CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPÍTULO SUMÁRIO. CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1. CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13"

Transcrição

1 CAPÍTULO SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Histórico da implantodontia dentária: da antiguidade aos dias de hoje 1 I Período antigo (a.c. a 1000 d.c.)... 1 A Localização geográfica... 1 B Materiais utilizados... 1 C Particularidades... 1 II Período medieval (de 1000 a 1800)... 1 A Localização geográfica... 1 B Materiais utilizados... 1 C Particularidades... 1 III Período fundamental (de 1800 a 1910)... 2 IV Período pré-moderno (de 1910 a 1930)... 2 V Período moderno (de 1930 a 1978)... 2 VI Período contemporâneo (de osseointegração ou período brånemarkiano)... 7 A Localização geográfica... 7 B Materiais utilizados... 7 C Desenvolvimento do conceito de osseointegração... 7 VII Período pós-brånemarkiano (colocação de implantes osseointegrados em carga imediata)... 9 A Localização geográfica... 9 B Materiais utilizados... 9 C Elaboração do conceito de colocação em carga imediata... 9 CAPÍTULO 2 Anatomia maxilar e mandibular 13 I Maxila A Descrição anatômica B Vascularização C Inervação II Mandíbula A Descrição anatômica B Vascularização C Inervação III Anatomia microscópica e tipologia óssea IV Variações anatômicas após a perda de dentes A Reabsorção maxilar e mandibular B Modificações anatômicas induzidas pela perda de dentes Conclusão CAPÍTULO 3 Resposta dos tecidos duros e moles ao implante 23 I Resposta óssea ao implante A Histórico da osseointegração B Resposta óssea ao implante, segundo Brånemark C Pré-requisitos para a obtenção da osseointegração e sua manutenção a longo prazo, segundo Brånemark D Revisão dos pré-requisitos de Brånemark para a obtenção da osseointegração II Respostas ósseas que conduzem à osseointegração A Algumas definições B Fatores comuns à reparação óssea C Tipologia óssea (revisão)... 27

2 xiv Sumário D Resposta óssea do osso esponjoso E Resposta óssea do osso cortical III Resposta óssea e fatores locais A Resposta e qualidade ósseas B Resposta óssea e estabilidade primária C Resposta óssea e temperatura da perfuração D Resposta óssea e implantes IV Resposta óssea consecutiva à colocação em função A Implantes de uma peça B Implantes de duas peças V Resposta óssea quando ocorre uma patologia de origem infecciosa ou biomecânica A Patologia de origem infecciosa: peri-implantite B Patologia de origem biomecânica VI Mucosa peri-implantar A Características B Fisiologia C Resposta fisiológica da mucosa peri-implantar à deterioração óssea D Princípio de sustentação dos tecidos moles por um suporte ósseo subjacente Conclusão CAPÍTULO 4 Os tipos de superfície em implantodontia 55 I Resposta óssea diversa em razão do tipo de superfície A Reação em cultura celular B Reação in vivo C Contribuição do osso cortical e do osso esponjoso para a fixação D Rapidez da resposta óssea E Tipo de resposta óssea F Condução óssea a um enxerto ósseo G Jumping distance H Distribuição das compressões no momento da colocação em função I Comparação de reações ósseas entre uma superfície usinada e uma rugosa II Vantagens clínicas dos implantes de superfície rugosa III Busca de um tratamento satisfatório de superfície ou de um meio de caracterizar a rugosidade de uma superfície IV A superfície que oferece fixação mais elevada apresenta vantagem clínica? V Tratamentos de superfície disponíveis no mercado A Superfícies usinadas B Tratamento por adição C Tratamento por subtração física D Tratamento obtido por subtração química Conclusão CAPÍTULO 5 Morfologias implantares 75 CAPÍTULO 5.1 As diferentes morfologias implantares 77 A Partes do implante B Morfologia da conexão do implante CAPÍTULO 5.2 Seleção do diâmetro e da morfologia implantar 87 A Critérios para a seleção do diâmetro do implante B Implante de pequeno diâmetro C Implante de grande diâmetro D Implante cônico Conclusão CAPÍTULO 6 Diagnóstico pré-implantar 119 I Conservar ou implantar: critérios de decisão terapêutica A Diagnóstico B Prognóstico dentário C Extrações estratégicas II Indicações e contraindicações dos implantes dentários A Indicações B Contraindicações III Etapas que levam ao diagnóstico implantar A Perfil psicológico do paciente B Balanço médico geral C Antecedentes dentários D Exame clínico E Exame radiográfico F Estudo pré-implantar

3 Sumário xv IV Caderno das cargas do volume ósseo mínimo A Plano vestibulolingual B Plano coronoapical C Plano mesiodistal V Análise pré-protética A Espaço protético B Angulação C Extensão/pôntico D Critérios de escolha da retenção protética E Critérios de escolha do tipo de restauração VI Acordo entre as exigências cirúrgicas e protéticas: escolha terapêutica CAPÍTULO 7 Protocolos cirúrgicos em implantodontia 149 I Preparação para a cirurgia A Assepsia B Pré-medicação C Anestesia ou analgesia II Protocolos cirúrgicos em um ou dois tempos A Histórico B Comparações entre os dois protocolos C Indicações preferenciais dos diferentes protocolos III Cirurgia implantar A Identificação da densidade óssea B Avaliação radiográfica pré-operatória C Posicionamento 3D do implante D Sequência cirúrgica comum aos dois protocolos E Cirurgia de segundo tempo CAPÍTULO 8 Novos protocolos de colocação em carga 223 CAPÍTULO 8.1 Protocolos de colocação em carga precoce 225 A Justificativa para a colocação em carga precoce B Protocolo clínico de colocação em carga precoce C Colocação em carga precoce: documentação para cada tipo de superfície Conclusão CAPÍTULO 8.2 Protocolos de colocação em carga imediata 241 A Interesse nos protocolos de colocação em carga imediata B Conceitos da colocação em carga imediata C Definições de colocação em carga imediata D Princípios clínicos da colocação em carga imediata E Colocação em carga imediata: diversas estratégias F Custos da colocação em carga imediata G Indicações para a colocação em carga imediata H Exemplos clínicos de colocação em carga imediata I Insucessos Conclusão CAPÍTULO 9 Prótese sobre implante 263 I Validação do projeto protético II Prótese cimentada ou aparafusada A Definições B Prótese transaparafusada C Prótese cimentada III Moldagem A Introdução B Especificidade da moldagem implantossuportada C Preparação da moldagem D Moldagens de técnica direta E Moldagens de técnica indireta F Moldagens com registro da emergência da prótese provisória IV Prova dos pilares e validação do modelo de trabalho A Pilares para prótese cimentada B Pilares para prótese aparafusada V Revisão das diferentes etapas protéticas e de suas especificidades A Prótese aparafusada sobre pilar cônico B Prótese cimentada

4 xvi Sumário CAPÍTULO 10 Tipos de edentulismo: considerações cirúrgicas e protéticas 317 CAPÍTULO 10.1 Edentulismo total 319 A Diagnóstico do edêntulo total B Opções terapêuticas C Terapêutica para o edêntulo total D Relação esquelética e escolha terapêutica E Projetos protéticos C Primeira visita de controle (após oito dias) D Segunda visita de controle (após três semanas) II Visita de controle da osseointegração A Exame clínico global B Verificação da osseointegração propriamente dita III Manutenção e controle a longo prazo A Frequência das consultas de manutenção B Desenvolvimento de uma sessão de controle C Desenvolvimento de uma sessão de manutenção CAPÍTULO 10.2 Edentulismo parcial 337 A Sequência terapêutica B Edentulismo parcial nos setores anteriores C Edentulismo parcial nos setores posteriores CAPÍTULO 10.3 Edentulismo unitário 347 A Considerações cirúrgicas B Considerações protéticas CAPÍTULO 11 Tratamento implantar do setor posterior 355 I Especificidades do setor posterior A Especificidades anatômicas próprias do setor posterior do maxilar B Especificidades anatômicas próprias do setor posterior da mandíbula C Espaço protético disponível II Escolhas terapêuticas A Tratamento de adaptação B Tratamento cirúrgico CAPÍTULO 12 Acompanhamento pós-operatório e manutenção 403 I Acompanhamento pós-operatório e manutenção pós-cirúrgica A Radiografia pós-operatória B Recomendações ao paciente CAPÍTULO 13 Complicações e insucessos em implantodontia 421 I Complicações peroperatórias: prevenção A Complicações vasculares B Complicações neurológicas C Complicações técnicas D Complicações infecciosas II Complicações pós-cirúrgicas imediatas: prevenção e tratamento A Complicações vasculares e celulares B Complicações neurológicas C Complicações infecciosas D Complicações sinusais E Complicações nas mucosas III Complicações e insucessos do tratamento implantar A Complicações e insucessos biológicos: ausência de osseointegração B Complicações e insucessos estéticos C Complicações e insucessos funcionais D Complicações e insucessos mecânicos E Complicações bacterianas: mucosite e peri-implantite CAPÍTULO 14 A implantodontia a serviço da ortodontia 439 I Ancoragem convencional em ortodontia e suas limitações II Ancoragem esquelética A Histórico B Meios de ancoragem esquelética Conclusão

5 Sumário xvii CAPÍTULO 15 Casos especiais 463 CAPÍTULO 15.1 Implantes em pacientes jovens 465 A Crescimento dos maxilares B Abordagem terapêutica C Displasias ectodérmicas D Recomendações CAPÍTULO 15.2 Cistos maxilares e implantes endo-ósseos 471 A Cistos maxilares: definição B Classificação dos cistos maxilares C Clínica D Exame radiográfico E Etiopatogenia F Tratamento G Acompanhamento pós-operatório: cicatrização óssea H Falhas ósseas: proposições terapêuticas I Opção implantar CAPÍTULO 16 Inovações 479 CAPÍTULO 16.1 O conceito de platform-switching e suas implicações 481 A Introdução B Conceito de platform-switching C A importância da platform-switching D Implicações de platform-switching sobre a macrogeometria implantar: o implante Prevail E Aplicações clínicas Conclusão CAPÍTULO 16.2 NanoTite : uma nova geração de superfície bioativa 493 A A importância dos revestimentos bioativos B Preparação de revestimento bioativo pelo método de projeção de plasma C Princípios e características físicas da superfície NanoTite D Comparação com revestimentos bioativos obtidos por plasma-spray E Resultados experimentais com a superfície NanoTite F Aplicações clínicas em implantodontia CAPÍTULO 16.3 Aplicações da cirurgia ultrassônica em implantodontia 503 A Princípios e características físicas B Vantagens e desvantagens da cirurgia ultrassônica C Aplicações clínicas D Algumas aplicações clínicas em implantodontia E Perspectivas Índice 515 Créditos fotográficos 517

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS

Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS 01.01.01.001-0 Procedimento x CBO ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTACAO

Leia mais

O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA?

O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA? 1 O QUE É A TÃO FALADA CARGA IMEDIATA? A descoberta da Osseointegração pelo professor Brånemark, na década de 50, revolucionou a reabilitação dos pacientes com ausências dentárias, com a utilização dos

Leia mais

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22

PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 PREFEITURA DE GOIANIA - IMAS ATUALIZADO EM : 02/08/2010 RELATORIO DE PROCEDIMENTOS ODONTOLOGICOS POR ESPECIALIDADE VALOR DO CH ODONTOLOGICO : R$ 0,22 ESPECIALIDADE : 001 - PRONTO SOCORRO CODIGO DESCRICAO

Leia mais

Odontologia 2.004 à 2.007

Odontologia 2.004 à 2.007 Odontologia 2.004 à 2.007 Procedimentos após 10/99 à 12/07 2.004 2.005 2.006 2.007 TOTAL 0301101-PROCEDIMENTOS COLETIVOS (PACIENTE/MES) 3.161 5.145 434-8.740 0301102-ACAO COLETIVA ESCOVACAO DENTAL SUPERVISION

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS TABELA DE S ODONTOLÓGICOS VALOR Dente ou Região Dente/face/ Região Raio-X Periodicidade AutorizaçãoEspecial 81000030 Consulta odontológica R$ 29,58 R ASAI N 6 MESES N N N 81000065 81000073 81000111 81000138

Leia mais

Tomografia Computorizada Dental

Tomografia Computorizada Dental + Universidade do Minho M. I. Engenharia Biomédica Beatriz Gonçalves Sob orientação de: J. Higino Correia Tomografia Computorizada Dental 2011/2012 + Casos Clínicos n Dentes privados do processo de erupção

Leia mais

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral

Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Maio/Junho 2010 Caso Clínico Carga imediata de arco oclusal pleno com implantes Seven e Mistral Di Alberti L, Donnini F, Camerino M, Di Alberti C, Rossi G, Perfetti G, Dolci M, Trisi P do Department of

Leia mais

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-

Aluna: Lucy Shiratori. Dissertação apresentada à Faculdade de. obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós- FOUSP Avaliação da precisão da tomografia computadorizada por feixe cônico (cone beam) como método de medição do volume ósseo vestibular em implantes dentários Dissertação apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS PREFEITURA DE GOIÂNIA Instituto Municipal de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia ANEXO VIII TABELA DO IMAS COM OS VALORES DOS PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS Gabinete da Presidência

Leia mais

TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC

TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC TABELA DE CÓDIGOS E NOMENCLATURA BONFANTE DENTAL CLINIC 01 CONSULTA A1.01.01.02 A1.01.01.03 A1.01.01.05 A1.01.01.06 Consulta de medicina dentária 35 Consulta para apresentação e discussão de plano de tratamento

Leia mais

Catálogo de Produtos 2009. Implantes Componentes Instrumentais

Catálogo de Produtos 2009. Implantes Componentes Instrumentais Catálogo de Produtos 2009 Componentes Instrumentais Conexão Sistemas de Prótese Ciência e Compromisso Prezado Cliente. A Conexão Sistemas de Prótese é uma empresa 100% brasileira que produz, desenvolve

Leia mais

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração?

Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Qual o estado atual das reabilitações de maxilas atróficas com osseointegração? Hugo Nary Filho responde O tratamento do edentulismo maxilar, com a utilização de implantes osseointegráveis, vem experimentando

Leia mais

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA CIRURGIA ORAL A Cirurgia Oral é uma especialidade da Medicina Dentária que inclui o diagnóstico e o tratamento cirúrgico de patologias dos tecidos moles e tecidos duros

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Índice Introdução 5 Implantes Auto-Rosqueável Inserção Direta ID Auto-Rosqueável Standard STD Auto-Rosqueável Cônico HI Expansor Ósseo Wedge Mini-Implante Ortodôntico Ancodent Provisório

Leia mais

Curso de Técnico de Massagem Spa e Termalismo

Curso de Técnico de Massagem Spa e Termalismo Curso de Técnico de Massagem Spa e Termalismo Área de Formação: 729. Serviço de Saúde O forte desenvolvimento na área do Turismo e o aumento significativo de Spa s levam a uma necessidade crescente de

Leia mais

MASTER UNIVERSITÁRIO DE IMPLANTOLOGIA E REABILITAÇÃO ORAL (60 ECTS)

MASTER UNIVERSITÁRIO DE IMPLANTOLOGIA E REABILITAÇÃO ORAL (60 ECTS) MASTER UNIVERSITÁRIO DE IMPLANTOLOGIA E REABILITAÇÃO ORAL (60 ECTS) Objetivos do curso: O objetivo do curso de Master Universitário de Implantologia e Reabilitação Oral é transmitir competências avançadas

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO Professor: Bruno Aleixo Venturi CONCEITOS Esqueleto: conjunto de ossos, cartilagens e articulações que se interligam

Leia mais

NobelReplace. Tapered Groovy

NobelReplace. Tapered Groovy NobelReplace Tapered Groovy A forma eficaz e simples de conseguir um sorriso natural O NobelReplace Tapered Groovy reproduz a forma da raiz de um dente, tornando o procedimento cirúrgico excepcionalmente

Leia mais

TRABALHOS APROVADOS PAINEL - MANHÃ

TRABALHOS APROVADOS PAINEL - MANHÃ TRABALHOS APROVADOS PAINEL - MANHÃ Nº DIA HORÁRIO ÁREA TÍTULO APRESENTADOR CATEGORIA 01 24.10.2014 MANHÃ Cariologia A IMPORTÂNCIA DOS CUIDADOS COM A HIGIENE BUCAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA Bruna Lais Lins Gonçalves

Leia mais

CALENDÁRIO Acadêmico - 2014. 1º Semestre

CALENDÁRIO Acadêmico - 2014. 1º Semestre CALENDÁRIO Acadêmico - 2014 1º Semestre Janeiro 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 ` Confraternização Universal 01 Período para renovação de matricula 02

Leia mais

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 2 Manual de Orientação Julho/2013 (2 a edição) Indice Orientação ao Paciente Introdução 04 Implantes dentais 04 Titânio - a matéria-prima dos implantes 05 Osseointegração

Leia mais

Linhas de Pesquisa ENGENHARIAS III

Linhas de Pesquisa ENGENHARIAS III Projeto Isolado Descrição: de Projetos Isolados. Avaliação dos Efeitos de Pressão e Turbulência em Peixes. Avaliação numérica para otimização do sistema de distribuição de um sistema de aquecimento solar

Leia mais

Procedimento (Analitico)

Procedimento (Analitico) Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS Procedimento (Analitico) 0414020014 - ALVEOLOTOMIA / ALVEOLECTOMIA

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos O Sistema INP é uma empresa consolidada no Brasil em 1993, sendo uma das pioneiras na área da Implantodontia, evoluindo nos últimos anos para oferecer soluções em biomateriais e placas

Leia mais

Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso

Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso Artigo Inédito 1 41 2 42 3 4 Utilização da crista ilíaca nas reconstruções ósseas da cavidade oral. Relato de caso 43 44 7 47 8 9 Claudio Ferreira NóIA*de OlIveIRA**NóIA*** Rafael Ortega lopes****mazzonetto*****

Leia mais

Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO: UNIDADE DE CIRURGIA BUCO MAXILAR III

Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO: UNIDADE DE CIRURGIA BUCO MAXILAR III MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE ODONTOLOGIA DEPARTAMENTO DE CIRURGIA, TRAUMATOLOGIA E PRÓTESE BUCO-MAXILO-FACIAIS Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO:

Leia mais

Adultos e crianças com mais de 6 anos: Uma pastilha 3 vezes ao dia. O tratamento não deve exceder os 7 dias.

Adultos e crianças com mais de 6 anos: Uma pastilha 3 vezes ao dia. O tratamento não deve exceder os 7 dias. RESUMO DAS CARACTERISTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Tantum Verde, 3 mg, pastilhas, sabor a menta 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada Pastilha contém 3 mg de cloridrato de benzidamina

Leia mais

MANTENEDORES DE ESPAÇO

MANTENEDORES DE ESPAÇO MANTENEDORES DE ESPAÇO Conceito São aparelhos ortodônticos usados para manter o espaço nas arcadas dentárias, por perda precoce de dentes decíduos. Classificação Quanto ao uso: fixos semifixos removíveis

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

INCOR FAZ MUTIRÃO INÉDITO PARA TRATAMENTO DE MALFORMAÇÃO CONGÊNITA DO CORAÇÃO

INCOR FAZ MUTIRÃO INÉDITO PARA TRATAMENTO DE MALFORMAÇÃO CONGÊNITA DO CORAÇÃO SUGESTÃO DE PAUTA INCOR Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP São Paulo, 16 de agosto de 2012. INCOR FAZ MUTIRÃO INÉDITO PARA TRATAMENTO DE MALFORMAÇÃO CONGÊNITA DO CORAÇÃO Quarenta pacientes,

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UFC HOSPITAL UNIVERSITÁRIO WALTER CANTÍDIO HUWC COMISSÃO DE RISCOS HOSPITALARES HEMOCE ROCIVÂNIA LÉLIS

Leia mais

Catálogo. Série de Livros de Sumários da Licenciatura de História - Variante de Arte

Catálogo. Série de Livros de Sumários da Licenciatura de História - Variante de Arte Catálogo Série de Livros de Sumários da Licenciatura de História - Variante de Arte Nível de Descrição Designação Datas de Produção Arte Clássica 1981/3/24-1981/6/2 História da Arte Moderna em Portugal

Leia mais

Tudo o que você precisa saber antes de fazer um implante 2. Sumário

Tudo o que você precisa saber antes de fazer um implante 2. Sumário IMPLANTE Tudo o que você precisa saber antes de fazer um implante 2 Sumário Introdução...03 Entenda como funciona o implante...04 Qual o melhor modelo de implante...06 O que é carga imediata...07 O que

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO CIÊNCIAS DA NATUREZA - 2º CICLO (PROVA 02) O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2015 pelos alunos que

Leia mais

www.periodonto.net www.periodonto.net Carga ou Função Imediata sobre Implantes www.periodonto.net www.periodonto.net O início Tratamento Implante

www.periodonto.net www.periodonto.net Carga ou Função Imediata sobre Implantes www.periodonto.net www.periodonto.net O início Tratamento Implante Carga ou Função Imediata sobre Implantes Perda do elemento dental Coágulo O início Degradação ação da cortical alveolar periodontal Regeneração óssea Tratamento Prótese fixa convencional => sem estímulo

Leia mais

MANUAL DO CREDENCIADO ODONTOLOGIA

MANUAL DO CREDENCIADO ODONTOLOGIA MANUAL DO CREDENCIADO ODONTOLOGIA DEZEMBRO / 2015 Sumário AUDITORIA ODONTOLÓGICA... 3 PROCESSO... 3 ELEGIBILIDADE DO BENEFICIÁRIO... 3 BENEFICIÁRIOS - PRAZO AUDITORIA:... 4 AUDITORES ODONTOLÓGICOS CONVENIADOS...

Leia mais

INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON

INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON BR INTRODUÇÃO AO SISTEMA BICON BR O Design de um Implante Dita suas Capacidades Clínicas 4.5 x 6.0mm 6.0 x 5.7mm 5.0 x 6.0mm OSistema Bicon é um sistema único de implante dentário, que oferece a comunidade

Leia mais

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo.

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. A Dentoflex vai ainda mais longe A Dentoflex está no mercado odontológico há mais de 30 anos e não para de se reiventar. Para ser

Leia mais

ALTERAÇÕES TORÁCICAS CORREÇÕES CIRÚRGICAS

ALTERAÇÕES TORÁCICAS CORREÇÕES CIRÚRGICAS Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde ALTERAÇÕES TORÁCICAS CORREÇÕES CIRÚRGICAS Prof. Dr. Luzimar Teixeira 1. Técnica cirúrgica corrige não só a região anterior do

Leia mais

11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) Dr. Pedro Pablo (Especialista de Medicina Geral e Familiar)

11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) Dr. Pedro Pablo (Especialista de Medicina Geral e Familiar) PROGRAMA CIENTÍFICO Sexta-feira, 8 de Novembro Hipocoagulação oral: ainda um desafio! 11:00h 13:00h Moderadora: Drª. Soraia Monteiro (Interna de Medicina Geral e Familiar) O que o doente hipocoagulado

Leia mais

O presente estudo remete-nos para as causas de extração e perda dentária na dentição permanente, durante um período de 12 meses. Neste estudo foram incluídos todos os pacientes atendidos na clínica de

Leia mais

ECG - ELETROCARDIOGRAFIA

ECG - ELETROCARDIOGRAFIA ECG - ELETROCARDIOGRAFIA AVANçADA (SET 2016) LISBOA O Eletrocardiograma (ECG) regista a atividade elétrica do coração. Por ser não-invasivo, com baixos custos de execução e cujos resultados são obtidos

Leia mais

PRÓTESE TOTAL INFERIOR IMPLANTO-SUPORTADA COM CARGA IMEDIATA

PRÓTESE TOTAL INFERIOR IMPLANTO-SUPORTADA COM CARGA IMEDIATA PRÓTESE TOTAL INFERIOR IMPLANTO-SUPORTADA COM CARGA IMEDIATA Bruno Feital Fusaro 1 Rodrigo Guerra de Oliveira 2 Bruno Salles Sotto Maior 3 Henrique Furlani Sotto Maior 4 Fabrício de Draper Vieira 5 Resumo

Leia mais

Habitação de Interesse Social. em Containers

Habitação de Interesse Social. em Containers Habitação de Interesse Social Orientador: Prof. Dr. Antonio Castelnou DAU-UFPR em Containers Projeto: Manual de reciclagem arquitetônica de containers BANPESQ/THALES: 2014015430 Diego Nogossek da Rocha

Leia mais

Titulação Mínima. Terça-feira das 9h35 às 11h15 e Quarta-feira das 9h35 às 11h15. Terça-feira das 20h55 às 22h35 e Sexta-feira das 20h55 às 22h35

Titulação Mínima. Terça-feira das 9h35 às 11h15 e Quarta-feira das 9h35 às 11h15. Terça-feira das 20h55 às 22h35 e Sexta-feira das 20h55 às 22h35 Planilha atualizada em 28/01/2015 Vaga Curso Disciplina Ementa Horário CH semanal Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus 1 Pedagogia Literatura

Leia mais

A dissertação é dividida em 6 capítulos, incluindo este capítulo 1 introdutório.

A dissertação é dividida em 6 capítulos, incluindo este capítulo 1 introdutório. 1 Introdução A escolha racional dos sistemas estruturais em projetos de galpões industriais é um fator de grande importância para o desenvolvimento de soluções padronizadas e competitivas. No mercado brasileiro

Leia mais

Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas.

Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas. PORTARIA MF Nº 160, DE 6 DE MAIO DE 2016 DOU de 09.05.2016 Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas. O MINISTRO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE ODONTOLOGIA FERNANDA PIMENTA PIASSI MOMENTOS DE INSTALAÇÃO DOS IMPLANTES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE ODONTOLOGIA FERNANDA PIMENTA PIASSI MOMENTOS DE INSTALAÇÃO DOS IMPLANTES UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE ODONTOLOGIA FERNANDA PIMENTA PIASSI MOMENTOS DE INSTALAÇÃO DOS IMPLANTES BELO HORIZONTE 2011 FERNANDA PIMENTA PIASSI MOMENTOS DE INSTALAÇÃO DOS IMPLANTES

Leia mais

CARGA IMEDDATA EM IMPLANTES DENTÁRIOS

CARGA IMEDDATA EM IMPLANTES DENTÁRIOS UP S C 1 1t1a 161sees Scbuttel i eat3.0 i UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ESTOMATOLOGIA CUR SO DE ESPECIALIZAÇÃO EM IMPLANTODONTIA CARGA IMEDDATA EM IMPLANTES

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 12 - outubro/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é

Leia mais

Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico

Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico Artigo Técnico Implantologia Reabilitação de Espaços Reduzidos no Sentido Mésio-Distal com Implantes de Pequeno Diametro Caso clínico José Ferreira Médico dentista Prática clínica em Implantologia Aluno

Leia mais

Centro Av. Frei Pacífico Wagner,653 11660 903 Caraguatatuba SP T F 55 12 3897 2000

Centro Av. Frei Pacífico Wagner,653 11660 903 Caraguatatuba SP T F 55 12 3897 2000 Nome Curso: IMPLANTE. Implantando idéias, um curso diferente. Curso de extensão Universitária Natureza: Teórico prático Data do inicio do curso: 27 de agosto de 2010 Local: Clinica Universitário Módulo

Leia mais

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC

Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Gaudencio Barbosa R3CCP HUWC Pacientes com carcinoma de celulas escamosas (CEC) comumente se apresentam com massa cervical O primario geralmente é revelado após avaliação clínica O primário pode ser desconhecido

Leia mais

Implantes Dentários Osseointegrados - Extensão em Implantodontia -Fase Cirúrgica

Implantes Dentários Osseointegrados - Extensão em Implantodontia -Fase Cirúrgica Implantes Dentários Osseointegrados - Extensão em Implantodontia -Fase Cirúrgica SIEXBRASIL: 17707 Área Temática Principal: Saúde Área Temática Secundária: Atenção à saúde e qualidade de vida das pessoas.

Leia mais

Índice. Contacto G R Ü N E N T H A L S. A. D O S S I E R D E I M P R E N S A 2 0 1 6. Informação Geral... 2. Perfil da empresa...

Índice. Contacto G R Ü N E N T H A L S. A. D O S S I E R D E I M P R E N S A 2 0 1 6. Informação Geral... 2. Perfil da empresa... Índice Informação Geral... 2 Perfil da empresa... 3 Grünenthal Portugal... 4 Investigação & Desenvolvimento... 5 Responsabilidade Social... 7 Contacto Grünenthal Portugal Elisabete Godinho elisabete.godinho@grunenthal.com

Leia mais

COD DESCRIÇÃO Us Local Us Interc Critérios Técnicos e Observações

COD DESCRIÇÃO Us Local Us Interc Critérios Técnicos e Observações UNIODONTO ARARAQUARA COOPERATIVA DE TRABALHO ODONTOLÓGICO TABELA UNIODONTO TUSS 01 de Julho de 2013 COD DESCRIÇÃO Us Us Interc Critérios Técnicos e Observações DIAGNÓSTICO - ATIVIDADES 81000030 Consulta

Leia mais

One Step Hybrid A SOLUÇÃO DEFINITIVA COM CARGA IMEDIATA

One Step Hybrid A SOLUÇÃO DEFINITIVA COM CARGA IMEDIATA One Step Hybrid A SOLUÇÃO DEFINITIVA COM CARGA IMEDIATA 1 5 im d One Step Hybrid A solução definitiva com carga imediata A minha auto-estima melhorou, os meus amigos dizem que sou outra pessoa depois da

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

ANEXO I CURSO: ADMINISTRAÇÃO - EQUIVALÊNCIAS

ANEXO I CURSO: ADMINISTRAÇÃO - EQUIVALÊNCIAS ANEXO I CURSO: ADMINISTRAÇÃO - EQUIVALÊNCIAS DISCIPLINA ADM009 - Informática Básica - CON001 - Informática Básica - /Ciências Contábeis ADM010 - Metodologia Científica - ADM042 - Metodologia Científica

Leia mais

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS

210 RX Periapical R$ 7,00 220 RX Bite-Wing (Interproximal) R$ 7,00 310 RX Oclusal R$ 14,00 300-490 - 3 URGÊNCIAS/EMERGÊNCIAS ODONTOLÓGICAS 1 - DIAGNÓSTICO 100-490 110 Consulta Inicial (Exame Clínico e Orçamento) (VALID. 6 meses) R$ 45,00 120 Urgência odontológica R$ 45,00 130 Exame histopatológico*** (somente clínicas especializadas) ***

Leia mais

N.º 183 - Seção 1, quinta-feira, 23 de setembro de 2010. Ministério da Saúde

N.º 183 - Seção 1, quinta-feira, 23 de setembro de 2010. Ministério da Saúde N.º 183 - Seção 1, quinta-feira, 23 de setembro de 2010 Ministério da Saúde GABINETE DO MINISTRO PORTARIA No- 2.898, DE 21 DE SETEMBRO DE 2010. Atualiza o Anexo da Portaria No- 600/GM, de 23 de março de

Leia mais

MANUAL DO ASSOCIADO. Plano Individual e Familiar. A solução definitiva em odontologia

MANUAL DO ASSOCIADO. Plano Individual e Familiar. A solução definitiva em odontologia MANUAL DO ASSOCIADO Plano Individual e Familiar A solução definitiva em odontologia MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação,

Leia mais

Transplante capilar Introdução

Transplante capilar Introdução Transplante Capilar Perda de cabelo e calvície são, muitas vezes, uma parte inesperada e indesejada da vida. Felizmente, com os recentes avanços na tecnologia, a perda de cabelo pode ser diminuída ou interrompida

Leia mais

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica.

O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. O uso do substituto ósseo xenogênico em bloco OrthoGen em procedimento de enxertia intraoral. Avaliação clínica e histológica. Fábio Gonçalves 1 Resumo O objetivo deste estudo é apresentar um caso clínico

Leia mais

pacientes edêntulos Straumann Dental Implant System

pacientes edêntulos Straumann Dental Implant System Soluções de tratamento de pacientes edêntulos Straumann Dental Implant System Soluções de restauração para todos os requisitos dos pacientes Básicas Soluções básicas: a dentadura é fixada eficazmente por

Leia mais

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS. CoBaTrICE AMIB PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA BASEADO EM COMPETÊNCIAS CoBaTrICE AMIB ÁREAS DE DOMÍNIO 1-Ressuscitação e controle inicial do paciente agudamente enfermo 2-Diagnóstico: avaliação, investigação,

Leia mais

Implantes Dentários na Reabilitação Oral

Implantes Dentários na Reabilitação Oral www.pucrs.br/repositorio Implantes Dentários na Reabilitação Oral Eduardo Rolim Teixeira 1. Introdução: O surgimento e aplicação dos princípios da osseointegração na Odontologia viabilizou novos horizontes

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia)

PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia) *C0048302E* C0048302E CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia) Altera a Lei nº 8.080, de 11 de setembro, de 1990, para determinar a realização de campanhas destinadas

Leia mais

Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia

Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia Aplicação da Terapia Fotodinâmica e Laserterapia em Implantodontia Juliana Marotti 1, Pedro Tortamano Neto 2, Dieter Weingart 3 1 Doutoranda do Departamento de Prótese da Faculdade de Odontologia da USP,

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PRÓTESE DENTÁRIA 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: a) Tratamento endodôntico. b) Perda da estrutura

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA

ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA ORIENTAÇÕES SOBRE CARCINOMA NÃO INVASIVO DA BEXIGA (Actualização limitada do texto em Março de 2009) M. Babjuk, W. Oosterlinck, R. Sylvester, E. Kaasinen, A. Böhle, J. Palou Introdução Eur Urol 2002;41(2):105-12

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO AUTORES: André Zétola Rafaela Larson Introdução A procura

Leia mais

REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS

REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS REVISÃO SISTEMÁTICA DA PERDA ÓSSEA AO REDOR DE IMPLANTES EM PRÓTESES MÚLTIPLAS E UNITÁRIAS Marcela Melo Dos Santos ¹ Guaracilei Maciel Vidigal Júnior ² Na implantologia oral, as complicações mais comuns

Leia mais

Pós-graduação em Periodontologia para Médicos Dentistas

Pós-graduação em Periodontologia para Médicos Dentistas Pós-graduação em Periodontologia para Médicos Dentistas Programa O curso de pós-graduação em periodontologia da MD Formação em parceria com a Clínica Gingiva de Madrid destina-se a todos os Médicos Dentistas

Leia mais

NOVO MAPA NO BRASIL?

NOVO MAPA NO BRASIL? NOVO MAPA NO BRASIL? Como pode acontecer A reconfiguração do mapa do Brasil com os novos Estados e Territórios só será possível após a aprovação em plebiscitos, pelos poderes constituídos dos respectivos

Leia mais

Lógica de Programação. Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto

Lógica de Programação. Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto Lógica de Programação Profas. Simone Campos Camargo e Janete Ferreira Biazotto O curso Técnico em Informática É o profissional que desenvolve e opera sistemas, aplicações, interfaces gráficas; monta estruturas

Leia mais

Faculdade Independente do Nordeste Credenciada pela Portaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada no D.O.U. de 09/07/2001.

Faculdade Independente do Nordeste Credenciada pela Portaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada no D.O.U. de 09/07/2001. CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: CLÍNICA ODONTOLÓGICA IV Código: ODO-045 Pré-requisito: CLÍNICA

Leia mais

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral

Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Técnicas Anestésicas Aplicadas à Cirurgia Oral Anestesias Locais 1. Periférica, tópica ou de superfície 2. Infiltrativa terminal 3. Troncular, regional ou bloqueio de condução Aula de cirurgia Anestesia

Leia mais

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA Versão I 2013 PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CEO CISA/IJUI 1. ENDODONTIA 2. PERIODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PACIENTES

Leia mais

ALEXANDRE CARDOSO ROTA CARGA IMEDIATA EM PRÓTESE IMPLANTO-SUPORTADA. Florianópolis, 2004.

ALEXANDRE CARDOSO ROTA CARGA IMEDIATA EM PRÓTESE IMPLANTO-SUPORTADA. Florianópolis, 2004. ALEXANDRE CARDOSO ROTA CARGA IMEDIATA EM PRÓTESE IMPLANTO-SUPORTADA Florianópolis, 2004. ALEXANDRE CARDOSO ROTA CARGA IMEDIATA EM PRÓTESE IMPLANTO-SUPORTADA Trabalho de conclusão apresentado ao Curso de

Leia mais

overdentures and prostheses for edentulous maxilla rehabilitation

overdentures and prostheses for edentulous maxilla rehabilitation Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo 2007 jan-abr; 19(1):61-7 OVERDENTURES E PRÓTESES FIXAS PARA REABILITAÇÃO COM IMPLANTES EM MAXILA EDÊNTULA overdentures and prostheses for edentulous

Leia mais

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C O sistema reembasador para qualquer aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c O sistema reembasador para qualquer aplicação A atrofia do osso alveolar

Leia mais

Curso de Exames Laboratoriais: Exploração Funcional Vestibular. Referencial Pedagógico

Curso de Exames Laboratoriais: Exploração Funcional Vestibular. Referencial Pedagógico Curso de Exames Laboratoriais: Exploração Funcional Vestibular Referencial Pedagógico 1. Competências Globais e Específicas O formando irá desenvolver competências gerais e específicas no âmbito da caracterização

Leia mais

Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. Educação Integral dos Trabalhadores

Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO. Educação Integral dos Trabalhadores Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Educação Integral dos Trabalhadores ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA ILHA - CUT Projeto Político Pedagógico da Escola de Turismo

Leia mais

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS COB UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLRH-001 GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS Revisão: 03 ÁREA RESPONSÁVEL: Recursos Humanos SUMÁRIO CAPÍTULO

Leia mais

Conduta Frente a Casos de Tuberculose Eletânia Esteves de Almeida Infectologista

Conduta Frente a Casos de Tuberculose Eletânia Esteves de Almeida Infectologista Conduta Frente a Casos de Tuberculose Eletânia Esteves de Almeida Infectologista www.ccdionline.com Tuberculose Mycobacterium tuberculosis; Forma pulmonar: responsável pela manutenção da cadeia de transmissão.

Leia mais

Uma solução para cada reabilitação

Uma solução para cada reabilitação Uma solução para cada reabilitação Biomateriais Sistemas de Implantes Soluções Digitais Serviço Sobre a Phibo A Phibo é a empresa multinacional espanhola líder em implantologia e regeneração óssea. A Phibo

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIOLOGIA PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA. Tema: Identidade dos Seres Vivos COMPETÊNCIA HABILIDADE CONTEÚDO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIOLOGIA PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA. Tema: Identidade dos Seres Vivos COMPETÊNCIA HABILIDADE CONTEÚDO BIOLOGIA PRISE/PROSEL- 1ª ETAPA Tema: Identidade dos Seres Vivos Perceber e utilizar os códigos intrínsecos da Biologia. Relacionar o conhecimento das diversas disciplinas para o entendimento de fatos

Leia mais

Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS. Informação ao paciente. Degussa Dental

Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS. Informação ao paciente. Degussa Dental Para todos os casos! Implantes-ANKYLOS Informação ao paciente Degussa Dental Fornecido pelo seu cirurgião-dentista: Prezado(a) paciente, Mais cedo ou mais tarde acontece com cada um de nós: os primeiros

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO 2016/2017

CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO 2016/2017 CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO 2016/2017 Conservação e Restauração em sua interdisciplinaridade Museal DOCENTE: Profª. Esp. Marcia Cristina de Almeida Corso (Titina Corso) Elementos mistos presentes na

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL UNIODONTO PORTO ALEGRE Modalidade pré-pagamento sem coparticipação, ou seja, o contratante pagará apenas o valor da mensalidade e terá a sua disposição todos os beneficios previstos pela ANS. Atendimento

Leia mais

Bti Scan II, o início para um tratamento de êxito

Bti Scan II, o início para um tratamento de êxito BTI SCAN II v 2.1 BTI Biotechnology Institute BTI SCAN II Bti Scan II, o início para um tratamento de êxito O BTI Scan II é uma aplicação informática para diagnóstico e planificação digital dos tratamentos

Leia mais

PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015

PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015 PROGRAMA de FORMAÇÃO CONTÍNUA em CUIDADOS CONTINUADOS e PALIATIVOS 2015 Unidade de Cuidados Continuados e Paliativos do Hospital da Luz Justificação, Finalidade e Objectivos: Os Cuidados Paliativos assumem-se

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Radiografia anteroposterior do terço proximal da perna esquerda. Imagem 02. Ressonância magnética do mesmo paciente, no plano coronal

Leia mais

Protocolos para tórax. Profº Claudio Souza

Protocolos para tórax. Profº Claudio Souza Protocolos para tórax Profº Claudio Souza Indicações Quando falamos em tomografia computadorizada para o tórax temos uma grande variedade de protocolos para estudos diversos, como por exemplo: estudo vascular

Leia mais