SIMEXMIN Financing Mineral Exploration Projects in Canada and the new Draft Mining Code

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMEXMIN 2014. Financing Mineral Exploration Projects in Canada and the new Draft Mining Code"

Transcrição

1 SIMEXMIN 2014 Financing Mineral Exploration Projects in Canada and the new Draft Mining Code Financiamento de Projetos de Pesquisa Mineral no Canadá e o Projeto do Novo Código de Mineração Gary Litwack Partner McCarthy Tétrault Dr. Frederico Marques Partner McCarthy Tétrault

2 AGENDA Why Canada and the Canadian Capital Markets? Initial Access to Capital Markets in Canada Canadian Prospectus Requirements Getting Listed in Canada Further Financing Continuous Disclosure Requirements Principais aspectos para desenvolvimento da indústria de exploração mineral e mineração / Mercado de capitais E o Brasil? Empresas listadas na BMF&BOVESPA Principais aspectos a serem considerados na revisão do novo Marco Regulatório Mas qual o caminho que o Brasil seguirá? Outras matérias importantes do ponto de vista de captação de recursos (equity & debt) Conclusões

3 I WHY CANADA AND THE CANADIAN CAPITAL MARKETS 3 World s Largest Resources Public Market Liquid trading market Sophisticated retail and institutional investor base Equity culture Tailored listing standards Lower costs of compliance Global visibility Investment bankers with unparalleled experience in evaluating, valuing and advising on resource projects throughout the world, and in completing financings for projects anywhere in the world and across market capitalizations

4 I WHY CANADA AND THE CANADIAN CAPITAL MARKETS 3B Globally recognized disclosure standards and requirements for mining (NI ) and oil & gas (NI ) companies which allows for more inclusive reporting then SEC Industry Guide 7

5 I WHY CANADA AND THE CANADIAN CAPITAL MARKETS? 4 Global exchange leader for new listings World s soundest banking system Toronto Venture Exchange (TSX-V) - trading platform for smaller cap companies o Easier to become a listed issuer and less demanding ongoing requirements o Market structure encourages growth and graduation to Toronto Stock Exchange (TSX). Liquid trading market with strong equity culture and sophisticated investing public Familiarity with South American companies and projects

6 I WHY CANADA AND THE CANADIAN CAPITAL MARKETS? 4B Unique short form prospectus financing option allows for faster access to capital markets Bought-deal financings give TSX and TSX-V listed issuers faster access to equity with greater certainty of results Four month hold period for private placements has allowed this to become more acceptable to many investors and investment bankers U.S. capital markets made more accessible through the Multijurisdictional Disclosure System (MJDS) which permits issuers who are subject to the disclosure requirements of Canadian securities laws to offer securities in the U.S. without the additional cost of duplicative disclosure and regulatory filings Public companies of all sizes receive analyst coverage, from $50 million in market cap to over $1 billion

7 5 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA Initial Public Offering Capital Pool Company/Special Purpose Acquisition Companies Other Reverse Take-Overs

8 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 6 Initial Public Offering (IPO) Process Traditional method of going public Two concurrent steps: Preparing and filing prospectus with securities regulators; and Application to list company s shares on either the TSX or TSX-V Prospectus is a detailed disclosure document that summarizes material information about your company and the shares being offered to help investors make informed decisions. Will include elements such as historical overview, summary of business and operations, overview of business plans and, for resource companies, description of principal resource properties, including input from a technical report prepared for each material property (pursuant to NI or NI )

9 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 7 Capital Pool Company (CPC) Process and Special Purpose Acquisition Company (SPAC) CPC Unique program, exclusive to the TSX-V Allows a new clean company (i.e. no past operations or potential liability) to conduct an IPO and list on the TSX-V before acquiring a business or properties and commencing any commercial operations Divides a traditional IPO into two phases: SPAC Creation and funding of the CPC The qualifying transaction Essentially, the TSX s larger cap version of CPC

10 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 8 Capital Pool Company (CPC) Process Creation and funding of the CPC Between 3 6 founders incorporate a shell corporation with a minimum of the greater of $100,000 or 5% of total funds to be raised Prospectus prepared and application made to list the shell company as a CPC on the TSX-V CPC prospectus outlines intention to raise between $200,000 and $4,750,000 and to use proceeds to identify and evaluate potential business acquisitions CPC issues shares to at least 200 arm s length shareholders, each of whom buy at least 1,000 shares Since, generally, the CPC will not have identified its target business or properties (may contemplate a target industry, but not required), the prospectus need not contain detailed business disclosure As a result, for resource companies, no requirement at this stage for a NI or NI report CPC prospectus and all supporting documentation are filed with both the TSX-V and the securities regulators

11 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 9 Capital Pool Company (CPC) Process The qualifying transaction 24 months to find a business to acquire as the qualifying transaction Shareholder approval is generally only required if the qualifying transaction is not arm s length Once identified, a filing statement or information circular is prepared After the qualifying transaction, the CPC graduates to trade as a regular issuer on the TSX-V (depending on size/profitability of target business, the CPC can even immediately graduate to a TSX listing). There is often a private placement financing done concurrently with the qualifying transaction. Canadian securities laws often allow for the private placement securities to be freely tradeable immediately following completion of the qualifying transaction Potential for vendors of target business to get tax deferral (at least in part) in respect of the qualifying transaction depending on local tax legislation

12 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 10 Special Purpose Acquisition Company (SPAC) Process SPACs are required to raise a minimum of $30 million (with no stipulated maximum) SPAC may arrange for debt financing and/or additional equity financing contemporaneously with the closing of the qualifying transaction allowing for acquisition of bigger target SPAC must give its investors the right to vote on any proposed qualifying transaction

13 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 11 Reverse Take-Over (RTO) Process Reverse take-over of a company that is already listed on the TSX or TSX-V A listed company acquires the shares or assets of an operating private company in exchange for shares which will represent a majority of the shares of the listed company The shareholders of the operating private company take control of the listed company Involves the preparation and filing of a listing statement o o Prospectus-level disclosure required Includes information about the private operating company, the listed company and the resulting issuer RTO process requires a suitable TSX or TSX-V listed issuer to begin the process

14 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 12 Choosing The Appropriate Route IPO Traditional method Fully market dependent Appropriate for large financing o Generally requires some history of operations or exploration work Estimated to take three-five months

15 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 13 Choosing The Appropriate Route CPC More popular for companies attempting to list on TSX-V, particularly resource issuers, but can be appropriate for any industry o Somewhat market dependent (if concurrent financing will be required) o Preferable if a company wants to access capital at an early stage or if market is not suitable for an IPO Time required to complete the qualifying transaction can be significantly less than the time needed for an IPO SPAC Substantially the same considerations as CPC

16 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA 14 Choosing The Appropriate Route RTO Less common than IPO or CPC Less dependent on market conditions May not allow for faster listing than a traditional IPO or CPC (prospectus-level disclosure document still required) Risks to RTOs include: o Listed company may have unfavourable history/liabilities Identifying a suitable candidate may be time-consuming

17 INITIAL ACCESS TO CAPITAL MARKETS IN CANADA Choosing The Appropriate Route 15 IPO CPC/SPAC RTO TIMING Approximately 3-5 months Approximately 2-3 months Approximately 2-3 months MARKET DEPENDENCY Fully market dependent Somewhat market dependent (if concurrent financing will be required) Somewhat market dependent (if concurrent financing will be required) COSTS More significant cost Lower cost Lower cost

18 16 CANADIAN PROSPECTUS REQUIREMENTS Prospectus Disclosure Requirements Description of business Financial statements Management discussion and analysis Principal shareholders, directors, management, corporate governance and executive compensation Plan of distribution Material contracts

19 17 CANADIAN PROSPECTUS REQUIREMENTS Prospectus Disclosure Requirements Risk factors Description of specific industry and jurisdictional considerations Special tax considerations Additional requirements for resource extraction companies Use of proceeds (which should be supported by NI or NI compliant development cost estimates for resource extraction companies) Significant acquisitions Compliance with NI for mining companies or NI for oil & gas companies

20 18 CANADIAN PROSPECTUS REQUIREMENTS Prospectus Review Process

21 19 CANADIAN PROSPECTUS REQUIREMENTS Financial Disclosure Requirements (IFRS) An issuer s IPO prospectus must include the following: o Audited financial statements for the 3 most recently completed financial years and most recent interim financial statements An issuer listing on the TSX or TSX-V requires filing of: o Audited financial statements for the most recently completed financial year and most recent interim financial statements

22 20 GETTING LISTED IN CANADA General requirements o Public distribution o Management o Sponsorship Business-specific requirements: Mining Companies and Oil & Gas Companies o Property Requirements o Recommended Work Program o Working Capital and Financial Resources o Net Tangible Assets, Earnings or Revenue o Geological Report

23 21 GETTING LISTED IN CANADA Industrial, Technology, Research & Development and Real Estate Companies: Earnings or Revenues Cash Flow Net Tangible Assets

24 22 GETTING LISTED IN CANADA Issues and practical considerations for international issuers Financials / accounting reporting methods PIFs / international security clearances Restricted shares Incentive plans Registrar and transfer agent in Canada Escrow and Lock-up Agreements

25 23 GETTING LISTED IN CANADA Dual Listing TSX approach to dual listings Process Issues and practical considerations

26 24 FURTHER FINANCING Listing Requirements Long-form Prospectus Short-form Prospectus Shelf Prospectus Private Placement

27 25 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS Canadian securities regulators require reporting issuers to prepare and file publicly certain disclosure on a regular basis for the purpose keeping the investing public informed Documents are filed publicly online using the System for Electronic Document Analysis and Retrieval (www.sedar.com) o News Releases (disclosing material changes in the affairs of a reporting issuer, however in practice not all news releases contain material information) o Material Change Reports Option to file confidentially with securities regulators in exceptional circumstances

28 26 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS o Annual Information Form Annual, point-in-time discussion of material information relating to the issuer in the context of its historical and possible future development, in prescribed form Optional for TSX-V issuers (but required if issuer will want to use short form prospectus) o Financial Statements Interim (quarterly) and annual audited; in accordance with IFRS o Managements Discussion & Analysis Quarterly and annual, prescribed form Narrative discussion of company performance during the annual or interim financial statement period

29 27 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS o Business Acquisition Report In relation to a significant acquisition, an issuer has 75 days (up to 120 days in certain circumstances) to prepare and file a report in prescribed form o National Instrument Standards of Disclosure for Mineral Projects and National Instrument Standards of Disclosure for Oil & Gas Activities

30 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o Rules relating to disclosure and filing requirements for mineral resource issuers in Canada o Requirements relate to the disclosure of scientific and technical information relating to a mineral project on a property material to the issuer o Broad interpretation of disclosure by securities regulators including all written an oral statements (websites and analyst interviews, presentations) o Built around Canadian Institute of Mining and Metals definitions of resource and reserve for the purpose of ensuring consistency of mining industry disclosure and maintaining integrity of mining capital markets 28

31 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o In addition, issuer is required to prepare and file detailed technical reports in certain instances and in prescribed form Triggers include upon becoming a reporting issuer, in connection with prospectus financings (other than by short form prospectus), upon filing an AIF and first time disclosure of resources or reserves or the results of a preliminary economic assessment or a material change in any of them 29

32 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS 30 NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o Contains concept of a Qualified Person (QP) A defined term, must be an engineer or a geoscientist with an appropriate professional association (several international professional associations are recognized) A QP must sign off on all public disclosure of a scientific or technical nature and in certain instances must be independent of the issuer (long form prospectus, valuations, new resource or reserve estimates or a 100% change or greater in existing estimates)

33 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS 31 NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o NI vs. SEC Industry Guide 7 Under Guide 7, mineralization can only be categorized as a reserve once economic and legal viability have been established whereas NI allows for a probable mineral reserve category Guide 7 does not recognize the reporting of resources Mineral resource issuers therefore ensure that securities offering materials alert readers that the disclosure regarding mineral reserve and mineral resource estimates are being made in accordance with NI and not Guide 7

34 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS 32 NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o Disclosure and regulatory filing requirements applicable to reporting issuers in Canada involved in oil & gas activities o Definition includes exploration; acquisition of properties; construction, drilling and production activities; and extraction, but does not include Transporting, refining or marketing oil or gas o Annual filings, in prescribed form, are required on or before filing of annual financial statements (or information may be included in AIF): Statement of Reserves Data and Other Information Report of Independent Qualified Reserves Evaluator or Auditor Report of Management and Directors

35 CONTINUOUS DISCLOSURE REQUIREMENTS 33 NI for Mineral Resource Companies and NI Oil & Gas Companies NI o Also regulates all of issuer s public disclosure and all documents filed with regulators Disclosure requirements and restrictions based on definitions, including of reserve and resource, in Canadian Oil & Gas Evaluation Handbook o Issuer required to appoint one or more qualified reserves evaluators or auditors, each of whom must be independent of the issuer o Enumerated responsibilities of boards of directors include implementation and review of procedures relating to the appointment and ongoing work of the Qualified Reserves Evaluator or Auditor and review and approval of all annual filings required under NI Responsibilities may be delegated to a Reserves Committee other than relating to the annual filings

36 Principais aspectos para desenvolvimento da indústria de exploração mineral e mineração / Mercado de capitais 36 Quadro Jurídico Segurança Jurídica Transparência Respeito ao Direito Adquirido Harmonização Práticas Int. Expertise Técnica Geólogos Engenheiros de Mina Analistas, Economistas Advogados, Contadores etc Investimento Harmonização da Informação Acesso a Equity & Debt Finance Investidores institucionais, empresas, private equities, indivíduos. Cultura de investimento Mercado de Capitais & Empresas de Exploração Mineral e Mineração Projeto + Management Projeto de qualidade e bem desenvolvido Equipe com experiência técnica e de mercado de capitais

37 37 E o Brasil? Brasil é um país de tradição minerária Excelente geologia e grande potencial Geólogos e Engenheiros de Mina Experientes RR AP Poucas empresas possuem acesso ao mercado de capitais nacional (operações de equity) e debt praticamente inexistente (exceto para majors) Segurança jurídica abalada com as discussões em torno do novo marco regulatório para o setor AC AM RO PA TO MT GO DF MS SP PR SC MA MG PI RJ BA ES CE PE RN PB AL SE Necessidade de atrair mais investimento para projetos de exploração mineral RS

38 Empresas listadas na BMF&BOVESPA 38 Setor Razão Social Nome de Pregão Segmento Minerais Metálicos Litel Participações S.A. LITEL MB Minerais Metálicos Manabi S.A. MANABI Minerais Metálicos MMX Mineração e Metálicos S.A. MMX MINER NM Minerais Metálicos VALE S.A. VALE N1 Minerais não Metálicos CCX Carvão da Colômbia S.A. CCX CARVAO NM Fertilizantes e Defensivos Fertilizantes Heringer S.A. FER HERINGER NM Fertilizantes e Defensivos Nutriplant Indústria e Comércio S.A. NUTRIPLANT MA Artefatos de Cobre Paranapanema S.A. PARANAPANEMA NM Artefatos de Ferro e Aço Fibam Companhia Industrial FIBAM Artefatos de Ferro e Aço Mangels Industrial S.A. MANGELS INDL N1 Artefatos de Ferro e Aço Metalúrgica Duque S.A. MET DUQUE Artefatos de Ferro e Aço Panatlântica S.A. PANATLANTICA Artefatos de Ferro e Aço Siderúrgica J. L. Aliperti S.A. ALIPERTI Artefatos de Ferro e Aço Tekno S.A. Indústria e Comércio TEKNO Siderurgia Cia Ferro Ligas da Bahia Ferbasa FERBASA N1 Siderurgia Cia Siderúrgica Nacional SID NACIONAL Siderurgia Gerdau S.A. GERDAU N1 Siderurgia Metalúrgica Gerdau S.A. GERDAU MET N1 Siderurgia Usinas Sid de Minas Gerais S.A. USIMINAS USIMINAS Materiais Diversos Magnesita Refratários S.A. MAGNESITA NM N1

39 39 Principais aspectos a serem considerados na revisão do novo Marco Regulatório Prioridade na Outorga de Direitos Minerários First Come First Served Basis Controle efetivo Taxa progressiva Normas de Mercado de Capitais + Incentivos Normas específicas para a indústria Felixibilidade para operações de captação de recursos Aproximar do Modelo Canadense Harmonização de Conceito de Recursos e Reservas Adotar práticas internacionais Mecanismo para elaboração de relatório técnico brasileiro reconhecido internacionalmente Criação de procedimentos de Dual listing listagem de empresas TSX & TSX- V na BMF&BOVESPA e vice-versa procedimentos e taxas

40 Mas qual o caminho que o Brasil seguirá? 40 Matéria/Modelo Autal Proposta do Governo Substitutivo no Congresso Regime de Prioridade na Outorga de autorização de pesquisa (atualmente em vigor no Brasil), concessão para atividade de mineração automaticamente garantida se comprovada a economicidade do depósito. Harmonização do conceito de recursos e reservas com os padrões internacionalmente aceitos (NI & JORC) Normas específicas para mercado de capitais Criação de procedimento para facilitar dual listing Cria sistema complexo e altamente discrescionário: - Concessão, precedida de licitação, - Chamada pública, ou - Autorização Não há na proposta apresentada. Não há Cria sistema menos complexo, mas também com certa discricionariedade: - Regime de autorização (poder concedente pode negar autorização de pesquisa em área que pretenda realizar futura licitação) - Regime de concessão, concessão automática quando precedido de autorização e concessão precedida de licitação para áreas que o Poder Executivo determinar (áreas detidas pela CPRM) e aquelas em regime de disponibilidade. Há referência, mas falta melhor detalhamento, o que pode ser realizado por regulamento do poder concedente, desde que harmonize com os padrões internacionalmente aceitos. Não há (exceto em relação aos títutlos de creditos minerários) Não há Não há Incentivos Não há Isenta do imposto de renda os rendimentos dos títulos de crédito minerários.

41 Outras matérias importantes do ponto de vista de captação de recursos (equity & debt) 41 Matéria Proposta do Governo Substitutivo no Congresso ANM Agência Nacional de Mineração Autarquia especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Promover a gestão de informacões e a fiscalizacão do aproveitamento dos recursos minerais no país. Autarquia especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Promover a regulação, a gestão de informações e a fiscalização do aproveitamento dos recursos minerais no país. Cessão de direitos minerários (contrato de concessão, autorização etc) Pré autorização para cisão, fusão incorporação ou transferência de controle acionário, direto ou indireto, do titular dos referidos direitos, sem prévia anuência do poder concedente implicará na caducidade dos direitos minerários. Dependerá de prévia anuência do Poder Concedente a cessão ou transferência, total ou parcial, da autorização de pesquisa mineral, da autorização para aproveitamento de recursos minerais ou do contrato de concessão, assim como a cisão, fusão, transformação, incorporação, ou outras operações que resultem em transferência do controle societário do concessionário ou do autorizatário. CFEM Compensação Financeira pela Exploração Mineral Aliquota de até 4%, incidente sobre a receita bruta da venda, deduzidos os tributos efetivamente pagos e incidentes sobre a sua comercialização. As alíquotas da CFEM serão as constantes do Anexo II desta Lei e incidirão, conforme o caso, sobre: I - a receita bruta da venda, deduzidos os tributos efetivamente pagos incidentes sobre a sua comercialização; II - o custo apurado do minério até o momento imediatamente anterior à transformação industrial, nas hipóteses de consumo do bem mineral, observado o disposto nos 1º e 2º;III - o preço parâmetro definido pela Receita Federal do Brasil, na hipótese de exportação para pessoas jurídicas vinculadas ou domiciliadas em países com tributação favorecida, na forma do 3º; IV - o valor indicado no documento fiscal de saída, nos casos de transferência do minério entre estabelecimentos do mesmo titular, observado o disposto no 4º; V - o valor de arrematação; ou VI - o valor da primeira aquisição do bem mineral, no caso de extração sob o regime de permissão de lavra garimpeira. Oneração de Direitos Minerários Não há Os direitos minerários poderão ser onerados para fins de obtenção de financiamento das atividades relacionadas ao desenvolvimento da mina, por meio de penhor ou de propriedade fiduciária com escopo e garantia. Títulos de Crédito Não há Minerário Cria os seguintes títulos de crédito minerários: (I) Cédula de Crédito a Pesquisa Mineral CCPM, Cédula de Crédito a Lavra Mineral CCLM, Certificado de Cédula de Crédito da Mineração CCCM e Certificado de Recebíveis da Mineração CRM.

42 42 Conclusões Modelo Canadense é um modelo de sucesso que ao mesmo tempo: - Proporciona a segurança jurídica para todos os stakeholders - Possui regras e alternativas flexíveis para captação de recursos - Possui incentivos específicos para desenvolvimento da exploração mineral Brasil precisa de mais investimentos em exploração mineral e mineração (maior pare e realizado por majors) Ao rever o marco regulatório para o setor Brasil deveria aproximar ao modelo canadense Para o desenvolvimento da indústria em bases competitivas internacionalmente e imprescindível haver: - Harmonização do conceito de recursos e reservas - Manter o sistema de prioridade para outorga de direitos minerários - Adotar regras específicas para o mercado de capitais - Criar incentivos para as indústrias de pesquisa mineral e mineração Adotar um sistema de dual listing TSX e TSX-V e BMF&BOVESPA, a exemplo do que fez Chile (BNDESPAR pode ter papel importante nesse contexto)

43 VANCOUVER Suite 1300, 777 Dunsmuir Street P.O. Box 10424, Pacific Centre Vancouver BC V7Y 1K2 Tel: Fax: Toll-Free: CALGARY Suite 3300, 421 7th Avenue SW Calgary AB T2P 4K9 Tel: Fax: Toll-Free: TORONTO Box 48, Suite 5300 Toronto Dominion Tower Toronto ON M5K 1E6 Tel: Fax: Toll-Free: MONTRÉAL Suite De La Gauchetière Street West Montréal QC H3B 0A2 Tel: Fax: Toll-Free: QUÉBEC Le Complexe St-Amable 1150, rue de Claire-Fontaine, 7e étage Québec QC G1R 5G4 Tel: Fax: Toll-Free: UNITED KINGDOM & EUROPE 125 Old Broad Street, 26th Floor London EC2N 1AR UNITED KINGDOM Tel: +44 (0) Fax: +44 (0)

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account)

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Português - Portuguese Siga os passos que se seguem para vender as ações da sua empresa.* Antes de fazer a sua transação Recomendamos

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 WORK PLAN FOR IMPLEMENTATION OF THE UNITED STATES PATENT AND

Leia mais

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL?

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? Doing Business in Brazil: Pathways to Success, Innovation and Access under the Legal Framework Keynote Speaker: Mr. José Ricardo de Bastos Martins Partner of Peixoto

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO DE TUNGSTENIO EM TABUAÇO

CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO DE TUNGSTENIO EM TABUAÇO COMUNICADO À IMPRENSA 18 de Junho de 2014 GTP (TSX-V) P01 (FRANKFURT) COLTF - (OTCQX) CONCLUSÃO DO PROGRAMA DE SONDAGENS EM MALHA APERTADA NO PROJECTO DE OURO EM BOA FÉ REINÍCIO DA PERFURAÇÃO NO PROJETO

Leia mais

TIM PARTICIPACOES SA

TIM PARTICIPACOES SA TIM PARTICIPACOES SA FORM 6-K (Report of Foreign Issuer) Filed 10/09/13 for the Period Ending 10/09/13 Telephone 551181130582 CIK 0001066116 Symbol TSU SIC Code 4813 - Telephone Communications, Except

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO 4Q08 Results Conference Call Friday: March 13, 2008 Time: 12:00 p.m (Brazil) 11:00 a.m (US EDT) Phone: +1 (888) 700.0802 (USA) +1 (786) 924.6977 (other countries)

Leia mais

Desafios para Financiamento de Projetos de Exploração Mineral e Mineração

Desafios para Financiamento de Projetos de Exploração Mineral e Mineração Desafios para Financiamento de Projetos de Exploração Mineral e Mineração Frederico Marques Mestre e Doutor em Direito Internacional Sócio, McCarthy Tetrault LLP Presidente do Conselho da Brazil-Canada

Leia mais

2009-2010 SALARY GUIDE. Brazil

2009-2010 SALARY GUIDE. Brazil 2009-2010 SALARY GUIDE Brazil Conteúdo Introdução...1 Finance and Accounting...2 Engineering...3 Sales & Marketing...4 Technology...5 Banking...6 Banking (Continued)...7 Insurance...8 About Robert Half...9

Leia mais

SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos

SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos A SAP aumenta a um ritmo de 14% as receitas de software e de serviços relacionados com software em 2008 e apresenta um crescimento nas receitas totais de

Leia mais

Consultoria em Direito do Trabalho

Consultoria em Direito do Trabalho Consultoria em Direito do Trabalho A Consultoria em Direito do Trabalho desenvolvida pelo Escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados compreende dois serviços distintos: consultoria preventiva (o

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras.

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras. Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras Ouro Preto - MG 13 de maio de 2014 ANY TAX ADVICE IN THIS COMMUNICATION

Leia mais

O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais

O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais O Setor de Mineração no contexto do Mercado de Capitais Set/2013 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): x CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO PÚBLICO Introdução O setor de mineração

Leia mais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais

Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Mapa de Riscos Jurídicos Ambientais Atividades Minerárias Seminário Internacional de Direito Ambiental Empresarial Rio de Janeiro 31/05/2012 1 Grupo Votorantim 94 ANOS de historia Multinacional brasileira

Leia mais

Infraestrutura. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Infraestrutura. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Infraestrutura Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Eleito o melhor escritório da América Latina pelo Chambers & Partners Awards 2015

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

BCS Expertise para preencher

BCS Expertise para preencher BCS Expertise para preencher papéis-chave do projeto Serviço Symantec que ajuda a Suportar seu Negócio Hugo Saadi Serviços de Informática Itaú BBA Agenda Overview Institucional Business Critical Services

Leia mais

Capital Markets. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved.

Capital Markets. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved. Capital Markets Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved. Our services Best Law Firm in Latin America by Chambers & Partners Awards 2015 Mattos Filho s Capital Market

Leia mais

Renata Sol Leite Ferreira da Costa

Renata Sol Leite Ferreira da Costa Renata Sol Leite Ferreira da Costa O impacto da adoção da IFRIC 12 nas empresas de serviço telefônico fixo comutado brasileiras: uma análise da aplicabilidade dos novos padrões contábeis Dissertação de

Leia mais

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name Subject: The finance source/ new application/ project submission form All questions must be answered in details to receive an informed response. All information & data are to be provided directly by the

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO Lloyd s no brasil 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO July 2010 Lloyd s no Brasil abril 2008: O Lloyd s foi o primeiro ressegurador a receber a licença da SUSEP,

Leia mais

SÃO PAULO 916.321.967-00 CLÓVIS AUGUSTO MANFIO 063.986.528-35

SÃO PAULO 916.321.967-00 CLÓVIS AUGUSTO MANFIO 063.986.528-35 Corporate Legal Name ALARM-TEK ELETRONICA LTDA Trade Name ALARMTEK Address Calçada das Anêmonas, nº. 42 District Centro Comercial - Alphaville Zip Code 6453-5 Telephones 11 4191-7256 Corporate Tax Registration

Leia mais

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA

AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA AVISO DE EVENTO CORPORATIVO: Aviso BANIF BCO INTER DO FUNCHAL SA LOCALIZACAO: Lisbon N DE AVISO: LIS_20130927_00754_EUR DATA DE DISSEMINACAO: 27/09/2013 MERCADO: EURONEXT LISBON AVISO DA REALIZAÇÃO DA

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

The Brazil United States Consumer Product Safety Conference Brazil United States Joint Press Statement June 10, 2011 Rio de Janeiro, Brazil Common Interests Ensuring a high level of consumer product safety

Leia mais

ELEnA European Local ENergy Assistance

ELEnA European Local ENergy Assistance ECO.AP Programa de Eficiência Energética na Administração Pública ELEnA European Local ENergy Assistance Lisboa, 6/03/2015 Desafios 1 Conhecimento: a) Edifícios/equipamentos; b) Capacidade técnica; c)

Leia mais

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA EAbrief: Medida de incentivo ao emprego mediante o reembolso da taxa social única EAbrief: Employment incentive measure through the unique social rate reimbursement Portaria n.º 229/2012, de 03 de Agosto

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3 Index: Company s Profile ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. Corporate Taxpayers ID (CNPJ/MF) 02.387.241/0001-60 Companies Registry (NIRE) 413 00 019886 Publicly-held Company REGISTRATION FORM General Information

Leia mais

hdd enclosure caixa externa para disco rígido

hdd enclosure caixa externa para disco rígido hdd enclosure caixa externa para disco rígido USER S GUIDE SPECIFICATONS HDD Support: SATA 2.5 Material: Aluminium and plastics Input connections: SATA HDD Output connections: USB 3.0 (up to 5.0Gbps)

Leia mais

2007 Results Conference Call. March 14, 2008

2007 Results Conference Call. March 14, 2008 2007 Results Conference Call March 14, 2008 2007 Results 2007 Highlights Elie Horn Operating Results Luis Largman Financial Results Saulo Lara 2 2007 Highlights Launches: 85% higher vs. 2006 - R$ 3.1 billion

Leia mais

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria Novo Código e Exigências da Função Auditoria Fórum de Auditoria Interna - IPAI 19 de Junho de 2014 Direito societário e auditoria interna fontes legais 1. CSC artigo 420,º, n.º 1, i) - fiscalizar a eficácia

Leia mais

FDLI s Brazil Conference

FDLI s Brazil Conference Programa Alimentos Seguros: uma experiência brasileira Food Safety Program: a Brazilian experience FDLI s Brazil Conference Zeide Lúcia Gusmão, MSc. National Coordinator PAS SENAI Nacional Department São

Leia mais

Infraestrutura. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Infraestrutura. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Infraestrutura Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Mattos Filho é o one-stop-shop em questões regulatórias e transacionais para investidores,

Leia mais

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010)

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010) Parte 1 Part 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) Communications Market in National Economy (2006/2010) Parte 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) / Part 1

Leia mais

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP

Leia mais

Relacionamento Investidores Anjos e Fundos de Investimento

Relacionamento Investidores Anjos e Fundos de Investimento Relacionamento Investidores Anjos e Fundos de Investimento Cate Ambrose Presidente e Diretora Executiva Latin American Private Equity & Venture Capital Association Congresso da Anjos do Brasil 2013 LAVCA

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025:2005

NBR ISO/IEC 17025:2005 Competence Recognition Certificate Engequímica Assessoria Projetos e Engenharia Química Ltda Ensaios Químicos End Av. São João 1628 - Caxias do Sul/ RS O laboratório citado acima está conforme os critérios

Leia mais

E o Vento Levou: A experiência da Fitch com Estudos de Vento. Bruno Pahl, Associate Director

E o Vento Levou: A experiência da Fitch com Estudos de Vento. Bruno Pahl, Associate Director E o Vento Levou: A experiência da Fitch com Estudos de Vento Bruno Pahl, Associate Director Agenda Panorama Geral: Porfolio de ratings da Fitch Produção real vs. Cenários da Fitch Perfomance financeira

Leia mais

Banco Santander Totta, S.A.

Banco Santander Totta, S.A. NINTH SUPPLEMENT (dated 26 October 2011) to the BASE PROSPECTUS (dated 4 April 2008) Banco Santander Totta, S.A. (incorporated with limited liability in Portugal) 5,000,000,000 (increased to 12,500,000,000)

Leia mais

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal 10 ANOS DO IPCG O GOVERNO SOCIETÁRIO EM PORTUGAL O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal Lisboa, 09 de Julho de 2013 SUMÁRIO 1. Acontecimentos empresariais e governance 2. Fatores normativos

Leia mais

Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio

Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio Qualification Completed By / Qualificação completada por: Country/Region / País/Região: Royal Caribbean LTD Lead Source & Contact Information

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional:

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Se você está ativamente envolvido na prática da Cirurgia Plástica ou Reconstrutiva por menos de três (3)

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES. M&A (Mergers & Acquisitions)

SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES. M&A (Mergers & Acquisitions) SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES M&A (Mergers & Acquisitions) AIG M&A Maior e mais experiente seguradora de Seguro de M&A Mais de 1200 apólices emitidas em 23 diferentes jurisdições; 250 apólices apenas

Leia mais

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY The Competent Authorities of the Portuguese Republic and the Government of Jersey in

Leia mais

ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL

ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL UniCEUB Centro Universitário de Brasília Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento Programa de Mestrado em Direito ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL BRASÍLIA -

Leia mais

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE IN THE CIRCUIT COURT FOR ORANGE COUNTY, FLORIDA PROBATE DIVISION IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE Case No / N o do Caso: ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE REPORT ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE PLAN

Leia mais

Strings. COM10615-Tópicos Especiais em Programação I edmar.kampke@ufes.br 2014-II

Strings. COM10615-Tópicos Especiais em Programação I edmar.kampke@ufes.br 2014-II Strings COM10615-Tópicos Especiais em Programação I edmar.kampke@ufes.br Introdução Uma estrutura de dados fundamental Crescente Importância Aplicações: Busca do Google Genoma Humano 2 Caracteres Codificação

Leia mais

FORUM CMVM/PME Março de 2012

FORUM CMVM/PME Março de 2012 FORUM CMVM/PME Março de 2012 Março, 27, 2012 Conceito de PMEs Definição de PME (Pequenas e Médias Empresas) segundo a Recomendação 2003/361, da Comissão Europeia Empresas com menos de 250 empregados e

Leia mais

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman Overview of the GHG Protocol - Rachel Biderman O Greenhouse Gas Protocol O GHG Protocol foi lançado em 1998 por Parceria multi-stakeholder entre empresários, ONGs, governos e outros Objetivos Simplificar

Leia mais

O Futuro da Gestão no Brasil e no Exterior

O Futuro da Gestão no Brasil e no Exterior O Futuro da Gestão no Brasil e no Exterior 7º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento São Paulo, 14 de maio 2013 Daniel Celeghin, Sócio Resumo 1. Quem somos 2. Perspectiva ex-brasil : cinco fatores

Leia mais

SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES

SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES SEGURO PARA FUSÕES E AQUISIÇÕES M&A (Mergers & Acquisitions) AIG Presença Mundial 90 anos de história 66 mil empregados Líder mundial em seguros com 88 milhões de clientes em mais de 90 países Mais de

Leia mais

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP Know-how setorial e global pré-configurado Índice 1.Disponibilidade dos pacotes SAP Best Practices 2.Efetuar

Leia mais

Administração de Capital de Giro e Planejamento a Curto Prazo. Chapter Outline

Administração de Capital de Giro e Planejamento a Curto Prazo. Chapter Outline 26-0 Universidade Federal de Itajubá Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Curso de Finanças Corporativas Prof. Edson Pamplona (www.iem.efei.br/edson) CAPÍTULO 27 Administração de Capital de Giro

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 7 Cash Flow Statements

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 7 Cash Flow Statements Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 7 Cash Flow Statements Situação: NÃO REGULAMENTADO 1. Introdução O IASB reformulou o IAS 7 em 1992, substituindo a Statement of Changes in Financial

Leia mais

As Novas Formas de Financiamento da Economia

As Novas Formas de Financiamento da Economia As Novas Formas de Financiamento da Economia Francisco Fonseca Vice-Presidente ANJE 2º CONGRESSO DAS EMPRESAS E DAS ACTIVIDADES ECONÓMICAS - LISBOA O que são? Formas alternativas de financiamento incluem

Leia mais

Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5

Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5 Course Computer Science Academic year 2012/2013 Subject Social Aspects of Computers ECTS 5 Type of course Compulsory Year 2º Semester 2nd sem Student Workload: Professor(s) Natalia Gomes, Ascensão Maria

Leia mais

Definição do Modelo de Processo

Definição do Modelo de Processo Definição do Modelo de Processo 1. Introdução 1.1. Finalidade Mapear práticas sugeridas (i) pelo Padrão para Gestão de Portfólio do PMI, (ii) pelo Modelo de Referência do MPS.BR e (iii) pela Norma ISO/IEC

Leia mais

Gerenciamento de projetos SMART GRID

Gerenciamento de projetos SMART GRID Gerenciamento de projetos SMART GRID OBJETIVO Em razão da (o): Grandiosidade e complexidade dos projetos SMART GRID Contexto econômico local e global vs. QUALIDADE dos serviços públicos. p Exigências de

Leia mais

Drug registration in Brazil and inspectional framework

Drug registration in Brazil and inspectional framework Drug registration in Brazil and inspectional framework Registro de medicamentos no Brasil e cenário de inspeções internacionais September 2012 José Alexandre Buaiz Neto Drug types recognized by ANVISA

Leia mais

egovernment The Endless Frontier

egovernment The Endless Frontier CENTRO DE GESTÃO DA REDE INFORMÁTICA DO GOVERNO (Management Center for the Electronic Government Network) egovernment The Endless Frontier Alexandre Caldas 29 th June 2010 Summary VISION AND LEADERSHIP

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 7.841 DE 8 DE AGOSTO DE 1945 CÓDIGO DE ÁGUAS MINERAIS

DECRETO-LEI Nº 7.841 DE 8 DE AGOSTO DE 1945 CÓDIGO DE ÁGUAS MINERAIS DECRETO-LEI Nº 7.841 DE 8 DE AGOSTO DE 1945 CÓDIGO DE ÁGUAS MINERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º - Águas minerais são aquelas provenientes de fontes naturais ou de fontes artificialmente

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Os principais modelos Modelo europeu tradicional: diferenciação no secundário entre vertentes acadêmicas e técnico-profissionais

Leia mais

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores Departamento de Alterações Climáticas, Ar e Ruído (DACAR) Divisão de Poluição Atmosférica e Alterações Climáticas

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

ST. PAUL S SCHOOL. To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements:

ST. PAUL S SCHOOL. To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements: ST. PAUL S SCHOOL CHARITY OF THE YEAR APPLICATION FORM How to apply for funding 1. Application - Requirements and Conditions To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements:

Leia mais

PERC, CRIRSCO E UNFC: classificação e relatórios standard sobre recursos e reservas minerais

PERC, CRIRSCO E UNFC: classificação e relatórios standard sobre recursos e reservas minerais Versão online: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/185 Comunicações Geológicas (2014) 101, Especial II, 731-735 IX CNG/2º CoGePLiP, Porto 2014 ISSN: 0873-948X; e-issn: 1647-581X PERC, CRIRSCO

Leia mais

Technical Reporting Requirements

Technical Reporting Requirements Technical Reporting Requirements Exploration Phase Osvair Trevisan Superintendent of Exploration Agência Nacional do Petróleo Concession Agreement Concession Agreement Signing Exploration Phase Begins

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF )

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF ) Banif Banco Internacional do Funchal, S.A. Sede Social: Rua de João Tavira, n.º 30, 9004-509 Funchal, Portugal Capital Social: 780.000.000 Euros Matriculado na Conservatória do Registo Comercial do Funchal

Leia mais

Finanças Corporativas

Finanças Corporativas 1-1 Finanças Corporativas Prof. Edson de Oliveira Pamplona www.iepg.unifei.edu.br/edson 1 1-2 Finanças Corporativas Sumário 1. Conceitos e objetivos de Finanças Corporativas. Modalidades de organização.

Leia mais

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido SATA 3.5 hd:basic hdd enclosure caixa externa para disco rígido hd:basic USER S GUIDE SPECIFICATIONS HDD support: SATA 3.5 Material: Aluminium Input connections: SATA HDD Output connections: USB 2.0

Leia mais

Deposits and Withdrawals policy

Deposits and Withdrawals policy Deposits and Withdrawals policy TeleTrade-DJ International Consulting Ltd **** Política de Depósitos e Levantamentos TeleTrade-DJ International Consulting Ltd 2011-2015 TeleTrade-DJ International Consulting

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores

Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Campos extraídos diretamente Título Software reliability analysis by considering fault dependency and debugging time lag Autores Huang, Chin-Yu and Lin, Chu-Ti Ano de publicação 2006 Fonte de publicação

Leia mais

A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro

A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro Pedro Silva Ferreira Diretor do Departamento de Contabilidade e Controlo do Banco de Portugal 7 outubro 0 Lisboa XIII Conferência sobre

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS?

POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS? POLÍTICA NACIONAL BRASILEIRA DE RESÍDUOS SÓLIDOS: O QUE MUDOU NOS ESTADOS BRASILEIROS? Fabiana Alves Fiore (1) Emília Wanda Rutkowisk (2) RESUMO A Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS trouxe para

Leia mais

Multicriteria Impact Assessment of the certified reference material for ethanol in water

Multicriteria Impact Assessment of the certified reference material for ethanol in water Multicriteria Impact Assessment of the certified reference material for ethanol in water André Rauen Leonardo Ribeiro Rodnei Fagundes Dias Taiana Fortunato Araujo Taynah Lopes de Souza Inmetro / Brasil

Leia mais

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata:

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: Vaga: Estagiário Área Jurídica Área: Legal Department O Departamento Jurídico é uma área dinâmica que possui

Leia mais

Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council

Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council Global Reporting Initiative Contabilidade financeira: Generally accepted accounting principles (GAAP) Objetivo do GRI: Generally accepted sustainability

Leia mais

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user.

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user. Órgão: Ministry of Science, Technology and Innovation Documento: Flow and interaction between users of the system for submitting files to the periodicals RJO - Brazilian Journal of Ornithology Responsável:

Leia mais

Enhancing opportunities

Enhancing opportunities www.pwc.com/pt Enhancing opportunities Tourism, Hospitality and Leisure in Portugal and Cape Verde 2 PwC Qualquer que seja o seu posicionamento e objectivos no sector do Turismo e Lazer, estamos habilitados

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH

UNIDADE DE PESQUISA CLÍNICA Centro de Medicina Reprodutiva Dr Carlos Isaia Filho Ltda. SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH SAMPLE SIZE DETERMINATION FOR CLINICAL RESEARCH Duolao Wang; Ameet Bakhai; Angelo Del Buono; Nicola Maffulli Muscle, Tendons and Ligaments Journal, 2013 Santiago A. Tobar L., Dsc. Why to determine the

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014 TEXTO Brazil Leads Decline Among World's Biggest Companies THE losses OF São Paulo's stock market AND THE decline OF Brazil's real made Brazilian companies THE biggest losers among THE world's major companies,

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025:2005

NBR ISO/IEC 17025:2005 Competence Recognition Certificate ALAC - Food Rua David Sartori, 601 Garibaldi RS O laboratório citado acima está conforme os critérios estabelecidos na the laboratory mentioned above is in agreement

Leia mais

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Introdução Introduction Normas Gráficas Este manual fornece os

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 67/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 67/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido

Leia mais

Um Estudo de Caso da Abertura de Capital no Brasil: O IPO da América Latina Logística ALL

Um Estudo de Caso da Abertura de Capital no Brasil: O IPO da América Latina Logística ALL Carla Dodsworth Albano Um Estudo de Caso da Abertura de Capital no Brasil: O IPO da América Latina Logística ALL Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do

Leia mais

Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar

Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Helena McDonnell e Magda Gabriel Especialistas em Consultoria à EF e Protocolo Familiar Cambridge Institute Página 1 Especialistas em Consultoria

Leia mais