Prontuário Pessoal Eletrônico com Web Services na Urologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prontuário Pessoal Eletrônico com Web Services na Urologia"

Transcrição

1 Prontuário Pessoal Eletrônico com Web Services na Urologia Anita Maria da Rocha Fernandes 1, Vilcionei Márcio Weirich 2 1 Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI Faculdade de Ciências da Computação, Campus VII São José SC - Brasil Abstract. This paper presents a system to make available in the Internet the clinical history from a urology clinic's patients. The system has two parts: the server, located in an Internet Provider, structured as Web Services to receive the clinic data and store it in a centralized database; the client, implemented as an application that processes new and modified data in the clinic's software, sending the information to the Web Services. In order to the patient or doctor access these data, a website was developed. The project is in use by the clinic and receives an average of 95 exams/day. Resumo. Este artigo apresenta um sistema para disponibilizar na Internet o prontuário pessoal do paciente de uma clínica especializada em Urologia. O sistema está dividido em duas partes:o servidor, localizado em um provedor de Internet, estruturado em Web Services que recebem os dados da clínica e armazenam em um banco de dados centralizado; e o cliente, implementado como um aplicativo que processa os dados alterados e incluídos no software de gestão utilizado na clínica, enviando as devidas informações para os Web Services. Para os pacientes ou médicos autorizados acessarem os dados foi desenvolvido um portal. O sistema atualmente esta em uso na clínica e recebe uma média de 95 procedimentos/exames por dia. 1. Introdução Com o desenvolvimento da tecnologia nos últimos anos, houve um aumento significativo nas aplicações de informática para a área de saúde. Exemplo disto são ferramentas tais como: Sistemas de Gerenciamento de Clínicas, Sistema de Gerenciamento de Hospitais, Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), Telemedicina, Internet em saúde e o Prontuário Pessoal Eletrônico (PPE). Com a existência de várias clínicas, hospitais e outras unidades de atendimento ao paciente, as informações sobre a saúde do paciente ficam registradas no local onde foi realizado o atendimento, sem acesso a essas informações pelo paciente. Devido a possível existência de vários profissionais executando tratamentos simultaneamente a um paciente, é essencial ter todos os registros clínicos do paciente centralizados, para um melhor atendimento por parte dos profissionais de saúde. Dentro deste contexto, têm-se os PPEs. Segundo Costa (2001), o PPE é uma variante do PEP, no PPE os dados clínicos são gerenciados pelo próprio paciente e concentrados em um único local.

2 Na clínica de urologia, onde este trabalho foi aplicado, os dados referentes às consultas dos pacientes estão acessíveis somente aos médicos da própria clínica. Os pacientes não têm acesso aos seus registros de informações clínicas, a menos que solicitem a impressão do seu histórico. Assim o paciente, em caso de perda desses registros em papel, perde seu histórico do tratamento realizado na clínica, a não ser que retorne à clínica e peça uma segunda via do seu histórico. Sendo assim, pensou-se em criar um PPE para a clínica de urologia, com a utilização de Web Service e um portal para os pacientes da clínica terem acesso às suas informações de consultas, exames e o histórico clínico, disponibilizando tais informações aos médicos da clínica também. Segundo Sampaio (2006), Web Service é um sistema servidor que disponibiliza serviços para os seus clientes, de maneira fracamente acoplada, utilizando o protocolo SOAP (Simple Object Access Protocol) para seus clientes conectarem. Expõe sua interface para os usuários usando um documento XML, conhecido como Web Services Description Language (WSDL). Com o WSDL é possível descobrir quais são os tipos de dados, formatos de mensagens e serviços disponibilizados por um Web Service. Segundo a Plan For Your Health (2007), com o desenvolvimento de um PPE, o paciente tem suas informações de saúde à mão, tornando mais fácil e eficiente a comunicação com seu médico. Com as informações de saúde podendo ser acessadas por ele, ele terá como melhor obedecer recomendações e tratamentos, pois com mais informações ao seu alcance é provável que irá seguir as recomendações do médico, como usar seus remédios e aderir à dieta. O PPE do paciente estará disponível mesmo quando ele estiver longe de casa, se estiver de férias viajando e por algum outro motivo precisar dele, vai estar disponível. A história clínica do paciente estará disponível on-line para ele e seus médicos, vinte e quatro horas por dia e sete dias por semana. Usando o PPE o paciente tem uma economia financeira, não precisando retorna a clínica para pegar o seu resultado do exame e o médico terá mais vantagens em saber previamente dos resultados de laboratório, assim evitando a duplicidade de exames desnecessários. Para o desenvolvimento do sistema apresentado, foi criado um banco de dados em PostgreSQL, onde estão centralizadas as informações dos pacientes e Web Service para receber e disponibilizar as informações. Os dados são acessados pelos pacientes e seus médicos através de um site na internet. Os dados são enviados para os Web Services, armazenados no banco de dados e disponibilizados para consulta no site desenvolvido. O acesso às informações é permitido somente a pessoas autorizadas (com suas senhas). Nas próximas seções serão apresentados os aspectos relativos ao sistema original da clínica de urologia, as tecnologias utilizadas no novo sistema e o sistema propriamente dito, bem como as conclusões obtidas. 2. O Sistema Original da Clínica Na clínica onde o sistema foi implantado utiliza-se o SisClinica 2000, um software para gerenciamento de serviços. Este atende todas as áreas da clínica, desde agendamento, cadastro do paciente, história clínica do paciente, emissão de laudos, faturamentos, controle financeiro, controle de estoque, e outros setores da clínica, Manager Systems (2007). Para a digitação da história clínica do paciente neste sistema, é utilizado o método SOAP. Conforme, Barros (2004), esse método é destacado por armazenar dados

3 Subjetivos, Objetivos, Análise dos principais problemas e construção do Plano para a saúde do paciente. Cantale (2007), define-se SOAP na história clínica do paciente da seguinte forma (Figura 1): S : Subjetivo: As informações recolhidas através de um interrogatório com o paciente, são as informações passadas pelo paciente; O : Objetivo: São anotados os dados de exames físicos e complementares que o médico considerar importante para o exame; A : Análise: Após recolher as informações através do interrogatório, dos exames físicos e complementares, o médico as analisa para detalhar o problema; e P : Plano: É a especificação de como o paciente deve proceder para tratar seu problema de saúde. Figura 1. Exemplo de história clínica com SOAP na clínica. Com base neste sistema com o qual os profissionais da clínica estão acostumados, foi projetado o novo sistema, com base nas ferramentas apresentadas na Seção Ferramentas Utilizadas Para extrair as informações do sistema da clínica foram criadas triggers (gatilhos) no banco de dados da clínica, capturando as inclusões e alterações dos dados de pacientes, médicos, procedimentos/exames, resultados dos exames e história clínica dos pacientes. Para enviar as informações foi desenvolvido um programa com a ferramenta Delphi da Borland, que captura os dados gerados pelas triggers, conecta no Web Service e envia às informações. Esse programa é executado em um servidor Windows em background. O acesso do programa ao Web Service é feito mediante senha. Para garantir o sigilo das informações entre a clínica e o servidor da Internet, foi utilizado o SSL (Secure Sockets Layer), codificando os dados entre o servidor e o cliente. Neste projeto foi utilizado o Geo Trust Rapid SSL 128 bits. SSL é uma tecnologia de segurança que é comumente utilizada para codificar os dados trafegados entre o computador do usuário e um website. O protocolo SSL, previne que os dados trafegados possam ser capturados, ou mesmo alterados no seu curso entre o navegador (browser) do usuário e o site com o qual ele está se relacionando, garantindo desta forma a integridade e inviolabilidade dos dados, Laniway (2007).

4 Conforme Câmara (2006), SSL pode ser considerado o nome popular TCP Layer Security. Foi criado pela Nestcape para prover uma camada de criptografia ao protocolo HTTP. Atualmente ele é aceito pelos técnicos especialistas mais exigentes como um mecanismo seguro, que garante a integridade em comunicações baseadas em HTTP. Na parte do servidor para receber as informações das clínicas, o sistema foi desenvolvido utilizando o PHP 5.2, com o pacote de classes NuSoap, que são classes específicas para o desenvolvimento de Web Services com PHP. No banco de dados foi utilizado o PostgreSQL para armazenar as informações. 4. O Sistema Desenvolvido Para o desenvolvimento deste sistema foi necessário, em um primeiro momento, entender o sistema de gerenciamento e controle dos prontuários dos pacientes usado na clínica. Dessa forma identificaram-se quais informações deveriam ser disponibilizadas na internet ao paciente. A partir desta análise foi desenvolvido a parte cliente do sistema, que envia os dados aos Web Services localizados no endereço podem visualizar os resultados dos procedimentos e exames realizados nas clínicas os pacientes e médicos. Os Web Services recebem os dados do paciente, atendimentos, laudos e histórias clínicas, ficando as informações associadas ao CPF do paciente. Para consultar as informações foram implementados Web Services, capazes de: validar o acesso do paciente, validar o acesso do médico, criar senha do paciente, retorno dos atendimentos do paciente e consulta de atendimentos por médico. A Figura 2 apresenta o funcionamento do sistema. As clínicas conectam nos Web Services utilizando uma conexão segura e enviam as informações dos pacientes para o armazenamento. O portal também conecta de forma segura nos Web Services para consultar os dados e mostrar o resultado da consulta para o paciente ou médico. Figura 2. Funcionamento do sistema Os diagramas apresentados nas Figuras 3 e 4 apresentam o funcionamento da clínica antes e após a implantação do sistema desenvolvido. Na Figura 3, o funcionamento da clínica antes da implantação do projeto, o paciente precisa retornar à clínica para pegar o resultado do seu exame. Na Figura 4, o fluxo de atividades realizadas após a implantação do sistema, o paciente não precisa mais retornar a clínica para pegar o seu resultado de exames. Basta acessar o portal criar seu login e para visualizar e imprimir os resultados de seus exames e visualizar sua história clínica.

5 Figura 3. Fluxo de atendimento da clínica Figura 4. Fluxo de atendimento da clínica após o sistema implantado 4.1. Funcionamento do Sistema Esta sub-seção aborda o funcionamento do sistema através da apresentação de suas telas, as funções desenvolvidas a fim de atender as necessidades propostas no projeto. O sistema foi divido em quatro módulos: Programa para envio das informações ao portal, Web service para receber as informações, Web Services para consultar as informações e o portal para o paciente e médico consultarem as informações Exportação dos Dados O programa de envio captura as informações incluídas e alteradas no sistema utilizado pela clínica e envia aos Web Services hospedados em um provedor de Internet. O sistema utilizado na clínica foi desenvolvido com o banco de dados Firebird, conhecendo a estrutura do banco de dados, foi definido quais dados precisariam ser exportados para o portal. Esses dados são exportados após gravar os cadastro no sistema da clínica. São enviados automaticamente para os Web Services do projeto. Para isto ocorrer foram criadas triggers (gatilhos) nas tabelas necessárias. O programa de envio dos dados foi desenvolvido na ferramenta Delphi. Ele funciona em background, precisando acesso à internet e acesso ao banco de dados da clínica. No programa é possível enviar dados antigos para o portal. A clínica deve configurar o código e senha de acesso para enviar as informações ao portal. Os Web Services somente aceitam dados para um código e senha de acessos válidos, previamente cadastrados no banco de dados do portal. Os dados configurados ficam salvos no mesmo diretório do arquivo EXE da aplicação, em um arquivo chamado de config.cfg, esses dados são criptografados, para que nenhum usuário possa descobrir o código e senha de acesso da clínica. O programa executa a rotina de enviar os dados para o portal a cada cinco segundos, o sistema verificar se tem dados para enviar, existindo dados, carrega-os, conecta-se no Web Service e envia as informações para o portal.

6 4.1.2 O Portal Nessa seção serão apresentadas as interfaces do portal, explicando as funcionalidades disponíveis em cada tela, na visão do paciente e médico. A Figura 5 apresenta a página inicial do portal e algumas funcionalidades. Figura 5. Tela principal do portal No item 1 é realizado o acesso do paciente, através do seu CPF e sua senha previamente cadastrada no portal. No item 2 temos o acesso do médico, através do seu CRM, a sigla do estado do CRM e sua senha, previamente gerada pelo portal. No item 3, o paciente pode criar sua senha de acesso ao portal, informando o número do seu CPF, data de nascimento, Protocolo (Número recebido na clínica quando realizou o exame), senha e a confirmação da senha. O item 4 é para um médico sem acesso no portal enviar um e- mail solicitando a criação do mesmo. Os itens, 1, 2 e 3 trabalham da seguinte forma: o usuário preenche os dados, os dados são verificados quanto ao seu preenchimento, se o preenchimento estiver correto, então é enviado para o objeto cliente, que faz uma solicitação para o Web Service servidor, que envia a solicitação para o objeto de banco de dados correspondente. É verificado no banco se as informações são verdadeiras, retornando para o Web Service servidor as informações, que retorna para o Web Service cliente e por fim retorna uma mensagem de erro impedindo o avanço do usuário ou de confirmação que foi tudo realizado com sucesso e o usuário pode continuar no portal. A Figura 6 mostra a tela para o médico enviar , solicitando criação de sua senha para acesso ao portal. A área restrita do paciente é o local onde o paciente consegue visualizar os atendimentos/procedimentos realizados na clínica, através de seu CPF e senha de acesso. Ele também pode visualizar e imprimir os resultados dos exames e sua história clínica, conforme mostra a Figura 7. No item 1 é possível visualizar a sua história clínica, no item 2 pode visualizar o laudo de um atendimento, no item 3 o paciente pode alterar sua senha de acesso ao portal, no item 4 é possível visualizar as imagens do exame. A Figura 8 mostra a história clínica do paciente. A Figura 9 mostra o laudo de um atendimento que teve acesso a partir do item dois da Figura 7. A Figura 10 apresenta a tela principal do médico, ele pode consultar os atendimentos/procedimentos dos quais foi o médico responsável, ou seja, o médico que realizou o exame, nessa mesma tela pode-ser consultar os atendimentos que ele foi o médico requisitante, que solicitou o procedimento, conforme mostra os itens um e dois da figura. Após a consulta do atendimento o médico pode visualizar o resultado do

7 exame, clicando no botão ao lado do nome da clínica. No item 3 o médico logado no sistema pode alterar sua senha. Figura 6. Tela enviar do médico Figura 7. Tela de visualização do paciente Figura 8. Tela com história clínica do paciente Figura 9. Tela com laudo do exame Figura 10. Tela principal do médico 5. Conclusões Este artigo apresentou o desenvolvimento de um sistema para implementação de um PPE de uma clínica de urologia. O desenvolvimento deste projeto ajudou os médicos da clínica terem acessos às informações de seus pacientes de qualquer lugar e a qualquer hora. Através da criação de um banco de dados, desenvolvimento de Web Services para receber os dados da clínica, a clínica envia as informações automaticamente para o portal, o sistema possibilita o armazenamento de informações de pacientes relacionados ao seu CPF, possibilitando o paciente ter todos os dados clínicos de sua via armazenados nesse banco de dados. O Web Service para receber as informações dos pacientes possibilita que qualquer unidade de saúde possa enviar os dados de seus pacientes para o portal, isso se a unidade estiver previamente cadastrada no sistema. Assim, a unidade pode estar criando

8 o sistema específico para enviar as informações ao portal, somente obedecendo às interfaces dos Web Services. O sistema desenvolvido constitui-se em uma ferramenta de apoio aos médicos do corpo clínico da referida clínica e seus pacientes, que passam a ter acesso à suas informações de saúde referente aos seus atendimentos/exames realizados na clínica. Acredita-se que com esse novo sistema, o paciente possa participar mais de seus registros clínicos. Enfrentam-se problemas no acesso para o paciente ao sistema, vários pacientes não informam o CPF na hora de seu registro na clínica, ficando assim o acesso impossível do paciente, porque o sistema tem como base o CPF. Sem CPF, o sistema somente tem o registro do atendimento e o laudo para o médico poder consultar e visualizar essas informações. O projeto desenvolvido atualmente encontra-se instalado e funcionando na clínica, atendendo todas as funcionalidades requisitadas pelo cliente e também os pacientes que acessam o portal. Sugere-se como trabalhos futuros o desenvolvimento de: aplicações cliente para dispositivos móveis como: Celular, Palm, etc, acessando os Web Services de consultas; desenvolvimento de Web Service para excluir permitindo que a unidade de saúde possa excluir as informações cadastradas erradas; desenvolvimento de uma página para o paciente: Criar no portal uma página para o paciente cadastrar o seu estado de saúde em uma determinada data, informando a data, descrição e observações, assim quando ele estiver no atendimento pode acessar esses dados e mostrar para o médico; implementação deste projeto em outras clínicas: disponibilizar os dados dos pacientes atendimentos em outras clínicas, para centralizar os dados de saúde do paciente em um local único. 6. Referências Barros, I. C. Examinado pacientes ANAMNESE. (2004) Disponível em Acesso em 01/09/2007. Camara, F. Segurança com SSL Para Web Service. Disponível em ices/. Acesso em 25/09/2006. Cantale, C. R. História Clínica Orientada a Problemas. Disponível em Acesso em 01/09/2007. Costa, C. G. A.. Desenvolvimento e Avaliação Tecnológica de um Sistema de Prontuário Eletrônico do Paciente, Baseado nos Paradigmas da World Wide Web e da Engenharia de Software. Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas, 2001 Laniway, Internet Solutions. Certificados Seguros SSL. Disponível em Acesso em 25/09/2007. Manager Systems. Sisclinica2000. Disponível em Acesso em 30/09/2007. Plan for your Healt. What is a PHR? And Why Do I Need One? Disponível em Acesso em 13/08/2007. Sampaio, C. SOA e Web services em Java. Rio de Janeiro, Brasport, 2006.

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática

Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO Curso Superior de Graduação em ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Sistema de Ordens de Serviço HDA Soluções em Informática Por AUGUSTO CARRICONDE

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

PLATAFORMA DE UM PERSONAL HEALTH RECORD - PHR

PLATAFORMA DE UM PERSONAL HEALTH RECORD - PHR PLATAFORMA DE UM PERSONAL HEALTH RECORD - PHR Saulo Soares de TOLEDO 1, Misael Elias de MORAIS 2, Adson Diego Dionisio da SILVA 3, Luiz Antonio Costa Corrêa FILHO 4, Valderí Medeiros da SILVA 5 1 Departamento

Leia mais

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 Controle de Revisões Micropagamento F2b Web Services/Web 18/04/2006 Revisão Data Descrição 00 17/04/2006 Emissão inicial. www.f2b.com.br

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS IMPORTAÇÃO DE ARQUIVOS XML VIA WEB RECIFE - 2015 1 ÍNDICE 1. ACESSANDO O PORTAL TISS... 3 2. USUÁRIO E SENHA... 5 2.1. Usuário... 5 2.2. Senha... 5 2.3. Alteração de Senha...

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE INTRODUÇÃO O portal do Afrafep Saúde é um sistema WEB integrado ao sistema HEALTH*Tools. O site consiste em uma área onde os Usuários e a Rede Credenciada,

Leia mais

Manual Comunica S_Line

Manual Comunica S_Line 1 Introdução O permite a comunicação de Arquivos padrão texto entre diferentes pontos, com segurança (dados criptografados e com autenticação) e rastreabilidade, isto é, um CLIENTE pode receber e enviar

Leia mais

P2D PRONTUÁRIO UNIVERSAL SISTEMA OFICIAL DO CBO CERTIFICADO PELO CFM-SBIS

P2D PRONTUÁRIO UNIVERSAL SISTEMA OFICIAL DO CBO CERTIFICADO PELO CFM-SBIS P2D PRONTUÁRIO UNIVERSAL SISTEMA OFICIAL DO CBO CERTIFICADO PELO CFM-SBIS Estamos comprometidos a ajudá-lo a criar um fluxo de trabalho prático com o P2D. Para tanto, preparamos essas 10 dicas com as melhores

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

CADASTRO DE USUÁRIO PORTAL WEB

CADASTRO DE USUÁRIO PORTAL WEB CADASTRO DE USUÁRIO PORTAL WEB SUMÁRIO 1. ACESSANDO PELA PÁGINA DEFAULT... 3 2. ACESSANDO PELA PÁGINA DE LOGIN... 3 3. ACESSANDO PELO MENU PRINCIPAL... 4 3.1. EFETUAR CADASTRO... 5 3.2. ALTERAR CADASTRO...

Leia mais

Universal sistema oficial CBO

Universal sistema oficial CBO P2D Prontuário 2013 Universal sistema oficial CBO P2D Prontuário Universal 14/2/2013 2 Conteúdo 1. O que é o P2D Prontuário Universal?... 3 2. Quanto custa?... 3 3. Quais os benefícios?... 3 4. Quais os

Leia mais

Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação

Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação Sistema Gerenciador de Clínica Médica Automatizando a Clínica Cardiomed Implantação Acadêmico: Giuliano Márcio Stolf Orientador: Ricardo Alencar de Azambuja Apresentação Clínica médica SI na área da saúde

Leia mais

Manual de Integração do Esmeralda DOS com a S_Line

Manual de Integração do Esmeralda DOS com a S_Line O que configurar no Esmeralda DOS? 1. Endereço Internet do Laboratório Utilizar a opção L - Parametros/Internet para informar o endereço Internet do LABORATÓRIO, que será impresso no Comprovante de Coleta;

Leia mais

MÓDULOS DE REGISTRO DE PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS

MÓDULOS DE REGISTRO DE PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS MÓDULOS DE REGISTRO DE ABASTECIMENTO DE VEÍCULOS INTEGRADOS PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS Gabriel Vieira Orientador: Prof. Jacques Robert Heckmann Roteiro de apresentação 1. Introdução e objetivos 2. Fundamentação

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

Manual de Instalação do AP_Conta Windows

Manual de Instalação do AP_Conta Windows Manual de Instalação do AP_Conta Windows aplicativo off line para geração e envio de cobranças eletrônicas no padrão TISS CAPESESP ANS nº 324477 atualizado em 24/04/2012 AP_Conta Windows O AP_Conta Windows

Leia mais

Manual do Usuário. SefazNET com Bootstrap

Manual do Usuário. SefazNET com Bootstrap Manual do Usuário SefazNET com Bootstrap Versão: 01.03 Data: 05/12/2014 Responsável: Armando Wodson de Sousa Vieira E-mail: centraldeservicos@sefaz.ma.gov.br Célula de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO

1ª ETAPA IMPRIMIR LAUDO PROCEDIMENTOS PARA IMPRESSÃO DOS LAUDOS DE AVALIAÇÃO SÓCIO-ECONÔMICA COM FOTOS EM PDF PARA USO NO SISTEMA DO PROCESSO ELETRÔNICO. Inicialmente digite seu laudo de avaliação conforme modelo padronizado

Leia mais

Manual do Sistema de RMO P á g i n a 2. Manual do Sistema de RMO. Registro Mensal de Ocorrências (GRH) Núcleo de Informática

Manual do Sistema de RMO P á g i n a 2. Manual do Sistema de RMO. Registro Mensal de Ocorrências (GRH) Núcleo de Informática Gerência de Recursos Humanos GRH/PRAD/UFMS Manual do Sistema de RMO Versão On-Line Núcleo de Informática Universidade Federal de Mato Grosso do Sul P á g i n a 2 Manual do Sistema de RMO Registro Mensal

Leia mais

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0

(Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 Manual do usuário (Nota Fiscal Eletrônica no Power Systems AS/400) Projeto Nacional Versão 1.0 29-03-2011 1 de 32 Í ndice 1. Descrição Geral do Sistema 1.1 Descrição 1.2 Desenho do Processo 2. Aplicação

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

Projeto: Plataforma de Integração. Data: 01/08/2014

Projeto: Plataforma de Integração. Data: 01/08/2014 Manual do Usuário - Autenticação Plataforma de Integração Arquitetura de Software 1.0 20/03/2014 1 de 8 Histórico de Revisões Data Versão Descrição 01/08/2014 1.0 Criação do documento 04/08/2014 1.1 Revisão

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 3 INICIANDO PROCESSO DE LEITURA...

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4. Pesquisar Beneficiário... 5. Elegibilidade Beneficiário... 6. Nova Guia Consulta Eletiva... 7. Nova Guia SP/SADT...

INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4. Pesquisar Beneficiário... 5. Elegibilidade Beneficiário... 6. Nova Guia Consulta Eletiva... 7. Nova Guia SP/SADT... INTRODUÇÃO 2 AUTORIZADOR WEB 4 Pesquisar Beneficiário... 5 Elegibilidade Beneficiário... 6 Nova Guia Consulta Eletiva... 7 Nova Guia SP/SADT... 10 Nova Guia Anexo de Radioterapia... 14 Nova Guia Anexo

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia

Outlook XML Reader Versão 8.0.0. Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Outlook XML Reader Versão 8.0.0 Manual de Instalação e Demonstração UNE Tecnologia Add-in para o Outlook 2003, 2007 e 2010 responsável pela validação e armazenamento de notas fiscais eletrônicas. Atenção,

Leia mais

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST E-DOC Peticionamento APRESENTAÇÃO O sistema E-DOC substituirá o atual sistema existente. Este sistema permitirá o controle de petições que utiliza certificado digital para autenticação de carga de documentos.

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Página: 1. Revisão: 16/12/2008. G:\TI\Negocios\Manuais_WebGuias\WebGuias 1.08.doc

Página: 1. Revisão: 16/12/2008. G:\TI\Negocios\Manuais_WebGuias\WebGuias 1.08.doc Página: 1 Página: 2 INDICE EMISSÃO DE GUIAS VIA INTERNET... 3 WEBGUIAS...4 1. Página Inicial...5 2. Alterando a senha padrão fornecida pela Santa Casa Saúde:...6 3. Mensagens WEB...7 4. Autorização de

Leia mais

Instalando o Internet Information Services no Windows XP

Instalando o Internet Information Services no Windows XP Internet Information Services - IIS Se você migrou recentemente do Windows 95 ou 98 para o novo sitema operacional da Microsoft Windows XP, e utilizava antes o Personal Web Server, deve ter notado que

Leia mais

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema

Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Projuris Enterprise Visão Geral da Arquitetura do Sistema Março/2015 Página 1 de 17 Projuris Enterprise Projuris Enterprise é um sistema 100% Web, com foco na gestão de contencioso por empresas ou firmas

Leia mais

MANUAL VERSÃO 2.13 1

MANUAL VERSÃO 2.13 1 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. O QUE É O EOL?... 3 2. ACESSANDO O EOL... 3 3. TELA INICIAL... 4 4. EXAMES ADMISSIONAIS... 4 5. MUDANÇA DE FUNÇÃO... 6 6. EXAMES DEMISSIONAL E RETORNO AO TRABALHO... 7 7. EXAMES

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios

Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas. Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Universidade Federal de Goiás Centro de Recursos Computacionais - CERCOMP Divisão de Sistemas Criação de uma Serviço de Geração de Relatórios Goiânia 12/2011 Versionamento 12/12/2011 Hugo Marciano... 1.0

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO Processos de Concessão de Benefícios Histórico da Revisão Data Versão

Leia mais

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil.

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. De acordo com as leis de Copyright, nenhuma parte desta publicação ou do software pode ser copiada,

Leia mais

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos.

Vamos iniciar a nossa exploração do HTTP baixando um arquivo em HTML simples - bastante pequeno, que não contém objetos incluídos. Wireshark Lab: HTTP Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Tendo molhado os nossos pés com o Wireshark no laboratório

Leia mais

INICIANDO A INSTALAÇÃO

INICIANDO A INSTALAÇÃO INICIANDO A INSTALAÇÃO Abra o leitor de CD do computador que será dedicado ao ÚnicoNET. Coloque o CD que acabamos de gravar com o NERO EXPRESS e reinicie o HARDWARE (CTRL+ALT+DEL), caso não consiga reiniciar

Leia mais

SMAD-ECG, UM SOFTWARE PARA AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE ECG E PRONTUÁRIO

SMAD-ECG, UM SOFTWARE PARA AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE ECG E PRONTUÁRIO SMAD-ECG, UM SOFTWARE PARA AUXÍLIO AO DIAGNÓSTICO ATRAVÉS DE ECG E PRONTUÁRIO Robson Pequeno de Sousa Doutor em Engenharia Elétrica. Professor do curso de Computação do CCT da Universidade Estadual da

Leia mais

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Tutorial Hotmail Sobre o MSN Hotmail Acessando o Hotmail Como criar uma conta Efetuando o login Verificar mensagens Redigir

Leia mais

FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico).

FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico). FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico). CLIENTE DE EMAIL - OUTLOOK (Microsoft Office). - Outlook Express (Windows). - Mozilla Thunderbird (Soft Livre). - Eudora. - IncredMail.

Leia mais

Manual de Operações Básicas. Thiago Passamani

Manual de Operações Básicas. Thiago Passamani Manual de Operações Básicas Thiago Passamani 1 - Entrando e saindo do sistema O Zimbra Suíte de Colaboração é um software de correio eletrônico open source com suporte para e-mail, contatos, calendário

Leia mais

Manual Integra S_Line

Manual Integra S_Line 1 Introdução O é uma ferramenta que permite a transmissão Eletrônica de Resultado de Exames, possibilitando aos Prestadores de Serviços (Rede Credenciada), integrarem seus sistemas com os das Operadoras

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS 1) Clique duas vezes no arquivo ControlGasSetup.exe. Será exibida a tela de boas vindas do instalador: 2) Clique em avançar e aparecerá a tela a seguir: Manual de Instalação

Leia mais

Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br

Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br Rev. 00 Endereço acesso: http://certificacao.ccab.org.br Login: CNPJ do Exportador ou Despachante. Senha: Fornecido pela CCAB e impressa no protocolo de entrega de documentos. Possibilidade de troca da

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Dados técnicos Linguagem Microsoft Visual Basic 2008 sobre plataforma DotNet compatível com o sistema operacional Windows versões XP, Vista e Sete

Dados técnicos Linguagem Microsoft Visual Basic 2008 sobre plataforma DotNet compatível com o sistema operacional Windows versões XP, Vista e Sete Dados técnicos Linguagem Microsoft Visual Basic 2008 sobre plataforma DotNet compatível com o sistema operacional Windows versões XP, Vista e Sete (32 e 64 bits). Banco de dados Microsoft Access 2007 ou

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço Manual de Utilização Sistema Recibo Provisório de Serviço Versão 1.0 17/08/2011 Sumário Introdução... 5 1. Primeiro Acesso... 7 2. Funções do e-rps... 8 2.1 Menu Superior... 8 2.1.1 Arquivo......8 2.1.2

Leia mais

Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9

Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9 Integrated User Verification Guia de Implementação do Cliente 2015-05-04 Confidencial Versão 2.9 SUMÁRIO Introdução... 2 Finalidade e público-alvo... 2 Sobre este documento... 2 Termos mais utilizados...

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

VISTORIA DO SISTEMA REGIN PREFEITURAS

VISTORIA DO SISTEMA REGIN PREFEITURAS Página 1 / 29 ÍNDICE ÍNDICE... 2 APRESENTAÇÃO... 3 MÓDULO DE ACESSO... 3 CONFIGURAÇÃO MÓDULO VISTORIA... 4 ANÁLISE DOS PROTOCOLOS... 5 CONTROLE DE EXPORTAÇÃO MÓDULO VISTORIA... 8 DISPOSITIVO REGIN PREFEITURA...

Leia mais

ClinicalKey 2.0. Guia do usuário

ClinicalKey 2.0. Guia do usuário ClinicalKey 2.0 Guia do usuário 2 Agenda 1. Introdução 2. Selecionando o navegador 3. Como acessar ClinicalKey 4. Como pesquisar no ClinicalKey 5. A informação que você precisa 6. Topic Pages 7. Página

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2015 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Produtos: Saúde Pró Faturamento Saúde Pró Upload. Versão: 20130408-01

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Produtos: Saúde Pró Faturamento Saúde Pró Upload. Versão: 20130408-01 Produtos: Saúde Pró Upload Versão: 20130408-01 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 LOGIN... 4 3 VALIDADOR TISS... 7 4 CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 10 4.1 DADOS CADASTRAIS MATRIZ E FILIAL... 11 4.2 CADASTRO DE

Leia mais

PARAMETRIZAÇÃO RECEPTOR NF-E MASTERSAF DF-E

PARAMETRIZAÇÃO RECEPTOR NF-E MASTERSAF DF-E PARAMETRIZAÇÃO RECEPTOR NF-E MASTERSAF DF-E SUMÁRIO Login... 1 Troca de senha... 1 Administração do Sistema...2 Certificados...2 Usuários...3 Dados do Usuário... 4 Permissões do Usuário... 4 Empresas...5

Leia mais

Configuração de E-mail DTI/CIMR

Configuração de E-mail DTI/CIMR Configuração de E-mail DTI/CIMR Sumário ACESSANDO O E-MAIL VIA WEB: 2 CONFIGURANDO O E-MAIL NO WINDOWS LIVE MAIL(GRATUITO): 3 CONFIGURANDO O E-MAIL NO OUTLOOK 2010: 6 CONFIGURANDO O E-MAIL NO THUNDERBIRD:

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais

Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Anexo V - Planilha de Apuração Aquisição de Solução de Redes Sociais Será utilizado o seguinte critério: Atende / Não atende (Atende em parte será considerado Não atende) Item Itens a serem avaliados conforme

Leia mais

[ACESSO AO PORTAL ELETRÔNICO COM CERTIFICADO DIGITAL]

[ACESSO AO PORTAL ELETRÔNICO COM CERTIFICADO DIGITAL] 2015 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - 2a. Região [ACESSO AO PORTAL ELETRÔNICO COM CERTIFICADO DIGITAL] Este guia é destinado a Advogados, Partes e Peritos que acessam os serviços do Portal Eletrônico da 2ª

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais

Universal sistema oficial CBO

Universal sistema oficial CBO P2D Prontuário 2012 Universal sistema oficial CBO P2D Prontuário Universal 1/9/2012 2 Conteúdo 1. O que é o P2D Prontuário Universal?... 3 2. Quanto custa?... 3 3. Quais os benefícios?... 3 4. Quais os

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

MANUAL EXAME SUPLETIVO ONLINE

MANUAL EXAME SUPLETIVO ONLINE MANUAL EXAME SUPLETIVO ONLINE (CARDERNO I MANUAL DO CANDIDATO) Manual de Procedimentos Para Utilização do sistema EXAME SUPLETIVO ONLINE (SIGEDUCA) APRESENTAÇÃO ONLINE. O Exame Supletivo Online é o sistema

Leia mais

Manual CH-Web 2.0. Sumário:

Manual CH-Web 2.0. Sumário: Manual CH-Web 2.0 Sumário: 1) Introdução e Recursos 2) Configuração CH-Admin para Trabalhar com CH-Web 3) Entrada e Saída no Sistema CH-Web 4) CH-Web: Consulta Estoque 5) CH-Web: Consulta Cliente 6) CH-Web:

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR WEB

MANUAL DO PRESTADOR WEB MANUAL DO PRESTADOR WEB Sumário 1. Guia de Consulta... 3 2. Guia de Procedimentos Ambulatoriais... 6 3. Guia de Solicitação de Internação... 8 4. Prorrogação de internação... 8 5. Confirmação de pedido

Leia mais

Manual do Prestador. Autorizador Web

Manual do Prestador. Autorizador Web Manual do Prestador Autorizador Web Instruções Gerais Quando houver a realização de consultas que os beneficiários estiverem sem o cartão de identificação, ou quando este cartão não for reconhecido na

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles:

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Netz Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Java SE 6, que pode ser instalado através da JDK.

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA

MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DE IMPLEMENTAÇÃO DO MÓDULO NOTA FISCAL ELETRONICA MARKANTY INFORMÁTICA Sistemas para Automação Comercial Gestão Empresarial e Fábrica de Software (Específicos) Princípios de nossos Profissionais:

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais

2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais 2013 GVDASA Sistemas Administração dos Portais AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a

Leia mais

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O

Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Roteiro de Instalação da NF-e no Sistema CalcExpress S U M À R I O Procedimentos de Configuração no CalcExpress....2 Procedimentos de Configuração no Emissor de Nota Fiscal Eletrônica...3 Gerando Arquivo

Leia mais

Manual Importação XML

Manual Importação XML Manual Importação XML Ambiente : Compras \ Estoque Custos Data: 23/02/2011 Base de Dados: DBF \ SQL Tabelas envolvidas: ZXM (XML Fornecedor) ZXN (Tabela Auxiliar XML) SA2 (Cadastro Fornecedor) SA5 (Amarração

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed. Adailton Antonio Ribeiro

Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed. Adailton Antonio Ribeiro 2011 Sistema de pedidos para estabelecimentos de alimentação: QuickPed Adailton Antonio Ribeiro UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM SISTEMAS

Leia mais

SIG DMS / NFSe. Manual de Conhecimento. Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim

SIG DMS / NFSe. Manual de Conhecimento. Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim SIG DMS / NFSe Manual de Conhecimento Atualizado em 23/05/2013 por Danillo Campelo Amorim 1 Índice Função do modulo...3 Conhecimentos Exigidos & Requisitos Humanos...3 Acessando o Sistema...4 Padrõe de

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma

Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma 1. INSTALAÇÃO Antes de iniciar a instalação do pedido eletrônico, entre em contato com o suporte da distribuidora e solicite a criação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13 Índice 1. Criptografia...3 1.1 Sistemas de criptografia... 3 1.1.1 Chave simétrica... 3 1.1.2 Chave pública... 4 1.1.3 Chave pública SSL... 4 2. O símbolo

Leia mais

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário

TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário TSE TRIBUNAL SUPEIROR ELEITORAL Secretaria de Informática Coordenadoria de Sistemas Administrativos Setor de Apoio ao Usuário (versão 1.0) 1 APRESENTAÇÃO O Tribunal Superior Eleitoral usando de suas atribuições

Leia mais