Governança de TI. Gabriela Medeiros: Luiz Claudio: Mª Luísa Fontenelle: Estácio de Sá.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Governança de TI. Gabriela Medeiros: Luiz Claudio: Mª Luísa Fontenelle: Estácio de Sá."

Transcrição

1 Estácio de Sá Administração Administração de Sistema de informação Governança de TI Gabriela Medeiros: Luiz Claudio: Mª Luísa Fontenelle:

2 Governança de TI: I-. Conceitos básicos;. Controle;. Benefícios econômicos. II- Metodologia:. ITIL;. COBIT. III- Gestão de desempenho de operações e serviços de TI.

3 Governança de TI I Conceitos básicos: Governança de TI é uma estrutura de relacionamentos e processos para dirigir e controlar a organização para o atingimento dos objetivos desta, adicionando valor, ao mesmo tempo que equilibra os riscos em relação ao retorno da TI e seus processos. São métodos para tornar mais transparentes, organizadas e legítimas as práticas de direção e monitoramento do desempenho das empresas. Também é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a finalidade de garantir controles efetivos, ampliar os processos de segurança, minimizar os riscos, ampliar o desempenho, otimizar a aplicação de recursos, reduzir os custos, suportar as melhores decisões e consequentemente alinhar TI aos negócios. Outra definição que se encaixa em Governança de TI é considerá-la como a Gestão da Gestão, demonstrando seu papel principal que é de auxiliar o gestor em organizações que almejam atender a crescente demanda por aumento de qualidade de produtos e processos, a alta competitividade do mercado globalizado e a busca por avaliar os rumos a serem tomados para o alcance dos objetivos da organização, onde um direcionamento errado pode levar a empresa ao fracasso em pouco tempo. A dependência crítica das empresas em relação a TI requer um foco específico em como governa-la. Isto é necessário para assegurar não só bons resultados dos investimentos feitos em TI, como também que os riscos associados à sua aplicação sejam mitigados. A TI pode influenciar as oportunidades estratégicas da empresa, fornecendo informações valiosas para a elaboração de planos estratégicos. Dessa forma a governança em TI ajuda a empresa a tirar o máximo de proveito da informação e pode ser vista como um fator propulsor da governança empresarial, para alcançar os objetivos dos negócios a TI tem que estar alinhada com as atividades da empresa. Governança em TI foca em:. Alinhamento de TI com os objetivos de negócio;. Uso dos recursos de TI;. Gerência dos riscos de TI;. Valor agregado.. Controle Conjunto de políticas, procedimentos, práticas e estruturas organizacionais desenhadas para prover garantia razoável de que os objetivos de negócio serão atingidos e que eventos indesejáveis serão prevenidos ou detectados e corrigidos. O objetivo é a definição de determinados objetivos ou resultados a serem obtidos ao implementar procedimentos de controle em uma determinada atividade de TI.. Benefícios Econômicos - Estabelecer e manter boa imagem e reputação com a administração;

4 - Assegurar que os projetos de TI previstos adicionem valor à empresa; - Controlar Custos de TI; - Vender produtos e serviços de TI apropriados para terceiros; - Alinha a estratégia de TI com as do negócio; - Mais capacidade e agilidade para novos modelos de negócios ou ajustes nos modelos atuais; - Explicita a relação entre aumento nos custos de TI e aumento no valor da informação; - Mantém os riscos do negócio sob controle; - Explicita a importância da TI na continuidade dos negócios; - Mede e melhora continuamente a performance de TI. II- Metodologias A implementação efetiva da Governança de TI só é possível com o desenvolvimento de um framework (modelo) organizacional específico. Para tanto, devem ser utilizadas, em conjunto, as melhores práticas existentes como o BSC, PMBok, Cobit, ITIL, CMMI e ISO , de onde devem ser extraídos os pontos que atinjam os objetivos do programa de Governança. Além disso, é imprescindível levar em conta os aspectos culturais e estruturais da empresa, devido à mudança dos paradigmas existentes. O grande desafio do Governante de TI é o de transformar os processos em engrenagens que funcionem de forma sincronizada a ponto de demonstrar que a TI não é apenas uma área de suporte ao negócio e sim parte fundamental da estratégia das organizações. ITIL (Information technology infra- structure library) É um conjunto de boas práticas para elaboração, implantação e gerenciamento de processos de TI, tendo como foco a descrição dos processos necessários para gerenciar a estrutura de TI de forma eficiente e eficaz, e objetivando garantir os níveis de serviço acordados com os clientes internos e externos. ITIL é o framework para gerenciamento de serviços de TI mais adotado mundialmente. A utilização das melhores práticas contidas na ITIL V3, ajuda as organizações a atingirem seus objetivos de negócio utilizando apropriadamente os serviços de TI. A ITIL foi desenvolvida no final dos anos 80 pelo governo britânico, primeiramente como CCTA (Central computer and Telecommunications Agency) e futuramente pela OGC (Office of Government Commerce) a partir da necessidade do governo de ter seus processos organizados na área de TI. O resultado foi a junção dos melhores processos e práticas para ancorar a gestão dos serviços de TI. Foram levadas em conta as experiências acumuladas por organizações públicas e privadas de diversos países. Durante a década de 90, várias organizações europeias privadas passaram a adotar essas melhores práticas, o que acabou popularizando as publicações.

5 Para ter uma definição do ITIL é importante entender que ela é organizada em torno do ciclo de vida de um serviço dentro de uma organização e contém os seguintes volumes:. Estratégias do serviço- definição dos requisitos e necessidades do negócio;. Projeto de serviço- definição da solução a ser adotada;. Transição de serviço- relacionado ao gerenciamento de mudanças;. Operação do serviço- assegura que os serviços estão sendo atendidos baseado nos SLAs;. Melhoria contínua do serviço- manter a constante melhoria dos serviços baseando-se no ciclo PDCA. Dentre os principais benefícios do uso do modelo ITILV3 podemos mencionar:. Alinhamento de TI, seus serviços e riscos com as necessidades do negócio;. Níveis de serviço (SLA) negociáveis;. Processos consistentes e previsíveis;. Eficiência na entrega do serviço;. Serviços e processos mensuráveis e passíveis de melhorias;. Otimização da experiência do cliente;. Uma linguagem comum. Cobit (Control objectives for information and related technology) É um guia de boas práticas apresentado como framework, dirigido para a TI. Mantido pelo ISACA (information systems audit and control association) possui uma série de recursos que podem servir como um modelo de referência para a gestão da TI, incluindo um sumário executivo, um framework, objetivos de controle, mapas de auditoria, ferramentas para a sua implementação e principalmente um guia com técnicas de gerenciamento. Especialistas em gestão e institutos independentes recomendam o uso do Cobit como meio para otimizar os investimentos de TI, melhorando o retorno sobre o investimento (ROI) percebido, fornecendo métricas para a avaliação dos resultados. O Cobit independe das plataformas adotadas nas empresas, tal como independe do tipo de negócio e do valor e participação que a tecnologia da informação tem na cadeia produtiva da empresa. No Cobit 5 uma das principais alterações em relação ao Cobit

6 4.1, é a integração com os outros conjuntos de boas práticas e metodologias, como padrões ISO, ITIL, dentre outros. O Cobit funciona por meio da aplicação de diversas práticas de controle da informação, que vão desde o planejamento até o monitoramento de resultados. Assim, o Cobit começa por estabelecer as melhores práticas de governança de TI e que estejam em consonância com os objetivos da empresa. A partir daí, ocorre uma descrição dos processos, incluindo o planejamento, execução e monitoramento dos processos de TI. Também são estabelecidos os objetivos de controle, que devem ser específicos para as necessidades de cada empresa. A avaliação dos modelos e dos processos também é importante para corrigir não- conformidades e, de maneira geral, a gerência pode ser ajudada com um guia de boas práticas que auxilia, por exemplo, na delegação de tarefas e na avaliação da interação entre processos. O principal objetivo do Cobit é, naturalmente, a governança de TI, mas ele também serve para dar atenção ao foco do negócio, em vez de simplesmente se atentar aos serviços de TI como um todo. A versão Cobit 5 é a mais utilizada porque realmente garante uma maior governança, não deixando-a apenas na teoria. Como é uma plataforma sustentável de ações, a governança é atingida e mantida de maneira real, além disso o Cobit 5 também diminui o risco de implementação de TI, além de otimizar a utilização de recursos. A aplicação dessas práticas também garante um maior apoio à tomada de decisão, e uma aplicação eficiente da tecnologia para melhorias no processo. -Critérios de informação ou requisitos de negócio-. Efetividade- lida com a informação relevante e pertinente para o processo de negócio, bem como a mesma sendo entregue em tempo, de maneira correta, consistente e utilizável;. Eficiência- relaciona-se com a entrega da informação através do melhor uso dos recursos, de forma mais produtiva e econômica;. Confidencialidade- proteção das informações confidenciais a fim de se evitar sua divulgação indevida;. Integridade- relaciona-se com fidedignidade e totalidade da informação, bem como sua validade para o negócio;. Disponibilidade- relaciona-se com a disponibilidade das informações quando esta é exigida para processamento pelo negócio. Também possui relação com a salvaguarda dos recursos necessários e sua capacidade;. Conformidade- aderência a leis, regulamentos e obrigações contratuais relacionadas ao negócio;. Confiabilidade- relaciona-se com a entrega da informação apropriada para a tomada de decisão.

7 III- - Gestão de desempenho de operações e serviços de TI. Hoje em dia, a tecnologia tem se tornado uma grande aliada da boa gestão dos negócios, auxiliando as companhias no alcance de maior produtividade, controle e melhor desempenho de equipes, além de uso adequado das informações estratégicas para ganhar vantagem competitiva, descobrir novos mercados e explorar oportunidades. Mas, o fato é que o uso de soluções tecnológicas só produzirão bons resultados neste sentido caso seja feito um bom trabalho de governança de TI. Afinal, a boa gestão de TI é responsável por gerenciar não só a infraestrutura e os componentes físicos de acordo com a demanda (garantindo sua estabilidade e performance ágil), como também o bom desempenho de programas e a integração de todo o sistema para maior interação de dados, a fim de prover base para o bom funcionamento dos trabalhos, suporte às tarefas e geração de análises consistentes que ajudem no processo de tomada de decisões e na obtenção de maior controle sobre os negócios. A boa gestão oferece vantagens como: Elevação do nível de segurança Automatizando processos burocráticos e contando com um adequado sistema de monitoramento, é possível estabelecer um modelo de gestão de desempenho e TI que permita garantir a segurança da informação na medida certa, de forma a aumentar sua disponibilidade para quem tem acesso autorizado e depende dela para realizar seus trabalhos e também utilizá-la de forma estratégica, bem como liberar o gestor para focar nos projetos de sua área. Com uma boa gestão de TI, é possível elevar a segurança e proteção das operações e dos próprios dados. Neste sentido, a boa gestão compreende ter soluções de TI integradas que funcionem com um bom equilíbrio entre software e hardware a fim de prover estabilidade (o que já evita desastres ou panes que ocasionariam perda de informação) e também proporcionem maior controle. Maior visibilidade e intervenção em riscos O monitoramento adequado do ambiente de TI permite ver melhor tudo o que acontece no setor, o que lhe falta, quais dificuldades técnicas enfrenta, prever problemas, antecipar-se aos riscos e minimizá-los. Monitoramento e o suporte técnico certo podem garantir tranquilidade e menos perdas, além de diminuir imprevistos e reduzir incidentes. Podendo intervir a tempo em situações de risco, a empresa consegue poupar recursos e evitar contratempos danosos. E os resultados disso se refletem em todo o negócio, inclusive aumentando as chances de crescimento, afinal, se a área de TI vai bem,

8 evitam-se desperdícios e é possível gerar relatórios de análise precisos que permitam enxergar oportunidades e driblar dificuldades. Podemos ver então que os esforços de TI caminham no sentido de integrar tecnologia, pessoas e processos sempre da melhor forma a fim de extrair o máximo do potencial das equipes e da própria empresa. Ganho de tempo e autonomia para decisões No caso de empresas, é bem verdade que tempo significa dinheiro. Um bom gestor que não perca tempo resolvendo problemas técnicos consegue maior autonomia para tomar decisões estratégicas, tendo estrutura mais estável e organizada para desenvolver melhor seus projetos da área e podendo ter mais foco no negócio. Tomar decisões devidamente pautadas em levantamentos é essencial. Estabelecer e analisar o conjunto de serviços que ofereçam todo o suporte e infraestrutura de que a empresa precisa, por meio da implementação de soluções inovadoras para fazer a área de TI funcionar melhor e mais integrada em todos os sentidos, de modo que esta integração e o adequado monitoramento gere mais eficiência é, inclusive, uma de suas funções. Integrar tecnologias e mobilidade traz agilidade e praticidade, mas também requer controle constante. Buscar uma empresa especializada que ofereça a melhor relação custo x benefício no acompanhamento desta gestão, além das mais modernas e eficazes ferramentas aliadas a tal tarefa, pode ser a melhor saída. Otimização de todos os setores A boa gestão de TI ajuda a controlar melhor as finanças, as operações comerciais (pagamentos, comércio eletrônico conectado ao mobile, suíte de aplicativos, carteira eletrônica, entre outras), também exercendo melhor controle sobre o desempenho de funcionários e níveis de resultados. Essa gestão afeta o financeiro, não só ajudando a controlar melhor a rotina que envolve o dinheiro, como também auxiliando a melhor gerenciar os ativos e a diminuir custos com desperdícios, o que pode facilitar o trabalho de ver onde é possível empregar os recursos poupados para investir na expansão do negócio. Há soluções integradas que ajudam a melhor gerenciar também o RH e podem ser vistas como aliados das próprias equipes que conseguem aumentar sua produtividade por meio do compartilhamento facilitado de informações essenciais entre os clientes internos, guiar seu rendimento por meio de ferramentas de mensuração e ter melhor visão dos trabalhos. Ou seja, há benefícios em todos os âmbitos.

9 Sites de referência:

3) Qual é o foco da Governança de TI?

3) Qual é o foco da Governança de TI? 1) O que é Governança em TI? Governança de TI é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade VI Planejamento Estratégico de TI. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Unidade VI Planejamento Estratégico de TI. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 6.1 Governança de tecnologia da Informação 6.2 Planejamento e Controle da TI 6.3 O Papel Estratégico da TI para os Negócios 6.4

Leia mais

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso GRC e Continuidade de Negócios Claudio Basso claudio.basso@sionpc.com.br Governança um atributo de administração dos negócios que procura criar um nível adequado de transparência através da definição clara

Leia mais

Governança em TI PROFA. DRA. ELISA YUMI NAKAGAWA. SSC 531 Gestão de Sistemas de Informação. 2. Semestre de 2016

Governança em TI PROFA. DRA. ELISA YUMI NAKAGAWA. SSC 531 Gestão de Sistemas de Informação. 2. Semestre de 2016 SSC 531 Gestão de Sistemas de Informação Governança em TI PROFA. DRA. ELISA YUMI NAKAGAWA 2. Semestre de 2016 SSC0531 - Gestão de Sistemas de Informação 2 Roteiro Introdução Governança corporativa Motivação

Leia mais

Uma abordagem de gerência de configuração em ambiente de TI com as melhores práticas em I.T.I.L

Uma abordagem de gerência de configuração em ambiente de TI com as melhores práticas em I.T.I.L Uma abordagem de gerência de configuração em ambiente de TI com as melhores práticas em I.T.I.L MARCELO CLÁUDIO DANTAS SALLES RIBEIRO JUNIOR MARIA DE JESUS RODRIGUES DA SILVA OBJETIVO Avaliar processos

Leia mais

Processo de gerenciamento de capacidade

Processo de gerenciamento de capacidade Processo de gerenciamento de capacidade O fornecimento da capacidade exigida para processamento e armazenamento de dados é tarefa do gerenciamento de capacidade. Isso é feito para que o provimento desta

Leia mais

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Ângela F. Brodbeck (Escola de Administração) Jussara I. Musse (Centro de Processamento

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com TECNOLOGIA

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

COBIT (Control Objectives for Information and Related Tecnology)

COBIT (Control Objectives for Information and Related Tecnology) COBIT (Control Objectives for Information and Related Tecnology) Mestrado em Gestão estratégicas de Organizações Disciplina: Sistemas de Informação e Novas Tecnologias Organizacionais Professor: M.Sc.

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2012 2013 APRESENTAÇÃO O Planejamento Estratégico tem como objetivo descrever a situação desejada de uma organização e indicar os caminhos para

Leia mais

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2 Segundo Módulo: Parte 2 As visões de Negócio 1 Quais são visões de Negócio? Para conhecer o negócio o Analista de precisa ter: - Visão da Estratégia - Visão de Processos (Operação) - Visão de Valor da

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex.

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex. 1 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Disposições Gerais Os sistemas de informação, a infraestrutura tecnológica, os arquivos de dados e as informações internas ou externas, são considerados importantes

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Visão Geral dos O é fundamental para o gerenciamento de um ambiente de TI, uma vez que a eficácia é seriamente comprometida se uma organização não souber quais ativos de software ela possui, onde estão

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 PRINCÍPIOS... 3 4 REFERÊNCIAS... 4 5 CONCEITOS... 4 6 PRERROGATIVAS... 4 7 DIRETRIZES... 5 8 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com TECNOLOGIA

Leia mais

Modelagem De Sistemas

Modelagem De Sistemas Modelagem De Sistemas UNIP Tatuapé - SP Aplicações em Linguagem de Programação Prof.Marcelo Nogueira Uma empresa de software de sucesso é aquela que consistentemente produz software de qualidade que vai

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO GESTÃO INTEGRADA DE RISCO OPERACIONAL, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE Objetivo Este documento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Apresentação do Plano de Ensino. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Apresentação do Plano de Ensino. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Quem sou eu? Site: http://www.luizleao.com Introdução Para aprender a Gerir, Conceber, Desenvolver, Testar, avaliar a qualidade, avaliar a segurança,

Leia mais

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI)

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) Aula baseada em dois artigos: Comportamento e Estratégias de Organizações em

Leia mais

Gerenciamento e Administração de Redes

Gerenciamento e Administração de Redes Gerenciamento e Administração de Redes ITIL 1 O que é ITIL? Information Technology Infrastructure Library (ITIL) é uma biblioteca de boas práticas (do inglês best practices), de domínio público, desenvolvida

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 0. Introdução 1 Roteiro Definição Justificativa Fontes de Requisitos Análise/Avaliação de Riscos Seleção de Controles Ponto de Partida Fatores Críticos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI BASEADO EM ITIL *

GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI BASEADO EM ITIL * GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI BASEADO EM ITIL * Alex SILVA 1 ; Marcelo Stehling de CASTRO 2 1 Dicente do curso de pós-graduação lato sensu EMC/UFG alexf16@hotmail.com; 2 Docente do curso de Especialização

Leia mais

POLÍTICA POL TI 002 GOVERNANÇA TI REV.3 PG 1/11. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015.

POLÍTICA POL TI 002 GOVERNANÇA TI REV.3 PG 1/11. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015. Data: 26/01/2015. GOVERNANÇA TI REV.3 PG 1/11 Homologado por: Renato Martins Oliva Presidente Data: 26/01/2015 Visto: Homologado por: Cyril Desire Alberis Andre Diretor de Risco de Crédito Data: 26/01/2015 Visto: Homologado

Leia mais

DESENHO DE CARGOS E TAREFAS

DESENHO DE CARGOS E TAREFAS Faculdade de Tecnologia SENAC GO Gestão de Pessoas Professor: Itair Pereira da Silva Grupo: Luís Miguel Nogueira de Resende, Valdivino de Carvalho, Rodrigo Neres Magalhães e Venicyus Venceslencio da Paz.

Leia mais

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios O Ambiente Financeiro Global Nenhuma economia ou governo de sucesso, pode operar atualmente sem inter-conectividade

Leia mais

Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207

Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Visão Geral da Norma ISO/IEC 12207 Engenharia de Software 2o. Semestre

Leia mais

Introdução a Sistemas de Informação

Introdução a Sistemas de Informação Introdução a Sistemas de Informação Orivaldo Santana Jr A partir de slides elaborados por Ivan G. Costa Filho, Fernando Fonseca & Ana Carolina Salgado Graduação 1 Introdução Sistema de Informação (SI)

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Governança aplicada à Gestão de Pessoas

Governança aplicada à Gestão de Pessoas Governança de pessoal: aperfeiçoando o desempenho da administração pública Governança aplicada à Gestão de Pessoas Ministro substituto Marcos Bemquerer Brasília DF, 15 de maio de 2013 TCU Diálogo Público

Leia mais

Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016

Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016 Como os resultados do diagnóstico de segurança podem priorizar os riscos inerentes aos negócios Security Leaders Belo Horizonte/MG - 15/06/2016 Fernando Nicolau Freitas Ferreira, MSc, CISM, CRISC, CGEIT,

Leia mais

Política de segurança da informação Normas

Política de segurança da informação Normas Política de Segurança das Informações Prof. Luiz A. Nascimento Auditoria e Segurança de Sistemas Anhanguera Taboão da Serra Normas 2 BS 7799 (elaborada pela British Standards Institution). ABNT NBR ISO/IEC

Leia mais

WEBINAR. Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Pós-graduação Gestão de Serviços em TI. Prof.

WEBINAR. Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Pós-graduação Gestão de Serviços em TI. Prof. WEBINAR Pós-graduação Gestão de Serviços em TI Tema: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Prof. Ademar Albertin Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança

Leia mais

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Atual DE Denominação PÚBLICOS Social DE da Draft II Participações INTERESSE S.A. Sumário Introdução 3 Objetivo da Norma 4 Conceitos básicos

Leia mais

Estágio II. Aula 01 Qualidade de Software. Prof. MSc. Fred Viana

Estágio II. Aula 01 Qualidade de Software. Prof. MSc. Fred Viana Estágio II Aula 01 Qualidade de Software Prof. MSc. Fred Viana Agenda Qualidade de Software Definições Dimensões Qualidade e Produtividade Por que testar um software Definições de Teste Motivação Por que

Leia mais

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis 01 EUS CTIS END USER SUPPORT case eus ctis 01 TELESSERVIÇOS/TELEMARKETING Prestação de telesserviços (telemarketing) no atendimento e suporte operacional e tecnológico aos produtos, serviços e sistemas

Leia mais

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima Gerência de Projetos e Qualidade de Software Prof. Walter Gima 1 OBJETIVOS O que é Qualidade Entender o ciclo PDCA Apresentar técnicas para garantir a qualidade de software Apresentar ferramentas para

Leia mais

Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN

Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN Projeto G7 Implantando o gerenciamento de serviços de TI no BACEN Marcelo Garrido de Oliveira Chefe Adjunto do Deinf - BACEN AGENDA ALGUMAS PREMISSAS O DEINF O PROJETO G7 PRÓXIMOS PASSOS 2 ALGUMAS PREMISSAS

Leia mais

BIG DATA Business Analytics Alexandre Massei

BIG DATA Business Analytics Alexandre Massei Filme BIG DATA Business Analytics Alexandre Massei almassei@gmail.com » A quantidade de informação gerada hoje pelos sistemas de informação dobra a cada 14 meses!» 90% dos dados no mundo hoje foram criados

Leia mais

Definição / Abordagem de Processos

Definição / Abordagem de Processos Definição / Abordagem de Processos Ao longo da história dos processos produtivos e administrativos, as organizações têm crescido em tamanho, complexidade e requisitos. Para assegurar a qualidade, a eficácia

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas

Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas Introdução aos Sistemas de Informação nas Empresas Esse capitulo estuda o referencial do conhecimento de SI necessário aos usuários finais das empresas e abordagem revista sobre desdobramentos-chaves no

Leia mais

WORKSHOP SOBRE CONTROLOS INTERNOS Abril/2016

WORKSHOP SOBRE CONTROLOS INTERNOS Abril/2016 WORKSHOP SOBRE CONTROLOS INTERNOS Abril/2016 Organizações de todos os tipos e tamanhos enfrentam influências e fatores internos e externos que tornam incerto se e quando elas atingirão seus objetivos.

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação O uso consciente da tecnologia para o gerenciamento Prof. Msc. Christien Lana Rachid Organização 1. Vínculo Administração-Tecnologia 2. Introdução a sistemas 3. Empresas e Sistemas

Leia mais

ITIL v3 Transição de Serviço Parte 1

ITIL v3 Transição de Serviço Parte 1 ITIL v3 Transição de Serviço Parte 1 A Transição de Serviço é composto por um conjunto de processos e atividades para a transição de serviços no ambiente de produção. Aqui, deve-se encarar como um projeto

Leia mais

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno

Regimento Interno da Auditoria Interna Regimento Interno da Auditoria Interna da Auditoria Interna Versão 1.0 Data de criação 08/06/2015 Data de modificação N/A Tipo de documento Índice 1. Objetivo... 4 2. Atuação... 4 3. Missão da Auditoria Interna... 4 4.

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO UNINOVE A GOVERNANÇA DE T.I COMO ELEMENTO DE MELHORIA EM PROJETOS ORGANIZACIONAIS A FIM DE ATINGIR OBJETIVOS CORPORATIVOS

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO UNINOVE A GOVERNANÇA DE T.I COMO ELEMENTO DE MELHORIA EM PROJETOS ORGANIZACIONAIS A FIM DE ATINGIR OBJETIVOS CORPORATIVOS UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO UNINOVE ADILTON DOS SANTOS SANTANA ALLAX S. GARCIA EDISON YOSHIO MAKIMORE A GOVERNANÇA DE T.I COMO ELEMENTO DE MELHORIA EM PROJETOS ORGANIZACIONAIS A FIM DE ATINGIR OBJETIVOS

Leia mais

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC

Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC Política de Gestão Estratégica de Riscos e Controles Internos CELESC SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS... 3 CONCEITOS...

Leia mais

OSRC001 - Segurança em Redes de Computadores Módulo 03: Fundamentos e Normas. Prof. Charles Christian Miers. e-mail: charles.miers@udesc.

OSRC001 - Segurança em Redes de Computadores Módulo 03: Fundamentos e Normas. Prof. Charles Christian Miers. e-mail: charles.miers@udesc. OSRC001 - Segurança em Redes de Computadores Módulo 03: Fundamentos e Normas Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br Normas A fim da segurança não tornar-se algo empírico, foram definidas

Leia mais

Teste de Software. Prof. Camila. Pedro de Assis Sobreira Jr.

Teste de Software. Prof. Camila. Pedro de Assis Sobreira Jr. Teste de Software Prof. Camila Pedro de Assis Sobreira Jr. 2 Técnicas de Testes Técnica de Teste Funcional Técnica de Teste Estrutural 3 Testes Funcionais Teste de Especificação de Requisitos. Teste de

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SOCIEDADE DIGITAL FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS 01/03/2016

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SOCIEDADE DIGITAL FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS 01/03/2016 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com SOCIEDADE DIGITAL Convergência Microeletrônica Computadores Software Internet Wireless Fibras

Leia mais

Ricardo Augusto Bordin Guimarães Auditoria Administrativa Hospitalar ricardo@rgauditoria.com.br (51) 9841.7580 www.rgauditoria.com.br www.twitter.com/ricardorgaud Qualidade e Gestão em Saúde através da

Leia mais

7 CONGRESSO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Eduarda La Rocque O Papel do Conselho na Gestão de Riscos

7 CONGRESSO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Eduarda La Rocque O Papel do Conselho na Gestão de Riscos 7 CONGRESSO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Eduarda La Rocque O Papel do Conselho na Gestão de Riscos 1 Introdução Sub-Comitê de Gestão de Riscos (nov 2004) Motivação: O fortalecimento do Conselho

Leia mais

UMA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI RESUMO

UMA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI RESUMO UMA PROPOSTA DE POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI Maurício Rocha Lyra Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) Cláudio Gottschalg Duque RESUMO A Information

Leia mais

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho O novo

Leia mais

RICOH SIM. Solução Integrada Ricoh de Monitoramento e Gerenciamento de Ativos de TI.

RICOH SIM. Solução Integrada Ricoh de Monitoramento e Gerenciamento de Ativos de TI. RICOH SIM Solução Integrada Ricoh de Monitoramento e Gerenciamento de Ativos de TI www.ricoh.com.br Solução Integrada Ricoh de Monitoramento e Gerenciamento de Ativos de TI. Essa solução engloba uma série

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DO BNDES/2008 CESGRANRIO. Prof. Leonardo Rangel

COMENTÁRIO DA PROVA DO BNDES/2008 CESGRANRIO. Prof. Leonardo Rangel COMENTÁRIO DA PROVA DO BNDES/2008 CESGRANRIO Prof. Leonardo Rangel Cargo: Analista de Sistemas - Desenvolvimento Disciplina: Gestão de Tecnologia da Informação 66 - A diretoria de uma empresa reclama que

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2. Classificação dos Sistemas de Informação. professor Luciano Roberto Rocha.

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2. Classificação dos Sistemas de Informação. professor Luciano Roberto Rocha. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2 Classificação dos Sistemas de Informação professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com.br SISTEMA DE INFORMAÇÃO É um sistema seja ele automatizado ou manual, que abrange

Leia mais

Tendências em Sistemas de Informação

Tendências em Sistemas de Informação Prof. Glauco Ruiz Tendências em Sistemas de Informação Os papéis atribuídos à função dos SI têm sido significativamente ampliados no curso dos anos. De 1950 a 1960 Processamento de Dados Sistemas de processamento

Leia mais

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez -

Descrição da Estrutura de Gerenciamento Risco de Liquidez - Descrição da Estrutura de Gerenciamento 2011 - Risco de Liquidez - Sumário: 1. Introdução:... 3 2. Objetivo:... 3 3. Diretrizes de Gestão:... 3 4. Responsabilidades:... 4 4.1. Conselho de Administração:...

Leia mais

Fundamentos de Gestão de TI

Fundamentos de Gestão de TI Fundamentos de Gestão de TI Tópico IV Desenho de Serviço (ITIL V3) José Teixeira de Carvalho Neto desenho de serviço desenho de serviço Objetivo: desenhar e especificar serviços novos ou alterados para

Leia mais

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique.

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique. Questões Relato Integrado 1. O que é A4S? De que forma essa organização influenciou a criação do relato integrado. A4S é o projeto do príncipe de Gales Accounting for Sustainability, foi a organização

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN. PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015

ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN. PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015 ENDP 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO ARIO ZIMMERMANN PORTO ALEGRE/RS, Setembro de 2015 PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E GESTÃO» ROTEIRO PLANEJAMENTO e GESTÃO GOVERNABILIDADE GOVERNANÇA GESTÃO PLANEJAMENTO

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP Norma Portuguesa NP 4397 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos Systèmes de gestion de la sécurité et santé du travail Exigences Occupational health and safety management systems

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Aula 01. Administração de Sistemas de Informação. Sistemas de Informação

Aula 01. Administração de Sistemas de Informação. Sistemas de Informação Administração de Aula 01 Decisões eficazes são baseadas na análise de dados e informações. (NBR ISO 9000 29/01/2001). Sistema de Informações pode ser considerado como centro de inteligência ou o cérebro

Leia mais

Soluções & Infraestrutura

Soluções & Infraestrutura Soluções & Infraestrutura Somos SBR-T.I. surgiu para suprir a demanda e necessidade atual do mercado para garantir a adequação das tecnologias para alcançar mais competitividade no mercado. Estruturada

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA ITIL V3 NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI

UTILIZAÇÃO DA ITIL V3 NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI UTILIZAÇÃO DA ITIL V3 NO GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS DE TI Alexandre Felix Cunha Trabalho de Conclusão de Curso Apresentado à Softplan Como forma de apresentação do titulo de Pós-Graduação em Tecnologia

Leia mais

Manutenção de Software. Engenharia de Software Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1º semestre de 2015

Manutenção de Software. Engenharia de Software Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1º semestre de 2015 Manutenção de Software Engenharia de Software Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 1º semestre de 2015 Processos de Ciclo de Vida de Software Processos Fundamentais Aquisição Processos de Apoio Documentação

Leia mais

Soluções de Nivelamento de Cargos

Soluções de Nivelamento de Cargos Towers Watson Soluções de Nivelamento de Cargos Global Grading System (GGS) e Mapa de Carreira A abordagem sistemática da Towers Watson para nivelamento de cargos ajuda as organizações a gerenciar as

Leia mais

Memorex Itil v.3. Paulo Marcelo 27/01/2011

Memorex Itil v.3. Paulo Marcelo 27/01/2011 2011 Memorex Itil v.3 Paulo Marcelo 27/01/2011 2 MEMOREX ITIL V3 Sétimo memorex voltado aos profissionais de TI. Em seu conteúdo o concurseiro encontrará um compilado sobre o framework Itil versão 3 e

Leia mais

Como aliar sustentabilidade e tecnologia. Como aliar sustentabilidade e tecnologiav facebook.com/bigideiatv

Como aliar sustentabilidade e tecnologia. Como aliar sustentabilidade e tecnologiav facebook.com/bigideiatv Como aliar sustentabilidade e tecnologia 1 Índice 3 Introdução 8 Inspire-se em outras empresas 4 Avalie seus processos 9 Elimine excessos e desperdícios 5 Busque novas soluções 10 Conclusão 6 Pesquise

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

Informações sobre os Roteiros

Informações sobre os Roteiros Informações sobre os Roteiros O MakeMoney traz roteiros especialmente desenvolvidos para elaboração de Planos de Negócios, Estudos de Viabilidade e Planos de Inovação e Competitividade. Este documento

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Tecnologia da Informação Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br Definição - TI É o conjunto de recursos não humanos dedicados ao

Leia mais

Gerência de Redes. Modelo de Gerenciamento OSI

Gerência de Redes. Modelo de Gerenciamento OSI Gerência de Redes Modelo de Gerenciamento OSI Modelo de Gerenciamento OSI e Modelo de Gerenciamento SNMP Vários modelos foram criados por diversos órgãos com o objetivo de gerenciar redes, dados e telecomunicações

Leia mais

Ajustes em tempos de crise. Por onde começar?

Ajustes em tempos de crise. Por onde começar? Ajustes em tempos de crise. Por onde começar? Upwards 2 Em nossas atividades práticas, notamos que as pequenas e médias empresas apresentam desafios enormes, tanto quanto as grandes corporações, em fazer

Leia mais

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process PSP- Personal Software Process Maria Cláudia F. P. Emer PSP: Personal Software Process z Já foram vistas ISO/IEC 9126 foco no produto ISO 9001 e CMM foco no processo de desenvolvimento z Critica a essas

Leia mais

TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Objetivo 1: Aprimorar a adoção de soluções de TI nas atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão, auxiliando na consecução

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Introdução ao PCP O Papel Estratégico do PPCP para a Competitividade das Empresas Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 1 Introdução Planejar é projetar o futuro diferentemente

Leia mais

como eu posso melhorar o desempenho dos meus acordos de nível de serviço ao cliente e reduzir o custo?

como eu posso melhorar o desempenho dos meus acordos de nível de serviço ao cliente e reduzir o custo? RESUMO DA SOLUÇÃO CA Business Service Insight para Gerenciamento do nível de serviço como eu posso melhorar o desempenho dos meus acordos de nível de serviço ao cliente e reduzir o custo? agility made

Leia mais

Desenvolvimento Ágil no Governo. Produtos de Software. Luís Dosso. Outubro/2011. Sistemas e aplicações sob medida para as necessidades do seu negócio.

Desenvolvimento Ágil no Governo. Produtos de Software. Luís Dosso. Outubro/2011. Sistemas e aplicações sob medida para as necessidades do seu negócio. Desenvolvimento Ágil no Governo Luís Dosso Outubro/2011 Produtos de Software Sistemas e aplicações sob medida para as necessidades do seu negócio. A Dextra Soluções de Software Projetos de software complexos

Leia mais

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária 4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária Novos Desafios para Controles Internos Modelo de Supervisão do BCB

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Prof. Marcelo Mello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Gerenciamento de serviços Nas aulas anteriores estudamos: 1) Importância dos serviços; 2) Diferença entre produtos x serviços; 3) Composto de Marketing

Leia mais

Gestão de Acesso e Segurança

Gestão de Acesso e Segurança Gestão de Acesso e Segurança COM A SOLUÇÃO EM CLOUD, VOCÊ GARANTE SEGURANÇA, PERFORMANCE E DISPONIBILIDADE PARA O SEU NEGÓCIO. A Senior dispõe de todas as soluções em cloud, atuando na modalidade SaaS,

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE DEFINIÇÕES / RESUMO. Apostilas de NORMAS, disponíveis no site do professor. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA

QUALIDADE DE SOFTWARE DEFINIÇÕES / RESUMO. Apostilas de NORMAS, disponíveis no site do professor. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA DEFINIÇÕES / RESUMO Apostilas de NORMAS, disponíveis no site do professor. 1 NORMAS VISÃO GERAL Qualidade é estar em conformidade com os requisitos dos clientes; Qualidade é antecipar e satisfazer os desejos

Leia mais

Soluções para Estruturação de Plano de Cargos

Soluções para Estruturação de Plano de Cargos Towers Watson Soluções para Estruturação de Plano de Cargos Global Grading System (GGS) e Mapas de Carreira A abordagem para estruturação de plano de cargos da Towers Watson ajuda as organizações a gerenciar

Leia mais

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda Governança em TI na UFF Modelo de Gestão da STI Henrique Uzêda henrique@sti.uff.br 2011-2013 Universidade Federal Fluminense 122 cursos de graduação e 359 de pós-graduação ~ 45.000 alunos de graduação

Leia mais

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios III Fórum de Governança de TI Governança de TI nos Correios Outubro / 2016 COBIT 5: Governança e Gestão de TI Governança Corporativa Governança de TI Gestão de TI Vice-Presidência Corporativa - Áreas Composição

Leia mais

Fundamentos de sistemas de informação

Fundamentos de sistemas de informação Fundamentos de sistemas de informação Unidade 1 - Conceitos de Sistemas de Informação, Teoria de Sistemas e Tecnologia da Informação 1.1. Introdução 1.1.1. Conceituação de sistema, Sistema de Informação

Leia mais

Diagnóstico e Gestão de TI; Modernização da Gestão de Pessoas; Desenvolvimento, Integração e Gerenciamento de Projetos de TI;

Diagnóstico e Gestão de TI; Modernização da Gestão de Pessoas; Desenvolvimento, Integração e Gerenciamento de Projetos de TI; Fundada em fevereiro de 2001, a ProBid é uma empresa formada por colaboradores com vasta experiência de mercado, especializada em Tecnologia da Informação, com foco estratégico no Setor Público e que utiliza

Leia mais

Mobilidade na Vistoria e Entrega de Obras

Mobilidade na Vistoria e Entrega de Obras Mobilidade na Vistoria e Entrega de Obras Sumário 1. Introdução... 03 2. Vistoria e Entrega com auxílio de tecnologias móveis - Mobuss Construção.......... 05 3. Construção.... 10 4. Inspeção Final.. 12

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade O Comitê - ISO A Organização Internacional de Normalização (ISO) tem sede em Genebra na Suíça, com o propósito

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Unidade I MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior A disciplina Nossa disciplina se divide em 4 unidades de aprendizagem: 1. Sistemas de Informação 2. Fases do Levantamento

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de Governança em TI

Gerenciamento de Projetos de Governança em TI Gerenciamento de Projetos de Governança em TI Universidade Veiga de Almeida Luiz Antônio Vivacqua Corrêa Meyer Luiz.vcm@gmail.com http://vivacquabd.webnode.com.br Cobit X ITIL CobiT representa um consenso

Leia mais