INF Fundamentos da Computação Gráfica Professor: Marcelo Gattass Aluno: Rogério Pinheiro de Souza

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INF Fundamentos da Computação Gráfica Professor: Marcelo Gattass Aluno: Rogério Pinheiro de Souza"

Transcrição

1 INF Fundamentos da Computação Gráfica Professor: Marcelo Gattass Aluno: Rogério Pinheiro de Souza Trabalho 02 Visualização de Imagens Sísmicas e Detecção Automática de Horizonte Resumo Este trabalho teve como primeiro objetivo visualizar dados de ondas sísmicas. Tais dados representam a amplitude de propagação de ondas geradas artificialmente, cujos valores estão relacionados ao contraste de impedância acústica, produto entre a velocidade compressional e a densidade das camadas que compõem o solo [1]. A representação das características do solo através de imagens é de extrema importância para indústria de petróleo, por exemplo. A partir delas que se decide a localização das reservas de óleo e/ou gás, avaliando-se o seu conteúdo e viabilidade de sua exploração. Como o solo é composto por camadas que apresentam diversas características sísmicas distintas, as variações de diversas destas características podem ser utilizadas como indicadores de falhas geológicas ou da presença de hidrocarbonetos. Quando duas camadas consecutivas possuem impedância acústica distintas, uma superfície pode ser gerada a partir das amplitudes medidas. Tal superfície é denominada de horizonte sísmico [2]. Portanto, a detecção desses horizontes é uma tarefa importante. No entanto, o ruído presente nas amplitudes medidas, dificulta a detecção destes. Esse trabalho tem como segundo objetivo utilizar técnicas de processamento de sinais para reduzir tais ruídos e, deste modo, auxiliar no reconhecimento automático desses horizontes. Introdução O método de reflexão sísmica consiste, basicamente, em gerar ondas sísmicas artificiais através de explosivos, canhões de ar comprimido ou outra fonte sísmica, e registrar as reflexões provenientes das diversas interfaces abaixo da superfície através de receptores. A onda gerada se propaga pelo interior da terra, sendo parcialmente refletida ao encontrar interfaces entre as camadas que apresentarem contraste significativo de propriedades. A medida gravada em cada receptor é chamada de traço sísmico. O conjunto de traços gravados para uma mesma onda é chamado de tiro sísmico. Um levantamento sísmico consiste em um conjunto de diversos tiros sísmicos realizados em diferentes localizações. Quando estas localizações formam uma linha, o levantamento sísmico resulta numa imagem bidimensional, chamada seção vertical.

2 Quando as localizações desses tiros formam uma rede bidimensional sobre a superfície do solo, tal aquisição gera um cubo sísmico. Uma seção vertical contém portanto um conjunto de valores reais que representam os valores das amplitudes das ondas sísmicas. Para interpretar esses dados como imagens, temos que mapear tais valores para uma escala de cor. Duas formas comuns de mapeamento são: 1. Visualizar em uma imagem com escalas de cinza onde o intervalo de amplitude é mapeado para o intervalo [0, 1]; 2. Visualizar em uma imagem com cores e tonalidades de azul, branco e vermelho. Nesse caso, o valor mínimo da amplitude é mapeado para o azul, o valor nulo para branco e o valor máximo para vermelho. Sendo assim, valores negativos são mapeados entre azul e branco e valores positivos entre branco e vermelho. Implementação Esta seção está dividida em dois blocos. No primeiro, será descrito aspectos da visualização e do método implementado para realce da imagem. No segundo, descreverei o método utilizado para, dado um ponto da imagem, detectar automaticamente o horizonte que passa por esse ponto. 1 Visualização e Realce das Imagens Sísmicas O arquivo fornecido simplesmente é um arquivo binário contendo, inicialmente um cabeçalho com as dimensões da imagem, e a seguir as informações das amplitudes para cada tiro sísmico (ou seja, para cada coluna da imagem). A geração da imagem utilizando escalar de cinza é mostrada na Figura 1. Nessa geração o mapeamento foi feito linearmente.

3 Figura 1 - Geração da imagem a partir de dados sísmicos em tons de cinza Os mesmos dados foram utilizados para, como mostrado na Figura 2, a geração da imagem no formato azul, branco e vermelho, já explicado anteriormente. Também nesse caso, o mapeamento do intervalo de valores negativos para as tonalidades de azul, assim como dos valores positivos para as tonalidades de vermelho, foi realizada linearmente. Figura 2- Visualização dos dados sísmicos no formato azul, branco e vermelho

4 Como o intervalo das amplitudes é muito grande (nesse exemplo, os valores vão de a ), o mapeamento para valores de 0 a 1, como acontece na visualização em tons de cinza, faz como um conjunto grande de valores de amplitudes seja mapeado para o mesmo tom de cinza, mascarando diferenças de amplitude. O mesmo acontece para o formato azul, branco e vermelho. Com objetivo de realçar a imagem, utilizei um filtro de passa banda. Um filtro de passa banda tem como objetivo permitir a passagem das frequências de uma certa faixa e rejeitar ou atenuar as frequências fora dessa faixa. Com base no histograma das amplitudes, a ideia foi utilizar o mínimo e o máximo de uma faixa central do histograma para mapear os valores das amplitudes para tons de cinza. Os valores abaixo do mínimo, são mapeados para 0 (preto) e acima para 1 (branco). A determinação dessa faixa central pode ser configurada na interface do programa através de um slider que representa a porcentagem do intervalo total das amplitudes. A Figura 3 apresenta a visualização dos dados em tons de cinza utilizando apenas 20% dos dados do histograma. Nesse caso, o mínimo e máximo utilizados para o mapeamento das amplitudes para os tons de cinza foram e 4849, respectivamente. Figura 3- Visualização em tonalidades de cinza após utilizar um filtro de passa banda no sinal 2 Detecção Automática de Horizontes Dado um ponto da imagem que representa um valor de amplitude de uma certa camada do solo para um tiro sísmico, a ideia utilizada para detecção de um horizonte que passa por tal ponto é de procurar em cada tiro vizinho (ou seja, na coluna vizinha) um outro ponto com valor de amplitude próximo. Para determinar essa proximidade, ao invés de tratar o valor da amplitude para tal ponto isoladamente, também utilizei os valores vizinhos deste na mesma coluna.

5 Sendo assim, dado um ponto p com coordenadas x e y, e considerando uma vizinhança de tamanho 3, os valores utilizados para p são os valores de amplitude para os pontos (x, y-3), (x, y-2), (x, y-1), o próprio p, (x, y+1), (x, y+2) e (x, y+3), gerando então um vetor V x no R 7. Com objetivo de encontrar o próximo ponto do horizonte a direita da imagem (coluna x+1), obtém-se os vetores no R 7 correspondentes dentro de uma janela de tamanho 2; ou seja, para os pontos (x+1, y- 2), (x+1, y-1), (x+1, y), (x+1, y+1) e (x+1, y+2). O vetor V x+1 escolhido é aquele que gera o menor valor para o seno do ângulo com o vetor V x (para obtenção do seno do ângulo foi utilizado o produto vetorial entre os vetores). Da mesma forma, conhecido o ponto da coluna x+1, obtém-se o ponto da coluna x+2 e assim por diante. De forma similar, são calculados os pontos para as colunas da esquerda. As Figuras 4 e 5 mostram a detecção do horizonte para um mesmo ponto considerando os dados de amplitudes originais e os dados de amplitude após a aplicação do filtro de passa banda. Na Figura 5 podemos perceber uma precisão maior na detecção do horizonte. Figura 4 - Detecção do horizonte para o ponto de coordenadas (91, 315) utilizando os valores originais de amplitude

6 Figura 5 - Detecção do horizonte para o ponto de coordenadas (91, 315) utilizando os valores de amplitude após a utilização de um filtro de passa banda.

7 Referências [1] Leite, R. Z., Introdução à Sísmica de Exploração. [2] Sheriff, R. E., Encyclopedic Dictionary of Applied Geophysics, 2002, Society of Exploration Geophysicists. 4th Edition. 429 p.

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Departamento de Informática. Fundamentos de Computação Gráfica

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Departamento de Informática. Fundamentos de Computação Gráfica 1. Imagens sísmicas Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Informática Fundamentos de Computação Gráfica Aluno: Stelmo Magalhães Barros Netto Relatório do trabalho Imagens Sísmicas

Leia mais

PMR2560 Visão Computacional Detecção de bordas. Prof. Eduardo L. L. Cabral

PMR2560 Visão Computacional Detecção de bordas. Prof. Eduardo L. L. Cabral PMR56 Visão Computacional Detecção de bordas Prof. Eduardo L. L. Cabral Objetivos Processamento de imagens: Características; Detecção de bordas. Características Tipos de características: Bordas; Cantos;

Leia mais

Realce de imagens parte 1: operações pontuais SCC0251 Processamento de Imagens

Realce de imagens parte 1: operações pontuais SCC0251 Processamento de Imagens Realce de imagens parte 1: operações pontuais SCC0251 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2013/1 Moacir Ponti Jr.

Leia mais

FILTRAGEM NO DOMÍNIO ESPACIAL. Daniel C. Zanotta 10/06/2016

FILTRAGEM NO DOMÍNIO ESPACIAL. Daniel C. Zanotta 10/06/2016 FILTRAGEM NO DOMÍNIO ESPACIAL Daniel C. Zanotta 10/06/2016 Passa-Baixas O efeito visual de um filtro passa-baixa é o de suavização da imagem e a diminuição de mudanças abruptas de níveis de cinza. As altas

Leia mais

Realce de Imagens. Realce de Imagens

Realce de Imagens. Realce de Imagens T Objetivo: Melhorar a qualidade visual da imagem. g 1 g 2 Contraste entre dois objetos pode ser definido como a diferença entre os níveis de cinza médios dos objetos. Observando as imagens g 1 e g 2 é

Leia mais

Fundamentos físicos da Sismoestratigrafia

Fundamentos físicos da Sismoestratigrafia Fundamentos físicos da Sismoestratigrafia Ondas em meios sólidos elásticos Uma onda é uma perturbação da matéria que se propaga em uma direção, ou seja, as partículas em um determinado ponto de um meio

Leia mais

SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE

SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE 15 16 SOLUÇÃO ANALÍTICA E NUMÉRICA DA EQUAÇÃO DE LAPLACE 3. Todos os dispositivos elétricos funcionam baseados na ação de campos elétricos, produzidos por cargas elétricas, e campos magnéticos, produzidos

Leia mais

RECONHECIMENTO FACIAL UTILIZANDO EIGENFACES

RECONHECIMENTO FACIAL UTILIZANDO EIGENFACES Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Rio de Janeiro, RJ Brasil RECONHECIMENTO

Leia mais

30 de março de 2009 MECÂNICA GERAL. Michèle Farage. Princípios Gerais. Forças, vetores e. vetoriais. Equiĺıbrio de um ponto material.

30 de março de 2009 MECÂNICA GERAL. Michèle Farage. Princípios Gerais. Forças, vetores e. vetoriais. Equiĺıbrio de um ponto material. de um MECÂNICA 30 de março de 2009 de um 1 2 3 4 de um Aplicação Qual é o efeito do sistema de cargas que age na barra sobre a mão que a segura na extremidade esquerda? de um Aplicação Qual é o efeito

Leia mais

Profissão em expansão no Brasil e no exterior

Profissão em expansão no Brasil e no exterior Profissão em expansão no Brasil e no exterior Ciência que estuda a Terra utilizando métodos e princípios físicos. Profissão que utiliza métodos e princípios físicos na pesquisa de recursos naturais (ex.

Leia mais

4 Extração direta das PELs

4 Extração direta das PELs 4 Extração direta das PELs A detecção de arestas em imagens está relacionada à extração de feições, sendo uma ferramenta fundamental em processamento de imagens e visão computacional. Essa detecção visa

Leia mais

Exploração Sísmica 22

Exploração Sísmica 22 Exploração Sísmica 22 2 Exploração Sísmica Neste capítulo são mostrados alguns pontos importantes na exploração sísmica para a área de petróleo, uma definição para dados sísmicos de reflexão e como são

Leia mais

BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL. Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental

BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL. Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental EXPOSIÇÃO ÁGUA BLOCO V ÁGUA COMO RECURSO NO MOMENTO ATUAL Temas: Escassez. Perda de qualidade do recurso (água) Impacto ambiental Geofísica aplicada na detecção e mapeamento de contaminação de águas subterrâneas

Leia mais

Processamento de Imagem. Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Histograma da Imagem Professora Sheila Cáceres Histograma É a distribuição de frequência dos níveis de cinza da imagem onde cada entrada no eixo x representa o nível de cinza específico

Leia mais

Desenvolvimento de algoritmos de migração baseados em propagação de ondas * Lucas Ferreira Conz Eugenio (UFF), Leandro Di Bartolo (COGE/ON)

Desenvolvimento de algoritmos de migração baseados em propagação de ondas * Lucas Ferreira Conz Eugenio (UFF), Leandro Di Bartolo (COGE/ON) Desenvolvimento de algoritmos de migração baseados em propagação de ondas * Lucas Ferreira Conz Eugenio (UFF), Leandro Di Bartolo (COGE/ON) Copyright 2016, SBGf - Sociedade Brasileira de Geofísica Este

Leia mais

RESUMO. sísmica empilhada. SEMBLANCE

RESUMO. sísmica empilhada. SEMBLANCE Determinação Automática das Velocidades de Empilhamento Para Obtenção da Seção Sísmica Zero- Offset Marcelo Santana de Souza* e Milton J. Porsani, CPGG/UFBA e INCT-GP/CNPq RESUMO A análise de velocidades

Leia mais

Transformada de Discreta de Co senos DCT

Transformada de Discreta de Co senos DCT Transformada de Discreta de Co senos DCT O primeiro passo, na maioria dos sistemas de compressão de imagens e vídeo, é identificar a presença de redundância espacial (semelhança entre um pixel e os pixels

Leia mais

O software conta ainda, com procedimento para geração de relatórios em EXCEL. Para gerar tais relatórios foi utilizado o tollkit Report Generation do

O software conta ainda, com procedimento para geração de relatórios em EXCEL. Para gerar tais relatórios foi utilizado o tollkit Report Generation do Desenvolvimento de um software para realização de testes de performance hidrodinâmica de próteses de válvulas cardíacas utilizando um Sistema Duplicador de Pulsos "O software conta ainda, com procedimento

Leia mais

Operações Pontuais. 1 operando. 2 operandos. Processamento e Análise de Imagem - A. J. Padilha - v ac

Operações Pontuais. 1 operando. 2 operandos. Processamento e Análise de Imagem - A. J. Padilha - v ac Operações Pontuais 1 operando T OP 2 operandos Pré-Processamento - 1 Operações Pontuais Nas operações pontuais, cada ponto da imagem-resultado - g(i,j) - é obtido por uma transformação T do ponto de coordenadas

Leia mais

Estudando com o MATLAB

Estudando com o MATLAB Estudando com o MATLAB Curso de Extensão Docentes: > Fabiano Araujo Soares > Marcelino M. de Andrade Monitor: >Luan Felipe Aula 4: Aplicações - Parte II 1ª Parte - Estatística Aula 4-1ª Parte: Estatística

Leia mais

AGG0330 Processamento de Sinais Digitais

AGG0330 Processamento de Sinais Digitais AGG0330 Processamento de Sinais Digitais www.iag.usp.br/~agg330 Liliana Alcazar Diogo liliana.diogo@iag.usp.br & Marcelo Bianchi m.bianchi@iag.usp.br 2017 AGG0330 Processamento de sinais digitais Teoria

Leia mais

INF Fundamentos de Processamento de Imagens Projeto 01-A: Realce de imagens utilizando transformações de intensidade

INF Fundamentos de Processamento de Imagens Projeto 01-A: Realce de imagens utilizando transformações de intensidade INF01046 - Fundamentos de Processamento de Imagens Projeto 01-A: Realce de imagens utilizando transformações de intensidade Marcos Vinicius Cavinato - 00171774 Instituto de Informática Universidade Federal

Leia mais

Filtragem. Processamento digital de imagens. CPGCG/UFPR Prof. Dr. Jorge Centeno

Filtragem. Processamento digital de imagens. CPGCG/UFPR Prof. Dr. Jorge Centeno Filtragem Processamento digital de imagens CPGCG/UFPR Prof. Dr. Jorge Centeno Operações de vizinhança (Filtros) Filtros lineares Filtro passa-baixas (suavização) Filtro passa-altas (realce) Filtros direcionais

Leia mais

Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos.

Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos. Controle e monitoramento automático e em tempo real de refinarias, oleodutos e gasodutos. Um vazamento não detectado em uma tubulação de petróleo de vinte polegadas, de apenas 1% de seu valor nominal de

Leia mais

CAPÍTULO V 5 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5.1 SÍNTESE DO TRABALHO DESENVOLVIDO

CAPÍTULO V 5 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5.1 SÍNTESE DO TRABALHO DESENVOLVIDO 182 CAPÍTULO V 5 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5.1 SÍNTESE DO TRABALHO DESENVOLVIDO Neste trabalho foi proposta uma metodologia para a automação da resseção espacial de imagens digitais baseada no uso hipóteses

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Ciência da Computação Processamento Digital de Imagens Prof. Sergio Ribeiro Tópicos Introdução Espectro Eletromagnético Aquisição e Digitalização de Imagens Efeitos da Digitalização Digitalização Sensoriamento

Leia mais

5 Análise Experimental

5 Análise Experimental 5 Análise Experimental 5.1. Base de dados para testes Foram gravados diversos vídeos que serviram para realizar os testes realizados nesta dissertação. Cada um dos vídeos gerados para medir qualidade da

Leia mais

A Tabela 2 apresenta os valores médios de porosidade e o desvio padrão para as amostras dos Painéis de Fibra de Coco definidos nesta etapa.

A Tabela 2 apresenta os valores médios de porosidade e o desvio padrão para as amostras dos Painéis de Fibra de Coco definidos nesta etapa. Figura 5 Amostras do teste de Porosidade. A Tabela 2 apresenta os valores médios de porosidade e o desvio padrão para as amostras dos Painéis de Fibra de Coco definidos nesta etapa. Tabela 2 Valores medidos

Leia mais

1 1 1 *1/ *1/ *1/49

1 1 1 *1/ *1/ *1/49 O que é filtragem? As técnicas de filtragem são transformações da imagem pixel a pixel, que não dependem apenas do nível de cinza de um determinado pixel, mas também do valor dos níveis de cinza dos pixels

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 06 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Formação: Graduação

Leia mais

FIGURA 40 Geometria 7 utilizada para teste do sistema. TABELA 21 Programas CNC que foram utilizados para produzir a geometria da figura 40

FIGURA 40 Geometria 7 utilizada para teste do sistema. TABELA 21 Programas CNC que foram utilizados para produzir a geometria da figura 40 111 FIGURA 40 Geometria 7 utilizada para teste do sistema TABELA 21 Programas CNC que foram utilizados para produzir a geometria da figura 40 Programa CNC G90 x100 g3 x86.61 y49.98 r27 g90 x100.79 y37.01

Leia mais

Definição de uma Imagem Digital

Definição de uma Imagem Digital Definição de uma Imagem Digital Por que um objeto é visível? vel? http://www.luminous-landscape.com/tutorials/color_and_vision.shtml O olho humano o dispositivo de entrada da informação visual Funciona

Leia mais

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia. Interpretação de imagens e confecção de mapas

Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia. Interpretação de imagens e confecção de mapas Sensoriamento Remoto Aplicado à Geografia Interpretação de imagens e confecção de mapas Prof. Dr. Ailton Luchiari Prof. Dr. Reinaldo Paul Pérez Machado Interpretação de imagens e confecção de mapas Etapas

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA PÓS GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA INF2608 FUNDAMENTOS DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA RELATÓRIO: IMAGENS SÍSMICAS VISUALIZAÇÃO E DETECÇÃO

Leia mais

TÍTULO: FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA ANÁLISES ESTATÍSTICAS DE GALÁXIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

TÍTULO: FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA ANÁLISES ESTATÍSTICAS DE GALÁXIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS 16 TÍTULO: FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS PARA ANÁLISES ESTATÍSTICAS DE GALÁXIAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS

Leia mais

Capítulo III Processamento de Imagem

Capítulo III Processamento de Imagem Capítulo III Processamento de Imagem Proc. Sinal e Imagem Mestrado em Informática Médica Miguel Tavares Coimbra Resumo 1. Manipulação ponto a ponto 2. Filtros espaciais 3. Extracção de estruturas geométricas

Leia mais

Visão computacional. Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva

Visão computacional. Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva Visão computacional Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva Visão computacional Tentativa de replicar a habilidade humana da visão através da percepção e entendimento de uma imagem; Fazer

Leia mais

Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada

Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada 1. OBJETIVO Experimento 7 Circuitos RC em corrente alternada O objetivo desta aula é estudar o comportamento de circuitos RC em presença de uma fonte de alimentação de corrente alternada.. 2. MATERIAL

Leia mais

ASSINATURAS GEOFÍSICAS DE ÁREAS

ASSINATURAS GEOFÍSICAS DE ÁREAS ASSINATURAS GEOFÍSICAS DE ÁREAS CONTAMINADAS: GPR Geofísica para a terceira idade Universidade de São Paulo IAG Departamento de Geofísica Objetivos Aplicação do radar de penetração no solo (GPR) em estudos

Leia mais

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga Processamento de Imagens Coloridas Prof. Adilson Gonzaga 1 Aparência de um Objeto A aparência de um objeto é o resultado de uma complexa interação da luz incidente sobre este objeto, suas características

Leia mais

Introdução. Os compostos que não são classificados como hidrocarbonetos concentram-se nas frações mais pesadas do petróleo.

Introdução. Os compostos que não são classificados como hidrocarbonetos concentram-se nas frações mais pesadas do petróleo. REFINO DE PETRÓLEO O petróleo é encontrado em muitos lugares da crosta terrestre e em grandes quantidades, e desse modo o seu processo de formação deve ser espontâneo. Trata-se de uma mistura inflamável,

Leia mais

Filtragem. pixel. perfil de linha. Coluna de pixels. Imagem. Linha. Primeiro pixel na linha

Filtragem. pixel. perfil de linha. Coluna de pixels. Imagem. Linha. Primeiro pixel na linha Filtragem As técnicas de filtragem são transformações da imagem "pixel" a "pixel", que dependem do nível de cinza de um determinado "pixel" e do valor dos níveis de cinza dos "pixels" vizinhos, na imagem

Leia mais

Exercício Área - SPRING

Exercício Área - SPRING Exercício Área - SPRING Figura 01 - Visualização dos dados contidos no projeto ativo. Comentários - Nesta etapa foi aberto o banco de dados, neste caso denominado São Paulo e foi definido o projeto, também

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro COPPE. Trabalho de Processamento de Imagens Reconhecimento de Símbolos de Componentes Eletrônicos

Universidade Federal do Rio de Janeiro COPPE. Trabalho de Processamento de Imagens Reconhecimento de Símbolos de Componentes Eletrônicos Universidade Federal do Rio de Janeiro COPPE Trabalho de Processamento de Imagens Reconhecimento de Símbolos de Componentes Eletrônicos Nome: Fernanda Duarte Vilela Reis de Oliveira Professores: Antonio

Leia mais

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Bruno Teixeira Moreira e Emídio Augusto Arantes Macedo Ciência da Computação 1 o. Período Professor: Rodney Josué Biezuner Disciplina: Geometria Analítica e

Leia mais

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva

Definição de sensoriamento remoto. Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Professor: Enoque Pereira da Silva Definição de sensoriamento remoto Sensoriamento remoto é um termo utilizado na área das ciências aplicadas que se refere à obtenção

Leia mais

4 Detecção de Silhueta

4 Detecção de Silhueta 4 Detecção de Silhueta No decorrer deste capítulo é proposto um modelo de detecção da silhueta da mão capaz de lidar com os erros da segmentação e ruídos na sua morfologia. Num primeiro passo são considerados

Leia mais

Capítulo 1 - Cristais

Capítulo 1 - Cristais 1. Cristais 1.1. Introdução O materiais no estado sólido podem apresentar estruturas cristalinas ou amorfas. Na estrutura cristalina os átomo (moléculas) apresentam um ordenamento periódico nas posições

Leia mais

RECONHECIMENTO IDENTIFICAÇÃO BASEADA EM APARÊNCIA

RECONHECIMENTO IDENTIFICAÇÃO BASEADA EM APARÊNCIA RECONHECIMENTO IDENTIFICAÇÃO BASEADA EM APARÊNCIA Envolve a pergunta: É esta parte da imagem uma parte do objeto X? (modelo dado, região da imagem dada) Utiliza imagens ao invés de características como

Leia mais

Busca de imagens baseada no conteúdo: Aplicação em imagens médicas

Busca de imagens baseada no conteúdo: Aplicação em imagens médicas Busca de imagens baseada no conteúdo: Aplicação em imagens médicas Rafael Gessele Orientador: Prof. Dr. Mauro Marcelo Mattos Sumário Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

5. Coeficientes de Reflexão e Transmissão Incidência normal

5. Coeficientes de Reflexão e Transmissão Incidência normal Propagação de Ondas Sísmicas, AGG 0305, coefs_rt.doc 5. Coeficientes de Reflexão e Transmissão Incidência normal 5.1 Introdução Quando uma onda sísmica (com amplitude A o ) incide numa interface, parte

Leia mais

Transformada de Fourier: fundamentos matemáticos, implementação e aplicações musicais

Transformada de Fourier: fundamentos matemáticos, implementação e aplicações musicais Transformada de Fourier: fundamentos matemáticos, implementação e aplicações musicais MAC 0337 Computação Musical Jorge H. Neyra-Araoz IME USP 22/11/2007 Resumo Série de Fourier para funções periódicas

Leia mais

Física B - Aula 3 Grandezas Escalares e Vetoriais

Física B - Aula 3 Grandezas Escalares e Vetoriais Física B - Aula 3 Grandezas Escalares e Vetoriais Na Física tratamos de dois tipos principais de grandezas: as grandezas escalares e grandezas vetoriais. Grandezas Escalares A grandeza escalar é aquela

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Filtragem de Imagens A utilização de filtros tem como objetivo melhorar a qualidade das imagens através da: ampliação

Leia mais

Processamento de Imagem. Convolução Filtragem no Domínio da Frequência (Fourier) Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Convolução Filtragem no Domínio da Frequência (Fourier) Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Convolução Filtragem no Domínio da Frequência (Fourier) Professora Sheila Cáceres Lembrando Filtragem Correlação A correlação e a convolução sãos dois conceitos relacionados a filtragem.

Leia mais

CAPÍTULO 5 RESULTADOS. São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para

CAPÍTULO 5 RESULTADOS. São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para CAPÍTULO 5 RESULTADOS São apresentados neste Capítulo os resultados obtidos através do programa Classific, para as imagens coletadas no verão II, período iniciado em 18/01 e finalizado em 01/03 de 1999,

Leia mais

Física. Prof. Edelson Moreira

Física. Prof. Edelson Moreira Física Prof. Edelson Moreira FENÔMENOS ONDULATÓRIOS Os fenômenos ondulatórios mais comuns são: REFLEXÃO: ocorre quando uma onda incide sobre um obstáculo e retorna ao meio original de propagação. A onda

Leia mais

Compressão de Imagens Usando Wavelets: Uma Solução WEB para a Codificação EZW Utilizando JAVA. Utilizando JAVA. TCC - Monografia

Compressão de Imagens Usando Wavelets: Uma Solução WEB para a Codificação EZW Utilizando JAVA. Utilizando JAVA. TCC - Monografia Compressão de Imagens Usando Wavelets: Uma Solução WEB para a Codificação EZW Utilizando JAVA TCC - Monografia Wanderson Câmara dos Santos Orientador : Prof. Dr. Luiz Felipe de Queiroz Silveira 1 Departamento

Leia mais

STV 15 SET na figura acima a freqüência das variações do sinal de onda quadrada da câmera mostradas no topo do padrão xadrez é de 0,11 MHz

STV 15 SET na figura acima a freqüência das variações do sinal de onda quadrada da câmera mostradas no topo do padrão xadrez é de 0,11 MHz STV 15 SET 2008 1 FREQÜÊNCIAS DE VÍDEO ASSOCIADAS COM A VARREDURA HORIZONTAL no padrão xadrez da figura acima, o sinal de onda quadrada no topo representa as variações do sinal da câmera do sinal composto

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Filtragem de Imagens A utilização de filtros tem como objetivo melhorar a qualidade das imagens através da: ampliação

Leia mais

Filtragem de Imagens Fixas

Filtragem de Imagens Fixas FEUP 2006/2007 TELEVISÃO DIGITAL Filtragem de Imagens Fixas Nuno Miguel da Cunha Pássaro Nuno Miguel Dantas de Faria nº de aluno: 010503228 email: ee01228@fe.up.pt nº de aluno: 010503160 email: ee01160@fe.up.pt

Leia mais

VISÃO COMPUTACIONAL. Marcelo Henrique dos Santos

VISÃO COMPUTACIONAL. Marcelo Henrique dos Santos VISÃO COMPUTACIONAL Marcelo Henrique dos Santos marcelosantos@outlook.com São Paulo SP, Agosto/2013 INTRODUÇÃO Processamento de imagens é um processo onde a entrada do sistema é uma imagem e a saída é

Leia mais

3ª Lista de Exercícios de Programação I

3ª Lista de Exercícios de Programação I 3ª Lista de Exercícios de Programação I Instrução As questões devem ser implementadas em C, apoiadas por representação em algoritmo para planejamento. 1. Desenvolva um programa que leia dois valores a

Leia mais

Algoritmos geométricos

Algoritmos geométricos Algoritmos geométricos introdução a conceitos básicos de geometria computacional que serão abordados de forma mais avançada na disciplina Computação Gráfica disciplina de computação gráfica arquitetura

Leia mais

CÁLCULO DE VOLUME, MAPA DE DECLIVIDADE E ÁREA DE INUNDAÇÃO

CÁLCULO DE VOLUME, MAPA DE DECLIVIDADE E ÁREA DE INUNDAÇÃO GUIA PRÁTICO DataGeosis Versão 2.3 CÁLCULO DE VOLUME, MAPA DE DECLIVIDADE E ÁREA DE INUNDAÇÃO Paulo Augusto Ferreira Borges Engenheiro Agrimensor Treinamento e Suporte Técnico 1. INTRODUÇÃO O DataGeosis

Leia mais

Implementação do algoritmo SIFT para detecção de objetos em imagens.

Implementação do algoritmo SIFT para detecção de objetos em imagens. Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Rio de Janeiro, RJ - Brasil Implementação

Leia mais

SISTEMA GUARDIÃO. Manual de Usuário

SISTEMA GUARDIÃO. Manual de Usuário SISTEMA GUARDIÃO Manual de Usuário Resumo Neste documento é apresentada uma breve descrição das funcionalidades e da utilização do sistema integrado de detecção de anomalias em redes GUARDIÃO. Versão 1.0

Leia mais

E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS. Figura 1: Materiais necessários para a realização desta experiência.

E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS. Figura 1: Materiais necessários para a realização desta experiência. E03 - CAMPO ELÉTRICO E MAPEAMENTO DE EQUIPOTENCIAIS 1- OBJETIVOS Traçar as equipotenciais de um campo elétrico, em uma cuba eletrolítica. Determinar o campo elétrico, em módulo, direção e sentido, devido

Leia mais

1 Modulação digital Noções básicas

1 Modulação digital Noções básicas 1 Modulação digital Noções básicas A modulação envolve operações sobre uma ou mais das três características de uma portadora (amplitude, fase, freqüência). Há três técnicas básicas de modulação para transformar

Leia mais

Introdução ao Processamento Digital de Imagens. Aula 6 Propriedades da Transformada de Fourier

Introdução ao Processamento Digital de Imagens. Aula 6 Propriedades da Transformada de Fourier Introdução ao Processamento Digital de Imagens Aula 6 Propriedades da Transformada de Fourier Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br Uma linha de uma imagem formada por uma sequência

Leia mais

1- Quais das seguintes freqüências estão dentro da escala do ultrassom? 2- A velocidade média de propagação nos tecidos de partes moles é?

1- Quais das seguintes freqüências estão dentro da escala do ultrassom? 2- A velocidade média de propagação nos tecidos de partes moles é? Exercícios de Física 1- Quais das seguintes freqüências estão dentro da escala do ultrassom? a) 15 Hz b) 15 KHz c) 15 MHz d) 17.000 Hz e) 19 KHz 2- A velocidade média de propagação nos tecidos de partes

Leia mais

Application Note PARÂMETROS DE CONFIGURAÇÃO DE UM OTDR. WISE Indústria de Telecomunicações

Application Note PARÂMETROS DE CONFIGURAÇÃO DE UM OTDR. WISE Indústria de Telecomunicações WISE Indústria de Telecomunicações PARÂMETROS DE CONFIGURAÇÃO DE UM OTDR Os três parâmetros-chave a considerar ao especificar um OTDR são: A distância que ele pode atingir (alcance) O quão de perto ele

Leia mais

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a.

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. 1) A água reflete muita radiação no infravermelho próximo. (5 pontos) 2) A radiação

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 15. Controle semafórico

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 15. Controle semafórico Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2.013 Aula 15 Controle semafórico 15. Formas de controle semafórico abordadas nesta aula isolado em

Leia mais

f = 1MHz ε rms = 10V C = 220pF V Lrms = 39,1V V Crms = 30,0V V Rrms = 4,15V

f = 1MHz ε rms = 10V C = 220pF V Lrms = 39,1V V Crms = 30,0V V Rrms = 4,15V 1 Circuito RLC série Quando adicionamos uma resistência ao circuito LC série, como mostrado no diagrama ao lado, o comportamento do circuito é similar ao comportamento do circuito LC sem a resistência,

Leia mais

3 Trabalhando com imagens digitais

3 Trabalhando com imagens digitais 3 Trabalhando com imagens digitais Neste capítulo, é apresentada a importância da utilização de imagens digitais em aplicações de computação gráfica. Se o objetivo destas aplicações for criar uma cena

Leia mais

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência Experimento 8 Circuitos C e filtros de freqüência OBJETIO O objetivo desta aula é ver como filtros de freqüência utilizados em eletrônica podem ser construídos a partir de um circuito C Os filtros elétricos

Leia mais

Guia do CFTV Sistemas de CFTV, IP, Seguranà a Eletrà nica, Conectividade, Informaà ões, Fórum e Tecnologia.

Guia do CFTV Sistemas de CFTV, IP, Seguranà a Eletrà nica, Conectividade, Informaà ões, Fórum e Tecnologia. VideoCAD - Software para Projeto de sistemas de CFTV Categoria : CFTV Publicado por Eng Marcelo Peres em 05-Aug-2009 01:30 Um projeto bem elaborado garantirá que as próximas etapas sejam feitas com uma

Leia mais

MORFOLOGIA MATEMÁTICA

MORFOLOGIA MATEMÁTICA MORFOLOGIA MATEMÁTICA Morfologia Na Biologia área que trata com a forma e a estrutura de plantas e animais Processamento de Imagens Ferramenta para extração de componentes de imagens que sejam úteis na

Leia mais

4 Fundamentos da Produção de Hidrocarbonetos

4 Fundamentos da Produção de Hidrocarbonetos 4 Fundamentos da Produção de Hidrocarbonetos 4.1. Introdução Quando a pressão de um reservatório é suficientemente elevada para permitir que os fluidos nele contidos alcancem a superfície, sem o auxílio

Leia mais

Como Cadastrar Estacas Intermediárias no SANCAD

Como Cadastrar Estacas Intermediárias no SANCAD Como Cadastrar Estacas Intermediárias no SANCAD Apesar de o SANCAD ter sido originalmente criado para elaboração apenas de Projeto Básico de redes de esgotos, com o tempo e com sua evolução, o software

Leia mais

Lei de Gauss. O produto escalar entre dois vetores a e b, escrito como a. b, é definido como

Lei de Gauss. O produto escalar entre dois vetores a e b, escrito como a. b, é definido como Lei de Gauss REVISÃO DE PRODUTO ESCALAR Antes de iniciarmos o estudo do nosso próximo assunto (lei de Gauss), consideramos importante uma revisão sobre o produto escalar entre dois vetores. O produto escalar

Leia mais

CARTOGRAFIA Escala. Prof. Luiz Rotta

CARTOGRAFIA Escala. Prof. Luiz Rotta CARTOGRAFIA Escala Prof. Luiz Rotta ESCALA Cartas ou mapas são representações da superfície e possuem detalhes naturais e artificiais. Representá-los requer: Reduzir as proporções dos acidentes à representar,

Leia mais

Fundamentos da Computação Gráfica

Fundamentos da Computação Gráfica Fundamentos da Computação Gráfica Trabalho 2 Visão. Detecção de cantos. Manuel Alejandro Nodarse Moreno (1322198) Introdução. Detecção de cantos é uma abordagem utilizada em sistemas de visão computacional

Leia mais

Análise de Correspondência em acessos de pimenta

Análise de Correspondência em acessos de pimenta Análise de Correspondência em acessos de pimenta Bruno Caetano Vidigal 1 Paulo Roberto Cecon 2. 1 Introdução A Análise de Correspondência (AC) é uma das diversas técnicas de análise multivariada desenvolvida

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO PMI 3101 -Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral Prof. Eduardo

Leia mais

Utilização de Ondas Ultra-sónicas na Medição da Estatura

Utilização de Ondas Ultra-sónicas na Medição da Estatura Utilização de Ondas Ultra-sónicas na Medição da Estatura Prof. Doutor Ricardo Queirós e António Afonso Departamento de Electrónica e Electrotecnia Faculdade de Engenharia Universidade Agostinho Neto ISTM

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Utilização de Cores em HTML Cores primárias Cores secundárias 2 Utilização de Cores em HTML Os comprimentos de onda vermelho, amarelo

Leia mais

SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA

SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA SISMICIDADE E ESTRUTURA INTERNA DA TERRA AS PRINCIPAIS CAMADAS DA TERRA # A maior parte do interior da Terra é inacessível às observações diretas. Para conhecer sua constituição interna, é necessário recorrer

Leia mais

1 bases numéricas. capítulo

1 bases numéricas. capítulo capítulo 1 bases numéricas Os números são representados no sistema decimal, mas os computadores utilizam o sistema binário. Embora empreguem símbolos distintos, os dois sistemas formam números a partir

Leia mais

Uma breve conversa sobre a disciplina Sísmica I Primeira Aula. Afonso E. V. Lopes & Marcelo Assumpção

Uma breve conversa sobre a disciplina Sísmica I Primeira Aula. Afonso E. V. Lopes & Marcelo Assumpção Uma breve conversa sobre a disciplina Sísmica I Primeira Aula Afonso E. V. Lopes & Marcelo Assumpção Fevereiro de 2010 Sísmica I Um curso teórico ou prático? A maior parte do curso oferece ênfase aos conceitos

Leia mais

Partículas Magnéticas

Partículas Magnéticas Partículas Magnéticas O ensaio por partículas magnéticas é utilizado na localização de descontinuidades superficiais e sub-superficiais em materiais ferromagnéticos, tais como, as ligas de Ferro e de Níquel.

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO PMI 3101 - Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral Prof. Eduardo

Leia mais

Processamento de Malhas Poligonais

Processamento de Malhas Poligonais Processamento de Malhas Poligonais Tópicos Avançados em Computação Visual e Interfaces I Prof.: Marcos Lage www.ic.uff.br/~mlage mlage@ic.uff.br Conteúdo: Notas de Aula Curvas 06/09/2015 Processamento

Leia mais

Recuperação de Física Giovanni LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA

Recuperação de Física Giovanni LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA Nome: nº Ano: Recuperação de Física Giovanni LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA 1 - A luz vermelha se propaga no vácuo com velocidade 3.10 8 m/s e no vidro com velocidade de 2,5.10 8 m/s.um raio de luz que

Leia mais

Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan

Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan Propagação da onda sonora Prof. Theo Z. Pavan Física Acústica Aula 6 Definição de onda sonora Denomina-se onda ao movimento das partículas causado por uma perturbação que se propaga através de um meio.

Leia mais

Cor SCC0251 Processamento de Imagens

Cor SCC0251 Processamento de Imagens Cor SCC0251 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2012/1 Moacir Ponti Jr. (ICMCUSP) Cor 2012/1 1 / 39 Sumário 1 Introdução

Leia mais

Preenchimento de Polígonos

Preenchimento de Polígonos Preenchimento de Polígonos SCC0250 - Computação Gráca Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Universidade

Leia mais

APLICAÇÃO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS EM IMAGENS GERADAS POR ULTRA-SOM

APLICAÇÃO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS EM IMAGENS GERADAS POR ULTRA-SOM VIII ERMAC 8 o Encontro Regional de Matemática Aplicada e Computacional 0- de Novembro de 008 Universidade Federal do Rio Grande do Norte Natal/RN APLICAÇÃO DE TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS DIGITAIS

Leia mais

NOVO! update 6.3 (Setembro 2016)

NOVO! update 6.3 (Setembro 2016) NOVO! update 6.3 (Setembro 2016) Com mais de 27 anos de desenvolvimento, o TecAt Plus é a melhor relação custo/benefício do mercado mundial para malhas de terra de qualquer aplicação, em solos de 2, 3

Leia mais