Revisitando Hiperprolactinemias. Julia Appel

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revisitando Hiperprolactinemias. Julia Appel"

Transcrição

1 Revisitando Hiperprolactinemias Julia Appel

2 Contextualizando Paciente feminina, 29 anos, com queixa de infertilidade, galactorréia e amenorréia. Prolactina: 188ng/ml RNM: microadenoma 7 mm a direita

3 Contextualizando Paciente feminina, 29 anos, com queixa de infertilidade, galactorréia e amenorréia. Prolactina: 188ng/ml RNM: microadenoma 7 mm a direita

4 Contextualizando Paciente feminina, 29 anos, com queixa de infertilidade, galactorréia e amenorréia. Prolactina: 548ng/ml RNM: microadenoma 7 mm a direita

5 Contextualizando Paciente feminina, 29 anos, com queixa de infertilidade, galactorréia e amenorréia. Prolactina: 548ng/ml RNM: microadenoma 7 mm a direita Diagnóstico errado = manejo inadequado

6 1. Diagnósticos diferencias Fisiológicas Farmacológicas Patológicas Idiopáticas Hipotálomo-hipofise Sistêmicas 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactina Efeito Gancho

7 1. Diagnósticos diferencias Elevação da prolactina não é um doença per si Motivo da solicitação: desordens menstruais, infertilidade, galactorreia, disfunção erétil, hipogonadismo, tumores selares. Frente a hiperprolactinemia ter roteiro diagnóstico Step 1: afastar causas fisiológicas Gestação Amamentação Estresse,exercício intenso, coito. JCEM 96: , 2011

8 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas JCEM 96: , 2011

9 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas Antipsicóticos e neurolépticos: Elevação prolactina: 40-90% Estudo de prevalência: 2235 pacientes recebendo anti-psicóticos: Mulheres: 42-93% Homens: 18-72% Magnitude: ng/ml 19% > 200ng/ml- sobretudo haloperidol e risperidona Clinical Endocrinology (2011) 74,

10 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas Clinical Endocrinology, 74,

11 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas Clinical Endocrinology, 74,

12 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas JCEM 96: ,2011

13 1. Diagnósticos diferencias Step 2: afastar causas farmacológicas 1. Ver se o início da droga coincide com início dos sintomas 2. Avaliar suspenção- sempre em conjunto com psiquiatra 3 dias 3. Se não for possível suspenderavaliar troca do antipsicótico pelos de menor interferencia: quetiapina, aripiprazol, clozapina, ziprazidona 4. Para aqueles que mesmo suspendendo ou trocando permanece elevada, ou não foi possível estratégia solicitar RNM de sela. JCEM 96: ,2011

14 1. Diagnósticos diferencias Step 3: afastar causas patológicas Sistêmicas Hipotálamo-hipofisárias Hipotireoidismo (40% franco/ 22% no subclínico) Insuficiência Adrenal IRC (30% renal failure, 80% nos em hemodiálise) Cirrose (16-80%) Neurogenica (sucção, lesões irritativas de parede) Pseudo-prolactinomas (interferem no tônus dopaminérgico): Não secretores Aneurismas Sela vazia Lesões infiltrativas Craniofarigeomas Co-secretores Vilar, Arq Bras Endocrinolol Metab. 2014;58/1

15 1. Diagnósticos diferencias Step 4: causas idiopáticas Tumores muito pequenos <3mm Causas auto-imunes: 25,7% - anticorpo anti-pituitaria Normalização espontânea em 30% JCEM 97: , 2012

16 2. Armadilhas diagnósticas

17 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Isoformas PRL Classificação de acordo com peso molecular 80-95% PRLmonomérica (mprl): 23kDa 5-10% PRLdimérica (bprl): 45kDa <5% Macroprolactina (bbprl) >100kDa

18 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Composição: complexo PRL monomérica + IgG específica Ocorrem em média em 25-40% dos pacientes com hiperprolactinemia Baixa atividade biológica in vivo Complexo não ultrapassa barreira capilar Menor ligacão com receptor de prolactina Reconhecimento- etiologia, elimina necessidade de RNM e de tto. The Journal Of Clinical Endocrinology 87(12): , 2002

19 vnsk Desafios em Hiperprolactinemia 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Diagnóstico: Rastreamento com precipitação por PEG Recuperação <30%: macroprolactinemia Recuperação 30-60%: inconclusiva Recuperação >60%: exclui macroprolactienamia

20 vnsk Desafios em Hiperprolactinemia 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Diagnóstico: Padrão ouro: cromatografia filtração gel

21 vnsk Desafios em Hiperprolactinemia 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Armadilha dentro da armadilha Hiperprolactinemia verdadeira X macroprolactinemia Se indivíduo tiver sintomas relacionados, avaliar nível de prolactina no sobrenadante e não apenas o calculo da % de recuperação PRL. Se prolactina monomérica elevada, apesar da macroprolactinemia investigar como habitual JCEM 96: , 2011

22 vnsk Desafios em Hiperprolactinemia 2. Armadilhas diagnósticas Macroprolactinemia Ex: 64 anos,prolactina 372, oligossintomática- pedido macroprolactina recuperação 25% (+ macroprolactina) % X 25% X: 93ng/ml Realizada RNM -microprolactinoma Vilar, 2014

23 2. Armadilhas diagnósticas Armadilha 1 Pacientes assintomáticos, oligossintomaticos Macroprolactinemia Solicitar screening com precipitação em PEG Recuperação<30%, sem monomerica elevada- não necessita RNM e nem tto

24 2. Armadilhas diagnósticas Efeito Gancho Magnitude da elevação prolactina pode ser útil na determinação etiológica >250ng/ml: altamente sugestivo de macroprolactinoma <100ng/ml: relacionado a drogas, doenças sistemicas, pseudo-prolactinomas Endocrinol Metab Clin North Am, 2008

25 2. Armadilhas diagnósticas Efeito Gancho J. Endocrinolol Invest, 2008

26 2. Armadilhas diagnósticas Efeito Gancho

27 2. Armadilhas diagnósticas Efeito Gancho Desmascarado diluição soro 1:100 Real frequência? 6-17% dos macroprolactinomas Caso- 98ng/ml ng/ml Literatura: 164, ng/ml (Friez ) Prolactinoma X pseudo-prolactinomas J Hum Reprod, 2010

28 2. Armadilhas diagnósticas Armadilha 2 Discrepância entre tamanho do tumor e o nível de prolactina Efeito Gancho Solicitar diluição 1:100 para pesquisa de efeito gancho

29 PARA CASA 1. Diagnósticos diferencias: Roteiro Diagnóstico Anamnese: sinais e sintomas compatíveis com hiperprolactinemia, inicio, histórico de doenças concomitantes (IRC, hepática, psiquiátrica, hipotireoidismo) Exame físico: galactorreia, campos visuais, lesões de parede Medicações em uso: lícitas/ilícitas Exames: B-HCG, Ur, Creatinina, Função hepática, TSH 2. Armadilha diagnóstica- Cuidado - Macroprolactinemia: assintomáticos, oligossintomáticos - Efeito Gancho: desproporção tamanho tumor e PRL pseudoprolactinoma - Co-secretores: solicitar IGF-1

30 Obrigada

Armadilhas no diagnóstico da Hiperprolactinemia. Julia Appel - Endocrinologista

Armadilhas no diagnóstico da Hiperprolactinemia. Julia Appel - Endocrinologista Armadilhas no diagnóstico da Hiperprolactinemia Julia Appel - Endocrinologista Introdução A hiperprolactinemia é a alteração endócrina mais comum do eixo hipotálamo-hipofisário. Indicações dosagem: Alterações

Leia mais

Tratamento da Hiperprolactinemia

Tratamento da Hiperprolactinemia 46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Tratamento da Hiperprolactinemia Quando, Como e até Quando? Érica Correia Garcia Érica Correia Garcia Eixo Hipotálamo Hipófise PRL Introdução

Leia mais

Hiperprolactinemias. Manoel Martins

Hiperprolactinemias. Manoel Martins Hiperprolactinemias Armadilhas no Diagnóstico Manoel Martins Caso clínico Mulher de 40 anos procura o Serviço de Diabetes e Endocrinologia do HUWC por amenorréia há 15 anos. Refere que se queixava ao ginecologista

Leia mais

Hiperprolactinemia: Visão Contemporânea

Hiperprolactinemia: Visão Contemporânea Hiperprolactinemia: Visão Contemporânea Hiperprolactinemia: Visão Contemporânea Luíz Antônio de Araújo Diretor do Dpto de Neuroendocrinologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia SBEM

Leia mais

Diagnóstico da Doença de Cushing. Giselle F. Taboada Professora Adjunta de Endocrinologia

Diagnóstico da Doença de Cushing. Giselle F. Taboada Professora Adjunta de Endocrinologia Diagnóstico da Doença de Cushing Giselle F. Taboada Professora Adjunta de Endocrinologia giselle.taboada@terra.com.br Arch Endocrinol Metab 2016; 60:267-86. Um pouco de história... Descrição do Basofilismo

Leia mais

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou)

Amenorréia. Amenorréia Secundária: Ausência de menstruação por três ciclos menstruais normais ou por seis meses (em mulher que já menstruou) Amenorréia Amenorréia Definição: Amenorréia Primária: Ausência de menstruação aos 14 anos de idade sem características sexuais visíveis, ou aos 16 anos de idade na presença de características secundárias

Leia mais

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin)

Hormônios hipotalâmicos e hipofisários. (somatostatin) Anatomia Localiza-se na base do crânio sela túrcica Hipófise anterior: derivada da bolsa de Rathke Hipófise posterior: origem neural, formada por axônios e terminções nervosas dos neurônios hipotalâmicos

Leia mais

PROLACTINA E O LABORATÓRIO

PROLACTINA E O LABORATÓRIO Artigo de Revisão Acta Med Port 2011; 24(S4): 1029-1034 PROLACTINA E O LABORATÓRIO Andreia VELOZA, Susana PRAZERES R E S U M O Aproximadamente 95% da prolactinémia no adulto é constituída por prolactina

Leia mais

Distúrbios menstruais na adolescência

Distúrbios menstruais na adolescência Distúrbios menstruais na adolescência Cláudia Braga Monteiro Abadesso Cardoso Maria Alice Neves Bordallo Irregularidades menstruais - definição e classificação. Anovulação crônica. Amenorréia primária

Leia mais

DISFUNÇÃO TIREOIDIANA NA GESTAÇÃO. Lireda Meneses Silva

DISFUNÇÃO TIREOIDIANA NA GESTAÇÃO. Lireda Meneses Silva DISFUNÇÃO TIREOIDIANA NA GESTAÇÃO Lireda Meneses Silva Gestação - fisiologia Aumento dos níveis de TBG Iodo Aumento do clearence I Transporte do I na unidade feto-placentária Ação da Deiodinase 2 e 3 placentárias

Leia mais

Macroprolactinemia e hiperprolactinemia intermediária: manifestações clínicas e achados radiológicos

Macroprolactinemia e hiperprolactinemia intermediária: manifestações clínicas e achados radiológicos An a Ca r o l i n a Ja p u r d e Sá Ro s a-e-si l v a 1 Ma r i a n i Mendes Madisson 2 Ma r c o s Felipe Si l v a d e-sá 1 Ro s a n a Ma r i a Reis 1 Ju l i o Ce s a r Ro s a -e-si l v a 1 Lu c i a Al

Leia mais

Macroprolactinemia. José Gilberto H. Vieira RESUMO ABSTRACT

Macroprolactinemia. José Gilberto H. Vieira RESUMO ABSTRACT Macroprolactinemia Serum prolactin measurement is a routine test in several conditions in every day clinical practice, and the finding of hyperprolactinemia can induce complex and expensive imaging studies.

Leia mais

Antipsicóticos 27/05/2017. Tratamento farmacológico. Redução da internação. Convivio na sociedade. Variedade de transtornos mentais

Antipsicóticos 27/05/2017. Tratamento farmacológico. Redução da internação. Convivio na sociedade. Variedade de transtornos mentais Psicofarmacologia Antipsicóticos Psicose Variedade de transtornos mentais Delírios (crenças falsas) Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Vários tipos de alucinações Esquizofrenia:

Leia mais

Antipsicóticos 02/02/2016. Tratamento farmacológico. Redução da internação. Convivio na sociedade. Variedade de transtornos mentais

Antipsicóticos 02/02/2016. Tratamento farmacológico. Redução da internação. Convivio na sociedade. Variedade de transtornos mentais Psicofarmacologia Psicose Variedade de transtornos mentais Delírios (crenças falsas) Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Vários tipos de alucinações Esquizofrenia: tipo de psicose

Leia mais

Avaliação Funcional da Hipófise

Avaliação Funcional da Hipófise Avaliação Funcional da Hipófise Dr. Luiz Antônio de Araújo Endoville, Joinville (SC) Dr. Cesar Luiz Boguszewski SEMPR, HC-UFPR, Curitiba (PR) Avaliação Funcional da Hipófise Dr. Cesar Luiz Boguszewski

Leia mais

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União Nota Técnica N 265/2013 Brasília, agosto de 2013. Princípio Ativo: cabergolina Nome Comercial 1 : Dostinex. Sumário 1. O que é a cabergolina?... 1 2. O medicamento possui registro na Agência Nacional de

Leia mais

Prevalência da Macroprolactinemia entre 115 Pacientes com Hiperprolactinemia

Prevalência da Macroprolactinemia entre 115 Pacientes com Hiperprolactinemia Prevalência da Macroprolactinemia entre 115 Pacientes com Hiperprolactinemia artigo original LUCIO VILAR ELIANE MOURA VIVIANE CANADAS AMARO GUSMÃO RENATA CAMPOS EDMUNDO LEAL LUCIANO TEIXEIRA VERA SANTOS

Leia mais

Bromocriptina mesilato

Bromocriptina mesilato Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: C 32 H 40 BrN 5 O 5.CH 4 O 3 S Peso molecular: 750.72 DCB/ DCI: 01466 - mesilato de bromocriptina / 3365 CAS: 22260-51-1 INCI: não aplicável Sinonímia:

Leia mais

Vitória Chaves de Souza Dantas de Barros; Valderi Luiz Pereira Neto; Roberta Duarte Pinheiro;Carla Novaes Carvalho

Vitória Chaves de Souza Dantas de Barros; Valderi Luiz Pereira Neto; Roberta Duarte Pinheiro;Carla Novaes Carvalho MANEJO DE PACIENTE PORTADORA DE TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR E HIPERPROLACTINEMIA: COMO MEDICAR QUANDO O USO DE ANTIPSICÓTICO ATÍPICO É LIMITADO DEVIDO A COMORBIDADE DE MICROADENOMA HIPOFISÁRIO Vitória

Leia mais

ANDREA GLEZER. Estudo da atividade biológica da macroprolactina. humana em células Nb2 e em células Ba/F-03 transfectadas

ANDREA GLEZER. Estudo da atividade biológica da macroprolactina. humana em células Nb2 e em células Ba/F-03 transfectadas ANDREA GLEZER Estudo da atividade biológica da macroprolactina humana em células Nb2 e em células Ba/F-3 transfectadas com o receptor de prolactina humano forma longa Tese apresentada à Faculdade de Medicina

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS: ENDOCRINOLOGIA DISSERTAÇAO DE MESTRADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS: ENDOCRINOLOGIA DISSERTAÇAO DE MESTRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS: ENDOCRINOLOGIA DISSERTAÇAO DE MESTRADO VALIDAÇÃO DA TRIAGEM DE MACROPROLACTINEMIA UTILIZANDO

Leia mais

PALESTRA DOGMAS EM RELAÇÃO À PROLACTINA. (Sessão Plenária ocorrida em 22/10/2013)

PALESTRA DOGMAS EM RELAÇÃO À PROLACTINA. (Sessão Plenária ocorrida em 22/10/2013) PALESTRA DOGMAS EM RELAÇÃO À PROLACTINA (Sessão Plenária ocorrida em 22/10/2013) Luiz Augusto Casulari Roxo da Motta Serviço de Endocrinologia do Hospital Universitário de Brasília Academia de Medicina

Leia mais

Tratamento de macroprolactinoma com cabergolina em adolescente

Tratamento de macroprolactinoma com cabergolina em adolescente Relato de Caso Tratamento de macroprolactinoma com cabergolina em adolescente An adolescent patient with prolactinoma treated with cabergoline Leila Warszawski 1, Daniela Barbosa L. Coelho 2, Andrea Cristina

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS Marcelo Cidade Batista Laboratório de Hormônios LIM/42 Disciplina de Endocrinologia Divisão de Laboratório Central LIM/03 Hospital das Clínicas Faculdade de

Leia mais

Infertilidade no consultório: Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina

Infertilidade no consultório: Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina Infertilidade no consultório: como conduzir Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina Infertilidade Definição: Ausência de concepção após um ano mantendo relações sexuais sem proteção PRIMÁRIA

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 08/2013

RESPOSTA RÁPIDA 08/2013 RESPOSTA RÁPIDA 08/2013 Assunto:Opção entre genérico e similar SOLICITANTE Dr. Damião Alexandre Tavares Oliveira Juiz de Direito - 1ª Vara Cível -Ponte Nova-MG NÚMERO DO PROCESSO Processo nº 0521.13.014435-0

Leia mais

Alexandre de Araújo Pereira Psiquiatra, Msc, Doutorando em Medicina pela UFMG Professor do Curso de Medicina UNIFENAS - BH

Alexandre de Araújo Pereira Psiquiatra, Msc, Doutorando em Medicina pela UFMG Professor do Curso de Medicina UNIFENAS - BH Alexandre de Araújo Pereira Psiquiatra, Msc, Doutorando em Medicina pela UFMG Professor do Curso de Medicina UNIFENAS - BH PREMISSA: Circuitos cerebrais disfuncionais podem mediar sintomas psiquiátricos

Leia mais

Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar?

Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar? Acromegalia possibilidades terapêuticas: quando não operar? Fulvio Clemo Santos Thomazelli Prof. Endocrinologia do Curso de Medicina da Universidade Regional de Blumenau De acordo com as normas do Conselho

Leia mais

Tumores da hipófise. Avaliação clínica

Tumores da hipófise. Avaliação clínica Tumores da hipófise Avaliação clínica Tumores da hipófise 10-25% de casos não seleccionados de autópsias RMN 10% de indivíduos normais Tumores da hipófise Incidência: 2/100000 Prevalência: 20/100000

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 1160, DE18 DE NOVEMBRO DE 2015 Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Hiperprolactinemia. O Secretário de Atenção À Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a necessidade

Leia mais

ACO-SECREÇÃO DE HORMÔNIO de crescimento deve ser pesquisada em

ACO-SECREÇÃO DE HORMÔNIO de crescimento deve ser pesquisada em D i s c o rdância Entre IGF-1 e GH Pós-Sobre c a rga de Glicose no Rastreamento de Acromegalia em Paciente Com Macroprolactinoma Relato de Caso e Revisão Sobre o Te m a apresentação de caso FABRÍCIA TORRES

Leia mais

Úlceras de Perna. Definição Epidemiologia Etiologia Manifestações Clínicas Diagnóstico Diferencial Tratamento 2015 ENF.

Úlceras de Perna. Definição Epidemiologia Etiologia Manifestações Clínicas Diagnóstico Diferencial Tratamento 2015 ENF. ÚLCERAS DE PERNA Úlceras de Perna Definição Epidemiologia Etiologia Manifestações Clínicas Diagnóstico Diferencial Tratamento 2015 ENF.ª MARTA MIRANDA 2 2015 ENF.ª MARTA MIRANDA 3 2015 ENF.ª MARTA MIRANDA

Leia mais

Cabertrix 0,5 mg cabergolina 2 e 8 Comprimidos

Cabertrix 0,5 mg cabergolina 2 e 8 Comprimidos Cabertrix 0,5 mg cabergolina 2 e 8 Comprimidos Cabertrix (cabergolina) APRESENTAÇÕES Comprimidos 0,5 mg: embalagem com 2 ou 8 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cabertrix 0,5 mg: Cada comprimido

Leia mais

A MACROPROLACTINEMIA Da Determinação Laboratorial ao seu Significado Clínico

A MACROPROLACTINEMIA Da Determinação Laboratorial ao seu Significado Clínico ARTIGO DE REVISÃO Acta Med Port 2011; 24: 929-938 A MACROPROLACTINEMIA Da Determinação Laboratorial ao seu Significado Clínico Catarina MATOS, Maria Lopes PEREIRA, João Tiago GUIMARÃES R E S U M O Desde

Leia mais

DETERMINAÇÃO DOS ANTIPSICÓTICOS UTILIZADOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE MARINGÁ PARANÁ

DETERMINAÇÃO DOS ANTIPSICÓTICOS UTILIZADOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE MARINGÁ PARANÁ 23 a 26 de outubro de 2012 DETERMINAÇÃO DOS ANTIPSICÓTICOS UTILIZADOS NO HOSPITAL MUNICIPAL DE MARINGÁ PARANÁ Fabio Bahls Machado 1 ; Maurício Fábio Gomes 1 ; Sidney Edson Mella Junior 2, Eliane Aparecida

Leia mais

HIV 1 E 2 - ANTICORPOS - CLIA - TESTE DE TRIAGEM

HIV 1 E 2 - ANTICORPOS - CLIA - TESTE DE TRIAGEM HIV 1 E 2 - ANTICORPOS - CLIA - TESTE DE TRIAGEM Material...: Método...: Soro Quimioluminescência - Imunoensaio de 4ª geração Leitura...: 0,13 Não reagente: Inferior a 1,00 Reagente...: Superior ou igual

Leia mais

HIPERPROLACTINEMIA E DISTÚRBIOS PSIQUIÁTRICOS

HIPERPROLACTINEMIA E DISTÚRBIOS PSIQUIÁTRICOS Arq Neuropsiquiatr 2000;58(3-A): 671-676 HIPERPROLACTINEMIA E DISTÚRBIOS PSIQUIÁTRICOS MIRIAM C. OLIVEIRA*, CRISTINA BARDOU PIZARRO**, LENARA GOLBERT**, CRISTINA MICHELETTO*** RESUMO - Sintomas psicológicos,

Leia mais

Cabergolina. Prati-Donaduzzi Comprimido 0,5 mg. Cabergolina_bula_paciente

Cabergolina. Prati-Donaduzzi Comprimido 0,5 mg. Cabergolina_bula_paciente Cabergolina Prati-Donaduzzi Comprimido 0,5 mg Cabergolina_bula_paciente IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO cabergolina Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimido de 0,5 mg em embalagem

Leia mais

Alexandre Pereira, Msc. Antipsicóticos

Alexandre Pereira, Msc. Antipsicóticos Alexandre Pereira, Msc Antipsicóticos Antipsicóticos Indicações Psicose como característica definidora Esquizofrenia Transtorno psicótico induzido por substância Transtorno delirante Transtorno psicótico

Leia mais

Preditores de Cura na Acromegalia

Preditores de Cura na Acromegalia Preditores de Cura na Acromegalia Luíz Antônio de Araújo Endoville - Centro de Endocrinologia e Diabetes de Joinville. Declaração de Conflito de Interesses Pesquisa Clinica: Novartis Oncologia Transporte

Leia mais

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae Hepatite A Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae 160 casos de Hepatite A foram notificados de 1 de janeiro a 7 de abril 50% dos quais foram internados Do total de doentes, 93% eram adultos jovens

Leia mais

Prolactina e seus excessos em mulheres não-gestantes. Prolactin and its excess in non pregnant women

Prolactina e seus excessos em mulheres não-gestantes. Prolactin and its excess in non pregnant women Prolactina em mulheres não-gestantes Prolactina e seus excessos em mulheres não-gestantes Cristiane Maria Villar Silva 1 Tania Cristina Andrade 2 RESUMO - A prolactina é um hormônio produzido pela hipófise,

Leia mais

TO 281 ANGELO FRANCISCO MARTINS HIPERPROLACTINEMIA EM PACIENTES FEMININAS: ESTUDO DE SEIS CASOS F LORLANÓPOLIS - SANTA CATARINA

TO 281 ANGELO FRANCISCO MARTINS HIPERPROLACTINEMIA EM PACIENTES FEMININAS: ESTUDO DE SEIS CASOS F LORLANÓPOLIS - SANTA CATARINA ANGELO FRANCISCO MARTINS TO 281 HIPERPROLACTINEMIA EM PACIENTES FEMININAS: ESTUDO DE SEIS CASOS Trabalho apresentado à Universidade Federal de Santa Catarina para a conclusão do Curso de Graduação em Medicina.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE SISTEMA ENDÓCRINO, ANATOMIA PATOLÓGICA II e FARMACOLOGIA III 4º Ano Grupo A 2º Rodízio Bloco I 2012

PROGRAMAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE SISTEMA ENDÓCRINO, ANATOMIA PATOLÓGICA II e FARMACOLOGIA III 4º Ano Grupo A 2º Rodízio Bloco I 2012 PROGRAMAÇÃO DAS DISCIPLINAS DE SISTEMA ENDÓCRINO, ANATOMIA PATOLÓGICA II e FARMACOLOGIA III 4º Ano Grupo A 2º Rodízio Bloco I 2012 Departamento de Clínica Médica da FCMSCSP Departamento de Ciências Patológicas

Leia mais

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA HIPERPROLACTINEMIA

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA HIPERPROLACTINEMIA DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DA HIPERPROLACTINEMIA SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA DO HUWC FUC. Clêide Maria Furtado Arruda Pires I INTRODUÇÃO A Prolactina (PRL) é um hormônio polipeptídico de cadeia única, contendo

Leia mais

R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho

R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho R1CM HC UFPR Dra. Elisa D. Gaio Prof. CM HC UFPR Dr. Mauricio Carvalho CASO CLÍNICO Homem, 45 anos, com cirrose por HCV foi admitido com queixa de fraqueza e icterícia de início recente. O paciente possuía

Leia mais

Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC)

Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC) Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC) O termo psicose define um grande número de distúrbios mentais. A esquizofrenia é um tipo de psicose, caracterizado por uma percepção

Leia mais

Disfunção tiroideia em idosos

Disfunção tiroideia em idosos Disfunção tiroideia em idosos SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DIREC TOR DE SERVIÇO DR. FRANCISCO GONÇALVES A N A M A R G A R I D A M O N T E I R O I N T E R N A D E F O R M A Ç Ã O E S P E C Í F I C A D E

Leia mais

Controle hormonal dos adenomas hipofisários pela cirurgia transesfenoidal: evolução dos resultados nos primeiros cinco anos de experiência

Controle hormonal dos adenomas hipofisários pela cirurgia transesfenoidal: evolução dos resultados nos primeiros cinco anos de experiência Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Departamento de Cirurgia e Anatomia - FMRP/RCA Artigos e Materiais de Revistas Científicas - FMRP/RCA 2011 Controle hormonal

Leia mais

Farmacoterapia aplicada em grupos alvo. Profa. Fernanda Datti

Farmacoterapia aplicada em grupos alvo. Profa. Fernanda Datti armacoterapia aplicada em grupos alvo Profa. ernanda Datti atores associados com variação na resposta farmacológica Idade Gravidez Doença Idade Recém-nascidos: menos de 1 mês Bebês: 1 mês a 1 ano. Crianças:

Leia mais

Dostinex cabergolina. Dostinex 0,5 mg em embalagens contendo 2 ou 8 comprimidos.

Dostinex cabergolina. Dostinex 0,5 mg em embalagens contendo 2 ou 8 comprimidos. Dostinex cabergolina PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Dostinex Nome genérico: cabergolina Forma farmacêutica e apresentações: Dostinex 0,5 mg em embalagens contendo 2 ou 8 comprimidos. USO ADULTO

Leia mais

REVISITANDO A SÍNDROME DE NELSON. Sthefanie Giovanna Pallone Orientador: Dr. Cesar Luiz Boguszewski

REVISITANDO A SÍNDROME DE NELSON. Sthefanie Giovanna Pallone Orientador: Dr. Cesar Luiz Boguszewski REVISITANDO A SÍNDROME DE NELSON Sthefanie Giovanna Pallone Orientador: Dr. Cesar Luiz Boguszewski Junho 2015 Introdução Tratamento da Doença de Cushing Cirurgia Transesfenoidal (remissão 70%-90%) Radioterapia

Leia mais

DOSTINEX cabergolina. COMPOSIÇÃO Cada comprimido de Dostinex contém o equivalente a 0,5 mg de cabergolina. Excipientes: leucina e lactose anidra.

DOSTINEX cabergolina. COMPOSIÇÃO Cada comprimido de Dostinex contém o equivalente a 0,5 mg de cabergolina. Excipientes: leucina e lactose anidra. DOSTINEX cabergolina I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Dostinex Nome genérico: cabergolina APRESENTAÇÕES Dostinex 0,5 mg em embalagens contendo 2 ou 8 comprimidos. VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Leia mais

Espessamento da haste hipofisária: relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report

Espessamento da haste hipofisária: relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report Revista de Medicina e Saúde de Brasília RELATO DE CASO : relato de caso Thickening of the pituitary stalk: a case report Gleim Dias de Souza 1, Luciana Rodrigues Queiroz de Souza 2, Anna Carla de Queiros

Leia mais

Introdução. *Susceptibilidade. * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL

Introdução. *Susceptibilidade. * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL NEFROTOXICOLOGIA Introdução Introdução *Susceptibilidade * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL Epidemiologia * Exposição ocupacional

Leia mais

Introdução. *Susceptibilidade. * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL

Introdução. *Susceptibilidade. * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL NEFROTOXICOLOGIA Introdução Introdução *Susceptibilidade * Unidade funcional e morfológica: néfron - glomérulo ( parte vascular) - túbulo ( parte epitelial) TÚBULO PROXIMAL Epidemiologia * Exposição ocupacional

Leia mais

Triagem Neonatal para hipotireoidismo congênito: campanha para maior cobertura e detecção precoce de afetados

Triagem Neonatal para hipotireoidismo congênito: campanha para maior cobertura e detecção precoce de afetados Léa Maria Zanini Maciel Triagem Neonatal para hipotireoidismo congênito: campanha para maior cobertura e detecção precoce de afetados DIA 3 do Recém Nascido - Dia do Teste do Pezinho O Hipotireoidismo

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA SECREÇÃO DE HGH

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA SECREÇÃO DE HGH AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA SECREÇÃO DE HGH Dra. Ana Ma. Soares Menezes Endocrinologista pela Soc. Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Doutorado em Medicina Interna pela Universidade Federal de S.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA. Doutoranda Débora Faria Silva

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA. Doutoranda Débora Faria Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA Doutoranda Débora Faria Silva Prof. Drª Simone Aparecida Rezende Maio/ 2016 Produtos

Leia mais

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C HEPATITE C PAPEL DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE EDUARDO C. DE OLIVEIRA Infectologista DIVE HCV HCV RNA vírus família Flaviviridae descoberta do HVC (1989) Vírus da hepatite não

Leia mais

A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado;

A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado; A esquizofrenia é uma perturbação psiquiátrica caracterizada pela presença de comportamento psicótico ou amplamente desorganizado; Afeta homens e mulheres na mesma proporção; Eugen Bleuler, importante

Leia mais

Uma abordagem dos Prolactinomas, à luz das evidências científicas atuais.

Uma abordagem dos Prolactinomas, à luz das evidências científicas atuais. Universidade do Porto Mestrado Integrado em Medicina 2011-2012 Uma abordagem dos Prolactinomas, à luz das evidências científicas atuais. Diana Isabel Pinto Silva Morada: Rua da Granja nº5, Gondizalves

Leia mais

Síndrome de Cushing. Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo CHLN-Hospital Santa Maria, EPE

Síndrome de Cushing. Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo CHLN-Hospital Santa Maria, EPE Síndrome de Cushing Fernando Baptista Serviço de Endocrinologia Diabetes e Metabolismo CHLN-Hospital Santa Maria, EPE Síndrome de Cushing Exposição prolongada e inadequada a quantidades excessivas de glucocorticóides

Leia mais

Caberedux cabergolina. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Comprimido 0,5 mg MODELO DE BULA PARA O PROFISSIONAL DE SAÚDE

Caberedux cabergolina. Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Comprimido 0,5 mg MODELO DE BULA PARA O PROFISSIONAL DE SAÚDE Caberedux cabergolina Cristália Prod. Quím. Farm. Ltda. Comprimido 0,5 mg MODELO DE BULA PARA O PROFISSIONAL DE SAÚDE I -IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Caberedux cabergolina MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE

Leia mais

EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS. Diego Ortega dos Santos

EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS. Diego Ortega dos Santos EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS Diego Ortega dos Santos Objetivos Aprender a lidar com esse tipo de paciente em um âmbito primário e prático, em serviços de emergência. Aprofundar a abordagem com pacientes potencialmente

Leia mais

Imunoensaios no laboratório clínico

Imunoensaios no laboratório clínico Imunoensaios no laboratório clínico Onde pesquisamos Ag e Ac?? Imunoensaios detecção e quantificação de antígeno e anticorpo: Doenças infecciosas: diagnóstico da doença diferenciação da fase da doença

Leia mais

AGITAÇÃO PSICOMOTORA. Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira

AGITAÇÃO PSICOMOTORA. Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira AGITAÇÃO PSICOMOTORA Karoline Senna Juliana Suzano Gabriela Vieira Orientador: Dr. Alexandre Pereira CONCEITO Estado de excitação mental e de atividade motora aumentada, associada a uma experiência subjetiva

Leia mais

História Natural da doença

História Natural da doença PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Escola de Ciências Agrárias e Biológicas Epidemiologia e Saúde Pública História Natural da doença Prof. Msc. Macks Wendhell Roteiro I. História natural da doença

Leia mais

CO-SECREÇÃO DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO EM PACIENTES PORTADORES DE PROLACTINOMA 1 CO-SECRETION OF GROWTH HORMONE IN PATIENTS WITH PROLACTINOMA RESUMO

CO-SECREÇÃO DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO EM PACIENTES PORTADORES DE PROLACTINOMA 1 CO-SECRETION OF GROWTH HORMONE IN PATIENTS WITH PROLACTINOMA RESUMO ARTIGO ORIGINAL CO-SECREÇÃO DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO EM PACIENTES PORTADORES DE PROLACTINOMA 1 CO-SECRETION OF GROWTH HORMONE IN PATIENTS WITH PROLACTINOMA Reny Wane Vieira DOS SANTOS 2 ; Sheila Patrícia

Leia mais

Avaliação Nutricional e Metabólica em Pacientes com Excesso de Peso com e sem Hiperprolactinemia causada por Prolactinoma

Avaliação Nutricional e Metabólica em Pacientes com Excesso de Peso com e sem Hiperprolactinemia causada por Prolactinoma UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE UFCSPA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PATOLOGIA Bruna Breyer de Freitas Avaliação Nutricional e Metabólica em Pacientes com Excesso de Peso com e

Leia mais

Alterações ósseas nas doenças hepáticas. Luciana Lofêgo Gonçalves

Alterações ósseas nas doenças hepáticas. Luciana Lofêgo Gonçalves Alterações ósseas nas doenças hepáticas Luciana Lofêgo Gonçalves Doença metabólica óssea na cirrose OSTEOPOROSE Redução da massa óssea. Frequente na doença hepática. OSTEOMALÁCIA Defeito na mineralização

Leia mais

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON

Doença de Addison DOENÇA DE ADDISON Enfermagem em Clínica Médica Doença de Addison Enfermeiro: Elton Chaves email: eltonchaves76@hotmail.com DOENÇA DE ADDISON A insuficiência adrenal (IA) primária, também denominada doença de Addison, geralmente

Leia mais

COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL?

COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL? COMO CONTROLAR HIPERTENSÃO ARTERIAL? Profa. Dra. Rosália Morais Torres VI Diretrizes Brasileiras de hipertensão arterial Arq Bras Cardiol 2010; 95 (1 supl.1): 1-51 HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA (HAS)

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette

RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette SOLICITANTE Dr. Andre Ladeira da Rocha Leão. Juiz de Direito/Titular do Juizado Especial da Comarca de Muriaé/MG. NÚMERO DO PROCESSO 0439 14 009135-6 DATA

Leia mais

Obesidade Mórbida Protocolos

Obesidade Mórbida Protocolos Obesidade Mórbida Protocolos Para análise da solicitação de cirurgia de Obesidade Mórbida, é imprescindível o envio à CABESP da relação completa dos documentos descritos abaixo: 1- Protocolo 01 - solicitação

Leia mais

CABEREDUX. cabergolina CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS 0,5 MG BULA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE

CABEREDUX. cabergolina CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS 0,5 MG BULA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE CABEREDUX cabergolina CRISTÁLIA PRODUTOS QUÍMICOS FARMACÊUTICOS LTDA. COMPRIMIDOS 0,5 MG BULA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE Página 1 de 9 CABEREDUX cabergolina 0,5 mg APRESENTAÇÕES Caberedux 0,5 mg - embalagens

Leia mais

Rogério Muniz de Andrade Gisele Mussi Ricardo Baccarelli Carvalho Lys Esther Rocha

Rogério Muniz de Andrade Gisele Mussi Ricardo Baccarelli Carvalho Lys Esther Rocha Rogério Muniz de Andrade Gisele Mussi Ricardo Baccarelli Carvalho Lys Esther Rocha SERVIÇO DE SAÚDE OCUPACIONAL Hospital das Clínicas da FMUSP Instituto Central, Prédio dos Ambulatórios, 4º. Andar, Bloco

Leia mais

5) Hiperglicemia hospitalar

5) Hiperglicemia hospitalar 79 5) Hiperglicemia hospitalar Grupo de Hiperglicemia Hospitalar do HCFMUSP: Ana Claudia Latronico, Marcia Nery, Simão Lottenberg, Marcos Tadashi Kakitani Toyoshima, Sharon Nina Admoni, Priscilla Cukier.

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Cabergolina. Fundação Oswaldo Cruz / Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) Comprimidos. 0,5 mg

Cabergolina. Fundação Oswaldo Cruz / Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) Comprimidos. 0,5 mg Cabergolina Fundação Oswaldo Cruz / Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) Comprimidos 0,5 mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Cabergolina Medicamento genérico Lei 9.787, de 1999 Comprimido

Leia mais

PAULO EDUARDO BRANDÃO, PhD DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA PREVENTIVA E SAÚDE ANIMAL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE

PAULO EDUARDO BRANDÃO, PhD DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA PREVENTIVA E SAÚDE ANIMAL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE PAULO EDUARDO BRANDÃO, PhD DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA PREVENTIVA E SAÚDE ANIMAL FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 1. DEFINIÇÃO 2. PRINCÍPIO 3. APLICAÇÕES

Leia mais

2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O

2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O 11º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 ENDOCRINOLOGIA CLÍNICA ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O que fazer perante: Hipoglicemia TERESA DIAS Serviço de Endocrinologia do HSM. Lisboa Luso, Junho de 2010 Hipoglicemia

Leia mais

ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES

ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES ASPECTOS SOROLÓGICOS Maria do Carmo Valgueiro Costa de Oliveira FUNDAÇÃO HEMOPE Resultado da produção de anticorpos contra constituintes do próprio organismo. - Quente -

Leia mais

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste.

Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste. Imagem da Semana: Ressonância magnética (RM) Imagem 01. Ressonância Nuclear Magnética (RM) de crânio, corte axial, ponderada em T1, sem contraste. Imagem 02: Detalhe de Ressonância Nuclear Magnética (RM)

Leia mais

I Encontro da rede Mãe Paranaense

I Encontro da rede Mãe Paranaense I Encontro da rede Infecções e Gestação : Atenção ao Filho de Mãe com Hepatite B e C Andrea Maciel de Oliverira Rossoni Serviço de Infectologia Pediátrica Atenção ao Filho de Mãe com Hepatite B e C Agenda

Leia mais

Atualização do uso de Antipsicóticos em Idosos

Atualização do uso de Antipsicóticos em Idosos www.abp.org.br Atualização do uso de Antipsicóticos em Idosos Ricardo Barcelos-Ferreira, MD, PhD Programa Terceira Idade (PROTER) - IPq/HCFMUSP Promoção e Realização: Antipsicóticos em Idosos Principais

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Amissulprida Generis 400 mg Comprimidos APROVADO EM Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade

Leia mais

Doenças hipotálamo-hipofisárias

Doenças hipotálamo-hipofisárias 1 Doenças hipotálamo-hipofisárias Gerald A. Charnogursky, Tiffany A. Karas, Nicholas V. Emanuele, Mary Ann Emanuele e Fadi Nabhan Avaliação do eixo hipotálamo-hipofisário... 33 Exames de imagem do sistema

Leia mais

GLOMERULOPATIAS. 5º ano médico. André Balbi

GLOMERULOPATIAS. 5º ano médico. André Balbi GLOMERULOPATIAS 5º ano médico André Balbi Definição e apresentação clínica Glomerulopatias: alterações das propriedades dos glomérulos Apresentação clínica: SÍNDROME NEFRÍTICA SÍNDROME NEFRÓTICA OBS :

Leia mais

DOENÇA DE GRAVES EM IDADE PEDIÁTRICA: AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DOS ANTITIROIDEUS

DOENÇA DE GRAVES EM IDADE PEDIÁTRICA: AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DOS ANTITIROIDEUS DOENÇA DE GRAVES EM IDADE PEDIÁTRICA: AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DOS ANTITIROIDEUS Resultados do Hospital de Braga 1 Serviço de Endocrinologia; 2 Serviço de Pediatria; C.Grupo Endocrinológico Pediátrico, Hospital

Leia mais

Sylvia Cavalcanti. Dispareunia e vaginismo:qual a diferença e como fazer este diagnóstico?

Sylvia Cavalcanti. Dispareunia e vaginismo:qual a diferença e como fazer este diagnóstico? Sylvia Cavalcanti Dispareunia e vaginismo:qual a diferença e como fazer este diagnóstico? PRINCÍPIOS DA ESPÉCIE HUMANA ROGER X BUSCA DO PRAZER FUGA DA DOR Disfunções sexuais Disfunção do desejo Estímulo

Leia mais

Macroprolactinoma invasivo assintomático em paciente do sexo masculino

Macroprolactinoma invasivo assintomático em paciente do sexo masculino Macroprolactinoma invasivo assintomático em paciente do sexo masculino Invasive asymptomatic macroprolactinoma in a male patient Relato de Caso Flávia Regina de Oliveira*, Juliana Dean Gomes*, Luciana

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DO HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) DE MULHERES DO EXTREMO-OESTE CATARINENSE

AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DO HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) DE MULHERES DO EXTREMO-OESTE CATARINENSE AVALIAÇÃO DOS NÍVEIS DO HORMÔNIO TIREOESTIMULANTE (TSH) DE MULHERES DO EXTREMO-OESTE CATARINENSE Resumo Wilian Cleison Kappel Bergmann * Eduardo Otobeli Chielli ** O Hormônio Tireoestimulante (TSH) é um

Leia mais

revisão Incidentalomas Hipofisários Lucio Vilar Monalisa F. Azevedo Gilka Barisic Luciana A. Naves RESUMO

revisão Incidentalomas Hipofisários Lucio Vilar Monalisa F. Azevedo Gilka Barisic Luciana A. Naves RESUMO revisão RESUMO Lesões hipofisárias clinicamente inaparentes são demonstradas através da ressonância magnética em aproximadamente 10% da população geral adulta, caracterizando os chamados incidentalomas

Leia mais