III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO"

Transcrição

1 III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO OS OPERADORES DO SISTEMA Victor Baptista Porto, 12.Fevereiro

2 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO OPERADOR DO SISTEMA

3 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO OPERADOR DO SISTEMA TSO integrado regulada

4 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO OPERADOR DO SISTEMA TSO integrado regulada TSO completamente independente e regulado

5 O PAPEL DA REN NO SECTOR ELÉCTRICO REN, Rede Eléctrica Nacional Produção Transmissão Distribuição Comercialização REGIME ORDINÁRIO EDP Produção EDIA Turbogás (CAE) Tejo Energia (CAE) Outros Produtores Regime de concessão Turbogás (CAE) exclusivo da RNT em Portugal continental Gestão técnica do SEN Gestão dos Contratos de Aquisição de Energia (CAE), não sujeitos a cessação antecipada REGIME ESPECIAL (Feed in Tariff) Produção renovável Cogeração.. REDE NACIONAL DE TRANSPORTE (RNT) - Muito alta tensão (MAT) - Concessão de Serviço (AT e MT) Publico REN Rede Eléctrica Nacional, S.A. REDE NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO - Alta e media tensão -Concessão de Serviço Publico - EDP Distribuição Mercado de Electricidade - DISTRIBUIDORES EM BAIXA TENSÃO (Concessões municipais) i i EDP Distribuição. COMERCIALIZADOR REGULADO (Comercializador do Ultimo Recurso) EDP Serviço Universal COMERZIALIZADORES EDP Comercial Endesa / Sodesa Iberdrola Union Fenosa Viesgo Others As actividades do sistema eléctrico nacional: produção, transporte, distribuição, Comercialização, Operação de mercados e operação logística de mudança de comercializador Produção e Comercialização são livres no exercício das suas actividades, sujeitas apenas a obtenção de licenças. Transporte e Distribuição exercidos em regime de concessão de serviço publico em exclusivo. 5

6 A REN OPERA EM AMBIENTE REGULADO Governo Português Define a estratégia nacional para o sector energético Estabelece o enquadramento legal para os sectores de electricidade e gás natural Garante e supervisiona as concessões de serviço público da REN Aprova os investimentos técnicos Estabelece os indicadores de qualidade de serviço da RNT Monitoriza a segurança de abastecimento do gás natural Publica os regulamentos técnicos aplicados aos sectores de electricidade e gás natural ERSE Regulador independente para os sectores de electricidade e gás natural Define os principais regulamentos dos sectores de electricidade e gás natural, incluindo o regulamento tarifário tarifário Estabelece as tarifas e os preços de electricidade e gás natural das actividades reguladas 6

7 EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EM INFRA-ESTRUTURAS DE ELECTRICIDADE M Subestações Linhas Outros Nota: IFRS graphic

8 EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EM INFRA-ESTRUTURAS DE ELECTRICIDADE M TSO integrado regulada Subestações Linhas Outros Nota: IFRS graphic

9 EVOLUÇÃO DO INVESTIMENTO EM INFRA-ESTRUTURAS DE ELECTRICIDADE M TSO integrado regulada TSO completamente independente e regulado Subestações Linhas Outros Nota: IFRS graphic

10 EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO Tempo de Interrupção Equivalente - TIE Minutos Interrupções Incidentes excepcionais

11 EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO Tempo de Interrupção Equivalente - TIE TSO integrado Minutos regulada 5 0 Interrupções Incidentes excepcionais

12 EVOLUÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO Tempo de Interrupção Equivalente - TIE TSO integrado TSO completamente independente e regulado Minutos regulada 5 0 Interrupções Incidentes excepcionais

13 EVOLUÇÃO DA INTERLIGAÇÃO 3500 MW % PT-->ES ES-->PT % Peak Load Covering (PT) 13

14 REN ELÉCTRICA - PROVEITOS PERMITIDOS ( ) Uso Global do Sistema 7,55% (1) 2,9% (2) Remuneração da Base de Activos regulados Recuperação de OPEX Incentivos da actividade de Trading Recuperação de desvios tarifários de anos anteriores Proveitos Permitidos +ROR * [(RAB) Outros activos] +ROR * [(RAB) Terrenos Hídricos] + Custos Operacionais Regulados (incluindo amortizações) - Outros proveitos regulados + Proveitos subjacentes à optimização da gestão dos CAE e das licenças de emissão de CO 2 e preço do GN na Central da Turbogás + Desvios tarifários em n-2 * (1 + Euribor 3M média + 0.5%) 2 ERSE permite proveitos adicionais, com a comercialização da electricidade dos CAE s remanescentes (Tejo Energia e TurboGás) para incentivar a optimização destes contratos. A taxa de regulação dos activos no período regultatório 2006/2008 foi de 7%. (1) Para os anos seguintes do período de regulação a ROR evolui com base na rendibilidade média das OT a 10 anos no período compreendido entre 1 de Setembro do ano t-2 e 31 de Agosto do ano t-1, acrescida de 300 pontos base. (2) - A taxa de remuneração dos terrenos hídricos corresponde à taxa de variação média do IPC dos últimos 12 meses relativamente a Setembro t-1. 14

15 REN ELÉCTRICA - PROVEITOS PERMITIDOS ( ) Uso da Rede de Transporte Incentivo à disponibilidade da rede Activos totalmente 7,55% (1) 9,05% (1) Recuperação amortizados Proveitos de desvios de Permitidos anos anteriores Remuneração da Base de Activos regulados Recuperação de OPEX A partir de 2009 as amortizações relativas ao novo A partir de 2009: + ROR investimento valorizado a preços de referência, serão calculadas + ROR * [(RAB) com base em custos de * [(RAB) - Ati Activos que referência + Desvios Activos valorizados a custos reais] entrem em exploração em 2009 valorizados a custos de referência] OPEX está sujeito à trajectória (IPC 0,5%) OPEX adicional induzido pelo crescimento da rede aceite com base em custos incrementais Custos com PPDA e a limpeza das florestas são tratados como custos aceites tarifários em n-2 * (1 + Euribor 3M média + 0.5%) 2 Parâmetros a estabelecer Parâmetros a estabelecer A remuneração adicional apara os activos completamente amortizados será alvo de fixação pela ERSE. A taxa de regulação dos activos no período regultatório 2006/2008 foi de 7%. (1) Para os anos seguintes do período regulatório a ROR evolui com base na rendibilidade d d média das OT a 10 anos no período compreendido dd entre 1 de Setembro do ano t-2 e 31 de Agosto do ano t-1, acrescida de 300 pontos base para os activos valorizados a custos reais e com prémio adicional de 150 pontos base para os activos valorizados a preços de referência. 15

16 DESAFIOS PARA A PRÓXIMA DÉCADA TSO Consumidor Em caso de dúvida 16

17 17

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2015 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2015-2017 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado

Leia mais

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2011 E 2012 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom

Leia mais

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009

AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009 AJUSTAMENTOS REFERENTES A 2007 E 2008 A REPERCUTIR NAS TARIFAS DE 2009 Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS

ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS ANÁLISE DO DESEMPENHO E DAS PREVISÕES DAS EMPRESAS REGULADAS Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303

Leia mais

Financiamento e Empreendedorismo Cultural

Financiamento e Empreendedorismo Cultural Financiamento e Empreendedorismo Cultural Instrumentos e Soluções de Investimento Porto, 2 de Julho 2009 Financiamento e Empreendedorismo Cultural 1 Programa Financiamentos ao Sector Cultural Soluções

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR ELÉCTRICO Julho 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Nos termos regulamentarmente previstos, o Conselho de Administração da ERSE apresenta, a 15 de outubro de cada ano, uma proposta

Leia mais

40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012

40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012 40568 Diário da República, 2.ª série N.º 249 26 de dezembro de 2012 Diretiva n.º 20/2012 Tarifas e preços para a energia elétrica e outros serviços em 2013 As tarifas e preços regulados para a energia

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 Tarifas e preços para a energia elétrica e outros serviços em 2015 e parâmetros para o período de regulação 2015-2017 Nos termos dos seus

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2015 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T 2015. 11 de Maio de 2015

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T 2015. 11 de Maio de 2015 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T 2015 11 de Maio de 2015 1 Destaques O EBITDA totalizou 138,3M, um crescimento de 9,4% (11,8M ) versus. Este indicador beneficiou da venda da participação da REN na Enagás

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2016 Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep DADOS IBÉRICOS 214 BALANÇO ENERGÉTICO ktep 212 213 (%) 212 213 (%) Consumo de Energia Primária 21 482 21 74 1 128 98 121 119-6 Petróleo 9 297 9 648 4 3 978 2 934-2 Carvão 2 91 2 63-9 1 1 1 31-32 Gás natural

Leia mais

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal

Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Evolução de alguns indicadores de desempenho das redes eléctricas em Portugal Jorge Esteves, XI Reunião Ibero-Americana de Reguladores de Energia Madrid, 18 de Junho de 2007 Entidade Reguladora dos Serviços

Leia mais

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis António Sá da Costa Lisboa, 18 de Junho de 2015 ENERGIA EM PORTUGAL 4 VISÃO GLOBAL

Leia mais

PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010

PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010 PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010 Abril 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2015 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 7253/2010

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 7253/2010 Diário da República, 2.ª série N.º 80 26 de Abril de 2010 21945 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Despacho n.º 7253/2010 O artigo 276.º do Regulamento de Relações Comerciais (RRC), aprovado

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAIS 2014. 19 de Março de 2015

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAIS 2014. 19 de Março de 2015 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAIS 19 de Março de 2015 1 Destaques No ano de, o Resultado líquido atingiu 112,8M, menos 7,0% do que em igual período de (-8,5M ), tendo sido penalizado pela contribuição

Leia mais

Seminário Mercado Liberalizado de Energia

Seminário Mercado Liberalizado de Energia Seminário Mercado Liberalizado de Energia A EDP Comercial no Mercado Liberalizado Carlos Neto Lisboa, 26 de Outubro de 2012 As cadeias de valor da electricidade e do gás têm grandes semelhanças A convergência

Leia mais

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O estudo analisa a evolução do Mercado Ibérico de Electricidade desde a sua

Leia mais

SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS

SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS SISTEMA ENERGÉTICO PORTUGUÊS (ELETRICIDADE E GÁS NATURAL) Contexto Regulamentar O enquadramento legal decorre da implementação do designado "Terceiro Pacote Energético", da União Europeia, do qual fazem

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA CTC CÁVADO-MINHO LIMA-OURENSE COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO CÁVADO AGÊNCIA DE ENERGIA DO CÁVADO Setembro, 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 SEMINÁRIO Energia Solar Passiva...

Leia mais

Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública

Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública Comentários da REN aos Documentos de Consulta Pública Audição Pública Lisboa, 12 de Dezembro de 2012 Acreditamos que as propostas em Consulta Pública contribuirão para a melhoria do sistema de gás natural

Leia mais

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc:

Ana Oliveira. Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: De: erse@erse.pt Cc: Ana Oliveira De: Anibal T. de Almeida [aalmeida@isr.uc.pt] Enviado: sexta-feira, 9 de Março de 2001 18:06 Para: erse@erse.pt Cc: anacris@isr.uc.pt Assunto: Comentarios Anexos: ERSE-Revisão dos Regulamentos.doc;

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento 5.

Leia mais

PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 2013-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 2013-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 201-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Designação Depósito Dual EUR BAC DUAL PORTUGAL 201-2016 Classificação Caracterização do produto Produto Financeiro Complexo

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL 2006.2008

PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL 2006.2008 PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL 2006.2008 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2007 Versão Síntese Rede Eléctrica Nacional, S.A. Novembro de 2008 Índice 1. Mensagem do Presidente 2. Fichas de actividade Manutenção

Leia mais

Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005

Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005 Discussão dos Comentários à Proposta de Revisão dos Regulamentos do Sector Eléctrico Agosto 2005 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 10/2015. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 10/2015. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016 16618 Diário da República, 2.ª série N.º 119 22 de junho de 2015 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 10/2015 Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2015-2016 Nos termos

Leia mais

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006 ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural Lisboa, 26 de Julho de 2006 O ponto de vista de uma Distribuidora Modelo proposto a Distribuidora apresenta um plano de desenvolvimento

Leia mais

VII Conferência Anual da RELOP

VII Conferência Anual da RELOP VII Conferência Anual da RELOP Agenda Final Tema: A Regulação dos Sectores de Energia em Tempos de Mudança de Paradigma Os Desafios da CPLP Hotel Pestana Tropico Cidade da Praia - Cabo Verde 04 e 05 de

Leia mais

Gestão de energia: 2008/2009

Gestão de energia: 2008/2009 Gestão de energia: 2008/2009 Aula # T06 Preços da energia - electricidade Prof. Miguel Águas miguel.aguas@ist.utl.pt Objectivos da aula RESUMO TEMAS NÃO AGENDADOS MATÉRIA DA AULA: Preços da energia eléctrica

Leia mais

Mercado da Energia Eléctrica, a. Actualidade e o Futuro. Paulo Moisés Almeida da Costa

Mercado da Energia Eléctrica, a. Actualidade e o Futuro. Paulo Moisés Almeida da Costa Actualidade e o Futuro 2 4 M A I O 2 0 0 0 Paulo Moisés Almeida da Costa Departamento de Engenharia Electrotecnia Escola Superior de Tecnologia de Viseu Paulomoises@elect.estv.ipv.pt http://www.estv.ipv.pt/paginaspessoais/paulomoises/

Leia mais

Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural. Guia Prático: perguntas com respostas

Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural. Guia Prático: perguntas com respostas Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural Guia Prático: perguntas com respostas Nota introdutória A liberalização dos mercados de eletricidade e do gás natural e a sequente extinção das tarifas

Leia mais

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 52/2015 EDP Renewables/Stirlingpower Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio] 27/11/2015 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. DIRETIVA n.º 9/2016. Tarifas sociais de eletricidade a vigorar de 1 julho a 31 de dezembro de 2016

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. DIRETIVA n.º 9/2016. Tarifas sociais de eletricidade a vigorar de 1 julho a 31 de dezembro de 2016 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA n.º 9/2016 Tarifas sociais de eletricidade a vigorar de 1 julho a 31 de dezembro de 2016 Nos termos dos seus Estatutos aprovados pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores Conferência do Diário Económico Vitor Santos Presidente da ERSE Hotel Sheraton, Lisboa 4 de Julho de 2012 Agenda 1. Liberalização efetiva

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Eliminado: Maio REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Junho 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES)

20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) 20.1. Linhas de crédito e contas correntes Taxa anual nominal (TAN) Taxa anual efetiva (TAE) Outras condições Empréstimos a taxa variável 1. Conta Corrente Conta Corrente Euribor 1, 3 e 6 meses + spread

Leia mais

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL 1ª Conferência Luso-Espanhola de Direito da Concorrência Lisboa, 01 e 02 de Julho de 2010 O Grupo EDP tem presença significativa no mundo E.U.A Capacidade

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Nos termos regulamentarmente previstos, designadamente no artigo 185.º do Regulamento Tarifário, o Conselho de Administração da ERSE

Leia mais

Mesa Redonda sobre Energia Eólica

Mesa Redonda sobre Energia Eólica Mesa Redonda sobre Energia Eólica Informação de Enquadramento 10 de Fevereiro de 2010 Tópicos para apresentação Produção e consumo de electricidade em Portugal Produção em regime especial Produção eólica

Leia mais

PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2008-2009

PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2008-2009 PPDA DA REN ARMAZENAGEM ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2008-2009 Maio 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom

Leia mais

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Sumário No sentido de aprofundar o MIBEL - Mercado Ibérico de Electricidade, e em linha com o Acordo de Santiago de Compostela e

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER Braga, 26 de Outubro de 2012 Luis Alexandre Silva Porquê a presença no Mercado Elétrico? Expansão de Negócios Estratégia de diversificação (novos mercados) Crescimento nos

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO. O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local.

MISSÃO DO GRUPO. O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local. MISSÃO DO GRUPO O Grupo Crédito Agrícola é um motor de desenvolvimento local. Conhecedor profundo do tecido empresarial das várias regiões onde actua, oferece as melhores soluções para as expectativas

Leia mais

Relatório de Actividades 2003

Relatório de Actividades 2003 Relatório de Actividades 2003 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Março 2004 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Telefone: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 Email: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DISCUSSÃO DOS COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DOS REGULAMENTO DO ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS REGULAMENTO TARIFÁRIO PARA PERMITIR A SUA APLICAÇÃO NAS REGIÕES

Leia mais

Relatório Anual sobre a Prestação do Serviço de Interruptibilidade

Relatório Anual sobre a Prestação do Serviço de Interruptibilidade sobre a Prestação do Serviço de Interruptibilidade Janeiro de 212 ÍNDICE 1 Sumário Executivo... 3 2 Enquadramento Legislativo... 4 3 Caracterização da Prestação do Serviço de Interruptibilidade... 6 4

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO RESPOSTA ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES Maio 2009 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa

Leia mais

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL CMVM PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL 1...Descrição geral do método e fases da sua implementação... 2 2...Mecanismo de leilões explícitos de capacidade... 2 3...Mecanismo

Leia mais

Politica Energética nacional desafios para 2020

Politica Energética nacional desafios para 2020 Seminário Estratégias para a Sustentabilidade Energética e Ambiental dos Territórios Politica Energética nacional desafios para 2020 João Pedro Bernardo Diretor de Serviços de Sustentabilidade Energética

Leia mais

Uma Janela sobre o Futuro

Uma Janela sobre o Futuro CCB 26 Julho 2006 Uma Janela sobre o Futuro "Make everything as simple as possible, but not simpler." - Albert Einstein (1879-1955) Proposta de Regulamentação O papel das infra-estruturas Liberalização

Leia mais

8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA)

8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA) 8 anos de Planos de Promoção do Desempenho Ambiental (PPDA) PPDA CONCRETIZAÇÃO DAS OBRIGAÇÕES ESTATUTÁRIAS DA ERSE Estatutos Ferramentas Contribuir para melhorar o desempenho ambiental das empresas que

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 5 8 de janeiro de 2016 721

Diário da República, 2.ª série N.º 5 8 de janeiro de 2016 721 Diário da República, 2.ª série N.º 5 8 de janeiro de 2016 721 b) Os perfis de consumo aplicáveis a instalações em Média Tensão (MT), Baixa Tensão Normal (BTN) e Baixa Tensão Especial (BTE), e o diagrama

Leia mais

PORTUGAL O SISTEMA ELÉTRICO PORTUGUÊS E AS RECENTES ALTERAÇÕES AO SEU REGIME JURÍDICO INTRODUÇÃO O DL 29/2006: ATIVIDADES DO SISTEMA ELÉTRICO NACIONAL

PORTUGAL O SISTEMA ELÉTRICO PORTUGUÊS E AS RECENTES ALTERAÇÕES AO SEU REGIME JURÍDICO INTRODUÇÃO O DL 29/2006: ATIVIDADES DO SISTEMA ELÉTRICO NACIONAL 130 Actualidad Jurídica Uría Menéndez / 34-2013 PORTUGAL O SISTEMA ELÉTRICO PORTUGUÊS E AS RECENTES ALTERAÇÕES AO SEU REGIME JURÍDICO O Sistema Elétrico Português e as recentes alterações ao seu regime

Leia mais

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia sinta a nossa energia Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 0 1S07: Principais Acontecimentos Crescimento de EBITDA: +27% com base em crescimento orgânico Turnaround das actividades em mercado: enfoque

Leia mais

Cronograma dos Programas de Acção

Cronograma dos Programas de Acção P.1 Aplicação do novo quadro regulamentar às comunicações electrónicas 1. Participação, a nível internacional, nos trabalhos de implementação e eventuais ajustamentos decorrentes da revisão do actual quadro

Leia mais

Proposta de protocolo Benefícios aos associados

Proposta de protocolo Benefícios aos associados Proposta de protocolo Benefícios aos associados A LUZBOA A LUZBOA Comercialização de Energia Lda é uma empresa de comercialização de electricidade no mercado liberalizado sedeada em Viseu, que opera para

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA: PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR COMENTÁRIOS REN REDE ELÉCTRICA NACIONAL, S.A.

CONSULTA PÚBLICA: PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR COMENTÁRIOS REN REDE ELÉCTRICA NACIONAL, S.A. CONSULTA PÚBLICA: PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR COMENTÁRIOS REN REDE ELÉCTRICA NACIONAL, S.A. Considerações Gerais: Esta consulta pública, essencialmente centrada nas temáticas associadas

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Fevereiro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 42,57 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

PPDA DA REN GASODUTOS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010

PPDA DA REN GASODUTOS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010 PPDA DA REN GASODUTOS ANÁLISE DO RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO ANO GÁS 2009-2010 Abril 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom

Leia mais

Folheto Taxa de Juros

Folheto Taxa de Juros s Banco Interatlântico. BO nº 21 de 12/04/2013 - IIª Série Site: www.bi.cv *e-mail: bi@bi.cv FOLHETO TAXA DE JUROS FTJ - CLIENTES PARTICULARES 17. CONTAS DE DEPÓSITOS 17.1 Depósito a Prazo 17.2 Contas

Leia mais

União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia. Anúncio de adjudicação de contrato (Directiva 2004/18/CE)

União Europeia Publicação no suplemento do Jornal Oficial da União Europeia. Anúncio de adjudicação de contrato (Directiva 2004/18/CE) União Europeia Publicação no suplento do Jornal Oficial da União Europeia 2, rue Mercier, 2985 Luxbourg, Luxburgo Fax: +352 29 29 42 670 Correio electrónico: ojs@publications.europa.eu Informação e formulários

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015 CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2015 Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01

Leia mais

REVISÃO DO REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SECTOR ELÉCTRICO. Documento Justificativo

REVISÃO DO REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SECTOR ELÉCTRICO. Documento Justificativo REVISÃO DO REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SECTOR ELÉCTRICO Documento Justificativo Junho 2009 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

Carlos Nascimento Lisboa 16 de Fevereiro de 2012

Carlos Nascimento Lisboa 16 de Fevereiro de 2012 Carlos Nascimento Lisboa 16 de Fevereiro de 2012 Situação Energética nacional Entre 1990 e 2005, o Consumo Energia Primária aumentou 54%, situando-se hoje nos 30% face a 1990 (igual a 1998). Em 2010 o

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha)

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua (atualizado a 30 de abril de 2014) UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento

Leia mais

MANUAL DE FORMAÇÃO. PME s- Força de Vendas D2D. Liberal Energia SETEMBRO/2013

MANUAL DE FORMAÇÃO. PME s- Força de Vendas D2D. Liberal Energia SETEMBRO/2013 MANUAL DE FORMAÇÃO PME s- Força de Vendas D2D Liberal Energia SETEMBRO/2013 Plano Tema da sessão: Força de Vendas D2D Duração: 4 horas Destinatários: Equipa de Vendas D2D Segmento PME s Objectivos No final

Leia mais

DECRETO Nº 2.655, DE 02 DE JULHO DE 1998

DECRETO Nº 2.655, DE 02 DE JULHO DE 1998 DECRETO Nº 2.655, DE 02 DE JULHO DE 1998 Regulamenta o Mercado Atacadista de Energia Elétrica, define as regras de organização do Operador Nacional do Sistema Elétrico, de que trata a Lei n o 9.648, de

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DAS REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA Novembro 2009 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax:

Leia mais

3. BENEFICIÁRIOS Podem ser beneficiários dos apoios previstos na acção 3.1.3, Pessoas singulares ou colectivas de direito privado.

3. BENEFICIÁRIOS Podem ser beneficiários dos apoios previstos na acção 3.1.3, Pessoas singulares ou colectivas de direito privado. 1. OBJECTIVOS DAS INTERVENÇÕES Os apoios previstos no âmbito do presente regulamento visam desenvolver o turismo e outras actividades de lazer como forma de potenciar a valorização dos recursos endógenos

Leia mais

PME Investe III. Linha da Região OESTE

PME Investe III. Linha da Região OESTE PME Investe III Linha da Região OESTE Objectivos Esta Linha de Crédito, sem juros e com garantias a custo reduzido, visa apoiar as empresas do sector do turismo, localizadas na região Oeste e destina-se

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

ANÁLISE DE DESEMPENHO DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO ANÁLISE DE DESEMPENHO DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

PPDA PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTA DESEMPENHO AMBIENT L

PPDA PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTA DESEMPENHO AMBIENT L PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL EEM Maio - 2008 PPDA 2006-20082008 Medidas propostas e aprovadas: 2006 2007 2008 Total Fomação em ambiente 2.500 0 1.500 4.000 Integração paisagística de

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 218 12 de novembro de 2012 36849 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Regulamento n.º 468/2012 Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor

Leia mais

COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS

COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS COMENTÁRIOS À PROPOSTA DE REVISÃO REGULAMENTAR REGULAMENTO TARIFÁRIO E REGULAMENTO DAS RELAÇÕES COMERCIAIS 1. INTRODUÇÃO O presente documento pretende transmitir a posição da ELECPOR Associação Portuguesa

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SETOR ELÉTRICO Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 214 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Novembro de 214 O preço médio aritmético durante o mês foi de 46,8 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO

QUALIDADE DE SERVIÇO DE NATUREZA TÉCNICA NO SECTOR ELÉCTRICO QUALIDADE DE SERVIÇO TÉCNICA A qualidade de serviço de natureza técnica no sector eléctrico está associada à análise dos seguintes aspectos: Fiabilidade do fornecimento da energia eléctrica (continuidade

Leia mais

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO

GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO GUIA DO CONSUMIDOR DE ELECTRICIDADE NO MERCADO LIBERALIZADO RESPOSTA ÀS QUESTÕES MAIS FREQUENTES Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO

PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO PROVEITOS PERMITIDOS E AJUSTAMENTOS PARA 2016 DAS EMPRESAS REGULADAS DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

Anexo III Plano de negócios. Plano de negócios da instituição financeira

Anexo III Plano de negócios. Plano de negócios da instituição financeira Constituição de IF Bancária Anexo III Plano de negócios Plano de negócios da instituição financeira De forma a aferir o cumprimento dos requisitos legais estabelecido na Lei das Instituições Financeiras,

Leia mais

Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves. Universidade do Minho 31/10/2012

Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves. Universidade do Minho 31/10/2012 Potencial da utilização do biogás na gestão dos efluentes agro-pecuários Madalena Alves Universidade do Minho 31/10/2012 sumário Sustentabilidade do Biogás Benchmarking Europeu exemplos Modelos de negócio

Leia mais

Briefing EDP UNIVERSITY CHALLENGE 2013

Briefing EDP UNIVERSITY CHALLENGE 2013 Briefing EDP UNIVERSITY CHALLENGE 2013 1 1 Índice... 1 2 Introdução... 2 3 Contextualização... 3 3.1 Processos de liberalização energética noutros mercados... 3 3.2 Energia Elétrica... 4 3.3 Gás Natural...

Leia mais

Gestão do Risco Elétrico

Gestão do Risco Elétrico Gestão do Risco Elétrico Aveiro, 10 de abril de 2015 João António Ribeiro Agenda 1. A EDP 2. Risco elétrico 3. Proteção contra o risco elétrico 4. Segurança nos trabalhos em instalações elétricas Trabalhos

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 18138/2009

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 18138/2009 31322 Diário da República, 2.ª série N.º 150 5 de Agosto de 2009 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Despacho n.º 18138/2009 No âmbito do novo período regulatório (2009-2011), a ERSE procedeu

Leia mais

CONSELHO CONSULTIVO Secção do Sector Eléctrico. Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes

CONSELHO CONSULTIVO Secção do Sector Eléctrico. Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes Secção do Sector Eléctrico Parecer CC/SE n 2/2010 Sobre a proposta de revisão do Regulamento de Operação de Redes ENQUADRAMENTO O presente Parecer sobre os documentos apresentados pelo Conselho de Administração

Leia mais

1º SEMESTRE 2011 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL. janeiro 2013. julho 2012

1º SEMESTRE 2011 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL. janeiro 2013. julho 2012 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL O Governo, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 34/211, de 1 de Agosto, veio concretizar um calendário de extinção das tarifas reguladas de venda de

Leia mais

ECSI 2013 Divulgação de Resultados

ECSI 2013 Divulgação de Resultados ECSI 2013 Divulgação de Resultados Banca, Seguros, Comunicações, Combustíveis, Gás em Garrafa, Gás Natural, Eletricidade, Dual, Transportes de Passageiros e Águas Equipa ECSI: Parceiro no sector dos Seguros

Leia mais

Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de 2007

Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de 2007 Relatório sobre a formação dos preços grossistas da energia eléctrica em Portugal no segundo semestre de Maio 2009 Autoridade da Concorrência Rua Laura Alves, n.º 4 1050-138 Lisboa Portugal Tel: (+351)

Leia mais

CONTACTOS DE COMERCIALIZADORES DE ELECTRICIDADES E GÁS NATURAL

CONTACTOS DE COMERCIALIZADORES DE ELECTRICIDADES E GÁS NATURAL CONTACTOS DE COMERCIALIZADORES DE ELECTRICIDADES E GÁS NATURAL ELECTRICIDADE Operadores das Redes de Distribuição Para além da EDP Distribuição existem várias cooperativas que funcionam como Operadores

Leia mais