PMI-RJ/FIRJAN. Conceito

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa

ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa Centro Universitário de Barra Mansa UBM Curso de Administração Tecnologia da Informação Aplicada à Administração ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa Prof. M.Sc. Paulo

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy?

Quem somos? Por que a sua empresa merece o Sistema de Gestão ERP da Otimizy? Por que a sua empresa merece Quem somos? A Otimizy Sistemas Inteligentes é a desenvolvedora do software ErpSoft, um Sistema de Gestão Empresarial voltado a resultados, que automatiza processos operacionais

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

Benefícios Corporativo do Orçamento e Custo com Rastreabilidade em um Único Sistema

Benefícios Corporativo do Orçamento e Custo com Rastreabilidade em um Único Sistema Benefícios Corporativo do Orçamento e Custo com Rastreabilidade em um Único Sistema 1. SIA Sistema de Inteligência Agrícola Farm Operations; Fazendo uma analogia com um sistema interfaceado; 2. Solução

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

E R P. Enterprise Resource Planning. Sistema Integrado de Gestão

E R P. Enterprise Resource Planning. Sistema Integrado de Gestão E R P Enterprise Resource Planning Sistema Integrado de Gestão US$ MILHÕES O MERCADO BRASILEIRO 840 670 520 390 290 85 130 200 1995-2002 Fonte: IDC P O R Q U E E R P? Porque a única coisa constante é a

Leia mais

5.5 Enterprise Resources Planning

5.5 Enterprise Resources Planning 5.5 Enterprise Resources Planning 5.5 Enterprise Resources Planning Enterprise Resources Planning (ERP), significa Planejamento de Recursos do Empreendimento e abrange todas as necessidades de informação

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO A economia brasileira tem passado por rápidas transformações nos últimos anos. Neste contexto ganham espaço novas concepções, ações

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning. Sistemas Integrados de Gestão

ERP Enterprise Resource Planning. Sistemas Integrados de Gestão ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão ERP O que é S.I. com módulos integrados que dão suporte a diversas áreas operacionais Ex. vendas, gestão de materiais, produção, contabilidade,

Leia mais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais Sistemas ERP Prof. Breno Barros Telles do Carmo Conceitos Iniciais Sistema de Informação adquirido em forma de pacotes comerciais de software que permite a integração de dados de sistemas de informação

Leia mais

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP Enterprise Resource Planning Pacote de ferramentas que integram toda a empresa, a grande vantagem é que os dados

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Programação e Controle da Produção é um conjunto de funções inter-relacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores administrativos

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO. Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Prof. Esp. Lucas Cruz SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO Os SIs têm o objetivo de automatizar os diversos processos empresariais, visando aumentar o controle e a produtividade, bem

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil

Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil Artigo 09 Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil Este documento faz parte do material que compõe o livro: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRP II / ERP: Conceitos, Uso

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

MRP - MATERIAL REQUERIMENT PLANNING (PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES DE MATERIAS)

MRP - MATERIAL REQUERIMENT PLANNING (PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES DE MATERIAS) MRP - MATERIAL REQUERIMENT PLANNING (PLANEJAMENTO DAS NECESSIDADES DE MATERIAS) SILVA M. C. Melo. UFSe (2001) MRP e MRP II O objetivo do conteúdo dessas aulas é enfocar os sistemas MRP e MRPII no processo

Leia mais

MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais)

MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais) MRP MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais) Questões-chaves O Que é MRP? MRP quer dizer planejamento das necessidades de materiais, que são sistemas de demanda dependentes,

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 ASPECTOS DE MUDANÇA CULTURAL

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão

Sistemas de Informação. O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Sistemas de Informação O uso de sistemas de informações como ferramentas de gestão Objetivos Impactos na gestão das empresas: Macro mudanças no ambiente Novas tecnologias de comunicação e informática Macro

Leia mais

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP

Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Solução Integrada para Gestão e Operação Empresarial - ERP Mastermaq Softwares Há quase 20 anos no mercado, a Mastermaq está entre as maiores software houses do país e é especialista em soluções para Gestão

Leia mais

A TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO APLICADA AO AGRONEGÓCIO: Estudo sobre o sistema Agrogestor nas fazendas do Município de Sinop/MT

A TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO APLICADA AO AGRONEGÓCIO: Estudo sobre o sistema Agrogestor nas fazendas do Município de Sinop/MT A TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO APLICADA AO AGRONEGÓCIO: Estudo sobre o sistema Agrogestor nas fazendas do Município de Sinop/MT Adriana Regina Redivo 1 Arlete Redivo 2 Cácio D. Três 3 Geraldo Alves Ferreira

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE PORTE DO RAMO TÊXTIL

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE PORTE DO RAMO TÊXTIL ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais