CATÁLOGO DE FORMAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "WWW.GLOBALSCORE.PT CATÁLOGO DE FORMAÇÃO"

Transcrição

1 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2014

2

3 ÍNDICE P. 04 P. 06 P. 10 P. 12 P. 24 P. 28 P. 32 P. 44 P. 50 P. 56 P. 62 P. 70 P. 74 Àreas de Formação Gestão e Administração Enquadramento na Organização/Empresa Qualidade Inovação Recursos Humanos Lean Six Sigma Informática na Ótica do Utilizador Tecnologia de Proteção do Ambiente Serviços de Saúde Pública Segurança e Higiene no Trabalho Regulamento Contatos 3

4 ÁREAS DE FORMAÇÃO A Formação Profissional desenvolvida pela Global Score visa, fundamentalmente, a melhoria da eficiência das Organizações através do aumento das qualificações dos seus recursos humanos. Para além de dar resposta à formação interna, assume as seguintes vertentes organizativas: INTRA-EMPRESAS Serviço prestado à medida do Cliente, diretamente às Organizações que adjudiquem propostas de formação ou consultoria, ou prestado, como serviço subcontratado, às Empresas Parceiras. INTER-EMPRESAS Desenvolvimento de ações de formação planeadas de acordo com a estratégia interna, dirigida ao público em geral. 4

5 345. GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO 851. TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE 347. ENQUADRAMENTO NA ORGANIZAÇÃO /EMPRESA 853. SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA 482. INFORMÁTICA NA ÓTICA DO UTILIZADOR 862. SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO 5

6 6

7 345. GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO Listagem de Cursos RA 30 RA 35 RA 36 Estratégia e Sistemas de Gestão Indicadores de Gestão e Pilotagem do Negócio Técnicas de Auto-Avaliação Modelo EFQM de Excelência 7

8 RA 30 RA 35 Estratégia e Sistemas de Gestão 35 HORAS Indicadores de Gestão e Pilotagem do Negócio 16 HORAS No final da sessão, os participantes deverão estar aptos a: Compreender e conhecer as etapas necessárias à reflexão estratégica; Definir as relações causa-efeito entre objetivos estratégicos e operacionais, potenciando os processos-chave da organização. No final da sessão, os participantes deverão estar aptos a: Compreender as relações causa-efeito entre objetivos; Saber identificar e definir indicadores (Qualidade, Quantidade, Tempo e Custo); Definir e operacionalizar planos de monitorização e pilotagem do negócio. Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos de Organizações Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos de Organizações 8

9 RA 36 Técnicas de Auto-Avaliação Modelo EFQM de Excelência 16 HORAS No final da sessão, os participantes deverão estar aptos a: Compreender e aplicar os critérios do Modelo EFQM, o processo de pontuação, a identificação de pontes fortes e áreas de melhoria; Obter o consenso e os resultados finais. Gestores e Quadros com responsabilidade na Organização 9

10 Listagem de Cursos QUALIDADE 347. ENQUADRAMENTO NA ORGANIZAÇÃO /EMPRESA. RA 03 RA 07 RA 08 Interpretação da Norma NP EN ISO/IEC 17025:2005 Requisitos Gerais de Competência para Laboratórios Auditorias Internas da Qualidade, Ambiente e Segurança - ISO Auditorias Internas da Qualidade e Ambiente ISO RA 15 RA 21 RA 22 RA 23 Metodologias de Auditoria NP EN ISO 19011:2012 Interpretação da Norma NP EN ISO 9001:2008 Auditorias Internas de Ambiente e Segurança ISO Auditorias Internas do Ambiente ISO RA 09 RA 11 Auditorias Internas da Qualidade ISO Implementação de Sistemas de Gestão Integrados de Qualidade, Ambiente e Segurança RA 29 RA 31 Implementação de Sistemas de Gestão Integrados da Qualidade e Ambiente Gestão por Processos RA 12 Planeamento, Organização e Controlo de Processos RA 34 Ferramentas e Instrumentos de Melhoria Contínua RA 13 Implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001:2008 RA 53 Auditorias Internas de IDI e Qualidade ISO e NP

11 RA 87 Atualização NP EN ISO 19011:2012 RECURSOS HUMANOS RA 66 Introdução à Lean Production RA 84 RA 96 RA 104 RA 105 RA 106 RA 24 RA 40 RA 41 RA 86 RA 97 RA 107 RA 108 RA 109 Gestão de Ocorrências Avaliação de Satisfação de Clientes Seleção e Avaliação de Fornecedores Visão, Missão e Valores de uma Organização Workshop de Valores Operativos INOVAÇÃO Interpretação da Norma NP 4457 Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação Implementação de um Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação Análise de Risco em Projectos de IDI Técnicas de Criatividade Gestão de Projectos de IDI NP 4458:2007 IDI Avaliação de Resultados de Melhoria Gestão de Ideias e Oportunidades RA 10 RA 33 RA 38 RA 55 RA 56 RA 57 RA 58 RA 59 RA 75 RA 60 RA 61 RA 62 RA 63 RA 65 Interpretação da Norma NP 4457 Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação Liderança e Gestão de Equipas Sistemas de Gestão de Recursos Humanos NP 4427 Comunicação Interpessoal Condução de reuniões Gestão de Conflitos Motivação e Trabalho em Equipa Técnicas de Liderança Atendimento ao Cliente LEAN SIX SIGMA Os 5 S s e a Gestão Visual Os 7 Desperdícios Curso MRP Cálculo das Necessidades Organização, Planeamento e Controlo da Produção Gestão Industrial e Logística RA 67 RA 68 RA 69 RA 70 RA 71 RA 72 RA 73 RA 74 RA 76 RA 77 RA 78 RA 79 RA 80 RA 81 Introdução ao Kaizen - Melhoria Contínua Introdução ao Kanban e ao Pull Flow Produção Contínua e Sincronizada POKA YOKE Dispositivos à prova de erros KAIZEN Método de Resolução de Problemas SMED Mudança Rápida de Ferramentas Introdução ao TPM Manutenção Produtiva Total VSM Value Stream Mapping Olympus Job Methods Estudo e Normalização do Trabalho Olympus Twi Job Instruction TPM/ Manutenção Autónoma SMED Single Minute Exchange of Die O método de Resolução de Problemas Aplicação prática do PDCA e dos relatórios A3 em problemas da empresa SPC Statistical Process Control 11

12 . QUALIDADE RA 03 Interpretação da Norma NP EN ISO/IEC 17025:2005 Requisitos Gerais de Competência para Laboratórios 08 HORAS Conhecer o contexto da Acreditação de Laboratórios; Identificar e interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO/IEC 17025:2005. RA 07 Auditorias Internas da Qualidade, Ambiente e Segurança ISO HORAS Compreender os princípios e práticas de Auditoria; Planear e preparar uma Auditoria combinada da Qualidade, Ambiente e Segurança; Reunir e analisar as evidências objetivas face aos critérios de Auditoria; Executar a Auditoria, reportar os resultados e concluir sobre a Auditoria. Diretores, Responsáveis Técnicos de Laboratórios e outros intervenientes com responsabilidades na implementação do Sistema de Gestão no Laboratório. Futuros auditores internos do Sistema. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão e referenciais ISO 9001, ISO e OSHAS

13 . QUALIDADE RA 08 Auditorias Internas da Qualidade e Ambiente ISO HORAS Compreender os princípios e práticas de Auditoria; Planear e preparar uma Auditoria combinada da Qualidade e Ambiente; Reunir e analisar as evidências objetivas face aos critérios de Auditoria; Executar a Auditoria, reportar os resultados e concluir sobre a Auditoria. Futuros auditores internos do Sistema. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão e referenciais ISO 9001 e ISO RA 09 Auditorias Internas da Qualidade ISO HORAS Aplicar os princípios e práticas de Auditoria; Planear e preparar uma Auditoria Interna; Reunir e analisar as evidências objetivas face aos critérios de Auditoria; Executar a Auditoria, reportar os resultados e fazer seguimento de acções. Futuros auditores internos. Técnicos das organizações com conhecimentos do Sistema de Gestão e do referencial ISO

14 . QUALIDADE RA 11 Implementação de Sistemas de Gestão Integrados de Qualidade, Ambiente e Segurança 32 HORAS Compreender a importância e utilidade de um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade, Ambiente e Saúde e Segurança; Interpretar os requisitos das Normas ISO 9001, ISO e OHSAS 18001; Integrar os requisitos das Normas ISO 9001, ISO e OHSAS aproveitando as sinergias resultantes da integração; Quadros dirigentes; Empresários; Gestores da Qualidade, Ambiente e Saúde e Segurança, responsáveis ou participantes no processo de implementação do Sistema de Gestão Integrado da Qualidade, Ambiente e Saúde e Segurança no Trabalho. Elaborar e implementar um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade, Ambiente e Saúde e Segurança. 14

15 . QUALIDADE RA 12 RA 13 Planeamento, Organização e Controlo de Processos 24 HORAS Compreender a abordagem organizacional da Gestão por Processos; Avaliar os processos empresariais em termos do seu desenho, otimização, sequência e interligações; Implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001: HORAS - Compreender a importância e utilidade de um Sistema de Gestão da Qualidade; Definir objetivos, indicadores, entradas, saídas e critérios de execução de processos; Identificação de processos e atividades que acrescentam valor; - Interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO 9001: Elaborar e implementar um Sistema de Gestão da Qualidade Métodos e Ferramentas de Análise do Valor. Quadros dirigentes; Empresários; Gestores da Qualidade, responsáveis ou participantes no processo de implementação da Gestão por Processos. Quadros dirigentes; Empresários; Gestores da Qualidade, responsáveis ou participantes no processo de implementação do Sistema da Qualidade. 15

16 . QUALIDADE RA 15 Metodologias de Auditoria NP EN ISO 19011: HORAS Planear, preparar e executar uma Auditoria Interna; Aplicar critérios de Auditoria; Elaborar relatórios de Auditoria. RA 21 Interpretação da Norma NP EN ISO 9001: HORAS Compreender a importância e utilidade de um Sistema de Gestão da Qualidade; Interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO 9001:2008. Futuros auditores internos. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos em Sistemas de Gestão. Quadros dirigentes; Empresários; Gestores da Qualidade, responsáveis ou participantes no processo de implementação do Sistema da Qualidade. 16

17 . QUALIDADE RA 22 Auditorias Internas de Ambiente e Segurança ISO HORAS RA 23 Auditorias Internas do Ambiente ISO HORAS Planear, preparar e executar uma Auditoria Interna de Ambiente e Segurança; Aplicar critérios de Auditoria; Elaborar relatórios de Auditoria. Planear, preparar e executar uma auditoria interna do Ambiente; Aplicar critérios de Auditoria; Elaborar Relatórios de Auditoria. Futuros auditores internos. Técnicos das organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão e dos referenciais ISO e OSHAS Futuros auditores internos do Sistema. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos em Sistemas de Gestão e referencial ISO

18 . QUALIDADE RA 29 Implementação de Sistemas de Gestão Integrados da Qualidade e Ambiente 16 HORAS Compreender a importância e utilidade de um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente; Interpretar os requisitos das Normas NP EN ISO 9001 e NP EN ISO 14001; Integrar os requisitos das Normas NP EN ISO 9001 e NP EN ISO aproveitando as sinergias resultantes da integração; Elaborar e implementar um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente. Quadros dirigentes; Empresários; Gestores da Qualidade e Ambiente, responsáveis ou participantes no processo de implementação do Sistema de Gestão Integrado. 18

19 . QUALIDADE RA 31 Gestão por Processos 16 HORAS Compreender a abordagem organizacional da Gestão por Processos; Avaliar os processos empresariais em termos do seu desenho, otimização, sequência e interligações; Definir objetivos, indicadores, entradas, saídas e critérios de execução de processos. RA 34 Ferramentas e Instrumentos de Melhoria Contínua 16 HORAS Conhecer as principais ferramentas e instrumentos que potenciam a melhoria contínua (Ferramentas de Melhoria, avaliação de satisfação de clientes; avaliação de fornecedores; satisfação de colaboradores; avaliação do desempenho dos processos). Quadros médios e superiores de organizações com conhecimentos em Gestão da Qualidade e com responsabilidade pela implementação da Gestão por Processos (1ª, 2ª e 3ª Linhas). Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos de Organizações. 19

20 . QUALIDADE RA 53 Auditorias Internas de IDI e Qualidade ISO e NP HORAS Compreender os princípios e práticas de Auditoria; Planear e preparar uma Auditoria combinada da Qualidade e Inovação; Reunir e analisar as evidências objetivas face aos critérios de Auditoria; Executar a Auditoria, repostar os resultados e concluir sobre a Auditoria. Técnicos das organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão e dos referenciais ISO 9001:2008, NP 4457:2007 e NP4461:2007. RA 84 Gestão de Ocorrências 08 HORAS Compreender o que é uma ocorrência no sentido mais lato; Distinguir os conceitos de correção, ação corretiva, ação preventiva e ação de melhoria; Tratar ocorrências, analisando as causas e definindo ações. Gestores da Qualidade; Responsáveis pelo tratamento de ocorrências. 20

21 . QUALIDADE RA 87 Atualização NP EN ISO 19011: HORAS Aplicar os princípios e práticas de Auditoria; Identificar as melhorias introduzidas na nova versão da ISO RA 96 Avaliação de Satisfação de Clientes 04 HORAS Compreender a importância da avaliação da satisfação de clientes; Aplicar diferentes metodologias para avaliar a satisfação de clientes. Auditores internos com conhecimentos em Sistemas de Gestão. Gestores da Qualidade. Responsáveis pela avaliação da satisfação de clientes. 21

22 . QUALIDADE RA 104 Seleção e Avaliação de Fornecedores 04 HORAS Compreender a importância de selecionar e avaliar fornecedores; Selecionar e avaliar fornecedores de acordo com critérios pré-estabelecidos. Gestores da Qualidade. Responsáveis pela avaliação de fornecedores. 22

23 . QUALIDADE RA 105 Visão, Missão e Valores de uma Organização 04 HORAS RA 106 Workshop de Valores Operativos 08 HORAS Compreender os conceitos de Visão, Missão e Valores; Definir a Visão, Missão e Valores da sua Organização. Compreender o que são os valores operativos de uma Organização; Definir os Valores Operativos da sua Organização. Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos de Organizações. Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos da mesma Organização. 23

24 . INOVAÇÃO RA 24 Interpretação da Norma NP 4457 Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação 08 HORAS Interpretar os requisitos da Norma NP 4457; Conhecer a estrutura documental de um sistema de Gestão da IDI de acordo com a Norma NP RA 40 Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação 21 HORAS Interpretar os requisitos da Norma NP 4457; Interpretar os requisitos da Norma NP 4458; Interpretar os requisitos da Norma NP 4456; Conhecer a estrutura documental de um sistema de Gestão da IDI de acordo com a Norma NP Técnicos das organizações com responsabilidade na Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos em Sistemas de Gestão. 24

25 . INOVAÇÃO RA 41 Implementação de um Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação 08 HORAS Alinhar a Estratégia de negócio incorporando a vertente inovação; Conhecer os requisitos da Norma NP 4457 e sua aplicação na Organização; Conhecer os Processos e a estrutura documental de um sistema de Gestão da IDI de acordo com a Norma NP 4457; Estar apto a planear a implementação de um Sistema IDI. Administração, Direcção e Quadros superiores de empresas e organizações com conhecimentos em Sistemas de Gestão RA 86 Análise de Risco em Projectos de IDI 08 HORAS Compreender os princípios essenciais da gestão do risco, bem como os processos de gestão do risco e a sua relação com a gestão de projetos Implementar uma metodologia de gestão do risco Controlar o risco ao longo da vida do projeto Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão e Gestão de projetos. 25

26 . INOVAÇÃO RA 107 Gestão de Projectos de IDI NP 4458: HORAS RA 97 Técnicas de Criatividade 08 HORAS Conhecer as diversas técnicas criativas; Desenvolver as competências criativas. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão Compreender o enquadramento da Gestão de Projetos numa organização; Identificar os objetivos de um projeto de IDI para o posicionamento competitivo da organização; Distinguir as características distintivas de um projeto de IDI; Identificar as boas práticas de planeamento, execução, acompanhamento e avaliação de resultados de um projeto; Descrever as atividades de gestão de portfólio de IDI. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão 26

27 . INOVAÇÃO RA 108 IDI Avaliação de Resultados de Melhoria 08 HORAS Implementar procedimentos para documentar e avaliar os resultados de IDI de modo a contemplar a componente financeira, as vantagens competitiva para a organização e os benefícios alcançados; RA 109 Gestão de Ideias e Oportunidades 04 HORAS Aplicar técnicas para a geração de ideias; Estabelecer procedimentos para a captação, análise, avaliação e pré-seleção de ideias. Planear a realização das atividades de avaliação. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos dos Sistemas de Gestão. 27

28 . RECURSOS HUMANOS RA 10 Gestão da Qualidade e Trabalho de Equipa 24 HORAS RA 33 Liderança e Gestão de Equipas 16 HORAS Gerir Sistemas de Gestão da Qualidade; Criar e gerir equipas de melhoria; Saber planear e gerir projetos. Compreender e aplicar os princípios de Gestão pela Liderança; Promover o clima organizacional e a motivação para a melhoria contínua. Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos de Gestão da Qualidade. Quadros dirigentes; Empresários e Quadros Técnicos de Organizações. 28

29 . RECURSOS HUMANOS RA 38 Sistemas de Gestão de Recursos Humanos NP HORAS Interpretar os requisitos da Norma NP 4427; Conhecer a estrutura documental de um sistema de Gestão de Recursos Humanos de acordo com a Norma NP Quadros médios e superiores de empresas e organizações com conhecimentos em Sistemas de Gestão. RA 55 Comunicação Interpessoal 16 HORAS Treinar e desenvolver competências comportamentais comunicacionais que permitam a comunicação eficaz, a circulação clara de informação, a empatia e a cooperação, a motivação e a criação de estímulos positivos. Diretores, Chefias. 29

30 . RECURSOS HUMANOS RA 56 Condução de reuniões 08 HORAS Identificar e analisar as dificuldades das reuniões; Praticar as diferentes técnicas de como otimizar e conduzir reuniões. RA 58 Motivação e Trabalho em Equipa 16 HORAS Apropriar o Ciclo de Desenvolvimento das Equipas; dentificar o que influencia o funcionamento de uma Equipa e os diferentes comportamentos dos diferentes elementos de uma equipa; Analisar a Cooperação como valor Organizacional a ser implementado por todos e com a contribuição de cada um; Desenvolver Objetivos Individuais e os Objetivos Comuns. Diretores, Chefias, Colaboradores que tenham que conduzir reuniões. Chefias e colaboradores de uma equipa. 30

31 RA 57 Gestão de Conflitos 16 HORAS RA 59 Desenvolver estratégias e comportamentos adequados à prevenção e Gestão de Conflitos; Analisar situações de conflito recorrentes na Organização. Técnicas de Liderança 16 HORAS OBJECTIVOS Diretores e Chefias.. RECURSOS HUMANOS RA 75 Atendimento ao Cliente 08 HORAS Global Score Consultores Lda. Formação Possuir os conhecimentos e aptidões necessárias ao exercício de qualquer atividade que exija o contato com clientes, garantindo desta forma a Qualidade do Serviço ao Cliente. Funcionários da empresa que contatam com o público. Adquirir e desenvolver competências de Liderança de Gestão de Equipas: Estilos de liderança, Motivação das Equipas, Gestão dos Desempenhos; Liderança pela comunicação. Diretores e Chefias. 31

32 . LEAN SIX SIGMA RA 60 Os 5 S s e a Gestão Visual 08 HORAS Compreender o que são os 5S s, a sua importância e os resultados que se podem obter com a sua aplicação na eficiência e na moral; Compreender a gestão visual, a sua importância e os seus benefícios para a gestão do dia-a-dia; Gerentes e chefias de organizações industriais e de serviços; Engenheiros e supervisores de processo, de produto, da manutenção e da qualidade Compreender as técnicas utilizadas na aplicação dos 5 S s; Formular uma estratégia de introdução e manutenção dos 5 S s e da Gestão Visual nas suas organizações; Planear a formação dos colaboradores e dos supervisores e promover as necessárias mudanças de atitudes e de expetativas. 32

33 . LEAN SIX SIGMA RA 61 Os 7 Desperdícios 08 HORAS RA 62 Curso MRP Cálculo das Necessidades 24 HORAS Identificar os desperdícios da produção; Conhecer os 7 desperdícios da Toyota; Reconhecer os paradigmas e compreender como estes influenciam a realidade; Formular uma estratégia de identificação e eliminação dos desperdícios nas organizações; Planear a formação dos colaboradores e dos supervisores, promovendo as mudanças de atitude e expetativas necessárias. Compreender os diferentes planos industriais e logísticos; Saber Executar o MRP Cálculo das Necessidades; Conhecer os inputs do MRP; Criar os meios para controlar a produção; Compreender as novas regras de gestão da produção introduzidas pela Lean Production. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de empresas industriais e de Serviços. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. 33

34 . LEAN SIX SIGMA RA 63 Organização, Planeamento e Controlo da Produção 40 HORAS RA 65 Gestão Industrial e Logística 40 HORAS Compreender os diferentes planos industriais e logísticos; Conhecer as regras para fazer um plano; Saber executar o MRP Cálculo das necessidades; Criar os meios para controlar a produção; Saber organizar o aparelho produtivo para dele retirar maior eficiência; Compreender as novas regras de gestão da produção introduzidas pela Lean Production. Compreender os diferentes planos industriais e logísticos; Conhecer as regras para fazer um plano; Saber executar o MRP Cálculo das necessidades; Criar os meios para controlar a produção; Saber organizar o aparelho produtivo para dele retirar maior eficiência; Compreender as novas regras de gestão da produção introduzidas pela Lean Production. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. 34

35 . LEAN SIX SIGMA RA 66 Introdução à Lean Production 08 HORAS Compreender os conceitos e princípios da Lean Production; Conhecer as principais ferramentas da Lean Production; Compreender como a Lean Production melhora a qualidade, aumenta a flexibilidade, reduz os prazos e baixa os custos das organizações; Formular uma estratégia de introdução da Lean Production nas suas organizações; Planear a formação dos colaboradores e dos supervisores e promover as necessárias mudanças de atitudes e expetativas. RA 67 Introdução ao Kaizen Melhoria Contínua 08 HORAS Compreender a filosofia Kaizen - Melhoria Contínua; Compreender os resultados que podem obter nas suas organizações com a aplicação do Kaizen; Conhecer as principais técnicas utilizadas pelo Kaizen; Formular uma estratégia de introdução do Kaizen nas suas organizações; Planear a formação dos colaboradores e dos supervisores e promover as necessárias mudanças de atitudes e expetativas. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de empresas industriais e de Serviços. 35

36 . LEAN SIX SIGMA RA 68 Introdução ao Kanban e ao Pull Flow Produção Contínua e Sincronizada 16 HORAS Distinguir a produção puxada e empurrada; Conhecer a importância da sincronização das atividades; Calcular o número de Kanban necessário; Compreender a produção em células. RA 69 POKA YOKE Dispositivos à prova de erros 08 HORAS Apreender a cultura, visão e dinâmica de melhoria contínua; Identificar e caraterizar os tipos de erros que ocorrem num ambiente de produção; Compreender as funções dos dispositivos POKA-YOKE; Identificar os benefícios da utilização dos dispositivos POKA-YOKE; Identificar oportunidades para implementação de dispositivos POKA-YOKE. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de empresas industriais e de Serviços. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. 36

37 . LEAN SIX SIGMA RA 70 KAIZEN 24 HORAS Praticar a resolução de pequenos problemas seguindo o método de resolução de problemas; Envolver todos no espírito kaizen; Aplicar as técnicas Kaizen. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços que já tenham frequentado o Seminário de Introdução ao Kaizen. RA 71 Método de Resolução de Problemas 08 HORAS Compreender a necessidade de documentar o processo de resolução dos problemas; Saber aplicar os passos da resolução de problemas; Compreender a necessidade de ser disciplinado, seguir o método e não saltar para conclusões sem uma análise das verdadeiras causas; Compreender o poder de comunicação do relatório A3 da Toyota; Conhecer as principais ferramentas da qualidade. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de empresas industriais e de Serviços. 37

38 . LEAN SIX SIGMA RA 72 SMED Mudança Rápida de Ferramentas 16 HORAS RA 73 Introdução ao TPM Manutenção Produtiva Total 08 HORAS Introduzir o conceito de preparação rápida do trabalho; Perceber os benefícios para a organização de uma preparação rápida do trabalho; Compreender a técnica SMED; Compreender a sua integração na abordagem Lean; Aplicar a técnica, conhecer os passos do SMED. Gerentes e chefias de organizações industriais; Engenheiros e supervisores de processo, de produto, da manutenção e da qualidade Conhecer o TPM, seus passos e objectivos; Reconhecer as principais perdas de eficiência dos equipamentos; Saber calcular o OEE eficiência operacional de um equipamento; Introduzir a manutenção autónoma na sua organização; Formular uma estratégia de introdução do TPM nas suas organizações; Planear a formação dos colaboradores e dos supervisores e promover as necessárias mudanças de atitudes e expetativas. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de empresas industriais e de Serviços. 38

39 . LEAN SIX SIGMA RA 74 VSM Value Stream Mapping 16 HORAS RA 76 Olympus Job Methods Estudo e Normalização do Trabalho 16 HORAS Compreender os conceitos e princípios da Lean Production; Conhecer a ferramenta VSM, sua metodologia; Compreender a forma como o VSM permite identificar e eliminar os desperdícios de uma produção; Compreender como ao identificarmos e eliminarmos estamos a melhorar a qualidade, a aumentar a flexibilidade, a reduzir os prazos e a baixar os custos; Praticar a aplicação da técnica VSM. Diretores, gestores, engenheiros, supervisores de empresas industriais e de serviços; Todos aqueles que pretendam trabalhar com processos eficientes e sem desperdícios. Identificar a importância e os benefícios do trabalho padronizado; Reconhecer os principais tipos de folhas de normalização de trabalho; Executar um estudo de métodos e tempos; Documentar uma situação prática da empresa; Identificar na situação prática os desperdícios. Gerentes, chefias, supervisores, chefes de equipa, engenheiros e todos os que possuem responsabilidades na melhoria dos métodos Colaboradores de todos os departamentos, operacionais oude suporte. 39

40 . LEAN SIX SIGMA RA 77 Olympus Twi Job Instruction 08 HORAS Identificar a importância e os benefícios de colaboradores rapidamente e bem treinados; Enumerar os quatro passos do método; Criar uma descrição (instrução) de trabalho; Treinar um colaborador de acordo com a instrução de trabalho; Reconhecer a importância da polivalência e da flexibilidade para a Melhoria Contínua. Gerentes, chefias, supervisores, chefes de equipa, engenheiros e todos os que possuem responsabilidades no treino dos colaboradores em novas tarefas. Colaboradores de todos os departamentos, operacionais ou de suporte. 40

41 . LEAN SIX SIGMA RA 78 TPM Manutenção Autónoma 08 HORAS Identificar a importância e os benefícios do TPM; Reconhecer a manutenção autónoma como atividade distintiva do TPM; Calcular a Eficiência Operacional dos Equipamentos; Enumerar as principais perdas dos equipamentos; Construir fichas de auto-manutenção dos equipamentos. Gestores, chefias, supervisores, engenheiros e chefes de equipa; Colaboradores de empresas industriais, de distribuição e de serviços onde se executem tarefas de manutenção. RA 79 SMED Single Minute Exchange of Die 16 HORAS Identificar os benefícios da aplicação do SMED; Reconhecer porque o SMED é fundamental para a Lean Production; Identificar as tarefas externas e internas; Enumerar os quatro tipos de atividades de uma preparação; Aplicar a técnica, seguir os passos do SMED; Utilizar o vídeo para filmar e visionar uma mudança de ferramentas; Preencher uma folha de recolha de tarefas e tempos; Criar padrões de trabalho de uma mudança de referência. Gestores, chefias, engenheiros, supervisores e colaboradores que executam mudanças de ferramentas. Colaboradores de empresas de qualquer sector onde existam perdas de tempo devidas a mudanças de trabalho e preparações de ferramentas. 41

42 . LEAN SIX SIGMA RA 80 O método de Resolução de Problemas Aplicação prática do PDCA e dos relatórios A3 em problemas da empresa 08 HORAS Identificar a importância e os benefícios de resolver os problemas com método e disciplina; Reconhecer o ciclo PDCA e como está relacionado com os relatórios A3; Gestores, chefias, supervisores, engenheiros e chefes de equipa. Colaboradores de empresas industriais, de distribuição e de serviços. Identificar os diferentes tipos de relatórios A3; Enumerar os passos dos relatórios A3; Identificar as principais ferramentas de análise e resolução de problemas; Reconhecer o papel da chefia no garantir que o método é seguido e que é executado com disciplina, sem queimar etapas nem saltar para conclusões. 42

43 . LEAN SIX SIGMA RA 81 SPC Statistical Process Control 36 HORAS Reconhecer os benefícios do controlo estatístico do processo; Construir e interpretar gráficos e cartas de controlo do processo; Enquadrar a aplicação do controlo estatístico do processo no processo de melhoria contínua e de gestão da qualidade da sua empresa. Engenheiros e técnicos da qualidade, do produto e do processo. 43

44 482. INFORMÁTICA NA ÓTICA DO UTILIZADOR 44

45 Listagem de Cursos RA 64 RA 99 RA 100 RA 101 RA 102 Estatística com Microsoft Office Excel Excel Algoritmia Pensamento básico para Programação Base de Dados MySQL Programação PHP 45

46 RA 64 RA 99 Estatística com Microsoft Office Excel 24 HORAS Compreender o Excel como uma ferramenta útil no cálculo estatístico; Excel 16 HORAS Organizar, gerir e tratar dados e informação no Excel. Conhecer as funções estatísticas do Excel; Saber utilizar as tabelas e os gráficos dinâmicos; Conhecer e saber utilizar o analysis tool pack. Profissionais que desejem aprofundar os seus conhecimentos sobre folhas de cálculo. Diretores, Gestores, Engenheiros, Supervisores de Empresas industriais e de Serviços. 46

47 RA 100 Algoritmia Pensamento básico para Programação 08 HORAS Identificar variáveis, tipo de dados, ciclos, condições e funções; Pensar na resolução de um problema, de forma a aplicar posteriormente a programação. Profissionais que desejem iniciar-se em programação. 47

48 RA 101 Base de Dados MySQL 16 HORAS Fazer chamadas da base de dados; Utilizar algumas funções MySQL; Criar uma base de dados MySQL e respetivas tabelas. Profissionais que desejem aprofundar os seus conhecimentos sobre bases de dados. 48

49 RA 102 Programação PHP 35 HORAS Desenvolver pequenas aplicações em PHP; Através de PHP utilizar informação de uma base de dados MySQL. Profissionais que desejem aprofundar os seus conhecimentos sobre programação. 49

50 50

51 851. TECNOLOGIA DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE Listagem de Cursos RA 04 RA 06 RA 16 RA 39 RA 88 Implementação de Sistemas de Gestão Ambiental NP EN ISO 14001:2012 Legislação e Regulamentação Ambiental Gestão de Resíduos Industriais Interpretação da Norma NP EN ISO 14001:2012 e EMAS Boas práticas ambientais 51

52 Global Score Consultores Lda. Formação RA 04 Implementação de Sistemas de Gestão Ambiental NP EN ISO 14001: HORAS Identificar e interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO 14001; Executar as tarefas necessárias à implementação da Norma; Conhecer, em termos gerais, a legislação ambiental bem como as principais orientações para o seu cumprimento. Quadros médios e superiores de empresas e organizações e responsáveis com funções na Área Ambiental. 52

53 RA 06 Legislação e Regulamentação Ambiental 08 HORAS RA 16 Gestão de Resíduos Industriais 08 HORAS Conhecer, em termos gerais, a legislação ambiental bem como quais as principais orientações para o seu cumprimento. Gerir os resíduos industriais e outros resíduos não urbanos de forma a promover o cumprimento dos requisitos legais, nomeadamente as novas regras resultantes da implementação do SIRER Sistema Integrado de Registo Eletrónico de Resíduos. Técnicos com conhecimentos de ambiente ou de Gestão Ambiental. Responsáveis de Departamento, RH, Logística, Qualidade, Produção, Manutenção, Financeiro e Compras 53

54 RA 39 Interpretação da Norma NP EN ISO 14001:2012 e EMAS 14 HORAS Interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO e do regulamento EMAS; Executar as tarefas necessárias à implementação do Sistema de Gestão Ambiental; Conhecer, em termos gerais, a legislação ambiental bem como as principais orientações para o seu cumprimento. Quadros médios e superiores de empresas e organizações e responsáveis com funções na área Ambiental. 54

55 RA 88 Boas práticas ambientais 16 HORAS Conseguir identificar os principais aspectos ambientais relacionados com as suas atividades; Participar no controlo operacional dos aspectos ambientais relacionados com a sua atividade; Participar na melhoria da gestão ambiental da sua organização. Colaboradores de qualquer empresa. 55

56 56

57 853. SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA Listagem de Cursos RA 01 HACCP e Boas Práticas na Indústria Hoteleira e Restauração RA 02 HACCP e Boas Práticas na Indústria Alimentar RA 20 RA 27 RA 28 Sensibilização para a Segurança Alimentar Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar NP EN ISO 22000:2005 Interpretação dos Requisitos BRC/IoP Packaging Materials 57

58 RA 01 HACCP e Boas Práticas na Indústria Hoteleira e Restauração 16 HORAS Melhorar o desempenho no serviço, corrigindo os erros ao nível das boas práticas de higiene e de produção; Compreender, elaborar e implementar um Sistema HACCP. Quadros de Empresas de Hotelaria e Restauração, responsáveis pela operação, equipa de trabalho dinamizadora do Sistema HACCP e pelo controlo da qualidade alimentar. 58

59 RA 02 HACCP e Boas Práticas na Indústria Alimentar 16 HORAS RA 20 Sensibilização para a Segurança Alimentar 08 HORAS Melhorar o desempenho no serviço, corrigindo os erros ao nível das boas práticas de higiene e de produção; Compreender, elaborar e implementar um Sistema HACCP. Compreender e implementar um Sistema HACCP; Melhorar o desempenho no serviço, corrigindo os erros ao nível das boas práticas de higiene e de produção. Equipa de trabalho dinamizadora do Sistema HACCP; Responsáveis pela operação e pelo controlo da qualidade alimentar. Operadores, equipa de trabalho responsável pelo Sistema HACCP e pelo controlo da qualidade alimentar. 59

60 RA 27 Sistemas de Gestão da Segurança Alimentar NP EN ISO 22000: HORAS Conhecer, em termos gerais, a legislação alimentar; Identificar e interpretar os requisitos da Norma NP EN ISO 22000:2005; Executar as tarefas necessárias à implementação da Norma. Quadros médios e superiores de empresas e organizações do sector alimentar. 60

61 RA 28 Interpretação dos Requisitos BRC/ IoP Packaging Materials 08 HORAS Identificar e interpretar os requisitos BRC/IoP Packaging Materials; Executar as tarefas necessárias à implementação da Norma. Quadros médios e superiores de empresas e organizações que atuam como fornecedores na cadeia do sector alimentar. 61

62 852. SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO 62

63 Listagem de Cursos RA 05 RA 14 RA 17 RA 18 RA 26 RA 45 RA 47 RA 94 RA 95 Gestão da Segurança em Obras de Construção Civil Implementação de Sistemas de Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001:2007/NP 4397:2008 Substâncias Perigosas Interpretação da Norma OHSAS 18001:2007 / NP 4397:2008 Legislação e Regulamentação em Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Conceitos básicos de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Utilização de Extintores Legislação e Auditorias de Segurança Curso reconhecido pelo ACT Desempenho de funções de Segurança e Higiene no Trabalho por Trabalhadores Designados e Representante do Empregador Curso reconhecido pelo ACT 63

64 RA 05 Gestão da Segurança em Obras de Construção Civil 08 HORAS Interpretar os Requisitos legais constantes do DL n.º 273/2003 de 29 de Outubro, que transpõe a Directiva Europeia 92/57/CEE; Identificar e executar as tarefas necessárias à implementação de cada um dos Requisitos; Conceber as ferramentas básicas para a Gestão da Segurança em Obra. RA 14 Implementação de Sistemas de Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001:2007/NP 4397: HORAS Identificar e interpretar os requisitos da Norma OHSAS / NP 4397; Executar as tarefas necessárias à implementação da Norma; Conhecer, em termos gerais, a legislação ambiental bem como as principais orientações para o seu cumprimento. Responsáveis pela implementação e monitorização das condições de Segurança em Obras de Construção Civil. Quadros médios e superiores de empresas e organizações e responsáveis com funções na Área da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho. 64

65 RA 17 Substâncias Perigosas 08 HORAS RA 18 Interpretação da Norma OHSAS 18001:2007 / NP 4397: HORAS Conhecer os perigos inerentes à utilização de substâncias perigosas; Planear e realizar as acções necessárias, para assegurar a implementação das regras de segurança necessárias à utilização de substâncias perigosas. Identificar e interpretar os requisitos da Norma OHSAS18001 /NP 4397; Conhecer, em termos gerais, a legislação de segurança bem como as principais orientações para o seu cumprimento. Funções com responsabilidade na compra, recepção, armazenamento, manuseamento e eliminação de substancias perigosas. Quadros médios e superiores de empresas e organizações e responsáveis com funções na área Ambiental. 65

66 RA 26 Legislação e Regulamentação em Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 08 HORAS Conhecer, em termos gerais, a legislação em matéria de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho bem como as principais orientações para o seu cumprimento. Responsáveis da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho dentro das organizações. 66

67 RA 45 Conceitos básicos de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho 08 HORAS RA 47 Utilização de Extintores 04 HORAS Conhecer os conceitos básicos de segurança, higiene e saúde no trabalho; Adoptar comportamentos seguros visando a prevenção de acidentes; Identificar situações de risco a que podem estar expostos no seu local de trabalho e tomarem as medidas de prevenção e protecção adequadas. Saber utilizar o extintor adequado para cada tipo de fogo. Colaboradores de qualquer empresa. Colaboradores de qualquer empresa. 67

68 RA 94 Legislação e Auditorias de Segurança 35 HORAS Conhecer, em termos gerais, a legislação em matéria de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho bem como as principais orientações para o seu cumprimento; Compreender a importância e utilidade de um Sistema de Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho; Técnicos e Técnicos Superiores de Segurança e Higiene do Trabalho; Quadros dirigentes; Gestores da segurança; Técnicos de Segurança; Responsáveis ou participantes no processo de implementação do Sistema de Gestão da Saúde e Segurança no Trabalho. Identificar e interpretar os requisitos das normas da série OHSAS 18001/NP4397; Identificar as vantagens que o sistema de gestão da Segurança e Saúde no Trabalho traz às organizações no que respeita a eliminação dos riscos e aumento da segurança. Curso reconhecido pela ACT Autoridade para as Condições do Trabalho 68

69 RA 95 Desempenho de funções de Segurança e Higiene no Trabalho por Trabalhadores Designados e Representante do Empregador 35 HORAS Colaboradores de qualquer empresa que pretendam desempenharem uma das seguintes funções de segurança e higiene no trabalho: Representantes dos trabalhadores; Representante dos empregadores; Empregadores; Trabalhadores designados. Global Score Consultores Lda. Formação No final da ação os participantes terão adquirido competências fundamentais nas áreas da segurança, higiene e saúde do trabalho para exercerem as suas funções nesta área. Pretendese com esta formação: Estabelecer um modelo conceptual e legislativo que vise a Prevenção de Riscos Profissionais; Proporcionar habilitações que permitam a realização de avaliações elementares de riscos e, para cada caso, estabelecer medidas de Prevenção do mesmo tipo e compatíveis com o seu grau de formação; Preparar o trabalhador para participar nas ações de emergência e primeiros socorros mediante a aplicação das respectivas técnicas. Analisar a forma de gerir a Prevenção de Riscos Profissionais na empresa, nos seus dois componentes básicos: o sistema de gestão da Prevenção e o tipo de recursos humanos e materiais que irão desenvolver as atividades de Prevenção; Identificar e conhecer os organismos públicos nacionais e internacionais mais importantes relacionados com a Segurança, a Higiene e a Saúde no Trabalho. Curso reconhecido pela ACT Autoridade para as Condições do Trabalho 69

70 70 REGULAMENTO 1. Introdução A GLOBAL SCORE CONSULTORES, Lda. é uma empresa de Consultoria de Gestão especialista nas áreas associadas à Estratégia, Integração de Sistemas, IDI, Qualidade, Ambiente, Segurança e Higiene no Trabalho, Segurança Alimentar, Lean Six Sigma e Responsabilidade Social. Oferecemos um conjunto de serviços desenhados à medida de cada cliente, contribuindo para o seu desenvolvimento e aumento de eficiência operacional através de assistência personalizada, elevada competência e experiência dos nossos consultores e formadores, procurando uma diferenciação na vasta oferta neste setor de atividade. A pensar no aumento da competitividade e empreendedorismo dos seus clientes, a Global Score desenvolveu a JUMP4Innovation, uma ferramenta colaborativa que facilita e promove a comunicação entre os colaboradores e fomenta a participação da empresa em novos desafios e oportunidades. A GLOBAL SCORE é Entidade Formadora Certificada pela DGERT (Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho) nas seguintes áreas de educação e formação: Gestão e Administração; 347 Enquadramento na organização/ empresa 482 Informática na ótica do utilizador 851 Tecnologia de proteção do ambiente 853 Serviços de Saúde Pública 862 Segurança e Higiene no Trabalho A Global Score possui um Sistema de Gestão da Qualidade certificado pela APCER, de acordo com a Norma NP EN ISO 9001:2008, para o seguinte âmbito: «Prestação de serviços de consultoria, auditoria e formação nas áreas de Gestão; prestação de serviços técnicos (Qualidade, Ambiente, Segurança e Higiene no Trabalho e Segurança Alimentar); prestação de serviços externos de Segurança e Higiene no Trabalho e desenvolvimento de soluções de gestão, incluindo software.» O seu Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) está certificado pela APCER, de acordo com a Norma NP 4457:2007, para o seguinte âmbito: «Inovação de produtos e soluções de software de gestão.» A GLOBAL SCORE surge, assim, com objetivos claros de prestar um serviço de excelência aos seus Clientes contribuindo para o seu sucesso empresarial, procurando a sua plena satisfação e tornandose progressivamente uma opção segura no mercado de Consultoria, Auditoria e Formação em Portugal. Somos o Parceiro ideal para o sucesso de cada Organização que pretenda otimizar os seus recursos, melhorando o seu desempenho. 1.1 Natureza e Conteúdo do Regulamento Entende-se por FORMAÇÃO o processo através do qual as pessoas se preparam para o exercício de uma atividade profissional, pela aquisição e desenvolvimento de capacidades ou competências cujos resultados possibilitam a adoção de comportamentos adequados ao desempenho profissional e à valorização pessoal e profissional. O presente Regulamento estabelece as normas consideradas fundamentais para o desenvolvimento da atividade formativa da GLOBAL SCORE. Define direitos e obrigações das partes envolvidas, que devem ser aceites antes do início de cada ação de formação. A Formação Profissional desenvolvida pela GLOBAL SCORE visa, fundamentalmente, a melhoria da eficiência das Organizações através do aumento das qualificações dos seus recursos humanos. Para além de dar resposta à formação interna, assume as seguintes vertentes organizativas: Intra-empresas - serviço prestado à medida do Cliente, diretamente às Organizações que adjudiquem propostas de formação ou consultoria, ou prestado, como serviço subcontratado, às Empresas Parceiras; Inter-empresas desenvolvimento de ações de formação planeadas de acordo com a estratégia interna, dirigida ao público em geral. 2. Formação Intra-Empresas A Formação Intra-empresas é realizada mediante solicitação de proposta pelas Organizações Clientes, quer pretendam um serviço exclusivo de formação ou englobando a formação nos projetos de consultoria. São identificados os requisitos de Cliente e/ou diagnosticadas as suas necessidades específicas de formação, ficando as condições de prestação do serviço expressas na Proposta.

71 O contrato com a Organização Cliente é formalizado através da adjudicação da proposta. 2.1 Condições Específicas A Formação está isenta de IVA ao abrigo do Artigo 9º do Código do IVA. Os valores indicados na proposta não incluem o eventual aluguer de salas, equipamentos audiovisuais e refeições dos formandos para a realização de ações de formação. As formações decorrem nas instalações designadas pela Organização Cliente, ficando esta responsável por proporcionar locais adequados e os equipamentos e material de apoio previstos e necessários à boa realização da ação de formação, nomeadamente, Quadro Didax, Flip Chart e Projector Multimédia (A GLOBAL SCORE poderá facultar o projector multimédia). Se a GLOBAL SCORE transferir quaisquer dos seus bens para as instalações do Cliente tendo em vista a realização da ação de formação, este assumirá total responsabilidade sobre os mesmos, devendo devolvê-los em perfeito estado de funcionamento. Para cada ação de formação será fornecido um exemplar tipo da documentação associada a cada ação, competindo à Organização Cliente, a sua reprodução e distribuição aos formandos. Os formandos participantes em cada ação de formação são designados pela Organização Cliente num máximo 12 por sessão. As datas em que se realizarão as ações de formação serão acordadas, consoante as disponibilidades de ambas as partes. 3. Formação Inter-Empresas 3.1 Inscrições A inscrição em cada ação de formação pretendida deve ser realizada por escrito, através do preenchimento da Ficha de Inscrição, tendo em conta os campos de preenchimento obrigatório. A ficha de inscrição, devidamente preenchida, poderá ser enviada por carta, por fax ou por , acompanhada de fotocópia do cheque ou comprovativo de transferência bancária. O cheque original deve ser enviado por correio. Todas as ações têm inscrições limitadas, pelo que são aceites por ordem cronológica de chegada e garantidas apenas após pagamento, até 3 dias úteis antes do início da cada ação de formação A factura / Recibo correspondente segue para a morada descrita na Ficha de Inscrição. As inscrições podem ser canceladas desde que comunicadas por fax, ou correio até 5 dias úteis antes da data de início dos cursos, sem encargos para o formando. O cancelamento da inscrição após o 5º dia útil antes do início da ação está sujeito à retenção de 50% do valor total da inscrição. A não comparência na ação de formação, sem aviso prévio, implica a perda total do valor da inscrição. A GLOBAL SCORE reserva-se ao direito de adiar ou cancelar qualquer ação programada até 2 dias úteis antes da data prevista para o seu início, por verificar que não tem um nº mínimo de 6 participantes ou por qualquer outro motivo de gestão, sem que tal confira direito a qualquer indemnização. Nessa situação, a GLOBAL SCORE informará com a antecedência possível a nova data da ação ou, caso seja cancelada, fará o reembolso da inscrição quando esta tenha ocorrido. 3.2 Condições Específicas O preço, condições de pagamento e condições de participação serão indicados em cada ação de formação. A Formação está isenta de IVA ao abrigo do Artigo 9º do Código do IVA. O preço de cada ação de formação inclui documentação de apoio e Certificado de Frequência de Formação Profissional, de acordo com a Portaria nº 474/2010 (8 de Julho). As ações de formação só se realizarão se houver um nº mínimo de 6 formandos inscritos. O nº máximo de formandos por ação de formação é de 15. Todas as inscrições que ultrapassem este nº serão colocadas em lista de 71

72 espera, podendo vir a ser consideradas caso, até ao início da ação, ocorram desistências. Caso o número de inscrições o permita, a GLOBAL SCORE repetirá a ação com a maior brevidade possível. Sempre que os objetivos e as metodologias do curso o exijam, o nº mínimo e máximo de participantes poderá sofrer alterações. A seleção dos participantes em cada ação de formação será efetuada por ordem de inscrição e, cumulativamente, tendo em conta os pré-requisitos definidos, sempre que aplicável. 4. Condições para Funcionamento da Formação As ações de formação Intra-empresa decorrerão nas instalações do Cliente ou, quando isso não possa ocorrer, em instalações alugadas, próximas da entidade cliente. As ações de formação Inter-empresa decorrerão em instalações alugadas, tendo em consideração as condições específicas da ação de formação a realizar. A GLOBAL SCORE comunicará aos formandos o local exato de realização da ação de formação até 2 dias úteis antes da data de início da ação. A informação disponibilizada na documentação é propriedade da GLOBAL SCORE e destina-se exclusivamente a apoiar a formação por si ministrada, não podendo ser reproduzida, distribuída, divulgada, publicada ou utilizada para qualquer outro fim que não para a utilização na ação de formação. A GLOBAL SCORE reserva-se ao direito de alterar formadores ou local de realização da ação, desde que isso não inviabilize os objetivos do curso, ou não conflitue com o contratualizado com o Cliente e expresso em Proposta/Contrato de Formação, comprometendo-se a comunicar as alterações ocorridas com a antecedência possível. Em casos de formação financiada, a atividade formativa da GLOBAL SCORE é organizada de acordo com as especificidades definidas nas normas nacionais e comunitárias aplicáveis, podendo o presente regulamento ser a justado a essas condicionantes. 4.1 Avaliação e Certificação A avaliação constitui elemento integrante da formação fazendo parte do dossier técnico-pedagógico de cada ação. Na GLOBAL SCORE esta avaliação é feita a dois níveis: avaliação da reação dos formandos e avaliação das aprendizagens, pelo formador. Finda qualquer ação de formação, será solicitado o preenchimento de questionários pelos participantes, que visam avaliar a qualidade dos cursos ministrados, a pertinência dos conteúdos programáticos, bem como, o profissionalismo dos formadores. Em ações de formação com duração superior a 8 horas e eleitas pelo formador face ao público-alvo, poderá, igualmente, ser avaliada a satisfação das expectativas dos formandos, identificadas no início de cada ação através de questionário de levantamento de expectativas. A avaliação das aprendizagens será realizada pelo formador no final da ação, de acordo com os seus objetivos específicos, e recorrendo a testes de conhecimento ou desempenho, entrevistas, grupos de discussão ou observação. No final de cada ação de formação será entregue aos participantes o respetivo Certificado de Formação Profissional ou de Frequência de Formação Profissional, de acordo com a Portaria nº 474/2010 (8 de Julho). Na GLOBAL SCORE, os Certificados de Formação Profissional serão emitidos através da plataforma SIGO no caso de formação de Auditores, formação de Manipuladores de Carnes, formação para desempenho de funções de segurança e higiene no trabalho (ACT), formações para renovação CAP TSSHT (ACT), formações modulares e outras formações certificadas não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações, concluídas com aproveitamento. Em todas as outras ações de formação que não pressuponham a sua conclusão com aproveitamento, ou seja, em que, pelas suas características, não esteja contemplada avaliação das aprendizagens, nomeadamente nas situações em que essa ação configure a forma de conferência, seminário, ou outra, será emitido um Certificado de Frequência de Formação Profissional, de acordo com modelo interno. No caso do formando ultrapassar o limite de faltas definido (assiduidade mínima de 85%) é emitida uma Declaração de Frequência com o nº de horas efetivamente frequentada. 4.2 Responsabilidades Global Score A ficha de Inscrição constitui o contrato de formação entre a GLOBAL SCORE e cada um dos formandos inscritos. As sessões têm início à hora indicada no programa, salvo por 72

Regulamento de Formação AIP

Regulamento de Formação AIP Regulamento de Formação AIP Introdução Considerando que: Primeiro: A AIP Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria é uma organização de utilidade pública sem fins lucrativos que

Leia mais

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS ABR/MAI.2015 TEMÁTICOS REGIÃO CENTRO ÁREA INOVAÇÃO NP4457:2007 SENSIBILIZAÇÃO E CASOS DE SUCESSO No final da sessão os participantes deverão estar aptos a: Alinhar a Estratégia de negócio incorporando

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA. Março de 2015 4ª Edição REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA Março de 2015 4ª Edição Índice 1 O DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO... 3 1.1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA... 3 1.2. ESTRUTURA... 3 2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA DOS ENCONTROS DE SABEDORIA DA AMUT Conteúdo Artigo 1º... 3 OBJECTIVO... 3 Artigo 2º... 3 CONCEITO DE ENCONTRO DE SABEDORIA... 3 Artigo 3º... 3 ÂMBITO

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

Profitability Engineers. 2.ª Edição de 2015

Profitability Engineers. 2.ª Edição de 2015 Profitability Engineers Lean Experts 2.ª Edição de 2015 Lean Experts É uma abordagem sistematizada de melhoria contínua, cujo âmbito está na procura metódica da melhoria dos processos através da redução

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004

AEP/APCER FORMAÇÃO 2º SEMESTRE 2004 Ed. de Serviços da Exponor, 2º Av. Dr. António Macedo 4450 617 Leça da Palmeira t: 22 999 36 00 f: 22 999 36 01 e-mail: info@apcer.pt www.apcer.pt Formação Empresa 4450-617 Leça da Palmeira t: 22 998 1753

Leia mais

Referencial técnico-pedagógico da intervenção

Referencial técnico-pedagógico da intervenção Referencial técnico-pedagógico da intervenção De seguida explicitamos os referenciais técnico-pedagógicos das fases do MOVE-PME que carecem de uma sistematização constituindo factores de diferenciação

Leia mais

Regulamento do Núcleo de Formação

Regulamento do Núcleo de Formação Regulamento do Núcleo de Formação 2013 1.Nota Introdutória Qualquer processo de formação com qualidade exige medidas e instrumentos de normalização e controlo, que permitam garantir desempenhos de excelência

Leia mais

Ajudamos a (sua) empresa a crescer.

Ajudamos a (sua) empresa a crescer. CONSULTORIA Ajudamos a (sua) empresa a crescer. O QUE FAZEMOS SISTEMAS DE GESTÃO GESTÃO DA PRODUÇÃO E DAS PRODUÇÕES PRODUTIVIDADE E INOVAÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO PROJECOS DE INVESTIMENTO E INCENTIVOS

Leia mais

Regulamento de Funcionamento da Formação

Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação Índice 1. Caracterização e Identificação da Entidade... 3 2. Certificação entidade formadora... 3 3. Acreditação Entidade Formadora... 3 4. Certificação ISO 9001...

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade

PLANO DE FORMAÇÃO EXTERNA 2015. Qualidade (Isento IVA) Qualidade Norma ISO 9001 Qualidade (nova versão ) Gestores da Qualidade 7 outubro Formar acerca do conteúdo da Norma de referência ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade: requisitos Conhecer

Leia mais

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação

KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação KEY Centro de Formação, Lda. Regulamento de Funcionamento da Formação Página 2 de 12 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 3 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO...

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO QUALIDADE, AMBIENTE, SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO SGS ACADEMY PORQUÊ A SGS ACADEMY? Criada, em 2003, como área de negócio da

Leia mais

Formação Interempresas 2015 2.º semestre

Formação Interempresas 2015 2.º semestre Formação Interempresas 2015 2.º semestre 1 1 Formação Interempresas 2015 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR PÓS-GRADUAÇÃO / ESPECIALIZAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO SGS ACADEMY LOCAL: LISBOA, PORTO E FUNCHAL GRUPO SGS PORTUGAL O Grupo SGS Société Générale de Surveillance S.A é a maior

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01 Manual de Acolhimento LogicPulse Technologies, Lda. Índice PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. OBJETIVOS DO MANUAL... 4 3. APRESENTAÇÃO DA LOGICPULSE TECHNOLOGIES... 5 4. ORGANOGRAMA ORGANIZACIONAL...

Leia mais

Mini-MBA de Marketing

Mini-MBA de Marketing Mini-MBA de Marketing Coordenador/Formador: José Guimarães Índice Designação do curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 3 Objectivo Geral... 3 Objetivos

Leia mais

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS REGIÃO ALENTEJO ÁREA INOVAÇÃO NP4457:2007 SENSIBILIZAÇÃO E CASOS DE SUCESSO No final da sessão os participantes deverão estar aptos a: Alinhar a Estratégia de negócio incorporando

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2015 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 9 Formação em Qualidade Pág. 13 Formação

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Segurança e Higiene no Trabalho Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) -

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) - REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA - Formação Interempresa (formação externa) - CAPÍTULO I ENQUADRAMENTO 1. O presente Regulamento é aplicável às Acções de Formação promovidas pela SIPRP

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores

CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO CURSO Formação Pedagógica Inicial de Formadores Homologado pelo IEFP com o código de curso C1840003 Presencial 90 horas (Conforme Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) DPJ.FOR.FPIF.01

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designação do Curso... 2 Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos... 3 Estrutura

Leia mais

Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios

Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios Qualidade e Sustentabilidade das Organizações Sociais Os Modelos de Gestão da Qualidade das Respostas Sociais - Novos desafios Instituto da Segurança Social, I.P. Gabinete de Qualidade e Auditoria 17 de

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 MANUAL DA QUALIDADE FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1 Promulgação... 4 1.2 Âmbito e campo de aplicação do SGQ...

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO Objetivo Artigo 1.º 1. Este regulamento tem como objetivo estabelecer condições e normas para a obtenção

Leia mais

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações

Data de adopção. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor. Observações NP ISO 10001:2008 Gestão da qualidade. Satisfação do cliente. Linhas de orientação relativas aos códigos de conduta das organizações CT 80 2008 NP ISO 10002:2007 Gestão da qualidade. Satisfação dos clientes.

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

Catálogo de Formação Inter-Empresas

Catálogo de Formação Inter-Empresas Catálogo de Formação Inter-Empresas QTEL 2016 Índice Quem Somos...Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL...Pág. 5 Formação em Ambiente.Pág. 6 Formação em Inovação..Pág. 11 Formação em Qualidade Pág. 15 Formação

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6

PLANO DE FORMAÇÃO 2015 Página 1 de 6 AMBIENTE ECONOMIA SOCIAL ENERGIA A Certificação da Gestão Florestal e Cadeia de Responsabilidade FSC ou PEFC Acompanhamento Ambiental em Obra e Gestão de RCD s (e-xz) Auditorias Ambientais (e-xz) Conformidade

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

Formação Interempresas 2015

Formação Interempresas 2015 Formação Interempresas 2015 1 1 Formação Interempresas 2015 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO. In company. Mar 2014

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO. In company. Mar 2014 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO In company Mar 2014 1 O nosso Objetivo A nossa Abordagem Os nossos Clientes O nosso objectivo é contribuir de forma envolvente e eficiente para a melhoria da Competitividade Empresarial,

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC

Training Manager. Certificação PwC. 7, 14 e 21 de março. www.pwc.pt/academy. Academia da PwC www.pwc.pt/academy Training Manager Certificação PwC 7, 14 e 21 de março Academia da PwC As empresas líderes analisam quais as competências necessárias para o desempenho dos seus colaboradores, implementam

Leia mais

Six Sigma: Uma ferramenta de gestão

Six Sigma: Uma ferramenta de gestão Six Sigma: Uma ferramenta de gestão de 1.) Introdução Estratégia de gestão que procura melhorar a qualidade dos outputs de um processo, através da identificação e eliminação das causas dos defeitos e variação,

Leia mais

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA

MASTER EXECUTIVO GESTÃO ESTRATÉGICA Pág.: 1/10 HISTÓRICO DO DOCUMENTO / EMISSÃO Data Ver. Objeto da Revisão Elab. / Verif. (Função / Nome / Assinatura(*)) C. Técnicocientífica/ S. Iglésias Aprovação (Função / Nome / Assinatura(*)) Diretora/

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

Coordenador Dr. Pedro Pires

Coordenador Dr. Pedro Pires Curso de Especialização de Logística -Supply Chain Coordenador Dr. Pedro Pires Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos...

Leia mais

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais EQUASS Assurance Procedimentos 2008 - European Quality in Social Services (EQUASS) Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Apresentação do Manual de Gestão de IDI

Apresentação do Manual de Gestão de IDI Seminário Final do Projeto IDI&DNP Coimbra 31 de março Miguel Carnide - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. OVERVIEW DO MANUAL 3. A NORMA NP 4457:2007 4. A

Leia mais

Workshop Certificação de Entidades pela DGERT

Workshop Certificação de Entidades pela DGERT www.b-training.pt Workshop Certificação de Entidades pela DGERT 27 de Maio de 2011 ORDEM DE TRABALHOS 10h00 11h15 11h30 12h30 13h Início dos Trabalhos Coffee-Break Reinício dos Trabalhos Perguntas & Respotas

Leia mais

APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO

APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO APEL Associação Promotora do Ensino Livre REGRAS DE FUNCIONAMENTO DA ATIVIDADE FORMATIVA ANEXO AO REGULAMENTO INTERNO ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO 2. REQUISITOS DE ACESSO E FORMAS DE INSCRIÇÃO 3. CRITÉRIOS

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO Introdução O presente Regulamento foi concebido a pensar em si, visando o bom funcionamento da formação. Na LauTraining Formação e Consultoria, vai encontrar um ambiente de trabalho e de formação agradável

Leia mais

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ)

CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) INTEGRAÇÃO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS SUPERIORES BACHARÉIS, LICENCIADOS E MESTRES CURSO DE INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL DE QUADROS (CIEQ) GUIA DE CURSO ÍNDICE 1 - Objectivo do curso 2 - Destinatários 3 - Pré-requisitos

Leia mais

Coordenador da área - Engº Pedro Marques

Coordenador da área - Engº Pedro Marques Requisitos e implementação da ISO 9001 gestão da qualidade, ISO 14001 gestão ambiental e OHSAS 18001 gestão de segurança e saúde no trabalho Coordenador da área - Engº Pedro Marques Índice Duração Total...

Leia mais

Catálogo de Formação Intra-Empresas

Catálogo de Formação Intra-Empresas Catálogo de Formação Intra-Empresas QTEL 2015 Índice Quem Somos.....Pág. 3 6 Razões para Escolher a QTEL.....Pág. 5 Formação em Ambiente....Pág. 6 Formação em Gestão e Logística..Pág. 7 Formação em Inovação

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

Campo de Férias - FUBI

Campo de Férias - FUBI Campo de Férias - FUBI Regulamento Interno O presente regulamento dos campos de férias FUBI, pretende definir os direitos, deveres e regras a observar por todas as pessoas que envolvem as atividades, para

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Organização de Eventos Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDAS

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional

Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional Carta de Compromisso - Centro para a Qualificação Profissional e o Ensino Profissional 1024036 - PROFIFORMA, GABINETE DE CONSULTADORIA E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, LDA Missão É missão do CQEP Profiforma: -

Leia mais

Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura

Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura Iniciativa Formação para Empresários Programa de Candidatura No âmbito do Contrato de Delegação de Competências do POPH na CCP 1. Enquadramento da Iniciativa A Iniciativa Formação para Empresários tem

Leia mais

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR

MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER GESTOR ESTRATÉGICO DE PRODUTO ALIMENTAR MASTER ENQUADRAMENTO O master Gestor Estratégico de Produto Alimentar, da SGS Academy, visa proporcionar aos seus formandos conhecimentos específicos sobre

Leia mais

As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os

As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os Formação Interempresas 2016 11 Formação Interempresas 2016 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os desperdícios,

Leia mais

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade.

OFERTA. Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. QUALIDADE Transição para a NP ISO 9001:2015 Diretores ou Responsáveis da Qualidade, Quadros Médios e Superiores; Responsáveis pela implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade. Dar a conhecer as alterações

Leia mais

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME Destinatários do projeto Micro, Pequenas e Médias empresas com: Dimensão até 250 trabalhadores Localizadas nas regiões Norte, Centro e Alentejo Estatuto PME

Leia mais

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Saída Profissional: Operador CAD Certificação ao nível do 9º Ano / Nível II Laboral Bem-Vindo/a à FLAG! A FLAG é uma

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação com especial enfoque nas

A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação com especial enfoque nas Formação Interempresas Aveiro 2.º Semestre 2015 1 1 Formação Interempresas 2015 - Aveiro A Profitability Engineers organiza com a Heliflex, nas suas instalações em Aveiro, um conjunto de acções de formação

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES 96 HORAS MÓDULOS HORAS FORMADOR 1 - FORMADOR: SISTEMA, CONTEXTOS E PERFIL 10H FRANCISCO SIMÕES 2 SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL 13H FILIPE FERNANDES 3 COMUNICAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DA REGIÃO DE COIMBRA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL 1 Capítulo I Política e Estratégia Artigo 1.º

Leia mais

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos

MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos MINI-MBA de Especialização em Relações Públicas, Protocolo Empresarial e Eventos Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos... 2 Objetivo Geral... 2 Objetivos Específicos...

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 8 de março de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 19/2013 Aprova o Programa Juventude Ativa. 2 8 de

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS ACÇÕES DE FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS ACÇÕES DE FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS ACÇÕES DE FORMAÇÃO CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO Índice 1. Âmbito de Aplicação 2. Competência Organizativa 3. Política e Estratégia da Entidade 4. Responsabilidades

Leia mais

Lean Management na Indústria Alimentar

Lean Management na Indústria Alimentar Lean Management na Indústria Alimentar de 1.) Introdução O atual desafio colocado às empresas para a sua sobrevivência, demonstra que só aquelas que são ágeis e magras são competitivas nos mercados exigentes

Leia mais

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho L DE PESSOAS IDERANÇA E GESTÃO Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho Coordenadores e Chefias Intermédias Adquirir técnicas de Liderança, de

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PLANO CURRICULAR

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE PLANO CURRICULAR PLANO CURRICULAR UNIDADES CURRICULARES CARGA HORÁRIA ECTS Controlo Estatístico do Processo Doutora Florbela Correia 32 4 Gestão da Qualidade Mestre José Carlos Sá 24 4 Informática Aplicada a Qualidade

Leia mais

Manual. Coordenador / Diretor de Curso. Ano letivo 2012/2013

Manual. Coordenador / Diretor de Curso. Ano letivo 2012/2013 Manual do Coordenador / Diretor de Curso Ano letivo 2012/2013 Índice Índice... 1 Atribuições do Coordenador/Diretor de Curso... 2 Horários... 4 Alteração de Horários... 5 Arquivo de Documentação... 5 C1

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão)

Regulamento Interno. Artigo 1º (Missão) Regulamento Interno O presente regulamento aplica-se a todos os Cursos de formação concebidos, organizados e desenvolvidos pelo Nucaminho - Núcleo dos Camionistas do Minho, com o objetivo de promover o

Leia mais

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T BUSINESS IMPROVEMENT A I N D E V E QUEM É A Indeve é uma empresa especializada em Business Improvement, composta por consultores com uma vasta experiência e com um grande conhecimento do mundo empresarial

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO Índice 1. Enquadramento... 3 2. Definição... 3 3. Princípios... 4 4. Objetivos... 4 5. Direitos... 4 6. Deveres... 5 7. Inscrição... 7 8. Candidatura...

Leia mais

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A.

FrontWave Engenharia e Consultadoria, S.A. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa é uma empresa criada em 2001 como spin-off do Instituto Superior Técnico (IST). Desenvolve tecnologias e metodologias de inovação para rentabilizar

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Helena Ferreira (helena.ferreira@apcer.pt) Gestora de Desenvolvimento da APCER I. APRESENTAÇÃO DA APCER www.apcer.pt 1. Quem Somos Início de actividade

Leia mais

Auditorias a Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001 : 2008

Auditorias a Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001 : 2008 Auditorias a Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001 : 2008 DATAS A definir (assim que seja atingido o número mínimo de inscrições) HORÁRIO Pós-Laboral, à 2ª, 3ª e 5ª, das 19h00 às 23h00 ou Sábado, das

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015 Catálogo de Formação ACTIO 2015 Lean - Nível Executivo Lean Production Executivo Manutenção Lean Executivo Six Sigma - Champion Lean - Nível Master Lean Production Master Manutenção Lean Master Lean nos

Leia mais

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM Manutenção e A MANUTENÇÃO O PILAR ESSENCIAL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS Não seria excelente se existisse um sistema de manutenção que reparasse o seu equipamento antes de ele avariar? Sim, pois quando os equipamentos

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522

www.highskills.pt geral@highskills.pt PT: 00351 217 931 365 AO: 00244 94 112 60 90 MZ: 00258 821 099 522 Apresentação... 3 Como Empresa... 3 A nossa Visão... 3 A nossa Missão - A SUA VALORIZAÇÃO, A NOSSA MISSÃO!... 3 Os nossos Valores... 3 Porquê fazer um Curso de Especialização?... 4 Formação Certificada...

Leia mais

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004

CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 CURSO CERTIFICAÇÃO/QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES INTERNOS DO AMBIENTE ISO 14001:2004 O curso de Certificação/Qualificação de Auditores Internos é constituído por 2 módulos com avaliação escrita: 1. Interpretação

Leia mais

Divisão da Operational Consulting dedicada ao Desenvolvimento do Potencial Humano.

Divisão da Operational Consulting dedicada ao Desenvolvimento do Potencial Humano. Divisão da Operational Consulting dedicada ao Desenvolvimento do Potencial Humano. Especialização e Acreditação como Entidade Formativa nas áreas da Qualidade, Produtividade, Logística e Comportamental.

Leia mais

Formação Interempresas 2014

Formação Interempresas 2014 Formação Interempresas 2014 Curso Métodos e Tempos Cronograma 2014 Formação Duração 1 Dia Preço/Participant e Contactar a APMI Data 19 de Setembro 2014 Six Sigma - ISO 31000:2009 - Gestão de Risco 1 Dia

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Regulamento Interno. Ano de 2015. Rbb Gabinete Técnico de Peritagens, Formação e Consultoria Lda

Regulamento Interno. Ano de 2015. Rbb Gabinete Técnico de Peritagens, Formação e Consultoria Lda Ano de 2015 Rbb Gabinete Técnico de Peritagens, Formação e Consultoria Lda Índice 1º Âmbito de Aplicação... 4 2º Horário de Atendimento... 4 3º Estrutura Organizacional... 4 4º Conceito de Formação...

Leia mais

Ficha de Inscrição. Ação. *Nacionalidade País de Origem: NIF* *Morada *Código Postal - *Telefone Telemóvel Fax. E-mail Nível de Escolaridade.

Ficha de Inscrição. Ação. *Nacionalidade País de Origem: NIF* *Morada *Código Postal - *Telefone Telemóvel Fax. E-mail Nível de Escolaridade. Ficha de Inscrição Ação *Nome completo *Sexo Masculino Feminino *Naturalidade Distrito: Concelho: *Nacionalidade País de Origem: NIF* *BI CC N.º *Data Validade BI / CC / / *Data de Nascimento / / *Morada

Leia mais