A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital."

Transcrição

1 Elementos de Diagramação

2 Comunicação Visual A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital. É construir, estruturar elementos que irão compor uma mensagem que deve ser trabalhada conscientemente. De fato, a diagramação é a criação de uma composição a partir de elementos visuais estáticos e em movimento cores, formas, texturas, tons e proporções relativas.

3 Comunicação Visual A diagramação não é um conjunto de regras, e sim técnicas que auxiliam na execução e no bom resultado de um layout. Esta composição visual utiliza a força do contraste em tamanho, valor, cor, disposição e proporção para comunicar uma idéia de modernidade.

4 Comunicação Visual O tamanho da fonte e o posicionamento dos títulos neste plano, bem como, a direção diagonal e virada para baixo da imagem, levam o observador diretamente a experiência de estar surfando. Utilizando letras em caixa baixa em grande escala, apertada em seus espaçamentos e reduzidas na escala do surfista, acentua a emoção e o drama da composição

5 Comunicação Visual Criado para uma produtora de filmes publicitários, este cabeçalho de papel de carta foi inspirado no branco das três camisas que se fundem no branco de uma mesa, num estúdio pouco iluminado. A desproporção de imagem em relação ao espaço embrancodá ao design uma dinâmica que forma a base da identidade visual.

6 Comunicação Visual Elementos Conceituais: Ponto, Linha, Plano e Volume Elementos Visuais: Formato, Tamanho, Cor e Textura Elementos Relacionais: Direção, Posição, Espaço e Gravidade; Elementos Práticos: Representação, Significado, Função

7 Elementos Conceituais O Ponto O ponto é a unidade mais simples e irredutível da comunicação visual. Qualquer ponto tem uma força visual grande de atração sobre o olho. Diversos pontos conectados são capazes de dirigir a visão. Quanto mais próximos entre si, maior a capacidade de guiar o olho. Em grande quantidade e justapostos criam a Em grande quantidade e justapostos, criam a ilusão de tom ou cor.

8 Elementos Conceituais Um ponto de concentração; Pontos que indicam uma linha; Pontos que sugerem uma forma; Agrupamento organizado de pontos, que conduzem o olhar do início ao fim de forma ordenada; Grupo aleatório de pontos. O olhar análise as formas. O Ponto

9 Elementos Conceituais As linhas podem criar uma ilusão de profundidade; Uma linha perto do limite de uma área guiará o olhar ao longo dele; Centrar uma linha numa página perto do topo ou no fundo irá prendê-lo visualmente; As linhas podem ser usadas para dirigir o olhar; Filetes de diferentes Filetes de diferentes comprimentos constroem uma imagem Archer O Ponto

10 Elementos Conceituais Ponto, Linha e Área Nesta diagramação linhas simples, estrategicamente localizadas, simbolizam um saxofonista, a bailarina e o trompetista. O seu posicionamento dinâmico foi desenvolvido para capturar os movimentos. A Linha

11 Elementos Conceituais A linha é uma seqüência de pontos próximos que não se pode distinguir. Ela nunca é estática e é um elemento visual inquieto e criador do esboço. É uma pré-visualização. A Linha Ela é um instrumento ou uma notação.

12 Elementos Conceituais A Linha A linha pode adotar formas muito distintas para expressar intenções diferentes: Pode ser delicada e ondulada ou nítida e grosseira;

13 Elementos Conceituais A Linha A linha pode ser imprecisa e indisciplinada esboços ilustrados espontaneidade de expressão; A linha pode adotar formas muito distintas para expressar intenções diferentes e pode ser delicada e ondulada ou nítida e grosseira;

14 Elementos Conceituais A Linha A curva nos dá a sensação de movimento. As linhas retas produzem uma sensação de tranqüilidade, de solidez, de serenidade. As curvas geram instabilidade, graciosidade e alegria. A linha fina produz A linha fina produz impressão de delicadeza;

15 Elementos Conceituais A Linha A linha grossa gera energia; A carregada, de resolução, violência; A linha comprida, dá sensação de vivacidade; A linha curta gera firmeza.

16 Elementos Conceituais O Volume A trajetória de um plano em movimento descreve um volume que tem comprimento, largura e espessura. No desenho bidimensional o volume é ilusório.

17 Elementos Visuais É o que vemos de fato. O Formato proporciona a identificação principal de nossa percepção. O Formato

18 Elementos Visuais O Tamanho Todos os formatos tem um tamanho, que é relativo e mensurável.

19 Elementos Visuais A Cor Exerce uma ação sobre o indivíduo que recebe a comunicação visual: ela impressiona a retina quando é vista; provoca uma emoção, é sentida; e é construtiva, pois, tem um significado próprio, tem valor de signo e capacidade de construir linguagem que comunica idéia.

20 Elementos Visuais A Textura A textura se refere ás características da superfície de um formato simples, decorada, lisa áspera, pode agradar tanto ao tato quanto ao olhar.

21 Elementos Relacionais A sensação da gravidade não é visual e sim psicológica. Tendemos a atribuir peso ou leveza, estabilidade ou instabilidade a formatos individuais ou grupos. A Direção

22 Elementos Relacionais Este grupo governa a localização e inter-relação dos formatos. Alguns podem ser percebidos como a direção e a posição; alguns são para ser sentidos, como o espaço e a gravidade. A Gravidade

23 Elementos Relacionais A Posição É entendida pela sua relação com a moldura ou com a estrutura do desenho. O Espaço Todo formato ocupa um espaço. O espaço pode ser ocupado ou deixado vazio.

24 Elementos Práticos A Representação e o Significado Quando um formato é derivado da natureza ou do mundo feito pelo homem, ele é figurativo ou de representação. Esta pode ser realista, estilizada ou abstrata.

25 Diagramação Leitura Ocidental Uma entrelinha ínfima entre as três palavras do título desta composição cria uma linguagem tipográfica simples. O preenchimento com a imagem foi desenvolvido para dar ao leitor a sensação de estar sobre a prancha

26 Leitura Ocidental

27 Diagramação Simetria e Assimetria Antes de conceituar simetria e assimetria, é necessário o conhecimento de centro óptico e geométrico de um formato. Centro Geométrico A partir desse ponto passamos a dispor os elementos que irão compor o layout, de forma que os pesos da composição estejam balanceados e seu equilíbrio possa ser mostrado ao traçar uma linha imaginária exatamente sobre este centro dividindo-a em duas partes exatamente iguais. Centro Ótico O centro óptico é o primeiro visual apreendido por quem manipula uma peça impressa e possibilita o deslocamento dentro de um layout.

28 Centro Geométrico

29 Centro Geométrico

30 Simetria A composição simétrica dá ao layout uma fisionomia ponderada, estática, muito utilizada em materiais mais sérios. Observe que, na simetria, os pesos são divididos proporcionalmente, tornando a composição estática.

31 Simetria

32 Simetria

33 Centro Ótico

34 Centro Ótico

35 Centro Ótico

36 Assimetria A composição assimétrica i quebra a monotonia dos layouts simétricos, usando como referência o centro óptico. A composição utiliza a letra A como elementochave do design. Neste exemplo, o tamanho, ângulo, e distorção da letra jogam com a idéia de um raio de luz contrastando com o espaço preto.

37 Assimetria A composição assimétrica é mais dinâmica. Sua característica é baseada no contraste, expressado mediante um estilo, uma ilustração, caracteres, variação tonal, etc.

38 Assimetria

39 Assimetria

40 Leis Compositivas Leis que regem as diagramações segundo sua funcionalidade e estética. Unidade e Ritmo

41 Leis Gerais Unidade A unidade diz respeito a harmonia das forças tipológicas e ilustrativas relacionadas à estática. Analisamos a unidade levando em conta a escolha de caracteres, ilustrações, formatos, etc.

42 Leis Gerais Ritmo É a sucessão harmoniosa dos movimentos do layout. Os elementos ficam dispostos visando o aproveitamento do ciclo que a vista humana faz ao se deparar com uma página impressa.

43 Ritmo

44 Ritmo

45 Ritmo

46 Ritmo

47 Leis Específicas São os recursos que utilizamos para cumprir as leis gerais de unidade e ritmo Variedade Harmonia Destaque Contraste Equilíbrio Proximidade Alinhamento Repetição Contraste Tipos/Fontes

48 Variedade

49 Destaque

50 Contraste

51 Equilíbrio

52 Harmonia

53 Alinhamento

54 Variedade

55 Pense e decida quais itens deveriam ser agrupados e quais deveriam ficar separados neste cabeçalho de jornal. UNICAMP

56 Veja: as letras foram mudadas de caixa-alta para caixa-baixa, fazendo com que o título ganhasse peso e a ordem de leitura também ficou mais fácil. PUCSP UNICAMP

57 Veja uma forma de Agrupamento

58 Quais são os maiores problemas deste anúncio?

59 Agrupando Informações

60 Agrupando Informações Nenhum elemento deste cartão tem conexão com outro. Parece que foram jogados no layout. Universidade Estadual de São Paulo Campinas UNICAMP Instituto de Artes Rua Elis Regina, 50

61 Agrupando Informações Movendo todos os elementos para a direita, as informações ficam mais organizadas. UNICAMP Universidade Estadual de São Paulo Instituto de Artes Rua Elis Regina, 50 Campinas

62 Agrupando Informações É como se tivesse uma linha invisível UNICAMP Universidade Estadual de São Paulo Instituto de Artes Rua Elis Regina, 50 Campinas

63 Agrupando Informações Assim como neste exemplo. UNICAMP Universidade Estadual de São Paulo Instituto de Artes Rua Elis Regina, 50 Campinas

64 Agrupando Informações Assim como neste exemplo. UNICAMP Universidade Estadual de São Paulo Instituto de Artes Rua Elis Regina, 50 Campinas

65 Alinhamento Este texto to está alinhado à esquerda.

66 Alinhamento Este texto to está alinhado à direita.

67 Alinhamento Este texto t está centralizado.

68 Alinhamento Este texto está justificado. Algumas pessoas o classificam como blocado.

69 Exemplo:

70 Exemplo:

71 Neste exemplo os elementos de repetição são as fotos no mesmo formato e os boxes pretos.

72 No exemplo abaixo os elementos de repetição são as elipses mais escuras.

73 Neste caso o elemento de repetição é a linha tracejada após o alinhamento à direita.

74 EXEMPLO:

75 Neste anúncio os elementos de repetição são os quadros pretos com o texto t em laranja e os quadros com o rosto das pessoas.

76 Neste exemplo as repetições foram os Neste exemplo, as repetições foram os quadrados coloridos e as fotos das crianças.

77 Esta opção está boa, mas nada atrai seus olhos para o material. Certo? Jornal da Unicamp

78 Veja o que o contraste pode causar no mesmo material! Jornal da Unicamp

79 Agora compare a diferença. Jornal da Unicamp Jornal da Unicamp

80 Exemplo:

81 Exemplo:

82 Exemplo:

83 Exemplo:

84 Exemplo:

85 Exemplo:

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho Design Web Formas Elisa Maria Pivetta Sinto, penso, logo desenho Formas básicas em Design Comunicamos mediante linguagem falada, verbal, formada por letras, palavras, frases, etc. que, combinados, formam

Leia mais

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico Conceitos de Design Gráfico Disciplina de Design Gráfico Índice Projeto de Design Gráfico Layouts Efetivos Elementos de Design Princípios de Design Referências Bibliográficas 2 Projeto de Design Gráfico

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica 3. Uso de diagonais 4. Regra dos terços 5. O Ponto Dourado Composição fotográfica 15 dicas para ter imagens com harmonia e proporção. Este tutorial vai ajudá-lo a usar melhor uma câmera fotográfica, compacta

Leia mais

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex REVISÃO GESTALT Viviane Aiex 1. Leitura Visual do Objeto pelas Leis da Gestalt 1) Unidades: que são os elementos que configuram a forma; 2) Segregação: que é o ato se separar, perceber ou identificar as

Leia mais

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza Curso de Design Linguagem Visual Luciano Pedroza O Designer O designer, ao contrário do pensamento comum não é artista, mas utiliza elementos da arte no desenvolvimento do projeto. O artista, por definição,

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica Composição fotográfica É a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Os arranjos são feitos colocando-se figuras ou objetos em determinadas posições. Às vezes, na

Leia mais

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito

DIREÇÃO DE ARTE Prof. Breno Brito CURSO: COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA TURMA: CS2/CS3 DIREÇÃO DE ARTE Apostila 7 PLANEJAMENTO VISUAL GRÁFICO ABRIL 2011 PLANEJAMENTO VISUAL GRÁFICO Planejamento Visual Gráfico é a tarefa de

Leia mais

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Prof. Dr. João Gomes Filho I 2011 BIBLIOGRAFIA www.joaogomes.com.br João Gomes Filho

Leia mais

Gramática Visual. Composição

Gramática Visual. Composição Gramática Visual Composição Uma comunicação visual composta de formas expressivas possui um conteúdo de valores significativos. As formas são organizadas num espaço limitado: o espaço visual ou campo

Leia mais

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART SÃO PAULO 2011 OPTICAL ART Movimento da arte abstrata que se desenvolveu na década de 1960. A OP ART (abreviatura de óptical

Leia mais

Comércio Eletrônico Curso de Especialização SEBRAE

Comércio Eletrônico Curso de Especialização SEBRAE Comércio Eletrônico Curso de Especialização A N A L I S T A DE N E G Ó C I O Apoio Realização SEBRAE 1 WEB DESIGN Módulo 2 NatãMorais de Oliveira 2 Objetivo Treinar o Analista de Negócio no planejamento

Leia mais

Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo.

Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo. Linguagem Fotográfica Artigo de Cláudio Feijó* Introdução Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo. Cada fotógrafo deve estar consciente da ação de fotografar

Leia mais

Aula 3 - Direção, movimento e ritmo. professor Rafael Hoffmann

Aula 3 - Direção, movimento e ritmo. professor Rafael Hoffmann Aula 3 - Direção, movimento e ritmo professor Rafael Hoffmann Direção Ascenção Intabilidade Direção Direção Todas as formas básicas expressam três direções visuais básicas e significativas: o quadrado,

Leia mais

LAYOUT O layout (disposição de elementos de texto e imagens em uma peça gráfica).

LAYOUT O layout (disposição de elementos de texto e imagens em uma peça gráfica). Adriana C. Almeida O QUE É? Falleiros (2003) conceitua editoração eletrônica como o ramo da computação gráfica voltado para a produção de peças gráficas e editoriais, tais como jornais, livros, revistas,

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio

Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio SECOM / PR - 2011 Manual de uso da marca do Governo Federal Introdução...3 Assinatura de marcas do Governo Federal em patrocínios...4 Reserva de integridade...6

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «21. No ensino do desenho de observação, qual o maior motivo de principiantes sentirem dificuldades em desenhar rostos humanos? a) Porque rostos humanos

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COLÉGIO ESTADUAL VICENTE RIJO Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Av. Juscelino Kubitscheck, 2372. Londrina Paraná Fone: (43) 3323-7630 / 3344-1756 / 3334-0364 www.vicenterijo@sercomtel.com.br CURSO

Leia mais

- Uma fotografia tem tanto mais sucesso quanto mais tempo conseguir reter a atenção do observador.

- Uma fotografia tem tanto mais sucesso quanto mais tempo conseguir reter a atenção do observador. Composição - A composição ou enquadramento é a distribuição, no visor da máquina, dos elementos que constituem a imagem. A grande maioria das fotografias desinteressantes deve-o a uma má composição. -

Leia mais

A marca de uma empresa é construída ao longo de sua existência e inclui seu nome, sua logomarca e identidade visual, suas peças de comunicação, seu

A marca de uma empresa é construída ao longo de sua existência e inclui seu nome, sua logomarca e identidade visual, suas peças de comunicação, seu A marca de uma empresa é construída ao longo de sua existência e inclui seu nome, sua logomarca e identidade visual, suas peças de comunicação, seu relacionamento com todos os públicos de interesse, seus

Leia mais

Infinitas são as coisas que consideramos boas, um amor correspondido, uma honesta riqueza, um quitute refinado. Umberto Eco em A História da Beleza

Infinitas são as coisas que consideramos boas, um amor correspondido, uma honesta riqueza, um quitute refinado. Umberto Eco em A História da Beleza Belo junto com gracioso, bonito ou sublime, maravilhoso, soberbo _ é um adjetivo que usamos frequentemente para indicar algo que nos agrada. Nesse sentido, aquilo que é belo é bom e, de fato em diversas

Leia mais

MARCAS, LOGOTIPOS E SÍMBOLOS

MARCAS, LOGOTIPOS E SÍMBOLOS MARCAS, LOGOTIPOS E SÍMBOLOS Marca, segundo a lei brasileira, é todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços de outros análogos, de procedência diversa,

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design Uma das empresas de comunicação e marketing mais destacadas de Ottawa, Canadá, o gordongroup oferece um design premiado para uma oferta completa de produtos de comunicação de identidades

Leia mais

ROTAS DE APRENDIZAGEM 2015-2016 ED. VISUAL 7.º Ano

ROTAS DE APRENDIZAGEM 2015-2016 ED. VISUAL 7.º Ano Professora: Elisabete Mesquita_mesquita.beta@gmail.com Projeto 1: ILUSTRAR E DECORAR A CAPA INDIVIDUAL DO ESTUDANTE Objetivo Geral: desenhar o teu nome, seguindo as regras do desenho das letras e recorrendo

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA O conjunto marca/logotipo é o elemento gráfico e visual pelo qual somos reconhecidos nos diversos meios em que atuamos. As suas formas foram concebidas

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design gordongroup Sobre o gordongroup gordongroup é uma agência de marketing e comunicação de tempo integral e de balcão único, que oferece um conjunto exclusivo de serviços criativos,

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Desenho Técnico Assunto: Aula 3 - Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Professor: Emerson Gonçalves Coelho Aluno(A): Data: / / Turma: Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Quando olhamos para

Leia mais

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre

Leia mais

COLABORADOR(ES): FÁBIO EDUARDO DIAS, MARCELO PRADA, VIVIAN ELENA BARBONI

COLABORADOR(ES): FÁBIO EDUARDO DIAS, MARCELO PRADA, VIVIAN ELENA BARBONI TÍTULO: OUTDOOR - DIA DOS NAMORADOS ESFIHAMANIA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE SANTA BÁRBARA AUTOR(ES): ISMÊNIA MOTTA

Leia mais

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI

ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA PREGOLINI ÓPTICA GEOMÉTRICA É a parte da Física que estuda os fenômenos relacionados com a luz e sua interação com meios materiais quando as dimensões destes meios é muito maior que o

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio. SECOM / PR - Janeiro de 2015

Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio. SECOM / PR - Janeiro de 2015 Manual de Uso da Marca do Governo Federal Patrocínio SECOM / PR - Manual de uso da marca do Governo Federal 1.1 Introdução 1.2 Assinatura de marcas do Governo Federal em patrocínios 1.3 Reserva de integridade

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Introdução A logomarca Rio+20 - Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável - e o material de campanha foram desenhados pela Graphic Design Unit, nas Nações

Leia mais

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração:

Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 OBJETIVAS E COMPOSIÇÃO Ao se falar sobre fotografia cinematográfica estão envolvidos diversos elementos que devem ser levados em consideração: 1 - AS LENTES: As objetivas são comumente chamadas de lentes,

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 10) 1 Roteiro Operações Booleanas Comprimir e Expandir Simplificação Criando Texto Editor

Leia mais

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais Técnicas Visuais Aplicadas Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 Clareza Organizações visuais unificadas.facilidade

Leia mais

Lista 2 Espelhos Planos Construções Extensivo Noite

Lista 2 Espelhos Planos Construções Extensivo Noite 1. (Fuvest 2007) A janela de uma casa age como se fosse um espelho e reflete a luz do Sol nela incidente, atingindo, às vezes, a casa vizinha. Para a hora do dia em que a luz do Sol incide na direção indicada

Leia mais

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma. Teoria Geral da Gestalt

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma. Teoria Geral da Gestalt Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Fundamentado Cientificamente na Psicologia da Percepção da Forma Teoria Geral da Gestalt Prof. Dr. João Gomes Filho I 2010 BIBLIOGRAFIA mais a do próprio

Leia mais

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia

Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Instruçoes para fotos biométricas - República da Eslovênia Recomendações do Ministério das Relações Exteriores da República da Eslovênia para as fotos biométricas: o o tamanho da foto: 3,5 x 4,5 cm o o

Leia mais

VIDJAYA INFORMÁTICA LTDA.

VIDJAYA INFORMÁTICA LTDA. Parametrização do formato e características visuais da tabela eletrônica Área Operacional Servidor Área Espelho Terminal (2) Modelo de terminal 1 Área Operacional Modelo de terminal 2 Modelo de terminal

Leia mais

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Design: estrutura e estética PROFESSORA CINTIA CAETANO Arte X Engenharia Desenvolver Sistema Web é arte? A Web oferece espaço para arte...... mas os usuários também desejam

Leia mais

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma.

OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a dispersão da luz em um prisma. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA CURSO DE FÍSICA LABORATÓRIO ÓPTICA REFLEXÃO E REFRAÇÃO OBJETIVO Verificar as leis da Reflexão Verificar qualitativamente e quantitativamente a lei de Snell. Observar a

Leia mais

Manual de Identidade Visual Do Poder Judiciário de Santa Catarina. Normas e Padrões de Utilização Atualizado em 04/01/2015

Manual de Identidade Visual Do Poder Judiciário de Santa Catarina. Normas e Padrões de Utilização Atualizado em 04/01/2015 Manual de Identidade Visual Do Poder Judiciário de Santa Catarina Normas e Padrões de Utilização Atualizado em 04/01/2015 3 Índice 1. Marca...5 Conceito - Design...6 Cores Institucionais...8 Família Tipográfica...9

Leia mais

CONCEITOS DO PROJETO GRÁFICO

CONCEITOS DO PROJETO GRÁFICO CONCEITOS DO PROJETO GRÁFICO Este material não deve ser considerado como única fonte de pesquisa. Use em conjunto com as observações anotadas em classe. Os textos em romano, foram transcritos das transparaências

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ DISCIPLINA:TEORIA E ENSINO DA DANÇA PROF.ESP.SAMANDA NOBRE Elementos Estruturantes da dança RITMO MOVIMENTO Ritmo Ritmo vem do grego Rhytmos e designa aquilo que flui,

Leia mais

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta Design Web - Percepção Elisa Maria Pivetta GESTALT Percepção Visual Elisa Maria Pivetta Percepção visual No sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Apresentação A Identidade Visual de uma organização é um de seus principais patrimônios. É por meio dela que uma instituição transmite visualmente seus valores e torna-se reconhecida

Leia mais

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Teoria Geral da Gestalt Fundamentado Cientificamente na Psicologia i da Percepção da Forma Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 BIBLIOGRAFIA

Leia mais

Elementos Básicos da Comunicação Visual

Elementos Básicos da Comunicação Visual Elementos Básicos da Comunicação Visual Elementos Básicos da Comunicação Visual Temos variados pontos de vista para analisarmos qualquer obra visual; um dos mais reveladores é decompô-la em seus elementos

Leia mais

Técnicas Visuais Aplicadas

Técnicas Visuais Aplicadas Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Técnicas Visuais Aplicadas Prof. Dr. João Gomes Filho I 2011 BIBLIOGRAFIA João Gomes Filho Escrituras Editora. São Paulo 9 a

Leia mais

Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo.

Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo. Bem-vindo! Prazer em conhecê-lo. A nova ferramenta para a confecção de livros do Blurb, o BookWright, foi projetado para ser o mais intuitivo possível, mas duas cabeças não pensam da mesma forma. E todos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO 042 CÓD. CURSO CÓD. DISC. 04035356 CRÉDITOS UNIDADE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO DISCIPLINA DESIGN GRÁFICO EM PUBLICIDADE ETAPA 3 Período

Leia mais

O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura

O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura O mundo das pequenas coisas: estampas para tecido feitas com objetos do universo da costura The little things world: prints for textile made with objects of sewing universe Cavalcante, Vanessa Peixoto;

Leia mais

Comprovação dos índices de refração

Comprovação dos índices de refração Comprovação dos índices de refração 1 recipiente de vidro; 1 bastão de vidro, e Glicerina. 1. Encha até a metade o recipiente com glicerina, depois basta afundar o bastão de vidro na glicerina e pronto!

Leia mais

THE BRAND GUIDE BOOKLET

THE BRAND GUIDE BOOKLET THE BRAND GUIDE BOOKLET APRESENTAÇÃO 1ª Edição Março de 2015 A experiência de uma pedalada perfeita só pode ser intensificada por uma bicicleta perfeita. Audax foi criada por almas aventureiras que entendem

Leia mais

Cores em Computação Gráfica

Cores em Computação Gráfica Cores em Computação Gráfica Uso de cores permite melhorar a legibilidade da informação, possibilita gerar imagens realistas, focar atenção do observador, passar emoções e muito mais. Colorimetria Conjunto

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL. Versão 04 - publicado em 12/junho/2013.

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL. Versão 04 - publicado em 12/junho/2013. MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Versão 04 - publicado em 12/junho/2013. Marca Introdução A marca da nossa empresa tem vida: ela reflete nossos valores, cultura e imagem. Por isso, o respeito na aplicação da

Leia mais

Estrutura e estética: Organização, layout, cores e tipos

Estrutura e estética: Organização, layout, cores e tipos Design Web Estrutura e estética: Organiação, layout, cores e tipos Apresentação: Estrutura e Estética Organiação Navegação Layout Cores e Tipografia! " Representação e Apresentação Representação Utiliar

Leia mais

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003 Entendendo o Astigmatismo MAS450/854 Primavera 2003 9 de março de 2003 Introdução Lentes especiais sem astigmatismo Lentes cilíndricas cruzadas com astigmatismo o Foco horizontal o Foco vertical o Plano

Leia mais

OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 CHARME

OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 CHARME OUTUBRO 2012 EDIÇÃO 1 ANO 1 R$ 12 T E N D Ê N C I A D E S I G N A R Q U I T E T U R A CHARME D O N D O L I & P O C C I PERFil TRicia guild Ela é a maior especialista do mundo na combinação de tons e padrões

Leia mais

Análise Gráfica de Rótulos de Vinho

Análise Gráfica de Rótulos de Vinho Análise Gráfica de Rótulos de Vinhos Análise Gráfica de Rótulos de Vinho Visual Analysis of Wine Labels Ranzolin, Michele; Universidade de Caxias do Sul micheleranzolin@hotmail.com Vieceli, Liliane; Universidade

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo Aptidão Arquitetura e Urbanismo APTIDÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO 1. INTRODUÇÃO Considerando que o trabalho do arquiteto é na verdade a articulação de inúmeras variáveis que se materializam e se configuram

Leia mais

Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade

Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade Formatação de documentos: mais qualidade e produtividade Judith Adler Levacov Diretora da JAL Design, pós-graduada em Design de Interfaces pela Unicarioca judith@jaldesign.com.br Introdução Com a informatização

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

Memorial Descritivo. Portfólio Acadêmico Online

Memorial Descritivo. Portfólio Acadêmico Online Faculdade de Tecnologia SENAC Memorial Descritivo Portfólio Acadêmico Online Projeto Integrador do Módulo 1 Produção Multimídia Por Irene Coelho 09 de maio de 2014 Sumário 1. Introdução pág.01 2. Objetivos

Leia mais

Microsoft PowerPoint

Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint Microsoft PowerPoint é utilizado para desenvolver apresentações. Os trabalhos desenvolvidos com este aplicativo normalmente são apresentados com o auxílio de um datashow. Apresentações

Leia mais

Construindo a câmara escura

Construindo a câmara escura Construindo a câmara escura Shizue Introdução Captar e registrar imagens tornou-se possível com a câmara escura de orifício. Essa câmara nada mais é do que uma lata, preta por dentro para não refletir

Leia mais

energia que vai longe

energia que vai longe Como melhorar seus Clicks energia que vai longe CLICK 2014 Introdução A fotografia é uma das principais ferramentas de comunicação da atualidade. Com o avanço tecnológico das câmeras fotográficas e celulares,

Leia mais

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA 1 O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA INTRODUÇÃO Este artigo relata a experiência de monitora em Desenho de Moda, no Curso Superior

Leia mais

PADRÃO PLÁSTICO TOM.

PADRÃO PLÁSTICO TOM. PADRÃO PLÁSTICO TOM. Os princípios de dinâmica de um padrão tonal são muito parecidos com o que vimos em relação aos da linha. Ao colocarmos algumas pinceladas de preto sobre um campo, eles articulam uma

Leia mais

serifa inclinada TIMES serifa

serifa inclinada TIMES serifa TIPOLOGIA NA WEB CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS Com Serifa Serifa é uma haste perpendicular que termina os principais traços de algumas letras. Este recurso facilita a leitura de textos impressos, aglutiando

Leia mais

Os caracteres de escrita

Os caracteres de escrita III. Caracteres de Escrita Os caracteres de escrita ou letras técnicas são utilizadas em desenhos técnicos pelo simples fato de proporcionarem maior uniformidade e tornarem mais fácil a leitura. Se uma

Leia mais

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010.

Clique no menu Iniciar > Todos os Programas> Microsoft Office > Publisher 2010. 1 Publisher 2010 O Publisher 2010 é uma versão atualizada para o desenvolvimento e manipulação de publicações. Juntamente com ele você irá criar desde cartões de convite, de mensagens, cartazes e calendários.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS. Prof. M.Sc.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS. Prof. M.Sc. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS Microsoft Office PowerPoint 2007 Prof. M.Sc. Fábio Hipólito Julho / 2009 Visite o site:

Leia mais

FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP)

FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP) FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP) 1. O que é Mapa Mental (Mind Map) é um diagrama usado para representar palavras, idéias, tarefas ou outros itens ligados a um conceito central e dispostos

Leia mais

introdução à Óptica Geométrica

introdução à Óptica Geométrica PARTE II Unidade E capítulo 10 introdução à Óptica Geométrica seções: 101 Conceitos fundamentais 102 Princípios da Óptica Geométrica antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela os temas principais do

Leia mais

Aplicações da Logomarca Logomarca Preferencial - Assinatura Horizontal - Secretaria Logomarca Preferencial - Assinatura Vertical - Secretaria

Aplicações da Logomarca Logomarca Preferencial - Assinatura Horizontal - Secretaria Logomarca Preferencial - Assinatura Vertical - Secretaria Índice 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 Apresentação A logomarca da Prefeitura de Palmas Proporções e medições Zona de exclusão Redução mínima Variantes de cor Cores

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Uso e aplicação do logotipo

Manual de Identidade Visual. Uso e aplicação do logotipo Manual de Identidade Visual Uso e aplicação do logotipo 2 Apresentação O Manual de Identidade Visual da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, é um documento técnico, elaborado

Leia mais

Manual de Identidade Visual. Versões da marca Comportamentos da marca Referências de cores Regras de aplicação

Manual de Identidade Visual. Versões da marca Comportamentos da marca Referências de cores Regras de aplicação Manual de Identidade Visual Versões da marca Comportamentos da marca Referências de cores Regras de aplicação Menu 1. A nova marca Castrolanda 2. Marca Castrolanda - versões oficiais 3. Cores oficiais

Leia mais

Tópicos de Ambiente Web Web Design

Tópicos de Ambiente Web Web Design Tópicos de Ambiente Web Web Design Professora: Sheila Cáceres Historia As primeiras formas comunicativas foram mediante elementos visuais. Embora o surgimento da linguagem falada, a linguagem visual continuou

Leia mais

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word

Iniciando o Word 2010. Criar um novo documento. Salvando um Documento. Microsoft Office Word 1 Iniciando o Word 2010 O Word é um editor de texto que utilizado para criar, formatar e imprimir texto utilizado para criar, formatar e imprimir textos. Devido a grande quantidade de recursos disponíveis

Leia mais

MANUAL DE USO DA LOGOMARCA. CENTENÁRIO UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá)

MANUAL DE USO DA LOGOMARCA. CENTENÁRIO UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá) MANUAL DE USO DA LOGOMARCA CENTENÁRIO UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá) CONCEITO LOGOMARCA CENTENÁRIO UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá) 1) Procuramos criar e produzir algo que remetesse à

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

I n s t i t u t o A l a i r M a r t i n s

I n s t i t u t o A l a i r M a r t i n s Guia de logomarca e identidade visual Guia de logomarca e identidade visual Guia de logomarca e identidade visual Sumário 1 - Logomarca...3 1.1 - Apresentação...4 1.2 - Elementos da logomarca...5 1.3 -

Leia mais

Dicas sobre perspectiva proporção áurea luz e sombra.

Dicas sobre perspectiva proporção áurea luz e sombra. Dicas sobre perspectiva proporção áurea luz e sombra. Elementos perspectiva Enquadramento e Proporção Proporção áurea Luz e sombras Texturas Wal Andrade Elementos de perspectiva A palavra perspectiva vem

Leia mais

Prof. Msc Elvis Pontes. Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Prof. Msc Elvis Pontes. Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Msc Elvis Pontes Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Formatação de planilhas Configuração de páginas; Layout da página; Margens Formatação de planilhas Definir todas as margens, com medidas personalizadas;

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES SECUNDÁRIO DISCIPLINA: DESENHO A ANO: º ANO LETIVO 0/0 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice AULA 1... 3 Apresentação... 3 Iniciando o CorelDRAW X3... 4 Componentes... 5 Barra de Menus... 6 Barra Padrão...

Leia mais

FUNCIONAL TOPOGRAFIA SOLAR/ PRIMEIRA METADE DO TERRENO E O INFERIOR LOCADO MAIS A

FUNCIONAL TOPOGRAFIA SOLAR/ PRIMEIRA METADE DO TERRENO E O INFERIOR LOCADO MAIS A FUNCIONAL IMPLANTAÇÃO IDENTIFICAR COMO SE DÁ A OCUPAÇÃO DA PARCELA DO LOTE, A DISPOSIÇÃO DO(S) ACESSO(S) AO LOTE; COMO SE ORGANIZA O AGENCIAMENTO, UMA LEITURA DA RUA PARA O LOTE ACESSO SOCIAL ACESSO ÍNTIMO

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 1º Período 26/28 aulas previstas

Leia mais

Técnicas de Exposição de Produtos CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar O produto deve atrair, seduzir, mexer com os sentidos

Leia mais

Elementos de linguagem: A cor

Elementos de linguagem: A cor Profa Ana Rezende Ago /set 2006 A todo o momento recebemos informações através dos sentidos, da visão, do olfacto,... em cada cem informações que recebemos oitenta são visuais dessas, quarenta são cromáticas,

Leia mais

ni t núcleo de inovação tecnológica Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira

ni t núcleo de inovação tecnológica Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira ni t Manual de Identidade Visual NIT Mantiqueira março de 2015 Introdução A marca é o elemento central de uma identidade visual. Quando bem utilizada, torna-se o item primário para o reconhecimento de

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL ÍNDICE CONSTRUÇÃO Versão preferencial... 03 Malha construtiva... 04 Cores institucionais... 05 USABILIDADE Área de não interferência... 06 Redução máxima... 07 Aplicações sobre

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 8.º ANO DE EDUCAÇÃO VISUAL - 8.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: analisar o fenómeno de decomposição da cor; interpretar e distinguir contributos de teóricos da luz-cor; identificar

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Marca Sumário 1. Apresentação 03 2. Uso do Manual 04 3. Componentes do Design 05 4. Logomarca 06 5. Assinatura 09 6. Área de Proteção 10 7. Alinhamento 11 8. Grade de Construção 12 9. Tipologia

Leia mais