SISTEMAS DE ARQUIVOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE ARQUIVOS"

Transcrição

1 SISTEMAS DE ARQUIVOS LINUX E WINDOWS Prof.: Bruno Pinheiro NING:

2 Mini CV Especialista em Regulação da ANTAQ e gerente de Estudos e Desempenho Portuário. Pós-Graduado em Administração de Redes Linux pela Universidade Federal de Lavras e MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública pela FGV-BSB. Idealizador, coordenador e instrutor dos Cursos Básico e Avançado de Unix e coordenador e instrutor do Curso Básico de Redes na Força Aérea Brasileira. Instrutor do Curso de Extensão em Linux no Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas - CIESA e no SENAI-AM. Usuário Linux desde

3 Sistema de Arquivos Sistema de arquivos é uma estrutura criada no disco rígido (formatação lógica) que, após o particionamento, permite que arquivos sejam criados, removidos, copiados e etc. 3

4 Sistema de Arquivos LINUX PARTIÇÕES: Primária máx 4 e não pode ser divididas; Extendida máx 3 e pode ser dividida; Lógica divisão da extendida. Não tem limite. 4

5 TIPOS: Sistema de Arquivos LINUX ext2 suporta partições 32TB, nome de arquivo de 255 caracteres e não tem tolerância a falhas; ext3 tem tolerância a falhas (journaling); reiserfs tem tolerância a falhas (journaling) e suporta arquivos com mais de 2Gb; jfs - tem tolerância a falhas (journaling) xfs - tem tolerância a falhas (journaling) swap extensão da memória ram 5

6 Sistema de Arquivos LINUX MODOS DE OPERAÇÃO EXT3: Ordered (default) o journal é atualizado no fim de cada operação. Writeback - o journal armazena apenas informações referentes à estrutura do sistema de arquivos (metadata) e não em relação aos arquivos propriamente ditos, e é gravado de forma mais ocasional, aproveitando os momentos de inatividade. 6

7 Sistema de Arquivos LINUX Modos de operação EXT3: Journal - armazena não apenas informações sobre as alterações, mas também uma cópia de segurança de todos os arquivos modificados, que ainda não foram gravados no disco. A cada alteração, o sistema grava uma cópia do arquivo (no journal), atualiza as informações referentes à estrutura do sistema de arquivos, grava o arquivo e atualiza novamente o journal, marcando a operação como concluída. 7

8 Sistema de Arquivos LINUX Drivers do Linux e seus arquivos de dispositivo /dev/hda1 Número que identifica o número da partição no disco rígido. Letra que identifica o disco rígido (a=primeiro, b=segundo, etc...). Sigla que identifica o tipo do disco rígido (hd=ide, sd=scsi, xt=xt). Diretório onde são armazenados os dispositivos existentes no sistema. 8

9 Sistema de Arquivos LINUX /dev/fd0 - Primeira unidade de disquetes. /dev/fd1 - Segunda unidade de disquetes. /dev/hda - Primeiro disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary master). /dev/hda1 - Primeira partição do primeiro disco rígido IDE. /dev/hdb - Segundo disco rígido na primeira controladora IDE do micro (primary slave). /dev/hdb1 - Primeira partição do segundo disco rígido IDE. /dev/sda - Primeiro disco rígido na primeira controladora SCSI. /dev/sda1 - Primeira partição do primeiro disco rígido SCSI. /dev/sdb - Segundo disco rígido na primeira controladora SCSI. /dev/sdb1 - Primeira partição do segundo disco rígido SCSI. /dev/sr0 - Primeiro CD-ROM SCSI. /dev/sr1 - Segundo CD-ROM SCSI. 9

10 Sistema de Arquivos LINUX MONTANDO UMA PARTIÇÃO O Linux utiliza diretórios para acessar as partições existentes (pontos de montagem) Vantagens: Montar partição no diretório que quiser; Em caso de um sistema de arquivos cheio, pode-se copiar o conteúdo de um grande diretório para um disco separado, apagar o conteúdo do diretório original e montar o disco onde foram copiados os arquivos naquele local; O uso de pontos de montagem torna o gerenciamento mais flexível; e A adição de novas partições ou substituição de discos rígidos não afeta a ordem de identificação dos discos e pontos de montagem (como não acontece no DOS). 10

11 Sistema de Arquivos LINUX MONTANDO UMA PARTIÇÃO mount [opções] dispositivo ponto_montagem Opções: -r monta o dispositivo somente leitura -w monta o dispositivo para leitura e gravação -t tipo_sist especifica o tipo de sistema de arquivos do dispositivo msdos FAT16 vfat FAT32 ntfs ext2 ext3 smbfs ou cifs rede do Windows iso9660 CD-ROM 11

12 Sistema de Arquivos LINUX Exemplo: mount t ext2 /dev/fd0 /media/floppy DESMONTANDO AS PARTIÇÕES umount dispositivo ou ponto_montagem Exemplo: umount /dev/fd0 umount /media/floppy 12

13 Sistema de Arquivos LINUX O arquivo /etc/fstab Armazena as configurações de quais dispositivos locais e remotos devem ser montados e qual o ponto de montagem de cada um na inicialização do sistema operacional. Configuração para permissão que um usuário comum possa montar e desmontar dispositivos. 13

14 14

15 ESAF Um sistema de arquivos é um conjunto de estruturas lógicas e de rotinas que permitem ao sistema operacional controlar o acesso ao disco rígido. Diferentes sistemas operacionais usam diferentes sistemas de arquivos. O sistema de arquivos utilizado pelo Linux que apresenta vários recursos avançados de segurança e suporte a partições de até 4 Terabytes é o: a) NTFS b) EXT2 c) FAT32 d) FAT16 e) FAT12 15

16 ESAF Um sistema de arquivos é um conjunto de estruturas lógicas e de rotinas que permitem ao sistema operacional controlar o acesso ao disco rígido. Diferentes sistemas operacionais usam diferentes sistemas de arquivos. O sistema de arquivos utilizado pelo Linux que apresenta vários recursos avançados de segurança e suporte a partições de até 4 Terabytes é o: a) NTFS b) EXT2 c) FAT32 d) FAT16 e) FAT12 16

17 FCC Dentre os sistemas de arquivos Ext/Linux, o que oferece melhor desempenho, entre todos os sistemas de arquivos, é o: a) Ext e Ext2 b) Ext2 e Ext3 c) Ext d) Ext2 e) Ext3 17

18 FCC Dentre os sistemas de arquivos Ext/Linux, o que oferece melhor desempenho, entre todos os sistemas de arquivos, é o: a) Ext e Ext2 b) Ext2 e Ext3 c) Ext d) Ext2 e) Ext3 18

19 UFF Em relação à formatação lógica de discos rígidos, é um tipo de sistema de arquivos utilizado nos sistemas operacionais Windows ou Linux os abaixo relacionados, EXCETO: a) FAT; b) NTFS; c) SATA; d) Ext3; e) ReiserFS. 19

20 UFF Em relação à formatação lógica de discos rígidos, é um tipo de sistema de arquivos utilizado nos sistemas operacionais Windows ou Linux os abaixo relacionados, EXCETO: a) FAT; b) NTFS; c) SATA; d) Ext3; e) ReiserFS. 20

21 VUNESP Ao se particionar e formatar discos rígidos (HDs), deve-se: a) escolher o sistema de arquivos a ser utilizado pelo sistema operacional. b) escolher o sistema de arquivos NTFS para Windows ou o EXT1 para Linux, pois são os únicos que permitem múltiplas partições. c) escolher o sistema de arquivos NTFS, que é o único que aceita mais de uma partição. d) primeiramente apagar todos os arquivos presentes no disco, pois não é possível o particionamento de discos que não estejam vazios. e) primeiramente remover os sistemas operacionais instalados, pois eles impedem qualquer reparticionamento. 21

22 VUNESP Ao se particionar e formatar discos rígidos (HDs), deve-se: a) escolher o sistema de arquivos a ser utilizado pelo sistema operacional. b) escolher o sistema de arquivos NTFS para Windows ou o EXT1 para Linux, pois são os únicos que permitem múltiplas partições. c) escolher o sistema de arquivos NTFS, que é o único que aceita mais de uma partição. d) primeiramente apagar todos os arquivos presentes no disco, pois não é possível o particionamento de discos que não estejam vazios. e) primeiramente remover os sistemas operacionais instalados, pois eles impedem qualquer reparticionamento. 22

23 Analise as afirmações sobre sistemas de arquivos utilizados pelos sistemas operacionais: I. o MBR (Master Boot Record) é um arquivo presente nos discos destinado ao gerenciamento dos espaços sem utilização dos discos; II. COMO CAI? VUNESP os sistemas de arquivos Ext2 e Ext3 podem ser encontrados em computadores com o sistema operacional Unix ou Linux; III. os sistemas de arquivos FAT 16, FAT 32 e NTFS podem ser encontrados em computadores com alguma das versões do sistema operacional Windows e Linux. Sobre as afirmações, pode-se dizer que está correto o contido em: a) I, apenas. b) II, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III. 23

24 VUNESP Analise as afirmações sobre sistemas de arquivos utilizados pelos sistemas operacionais: I. o MBR (Master Boot Record) é um arquivo presente nos discos II. destinado ao gerenciamento dos espaços sem utilização dos discos; os sistemas de arquivos Ext2 e Ext3 podem ser encontrados em computadores com o sistema operacional Unix ou Linux; III. os sistemas de arquivos FAT 16, FAT 32 e NTFS podem ser encontrados em computadores com alguma das versões do sistema operacional Windows e Linux. Sobre as afirmações, pode-se dizer que está correto o contido em: a) I, apenas. b) II, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III. 24

25 O Linux Mandriva 2007 utiliza como partição padrão o sistema de arquivos a) ReiserFS. b) Reiser4. c) EXT4. d) EXT3. e) EXT2. COMO CAI? FCC

26 FCC O Linux Mandriva 2007 utiliza como partição padrão o sistema de arquivos a) ReiserFS. b) Reiser4. c) EXT4. d) EXT3. e) EXT2. 26

27 Os sistemas de arquivos mais utilizados atualmente pelas distribuições Linux, cuja performance é considerada muito boa, entre outros, são: a) Ext4 e FAT32. b) Ext3 e ReiserFS. c) Ext4 e XFS. d) VFAT e NTFS2. e) FAT32 e NTFS. COMO CAI? FCC

28 FCC Os sistemas de arquivos mais utilizados atualmente pelas distribuições Linux, cuja performance é considerada muito boa, entre outros, são: a) Ext4 e FAT32. b) Ext3 e ReiserFS. c) Ext4 e XFS. d) VFAT e NTFS2. e) FAT32 e NTFS. 28

29 Dentre os sistemas de arquivos indicados a seguir, selecione aquele que é nativo em sistemas Linux. a) FAT b) JFS c) EXT3 d) HPFS e) NTFS COMO CAI? CESGRANRIO

30 CESGRANRIO Dentre os sistemas de arquivos indicados a seguir, selecione aquele que é nativo em sistemas Linux. a) FAT b) JFS c) EXT3 d) HPFS e) NTFS 30

31 FCC O sistema de arquivos tipo EXT3 suporta três diferentes modos de trabalho do Journaling, dentre os quais, aquele que grava somente as mudanças ocorridas em arquivos, e registra as atualizações no arquivo de dados antes de fazer as mudanças associadas ao sistema de arquivos. Esse padrão nos sistemas de arquivos EXT3 é denominado a) JBD. b) Journaling. c) Writeback. d) FSCK. e) Ordered. 31

32 FCC O sistema de arquivos tipo EXT3 suporta três diferentes modos de trabalho do Journaling, dentre os quais, aquele que grava somente as mudanças ocorridas em arquivos, e registra as atualizações no arquivo de dados antes de fazer as mudanças associadas ao sistema de arquivos. Esse padrão nos sistemas de arquivos EXT3 é denominado a) JBD. b) Journaling. c) Writeback. d) FSCK. e) Ordered. 32

33 O sistema de arquivos, em ambientes UNIX, que não possui "journaling" é: a) reiserfs; b) ext2; c) ext3; d) xfs; e) jfs. COMO CAI? NCE-UFRJ

34 NCE-UFRJ O sistema de arquivos, em ambientes UNIX, que não possui "journaling" é: a) reiserfs; b) ext2; c) ext3; d) xfs; e) jfs. 34

35 FCC Em relação à memória virtual do Linux, é correto afirmar: a) Arquivos de troca podem ser criados somente em partições EXT2. b) O arquivo de troca permite que se crie somente uma partição Linux Native. c) Por ser acessado diretamente pelo Kernel, o arquivo Swap é mais rápido que a partição Swap. d) Partições de troca e arquivos de troca não podem ser usadas ao mesmo tempo. e) Na coexistência de partição Swap e arquivo Swap é recomendável que o acesso ao arquivo Swap tenha maior prioridade. 35

36 FCC Em relação à memória virtual do Linux, é correto afirmar: a) Arquivos de troca podem ser criados somente em partições EXT2. b) O arquivo de troca permite que se crie somente uma partição Linux Native. c) Por ser acessado diretamente pelo Kernel, o arquivo Swap é mais rápido que a partição Swap. d) Partições de troca e arquivos de troca não podem ser usadas ao mesmo tempo. e) Na coexistência de partição Swap e arquivo Swap é recomendável que o acesso ao arquivo Swap tenha maior prioridade. 36

37 Quando o Linux é iniciado, qual arquivo de configuração é utilizado pelo sistema operacional para verificar quais os compartilhamentos NFS que devem ser montados? a) etc/exports b) etc/nfs.conf c) etc/fstab d) nfs/conf e) nfs/exports COMO CAI? CESGRANRIO

38 CESGRANRIO Quando o Linux é iniciado, qual arquivo de configuração é utilizado pelo sistema operacional para verificar quais os compartilhamentos NFS que devem ser montados? a) etc/exports b) etc/nfs.conf c) etc/fstab d) nfs/conf e) nfs/exports 38

39 Sistema de Arquivos LINUX Principais Diretórios: /bin Contém arquivos programas do sistema que são usados com freqüência pelos usuários. /boot Contém arquivos necessários para a inicialização do sistema. /etc Arquivos de configuração de seu computador local. 39

40 Sistema de Arquivos LINUX /media Ponto de montagem de dispositivos diversos do sistema (rede, pen-drives, CD-ROM em distribuições mais novas). /cdrom Ponto de montagem da unidade de CD-ROM. /floppy Ponto de montagem de unidade de disquetes. /dev Contém arquivos usados para acessar dispositivos (periféricos) existentes no computador. 40

41 Sistema de Arquivos LINUX /home Diretórios contendo os arquivos dos usuários. /lib Bibliotecas compartilhadas pelos programas do sistema e módulos do kernel. /root Diretório do usuário root. /mnt Ponto de montagem temporário. 41

42 Sistema de Arquivos LINUX /sbin Diretório de programas usados pelo superusuário (root) para administração e controle do funcionamento do sistema. /tmp Diretório para armazenamento de arquivos temporários criados por programas. /usr Contém maior parte de seus programas. Normalmente acessível somente como leitura. 42

43 Sistema de Arquivos LINUX /var Contém maior parte dos arquivos que são gravados com frequência pelos programas do sistema, s, spool de impressora, cache, etc. /proc Sistema de arquivos do kernel. Este diretório não existe no disco rígido, ele é colocado lá pelo kernel e usado por diversos programas que fazem sua leitura, verificam configurações do sistema ou modificar o funcionamento de dispositivos do sistema através da alteração em seus arquivos. 43

44 44

45 FGV No que diz respeito aos comandos e procedimentos para manipulação e gerenciamento do sistema de arquivos dos Sistemas Operacionais, o Linux utiliza diretórios com diversas finalidades. Dentre eles, um armazena os módulos do kernel e as bibliotecas para os comandos /bin e /sbin e o outro, armazena arquivos de configuração e scripts de inicialização. Esses dois diretórios são conhecidos, respectivamente, por: a) /lib e /etc b) /sys e /etc/ c) /lib e /root d) /sys e /root e) /lib e /cmd 45

46 FGV No que diz respeito aos comandos e procedimentos para manipulação e gerenciamento do sistema de arquivos dos Sistemas Operacionais, o Linux utiliza diretórios com diversas finalidades. Dentre eles, um armazena os módulos do kernel e as bibliotecas para os comandos /bin e /sbin e o outro, armazena arquivos de configuração e scripts de inicialização. Esses dois diretórios são conhecidos, respectivamente, por: a) /lib e /etc b) /sys e /etc/ c) /lib e /root d) /sys e /root e) /lib e /cmd 46

47 Por padrão, no ambiente Linux, os arquivos de configuração do Apache residem no diretório: a) /etc/apache b) /root/apache c) /ext3/apache d) /config/apache e) /system/apache COMO CAI? FGV

48 FGV Por padrão, no ambiente Linux, os arquivos de configuração do Apache residem no diretório: a) /etc/apache b) /root/apache c) /ext3/apache d) /config/apache e) /system/apache 48

49 FCC A árvore de diretórios do Linux é dividida em sistemas de arquivos com diferentes propósitos, sendo que, o sistema que não existe em disco rígido e que é criado pelo Kernel na memória, é denominado a) /root. b) /home. c) /usr. d) /var. e) /proc 49

50 FCC A árvore de diretórios do Linux é dividida em sistemas de arquivos com diferentes propósitos, sendo que, o sistema que não existe em disco rígido e que é criado pelo Kernel na memória, é denominado a) /root. b) /home. c) /usr. d) /var. e) /proc 50

51 CESPE No Linux, existe certa padronização nos nomes dos diretórios na raiz em relação aos seus conteúdos. Segundo essa padronização, o diretório a) /bin é usado para os arquivos de configuração do sistema e dos aplicativos. b) /etc é usado para os arquivos binários (programas executáveis), normalmente exclusivos do root. c) /usr/src é usado para o código fonte de utilitários. Também pode ser usado o /user/source. d) /usr/local é usado para a criação de sub-diretórios dos usuários. e) /var é usado para a definição de dispositivos de memória. 51

52 CESPE No Linux, existe certa padronização nos nomes dos diretórios na raiz em relação aos seus conteúdos. Segundo essa padronização, o diretório a) /bin é usado para os arquivos de configuração do sistema e dos aplicativos. b) /etc é usado para os arquivos binários (programas executáveis), normalmente exclusivos do root. c) /usr/src é usado para o código fonte de utilitários. Também pode ser usado o /user/source. d) /usr/local é usado para a criação de sub-diretórios dos usuários. e) /var é usado para a definição de dispositivos de memória. 52

53 MOVENS O sistema de arquivo ext3 do Linux é organizado na forma de árvore hierárquica. O diretório principal é chamado raiz e representado pelo símbolo "/". Os demais diretórios estão abaixo do diretório raiz e alguns deles têm existência obrigatória e finalidade definida pelo padrão Filesystem Hierarchy Standard (FHS). Em relação aos diretórios-padrão do Linux e suas finalidades, relacione a primeira coluna à segunda e, em seguida, assinale a opção correta. I - /bin II - /lib III - /dev IV - /mnt V - /etc ( ) Contém os comandos essenciais do sistema operacional. ( ) Utilizado para montagem temporária de sistemas de arquivo. ( ) Contém os arquivos de configuração de sistema. ( ) Contém os arquivos de dispositivo. ( ) Contém as bibliotecas e módulos do kernel. 53

54 a) I, III, II, V, IV. b) I, IV, V, III, II. c) II, III, IV, V, I. d) II, IV, III, V, I. e) V, II, III, IV, I. COMO CAI? MOVENS

55 a) I, III, II, V, IV. b) I, IV, V, III, II. c) II, III, IV, V, I. d) II, IV, III, V, I. e) V, II, III, IV, I. COMO CAI? MOVENS

56 CESPE Na estrutura de diretórios especiais criada pelo Linux, o diretório /bin é usado para armazenar informações a respeito dos processos binários em execução no sistema. Certo Errado 56

57 CESPE Na estrutura de diretórios especiais criada pelo Linux, o diretório /bin é usado para armazenar informações a respeito dos processos binários em execução no sistema. Certo Errado 57

58 CESPE No diretório Linux, os arquivos relacionados a dispositivos de hardware estão armazenados no diretório /lib. Certo Errado 58

59 CESPE No diretório Linux, os arquivos relacionados a dispositivos de hardware estão armazenados no diretório /lib. Certo Errado 59

60 CESPE Os discos rígidos, disquetes, tela, porta de impressora e modem, entre outros, são identificados no GNU/Linux por arquivos referentes a estes dispositivos no diretório a) /tmp. b) /lib. c) /root. d) /home. e) /dev. 60

61 CESPE Os discos rígidos, disquetes, tela, porta de impressora e modem, entre outros, são identificados no GNU/Linux por arquivos referentes a estes dispositivos no diretório a) /tmp. b) /lib. c) /root. d) /home. e) /dev. 61

62 ls Opção Sistema de Arquivos LINUX Comandos Básicos Descrição -a Exibe arquivos e diretórios ocultos -h Exibe o número de bytes em formato de fácil comprrensão -R Recursiva, lista também o conteúdo dos subdiretórios -l lista completa (detalhes) 62

63 Sistema de Arquivos LINUX Exemplo: ls al drwxrwxrwx 1 root root 115 nov 25 08:15 TI -rwxr-xr-- 1 bruno user 1243 dez 10 17:00 teste -rwxr-xr-- 1 root root 2895 dez 13 09:12 prova 63

64 Sistema de Arquivos LINUX EXPLICANDO CADA PARTE: -rwxr-xr-- 1 bruno user 1243 dez 10 17:00 teste A primeira letra da esquerda identifica o tipo de arquivo Tipo Descrição - Arquivo comum d l Diretório Links simbólicos 64

65 Sistema de Arquivos LINUX EXPLICANDO CADA PARTE: -rwxr-xr-- 1 bruno user 1243 dez 10 17:00 teste As nove últimas são as permissões de acesso ao arquivo Permissão Descrição r w x Permissão de leitura Permissão de escrita Permissão de execução. Quando em diretório, permissão de entrar 65

66 Sistema de Arquivos LINUX EXPLICANDO CADA PARTE: -rwxr-xr-- 1 bruno user 1243 dez 10 17:00 teste 1 Quando diretório a quantidade de subdiretório e arquivo é sempre 1 bruno dono do arquivo user grupo dono do arquivo 1243 tamanho do arquivo teste nome do arquivo 66

67 Sistema de Arquivos LINUX TRABALHANDO COM AS PERMISSÕES chmod [opções] modo arquivo Opção Descrição -R Recursivo modo simbólico ou absoluto 67

68 Sistema de Arquivos LINUX Modo simbólico Identificador Descrição Valor Descrição u usuário r leitura g grupo w escrita o outros x execução a todos Operando Descrição + Adiciona - Retira = Atribui o valor (anula as outras) 68

69 Sistema de Arquivos LINUX Modo absoluto Identificador Descrição 0 Nenhuma permissão 1 Permissão para execução 2 Permissão para escrita 3 Permissão para leitura e escrita 4 Permissão para leitura 5 Permissão para leitura e execução 6 Permissão para leitura e escrita 7 Permissão para leitura, escrita e execução 69

70 Sistema de Arquivos LINUX Exemplos $ chmod u+w azul $ chmod u+rx,g=r,o-x azul $ chmod 640 teste $ chmod 750 teste 70

71 Sistema de Arquivos LINUX cp [opções] arquivo_origem arquivo_destino Opção Descrição -a Preserva os atributos -d Copia um link, mas não o arq. -i Pede confirmação antes de sobrescrever -p Preserva propriedade, permissões e time stamp -R Copia recursivamente 71

72 Sistema de Arquivos LINUX mv [opções] origem destino Opção Descrição -f Remove arquivos, sem confirmação -i Pede confirmação antes de sobrescrever 72

73 73

74 CESPE A máscara de permissão de acesso a um arquivo ou diretório contém dez caracteres. Certo Errado 74

75 CESPE A máscara de permissão de acesso a um arquivo ou diretório contém dez caracteres. Certo Errado 75

76 VUNESP A listagem, em formato completo, de todos os arquivos e diretórios, incluindo os ocultos, no sistema operacional Linux, pode ser obtida por meio do comando a) ls -al b) ls -ca c) ls -Fa d) ls -lf e) ls -ll 76

77 VUNESP A listagem, em formato completo, de todos os arquivos e diretórios, incluindo os ocultos, no sistema operacional Linux, pode ser obtida por meio do comando a) ls -al b) ls -ca c) ls -Fa d) ls -lf e) ls -ll 77

78 FCC Como resultado do comando ls, o Linux exibiu o arquivo: -rw-rw-r-- tucano users 5,3 K Jun 9 9:40 exemplo.doc A respeito das informações contidas no arquivo acima, é correto afirmar: a) exemplo.doc pode ser executado por tucano, mas somente lido e modificado pelos demais usuários. b) as permissões exibidas conferem a tucano o controle total do arquivo exemplo.doc. c) não há permissão de execução do arquivo exemplo.doc nem para seu dono. d) exemplo.doc pode ser executado por tucano, lido e gravado pelo seu grupo, mas somente lido pelos outros. e) exemplo.doc pode ser lido e modificado por todos. 78

79 FCC Como resultado do comando ls, o Linux exibiu o arquivo: -rw-rw-r-- tucano users 5,3 K Jun 9 9:40 exemplo.doc A respeito das informações contidas no arquivo acima, é correto afirmar: a) exemplo.doc pode ser executado por tucano, mas somente lido e modificado pelos demais usuários. b) as permissões exibidas conferem a tucano o controle total do arquivo exemplo.doc. c) não há permissão de execução do arquivo exemplo.doc nem para seu dono. d) exemplo.doc pode ser executado por tucano, lido e gravado pelo seu grupo, mas somente lido pelos outros. e) exemplo.doc pode ser lido e modificado por todos. 79

80 Em um diretório Linux /usr/local, desejando-se listar os arquivos do diretório /usr é correto utilizar o comando a) ls _ (underline). b) ls - (hífen). c) ls ~ (til). d) ls.. (2 pontos). e) ls / (barra). COMO CAI? FCC

81 FCC Em um diretório Linux /usr/local, desejando-se listar os arquivos do diretório /usr é correto utilizar o comando a) ls _ (underline). b) ls - (hífen). c) ls ~ (til). d) ls.. (2 pontos). e) ls / (barra). 81

82 CESGRANRIO No Sistema Operacional Linux, qual comando mostra os arquivos de um determinado diretório? a) ls b) grep c) df d) rm e) ps 82

83 CESGRANRIO No Sistema Operacional Linux, qual comando mostra os arquivos de um determinado diretório? a) ls b) grep c) df d) rm e) ps 83

84 CESGRANRIO O comando ls é muito utilizado pelos usuários do Linux. Uma das funções do comando ls é: a) criar diretórios. b) listar os arquivos de um diretório. c) mudar o diretório corrente. d) modificar a permissão de acesso de arquivos. e) abrir uma conexão telnet com outro computador. 84

85 CESGRANRIO O comando ls é muito utilizado pelos usuários do Linux. Uma das funções do comando ls é: a) criar diretórios. b) listar os arquivos de um diretório. c) mudar o diretório corrente. d) modificar a permissão de acesso de arquivos. e) abrir uma conexão telnet com outro computador. 85

86 FCC Analise a lista resultante do comando 'ls -l' do Linux: É correto o que se afirma a) na linha 1, todos os usuários podem gravar no arquivo. b) na linha 2, o usuário "root" pode executar o arquivo. c) na linha 3, "killer" pode ler e gravar no arquivo, mas não pode executá-lo. d) na linha 4, o arquivo é do tipo link simbólico. e) na linha 5, o dono pode executar e também gravar no arquivo. 86

87 FCC Analise a lista resultante do comando 'ls -l' do Linux: É correto o que se afirma a) na linha 1, todos os usuários podem gravar no arquivo. b) na linha 2, o usuário "root" pode executar o arquivo. c) na linha 3, "killer" pode ler e gravar no arquivo, mas não pode executá-lo. d) na linha 4, o arquivo é do tipo link simbólico. e) na linha 5, o dono pode executar e também gravar no arquivo. 87

88 CESPE 2010 No Linux, o comando mvdir/home/diretorio1/home/diretorio2 significa que o conteúdo de um diretório - diretório 2 - será transferido para outro diretório - diretório 1. Certo Errado 88

89 CESPE 2010 No Linux, o comando mvdir/home/diretorio1/home/diretorio2 significa que o conteúdo de um diretório - diretório 2 - será transferido para outro diretório - diretório 1. Certo Errado 89

90 O sistema operacional Linux, baseado no princípio de software livre, realiza várias funções semelhantes às dos sistemas operacionais da família Windows, da Microsoft. Muitos comandos de manipulação de arquivos, por exemplo, realizam ações idênticas no Linux ou no Windows, havendo apenas alteração no nome dos comandos. Qual dos comandos do sistema operacional Linux apresentados a seguir executa a mesma ação do comando "ren teste.txt teste2.txt", executado no "Prompt de comando" do Windows XP? a) "mv teste.txt teste2.txt b) "rename teste.txt tests2.txt c) "copy teste.txt teste2.txt d) "ren teste.txt > teste2.txt e) "cat teste.txt > teste2.txt" COMO CAI? FUNIVERSA

91 FUNIVERSA 2010 O sistema operacional Linux, baseado no princípio de software livre, realiza várias funções semelhantes às dos sistemas operacionais da família Windows, da Microsoft. Muitos comandos de manipulação de arquivos, por exemplo, realizam ações idênticas no Linux ou no Windows, havendo apenas alteração no nome dos comandos. Qual dos comandos do sistema operacional Linux apresentados a seguir executa a mesma ação do comando "ren teste.txt teste2.txt", executado no "Prompt de comando" do Windows XP? a) "mv teste.txt teste2.txt b) "rename teste.txt tests2.txt c) "copy teste.txt teste2.txt d) "ren teste.txt > teste2.txt e) "cat teste.txt > teste2.txt" 91

92 FCC 2010 O comando que configura as permissões no Linux é o: a) chmod b) chcommand c) chpermisson d) chchange e) chlinux 92

93 FCC 2010 O comando que configura as permissões no Linux é o: a) chmod b) chcommand c) chpermisson d) chchange e) chlinux 93

94 No Linux, para que o arquivo "exemplo.doc" tenha as permissões de acesso configuradas, de modo que o dono tenha direitos totais, o grupo dono somente tenha direito de leitura e os demais usuários nenhum direito, o comando chmod, com números octais, que deve ser utilizado é: a) chmod 327 exemplo.doc b) chmod 431 exemplo.doc c) chmod 534 exemplo.doc d) chmod 637 exemplo.doc e) chmod 740 exemplo.doc COMO CAI? FCC

95 FCC 2010 No Linux, para que o arquivo "exemplo.doc" tenha as permissões de acesso configuradas, de modo que o dono tenha direitos totais, o grupo dono somente tenha direito de leitura e os demais usuários nenhum direito, o comando chmod, com números octais, que deve ser utilizado é: a) chmod 327 exemplo.doc b) chmod 431 exemplo.doc c) chmod 534 exemplo.doc d) chmod 637 exemplo.doc e) chmod 740 exemplo.doc 95

96 CESGRANRIO 2008 O seguinte comando foi aplicado em um determinado servidor Linux: chmod 775 /var/log/messages As permissões resultantes no arquivo são a) r-xr-x--x b) rw-rw-r-- c) r--r----- d) r-xr-xr-- e) rwxrwxr-x 96

97 CESGRANRIO 2008 O seguinte comando foi aplicado em um determinado servidor Linux: chmod 775 /var/log/messages As permissões resultantes no arquivo são a) r-xr-x--x b) rw-rw-r-- c) r--r----- d) r-xr-xr-- e) rwxrwxr-x 97

98 ESAF 2005 Com relação aos comandos utilizados para organização e manipulação de diretórios e arquivos no Sistema Operacional Linux, as permissões dos arquivos podem ser defi nidas com o uso do comando chmod. Para um arquivo que inicialmente está com as permissões -rwxrwxrwx, é correto afi rmar que, ao se executar o comando chmod 755 nome_do_arquivo para o referido arquivo, as suas permissões a) serão mantidas como inicialmente, isto é, -rwxrwxrwx. b) passam a ser -w-r-xr-x. c) passam a ser rwxr-xr-x. d) passam a ser w- - w-. e) passam a ser r-xr-xrwx. 98

99 ESAF 2005 Com relação aos comandos utilizados para organização e manipulação de diretórios e arquivos no Sistema Operacional Linux, as permissões dos arquivos podem ser defi nidas com o uso do comando chmod. Para um arquivo que inicialmente está com as permissões -rwxrwxrwx, é correto afi rmar que, ao se executar o comando chmod 755 nome_do_arquivo para o referido arquivo, as suas permissões a) serão mantidas como inicialmente, isto é, -rwxrwxrwx. b) passam a ser -w-r-xr-x. c) passam a ser rwxr-xr-x. d) passam a ser w- - w-. e) passam a ser r-xr-xrwx. 99

100 FCC 2010 Considere as permissões de acesso ao arquivo no GNU/Linux abaixo: -r-xrwxr-x 1 jose user 8192 apr 4 13:00 demanda Na avaliação das permissões exibidas, é correto afirmar que a) o dono do arquivo tem permissão para ler e executar o arquivo, não podendo modificá-lo ou apagá-lo. b) os usuários que pertencem ao grupo user têm permissão para ler e executar o arquivo, não podendo modificá-lo ou apagá-lo. c) os usuários que não são donos do arquivo demanda e que não pertencem ao grupo user têm permissão apenas para ver o conteúdo do arquivo. d) José, que é o dono do arquivo, tem permissão para ler, gravar e executar o arquivo demanda. e) o dono do arquivo pode ler, gravar e executar o arquivo, os usuários do grupo user podem ler e executar o arquivo, apenas, e os demais usuários podem apenas ler o conteúdo do arquivo demanda. 100

101 FCC 2010 Considere as permissões de acesso ao arquivo no GNU/Linux abaixo: -r-xrwxr-x 1 jose user 8192 apr 4 13:00 demanda Na avaliação das permissões exibidas, é correto afirmar que a) o dono do arquivo tem permissão para ler e executar o arquivo, não podendo modificá-lo ou apagá-lo. b) os usuários que pertencem ao grupo user têm permissão para ler e executar o arquivo, não podendo modificá-lo ou apagá-lo. c) os usuários que não são donos do arquivo demanda e que não pertencem ao grupo user têm permissão apenas para ver o conteúdo do arquivo. d) José, que é o dono do arquivo, tem permissão para ler, gravar e executar o arquivo demanda. e) o dono do arquivo pode ler, gravar e executar o arquivo, os usuários do grupo user podem ler e executar o arquivo, apenas, e os demais usuários podem apenas ler o conteúdo do arquivo demanda. 101

102 CESPE 2009 No sistema operacional Linux, a lista de acesso rwxr-w--x implica os seguintes direitos: o proprietário tem todos os direitos, outros usuários do mesmo grupo podem ler e gravar esse arquivo, e os demais usuários só podem executar o arquivo. Certo Errado 102

103 CESPE 2009 No sistema operacional Linux, a lista de acesso rwxr-w--x implica os seguintes direitos: o proprietário tem todos os direitos, outros usuários do mesmo grupo podem ler e gravar esse arquivo, e os demais usuários só podem executar o arquivo. Certo Errado 103

104 Sistema de Arquivos WINDOWS TIPOS: FAT suporta partições 2Gb com clusters de 32Kb; FAT32 partições de até 2 TB, arquivos de 4 GB e o nome com 256 caracteres; e NTFS suporta partições até 16 exabytes, tolerância a falha e segurança. 104

105 105

106 CESPE 2008 O Windows XP Professional permite o uso de sistema de arquivos FAT32 e NTFS. Desses dois, o NTFS é o mais recomendado por ser mais estável e ter melhores mecanismos de proteção quando comparado com o FAT32. Certo Errado 106

107 CESPE 2008 O Windows XP Professional permite o uso de sistema de arquivos FAT32 e NTFS. Desses dois, o NTFS é o mais recomendado por ser mais estável e ter melhores mecanismos de proteção quando comparado com o FAT32. Certo Errado 107

108 Tanto o Windows 2000 quanto o Windows XP utilizam o comando CONVERT e seus atributos para converter sistemas de arquivo em a) FAT. b) NTFS. c) FAT16. d) FAT32. e) NFS. COMO CAI? FCC 2009 Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 108

109 FCC 2009 Tanto o Windows 2000 quanto o Windows XP utilizam o comando CONVERT e seus atributos para converter sistemas de arquivo em a) FAT. b) NTFS. c) FAT16. d) FAT32. e) NFS. Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 109

110 O sistema de arquivos é a parte do sistema operacional que determina como os arquivos são identificados, armazenados e organizados em um volume. Os servidores baseados na plataforma Windows suportam o sistema de arquivos NTFS. Qual o nome da estrutura de dados que armazena as informações necessárias para permitir a recuperação de arquivos em uma partição NTFS? a) Block Allocation Table. b) Cluster Allocation Table. c) File Allocation Table. d) Master File Table. e) Sector File Table. COMO CAI? CESGRANRIO 2008 Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 110

111 CESGRANRIO 2008 O sistema de arquivos é a parte do sistema operacional que determina como os arquivos são identificados, armazenados e organizados em um volume. Os servidores baseados na plataforma Windows suportam o sistema de arquivos NTFS. Qual o nome da estrutura de dados que armazena as informações necessárias para permitir a recuperação de arquivos em uma partição NTFS? a) Block Allocation Table. b) Cluster Allocation Table. c) File Allocation Table. d) Master File Table. e) Sector File Table. Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 111

112 O primeiro arquivo em um volume NTFS, que contém informações sobre cada arquivo e pasta no disco, é denominado a) MFT - Tabela de arquivos mestre. b) GPT - Tabela de partição primária. c) FAT - Tabela de alocação de arquivos. d) FAT32 - Derivativo do FAT. e) Active Directory. COMO CAI? FCC 2006 Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 112

113 FCC 2006 O primeiro arquivo em um volume NTFS, que contém informações sobre cada arquivo e pasta no disco, é denominado a) MFT - Tabela de arquivos mestre. b) GPT - Tabela de partição primária. c) FAT - Tabela de alocação de arquivos. d) FAT32 - Derivativo do FAT. e) Active Directory. Bruno Pinheiro - Sistema de Arquivos 113

114 Prof.: Bruno Pinheiro NING: 114

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA 1 - Em um determinado servidor Linux, a saída do comando "df" aponta 100% de uso no "/". Isso significa que a(o): a) rede atingiu sua capacidade máxima de recepção.

Leia mais

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux Apresentação Administração de Sistemas Curso Tecnologia em Telemática Disciplina Administração de Sistemas Linux Professor: Anderson Costa anderson@ifpb.edu.br Assunto da aula Aspectos do Sistema de Arquivos

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

>>> OBJETIVOS... === FHS - Filesystem Hierarchy Standard. === Sistemas de arquivos e Partições

>>> OBJETIVOS... === FHS - Filesystem Hierarchy Standard. === Sistemas de arquivos e Partições >>> OBJETIVOS... === FHS - Filesystem Hierarchy Standard === Sistemas de arquivos e Partições >>> FHS - Filesystem Hierarchy Standard >Padrão de organização de pastas e arquivos em Sistemas Unix-Like >organizar

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux

Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux Sistema Operacional Unidade 2 - Estrutura, dispositivos e sistema de arquivos do Linux Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ESTRUTURA DE DIRETÓRIOS LINUX... 3 SISTEMA DE ARQUIVOS E PARTICIONAMENTO...

Leia mais

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record)

Revisão Aula 3. 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record) Revisão Aula 3 1. Explique a MBR(Master Boot Record). Master Boot Record Primeiro setor de um HD (disco rígido) Dividido em duas áreas: Boot loader

Leia mais

Faculdades Senac Pelotas

Faculdades Senac Pelotas Faculdades Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Introdução a informática Alunos Daniel Ferreira, Ícaro T. Vieira, Licurgo Nunes Atividade 4 Tipos de Arquivos Sumário 1 Tipos

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa lista

Leia mais

SIMULADO DE INFORMÁTICA BÁSICA TÉCNICO DO MPU PROF. ALEXANDRE LÊNIN / PROF. JUNIOR MARTINS

SIMULADO DE INFORMÁTICA BÁSICA TÉCNICO DO MPU PROF. ALEXANDRE LÊNIN / PROF. JUNIOR MARTINS Olá, pessoal, tudo bem? Vamos fazer um simulado com 10 questões de informática direcionadas para o cargo de TÉCNICO DO MPU? São questões já aplicadas pelo CESPE em certames anteriores, mas que podem ser

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux

Fundamentos de Sistemas Operacionais. GNU / Linux. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009. Unidade 04-002 GNU / Linux GNU / Linux Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2009 Conceitos Básico O S.O. é case sensitive, ou seja, sensível à caixa; Exemplo: o arquivo apple.txt é diferente do arquivo Apple.txt e podem conviver juntos

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Técnico em Informática SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Professor Airton Ribeiro de Sousa Sistemas operacionais Sistema de Arquivos pode ser definido como uma estrutura que indica como os dados

Leia mais

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX

Administração de Redes Linux. Unidade 1 - LINUX Administração de Redes Linux Unidade 1 - LINUX Breve Histórico O Linux é um sistema operacional moderno e gratuito, baseado nos padrões UNIX. Desenvolvido inicialmente em 1991 como um KERNEL PEQUENO E

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Diretoria de Educação e Tecnologia da Informação Análise e Desenvolvimento de Sistemas INSTITUTO FEDERAL RIO GRANDE DO NORTE Administração de Sistemas Operacionais ESTRATÉGIA DE PARTICIONAMENTO Prof. Bruno

Leia mais

Aula 01 Visão Geral do Linux

Aula 01 Visão Geral do Linux Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Administração de Redes de Computadores Aula 01 Visão Geral do Linux Prof. Gustavo Medeiros de Araujo Profa.

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Laboratório de Hardware Prof. Marcel Santos Responsável por implementar em software um recurso que não existe no hardware. O hardware oferece simplesmente um grande conjunto de bytes contíguos, e a tarefa

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais O Sistema de Arquivos Fabricio Breve O que você encontra no Sistema de Arquivos do Linux... Processos Portas seriais Canais de comunicação entre

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

Admistração de Redes de Computadores (ARC)

Admistração de Redes de Computadores (ARC) Admistração de Redes de Computadores (ARC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José Prof. Glauco Cardozo glauco.cardozo@ifsc.edu.br ,'*'F"&P'QKDRS'@

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Introdução ao Linux: Parte I

Introdução ao Linux: Parte I Data: Introdução ao Linux: Parte I Marcelo Ribeiro Xavier da Silva marceloo@inf.ufsc.br Histórico 3 Origem do GNU Linux Em 1983, Richard Stallman fundou a Free Software Foundation, com o intuito de criar

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Gerência de Arquivos Gerência de Arquivos Um sistema operacional tem por finalidade permitir que o usuários do computador executem aplicações,

Leia mais

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Curso de extensão da Faculdade Ruy Barbosa Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Dedicasse especial a Rogério Bastos e ao GRACO (Gestores da Rede Acadêmica de Computação) do DCC UFBA Paul Regnier

Leia mais

Aula 02. Introdução ao Linux

Aula 02. Introdução ao Linux Aula 02 Introdução ao Linux Arquivos Central de Programas do Ubuntu A Central de Programas do Ubuntu é uma loja de aplicativos integrada ao sistema que permite-lhe instalar e desinstalar programas com

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger SISTEMA DE ARQUIVOS Instrutor: Mawro Klinger Estrutura dos Discos As informações digitais, quer sejam programas ou dados do usuário, são gravadas em unidades de armazenamento. O HD é uma unidade de armazenamento

Leia mais

AULA 5 Sistemas Operacionais

AULA 5 Sistemas Operacionais AULA 5 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professora: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Partições Formatação Fragmentação Gerenciamento

Leia mais

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Organização do Curso. Instalação e Configuração. Módulo II. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Instalação e Configuração 1 Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Módulo

Leia mais

09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos. ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro

09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos. ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro 09a: Máquina Virtual Particionamento Sistemas de Arquivos ICO60801 2014/2 Professores: Bruno Fontana da Silva Maria Cláudia de Almeida Castro PARTICIONAMENTO Particionamento e Sistema de Arquivos Divisão

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais De modo semelhante ao Linux, o Windows é considerado um software microbásico. Uma característica desse tipo

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS 2 SISTEMAS OPERACIONAIS: GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS E ARQUIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática

Leia mais

Aula 05 Estrutura de diretórios

Aula 05 Estrutura de diretórios 1 Aula 05 Estrutura de diretórios 1.0 Histórico Quando do desenvolvimento do Linux, Linus Torvalds tinha a pretensão de evitar problemas encontrados durante seu uso do Minix. Dessa maneira, o sistema de

Leia mais

Preparatório LPIC-1 Tópico 104

Preparatório LPIC-1 Tópico 104 Preparatório LPIC-1 Tópico 104 Professor M.Sc. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Qual comando do fdisk cria uma nova partição no disco atual? a) c b) n c) p d) w 2 Qual comando do fdisk cria uma nova

Leia mais

Sistema de Arquivos EXT3

Sistema de Arquivos EXT3 Sistema de Arquivos EXT3 Introdução Ext3 é uma nova versão do Ext2. Possui as mesmas estruturas do ext2, além de adicionar as propriedades do Journal. O uso do Ext3 melhora na recuperação do sistema(dados),

Leia mais

1. Adição de um disco rígido a uma máquina existente. Iremos utilizar uma máquina virtual

1. Adição de um disco rígido a uma máquina existente. Iremos utilizar uma máquina virtual Curso: Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Disciplina: Administração de Sistemas Operacionais Professor: João Medeiros de Araújo Atividade Prática: Formatação e montagem de partições no Linux

Leia mais

Administração de Redes de Computadores

Administração de Redes de Computadores Administração de Redes de Computadores Introdução ao Sistema Operacional de Rede Linux Arquitetura Sistemas de Arquivos Estrutura de diretórios Comandos básicos Introdução ao Sistema Operacional de Rede

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013 1 2 INTRODUÇÃO A LINUX ADRIANO SILVEIRA ADR_SILVEIRA@YAHOO.COM.BR Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais Kernel núcleo do

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas

Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso superior de Tecnologia em Redes De Computador UC: Introdução a Informática I Componentes: Everton Perleberg, Arthur Felippe Knapp Madruga, Maicon de Vargas Pereira Atividade 2: Documentação de recursos

Leia mais

Sistemas de Arquivos FAT FAT32 NTFS EXT3. Formatação do disco

Sistemas de Arquivos FAT FAT32 NTFS EXT3. Formatação do disco Formatação do disco Para que o sistema operacional seja capaz de gravar e ler dados no disco rígido, é preciso que antes sejam criadas estruturas que permitam gravar os dados de maneira organizada, para

Leia mais

AULA 4 Sistemas Operacionais

AULA 4 Sistemas Operacionais AULA 4 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Continuação S.O Funções Básicas Sistema de

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba Mini Curso Linux Eu defendo!!! Apresentação Rafael Arlindo Dias Técnico em Informática CEFET Rio Pomba/MG Cursos

Leia mais

Curso de Introdução ao. Debian GNU/Linux

Curso de Introdução ao. Debian GNU/Linux Curso de Introdução ao Debian GNU/Linux Apresentação Marcos Azevedo Idade: 23 anos Administrador da Rede Senac Goiás Usuário Linux desde 1993 Desenvolvedor: Java, C/C++/C#, Assembly,.NET e Perl. Hobby

Leia mais

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva

Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux. Prof. Claudio Silva Estrutura de um Sistema Linux Moderno Padrões de um Sistema Linux Estrutura de um Sistema Linux Por ter sua origem universitária, a forma como o Linux foi concebido é de perfeito agrado para o seu estudo.

Leia mais

Sistema de Arquivos FAT

Sistema de Arquivos FAT Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos FAT Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br FAT A FAT é o sistema de arquivos usado pelo MS-DOS e outros sistemas operacionais baseados em Windows para organizar

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Gerência de Arquivos Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Conceituação de arquivos Implementação do sistemas de arquivo Introdução Sistema de

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03 Prof. Gabriel Silva Temas da Aula de Hoje: Servidores Linux. Conceitos Básicos do Linux. Instalando Servidor Linux.

Leia mais

Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br

Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Sistemas de Arquivos O que é um Sistema de Arquivos? forma de armazenamento de dados em mídia de memória não-volátil comparativamente

Leia mais

Gerenciamento de Arquivos e Pastas. Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com

Gerenciamento de Arquivos e Pastas. Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com Gerenciamento de Arquivos e Pastas Professor: Jeferson Machado Cordini jmcordini@hotmail.com Arquivo Todo e qualquer software ou informação gravada em nosso computador será guardada em uma unidade de disco,

Leia mais

Projeto de extensão Linux no Campus

Projeto de extensão Linux no Campus Projeto de extensão Linux no Campus Universidade Federal de Santa Maria Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação Evandro Bolzan Contatos: ebolzan@inf.ufsm.br, http://www.inf.ufsm.br/~ebolzan BUG BUG

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 1 SUMÁRIO 1. Histórico do sistema operacional 2. Licença de softwares 3. Aspectos

Leia mais

Treinamento para Manutenção dos Telecentros

Treinamento para Manutenção dos Telecentros Treinamento para Manutenção dos Telecentros Módulo II :: Utilizando o Linux Básico do Sistema Manoel Campos da Silva Filho Professor do IFTO/Palmas 1 2 Código Aberto/Open Source Programas (softwares/aplicativos)

Leia mais

Capítulo 9 Manipulando Hardware e dispositivos

Capítulo 9 Manipulando Hardware e dispositivos Linux Essentials 450 Slide - 1 Capítulo 9 Manipulando Hardware e Os do mundo Unix trabalham de uma maneira bem diferente do mundo paralelo. Usaremos esta aula para entender como eles funcionam. Linux Essentials

Leia mais

Linux. Wagner de Oliveira

Linux. Wagner de Oliveira Linux Wagner de Oliveira Um computador, uma mesa, um usuário. Duas pessoas não podem trabalhar em paralelo, executando o Microsoft Word na mesma máquina, simultaneamente. Windows 2003 Advanced Server +

Leia mais

5.1 Sistemas de Arquivos

5.1 Sistemas de Arquivos Capítulo 5 Os Sistemas de Arquivos 5.1 Sistemas de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar, a partir da visão do usuário, as estruturas que possibilitam o armazenamento persistente de informações no

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA

INTRODUÇÃO AO SISTEMA MANUAL DE INSTALAÇÃO DE SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Nome do Software: Guarux Versão do Software: Guarux Educacional 4.0 INTRODUÇÃO AO SISTEMA O Guarux Educacional 4.0 é uma distribuição idealizada pela

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção Sistemas de Arquivos Funções de um SO Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção 2 Sistemas Operacionais Necessidade de Armazenamento Grandes quantidades

Leia mais

Mini curso de GNU/Linux

Mini curso de GNU/Linux Rudson Ribeiro Alves Mestre em Física (Semi Condutores) Usuário Unix de 1991 1998 Usuário Slackware deste 1994 Professor da UVV deste 1998 Mini curso de GNU/Linux Noções básicas sobre GNU/Linux Plataforma

Leia mais

Gerenciamento de Disco

Gerenciamento de Disco - MBR Master Boot Record Pequena área em disco (geralmente no inicio deste) que contém informações para inicialização do Sistema Operacional. - Tabela de Partição Estrutura de dados que contém informações

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Introdução ao Linux Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Sistema Operacional Linux Embora o Sistema Operacional Microsoft Windows ainda seja predominante no mercado de desktops e Notebooks,já é, bastante

Leia mais

Google File System. Danilo Silva Marshall Érika R. C. de Almeida

Google File System. Danilo Silva Marshall Érika R. C. de Almeida Google File System Danilo Silva Marshall Érika R. C. de Almeida Tópicos abordados Sistemas de arquivos Sistemas de arquivos distribuídos Google File System Gmail File System Linux Windows Gspace Referências

Leia mais

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB Calculando a capacidade de disco: Capacidade = (# bytes/setor) x (méd. # setores/trilha) x (# trilhas/superfície) x (# superfícies/prato) x (# pratos/disco) Exemplo 01: 512 bytes/setor 300 setores/trilha

Leia mais

DESMISTIFICANDO A FSTAB

DESMISTIFICANDO A FSTAB DESMISTIFICANDO A FSTAB Ricardo José Maraschini Graduado em Ciência da Computação LPIC-1 INICIANTE OBJETIVOS. Série LPI. Particionamento do Linux X Windows;. Entender a fstab(o que é);. Conceitos;. Principais

Leia mais

Sistemas de Arquivos NTFS

Sistemas de Arquivos NTFS Sistemas de Arquivos NTFS Apresentação Desenvolvido pela Microsoft na década de 80 para o Windows NT Baseado no HPFS da IBM Versões NTFS 1.1(ou 4) NTFS NTFS 5 Sistema de Arquivos NTFS Unidade fundamental

Leia mais

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux

Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Curso de extensão da Faculdade Ruy Barbosa Introdução a Administração de Sistemas GNU/Linux Dedicasse especial a Rogério Bastos e ao GRACO (Gestores da Rede Acadêmica de Computação) do DCC UFBA Paul Regnier

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas SISTEMAS DE ARQUIVOS FAT E FAT32 José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução Muitos usuários

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO SEMINÁRIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO SEMINÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO SEMINÁRIO JOURNALING FILESYSTEMS Seminário com o tema Journaling FileSystems

Leia mais

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Rafael Barros Sales

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Rafael Barros Sales Curso Técnico em Informática Informática Aplicada Rafael Barros Sales A palavra INFORMÁTICA pode ser traduzida como a ciência que trata e usa a INFORMAÇÃO. História dos HD'S O primeiro disco rígido foi

Leia mais

Computador. Principais Características

Computador. Principais Características Computador Principais Características DISCO RÍGIDO HD SISTEMAS DE ARQUIVOS - WINDOWS IBM 305 RAMAC Ano 1956 Primeiro HD Um disco rígido ou HD, é um dispositivo composto por uma ou várias lâminas rígidas

Leia mais

Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000

Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000 1 Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000 Gerenciador de E/S Objetivo é fornecer uma estrutura de modo eficiente para lidar com a grande variedade de dispositivos Bastante relacionado

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX. Prof. Gleison Batista de Sousa

SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX. Prof. Gleison Batista de Sousa SISTEMAS DE ARQUIVOS E DIRETÓRIOS DO LINUX Prof. Gleison Batista de Sousa Sistema de Arquivo É o método e a estrutura de dados que um sistema operacional utiliza para administrar arquivos em um disco ou

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

Sistemas. Arquivos. www.4linux.com.br

Sistemas. Arquivos. www.4linux.com.br Sistemas de Arquivos - 2 Sumário Capítulo 1 Sistemas de Arquivos... 3 1.1. Objetivos... 3 1.2. Mãos a obra...4 Capítulo 2 Gerenciando... 5 2.1. Objetivos... 5... 5 2.2. Troubleshooting... 6 2.2.1. Cfdisk...7

Leia mais

Mini curso de GNU/Linux

Mini curso de GNU/Linux Rudson Ribeiro Alves Mestre em Física (Semi Condutores) Usuário Unix de 1991 1998 Usuário Slackware deste 1994 Professor da UVV deste 1998 Mini curso de GNU/Linux Noções básicas sobre GNU/Linux Plataforma

Leia mais

10 Sistemas de Arquivos SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II

10 Sistemas de Arquivos SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II 10 Sistemas de Arquivos SCC0503 Algoritmos e Estruturas de Dados II Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2011/1 Moacir Ponti Jr. (ICMCUSP)

Leia mais

Introdução ao Linux MICHELLE NERY

Introdução ao Linux MICHELLE NERY Introdução ao Linux MICHELLE NERY O que é preciso saber para conhecer o Linux? Entender os componentes de um computador. Conhecimentos básicos de sistemas operacionais. Referência: Sistemas Operacionais

Leia mais

A linha de comando do Unix e GNU/Linux

A linha de comando do Unix e GNU/Linux A linha de comando do Unix e GNU/Linux A linha de comando do Unix e GNU/Linux Michael Opdenacker Free Electrons http://free-electrons.com Traduzido por Klayson Sesana Bonatto Criado com OpenOffice.org

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Curso UNIX Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Universidade Federal de Santa Catarina 25 de Setembro de 2010 CHAMADA Objetivos Instalação do sistema Ubuntu 10.04 Conhecer a origem do sistema

Leia mais

Posso mesmo utilizar Software Livre no meu dia a dia?

Posso mesmo utilizar Software Livre no meu dia a dia? Curso Básico de GNU/LINUX Posso mesmo utilizar Software Livre no meu dia a dia? Leandro Nunes I Seminário Software Livre, Inclusão Digital e Educação Faced - UFBA Observação...

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DO IFCE - EDITAL 01/2013

PROGRAMA DE MONITORIA DO IFCE - EDITAL 01/2013 PROGRAMA DE MONITORIA DO IFCE - Disciplina/Unidade Curricular: Administração de Sistemas Abertos 1. Instalação do Linux: Particionamento: Planejando as partições do disco / Partição swap. Filtros de texto:

Leia mais

TRABALHO SOBRE TIPOS DE ARQUIVOS PARA LINUX

TRABALHO SOBRE TIPOS DE ARQUIVOS PARA LINUX TRABALHO SOBRE TIPOS DE ARQUIVOS PARA LINUX FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Devemos considerar que este trabalho aplica-se a todas as distribuições de Linux já que os tipos de arquivos são comuns

Leia mais

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior Unix: Sistema de Arquivos Geraldo Braz Junior 2 Arquivos Um arquivo é visto pelo SO apenas como uma seqüência de bytes: nenhuma distinção é feita entre arquivos ASCII, binários, etc.; Muitos programas

Leia mais

Administração de Redes em Software Livre Aula 02 Instalando o GNU/Linux (CENTOS Minimal)

Administração de Redes em Software Livre Aula 02 Instalando o GNU/Linux (CENTOS Minimal) Administração de Redes em Software Livre Aula 02 Instalando o GNU/Linux (CENTOS Minimal) Professor: O que precisamos saber antes de iniciar a instalação? 1. Entender a estrutura de diretório do GNU/LINUX;

Leia mais

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06 Introdução Sistemas Embarcados Root File System Linux (kernel) é apenas uma parte de um sistema embarcado Preciso executa a inicialização do sistema e de aplicações Necessário montar o sistema de arquivos

Leia mais

Onde vai o Quê em um Sistema Linux?! 1

Onde vai o Quê em um Sistema Linux?! 1 Onde vai o Quê em um Sistema Linux?! 1 Onde vai o Quê em um sistema Linux?! Um sistema Linux típico tem uma grande quantidade de arquivos, dos mais variados tipos, organizados em uma estrutura de árvore

Leia mais

Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3

Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3 Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3 Os sistemas de arquivos é a parte do SO responsável pelo gerenciamento dos arquivos (estrutura, identificação, acesso, utilização, proteção e implementação).

Leia mais

Recuperando o GRUB após instalação do Windows

Recuperando o GRUB após instalação do Windows Recuperando o GRUB após instalação do Windows PET Engenharia de Computação - http://www.inf.ufes.br/~pet 1 Instruções iniciais Para efetuar as configurações a seguir talvez precisaremos executar comandos

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais