FINANCIAMENTO: REINO DE ESPANHA RESPONSAVEL DE PROGRAMA, PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP) E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FINANCIAMENTO: REINO DE ESPANHA RESPONSAVEL DE PROGRAMA, PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP) E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS"

Transcrição

1 FINANCIAMENTO: REINO DE ESPANHA RESPONSAVEL DE PROGRAMA, PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA (PPP) E MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS Departament: Infraestrutura Direçã: Unidade de PPDU Categria: P4 Salári anual: USD 44,328 - USD 51,637 Supervisr: Diretr, PPDU Referência: ECW-COMM/REC/PPDU-P/002/2016 Duraçã: Um (1) an renvável em funçã d desempenh Lcal de Trabalh: Lmé, Tg Pel Regulament C/REG.18/01/05, datad de 18 de janeir de 2005, Cnselh de Ministrs da CEDEAO criu n Secretariad Executiv da CEDEAO, uma Unidade para a implementaçã ds prjets de infraestrutura da NEPAD, cnhecids cm PDIU. Esta unidade era respnsável pel desenvlviment e implementaçã de prjets de infraestrutura reginais, especialmente s da NEPAD. Criar PPDU fi uma ideia cncebida pels Estads Africans para implementar plíticas de integraçã reginal que afiançarã seu desenvlviment e s relacinads a prjets de infraestrutura d Plan de Açã a Curt Praz da NEPAD (PACT). Cm uma Cmunidade Ecnómica Reginal (CER), a Cmissã da CEDEAO fi mandatada, pela Uniã Africana, para implementar PACT na sua regiã. As principais cnclusões extraídas da falta de investiments de infraestrutura na regiã sã:

2 - Energia: cm um simples acess de 30% à energia, esse índice é um ds mais pbres d mund (53% na área urbana e 8% na área rural). Cnsequentemente, apenas 54% da demanda em energia é satisfeita, apesar d enrme ptencial de recurss da regiã. De uma ptência hidráulica de 26 GW dispníveis, apenas 16% estã send explrads. - Transprte aére: O sectr caracteriza-se pr uma falta de ligaçã entre as várias capitais da regiã, uma taxa de acidentes de carr três vezes mair d que a média mundial, alt cust ds bilhetes de passagem e fretes exrbitantes e nã acessíveis a públic em geral; - Transprte rdviári: As redes de estradas cnstruídas estã num estad delapidad causand acidentes graves, cm váris psts de cntrl e impedind a cnstruçã de rdvias reginais; - Redes ferrviárias estã num estad de degradaçã e inadequadas para transprte ferrviári mdern, e as redes ferrviárias existentes nã estã interligadas; - Transprtes marítims deixaram de existir junt cm as cmpanhias de navegaçã nacinais. O atras à saída é de 15 dias cntra uma média mundial de 3 dias, incluind fat de que a mairia ds prts nã cumpre as nrmas internacinais. - Telecmunicações: uma cnectividade internacinal fraca e custs elevads para s cnsumidres, sã as principais características deste sectr. Esta situaçã afeta a cmpetitividade das empresas e indústrias da regiã, quand cmparadas cm as d rest d mund uma vez que a infraestrutura é a principal causa de alts custs de prduçã. Ist pde ser atribuíd principalmente à dificuldade da implementaçã de investiments devid à falta de financiaments. O PPDU fi, prtant, criad para desenvlver estuds de viabilidade que trnarã s prjets reginais viáveis, integradres e financiáveis. Cm parte d seu api a PPDU e de acrd cm Memrand de Entendiment (MdE) assinad em Fevereir de 2015, entre a Cmissã da CEDEAO e as duas partes, Rein de Espanha vai dedicar parte da sua cntribuiçã financeira para recrutament de dis (2) Especialistas que irã apiar a unidade n dmíni da infraestrutura ferrviária e da Parceria Públic Privad (PPP) e mbilizaçã de recurss.

3 1. OBJETIVOS O bjetiv geral ds serviçs é : - Prprcinar a PPDU assistência técnica qualificada para a ba execuçã das suas atividades de preparaçã ds prjets; e - Refrçar as capacidades da Unidade. Os bjetivs específics ds serviçs sã: - Cntribuir para desenvlviment de estuds de prjets n sectr ferrviári; - Cncluir cm êxit prcess de seleçã de prjets elegíveis de infraestrutura reginais para desenvlviment de estuds de viabilidade e cnclusã de pedids de financiament; - Atrair mais participaçã d setr privad n financiament de prjets de infraestrutura; - Auxiliar na mbilizaçã de recurss para a cnclusã de financiament de prjets de infraestrutura reginais; - Apiar e frtalecer a capacidade da Unidade em pessal qualificad. 2. Deveres e Respnsabilidades Sb a supervisã d Diretr d PPDU, serviç deve envlver: (i) identificaçã, mnitrizaçã e implementaçã de prjets que pdem ser cnsiderads para financiament através d PPP e (ii) mbilizaçã de recurss cm vista a facilitar a implementaçã de prjets reginais. De frma nã exaustiva, as funções devem incluir entre utras: - Refrçar a capacidade interna da Unidade, garantind nmeadamente uma mair sinergia entre s diferentes sectres (energia, transprtes, telecmunicações e recurss hídrics); - Identificaçã de prjets de infraestrutura suscetíveis de recrrer a financiament PPP e examinar a dispsiçã adequada para cas específic; - Desenvlviment de diretrizes, prcediments e critéris para a avaliaçã ds prjets de PPP, tend em cnta as características especiais d setr de infraestruturas;

4 - Prprcinar rientações para desenvlviment de estratégias, plíticas, prcediments e prgramas de PPP; - Auxiliar na mbilizaçã de recurss através da preparaçã de dcuments relevantes para a rganizaçã de fra e reuniões ds parceirs Técnics e Financeirs; e - Frmaçã de pessal PPDU em prcediments de PPP e mbilizaçã de recurss através de ações de frmaçã e semináris sbre móduls específics; 3. Qualificações Académicas e Experiência - Licenciatura em pel mens uma das seguintes áreas: Administraçã de Empresas, Engenharia, Direit e utras áreas afins; - Mínim de 7 ans de experiência n desenvlviment de infraestruturas e PPP na área de infraestruturas, de preferência ns países em desenvlviment, incluind desenvlviment de plíticas, gestã d quadr jurídic e institucinal, bem cm s aspets técnics e financeirs ds prjets; - Ba cmpreensã das questões estratégicas e regulamentares sbre as PPP ns países em desenvlviment; - Bm cnheciment d papel d sectr privad na prestaçã de serviçs públics ns países em desenvlviment; - Bns cnheciments sbre as nrmas das PPP incluind a legislaçã ns países em desenvlviment; - Excelente cnheciment da prmçã de prjets (para s ptenciais futurs prmtres das PPP); -- Familiaridade cm as plíticas e prcediments de agências multilaterais e bilaterais; - Prficiência n us de aplicativs infrmátics, ( MS Office); Idade Os candidats nã devem ter mais de cinquenta (50) ans de idade n mment d recrutament e devem ser cidadãs de um ds estads membrs da CEDEAO. Idima

5 O candidat deve ser fluente (escrita e falada) numa das línguas ficiais da CEDEAO: Inglês, Francês u Prtuguês. Prficiência em utra língua de trabalh seria uma mais-valia.

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda.

RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO. BRACING PT2020 PDR2020 (Jovens agricultores) Página 1 de 7. Bracing Consulting, Lda. RECURSOS FINANCEIROS EXTRA PARA O CRESCIMENTO DO SEU NEGÓCIO BRACING PT2020 PDR2020 (Jvens agricultres) Página 1 de 7 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira

Estratégia Nacional de Especialização Inteligente. Lisboa, 2 de fevereiro de 2017 José Carlos Caldeira Estratégia Nacinal de Especializaçã Inteligente Lisba, 2 de fevereir de 2017 Jsé Carls Caldeira Estrutura da Apresentaçã I. ENEI: prcess em Prtugal II. Mnitrizaçã e avaliaçã III. Primeirs resultads I.

Leia mais

Atividades a desenvolver. 1º Período - 12 de setembro a 17 de setembro

Atividades a desenvolver. 1º Período - 12 de setembro a 17 de setembro Agrupament de Esclas da Caparica Planificaçã das Atividades d Cnselh Pedagógic e Estruturas de Gestã Intermédia Dcument Orientadr - 2013/2014 1 O Cnselh Pedagógic é órgã de crdenaçã e supervisã pedagógica

Leia mais

Tecnologia & Inovação em Santa Catarina

Tecnologia & Inovação em Santa Catarina Tecnlgia & Invaçã em Santa Catarina Evertn Gubert Vice-Presidente Assciaçã Catarinense de Empresas de Tecnlgia Flrianóplis, 19 de nvembr de 2012. Pls Reginais de Tecnlgia e Invaçã Jinville (Sftville) Jaraguá

Leia mais

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo

SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubro em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubro 2014 em Maputo SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE CAPACITAÇÃO EM MOÇAMBIQUE 27 e 28 de Outubr em Chinhambudzi / Manica 30 e 31 de Outubr 2014 em Maput Intrduçã Esta prpsta prevê a realizaçã de um seminári avaliaçã

Leia mais

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando!

Campanha Construindo Cidades Resilientes: minha cidade está se preparando! Campanha Cnstruind Cidades Resilientes: minha cidade está se preparand! Platafrma temática sbre risc urban nas Américas Frtaleciment da cperaçã e clabraçã entre gverns lcais Cnvite à apresentaçã de prpstas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEEVALE INCUBADORA TECNOLÓGICA DA FEEVALE (ITEF) SELEÇÃO DE PROJETOS PARA FASE DE PRÉ- INCUBAÇÃO

UNIVERSIDADE FEEVALE INCUBADORA TECNOLÓGICA DA FEEVALE (ITEF) SELEÇÃO DE PROJETOS PARA FASE DE PRÉ- INCUBAÇÃO UNIVERSIDADE FEEVALE INCUBADORA TECNOLÓGICA DA FEEVALE (ITEF) SELEÇÃO DE PROJETOS PARA FASE DE PRÉ- INCUBAÇÃO 1) INTRODUÇÃO A Universidade FEEVALE, pr mei da Incubadra Tecnlógica da FEEVALE ITEF apia desenvlviment

Leia mais

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes Cinc sentids da Ecnmia Scial Améric M. S. Carvalh Mendes ATES Área Transversal de Ecnmia Scial Universidade Católica Prtuguesa Prt 29 de Nvembr de 2015 Améric M. S. Carvalh Mendes Cinc sentids da Ecnmia

Leia mais

PROGRAMA DE REALIZAÇÃO E APOIO A EVENTOS DE ESPORTE, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL

PROGRAMA DE REALIZAÇÃO E APOIO A EVENTOS DE ESPORTE, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PROGRAMAS DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA DE REALIZAÇÃO E APOIO

Leia mais

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY

MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY MELHORIA DE CONTROLOS INTERNOS SOBRE A PRODUÇÃO DE DIAMANTES ALUVIAIS DECLARAÇÃO ADOPTADA PELA REUNIÃO PLENÁRIA DE MOSCOVO DO PROCESSO DE KIMBERLEY 1. INTRODUÇÃO: O DESAFIO DE CONTROLAR A PRODUÇÃO ALUVIAL

Leia mais

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS

Seção II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Seçã II AÇÕES DE ASSESSORAMENTO, DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS 1. A seçã II deverá ser preenchida após realizaçã de visita técnica; 2. Este Instrumental de Visita Técnica cntém

Leia mais

Documento Orientador: UFCD: Ideias e Oportunidades de Negócio Código 7583

Documento Orientador: UFCD: Ideias e Oportunidades de Negócio Código 7583 An Letiv 2016/2017 IDEIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO COMERCIAL PLANIFICAÇÃO ANUAL Dcument Orientadr: UFCD: Ideias e Oprtunidades de Negóci Códig 7583 ENSINO SECUNDÁRIO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

Assembléia Le islativa do Estado de Rondôni

Assembléia Le islativa do Estado de Rondôni Recebid, Autue-se e Inclua em pauta. Assembléia Le islativa d Estad de Rndôni ọ...j c, ATOR: ESTADO DE RONDÔNIA Assembléia Leail?tiva 1 2 MAl 2015 Prll: j q6'! 5-,--_ TADO AELCIO DA TV - PP Prcess: J1().

Leia mais

VERSÃO REVISTA N.º 1 DA ORDEM DO DIA PROVISÓRIA

VERSÃO REVISTA N.º 1 DA ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Cnselh da Uniã Eurpeia Bruxelas, 14 de fevereir de 2017 (OR. en) 6234/1/17 REV 1 OJ CRP2 6 COMIX 110 ORDEM DO DIA PROVISÓRIA Assunt: 2616.ª reuniã d COMITÉ DE REPRESENTANTES PERMANENTES (2.ª Parte) Data:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO UFOP DIRETORIA DE ORÇAMENTO E FINANÇAS COORDENADORIA DE SUPRIMENTOS OFÍCIO CIRCULAR CSU nº 001, de 05 de fevereir de 2016. ASSUNTO: Infrme sbre implementaçã da metdlgia de Centrs de Custs, mdificações ns Sistemas Integrads, Treinament e demais rientações Prezads Senhres,

Leia mais

iii..._.11111. I e.ei..e!!!!!!!!!iiiilfl!!n!!!! Assntin,i i)a)ipcsi w Cmissã de Orçament. Finanças e Administraçã PÚbhca Relatóri Cmunicaçã da Cmissã a Parlament Eurpeu e a Cnselh COM(2014)61 a.... t.

Leia mais

DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS

DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS 1 DIRETORIA DE SERVIÇOS INTERNOS Cnhecida cm a cmissã da sciabilidade u a primeira cmissã de serviçs rtáris; Peça fundamental para bm funcinament d clube; Respnsável pel desenvlviment d cmpanheirism cm

Leia mais

A proteção de nomes geográficos no processo de novos gtlds. V3 29 de agosto de 2014

A proteção de nomes geográficos no processo de novos gtlds. V3 29 de agosto de 2014 A prteçã de nmes gegráfics n prcess de nvs gtlds V3 29 de agst de 2014 Preparad pel subgrup de trabalh para a prteçã de nmes gegráfics nas próximas rdadas de nvs gtlds 1. Finalidade Durante 47 Encntr da

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em

GESTÃO DE STOCKS. A para a racionalização de custos e melhoria de procedimentos. 3 dias de Formação Intensiva para analisar em Seminári Prátic APROVISIONAMENTO E Luanda, 23, 24 e 25 de Mai de 2017 - Htel**** GESTÃO DE STOCKS A para a racinalizaçã de custs e melhria de prcediments 3 dias de Frmaçã Intensiva para analisar em A Quantidade

Leia mais

3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO

3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 47 48 3.1. VISÃO DE FUTURO DO MAIS RN PARA 2035 A classe empresarial ptiguar apresenta para a sciedade uma Visã de Futur usada e desafiadra.

Leia mais

Programa Estágios Profissionais

Programa Estágios Profissionais Prgrama Estágis Prfissinais Cnsiste num estági cm a duraçã de 9 meses, pdend prlngar-se, cm autrizaçã d IEFP, excepcinalmente, até 12 meses, quand fr cmplementad pr um estági a realizar em territóri nacinal

Leia mais

O fomento e a seleção de Planos de Negócio no âmbito do Inova Energia se destinará a cadeias produtivas ligadas às três linhas temáticas a seguir:

O fomento e a seleção de Planos de Negócio no âmbito do Inova Energia se destinará a cadeias produtivas ligadas às três linhas temáticas a seguir: Objetivs O Plan de Açã Cnjunta Inva Energia é uma iniciativa destinada à crdenaçã das ações de fment à invaçã e a aprimrament da integraçã ds instruments de api dispnibilizads pel BNDES, pela Agência Nacinal

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Edital nº26/2015 PROPP/UEMS, 28 de agst de 2015. ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENSINO EM SAÚDE, MESTRADO PROFISSIONAL, DA UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

EDITAL Nº 001/2017 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA UNIDADE CLÍNICA AMBULATORIAL DE JUNDIAPEBA ÚNICA DR. ARTHUR DOMINGOS FAIS

EDITAL Nº 001/2017 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PARA UNIDADE CLÍNICA AMBULATORIAL DE JUNDIAPEBA ÚNICA DR. ARTHUR DOMINGOS FAIS Decret 93081 de 07.08.1986 Entidade Filantrópica Decret-Lei 1572 de 01.09.1977 CNPJ 44.690.238/0001-61 Registr Cartóri de Registr de Imóveis de Bariri N. 247 03.04.1923 www.svitalesaude.rg.br EDITAL Nº

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014

PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Estad d Ri de Janeir Gabinete d Vereadr Jean Carls de Almeida PROJETO DE LEI Nº 124\ 2014 Dispõe sbre O Prgrama de Treinament as Servidres Públics Municipal e Cargs Cmissinads, que exercem funções de atendiment

Leia mais

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis.

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis. 1 Transfrmand Snhs em Metas Objetiv: Desenvlver as cndições ideais para a ba frmulaçã de bjetivs, transfrmand-s em metas realizáveis. Públic-Alv: Pessas interessadas em atingir sucess prfissinal e realizaçã

Leia mais

Governação Integrada em Territórios Vulneráveis

Governação Integrada em Territórios Vulneráveis Fórum GOVINT GOVERNAÇÃO INTEGRADA. A EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL E DESAFIOS PARA PORTUGAL 16 utubr 2015 Gvernaçã Integrada em Territóris Vulneráveis Jã Ferrã, ICS-UL (crd.) Jã Murat (ICS-UL) Jrge Malheirs

Leia mais

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013

Ata 1ª Reunião Conselho Eco-Escola 13 dezembro 2013 Ata 1ª Reuniã Cnselh Ec-Escla 13 dezembr 2013 As treze dias d mês de dezembr de 2013 realizu-se, n auditóri, a primeira reuniã d cnselh Ec-Esclas d Clégi Valsassina d presente an lectiv. A reuniã cntu

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina. Infrmaçã da Prva de Exame de Equivalência à Frequência de Prjet Tecnlógic Códig: 196 2013 Curs Tecnlógic de Infrmática/12.º Prva: Pr (Prjet) Nº de ans: 1 Duraçã: 30-45 minuts Decret-Lei n.º 139/2012, de

Leia mais

Edital 08/2010. Poderão se inscrever no processo candidatos que preencham os requisitos conforme relacionados abaixo:

Edital 08/2010. Poderão se inscrever no processo candidatos que preencham os requisitos conforme relacionados abaixo: Faculdade de Administraçã Centr de Educaçã a Distância Edital de Seleçã de Tutres a Distância UAB, I/SEED/MEC Edital 08/2010 A Universidade Federal de Juiz de fra (UFJF) trna públic, pr mei deste Edital,

Leia mais

FICHA DE CURSO. Curso de Especialização Pós-Graduada em Gestão e Manutenção de Equipamentos de Elevação - Elevadores

FICHA DE CURSO. Curso de Especialização Pós-Graduada em Gestão e Manutenção de Equipamentos de Elevação - Elevadores 1. Designaçã d Curs: Curs de Especializaçã Pós-Graduada em Gestã e Manutençã de Equipaments de Elevaçã - Elevadres 2. Denminaçã d Diplma u Certificad Diplma de Pós-Graduaçã em Gestã e Manutençã de Equipaments

Leia mais

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS. Eixo Prioritário 3 PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS Avis Nº ACORES-51-2017-14 PROGRAMA OPERACIONAL PARA OS AÇORES 2020 Eix Priritári 3 Cmpetitividade das Empresas Reginais Priridade

Leia mais

PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE)

PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE) PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR (PRESSE) Prject-Pilt 2008/2009 Administraçã Reginal de Saúde d Nrte- Departament de Saúde Pública Ministéri da Saúde Departament de Saúde Pública Prgrama

Leia mais

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços:

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços: Term de Referência para cntrataçã de Auditres Externs A Rede Nrte-Sul http://www.nrd-sued-netz.de é um departament da DGB Bildungswerk BUND, instituiçã educacinal pertencente à Cnfederaçã ds Sindicats

Leia mais

Regulamento de Frequência Conselheiros de Segurança

Regulamento de Frequência Conselheiros de Segurança Regulament de Frequência Cnselheirs de Segurança www.academiadprfissinal.cm email: academiadprfissinal@ltm.pt V06 31.10.2016 Regulament de Frequência Cnselheirs de Segurança Índice 1- Enquadrament... 3

Leia mais

Elaboração de sínteses de evidência

Elaboração de sínteses de evidência Capacitaçã d Núcle de Evidências em Saúde / Estaçã BVS da ESP / SES - MG em Elabraçã de sínteses de evidência Mdels, instruments de avaliaçã e estratégias de disseminaçã Bel Hriznte, nvembr de 2013 Objetivs

Leia mais

Sobre Fabrimatica S.A.

Sobre Fabrimatica S.A. Sbre Fabrimatica S.A. 02-May-2012 Sbre nós Cmpanhia de capital privad, fundada em 1997 Oficinas em Argentina Clientes na Argentina, Brasil, Chile e USA Distribuidres n Méxic, Brasil, Paraguai, Venezuela

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL

RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DO GRUPO TIM NO BRASIL PREMISSA Cnectar e cuidar de cada um para que tds pssam fazer mais Esse é prpósit da TIM que, além de traduzir sua atuaçã invadra, também se

Leia mais

AVALIAÇÃO, COMPRA E VENDA DE EMPRESAS (VALOR JUSTO) BRACING Avaliação, Compra e Venda de Empresas Página 1 de 10. Bracing Consulting, Lda.

AVALIAÇÃO, COMPRA E VENDA DE EMPRESAS (VALOR JUSTO) BRACING Avaliação, Compra e Venda de Empresas Página 1 de 10. Bracing Consulting, Lda. AVALIAÇÃO, (VALOR JUSTO) COMPRA E VENDA DE EMPRESAS BRACING Avaliaçã, Cmpra e Venda de Empresas Página 1 de 10 Bracing Cnsulting, Lda. Rua d Tâmega, S/N. 4200 502 Prt Prtugal +351 917 000 020 inf@bracing

Leia mais

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA S3 - Explicaçã sbre endereç e/u númer de telefne ds EUA Nme Númer da Cnta (se huver) A preencher seu Frmulári W-8 d IRS, vcê afirma nã ser cidadã u residente ds EUA u utra cntraparte ds EUA para efeit

Leia mais

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A19 Análise Temp de

Leia mais

1. O Programa. 2. Conteúdo programático

1. O Programa. 2. Conteúdo programático EDITAL SENAI-UFPE-ACCENTURE-FACEPE 01/2016 O Departament Reginal d Serviç Nacinal de Aprendizagem Industrial de Pernambuc SENAI-PE, trna públic presente Edital que estabelece prcess de Seleçã e Admissã,

Leia mais

Gestão de projetos de TI

Gestão de projetos de TI Seçã de Mdelagem de Prcesss Gestã de prjets de TI MPP - Manual de Plíticas e Prcediments Atualizad em AGOSTO/2016 Sumári 1. DO GESTOR DO PROCESSO... 3 2. DO AMPARO LEGAL... 3 3. DA POLÍTICA INSTITUCIONAL...

Leia mais

Avaliação Imobiliária e Manutenção das Construções

Avaliação Imobiliária e Manutenção das Construções Avaliaçã Imbiliária e Manutençã das Cnstruções 1ª Épca 15 de junh de 2016 (11h30) (V1.26 V1.25) Nme: Númer: Duraçã ttal sem interval: 1,45 hras Ntas: I. Nã é permitida a cnsulta de quaisquer ntas u dcuments,

Leia mais

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão?

Como a construção de planos de negócio para as unidades de serviço pode trazer mais assertividade à gestão? Cm a cnstruçã de plans de negóci para as unidades de serviç pde trazer mais assertividade à gestã? Sérgi Lpez Bent Diretr Técnic Executiv Planisa 15.03.2017 Sumári Cnceituaçã Principais aspects d Plan

Leia mais

Descarte de Pilhas e Baterias: Nós podemos contribuir. Segundo o IBGE, o consumo mundial de pilhas, em 2010, foi de

Descarte de Pilhas e Baterias: Nós podemos contribuir. Segundo o IBGE, o consumo mundial de pilhas, em 2010, foi de Descarte de Pilhas e Baterias: Nós pdems cntribuir Segund IBGE, cnsum mundial de pilhas, em 2010, fi de aprximadamente 10 bilhões de unidades. Iss demnstra quant fazems us desse prdut e a tendência é cresciment

Leia mais

Comissão Organizadora da Imagem

Comissão Organizadora da Imagem Cmissã Organizadra da Manual de Execuçã Manual de execuçã CO 2017 Intrduçã Cm a nva da ANEM, prende-se a necessidade de cumprir as nrmas gráficas estabelecidas e desenvlver estratégias para, além de aumentar

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 71 maio de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 71 maio de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Bletim Ecnômic Ediçã nº 71 mai de 2014 Organizaçã: Mauríci Jsé Nunes Oliveira Assessr ecnômic A Bancarizaçã d país e a disparada das reclamações cntra s bancs 1 Queixas cntra bancs disparam Quand a relaçã

Leia mais

1-Objeto da avaliação

1-Objeto da avaliação Pretende-se que a avaliaçã seja um element integrante e reguladr da prática educativa que visa: apiar prcess educativ prmver sucess de tds s aluns reajustar s Prjet Curricular de Escla certificar cmpetências

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS NEVES JÚNIOR Prgrama de Higiene, Saúde e Segurança n Trabalh Curss de Educaçã e Frmaçã MÓDULO 3 Intrduçã à Higiene, Segurança e Saúde n Trabalh II 1 Apresentaçã Tend já

Leia mais

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional

Preparação para a Certificação de Gestor da Qualidade - Excelência Organizacional Preparaçã para a Certificaçã de Gestr da Qualidade - Excelência Organizacinal OBJETIVOS DO CURSO Apresentar as participantes s cnteúds d Crp de Cnheciment necessáris à certificaçã, pssibilitand que aprimrem

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição eletrónica e dispensa de medicamentos para ambulatório hospitalar

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição eletrónica e dispensa de medicamentos para ambulatório hospitalar Mdel de Cmunicaçã Prescriçã eletrónica e dispensa de medicaments para ambulatóri hspitalar Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes/ frnecedres

Leia mais

QUADRO DE PROGRAMAS e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC

QUADRO DE PROGRAMAS e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC QUADRO DE S e SERVIÇOS de PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA e ESPECIAL da FASC Nme d Prteções 101 Bem-Me-Quer Prgrama Municipal de Execuçã de Medidas Sóci- Educativas em Mei Abert - PEMSE Acmpanhament de adlescentes

Leia mais

1. DO PROCESSO SELETIVO

1. DO PROCESSO SELETIVO EDITAL PTB Nº.21/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA MATRÍCULA NO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) OPERADOR DE COMPUTADOR DO IFSP - CÂMPUS PIRITUBA O Câmpus Pirituba d Institut Federal de Educaçã,

Leia mais

MANUAL DE CANDIDATURA PARA SEDE CONGRESSOS DA OFTALMOLOGIA

MANUAL DE CANDIDATURA PARA SEDE CONGRESSOS DA OFTALMOLOGIA MANUAL DE CANDIDATURA PARA SEDE CONGRESSOS DA OFTALMOLOGIA 1. Intrduçã 2. Objetiv geral 3. Pré requisits 4. Requisits Principais a. Estruturais i. Área para a secretaria ii. Capacidade das salas iii. Numer

Leia mais

SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS

SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS SOBRE O ENVIO E A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS Os trabalhs a serem submetids para apresentaçã em cmunicaçã ral, pôster e mesas temáticas crdenadas, deverã ser encaminhads à Secretaria d XV ENPESS até dia

Leia mais

Inspecção Tributária: problemas e soluções. Rui Marques

Inspecção Tributária: problemas e soluções. Rui Marques Inspecçã Tributária: prblemas e sluções Rui Marques Famalicã, Junh 2007 SwissOptin Internatinal Tax, 2007 Prgrama as características gerais da actividade de inspecçã tributária a quantificaçã da brigaçã

Leia mais

Granalha De Aço Sablacier

Granalha De Aço Sablacier INFORMES TECNICOS Granalha De Aç Sablacier IKK d Brasil, a mair fabricante de Granalha de aç da América Latina, realizu extensivs testes, para avaliar a perfrmance de diferentes abrasivs (metálics e nã

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO PRAZO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO PRAZO Agrupament de Esclas General Humbert Delgad Sede na Escla Secundária/3 Jsé Cards Pires Sant Antóni ds Cavaleirs PLANIFICAÇÃO A MÉDIO PRAZO 2016-2017 DISCIPLINA: Equipaments Infrmátics e Redes ENSINO: Secundári

Leia mais

A Empresa. 3 Drivers Engenharia, Inovação, Ambiente, Lda. Avenida 5 de Outubro, 124, 4º piso Lisboa, Portugal

A Empresa. 3 Drivers Engenharia, Inovação, Ambiente, Lda. Avenida 5 de Outubro, 124, 4º piso Lisboa, Portugal IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES NA IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA RÉPUBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - instituída pela Lei N.º 12.305, de 2 de Agst de 2010 Memrand para Clabraçã da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Extensão - PROEX Pró-Reitoria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Extensão - PROEX Pró-Reitoria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Pró-Reitria de Extensã - PROEX Pró-Reitria Estudantil PROEST PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES/UFAL Edital PROEX - 04/2017 EDITAL PARA BOLSAS NO PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES

Leia mais

ISO é um órgão mundial não governamental com sede em

ISO é um órgão mundial não governamental com sede em História e Imprtância das Nrmas ISO 14000 ISO é um órgã mundial nã gvernamental cm sede em Genebra, Suíça, da qual participam mais de 100 países. Fundada a 23/02/1947, cm bjectiv de prpr nrmas de cnsens

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência ESPANHOL - Específico Iniciação (anual) Código da Prova: º Ano de Escolaridade

Informação - Prova de Equivalência à Frequência ESPANHOL - Específico Iniciação (anual) Código da Prova: º Ano de Escolaridade Disciplina Espanhl Códig - 353 2011/2012 Infrmaçã - Prva de Equivalência à Frequência ESPANHOL - Específic Iniciaçã (anual) Códig da Prva:353 2012 12º An de Esclaridade Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO (RSI) CERCIAV Dezembr de 2015 A Direçã Marília Martins Maria Laima Emanuel Rcha Olga Figueired Antóni Silva 1 Preâmbul N âmbit d Rendiment

Leia mais

FEVEREIRO 8, 2016 PEDIDO DE PROPOSTA PROJETO DE ARQUITETURA E ESPECIALIDADES

FEVEREIRO 8, 2016 PEDIDO DE PROPOSTA PROJETO DE ARQUITETURA E ESPECIALIDADES FEVEREIRO 8, 2016 PEDIDO DE PROPOSTA PROJETO DE ARQUITETURA E ESPECIALIDADES Serve presente dcument para detalhar s requisits d pedid de prpsta de Arquitetura e Especialidades para cnstruçã de uma mradia

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O BALCÃO 2020 E BOLSA DE CANDIDATURAS IDE, IP-RAM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O BALCÃO 2020 E BOLSA DE CANDIDATURAS IDE, IP-RAM MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O BALCÃO 2020 E BOLSA DE CANDIDATURAS IDE, IP-RAM Cntrl de Versões d Dcument Versã Data Autr Sumári 1 01-05-2015 GI Versã Inicial 15:40 Prcediments para Prtal 2020 Prcediments

Leia mais

PROENÇA FINICIA. Crédito Local. no Concelho de Proença-a-Nova PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO

PROENÇA FINICIA. Crédito Local. no Concelho de Proença-a-Nova PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO PROENÇA FINICIA Crédit Lcal n Cncelh de Prença-a-Nva PROTOCOLO FINANCEIRO E DE COOPERAÇÃO Entre: A Câmara Municipal de Prença-a-Nva, pessa clectiva nº 505 377 802, adiante designada pr CÂMARA; A Caixa

Leia mais

Parte I Enquadramento da actividade turística em Portugal

Parte I Enquadramento da actividade turística em Portugal A TRADIÇÃO EQUESTRE COMO ELEMENTO DE VALORIZAÇÃO DA OFERTA TURÍSTICA Cngress Internacinal de Turism Equestre Alter d Chã - 17.Mai.08 Parte I Enquadrament da actividade turística em Prtugal Cumpriments

Leia mais

Guia de Participação no ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT

Guia de Participação no ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT Guia de Participaçã n ALGARVE NATURE WEEK 2017 B2B EVENT Htel Vila Galé Albacra 11 de Mai de 2017-9h30 às 12h30 http://algarvenatureweek2017.talkb2b.net INTRODUÇÃO A Enterprise Eurpe Netwrk (EEN) é uma

Leia mais

Mara Isabel Martins Rodrigues. Auxiliar de Acção Educativa

Mara Isabel Martins Rodrigues. Auxiliar de Acção Educativa Curriculum Vitae INFORMAÇÃO PESSOAL Mara Isabel Martins Rdrigues Rua da Agra 300, 4795-387 Sant Tirs (Prtugal) 917643038 m2ra.rdrigues@gmail.cm https://www.cvitt.pt/prfessinal/mara-isabel-martins-rdrigues/

Leia mais

Situação Atual da EFTP no Afeganistão

Situação Atual da EFTP no Afeganistão Data: 8 de mai de 2015 Situaçã Atual da EFTP n Afeganistã Dr. Enayatullah Mayel Diretr Executiv d Prgrama Prgrama Nacinal de Desenvlviment de Cmpetências Ministéri d Trabalh, Assunts Sciais, Mártires e

Leia mais

Primeiros resultados 27/11/2013. Ano Internacional da Estatística 1

Primeiros resultados 27/11/2013. Ano Internacional da Estatística  1 INQUÉRITO À FECUNDIDADE 2013 Primeirs resultads 27/11/2013 2013 An Internacinal da Estatística www.statistics2013.rg 1 O Institut Nacinal de Estatística realizu, em 2013, Inquérit à Fecundidade, cuj principal

Leia mais

I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO

I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO I FÓRUM ECONÓMICO GLOBAL DA CPLP - A CPLP E A GLOBALIZAÇÃO TIMOR-LESTE COMO PLATAFORMA PARA A COOPERAÇÃO EMPRESARIAL ENTRE A CPLP E A ÁSIA-PACÍFICO Centr de Cnvenções de Díli e Salã Nbre d Ministéri ds

Leia mais

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM

FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM FACULDADE AGES CURSO DE ENFERMAGEM REGULAMENTAÇÃO DAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ADMINISTRAÇÃO APLICADA A ENFERMAGEM As Práticas Educativas serã realizadas em hráris pré-determinads n períd diurn para aluns regularmente

Leia mais

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS

FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Curs Prátic Luanda, 21, 22, 23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Guia Prática de FINANÇAS para NÃO FINANCEIROS Frmaçã cmpleta, ágil e sem tecnicisms descnt Inscrevend-se até dia 10 de Junh Um MUST para prfissinais

Leia mais

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica

Conselho Coordenador da Avaliação dos Serviços. Orientação Técnica Cnselh Crdenadr da Avaliaçã ds Serviçs Orientaçã Técnica Aut-Avaliaçã ds Serviçs Elabraçã (pels GPEARI s) d Relatóri da Análise Cmparada da Avaliaçã d Desempenh ds Serviçs I. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Sistema

Leia mais

BRIEFING Campeonatos InterClubes ATPorto Grupo Senior 3ª Divisão 2017

BRIEFING Campeonatos InterClubes ATPorto Grupo Senior 3ª Divisão 2017 BRIEFING Campenats InterClubes ATPrt Grup Senir 3ª Divisã 2017 Nta prévia: este Briefing faz referência a nrmas e prcediments cumprir para realizaçã ds encntrs ds Campenats InterClubes na ATPrt, cnfrme

Leia mais

Açovisa Referência em distribuição de AÇOS. Comunicação de Progresso 2015-16

Açovisa Referência em distribuição de AÇOS. Comunicação de Progresso 2015-16 Açvisa Referência em distribuiçã de AÇOS. Cmunicaçã de Prgress 2015-16 Onde tem Açvisa, Tem a realizaçã de um prjet. O aç se trnu imprescindível as mais diverss segments da indústria, transfrmand criatividade

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL TÉCNICO DIRETORIA REGIONAL DA BAHIA NOTA Nº E-040/2013

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL TÉCNICO DIRETORIA REGIONAL DA BAHIA NOTA Nº E-040/2013 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL TÉCNICO DIRETORIA REGIONAL DA BAHIA NOTA Nº E-040/2013 A EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, pr mei de

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale SIC 2013 Gerenciand Através s da Cnfiabilidade Fabiana Pereira da Silva Vale Intrduçã Atualmente as empresas de mineraçã vivem num cenári parecid cm s estudads e bservads pr Adam Smith e Frederick Taylr

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Centro de Humanidades Departamento de Ciências Sociais Programa de Pós-Graduação em Sociologia

Universidade Federal do Ceará Centro de Humanidades Departamento de Ciências Sociais Programa de Pós-Graduação em Sociologia Universidade Federal d Ceará Centr de Humanidades Departament de Ciências Sciais Prgrama de Pós-Graduaçã em Scilgia EDITAL N.º 02/2013-PPGS SELEÇÃO PARA O DOUTORADO EM SOCIOLOGIA TURMA 2014 O Prgrama de

Leia mais

Regulamento de Propinas dos Programas de Formação da Universidade da Madeira

Regulamento de Propinas dos Programas de Formação da Universidade da Madeira Regulament de Prpinas ds Prgramas de Frmaçã da Universidade da Madeira Capítul I Dispsições Gerais Artig 1.º Âmbit 1. O presente Regulament aplica se a tds s aluns inscrits na Universidade da Madeira em

Leia mais

Regulamento de Frequência Capacidade Profissional Gerentes

Regulamento de Frequência Capacidade Profissional Gerentes Regulament de Frequência Capacidade Prfissinal www.academiadprfissinal.cm email: academiadprfissinal@ltm.pt V02 31.10.2016 Regulament de Frequência Capacidade Prfissinal [Esclha a data] Índice 1- Enquadrament...

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO PACOTE TURÍSTICO INTERNACIONAL

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO PACOTE TURÍSTICO INTERNACIONAL INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO PACOTE TURÍSTICO INTERNACIONAL MSC DIVINA MIAMI 2017 Os valres infrmads sã para n máxim 2 cupantes pr cabine. Favr slicitar através d cntact center a ctaçã ds valres d pacte

Leia mais

Programa IBP de Bolsas de Mestrado

Programa IBP de Bolsas de Mestrado 1. Infrmações Gerais Prgrama IBP de Blsas de Mestrad Term de Referência 8 Cicl - 2014 O Institut Brasileir de Petróle, Gás e Bicmbustíveis, ciente da imprtância da frmaçã de prfissinais cm capacitaçã adequada

Leia mais

O Papel dos Tipos de Regulação em Mercados de Eletricidade

O Papel dos Tipos de Regulação em Mercados de Eletricidade O Papel ds Tips de Regulaçã em Mercads de Eletricidade Seminári Treinament de CNELEC Instituções e Relações Regulatórias Maput, Mçambi que 20 de agst, 2009 Ashley C. Brwn Executive Directr, Harvard Electricity

Leia mais

Guião da Unidade Curricular Educação a Distância. Programa Doutoral em Multimédia em Educação. 2010/11-1º Semestre

Guião da Unidade Curricular Educação a Distância. Programa Doutoral em Multimédia em Educação. 2010/11-1º Semestre Deptº de Educaçã Deptº de Cmunicaçã e Arte Universidade de Aveir Guiã da Unidade Curricular Educaçã a Distância Prgrama Dutral em Multimédia em Educaçã 2010/11-1º Semestre Dcentes Envlvids na Unidade Curricular:

Leia mais

Caro Sócio, Estimado Empresário,

Caro Sócio, Estimado Empresário, Car Sóci, Estimad Empresári, A Câmara de Cmérci e Indústria Árabe-Prtuguesa (CCIAP) tem prazer de infrmar V. Exa. que irá realizar uma Missã Ecnómica à República Demcrática e Ppular da Argélia e à República

Leia mais

EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG

EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG EDITAL N 010/2016 TÉCNICOS SOCIAIS DO PPDDH/MG 1. PREÂMBULO 1.1. O Institut DH: Prmçã, Pesquisa e Intervençã em Direits Humans e Cidadania, rganizaçã privada de interesse públic, sem fins lucrativs, através

Leia mais

ESTRATÉGIA DE CURTO PRAZO TRANSIÇÃO E 1º ANO DE GOVERNO

ESTRATÉGIA DE CURTO PRAZO TRANSIÇÃO E 1º ANO DE GOVERNO ESTRATÉGIA DE CURTO PRAZO TRANSIÇÃO E 1º ANO DE GOVERNO AGENDA DA TRANSIÇÃO (DA ELEIÇÃO ATÉ A POSSE) Fazer uma avaliaçã prfunda e detalhada da situaçã financeira e fiscal d estad e definir uma estratégia

Leia mais

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS

TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Seminári Prátic Luanda, 20,21,22,23 e 24 de Junh de 2016 - Htel**** Ferramentas, metdlgias e chaves para TÉCNICAS E PRÁTICAS ADMINISTRATIVAS Agilize s prcesss administrativs da rganizaçã e cnsiga equipas

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - UBI MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Ano lectivo ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA An lectiv 2015-16 ORIENTAÇÕES SOBRE O PORTEFOLIO DO CURSO DE MEDICINA Os estudantes de Medicina, enquant prfissinais de saúde em prcess de frmaçã, devem recnhecer s aspets culturais e sciais da saúde,

Leia mais

Edital de 27 de julho de 2009 Bolsão Curso Clio

Edital de 27 de julho de 2009 Bolsão Curso Clio Edital de 27 de julh de 2009 Blsã Curs Cli Cncurs de Blsas pr Desempenh 1. Das dispsições preliminares 1.1 O Cncurs de Blsas d Curs Cli será rganizad pr esta mesma instituiçã e presente edital estará dispnível

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA FACULDADE SANT ANA Recredenciada pela Prtaria MEC nº 1473 de 07 de Outubr de 2011. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SANT ANA Credenciad pela Prtaria MEC nº 2812 de

Leia mais

EDITAL 07/2016. Contratar serviços de programação e manutenção para os Sistemas abaixo :

EDITAL 07/2016. Contratar serviços de programação e manutenção para os Sistemas abaixo : EDITAL 07/2016 1. FINALIDADE DA CONTRATAÇÃO: Cntratar serviçs de prgramaçã e manutençã para s Sistemas abaix : a) Avaliaçã Técnica d Sistema ecntracting - versã 3 d sistema ecntracting b) Realizar a manutençã

Leia mais

- Minuta Pesquisa CREPOP - Serviços Hospitalares de Média e Alta Complexidade - SUS/BA

- Minuta Pesquisa CREPOP - Serviços Hospitalares de Média e Alta Complexidade - SUS/BA - Minuta Pesquisa CREPOP - Serviçs Hspitalares de Média e Alta Cmplexidade - SUS/BA Em abril de 2010 fi realizada a pesquisa CREPOP 03 cm psicólgas(s) que atuam ns Serviçs Hspitalares de Média e Alta Cmplexidade

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA Módul 5 O ESTADO E A ATIVIDADE ECONÓMICA 1- Estad nçã e Apresentar a nçã de Estad Expsiçã ral Avaliaçã d prcess de 32 funções Trabalhs de grup trabalh: grelhas de Nçã Caraterizar as funções d Leitura e

Leia mais

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero.

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero. Igreja Evangélica de Cnfissã Luterana n Brasil IGREJA: é a cmunhã de pessas que cnfessam a mesma fé n trin Deus e assumem mesm bjetiv de vivenciar e testemunhar a palavra de Deus. EVANGÉLICA: nssa fé é

Leia mais