Professor Fernando Aprato Fonte CURSO APROVAÇÃO Professora Noely Landarin 04/07/06 - Redação para Concursos - Parte I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professor Fernando Aprato Fonte CURSO APROVAÇÃO Professora Noely Landarin 04/07/06 - Redação para Concursos - Parte I"

Transcrição

1 Fonte CURSO APROVAÇÃO Professora Noely Landarin 04/07/06 - Redação para Concursos - Parte I Caríssimos, minha proposta nesse artigo é afastar o fantasma que se cria em torno da produção de textos, mais especificamente da prova de redação dissertativa. Tenho verificado, nos encontros de redação, que há falta de domínio da estrutura do texto dissertativo-argumentativo; o produtor do texto domina o conteúdo teórico (nas provas discursivas), tem conhecimento do tema, do conteúdo a ser discutido, todavia desconhece a forma de estruturá-lo. Com o intuito de auxiliá-los nessa árdua tarefa, passarei algumas dicas que lhes poderão ser úteis numa situação de concursos, por exemplo. As questões discursivas também seguem a orientação dos textos dissertativos, considerando-se que a estrutura introdução, desenvolvimento conclusão - está presente na articulação de todos os textos. TEXTO DISSERTATIVO / ARGUMENTATIVO Dissertar é o mesmo que desenvolver ou explicar um assunto, discorrer sobre ele. Assim, o texto dissertativo pertence ao grupo dos textos expositivos, juntamente com o texto de apresentação científica, o relatório, o texto didático, o artigo enciclopédico. Em princípio, o texto dissertativo não está preocupado com a persuasão e sim, com a transmissão de conhecimento, sendo, portanto, um texto informativo. Os textos argumentativos, ao contrário, têm por finalidade principal persuadir o leitor sobre o ponto de vista do autor a respeito do assunto. Quando o texto, além de explicar, também persuade o interlocutor e modifica seu comportamento, temos um texto dissertativo-argumentativo. O texto dissertativo argumentativo tem uma estrutura convencional, formada por três partes essenciais. introdução, que apresenta o assunto e o posicionamento do autor. Ao se posicionar, o autor formula uma tese ou a idéia principal do texto. Teatro e escola, em princípio, parecem ser espaços distintos, que desenvolvem atividades complementares diferentes. Em contraposição ao ambiente normalmente fechado da sala de aula e aos seus assuntos pretensamente sérios, o teatro se configura como um espaço de lazer e diversão. Entretanto, se examinarmos as origens do teatro, ainda na Grécia antiga, veremos que teatro e escola sempre caminharam juntos, mais do que se imagina.(tese) desenvolvimento, formado pelos parágrafos que fundamentam a tese. Normalmente, em cada parágrafo, é apresentado e desenvolvido um argumento. Cada um deles pode estabelecer relações de causa e efeito ou comparações entre situações, épocas e lugares diferentes, pode também se apoiar em depoimentos ou citações de pessoas especializadas no assunto abordado, em dados estatísticos, pesquisas, alusões históricas. O teatro grego apresentava uma função eminentemente pedagógica. Com sua tragédias, Sófocles e Eurípides não visavam apenas à diversão da platéia mas também, e sobretudo, pôr em discussão certos temas que dividiam a opinião pública naquele momento de transformação da sociedade grega. Poderia um filho desposar a própria mãe, depois de ter assassinado o pai de forma involuntária (tema de Édipo Rei)? Poderia uma mãe assassinar os filhos e depois matar-se por causa de um relacionamento amoroso (tema de Medeia e ainda atual, como comprova o caso da cruel mãe americana que, há alguns anos, jogou os filhos no lago para poder namorar livremente)? Naquela sociedade, que vivia a transição dos valores místicos, baseados na tradição religiosa, para os valores da polis, isto é, aqueles resultantes da formação do Estado e suas leis, o teatro cumpria um papel político e pedagógico, à medida que punha em xeque e em choque essas duas ordens de valores e apontava novos caminhos para a civilização grega. Ir ao teatro, para os gregos, não era apenas uma diversão, mas uma forma de refletir sobre o destino da própria comunidade em que se vivia, bem como sobre valores coletivos e individuais. Deixando de lado as diferenças obviamente existentes em torno dos gêneros teatrais (tragédia, comédia, drama), em que o teatro grego, quanto a suas intenções, diferia do teatro moderno? Para Bertold Brecht, por exemplo, um dos mais significativos dramaturgos modernos, a função do teatro era, antes de tudo, divertir. Apesar disso, suas peças tiveram um papel essencial pedagógico voltadas para a conscientização de trabalhadores e para a resistência política na Alemanha nazista dos anos 30 do século XX. O teatro, ao representar situações de nossa própria vida sejam elas engraçadas, trágicas, políticas, sentimentais, etc. põe o homem a nu, diante de si mesmo e de seu destino. Talvez na instantaneidade e na fugacidade do teatro resida todo o encanto e sua magia: a cada representação, a vida humana é recontada e exaltada. O teatro ensina, o teatro é escola. É uma forma de vida de ficção que ilumina com seus holofotes a vida real, muito além dos palcos e dos camarins. Conclusão, que geralmente retoma a tese, sintetizando as idéias gerais do texto ou propondo soluções para o problema discutido. Mais raramente, a conclusão pode vir na forma de interrogação ou representada por um elemento-surpresa. No caso da interrogação, ela é meramente retórica e deve já ter sido respondida pelo texto. O elemento surpresa consiste quase sempre em uma citação Curso Auditor Público Externo TCE 1

2 científica, filosófica ou literária, em uma formulação irônica ou em uma idéia reveladora que surpreenda o leitor e, ao mesmo tempo, dê novos significados ao texto. Que o teatro seja uma forma alternativa de ensino e aprendizagem, é inegável. A escola sempre teve muito a aprender com o teatro, assim como este, de certa forma, e em linguagem própria, complementa o trabalho de gerações de educadores, preocupados com a formação plena do ser humano. (conclusão) Quisera as aulas também pudessem ter o encanto do teatro: a riqueza dos cenários, o cuidado com os figurinos, o envolvimento da música, o brilho da iluminação, a perfeição do texto e a vibração do público. Vamos ao teatro! (elemento-supresa) ( Teatro e escola: o papel do educador: Ciley Cleto, professora de Português). Atenção: a linguagem do texto dissertativo-argumentativo costuma ser impessoal, objetiva e denotativa. Mais raramente, entretanto, há a combinação da objetividade com recursos poéticos, como metáforas e alegorias. Predominam formas verbais no presente do indicativo e emprega-se o padrão culto e formal da língua. O PARÁGRAFO Além da estrutura global do texto dissertativo-argumentativo, é importante conhecer a estrutura de uma de suas unidades básicas: o parágrafo. Parágrafo é uma unidade de texto organizada em torno de uma idéia-núcleo, que é desenvolvida por idéias secundárias. O parágrafo pode ser formado por uma ou mais frases, sendo seu tamanho variável. No texto dissertativo-argumentativo, os parágrafos devem estar todos relacionados com a tese ou idéia principal do texto, geralmente apresentada na introdução. Embora existam diferentes formas de organização de parágrafos, os textos dissertativoargumentativos e alguns gêneros jornalísticos apresentam uma estrutura-padrão. Essa estrutura consiste em três partes: a idéia-núcleo, as idéias secundárias (que desenvolvem a idéia-núcleo), a conclusão. Em parágrafos curtos, é raro haver conclusão. A seguir, apresentarei o espelho de correção de redação da CESPE, adotado no concurso de A faixa de valores dos itens analisados sofre alteração a cada concurso, os aspectos macroestruturais e microestruturais são variáveis na maneira como são expostos. No entanto, os espelhos não fogem ao padrão pré-determinado. ESPELHO DA AVALIAÇÃO DA PROVA DISCURSIVA- MODELO CESPE/UnB Aspectos macroestruturais nota obtida faixa de valores APRESENTAÇÃO TEXTUAL Legibilidade (0,00 a 2,00) Respeito às margens e indicação de parágrafos (0,00 a 2,00) ESTRUTURA TEXTUAL (dissertativa) Introdução adequada ao tema/posicionamento (0,00 a 4,00) Desenvolvimento (0,00 a 4,00) Fechamento do texto de forma coerente (0,00 a 4,00) DESENVOLVIMENTO DO TEMA Estabelecimento de conexões lógicas entre os argumentos (0,00 a 4,00) Objetividade de argumentação frente ao tema/posicionamento (0,00 a 4,00) Estabelecimento de uma progressividade textual em relação à seqüência lógica do pensamento (0,00 a 4,0 Aspectos microestruturais Tipo de erro Pontuação Construção do período Emprego de conectores Concordância nominal Concordância verbal Regência nominal Regência verbal Grafia/acentuação Repetição/omissão vocabular Outros Nota no conteúdo (NC) NC=5 : 28 x (soma das notas dos quesitos) Número de linhas efetivamente ocupadas (TL) Número de erros (NE) NOTA DA PROVA DISCURSIVA (NPD): NPD=NC 3 x NE : TL Curso Auditor Público Externo TCE 2

3 A seguir, apresentarei a estrutura textual dissertativa, a partir dos dados do espelho de correção da prova discursiva, seguindo a orientação do professor Fernando Moura (Nas Linhas e Entrelinhas). 1. Bases Conceituais ESTRUTURA TEXTUAL DISSERTATIVA PARTE I O conteúdo da redação a) Apresentação Textual - Legibilidade; Legibilidade e erro: escreva sempre com letra legível. Prefira a letra cursiva. A letra de imprensa poderá ser usada desde que se distinga bem as iniciais maiúsculas e minúsculas. No caso de erro, risque com um traço simples, o trecho ou o sinal gráfico e escreva o respectivo substituto. Atenção: não use parênteses para esse fim. - Respeito às margens e indicação dos parágrafos; Para dar início aos parágrafos, o espaço de mais ou menos dois centímetros é suficiente. Observe as margens esquerda e direita na folha para o texto definitivo. Não crie outras. Não deixe buracos no texto. Na translineação, obedeça às regras de divisão silábica. -Limite máximo de linhas; Além de escrever seu texto em local devido (folha definitiva), respeite o limite máximo de linhas destinadas a cada parte da prova, conforme orientação da banca. As linhas que ultrapassarem o limite máximo serão desconsideradas ou qualquer texto que ultrapassar a extensão máxima será totalmente desconsiderado. -Eliminação do candidato; Seu texto poderá ser desconsiderado nas seguintes situações: - ultrapassagem do limite máximo de linhas. - ausência de texto: quando o candidato não faz seu texto na FOLHA PARA O TEXTO DEFINITIVO. - fuga total ao tema: analise cuidadosamente a proposta apresentada. Estruture seu texto em conformidade com as orientações explicitadas no caderno da prova discursiva. - registros indevidos: anotações do tipo fim, the end, O senhor é meu pastor, nada me faltará ou recados ao examinador, rubricas e desenhos. b) Estrutura Textual Dissertativa Não dê título ao texto, começa na linha 1 da folha definitiva o seu parágrafo de introdução. Estrutura clássica do texto dissertativo b.1) Introdução adequada ao tema / posicionamento Apresenta a idéia que vai ser discutida, a tese a ser defendida. Cabe à introdução situar o leitor a respeito da postura ideológica de quem o redige acerca de determinado assunto. Deve conter a tese e as generalidades que serão aprofundadas ao longo do desenvolvimento do texto. O importante é que a sua introdução seja completa e esteja em consonância com os critérios de paragrafação. Não misture idéias. b.2) Desenvolvimento Apresenta cada um dos argumentos ordenadamente, analisando detidamente as idéias e exemplificando de maneira rica e suficiente o pensamento. Nele, organizamos o pensamento em favor da tese. Cada parágrafo (e o texto) pode ser organizado de diferentes maneiras: - Estabelecimento das relações de causa e efeito: motivos, razões, fundamentos, alicerces, os porquês/ conseqüências, efeitos, repercussões, reflexos; - Estabelecimento de comparações e contrastes: diferenças e semelhanças entre elementos de um lado, de outro lado,em contraste, ao contrário; - Enumerações e exemplificações: indicação de fatores, funções ou elementos que esclarecem ou reforçam uma afirmação. b.3) Fechamento do texto de forma coerente Retoma ou reafirma todas as idéias apresentadas e discutidas no desenvolvimento, tomando uma posição acerca do problema, da tese. É também um momento de expansão, desde que se mantenha uma conexão lógica entre as idéias. c) Desenvolvimento do Tema c.1) Estabelecimento de conexões lógicas entre os argumentos. Apresentação dos argumentos de forma ordenada, com análise detida das idéias e exemplificação de maneira rica e suficiente do pensamento. Para garantir as devidas conexões entre períodos, parágrafos e argumentos, empregar os elementos responsáveis pela coerência e unicidade, tais como operadores de seqüenciação, conectores, pronomes. Procurar garantir a unidade temática. c.2) Objetividade de argumentação frente ao tema / posicionamento O texto precisa ser articulado com base nas informações essenciais que desenvolverão o tema proposto. Dispensar as idéias excessivas e periféricas. Planejar previamente a redação definindo antecipadamente o que deve ser feito. Recorrer ao banco de idéias é um passo importante. Listar as Curso Auditor Público Externo TCE 3

4 idéias que lhe vier à cabeça sobre o tema.. Estabelecer a tese que será defendida. Selecionar cuidadosamente entre as idéias listadas, aquelas que delimitarão o tema e defenderão o seu posicionamento. c.3) Estabelecimento de uma progressividade textual em relação à seqüência lógica do pensamento. O texto deve apresentar coerência seqüencial satisfatória. Quando se proceder à seleção dos argumentos no banco de idéias, deve-se classificá-los segundo a força para convencer o leitor, partindo dos menos fortes parta os mais fortes. Caríssimos, é possível ( e bem mais tranqüilo) desenvolver um texto dissertativo a partir da elaboração de esquemas. Por mais simples que lhes pareça, a redação elaborada a partir de esquema permite-lhes desenvolver o texto com seqüência lógica, de acordo com os critérios exigidos no comando da questão (número de linhas, por exemplo), atendendo aos aspectos mencionados no espelho de avaliação. A professora Branca Granatic (Técnicas Básicas de Redação) oferece-nos a seguinte sugestão de esquema: SUGESTÃO DE PRODUÇÃO DE TEXTO COM BASE EM ESQUEMAS ESQUEMA BÁSICO DA DISSERTAÇÃO 1º parágrafo: TEMA + argumento 1 + argumento 2 + argumento 3 2 parágrafo :desenvolvimento do argumento 1 3 parágrafo: desenvolvimento do argumento 2 4 parágrafo: desenvolvimento do argumento 3 5 parágrafo: expressão inicial + reafirmação do tema + observação final. EXEMPLO: TEMA: Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver graves problemas que preocupam a todos. POR QUÊ? *arg. 1: Existem populações imersas em completa miséria. *arg. 2: A paz é interrompida freqüentemente por conflitos internacionais. *arg. 3: O meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico. Texto definitivo Chegando ao terceiro milênio, o homem ainda não conseguiu resolver os graves problemas que preocupam a todos, pois existem populações imersas em completa miséria, a paz é interrompida freqüentemente por conflitos internacionais e, além do mais, o meio ambiente encontra-se ameaçado por sério desequilíbrio ecológico. Embora o planeta disponha de riquezas incalculáveis estas, mal distribuídas, quer entre Estados, quer entre indivíduos encontramos legiões de famintos em pontos específicos da Terra. Nos países do Terceiro Mundo, sobretudo em certas regiões da África, vemos com tristeza, a falência da solidariedade humana e da colaboração entre as nações. Além disso, nesta últimas décadas, temos assistido, com certa preocupação, aos conflitos internacionais que se sucedem. Muitos trazem na memória a triste lembrança das guerras do Vietnã e da Coréia, as quais provocaram grande extermínio. Em nossos dias, testemunhamos conflitos na antiga Iugoslávia, em alguns membros da Comunidade dos Estados Independentes, sem falar da Guerra do Golfo, que tanta apreensão nos causou. Outra preocupação constante é o desequilíbrio ecológico, provocado pela ambição desmedida de alguns, que promovem desmatamentos desordenados e poluem as águas dos rios. Tais atitudes contribuem para que o meio ambiente, em virtude de tantas agressões, acabe por se transformar em local inabitável. Em virtude dos fatos mencionados, somos levados a acreditar que o homem está muito longe de solucionar os graves problemas que afligem diretamente uma grande parcela da humanidade e indiretamente a qualquer pessoa consciente e solidária. É desejo de todos nós que algo seja feito no sentido de conter essas forças ameaçadoras, para podermos suportar as adversidades e construir um mundo que, por ser justo e pacífico, será mais facilmente habitado pelas gerações vindouras. Se vocês seguirem a orientação dada pelo esquema, desde o 1º parágrafo, verão que não há como se perder na redação, nem fazer a introdução maior que o desenvolvimento, já que a introdução apresenta, de forma embrionária, o que será desenvolvido no corpo do texto. E lembre-se de que a conclusão sempre retoma a idéia apresentada na introdução, reafirmando-a, apresentando propostas, soluções para o caso apresentado. Com essa noção clara, de estrutura de texto, também é possível melhorar o seu desempenho nas provas de compreensão e interpretação de textos. Para os candidatos que pretendem se candidatar a um concurso que tenha questão discursiva, redação argumentativa, eis alguns modelos de provas. MODELOS DE PROVA DISCURSIVA Concurso Público Aplicação: 27/1/2002 // UnB/CESPE//Cargo: Agente da Polícia Federal Textos de base A sociedade organizada segundo os parâmetros do dinheiro e do trabalho, ao mesmo tempo que cria a figura do trabalhador, cria também a figura do vagabundo, do delinqüente, do trabalhador que não deu certo e que freqüentemente esbarra na lei, do criminosos em potencial. Essas são as Curso Auditor Público Externo TCE 4

5 pessoas que estarão mais sujeitas à perseguição e à punição. (Andréa Buoro et al. Violência urbanadilemas e desafios) Art.5º Todos são iguais perante a lei; sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade,à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: (...) III ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; (Constituição da República Federativa do Brasil, 1988) Proposta: considerando que as idéias apresentadas acima e nos textos da prova objetiva têm caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca do seguinte tema: O combate à violência deve ser feito com imparcialidade e respeito ao ser humano. Obs.: Utilize, no mínimo, trinta e, no máximo, sessenta linhas. Qualquer prova com extensão aquém da mínima de trinta linhas efetivamente escritas será apenado e qualquer fragmento de texto além da extensão máxima de sessenta linhas será desconsiderado. Outros temas: Proposta: A sociedade não é o retrato apenas de seus governantes, é o retrato de seus cidadãos, em destaque, de suas elites. É o nosso retrato, do Brasil todo, de todos nós (Sérgio Abranches) com fragmentos com caráter unicamente motivador. UnB ; CESPE aplicação 10/10/2004 cargo: Escrivão de Polícia Federal Proposta: Tomando como motivadores o texto inicial da prova objetiva de Conhecimentos Básicos e os excertos acima, redija um texto dissertativo, posicionando-se acerca das vantagens de utilização da tecnologia na educação, em um contexto sociocultural em que é elevado o número de analfabetos. UnB /CESPE aplicação 30/5/2004 cargo Papiloscopista Policial Federal. Proposta: Redija um texto dissertativo, posicionando-se a respeito do seguinte enunciado: CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS.Em sua argumentação, refira-se, necessariamente, ao que expressam as figuras acima. UnB / CESPE aplicação 9/10/2004 cargo: Perito Criminal Federal. Caríssimos, as grades de correção apresentadas neste artigo não são divulgadas no edital de concursos. O acesso a elas só é possível mediante pedido de recurso, momento em que a instituição (algumas) disponibiliza ao candidato a cópia da redação e a grade utilizada para a correção. Daí termos acesso a mais uma grade utilizada no concurso promovido pela ESAF. GRADE PARA CORREÇÃO DE REDAÇÃO DO CONCURSO PARA AUDITOR FISCAL DA RECEITA ESTADUAL / MG / 2005 LÍNGUA PORTUGUESA I DOMÍNIO DAS CONVENÇÕES ORTOGRÁFICAS A Erros de Acentuação Gráfica O Erros de Ortografia II ESTRUTURA DO PERÍODO SC Sintaxe de construção ( frases truncadas, ruptura do fio sintático) CO Concordância RG Regência MS Morfossintaxe (emprego das classes de palavras, sintaxe de colocação, flexão das classes de palavras, colocação, conjugação verbal, etc) VO Vocabulário (emprego do léxico) PO Pontuação III ASPECTOS TEXTUAIS DES desenvolvimento do tema (compreensão e conhecimento do tema) SEQ seqüência das idéias (seqüência lógica, idéias conexas) QUA qualidades estilísticas do texto (clareza, concisão, objetividade). CONTEXTO O alvo errado do plebiscito O Congresso discute a forma do plebiscito que pode proibir a venda legal de armas para civis. No entanto, números levantados por VEJA sugerem que o problema do comércio de armas clandestinas, a maioria contrabandeada, é estratosfericamente maior que o das vendas legais ARMAS NOVAS VENDIDAS LEGALMENTE A PESSOAS FÍSICAS EM 2004 (o objeto de proibição do plebiscito) 7219 armas. NÚMERO DE ARMAS ILEGAIS EM CIRCULAÇÃO NO PAÍS - 8,7 milhões de armas. CUSTO MÍNIMO DO PLEBISCITO milhões de reais. O valor é maior que toda verba destinada ao Fundo Nacional de Segurança Pública neste ano. Além de civis, inclui a compra particular por policiais, promotores e juízes. Estimativa com base no número de armas ilegais apreendidas pela polícia. TEMA: Você é a favor ou contra a comercialização de armas no Brasil? Quanto aos temas, podem ser abertos (texto de opinião) ou vinculados à natureza do concurso, que determina a seqüência do texto: Curso Auditor Público Externo TCE 5

6 Concurso realizado pela FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS Prova Discursiva Cargo : Analista Judiciário Área Administrativa TRE / GO O que mais irrita as pessoas no trato com o governo é a arrogância da burocracia. As pessoas, hoje em dia, querem ser valorizadas como clientes. Mesmo por parte do governo. (Osborne E.Gaeble,1994,181) Proposta: Considerando que o texto acima tem caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo a respeito da administração pública enfocando necessariamente os seguintes aspectos: o governo sob a ótica da gestão tradicional; a evolução da estrutura de mecânica para a orgânica; a evolução do sistema de gestão governamental em busca de resultados para as suas tomadas de atitude e em prol da satisfação do cliente. Obs.: Qualquer fragmento de texto além da extensão máxima de trinta linhas será desconsiderado. Finalmente Caríssimos, acredito ter atingido meu objetivo neste artigo Parte I, que era convencê-los de que as provas discursivas não são tão preocupantes a ponto de os candidatos desistirem do concurso. Basta seguir a orientação dada, com conhecimento prévio do que será avaliado no texto, que a nuvem negra da insegurança se dissipará. Mas não basta ler as orientações, há que se praticar também. Na seqüência, Parte II, pretendo mostrar os elementos de coesão, a coerência argumentativa e os aspectos formais do texto. Também passarei outro modelo de questão discursiva, concurso MPOG por exemplo. Minha proposta agora é MÃOS À OBRA. Sirvam-se dos temas dados e façam a sua redação, marquem o tempo dispensado para a criação do seu texto e não se esqueçam de que o primeiro trabalho nem sempre é o melhor, reescrevam-no, passem a limpo. Afinal, aprende-se a escrever lendo e escrevendo, nem que seja reescritura de textos (paráfrase). Acreditem em vocês, eu acredito. Um grande abraço a todos. Noely Landarin 26/06/07 - Redação para concursos - parte 2 Caríssimo, na organização de um texto, é fundamental a interligação entre os parágrafos. São eles que conduzem nosso processo reflexivo, funcionam como partes de um todo e devem articular-se de forma perfeita para que a informação não se disperse. É fundamental saber que texto (=tecido), de origem latina, não é o resultado de uma justaposição de frases sem referência entre si; não se trata de uma soma de orações fechadas ou completas em si mesmas ocupando um espaço no papel. Ao contrário, uma das maiores preocupações de quem escreve é como amarrar a frase seguinte à anterior; quando há uma manifestação verbal constitutiva de um texto, está implícita a idéia de que existem nexos, nós, ligas entre seus componentes que lhe conferem uma mútua dependência de significados. Isso só é possível se houver o domínio da coesão textual. Cada frase enunciada deve ter um vínculo com a anterior para não perder o fio do pensamento; do contrário haverá uma seqüência de frases sem sentido, sucedendo-se umas às outras, sem lógica, sem coerência. A Parte II de Redação para Concursos tratará das questões relativas à coesão textual, à coerência argumentativa e à forma do texto. Vamos relembrar a estrutura do parágrafo. O PARÁGRAFO Além da estrutura global do texto dissertativo-argumentativo, é importante conhecer a estrutura de uma de suas unidades básicas: o parágrafo. Parágrafo é uma unidade de texto organizada em torno de uma idéia-núcleo, que é desenvolvida por idéias secundárias. O parágrafo pode ser formado por uma ou mais frases, sendo seu tamanho variável. No texto dissertativo-argumentativo, os parágrafos devem estar todos relacionados com a tese ou idéia principal do texto, geralmente apresentada na introdução. Embora existam diferentes formas de organização de parágrafos, os textos dissertativoargumentativos e alguns gêneros jornalísticos apresentam uma estrutura-padrão. Essa estrutura consiste em três partes: a idéia-núcleo, as idéias secundária (que desenvolvem a idéia-núcleo), a conclusão. Em parágrafos curtos, é raro haver conclusão. Conheça a estrutura-padrão a seguir, observando sua organização interna. (idéia-núcleo) A poluição que se verifica principalmente nas capitais do país é um problema relevante, para cuja solução é necessária uma ação conjunta de toda a sociedade.(idéia secundária) O governo, por exemplo, deve rever sua legislação de proteção ao meio ambiente, ou fazer valer as leis em vigor; o empresário pode dar sua contribuição, instalando filtro de controle dos gases e líquidos expelidos, e Curso Auditor Público Externo TCE 6

7 a população, utilizando menos o transporte individual e aderindo aos programas de rodízio de automóveis e caminhões, como já ocorre em São Paulo. (conclusão) Medidas que venham a excluir qualquer um desses três setores da sociedade tendem a ser inócuas no combate à poluição e apenas onerar as contas públicas. Observe que todo o parágrafo se organiza em torno do primeiro período, que expõe o ponto de vista do autor sobre como combater a poluição. O segundo período desenvolve e fundamenta a idéianúcleo, apontando como cada um dos setores desenvolvidos pode contribuir. O último período conclui o parágrafo, reforçando a idéia-núcleo. Elemento Relacionador Esse elemento não é obrigatório, mas geralmente está presente a partir do segundo parágrafo; visa a estabelecer um encadeamento lógico entre as idéias e serve de elo entre o parágrafo entre si e o tópico que o antecede. Exemplo de um parágrafo e suas divisões Nesse contexto, é um grave erro a liberação da maconha. Provocará de imediato violenta elevação do consumo. O Estado perderá o precário controle que ainda exerce sobre as drogas psicotrópicas e nossas instituições de recuperação de viciados não terão estrutura suficiente para atender à demanda. Enfim, viveremos o caos. (Alberto Corazza, Isto É, com adaptações) Elemento relacionador :Nesse contexto. Tópico frasal:é um grave erro a liberação da maconha. Desenvolvimento:Provocará de imediato violenta elevação do consumo. O Estado perderá o precário controle que ainda exerce sobre as drogas psicotrópicas e nossas instituições de recuperação de viciados não terão estrutura suficiente para atender à demanda Conclusão:Enfim, viveremos o caos. (Obra consultada: MOURA,Fernado. Nas Linhas e Entrelinhas, 6ª edição, /07/07 - Redação para concursos - parte 3 COESÃO E COERÊNCIA Estrutura Textual Dissertativa COESÃO TEXTUAL Todo texto bem escrito obedece a uma hierarquia de informações, que se dividem em parágrafos. Isto é, o texto avança em partes semanticamente organizadas de modo que as informações não se atropelem. Mas o avanço das informações deve ser costurado, ou então será apenas uma seqüência avulsa de dados. É como se disséssemos, como no velho ditado: uma coisa puxa a outra. Para que esta costura seja clara e lógica, a língua dispõe de uma série de recursos coesivos, os quais estabelecem relação entre o que foi dito (elementos anafóricos) e o que se vai dizer (elementos catafóricos) que ligam uma coisa com outra. Essas palavras são chamadas de relatores. Preste atenção nas palavras em negrito no texto a seguir: Pede-se atenção ao teste que se segue. Era uma vez uma terra distante onde todo mundo trabalhava naquilo que mais gostava e, mesmo assim só quando acordasse disposto. Nesse lugar, escola e assistência médica eram gratuitas, ninguém pagava aluguel e, nas horas de folga, todos se dedicavam à dança, ao teatro, à música e às artes em geral. Veja que em si essas palavras pouco significam elas apenas apontam para outras palavras. Tais relatores são elementos extremamente importantes da linguagem escrita: a eles devemos a precisão e a clareza de um texto. Os relatores são também fundamentais na costura dos parágrafos. Cada parágrafo novo deve contar com as informações dos parágrafos anteriores, que não precisam ser repetidas, mas que devem ser levadas em conta para que o texto não se transforme numa mera colagem de informações avulsas, sem relação entre si. De alguma forma, o início do parágrafo seguinte deve relacionar-se com o que foi dito antes. Por exemplo, o segundo parágrafo de um texto começa assim: Quem escolheu a resposta D acertou na mosca (...). É claro que isso só faz sentido para quem já leu o parágrafo anterior. Só assim sabemos o que é resposta D. Anáfora e Catáfora Uma das modalidades de coesão é a remissão.ea coesão pode desempenhar a função de (re)ativação do referente. A reativação do referente no texto é realizada por meio da referenciação anafórica ou catafórica, formando-se cadeias coesivas mais ou menos longas. A remissão anafórica(para trás) realiza-se por meio de pronomes pessoais de 3ª pessoa(retos e oblíquos) e os demais pronomes;também por numerais, advérbios, artigos e outros. Exemplos: 1. A jovem acordou sobressaltada. Ela não conseguia lembrar-se do que havia acontecido e como fora parar ali. 2. Márcia olhou em torno de si. Seus pais e seus irmãos observavam-na com carinho. 3. O concurso selecionará os melhores candidatos. O primeiro deverá desempenhar o papel principal na nova peça. Curso Auditor Público Externo TCE 7

8 4. O juiz olhou para o auditório. Aliestavam os parentes e amigos do réu, aguardando ansiosos o veredito final. 5.Os quadros de Van Gogh não tinham nenhum valor em sua época. Houve telasque serviram até de porta de galinheiro. (sinônimos) 6. Glauber Rocha fez filmes memoráveis. Pena que o cineasta mais famoso docinema brasileiro tenha morrido tão cedo.(epíteto-expressão que qualifica a pessoa) 7. O ministro foi o primeiro a chegar. (Ele) Abriu a sessão às oito horas em ponto e (ele) fez então seu discurso emocionado.(elipse) 8. Lygia Fagundes Teles é uma das principais escritoras brasileiras da atualidade. Lygia é autora de "Antes do baile verde", um dos melhores livros de contos de nossa literatura. (repetição de parte do nome) A remissão catafórica (para a frente) realiza-se preferencialmente através de pronomes demonstrativos ou indefinidos neutros, ou de nomes genéricos, mas também por meio das demais espécies de pronomes, de advérbios e de numerais. Exemplos: 1. O incêndio havia destruído tudo: casas, móveis, plantações. 2. Desejo somente isto: que me dêem a oportunidade de me defender das acusações injustas. 3. O enfermo esperava uma coisa apenas: o alívio de seus sofrimentos. 4. Eleera tão bom, o presidente assassinado! COERÊNCIA TEXTUAL A coerência textual diz respeito ao modo como os elementos subjacentes à superfície textual vêm a constituir, na mente dos interlocutores, uma configuração veiculadora de sentido. (KOCK, Ingedore Villaça).É a relação que se estabelece entre as diversas partes do texto, criando uma unidade de sentido. Está ligada ao entendimento, à possibilidade de interpretação daquilo que se ouve ou lê. Mas não basta costurar uma frase a outra para dizer que estamos escrevendo bem. Além da coesão, é preciso pensar na coerência. É possível escrever um texto coeso sem ser coerente. Observe: Os problemas de um povo têm de ser resolvidos pelo presidente. Este deve ter ideais muito elevados. Esses ideais se concretizarão durante a vigência de seu mandato. O seu mandato deve ser respeitado por todos. Ninguém pode dizer que falta coesão a esse parágrafo. Mas de que ele trata mesmo? Dos problemas do povo? Do presidente? Do seu mandato? Fica difícil dizer. Embora ele tenha coesão, não tem coerência. A coesão não funciona sozinha. No exemplo acima, teríamos que, de imediato, decidir qual a sua palavra-chave: presidente ou problemas do povo? A palavra escolhida daria estabilidade ao parágrafo. Sem essa base estável, não haverá coerência no que se escrever; e o resultado será um amontoado de idéias. Enquanto a coesão se preocupa com a parte visível do texto, sua superfície, a coerência vai mais longe, preocupa-se com o que se deduz do todo. Na verdade a coerência não está no texto, ela deve ser construída a partir dele, levando-se, portanto, em conta os recursos coesivos presentes no texto, funcionando como pistas para orientar o interlocutor na construção do sentido. A coerência exige uma concatenação perfeita entre as diversas frases, sempre em busca de uma unidade de sentido. Não se pode dizer, por exemplo, numa frase, que o "desarmamento da população pode contribuir para diminuir a violência", e, na seguinte, escrever: "Além disso, o desemprego tem aumentado substancialmente". É evidente a incoerência existente entre elas. Assim também é incoerente defender o ponto de vista contrário a qualquer tipo de violência e ser favorável à pena de morte, a não ser que não se considere a ação de matar como uma ação violenta. (Obra consultada: Roteiro de Redação- VIANA, Antônio Carlos -coord. et al) Vamos estudar as relações lógicas nos textos argumentativos. O texto de opinião (argumentativo), escrito para se defender ou para se atacar uma idéia, um ponto de vista qualquer, trabalha fundamentalmente com relações lógicas. E a língua concretiza essas relações lógicas através de relatores específicos que estabelecem uma ponte lógica entre o que se disse e o que se vai dizer: mas, porque, pois, se, quando, no entanto, apesar de, etc. Observe esse exemplo: Os problemas sociais não são resolvidos porque não há vontade política de resolvê-los. Nesse tipo de relação, apresenta-se um fato (os problemas sociais não são resolvidos) e a causa ( não há vontade política de resolvê-los). Observe que a ordem dos elementos pode ser alterada, o relator pode ser outro, mas a natureza da relação (causa e efeito direto) permanece inalterada: Não há vontade política de resolver os problemas sociais e por isso eles não são resolvidos. Não esqueça: há muitos modos de marcar essa relação, além dos populares porque e por isso. Veja mais alguns: Como não há vontade política de resolver os problemas sociais, eles não se resolvem. Já que não há vontade política, os problemas sociais não se resolvem. Podemos também estabelecer relações de causa e efeito pelo uso de alguns verbos. Veja: A falta de vontade política impede a solução dos problemas sociais. Curso Auditor Público Externo TCE 8

9 Decorre da falta de vontade política a ausência de solução para os problemas políticos. As relações de causa e efeito serão vistas com mais detalhes, logo a seguir. Vamos estudar algumas circunstâncias e as relações de sentido que estabelecem. 23/07/07 - Redação para concursos - parte 5 FORMA Antes de passar a limpo o texto, convém fazer uma cuidadosa revisão gramatical, que deverá ser repetida também com a redação já pronta. Observar especialmente pontuação, ortografia, acentuação, concordância, regência, construção do período e emprego de conectores. No tocante à construção do período, tome alguns cuidados que ajudarão a melhorar sua redação. Escrever exige paciência e um trabalho contínuo com a palavra. A FRASE 1. Extensão Escreva sempre frases curtas, que não ultrapassem duas ou três linhas, mas também não caia no oposto, escrevendo frases curtas demais. Seu texto pode ficar cansativo demais. Uma frase de boa extensão evita que você se perca. Seja objetivo. Exemplo. A crise de abastecimento de álcool não é apenas resultado da incompetência e irresponsabilidade das agências governamentais que deveriam tratar do assunto, pois ela também foi causada por outro vício de origem que foi no primeiro caso os organismos do governo encarregados de gerir os destinos do Proálcool que foram pouco a pouco sendo apropriados pelos setores que eles deveriam controlar, se transformando em instrumento de poder desses mesmos setores que através deles passaram a se apropriar de rendas que não lhe pertenciam. Quando chegamos ao final da frase, não lembramos o que estava no seu início. O que fazer? Antes de tudo, ver quantas idéias existem aí e separá-las. Uma possível redação para esse texto seria: A crise no abastecimento do álcool não resulta apenas da incompetência e da irresponsabilidade do governo. Ela é também causada por certos vícios que rondam o poder. Os órgãos responsáveis pelo destino do Proálcool se eximem de controlá-lo com rigor. Disso resulta uma situação estranha: os órgãos do governo passam a ser dominados justamente pelos setores que deveriam controlar. Transformam-se assim em instrumentos de poder de usineiros que se apropriam do erário. 2. Fragmentação Nunca interrompa seu pensamento antes dos pronomes relativos, gerúndios, conjunções subordinativas. ERRADO: O carro ficara estacionado no shopping. Onde tínhamos ido fazer compras. O Detran tem aumentado sua receita. Multando carros sem nenhum critério. Ele tem lutado para manter o status. Uma vez que perdeu quase toda a fortuna. Certo: As mesmas orações sem ponto final, apenas o emprego da vírgula. 3. Pronome Relativo Não transforme sem necessidade o pronome relativo QUE em o qual, a qual, os quais, as quais. Só o faça quando houver ambigüidade, como neste exemplo: Encontramos a filha do fazendeiro que perdeu todo o dinheiro na Bolsa. Nesse caso, o QUE pode referir-se tanto à filha quanto ao fazendeiro. 4.Onde / Aonde 1.Só se deve usar onde quando se referir a lugar. O país onde nasci fica muito distante. Nos demais casos, use em que São muito convincentes os argumentos em que você se baseia. 2.Só se deve usar aonde, quando a regência do verbo assim o exigir. Aonde iremos à noite? (ir a) / Aonde você pretende chegar?(chegar a) * Não use onde para se referir a datas. Isto aconteceu nos anos 70, onde houve uma verdadeira revolução de costumes. Melhor dizer: Isto aconteceu nos anos 70, quando houve uma verdadeira revolução de costumes. 5. Poluição Gráfica Não escreva um texto "manchado", cheio de travessões, aspas, exclamações, interrogações. O que dizer de uma seqüência como esta: Será que Deus é mesmo brasileiro? Então viva o Brasil! mas pelo visto Ponderações Curso Auditor Público Externo TCE 9

10 Não generalize. Frases do tipo Todo político é corrupto só fazem dizer que a pessoa escreve irrefletidamente. 7. Emprego exaustivo de Gerúndio O contribuinte brasileiro está precisando receber um melhor tratamento das autoridades fiscais, sendo ele vítima constante de um Leão sempre descontente de sua mordida, não se sentindo a salvo e sendo sempre surpreendido por novas regras, novas alíquotas, assaltando, o seu bolso. (Observe que, além de constituir um recurso estilístico inadequado, o gerúndio promove ambigüidade e defeitos de conexão, caso não seja empregado com propriedade.) Melhor dizer: O contribuinte brasileiro precisa receber um melhor tratamento das autoridades fiscais. Ele é vítima constante de um Leão sempre descontente de sua mordida, Não há ano em que se sinta a salvo. É sempre surpreendido por novas regras, novas alíquotas, novos assaltos ao seu bolso. IMPORTANTE: MAU USO DO GERÚNDIO Novo vício de linguagem o gerundismo ameaça tomar conta do nosso idioma. O motivo da discórdia é o uso do verbo estar, acompanhado do gerúndio, para designar uma ação no futuro, como vou estar te ligando ou estaremos abrindo Sinceramente: nossa paciência está estando a ponto de estar estourando. O próximo Eu vou estar transferindo a sua ligação que eu vá estar ouvindo pode estar provocando alguma reação violenta da minha parte. Eu não vou estar me responsabilizando pelos meus atos. As pessoas precisam estar entendendo a maneira como esse vício maldito conseguiu estar entrando na linguagem do dia-a-dia. (excerto de Ricardo Freire) 06/08/07 - Redação para concursos - parte 6 8. Emprego exaustivo do conectivo QUE É indispensável que se conheça o critério que se adotou para que sejam corrigidas as provas que se realizaram ontem, afim de que se tomem providências que forem julgadas necessárias. Melhor dizer: É indispensável conhecer o critério adotado para a correção das provas realizadas ontem, a fim de se tomarem as providências (julgadas) necessárias. 9. Paralelismos: termos de mesma função devem ser construídos a partir da mesma forma gramatical. Ele cometeu dois erros: o primeiro foi não cumprir o acordo estabelecido; o segundo foi a desvalorização dos procedimentos sugeridos. (faltouparalelismo) Melhor dizer: Ele cometeu dois erros: o primeiro foi não cumprir o acordo estabelecido; o segundo, desvalorizar os procedimentos sugeridos. OU Ele cometeu dois erros: o primeiro foi o não-cumprimento do acordo estabelecido; o segundo, a desvalorização dos procedimentos sugeridos. (Obs.: a vírgula depois de o segundo indica elipse verbal.) (MOURA, Fernando, Nas Linhas e Entrelinhas) 10. O emprego de APESAR DO...x / APESAR DE O.. Uma pessoa que entende como ninguém a República dos Tucanos lembra que, apesar de o ministro Bresser Pereira estar sendo acusado de falar demais, ele nunca foi desautorizado pelo presidente. Nem pessoalmente. Observe o detalhe apesar de o ministro Bresser Pereira estar sendo acusado... Outros casos 1. Apesar da chuva, ele saiu de casa. Apesar de a chuva cair torrencialmente, ele saiu de casa. 2.Ele reclamou desses artigos, que já foram revogados. O fato de esses artigos terem sido revogados não vem ao caso. Norma: Separa-se a preposição quando seu complemento é sujeito de um verbo. 11. Pontuação nas orações reduzidas Quanto ao uso das vírgulas nas orações reduzidas, temos as seguintes possibilidades: a) oração reduzida de gerúndio - se há valor adverbial, vem normalmente com vírgula. O Estado, visando ao bem comum, elabora suas normas. Visando ao bem comum, o Estado elabora suas normas. O Estado elabora suas normas, visando ao bem comum. b) oração reduzida de particípio - depende do valor e da posição: * nas reduzidas de particípio antecipadas,a vírgula é obrigatória. Uma vez preenchidos todos os requisitos legais, o Ministério Público dispõe do processo. Analisadas as contas na Suíça, pôde-se ter uma idéia mais evidente do problema. * nas reduzidas de particípio intercaladas, o uso da vírgula depende do valor da oração. -restritivo: As duas propostas classificadas na primeira fase serão levadas à frente. - explicativo: A Constituição Federal, concluída em 1968, trouxe importantes mudanças. - adverbial: Os eleitores, conferidos seus documentos, votarão em urnas individuais. c) oração reduzida de infinitivo - se há valor adverbial e está deslocada, vem com vírgula. Esse preceito, ao efetivar-se na legislação brasileira, trouxe avanço nas conquistas sociais. Curso Auditor Público Externo TCE 10

11 Ao efetivar-se na legislação brasileira, esse preceito trouxe avanço nas conquistas sociais. 12. O Vocabulário Escreva com simplicidade. Não empregue palavras complicadas ou supostamente bonitas. Escrever bem não é escrever difícil. O vocabulário deve adequar-se ao tipo de texto que pretendemos redigir. No nosso caso, só trabalhamos com a linguagem padrão, aquela que a norma culta exige quando vamos tratar de algum problema de grande interesse para leitores de bom nível cultural. Dela deverão ser afastados erros gramaticais, ortográficos, termos chulos, gíria, que não condizem com a boa linguagem. Observe as inadequações neste exemplo. Os grevistas refutaram o aumento proposto pelo governo. Enquanto o líder da situação fazia na Câmara os prolegômenos dos novos índices, os trabalhadores faziam do lado de fora o maior auê, achando que o governo não estava com nada. É preciso ter muito cuidado com as palavras. Nem sempre elas se substituem com precisão. Empregar refutarpor rejeitar, prolegômenos por exposição não torna o texto melhor. Não só palavras "bonitas" prejudicam um texto, mas também a gíria ( auê) e expressões coloquiais (não estava com nada). O texto poderia ser escrito da seguinte forma: Os grevistas rejeitaram o aumento proposto pelo governo. Enquanto o líder da situação fazia na Câmara a exposição dos novos índices, os trabalhadores faziam do lado de fora uma grande manifestação. 23/08/07 - Redação para concursos - parte Adjetivos certos na medida certa O emprego indiscriminado de adjetivos pode prejudicar as melhores idéias. Para que dizer um vendaval catastrófico destruiu Itu quando vendaval já traz implícita a idéia de catástrofe? Outro mau uso do adjetivo ocorre quando empregado intempestivamente, como se o autor quisesse "embelezar" o texto. O que ele consegue, no mínimo, é confundir o leitor. Diante do mundo incomensurável, incógnito e desmedido que nos cerca, o homem se sente minúsculo, limitado, inepto, incapaz de compreender o menor movimento das coisas singulares, magnéticas e imprevisíveis com que se depara em seu cotidiano impregnadoe assoberbado de interrogações. 14. Lugares - comuns e modismos Evite palavras, frases, expressões ou construções vulgares. A renovação da linguagem deve ser preocupação constante de quem escreve. Não há boa idéia que sobreviva nem texto cheio de lugares-comuns. Abandone: a) frases do tipo: agradar a gregos e troianos arrebentar a boca do balão botar pra quebrar chover no molhado deitar e rolar dar com os burros n'água deixar o barco correr solto dizer cobras e lagartos estar em petição de miséria estar coma bola toda estar na crista da onda ficar literalmente arrasado ir de vento em popa passar em brancas nuvens ser a tábua de salvação segurar com unhas e dentes ter um lugar ao sol b) modismos, invenções, como: agudizar // alavancar // exitoso // imperdível // a nível de // curtir // galera // magnificar // gratificante // obstaculizar // chocante // apoiamento c) particularidades léxicas e gramaticais 1. ao nível de: (= à mesma altura) // em nível de (= hierarquia) 2. ao encontro de: (= aproximação) // de encontro a: (= posição contrária) 3. em princípio : (= em tese) // a princípio: (= no início) 4. tampouco: (=também não) // tão pouco: (=muito pouco) 5. acerca de:(= a respeito de) // cerca de: (=durante) // a cerca de:(idéia de distância // há cerca de: (aproximadamente no passado) 6. bastantes: (= muitos, suficientes) // bastante : (muito) Curso Auditor Público Externo TCE 11

12 7. afim(afins): (=afinidade) // a fim de: (=para, um objetivo) d) Não Use: ao meu ver / a cores / a nível / às expensas / comunicamo-lhes / conseguimos nos concentrarmos / ajoelhamos-nos / face ao / haja visto / inflingirem / econômicas-financeiras / à rua / custei para / haviam(=existiam) / ao par (= ciente) / fazem 15 dias / de sábado / iremos no / intervi / implicou em / Use: a meu ver // em cores // ao nível // a expensas // comunicamos-lhes // conseguimos nos concentrar // ajoelhamo-nos // em face de // haja vista // infringirem // econômico-financeiras // na rua // custou-me // havia // a par // faz 15 dias // aos sábados // iremos ao // intervim // implicou 15.Na introdução: Ao escrever seu primeiro parágrafo, você pode fazê-lo de forma criativa. Ele deve atrair a atenção do leitor. Por isso, evite os lugares-comuns como: atualmente, hoje em dia, desde épocas remotas, o mundo de hoje, a cada dia que passa, no mundo em que vivemos, na atualidade. Listamos aqui algumas sugestões para começar um texto. a) Uma declaração (tema: liberação da maconha) É um grave erro a liberação da maconha. Provocará de imediato violenta elevação do consumo. O Estado perderá o precário controle que ainda exerce sobre as drogas psicotrópicas e nossas instituições de recuperação de viciados não terão estrutura suficiente para atender à demanda. A declaração é a forma mais comum de começar um texto. Procure fazer uma declaração forte, capaz de surpreender o leitor. b) Divisão (tema: exclusão social) Predominam ainda no Brasil duas convicções errôneas sobre o problema da exclusão social: a de que ela deve ser enfrentada apenas pelo poder público e a de que sua superação envolve muitos recursos e esforços extraordinários. Experiências relatadas nesta Folha mostram que o combate à marginalidade social em Nova York vem contando com intensivos esforços do poder público e ampla participação da iniciativa privada. Ao dizer que há duas convicções errôneas, fica logo clara a direção que o parágrafo vai tomar. O autor terá de explicitá-lo na frase seguinte. c) Oposição (tema: a educação no Brasil) De um lado, professores mal pagos, desestimulados, esquecidos pelo governo. De outro, gastos excessivos com computadores, antenas parabólicas, aparelhos de videocassete. É este o paradoxo que vive hoje a educação no Brasil. As duas primeiras frases criam uma oposição (de um lado / de outro) que estabelecerá o rumo da argumentação. d)alusão histórica (tema: globalização) Após a queda do muro de Berlim, acabaram-se os antagonismos leste-oeste e o mundo parece ter aberto de vez as portas para a globalização. As fronteiras foram derrubadas e a economia entrou em rota acelerada de competição. O conhecimento dos principais fatos históricos ajuda a iniciar um texto. O leitor é situado no tempo e pode ter uma melhor dimensão do problema. e)uma pergunta (tema: a saúde no Brasil) Será que é com novos impostos que a saúde melhorará no Brasil? Os contribuintes já estão cansados de tirar dinheiro do bolso para tapar um buraco que parece não ter fim. A cada ano, somos lesados por novos impostos para alimentar um sistema que só parece piorar. A pergunta não é respondida de imediato. Ela serve para despertar a atenção do leitor para o tema e será respondida ao longo da argumentação. f) Citação (tema: política demográfica) "As pessoas chegam ao ponto de uma criança morrer e os pais não chorarem mais, trazerem a criança, jogarem num bolo de mortos, virarem as costas e irem embora". O comentário do fotógrafo Sebastião Salgado, falando sobre o que viu em Ruanda, é um estímulo no estado de letargia ética que domina algumas nações do Primeiro Mundo. A citação inicial facilita a continuidade do texto, pois ela é retomada pela palavra comentário da segunda frase. g) Citação de forma indireta (tema: consumismo) Para Marx a religião é o ópio do povo Raymond Aron deu o troco: o marxismo é o ópio dos intelectuais. Mas nos Estados Unidos o ópio do povo é mesmo ir às compras. Como as modas americanas são contagiosas, é bom ver de que se trata. Esse recurso deve ser usado quando não sabemos textualmente a citação. É melhor citar de forma indireta que de forma errada. h) Exposição de ponto de vista (tema: o provão) O ministro da Educação se esforça para convencer de que o provão é fundamental para a melhoria da qualidade do ensino superior. Para isso, vem ocupando generosos espaços na mídia e fazendo milionária campanha publicitária, ensinando como gastar mal o dinheiro que deveria ser investido na educação. Curso Auditor Público Externo TCE 12

13 Ao começar o texto com a opinião contrária, delineia-se, de imediato, qual a posição dos autores. Seu objetivo será refutar os argumentos do opositor, numa espécie de contra-argumentação. i) Uma frase nominal seguida de explicação (tema: a educação no Brasil) Uma tragédia. Essa é a conclusão da própria Secretaria de Avaliação e Informação Educacional do Ministério da Educação e Cultura sobre o desempenho dos alunos do 3º ano do 2º grau submetidos ao Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), que ainda avaliou estudantes da 4ª série e da 8ª série do 1º grau em todas as regiões do território nacional. A palavra tragédia é explicada logo depois, retomada por essa é a conclusão. j) Adjetivação (tema: a educação no Brasil) Equivocada e pouco racional. Esta é a verdadeira adjetivação para a política educacional do governo. A adjetivação inicial será a base para desenvolver o tema. O autor dirá, nos parágrafos seguintes, por que acha a política educacional do governo equivocada e pouco racional. l) Ilustração (tema: aborto) O Jornal do Comércio, de Manaus, publicou um anúncio em que uma jovem de dezoito anos, já mãe de duas filhas, dizia estar grávida, mas não queria a criança. Ela a entregaria a quem se dispusesse a pagar sua ligação de trompas. Preferia dar o filho a ter que fazer um aborto. O tema é tabu no Brasil.(...) Você pode começar narrando uma fato para ilustrar o tema. Veja que a coesão do parágrafo seguinte se faz de forma fácil; a palavra tema retoma a questão que vai ser discutida. m) Uma seqüência de frases nominais (frases sem verbo) (tema: a impunidade no Brasil) Desabamento de shopping em Osasco. Morte de velhinhos numa clínica do Rio. Meia centena de mortes numa clínica de hemodiálise em Caruaru. Chacina de sem-terra em Eldorado dos Carajás. Muitos meses já se passaram e esses fatos continuam impunes. O que se deve observar nesse tipo de introdução são os paralelismos que dão equilíbrio às diversas frases nominais. A estrutura de cada frase deve ser semelhante. 16.Na Conclusão Evite chavões para concluir um texto, tais como "diante do exposto", "conforme o mencionado acima", "pelo que foi dito acima", "após as considerações acima". Lute sempre por uma linguagem própria, distante do lugar comum. 17. Palavras Abstratas As palavras abstratas podem ser empregadas, na maioria das vezes, no singular, sem nenhum prejuízo para a frase. Antes de usá-las no plural, experimente o singular e veja se o sentido da frase ficou mais preciso. O projeto do governo tem gerado muita polêmica. ( E não "muitas polêmicas") A pena de morte não vai acabar com o crime. ( E não "com os crimes") Faça o mesmo quando o substantivo abstrato for segundo elemento de uma locução ligada por "de" e for empregado em sentido genérico. Os níveis de emprego caíram muito nos últimos anos.( E não de empregos ) 18. Repetições desnecessárias Não repita palavras sem nenhuma razão estilística. O servidor que ganha um salário mínimo pode ficar certo de que vai receber, no final do mês, o salário mínimo sem nenhum reajuste. Melhor dizer: O servidor que ganha um salário mínimo pode ficar certo de que vai recebê-lo, no final do mês, sem nenhum reajuste. 19. Pleonasmos Alguns pleonasmos passam despercebidos quando escrevemos. Veja os mais comuns e troque-os pela forma exata: a cada dia que passa = a cada dia acabamentos finais = acabamentos continua ainda = continua elo de ligação = elo encarar de frente = encarar destemidamente há doze anos atrás = há doze anos juntamente com = com monopólio exclusivo = monopólio 20. Aspas Não use aspas indiscriminadamente. Elas devem aparecer nos seguintes casos: citações, arcaísmos, neologismos, gírias, estrangeirismos, expressões populares, ou para indicar que determinada palavra está sendo usada com sentido diferente do habitual. Para esconder os lucros exorbitantes que tinham com os negócios, as corretoras usavam endereços, contas e registros de empresas "laranjas". A palavra laranjas significa, no caso, "de fachada". As palavras também servem para indicar ironia: Curso Auditor Público Externo TCE 13

14 Os "revolucionários" não dispensam um uísque importado e carros do último tipo. 21. ETC. Não use etc. sem nenhum critério. Trata-se da abreviatura da expressão latina et cetera, que significa "e as demais coisas". Só devemos usá-la quando os termos que ela substitui são facilmente recuperáveis. A notícia foi veiculada pelos principais jornais do país como O Globo, Jornal do Brasil etc. O leitor bem informado sabe que outros jornais ficaram subentendidos, como Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo, A Tarde. Eis um caso de emprego de etc. que se deve evitar: Muitas vezes os pais não sabem como falar aos filhos problemas relacionados ao sexo, à morte etc. Quais seriam os outros problemas? Fica difícil saber. Ainda duas observações sobre o etc.: nunca escreva "e etc.", pois a conjunção "e " já faz parte da abreviatura. Seria o mesmo que dizer "e e as demais coisas" é indiferente o uso da vírgula antes. 22. O senso comum Além da baixa informatividade, também pode comprometer a qualidade de um texto dissertativoargumentativo o emprego de argumentos baseados no senso comum, isto é, em julgamentos que, embora não apresentem qualquer base científica, acabam sendo tomados como verdades sociais. Leia o seguinte parágrafo de um texto dissertativo-argumentativo (transcrito tal qual foi produzido e, por isso, apresentando diversos problemas gramaticais), produzido a propósito da violência. Muitas pessoas pobres, ficam muitas vezes indignadas ao ver, uma outra pessoa como ela, só que não passa fome como ela, ou seja, é rica e na maioria, ladrão, que rouba do povo e isso faz com que a população fique revoltada, e se manifestará em conflitos entre camadas sociais no qual o favelado odeie o outro de uma classe superior, e tendo oportunidade para acabar com o outro não vai perder a chance. (redação de aluno, 3º ano do ensino médio) O autor constrói seus argumentos a partir de idéias preconceituosas baseadas no senso comum -, segundo as quais o rico geralmente é ladrão e o pobre ou o favelado é violento. Idéias como essas e outras como todos os políticos são corruptos, o jovem é sempre rebelde por natureza, o brasileiro é oportunista, homem que é homem não chora, as mulheres dirigem pior que os homens, Futebol não é assunto para as mulheres, todo oriental é honesto e trabalhador, etc. devem ser evitadas, pois, além de não terem nenhum fundamento, tornam o texto fraco do ponto de vista argumentativo. 02/09/07 - Redação para concursos - parte 8 TEXTO O LUGAR-COMUM Devagar se vai ao longe, porque a pressa é inimiga da perfeição e a esperança é a última que morre. É fato que o brasileiro é preguiçoso por natureza, mas graças a Deus aqui não há preconceito racial somos um povo que tem horror à violência; nossa índole pacífica é proverbial no mundo inteiro. Se o homem tomasse consciência do valor da paz, não haveria mais guerras no mundo bastava que cada um parasse para pensar na beleza do sorriso de uma criança e descobrisse que mais vale um pássaro na mão do que dois voando. A paciência é a mãe das virtudes, mas só com determinação e coragem haveremos de resolver nossos problemas. O que estraga o Brasil são os políticos; sem eles estaríamos bem melhor, cada um fazendo a sua parte. Hoje em dia, felizmente, as mulheres estão entrando no mercado de trabalho porque, segundo pesquisadores americanos, elas são muito mais caprichosas que os homens. Já os homens, conforme uma conclusão do conceituado Instituto de Psicologia de Filadélfia, são muito mais desconfiados e estão sempre querendo mais. As pesquisas eleitorais nunca acertam porque são todas compradas. Mas a verdade é que o amor, quando autêntico, resolve tudo. O que não se pode esquecer jamais é que a esperança existe e sempre existirá! O conjunto de frases acima que você deve ter passado os olhos com a sensação de já tê-lo lido antes algumas centenas de vezes é uma amostragem da mais terrível praga dos textos argumentativos o lugar comum, também conhecido como chavão ou clichê. O mal do lugar comum não está propriamente no fato de ser uma expressão muitas vezes usada. O que merece reflexão e cuidado é o lugar-comum que aparece justamente para substituir a reflexão. No texto escrito, ele normalmente cumpre a função de, ao resolver tudo numa frase feita de sabedoria universal e indiscutível, eliminar qualquer necessidade argumentativa. Ora, onde a fumaça a fogo! O lugar-comum, pela sua natureza indiscutível, acomoda todo o processo de conhecimento numa sabedoria que não nos pertence; ela já está pronta,passa de geração a geração, de professor a aluno, de vizinho a vizinho, de texto a texto. O lugar-comum está presente tanto nas piadas que reforçam preconceitos(contra raça, religião, etnia...), quanto nas afirmações absolutas, completas e sensatas sobre os fatos que nos rodeiam. O lugar-comum não contesta, não transforma e não cria nada apenas repete. Curso Auditor Público Externo TCE 14

15 Saber reconhecer o lugar comum é a primeira tarefa de quem quer se livrar deles. Não é tão fácil assim,porque o chavão permeia todos os pontos de vista. Não é só de provérbios inofensivos que ele vive; muitas vezes, a argumentação inteira se sustenta sobre conceitos tão genéricos e vagos que se reduzem a nada. A face mais evidente deste tipo de generalidade vazia é o uso de entidades como o Homem, o Mundo, os Políticos, o Jovem..., como se as sociedades fossem todas constituídas de blocos absolutamente homogêneos. (Faraco&Tezza, Prática de Textos, 9ª.edição, ed. Vozes) CONCLUSÃO Em síntese, eis o que devemos observar para construir um texto: 1.O parágrafo é um conjunto de enunciados que se unem em torno de um mesmo sentido. 2.Não se deve esgotar o tema no primeiro parágrafo. Este deve apenas apontar a questão que vai ser desenvolvida. 3.O parágrafo seguinte é sempre uma retomada de algo que ficou inexplorado no parágrafo anterior ou anteriores. Pode ser uma palavra ou uma idéia que mereça ser desenvolvida. 4.Um texto é constituído por parágrafos interdependentes, sempre em torno de uma mesma idéia. 5.Reconheça mentalmente o que você sabe sobre o tema. É possível fazer um plano, mas talvez seja mais prático você listar as palavras-chave com que vai trabalhar. Preocupe-se com a seqüência do texto, utilizando os recursos de coesão de frase para frase e de parágrafo para parágrafo, sem perder de vista a coerência. 6.O parágrafo final deve retomar todo o texto para concluí-lo. Por isso, antes de escrevê-lo, releia tudo o que escreveu. A fim de fechar bem o texto, o parágrafo conclusivo deve retomar o que foi exposto no primeiro. 7.Todo texto representa o ponto de vista de quem o escreve. E quem escreve tem sempre uma proposta a ser discutida para poder chegar a uma conclusão sobre o assunto. 8.O texto deve demonstrar coerência, que resulta de um bom domínio de sua arquitetura e do conhecimento da realidade. Deve-se levar em conta a unidade de idéias, aliada a um bom domínio das regras de coesão. 9.Desde que o tema seja de seu domínio e você tenha conhecimento dos princípios de coesão e da estrutura dos parágrafos, as dificuldades de escrever serão bem menores. 10. Leia tudo o que for possível sobre o tema a ser desenvolvido para que sua posição seja firme e bem fundamentada. Caríssimo, na produção do seu texto, observe se as idéiasestão bem articuladas, com seqüência lógica, com coerência argumentativa; siga as orientações de articulação de parágrafos a partir do desmembramento do parágrafo inicial. Não se esqueça de verificar também os aspectos relativos à forma. Mãos à obra, aprende-se a escrever lendo e escrevendo. O único caminho para conseguir a nota máxima na redação(que é o ideal) é ter como prática diária o exercício de redação, faça pequenos textos, mesmo que seja paráfrase. O importante é ter intimidade com a atividade escrita. Um bom trabalho a todos. Noely Landarin Curso Auditor Público Externo TCE 15

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP Singular-Anglo Vestibulares Professora Natália Sanches Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. Retirado do site oficial do vestibular. FUVEST e UNESP Na correção, três

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 11 Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG T exto dissertativo: ponto de vista acerca de um tema Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Algumas perguntas O quê? Por quê? Para quê?

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral Módulo Geral CONCURSO: Ministério do Trabalho e Emprego CARGO: Auditor-Fiscal do Trabalho PROFESSOR: Pablo Jamilk Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos termos da Lei n.º 9.610/1998,

Leia mais

Como elaborar um recurso prova discursiva/susep

Como elaborar um recurso prova discursiva/susep Como elaborar um recurso prova discursiva/susep Profa. Júnia Andrade Elaborar recursos é tarefa bastante simples. E você pode cumprir com perfeição esta tarefa sozinho (a). Primeiramente, ao receber o

Leia mais

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas Sumário Prefácio à 2 a edição, revista e atualizada Apresentação XVII XXI Parte I As exigências básicas das provas discursivas Introdução 2 I. Itens mais gerais estipulados pelas bancas 2 II. Dois editais

Leia mais

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Neste texto, vamos delinear o que se espera do participante do ENEM na situação específica de produção de textos. Para isso, nada melhor

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO Inscrição: 15602625057-3 (Liminar) - MANTIDA de dissertação, cujos critérios de análise estavam descritos no edital de abertura que rege

Leia mais

Dicas: texto mais claro e objetivo

Dicas: texto mais claro e objetivo Nome: Redação 3º º ano Dicas: texto mais claro e objetivo Nº: Mérope Turma: Abr/09 DICAS PARA TORNAR O SEU TEXTO MAIS CLARO E OBJETIVO Use palavras que seu leitor reconheça instantaneamente. As mais fáceis

Leia mais

COLETÂNEA CONTINUA...

COLETÂNEA CONTINUA... Natal, 05 de abril de 2011 PROVA DE REDAÇÃO A prova de redação apresenta uma proposta de construção textual: uma CARTA ABERTA. Com a finalidade de auxiliá-lo(a) na compreensão prévia da temática em foco,

Leia mais

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO 1 Q236899 Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Português Assuntos: 6. Interpretação

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Modo: indicativo O modo indicativo expressa um fato de maneira definida, real, no presente, passado ou futuro, na frase afirmativa, negativa ou interrogativa. Presente Presente Passado (=Pretérito) Pretérito

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA VESTIBULAR FAETERJ'S E INSTITUTOS SUPERIORES DECISÃO DOS RECURSOS (INFRARRELACIONADOS)

Leia mais

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada.

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Toque de Mestre 16 Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Profa. Júnia Andrade Viana profajunia@gmail.com face: profajunia Autora do livro Redação para Concursos

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à segunda videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e

Leia mais

Correção Avulsa de Discursivas para os Certames da Receita Federal do Brasil

Correção Avulsa de Discursivas para os Certames da Receita Federal do Brasil AULA DEMONSTRATIVA Correção Avulsa de Discursivas para os Certames da Receita Federal do Brasil Olá, amigos Sou o professor Daniel Magalhães e será uma prazer ajudá-los nessa caminhada rumo à aprovação

Leia mais

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Olá, assistiu ao filme sugerido na aula passada?? Espero que tenha gostado, pois ele é um clássico do cinema. Quanto mais lemos percebemos que temos muito ainda para

Leia mais

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Disciplina Curso Profª Série REDACÃO Ensino Médio Silvia Zanutto 3º Lembre-se: ESTUDO APROVAÇÃO SUCESSO OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Aluno,LEIA COM ATENÇÃO! Na redação, o ENEM avalia

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica :: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica José Mauricio Santos Pinheiro em 21/04/2005 Os princípios indispensáveis à redação científica podem ser resumidos em quatro pontos fundamentais: clareza,

Leia mais

EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º

EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA PORTUGUESA CURSO DE DIREITO - 2014 EDITAL N.º /2013 O Reitor do Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto

Leia mais

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

Questão 01 Interpretação de texto. Questão 02 Acentuação gráfica

Questão 01 Interpretação de texto. Questão 02 Acentuação gráfica COMENTÁRIOS E RESPOSTAS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DE NÍVEL MÉDIO PARA AGENTE ADMINSITRATIVO AUXILIAR PORTO ALEGRE DO CONCURSO DA FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO E PESQUISA EM SAÚDE FEPS PROVA REALIZADA

Leia mais

Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal:

Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal: Princípios Gerais Seja qual for a natureza de um trabalho científico, ele precisa preencher algumas características para ser considerado como tal: Assim, um estudo é realmente científico quando: 1. discute

Leia mais

CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO: JOSIANE DE LIMA GÊNERO: Notícia PERÍODO APROXIMADAMENTE: 4º Ano CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - Ritmo, fluência e entonação na leitura; - Apreensão das ideias

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 A INTERCULTURALIDADE E SEUS REFLEXOS NA PRODUÇÃO DE TEXTOS DE ALUNOS DESCENDENTES DE POMERANOS Tatiani Ramos (UFES) tateletras@yahoo.com.br INTRODUÇÃO Segundo Costa Val (1997), o texto é uma unidade de

Leia mais

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é que o aluno NÃO DECORE NADA em Língua Portuguesa. Se

Leia mais

Redação: modelo expositivo Correção no Padrão Cespe

Redação: modelo expositivo Correção no Padrão Cespe Redação: modelo expositivo Correção no Padrão Cespe Ei pessoal, Daqui a alguns dias, um grupo de alunos estará fazendo provas para o TRT/ES, cujo edital, no que concerne à prova discursiva, alertou para

Leia mais

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO)

PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) PLANO DE CURSO REFERENCIAL LÍNGUA PORTUGUESA/GESTAR 6ª SÉRIE (7º ANO) Processo Avaliativo Unidade Didática PRIMEIRA UNIDADE Competências e Habilidades Aperfeiçoar a escuta de textos orais - Reconhecer

Leia mais

PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS

PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS PED LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES ACADÊMICAS Prezado aluno, O maior diferencial deste projeto pedagógico é o desenvolvimento da autonomia do estudante durante sua formação. O currículo acadêmico do seu

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Este texto trata a respeito das Normas da ABNT e do Manual do Unisal com a finalidade de orientar os alunos sobre as regras básicas para a publicação

Leia mais

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana.

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. 25.2 Conteúdo: Gênero dissertativo-argumentativo. Habilidade: Reconhecer a tese defendida em um texto. (D19) REVISÃO A REDAÇÃO DO ENEM 1 Domínio da

Leia mais

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Helena C. Buescu, Luís C. Maia, Maria Graciete Silva, Maria Regina Rocha 10.º Ano: Oralidade Compreensão do Oral Objetivo Compreender

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO I PORTUGUÊS: Compreensão e interpretação de texto. Ortografia: divisão silábica, pontuação, hífen, sinônimo, acentuação gráfica, crase. Morfologia: classes de

Leia mais

Admissão de alunos 2016

Admissão de alunos 2016 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2016 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 8⁰ ANO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS 1. ORIGEM DA TERRA 1.1. Origem da vida no Planeta Terra (principais teorias). 1.2. Fósseis,

Leia mais

ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS ESTRUTURA DO ARTIGO Regra geral um artigo possui a seguinte estrutura: 1.Título 2. Autor (es) 3. Resumo e Abstract 4. Palavras-chave; 5. Conteúdo (Introdução,

Leia mais

ESPAÇO DA REDAÇÃO Com Fabyana Muniz

ESPAÇO DA REDAÇÃO Com Fabyana Muniz ESPAÇO DA REDAÇÃO Com Fabyana Muniz Neste espaço, apresenta-se uma síntese de como será a metodologia utilizada no curso REDAÇÃO PARA CONCURSO. Com relação ao processo de correção e reescritura textual,

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

COESÃO COERÊNCIA. É um dos meios que garante a unidade semântica e a organização de um enunciado.

COESÃO COERÊNCIA. É um dos meios que garante a unidade semântica e a organização de um enunciado. 1. COESÃO 1.1. O que é? É um dos meios que garante a unidade semântica e a organização de um enunciado. Dito de forma mais simples: a coesão textual tem a ver com a maneira como se processa a ligação entre

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Paulo Coimbra Guedes e Jane Mari de Souza A tarefa de ensinar a ler e a escrever um texto de história é do professor de história

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

Redações e suas correções

Redações e suas correções Redações e suas correções Nesta aula, trouxe dois exemplares de como se corrigem as redações em bancas como o Cespe e a FCC. Gostaria de salientar que nem tudo é seguido sempre do mesmo jeito, obedecendo

Leia mais

REDAÇÃO PARA VESTIBULAR

REDAÇÃO PARA VESTIBULAR REDAÇÃO PARA VESTIBULAR A principal técnica de redação utilizada é sem dúvida a dissertação. Na realidade nós fazemos dissertação todos os nossos dias, quando procuramos soluções para nossos problemas,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A PRODUÇÃO TEXTUAL REBECCA TAVARES DE MELO TOSCANO DE BRITO (UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA). Resumo Nos dias atuais a prática da leitura está se tornando cada vez mais rara

Leia mais

Lição 4 A Revisão do Texto

Lição 4 A Revisão do Texto Redação Técnica 65 Ao fi nal desta lição, esperamos que você possa: reconhecer alguns cuidados para a revisão de um texto; reconhecer os vícios de linguagem mais frequentes. Conteúdo desta lição: Técnicas

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE 1 PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE Prof. Dr. Flávio Villaça Professor Titular de Planejamento Urbano da FAU-USP Versão de 20/12/04 Flavila@uol.com.br INTRODUÇÀO Este texto foi elaborando

Leia mais

ÍNDICE 03 COMPETENCIAS QUE IRÃO AVALIAR SUA REDAÇÃO PARA INÍCIO DE CONVERSA... 06 IV. COMO ELABORAR UMA TESE 07 EXEMPLIFICANDO.

ÍNDICE 03 COMPETENCIAS QUE IRÃO AVALIAR SUA REDAÇÃO PARA INÍCIO DE CONVERSA... 06 IV. COMO ELABORAR UMA TESE 07 EXEMPLIFICANDO. ÍNDICE ÍNDICE I - CRITÉRIOS DE CORREÇÃO DA REDAÇÃO DO ENEM 03 PARA INÍCIO DE CONVERSA... 03 COMPETENCIAS QUE IRÃO AVALIAR SUA REDAÇÃO 04 II. COMO ELABORAR UM ROTEIRO DE TEXTO OBSERVAÇÕES 05 05 III. COMO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COESÃO E DA COERÊNCIA EM NOSSOS TEXTOS

A IMPORTÂNCIA DA COESÃO E DA COERÊNCIA EM NOSSOS TEXTOS A IMPORTÂNCIA DA COESÃO E DA COERÊNCIA EM NOSSOS TEXTOS Áurea Maria Bezerra Machado (UNIGRANRIO) goldenmary@ig.com.br Márcio Luiz Corrêa Vilaça (UNIGRANRIO) 20 professorvilaca@gmail.com 1. Introdução O

Leia mais

SSOA - SERVIÇO DE SELEÇÃO, ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO

SSOA - SERVIÇO DE SELEÇÃO, ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO Caro(a) Aluno(a) A prova da 2ª fase da UFBA exige, além dos pré-requisitos da primeira fase(conhecimento do conteúdo programático aliado a habilidades de analisar, comparar, julgar, fazer generalizações,

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Acesso aos mestrados profissionalizantes) 2.ª chamada

PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Acesso aos mestrados profissionalizantes) 2.ª chamada INSTITUTO POLITÉCNICO DE LISBOA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE LISBOA 2015 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Acesso aos mestrados profissionalizantes) 2.ª chamada CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO I. Leitura (80 )

Leia mais

Oficina inaugural sobre o texto dissertativo-argumentativo

Oficina inaugural sobre o texto dissertativo-argumentativo Caro Monitor, Oficina inaugural sobre o texto dissertativo-argumentativo Esta oficina tem como objetivo geral favorecer o primeiro contato do aluno da EJA Ensino Médio com o tipo textual que será exigido

Leia mais

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data:

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: Listagem Conteúdos: 6º ano ensino fundamental Morfologia Fonética

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade.

Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade. PROF. BRUNO AUGUSTO Dissertar é expor determinada opinião em relação a um tema e defendê-la através de argumentos coerentes com a realidade. Deve apresentar uma linguagem clara e condizente aopúblicoemqueotextoserádestinado.

Leia mais

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS PORTUGUÊS PARA CONCURSOS Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética Fonema Letra Sílaba Número de sílabas Tonicidade Posição da sílaba tônica Dígrafos Encontros consonantais Encontros vocálicos Capítulo 2

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA LOGOTIPO MACMILLAN BRASIL Utilização colorido; preto/branco e negativo Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

Melhores Redações do ENEM Como fazer

Melhores Redações do ENEM Como fazer Melhores Redações do ENEM Como fazer Como fazer redação para o ENEM 2014 Você vai se inscrever no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)? Uma das dores de cabeça ou pesadelos dos alunos é a redação do ENEM

Leia mais

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL

EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL EDITAL N. º 001/CTPM/2015 CONCURSO DE ADMISSÃO 2016 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EXAME INTELECTUAL 1) PARA O ENSINO MÉDIO REDAÇÃO Do 1º ano ao 3º ano do ensino médio, a prova discursiva será composta

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS 2015 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

O resumo Se procurares num dicionário o verbo resumir encontrarás uma definição semelhante a esta: dizer em poucas palavras o que se disse ou escreveu mais extensivamente; condensar. Sendo uma forma de

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas

LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas LÍNGUA PORTUGUESA Questões Objetivas As questões 1 a 7 referem-se ao texto 1. Texto 1 NÃO HÁ ESTRANHOS, APENAS AMIGOS. Susan Andrews Revista Época, 17 de setembro de 2007. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA CONCURSO PÚBLICO ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CARGO ANALISTA DA POLÍCIA CIVIL - ADMINISTRAÇÃO PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUÇÃO: Leia com atenção o Texto 1 para responder às questões

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1 REDAÇÃO DE DOCUMENTOS... 3 Carta Comercial... 3 Requerimento... 6 Procuração... 7 Memorando... 8 Ofício... 9 Recibo...

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

Português- Prof. Verônica Ferreira

Português- Prof. Verônica Ferreira Português- Prof. Verônica Ferreira 1 Com relação a aspectos linguísticos e aos sentidos do texto acima, julgue os itens a seguir. No trecho que podemos chamar de silenciosa (l.15-16), o termo de silenciosa

Leia mais

Esse texto tem o propósito de transmitir a sua opinião, entendimento, assim fazendo com que o leitor-corretor passe a ter a mesma visão que o autor.

Esse texto tem o propósito de transmitir a sua opinião, entendimento, assim fazendo com que o leitor-corretor passe a ter a mesma visão que o autor. Redação FCC dissertação argumentativa : O que é dissertação argumentativa? Esse texto tem o propósito de transmitir a sua opinião, entendimento, assim fazendo com que o leitor-corretor passe a ter a mesma

Leia mais

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br Olá, concurseiro! É um grande prazer poder lhe dar algumas dicas básicas a respeito da sua preparação para um Concurso Público. Sei que esse é um grande sonho, e ter a oportunidade de colaborar com a construção

Leia mais

Faculdade de Educação, Ciências e Letras D O N D O M Ê N I C O O QUE É UM ARTIGO CIENTÍFICO

Faculdade de Educação, Ciências e Letras D O N D O M Ê N I C O O QUE É UM ARTIGO CIENTÍFICO O QUE É UM ARTIGO CIENTÍFICO O artigo cientifico é um texto escrito para ser publicado num periódico especializado e tem o objetivo de comunicar os dados de uma pesquisa, seja ela experimental, quase experimental

Leia mais

CONTEÚDO DA PU II UNIDADE 6º ANO

CONTEÚDO DA PU II UNIDADE 6º ANO 6º ANO - Interpretação textual; - Substantivo Adjetivo (flexão: grau) - Numeral (classificação e uso) - Artigo (classificação e uso). - Unidade 3 geometria (páginas 86 a 114). - Unidade 4 divisores e múltiplos

Leia mais

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa

Solução Comentada Prova de Língua Portuguesa Leia as questões da prova e, em seguida, responda-as preenchendo os parênteses com V (verdadeiro) ou F (falso). Texto 1 Januária 08 Toda gente homenageia Januária na janela Até o mar faz maré cheia Pra

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS MANDE BEM NA REDAÇÃO! PARA COMEÇAR! Fonte: Guia do Participante, ENEM, 2013, p.7. TIPOLOGIA TEXTUAL Fonte: Guia do Participante, ENEM, 2013, p.16. (Anexo) RECONHECENDO O CAMPO... 1998 - Viver e aprender

Leia mais

Problemas Notacionais da Língua

Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Neste encontro, analisaremos algumas particularidades que nossa língua apresenta e, muitas vezes, devem ter deixado você com dúvidas. É muito

Leia mais

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senhor presidente, Senhoras senadoras, senhores senadores Amigos das redes sociais que também estão nas ruas Estamos em época de competição de futebol. Nosso

Leia mais

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades.

1. Linguagens e Códigos; 2. Raciocínio Lógico e Matemática; 3. Leitura e Interpretação de Textos; 4. Atualidades. ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS DE CONHECIMENTOS GERAIS E DE REDAÇÃO Prova (Todos os Cursos) Trabalhando em consonância com as diretrizes curriculares nacionais, o UNIFEMM entende que as avaliações do processo

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO Murilo Barros Alves 1 Maika Rodrigues Amorim 2 RESUMO Estas orientações têm por finalidade orientar os acadêmicos de Graduação da Faculdade de Imperatriz

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1

LÍNGUA PORTUGUESA. INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com base no texto 1. TEXTO 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 LÍNGUA PORTUGUESA INSTRUÇÃO: Responder às questões 21 a 26 com

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação Produção textual COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Disciplina: Língua Portuguesa Trimestre: 1º Tipologia textual Narração Estruturação de um texto narrativo: margens e parágrafos; Estruturação de parágrafos: início,

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França

Reflexões sobre a Língua Portuguesa. Kátia França Reflexões sobre a Língua Portuguesa Kátia França Níveis de aprendizagem dos alunos Abaixo do básico: os alunos demonstram que não desenvolveram as habilidades básicas requeridas para o nível de escolaridade

Leia mais

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH,

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH, BORBA, Valquíria C. Machado. Resenha de Cohesion in English, de Halliday & Hassan. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. V. 4, n. 6, março de 2006. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. RESENHA DE

Leia mais

4.6 Argumento ab exemplo... 4.7 Argumento sistemático... 4.8 Argumentação naturalista...

4.6 Argumento ab exemplo... 4.7 Argumento sistemático... 4.8 Argumentação naturalista... SUMÁRIO Capítulo I Teoria da comunicação jurídica 1. Introdução 2. Aspectos gerais sobre a comunicação 3. Elementos da comunicação jurídica 4. A linguagem forense 5. A língua e a fala 6. As funções da

Leia mais

Projeto de nivelamento e as condições de Ensino dos Cursos de Graduação Engenharia Civil, Minas, Produção e Direito.

Projeto de nivelamento e as condições de Ensino dos Cursos de Graduação Engenharia Civil, Minas, Produção e Direito. Projeto de nivelamento e as condições de Ensino dos Cursos de Graduação Engenharia Civil, Minas, Produção e Direito. Resumo: Há uma constante manifestação dos Colegiados de Curso quanto à carência na formação

Leia mais

Classes Gramaticais: Pronome

Classes Gramaticais: Pronome Classes Gramaticais: Pronome Conceito É a palavra que representa uma pessoa do discurso. Pode se referir a um substantivo ou simplesmente substituí-lo. Ex.: Maria, vi os teus lábios, mas não os beijei.

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA - FADIVA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PESQUISA E MONOGRAFIA PROFª Ms Mª AUXILIADORA PINTO COELHO FROTA MATÉRIA: METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade III ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Aula anterior O fim das cartilhas em sala de aula; Comunicação e linguagem; Sondagem da escrita infantil; Ao desenhar, a criança escreve;

Leia mais

Leia os textos 1 e 2 com atenção para responder às questões de 1 a 11.

Leia os textos 1 e 2 com atenção para responder às questões de 1 a 11. Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 2 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2013 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Leia os textos 1 e 2 com atenção para responder às questões

Leia mais

Aluno(a):... 29/09/2015

Aluno(a):... 29/09/2015 Caderno de Redação 9º ano Ensino Fundamental Aluno(a):... 29/09/2015 Este Caderno de Redação segue as novas diretrizes estabelecidas pela portaria nº 109, emitida em 27/05/2009, no Diário Oficial da União,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014

Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014 Escreva seu futuro nas Faculdades Integradas - 4ª edição - ano 2014 Justificativa Procurando manter um canal de comunicação entre a Instituição de Ensino Superior e as escolas de Educação Básica, bem promover

Leia mais

Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico

Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico Resenha temática: do posicionamento autoral (papel de autor) à produção do gênero acadêmico Eveline Mattos Tápias-Oliveira Vera Lúcia Batalha de Siqueira Renda Maria do Carmo Souza de Almeida Maria de

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa

ENSINO FUNDAMENTAL. Sondagem 2014 6º ANO. Língua Portuguesa ENSINO FUNDAMENTAL O processo de sondagem Colégio Sion busca detectar, no aluno, pré-requisitos que possibilitem inseri-lo adequadamente no ano pretendido. As disciplinas de Língua Portuguesa e são os

Leia mais