Conferência de Digitação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conferência de Digitação"

Transcrição

1 Objetivos (Visão Geral, Evolução e Tendências) O Programa visa formar profissionais éticos, com visão cultural e humanística, com responsabilidade sócio-ambiental, e capacitados a explorarem as metodologias de análise inerentes às Ciências Naturais - Física, Química e Biologia - em aplicações de diversos sistemas, sejam esses ambientais ou não. O curso visa ainda capacitar os egressos para a docência e a pesquisa com caráter interdisciplinar. Pretende-se ainda, formar profissionais qualificados que atendam as peculiaridades do mercado de trabalho, nas quais o domínio de ferramentas específicas para o monitoramento de recursos naturais, bem como, uma concepção integrada das relações homem/natureza, sejam requisitos básicos. Espera-se que os egressos sejam capazes de viabilizar soluções que contribuam para o desenvolvimento regional, sobretudo no que diz respeito ao reconhecimento e exploração sócio-ambiental responsável dos Biomas Cerrado-Pantanal. Integração com a Graduação (Benefícios Recíprocos da Integração, Normas e Resultados) Dos quinze docentes que compõem o núcleo permanente do PGRN, apenas um não é docente da UEMS e, portanto não atua nos cursos de graduação. Todos os quatorze docentes atuaram em em cursos de graduação com tempo médio semanal, por docente, de 6,76 horas aula. Somando o tempo médio semanal, por docente, em sala de aula na pós-graduação (1,37 horas aula), o tempo médio semanal, por docente, em regime didático, foi de 8,13 horas aula em. Esse índice excede em 10% o desempenhado em A explicação é que, embora a carga horária na pós-graduação tenha se mantido a mesma entre 2010 e, a carga horária na graduação aumentou tendo em vista que os docentes que se encontravam em atividades administrativasem 2010 deixaram suas atividades em setembro de e reassumiram a docência na graduação. No quesito orientação de trabalhos de conclusão de curso (TCC) e iniciação científica (IC), o corpo docente permanente do programa orientou junto 37 TCC s e 41 IC s, indicando que ainda é muito forte sua atuação na formação de recursos humanos em nível de graduação. Grande parte da produção bibliográfica apresentada no relatório conta com a participação desses acadêmicos. Estágio de Docência ( do pós-graduando junto aos alunos de graduação) Em, 15 (quinze) alunos realizaram estágio de docência junto aos cursos de graduação em Física, Ciências Biológicas, Química e Engenharia Ambiental da UEMS, sempre sobre a supervisão de um docente do PGRN. Dentre as atividades desenvolvidas pelos discentes, destacam-se preparação de aluna teórica e prática, acompanhamento em laboratórios didáticos, avaliação por provas escritas, relatórios e seminários. Pode-se concluir que a experiência docência experimentada pelo aluno durante a pós-graduação em muito contribui para sua formação. Infra-estrutura Laboratório Os laboratórios que compõem a infraestrutura do PGRN estão distribuídos nas Unidades Universitárias de Dourados (5 laboratórios), Navirai (1 laboratório) e Aquidauana (1 laboratório), além do laboratório da Embrapa coordenado pelo Pesquisador Rômulo Penna Scorza Junior. São eles: UEMS - Dourados: 1. Laboratório de Ecologia (Centro Integrado de Análise e Monitoramento Ambiental) 1 2 Analisador de gases 2 1 Microscópio Axiostar Plus com sistema fotografia analógico acoplado 3 2 Microscópio trinocular 4 1 Microscópio estereoscópico com retículo micrométrico 5 1 Microscópio estereoscópico com câmera clara 6 1 Microscópio estereoscópico com câmera digital acoplada 7 1 Micrótono de rotação com afiador 8 1 Barco Inflável flexboart VSR 9.5 com motor mercury de 5HP 9 1 Bomba de vácuo de baixa pressão 10 1 Cabine de fluxo laminar vertical 11 1 Câmara de germinação com controle de fotoperíodo 12 1 Incubadora BOD 13 1 Deonizador com sensor condutivímetro e alarme óptico 14 1 Destilador de água com pureza abaixo de 3S 15 1 Estufa de esterilização e secagem com sistema de circulação de ar 16 1 Freezer horizontal 17 1 Refrigerador Duplex 18 1 Agitador magnético com aquecimento 19 1 Agitador mecânico com regulador de altura e inclinação 20 2 Oximetro portátil com medidor de temperatura 21 3 PHmetro portátil e de bancada com medidor de temperatura 22 2 Turbidímetro de bancada 23 2 Condutivimetro portátil e de bancada digital 24 1 Microcomputadores 25 2 Fonte de Xenônio 26 1 Fluxômetro de campo 1

2 27 3 Balança de precisão 28 1 Termo-higro-anemômetro-luxímetro digital 2. Laboratório de Química Ambiental (Centro Integrado de Análise e Monitoramento Ambiental) Item Quant. Equipamento 1 2 Agitador magnético sem aquecimento 2 1 Agitador magnético com aquecimento 3 2 Balança analítica eletrônica digital 4 1 Banho Maria com agitação, gabinete de aço inoxidável 5 1 Banho Ultratermostatizado com bomba de circulação 6 1 Destilador de Nitrogênio (sistema analógico) 7 1 Bloco digestor 8 2 Bomba de vácuo com vacuômetro e manômetro 9 2 Bomba peristáltica com controle digital microcontrolado 10 1 Bomba peristáltica de 4 canais 11 1 Bureta digital 12 1 Clorímetro 13 1 Condutivimetro de bancada digital 14 1 Conjunto Hach contendo phmetro, condutivímetro e espectrofotômetro 15 1 Destilador de água com pureza abaixo de 3 µs 16 1 Destilador de água com pureza abaixo de 0,5 µs 17 1 Câmera incubadora para DBO 18 1 Espectrofotômetro com faixa 325 a 1100nm 19 2 Espectrofotômetro com faixa 195 a 1100nm 20 1 Estação meteorológica 21 2 Estufa de esterilização e secagem 22 1 Estufa de esterilização e secagem a vácuo 23 1 Evaporador rotativo 24 1 Fotômetro de chama 25 2 Manta aquecedora 26 1 Chapa de aquecimento 27 1 Mesa agitadora 28 1 Mufla 29 1 Oxímetro portátil 30 1 phmetro portátil 31 1 phmetro bancada 32 1 Potenciostato/Galvanostato PGSTAT 30 AUTOLAB 33 1 Ultrasom 34 2 Microcomputadores 3. Laboratório de Espectroscopia Óptica (Centro Integrado de Análise e Monitoramento Ambiental) 1 1 Espectrofotômetro Infravermelho por transformada de Fourier 2 2 Laser de YAG:Nd: Box-Car 4 1 Amplificador Lock-in 5 1 Mesa Óptica (1,10x3,00)metros 6 1 Agitador magnético 7 1 Balança de precisão com capacidade de 500g/RES-0,001g 8 1 Bomba de vácuo 9 1 Botijão para nitrogênio líquido 10 1 Evaporador rotativo 11 1 Osciloscópio digital 12 1 Refrigerador duplex 13 4 Microcomputadores 4. Laboratório de Fototérmica (Centro de Pesquisas em Biodiversidade) 1 1 Laser de Argônio 2 1 Laser de Corante 3 2 Laser de HeNe 4 2 Medidor de potência 5 2 Monocromador duplo 6 2 Osciloscópio Digital 7 1 Espectrômetro portátil mm 8 1 Fonte de Deutério-Tungstênio 9 2 Mesa Óptica (1,20x1,50 e 1,20x0,60)metros 10 1 Modulador eletromecânico tipo Chopper 11 1 Modulador eletromecânico tipo Shutter 12 1 Microcomputadores 13 1 Notebook 5. Laboratório de Análise Instrumental (Centro de Pesquisas em Biodiversidade) 1 1 HPLC 2

3 2 1 Cromatógrafo gasoso 3 2 Balança analítica 4 1 Soprador centrífugo 5 2 Estufas de esterilização secagem a seco 6 1 phmetro 7 1 Frezeer horizontal 8 3 Refrigeradores biplex 9 1 Centrífuga digital 10 2 Banhos de ultrasom 11 4 Mantas de aquecimento 12 2 Chapas de aquecimento 13 2 Capelas de exaustão 14 1 Balança semi-analítica 15 1 Balança comum 16 1 Capela de fluxo laminar 17 1 Agitador de tubo tipo vortex 18 1 Visualizador de placa cromatográfica 19 1 Evaporador rotativo a vácuo 20 1 Ultra-purificador de água 21 1 Homogenizador 22 2 Bombas de vácuo 23 1 Espectrofotômetro 24 1 Banho refrigerado com circulação 25 1 Estufa de cultura bacteriológica 26 1 Centrífuga refrigerada 27 1 Transluminador duplo sistema 28 1 Moinho de facas 29 1 Potenciostato galvanostato 30 1 Destilador de água de vidro 31 1 Deionizador de água 32 1 Destilador de óleo 33 2 Cubas para eletroforese (horizontal e vertical) 34 1 Fonte de eletroforese 35 1 Bloco digestor 36 1 Conjunto de extração fase sólida UEMS - Naviraí 1. Laboratório de Recursos Naturais e Tecnologia Química Item Quantidade Descrição do equipamento 1 1 HPLC (ainda não funcionando) 2 1 Cromatógrafo gasoso (ainda não funcionando) 3 2 Balanças analíticas 4 1 Balança semi-analítica 5 2 Estufas de secagem 6 1 phmetro 7 1 Dip-coat 8 1 Refrigerador 9 1 Nobreak 10 2 Mantas de aquecimento 11 2 Chapas de aquecimento 12 2 Capelas de exaustão 13 1 Agitador de tubo tipo vortex 14 1 Visualizador de placa cromatográfica 15 2 Evaporadores rotativos a vácuo 16 2 Bombas de vácuo 17 1 Espectrofotômetro UV-Vis 18 1 Colorímetro 19 1 Banho refrigerado com circulação 20 1 Centrífuga refrigerada 21 1 Destilador de água de vidro 22 2 Fornos para calcinação de amostras (Mufla) 23 1 Moinho triturador 24 1 Bloco digestor 25 1 Aparelho para determinação de nitrogênio total 26 3 Agitadores magnéticos com aquecimento 27 1 Extrator de óleo UEMS - Aquidauana 1. Laboratório de Solos 1 1 Agitador Magnético 2 1 Agitador mecânico 3 1 Balança analítica 4 1 Banho de areia 5 1 Banho Maria Elétrico 3

4 6 1 Bloco Digestor 7 1 Bureta Digital 8 1 Capela para exaustão de gases 9 1 Centrífuga de Bancada 10 1 Chapa Aquecedora 11 1 Condutivímetro Digital 12 1 Deionizador 13 1 Destilador de Nitrogênio 14 1 Medidor de ph 15 1 Mesa Agitadora Orbital, 16 1 Moinhos 17 1 Penetrômetro Para Solo 18 1 Separador de Resinas 19 1 Medidor de Oxigênio Dissolvido Portátil 20 1 Fotômetro de Chamas 21 1 Espectrofotômetro de Ultra Violeta Visível 22 1 Pipetador semi-automático 23 1 Recuperador de resinas 23 1 Repartidor de Amostras de Bancada. Embrapa: 1. Laboratório de Análise de Resíduos de Pesticidas ItemQuantidadeDescrição do equipamento 1 1 HPLC com detector do tipo DAD 2 1 Cromatógrafo gasoso com detectores ECD e NPD 3 1 Balança analítica 4 1 Estufas de esterilização e secagem a seco 5 1 phmetro 6 1 Frezeer horizontal 7 2 Freezer vertical 8 1 Refrigeradores 9 1 Ultracentrífuga com refigeração 10 1 Banho de ultrasom 11 2 Capelas de exaustão 12 1 Balança semi-analítica 13 1 Agitador de tubo tipo vortex 14 2 Evaporador rotativo a vácuo com resfriador de líquidos 15 1 Ultra-purificador de água 16 3 Bombas de vácuo 17 1 Conjunto de extração em fase sólida 18 2 Computadores 19 1 Impressora laser colorida 20 3 Incubadoras do tipo BOD 21 2 Estabilizadores de 5 kva 22 1 Mesa agitadora orbital com timer Biblioteca * Caracterização do acervo da Biblioteca (número de livros): Caracterização do acervo da Biblioteca (número de livros): Áreas do CNPq Títulos Exemplares Ciências Exatas e da Terra Ciências Biológicas Ciências da Saúde Ciências Agrárias Ciências sociais Aplicadas Ciências Humanas Letras e Artes Total * Periódicos por área de conhecimento: Áreas Títulos Exemplares Ciências Exatas e Teccnológicas Ciências da Saúde e Agrária Ciências Humanas e Sociais Desde 2010, a UEMS passou a ter acesso ao portal de periódicos da CAPES. 4

5 Recursos de Informática Os laboratórios são equipados com computadores, com acesso a internet via cabo e/ou sem fio. Vale destacar que praticamente todos os alunos do PGRN das turmas de 2010 e possuem seus próprios computadores portáteis. Outras Informações O PGRN dispõe de uma sala exclusiva para suas atividades de aula e de defesa, equipada com internet sem fio e aparelho de ar condicionado. Um datashow fica à disposição dos docentes na secretaria do Programa. Para os trabalhos de campo, o PGRN dispõe de uma Toyota Bandeirantes, três camionetes (1 L-200 e 2 S-10), além de um veículo Kombi. Na Unidade de Naviraí está sendo construído um bloco para pesquisa de 315,95 m2, com recursos do FINEP aprovados em Edital CT-Infra 2008, no qual serão instalados os equipamentos do Laboratório de Recursos Naturais e Tecnologia Química. A obra teve início em fevereiro de 2012 com término previsto para o segundo semestre. Para a Unidade de Dourados, o PGRN tem aprovado pelo FINEP (Edital Ações Transversais Estruturante 2007 e CT-Infra 2008), e aguarda licitação, de duas grandes obras de edificação, as quais ampliarão significativamente as instalações do Programa. Nessas obras estão contemplados novos laboratórios de física, química, biologia e agronomia, e um anfiteatro para defesas de dissertação. Ainda com esses projetos serão adquiridos equipamentos para pesquisa de grandes portes, como cromatógrafos, espectrômetro de absorção atômica e difratômetro de raio-x, o qual será o primeiro do Estado de Mato Grosso do Sul. Atividades Complementares (Atividades dos Docentes fora do âmbito do Programa) Dentre as inúmeras atividades desenvolvidas pelos docentes do PGRN vale destacar que: - dez docentes atuam como consultores ad hoc em 48 periódicos indexados; - três docentes são Conselheiros da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia no MS (FUNDECT); - uma docente atua como avaliadora de cursos da área interdisciplinar na CAPES; - um docente é membro do Comitê de Ciência, Tecnologia e Inovação do Mato Grosso do Sul. - no total, os docentes do PGRN participaram em bancas de 37 Trabalho de Conclusão de Curso, 13 dissertações de mestrado e 5 de doutorado. Trabalhos em Preparação (Produção Bibliográfica, Técnica e Artística relevante e de longa duração) Até o presente momento (abril 2012), o PGRN já publicou ou teve aceito para publicação 19 artigos científicos, indicando que em 2012 a produção do grupo deverá ultrapassar o limite obtido em 2010 (29 artigos) e (30 artigos). Importante enfatizar que dois docentes que não haviam publicado em 2010 já tiveram artigos publicados em, sendo que apenas 1 docente ainda não publicou em 2010 e. Intercâmbios Institucionais (Atividades Conjuntas e Sistemáticas do Programa com seus Congêneres) Pesquisadores do PGRN possuem parcerias com pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Ilha Solteira, Rio Claro e Araraquara, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Universidade Estadual do Amazonas (UEAM) entre outras. Assim, ao longo do ano os docentes do PGRN tanto se deslocam para outras IES quanto recebem pesquisadores para realização de etapas em projetos conjuntos. Dentre os intercâmbios, vale destacar que em janeiro de, os docentes Sandro Marcio Lima e Luis Humberto da Cunha Andrade realizaram a última missão de pesquisa na França pelo convênio CAPES-COFECUB firmado entre a Universidade Estadual de Maringá e a Universidade Claude- Bernard Lyon-1. Nesse convênio os pesquisadores do PGRN ficaram responsáveis por analisar e caracterizar novos materiais luminescentes, do ponto de vista de suas propriedades ópticas e termo-ópticas, a fim de avaliar suas potencialidades como fontes alternativas para geração de luz branca. A idéia desse projeto foi encontrar um material que, além de consumir menos energia, não apresentasse resíduos nocivos ao meio ambiente. Em 31 de dezembro de 2010 completou-se quatro anos de convênio, de maneira que a equipe deve aguardar dois anos para apresentar uma nova proposta de continuidade, o que será feito em À época de aprovação dessa proposta, o PGRN não estava em funcionamento, de maneira que ele não aparece na proposta como instituição co-executora, o que provavelmente acontecerá na próxima submissão. Em 2010, o Pesquisador Rômulo Penna Scorza Junior aprovou um projeto no Programa Plataforma de Inovação Agropecuária Brasil-África, juntamente com os pesquisadores africanos Ekwe Dossa e Gbenonchi Mawussi, da Universidade de Lome, em Togo na África. Essa proposta foi uma das 6 aprovadas, em 66 propostas submetidas. O tema da pesquisa é voltado para os interesses do país africano, ficando a Embrapa no Brasil 5

6 como instituição colaboradora. Em, o pesquisador Rômulo realizou missão de pesquisa no país africano e está previsto para 2012, uma visita a Dourados pelos pesquisadores africanos. Auto Avaliação - Em quais pontos o programa precisa melhorar I) AUMENTAR O NÚMERO DE PROJETOS NUCLEADORES: O desenvolvimento de atividades multidisciplinares em projetos de pesquisa no programa foi melhorado com os projetos de mestrado que foram desenvolvidos em 2010 e, mas esse quesito ainda precisa ser melhorado. Como se verá no relatório, dos 34 projetos de mestrado desenvolvidos em 2010-, 59 % tiveram orientador e co-orientador de áreas disciplinares distintas. O grupo deverá se organizar para submeter a agências de fomento projetos nucleadores na medida em que os editais forem aparecendo. II) AUMENTAR O NÚMERO DE PESQUISADOR BOLSISTA NO CNPq: A meta para era aumentar em 75% o número de bolsistas do PGRN, mas infelizmente o índice não foi atingido e por isso permanece como meta. Apenas um docente foi contemplado com Bolsa de Extensão no País do CNPq nível C e 3 bolsistas PQ Nível 2 obtiveram renovação de suas bolsas, com uma progressão de nível 2 para 1D. Assim, o PGRN passou a ter 5 docentes bolsistas do CNPQ, sendo 3 PQ, 1 DT e 1 de extensão. Vale destacar que entre os docentes do Programa existe ao menos 5 com produtividade nos últimos anos comparável à dos docentes atualmente bolsistas, mas que por diferença de requisitos em áreas no CNPq eles não conseguem aprovar suas propostas. III) AUMENTAR O INTERCÂMBIO NACIONAL E INTERNACIONAL: Essa meta deverá ser mantida para os próximos anos embora já seja possível perceber ligeiro aumento no número de pesquisadores visitando o PGRN. Para 2012 já é certa a participação do PGRN em uma proposta CAPES/COFECUB para início em 2013, nos mesmos moldes da última parceria ( ). No momento estamos aguardando o resultado da proposta enviada à chamada MEC/MCTI/Capes/CNPq/Faps nº 61/ para trazermos um Pesquisador Visitante Especial francês para o Brasil. Essa proposta foi feita em parceria com os colaboradores da Universidade Estadual de Maringá. IV) AUMENTAR PARTICIPAÇÃO DOCENTE E DISCENTE EM EVENTOS CIENTÍFICOS: Em houve um aumento na participação docente e discente em eventos nacionais e internacionais, graças aos auxílios concedidos pelo PROAP-CAPES e também CNPq: houve participação em eventos nos Estados Unidos, México e Cuba. Assim, percebemos que a meta de crescimento ainda deva ser mantida para os próximos anos. V) AUMENTAR O NÚMERO DE SEMINÁRIOS NO PGRN: Precisamos continuar incentivando a participação dos nossos acadêmicos em seminários científicos. Em foram apresentados 11 seminários ao grupo com profissionais tanto da UEMS quanto de outras IES, como dos professores Arlindo Phillipi Junior (USP), Mauro Luciano Baesso (UEM) e Renata Guimarães Moreira (USP). Para os próximos anos pretendemos continuar promovendo essa oportunidade a toda comunidade UEMS. VI) AUMENTAR PARCERIAS COM EMPRESAS, PREFEITURAS E ÓRGÃOS DE CONTROLE: Avançamos em no quesito parceria com empresas: foi estabelecido um convênio entre UEMS/ANP/Petrobrás para início em O PGRN foi contemplado com 5 bolsas de mestrado por um período de 24 meses, cujo início já se deu em março de 2012, além de taxa de bancada no valor igual ao das bolsas concedidas. Dado o sucesso que esperamos atingir com essa primeira parceria empresarial, pretendemos continuar incentivando as parcerias nos próximos anos. VII) ATUALIZAR SITE DO PROGRAMA Precisamos melhorar ainda mais a agilidade de atualização do nosso site. Atualmente está sendo muito bom o vínculo estabelecido entre o PGRN e seus discentes através da internet, pois mantemos atualizado o link de notícias com horários de aulas e outras informações relevantes para o aluno. VIII) AGILIZAR EXECUÇÃO DE PROJETOS DE INFRAESTRUTURA Precisamos nos organizar para darmos maior agilidade na execução dos convênios já assinados e em andamento com agências de fomento Federal. Auto Avaliação - Pontos Fortes do Programa I) GRANDE NÚMERO DE BOLSAS: Atualmente, abril de 2012, o programa conta com 16 bolsas CAPES, 3 CNPq, 5 da Petrobrás e 4 do Programa Institucional de Bolsas aos Alunos de Pós-Graduação (PIBAP) da UEMS, totalizando 28 bolsas e 37 alunos matriculados (tirando os que já defenderam em fevereiro e março de 2012). Dos 9 alunos sem bolsa, 1 defenderá a dissertação em maio de 2012 e 8 possuem vínculo empregatício, de maneira que é possível afirmar que o PGRN possui 100% dos alunos matriculados sem vínculo empregatício recebendo bolsa. Em, a situação foi muito similar à atual: 19 bolsas CAPES, 2 CAPES-INAU-CNPq (vinculadas ao Instituto Nacional de Áreas Úmidas), 4 CNPq, 3 Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul) e 1 PIBAP. Entre os 34 matriculados em, 5 possuíam vínculo empregatício e 29 eram bolsistas, perfazendo então 100% de alunos com bolsa. II) ALTA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA DE INCENTIVO À PRODUÇÃO INSTITUCIONAL Os docentes do PGRN participam do Edital interno da UEMS para obterem auxílio financeiro para publicação de artigos científicos em periódicos indexados. Com o auxílio o docente pode divulgar seus trabalhos em eventos científicos nacionais e internacionais, bem como custear despesas correntes de suas pesquisas ou para correção de textos em inglês para publicação. Esta iniciativa institucional tem contribuído positivamente para a produção do grupo. III) ALTA PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS INSTITUCIONAIS: A UEMS tem proporcionado a participação dos seus Programas de Pós-Graduação em editais de infraestrutura do FINEP. Assim, todos os docentes do PGRN atualmente aguardam a aquisição de novos equipamentos para seus laboratórios, bem como a construção de novas edificações, com recursos já aprovados e liberados pelo FINEP: para a Unidade de Dourados, o PGRN aguarda licitação de duas grandes obras de edificação, contemplando novos laboratórios de física, química, biologia e agronomia, e um anfiteatro para defesas de dissertação; para a Unidade de Naviraí, está sendo construído um bloco para pesquisa de 315,95 m2, no qual serão instalados os equipamentos do Laboratório de Recursos Naturais e Tecnologia Química. No início de 2012, o PGRN participou da proposta institucional da UEMS submetida ao Edital CT-Infra do FINEP, solicitando a construção do Laboratório Multidisciplinar de Análise Espectroscópica (LAMAE) em Dourados (aproximadamente 140 m2) e a aquisição de equipamentos de grande porte como espectrofotômetros UV-Vis-NIR e IR, e espectrofluorímetro. Caso venha a ser aprovado, esse será o primeiro laboratório com perfil multiusuário da UEMS. Posto isso, a infra-estrutura do PGRN está se tornando bastante adequada e apropriada para o que se 6

7 espera de um Programa de Pós-Graduação conceituado junto a CAPES. IV) ALTA PROCURA PELO PGRN: Na seleção de 2010 para início em, o PGRN recebeu 80 inscrições para selecionar 15 candidatos, e de para 2012, outros 86 candidatos para 21 selecionados. Nesta última seleção, o número de alunos oriundo de outras IESschegou a 55% do total de inscritos. Dentre as instituições destacam-se as da região de Dourados e de outros estados, tais como, UNIOESTE - Cascavel, UTFPR - Medianeira, UNOESTE - Pres. Prudente, UFOP - Ouro Preto, UEM - Maringá, Universidade Estadual do Norte do Paraná e UFAM. Isto pode ser um reflexo da visibilidade do PGRN por meio de suas linhas de pesquisa. V) VÁRIOS DOCENTES ATUAM EM UMA MESMA DISCIPLINAS: Em, todas as disciplinas que compõem a grade curricular do Projeto Pedagógico foram ofertadas aos alunos, sendo que nove delas foram ofertadas por mais de um docente, procurando sempre abordar o mesmo tema por diferentes pontos de vista disciplinar. Essa metodologia de trabalho foi mais fortemente aplicada nas disciplinas obrigatórias. A fim de aproximar sempre os docentes e discentes do PGRN em projetos de pesquisa, favorecendo a (inter)multidisciplinaridade, foi realizada no primeiro semestre de 2010 a disciplina Seminários I, onde o coordenador do programa convocou todos os docentes a fazerem apresentações de suas pesquisas mais recentes. Com isso os discentes e docentes conseguiram traçar novos projetos em parcerias. VI) ÓTIMOS REQUISITOS PARA CONCLUSÃO DA DISSERTAÇÃO: Em regulamento do PGRN tem-se como requisito para a conclusão da dissertação que o aluno tenha ao menos submetido um artigo para publicação. Assim, espera-se sempre manter ao menos um artigo publicado para cada dissertação concluída, o que com certeza melhorará ainda mais a produtividade da equipe. VII) VÁRIOS PROJETOS COM CO-ORIENTAÇÃO Dos projetos desenvolvidos em referentes aos alunos da primeira e da segunda turma, 59% foram desenvolvidos com a participação de um coorientador, ou do próprio PGRN, ou da UEMS ou de outras instituições. Isso é positivo por proporcionar a interdisciplinariedade nos projetos, além de envolver docentes não pertencentes ao núcleo permanente com o perfil do PGRN. VIII) BOAS PARCERIAS INSTITUCIONAIS No ano passado foi firmado convênio com a Petrobrás e a Agência Nacional do Petróleo, o que proporcionou ajuda financeira para execução de projetos de pesquisa no tema Bioenergia e Gás Natural. Outro ponto forte que vale destacar é a participação de docentes do PGRN no Instituto Nacional de Áreas Úmidas (INAU), que envolve instituições de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. IX) BOM NÚMERO DE DOCENTES COM ALTA PRODUÇÃO CIENTÍFICA Calculando o índice de produção (IndProd) individual para, o PGRN tem 9 docentes com índice maior que 1,2 (limite mínimo para nota 5), 1 docente com índice entre 0,8 e 1,2 (intervalo para nota 4), um docente com índice entre 0,5 e 0,8 (intervalo para nota 3), e quatro com índice menor que 0,5. Ou seja, 67% do quadro tem produção equivalente a de programas com conceito 4 ou 5, isto sem levar em consideração, a publicação em capítulos de livros (2) e trabalhos em eventos (24). X) ALTA DIVERSIDADE DE INSTITUIÇÕES ONDE OS DOCENTES CONCLUIRAM O DOUTORADO O quadro de docentes do núcleo permanente em contou com 15 docentes, sendo esses egressos de 9 instituições de ensino superior diferentes e renomadas no Brasil, como UNICAMP, UNESP, USP, UFSC, UFSCar, UFSM e UFLA. XI) 100% DOS DOCENTES COMPÕEM O NÚCLEO PERMANENTE Dos 15 docentes cadastrados no Coleta de, 100% são do núcleo permanente do PGRN, com 50% do seu tempo dedicado ao Programa. XII) ALTA PARTICIPAÇÃO DOS DOCENTES EM ORIENTAÇÃO/AULA/PROJETO Todos os docentes do PGRN ou coordenam projetos de pesquisa com recursos externos à UEMS ou participam como colaboradores. Além disso, a participação de docentes no Instituto Nacional de Áreas Úmidas (INAU) e de projetos institucionais submetidos ao FINEP também merece ser destacado. Eles também atuaram em ministrando aula na pós-graduação e orientaram ou co-orientaram projetos de mestrado no PGRN e doutorado em outros Programas. O envolvimento em atividades didáticas na graduação e na pós-graduação corresponde a 20,3% das 40 horas trabalhadas na semana, o que na média é muito bom. Vale lembrar que apenas o Pesquisador Rômulo Scorza-Junior, que é da Embrapa, na atua em cursos de graduação. XIII) BOA DISTRIBUIÇÃO DE ORIENTAÇÃO Com os ingressantes em, a distribuição de orientação ficou na média 2,27 alunos por docente, sendo que 47% dos docentes se encontram entre 70 e 130% desse valor médio. Apenas um docente não possui orientando porque ainda não participou da seleção com oferta de vagas, uma vez que não pertencia ao núcleo permenente do PGRN. Ensino a Distância Não. Outras Informações Por um equívoco, não foi feito o lançamento do artigo completo em produção bibliográfica, entitulado "Prospecção de Plantas Medicinais para Controle do Carrapato dos Bovinos" no coleta referente ao ano-base 2010.Desta forma, justificamos a inclusão da produção citada nesta coleta (ano-base ). Críticas/Sugestões Críticas e sugestões sobre o aplicativo Críticas e sugestões sobre a Avaliação Produções mais Relevantes Produções Bibliográficas Nome da produção Autor 7

8 Chemical composition and anti-inflammatoryactivity of the essential oil of Schinus terebinthifolius Raddi (Anacardiaceae) fruits Determination of linuron in water and vegetable samples using stripping voltammetry with a carbon paste electrode Evaluation of Methods of Baiting Ants and Record of Associated Fungi Occurring in Hospitals in Mato Grosso do Sul, Brazil Spectroscopic properties, concentration quenching and laser investigations of Yb3+-doped calcium aluminosilicate glasses Patterns of species richness and composition of fish assemblages in streams of the Ivinhema River basin, Upper Paraná River Produções Técnicas Nome da produção High-Performance Liquid Chromatographic Quantification of Flavonoids naphthopyranones and xanthones in the Euriocaulaceae Identification and Analyse of Low Agrochemical concentration by Surface Enhance Raman Spectroscopy Fluorescência da clorofila a em plantas jovens de cana (Saccharum spp) submetidas ao alumínio e estresse hídrico Plasticidade adaptativa de Attalea phalerata em diferentes condições de luz Optical Properties of Ce3+/Eu2+,3+- Doped Low Silica Aluminosilicate Glasses for Tunable White Light Led Anelise S. N. Formagio Fabio de Lima Vanessa dos Santos Samúdio Yannick Guyot YZEL RONDON SÚAREZ Autor CLÁUDIA ANDREA LIMA CARDOSO FRANCYLAINE SILVA DE ALMEIDA Martios Ecco ANA LETICIA SARTORI XAVIER LUIS HUMBERTO DA CUNHA ANDRADE Solidariedade: Nucleação: Visibilidade: O PGRN possui endereço eletrônico (www.uems.br/pgrn) com informações sobre as linhas de pesquisa do programa, disciplinas, projetos em andamento, produtividade docente, disciplinas com ementas, regulamentação e informações sobre o processo seletivo. A inscrição do candidato é feita sempre pela internet, e os resultados de cada etapa do processo são divulgados no site. Conforme mencionado anteriormente, o Programa está com dificuldade de manter o site atualizado com informações dos pesquisadores, por isso ficou como meta melhorar a atualização do site em. 8

Laboratórios de Pesquisa da Biologia

Laboratórios de Pesquisa da Biologia Laboratórios de Pesquisa da Biologia 1 - Laboratório de Biologia e Ecologia Animal (B 1.01) Conta com um espaço físico de 12m x 12m (144m²) phmetro ou medidor de ph: é um aparelho usado para medição de

Leia mais

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016

Edital PIICT / CNPq / Fucapi 2015-2016 Fundação Centro de Análise Pesquisa e Inovação Tecnológica FUCAPI Faculdade Fucapi Instituto de Ensino Superior Fucapi Coordenação de Pesquisa CPESQ Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica

Leia mais

LABORATÓRIOS DA ÁREA DE QUÍMICA

LABORATÓRIOS DA ÁREA DE QUÍMICA LABORATÓRIOS DA ÁREA DE QUÍMICA Laboratórios de Química I, II, III, IV Localização: - Analítica - Bloco "M" 304 Área: 70,65 m² - Físico Química - Bloco M 303 Área: 95,48m² - Química Inorgânica - Bloco

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019 Agosto-2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

Leia mais

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 O MANUAL DE APOIO À PESQUISA DA UEMG... 4 3 OS PROGRAMAS... 4 3.1 Programas Financiados

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015

Plano Estratégico do Programa de Mestrado em Direito da UniBrasil PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 PLANO ESTRATÉGICO 2010 2015 MAPA ESTRATÉGICO DO PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITO DA UNIBRASIL MISSÃO Promover, desenvolver e publicar pesquisas de qualidade, com sólida base jurídica e contextualização

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PRIMEIROS PASSOS NA CIÊNCIA PROGRAMA INTEGRADO DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA ENSINO SUPERIOR E ENSINO MÉDIO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO I DOS OBJETIVOS E DA ESTRUTURAÇÃO GERAL DO MESTRADO Art.

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ M I NI S T É RI O DA EDUCAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UF PR ASSUNTO: Credenciamento do corso de pós-graduação em Ciências Biológicas,

Leia mais

Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha

Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha Edital 011 VV - 2015 Programa de Iniciação Científica - PIC Faculdade Estácio Vila Velha Artigo 1º - O Programa de Iniciação Científica - PIC tem por finalidade despertar o interesse e incentivar vocações

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE IVINHEMA

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE IVINHEMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL ASSESSORIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE IVINHEMA LINHA TEMÁTICA (PROBLEMAS )

Leia mais

COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5

COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5 COMISSÃO DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO SUPERIOR Parecer nº 856/2007 Processo UERGS nº 358/19.50/07.5 Reconhece o Curso Superior de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, desenvolvido, na Unidade de Novo

Leia mais

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015

COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - PPG-Mar PLANO NACIONAL DE TRABALHO 2012-2015 CIRM PSRM 180/ 120/8 9 COMITÊ EXECUTIVO PARA A FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM CIÊNCIAS DO MAR - 1.1. Apoiar, incentivar e promover a 1. Melhorar a qualificação do corpo qualificação do corpo docente da

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º -O Programa de Pós-Graduação do Centro Universitário de Brasília UniCEUB tem por objetivo a formação profissional em nível de especialização e destina-se a formar especialistas

Leia mais

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com Descritivo de produto Fornecedor www.velp.com Chapa c/ Aquecimento e Agitação Modelo AREC Chapa de aquecimento com agitação, com placa de aquecimento em cerâmica, extremamente resistente à corrosão e fácil

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica PPEE/UFJF EDITAL 001/2015 EDITAL 001/2015 PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD) DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA (PPEE-UFJF) EDITAL Nº 001/2015 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica

Leia mais

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com Descritivo de produto Fornecedor www.velp.com Termorregulador Digital - Modelo VTF Indicado para aplicações onde é exigido controle preciso de temperatura. DESCRIÇÃO O VTF é equipado com a Tecnologia de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE BRASILEIRA MULTIVIX-Vitória,

Leia mais

EDITAL 01/2014. Processo Seletivo - IV Programa de Iniciação Científica Faculdade de Engenharia de Minas Gerais - FEAMIG

EDITAL 01/2014. Processo Seletivo - IV Programa de Iniciação Científica Faculdade de Engenharia de Minas Gerais - FEAMIG EDITAL 01/014 Processo Seletivo - IV Programa de Iniciação Científica Faculdade de Engenharia de Minas Gerais - FEAMIG A FEAMIG Faculdade de Engenharia de Minas Gerais -, mantida pelo IECS - Instituto

Leia mais

2 DA ETAPA DE SELEÇÃO DOS ORIENTADORES

2 DA ETAPA DE SELEÇÃO DOS ORIENTADORES EDITAL 2014 Estabelece inscrições para o Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia Intensiva FATECI. O Diretor Geral da Faculdade de Tecnologia Intensiva FATECI, Prof. Clauder Ciarlini

Leia mais

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com

Descritivo de produto. Fornecedor. www.velp.com Descritivo de produto Fornecedor www.velp.com Agitador Magnético c/ Aquecimento Modelo HSC Agitador magnético com placa de cerâmica, durável e fácil de limpar. DESCRIÇÃO O agitador magnético com aquecimento

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012

COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PROIC BOLSA 1º/2012 FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS FUNORTE INSTITUTO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE - ICS FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA FASI COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC BOLSA

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - UESPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROP PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO Pesquisa e Pós-Graduação A Universidade Estadual

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Pato Branco Departamento Acadêmico de Informática

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Pato Branco Departamento Acadêmico de Informática O da Universidade Tecnológica Federal do Paraná,, no uso de suas atribuições legais, torna público o presente Edital e convida as discentes dos seus cursos de Engenharia de Computação e Tecnologia em Análise

Leia mais

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior)

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) A Pró-reitora de Pesquisa e Pós Graduação PROPPG, em conjunto com a Coordenação do Programa de Pós-graduação em Fitotecnia PPGF,

Leia mais

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL 1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL O Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais modalidade mestrado profissional

Leia mais

Planejamento Estratégico. Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR

Planejamento Estratégico. Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR Planejamento Estratégico Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR Visão Oferecer ensino de excelência em nível de Graduação e Pós-Graduação; consolidar-se como pólo

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA em conjunto

Leia mais

II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão.

II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão. II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão. A Direção Geral e Vice-direção Acadêmica juntamente com a Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012

COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 COMUNICADO n o 002/2012 ÁREA DE LETRAS E LINGUÍSTICA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Brasília, 22 de Maio de 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Letras e Linguística PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO

Leia mais

INTRODUÇÃO. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2006 Área de Avaliação: ARTES / MÚSICA

INTRODUÇÃO. Capes Critérios de Avaliação Trienal Triênio Avaliado 2004 2006 Área de Avaliação: ARTES / MÚSICA INTRODUÇÃO Os Critérios de Avaliação da área de Artes/Música estão consolidados a partir dos Documentos de Área resultantes da avaliação dos triênios 1998-2000 e 2001-2003 e dos Requisitos Mínimos para

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização

PÓS-GRADUAÇÃO I. Objetivos II. Modalidades Pós Graduação Stricto Sensu: Pós Graduação Lato Sensu: Especialização PÓS-GRADUAÇÃO O Programa de Pós Graduação Lato Sensu da FAEC foi aprovado pela Resolução do CAS, ATA 001/08, de 12 de março de 2008 e será implantado a partir do primeiro semestre de 2010, após aprovação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014. Aprova o Regulamento do Programa Casulo Sócio-Tecnológico de Apoio e Desenvolvimento em Gestão Social, Inovação e sustentabilidade. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES)

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2013/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE ARTES VISUAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE E CULTURA VISUAL Edital 01/2015

Leia mais

CRÉDITOS MÍNIMOS. 1. Do candidato ao grau de Mestre serão exigidos, no mínimo, 128 unidades de crédito, assim distribuídos:

CRÉDITOS MÍNIMOS. 1. Do candidato ao grau de Mestre serão exigidos, no mínimo, 128 unidades de crédito, assim distribuídos: NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA

Leia mais

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA VAGAS REMANESCENTES (PIBID/FAI 2014) EDITAL N O. 07/2014 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História

A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História A. Critérios para Avaliação e Aprovação de Cursos Novos de História 1. Apoio institucional. Clara manifestação de apoio por parte da IES proponente, expressa tanto no provimento da infraestrutura necessária,

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

I - Proposta do Programa

I - Proposta do Programa Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior SERVIÇO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE 04 Ano Base 01_02_03 SERVIÇO SOCIAL / ECONOMIA DOMÉSTICA CAPES Período de Avaliação: 01-02-03 Área

Leia mais

Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX

Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul Programa Institucional de Bolsas e Auxílios para Ações de Extensão. PIBAEX MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional

Leia mais

EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância

EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância EDITAL PROPP/AEAD/UAB-UEMS Nº 27/2014 Seleção De Tutores a Distância Especialização lato sensu em Educação Especial na modalidade a Distância A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL UEMS,

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UFRB PARA CURSO DE INGLÊS PARA O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (FAPESP 032/2012)

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UFRB PARA CURSO DE INGLÊS PARA O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (FAPESP 032/2012) SUPERINTENDÊNCIA PARA ASSUNTOS INTERNACIONAIS Telefone: +55 75-36215315 75-99727235; e-mail: gabi.assai@ufrb.edu.br EDITAL N. 01/2013 SUPAI - UFRB EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTUDANTES DA UFRB PARA CURSO DE

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 CHAMADA DE PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EXECUÇÃO: 19 DE ABRIL DE 2010 A 10 DE MAIO DE 2010

Leia mais

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular LICENCIATURA EM HISTÓRIA fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1

ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1 ORIENTAÇÃO AOS ALUNOS DE TURMAS ANTERIORES 2008.1 1.- Objetivos do Curso de Mestrado: a. Formação de professores para o magistério superior; b. Formação de pesquisadores; c. Capacitação para o exercício

Leia mais

UNIMEP Universidade Metodista de Piracicaba

UNIMEP Universidade Metodista de Piracicaba EDITAL 2S/2014 BOLSA DE ESTUDOS EDITA NORMAS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A BOLSA DE ESTUDOS PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NOS CURSOS DE DOUTORADO E MESTRADO O

Leia mais

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Anais do VIII ENEM Mesa Redonda 1 Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Tânia Maria Mendonça Campos - tania@pucsp.br A Pós-Graduação é a Unidade Universitária responsável pela formação de recurso

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I. COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) 1. A Comissão

Leia mais

Centro Institucional de Pesquisa

Centro Institucional de Pesquisa Centro Institucional de Pesquisa Edital do Programa de Iniciação Científica (PIC UNISANTA) 01/2014 Dispõe sobre as normas contidas no Edital processo de chamada de propostas de projetos de iniciação científica

Leia mais

13/8/2007. Universidade Federal da Paraíba CCEN DQ ENTRADA NO PROGRAMA

13/8/2007. Universidade Federal da Paraíba CCEN DQ ENTRADA NO PROGRAMA AVALIAÇÃO TRIENAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA CTC-QUÍMICA/CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA DQ/CCEN/UFPB Universidade Federal da Paraíba CCEN DQ MESTRADO ACADÊMICO (1986) DOUTORADO

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO I - II - III IV - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA

Leia mais

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do I. CONSIDERAÇÕES GERAIS ART. 1º - Este regulamento tem por objetivo orientar a apresentação, tramitação, aprovação, execução,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE EDITAL PROPEG Nº 010/2011 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA, INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA A A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Acre em associação

Leia mais

Universidade Federal de Lavras Pró-Reitoria de Pós-Graduação

Universidade Federal de Lavras Pró-Reitoria de Pós-Graduação Universidade Federal de Lavras Pró-Reitoria de Pós-Graduação EDITAL PRPG/UFLA N 011/2014 PRÓ-REITORIA ADJUNTA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL INTERNO DE SELEÇÃO DE OFERTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE PARANAÍBA

DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE PARANAÍBA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL ASSESSORIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS DIAGNÓSTICO DE FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES UNIDADE DE PARANAÍBA LINHA TEMÁTICA (PROBLEMAS)

Leia mais

CHAMADA INTERNA 40/2011 PRPGP-PROGRAD-SAI PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq - UFSM

CHAMADA INTERNA 40/2011 PRPGP-PROGRAD-SAI PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CNPq - UFSM Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Pró-Reitoria de Graduação Secretaria de Apoio Internacional CHAMADA INTERNA 40/ PRPGP-PROGRAD-SAI PROGRAMA

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular. Edital de seleção - 2013

Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular. Edital de seleção - 2013 Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas Área de concentração Biologia Celular e Molecular Edital de seleção - 2013 Mestrado Doutorado (primeira etapa para não egressos do programa) A Professora

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC VOLUNTARIO 2014-2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC VOLUNTARIO 2014-2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PROIC EDITAL PROIC VOLUNTARIO 2014-2015 A Coordenação de Pesquisa convida professores orientadores com títulos de especialista, mestre ou doutor e estudantes de graduação

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO E CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL No. 010/GPG/2015 A Universidade CEUMA, por meio

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração torna público o

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UNIFEI PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CRITÉRIOS E NORMAS A Coordenadora Institucional do Programa Institucional de

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU USJT REGULAMENTO INTERNO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA CEPE 04/12/2013 I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1 o O Curso de Mestrado do Programa

Leia mais

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2015-2016

Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2015-2016 Edital para seleção de orientadores e bolsistas de iniciação tecnológica e inovação para o período de 2015-2016 O Comitê Institucional dos Programas de Iniciação Científica (CIPIC) da Universidade Federal

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2015/2

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2015/2 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO MÓDULO EDITAL 2015/2 Abertura de Processo Seletivo para o Programa de Iniciação Científica do Universitário Módulo A Reitoria do Universitário

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq)

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq) PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS (CAPES-CNPq) EDITAL PROPEPG Nº 06 de 04 de Junho de 2013 A Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação vêm através deste Edital, divulgar no âmbito da Instituição

Leia mais

EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PROVIC

EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PROVIC CENTRO EDUCACIONAL NOSSA SENHORA AUXILIADORA INSTITUTOS SUPERIORES DE ENSINO DO CENSA CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01, DE 22 DE JUNHO DE 2015. PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA HIDRÁULICA E SANEAMENTO DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP I - COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora

Leia mais

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER (Anexo à Portaria nº 067, de 14 de setembro de 2005) CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER 1. Caracterização do Projeto Minter 1.1. Caracteriza-se como Projeto

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015 Regras Gerais do Edital n.º 01/2015: I. O recebimento dos Programas e Projetos

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUÍCHE EM PORTUGAL

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUÍCHE EM PORTUGAL PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUÍCHE EM PORTUGAL Tendo em vista a chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 113/2012,

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS

Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS EDITAL 1S/2016 BOLSA DE ESTUDOS EDITA NORMAS PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS A BOLSA DE ESTUDOS PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NOS CURSOS DE DOUTORADO E MESTRADO O

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 1. OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 A Diretora de Graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas

Leia mais

64 pontos não remunerada.

64 pontos não remunerada. UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL RESOLUÇÃO 001/2015 ESTABELECE PROCEDIMENTOS E PARÂMETROS AVALIATIVOS PARA PROGRESSÃO DE DOCENTES À CLASSE E PROFESSOR TITULAR ANEXO

Leia mais

MATERIAIS RECEBIDOS (2013)

MATERIAIS RECEBIDOS (2013) MATERIAIS RECEBIDOS (2013) DESTINATÁRIO GRUPO MATERIAL ESPECÍFICO VALOR UNIT. QTDE VALOR TOTAL MEDIDOR PORTATIL DE PH R$ 389,00 1 R$ 389,00 ESPECTROFOTOMETRO R$ 1.534,00 1 R$ 1.534,00 SALAS SALAS DE CAIXA

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO CAPITULO I DAS FINALIDADES Art. 1º - Os cursos de pós-graduação da UNIABEU são regidos pela Lei Federal 9394/96 Lei de Diretrizes

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL (ESTRUTURAS) DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP

NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL (ESTRUTURAS) DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP Normas do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (Estruturas) - EESC/USP 1 NORMAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL (ESTRUTURAS) DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DA USP I - COMPOSIÇÃO

Leia mais

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública

Curso Vagas Função. Executor (Perfis 1 e 2) 16 Orientador de TCC (Perfil 5) 20 Tutor Virtual. Administração Pública EDITAL Nº 01/2014. Seleção Pública para Professores Executores, Orientadores de TCC e Tutores Virtuais do Curso de Bacharelado em Administração Pública e Professores Executores do Curso de Licenciatura

Leia mais

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável.

Respeito ao meio ambiente, colocando o conhecimento científico adquirido a serviço da sociedade e permitindo o desenvolvimento sustentável. Coordenação do Curso de Engenharia Química da UFPR (CCEQ) Planejamento Estratégico 2012-2017 Apresentação: O curso de Engenharia Química da UFPR foi criado em 1954 pelo Decreto-Lei nº 6.489, assim completará

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PIC EDITAL N. º 01/2014 Convocação de Projetos de Pesquisa para Programa de Iniciação Científica Unitri A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão (PPPGE) torna público o presente Edital de âmbito

Leia mais

DADOS DO TRIÊNIO 2004-2006

DADOS DO TRIÊNIO 2004-2006 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Coordenador: Carlos Kleber Z. Andrade DADOS DO TRIÊNIO 2004-2006 www.unb.br/iq/pg PPG-IQ-UnB Criação Mestrado: 1974 (188

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3

CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 CAPES - ÁREA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA ÁREA 46 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA PROGRAMAS ACADÊMICOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CARACTERÍSTICAS DE UM PROGRAMA (MESTRADO) NOTA 3 Para obter nota

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

EDITAL Nº 025-DIREX/PIBIS/PIBEX, DE 14 DE JULHO DE 2015.

EDITAL Nº 025-DIREX/PIBIS/PIBEX, DE 14 DE JULHO DE 2015. EDITAL Nº 025-DIREX/PIBIS/PIBEX, DE 14 DE JULHO DE 2015. PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS UNIVERSITÁRIAS 2015/2016 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL - PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ABERTURA DE TURMA PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA PROFOP DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Diretoria de Graduação e Educação Profissional - DIRGRAD Departamento de Educação Campus XXXXXXX ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO

Leia mais

Instituições Nucleadoras. Instituições Associadas EDITAL 003/2014

Instituições Nucleadoras. Instituições Associadas EDITAL 003/2014 Instituições Nucleadoras Instituições Associadas EDITAL 003/2014 PROCESSO SELETIVO DE BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD) DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO MULTICÊNTRICO EM QUÍMICA DE MINAS GERAIS (PPGMQ-MG)

Leia mais