Reservatórios sob controle

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reservatórios sob controle"

Transcrição

1 Fevereiro 2011 Ano VIII nº 75 Informativo mensal para os EMPREGADOS da cemig Reservatórios sob controle Plano de Desenvolvimento da Distribuidora trembão: paixão por pedalar eficiência energética com o conviver

2 04 POnto a ponto Compromisso com a sustentabilidade 06 ESPECIAL Sem surpresas nos reservatórios 09 boas ideias Reutilização de água da chuva gera economia 11 ser sustentável Energia eficiente, economia consciente PDD prevê investimentos de R$ 3,154 bilhões na distribuição Monitoramento mais intenso no período de chuvas Empregados criam sistema de captação de água Projeto Conviver viabiliza soluções responsáveis para a população de baixa renda 05 Meu Trabalho Conheça o trabalho de segurança patrimonial 10 Memória Criação do COS 08 Saúde e bem-estar Equipe de ciclistas TremBão 10 Segurança da informação Confira a charge 09 Gente Nossa Benefícios que vão além das exigências legais 12 Gestão Cuidado especial no corte de energia E X P E D I E N T E Informativo mensal para os empregados da Cemig Editado pela Superintendência de Comunicação Empresarial (CE) Correspondência interna: SA/19/B2 Fone: (31) / 7334 Editor Responsável: João Batista Pereira - Reg. No 6159 SJPMG Coordenação de edição: Terezinha Crêspo de Rezende, Paulo Tarso Rezende Tobias, Ana Luíza Albuquerque e Raphael Jardim Redação: Roosevelt Rodrigo, Henry Bernardo, Cibele Andrade, Tatiane Procópio, Raphael Jardim, Ana Luiza Albuquerque, Jonatas Andrade e Adelle Soares Apoio: Comitê de Comunição da Cemig Fotos: Ronaldo Guimarães, Eugênio Paccelli e colaboradores Ilustração: Weisvisthértini Barbosa e Henry Bernardo Revisão e diagramação: Interface Comunicação Empresarial Impressão: Grafmol Tiragem: 10 mil exemplares Filiado à:

3 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COM O CONVIVER EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COM O CONVIVER EFICIÊNCIA ENERGÉTICA COM O CONVIVER Da Redação Ano novo, boas práticas de sempre EDITORIA Processos decisórios mais ágeis Um novo módulo do Gedoc está sendo desenvolvido para tornar a rotina de decisões da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração da Cemig mais ágeis e econômicas. O Projeto de Automação de Processos Decisórios, definido pelo Programa de Eficiência Operacional, tem o objetivo de eliminar o trâmite de documentos em papel utilizados em análises e aprovações. Cemig e Fapemig firmam convênio A Cemig e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) assinaram, no início de janeiro, convênio de R$ 150 milhões para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao setor elétrico, nos próximos cinco anos. As pesquisas terão como foco o desenvolvimento de fontes alternativas renováveis e limpas como solar, eólica e biomassa. Três Marias sedia Campeonato Brasileiro de Vela O lago de Três Marias foi escolhido para sediar o 38º Campeonato Brasileiro de Vela da Classe Laser, que será realizado em janeiro de Três Marias, primeira cidade mineira escolhida para sediar a competição, concorreu com outras três cidades: Porto Alegre, Rio de Janeiro e Salvador. O ano novo começou com alguns problemas recorrentes. As chuvas do início de 2011 levaram muitos municípios em todo o Brasil a decretarem situação de emergência: mais uma prova de que a força da natureza pode causar estragos irreparáveis. Os resultados foram centenas de mortos e desabrigados e diversos setores da economia prejudicados. Mas 2011 também começou com a utilização de boas práticas na Cemig, que demonstrou, mais uma vez, seriedade na gestão de seus reservatórios. Ciente dos riscos que as chuvas podem trazer para seus negócios e para a sociedade, todos os anos a Cemig se prepara com antecedência para o período chuvoso, garantindo níveis seguros de água em seus reservatórios e envolvendo as comunidades do entorno de suas barragens e as autoridades responsáveis na prevenção de enchentes. Nesta edição, nossa reportagem de capa explica como funciona a gestão dos reservatórios da Cemig e o trabalho para garantir a segurança das barragens e de seu entorno. As ações desenvolvidas refletem o compromisso da Cemig em garantir a convivência sustentável entre seus negócios, a sociedade e o meio ambiente. As iniciativas da Empresa nesse sentido são reconhecidas por índices no Brasil e no mundo, mostrando que estamos no caminho certo rumo à sustentabilidade. FEVEREIRO 2011 ANO VIII Nº 75 FEVEREIRO 2011 ANO VIII Nº 75 INFORMATIVO MENSAL PARA OS EMPREGADOS DA CEMIG FEVEREIRO 2011 ANO VIII Nº 75 INFORMATIVO MENSAL PARA OS EMPREGADOS DA CEMIG INFORMATIVO MENSAL PARA OS EMPREGADOS DA CEMIG Reservatórios sob controle Reservatórios sob controle Reservatórios sob controle PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA DISTRIBUIDORA PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA DISTRIBUIDORA PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA DISTRIBUIDORA TREMBÃO: PAIXÃO POR PEDALAR TREMBÃO: PAIXÃO POR PEDALAR TREMBÃO: PAIXÃO POR PEDALAR 03

4 Ponto a ponto Compromisso com a sustentabilidade da distribuição O Plano de Desenvolvimento da Distribuidora (PDD), definido na revisão tarifária de 2008, prevê o investimento de R$ 3,154 bilhões em expansão, manutenção, medição e adequação ambiental em ativos da Distribuição. O superintendente da Coordenação Executiva do Plano de Desenvolvimento da Distribuidora (CI), Ronaldo Gomes de Abreu, explica o que já foi feito nos últimos dois anos e como os recursos restantes serão investidos até Energia da Gente - Quais áreas da Cemig estão envolvidas no cumprimento do PDD? Ronaldo Gomes - O Plano de Desenvolvimento da Distribuidora foi definido para o período de janeiro de 2008 a setembro de 2012, envolvendo direta ou indiretamente todos os órgãos da Diretoria de Distribuição e Comercialização (DDC) e também alguns órgãos da Presidência (DPR), Diretoria de Gestão Empresarial (DGE), Diretoria de Finanças, Relações com Investidores e Controle Financeiro de Participações (DFN), Diretoria de Comercialização (DCM), Diretoria de Geração e Transmissão (DGT) e Diretoria Jurídica (DJR). Por essa magnitude, foi firmado um Termo de Compromisso para o cumprimento do PDD, envolvendo o presidente em exercício na época, Arlindo Porto, além de outros seis diretores, 26 superintendentes, 60 gerentes, quatro gestores e três empregados envolvidos no processo. constituição da posse de áreas para implantação de empreendimentos, entre outros. EG - Como foram investidos os R$ 1,369 bilhões iniciais? RG - Foram realizados em todo o Estado investimentos em expansão, manutenção, operação, medição e adequação ambiental em sistemas de medição de fronteira, subestações, linhas, redes e sistemas de medição para faturamento. O período de 2008 a 2010 foi utilizado para consolidar o planejamento integral dos investimentos a serem realizados, sendo firmados os contratos que permitirão a realização e capitalização integral do PDD até EG - Como serão investidos os recursos restantes? RG - Buscaremos ampliar a capacidade da Cemig D e permitir o atendimento ao mercado com disponibilidade de energia, qualidade, continuidade e segurança. Com a realização do PDD, Minas Gerais terá energia elétrica para suprir suas atuais demandas, ampliar seu parque industrial, comercial e residencial, atraindo novos investimentos. Todos os investimentos a serem realizados a partir de 2011 deverão ter como orientação a redução das causas que geram a interrupção do fornecimento de energia elétrica aos consumidores. EG - Como será a atuação da Superintendência de Coordenação Executiva do Plano de Desenvolvimento da Distribuidora (CI)? RG - A CI tem como objetivo fundamental empreender ações para que a meta estabelecida no PDD seja alcançada. Assim, ela irá coordenar e identificar problemas que dificultam a execução e a capitalização dos empreendimentos e coordenar ações para agilizar essas atividades. Além da CI, foi criado o Comitê Executivo de Planejamento e Acompanhamento do PDD, com participação de titulares de superintendências vinculadas a sete diretorias. O Comitê apoiará a Cemig D na execução do PDD, estabelecendo a governança do plano e reportando à Diretoria Executiva. EG - Como os consumidores poderão perceber os investimentos feitos na distribuição? RG - Os investimentos importarão na melhoria expressiva da qualidade de fornecimento de energia elétrica, com reduções nas frequências e durações das interrupções, redução das perdas técnicas, otimização das medições para faturamento e adequação de todo o sistema elétrico ao mercado, com disponibilidade de energia para atender de forma sustentável o seu crescimento. EG - Qual a importância de se envolver áreas com atuações diferentes no cumprimento do PDD? RG - É essencial que todas as áreas que atuam direta ou indiretamente na realização dos investimentos constantes do PDD se integrem para o cumprimento do planejamento estabelecido. Algumas das atividades realizadas pelas áreas são: estudos de viabilidades, elaboração de projetos, planejamento, aquisição e suprimento de materiais, soluções em questões ambientais, EG - E os empregados? RG - Além dos reflexos percebidos pelos empregados enquanto consumidores, também ficará perceptível a todos o ganho com a integração e envolvimento das áreas no planejamento e na execução do plano. O cumprimento do PDD contribuirá para o fortalecimento da Cemig Distribuição, do Grupo Cemig e da marca perante a sociedade, para a otimização dos custos operacionais, contribuindo positivamente para o resultado empresarial. 04

5 Segurança patrimonial, dever de todos Meu trabalho A segurança dá suporte aos negócios de uma empresa, garantindo a continuidade de suas atividades, visando à harmonia e proteção de seus os valores que a cercam, sejam estratégicos, humanos, materiais, tecnológicos ou físicos. Ciente da importância de se manter esse complexo sistema em ordem, a Cemig criou, em 2007, a Gerência de Segurança Patrimonial e Industrial (LI/SP). O objetivo do órgão é unificar, padronizar e otimizar os serviços prestados na área de segurança patrimonial e industrial da Empresa, possibilitando a redução de riscos e priorizando ações preventivas contra acontecimentos indesejáveis como invasões, furtos e acidentes. Uma das atividades realizadas pela LI/SP é a identificação e notificação de invasores em margens de reservatórios. O trabalho é necessário já que alguns moradores invadem propriedades da Empresa nas margens dos reservatórios, construindo áreas de lazer e ancoradouros, além de palanques para pesca e bombeamento de água para uso particular. A gerência fiscaliza constante das margens, por terra e por via fluvial, identificando os invasores, notificando-os e solicitando à Polícia Militar do Meio Ambiente o Boletim de Ocorrência para permitir que a Cemig tome medidas legais para a reintegração de posse das áreas invadidas. O Exército Brasileiro realiza exercícios em reservatórios e subestações da Cemig com apoio da LI/SP Parceria a favor da segurança A LI/SP apoia também o Exército Brasileiro em exercícios de garantia da lei e da ordem, realizados para que as Forças Armadas sejam capazes de atuar em usinas e subestações para garantir a segurança, em caso de necessidade. Em 2010, São Simão, Emborcação e Nova Ponte, além de outros reservatórios e subestações da Cemig, receberam exercícios deste tipo, que envolvem até mesmo embarcações e helicópteros militares. Para garantir a segurança patrimonial e industrial da Cemig, a LI/SP oferece treinamentos específicos aos seus 375 empregados. Todas as pessoas envolvidas passam por treinamento especial; desde os vigilantes, que são preparados para suas funções, os agentes de segurança, com formação militar ou policial, até o pessoal das usinas, com formação superior especializada. A segurança da Cemig tem a preocupação de contratar mão de obra capacitada, com experiência em atividades de segurança e administração de conflitos. Além disso, existe a preocupação com o perfil dos profissionais, que deve ser adequado à atividade, comenta o analista de gestão administrativa da LI/SP, Zeuxis Jorge dos Santos. A atividade de identificação e notificação de invasores em margens de reservatórios é realizada com apoio da Polícia Militar do Meio Ambiente Embora a LI/SP deixe claro que a segurança patrimonial e industrial é levada a sério na Cemig, todos os empregados podem contribuir, comunicando anormalidades e fragilidades que possam comprometer de alguma forma a segurança dos empregados e o patrimônio material da Cemig. 05

6 ESPECIAL Sem surpresas Durante o período chuvoso, o trabalho de alguns empregados da Cemig se torna mais intenso. Uma das áreas em que as chuvas alteram diretamente a rotina de trabalho é a de monitoramento dos reservatórios. Com 59 hidrelétricas, a Empresa deve estar atenta 24 horas ao volume de água de suas barragens com o objetivo de evitar ou minimizar as cheias, sem se esquecer de manter a segurança dos níveis dos reservatórios. Segundo André Cavallari, engenheiro de planejamento do sistema elétrico, da Gerência de Planejamento Energético (PO/PE), o monitoramento dos reservatórios é feito a cada hora, podendo ser realizado em intervalos de até 15 minutos. As informações são obtidas através do Sistema de Telemetria e Monitoramento Hidrometeorológico (STHWEB). O foco do sistema é a operação segura das barragens por meio da informação de nível dos reservatórios e dos rios e chuva, afirma Cavallari. Na Cemig a interface é feita primeiramente com a meteorologia e hidrologia, setores que dão suporte ao trabalho. São as previsões que nos permitem precipitar a vazão das águas, explica a técnica de planejamento hidroenergético da geração (PO/PE), Jeanne Cristine Abreu, uma das responsáveis por realizar o monitoramento das barragens. Observação constante O acompanhamento em tempo real é realizado por meio de postos estrategicamente posicionados nas bacias hidrográficas que abastecem os reservatórios. Em alguns postos existem observadores que também são acionados para enviar informações caso haja algum problema no sistema. O Centro de Operação do Sistema (COS) também ajuda nas decisões de como atuar nas usinas e, em geral, faz essa mediação. Monitoramento dos reservatórios é mais intenso no período de chuvas Para esta época do ano em que um volume maior de chuva já é esperado, a atenção aos níveis de água é redobrada, pois o vertedouro poder ser aberto a qualquer momento. A função do vertedouro é garantir a segurança da barragem, quando as vazões são maiores do que a capacidade das turbinas. Nesse momento, o excesso de água precisa ser liberado gradualmente, de forma lenta e com a devida comunicação. No período seco, ao contrário do que muitos pensam, as comportas também podem ser abertas, mas para garantir a vazão mínima do rio, no caso de parada total ou parcial das unidades geradoras, explica. Além disso, acrescenta Cavallari, hoje muitos rios possuem vários reservatórios em sequência e uma operação deficiente em um deles pode acarretar problemas nos demais e assim por diante, afetando empresas e comunidades próximas às usinas. Controle dos níveis dos reservatórios é feito em conjunto com comunidades vizinhas Tudo sob controle A operação no período chuvoso, nos reservatórios de acumulação que efetuam o controle de cheias, tem uma coordenação externa, feita pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) 06

7 nos reservatórios com a participação de todos os agentes do setor de geração envolvidos. De acordo com o engenheiro, nesse período, os reservatórios devem ter níveis de armazenamento mais baixos, para que seja possível amortecer as grandes variações de vazão. Denominamos esse nível mais baixo volume de espera. Para manter o volume de espera, o custo estimado gira em torno de 5% da capacidade de geração, ou seja, para proteger as cidades efetuando essa atividade as usinas estariam gerando cerca de 5% menos. Além de ser uma obrigação legal e de fundamental importância para o controle de cheias, o monitoramento dos reservatórios tem outras finalidades como obter dados que vão formar a média histórica de vazões e serão utilizados para estudos hidroenergéticos; subsidiar a obtenção de licenças dos empreendimentos; fornecer dados para propiciar o cálculo de cheias e assim subsidiar a construção dos vertedouros, o que pode impactar significativamente o custo das estruturas; prestar informações à comunidade para usos diversos, dentre eles obras de infraestrutura (pontes, estradas, irrigações e captações, etc); e dimensionar a vazão no período seco de maneira a operar o reservatório para que mantenha as condições de vazão mínima no rio em atendimento a todos os interesses (navegação, turismo, lazer, abastecimento, questões ambientais, etc.). COS tem papel fundamental no controle de água Quando a Cemig atua em alguma região cuja bacia também atende a um reservatório de outra companhia, como o Rio Grande, onde existe uma hidrelétrica de Furnas, há uma comunicação entre as empresas para que uma possa calcular suas demandas sem afetar o bom funcionamento e segurança da outra. Plano de Integração Para que toda a ação da Cemig em relação aos reservatórios dê certo, é de fundamental importância que exista uma comunicação eficaz entre a Empresa e as prefeituras e comunidades que vivem no entorno das usinas. Em virtude das dificuldades que existiam em repassar as informações para a comunidade sobre como a Cemig trabalha em relação às usinas, foi criado, em 2004, o Plano de Integração. O plano visa esclarecer, por meio de palestras e apresentações, qual é a atividade da Cemig na operação do reservatório: como é feita tal operação, quais os limites do reservatório, questões relativas à segurança da barragem, política ambiental e programas especiais desenvolvidos pela Empresa, como o Peixe Vivo. O resultado foi muito positivo e a partir de então a comunicação passou a ser mais efetiva e mais presente, mostrando a importância do reservatório na minimização das cheias e a importância da Cemig nas comunidades, atuando como parceira, afirma André Cavallari. Usina de São Simão, localizada na divisa de MG e GO O Plano de Integração foi primeiramente implantado nas comunidades mais sujeitas a problemas com cheias ou nos lugares em que havia demandas pelo uso da água e está sendo repassado gradativamente a outras comunidades, ampliando a área de atuação, mas sempre com o foco na operação do reservatório. 07

8 saúde e bem-estar Trem bão é pedalar por aí! O mineiro que nunca falou ou ouviu a expressão trem bão, que atire a primeira pedra. Mas o trem bão desta vez é outro. Trata-se da união de dois amigos da Cemig, André Luiz de Souza Pereira e José Undemberg Goncalves Tergilene, ambos da Gerência de Central de Relacionamento com Clientes de Média Tensão do Mercado Corporativo (RL/CC). Embalados pela paixão por pedalar iniciaram, em 2006, a equipe. O que começou sem muita força, sem nome e sem equipamentos profissionais, hoje em dia conta com a participação de 20 ciclistas, entre eles oito empregados da Cemig e outros 12 externos, que trabalham em empresas parceiras. O nome da equipe, muito curioso e bem mineiro, surgiu depois de uma extensa lista de nomes americanizados, que não fizeram muito sucesso entre os, até então, 12 integrantes. Nas terras altas de Nova Lima, mais especificamente em Honório Bicalho, alguém pronunciou a seguinte frase: Ê trem bão, sô, agradando a todos. A equipe então foi batizada. De acordo com o engenheiro André, a união dos amigos para a prática de esportes não só garante a eles uma vida mais saudável, como traz melhorias para o ambiente profissional. É obvio que a prática do mountain bike só nos dá prazer. Esse prazer nos dá mais garra e avidez na solução de problemas profissionais. Raciocínio mais rápido e muita tranquilidade nos embates profissionais e cotidianos, afirma. Cicloviagens Depois de se aventurarem nas estradas mineiras, nos arredores do Vale do Rio Doce, Ciclo do Ouro, Caminho das Vertentes, Serra do Cipó, chegou a vez de fazer o Caminho dos Diamantes. E lá foram André e Tergilene, acompanhados de outros três bikers, que também integram a equipe, pedalar um pouco mais pelas estradas mineiras. Nos mais de 185 km percorridos, a TremBão saiu de BH na manhã do dia 22 de janeiro e foi até Ouro Preto, onde finalizou a cicloviagem, na tarde do dia seguinte, na Praça Tiradentes. Em seu caminho, passaram por Sabará, Caeté, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas e Mariana. A cada cidade que cruzavam, uma pausa em um armazém, em um restaurante, em alguma mina para se refrescarem, ou até mesmo no meio da rua, para tirar fotografia de uma placa, de uma família, das paisagens. Equipe Cemig André Luiz de Souza Pereira RL/CC José Undemberg Gonçalves Tergilene RL/CC Rogério Lages Murta - OD/PO Rinaldo Frazão Júnior RL/CC Márcio Elizio Pereira GN/PC Adair Rogério de Lima - OD/CO Eduardo Borges PR/PE Eduardo Miguel Raposo - PE/LS Paulo César Ramos Rolim - CP TremBão Me levanto à meia-lua Bate forte o coração Encaixo toda a vestimenta Vejo a lua tocar o chão Beijo ela, preparo a rota Asfalto, trilha, estradão Me somando à longa frota Eis a turma do TremBão O selin é minha poltrona O pedal meu estandarte O suor descendo o meu rosto Renovando a velha arte Morros, Minas e montanhas Um sentimento abissal Contornando a nossa Rima Água, terra fogo e sal Sinto toda a natureza Bicicleta é a comunhão Tralhas, trilhas e poeira Fora a tristeza, a raiva, solidão Bate papo na estrada Campina, mata ou boqueirão Registrando a nossa sina Essa é a Turma do TremBão Integrantes da equipe TremBão compartilham a paixão por pedalar André Luiz TremBão Bikers BH-MG 29/03/

9 Reutilização de água da chuva gera economia Boas ideias A partir da capacidade de observação do técnico de inspeção de materiais, João Lúcio Nogueira, uma boa ideia foi colocada em prática: o desenvolvimento de um sistema de captação de água pluvial para reaproveitamento nas atividades desenvolvidas pela Gerência de Logística e Administração de Material (LI/LA). No processo de lavagem de peças a serem recuperadas, como luminárias e chaves seccionadoras, João Lúcio percebeu que um grande volume de água potável era utilizado. Pensando na política de sustentabilidade da Cemig e nas soluções inovadoras João Lúcio (ao centro): boa ideia gera economia que a Empresa apoia, percebi que o telhado da oficina é grande e que poderia captar a água pluvial para lavar as peças no processo de recuperação de material, explica o técnico. O sistema de captação funciona coletando a água das chuvas em um reservatório com capacidade para 3 mil litros. A água captada é utilizada na lavagem de peças durante o processo de recuperação de material, mas também pode ser utilizada para outros fins, como lavagem de piso e calçada e na irrigação de plantas. Benefícios Além da economia no consumo de água potável pela Cemig, o sistema idealizado pelo técnico da LI/LA traz benefícios para a segurança. O sistema também contribui com a redução do risco de enchentes em caso de chuvas fortes, uma vez que represa parte da água que seria drenada para as galerias e rios, esclarece João Lúcio. Para se ter ideia da economia que o sistema de captação de água pode gerar, em um mês é possível economizar 6 mil litros, volume correspondente a toda água consumida no processo de recuperação de material durante oito meses. Além disso, o sistema poderá gerar uma economia de 48 mil litros de água potável por ano, quantia suficiente para abastecer uma família de quatro pessoas por quatro meses. Benefícios além das exigências legais benefícios Os benefícios concedidos pela Cemig aos empregados são muitos, mas será que você conhece todos eles? Você sabe que alguns vão além do que a lei exige? A licença paternidade, por exemplo, já é bastante conhecida por todos: cinco dias de licença para os papais. No entanto, se por algum motivo a mãe não puder cuidar da criança e for imprescindível a presença do pai, a Cemig concede a Licença Paternidade Especial. O benefício estende a licença por até 30 dias, podendo prorrogar o prazo por mais 30, dependendo da análise da Gerência de Recursos Humanos, Saúde e Bem-estar (RH/ST). Se você está precisando de ajuda no pagamento de seus estudos, a Cemig possui um auxílio-educação. O benefício é concedido a empregados que têm salário-base de até R$ 4.749,28* e é destinado a cursos relacionados ao negócio Cemig, que devem ser reconhecidos pelos órgãos de educação competentes. Para os empregados que estão cursando faculdade ou curso técnico, a ajuda é de R$ 2.100* por semestre. Se o empregado estiver cursando o Ensino Médio (suplência), a ajuda poderá ser de uma parcela das mensalidades. Outro benefício pouco conhecido é o Empréstimo Especial, que consiste em empréstimos com baixas taxas de juros e facilidades de pagamento aos empregados vítimas de enchentes, incêndios, roubos e àqueles que têm despesas elevadas com plano de saúde ou odontológico, despesas básicas de funeral de dependentes na Forluz, entre outros. O empréstimo não pode ser menor que 10% do salário-base, as prestações não podem ser inferiores a 5% do salário-base e o pagamento pode ser feito em 18 parcelas, com juros de 0,5% ao mês. O vale-refeição ou alimentação também é de conhecimento de todos, porém, o que poucos sabem é que a Cemig concede o benefício para empregados que estão afastados do trabalho. Eles podem receber os vales por seis meses após o afastamento e, no caso daqueles afastados por acidente de trabalho, o benefício vale por 30 meses após o afastamento. Cartilha De acordo com a assistente social RH/ST, Taissa Paim, uma nova versão da cartilha de benefícios, que foi entregue a todos os empregados, será distribuída e estará disponível em breve na intranet para consulta. A novidade desta segunda edição é a inclusão dos benefícios que vão além das exigências legais ou mesmo benefícios exigidos que trazem ações não exigidas. *Valores para Para saber mais sobre os benefícios disponíveis ou os critérios para a utilização de cada um, entre em contato com a Superintendência de Recursos Humanos (RH) ou se informe com o gerente de sua área. Acesse a cartilha de benefícios na CemigNet: Recursos Humanos > Remuneração e Pagamentos > Benefícios 09

10 memória Sistema nervoso central Despacho de Carga. Apesar de soar estranho, este era o nome do atual Centro de Operação do Sistema (COS) em 1954, época em que foi criado. No início, o Despacho de Carga funcionava em uma pequena sala de controle, na subestação da Cidade Industrial de Contagem. A Cemig havia encampado, em julho de 1952, a Usina Hidrelétrica de Gafanhoto e a linha de transmissão que a ligava à subestação da Cidade Industrial. As atividades de operação se resumiam, na época, a uma usina, quatro geradores, 90 quilômetros de linhas de transmissão, uma subestação, quatro transformadores de força, cerca de 12 disjuntores e uma linha telefônica a magneto. A primeira interligação foi feita com as usinas da Companhia Força e Luz de Minas Gerais (CFLMG), que abastecia Belo Horizonte, e com a Usina Sá Carvalho, construída pela Acesita. Da sala de comando da subestação da Cidade Industrial, os operadores coordenavam o pequeno sistema. Hoje, 56 anos depois, o Centro de Operações do Sistema, instalado no edifício-sede da Cemig, é um dos mais modernos do Brasil, e possui tecnologia de ponta para cumprir sua missão: ele é o núcleo da Cemig que controla todo o fluxo de energia que sai das dezenas de usinas hidrelétricas e térmicas, inúmeras subestações e milhares de quilômetros de linhas de transmissão de extra-alta tensão. O controle é feito em tempo real, operando por meio do sistema interligado nacional, coordenado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). Desde que foi criado, o COS passou por processos de reestruturação e modernização. O mais significativo aconteceu em 1984, quando entrou em operação o Sistema de Supervisão e Controle, marcando a entrada do COS na era digital. O sistema fortaleceu a atuação do COS e possibilitou uma operação sistêmica com maiores possibilidades de prevenção, reduzindo inter- COS, antigo Despacho de Carga, foi fundado em 1954 rupções de fornecimento e melhorando a qualidade da energia distribuída aos consumidores. Em 1993, um novo salto tecnológico colocava o COS mais uma vez na vanguarda: foi introduzida a operação remota de usinas e subestações, fato marcante para a operação do sistema elétrico nacional e que colocou a Cemig à frente das outras concessionárias do País. No ano 2000, ao implantar o Sistema de Gestão de Qualidade, o COS foi certificado pela Norma NBR ISO 9001/94. Atualmente, possui a certificação ISO 9001/2000 no escopo Operação de Sistema de Produção e Transmissão de Energia Elétrica. Hoje, a equipe do COS é composta por 80 profissionais, entre engenheiros e técnicos, que trabalham em escala de revezamento 24 horas para manter o sistema funcionando durante os 365 dias do ano, sem interrupções ou, em caso de acidentes, com o restabelecimento no menor tempo possível. segurança DA INFORMAÇÃO Surfando em águas perigosas 10

11 Energia eficiente, economia consciente Ser Sustentáve Sustentabilidade é a base de um dos programas de eficiência energética mais bem sucedidos da Cemig: o Projeto Conviver. Com o objetivo de oferecer o devido acesso aos serviços disponibilizados pela Cemig para consumidores de comunidades de baixa renda, o projeto substitui aparelhos elétricos por outros mais econômicos e eficientes, e capacita agentes comunitários para promover soluções econômicas e responsáveis para a população. Esses agentes são pessoas da própria comunidade que recebem treinamento para levar informações sobre o uso eficiente e seguro da energia elétrica, sempre se preocupando com o meio ambiente e a adequação do consumo à realidade financeira das famílias. Durante as visitas às comunidades, eles também prestam orientações sobre os benefícios da Tarifa Social e isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias em Prestação de Serviços (ICMS), além de identificar as residências que se encaixam nos critérios de substituição de equipamentos como lâmpadas fluorescentes, geladeiras de baixo consumo e chuveiros eficientes. Além disso, os agentes atuam na negociação de débitos e análise de situações de riscos que envolvam a eletricidade. Por meio do Conviver, a Cemig também realiza palestras educativas sobre o uso consciente da energia para escolas, associações de bairro e lideranças comunitárias. As geladeiras recolhidas das casas dos clientes passam por um processo Reciclagem garante o reaproveitamento das geladeiras antigas de reciclagem no qual os componentes que oferecem risco ao meio ambiente são separados daqueles que podem ser reaproveitados e vendidos. Juntas, as ações do Conviver garantem a sustentabilidade ambiental, social e econômica. Economia A substituição de equipamentos obsoletos por outros mais eficientes, aliada às orientações de eficiência energética repassadas pelos agentes, permite uma economia significativa no consumo de energia. A substituição de uma geladeira antiga por uma nova pode chegar a proporcionar uma economia de aproximadamente R$ 20 na conta de luz, o equivalente a quase 13 litros de leite por mês para cada família. Com a instalação do chuveiro com recuperador de calor, a economia alcançada pode chegar a 40% do consumo mensal de cada residência. Já as lâmpadas fluorescentes, doadas a todas as famílias visitadas pelos agentes do projeto, consomem quatro vezes menos energia que as incandescentes, normalmente utilizadas em residências. Durante visita, agente orienta sobre os benefícios do programa e uso correto da energia elétrica Eficiência energética Os brasileiros desperdiçam, anualmente, 18% de toda a energia gerada no país, ou seja, a energia elétrica produzida por uma Cemig e meia é jogada fora. Os empregados da Cemig também podem promover a eficiência energética, contribuindo para a mudança de cultura no consumo de energia elétrica. Para saber como disseminar conceitos básicos de economia de energia a seus familiares e amigos, visite o site de Eficiência Energética no Portal Cemig. 11

12 Gestão Cuidado especial no corte de energia O trabalho de suspensão de fornecimento de energia elétrica, realizado em casos de inadimplência de clientes com a Cemig, exige preparação especial dos empregados responsáveis. Para isso, a Gerência de Gestão e Controle da Inadimplência dos Clientes da Distribuição (PR/IN) oferece treinamentos específicos aos eletricistas de corte e religação, capacitando-os para lidar com conflitos e ensinando técnicas de relacionamento interpessoal. Em 2010, a gerência intensificou o número de reuniões realizadas com os eletricistas responsáveis pelo trabalho, com foco no aspecto comportamental, contribuindo para uma harmonia psíquica dos empregados, já que a tarefa exige muito equilíbrio emocional dos envolvidos, explica Silvia Batista Silva, gerente da PR/IN. As reuniões são realizadas no formato de oficinas. Os eletricistas são orientados a sempre se identificarem e informarem o motivo da visita, tratando o cliente com presteza e cortesia. Não devem ser utilizadas palavras como furto, roubo, desvio ou gato e os eletricistas são instruídos a tratarem os casos como irregularidades. Em caso de resistências por parte do consumidor, a instrução de procedimento deixa claro que discussões e desentendimentos devem ser evitados. A suspensão, ou corte de energia, é um dos últimos processos de cobrança adotados pela Cemig para clientes inadimplentes. Antes de decidir pelo corte, a Cemig realiza outros tipos Eletricistas participam de treinamento de cobrança aos clientes inadimplentes, propondo alternativas de negociação. As notificações chegam ao consumidor por correio, , telefone ou pela própria conta de energia, o que reduz o número de visitas dos eletricistas à residência, evitando desgaste no relacionamento com o consumidor, especialmente aqueles que são adimplentes e acabam se esquecendo de pagar uma ou outra fatura. Além disso, a Cemig participa de eventos de conciliação do Judiciário e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, onde são feitos acordos. Durante as oficinas, eletricistas aprendem técnicas de relacionamento interpessoal 12 Av. Barbacena, º andar - Ala B Fax / Caixa Postal 992 CEP Belo Horizonte MG

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Roberto Proença da Silva Carlos Alberto Moura Companhia Energética de Minas Gerais - CEMIG Superintendência de Tecnologia da Informação - TI Gerência de

Leia mais

Conviver Rural Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência. Grandes resultados para os pequenos produtores do Jaíba.

Conviver Rural Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência. Grandes resultados para os pequenos produtores do Jaíba. Para se ter eficiência energética é preciso ter inteligência Desde 1998, por lei, toda distribuidora de energia precisa investir em ações que reduzam o desperdício de energia elétrica. Uma determinação

Leia mais

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL COMITÊ NACIONAL BRASILEIRO. SOLUÇÕES INTEGRADAS EM ÁGUA E ENERGIA ELÉTRICA Tema 3: Eficiência Energética

COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL COMITÊ NACIONAL BRASILEIRO. SOLUÇÕES INTEGRADAS EM ÁGUA E ENERGIA ELÉTRICA Tema 3: Eficiência Energética COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL COMITÊ NACIONAL BRASILEIRO V CIERTEC - SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE GESTÃO DE PERDAS, EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA E PROTEÇÃO DA RECEITA NO SETOR ELÉTRICO Área

Leia mais

Para-raios CATÁLOGO DE SERVIÇOS. www.tel.com.br

Para-raios CATÁLOGO DE SERVIÇOS. www.tel.com.br PÁGINA 1 RAIOS 4 2 NORMAS E CERTIFICAÇÕES 6 2.1 EXIGÊNCIAS REGULAMENTARES 7 3 A EMPRESA 9 4 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA 4.1 PROJETO DE SPDA 4.2 MEDIÇÃO DE CONTINUIDADE ELÉTRICA EM ARMADURA DE

Leia mais

Manual do Integrador. Programa de Formação

Manual do Integrador. Programa de Formação Manual do Integrador Programa de Formação Introdução As oportunidades de iniciação de frentes de negócios na indústria fotovoltaica brasileira são diversas e estão abertas a todos aqueles que desejam começar

Leia mais

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira.

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. 1 Sumário Produção de Energia Elétrica no Brasil e o no Mundo Características de Usinas

Leia mais

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida Soluções inteligentes em energia Energia para a vida O Brasil e o mundo contam com a nossa energia. A Prátil é uma empresa de soluções inteligentes em energia, que atua nos segmentos de infraestrutura

Leia mais

Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP com vistas à otimização energética do parque brasileiro

Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP com vistas à otimização energética do parque brasileiro Superintendência de Regulação dos Serviços de Geração - SRG Workshop: Repotenciação de Usinas Hidrelétricas Brasília-DF 14 de julho de 2011 Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP

Leia mais

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002.

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002. COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

BANDEIRAS TARIFÁRIAS ENTENDA COMO FUNCIONA

BANDEIRAS TARIFÁRIAS ENTENDA COMO FUNCIONA BANDEIRAS TARIFÁRIAS ENTENDA COMO FUNCIONA BANDEIRAS TARIFÁRIAS O QUE É A BANDEIRA TARIFÁRIA? A bandeira tarifária é uma forma mais clara de demonstrar o quanto custa a geração de energia, permintindo

Leia mais

Anexo 1 1/19. RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado. Classificação: Reservado

Anexo 1 1/19. RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado. Classificação: Reservado Anexo 1 RT-PP/PC-25/2013 27/08/2013 Classificação: Reservado Classificação: Reservado 1/19 Experiência CEMIG com a João José Magalhães Soares Engenheiro Eletricista e de Segurança do Trabalho Gerente de

Leia mais

Informativo Eletrônico do Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim

Informativo Eletrônico do Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim BOLETIM DIGITAL Edição 5 - Julho 2014 Informativo Eletrônico do Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Guandu, da Guarda e Guandu-Mirim Estresse hídrico na Bacia do Paraíba do Sul preocupa Comitê Foto:

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015

Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015 1 Entrevista Jorge M. Samek Diretor Geral Brasileiro - Itaipu Binacional Curitiba, 13 de abril de 2015 P - O que significa para a Itaipu Binacional, para Foz do Iguaçu e região trinacional (Argentina,

Leia mais

Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira

Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira AULA Fundação 4 MATRIZ Universidade ELÉTRICA Federal de Mato Grosso do Sul 1 Matriz Energética Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira Prof. Márcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul FAENG /

Leia mais

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Apresentação A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, COPASA, criada em 1963, é uma empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política

Leia mais

GESTÃO CORPORATIVA - DGE

GESTÃO CORPORATIVA - DGE GESTÃO CORPORATIVA Heleni de Mello Fonseca Diretoria de Gestão Empresarial - DGE Apresentador: Lauro Sérgio Vasconcelos David Belo Horizonte, 29 de maio de 2006 1 AGENDA Direcionamento Estratégico Iniciativas

Leia mais

José Mario Dionizio. André Luis Sermarini

José Mario Dionizio. André Luis Sermarini GESTÃO AMBIENTAL EM SUBESTAÇÕES AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL COM VISTAS A PRESERVAR A IMAGEM DA CIA E GARANTIR A SUSTENTABILIDADE DE SEUS NEGÓCIOS José Mario Dionizio

Leia mais

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise O forte período de estiagem que assola a região é o tema desta edição especial do

Leia mais

Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País

Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País Atraso afeta as obras de geração e distribuição no País SETEMBRO 23, 2014 by ABEGAS REDACAO in NOTÍCIAS Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) constatou grandes atrasos nas obras de geração e transmissão

Leia mais

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Eng. Mário Cicareli Pinheiro POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. mario.cicareli@potamos.com.br Belo Horizonte, 27 de março de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011

Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Investimentos da AES Brasil chegam a R$ 1,1 bi em 2010 e meta é R$ 1,2 bi para 2011 Grupo aumentou quadro de colaboradores próprios em 29%. Juntas, AES Eletropaulo e AES Sul distribuíram energia para mais

Leia mais

Entenda a Indústria de Energia Elétrica

Entenda a Indústria de Energia Elétrica ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DISTRIBUIDORES DE ENERGIA ELÉTRICA Entenda a Indústria de Energia Elétrica Módulo 4 transmissão Entenda a Indústria de Energia Elétrica Módulo 4 5 O transporte da energia elétrica:

Leia mais

PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica

PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica ILUMEXPO 2015 São Paulo, 1º de junho de 2015 George Alves Soares Sistema Eletrobras Geração e Transmissão Geração Geração Binacional (100,00%)

Leia mais

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens

Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Núcleo Regional de Minas Gerais: o desafio de se tornar um fórum de discussão sobre barragens Reportagem: CLÁUDIA RODRIGUES BARBOSA Newsletter CBDB - O que diferencia o Núcleo Regional de Minas Gerais

Leia mais

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil São Paulo, 27 de Novembro de 2013 Agenda Grupo EDP Apresentação do projeto Status de

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

ESTRUTURA DE UMA USINA HIDRELÉTRICA

ESTRUTURA DE UMA USINA HIDRELÉTRICA ESTRUTURA DE UMA USINA HIDRELÉTRICA Orientações didáticas para o professor 1º PASSO PREPARANDO OS ALUNOS Neste primeiro momento, talvez os alunos ainda não saibam exatamente como funciona uma usina hidrelétrica,

Leia mais

* Desvio - Critérios de Projeto. * Tipos de Desvios: Exemplos. * Casos históricos importantes

* Desvio - Critérios de Projeto. * Tipos de Desvios: Exemplos. * Casos históricos importantes MARÇO/2011 EXPERIÊNCIA BRASILEIRA EM DESVIO DE GRANDES RIOS ERTON CARVALHO COMITÊ BRASILEIRO DE BARRAGENS - CBDB PRESIDENTE * Desvio - Critérios de Projeto * Etapas de Desvio * Tipos de Desvios: Exemplos

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO HIDRELÉTRICAS Definição Originada a partir da energia solar, responsável pela evaporação da água; A água que precipita é armazenada na forma de

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar mais

Leia mais

São Gotardo, MG, Brasil, 18 a 19 de novembro de 2003

São Gotardo, MG, Brasil, 18 a 19 de novembro de 2003 RELATÓRIO DE REUNIÃO I CONFERÊNCIA DE MEIO AMBIENTE DA REGIÃO SF4 São Gotardo, MG, Brasil, 18 a 19 de novembro de 2003 Índice Convite...3 Relatório de Viagem - elaborado por Barbara Johnsen (Secretaria

Leia mais

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000

Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000 PROGRAMA : 016 - DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA GOVERNAMENTAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : 2141 - DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS

Leia mais

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Page 1 of 5 Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Reportagem Especial

Leia mais

Mudanças Climáticas Ações em SC SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL

Mudanças Climáticas Ações em SC SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL Mudanças Climáticas Ações em SC SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL Funções da SDS Mudanças Climáticas Política Estadual sobre Mudanças Climáticas Objetivos: Fomento e incentivo

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

LASE 2015 + WORKSHOP 2: + BRAIN DATE: Seminário de Licenciamento e Gestão Socioambiental no Setor Elétrico. 6 a. edição

LASE 2015 + WORKSHOP 2: + BRAIN DATE: Seminário de Licenciamento e Gestão Socioambiental no Setor Elétrico. 6 a. edição tel 2738-0838 / liberomais.com.br LASE 2015 Seminário de Licenciamento e Gestão Socioambiental no Setor Elétrico 6 a edição Panorama do setor elétrico: MP, leilões, inovações e aspectos Reportando aos

Leia mais

PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015

PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 PORTARIA Nº 23, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 Estabelece boas práticas de gestão e uso de Energia Elétrica e de Água nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional

Leia mais

Para produzir energia elétrica e

Para produzir energia elétrica e Produção de energia elétrica A UU L AL A uma notícia de jornal: Leia com atenção o texto a seguir, extraído de Seca agrava-se em Sobradinho e ameaça causar novo drama social no Nordeste Para produzir energia

Leia mais

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO

Orçamento ANEXO III ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO Governo do Estado de Minas Gerais Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Qualidade do Gasto Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL Audiência Pública nº47 Data: 27/08/2015 Concessão: Bandeirante Cidade: São José dos Campos/SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS SOMOS RESPONSÁVEIS PELA... Regulação Mediação

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto

SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto Direitos e Deveres do Usuário Publicado e distribuído pela: Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro - RJ 2014 MENSAGEM

Leia mais

Cliente Celpe. Seja bem-vindo. Orientações Importantes sobre a Energia Elétrica e o Uso Consciente

Cliente Celpe. Seja bem-vindo. Orientações Importantes sobre a Energia Elétrica e o Uso Consciente Cliente Celpe Seja bem-vindo. Orientações Importantes sobre a Energia Elétrica e o Uso Consciente LIGAÇÃO NOVA Ao construir ou adquirir um imóvel novo, é necessário solicitar que a Celpe faça a ligação

Leia mais

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador

Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador Monitoramento da Qualidade do Serviço no Brasil Visão do Órgão Regulador 4º Congreso Internacional de Supervisión del Servicio Eléctrico Romeu Donizete Rufino Diretor-Geral da ANEEL 27 de novembro de 2014

Leia mais

PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007

PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007 N 1 PCH CARANGOLA INFORMATIVO DA PEQUENA CENTRAL HIDRELÉTRICA CARANGOLA Edição Especial n o 2 15 Meses de Obras Setembro de 2007 Obras movimentam comércio de Carangola e trazem mais recursos para o município

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Mesa Redonda - Perspectivas de Suprimento e Preços da Energia Elétrica para a Indústria

Mesa Redonda - Perspectivas de Suprimento e Preços da Energia Elétrica para a Indústria Mesa Redonda - Perspectivas de Suprimento e Preços da Energia Elétrica para a Indústria Sílvio Roberto Areco Gomes ABRAGE São Paulo 05 de junho de 2008 ROTEIRO A ABRAGE Situação Atual do Armazenamento

Leia mais

Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia

Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia Desafios Técnicos e Socioeconômicos da Oferta de Energia Nelson Leite Presidente da ABRADEE 1 Porto Alegre, 18 de junho de 2015 1 Agenda 1 - Panorama do setor de distribuição de E. Elétrica 2 - Perspectivas

Leia mais

GRUPO SCHEIDT. Satisfação em Conhecê-los!

GRUPO SCHEIDT. Satisfação em Conhecê-los! GRUPO SCHEIDT Satisfação em Conhecê-los! Grupo Scheidt 1 Grupo de Empresas especializadas em Segurança Inteligente na área Patrimonial e Eletrônica 52 anos Soma da Experiência dos Sócios na área de Segurança

Leia mais

ADEQUAÇÃO CONFORME NORMA REGULAMENTADORA Nº 10

ADEQUAÇÃO CONFORME NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 ADEQUAÇÃO CONFORME NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 (1) Rogério Pereira da Silva Resumo Este trabalho tem como objetivo geral apresentar uma forma de Adequação a NR-10 e a elaboração do Prontuário. Descrevendo

Leia mais

ENERGIA RENOVÁVEIS & EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ENERGIA RENOVÁVEIS & EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ENERGIA RENOVÁVEIS & EFICIÊNCIA ENERGÉTICA SUPERINTENDÊNCIA DE PROJETOS DE GERAÇÃO (SPG) CHESF 1 TEMAS ABORDADOS PERFIL DA CHESF MATRIZ ENERGÉTICA FONTES DE ENERGIA RENOVÁVEIS & NUCLEAR ASPECTOS ECONÔMICOS

Leia mais

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future

GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future GREEN BUILDING COUNCIL BRASIL Building a Sustainable Future "Desenvolver a indústria da construção sustentável no país, utilizando as forças Visão de mercado do GBC para conduzir Brasil a adoção (Sonho

Leia mais

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A.

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Rogério Sales GÓZ Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Brasil RESUMO

Leia mais

Somos uma das empresas que mais crescem no país

Somos uma das empresas que mais crescem no país ed. 3 / ano 1 / outubro 2013 J. Fonseca conquista novos segmentos Segurança em primeiro lugar Somos uma das empresas que mais crescem no país editorial Crescendo, mas sem esquecer da segurança A terceira

Leia mais

Formas de uso da água

Formas de uso da água Formas de uso da água INTRODUÇÃO A água é utilizada para várias atividades humanas: uso doméstico, geração de energia, irrigação, navegação, lazer, entre outras atividades. Distribuição relativa do consumo

Leia mais

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010

MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS. São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 MUDANÇAS DO CLIMA E OS RECURSOS HÍDRICOS São Carlos, 25 de fevereiro de 2010 A BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE PLANEJAMENTO OCUPAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA O DESMATAMENTO DAS BACIAS OCUPAÇÃO DA BACIA

Leia mais

RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Deodato do Nascimento Aquino Técnico

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos

Gestão de Recursos Hídricos Gestão de Recursos Hídricos Sustentabilidade e o Valor Econômico da Água na Mineração José Roberto Centeno Cordeiro Leonardo Mitre Alvim de Castro ANGLO FERROUS BRAZIL PLANO DA APRESENTAÇÃO 1. AS VISÕES

Leia mais

JOÃO JOSÉ MAGALHÃES SOARES

JOÃO JOSÉ MAGALHÃES SOARES JOÃO JOSÉ MAGALHÃES SOARES ENGENHEIRO ELETRICISTA E DE SEGURANÇA DO TRABALHO GERENTE DE SEGURANÇA DO TRABALHO SAÚDE E BEM ESTAR DA CEMIG PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA CONSELHEIRO

Leia mais

AGENTE DE COMERCIALIZAÇÃO I

AGENTE DE COMERCIALIZAÇÃO I Anexo C doedital 02/2012 SUMÁRIOS DOS CARGOS SECRETÁRIA I Secretariar o gerente e o órgão, facilitando o desempenho de suas atividades, contribuindo para o melhor resultado no atendimento aos clientes

Leia mais

Consumo Consciente Energia Elétrica

Consumo Consciente Energia Elétrica Consumo Consciente Energia Elétrica Agosto 2010 Planeta SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO Incentivo ao consumo responsável e consciente IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA O GRUPO Compra energia elétrica de 23 concessionárias

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT Autor Gustavo César de Alencar LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. RESUMO O objetivo deste trabalho é mostrar todo o esforço que a Light

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE CONGRESSOS, EXPOSIÇÕES,

Leia mais

Março 2007 DT 001_REV 01

Março 2007 DT 001_REV 01 Março 2007 DT 001_REV 01 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 2 CONCEITO BÁSICO SOBRE TARIFA DE ENERGIA ELÉTRICA... 2.1 Classes e subclasses de consumo... 2.2 Componentes das Tarifas de Energia Elétrica... 3 ESTRUTURA

Leia mais

Simulador de Custos de Contratação de Energia para Grandes Consumidores

Simulador de Custos de Contratação de Energia para Grandes Consumidores Simulador de Custos de Contratação de Energia para Grandes Consumidores Aluno: Bruna dos Guaranys Martins Orientador: Delberis Araújo Lima Projeto: 1011 Introdução No Brasil, existem diferentes tipos de

Leia mais

de luz está mais transparente. Conheça as bandeiras tarifárias.

de luz está mais transparente. Conheça as bandeiras tarifárias. Agora, a sua conta de luz está mais transparente. Conheça as bandeiras tarifárias. Agora, em todo o país, as bandeiras tarifárias vêm impressas na conta de luz. E, para saber se o valor da sua conta irá

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 -

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 - 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 - ÓRGÃO/ENTIDADE PEÇAS E CONTEÚDOS - EERCÍCIO 2011 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO

Leia mais

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Assinatura Digital Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Agenda O papel da CCEE Visão geral da comercialização de energia elétrica no Brasil Processo de Assinatura

Leia mais

SIMULADO ABERTO ENEM 2015

SIMULADO ABERTO ENEM 2015 SIMULADO ABERTO ENEM 2015 1) A figura mostra a bela imagem de um gato ampliada pela água de um aquário esférico. Trata-se de uma imagem virtual direita e maior. A cerca do fenômeno óptico em questão, é

Leia mais

Gestão Ambiental. Diretrizes GRI: 2 EC2 EN27. Conformidade Legal. Principais Aspectos e Impactos Ambientais. Equilíbrio

Gestão Ambiental. Diretrizes GRI: 2 EC2 EN27. Conformidade Legal. Principais Aspectos e Impactos Ambientais. Equilíbrio GRI: 2 EC2 EN27 Gestão Ambiental Diretrizes Conformidade Legal Todas as usinas operadas pela Tractebel Energia possuem as autorizações e licenças ambientais exigidas pela legislação em vigor. A Companhia

Leia mais

Uma Agenda Para o Desenvolvimento do Setor Elétrico Brasileiro. Joisa Dutra 1

Uma Agenda Para o Desenvolvimento do Setor Elétrico Brasileiro. Joisa Dutra 1 Uma Agenda Para o Desenvolvimento do Setor Elétrico Brasileiro. Joisa Dutra 1 O desenvolvimento do setor elétrico é essencial para promover crescimento do Brasil. Entretanto, a conjuntura atual do setor

Leia mais

Este capítulo detalha como o Plano Estratégico do Sistema Eletrobras 2010-2020 foi construído e quais são as suas bases.

Este capítulo detalha como o Plano Estratégico do Sistema Eletrobras 2010-2020 foi construído e quais são as suas bases. 54 Relatório de Sustentabilidade do Sistema Eletrobras 2010 ESTRATÉGIA O primeiro Plano Estratégico do Sistema Eletrobras foi construído em conjunto por profissionais DE TODAS AS EMPRESAS e criou um sentimento

Leia mais

Usina São Luiz S/A. Declaração de ciência do regulamento

Usina São Luiz S/A. Declaração de ciência do regulamento Declaração de ciência do regulamento Declaramos, para os devidos fins, que: i) Estamos cientes e de acordo com as condições do Regulamento do Prêmio de Mérito Ambiental. ii) A empresa está cumprindo as

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Pedro Uczai) Dispõe sobre incentivos à utilização da energia solar e dá nova redação ao artigo 82 da Lei nº 11.977, de 7 de julho de 2009. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas

Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas Answers for energy. Turbina Francis, gerador síncrono e unidade hidráulica Cubículos de média tensão Transformadores de distribuição Uma completa

Leia mais

CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015

CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015 CARTA DAS ÁGUAS DO ACRE 2015 A Carta das Águas do Acre 2015 é o documento resultado do Seminário Água e Desenvolvimento Sustentável realizado pelo Governo do Estado do Acre, através da Secretaria de Estado

Leia mais

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A CALENDÁRIO DE EVENTOS CORPORATIVOS - 2010

CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A CALENDÁRIO DE EVENTOS CORPORATIVOS - 2010 CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S/A CALENDÁRIO DE EVENTOS CORPORATIVOS - 2010 0BInformações sobre a Companhia Denominação Social: Endereço da Sede: Endereço na Internet Diretor de Finanças, Participações e

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão 00-fevereiro de 2014 1/11 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 2. OBJETIVOS DO SISTEMA DE GESTÃO... 3 3. ORGANIZAÇÃO... 4 4. HISTÓRICO... 6 5.

Leia mais

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição 1. Qual o objetivo do Prêmio Petrobras SMES IV Edição? O Prêmio Petrobras SMES IV Edição tem por objetivo estimular a força de trabalho da Companhia

Leia mais

III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil. Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013

III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil. Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013 III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013 PRINCIPAIS INDICADORES DO SETOR DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 1. Objeto. 2. Referências. OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS UHE / PCH / CGH 3. Obtenção de outorgas junto ao. 4. Fluxograma dos procedimentos para uso

Leia mais

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos

BDMG. Semana Mineira de Redução de Resíduos. Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos BDMG Semana Mineira de Redução de Resíduos Instrumentos Financeiros para Redução de Resíduos Novembro de 2010 BDMG Desenvolvimento, inclusão social e sustentabilidade Perfil do BDMG Fundação: Lei Estadual

Leia mais

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas A Blue Sol Energia Solar visa disseminar a tecnologia fotovoltaica e o conhecimento sobre os temas no Brasil promovendo, portanto, uma fonte limpa, renovável e inesgotável de energia, alinhada com a crescente

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e 1 Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de dizer

Leia mais

ENTENDENDO A FATURA DE ENERGIA ENTENDA COMO É FORMADA A FATURA DE ENERGIA ELÉTRICA E DESCUBRA POR QUE VOCÊ PAGA TÃO CARO

ENTENDENDO A FATURA DE ENERGIA ENTENDA COMO É FORMADA A FATURA DE ENERGIA ELÉTRICA E DESCUBRA POR QUE VOCÊ PAGA TÃO CARO ENTENDENDO A FATURA DE ENERGIA ENTENDA COMO É FORMADA A FATURA DE ENERGIA ELÉTRICA E DESCUBRA POR QUE VOCÊ PAGA TÃO CARO 1. APRESENTAÇÃO O Grupo Genergia, em total sinergia com o pensamento mundial, aliando

Leia mais

Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo

Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo X PRÊMIO LIF 2011 Prêmio de Sustentabilidade da Câmara de Comércio França-Brasil Programa de Educação Ambiental da Usina Hidrelétrica Passo Fundo Participante: Tractebel Energia Categoria: Apoio às comunidades

Leia mais

Seminário Renovação de Concessões do Setor Público de Energia Elétrica Painel 3 O Futuro das Concessões A Visão dos Agentes de Geração

Seminário Renovação de Concessões do Setor Público de Energia Elétrica Painel 3 O Futuro das Concessões A Visão dos Agentes de Geração Seminário Renovação de Concessões do Setor Público de Energia Elétrica Painel 3 O Futuro das Concessões A Visão dos Agentes de Geração Maurício de Abreu Soares Diretor Executivo da ABRAGE Porto Alegre

Leia mais

Aprovação dos Procedimentos de Rede em caráter definitivo. Brasília 26 e 27/nov/2008

Aprovação dos Procedimentos de Rede em caráter definitivo. Brasília 26 e 27/nov/2008 Audiência Pública 049/2008 Aprovação dos Procedimentos de Rede em caráter definitivo SRT Brasília 26 e 27/nov/2008 Audiência Pública - 26/11/2008 - tarde Módulo 8 - Programação da operação eletroenergética

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS.

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA 2016 A Política de Responsabilidade Social da AngloGold Ashanti define como um de seus princípios que a presença de nossa

Leia mais

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015

BOLETIM DE NOTÍCIAS. Janela de Negócios. Market News. Edital do Leilão de Geração A-1 entra em audiência pública. 5 de outubro de 2015 BOLETIM DE NOTÍCIAS Janela de Negócios Demanda de Energia I5: Períodos de Suprimento Montante em (MW médios) Ideia de preço (NÃO É PROPOSTA) 1º trimestre 2016 Até 5 R$185/MWm Demanda de Energia Convencional:

Leia mais

DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DO SUL

DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DO SUL DESAFIOS DO SETOR ENERGÉTICO NO RIO GRANDE DO SUL Humberto César Busnello A SITUAÇÃO ENERGÉTICA DO RIO GRANDE DO SUL TEM QUE SER VISTA NO CONTEXTO DO MODELO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO, ESPECIALMENTE

Leia mais

jornalismo a serviço da cidadania

jornalismo a serviço da cidadania Um investimento, muitos resultados Além de obter visibilidade em 15 mil exemplares que são distribuídos gratuitamente, de porta em porta, para um público de excelente poder aquisitivo, nos bairros Anchieta,

Leia mais

Técnicas passivas; Técnicas ativas.

Técnicas passivas; Técnicas ativas. Definição: a conservação de energia deve ser entendida como a utilização de uma menor quantidade de energia para a obtenção de um mesmo produto ou serviço através da eliminação do desperdício; Técnicas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.334, DE 20 DE SETEMBRO DE 2010. Estabelece a Política Nacional de Segurança de Barragens destinadas à acumulação de água

Leia mais

Gestão do Conhecimento Case Documentar

Gestão do Conhecimento Case Documentar Gestão do Conhecimento Case Documentar GESTÃO DO CONHECIMENTO CASE DOCUMENTAR Empresa: Documentar Tecnologia e Informação Localização: R. Barão de Macaúbas 460 20º Andar Santo Antônio BH/MG Segmento: Tecnologia,

Leia mais

ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES

ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES ANÁLISE ENERGÉTICA DO RIO TIETÊ A ENERGIA E SUAS POSSIBILIDADES Matheus Henrique Soares Zanqueta¹; Antonio Carlos Caetano de Souza² UFGD-FAEN, C. Postal 533, 79804-970 Dourados-MS, E-mail: matheuszanqueta@outlook.com

Leia mais

vigilância armada e desarmada vigilância orgânica portaria

vigilância armada e desarmada vigilância orgânica portaria GesOper Gestão Operacional para Guardas Municipais e Universidades 1. O que é o GesOper O GesOper é um software integrado, desenvolvido com o objetivo de obter resultados para a tomada de decisões através

Leia mais

A beleza é resultado do trabalho de todos. Responsabilidade Compartilhada

A beleza é resultado do trabalho de todos. Responsabilidade Compartilhada Responsabilidade Compartilhada A beleza é resultado do trabalho de todos A preocupação e o fortalecimento do relacionamento com nossos públicos estão presentes em toda a história do Grupo Boticário. Desde

Leia mais