Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron"

Transcrição

1 Recolhimento e Destinação de Embalagens de Sementes Tratadas Edivandro Seron Foz do Iguaçu, 20 de junho de 2017

2 Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS Lei nº /10 e Decreto nº 7.404/10 De acordo com a legislação os responsáveis pelo ciclo de vida dos produtos são os fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, consumidores e titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo de resíduos sólidos. A legislação também considera que responsabilidade compartilhada é um conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados de correntes do ciclo de vida dos produtos. A PNRS também define que a logística reversa é um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado pelo conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.

3 Destinação das Embalagens de Sementes Tratadas

4 1% 2% 1% 2% 1% 1% 2% 24% 5% DISTRIBUIÇÃO DAS EMBALAGENS Área cultivada com grãos na safra 2015/16 58,3 milhões de ha 7% 9% 6% 3% Norte: 4,4% Nordeste: 12,7% Centro-Oeste: 40,4% Sudeste: 9,1% Sul: 33,4% 17% 2% 15% Fonte: Conab (Levantamento Safra) Grãos: Algodão, Amendoim, Arroz, Aveia, Canola, Centeio, Cevada, Feijão, Girassol, Mamona, Milho, Soja, Sorgo, Trigo e Triticale

5 Destinação final ambientalmente adequada Destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos; Fonte: LEI Nº , DE 2 DE AGOSTO DE 2010.

6 Realização dos Estudos em Laboratório Imagens: Pionner e Ecocell.

7 Reciclagem Embalagens de Papel Imagens: Pionner e Ecocell.

8 Reciclagem Embalagens de Ráfia Fotos Ecocell, 2016

9 Considerações sobre os Estudos Para classificação das embalagens de sementes é necessário realizar uma analise mais aprofundada das normas existentes, considerando a forma de produção das sementes, a aplicação dos insumos e os níveis de resíduos encontrados. As embalagens de sementes tratadas foram classificadas como resíduos não perigosos. Em alguns casos os níveis de resíduos das embalagens de sementes tratadas podem até ser comparadas com os LMR nos alimentos. Reciclagem: houve melhorias na qualidade do papel reciclado com o uso das embalagens de sementes, destacando o aumento na drenagem do processo e melhorias de ajustes na formação do papel.

10 Logística Reversa Art. 33. São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo consumidor, de forma independente do serviço público de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de: I - agrotóxicos, seus resíduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso, constitua resíduo perigoso, observadas as regras de gerenciamento de resíduos perigosos previstas em lei ou regulamento, em normas estabelecidas pelos órgãos do Sisnama, do SNVS e do Suasa, ou em normas técnicas; II - pilhas e baterias; III - pneus; IV - óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; V - lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; VI - produtos eletroeletrônicos e seus componentes. Fonte: LEI Nº , DE 2 DE AGOSTO DE 2010.

11 Mapa dos Sucateiros, Recicladores e Cooperativas Recicladoras: 179 Sucateiros: 364 Cooperativas: 496 Postos e Centrais Empresas de Insumos: 240 Fonte: CEMPRE, Pionner e Ecocell.

12 Responsabilidade Compartilhada Fabricante Embalagem RECICLADOR Produtor Sementes Distribuidor AGRICULTOR PONTO DE RECEBIMENTO

13 Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja End: SHIS QL 10 Conj. 08 Casa 06 Lago Sul Brasília DF Cep: Tel: /

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos

Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Desafios da Gestão Municipal de Resíduos Sólidos Cláudia Lins Consultora Ambiental Foi instituída pela Lei 12.305/10 e regulamentada pelo Decreto 7.404/10 A PNRS fixou obrigações para União, Estados e

Leia mais

Renata Burin. Departamento de Meio Ambiente

Renata Burin. Departamento de Meio Ambiente Renata Burin Departamento de Meio Ambiente Druck Chemie Ltda Multinacional alemã Produção de insumos químicos para o segmento gráfico Grande atuação no mercado europeu Druck Chemie Brasil Ltda Início das

Leia mais

Curso Gerenciamento de Resíduos na área da Saúde no Estado de SP Tema: Resíduos Comuns/Orgânicos, Materiais Recicláveis e Outros

Curso Gerenciamento de Resíduos na área da Saúde no Estado de SP Tema: Resíduos Comuns/Orgânicos, Materiais Recicláveis e Outros Curso Gerenciamento de Resíduos na área da Saúde no Estado de SP Tema: Resíduos Comuns/Orgânicos, Materiais Recicláveis e Outros 23 maio/2016 Vídeo 1 https://www.youtube.com/watch?v=tn1q_9etbju Os recursos

Leia mais

Impactos Jurídicos e Operacionais da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Mercado Segurador

Impactos Jurídicos e Operacionais da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Mercado Segurador Impactos Jurídicos e Operacionais da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Mercado Segurador Painel 3: Panorama Geral sobre o Seguro de Responsabilidade Civil Ambiental sob a ótica da PNRS Rio de Janeiro,

Leia mais

Inovação no Processo de Distribuição de Peças para Manutenção e Logística Reversa

Inovação no Processo de Distribuição de Peças para Manutenção e Logística Reversa Como resultados, podemos auferir aumento do nível de serviço, redução de lead time, reconhecimento formal de performance (Best Supplier Award), confi ança de vendas e mudança cultural e de gestão. Crescimento

Leia mais

Programa Nacional ALMACO de Reciclagem e Logística Reversa Pós-consumo de Compósitos Quebrando paradigmas

Programa Nacional ALMACO de Reciclagem e Logística Reversa Pós-consumo de Compósitos Quebrando paradigmas Programa Nacional ALMACO de Reciclagem e Logística Reversa Pós-consumo de Compósitos Quebrando paradigmas Simpósio da Faculdade SENAI - SP Ruy Toledo Conselheiro Gestor - ALMACO Desenv. de Mercado Pultrusão

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Setembro de 213 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos. São Paulo, 15/10/2012

Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos. São Paulo, 15/10/2012 Seminário ABRELPE e BID Política Nacional de Resíduos Sólidos Desafios e Recursos São Paulo, 15/10/2012 Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto

Leia mais

PROJETO DE LEI N xxxx DE xxxxxxxxx DE 2014. O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT, no uso de suas atribuições legais,

PROJETO DE LEI N xxxx DE xxxxxxxxx DE 2014. O Prefeito Municipal de Cuiabá-MT, no uso de suas atribuições legais, PROJETO DE LEI N xxxx DE xxxxxxxxx DE 2014. INSTITUI O PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS, CAPÍTULO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito Municipal

Leia mais

REQUISITOS PARA PRODUTOS ELETROELETRÔNICOS AMBIENTALMENTE CORRETOS

REQUISITOS PARA PRODUTOS ELETROELETRÔNICOS AMBIENTALMENTE CORRETOS REQUISITOS PARA PRODUTOS ELETROELETRÔNICOS AMBIENTALMENTE CORRETOS Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer CTI Campinas SP - Brasil Modelo industrial

Leia mais

Seção III. Do Saneamento Básico

Seção III. Do Saneamento Básico Seção III Do Saneamento Básico Art. 1º - Saneamento básico é o conjunto de serviços que compreende o abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, drenagem

Leia mais

QUESTIONAMENTOS PE 010/14. Hewlett Packard do Brasil Ltda.

QUESTIONAMENTOS PE 010/14. Hewlett Packard do Brasil Ltda. QUESTIONAMENTOS PE 010/14 Hewlett Packard do Brasil Ltda. 1) O Edital de Pregão Eletrônico n.º 10/2014 não contempla critérios de promoção do desenvolvimento nacional sustentável previsto no caput do artigo

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS e SUA REGULAMENTAÇÃO. Simone Paschoal Nogueira Sócia Setor Ambiental SP SCA - 3 de março de 2011

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS e SUA REGULAMENTAÇÃO. Simone Paschoal Nogueira Sócia Setor Ambiental SP SCA - 3 de março de 2011 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS e SUA REGULAMENTAÇÃO Simone Paschoal Nogueira Sócia Setor Ambiental SP SCA - 3 de março de 2011 Legislação Lei Federal nº 12.305, de 2 de agosto de 2010 institui a

Leia mais

Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro

Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento CONAB Diretoria de Logística e Gestão Empresarial DIGEM Superintendência

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO MATO GROSSO DO SUL

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO MATO GROSSO DO SUL RESOLUÇÃO SEMADE-MS n. 33, de 17 de maio de 2016: Estabelece as diretrizes e procedimentos para análise e aprovação

Leia mais

XII Semana FIESP-CIESP de Meio Ambiente Meio Urbano e Indústria. Tema: Gerenciamento e controle ambiental

XII Semana FIESP-CIESP de Meio Ambiente Meio Urbano e Indústria. Tema: Gerenciamento e controle ambiental XII Semana FIESP-CIESP de Meio Ambiente Meio Urbano e Indústria Tema: Gerenciamento e controle ambiental Palestra: Política Nacional de Resíduos Sólidos Deputado Federal Arnaldo Jardim 08.06.2010 HISTÓRICO

Leia mais

campanha de conscientização e reciclagem de celulares

campanha de conscientização e reciclagem de celulares campanha de conscientização e reciclagem de celulares reciclecel - o que fazemos? reciclecel é uma empresa que atua no recolhimento, logística e descarte seguro de celulares e smartphones. a grande maioria

Leia mais

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA janeiro de 215 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

PNRS Política Nacional de Resíduos Sólidos

PNRS Política Nacional de Resíduos Sólidos PNRS Política Nacional de Resíduos Sólidos Logística Reversa de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos REEE 15/04/15 Ademir Brescansin Gerente de Sustentabilidade ABINEE Associação Brasileira da Indústria

Leia mais

A concepção de instrumentos econômicos que auxiliem a consecução dos objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A concepção de instrumentos econômicos que auxiliem a consecução dos objetivos da Política Nacional de Resíduos Sólidos. A decisão inicial, surgiu do deputado federal Adrian Mussi (PMDB-RJ), que, durante uma conversa com o presidente da Abrepet Associação Brasileira da Cadeia de Sustentabilidade Ambiental do Pet, Edson Freitas

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Qualidade do Ambiente Urbano. Nabil Bonduki

Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Qualidade do Ambiente Urbano. Nabil Bonduki Política Nacional de Resíduos Sólidos Governo Federal Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Qualidade do Ambiente Urbano Nabil Bonduki nabil.bonduki@mma.gov.br BRASIL UMA FEDERAÇÃO Área 8.547.403,5

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PARA VEDAÇÃO A PARTIR DE AGREGADOS DE RESÍDUOS DE GESSO E CONCRETO: UMA CONTRIBUIÇÃO À GESTÃO DE RESÍDUOS E AO CONFORTO AMBIENTAL

BLOCOS DE CONCRETO PARA VEDAÇÃO A PARTIR DE AGREGADOS DE RESÍDUOS DE GESSO E CONCRETO: UMA CONTRIBUIÇÃO À GESTÃO DE RESÍDUOS E AO CONFORTO AMBIENTAL BLOCOS DE CONCRETO PARA VEDAÇÃO A PARTIR DE AGREGADOS DE RESÍDUOS DE GESSO E CONCRETO: UMA CONTRIBUIÇÃO À GESTÃO DE RESÍDUOS E AO CONFORTO AMBIENTAL Raquel de A. F. Ramos de CASTRO; Régis de Castro FERREIRA

Leia mais

Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento

Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento Bagagem São Paulo / SP INFORMAÇÕES DO ESTABELECIMENTO Nome: Bagagem Cnpj: 07.125.666/0001-15 Cadastur: Ramo de Atividade: Restaurantes e Bares

Leia mais

A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços

A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços A visão da iniciativa privada quanto à pirataria e os seus avanços Viviane Kunisawa May 2013 Filipe Geraldo de M. Teixeira Lead Counsel Germplasm Legal Compliance - Global Lead Counsel Germplasm Legal

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Da Sra. VANESSA GRAZZIOTIN) Cria o Selo Verde Preservação da Amazônia para produtos oriundos da Zona Franca de Manaus (ZFM), e dá outras providências. O Congresso Nacional

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 185, DE 2011.

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 185, DE 2011. SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 185, DE 2011. Acrescenta novo inciso ao art. 6º da Lei nº 6.938/81, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, criando o Selo Verde Preservação da

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2011 Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 747 CEP 80.510-040 Curitiba PR - Fone (41) 3221-7504 Internet: http://www.claspar.pr.gov.br e.mail: claspar@claspar.pr.gov.br APRESENTAÇÃO

Leia mais

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil

Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Lançamento do Plano Safra 2012/2013 Banco do Brasil Plano Safra 2011/2012 Volume de crédito rural desembolsado R$ 2.965,9 bilhões CRESCIMENTO de 59,8% Plano Safra 2011/2012 Comparativo: Safras 2010/2011

Leia mais

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10

Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos

Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos Gerenciamento de Resíduos Sólidos Congresso Mercosul de Biomassa e Energia Gerenciamento de Resíduos Sólidos Domésticos 24 e 25 de Outubro de 2012 ENGº GILBERTO MELETTI Gerente Comercial, de Comunicação

Leia mais

DIRETRIZES DE SUSTENTABILIDADE II Feira da Sustentabilidade - Compartilhando novas leituras e inspirações 14 a 16 de abril de 2016 Piracicaba/SP

DIRETRIZES DE SUSTENTABILIDADE II Feira da Sustentabilidade - Compartilhando novas leituras e inspirações 14 a 16 de abril de 2016 Piracicaba/SP DIRETRIZES DE SUSTENTABILIDADE II Feira da Sustentabilidade - Compartilhando novas leituras e inspirações 14 a 16 de abril de 2016 Piracicaba/SP A ideia de sustentabilidade que começou a se propagar após

Leia mais

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015)

Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Evolução da Produção Regional dos Principais Grãos (2010-2015) Gráfico 1 Evolução da produção de grãos (Em milhões de toneladas) A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas cresceu, em

Leia mais

Agronegócio: Desafios do Crescimento

Agronegócio: Desafios do Crescimento Agronegócio: Desafios do Crescimento Elisio Contini Pesquisador da Embrapa Rio de Janeiro, Agosto de 2013 Agronegócio AMBIENTE INSTITUCIONAL CULTURA, TRADIÇÕES, EDUCAÇÃO, COSTUMES INSUMOS AGRO- PECUÁRIA

Leia mais

CMARS Subcomissão Temporária de Resíduos Sólidos 4ª Reunião

CMARS Subcomissão Temporária de Resíduos Sólidos 4ª Reunião CMARS Subcomissão Temporária de Resíduos Sólidos 4ª Reunião PNRS Logística Reversa dos Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos REEE s André Saraiva Diretor de Sustentabilidade ABINEE Associação

Leia mais

LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010.

LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010. LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n o 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Art. 1 o Esta Lei institui a Política

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

BASE LEGAL. Lei nº 12.305/2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - Decreto No. 7.404/2010

BASE LEGAL. Lei nº 12.305/2010 Política Nacional de Resíduos Sólidos - Decreto No. 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 - DECRETO NO. 7.404/2010 BASE LEGAL Lei nº 12.305/2010 - Decreto No. 7.404/2010 Lei nº 11.445/2007 - Política Federal

Leia mais

A LOGÍSTICA REVERSA DENTRO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Cristiane Tomaz

A LOGÍSTICA REVERSA DENTRO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Cristiane Tomaz A LOGÍSTICA REVERSA DENTRO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Cristiane Tomaz A logística reversa é importante instrumento de desenvolvimento econômico e social previsto na Política Nacional de Resíduos

Leia mais

Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso Reciclagem de Materiais Plásticos

Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso Reciclagem de Materiais Plásticos Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso Reciclagem de Materiais Plásticos Raquel Vieira dos Santos Curso de Ciências Biológicas Belo Horizonte MG 2010 Raquel Vieira dos Santos Projeto de Trabalho de

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade

Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Rastreabilidade Segurança e Qualidade dos Alimentos Lei 12.593/12 institui o PPA 2012-2015 Programa 2028 Defesa Agropecuária Objetivo 0570 Assegurar a qualidade dos

Leia mais

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF. Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba

Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF. Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba CODEVASF Investindo no Brasil: Vales do São Francisco e Parnaíba O que é Codevasf? Criada em 1974, a Codevasf é uma empresa pública responsável

Leia mais

Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural

Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Evolução do Seguro Rural (PSR) PSR Evolução do Seguro Rural Subvencionado Número de Beneficiários (unidade) Número de Apólices (unidade) Área Segurada (milhões

Leia mais

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais.

PA02 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. PA2 IBGE Área plantada nas regiões do Brasil com lavouras anuais. Abacaxi 8 7 6 5 4 3 2 1 199 1995 2 25 21 A produção nacional de abacaxi que vinha crescendo até 22 sofreu uma inflexão, voltou a subir

Leia mais

Unidade de Medida A0010

Unidade de Medida A0010 Código de Identificação de Resíduos Tipo de Resíduo Descrição Unidade de Medida A0010 RESIDUO DE RESTAURANTE (RESTOS mġ DE ALIMENTOS) A0020 RESIDUO GERADO FORA PROCESSO mġ INDUSTRIAL (EMBALAGENS, ESCRI)

Leia mais

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014.

Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Rio de Janeiro, 24 de junho de 2014. Of. Circ. Nº 212/14 Ref.: Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18 de junho de 2014 DOERJ 23.06.2014. Senhor Presidente, Fazendo referência à Lei Estadual-RJ nº 6.805, de 18

Leia mais

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Audiência Pública O PLANO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO (PDA) E A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO MATOPIBA (MARANHÃO,

Leia mais

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL

1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA 1ª REUNIÃO GLOBAL SOBRE PECUÁRIA SUSTENTÁVEL Tema: Políticas Públicas no Brasil para o Desenvolvimento da Pecuária Sustentável Plano ABC Elvison

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

Dê ao Óleo Usado o destino previsto em lei. LOGÍSTICA REVERSA DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES E O RERREFINO. 25 Março de 2015

Dê ao Óleo Usado o destino previsto em lei. LOGÍSTICA REVERSA DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES E O RERREFINO. 25 Março de 2015 LOGÍSTICA REVERSA DOS ÓLEOS LUBRIFICANTES E O RERREFINO. 25 Março de 2015 Como se formam os Lubrificantes 90,0 % Óleo básico de Petróleo: Neutro Leve Médio ou Pesado. Especificados pela ANP (*) 10,0 %

Leia mais

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas Seminário de Avaliação de Impacto sobre as Adaptações da Agricultura Dakar, 26 a 29 de abril de 2011 Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas KLEBER SANTOS Brasília, 27 de abril de 2011

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NO IFRN: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO

GESTÃO AMBIENTAL NO IFRN: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO GESTÃO AMBIENTAL NO IFRN: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO PROJETO CAMPUS VERDE INTRODUÇÃO Atualmente a questão ambiental tem sido constantemente discutida em virtude do aumento da degradação do meio ambiente e

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 3. ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA 6 4. ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO 7 5. INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS 8 6. AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 9 6.1 Algodão 9 6.2 Arroz 10 6.3 - Canola 11

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS

LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS LOGÍSTICA REVERSA A INICIATIVA DO SETOR DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Lei 12.305/10 Decreto 7.404/10 POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Uma Mudança

Leia mais

Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA

Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA Caio Tibério Dornelles da Rocha Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. Quanto à origem Sujeitos à lei

A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. Quanto à origem Sujeitos à lei A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a questão dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado do Rio de Janeiro. A política Nacional de resíduos sólidos é muito importante na história do gerenciamento de

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas.

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas. SUSTENTABILIDADE DOS FUNDOS CONSTITUCIONAIS DE FINANCIAMENTO: efeito das medidas excepcionais necessárias frente à manutenção do patrimônio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. Discutir os efeitos

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOSS LEI Nº N 12.305/2010 DECRETO Nº N 7.404/2010 TRAMITAÇÃO DA PNRS 1989 Projeto de Lei Nº N 354/89 do Senado 1991 Projeto de Lei Nº N 203/91

Leia mais

A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PÓS-CONSUMO E O PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO NA NOVEL PNRS 1 : CONTORNOS NECESSÁRIOS 2 BRUNO CAMPOS SILVA

A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PÓS-CONSUMO E O PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO NA NOVEL PNRS 1 : CONTORNOS NECESSÁRIOS 2 BRUNO CAMPOS SILVA 1 A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PÓS-CONSUMO E O PRINCÍPIO DA PARTICIPAÇÃO NA NOVEL PNRS 1 : CONTORNOS NECESSÁRIOS 2 BRUNO CAMPOS SILVA Especialista em Direito Processual Civil pelo CEU-SP. Professor de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Os acordos setoriais e a Implantação de Logística reversa Lei Nº 12.305/2010 - Decreto Nº 7.404/2010 HIERARQUIA DAS AÇÕES NO MANEJO DE

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA TÍTULO: APLICABILIDADE DA LEI 12.305-10 E SEUS EFEITOS SOBRE AS EMPRESAS QUE COMERCIALIZAM APARELHOS CELULARES E REALIZAM A COLETA DE BATERIAS NO MUNICÍPIO DE AURIFLAMA-SP CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE

ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE - Articulação Nacional em Tecnologia Social - Grupo de Trabalho do Terceiro Setor - Secretaria de Ciência e Tecnologia e Inclusão

Leia mais

Cartilha. Política. Nacional Resíduos de PNRS. Sólidos. Resíduo: nosso problema, nossa solução!

Cartilha. Política. Nacional Resíduos de PNRS. Sólidos. Resíduo: nosso problema, nossa solução! Cartilha PNRS Política Nacional Resíduos de Sólidos Resíduo: nosso problema, nossa solução! Produção: Movieco - Movimento Ecológico Autoria e Coordenação: Tânia Mara Moraes Ilustrações: Josenilson C. Oliveira

Leia mais

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Cláudio Takao Karia Chefe Adjunto de P&D Embrapa Cerrados VI Foro por el desarrollo de

Leia mais

atômico quando resultantes de transformação do núcleo o todo ou parte dos seres vivos rewarded . a função de garantir a lealdade da concorrência todos os setores tecnológicos

Leia mais

A Gestão de Resíduos Sólidos em um Condomínio

A Gestão de Resíduos Sólidos em um Condomínio A Gestão de Resíduos Sólidos em um Condomínio Eliacy Cavalcanti Lélis (UNINOVE/MACKENZIE) eliacylelis@globo.com Fernando Ziesmann Fortes (UNINOVE) zfortes@uninove.br Resumo: A educação ambiental enfatizada

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Seminário Internacional de Resíduos Eletroeletrônicos 12 a 14 de Agosto de 2009 Painel 1 Políticas Públicas Política Nacional de Resíduos Sólidos ANTECEDENTES 1991 Projeto de Lei nº 203/91 2006: Aprovação

Leia mais

Departamento de Meio Ambiente DMA/FIESP. Política Nacional de Resíduos Sólidos

Departamento de Meio Ambiente DMA/FIESP. Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos Setembro de 2010 Esquema de funcionamento DISPOSIÇÕES GERAIS DO OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO DEFINIÇÕES DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL)

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS ORGANIZAÇÕES (ASPECTO AMBIENTAL) EVOLUÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ONTEM (MERCADO FECHADO E PROTEGIDO): CUSTOS + LUCRO = PREÇO DE VENDA A PROTEÇÃO AMBIENTAL é vista como um fator de

Leia mais

A Rotulagem Ambiental. aplicada às embalagens

A Rotulagem Ambiental. aplicada às embalagens A Rotulagem Ambiental aplicada às embalagens sumário As normas iso 14000 3 A rotulagem Ambiental 4 Rotulagem Tipo I NBR ISO 14024 Rotulagem Tipo II NBR ISO 14021 Rotulagem Tipo III ISO 14025 O Desenvolvimento

Leia mais

Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção.

Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção. Soluções para a Agricultura Familiar Para todos os momentos da produção. bb.com.br/agronegocio O Banco do Brasil acredita na força da agricultura familiar brasileira. O Banco do Brasil reconhece a importância

Leia mais

Unilever Brasil Sustentabilidade Cada Gesto Conta

Unilever Brasil Sustentabilidade Cada Gesto Conta Unilever Brasil Sustentabilidade Cada Gesto Conta 06/12/2011 Nossa visão Trabalhamos para criar um futuro melhor todos os dias. Ajudamos as pessoas a se sentirem bem, bonitas e a aproveitarem mais a vida

Leia mais

Relatório do Ministério do Meio Ambiente para o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA)

Relatório do Ministério do Meio Ambiente para o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) Relatório do Ministério do Meio Ambiente para o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado Em atendimento ao Artigo 9 º da Resolução CONAMA 362/2005 GRP/DAU/SRHU/MMA

Leia mais

Integração Lavoura-Pecuária-ILP

Integração Lavoura-Pecuária-ILP Integração Lavoura-Pecuária-ILP Evolução da Produção e da Área Plantada de Grãos - Brasil 144,1 149,0 131,8 135,1 123,2 119,1 114,7 122,5 PRODUÇÃO (milhões de t) +157,3% = 4,8% aa 100,3 96,8 68,4 68,3

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016)

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Fevereiro/2016) Núcleo Socioambiental - NSA Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Aumentar para 5% os resíduos sólidos reciclados do TST Ação 1. Recolher Resíduos. Reaproveitamento de resíduos

Leia mais

chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola

chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola Infra-estrutura como fator chave para a sustentabilidade do escoamento da produção agrícola Ieda Kanashiro Makiya Rogério Carlos Traballi UNIP BRASIL: 10º PIB mundial (FMI, 2005) x PIB per capita abaixo

Leia mais

Indústria do PET no Brasil. Mercado Perspectivas Reciclagem

Indústria do PET no Brasil. Mercado Perspectivas Reciclagem Indústria do PET no Brasil Mercado Perspectivas Reciclagem São Paulo, 2010 Indústria do PET Petroquímica Resina PET abipet B2B Preforma/Garrafa Produtos acabados Refrigerante, água,óleo etc. Distribuidores

Leia mais

Araucária Serviços Topográficos, Projetos e Consultoria CNPJ 05.807.308/0001-67 - São José do Ouro/RS Tel.: 54-3352-1963

Araucária Serviços Topográficos, Projetos e Consultoria CNPJ 05.807.308/0001-67 - São José do Ouro/RS Tel.: 54-3352-1963 PARECER TÉCNICO LU 001/16 Data Vistoria: 19/04/2016 Município: Maximiliano de Almeida - RS Técnicos: Ilton Nunes dos Santos, Vilso Silvestro, Paula Cristina Pomorski e Dienifer Bombana Hora: 9:50 h 1.

Leia mais

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão CERTIFICAÇÃO Sistema de Gestão A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) tem implementados e certificados os Sistemas de Gestão da Qualidade, Segurança Alimentar e Ambiente, em alinhamento com as

Leia mais

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante:

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA HANSENÍASE 1. Atribuições

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente SISTEMA DE INFORMAÇÃO E DIAGNÓSTICO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário, não sendo

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Política Nacional de Resíduos Sólidos Instituída pela Lei 12.305/2010 e regulamentada pelo Decreto 7.404/2010, após 21 anos de tramitação no Congresso nacional Tem interação

Leia mais

CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO

CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO RIO 92 CREA SP GT ENGENHARIA E ARQUITETURA SUSTENTÁVEL NA AUTO CONSTRUÇÃO O QUE É SUSTENTABILIDADE? TRATA-SE DE UM NOVO MODELO DE DESENVOLVIMENTO, QUE BUSCA COMPATIBILIZAR O ATENDIMENTO DAS NECESSIDADES

Leia mais

2 Encontro de Lideranças para Sustentabilidade Territorial de Influência de ITAIPU Binacional e Yacyretá. Política Nacional de Resíduos Sólidos

2 Encontro de Lideranças para Sustentabilidade Territorial de Influência de ITAIPU Binacional e Yacyretá. Política Nacional de Resíduos Sólidos 2 Encontro de Lideranças para Sustentabilidade Territorial de Influência de ITAIPU Binacional e Yacyretá. Política Nacional de Resíduos Sólidos Foz do Iguaçu, 17 de novembro de 2010 Desafios: A produção

Leia mais

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011

PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 PLANO SAFRA DA AGRICULTURA FAMILIAR 2010/2011 Mais crédito, mais segurança e juros menores. Do Plano Safra 2002/2003 ao Plano Safra 2010/2011, o volume de recursos oferecidos por meio do Pronaf para custeio

Leia mais

D.O.U, de 23/12/2009 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. RESOLUÇÃO-RDC No- 67, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009

D.O.U, de 23/12/2009 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. RESOLUÇÃO-RDC No- 67, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009 D.O.U, de 23/12/2009 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC No- 67, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009 Dispõe sobre normas de tecnovigilância aplicáveis aos detentores de registro de produtos para

Leia mais

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011

Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e. Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Políticas Públicas de Resíduos Sólidos e logística reversa Alexandre Magrineli dos Reis Fundação Estadual do Meio Ambiente Belo Horizonte, outubro de 2011 Relatório da Pesquisa Pagamento por Serviços Ambientais

Leia mais

SEGURO RURAL PSR. Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado

SEGURO RURAL PSR. Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado SEGURO RURAL PSR Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural Privado O QUE É O PSR Apoio do Governo Federal ao produtor rural para contratação de apólice de seguro rural, por meio de subvenção econômica.

Leia mais

Manual de Gestão de Resíduos Perigosos

Manual de Gestão de Resíduos Perigosos Manual de Gestão de Resíduos Perigosos Projeto Energia+ BANCO MUNDIAL Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento BIRD (Loan: 7884 BR) Projeto de Melhoria da Performance Operacional e Financeira

Leia mais

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF

Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF PGPAF Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar PGPAF O QUE É O PGPAF Programa do Governo Federal que garante aos agricultores familiares que tem financiamento no âmbito do Pronaf a indexação

Leia mais

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Tema Centrais As mudanças nas regras do Selo O Selo existiria em um cenário sem leilões? A importância do Selo Social para o novo Governo. A Função da Secretaria

Leia mais