Manual Geral de Instalação, Operação e Manutenção de Motores Elétricos para Atmosferas Explosivas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual Geral de Instalação, Operação e Manutenção de Motores Elétricos para Atmosferas Explosivas"

Transcrição

1 Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Manual Geral de Instalação, Operação e Manutenção de Motores Elétricos para Atmosferas Explosivas Installation, Operation and Maintenance Manual of Electric Motors for Use in Explosive Atmospheres Manual General de Instalación, Operación y Mantenimiento de Motores Eléctricos para Atmosferas Explosivas --

2 Portuuês Enlish Español Motores Elétricos

3 Manual Geral de Instalação, Operação e Manutenção de Motores Elétricos para Atmosferas Explosivas Este manual apresenta informações referentes aos motores elétricos WEG de indução com rotor de aiola, com rotor de ímãs permanentes ou híbridos, de baixa e alta tensão, nas carcaças IEC a 0 e NEMA a 0/0, para utilização em áreas classificadas com os seuintes tipos de proteção: Seurança Aumentada Ex e ; Tipo de Proteção n Ex n ; À prova de Explosão Ex d e Ex de ; Proteção por invólucro (poeira combustível) Ex t e Ex td ; Classe I Divisão ; Classe I Divisão. Estes produtos estão de acordo com as seuintes normas, quando aplicáveis: NBR 0- (00): Máquinas Elétricas Girantes - Motores de Indução - Parte : Trifásicos NBR 0- (00): Máquinas Elétricas Girantes - Motores de Indução - Parte : Monofásicos IEC 00- (00): Rotatin Electrical Machines - Part : Ratin and Performance NEMA MG (00): Motors and Generators EN / IEC 00-0 (00): Explosive Atmospheres Part 0: Equipment - General Requirements NBR IEC 00-0 (00): Atmosferas Explosivas - Equipamentos - Requisitos Gerais EN / IEC 00- (00): Explosive Atmospheres Part : Equipment protection by flameproof enclosures d NBR IEC 00- (00): Proteção de Equipamento por Invólucro à Prova de Explosão d EN / IEC 00- (00): Explosive Atmospheres Part : Equipment protection by increased safety e NBR IEC 00- (00): Proteção de Equipamentos por Seurança Aumentada e EN / IEC 00- (00): ): Explosive Atmospheres Part : Equipment protection by type of protection n NBR IEC 00- (00): Construção, Ensaio e Marcação de Equipamentos Elétricos com Tipo de Proteção n EN / IEC 00- (00): Explosive Atmospheres Part : Equipment dust inition protection by enclosure t IEC -0 (00): Electrical apparatus for use in the presence of combustible dust - Part 0: General requirements NBR IEC -0 (00): Equipamentos Elétricos para Utilização em Presença de Poeira Combustível - Parte 0: Requisitos Gerais NBR IEC - (00): Equipamentos Elétricos para Utilização em Presença de Poeira Combustível - Parte : Proteção por Invólucros td UL (00) Electric Motors and Generators for Use in Division Hazardous (Classified) Locations CSA C. N () Motors and Generators for Use in Hazardous Locations CSA C. N 0 () - Explosion-Proof Enclosures for Use in Class I Hazardous Locations CSA C. N () - Non-Incendive Electrical Equipment for Use in Class I, Division Hazardous Locations Informações sobre classificação de áreas e seurança são encontradas, quando aplicável, nas seuintes normas: EN / IEC (00): Classification of areas - Explosive as atmospheres ABNT NBR IEC (00): Classificação de áreas - Atmosferas explosivas de ás EN/ IEC (00): Classification of areas - Combustible dust atmospheres EN / IEC 00- (00): Electrical installations desin, selection and erection NBR IEC 00- (00): Projeto, Seleção e Montaem de Instalações Elétricas EN / IEC 00- (00): Electrical installations inspection and maintenance NBR IEC 00- (00): Inspeção e Manutenção de Instalações Elétricas EN / IEC 00- (00): Equipment repair, overhaul and reclamation NBR IEC 00- (00): Reparo, Revisão e Recuperação de Equipamentos Em caso de dúvidas sobre a aplicabilidade deste manual, contate a WEG. Motores Elétricos

4 ÍNDICE. DEFINIÇÕES. RECOMENDAÇÕES INICIAIS 0.. SINAL DE ADVERTENCIA VERIFICAÇÃO NO RECEBIMENTO..... PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO.... SEGURANÇA. MANUSEIO E TRANSPORTE.. IÇAMENTO Motores horizontais com um olhal de içamento Motores horizontais com dois ou mais olhais de içamento Motores verticais Procedimento para colocação de motores W na posição vertical Procedimento para colocação de motores HGF na posição vertical PROCEDIMENTO PARA TOMBAMENTO DE MOTORES W VERTICAIS.... ARMAZENAMENTO PORTUGUÊS.. SUPERFÍCIES USINADAS EXPOSTAS..... EMPILHAMENTO..... MANCAIS..... Mancais de rolamento lubrificados a raxa..... Mancais de rolamento com lubrificação a óleo..... Mancais de rolamento com lubrificação do tipo Oil Mist..... Mancais de deslizamento..... Resistência de Isolamento Procedimento para medição da resistência de isolamento.... INSTALAÇÃO.. FUNDAÇÕES PARA O MOTOR..... FIXAÇÃO DO MOTOR Fixação pelos pés Fixação por flane Fixação por pad..... BALANCEAMENTO..... ACOPLAMENTOS Acoplamento direto Acoplamento por enrenaem Acoplamento por polias e correias Acoplamento de motores equipados com mancais de deslizamento..... NIVELAMENTO..... ALINHAMENTO..... CONEXÃO DE MOTORES LUBRIFICADOS A ÓLEO OU DO TIPO OIL MIST..... CONEXÃO DO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO À ÁGUA..... CONEXÃO ELÉTRICA CONEXÃO DOS DISPOSITIVOS DE PROTEÇÃO TÉRMICA..... TERMORRESISTORES (PT-00)..... CONEXÃO DA RESISTÊNCIA DE AQUECIMENTO..... MÉTODOS DE PARTIDA..... MOTORES ALIMENTADOS POR INVERSOR DE FREQUÊNCIA... Motores Elétricos

5 Uso de filtros (dv/dt) Motor com fio circular esmaltado Motor com bobina pré-formada Isolamento dos Mancais Frequência de Chaveamento Limite da rotação mecânica.... OPERAÇÃO.. PARTIDA DO MOTOR..... CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO Limites da severidade de vibração.... MANUTENÇÃO.. INSPEÇÃO GERAL..... LUBRIFICAÇÃO Mancais de rolamento lubrificados a raxa Motores sem raxeira Motores com raxeira Compatibilidade da raxa Mobil Polyrex EM com outras raxas Mancais de rolamento lubrificados a óleo Mancais de rolamento com lubrificação do tipo Oil Mist Mancais de deslizamento..... DESMONTAGEM E MONTAGEM Caixa de liação..... Procedimento para adequação da Resistência de Isolamento..... Partes e peças.... INFORMAÇÕES AMBIENTAIS PORTUGUÊS.. EMBALAGEM..... PRODUTO PROBLEMAS X SOLUÇÕES. TERMO DE GARANTIA. DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE CE. CERTIFICADOS 0 Motores Elétricos

6 DEFINIÇÕES Área classificada: área na qual uma atmosfera explosiva está presente, ou pode estar presente, em quantidades tais que requerem precauções especiais para projeto, fabricação, instalação, inspeção e manutenção de equipamentos elétricos. [IEC 000 IEV number -0-0] Área seura: área na qual não é esperada ocorrência de uma atmosfera explosiva, em quantidades tais que requeiram precauções especiais para a construção, instalação e uso de equipamentos elétricos. [IEC 000 IEV number -0-0] Atmosfera explosiva: mistura com ar, sob condições atmosféricas, de substâncias inflamáveis na forma de ás, vapor, poeira, fibras ou partículas em suspensão, as quais, após a inição, permitem a propaação autossustentada. [IEC 000 IEV number -0-0] Balanceamento: procedimento pelo qual a distribuição de massa de um corpo é verificada e, se necessário, ajustada para arantir que o desbalanceamento residual ou as vibrações e forças nos mancais na frequência de rotação mecânica estejam dentro de limites especificados nas normas internacionais. Classe de temperatura: máxima temperatura superficial do equipamento. São definidos os seuintes valores: PORTUGUÊS Classe de temperatura Máxima Temperatura IEC NEC Superficial ( C) T T 0 T T 00 - TA 0 - TB 0 - TC 0 - TD T T 00 - TA 0 - TB - TC 0 T T - TA 0 - T 00 - T [IEC 000 IEV number -0-0] Equipamento simples: componente elétrico ou combinação de componentes de construção simples, com parâmetros elétricos bem definidos, compatíveis com a seurança intrínseca do circuito no qual são utilizados. Exemplo: sensores de temperatura. [IEC 000 IEV number --0] Ex d Invólucro à Prova de Explosão: tipo de proteção no qual as partes que podem causar inição de uma atmosfera explosiva de ás ou vapor são montadas no interior de um invólucro capaz de resistir à pressão desenvolvida durante uma explosão da mistura explosiva no interior do invólucro e não propaar os ases quentes oriundos desta explosão para a atmosfera explosiva. [IEC 000 IEV number -0-0] Ex e - Seurança Aumentada: tipo de proteção empreada em equipamentos elétricos aos quais medidas adicionais são aplicadas de modo a ampliar a seurança do equipamento em relação à possibilidade de ocorrência de temperaturas excessivas, arcos elétricos e centelhas em serviço normal ou sob condições anormais especificadas. Motores Elétricos

7 [IEC 000 IEV number -0-0] Ex n Tipo de proteção n : tipo de proteção aplicada a equipamentos elétricos que, em operação normal e em certas condições anormais especificadas, o equipamento não seja capaz de provocar inição em uma atmosfera explosiva ao seu redor. [IEC 000 IEV number --0] Ex t - Proteção por Invólucro: tipo de proteção para atmosfera explosiva de poeira, onde o invólucro é proteido contra a penetração de poeira e a temperatura superficial máxima é limitada. [IEC 00- item.] Grau de balanceamento: indica a amplitude de pico da velocidade de vibração, expressa em mm/s, de um rotor irando livre no espaço e é produto de um desbalanceamento específico e a velocidade anular do rotor na velocidade máxima de operação. Grupos de ases: são subdivididos de acordo com a natureza da atmosfera explosiva para o qual é destinado: Grupo I: minas de carvão suscetíveis ao ás risu (metano). Grupo II: locais não suscetíveis ao ás risu. São subdivididos em: Grupo IIA (IEC) / D (NEC): propano, acetona, butano, ás natural, asolina, álcool etílico, álcool metílico, benzeno, etc. Grupo IIB (IEC) / C (NEC): etileno, ciclopropano, butadieno -, etc. Grupo IIC (IEC): hidroênio, acetileno, etc. Grupo B (NEC): hidroênio. Grupo A (NEC): acetileno. Grupos de poeira: são subdivididos em (com exceção das minas suscetíveis ao risu): Grupo IIIA (IEC): fibras combustíveis / partículas suspensas combustíveis - partículas sólidas, incluindo fibras, maiores do que 00 μm Grupo IIIB (IEC): poeiras não condutoras / não condutivas - partículas sólidas de 00 μm ou menores, com resistividade elétrica 0³ Ω.m Grupo IIIC (IEC): poeiras condutoras / condutivas - partículas sólidas de 00 μm ou menores, com resistividade elétrica > 0³ Ω.m Grupo E (NEC): poeiras metálicas combustíveis, por exemplo: alumínio, manésio e suas lias comerciais Grupo F (NEC): poeiras de carvão com mais de % de liações voláteis Grupo G (NEC): outros tipos de poeira não incluídos nos rupos E e F como: farinha, rãos, madeira, plástico, materiais químicos, etc. PORTUGUÊS Juntas de passaem de chama: local onde as superfícies sobrepostas de duas partes de um invólucro, ou as partes de encaixe em comum dos invólucros, são montadas de modo a prevenir a transmissão de um explosão interna para uma atmosfera explosiva de ás ou vapor que circunda o invólucro. [IEC 000 IEV number -0-0] Nível de proteção EPL: nível de proteção atribuído ao equipamento baseado em sua probabilidade de se tornar uma fonte de inição e distinuindo as diferenças entre atmosfera explosiva de ás, atmosfera explosiva de poeira e atmosfera explosiva em minas susceptíveis a risu. São classificados em: Ga: equipamento para atmosferas explosivas de ás, com nível de proteção muito alto, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação, durante falhas esperadas ou durante falhas raras. Gb: equipamento para atmosferas explosivas de ás, com nível de proteção alto, que não sejam uma fonte de inição em condição normal de operação, durante falhas esperadas. Exemplos: motores Ex d para rupo II e Ex e. Gc: equipamento para atmosferas explosivas de ás, com nível de proteção elevado, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação. Exemplo: motores Ex n. Da: equipamento para atmosferas explosivas de poeira, com nível de proteção muito alto, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação, durante falhas esperadas ou durante falhas raras. Db: equipamento para atmosferas explosivas de poeira, com nível de proteção alto, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação, durante falhas esperadas. Exemplos: motores Ex tb. Dc: equipamento para atmosferas explosivas de poeira, com nível de proteção elevado, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação. Exemplo: motores Ex tc. Motores Elétricos

8 Ma: equipamento para a instalação em uma mina de carvão sujeita a risu (ás metano), com nível de proteção muito alto, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação, durante falhas esperadas ou falhas raras, mesmo quando enerizados na presença de um vazamento de ás. Mb: equipamento para a instalação em uma mina de carvão sujeita a risu (ás metano), com nível de proteção alto, que não seja uma fonte de inição em condição normal de operação ou durante falhas esperadas, no período de tempo entre ocorrer um vazamento de ás e o equipamento ser desenerizado. Exemplo: motores Ex d para rupo I. [IEC 00-0 item.] Parte aterrada: partes metálicas eletricamente conectadas ao sistema de aterramento. Parte viva: Condutor ou parte condutora destinada para ser enerizada em condições normais de uso, incluindo o condutor neutro. Pessoal autorizado: trabalhador que tem anuência formal da empresa. Pessoal capacitado: trabalhador que atenda as seuintes condições, simultaneamente: receba capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional habilitado e autorizado; trabalhe sob responsabilidade de profissional habilitado e autorizado. Nota: A capacitação só é válida para a empresa que o capacitou e nas condições estabelecidas pelo profissional habilitado e autorizado responsável pela capacitação. Pessoal habilitado: trabalhador previamente qualificado e com reistro no conselho de classe competente. PORTUGUÊS Pessoal qualificado: trabalhador que comprovar conclusão de curso específico na área elétrica pelo sistema oficial de ensino. Símbolo X : indica condições especiais de instalação, utilização e manutenção do equipamento. Estas condições estão descritas no certificado. [IEC 000 IEV number -0-] Tempo t E : tempo, em seundos, necessário para que o enrolamento do estator ou do rotor alimentados em corrente alternada, aqueça até atinir sua temperatura-limite, quando submetido à corrente de partida inicial I A, a partir da temperatura de equilíbrio em reime nominal e à temperatura ambiente máxima. Ver Fiura. Leenda θ - temperatura A - temperatura ambiente mais alta permitida B - temperatura em serviço C - temperatura limite t - tempo - elevação de temperatura em serviço nominal - elevação de temperatura durante o ensaio de rotor bloqueado Fiura.: Tempo t E Motores Elétricos

9 [IEC 000 IEV number -0-0] Tipo de proteção: conjunto de medidas específicas aplicadas aos equipamentos elétricos para evitar a inição de uma atmosfera explosiva ao seu redor. [IEC 000 IEV number -0-0] Zonas: áreas classificadas são divididas em zonas, baseadas na frequência da ocorrência e na duração de uma atmosfera explosiva. Zona 0 (IEC) / Classe I Div (NEC): área na qual uma atmosfera explosiva de ás ou vapor está presente continuamente, por lonos períodos ou frequentemente. [IEC 000 IEV number -0-0] Zona (IEC) / Classe I Div (NEC): área na qual uma atmosfera explosiva de ás ou vapor pode estar presente eventualmente em condições normais de operação. [IEC 000 IEV number -0-0] Zona (IEC) / Classe I Div (NEC): área na qual não se espera que uma atmosfera explosiva de ás ou vapor ocorra em operação normal, mas, porém, se ocorrer, permanece somente por um curto período de tempo. [IEC 000 IEV number -0-0] Zona 0 (IEC) / Classe II Div (NEC): área na qual uma atmosfera explosiva, na forma de uma nuvem de poeira combustível no ar, está presente continuamente, por lonos períodos ou frequentemente. [IEC 000 IEV number -0-] Zona (IEC) / Classe II Div (NEC): área na qual uma atmosfera explosiva, na forma de uma nuvem de poeira combustível no ar, pode estar presente eventualmente em condições normais de operação. [IEC 000 IEV number -0-] PORTUGUÊS Zona (IEC) / Classe II Div (NEC): área na qual na qual não se espera que ocorra uma atmosfera explosiva em operação normal, na forma de uma nuvem de poeira combustível no ar, porém, se ocorrer permanece somente por um curto período de tempo. [IEC 000 IEV number -0-] Motores Elétricos

10 RECOMENDAÇÕES INICIAIS Os motores para áreas classificadas são especialmente projetados para atender às reulamentações oficiais referentes aos ambientes em que estão instalados. Uma aplicação inadequada, conexão errada ou outras alterações, por menores que sejam, podem colocar em risco a confiabilidade do produto. Motores elétricos possuem circuitos enerizados, componentes irantes e superfícies quentes durante sua operação normal que podem causar danos às pessoas. Dessa forma, todas as atividades relacionadas ao seu transporte, armazenaem, instalação, operação e manutenção devem ser realizadas por pessoal capacitado. Devem ser observadas as normas e procedimentos vientes no país de instalação. A não observação das instruções indicadas neste manual pode resultar em sérios danos pessoais e materiais e anular a arantia do produto. Neste manual não são apresentadas todas as informações detalhadas sobre possíveis variantes construtivas e nem considerados todos os casos de montaem, operação ou manutenção. Este documento contém informações necessárias para que pessoas capacitadas possam executar o serviço. As imaens apresentadas são meramente ilustrativas, não representado o tipo de proteção do motor. Deve ser respeitado o tipo de proteção e o nível de proteção de equipamento (EPL) indicado na placa de identificação do motor, de acordo com a classificação da área, onde o motor será instalado. Qualquer componente adicionado ao motor pelo usuário, como por exemplo, prensa-cabos, tampão, encoder, etc., deve atender o tipo de proteção, o EPL e o rau de proteção do motor, de acordo com as normas indicadas no certificado do produto. PORTUGUÊS O símbolo X junto ao número do certificado, informado na placa de identificação do motor, indica que o mesmo requer condições especiais de instalação, utilização e/ou manutenção do equipamento, sendo estas descritas no certificado. A não observação destes requisitos compromete a seurança do produto e da instalação. Para motores utilizados para extração de fumaça (Smoke Extraction Motors), consultar adicionalmente as instruções do manual 00 (inlês) disponível no website Para operação de motores com freio, consultar as informações do manual do motofreio WEG (portuuês) / 000 (inlês) ou motofreio Intorq 000 (portuuês) / 00 (inlês) disponíveis no website Para informações sobre caras radias e axiais admissíveis no eixo consultar o catáloo técnico do produto. A correta classificação da área de instalação e a definição das características do ambiente e da aplicação é de responsabilidade do usuário. Durante o período de arantia do motor, os serviços de reparo, revisão e recuperação devem ser realizados por Assistentes Técnicos Autorizados WEG para Atmosfera Explosiva, para asseurar a continuidade do termo de arantia... SINAL DE ADVERTENCIA Advertência sobre seurança e arantia. 0 Motores Elétricos

11 VERIFICAÇÃO NO RECEBIMENTO Todos os motores são testados durante o processo de fabricação. No recebimento do motor, verificar se ocorreram danos durante o transporte. Na ocorrência de qualquer dano, reistrar por escrito junto ao aente transportador, e comunicar imediatamente a companhia seuradora e a WEG. A não comunicação pode resultar no cancelamento da arantia. Deve-se realizar uma inspeção completa no produto: Verificar se os dados contidos na placa de identificação estão de acordo com o pedido de compra. Atenção especial deve ser dada ao tipo de proteção e/ou EPL do motor; Remover os dispositivos de travamento de eixo (caso existam) e irar manualmente o eixo para verificar se o mesmo ira livremente. Asseurar que o motor não tenha sido exposto à poeira e umidade excessiva durante o transporte. Não remover raxa de proteção da ponta do eixo, nem os tampões que fecham os furos da caixa de liação, caso existam. Estes itens de proteção devem ser mantidos até que a instalação completa seja concluída... PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO A placa de identificação contém as informações que descrevem as características construtivas e o desempenho do motor. Nas Fiura, Fiura, Fiura e Fiura são apresentados exemplos dos leiautes das placas de identificação. PORTUGUÊS Motores Elétricos

12 PORTUGUÊS Fiura. Placa de identificação de motor IEC. Fiura. Placa de identificação de motor NEMA. Motores Elétricos

13 Fiura. - Placa de identificação de motor para bomba de combustível. Fiura. - Placa de identificação de motor HGF. Número Símbolo Característica Códio do motor (material SAP) ~ Número de fases V Tensão nominal de operação (V) REG. / DUTY Reime de serviço REND. / NOM. EFF. / EFF. Rendimento (%) CARC. / FRAME Modelo da carcaça IP Grau de proteção ISOL. / INSL. / INS.CL. Classe de isolamento T Elevação de Temperatura (K) 0 Hz Frequência (Hz) kw (HP-cv) / kw / HP Potência (kw / HP / cv) RPM / min- Rotação nominal por minuto (RPM) A Corrente nominal de operação (A) F.P / P.F Fator de potência AMB. Temperatura ambiente ( C) F.S. / S.F. Fator de serviço ALT. Altitude (m.a.n.m. / m.a.s.l.) k / lb / WEIGHT Massa (k / lb) Especificação do rolamento dianteiro e quantidade de raxa 0 Especificação do rolamento traseiro e quantidade de raxa Tipo de raxa utilizada nos rolamentos Intervalo de relubrificação do motor (h) Esquema de liação Área Classificada / Tipo de Proteção / Certificação) IA/IN / IP/IN Relação da corrente de partida/corrente nominal CAT. / DES. Cateoria de conjuado I.F.S. / S.F.A. Corrente no fator de serviço (A) Número de Série PORTUGUÊS Os certificados do produto podem ser obtidos junto a WEG. Entre em contato com o escritório WEG mais próximo. Motores Elétricos

14 Marcação de motores destinados para atmosfera explosiva: o sistema de marcação é indicado de acordo com as normas aplicáveis para cada tipo de proteção: Equipamento Ex Ex Marcação conforme IEC Tipo de proteção Grupo do ás ou poeira Classe de temperatura Nível de proteção EPL na II T Gc e II T IIB d IIC Gb T IIB de IIC tc IIIB Dc T C tb IIIC Db d I T Mb * Outras classes de temperatura estão disponíveis sob consulta. Marcação conforme NEC Classe Divisão ou Zona Grupo do ás ou poeira Classe de temperatura Class I Div. Gr. C and D T Class II Div. Gr. E, F and G T Class I Zona IIB T Class II Zona IIIC T C Class II Zona IIIB T C Class I Div Gr. A, B, C and D T PORTUGUÊS * Outras classes de temperatura estão disponíveis sob consulta. Grupo do Equipamento Cateoria do Equipamento Gás, Poeira ou Mina Marcação conforme ATEX Equipamento Ex Tipo de proteção Grupo do ás ou poeira Classe de temperatura Nível de proteção EPL na II T Gc e II T II IIB G d IIC Gb T Ex IIB de IIC tc IIIB Dc D T C tb IIIC Db I M d I T Mb * Outras classes de temperatura estão disponíveis sob consulta. Motores Elétricos

15 SEGURANÇA Durante a instalação e manutenção, os motores devem estar desconectados da rede, estar completamente parados e cuidados adicionais devem ser tomados para evitar partidas acidentais. Os profissionais que trabalham em instalações elétricas, seja na montaem, na operação ou na manutenção, devem utilizar ferramentas apropriadas e serem instruídos sobre a aplicação das normas e prescrições de seurança, inclusive sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), que devem ser cuidadosamente observados. Motores elétricos possuem circuitos enerizados, componentes irantes e superfícies quentes durante sua operação normal que podem causar danos às pessoas. Dessa forma, todas as atividades relacionadas ao seu transporte, armazenaem, instalação, operação e manutenção devem ser realizadas apenas por pessoal capacitado. PORTUGUÊS Motores Elétricos

16 MANUSEIO E TRANSPORTE Motores embalados individualmente não devem ser içados pelo eixo ou embalaem, mas sim pelo(s) olhal(is) de içamento (quando existentes) e com dispositivos adequados. Os olhais de içamento são dimensionados para suportar apenas a massa do motor indicada na placa de identificação. Motores fornecidos em pallets devem ser içados pela base do pallet. Em nenhuma circunstância, a embalaem deve ser tombada. Não utilizar os olhais de içamento para suspender o motor em conjunto com outros equipamentos, como por exemplo: bases, polias, ventiladores, bombas, redutores, etc. Olhais danificados, por exemplo, com trincas, deformações, etc, não devem ser utilizados. Verificar suas condições antes de utilizá-los. Os olhais de içamento em componentes como tampas, kit de ventilação forçada, entre outros, devem ser utilizados somente para o içamento destes componentes de maneira isolada e nunca do motor completo. Toda a movimentação deve ser realizada de forma suave, sem impactos, caso contrário os rolamentos podem ser danificados bem como os olhais serem expostos a esforços excessivos, podendo provocar o rompimento dos olhais. Os dispositivos de travamento do eixo (utilizados para proteção durante o transporte), em motores com rolamentos de rolos ou contato anular, devem ser utilizados para todo e qualquer transporte do motor, mesmo que isso requeira o desacoplamento da máquina acionada. Todos os motores HGF, independentemente do tipo de mancal, devem ter seu rotor travado para transporte. PORTUGUÊS.. IÇAMENTO Antes de iniciar qualquer processo de içamento, certificar-se que os olhais estejam adequadamente fixos, totalmente parafusados e com sua base em contato com a superfície a ser içada, conforme Fiura.. A Fiura. exemplifica o uso incorreto. Certificar-se de que o equipamento utilizado no içamento e suas dimensões sejam adequados ao tamanho do olhal e da massa do motor. Fiura. Maneira correta de fixação do olhal de içamento. Fiura. Maneira incorreta de fixação do olhal de içamento Motores Elétricos

17 ... Motores horizontais com um olhal de içamento Para motores com um olhal de içamento, o ânulo máximo resultante durante o processo de içamento não poderá exceder 0 em relação ao eixo vertical, conforme Fiura.. 0 Max. Fiura. Ânulo máximo resultante para motores com um olhal de içamento.... Motores horizontais com dois ou mais olhais de içamento Para motores que possuem dois ou mais olhais para o içamento, todos os ollhais fornecidos devem ser utilizados simultaneamente para o içamento. Existem duas disposições de olhais possíveis (verticais e inclinados), conforme apresentadas a seuir: Motores com olhais verticais, conforme Fiura., o ânulo máximo resultante deve ser de em relação ao eixo vertical. Recomenda-se a utilização de uma barra separadora (spreader bar), para manter o elemento de içamento (corrente ou cabo) no eixo vertical e evitando danos à superfície do motor. Máx. PORTUGUÊS Fiura. Ânulo máximo resultante para motores com dois ou mais olhais de içamento. Para motores HGF, conforme Fiura., o ânulo máximo resultante deve ser de 0 em relação ao eixo vertical. 0 Máx. Fiura. Ânulo máximo resultante para motores HGF horizontais. Motores Elétricos

18 Motores com olhais inclinados, conforme Fiura., é necessária a utilização de uma barra separadora (spreader bar), para manter o elemento de içamento (corrente, cabo, etc.) no eixo vertical e assim também evitar danos à superfície do motor. Fiura. Uso de barra separadora no içamento.... Motores verticais Para motores verticais, conforme Fiura., é necessária a utilização de uma barra separadora (spreader bar), para manter o elemento de içamento (corrente, cabo) no eixo vertical e assim também evitar danos à superfície do motor. PORTUGUÊS Fiura. Içamento de motores verticais. Utilizar sempre os olhais que estão dispostos na parte superior do motor em relação à posição de montaem e diametralmente opostos. Ver Fiura.. Fiura. Içamento de motores HGF. Motores Elétricos

19 Procedimento para colocação de motores W na posição vertical De forma eral, por questões de seurança durante o transporte, os motores verticais são embalados e fornecidos na posição horizontal. Para a colocação de motores W com olhais inclinados (ver Fiura.) na vertical, devem ser seuidos os passos abaixo:. Certificar-se que os olhais estão adequadamente fixos, conforme Fiura.;. Remover o motor da embalaem, utilizando os olhais superiores, conforme Fiura.; Fiura. Remoção do motor da embalaem.. Instalar o seundo par de olhais, conforme Fiura.0; PORTUGUÊS Fiura.0 Instalação do seundo par de olhais.. Reduzir a cara sobre o primeiro par de olhais para iniciar a rotação do motor, conforme Fiura.. Esse procedimento deve ser realizado de forma lenta e cautelosa. Fiura. Resultado final: motor posicionado na vertical. Motores Elétricos

20 Procedimento para colocação de motores HGF na posição vertical Os motores verticais HGF são fornecidos com oito pontos de içamento, sendo quatro na parte dianteira e quatro na parte traseira e eralmente são transportados na posição horizontal, mas para a instalação precisam ser colocados na posição vertical. Para a colocação de motores HGF na posição vertical, devem ser seuidos os passos abaixo:. Levantar o motor através dos quatro olhais laterais, utilizando duas talhas, ver Fiura.; Fiura. Içamento do motor HGF utilizando duas talhas.. Baixar a talha que está presa à parte dianteira do motor e ao mesmo tempo levantar a talha que está presa no lado traseiro do motor até que o motor atinja o equilíbrio, ver Fiura.. PORTUGUÊS Fiura. - Colocação de motor HGF na vertical.. Soltar a talha presa na parte dianteira do motor e irar o motor 0 para possibilitar a fixação da talha solta nos outros dois olhais da parte traseira do motor, ver Fiura.. Fiura. Suspensão de motor HGF pelos olhais traseiros. 0 Motores Elétricos

21 Fixar a talha solta nos outros dois olhais da parte traseira do motor e levantá-la até que o motor fique na posição vertical, ver Fiura.. Fiura. - Motor HGF na posição vertical. Estes procedimentos servem para movimentação de motores construídos para a montaem na posição vertical. Estes mesmos procedimentos podem ser utilizados para a colocação do motor da posição horizontal para a posição vertical e vice-versa... PROCEDIMENTO PARA TOMBAMENTO DE MOTORES W VERTICAIS Para realizar o tombamento de motores W oriinalmente na vertical, sia os passos mostrados abaixo:. Certificar-se que os olhais estão adequadamente fixos, conforme item.;. Instalar o primeiro par de olhais e suspender o motor, ver Fiura.; PORTUGUÊS Fiura. Instalação do primeiro par de olhais. Instalar o seundo par de olhais, ver Fiura. Fiura. Instalação do seundo par de olhais. Motores Elétricos

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W50 Motor Elétrico Trifásico

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W50 Motor Elétrico Trifásico Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas W50 Motor Elétrico Trifásico www.we.net W50 A linha de motores WEG W50 apresenta excelente performance atendendo aos mais riorosos critérios de

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 Motofreio Motor Elétrico Trifásico

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 Motofreio Motor Elétrico Trifásico Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas W22 Motofreio Motor Elétrico Trifásico -- Eficiência e confiabilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é uma das maiores fabricantes de

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. HGF Motor Trifásico de Indução

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. HGF Motor Trifásico de Indução Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas HGF Motor Trifásico de Indução www.we.net HGF Motor Trifásico de Indução A linha HGF se destaca pelo seu alto desempenho aliado a baixos custos

Leia mais

WEGeuro Indústria Eléctrica S.A. Manual de Instruções. Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão

WEGeuro Indústria Eléctrica S.A. Manual de Instruções. Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão Ref. 110.15 - Rev 00 04/2011 Manual de Instruções Motores Assíncronos Trifásicos à Prova de Explosão Ref. 110.15 Rev. 00 04/2011 2 Manual de Instruções Motores Assíncronos Trifásicos à prova de explosão

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 Motofreio Motor Elétrico Trifásico

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 Motofreio Motor Elétrico Trifásico Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Motor Elétrico Trifásico -- Eficiência e confiabilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é uma das maiores fabricantes de motores elétricos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO PREFÁCIO O motor elétrico! WEG INDUSTRIAS S.A. - MÁQUINAS ---- IMPORTANTE ---- LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Sumário Tecnoloia dos Capacitores...4 Linha de Produtos...5 UCW - Unidade Capacitiva Monofásica...6

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores Aplicações em Áreas Classificadas

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores Aplicações em Áreas Classificadas Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Motores Aplicações em Áreas Classificadas -- www.we.net Efi ciência e confi abilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é uma das maiores

Leia mais

Turbogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Turbogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Turboeradores Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Turboeradores Desenvolvidos para aplicações em Pequenas Centrais Termoelétricas (PCT), os turboeradores WEG possuem uma

Leia mais

SITRANS LVL200H.ME****A****

SITRANS LVL200H.ME****A**** Vibrating Switches SITRANS LVL200H.ME****A**** NCC 14.03368 X Ex d IIC T6 Ga/Gb, Gb Instruções de segurança 0044 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 4 4 Condições de utilização... 4

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Corrente Contínua

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Corrente Contínua Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Os motores de corrente contínua WEG são concebidos com as mais modernas tecnoloias de projeto, resultando em máquinas compactas e com

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Transformadores Secos Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net WEG: Sinônimo de Inovação e Qualidade O Grupo WEG possui 49 anos de experiência no mercado, sendo hoje o maior

Leia mais

Instruções para Instalação de Motores Elétricos

Instruções para Instalação de Motores Elétricos Instruções para Instalação de Motores Elétricos LEIA ATENTAMENTE ESTE MANUAL ANTES DE INICIAR A INSTALAÇÃO DO MOTOR VERIFICAÇÃO NA RECEPÇÃO - Verifique se ocorreram danos durante o transporte. - Verifique

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Hidrogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Hidrogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Hidroeradores Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Hidroeradores Desenvolvidos para aplicações em pequenas centrais hidrelétricas (PCH), os hidroeradores WEG possuem uma

Leia mais

X20 30 36 AC GEARLESS

X20 30 36 AC GEARLESS 3141 pt - 02.1999 / a Este manual deve ser entregue ao usuário final X20 30 36 AC GEARLESS Manual de instalação e manutenção Com o objetivo de obter o máximo de desempenho de sua nova máquina GEARLESS,

Leia mais

Motores Aplicações Industriais. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Motores Aplicações Industriais. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores Industriais Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Eficiência e confiabilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é reconhecida atualmente como uma das maiores

Leia mais

Transformando energia em soluções. Motores de. Alta Tensão

Transformando energia em soluções. Motores de. Alta Tensão Transformando energia em soluções Motores de Alta Tensão Motores de alta tensão A WEG desenvolveu em conjunto com consultoria internacional especializada uma linha de motores de carcaça de ferro fundido

Leia mais

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade s relativas às instruções Ao trabalhar em zonas com risco de explosão, a segurança de pessoas e equipamentos depende do cumprimento dos regulamentos de segurança relevantes. As pessoas que são responsáveis

Leia mais

Atuador rotativo. Série 8604/1. Manual de instruções BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR

Atuador rotativo. Série 8604/1. Manual de instruções BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR Atuador rotativo Manual de instruções Additional languages www.stahl-ex.com Índice 1 Informações Gerais...3 1.1 Fabricante...3 1.2 Informações relativas ao manual de instruções...3 1.3 Outros documentos...3

Leia mais

Capítulo II Novos requisitos de EPL para seleção e marcação de equipamentos elétricos e de instrumentação para instalação em atmosferas explosivas

Capítulo II Novos requisitos de EPL para seleção e marcação de equipamentos elétricos e de instrumentação para instalação em atmosferas explosivas 46 O Setor Elétrico / Fevereiro de 2009 Instalações elétricas e de instrumentação para áreas classificadas Capítulo II Novos requisitos de para seleção e marcação de equipamentos elétricos e de instrumentação

Leia mais

Turbogeradores para atmosferas explosivas. Linha S - Horizontais. Manual de Instalação, Operação e Manutenção

Turbogeradores para atmosferas explosivas. Linha S - Horizontais. Manual de Instalação, Operação e Manutenção Motores Automação l Energia Transmissão & Distribuição Tintas Turbogeradores para atmosferas explosivas Linha S - Horizontais Manual de Instalação, Operação e Manutenção Manual de Instalação, Operação

Leia mais

Motores Óleo e Gás. Motores Energia Automação Tintas

Motores Óleo e Gás. Motores Energia Automação Tintas Motores Óleo e Gás Motores Eneria Automação Tintas www.we.net Classificação das áreas Zona 2 Zona 1 Ex Ex e Ex p Ex d Ex na Ex e Ex p Ex d Zona 1 Linha M: Ex e Ex p Linha HGF: Ex e Síncronos: Ex p Water

Leia mais

Atenção Leia antes de ligar o motor

Atenção Leia antes de ligar o motor -- Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Guia Rápido WManet Drive System Atenção Leia antes de liar o motor Leia atentamente este manual antes de instalar e confiurar os equipamentos

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

Sistemas de Força Motriz

Sistemas de Força Motriz Sistemas de Força Motriz Introdução; Os Dados de Placa; Rendimentos e Perdas; Motor de Alto Rendimento; Partidas de Motores; Técnicas de Variação de Velocidade; Exemplos; Dicas CONSUMO DE ENERGIA POR RAMO

Leia mais

- Cilindro Pneumático ISO

- Cilindro Pneumático ISO de Instalação, Operação e Manutenção Janeiro 2000 - ISO Série P1E (Tubo Perfilado) 32 a 100 mm Índice Introdução... 1 Características Técnicas... 1 Características Construtivas... 1 Instalação... 2 Manutenção...

Leia mais

Motores Aplicações Industriais. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Motores Aplicações Industriais. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas es Industriais es Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Eficiência e confiabilidade para a indústria Fundada em 1961, a WEG é reconhecida atualmente como uma das maiores fabricantes

Leia mais

Cuidados e Precausões

Cuidados e Precausões 1 P/N: AK-PRONET04AMA SERVO DRIVER AKIYAMA ESTUN Servoacionamento Serie Cuidados e Precausões Recomendamos a completa leitura desde manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 2 SUMÁRIO

Leia mais

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo

TEKNIKAO. Balanceadora NK750. Manual de Instruções. São Paulo Balanceadora Manual de Instruções São Paulo 2013 ÍNDICE Ao Proprietário... 3 Ao Operador... 3 Trabalho com Segurança... 4 Cuidados Especiais... 4 Especificações Técnicas... 6 Dados Técnicos... 6 Dimensões

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM ATMOSFERAS EXPLOSIVAS. Vitor Sued Mantecon

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM ATMOSFERAS EXPLOSIVAS. Vitor Sued Mantecon INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM ATMOSFERAS EXPLOSIVAS Vitor Sued Mantecon Resumo Este trabalho apresenta alguns aspectos que devem ser observados na instalação de equipamentos elétricos em locais onde existe

Leia mais

Terminador de barramento de campo

Terminador de barramento de campo Terminador de barramento de campo Manual de instruções Additional languages www.stahl-ex.com Índice 1 Informações Gerais...3 1.1 Fabricante...3 1.2 Informações relativas ao manual de instruções...3 1.3

Leia mais

W50 Motor Elétrico Trifásico

W50 Motor Elétrico Trifásico Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas W50 Motor Elétrico Trifásico Catálogo Técnico Mercado Brasil W50 - A Nova Geração de Motores WEG para Aplicações Severas A linha de motores W50

Leia mais

Atmosferas Explosivas. Segurança e confiabilidade

Atmosferas Explosivas. Segurança e confiabilidade Atmosferas Explosivas Segurança e confiabilidade Atmosferas Explosivas Quando o assunto é área de risco o uso de produtos apropriados e a manutenção adequada são exigências obrigatórias para atender normas

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM...

AS CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO MOTOR INCLUEM... Motores H-Compact COMPACTO, REFRIGERAÇÃO EFICIENTE A importância crescente da economia de energia, dos requerimentos ambientais, da procura por dimensões menores e das imposições dos mercados nacionais

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

26/08/2012 1 Agosto/2012

26/08/2012 1 Agosto/2012 26/08/2012 1 Agosto/2012 Motores Elétricos 26/08/2012 2 MOTORES ELÉTRICOS Corrente Pulsante Corrente Alternada Corrente Contínua MOTOR DE PASSO (Step Motor ) RELUT. VARIÁVEL IMÃ PERMANENTE HÍBRIDO MOTOR

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Características Construtivas Tomada de Força VM Contents Generalidades, página 2 Tomada de força montada na caixa de mudanças, página 2 Tomada de

Leia mais

VENTILADORES LIMIT LOAD

VENTILADORES LIMIT LOAD VENTILADORES LIMIT LOAD UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA VENTILADORES LIMIT LOAD Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: ELSC 560 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação

Leia mais

Instruções para Instalação de Motores Elétricos e Certificado de Garantia

Instruções para Instalação de Motores Elétricos e Certificado de Garantia Instruções para Instalação de Motores Elétricos e Certificado de Garantia ATENÇÃO Leia atentamente este manual de instruções antes de colocar o motor em operação. Recomendamos que a instalação seja feita

Leia mais

ways 22 maneiras de melhorar a eficiência do motor e prolongar sua vida útil.

ways 22 maneiras de melhorar a eficiência do motor e prolongar sua vida útil. 22 ways 22 maneiras de melhorar a eficiência do motor e prolongar sua vida útil. Eficiência e Confiabilidade para a Indústria Entenda porque a nova geração de motores elétricos da WEG excede os mais exigentes

Leia mais

Motores de indução trifásicos refrigerados por manto d água Linha W - Rotor de gaiola

Motores de indução trifásicos refrigerados por manto d água Linha W - Rotor de gaiola Motores Automação l Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores de indução trifásicos refrigerados por manto d água Linha W - Rotor de gaiola Manual de Instalação, Operação e Manutenção 11201624

Leia mais

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES A U T O M A Ç Ã O Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES Recomendamos a completa leitura deste manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 1 Sumário Garantia Estendida Akiyama 3

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Energia Automação Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Energia Automação Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Eneria Automação Tintas www.we.net Correção do Fator de Potência Os capacitores para correção de fator de potência WEG, são desenvolvidos a base de filme

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO MANUAL DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO MOTORES ELÉTRICOS DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS DE ALTA E BAIXA TENSÃO PREFÁCIO O motor elétrico é o equipamento mais utilizado pelo homem na sua caminhada em busca do progresso,

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Guia Prático de Treinamento Técnico Comercial. Motor Elétrico.

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Guia Prático de Treinamento Técnico Comercial. Motor Elétrico. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Guia Prático de Treinamento Técnico Comercial Motor Elétrico Módulo I Já se foi o tempo em que só simpatia garantia bons resultados em vendas.

Leia mais

Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F*****

Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F***** Instruções de segurança VEGADIF DF65.D******- Z/H/P/F***** NCC 13.02323 X Ex d ia IIC T6...T1 Ga/Gb 0044 Document ID: 47487 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 3 4 Condições de utilização...

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

Segurança das Instalações em Atmosferas Explosivas

Segurança das Instalações em Atmosferas Explosivas Segurança das Instalações em Atmosferas Explosivas Roberval Bulgarelli Petrobras Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão Coordenador do Subcomitê SC-31 do Cobei 2 Temas abordados neste Minicurso Ex 1.

Leia mais

APRESENTAÇÃO CHEGADA À OBRA. Recebimento

APRESENTAÇÃO CHEGADA À OBRA. Recebimento APRESENTAÇÃO Seu ventilador centrífugo ou axial, foi cuidadosamente projetado e construído, de modo a lhe oferece um desempenho longo e satisfatório, sempre que corretamente instalado, e adequadamente

Leia mais

Manual de instruções. Luminária LED série 6039 > 6039

Manual de instruções. Luminária LED série 6039 > 6039 Manual de instruções Luminária LED série > Informações Gerais Índice 1 Informações Gerais...2 2 Explicação dos símbolos...3 3 Instruções gerais de segurança...3 4 Utilização prevista...4 5 Dados técnicos...4

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Alternadores Síncronos Linha AN10. Novo

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Alternadores Síncronos Linha AN10. Novo Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Alternadores Síncronos Linha AN10 Novo Alternadores Síncronos Linha AN10 Os alternadores da linha AN10 foram desenvolvidos para aplicação em

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 10 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

Motores elétricos de indução trifásicos de baixa e alta tensão Linha M - Rotor de gaiola - Horizontais

Motores elétricos de indução trifásicos de baixa e alta tensão Linha M - Rotor de gaiola - Horizontais Motores Automação l Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores elétricos de indução trifásicos de baixa e alta tensão Linha M - Rotor de gaiola - Horizontais Manual de Instalação, Operação e Manutenção

Leia mais

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores VENTILADORES Aspectos gerais As unidades de ventilação modelo BBS, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para frente, e BBL, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para trás, são fruto de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO BOMBAS DE ENGRENAGENS INTERNAS SÉRIE FBEI CÓD: MAN001-10 REVISÃO: 00 27/09/2010 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO...6 2. IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO...6

Leia mais

Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX)

Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX) Manual de instruções Manômetros, modelo 7 conforme a diretiva 94/9/CE (ATEX) II 2 GD c TX Modelo 732.51.100 conforme ATEX Modelo 732.14.100 conforme ATEX Manual de instruções, modelo 7 conforme ATEX ágina

Leia mais

VF2. Medidor de nível tipo radar de onda guiada (TDR) de 2 fios. Informações suplementares

VF2. Medidor de nível tipo radar de onda guiada (TDR) de 2 fios. Informações suplementares VF2 Informações suplementares Medidor de nível tipo radar de onda guiada (TDR) de 2 fios Instruções Suplementares para aplicações em áreas classificadas HYCONTROL ÍNDICE DE VF2 1 Informações gerais de

Leia mais

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida

Dados técnicos. necessário. Consumo de corrente Placa de medição não abrangida 3 ma Placa de medição abrangida 0102 Designação para encomenda Características Para montagem na caixa Montagem directa em accionamentos normais Directivas europeias para máquinas cumpridas Certificado de verificação de modelos TÜV99

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Indução Trifásicos Linha M

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Indução Trifásicos Linha M Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Motores de Indução Trifásicos Linha M www.we.net Motores de Indução Trifásicos Linha M Os motores linha M (Master) se destacam pela flexibilidade

Leia mais

8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS

8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS 8. MANUTENÇÃO EM MOTORES ELÉTRICOS 8.1 INTRODUÇÃO Os motores elétricos são responsáveis por grande parte da energia consumida nos segmentos onde seu uso é mais efetivo, como nas indústrias, onde representam

Leia mais

BOMBA DE ENGRENAGENS EXTERNAS FBE

BOMBA DE ENGRENAGENS EXTERNAS FBE MANUAL TÉCNICO Série: FBE Aplicação Desenvolvida para trabalhar com fluidos viscosos, em inúmeras aplicações, tais como indústrias químicas, petroquímicas, papel, polpa, siderúrgica, mineração, alimentícia,

Leia mais

Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver)

Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver) Projetor AlphaLED Ex nc / Ex tb (com alojamento para driver) ALEDZnC Não centelhante e à prova de jatos potentes d água. Características Construtivas Projetor para área explosiva, com corpo e tampa fabricado

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Nem sempre as unidades geradoras

Leia mais

Capítulo VII. Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos. Manutenção elétrica industrial. Características. Conceitos. Organização do SMP

Capítulo VII. Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos. Manutenção elétrica industrial. Características. Conceitos. Organização do SMP 50 Capítulo VII Sistema de manutenção planejada e em motores elétricos Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* O Sistema de Manutenção Planejada (SMP) é formado por instruções, listas e detalhamento

Leia mais

ENERGIA EM TODOS OS MOMENTOS

ENERGIA EM TODOS OS MOMENTOS ENERGIA EM TODOS OS MOMENTOS ENERGIA EM TODOS OS MOMENTOS Somos a Eikon Sistemas de Eneria, uma empresa com foco na inovação e qualidade de seus produtos, além da expertise no desenvolvimento de soluções

Leia mais

Chaves de Partida Manobra e Proteção de Motores Elétricos. Motores Automação Energia Tintas

Chaves de Partida Manobra e Proteção de Motores Elétricos. Motores Automação Energia Tintas Manobra e Proteção de Motores Elétricos Motores Automação Eneria Tintas Destinadas à manobra e proteção de motores elétricos trifásicos e monofásicos. De acordo com a aplicação a WEG disponibiliza uma

Leia mais

Conhecer as características de conjugado mecânico

Conhecer as características de conjugado mecânico H4- Conhecer as características da velocidade síncrona e do escorregamento em um motor trifásico; H5- Conhecer as características do fator de potência de um motor de indução; Conhecer as características

Leia mais

Sinalizador óptico à prova de explosão em GRP, 5 joule

Sinalizador óptico à prova de explosão em GRP, 5 joule Sinalizador óptico à prova de explosão em Manual de instruções Additional languages www.stahl-ex.com Informações Gerais Índice 1 Informações Gerais...2 1.1 Fabricante...2 1.2 Informações relativas ao manual

Leia mais

IECEx DOCUMENTO OPERACIONAL

IECEx DOCUMENTO OPERACIONAL IECEx OD 315-5 Edição 1.0 2013-07 IECEx DOCUMENTO OPERACIONAL Sistema de Certificação da IEC em relação às normas sobre atmosferas explosivas (Sistema IECEx) IEC System for Certification to Standards relating

Leia mais

Bomba Circuladora SLX-PMP/6A. Manual do Usuário

Bomba Circuladora SLX-PMP/6A. Manual do Usuário Bomba Circuladora SLX-PMP/6A Manual do Usuário Manual do Usuário SOLX - Bomba Circuladora - SLX-PMP/6A Reservados os direitos de alteração sem prévio aviso. Versão 1 - outubro/2013 Permitida a reprodução

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Indução Trifásicos Refrigerados por manto d água

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Motores de Indução Trifásicos Refrigerados por manto d água Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Motores de Indução Trifásicos Refrierados por manto d áua www.we.net Motores de Indução Trifásicos Refrierados por manto d áua Os motores WGM,

Leia mais

Geradores Trifásicos Para PCH s

Geradores Trifásicos Para PCH s Geradores Trifásicos Para PCH s Geradores Trifásicos para PCH s - 2-1. CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Carcaça de aço laminado e soldada eletricamente. As suas dimensões são determinadas com o propósito de

Leia mais

2.2. Antes de iniciar uma perfuração examine se não há instalações elétricas e hidráulicas embutidas ou fontes inflamáveis.

2.2. Antes de iniciar uma perfuração examine se não há instalações elétricas e hidráulicas embutidas ou fontes inflamáveis. 1. Normas de segurança: Aviso! Quando utilizar ferramentas leia atentamente as instruções de segurança. 2. Instruções de segurança: 2.1. Aterramento: Aviso! Verifique se a tomada de força à ser utilizada

Leia mais

Instruções de Instalação

Instruções de Instalação Instruções de Instalação Série ST ST/QBM, ST/MRA, ST Experience In Motion 1 Verificação do Equipamento 1.1 Seguir as normas de segurança da planta antes da desmontagem do equipamento: Consulte a Ficha

Leia mais

Instruções de segurança VEGADIS DIS81.MEIA/V****

Instruções de segurança VEGADIS DIS81.MEIA/V**** Instruções de segurança VEGADIS DIS81.MEIA/V**** NCC 14.02856 Ex d IIC T6 Gb (-40 C Tamb +60 C) 0044 Document ID: 47913 Índice 1 Validade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técnicos... 3 4 Condições de utilização...

Leia mais

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos.

Filtros e Bombas. A Piscina dos seus Sonhos. Dúvidas Filtros e Bombas A Piscina dos seus Sonhos. - Filtros Água vazando para o esgoto. Nas opções filtrar e recircular, observo através do visor de retrolavagem que a água continua indo para o esgoto

Leia mais

Motores Síncronos. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Motores Síncronos. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores Síncronos Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motores Síncronos A WEG oferece soluções industriais completas, disponibilizando ao mercado produtos desenvolvidos em conjunto

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO - ABRIL/005 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/ - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 10 psig CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ISENTO DE ÓLEO L C DESLOCAMENTO TEÓRICO pés /min PRESSÃO MÁX.

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS TALHAS ELÉTRICAS GUINCHOS DE ALAVANCA TALHAS COM ACIONAMENTO MANUAL 1) NORMAS UTILIZADAS: NBR 10401 e 10402 Especificação: Fixa as condições exigíveis

Leia mais

Feitos para durar. Motores Trifásicos de Baixa Tensão. Answers for industry.

Feitos para durar. Motores Trifásicos de Baixa Tensão. Answers for industry. Feitos para durar Motores Trifásicos de Baixa Tensão Answers for industry. 1 Motores Trifásicos de Baixa Tensão Índice Diferenciais Competitivos 3 Normas ABNT de Motores Elétricos 4 Características de

Leia mais

Manual de instruções. Botões de comando Série 44

Manual de instruções. Botões de comando Série 44 Manual de instruções Botões de comando Série 44 1- Introdução A série 44 caracteriza-se pelo seu sistema modular de pelo seu sistema modular de elementos de contatos e, pela numerosa possibilidade de configuração

Leia mais

Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X

Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X Instruções de segurança VEGAFLEX FX61/62/65/66/67.CI****H**** VEGAFLEX FX63.CI***H**** AEX-12064-X BR-Ex ia IIC T6 0044 38674 Índice 1 Validade 3 2 Geral 3 2.1 Instrumentos da zona 0 3 2.2 Instrumentos

Leia mais

Manual para uso correto das polias e melhoria em sua transmissão

Manual para uso correto das polias e melhoria em sua transmissão Manual para uso correto das polias e melhoria em sua transmissão 2 Índice 2 - Antes de efetuar a inspeção ou substituição de uma polia: 3 -Segurança 4 - Superfícies e medidas dos canais 5 - Relação Canal

Leia mais

VENTILADOR INDUSTRIAL

VENTILADOR INDUSTRIAL VENTILADOR INDUSTRIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA VENTILADORES INDUSTRIAIS Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: E L D I 560 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 09 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A. IPT CENTRO TECNOLÓGICO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO - CETAC

Leia mais

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação

Série: FBME MANUAL TÉCNICO BOMBA CENTRÍFUGA MULTIESTÁGIO FBME. Aplicação MANUAL TÉCNICO Série: FBME Aplicação Desenvolvida para trabalhar com líquidos limpos ou turvos, em inúmeras aplicações, tais como indústrias químicas, petroquímicas, papel, polpa, siderúrgica, mineração,

Leia mais

Motores Síncronos. Motores Automação Energia Tintas

Motores Síncronos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas A WEG oferece soluções industriais completas, disponibilizando ao mercado produtos desenvolvidos em conjunto com consultorias internacionais especializadas. Entre os produtos

Leia mais

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto Acoplamento Falk Wrapflex Instalação e manutenção Tipos R10, R31, R35 Tamanhos 2 a 80 (Pág. 1 de 8) TIPO R10 TIPO R35 1 Montagem dos cubos BE Cubos R10 ESPAÇAMENTO TIPO R31 Cubos do eixo R31/R35 (R31)

Leia mais

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA

TRANSFORMADORES MOLDADOS EM RESINA MODELO TAM TRANSFORMADORES - TIPO TAM Os transformadores a seco moldados em resina epóxi são indicados para operar em locais que exigem segurança, os materiais utilizados em sua construção são de difícil

Leia mais

CORTADOR DE CABELOS CERAMIC

CORTADOR DE CABELOS CERAMIC MANUAL DE INSTRUÇÕES CORTADOR DE CABELOS CERAMIC LIMPEZA E MANUTENÇÃO É extremamente importante, para manter a boa performance de corte, a realização da limpeza das lâminas após cada utilização do aparelho.

Leia mais

Chaves de Partida Manobra e Proteção de Motores Elétricos. Motores Energia Automação Tintas

Chaves de Partida Manobra e Proteção de Motores Elétricos. Motores Energia Automação Tintas Chaves de Partida Manobra e Proteção de Motores Elétricos Motores Eneria Automação Tintas Chaves de Partida Destinadas à manobra e proteção de motores elétricos trifásicos e monofásicos. De acordo com

Leia mais

W22 Motor Elétrico Trifásico

W22 Motor Elétrico Trifásico Motores Energia Automação Tintas W22 Motor Elétrico Trifásico Catálogo Técnico Mercado Brasil Linha W22 A demanda crescente de energia elétrica para atender à taxa de desenvolvimento global, especialmente

Leia mais

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO Pág.:1 MÁQUINA: MODELO: NÚMERO DE SÉRIE: ANO DE FABRICAÇÃO: O presente manual contém instruções para instalação e operação. Todas as instruções nele contidas devem ser rigorosamente seguidas do que dependem

Leia mais

Painel de Controle e distribuição

Painel de Controle e distribuição Painel de Controle e distribuição Manual de instruções Additional languages www.stahl-ex.com Informações Gerais Índice 1 Informações Gerais...2 1.1 Fabricante...2 1.2 Informações relativas ao manual de

Leia mais

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Normas especificas de segurança

Leia mais

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA INTRODUÇÃO A Churrasqueira Elétrica ML-6622 NKS Milano é um produto de alta tecnologia e qualidade. Para melhor entender todas as funções deste aparelho, e utilizá-lo com

Leia mais