TEATRO AMAZONAS: UMA ALTERNATIVA DE LAZER PARA GRUPOS DA MELHOR IDADE NA CIDADE DE MANAUS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEATRO AMAZONAS: UMA ALTERNATIVA DE LAZER PARA GRUPOS DA MELHOR IDADE NA CIDADE DE MANAUS"

Transcrição

1 Revista Eletrônica Aboré - Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo Manaus Edição 03 Nov/2007 ISSN TEATRO AMAZONAS: UMA ALTERNATIVA DE LAZER PARA GRUPOS DA MELHOR IDADE NA CIDADE DE MANAUS RESUMO Ana Cláudia Leite de Oliveira 1 Profª Dra. Elizabeth Filippini 2 Este estudo aborda o lazer para o idoso, seu significado e importância no contexto do Teatro Amazonas, como uma alternativa de adaptação às mudanças e perdas sociais que os idosos enfrentam no dia-a-dia. Abordam-se aspectos referentes ao lazer para o público da Melhor Idade, bem como sugere-se que os profissionais do turismo trabalhem o lazer como forma de reintegrar o idoso à sociedade, já que contribui para o seu desenvolvimento físico e social, além de dar margem à criação de atividades dentro dos espaços culturais como o Teatro Amazonas, que possam ajudá-los na diversificação de sua prática social. Palavras-Chave: Lazer. Melhor Idade. Teatro Amazonas. ABSTRACT This study it approaches on the leisure for the aged one, its meaning and importance in the context of the Amazon Theater, as a social alternative of adaptation to the changes and losses that the aged ones face in day-by-day. Referring aspects to the leisure for the public of the Best Age are approached, as well as suggest that the professionals of the tourism work the leisure as form to reintegrate the aged one to the society, since she contributes for its physical and social development, beyond giving edge inside to the creation of activities of the cultural spaces as the Amazon Theater, that can help them in the diversification of social practical its. Word-Keys: Leisure. Better Age. Amazon Theater. 1. INTRODUÇÃO O idoso de hoje é visto como um ser improdutivo e sedentário, que merece o desprezo e a marginalização. De que forma pode-se reintegrá-lo à vida em sociedade, contribuindo para o seu desenvolvimento e prática social? 1 Especializando em Turismo e Desenvolvimento Local pela UEA, Bacharel em Turismo pela UNINORTE. E- mail: 2 Orientadora, Historiadora, Professora Doutora da Universidade do Estado do Amazonas.

2 2 O estudo aborda o lazer para o idoso, seu significado e importância no contexto de um ponto turístico da cidade de Manaus: o Teatro Amazonas, que se coloca neste trabalho como uma alternativa de adaptação às mudanças e perdas sociais que o idoso enfrenta no dia-a-dia. A pesquisa é de grande importância para o setor turístico, pois dota o idoso de conhecimento para sua auto-estima, além de propiciar conhecimentos fundamentais para aplicação prática, capacitando cada vez mais o profissional do turismo para trabalhar com grupos da Melhor Idade. 2. REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 O Teatro Amazonas Considerado um dos grandes pontos turísticos da região amazônica, especificamente do Estado do Amazonas, o Teatro Amazonas representa bem o fastígio do ciclo econômico da borracha (Fig. 01). Sua inauguração foi realizada pelo Dr. Fileto Pires Ferreira, sucessor de Eduardo Ribeiro ao governo do Amazonas, no dia 31 de dezembro de Fig. 01: o Teatro Amazonas. Fonte: Apesar de ser mais um ato protocolar da época, a propalada inauguração só ocorreu a 7 de janeiro de 1897, com a estréia da famosa Companhia Lírica Italiana, que encenou, La Gioconda, de Ponchielli. Desde a inauguração, o Teatro Amazonas recebeu uma infinidade de companhias estrangeiras e do país, numa sucessão de apresentações que mal permitia ao público assisti-las todas.

3 3 Após a estréia apoteótica da Lírica Italiana, enquanto a cotação da borracha assegurou o progresso da região, além de solistas individuais, estiveram no palco grupos da Itália, da França, de Portugal e da Espanha. Para o público que se acotovelava por um lugar no antigo e desconfortável Éden Teatro, antes da construção do Teatro Amazonas, e já estava familiarizado com o repertório operístico, a repetição de algumas montagens, mesmo com elencos diferentes, gerou uma saturação com os programas apresentados ou anunciados. O prestígio do Teatro estava no auge. A cidade vivia em torno do repertório encenado no palco do palácio neoclássico. Suas escadarias serviam de passarela para os homens que iam de casaca. As poucas senhoras, de decote e cobertas de jóias; as muitas cocottes, ainda mais decotadas e mais cheias de jóias, como observaria Gilberto Freyre. O Teatro Amazonas também era um chamariz de artistas consagrados e de talentos recém-revelados. Oferecia palco e platéia (700 lugares na platéia e nas frisas) (Fig. 02) apropriados para confirmar ou projetar a qualidade dos intérpretes. Fig. 02 Assentamentos para a platéia do Teatro Amazonas Fonte: T. A Porém, o ciclo do Eldorado que parecia eterno duraria somente até 1910, ao todo, 60 anos desde 1850, e teve os reflexos na programação do Teatro. Banquete para comemorar aniversário de governador, exibições de faquires e mágicos, bailes de carnaval, projeção de filmes sonoros, entre outros eventos, tomariam o espaço antes reservado a apresentações de artistas qualificados. A ruína econômica não somente silenciou o eco das árias entoadas nas noites de glória do Teatro Amazonas. Todo o acervo arquitetônico e artístico também foi danificado e saqueado ao longo de décadas em que a ação predatória teve incentivo da impunidade. Quase

4 4 destruiu de vez um patrimônio valioso que somente em parte, embora significativa, pode ser recuperado em diversas reformas destaque para a recuperação de sua majestosa cúpula (Fig. 03) realizadas durante o demorado intervalo de mais de 80 anos. Fig. 03 Cúpula do Teatro Amazonas Fonte: T. A Das inúmeras reformas, feitas sucessivamente desde 1925, mas com longos intervalos, quatro contribuíram de maneira significativa para restituir grandiosidade ao Teatro Amazonas. Em 1926, 1974 e, por fim, 1990, o poder público reassumiu, depois de abandoná-lo por muito tempo à própria sorte, o encargo de recuperar e preservar o brilho da jóia na selva. Desde que fora fechado em 1987, após a rápida reforma de 1974, quando chegou a funcionar para apresentações de toda espécie, menos de arte dramática, o Teatro só abria para receber visitas de turistas estrangeiros. Porém, a reforma concluída nos anos 90 permitiu-lhe reabrir em definitivo suas portas, reeditando em parte o brilho das noites do início do século. O espetáculo da reinauguração foi anunciado como o primeiro de uma série que se destinava a reintegrar Manaus no circuito internacional da ópera. O Teatro Amazonas funciona normalmente como casa de espetáculos, com atrações artísticas regionais, nacionais e internacionais. Hoje abriga o Coral, o Corpo de Dança e a Orquestra Filarmônica. Desde 1974 o Teatro Amazonas foi tombado como patrimônio nacional. Sendo o mais importante prédio da cidade, não somente pelo seu inestimável valor arquitetônico, mas principalmente pela sua importância histórica, O Teatro Amazonas através das apresentações da sua Companhia de Dança, Coral, Orquestra Filarmônica e do Festival de Ópera, pode oferecer momentos de lazer significativos para os integrantes de grupos da

5 5 Melhor Idade, que ainda não tiveram oportunidade de vivenciar momentos culturais desse porte, desenvolvendo a vida social e integrando o idoso à sua própria história. 2.2 O lazer Lazer é um tema atual de suma importância para o turismo. Segundo explanação do novo dicionário da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Hollanda, a palavra lazer provém do verbo latino LICERE, que significa ser lícito, ser permitido. Chegou à língua portuguesa através do arcaísmo lezer. Atualmente, o sentido firmado do termo é ócio, folga, vagar. Em seu dicionário etimológico, Cunha (1982) além de realizar a explicitação de idênticas origens e das mesmas bases etimológicas, registra como acréscimo aos significados acima referidos, o sentido de passatempo. Os significados são claros, a idéia de lazer tende a ser ausência em diferentes formas de restrição ou de dependência, ausência de regras, obrigações, de regressão ou de censura. Junto às idéias presentes, o lazer significa ter um tempo para fazer qualquer coisa que goste. A prática e a necessidade do lazer, não são fenômenos recentes, mas tendo em vista as características da sociedade brasileira, somente na atualidade o lazer adquiriu significação própria. Como afirma a Revista Veja (2003, p.38), a sociedade apresenta períodos diferentes, no que se refere à importância atribuída ao lazer. A divisão de trabalho e lazer passa a ocorrer a partir do momento em que os locais de trabalho já não estão próximos às residências. Há horários definidos para o trabalho e o para o lazer, quando este último passa a fazer parte da vida social. O lazer tem fundamental importância para o indivíduo. Ele pode atuar como recuperador da fadiga física e nervosa decorrente das obrigações cotidianas, dentre elas, o trabalho diário. Atua no combate ao tédio, pois representa uma fuga através do divertimento, para um mundo diferente do freqüentado diariamente e proporciona o desenvolvimento da personalidade do indivíduo, ao adquirir valores de companheirismo, solidariedade e lealdade. A chamada Melhor Idade e o lazer dão início a um contexto pelo qual o idoso se conscientiza aos poucos de que é possível adquirir uma melhoria na sua qualidade de vida através do lazer. De acordo com o jornal O Globo (2003), tanto na Europa, quanto nos

6 6 Estados Unidos os idosos são, comparativamente às pessoas de outras faixas etárias, os que menos freqüentam equipamentos de lazer, ou participam de atividades. Na mesma matéria, o Globo informa ainda que no Brasil a situação não é diferente, pelo contrário, uma série de fatores sociais, entre os quais a realidade da aposentadoria traz como frutos amargos o baixo poder aquisitivo e a conseqüente redução do padrão de vida, provando todo um clima favorável para a não vivência da Melhor Idade, como o tão esperado paraíso do lazer, nada de horários, de obrigações, mas tão somente viver a vida. Na concepção de Andrade (1982, p. 36), a percepção do lazer como uma forma de ocupação do tempo livre, dá-se de maneiras diferentes entre os vários segmentos etários. O autor informa que na infância e na adolescência, o lazer é visto como parte inseparável do processo de formação do indivíduo, dividindo com a educação formal, o tempo disponível. Na fase adulta, o lazer é freqüentemente confundido com o não trabalho e, muitas vezes, relegado a segundo plano. O aumento do tempo livre para os idosos é mais uma das diversas alterações que ocorrem em suas vidas, juntando-se às transformações sociais, biológicas e psicológicas. Para Sephard (2003, p. 48), o lazer tem um papel social a cumprir ao enfrentar a solidão na recuperação da auto-estima e como fonte da inspiração a um modo de viver mais saudável e completo. O lazer é um meio de manter vínculos sociais que tendem a ter diminuição com o avançar da idade. É também um instrumento de ressocialização, capaz de fazer nascer laços de amizade, companheirismo e apoio mútuo. 2.3 A Melhor Idade e o seu lazer Acredita-se que envelhecer é a grande conquista dentro da vida. E é uma verdade, já que se chega a essa fase com muitas experiências e vivências, o que nos torna fontes vivas de informações. Para Cachioni (2003, p.155), a velhice e o envelhecimento são partes integrantes da condição humana, mesmo assim, existe muito desconhecimento e preconceito sobre esses fenômenos, provavelmente porque são associados ao declínio e à morte. De acordo com Salgado (2003, p. 13), definir ou conceituar velhice é o ponto primeiro para uma reflexão. Para tanto, na análise de um grupo de idosos, devem-se levar em conta os múltiplos e diferentes critérios que incidem sobre a situação, e que são freqüentemente usados na caracterização do que é velhice.

7 7 O mesmo autor ainda diz que a atitude mais acertada está em entender a velhice como uma circunstância ampla com múltiplas dimensões. Sendo um momento do processo biológico, não deixa de ser também um fato social e cultural. A experiência coletiva de várias sociedades quanto a uma velhice bem-sucedida, isto é, muito mais saudável, ativa, produtiva e integrada socialmente do que no passado inspirou ideais de reproduzir e estender essa possibilidade a um número cada vez maior de idosos. À medida que cresce a população idosa, aumentam as demandas nas áreas de prestação de serviços, pesquisa e políticas públicas, abrindo-se novos espaços ocupacionais (CACHIONI, 2003, p. 156). Sabe-se que a população idosa é um público muito particular e precisa de cuidados e serviços especiais. Nessa visão, o autor coloca que todos os segmentos econômicos não querem perder esse grande filão de mercado, e por isso, estão cada vez mais criativos no atendimento e prestação de serviços para esse público, oferecendo os mais diversos produtos e garantindo emprego para várias pessoas. Embora o segmento idoso esteja ganhando maior visibilidade, quer pelos dados demográficos quer por ser fatia considerável para novo campo de atuação profissional, ainda carece-se de recursos humanos com habilidades e competências tanto teórica como prática para atender este grupo etário e todas as suas demandas (CACHIONI, 2003, p. 160). Não é qualquer um que pode trabalhar diretamente com o público idoso. Quem quer prestar um bom serviço para ele, ganhando a sua confiança e tornando-o fiel ao seu negócio, terá que estar envolvido com uma ótima equipe de funcionários para tratá-lo de maneira adequada, indo de encontro às suas necessidades (CACHIONI, 2003, p. 176). A variedade de atividades possíveis para idosos é praticamente a mesma dirigida para qualquer outra faixa etária, com a característica positiva de dispor de maior tempo, e a negativa de ter menores aptidões funcionais. A seleção de atividades concretas baseia-se nas possibilidades individuais, condicionamentos sociais e experiência prévia de atividades de lazer durante a maturidade. Progressivamente vai-se abrindo a perspectiva de que a velhice, como qualquer outra etapa da vida, tem os mesmos direitos à educação, à cultura, ao lazer e ao divertimento, ou seja, de atenção especial com atividades voltadas para o seu desenvolvimento como pessoa.

8 8 3. METODOLOGIA No período de maio a julho de 2007, foi realizada uma pesquisa de campo junto a um grupo de idosos de uma comunidade da Zona Sul de Manaus, onde se reuniu um número de 50 idosos disponíveis para a pesquisa. A metodologia desse trabalho é a quantitativadescritiva, pois possui como função primordial a descrição de certas características, sempre utilizando técnicas de amostragem para que apresentem caráter representativo. Ao se pesquisar aspectos qualitativos como atitudes e opiniões, o presente estudo se voltou às entrevistas padronizadas, baseadas em questionários e perguntas dicotômicas. As técnicas utilizadas foram de documentação indireta com a pesquisa bibliográfica de fontes secundárias como livros, jornais, revistas e Internet. O tema foi pesquisado nessas fontes, das quais foram lidos textos e retiradas citações que fizeram parte do referencial teórico. Outra técnica foi a de documentação direta com a pesquisa de campo, observação direta e intensiva. Aplicou-se nesse período (maio a julho) uma entrevista composta de um questionário com 06 perguntas fechadas. A entrevista foi realizada individualmente e foi respondida por 50 idosos do grupo, na faixa etária de 60 a 80 anos. Observou-se o grande movimento do grupo na comunidade e da ação de seus dirigentes, procurando novas oportunidades para os idosos com relação às atividades de lazer. Ao final do trabalho, espera-se gerar um documento capaz de ser colocado em prática com a finalidade de promover propostas que contribuam ainda mais para o desenvolvimento do grupo na comunidade. Este trabalho qualifica-se também como um estudo de caso, que segundo Dencker (1998, p. 127), é o estudo profundo e exaustivo de determinados objetos e situações. Permite o conhecimento em profundidade dos processos e relações sociais. O uso da técnica de estudo de caso é recomendável na fase inicial das investigações, para a construção de hipóteses ou reformulação do problema. Possibilita grande flexibilidade, mas não permite a

9 9 generalização dos resultados. A principal dificuldade é a exigência de maior experiência e treinamento do pesquisador. O estudo de caso pode envolver exame de registros, observação de ocorrência de fatos, entrevistas estruturadas e não-estruturadas ou qualquer outra técnica de pesquisa. O objeto de estudo de caso, por sua vez, pode ser um indivíduo, um grupo, uma organização, um conjunto de organizações ou até mesmo uma situação. 4. RESULTADOS A coleta de dados sobre o Teatro Amazonas como alternativa de lazer para o grupo de idosos pesquisado se deu de forma qualitativa e quantitativa, embasada em entrevista composta de um questionário com 06 perguntas fechadas, que foram respondidas diretamente pelos idosos do grupo. Quanto à identificação dos sujeitos em relação ao sexo, percebeu-se uma certa predominância do gênero do sexo feminino, sendo este 76% contra 24% do sexo masculino. 24% Masculino Feminino 76% Gráfico 1: Sexo Fonte: Pesquisa de campo 2007 No que se refere à idade dos entrevistados envolvidos na pesquisa, pode-se visualizar no gráfico que a maioria dos idosos está na faixa etária dos 61 a 80 anos, representando um total 2% 6% 41 a 50 anos 51 a 60 anos 32% 61 a 80 anos Mais de 80 anos 60%

10 10 de 60% dos indivíduos do grupo. 32% de 51 a 60 anos, 6% de 41 a 50 anos e 2% com mais de 80 anos. Gráfico 2: Idade Fonte: Pesquisa de campo 2007 No que se refere à escolaridade dos idosos do grupo, observou-se com base nas respostas dos entrevistados que 68% dos idosos que freqüentam o grupo possuem o Ensino Fundamental e 32% o Ensino Médio, sendo que todos sabem ler e escrever bem. 32% 68% Ensino Médio Ensino Fundamental Gráfico 3: Escolaridade Fonte: Pesquisa de campo 2007 Perguntou-se que atividades o grupo desenvolve ou participa. A amostragem revela que 82% das atividades que o grupo de idosos pratica são atividades esportivas; 10% são palestras educativas e 8% são atividades sociais. 10% 8% Atividades sociais Ativdades Esportivas Palestras Educativas 82% Gráfico 04: Atividades praticadas pelos idosos Fonte: Pesquisa de campo 2007 Com relação à contribuição que as atividades oferecidas ao grupo trazem para o idoso em particular, 68% dos entrevistados responderam que as atividades melhoram em sua saúde

11 11 física e mental. 12% disseram que elas contribuem para reintegrá-los à vida em sociedade, 20% 12% Reintegra à vida em socieddae Melhora Saúde Física e Mental Eleva Auto-Estima 68% 20% acreditam que as atividades elevam sua auto-estima. Gráfico 05: Benefício das atividades para os idosos Fonte: Pesquisa de campo 2007 Com relação a pontos turísticos de Manaus, perguntou-se dos idosos qual das opções entre Ponta Negra, Teatro Amazonas, Mercado Adolpho Lisboa ou outros que gostariam de visitar. Observou-se que eles não conhecem muitos pontos turísticos da cidade. 50% deles escolheram o Teatro Amazonas para visita, 26% escolheram a Ponta Negra e 24% gostariam de visitar o Mercado. 24% 26% Ponta Negra Teatro Amazonas Mercado Adolpho Lisboa 50% Gráfico 06: Visita à ponto turístico de Manaus Fonte: Pesquisa de campo 2007 Na pesquisa, observa-se que os idosos quase não possuem conhecimento do que a cidade de Manaus oferece em termos de lazer para sua categoria, ou por falta de oportunidade ou até mesmo de orientação por parte das pessoas que trabalham com o turismo. É preciso que o setor turístico olhe com mais respeito para esse público, e leve até eles oportunidades de melhores serviços e de lazer.

12 12 Através do estudo, pode-se notar que o grupo entrevistado é carente de serviços de lazer. Acredita-se que, com um planejamento adequado, seria possível desenvolver o lazer em espaços turísticos como o Teatro Amazonas, com organização de atividades que não só levem benefício físico e mental, mas social, tirando os idosos do sedentarismo característico de muitas comunidades onde estão inseridos. 5. CONCLUSÃO O turismo é uma das formas mais completas de expressão do lazer. A utilização do tempo livre em viagens organizadas especificamente para grupos da melhor idade proporciona ao idoso a oportunidade de convivência grupal, com conseqüente aumento do círculo de amigos, evitando isolamento da sociedade. O idoso também renova ou adquire mais conhecimento, pois o lazer também é educação e cultura. Não se pode perder de vista o público idoso, pois ele é o que mais cresce dentro do setor turístico, portanto, tem que se planejar atividades voltadas para eles, respeitando suas especificidades, dando atenção especial e cuidados necessários para qualquer tipo de imprevisto que possa causar danos físicos e morais à sua integridade. O lazer para a melhor idade tem um papel social importante. Ele torna fácil o combate à solidão e recupera a auto-estima dos mais idosos. Torna-se um instrumento de ressocialização, capaz de transformar totalmente a vida daqueles que acham que a vida parou com a chegada da idade. Através do lazer, eles poderão retomar o gosto pela vida. A pesquisa de campo foi muito gratificante. Percebeu-se que cada vez mais os idosos precisam de atenção e cuidados especiais, pois aqui se confirma que a cada dia o idoso está sendo esquecido dentro da sociedade brasileira, e especificamente na sociedade manauara. No grupo pesquisado, observou-se através da conversa formal com os membros que, no passado, quando ainda não existia o grupo, os idosos viviam no sedentarismo e realmente esquecidos pela sociedade. Após a formação do grupo, começa uma luta pelo direito de viver novamente em sociedade, e mostrar que todos devem respeitar o idoso em toda sua integridade. Apesar do grupo ter conseguido sua firmação, ainda falta que desenvolva uma nova visão com relação à sua prática social. De que forma? Através do lazer, que abre uma infinidade de opções que pode reintegrar o idoso não só à comunidade local, mas à sociedade brasileira, com o desenvolvimento de passeios, atividades de visitas a pontos turísticos de Manaus como o Teatro Amazonas que possui opções de lazer, que tanto gera conhecimentos quanto diverte.

13 13 Mas é preciso primeiramente de organização, com a mobilização da comunidade com campanhas de conscientização do direito do idoso a uma vida social normal, e exigência por parte desta junto ao Estado e Município ou até mesmo de parcerias, para dotar a comunidade de infra-estrutura adequada para levar o idoso à sua plena cidadania. É preciso também que os profissionais do turismo desenvolvam projetos voltados para a Melhor Idade, e que possam dar acesso às novas oportunidades para que os idosos possam integrar-se cada vez mais na sociedade em que vivem. Finalmente, espera-se que esta pesquisa contribua para o aperfeiçoamento e conscientização da importância dos pontos turísticos da cidade, como o Teatro Amazonas, para a reintegração do idoso na sociedade e melhoria de sua qualidade de vida, através de atividades de lazer.

14 14 REFERÊNCIAS ANDRADE, José Vicente de. Lazer: princípios, tipos e formas na vida e no trabalho. Belo Horizonte: Autentico, CACHIONE, Meire. Quem educa os idosos: um estudo sobre professores de universidades da terceira idade. São Paulo: Editora Alínea, CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, DENCKER, Ada de Freitas Maneti. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. São Paulo: Futura, HOLANDA, Aurélio Buarque de. Minidicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, SALGADO, Marcelo Antônio. Conceituação de velhice Disponível em SHEPHARD, Roy J. Envelhecimento, atividade física e saúde. São Paulo: Phorte, TEATRO Amazonas 1991 (Folheto). TEATRO Amazonas. Disponível em: <http://manaus.am.gov.br>. Acesso em: jul TEATRO Amazonas. Disponível em: <http://wikipedia.org/wiki>. Acesso em: jul

15 This document was created with Win2PDF available at The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930

Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS SEGUNDO A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita Menezes Coutinho

Leia mais

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas:

Toda e qualquer análise de mercado irá demandar uma série de etapas a ser seguida, dentre elas: Capítulo 16 - Os Stakeholders O termo foi originado na língua inglesa e hoje, foi completamente absorvido pela área da administração. Traduzido para o português como sendo parte interessada esse termo

Leia mais

A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS

A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS A EDUCAÇÃO, A CULTURA, O ESPORTE E O LAZER PARA OS IDOSOS Agostinho Both3 3, Carmen Lucia da Silva Marques 3,José Francisco Silva Dias 3 As instituições, em especial as educacionais, não podem se furtar

Leia mais

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações História ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações Em 1929, convidada a dirigir um dos primeiros laboratórios de psicologia de Minas Gerais, ligado à Escola de Aperfeiçoamento

Leia mais

História. Foto: Ibraim Leão

História. Foto: Ibraim Leão Theatro Pedro II Rua Álvares Cabral 370, Centro, Ribeirão Preto-SP CEP 400-080 www.ribeiraopreto.sp.gov.br/fundacao/teatro/i36principal.php Tel. 55 (6) 3977.8 T heatro Pedro II Na década de 920, Ribeirão

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Turismólogo. Turismo de eventos. Festival Nacional de Teatro.

PALAVRAS-CHAVE Turismólogo. Turismo de eventos. Festival Nacional de Teatro. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( x ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE A INSTITUIÇÃO A Universidade Livre do Meio Ambiente - Unilivre, instalada em Curitiba, Paraná, é uma organização não governamental sem fins lucrativos, recentemente

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA

PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA PREFEITURA MUNICIPAL DE LORENA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROJETO JUDÔ NA ESCOLA: A SALA DE AULA E O TATAME Projeto: Domingos Sávio Aquino Fortes Professor da Rede Municipal de Lorena Semeie um pensamento,

Leia mais

AUTOR(ES): ANA CAROLINA HOLANDA, CAROLINE MENDOZZA, INGRID TUNIN DA SILVA

AUTOR(ES): ANA CAROLINA HOLANDA, CAROLINE MENDOZZA, INGRID TUNIN DA SILVA TÍTULO: MOTIVAÇÃO DOS IDOSOS EM FREQUENTAR BAILES DA TERCEIRA IDADE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU AUTOR(ES): ANA CAROLINA

Leia mais

A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE

A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE A Importância do brincar nas aulas de Educação Física MARCELO LEITE RESUMO Este texto é uma reflexão sobre o brincar nas aulas de educação física escolar do primeiro e segundo ciclo do ensino fundamental,

Leia mais

WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS

WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS 2014 Gisele Vieira Ferreira Psicóloga, Especialista e Mestre em Psicologia Clínica Elenise Martins Costa Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS SENIORES NUMA OFICINA DE MÚSICA E TEATRO: IMPACTOS NA AUTO-ESTIMA E AUTO-IMAGEM. Sandra Maria Franco Carvalho

A PARTICIPAÇÃO DOS SENIORES NUMA OFICINA DE MÚSICA E TEATRO: IMPACTOS NA AUTO-ESTIMA E AUTO-IMAGEM. Sandra Maria Franco Carvalho CENTRO DE COMPETÊNCIAS DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO A PARTICIPAÇÃO DOS SENIORES NUMA OFICINA DE MÚSICA E TEATRO: IMPACTOS NA AUTO-ESTIMA E AUTO-IMAGEM ESTUDO DE CASO NUMA UNIVERSIDADE

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 Mantena-MG INTRODUÇÃO A Faculdade de Mantena FAMA - é um estabelecimento particular de ensino superior, que visa a atender

Leia mais

ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL

ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL ENVELHECIMENTO E A PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL O processo de envelhecimento e a velhice devem ser considerados como parte integrante do ciclo de vida. Ao longo dos tempos, o conceito de envelhecimento e as

Leia mais

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos

Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos Professor MaPP Educação Infantil Conhecimentos Pedagógicos 11) Analisando a relação entre desenvolvimento e aprendizagem na perspectiva de Vygotsky, é correto afirmar que: a) Desenvolvimento e aprendizagem

Leia mais

A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL

A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL A IMAGEM DA PROPAGANDA NO BRASIL Terceira medição ano 2006 Pesquisa encomendada ao IBOPE pela ABP- Associação Brasileira de Propaganda Série histórica iniciada em 2002 Principais objetivos - Avaliar a

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS OS BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES DA GESTÃO DE PROJETOS REUNIDAS NO PMBOK NO PLANEJAMENTO TURÍSTICO DE DESTINOS ALUNA: HELENA PERES

Leia mais

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO Estudo da proporção e o nível de conhecimento dos alunos de graduação do período vespertino do Campus II da UFG sobre o Programa Coleta Seletiva Solidária 1 Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO.

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Revista Eletrônica Aboré Publicação da Escola Superior de Artes e Turismo - Edição 03/2007 ISSN 1980-6930 A EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO TURÍSTICA EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Náthalin

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista de Belo Horizonte A Copa do Mundo FIFA terá como anfitrião o Brasil e Belo Horizonte foi eleita uma das doze cidades-sedes dos jogos. Este será um importante evento para a capital mineira. Espera-se a chegada de aproximadamente

Leia mais

ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL

ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL ANÁLISE DE UM PROJETO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL VOLTADO À INCLUSÃO SOCIAL GIL, Thais Nogueira UFMG - thaisgil@terra.com.br- GT: Trabalho e Educação/ 09 Agência Financiadora: FUNADESP Este texto apresenta

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos:

INTRODUÇÃO. Sobre o Sou da Paz: Sobre os Festivais Esportivos: 1 INTRODUÇÃO Sobre o Sou da Paz: O Sou da Paz é uma organização que há mais de 10 anos trabalha para a prevenção da violência e promoção da cultura de paz no Brasil, atuando nas seguintes áreas complementares:

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA Espetáculo Teatral. Contato: Débora Vieira -(31) 8794-6283 - debora.o.vieira@gmail.com

PROPOSTA DE PARCERIA Espetáculo Teatral. Contato: Débora Vieira -(31) 8794-6283 - debora.o.vieira@gmail.com PROPOSTA DE PARCERIA Espetáculo Teatral Dos Gardenias Social Club Contato: Débora Vieira -(31) 8794-6283 - debora.o.vieira@gmail.com Dos Gardenias Social Club O Dos Gardenias Social Club é um espetáculo

Leia mais

PROGRAMA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO E SAUDÁVEL

PROGRAMA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO E SAUDÁVEL PROGRAMA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO E SAUDÁVEL ENQUADRAMENTO O tema «envelhecimento» tem sido alvo de estudos de pesquisadores e profissionais e vem desencadeando a produção de conhecimentos

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS HOTÉIS DE CATEGORIA QUATRO ESTRELAS NA CIDADE DE MANAUS Érica de Souza Rabelo 1 Helen Rita M. Coutinho 2 RESUMO Este artigo científico tem

Leia mais

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas:

O executivo ou especialista na área de marketing deve identificar três níveis de sistemas: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EAD MÓDULO IV A EMPRESA COMO SISTEMA Para o estudioso na área de marketing trabalhar melhor o planejamento nas organizações, ele precisa conhecer a empresa na sua totalidade e

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Relatório de Pesquisa de Opinião Pública Nacional Metodologia Pesquisa de opinião pública tipo quantitativa Universo: Cadastro de pessoas do IBDD

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL Julia Ferreira de Moraes (EEL-USP) moraes.julia@hotmail.com Everton Azevedo Schirmer

Leia mais

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2008 página 1 Atenção ao olhar crítico dos professores Maria Malta Campos: Há uma enorme demanda reprimida por creches nas periferias das grandes cidades,

Leia mais

PROGRAMA 5S: COMBINAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO

PROGRAMA 5S: COMBINAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES RESUMO PROGRAMA 5S: COMBINAÇÕES FUNDAMENTAIS PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES Francislaine Pereira de Souza, Unisalesiano de Lins, e-mail: francislaine_ps@hotmail.com Janaina Fanali Daniel, Unisalesiano de Lins,

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: COMPANHIA DA NOTÍCIA DATA: 11.06.14. Fecomércio: Marcelo Queiroz lança Trabalho Social com Idosos

FECOMÉRCIO VEÍCULO: COMPANHIA DA NOTÍCIA DATA: 11.06.14. Fecomércio: Marcelo Queiroz lança Trabalho Social com Idosos FECOMÉRCIO VEÍCULO: COMPANHIA DA NOTÍCIA DATA: 11.06.14 Fecomércio: Marcelo Queiroz lança Trabalho Social com Idosos O presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz, lançou, na tarde

Leia mais

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1

Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 1 Revista Avisa lá, nº 2 Ed. Janeiro/2000 Coluna: Conhecendo a Criança Descobrindo o que a criança sabe na atividade inicial Regina Scarpa 1 O professor deve sempre observar as crianças para conhecê-las

Leia mais

Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados.

Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados. www..botanicaonline.com.br Site organizado pela Profa. Dra. Suzana Ursi Depto. de Botânica, Instituto de Biociências, USP Princípios de pesquisa na área de educação: análise de dados. Autor: João Rodrigo

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação.

20 Anos de Tradição Carinho, Amor e Educação. Colégio Tutto Amore Colégio Sapience Carinho, Amor e Educação. Trabalhamos com meio-período e integral em todos os níveis de ensino. www.tuttoamore.com.br Nossa História No ano de 1993 deu-se o ponto de

Leia mais

Ensino/aprendizagem circense: projeto transversal de política social

Ensino/aprendizagem circense: projeto transversal de política social ENSINO/APRENDIZAGEM CIRCENSE: PROJETO TRANSVERSAL DE POLÍTICA SOCIAL Erminia Silva Centro de Formação Profissional em Artes Circenses CEFAC Teatralidade circense, circo como educação permanente, história

Leia mais

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 337 DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina.

Leia mais

Inspirados pelo Autismo

Inspirados pelo Autismo INSPIRADOS PELO AUTISMO Inspirados pelo Autismo Folheto Informativo Recrutando Voluntários no Programa Son-Rise As seguintes informações foram retiradas de um resumo do manual do Start-Up, o curso de introdução

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema 7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema TÍTULO JUSTIFICATIVA Pontes da Leitura por Ravel Andrade de Sousa As atividades descritas neste projeto foram por mim realizadas na Sala de Leitura, a partir do

Leia mais

Prefeitura e Com unidade m udando Porto Alegre para m elhor.

Prefeitura e Com unidade m udando Porto Alegre para m elhor. Governar para quem m ais precisa: Prefeitura e Com unidade m udando Porto Alegre para m elhor. O trabalho da Fasc está sendo fortalecido e am pliado. N ova sede adm inistrativa da FASC Recuperação e adequação

Leia mais

Módulo 18 Avaliando desempenho

Módulo 18 Avaliando desempenho Módulo 18 Avaliando desempenho Raimar Richers definiu marketing como sendo entender e atender os clientes. Esta é uma definição sucinta e feliz que podemos usar para definir avaliação de desempenho como

Leia mais

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

Com base nesses pressupostos, o objetivo deste estudo foi conhecer como vem se dando a inserção e a empregabilidade, nas empresas do Pólo Industrial

Com base nesses pressupostos, o objetivo deste estudo foi conhecer como vem se dando a inserção e a empregabilidade, nas empresas do Pólo Industrial Introdução Esta proposta de estudo insere-se na linha de pesquisa Trabalho, Gênero e Políticas Sociais do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da PUCRJ e buscou conhecer questões referentes à inserção

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNIPAMPA CAMPUS DOM PEDRITO

RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNIPAMPA CAMPUS DOM PEDRITO RESPONSABILIDADE SOCIAL DA UNIPAMPA CAMPUS DOM PEDRITO Moreira; Guilherme 1 ; Mainardi; Caroline 23 Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) ¹Acadêmico(a) do Curso de Zootecnia da UNIPAMPA Campus Dom Pedrito-RS

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Considerações. Acesso à Pesquisa: www.fpa.org.br/area/pesquisaidosos www.sescsp.org.br

Considerações. Acesso à Pesquisa: www.fpa.org.br/area/pesquisaidosos www.sescsp.org.br IDOSOS NO BRASIL: Vivências, Desafios e Expectativas na 3 a. Idade Pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo em parceria com SESC Nacional e SESC São Paulo Considerações Para viabilizar a pesquisa

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores; Justificativas biológicas; Dificuldades de escolarização

Palavras-chave: Formação de professores; Justificativas biológicas; Dificuldades de escolarização OS MECANISMOS DE ATUALIZAÇÃO DAS EXPLICAÇÕES BIOLÓGICAS PARA JUSTIFICAR AS DIFICULDADES NO PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO: ANÁLISE DO PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO LETRA E VIDA Cristiane Monteiro da Silva 1 ; Aline

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Análise do contexto da organização A Pirelli é a quinta maior empresa do mundo no mercado de

Leia mais

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense

Projeto de Extensão. Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense Projeto de Extensão Título: Esporte e Inclusão Social no Instituto de Educação Física da Universidade Federal Fluminense 1.0 - JUSTIFICATIVA Considerando que a Extensão Universitária tem entre as suas

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL Priscilla Pinto Costa da Silva 1 Emília Amélia Pinto Costa da Silva 2 Luiz Arthur Cavalcanti Cabral 1 Eronaldo de Sousa Queiroz Junior 1 Nayrla

Leia mais

A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT)

A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT) A PRÁTICA DE PROJETOS ESCOLARES COMO MEIO DE APRENDIZAGEM: UMA EXPERIENCIA EM BARRA DO GARÇAS (MT) Rosinei Borges de Mendonça UFMT-Araguaia rosineibm@gmail.com Adriana Queiroz do Nascimento UFMT-Araguaia

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE OS BENEFÍCIOS QUE A ATIVIDADE FÍSICA (HIDROGINÁSTICA) TRAZ PARA SUAS VIDAS

A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE OS BENEFÍCIOS QUE A ATIVIDADE FÍSICA (HIDROGINÁSTICA) TRAZ PARA SUAS VIDAS A PERCEPÇÃO DOS IDOSOS SOBRE OS BENEFÍCIOS QUE A ATIVIDADE FÍSICA (HIDROGINÁSTICA) TRAZ PARA SUAS VIDAS FABIANA ALVES DE LUCENA (Especialista em Fisiologia do Exercício e Grupos Especiais, Faculdade Leão

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional O Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT) são entidades civis sem fins lucrativos criadas em 14 de setembro de 1993, pela

Leia mais

Coordenação de Políticas para Migrantes QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014

Coordenação de Políticas para Migrantes QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014 QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014 RELATÓRIO FINAL Coordenação de Políticas para Migrantes Secretaria Municipal de Direitos Humanos

Leia mais

*Acadêmica do 1 ano A do curso de Direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais Vianna Júnior.

*Acadêmica do 1 ano A do curso de Direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais Vianna Júnior. 1 ESTATUTO DO IDOSO: REALIDADE OU IDEAL? Cláudia Pereira Vaz de Magalhães* De acordo com o Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa de 1951, idoso é uma pessoa Que tem bastante idade; velho.

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

3 Metodologia e Objeto de estudo

3 Metodologia e Objeto de estudo Metodologia e Objeto de estudo 36 3 Metodologia e Objeto de estudo Neste capítulo, através da explanação da metodologia de pesquisa e do objeto de estudo, serão definidas as questões centrais de estudo,

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA

O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA O PSICÓLOGO NA COMUNIDADE: UMA PESPECTIVA CONTEMPORÂNEA (2011) Dayana Lima Dantas Valverde Psicóloga, graduada pela Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana, BA. Pós-graduanda em Saúde Mental

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

Relações Intergeracionais Alternativa para minimizar a exclusão social do idoso

Relações Intergeracionais Alternativa para minimizar a exclusão social do idoso 83 Relações Intergeracionais Alternativa para minimizar a exclusão social do idoso Maria Clotilde Barbosa Nunes Maia de Carvalho A sociedade atual tende a excluir os idosos, que acabam segregados e se

Leia mais

PLANO DE TRABALHO IDOSO

PLANO DE TRABALHO IDOSO PLANO DE TRABALHO IDOSO Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER Afonso

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas ESTUDO DO TERMO ONOMA E SUA RELAÇÃO COM A INTERDISCIPLINARIDADE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ENSINO FUNDAMENTAL DA GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DA ONOMÁSTICA/TOPONÍMIA Verônica Ramalho Nunes 1 ; Karylleila

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ Área: TURISMO SOUZA Janaína Terezinha de MASCARENHAS, Rubia Gisele Tramontin Resumo A atividade turística está ligada

Leia mais

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE

PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE PRÁTICA EDUCATIVA EM EDUCAÇÃO FÍSICA: A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE ESTUDO E SUAS RELAÇÕES COM O TRABALHO DOCENTE RESUMO Leandro Pedro de Oliveira José Rubens de Lima Jardilino (orientador) Este trabalho

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

?- Período em que participavam das aulas.

?- Período em que participavam das aulas. Iniciativa Apoio como foi a campanha HISTÓRIAS EX ALUNOS 1997 2013 as perguntas eram relacionadas ao:?- Período em que participavam das aulas. - Impacto que o esporte teve na vida deles. - Que têm feito

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO-CURRICULAR, ORGANIZAÇÃO ESCOLAR E DOS PLANOS DE ENSINO 1

AVALIAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO-CURRICULAR, ORGANIZAÇÃO ESCOLAR E DOS PLANOS DE ENSINO 1 AVALIAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO-CURRICULAR, ORGANIZAÇÃO ESCOLAR E DOS PLANOS DE ENSINO 1 A avaliação da escola é um processo pelo qual os especialistas (diretor, coordenador pedagógico) e os professores

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ALUNOS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA INGLESA: UM OLHAR SOBRE SUAS PRÁTICAS DOCENTES

Leia mais

Habilitações literárias * (assinale o último nível de educação concluído e certificado)

Habilitações literárias * (assinale o último nível de educação concluído e certificado) MIGRAÇÕES QUALIFICADAS/ Emigrantes Este questionário faz parte de uma investigação, sobre profissionais portugueses com qualificação superior que se encontram a trabalhar, na respectiva área, fora do seu

Leia mais

- Aspectos limitadores: Produção com custo alto; Orçamentos mal elaborados; Dificuldade na análise e avaliação; Inadequação ao perfil empresarial;

- Aspectos limitadores: Produção com custo alto; Orçamentos mal elaborados; Dificuldade na análise e avaliação; Inadequação ao perfil empresarial; MARKETING ESPORTIVO E CULTURAL EAD MÓDULO XIX - RESUMO A evolução do ser humano no decorrer da história está associada diretamente ao conceito de cultura, que engloba os costumes e as experiências repassadas

Leia mais

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA PELA FACED/UFBA NA FORMAÇÃO DOS ALFABETIZADOES NA ALFASOL

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA PELA FACED/UFBA NA FORMAÇÃO DOS ALFABETIZADOES NA ALFASOL 1 Pesquisas e Práticas Educativas ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA PELA FACED/UFBA NA FORMAÇÃO DOS ALFABETIZADOES NA ALFASOL DANIELA DE JESUS LIMA FACED/UFBA INTRODUÇÃO - O presente

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

Promoção da Saúde na Escola Através das Aulas de Educação Física

Promoção da Saúde na Escola Através das Aulas de Educação Física 10 Promoção da Saúde na Escola Através das Aulas de Educação Física Juliana Marin Orfei Especialista em Atividade Física: Treinamento Esportivo UNICASTELO Viviane Portela Tavares Especialista em Atividade

Leia mais

2009, um ano de grandes realizações e conquistas

2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009, um ano de grandes realizações e conquistas 2009 foi um ano de grandes realizações e conquistas para o Serviço Social da Indústria (SESI), entidade que integra o Sistema Federação das Indústrias no

Leia mais

HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte

HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte HABILIDADES SOCIAIS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL Maria Luiza Pontes de França Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte Resumo geral: Os estudos na área das habilidades sociais no Brasil têm contemplado

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO

DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO DIREITOS DA PESSOA IDOSA E A SUA DIVULGAÇÃO Maria Luiza Deschamps (UEPG) E-mail: maludeschamps12@hotmail.com Nathalia Luiza Schedler Calza (UEPG) nathaliacalza@hotmail.com Elisa Stroberg Schultz (UEPG)

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA PARA O ALINHAMENTO DO TRABALHO CIENTÍFICO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA PARA O ALINHAMENTO DO TRABALHO CIENTÍFICO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA DE PESQUISA PARA O ALINHAMENTO DO TRABALHO CIENTÍFICO NA ÁREA DA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Professor Paulo Roberto Vidigal Orientador da FASEJ Faculdade Sumaré

Leia mais

3. O Serviço Social do Comércio (SESC) no atendimento à pessoa idosa

3. O Serviço Social do Comércio (SESC) no atendimento à pessoa idosa 3. O Serviço Social do Comércio (SESC) no atendimento à pessoa idosa O Serviço Social do Comércio SESC é uma empresa privada, mantida pelos empresários do comércio de bens e serviços, voltada para o bem-estar

Leia mais

TITULO: TEMPO DE MADUREZA ONDE BRINCADEIRA É COISA SÉRIA

TITULO: TEMPO DE MADUREZA ONDE BRINCADEIRA É COISA SÉRIA TITULO: TEMPO DE MADUREZA ONDE BRINCADEIRA É COISA SÉRIA AREA TEMÁTICA: DIREITOS HUMANOS Autora: MARIA DE FATIMA HOLANDA LEITE MAIA INSTITUIÇAO E UNIDADE ENVOLVIDA: UFCG-DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Larissa Florido Hernandes Quintans florido.larissa@gmail.com Instituto de Psicologia 10º Período

Larissa Florido Hernandes Quintans florido.larissa@gmail.com Instituto de Psicologia 10º Período Levantamento de Necessidades de Treinamento e Monitoramento do Clima Organizacional: Estudo de Caso no Instituto de Geociências (IGEO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro Larissa Florido Hernandes

Leia mais

Workshop da FAEL. aborda direitos humanos. e papel do educador

Workshop da FAEL. aborda direitos humanos. e papel do educador Workshop da FAEL aborda direitos humanos e papel do educador No 15 workshop da Faculdade Educacional da Lapa - FAEL, os acadêmicos do curso de pedagogia tiveram a oportunidade de aprender e praticar os

Leia mais

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012

Pesquisa Quantitativa Plastivida. Setembro de 2012 Pesquisa Quantitativa Plastivida Setembro de 2012 objetivo geral Verificar a opinião da população de Belo Horizonte acerca da retirada das sacolas plásticas dos estabelecimentos comerciais da cidade e

Leia mais

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO A universidade vivencia, em seu cotidiano, situações de alto grau de complexidade que descortinam possibilidades, mas também limitações para suas

Leia mais

A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO. Palavras-chave: Inclusão. Pessoas com deficiência. Mercado de trabalho.

A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO. Palavras-chave: Inclusão. Pessoas com deficiência. Mercado de trabalho. 1 A INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO Marlene das Graças de Resende 1 RESUMO Este artigo científico de revisão objetiva analisar importância do trabalho na vida das pessoas portadoras

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR Julho 2013 COPA DAS CONFEDERAÇÕES - CONSUMIDOR Pesquisa realizada pela CNDL e SPC Brasil. Foram realizadas 620 entrevistas, com um erro máximo de

Leia mais

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1 Página 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL As pessoas que supervisionam as atividades das outras e que são responsáveis pelo alcance dos objetivos nessas organizações são os administradores. Eles tomam decisões,

Leia mais

Orientação para Aposentadoria. Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga

Orientação para Aposentadoria. Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga Orientação para Aposentadoria Donália Cândida Nobre Assistente Social Suzana Pacheco F. de Melo Psicóloga Orientação para aposentadoria Entendendo a saúde na definição da Organização Mundial da Saúde:

Leia mais