Sistemas de Arquivos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas de Arquivos"

Transcrição

1 Sistemas Operacionais II Prof. Fernando Freitas Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos Material adaptado de: TANENBAUM, Andrew S. Sistemas Operacionais Modernos. 2ª edição. Disponível em: Algumas partes deste material foram atualizadas com base na 3ª edição deste livro. 1

2 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível armazenar uma quantidade muito grande de informação 2. A informação deve sobreviver ao término do processo que a usa 3. Múltiplos processos devem ser capazes de acessar a informação concorrentemente 2

3 Arquivos Unidades lógicas de informação criadas por processos A parte do SO que trata dos arquivos e seu gerenciamento é conhecida como Sistema de Arquivos. 3

4 Nomeação de Arquivos A nomeação de arquivos é o meio que permite um arquivo ser encontrado após sua criação. Admite uma quantidade variável de caracteres (1 a 255 dependendo do SO), podendo ser case-sensitive ou não Composto por 2 partes: nome e extensão A extensão pode indicar algo sobre o arquivo, ou pode simplesmente servir para lembrar o usuário sobre o tipo de arquivo q ele possui (depende do SO) 4

5 Nomeação de Arquivos Extensões típicas de arquivos 5

6 Estrutura de Arquivos Três tipos de arquivos a) Seqüência de bytes SO não conhece arquivo. Programas de usuário é que dizem seu significado. + flexível (Unix e Windows) b) Seqüência de registros operações de R/W em registros. Usado com sistemas de cartões perfurados c) Árvore Usado em computadores de grande porte. O SO decide onde armazenar os arquivos com base no campo chave. 6

7 Tipos de Arquivos Arquivos regulares são arquivos que contêm informação do usuário. São em geral arquivos ASCII ou binários. ASCII constituídos por linhas de texto. Possuem carriage return ou line feed no fim de cada linha. Podem ser mostrados e impressos como são, além de poderem ser editados com um editor de texto. Binário Possuem uma estrutura interna conhecida apenas pelos programas que o usam. Apesar de serem uma sequência de bytes, devem possuir um formato apropriado. 7

8 Tipos de Arquivos (a) Um arquivo executável (b) Um repositório (archive) 8

9 Acesso sequencial Acesso aos Arquivos lê todos os bytes/registros desde o início não pode saltar ou ler fora de seqüência conveniente quando o meio era a fita magnética Acesso aleatório bytes/registros lidos em qualquer ordem essencial para sistemas de bases de dados ler pode ser mover marcador de arquivo (seek), e então ler ou ler e então mover marcador de arquivo 9

10 Atributos de Arquivos Atributos ou metadados são informações extras sobre cada arquivo como: tamanho, data de modificação, etc. A lista de atributos que um arquivo pode ter, varia de SO para SO. 10

11 Atributos de Arquivos Possíveis atributos de arquivos 11

12 Operações com Arquivos 1. Create 2. Delete 3. Open 4. Close 5. Read 6. Write 7. Append (write no fim do arquivo) 8. Seek 9. Get attributes 10.Set Attributes 11.Rename 12

13 Exemplo de um Programa com Chamadas ao Sistema para Arquivos 13

14 Diretórios Sistemas de Diretório em Nível Único Um sistema de diretório de nível único contém 4 arquivos propriedades de 3 pessoas diferentes, A, B e C Usado antigamente e em sistemas embarcados 14

15 Sistemas de Diretórios Hierárquicos Um sistema de diretório hierárquico Facilita na organização do trabalho Utilizado por quase todos os sistemas de arquivos modernos 15

16 Caminho Absoluto Único Inicia no diretório raiz Caminho Relativo Nomes de Caminhos Inicia com base no diretório atual Separador de níves Windows: \ Linux: / Multics: > Entradas especiais aceitas. diretório atual.. diretório pai Criadas juntamente com o diretório Uma árvore de diretórios UNIX 16

17 Operações com Diretórios 1. Create 2. Delete 3. Opendir 4. Closedir 5. Readdir 6. Rename 7. Link 8. Unlink 17

18 Implementação do Sistema de Arquivos Um possível layout de sistema de arquivo Bloco de boot Carrega o SO Superbloco Dados dos arquivos (tipo, nº blocos, etc) i-nodes Arranjo de ED que diz tudo sobre arquivo. 1 por arquivo. 18

19 Implementação de Arquivos (1) Alocação Contígua (a) Alocação contígua do espaço em disco para 7 arquivos (b) Estado do disco depois dos arquivos D e E terem sido removidos Simples Problema com fragmentação quando disco cheio Muito usado na era das fitas magnéticas e abandonado por alguns anos Ideal para CD-ROM s e DVD s importância de estudar sistemas antigos 19

20 Implementação de Arquivos (2) Alocação por lista encadeada Evita problema da fragmentação Acesso aleatório é muito lento Ponteiros ocupam espaço em disco 20

21 Implementação de Arquivos (3) Alocação por lista encadeada usando tabela na memória Resolve o problema da lista encadeada Toda a tabela de ligações deve estar na memória o tempo todo Inviável em discos grandes Conhecido como FAT (File Allocation Table) 21

22 Implementação de Arquivos (4) I-nodes (Nó índice) Funcionamento semelhante ao FAT Resolve o problema de ocupar muita memória Tamanho máximo igual a nº arquivos abertos ao mesmo tempo x nº de bytes do i-node Problema se i-node tiver nº fixo de endereços no disco Um exemplo de i-node 22

23 Implementação de Diretórios (1) (a) Um diretório simples (Windows) entradas de tamanho fixo endereços de disco e atributos na entrada de diretório (b) Diretório no qual cada entrada se refere apenas a um i-node (Unix) 23

24 Implementação de Diretórios (2) Duas formas de tratar nomes longos de arquivos em um diretório (a) Em linha (b) Em uma área temporária (heap) 24

25 Arquivos Compartilhados (1) Conveniente em alguns casos Problema de manter arquivo consistente Solução i-node Problema ao excluir B pode referenciar um arquivo errado Ligação simbólica (link) Não possui o problema de referência a arquivo inválido Problema com sobrecarga conferindo link Problema com backup várias cópias 25

26 Arquivos Compartilhados (2) (a) Situação antes da ligação (b) Depois de a ligação ser criada (c) Depois de o proprietário original remover o arquivo 26

27 Sistemas de Arquivos Estruturados com base em log Com CPUs mais rápidas, memórias maiores caches de disco também podem ser maiores número maior de requisições de leitura pode ser atendido pelo cache assim, a maioria dos acessos a disco serão para escrita A estratégia LFS estrutura o disco todo como um log inicialmente todas as escritas são armazenadas na memória periodicamente todas são escritas no fim do log em disco - tudo misturado cada segmento do log possui um sumário quando um arquivo é aberto, localiza i-node, e encontra os blocos limpador = buffer circular controle complexo, mas recompensado 27

28 Sistemas de Arquivos Journaling Apesar do LFS ser uma idéia interessante, não é usado por questões de incompatibilidades como outros Sistemas de Arquivos. Mas a idéia de log se tornou a base para os sistemas do tipo Journaling A idéia é registrar toda operação em log, antes de realmente fazê-la, facilitando a recuperação em caso de falha. Após a operação ser concluída a entrada é excluída do log Requisitos: operações idempotente e transação atômica Sistemas NTFS, ext3 e ReiserFS são do tipo journaling 28

29 Sistemas de Arquivos Virtuais Existem vários tipos de sistemas de arquivos, e um ou mais deles podem estar presentes no mesmo computador ou até no mesmo SO: Ex: ISO9660 (CD-ROM), NTFS (C:), FAT32 (Pen drive) Como não há interesse em tornar estes sistemas compatíveis, surgiu a idéia de criar um Sistema de Arquivo Virtual (VFS) para integrar estes sistemas. Para fazer este trabalho, VFS possui uma interface superior (processos do usuário) e uma inferior (arquivos do sistema) 29

30 Sistemas de Arquivos Virtuais 30

31 Exercícios 1. Cite e comente 3 operações com diretórios. 2. Cite as vantagens e desvantagens da alocação contígua e da alocação por lista encadeada. 3. Cite as vantagens e desvantagens da alocação por lista mapeada na memória e por i-node 4. Comente sobre os dois tipos de ligações existentes. Comente sobre as vantagens e desvantagens de cada um. 5. Comente sobre: a. Sistemas de arquivos baseado em log b. Sistemas de arquivo journaling c. Sistemas de arquivo virtual 31

32 Gerenciamento do Espaço em Disco (1) Tamanho do bloco Muito grande desperdício de espaço Muito pequeno desperdício de tempo Para determinar o tamanho do bloco é fundamental saber a média de tamanhos dos arquivos Estudos tem demonstrado que blocos de 1 a 4 KB são ideais. Contudo com discos ultrapassando 1 TB, a tendência é que estes blocos sejam aumentados para 64 KB, aceitando o desperdício de espaço. 32

33 Gerenciamento do Espaço em Disco (2) 33

34 Gerenciamento do Espaço em Disco (3) As curvas se cruzam com um tamanho de bloco próximo a 64 KB. Neste ponto a taxa de dados é de 6,6 MB/s e a eficiência de espaço é de cerca de 7%. 34

35 Gerenciamento do Espaço em Disco (4) Monitoramento dos blocos livres Lista encadeada Lista de todos os blocos livres 32 bits por bloco Ocupa mais espaço na maioria dos casos, exceto quando o disco estiver quase cheio Se disco pouco fragmentado, pode representar conjunto de blocos com a ajuda de um contador Mapa de bits Mapa com 1 bit para cada bloco do disco 1 bit por bloco 35

36 Gerenciamento do Espaço em Disco (5) a) Armazenamento da lista de blocos livres em uma lista encadeada b) Um mapa de bits 36

37 Gerenciamento do Espaço em Disco (6) Cotas de disco São utilizadas para limitar o espaço em disco ocupado por utilizadores ou grupos evita que um pequeno número de utilizadores ocupe grande parte do espaço em disco. existe duas formas de configurar cotas para utilizadores: através do nº de inodes através do nº de blocos Cada utilizador possui um limite flexível (pode ser excedido durante a sessão) e um limite estrito (nunca serão excedidos gera erro quando isto tentar ocorrer) 37

38 Gerenciamento do Espaço em Disco (7) Cotas para controlar o uso do disco por usuário 38

39 Cópia de Segurança do Sistema de Arquivos (1) Dados são mais valiosos do que hardware Backups podem evitar tragédias e tem baixo custo se comparado com os custos da perca de dados Backups servem pra lidar c/ 2 tipos de situações: Desastres Grande bobagem Backups demandam tempo e espaço. Deve-se considerar: Copiar tudo ou somente partes? Fazer cópias completas ou apenas incrementais? Comprimir os dados antes de copiar ou não? Parar o sistema para cópia ou não? Snapshot - extrai descrição atual do Sistema de Arquivos É seguro contra roubo, incêndio, etc? 39

40 Cópia de Segurança do Sistema de Arquivos (2) Existem duas estratégias possíveis: Cópia física Simples Algoritmos livres de erros Completa (até demais) Cópia lógica Cópia de arquivos e diretórios específicos Fácil restauração de arquivos 40

41 Confiabilidade do Sistema de Arquivos (1) Um sistema de arquivos a ser copiado Os quadrados são diretórios e os círculos são arquivos Os itens sombreados foram modificados desde a última cópia Cada diretório e arquivo rotulado por seu número de i-node 41

42 Confiabilidade do Sistema de Arquivos (2) Mapas de bits usados pelo algoritmo de cópia lógica (ou dump lógico) a) Todos os diretórios e todos os arq. Modificados b) Retira os diretórios não modificados da lista c) Copia os diretórios e os remove da lista d) Copia os arquivos marcados na lista 42

43 Consistência do Sistema de Arquivos Verificações de Consistência por: Bloco Tabela de ocupado Tabela de livres Arquivo Contagem de presença dos arquivos nos diretórios comparada com contagem dos i-nodes. Verificações de questões de segurança para evitar desastres Permissão do arquivo (privilegiando usuários externos) Arquivos com permissão de administrador 43

44 Consistência do Sistema de Arquivos Estados do sistema de arquivos a) consistente b) bloco desaparecido c) bloco duplicado na lista de livres d) bloco de dados duplicados (cópia p/ resolver) 44

45 Desempenho do Sistema de Arquivos Leituras no disco podem ser de dezenas a milhares de vezes mais lentas do que na memória. Por isso muitos sistemas de arquivos possuem algumas técnicas para melhorar o desempenho do disco. 45

46 Desempenho do Sistema de Arquivos (1) Cache de Blocos ou cache de buffer Consiste em manter blocos do disco na memória para melhorar o desempenho Problemas: O bloco é essencial para a consistência do sistema de arquivos? Caches de escrita direta (windows baseados em discos flexíveis) Sync (unix) FlushFileBuffers (atuais windows) Quem substituir? LRU 46

47 Desempenho do Sistema de Arquivos (1) As estruturas de dados da cache de buffer 47

48 Desempenho do Sistema de Arquivos (2) Leitura antecipada de blocos Consiste em tentar antecipar a leitura de blocos ainda não solicitados Vantagens Se utilizado leituras sequênciais, melhora o tempo de resposta Desvantagens Em sistemas de acesso aleatório, além de não melhorar o desempenho, esta técnica ainda sobrecarrega os barramentos com transferências não solicitadas 48

49 Desempenho do Sistema de Arquivos (3) Redução do movimento do braço do disco Consiste em tentar agrupar dados em um mesmo cilindro para evitar posicionamentos extras no braço do disco 49

50 Desempenho do Sistema de Arquivos (3) I-nodes colocados no início do disco Disco dividido em grupos de cilindros cada qual com seus próprios blocos e i- nodes 50

51 Desfragmentando discos Quando o SO é instalado, os arquivos são contíguos, e estão armazenados logo após os arquivos de instalação do SO Com o passar do tempo, devido a criação e exclusão de arquivos o disco fica fragmentado O processo de desfragmentação ajuda a melhorar o desempenho Consiste em mover blocos fragmentados de forma a tornálos contíguos o máximo possível Alguns arquivos não podem ser desfragmentados. Ex: Log de Journaling 51

52 Exemplos de Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos para CD-ROM Sistemas simples somente leitura ISO 9660 Adotado em 1988 Setores de 2352 bytes (bruto), 2048 bytes (líquido) Entrada de diretórios tem tamanho variável com duas codificações little-endian e big-endian. Entradas são organizadas alfabeticamente, exceto pelas entradas. e.. Nível máximo de profundidade = 8 52

53 Exemplos de Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos para CD-ROM Possui 3 níveis Nível 1 Nomes de arquivos = caracteres Nomes de diretórios = 8 caracteres Arquivos contíguos Máxima compatibilidade Nível 2 Nomes de 31 caracteres Nível 3 Permite que arquivos sejam divididos em seções contíguas 53

54 Exemplos de Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos para CD-ROM A entrada de diretório ISO 9660 Flags Contém bits que indicam por exemplo se é uma entrada de arquivo ou diretório CD # Indica em qual CD um arquivo se encontra Nome-base Letras, dígitos e _. Até 8 caracteres. Manter compatibilidade DOS Ext Letras, dígitos e _. Até 3 caracteres Preenchimento Fixa as entradas de diretórios em um nº par de bytes Uso do Sistema Uso variado de sistema para sistema 54

55 Extensões Rock Ridge Extensão criada pela comunidade UNIX para reduzir as restrições do ISO 9660 Composta por: PX: atributos de permissão r, w e x PN: permite que dispositivos sejam representados em CD. Ex: conteúdo de /dev SL: Ligações simbólicas NM: Nome alternativo de arquivo, respeitando o padrão ISO 9660 CL, PL, RE: Em conjunto, driblam artificialmente o limite de 8 níveis de profundidade imposto pelo ISO 9660 TF: Timestamp de cada i-node Unix (tempo de criação, de última modificação e último acesso) Juntas, estas extensões permitiam que um sistema de arquivos Unix fosse copiado para um CD e restaurado sem perda de informações em outro sistema 55

56 Extensões Joliet Extensão criada pela Microsoft para reduzir as restrições do ISO 9660 (que por sinal se devem em grande parte ao MS-DOS) Praticamente todos os programas que rodam sob Windows e usam CD suportam extensões Joliet Composta por: Nomes de arquivos longos (até 64 caracteres) Conjuntos de caracteres unicodes (útil em países que não adotem o alfabeto latino Grécia, Japão, etc). Profundidade superior a 8 níveis Nomes de diretórios com extensões (ainda não usado) 56

57 O Sistema de Arquivos MS-DOS (1) Primeiro sistema a ser utilizado nos PC s da IBM Principal sistemas de arquivos no Windows 98 e ME Windows 2000, XP e Vista o suportam, mas não é mais padrão Ele e uma de suas extensões (FAT-32) se tornaram amplamente utilizados em ambientes embarcados, como por exemplo Ipod s, Câmeras digitais, etc, portanto sendo ainda muito utilizado atualmente. Utilizam o sistema FAT (FAT-12, FAT-16 e FAT-32) para alocação de arquivos na memória e também para controle de blocos livres 57

58 O Sistema de Arquivos MS-DOS (2) A entrada de diretório do MS-DOS Atributos: Indicam se um arquivo é somente leitura, se é do sistema, se é oculto, etc. Tempo: Indica tempos de criação e modificação em valores aproximados de 2 seg. Data: Indica data de criação e modificação. Terá problemas a partir do ano

59 O Sistema de Arquivos MS-DOS (3) KB Tamanho máximo de partição para diferentes tamanhos de bloco As caixas vazias representam combinações proibidas FAT-12: Até 4 partições por disco, logo discos de até 64 MB FAT-16: Até 4 partições por disco, logo discos de até 8 GB 59

60 O Sistema de Arquivos do UNIX V7 (1) Uma entrada de diretório do UNIX V7 60

61 O Sistema de Arquivos do UNIX V7 (2) Atributos de um i-node: Data de criação, modificação e último acesso Permissões de usuário, grupo e outros Contador do número de entradas de diretórios Monitoração de blocos em disco Diretamente no i-node (10 primeiros endereços) Bloco indireto simples Bloco indireto duplo Bloco indireto triplo 61

62 O Sistema de Arquivos do UNIX V7 (3) Um i-node UNIX 62

63 O Sistema de Arquivos do UNIX V7 (4) Os passos para localizar /usr/ast/mbox No Unix, o i-node para o diretório raiz fica em um local fixo do disco 63

64 Exercícios 1. O que deve ser levado em conta no gerenciamento de disco. Comente. 2. Diferencie Cópia Física e Lógica 3. O que são as extensões joliet e rock-ridge. 4. Cite algumas estratégias para melhorar o desempenho em sistemas de arquivos. 64

Sistemas de Arquivos. Sistemas Operacionais - Professor Machado

Sistemas de Arquivos. Sistemas Operacionais - Professor Machado Sistemas de Arquivos Sistemas Operacionais - Professor Machado 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível armazenar uma quantidade muito grande de informação 2. A informação deve

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível

Leia mais

Sistemas de Ficheiros. Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros

Sistemas de Ficheiros. Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros Sistemas de Ficheiros Ficheiros Diretórios Implementação de sistemas de ficheiros Exemplos de sistemas de ficheiros 1 Armazenamento de Informação de Longo Prazo 1. Deve armazenar grandes massas de dados

Leia mais

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos

Capítulo 6 Sistemas de Arquivos Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas de arquivos 1 Armazenamento da Informação a Longo Prazo 1. Deve ser possível

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Gerência de Arquivos Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Conceituação de arquivos Implementação do sistemas de arquivo Introdução Sistema de

Leia mais

Capítulo 6. Gerenciamento de Arquivos. 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos

Capítulo 6. Gerenciamento de Arquivos. 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos Capítulo 6 Gerenciamento de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação (6.3.1 a 6.3.6) 6.4 Exemplos 1 Armazenamento de longo prazo 1. Deve guardar grandes volumes de dados. 2. Informação armazenada

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br

Sistemas de Arquivos. Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br Sistemas de Arquivos Arquivos e Diretórios Características e Implementação Tadeu Ferreira Oliveira - tadeu.ferreira@ifrn.edu.br Tadeu Ferreira IFRN 2016 Sistemas de Arquivos Objetivos Armazenar uma quantidade

Leia mais

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção

Funções de um SO. Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção Sistemas de Arquivos Funções de um SO Gerência de processos Gerência de memória Gerência de Arquivos Gerência de I/O Sistema de Proteção 2 Sistemas Operacionais Necessidade de Armazenamento Grandes quantidades

Leia mais

SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum

SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum SOP - TADS Sistemas de Arquivos Cap 4 Tanenmbaum Prof. Ricardo José Pfitscher dcc2rjp@joinville.udesc.br Material cedido por: Prof. Rafael Rodrigues Obelheiro Prof. Maurício Aronne Pillon Cronograma Introdução

Leia mais

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento

BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 Parte 2) Prof. Marcelo Z. do Nascimento 1 Gerência de espaço em disco Cópia de segurança do sistema de arquivo Roteiro Confiabilidade Desempenho

Leia mais

Sistemas de Ficheiros. 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros

Sistemas de Ficheiros. 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros Sistemas de Ficheiros 1. Ficheiros 2. Directórios 3. Implementação de sistemas de ficheiros 4. Exemplos de sistemas de ficheiros Organização de um Sistema Operativo System Call Handler File System 1...

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais FATEC-PB Professor: Gustavo Wagner gugawag@gmail.com 1 Capítulo 6 Sistemas de Arquivos 6.1 Arquivos 6.2 Diretórios 6.3 Implementação do sistema de arquivos 6.4 Exemplos de sistemas

Leia mais

FACENS Engenharia Mecatrônica Sistemas de Computação Professor Machado. Memória Armazenamento Sistema de Arquivos

FACENS Engenharia Mecatrônica Sistemas de Computação Professor Machado. Memória Armazenamento Sistema de Arquivos FACENS Engenharia Mecatrônica Sistemas de Computação Professor Machado Memória Armazenamento Sistema de Arquivos 1 Hierarquia de Memórias 2 Partes físicas associadas à memória Memória RAM Memória ROM Cache

Leia mais

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com

Sistemas Operacionais 3º bimestre. Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistemas Operacionais 3º bimestre Dierone C.Foltran Jr. dcfoltran@yahoo.com Sistema de Arquivos (1) Todas as aplicações precisam armazenar e recuperar informações. Considerações sobre os processos: Espaço

Leia mais

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior

Unix: Sistema de Arquivos. Geraldo Braz Junior Unix: Sistema de Arquivos Geraldo Braz Junior 2 Arquivos Um arquivo é visto pelo SO apenas como uma seqüência de bytes: nenhuma distinção é feita entre arquivos ASCII, binários, etc.; Muitos programas

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Sistema de Arquivos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 03-002 Sistemas de Arquivos

Fundamentos de Sistemas Operacionais. Sistema de Arquivos. Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007. Unidade 03-002 Sistemas de Arquivos Sistema de Arquivos Prof. Edwar Saliba Júnior Março de 2007 1 Objetivos Facilitar o acesso dos usuários ao conteúdo dos arquivos; Prover uma forma uniforme de manipulação de arquivos, independente dos

Leia mais

BC 1518 - Sistemas Operacionais

BC 1518 - Sistemas Operacionais BC 1518 - Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos (aula 10 - Parte1) Prof. Marcelo Z. do Nascimento Prof. Marcelo Z. do Nascimento marcelo.nascimento@ufabc.edu.br 1 Introdução Arquivos Atributos de Arquivos

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Sistema de arquivos. Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade IV Sistema de arquivos. Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1 UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade IV Sistema de arquivos Prof. Valeria M. Bastos Prof. Antonio Carlos Gay Thomé 13/06/2012 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Sistema de Arquivos Gerenciamento de E/S

Leia mais

TÓPICO 7. Gerência de Arquivos

TÓPICO 7. Gerência de Arquivos TÓPICO 7 Gerência de Arquivos Sistemas de Arquivos Em um computador, os dados podem ser armazenados em vários dispositivos físicos diferentes (disco flexível, fita, disco rígido, CD, etc). Para simplificar

Leia mais

Sistema de Arquivos FAT

Sistema de Arquivos FAT Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos FAT Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br FAT A FAT é o sistema de arquivos usado pelo MS-DOS e outros sistemas operacionais baseados em Windows para organizar

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Sistema de Arquivos - II Prof. Galvez Implementação de Arquivos Arquivos são implementados através da criação, para cada arquivo no sistema, de uma estrutura de dados

Leia mais

Estrutura Interna do KernelUNIX Sistema O. Estrutura Interna de Arquivos (1) Estrutura Seqüência. User application. Standard Unix libraries

Estrutura Interna do KernelUNIX Sistema O. Estrutura Interna de Arquivos (1) Estrutura Seqüência. User application. Standard Unix libraries Sistemas de Arquivos (Aula 23) Funções Profa. Gerência Sistema de um processos SO Patrícia D. CostaLPRM/DI/UFES de de de Proteção memória I/O Arquivos Necessidade 2 Sistemas Operacionais 2008/1 Grandes

Leia mais

Sistema de Arquivos. Ciclo 5 AT1. Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia

Sistema de Arquivos. Ciclo 5 AT1. Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia Sistema de Arquivos Ciclo 5 AT1 Prof. Hermes Senger / Hélio Crestana Guardia Referência: Deitel Cap. 13 Nota O presente material foi elaborado com base no material didático do livro Sistemas Operacionais,

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas.

Sistemas de Arquivos. Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas. Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos: Mecanismos para armazenamento on-line e acesso de dados e programas. Sistemas de Arquivos Um sistema de arquivos implica: Conceituação de arquivos e diretórios

Leia mais

Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos

Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos Acadêmicos: Luís Fernando Martins Nagata Gustavo Rezende Vinícius Rezende Santos Pilhas de Dispositivos Drivers no Windows Vista podem fazer todo trabalho sozinho; Uma requisição pode passar por uma seqüência

Leia mais

Sistema de Arquivos EXT3

Sistema de Arquivos EXT3 Sistema de Arquivos EXT3 Introdução Ext3 é uma nova versão do Ext2. Possui as mesmas estruturas do ext2, além de adicionar as propriedades do Journal. O uso do Ext3 melhora na recuperação do sistema(dados),

Leia mais

Sistema de Ficheiros

Sistema de Ficheiros Sistema de Ficheiros 1 Armazenamento de Informação de Longa Duração 1. Deve guardar grandes quantidades de dados 2. Informação guardada deve sobreviver à terminação dos processos 3. Múltiplos processos

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS DE ARQUIVOS MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 11 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional SISTEMAS DE ARQUIVOS - INTRODUÇÃO O armazenamento e a recuperação de informações é

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

AULA 16 - Sistema de Arquivos

AULA 16 - Sistema de Arquivos AULA 16 - Sistema de Arquivos Arquivos podem ser vistos como recipientes que contêm dados ou como um grupo de registros correlatos. Os arquivos armazenam informações que serão utilizadas, em geral, por

Leia mais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais

SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Técnico em Informática SISTEMAS DE ARQUIVOS Sistemas operacionais Professor Airton Ribeiro de Sousa Sistemas operacionais Sistema de Arquivos pode ser definido como uma estrutura que indica como os dados

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos

Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos Sistemas Operacionais: Sistema de Arquivos Sistema de Arquivos Arquivos Espaço contíguo de armazenamento Armazenado em dispositivo secundário Estrutura Nenhuma: seqüência de bytes Registros, documentos,

Leia mais

Sistema de Arquivos. Ambientes Operacionais. Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani

Sistema de Arquivos. Ambientes Operacionais. Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani Sistema de Arquivos Ambientes Operacionais Prof. Simão Sirineo Toscani stoscani@inf.pucrs.br www.inf.pucrs.br/~stoscani Gerência de Arquivos É um dos serviços mais visíveis do SO. Arquivos são normalmente

Leia mais

SW DE E/S INDEPENDENTE DE DISPOSITIVO

SW DE E/S INDEPENDENTE DE DISPOSITIVO SOFTWARE AO NÍVEL DO USUÁRIO SOFTWARE INDEPENDENTE DE DISPOSITIVOS ACIONADORES DE DISPOSITIVOS (DRIVERS) TRATAMENTO DE INTERRUPÇÕES HARDWARE FUNÇÕES: INTERFACE UNIFORME PARA OS DRIVERS USO DE BUFFERS INFORMAÇÃO

Leia mais

Sistemas de Arquivos NTFS

Sistemas de Arquivos NTFS Sistemas de Arquivos NTFS Apresentação Desenvolvido pela Microsoft na década de 80 para o Windows NT Baseado no HPFS da IBM Versões NTFS 1.1(ou 4) NTFS NTFS 5 Sistema de Arquivos NTFS Unidade fundamental

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas de Arquivos Apostila 09

SISTEMAS OPERACIONAIS. Sistemas de Arquivos Apostila 09 SISTEMAS OPERACIONAIS Sistemas de Arquivos Apostila 09 1.0 INTRODUÇÃO Sistema de Arquivos: conceito de arquivo, métodos de acesso, estrutura de diretório, estrutura do sistema de arquivos, métodos de alocação

Leia mais

Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3

Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3 Sistemas de Arquivos NTFS, FAT16, FAT32, EXT2 e EXT3 Os sistemas de arquivos é a parte do SO responsável pelo gerenciamento dos arquivos (estrutura, identificação, acesso, utilização, proteção e implementação).

Leia mais

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação

ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação ROM-BIOS Inicialização Sistemas de Arquivos Formatação 1 ROM-BIOS ROM-BIOS Basic Input/Output System (Sistema Básico de Entrada/Saída). O termo é incorretamente conhecido como: Basic Integrated Operating

Leia mais

Laboratório de Hardware

Laboratório de Hardware Laboratório de Hardware Prof. Marcel Santos Responsável por implementar em software um recurso que não existe no hardware. O hardware oferece simplesmente um grande conjunto de bytes contíguos, e a tarefa

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquivos. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br)

Sistemas Operacionais Arquivos. Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Sistemas Operacionais Arquivos Carlos Ferraz (cagf@cin.ufpe.br) Jorge Cavalcanti Fonsêca (jcbf@cin.ufpe.br) Copyright Carlos Ferraz Cin/UFPE Implementação do Sistema de Arquivos Sistemas de arquivos são

Leia mais

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II

Armazenamento Secundário. SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II Armazenamento Secundário SCE-183 Algoritmos e Estruturas de Dados II 1 Armazenamento secundário Primeiro tipo de armazenamento secundário: papel! Cartões perfurados HDs, CD-ROM, floppy disks, memórias

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS

GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS 2 SISTEMAS OPERACIONAIS: GERENCIAMENTO DE DISPOSITIVOS E ARQUIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Sistema de Arquivos Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano de Aula Arquivos Organização de arquivos Diretórios Métodos de acesso Métodos de alocação em disco Fragmentação

Leia mais

Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário

Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário Fundamentos de Arquivos e Armazenamento Secundário Cristina D. A. Ciferri Thiago A. S. Pardo Leandro C. Cintra M.C.F. de Oliveira Moacir Ponti Jr. Armazenamento de Dados Armazenamento primário memória

Leia mais

Sistemas de Arquivos. André Luiz da Costa Carvalho

Sistemas de Arquivos. André Luiz da Costa Carvalho Sistemas de Arquivos André Luiz da Costa Carvalho Sistemas de arquivos Sistema de arquivos é o nome que se dá a implementação da organização de dados em discos. Vai desde o acesso a baixo nível até a interface

Leia mais

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger

SISTEMA DE ARQUIVOS. Instrutor: Mawro Klinger SISTEMA DE ARQUIVOS Instrutor: Mawro Klinger Estrutura dos Discos As informações digitais, quer sejam programas ou dados do usuário, são gravadas em unidades de armazenamento. O HD é uma unidade de armazenamento

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.9 Memória Cache: A memória cache é uma pequena porção de memória inserida entre o processador e a memória principal, cuja função é acelerar a velocidade de transferência das informações entre a CPU e

Leia mais

AULA 5 Sistemas Operacionais

AULA 5 Sistemas Operacionais AULA 5 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professora: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Partições Formatação Fragmentação Gerenciamento

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 7-1. Sistema de Arquivos Sistema de arquivo nada mais é do que a maneira de como o sistema operacional organiza e administra os dados em um disco. Os arquivos são gerenciados pelo sistema operacional

Leia mais

implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos, 2014 2015

implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Fernando Ramos, Nuno Neves, Sistemas Operativos, 2014 2015 Sistemas de ficheiros: implementação Nuno Ferreira Neves Faculdade de Ciências de Universidade de Lisboa Objetivos da aula Descrever algunsdetalhes daimplementação deumsistema de ficheiros Discutir algoritmos

Leia mais

Estudo de Caso 2: Windows Vista

Estudo de Caso 2: Windows Vista Faculdades Integradas de Mineiros Curso de Sistemas de Informação Sistemas Operacionais II Estudo de Caso 2: Windows Vista Grupo 4 Helder / Wagner / Frantyeis Junho/2010 O Windows usa uma estratégia Just-In-Time

Leia mais

Um retrospecto da aula passada... Um retrospecto da aula passada... Principais Aspectos de Sistemas Operacionais. Gerência de E/S

Um retrospecto da aula passada... Um retrospecto da aula passada... Principais Aspectos de Sistemas Operacionais. Gerência de E/S Um retrospecto da aula passada... Principais Aspectos de Sistemas Operacionais Laboratório de Sistemas Operacionais Aula 2 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Romildo Martins (romildo@romildo.net)

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

Aula 01 Visão Geral do Linux

Aula 01 Visão Geral do Linux Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Administração de Redes de Computadores Aula 01 Visão Geral do Linux Prof. Gustavo Medeiros de Araujo Profa.

Leia mais

Sistemas de Arquivos. Gerenciamento de Espaço em Disco

Sistemas de Arquivos. Gerenciamento de Espaço em Disco Sistemas de Arquivos Diretórios Gerenciamento de Espaço em Disco Implementação de Diretórios (1) Contém informações que permitem acessar os arquivos As entradas do diretório fornecem informações para encontrar

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS II ESPECIFICAÇÃO CAMADA INDEPENDENTE

SISTEMAS OPERACIONAIS II ESPECIFICAÇÃO CAMADA INDEPENDENTE ANDRÉ LUCHESI CESAR HENRIQUE KÁLLAS SISTEMAS OPERACIONAIS II ESPECIFICAÇÃO CAMADA INDEPENDENTE Pontifícia Universidade Católica de Campinas Faculdade de Engenharia de Computação Turma III Grupo 9 Agosto

Leia mais

Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos. Operating System Concepts 8 th Edition

Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos. Operating System Concepts 8 th Edition Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos Silberschatz, Galvin and Gagne 2009 Sobre a apresentação (About the slides) Os slides e figuras dessa apresentação foram criados por Silberschatz, Galvin

Leia mais

Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000

Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000 1 Gerenciamento de ES e Sistema de Arquivos do Windows 2000 Gerenciador de E/S Objetivo é fornecer uma estrutura de modo eficiente para lidar com a grande variedade de dispositivos Bastante relacionado

Leia mais

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos

Sistemas Operacionais. Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br. Gerência de Arquivos Andrique Amorim www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Gerência de Arquivos Gerência de Arquivos Um sistema operacional tem por finalidade permitir que o usuários do computador executem aplicações,

Leia mais

5.1 Sistemas de Arquivos

5.1 Sistemas de Arquivos Capítulo 5 Os Sistemas de Arquivos 5.1 Sistemas de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar, a partir da visão do usuário, as estruturas que possibilitam o armazenamento persistente de informações no

Leia mais

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande região de armazenamento formada por bytes ou palavras, cada

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES JUSSARA REIS DA SILVA SISTEMA DE ARQUIVOS

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES JUSSARA REIS DA SILVA SISTEMA DE ARQUIVOS FACULDADE ZACARIAS DE GÓES JUSSARA REIS DA SILVA SISTEMA DE ARQUIVOS Valença 2010 JUSSARA REIS DA SILVA SISTEMAS DE ARQUIVOS Trabalho apresentado como requisito parcial para AVII da disciplina Sistemas

Leia mais

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB

Capacidade = 512 x 300 x 20000 x 2 x 5 = 30.720.000.000 30,72 GB Calculando a capacidade de disco: Capacidade = (# bytes/setor) x (méd. # setores/trilha) x (# trilhas/superfície) x (# superfícies/prato) x (# pratos/disco) Exemplo 01: 512 bytes/setor 300 setores/trilha

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual Infraestrutura de Hardware Memória Virtual Perguntas que Devem ser Respondidas ao Final do Curso Como um programa escrito em uma linguagem de alto nível é entendido e executado pelo HW? Qual é a interface

Leia mais

Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br

Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos. Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br Sistemas Operacionais Sistemas de Arquivos Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br 1 Sistemas de Arquivos O que é um Sistema de Arquivos? forma de armazenamento de dados em mídia de memória não-volátil comparativamente

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

Plano da aula de hoje

Plano da aula de hoje Lembrando Implementação de Arquivos Marcelo Johann Os dados no disco são organizados em arquivos e diretórios Facilidades de acontabilidade, de organização, de procura... O Sis. Op. mantém, para cada processo,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Roteiro. Introdução. Marcos Laureano

Sistemas Operacionais. Roteiro. Introdução. Marcos Laureano Sistemas Operacionais Marcos Laureano 1/68 Roteiro Arquivos Organização de arquivos Diretórios Métodos de acesso Métodos de alocação em disco Fragmentação Tamanho de bloco Proteção de acesso 2/68 Introdução

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas Operacionais II

Introdução à Computação: Sistemas Operacionais II Introdução à Computação: Sistemas Operacionais II Ricardo de Sousa Bri.o rbri.o@ufpi.edu.br DIE- UFPI Objetivos Descrever os métodos de alocação de recursos ublizados pelos sistemas operacionais. Descrever

Leia mais

Exercícios de revisão V2. FAT: 300 GB / 2KB = 150MB X 8 bytes (64 bits / 8) = 1.2GB

Exercícios de revisão V2. FAT: 300 GB / 2KB = 150MB X 8 bytes (64 bits / 8) = 1.2GB Exercícios de revisão V2 1 Uma empresa que possui partições FAT em seus servidores, estava impressionada com um processo em específico na memória, onde o mesmo ocupava um espaço grande. Este servidor dedicado

Leia mais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Gerenciamento de Memória: Introdução O gerenciamento de memória é provavelmente a tarefa mais complexa de um sistema operacional multiprogramado.

Leia mais

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Introdução ao Linux Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Sistema Operacional Linux Embora o Sistema Operacional Microsoft Windows ainda seja predominante no mercado de desktops e Notebooks,já é, bastante

Leia mais

Organização de Arquivos

Organização de Arquivos Classificação e Pesquisa de Dados Aula 2 Organização de s: s Sequenciais e s Sequenciais Indexados UFRGS INF01124 Organização de s Propósito Estudo de técnicas de armazenamento e recuperação de dados em

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 2-1. PRINCÍPIOS DE SOFTWARE DE ENTRADA E SAÍDA (E/S) As metas gerais do software de entrada e saída é organizar o software como uma série de camadas, com as mais baixas preocupadas em esconder as

Leia mais

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto

Gerência do Sistema de Arquivos. Adão de Melo Neto Gerência do Sistema de Arquivos Adão de Melo Neto 1 Gerência do Sistema de Arquivos Organização dos arquivos Estrutura de diretório Gerência de espaço livre Gerência de alocação de espaços em disco Proteção

Leia mais

Aula 3. Sistemas Operacionais. Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.

Aula 3. Sistemas Operacionais. Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress. Sistemas Operacionais Aula 3 Prof: Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardoxpto@gmail.com) http://carloseduardoxp.wordpress.com Nunca cone em um computador que você não pode jogar pela janela.

Leia mais

the slides) Sobre a apresentação (About( Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Objetivos

the slides) Sobre a apresentação (About( Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos Sistemas de Arquivos Objetivos Sobre a apresentação (About( the slides) Capítulo 11: Implementação de Sistemas de Arquivos Os slides e figuras dessa apresentação foram criados por Silberschatz, Galvin e Gagne em 2005. Esse apresentação

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.7 Operações com as Memórias: Já sabemos, conforme anteriormente citado, que é possível realizar duas operações em uma memória: Escrita (write) armazenar informações na memória; Leitura (read) recuperar

Leia mais

Sistemas Operacionais Arquivos

Sistemas Operacionais Arquivos Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS Curso de Licenciatura em Computação Sistemas Operacionais Arquivos Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com Introdução Os arquivos são gerenciados

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 13 Gerência de Memória Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso Sumário

Leia mais

Backup. Permitir a recuperação de sistemas de arquivo inteiros de uma só vez. Backup é somente uma cópia idêntica de todos os dados do computador?

Backup. Permitir a recuperação de sistemas de arquivo inteiros de uma só vez. Backup é somente uma cópia idêntica de todos os dados do computador? Backup O backup tem dois objetivos principais: Permitir a recuperação de arquivos individuais é a base do típico pedido de recuperação de arquivo: Um usuário apaga acidentalmente um arquivo e pede que

Leia mais

AULA 13 - Gerência de Memória

AULA 13 - Gerência de Memória AULA 13 - Gerência de Memória omo sabemos, os computadores utilizam uma hierarquia de memória em sua organização, combinando memórias voláteis e não-voláteis, tais como: memória cache, memória principal

Leia mais

Programação de Sistemas

Programação de Sistemas Programação de Sistemas Introdução à gestão de memória Programação de Sistemas Gestão de memória : 1/16 Introdução (1) A memória central de um computador é escassa. [1981] IBM PC lançado com 64KB na motherboard,

Leia mais

AULA 4 Sistemas Operacionais

AULA 4 Sistemas Operacionais AULA 4 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Continuação S.O Funções Básicas Sistema de

Leia mais

ESTRUTURA INTERNA DO SISTEMA ESTRUTURA GERAL DO SGBD. Desempenho do BD ÙSatisfação do usuário. A performance do sistema depende:

ESTRUTURA INTERNA DO SISTEMA ESTRUTURA GERAL DO SGBD. Desempenho do BD ÙSatisfação do usuário. A performance do sistema depende: ESTRUTURA INTERNA DO SISTEMA ESTRUTURA GERAL DO SGBD Desempenho do BD ÙSatisfação do usuário USUÁRIO A performance do sistema depende: da eficiência das estruturas de dados utilizadas; como o sistema opera

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas SISTEMAS DE ARQUIVOS FAT E FAT32 José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução Muitos usuários

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO Sistema Operacional Conteúdo retirado do livro Sistemas Operacionais Marcos Aurélio Pchek Laureano Diogo Roberto Olsen

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 6.7 Operações com as Memórias: Já sabemos, conforme anteriormente citado, que é possível realizar duas operações em uma memória: Escrita (write) armazenar informações na memória; Leitura (read) recuperar

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais 7 Sistemas Operacionais 7.1 Fundamentos da ciência da computação Cengage Learning Objetivos 7.2 Compreender o papel do sistema operacional. Compreender o processo de inicialização para carregar o sistema

Leia mais

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Conceitos básicos e serviços do Sistema Operacional Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Tipos de serviço do S.O. O S.O.

Leia mais

Computador. Principais Características

Computador. Principais Características Computador Principais Características DISCO RÍGIDO HD SISTEMAS DE ARQUIVOS - WINDOWS IBM 305 RAMAC Ano 1956 Primeiro HD Um disco rígido ou HD, é um dispositivo composto por uma ou várias lâminas rígidas

Leia mais

481040 - Programador/a de Informática

481040 - Programador/a de Informática 481040 - Programador/a de Informática UFCD - 0770 Dispositivos e periféricos Sessão 4 SUMÁRIO Disco Rígido; Sistema de ficheiros Uma unidade de disco rígido é composta por um conjunto de discos sobrepostos,

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Sistemas Operacionais (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Classificações 3. CPU 4. Memória 5. Utilitários O que se

Leia mais