História das lutas dos trabalhadores no Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "História das lutas dos trabalhadores no Brasil"

Transcrição

1 1 História das lutas dos trabalhadores no Brasil Núcleo Piratininga de Comunicação Rua Alcindo Guanabara, 17/912 Centro/RJ Tel. (21) / / /

2 2 SÉCULO XX UM SÉCULO DE LUTAS Da escravidão às primeiras fábricas Os imigrantes europeus Condições de vida e trabalho Primeiras associações O nascimento da indústria e da classe operária As lutas no início do século As primeiras organizações Vargas e a montagem da estrutura sindical corporativista As leis trabalhistas e o enquadramento sindical O silêncio sindical na ditadura do Estado Novo A efervescência política e sindical no pós-guerra O domínio da ideologia populista Lutas e unificação de cúpula O golpe militar A ditadura militar e a resistência A autocrítica das ilusões populistas O acúmulo nas escolas, nas fábricas e na sociedade A explosão das greves em 78 Sindicalismo de base e de massas As divisões no movimento sindical A CUT e as outras centrais A crise da época neoliberal e os sindicatos Reestruturação produtiva e globalização

3 1900 / 1930 AS LUTAS DO INÍCIO DO SÉCULO 3 A O Brasil da República Velha Panorama internacional Grande expansão do capitalismo mundial / guerras coloniais 1914/18 Primeira Guerra mundial guerra interimperialista... MERCADOS do imperialismo inglês à supremacia norte-americana 1917 Revolução Russa: fato mais importante do século 1929 Crack da Bolsa de Nova York e a crise mundial / desemprego recorde a grande depressão Panorama no Brasil País agrário/exportador Reinado dos barões do café e ainda dos coronéis do interior - No mundo, a indústria já empregava dezenas de milhões de operários Indústria recente - Associado ao capital cafeeiro e estrangeiro... trem dos Ingleses - Primeiras fábricas entre 1850 e 60: 70 novas fábricas ex: Bohemia Dona Maria rainha de Portugal assina um Alvará... onde PROIBE a MANUFATURA e SIDERURGIA NO BRASIL Classe Operária pequena Em 1900: 85 mil trabalhadores URBANOS Sem direitos e sem leis Só em 1912 são instalados os primeiros geradores elétricos em fábricas de São Paulo Política Liberalismo O Estado não intervém nas relações capital X trabalho Fim da escravidão 1888 mas... SEM REFORMA AGRÁRIA dos 1807 A Inglaterra proíbe a escravatura em suas colônias 1810 Dom João VI se compromete com a Inglaterra a combater o tráfico no Brasil

4 B O nascimento da classe operária 4 Começo da insdustrialização Timidamente desde Bebidas: Bohemia (Petrópolis) 1853 / Brahama Rio, 88 / Antártica São Paulo - Tecelagem: Maranhão, 12 grandes fábricas / Sergipe: tecidos Juiz de Fora (a Manchester Brasileira... Mascarenhas, etc.) - Estradas de ferro: Barão de Mauá Perfil da classe Maioria imigrantes da Europa pobre do Sul Italianos 90% / Espanhóis / Portugueses / Eslavos, etc. De 1875 a 1915: Brasil: 4,5 milhões de imigrantes EUA: 50 milhões de imigrantes Política de BRANQUEAMENTO do Brasil Quantos eram mil mil mil Habitantes Rio 48 mil 500 mil 690 mil São Paulo 5 mil 32 mil 240 mil Em 1990 só Rio, São Paulo, Salvador e Belém tinham mais de 100 mil habitantes Onde estavam São Paulo / Rio de Janeiro / Recife / Porto Alegre / Belém e poucas outras cidades Em que trabalhavam Têxtil (65%) / alimentícios (15%) / construção civil / bebida / ferrovia Condições de vida e trabalho Reivindicações As mesmas da Europa do começo do capitalismo industrial séc. XIX A mesma POLÍTICA: LIBERALISMO Anexo p. 65 Nenhuma lei para o trabalho Jornada de horas / salários miseráveis / sem descanso nem férias / ritmo extenuante / ambiente insalubre / multas e castigos corporais - Idade média de vida: São Paulo 19 anos em 1910 Londres 21 anos em 1819 As mesmas do resto do mundo industrializado jornada de 8 horas / salário mínimo / férias / aposentadoria / descanso remunerado regulamentação do trabalho das mulheres e dos menores / indenização acidente de trabalho

5 Atitude do Governo e dos Patrões 5 LIBERALISMO CLÁSSICO não intromissão só repressão 1907 lei de expulsão de agitadores estrangeiros (lei Adolfo Gordo) que comprometessem a segurança nacional e a tranqüilidade pública Repressão - SEMPRE Exemplos: 1906 greve dos ferroviários de Jundiaí-SP Exigiam 8 horas Centenas de feridos e 12 mortos 1908 construtoras da estrada de Ferro Sul em Cachoeiro de Itapemirim (ES) exigem pagamento salários atrasados: 200 feridos e 70 mortos Formas de organização Associações / Caixas Beneficentes / Socorro Mútuos Uniões e Ligas Operárias / Sociedade de Resistência SINDICATOS O nome se generaliza após a orientação do 1 Congresso Operário de 1906 Greves desde o começo 1907 frente a centenas de greves o governo baixa um decreto lei permitindo a formação de sindicatos... NO PAPEL Desde os gráficos do Rio de Janeiro Portuários... desde a década de 1890 nos grandes portos: Santos / Rio / Recife / Belém Greves econômicas e... políticas Exemplo 1905 Santos (SP) greve dos portuários em apoio à Revolução Russa esmagada por forte repressão

6 Imprensa operária Desde o começo da luta operária... IMPRENSA OPERÁRIA 6 Primeiros jornais operários - O Proletário 1847 Recife - Jornal dos Tipógrafos 1858 Rio de Janeiro (durante a greve) - Vários jornais mistos: operários e políticos / socialistas / anarquistas - O periódico dos pobres 1850 Rio - O Brado da Miséria 1853 Recife - O Socialista 1890 Salvador - Muitos jornais circulavam nas fábricas De 1875 a 1930: mais de 500 jornais - O Operário 1864 (São Paulo) - O Operário 1879 (Recife) - O Operário 1892 (Ceará) - O Operário 1892 (Manaus) - Primo Maggio 1892 (SP) - A Luta 1894 (Porto Alegre) - El Grito Del Pueblo 1899 (SP) - O Proletário 1902 (Maceió) - A Greve 1903 (RJ) - O Despertar 1904 (Curitiba) - II Libertário 1906 (SP) - Tribuna Operária 1906 (Santos) - A Voz do Trabalhador 1908 (RJ) - O Demolidor 1908 (Fortaleza) - O Operário 1910 (Aracaju) - Crônica Subversiva 1918 (RJ) - Spártacus 1919 (RJ) - A Comuna 1920 (SP) - O Proletário 1920 (Juiz de Fora) - O Combate 1921 (Fortaleza) Ano INSURRECIONAL NO BRASIL 1919: 2 JORNIAS DIÁRIOS em São Paulo e Recife Recife: A Hora Social órgão da Federação das Classes Trabalhadoras São Paulo: A PLEBE (diário por 45 dias) Em 1920 nasce no Rio o diário anarquista A Voz do Povo

7 C 1 Congresso Operário e a COB Dezenas de greves por direitos mínimos: 8 horas / condições de trabalho Congresso Operário Brasileiro Local: Rio de Janeiro 43 delegados de 31 organizações operárias (RJ / SP/ MG / RS / BA / CE / PE) Principais deliberações: * Luta pela jornada de 8 horas Greve em 1 de maio de 1907 Criação da COB (Confederação Operária Brasileira) Criação do Jornal A VOZ DO TRABALHADOR Sindicato órgão de luta / Não ao assistencialismo Organização federativa, não centralizada Estimular a participação das mulheres nos sindicatos de maio. Greves pelas 8 horas nas principais cidades industriais São Paulo para durante um mês Construção Civil conquista 8 horas... não aplicadas Lei de expulsão dos agitadores estrangeiros Lei Adolfo Gordo (Foi reeditada várias vezes) 1908 formação da Confederação Operária Brasileira (COB) - Formada pó 50 associações de classe / grêmios / Grupos operários locais Seções de grandes fábricas / federações - Filiada à AIT (Associação Internacional dos Trabalhadores) COB avança nas lutas Coordenação e socialização das informações; Incentivo à criação de federações estaduais (Fosp, Forj) Lidera onda de greves dos anos seguintes Congressos da COB: 2 congresso 1913 no RJ 3 congresso: 1920 no RJ Após COB foi desarticulada pela repressão e enfraquecida pelo nascimento do PC

8 8

9 D Greve Geral de São Paulo 9 A maior greve do período Antecedentes: > ano da REVOLUÇÃO RUSSA (de fevereiro a outubro) > miséria, fome, baixos salários longas jornadas de trabalho > desde 1915 formação do Comitê de Defesa proletária muitas geves. Só em São Paulo 144 Início: Em 10/6/1917, no cotonifício Crespi (São Paulo) / Morte de grevista em piquete TRABALHADORES REIVINDICAM: 20% aumento, abolição multas, regulamentação trabalho mulheres mudanças no regime interno da fábrica; Expansão: julho Greve Geral 50 mil pessoas cruzaram os braços em São Paulo O governo foge - A polícia reprime Morre o sapateiro anarquista Martinez 10 mil vão ao enterro...cantava-se A Internacional Anexo p. 63 e 64 Reivindicações: Fim do trabalho dos menores e noturno das mulheres Aumento de salário de 25% a 35% Jornada 8 hs / Semana Inglesa / Pagamento hora extra Barateamento do custo de vida / FIM DA CARESTIA Garantia do direito de organização Obs.: Reivindicações extrapolam categoria e fábrica; reivindicações amplas Governo foge da cidade Grevistas controlam a cidade por 3 dias Fim da greve (15/7) aumento de 20% jornada de 8 horas... no papel Repercussões A greve se espalha no Estado de São Paulo e no País - SP: Itú, Sorocaba, Campinas, etc. - Curitiba / Porto Alegre / Rio de Janeiro / Recife / Salvador Joinville (CS) / Pelotas, Bagé, Santa Maria (RS)

10 E A onda de greves de 1918 e Dezenas de greves exigem 8 horas de trabalho e aumento de salário Crescem os sindicatos e o número de sindicalizados Novembro: GREVE GERAL INSURRECIONAL no Rio de Janeiro Têxteis, metalúrgicos, construção civil 20 mil cruzam os braços A burguesia assustada, reprime, mata e expulsa 1919 Grandes manifestações no 1 de maio: 60 mil no Rio (10% da população) 20 mil em São Paulo Palavras de ordem: Se canta A Internacional Via a Revolução Russa Viva Lênin Greve generalizada em outubro em São Paulo Rio de Janeiro Recife (50 mil em greves) Porto Alegre (greve de 20 dias) Salvador: greve geral pelas 8 horas (Governador cede... p/ oficinas do Estado) 8 horas para todos os estabelecimentos industriais e oficinas pertencentes ao Estado Em São Paulo A PLEBE vira diário Em Recife a HORA SOCIAL vira diário REIVINDICAÇÕES GERAIS 8 horas repouso remunerado regulamentação trabalho de mulheres e menores liberdade de pensamento e organização operária redução de aluguéis RESULTADOS - Governo concorda em libertar 100 presos - Patrões assinam acordo de 8 horas (NÃO APLICADAS) Dezembro de 1919 Fracassa tentativa de greve geral

11 11 Correntes políticas até 1922 Anarquistas / Anarco-sindicalismo Dominante até 1920 Referências Bakunin, Sorel, Malatesta Oposição total ao capitalismo Revolução social e sociedade igualitária, sem explorados e exploradores Sindicato principal órgão de luta e base da futura sociedade Ação direta/ greve e greve geral como armas decisivas Contra o Estado, contra qualquer forma de governo Contra a religião/anti-clericalismo Não aceitavam a luta política, parlamentar e partidária Internacionalismo / solidariedade Experiência exemplar: Colônia Cecília (1890) Socialismo anarquista Socialistas Quase inexpressiva Referências: Socialdemocracia européia Social democracia. Política da 2ª Internacional Evolucionistas e reformistas Trabalhistas / católicos Pouca expressiva Referência: Encíclica Rerum Novarum do Papa Leão XIII (1891) Negam a luta de classes / Defendem conciliação de classes São contra a greve / Apóiam o governo Defendem a criação de sindicatos próprios O filho do presidente Hermes da Fonseca, deputado Mário Hermes, promove, em 1912, um Congresso Operário Novo quadro após 1922 Comunistas Dominante após 1925 Referências Revolução Russa / 3ª Internacional Seguem a linha da União Soviética III Internacional: expansão do comunismo mundial (1919) São criados Partidos Comunistas nos vários países para a revolução Lutas de classes motos da história Necessidade de uma central sindical / Unidade Sindical A política parlamentar é uma tática

12 F : período de refluxo É fundado o Partido Comunista, Seção brasileira da Internacional Comunista É fundado por 9 delegados representando 73 militantes, 8 operários e 1 jornalista maioria ativistas sindicais e ex-anarquistas OBS.: Antes do partido nasce a revista Movimento Comunista Com exceção dos primeiros meses, o PCB viveu na ilegalidade até Legalizado como Partido Comunista do Brasil, PCB Dutra cassa o Partido por causa da seção brasileira......pretexto Em 61, visando se legalizar muda o Partido Comunista Brasileiro. Em 1962, há um racha no comitê central, e é criado o PCdoB Política geral: Aceitação mecânica das orientações da III Internacional Política Sindical: unidade sindical Lutar pela criação de uma central sindical frente única pelas reivindicações econômicas Política Nacional: temas nacionais e participação nas eleições parlamentares: É fundado em 1927, o BLOCO OPERÁRIO E CAMPONÊS (BOC) defesa das reivindicações dos trabalhadores Salário mínimo / férias / fim dos acidentes / código de menores contra política das oligarquias contra o imperialismo / reconhecimento URSS / pela anistia por medidas contra a carestia Cresce influência do PCB nos sindicatos Processo de centralização, verticalização e burocratização greves sujeitas a consultas às federações comitês de fábrica correia de transmissão do sindicato A classe dominante reage 1- Tentativa de cooptação do BOC Depois, lança a mais violenta repressão daqueles anos 2- Começa debate sobre leis sociais Proposta de Código do Trabalho (desde 17)... Maurício de Lacerda mas forte oposição a esta Lei Operária... Borges de Medeiros (RS) 3- Leis repressivas Lei e expulsão de estrangeiros (1913) (Reedição da Lei de 1907) Lei infame 1921 repressão total a anarquistas / sindicatos... É um endurecimento da lei Adolfo Gordo de Lei Celerada = totais poderes à polícia política para invadir sindicatos, clubes, jornais e casas.

13 1928 Mudanças na burguesia É criado o CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo É o centro organizador ideológico dos empresários industriais paulistas 13 Defende a intervenção do Estado para industrialização Superação do liberalismo clássico e controle do movimento operário É base para a política varguista pós-30 FAÇAMOS A REVOLUÇÃO ANTES QUE O POVO A FAÇA 1929 Abril: Congresso Operário Nacional no Rio de Janeiro Criação da CGTB Confederação Geral dos Trabalhadores Brasileiro Vinculada ao PCB Artificial / pouco representativa Crise da República Velha A crise de 1929: A grande depressão mundial Limites do liberalismo e necessidade do Estado Interventor A QUESTÃO SOCIAL É UM CASO DE POLÍCIA Presidente Washington Luis VISÃO LIBERAL CLÁSSICA Repressão policial Prisões e morte de operários, Expulsão, deportações e confinamentos Divisões entre patrões em torno das leis sociais e papel do Estado Na campanha presidencial de Vargas propõe CRIAÇÃO DE LEIS TRABALHISTAS INTERVENÇÃO ESTATAL NA ECONOMIA VOTO UNIVERSAL PARA HOMENS E MULHERES Até aqui havia só poucas leis e... não observadas Regulamentação do Conselho Nacional do Trabalho Lei Eloi Chaves : Caixa de aposentados e pensão para os ferroviários Lei de uma semana de férias

14 1930/1945 VARGAS E A ESTRUTURA SINDICAL 14 A O Brasil sob Getúlio Vargas Panorama Internacional Crise mundial / Grande Depressão Desemprego mundial - Nos EUA política do New Deal: Keynesianismo Ascensão do nazi-fascismo: Alemanha / Itália Consolidação do estalinismo na URSS / socialismo num só país Guerra Civil Espanhola: ensaio da II Guerra Mundial Conflito ideológico da década Fascismo X Comunismo Panorama Nacional 15 anos de governos Vargas Vargas cria condições Para a acumulação capitalista Desenvolvimento industrial Política geral Substituição das importações Indústria de base = siderurgia/csn Modernização da estrutura produtiva Estado centralizador Intervencionista / desenvolvimentista - Vantagens ao capital - Vargas cria o controle sobre o movimento operário Legislação social e estrutura sindical atrelada Ideologia varguista Cooptação ideológica pai dos pobres + repressão Regulamento relações Capital / Trabalho crescimento classe operária / origem rural 1930: 300 mil /1940: um milhão campo - Desenraizamento e controle nasce a FIESP Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

15 B Controle sobre a classe operária 25 dias após a posse... Vargas 1930 Criação do Ministério do Trabalho 15 É tempo de substituir o velho e negativo conceito de lutas de classes pelo conceito novo, construtor e orgânico de colaboração de classe (Lindolfo Collor) - 1º ministro do Trabalho) 1931 Lei de Sindicalização ou Lei dos Sindicatos Modelo: Carta del Lavoro de Mussolini ideologia varguista: Conciliação de classes Harmonia deinteresses entre patrões e trabalho Colaboração entre capital + trabalho Fim dos conflitos de classes / Estado acima das classes Nacionalismo desenvolvimentista Sindicato assistencialista... Não precisa luta! Proibidos de fazer qualquer propaganda ideológica Proibida filiação a sindicatos internacionais Proibida uma Central Sindical Ingerência total do Ministério do Trabalho Reconhece um só sindicato por categoria profissional e por região Unicidade e pulverização Ministério do Trabalho envia delegados às assembléias Lista dos sócios, atividades de finanças enviadas ao Ministério Estatutos devem ser aprovados pelo Ministério do Trabalho Estrutura vertical: Sindicato / Federação / Confederação Servidores não podem sindicalizar-se Anexo p Plínio Salgado cria a Ação Integralista Brasileira partido fascista - divisa / camisa verde Seu lema: Deus, Pátria e Família

16 C Legislação social e sindical Ministério do Trabalho 1931 Lei dos dois terços (2/3 brasileiros: 1/3 estrangeiros) Lei de sindicalização Lei Regulamentação do trabalho feminino e dos menores 1932 Carteira profissional Lei das Convenções Coletivas de Trabalho Criação Juntas de Conciliação Jornada de trabalho de 8 horas Descanso semanal remunerado Limitação do trabalho noturno Anexo p Lei de férias Para encher os sindicatos oficiais só recebia esse direito quem fosse associado Acidente de trabalho Assistência e Previdência Social Nova Constituição inclui a legislação social e sindical; Volta pluralismo sindical mas depende de reconhecimento oficial Volta da lei da unicidade sindical Estatuto-padrão Atestado ideológico Regulamentação da Justiça do Trabalho Imposto sindical Salário Mínimo (em discussão desde 1910) Iniciam os grandes 1 de Maio Mito da outorga / da dádiva / Getúlio pai dos pobres fazer esquecer décadas de lutas Estado autoritário... providência 1942 Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)! LEI TRABALHISTA SÓ PRA POUCOS - Exclui campo... 80% população - Exclui funcionalismo público

17 D Atuação do movimento sindical / Oposição da esquerda e sindicatos contra a Lei de Sindicalização chamada de fascismo ministerial São realizados greves, manifestações, marchas, comícios, denúncias Poucos sindicatos filiados Greves e manifestações exigindo leis trabalhistas Comícios 1 de maio. Repressão policial constante Crescimento da influência dos comunistas e diminuição dos anarquistas; Os comunistas defendem a formação das frações vermelhas nos sindicatos oficiais, em 1932, em São Paulo Greves e Marchas da Fome contra desemprego e baixos salários (SP-Rio-Recife) 1932 Ascenso do movimento grevista: 124 greves em dois anos maio: greve geral, em São Paulo Um mês, 200 mil operários parados greves e manifestações contra a Carteira de Trabalho 1934 Greves com reivindicações econômicas e políticas Bancários do Rio conseguem direito de aposentadoria e pensão 1ª greve do funcionalismo público, correios e telégrafos Luta contra o fascismo: congressos, campamhas, comitês anti-fascistas, FUS (Frente Única Sindical) contra o fascismo 1935 Março: Fundação da Aliança Nacional Libertadora (ANL): nacional / popular / anti-fascista em dois meses 400 mil filiados, 1600 núcleos em todo o País; Abril: Lei de Segurança Nacional... contra a subversão - 1 de Maio: Criação da CSUB (Confederação Sindical Unitária do Brasil) - Novembro: Fechamento da ANL e Levante Comunista de novembro... Estado de sítio, prisões, torturas, mortes, fechamento dos sindicatos combativos (20 mil presos no país) 1937 Golpe do Estado Novo - Ditadura... para por ordem na casa Governo inventa a farsa do Plano Cohen... Trama comunista Nova Constituição elimina o pluralismo sindical confirma a estrutura sindical corporativa

18 E Estado Novo - 37 a Estado Novo - refluxo do movimento - DITADURA VARGAS Nova constituição / proibição de greves / maior repressão Sindicatos controlados - PELEGOS Fechamento dos partidos Censura Hora do Brasil DIP - Departamento Imprensa e Propaganda Repressão A polícia de Felinto Muller - torturas (DOPS) No 1 de maio - Vargas anuncia a criação da Justiça do Trabalho 1 de maio - Vargas no estádio de São Januário (RJ) salário mínimo - Vargas incorpora ao Governo a Rádio Nacional 1 de maio - inauguração da CSN - batalha da produção Trabalhador organizado é trabalhador disciplinado Governo lança campanha de sindicalização 1943 Através da Hora do Brasil - intensificação da propagandistica/ideológica Toda 5ª feira, por 10 minutos o ministro do Trabalho tece elogios a Vargas 1 de Maio - Vargas promulga a CLT Trabalhadooores do Brasiiil! Na CLT os artigos de 511 a 610 Da Organização Sindical 1944 O ministro do Trabalho passa a falar DIARIAMENTE na rádio Rádio Mauá Rádios dos Trabalhadores Criada neste ano pelo Ministério do Trabalho Retomada do Movimento dos trabalhadores Greves e manifestações de rua PCB cria o MUT Movimento Unificado dos Trabalhadores Décadas de 30 e O MUT quer liberdade sindical Sem... ruptura com a estrutura - Política industrial de Vargas: crescimento industrial - Política de substituição das importações Cria a INDÚSTRIA DE BASE ESTATAL - Fábrica Nacional de Motores (FNM), etc, etc. - Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) - Cia Brasileira de Alcalis Cia Vale do Rio Doce (CVRD) Anexo pag.73

19 GREVES, CGT E POPULISMO 19 Panorama internacional Fim da 2ª Guerra e início da Coexistência Pacífica... breve período criação da ONU, do FMI, do Banco Mundical, Bird etc GUERRA FRIA (URSS X EUA) Plano de reconstrução da Europa: Plano Marshall Expansão capitalista sob hegemonia dos EUA Expansão do bloco soviético com o Leste Europeu Revolução chinesa - Segunda grande revolução comunista no mundo < crescimento de movimentos nacionalistas, anti-colonialistas e anti-imperialistas 1959 Revolução Cubana Exemplo e apoio às guerrilhas contra as ditaduras América Latina É criada a CEPAL (organismo da ONU para a A.L.) Política da capitalismo humanizado Nacional-desenvolvimentismo Ideologia nacional - populista Brasil Processo acelerado de industrialização e modernização bens de capitais duráveis - automóveis (1956) Petrobras (1953) Aumento da entrada de capitais estrnageiros Após o fim da 2ª Guerra Política do PCB amarra a classe operário à política e à ideologia burguesas política de aliança de classes... com a burguesia nacional

20 A fim da 2ª Guerra 20 Derrota do nazi-fascismo pelos Aliados EUA + URSS + Inglaterra + França e partigiani / partizans / maquis abril base para política da UNIDADE ANTIFASCISTA e redemocratização reconhecimento da URSS pelo Brasil campanha anistia - 18 de abril - Prestes e centenas liberados (só de Fernando de Noronha 800) Começa a estruturação partidária pós-ditadura fundação UDN (União Democrática Naciona 15/5 - Vargas cria o PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) Marcadas eleições para dezembro maio - Os comunistas iniciam atividades do PCB Comício... Prestes + Vargas no Estádio Vasco da Gama/RJ Comunistas e antifascistas conscientes 17/7 - Vargas cria o PSD (Partido Social Democrata) junho/agosto outubro PCB, junto com PTB, lança Constituinte com Getúlio campanha queremismo Esta aliança já estava sendo preparada há tempos:... O povo brasileiro volta-se para o senhor Getúlio Vargas na esperança de que o antigo chefe do movimento popular de 1930 queira guiá-los, sem vacilações, na luta de morte contra a barbárie fascistas. (Prestes , na prisão) golpe depõe Getúlio Vargas novembro dezembro 10/11 É legalizado o PCB Eleições: O general E.G.Dutra (PSB) vence o brigadeiro Eduardo Gomes (UDN) PCB, com 15 dias de campanha obtém quase 10% de votos Yedo Fiúza candidao à presidência Prestes é o senador mais votado da história brasileira (até lá) e mais 14 deputados fed... Mariguella, Grabois, Amazonas, G. Bezerra, Jorge Amado, Mário ALves, Arruda...

21 B Movimento operário após a guerra /46 Grande movimento grevista na base contra a superexploração, por aumentos salariais, liberdade sindical PCB contra as greves: apertar os cintos Segue as orientações de Moscou: blocos definidos: não às revoluções União Nacional. Frentismo: Junto com a burguesia nacional...a linha política do nosso Partido era de PAZ, ORDEM e TRANQUILIDADE. (Gregório Bezerra) Movimento obriga PCB a mudar política e apoiar as greves 1946 Nova Constituição Democratiza país pós Estado Novo Mas na estrutura sindical NADA MUDA! Fundação da CGTB (Confederação Geral dos Trabalhadores do Brasil) Farta imprensa do PCB No Rio, a Tribuna Popular : 20 mil/dia = Correio da Manhã Tribuna Gaúcha(RS) - Folha Capixaba (ES) Jornal do Povo (AL) - Hoje (SP) Momento (BA) - O Democrata (CE) - Folha do Povo (PE) Desaparece a imprensa operária autônoma Fica a imprensa do Partido

22 C Muda o quadro mundial 22 Março de 1946 em Fulton, EUA, Churchill fala, pela 1ª vez, em Cortina de ferro E o fim da ilusória cooperação do Ocidente com a URSS 3 anos depois... estoura a GUERRA DA COREIA que contrapõe EUA x CHINA e URSS No Brasil é o começo da GUERRA FRIA na Europa: Otan X Pacto de Varsóvia Patrões e governo aumentam as medidas repressivas e reacionárias Proibição de greves Comícios reprimidos, prisões Intervenção em 143 sindicatos CGTB e MUT fora da lei Rompimento com URSS 1947 Ilegalidade PCB e cassação dos parlamentares comunistas em 10/1/1948 TRABALHADORES REAGEM E FORMAM ORGANIZAÇÕES PARALELAS Mudanças na política do PCB. Virada à esquerda Em 50, lança o Manifesto de Agosto em defesa de Frente Democrática de Libertação Nacional para a conquista imediata do poder

23 D : A volta de Getúlio Vargas eleito presidente da República O povo subirá comigo as escadas do Catete 1951 Aumento de 100% no salário mínimo... após mais de 200 greves 1953 Vargas cria a Petrobras... bandeira nacionalista (PTB + PCB) O Petróleo é nosso Esta batalha já vinha desde 1947) Clima de politização crescente inflação, carestia e mais de 800 greves João Goulart ministro do Trabalho Se afirma o trabalhismo, o populismo A greve dos 300 mil 7 categorias, um mês em São Paulo Fruto do acúmulo da organização por empresa Declarada ilegal / Grande repressão Papel decisivo das comissões de fábricas Formação Comando Geral de Greve e Comissões de Greve por setor A greve foi vitoriosa conquistou reajuste salarial de 32% O Comando de Greve se transforma em Comissão Intersindical - CIS Apos a greve, da CIS nasce o PUI (Pacto de Unidade Intersindical)

24 O tempo todo Vargas... leva uma política contraditória De 50 a 60 não havia divisão político-ideológico, na burguesia brasileira Havia duas facções burguesas Havia visões contrária do ponto de vista econômico 24 Industrialista-desenvolvimentista X Anti-industrialista Industrialistas: PTB + PCB + Nacionalistas X Anti-industrialistas UDN + Latifundiários exportadores e... EUA Vargas agia de forma contraditória: Cria a Petrobras mas... foi ele quem iniciou as conversações com a FORD, WOLKSVAGEN e CHRISLER para que estas viessem ao Brasil Atenção: Vargas era profundamente anticomunista (isto, na época era sinônimo de anti-urss e pró-eua) mas tinha contradições com a política colonialista anti-industrialista dos EUA por isso: oposição a Vargas ou... se matava ou... seria morto: GOLPE

25 E JK - Industrialização e lutas operárias Novo quadro político - Pós Vargas - vice Café Filho... nova eleição - Vitória de Juscelino Kubtchek do PSD e Vice Goulart (PTB) posse tumultuada mas JK se firmou a UDN tentou impedir sua candidatura e... sua posse JK: tática de buscar apóio em todas as classe Trabalhadores = aumentos / controle via vice Goulart indústrias = expansão industrial Latifundiários = incentivos e não fazer a Reforma Agrária intelectuais = mística desenvolvimentista Na oposição = UDN... liberal / antivarguista / anti- Goulart JK: Política de oscilaçao... continuação de Vargas Estabilidade / controle inflação = FMI X desenvolvimento Mudanças econômicas Em 59 ruptura com FMI... nacionalismo sindical Desenvolvimento capitalista acelerado grandes empresa, indústria automobilística facilidades para entrada de capitais estrangeiros e remessa dos lucros 50 anos em 5

26 Mudanças na classe operária 26 peso dos setores metalúrgico, plástico e derivados petróleo peso dos trabalhadores nas estatais, setor público grande migração campo-cidade Crescimento da mobilização e politização do movimento sindical contra baixos salários, contra as péssimas condições de trabalho contra a carestia e inflação apoio à política nacionalista e reformista 1955 início da maior migração interna da história do capitalismo mundial milhões de brasileiros do campo cidade Luiz Gonzaga Triste Partida Mudanças na linha do PCB Anexo p Revolução em duas etapas: Primeiro a revolução democrática burguesa Desenvolvimento do capitalismo nacional aliança com a burguesia nacional contra o latifúndio e o imperialismo desdobramentos - apoio à política reformista - nacionalista Mobilizações crescentes Greves massivas - alianças eleitorais PCB-PTB - movimento sindical como instrumento de pressão 1957 Greve generalizada em São Paulo 500 mil param por aumento de 45%, Assembléias chegam a ter 100 mil trabalhores no Pacaembu 1958 Greve Marinha Mercante dura 7 dias 1959 Quase mil greves envolvendo de trabalhadores 1960 Greve nacional nos transportes Marítimos e Terrestres Greve da paridade entre funcionários civis e militares Dessas greves nasce o PUA (Pacto de Unidade e Ação... a caminho do CGT... um Comando Geral

27 Jango: crise do populismo e Golpe de /60 - Eleição presidencial Jânio (pres) UDN + PSB Jango (vice) PTB + PCB + PCB Eleição separada para presidente e vice Gen. Lott (presid) e João Goulart (Vice) X Jânio e Milton Campos Jânio - direitista / demagogo Programa confuso mas... LIBERAL Política externa para... a platéia ver... condecora Che Estabilização Economia: vai-vem entre Desenvolvimento Esgotamento do processo de substituição das importações Queda do crescimento econômico inflação galopante... até 80% ao ano! 1960/61 Centenas de greves por salários e condições de trabalho 8/61 Renuncia de Jânio (visava voltar com o Exército) Exército e UDN contra a posse do Jango (estava na China) O Golpe estava a caminho 1961 Greve da legalidade em defesa da posse de Jango após renúncia de Jânio Quadros Em troca Jango apoiará chapa de oposição para a CNTI RS... Brizola + Exército + Sindicatos marcham pela posse do Jango Jango assume mas com... parlamentarismo

50 ANOS DO GOLPE MILITAR

50 ANOS DO GOLPE MILITAR 50 ANOS DO GOLPE MILITAR (1964-1985) Prof. Dr. Rogério de Souza CAUSAS Guerra Fria Contexto Internacional: Construção do Muro de Berlim (1961) Cuba torna-se Socialista (1961) Crise dos Mísseis (1962) CAUSAS

Leia mais

Capítulo. A ditadura militar no Brasil

Capítulo. A ditadura militar no Brasil Capítulo A ditadura militar no Brasil ARQUIVO/O GLOBO 1 Do golpe militar ao AI-5 O golpe militar de 1964 João Goulart é derrubado pelos militares, em 31 de março de 1964, por meio de um golpe, apoiado

Leia mais

Resistência à Ditadura Militar. Política, Cultura e Movimentos Sociais

Resistência à Ditadura Militar. Política, Cultura e Movimentos Sociais Resistência à Ditadura Militar Política, Cultura e Movimentos Sociais Visão Panorâmica Introdução à ditadura Antecedentes do Golpe A Ditadura A Resistência A Reabertura Duração: 1964 à 1985 Introdução

Leia mais

Período Democrático e o Golpe de 64

Período Democrático e o Golpe de 64 Período Democrático e o Golpe de 64 GUERRA FRIA (1945 1990) Estados Unidos X União Soviética Capitalismo X Socialismo Governo de Eurico Gaspar Dutra (1946 1950) Período do início da Guerra Fria Rompimento

Leia mais

Período Populista (1945/64)

Período Populista (1945/64) Período Populista (1945/64) INTRODUÇÃO Período de Democracia, sem censura e eleições direta (o( o povo vota) para presidente. O mundo encontrava-se no Período de Guerra Fria : Capitalistas (EUA) X Socialistas

Leia mais

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES

PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES PERÍODO MILITAR (1964/1985) PROF. SORMANY ALVES INTRODUÇÃO Período governado por GENERAIS do exército brasileiro. Adoção do modelo desenvolvimento dependente, principalmente dos EUA, que subordinava a

Leia mais

BRASIL REPÚBLICA (1889 ) DITADURA MILITAR (1964-1979)

BRASIL REPÚBLICA (1889 ) DITADURA MILITAR (1964-1979) Divisões entre os militares: SORBONNE: oriundos da ESG (Escola Superior de Guerra, intelectuais, veteranos da 2ª Guerra, próximos da UDN, alinhados com os EUA, anticomunistas, executivo forte e soluções

Leia mais

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com.

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Próximo HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR. Caderno 10» Capítulo 4. www.sejaetico.com. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS HISTÓRIA O BRASIL, O MUNDO E A PAZ NUCLEAR Caderno 10» Capítulo 4 www.sejaetico.com.br CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS A experiência democrática no Brasil (1945-1964)

Leia mais

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964):

A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): A REPÚBLICA DEMOCRÁTICA POPULISTA (1945 1964): 1. - PRINCIPAIS PARTIDOS: PSD (Partido Social Democrático): Principal partido. Criado por Getúlio Vargas. Base rural. Industriais, banqueiros e latifundiários

Leia mais

Prof. Thiago Oliveira

Prof. Thiago Oliveira Prof. Thiago Oliveira Depois da 2ª Guerra Mundial o Brasil passou por um período de grandes transformações no campo da política, economia e sociedade, superando o Estado Novo de Getúlio e experimentando

Leia mais

Aula 14 Regime Militar Prof. Dawison Sampaio

Aula 14 Regime Militar Prof. Dawison Sampaio Aula 14 Regime Militar 1 Contexto do Regime Militar Contexto interno: Colapso do Populismo (polêmica das Ref. de Base) Contexto externo: Guerra Fria e os interesses dos EUA (risco de cubanização do Brasil

Leia mais

MÓDULO 19- O BRASIL DA DITADURA MILITAR( 1964-1985)

MÓDULO 19- O BRASIL DA DITADURA MILITAR( 1964-1985) OS PRESIDENTES MILITARES: MÉDICI GEISEL COSTA E SILVA FIGUEIREDO CASTELLO BRANCO 1 - O governo CASTELLO BRANCO (Sorbonne 1964 1967): PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo): Fim da Estabilidade no emprego.

Leia mais

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes.

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes. Ditadura: É uma forma de governo em que o governante (presidente, rei, primeiro ministro) exerce seu poder sem respeitar a democracia, ou seja, governa de acordo com suas vontades ou com as do grupo político

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética LINHA DO TEMPO Módulo I História da Formação Política Brasileira Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética SEC XV SEC XVIII 1492 A chegada dos espanhóis na América Brasil Colônia (1500-1822) 1500

Leia mais

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições.

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Revolução de 1930 Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Responsável pelo fim da chamada Política café com leite Política café com leite

Leia mais

Governos. Populistas Brasileiros (1946-1964) Entregar? Nacionalizar? Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS)

Governos. Populistas Brasileiros (1946-1964) Entregar? Nacionalizar? Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS) Governos Entregar? Populistas Brasileiros (1946-1964) OU Prof. Abdulah 3ºano/Pré- vesjbular Aulas 20 e 21 (SAS) Nacionalizar? PRINCIPAIS PARTIDOS PSD (Par(do Social Democrá(co): Principal par*do. Criado

Leia mais

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010)

Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985) e República Nova (Redemocratização do Brasil) (1985-2010) Trabalho de História Recuperação _3ºAno Professor: Nara Núbia de Morais Data / /2014 Aluno: nº Ens. Médio Valor: 40 Nota: Temas Governo de Vargas 1930-1945), Populismo (1945-1964) Ditadura Militar (1964-1985)

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985?

Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985? Questões sobre a Ditadura Militar no Brasil (respostas no final da página) 1. Como teve início a Ditadura Militar no Brasil que durou de 1964 a 1985? A - Através de eleições democráticas que levaram ao

Leia mais

XVI. A Revolução de 1930

XVI. A Revolução de 1930 XVI. A Revolução de 1930 Queda da Bolsa de Valores de Nova York. A Crise do capitalismo e o Café. Desestruturação do poder tradicional. Consciência trabalhista. Problema de salário é caso de polícia. (Presidente

Leia mais

29 A ordem liberal-democrática

29 A ordem liberal-democrática A U A UL LA A ordem liberal-democrática Abertura Na aula passada vimos que, em 1945, Vargas convocou eleições para a presidência da República. Mas o regime do Estado Novo chegou ao fim antes que elas se

Leia mais

Colégio Social Madre Clélia Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Disciplina: História Profa Andrea Oitava 1-Manhã

Colégio Social Madre Clélia Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Disciplina: História Profa Andrea Oitava 1-Manhã Colégio Social Madre Clélia Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Disciplina: História Profa Andrea Oitava 1-Manhã BRASIL: ELEIÇÕES DE 1945 Com a deposição de Vargas foram marcadas eleições para

Leia mais

DITADURA CIVIL MILITAR

DITADURA CIVIL MILITAR DITADURA CIVIL MILITAR Argentina + ou 25.000 mortos Chile + ou 4.000 mortos Brasil + ou 500 mortos ARGENTINA Parte forte do Vice Reino do Prata vitoriosa da Guerra do Paraguai Sociedade rural que aos poucos

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

Módulo 13 - Brasil. Prof. Alan Carlos Ghedini www.inventandohistoria.com

Módulo 13 - Brasil. Prof. Alan Carlos Ghedini www.inventandohistoria.com Módulo 13 - Brasil Prof. Alan Carlos Ghedini www.inventandohistoria.com Marechal Castello Branco (1964 1967) Chegou a presidência via eleição INDIRETA No seu governo foram criados 4 atos institucionais

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA (1945 1964)

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA (1945 1964) REPÚBLICA DEMOCRÁTICA (1945 1964) O principal êxito do período foi ampliar a cidadania sobretudo o direito de votar e, muito teoricamente, o direito de ser eleito - às classes médias e à classe trabalhadora.

Leia mais

Nesta aula trataremos do período contemporâneo da república brasileira: dos governos militares, iniciado em 1964 aos dias atuais.

Nesta aula trataremos do período contemporâneo da república brasileira: dos governos militares, iniciado em 1964 aos dias atuais. Aula 24 Da República Militar à Nova República. Nesta aula trataremos do período contemporâneo da república brasileira: dos governos militares, iniciado em 1964 aos dias atuais. A República Militar (1964/1985).

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

Disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e URSS após a II Guerra Mundial. É uma intensa guerra econômica, diplomática e tecnológica pela conquista de zonas de influência. Ela divide o mundo

Leia mais

Pré-História (600.000-4.000 a.c)

Pré-História (600.000-4.000 a.c) Pré Exame História HISTÓRIA GERAL Pré-História (600.000-4.000 a.c) Paleolítico - fogo - nômades - coletores REVOLUÇÃO do NEOLÍTICO agricultura e pecuária Neolítico - roda - produtores - sedentários Idade

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

Derrota da emenda Dante de Oliveira pelas Diretas Eleição indireta de Tancredo Neves Morte de Tancredo, antes da posse

Derrota da emenda Dante de Oliveira pelas Diretas Eleição indireta de Tancredo Neves Morte de Tancredo, antes da posse O B R A S I L DE SARNEY A FHC Da redemocratização à globalização O G O V E R N O S A R N E Y (1985-1990) 1990) Antecedentes Derrota da emenda Dante de Oliveira pelas Diretas Eleição indireta de Tancredo

Leia mais

BRASIL REPÚBLICA (1889 )

BRASIL REPÚBLICA (1889 ) 1 - Antecedentes: Esgotamento do populismo: manifestações de massa, greves, agravamento de tensões sociais. Temor dos EUA com a possibilidade de novas revoluções cubanas na América Latina. Apoio de setores

Leia mais

Professor Tiago / 9º Ano / 3º Trimestre / História

Professor Tiago / 9º Ano / 3º Trimestre / História Professor Tiago / 9º Ano / 3º Trimestre / História 1. Assinale V(verdadeira) e F(falsa): a) ( ) Em 1929, o mundo capitalista enfrentou grave crise econômica, causada principalmente pelo crescimento exagerado

Leia mais

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO

VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO VESTIBULAR 2011 1ª Fase HISTÓRIA GRADE DE CORREÇÃO A prova de História é composta por três questões e vale 10 pontos no total, assim distribuídos: Questão 1 3 pontos (sendo 1 ponto para o subitem A, 1,5

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945 EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA A ERA VARGAS-1930-1945 01) Sobre o Estado Novo (1937-1945), é incorreto afirmar que: a) Foi caracterizado por um forte intervencionismo estatal. b) Criou órgãos de censura

Leia mais

Governo Provisório ( 1930/1934 ).

Governo Provisório ( 1930/1934 ). Aula 20 Era Vargas (1930/45) A chamada Era Vargas está dividida em três momentos: Governo Provisório, Governo Constitucional e Estado Novo. O período inaugurou um novo tipo de Estado, denominado Estado

Leia mais

Getúlio Vargas e a Era Vargas

Getúlio Vargas e a Era Vargas Getúlio Vargas e a Era Vargas http://www.suapesquisa.com/vargas/ AGOSTO RUBEM FONSECA Getúlio Vargas e a Era Vargas: ASPECTOS A RESSALTAR Vida de Getúlio Vargas; Revolução

Leia mais

40 anos do golpe de 1964

40 anos do golpe de 1964 40 anos do golpe de 1964 Tortura, prisões, assassinatos e desaparecimentos de opositores, proibição de partidos, intervenção em sindicatos, censura à imprensa e crescimento económico acelerado: tudo isso

Leia mais

História B Aula 21. Os Agitados Anos da

História B Aula 21. Os Agitados Anos da História B Aula 21 Os Agitados Anos da Década de 1930 Salazarismo Português Monarquia portuguesa foi derrubada em 1910 por grupos liberais e republicanos. 1ª Guerra - participação modesta ao lado da ING

Leia mais

DITADURA MILITAR (1964 1985) Anos de Chumbo Ditadura Militar 1964-1985

DITADURA MILITAR (1964 1985) Anos de Chumbo Ditadura Militar 1964-1985 Anos de Chumbo Ditadura Militar 1964-1985 1 - Antecedentes: Esgotamento do populismo: manifestações de massa, greves, agravamento de tensões sociais. Temor dos EUA com a possibilidade de novas revoluções

Leia mais

DÉCADA DE 50. Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista

DÉCADA DE 50. Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista Eventos mais marcantes: Revolução Chinesa (1949) Guerra da Coréia (1950-1953) Revolução Cubana (1959) Corrida armamentista Corrida Espacial REVOLUÇÃO CHINESA Após um longo período de divisões e lutas internas,

Leia mais

GUERRA FRIA 1945 1991

GUERRA FRIA 1945 1991 GUERRA FRIA 1945 1991 Guerra Fria 1945-1991 Conceito: Conflitos políticos, ideológicos e militares (indiretos), que aconteceram no pós guerra entre as duas potências mundiais EUA e URSS entre 1945-1991.

Leia mais

ATIVIDADES ON LINE 9º ANO DITADURA MILITAR

ATIVIDADES ON LINE 9º ANO DITADURA MILITAR ATIVIDADES ON LINE 9º ANO DITADURA MILITAR 1-"O movimento de 31 de março de 1964 tinha sido lançado aparentemente para livrar o país da corrupção e do comunismo e para restaurar a democracia, mas o novo

Leia mais

Mapa Mental Sobre a Metodologia no Curso da ENFOC REAPROPRIAÇÃO TEMÁTICA E METODOLÓGICA DO PRIMEIRO MÓDULO

Mapa Mental Sobre a Metodologia no Curso da ENFOC REAPROPRIAÇÃO TEMÁTICA E METODOLÓGICA DO PRIMEIRO MÓDULO Mapa Mental Mapa Mental Sobre a Metodologia no Curso da ENFOC REAPROPRIAÇÃO TEMÁTICA E METODOLÓGICA DO PRIMEIRO MÓDULO Dois Focos Temáticos Sistema Capitalista História Contradições Desafios para a classe

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

LINHA DO TEMPO. Curso de Atualização e Capacitação sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas

LINHA DO TEMPO. Curso de Atualização e Capacitação sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas LINHA DO TEMPO Curso de Atualização e Capacitação sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas Destaques de alguns fatos na: História política, economia e sociedade no BRASIL e no MUNDO (em preto) História

Leia mais

Aula 10.1. Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos

Aula 10.1. Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos Aula 10.1 Avaliação da Unidade II Pontuação: 7,5 pontos 1ª QUESTÃO (1,0) Em seu discurso de despedida do Senado, em dezembro de 1994, o presidente Fernando Henrique Cardoso anunciou o fim da Era Vargas,

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 9 o ano 3 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : 1. Leia o texto sobre a Guerra Fria e responda. O termo tornou-se perfeito para se entender o momento político internacional, pois

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

Histórico das constituições: direito de sufrágio

Histórico das constituições: direito de sufrágio 89 Histórico das constituições: direito de sufrágio André de Oliveira da Cruz Waldemar de Moura Bueno Neto José Carlos Galvão Goulart de Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e

Leia mais

Acerca da Luta Armada

Acerca da Luta Armada VALOR E VIOLÊNCIA Acerca da Luta Armada Conferência Pronunciada no Anfiteatro de História da USP em 2011 Wilson do Nascimento Barbosa Professor Titular de História Econômica na USP Boa noite! Direi em

Leia mais

Eleições presidenciais de 1955

Eleições presidenciais de 1955 Candidatos: - Juarez Távora(UDN)-30% Eleições presidenciais de 1955 -Juscelino Kubitscheck (PSD-PTB)-36% - Adhemar de Barros (PSP)-26% - Plínio Salgado (PRP)-8% O sr.getúlio Vargas não deve ser candidato

Leia mais

DÉCADA DE 80. Profa. Dra. Regina S. A. Martins

DÉCADA DE 80. Profa. Dra. Regina S. A. Martins Eventos Marcantes: Guerra das Malvinas Guerra nas Estrelas Glasnost e Perestroika Queda do Muro de Berlim Massacre da Praça da Paz Celestial (Tiananmen) Tragédias sociais e ambientais ESTADOS UNIDOS 1981-1988:

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

BREVE HISTÓRICO DO SINDICATO UNIFICADO DOS TRABALHADORES SAPATEIROS E COUREIROS DE SÃO PAULO

BREVE HISTÓRICO DO SINDICATO UNIFICADO DOS TRABALHADORES SAPATEIROS E COUREIROS DE SÃO PAULO BREVE HISTÓRICO DO SINDICATO UNIFICADO DOS TRABALHADORES SAPATEIROS E COUREIROS DE SÃO PAULO A organização sindical dos trabalhadores na indústria coureiro-calçadista de São Paulo, remonta ao início da

Leia mais

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável História do Brasil Professora Agnes (Cursinho Etec Popular de São Roque) Política Interna O SEGUNDO REINADO (1840-1889) * Apogeu da monarquia brasileira. * Centralização política e administrativa. * Pacificação

Leia mais

TEXTO 1. 1.Texto de problematização:

TEXTO 1. 1.Texto de problematização: TEXTO 1 1.Texto de problematização: A partir de 1922, o quadro começa a se modificar. Apesar dos presidentes Arthur Bernardes e Washington Luís pertencerem ainda ao esquema do café com leite, a nova situação

Leia mais

Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP. Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil!

Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP. Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil! Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil! Fora PM da USP! O estado de sítio na USP, com a instalação de bases da Polícia Militar

Leia mais

Cap. 26 Do golpe Militar ao governo Costa e Silva Período de 1964 a 1969.

Cap. 26 Do golpe Militar ao governo Costa e Silva Período de 1964 a 1969. Resumos de aula de História do Brasil Prof. Webster Pinheiro Assunto: Ditadura Militar (1964-85) / Capítulos 26, 27 e 28 do livro didático / 2º Ano Ensino Médio Cap. 26 Do golpe Militar ao governo Costa

Leia mais

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do

A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do p. 110 A América Central continental Guatemala, Costa Rica, Honduras, Nicarágua e El Salvador já foram parte do México até sua independência a partir de 1823; Em 1839 tornam-se independentes fracasso da

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. AULA 11.2 Conteúdo: Brasil na Era Militar

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. AULA 11.2 Conteúdo: Brasil na Era Militar 11.2 Conteúdo: Brasil na Era Militar Habilidades: Compreender os principais acontecimentos no Brasil durante o regime civil-militar Regime Civil-Militar no Brasil Período: 1964 a 1985. Governos Militares

Leia mais

História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli

História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli História Fascículo 03 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Índice História do Brasil Política trabalhista na República Velha e na Era Vargas... 1 Exercícios...2 Gabarito...5 História

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO

RELAÇÕES DE TRABALHO DICIONÁRIO RELAÇÕES DE TRABALHO Conjunto de normas e princípios que regem a relação entre aquele que detém o poder de contratar outro para desenvolver determinada atividade e aquele que mobilizado para tal executa

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 9 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Leia o texto e responda às questões 1 e 2. O primeiro de maio estava sendo comemorado na vila de esportes do Sindicato dos Têxteis.

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

3ª série História do Brasil Ditadura Militar - 1964/1985 Terceira fase (1974/85) Cap. 22.4, 23.1. Roberson de Oliveira

3ª série História do Brasil Ditadura Militar - 1964/1985 Terceira fase (1974/85) Cap. 22.4, 23.1. Roberson de Oliveira 3ª série História do Brasil Ditadura Militar - 1964/1985 Terceira fase (1974/85) Cap. 22.4, 23.1 Ditadura Militar 3ª fase (1974/1985) Abertura política e crise econômica Governo Geisel março-1974/março-1979

Leia mais

Até então o confronto direto entre os aliados não havia acontecido.

Até então o confronto direto entre os aliados não havia acontecido. Confronto entre os aliados, vencedores da 2ª Guerra: Inglaterra, França, EUA e União Soviética. Acordo pós-guerra definiria a área de influência da URSS, onde estavam suas tropas (leste europeu). Conferência

Leia mais

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana GUERRA DO VIETNÃ Após o fim da Guerra da Indochina (1954), Vietnã é dividido na altura do paralelo 17: Norte: república

Leia mais

Aparticipação do movimento sindical brasileiro no processo de transição

Aparticipação do movimento sindical brasileiro no processo de transição Transição política e reconstrução sindical no Brasil Adhemar Lopes de Almeida * Aparticipação do movimento sindical brasileiro no processo de transição política e reorganização sindical pode ser divida

Leia mais

Guerra Fria e o Mundo Bipolar

Guerra Fria e o Mundo Bipolar Guerra Fria e o Mundo Bipolar A formação do Mundo Bipolar Os Aliados vencem a 2.ª Guerra (1939-1945). Apesar de na guerra lutarem lado a lado, os EUA e a URSS vão afastar-se a partir de 1945. Guerra Fria

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 9º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

As ordens mundiais GEOGRAFIA GEOGRAFIA A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E SEUS CONTRASTES. Capítulo 13 O espaço geográfico 8.1

As ordens mundiais GEOGRAFIA GEOGRAFIA A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E SEUS CONTRASTES. Capítulo 13 O espaço geográfico 8.1 As ordens mundiais GEOGRAFIA GEOGRAFIA A PRODUÇÃO DO ESPAÇO E SEUS CONTRASTES Capítulo 13 O espaço geográfico 8.1 NOVA ORDEM MUNDIAL E O SUBDESENVOLVIMENTO A antiga ordem A nova ordem Socialismo x Capitalismo

Leia mais

criação da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 1937

criação da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 1937 História da ENESSO No Brasil, desde o período colonial podemos observar a participação dos estudantes na política do país, mesmo não possuindo um caráter organizado que só aconteceria no século XX. A primeira

Leia mais

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não

Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não Por que esta cartilha? Os direitos dos trabalhadores no Brasil não caíram do céu, não foram concessões patronais ou de governos, como os patrões tentam nos fazer parecer. A história da classe trabalhadora

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980. Vito Giannotti

CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980. Vito Giannotti CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980 Vito Giannotti 1 CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA NO BRASIL 1880-1980 INFORMAR CULTURA & EDUCAÇÃO POPULAR 2 CEM ANOS DE LUTAS DA CLASSE OPERÁRIA

Leia mais

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional CIÊNCIAS HUMANAS (HISTÓRIA/ATUALIDADES/GEOGRAFIA) O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional das sociedades através dos tempos, observando os fatores econômico, histórico,

Leia mais

Fichamento. Texto: O Terceiro Mundo

Fichamento. Texto: O Terceiro Mundo Fichamento Texto: O Terceiro Mundo I Descolonização e a revolução transformaram o mapa politico do globo. Consequência de uma espantosa explosão demográfica no mundo dependente da 2º Guerra Mundial, que

Leia mais

O PLANO DE METAS DO GOVERNO DE JUCELINO KUBITSCHEK

O PLANO DE METAS DO GOVERNO DE JUCELINO KUBITSCHEK O PLANO DE METAS DO GOVERNO DE JUCELINO KUBITSCHEK O desenvolvimento autônomo com forte base industrial, que constituiu o núcleo da proposta econômica desde a Revolução de 1930 praticamente esgotou suas

Leia mais

9. Análise da conjuntura política brasileira pré-anistia.

9. Análise da conjuntura política brasileira pré-anistia. 9. Análise da conjuntura política brasileira pré-anistia. Entrevista concedida a João Pedro StediJe, no México, para o jornal Em Tempo. Julho de 1978. Rui Mauro Marini, sociólogo e economista brasileiro,

Leia mais

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE A FORMAÇÃO DOS ESTADOS LATINO- AMERICANOS OS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA FORMARAM-SE A PARTIR DA INDEPENDÊNCIA DA ESPANHA E PORTUGAL. AMÉRICA

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA PERÍODO MILITAR - 1964 A 1985

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA PERÍODO MILITAR - 1964 A 1985 EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA PERÍODO MILITAR - 1964 A 1985 01 - Considerando-se os fatores que contribuíram para a longevidade do regime militar no Brasil, é CORRETO afirmar que foi de grande relevância

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

1. Conceito Guerra improvável, paz impossível - a possibilidade da guerra era constante, mas a capacidade militar de ambas potências poderia provocar

1. Conceito Guerra improvável, paz impossível - a possibilidade da guerra era constante, mas a capacidade militar de ambas potências poderia provocar A GUERRA FRIA 1. Conceito Conflito político, econômico, ideológico, cultural, militar entre os EUA e a URSS sem que tenha havido confronto direto entre as duas superpotências. O conflito militar ocorria

Leia mais

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO)

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) NOME...Constituição dos Estados Unidos do Brasil DATA...10 de Novembro de 1937 ORIGEM...Outorgada DURAÇÃO...9 anos PREÂMBULO O Presidente da República

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário

UFSC. Resposta: 02 + 04 + 16 = 22. Comentário. Resposta: Comentário Resposta: 02 + 04 + 16 = 22 Resposta: 01. Incorreta. Na região dos Rios Tigre e Eufrates tivemos o desenvolvimento da Civilização Mesopotâmica, que, mesmo enfrentando guerras, desenvolveu atividades artísticas

Leia mais

Guerra por domínio territorial e econômico.

Guerra por domínio territorial e econômico. Guerra da Crimeia Quando: De 1853 até 1856 Guerra por domínio territorial e econômico. Cerca de 595 mil mortos Por que começou: A Rússia invocou o direito de proteger os lugares santos dos cristãos em

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes

1º ano. I. O Surgimento do Estado e a Organização de uma Sociedade de Classes Africana: África como berço da humanidade Capítulo 1: Item 1 Européia Capítulo 1: Item 2 Asiática Capítulo 1: Item 2 Americana Capítulo 1: Item 3 Arqueologia Brasileira Capítulo 1: Item 4 A paisagem e

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 9 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Sobre a Revolução Russa de 1917, leia o texto a seguir e responda às questões 1 e 2. A reivindicação básica dos pobres da cidade

Leia mais

O SINDICALISMO RURAL NO BRASIL

O SINDICALISMO RURAL NO BRASIL O SINDICALISMO RURAL NO BRASIL (...) Colocamos-nos, nesse momento, diante do desafio de trazer ao debate questões que se inserem nas reflexões em torno do enraizamento histórico do sindicalismo rural no

Leia mais

PSOL NASCENTE, HELOÍSA PRESIDENTE!

PSOL NASCENTE, HELOÍSA PRESIDENTE! PSOL NASCENTE, HELOÍSA PRESIDENTE! Uma síntese das resoluções tomadas, a partir de rico debate, pela 1ª Conferência Nacional do Partido Socialismo e Liberdade, realizada em Brasília, nos dias 26, 27 e

Leia mais

50 anos depois, ainda vivemos o horror

50 anos depois, ainda vivemos o horror Especial 50 anos do golpe 50 anos depois, ainda vivemos o horror Tratar o passado de violações é constatar que o presente está marcado pela continuidade das violências por João Ricardo W. Dornelles publicado

Leia mais

1 a Questão: (2,0 pontos) APRESENTAÇÃO

1 a Questão: (2,0 pontos) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Para dar uma definição compreensível de revolução, diremos que ela é uma tentativa de substituir o poder estabelecido por outro poder, usando meios ilegais. Esses meios, geralmente, implicam

Leia mais

Guerra Fria. Geografia - Prof. Marcos

Guerra Fria. Geografia - Prof. Marcos Guerra Fria Geografia - Prof. Marcos CONCEITO Denominamos Guerra Fria o período histórico caracterizado pela disputa política-ideológica e seus desdobramentos (econômicos, militares, tecnológicos, territoriais...)

Leia mais