Responderam ao questionário os seguintes representantes destas escolas:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Responderam ao questionário os seguintes representantes destas escolas:"

Transcrição

1 Relatório acerca dos dados recolhidos com o questionário sobre políticas de protecção ambiental, dirigido a escolas do 2.º e 3.º Ciclos e Ensino Secundário do concelho de Felgueiras Aceitaram responder ao questionário as seguintes escolas: * Escola Básica 2/3 D. Manuel de Faria e Sousa ( ) * Escola Básica 2/3 de Lagares ( ) * Escola Básica 2/3/S de Idães ( ) * Escola Secundária/3 da Lixa ( ) * Escola Secundária/3 de Felgueiras ( ) Responderam ao questionário os seguintes representantes destas escolas: * Escola Básica 2/3 D. Manuel de Faria e Sousa Pedro Goucho, director adjunto * Escola Básica 2/3 de Lagares Adília Marinho, adjunta da direcção; Sandra Mendes, coordenadora de directores de turma do 2.º ciclo; Celeste Pimenta, coordenadora de directores de turma do 3.º ciclo * Escola Básica 2/3/S de Idães Filomena Dias, professora de Geografia e responsável pelo Clube do Ambiente, e Teresa Silva, professora de Ciências da Natureza e responsável também pelo Clube do Ambiente * Escola Secundária/3 da Lixa Alfredo Alves, docente de Biologia * Escola Secundária/3 de Felgueiras Pedro Araújo, director Em resposta à pergunta 6 deste questionário - relativa à dimensão de cada estabelecimento de ensino - foram obtidos os seguintes dados: Número de alunos: Entre 750 a Entre 1000 a 999 alunos 2000 alunos 2 3

2 Número de docentes: Menos de 100 docentes Entre 100 a 150 docentes Mais de 150 docentes Número do pessoal não docente: Menos de 40 funcionários Entre 40 a 50 funcionários 4 1 As escolas maiores são, como seria de esperar, as escolas com 3.º ciclo e ensino secundário e as de dimensões mais reduzidas são as escolas básicas com 2.º e 3.º ciclos. As cinco escolas inquiridas responderam afirmativamente à pergunta 7 do questionário, o que significa que todas elas estão a implementar actualmente iniciativas que visam proteger o meio ambiente. Quando questionados sobre quem está envolvido nessas iniciativas de protecção ambiental ( pergunta ), os representantes das escolas nomearam os orgãos/entidades/pessoas que se seguem:

3 N.º de respostas Direcção Clube do Turmas Associação de Comunidade Pessoal não da escola ambiente específicas estudantes educativa docente A Escola Básica 2/3 de Lagares e a Escola Secundária/3 da Lixa são os estabelecimentos de ensino onde há um maior número de orgãos/entidades/pessoas envolvidas na protecção ambiental. Em resposta à pergunta , foram assinaladas as seguintes áreas nas quais as escolas estão a tomar medidas a favor do meio ambiente: Áreas N.º de respostas Consumo de Consumo de Produção de lixo Alimentação Reciclagem água energia

4 Podemos concluir que a prioridade da maioria destas escolas, a nível de protecção ambiental, tem recaído sobre o consumo de energia, seguido da produção (e separação) de lixo e da alimentação. Consumo de água - medidas implementadas para reduzir o consumo de água a nível escolar : ( pergunta ) Medidas assinaladas Instalação de torneiras com temporizadores Uso de autoclismos de baixo consumo de água ( cargas diferenciadas ) Utilização de sistemas de rega com aproveitamento de águas pluviais N.º de respostas Há a referir que duas escolas não mencionaram quaisquer medidas para diminuir o consumo de água, o que parece reforçar a ideia de que esta não tem sido uma área de intervenção prioritária. Consumo de energia - medidas levadas a cabo para diminuir o consumo de energia nas instalações escolares: ( pergunta ) Medidas assinaladas Utilização de lâmpadas de baixo consumo Utilização de electrodomésticos mais eficientes a nível energético Uso de termóstatos programáveis para controlar a temperatura ambiente N.º de respostas 3 1 1

5 Também aqui há a registar o facto de duas escolas não referirem quaisquer medidas para reduzir o consumo de energia. Produção de lixo - medidas desenvolvidas para baixar a produção de lixo no espaço escolar e assegurar o seu adequado tratamento: ( pergunta ) Medidas assinaladas Existência de máquinas para secar as mãos nas casas de banho, em vez de toalhetes de papel Utilização de panos, toalhas e guardanapos de fibras naturais na cantina, em vez de panos, toalhas e guardanapos de papel Uso preferencial de recipientes de vidro, em vez de recipientes de plástico N.º de respostas Separação do lixo produzido utilizando os ecopontos adequados 5 Utilização de resíduos orgânicos para compostagem 1 Recolha de certos produtos para reciclagem 5 Venda e uso frequente de produtos reciclados 2

6 A análise dos dados acima apresentados permite concluir que as cinco escolas inquiridas estão empenhadas em tratar o lixo que produzem correctamente, dado que todas elas fazem a separação do lixo, utilizando os ecopontos adequados ( Ecoponto Amarelo, Azul e Verde), e também a recolha de certos produtos para reciclagem, como pilhas, por exemplo. Alimentação - medidas postas em prática para oferecer a toda a comunidade escolar uma alimentação saudável: ( pergunta ) Medidas assinaladas Venda regular de alimentos saudáveis nos bares dos alunos e professores Diminuição da oferta de alimentos de alto teor calórico e baixo valor nutricional e/ou aumento do seu preço Preparação de refeições variadas e equilibradas, do ponto de vista nutricional, na cantina escolar Oferta de alimentos biológicos, produzidos por agricultores locais N.º de respostas Cultivo de alguns alimentos para consumo próprio 3

7 Da análise dos dados recolhidos, é possível constatar que todas as escolas estão a levar a sério a questão da alimentação e a adoptar medidas concretas no sentido de melhorar os hábitos alimentares da comunidade escolar. Fruta, sumos naturais, iogurtes sanduíches com vegetais frescos, e sopa foram mencionados como exemplos de alimentos saudáveis, vendidos de forma regular nos bares dos alunos e professores da maioria das escolas. Os alimentos de alto teor calórico e baixo valor nutricional cuja oferta está a ser reduzida em três escolas, são bolos, chocolates e refrigerantes. As Escolas EB2/3 de Lagares e D. Manuel de Faria e Sousa cultivam ainda ervas aromáticas para consumo próprio, enquanto que a Escola Secundária/3 da Lixa cultiva frutos. Outras áreas de actuação - outras medidas de protecção ambiental que estão também a ser tomadas e que não se enquadram nas áreas anteriormente referidas: ( pergunta ) * Escola Básica 2/3 de Lagares: "Salvem um Azevinho" e "Uma flor para ti" - semear flores para oferecer * Escola Básica 2/3/S de Idães: - Projecto "Missão Possível" - recolha de latas, cujo valor é convertido em prémios - Projecto "Tampinhas" - cujo objectivo é reverter na compra de equipamento ortopédico/de fisioterapia - "Escola Electrão" * Escola Secundária/3 da Lixa: Projecto "Electrão" - reciclagem de produtos informáticos/tecnológicos * Escola Secundária/3 de Felgueiras: Educação ambiental dos alunos através de algumas acções, iniciativas e actividades dinamizadas na Escola, pelo Clube do Ambiente - por exemplo: a Semana do Ambiente

8

Aceitaram responder ao questionário os seguintes estabelecimentos: * Hotel Hórus - Actividades Hoteleiras S.A. ( www.hotelhorus.

Aceitaram responder ao questionário os seguintes estabelecimentos: * Hotel Hórus - Actividades Hoteleiras S.A. ( www.hotelhorus. Relatório acerca dos dados recolhidos com o questionário sobre políticas de protecção ambiental, dirigido a estabelecimentos hoteleiros do concelho de Felgueiras Aceitaram responder ao questionário os

Leia mais

Programa Eco-Escolas PLANO DE ACÇÃO Coordenador do Projecto: Prof. Eduardo Ribeiro

Programa Eco-Escolas PLANO DE ACÇÃO Coordenador do Projecto: Prof. Eduardo Ribeiro Programa Eco-Escolas PLANO DE ACÇÃO 2010-2011 Coordenador do Projecto: Prof. Eduardo Ribeiro Nota Introdutória... 3 Objectivos Gerais... 4 Objectivos Específicos: Água... 5 Objectivos Específicos: Resíduos...

Leia mais

Desempenho Ambiental do Alojamento em Portugal Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Desempenho Ambiental do Alojamento em Portugal Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Desempenho Ambiental do Alojamento em ortugal 2015 Boas ráticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo Utilização eficiente da energia Utilização

Leia mais

CLUBE DO AMBIENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA TROFA 2012/2013

CLUBE DO AMBIENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA TROFA 2012/2013 Clube do Ambiente LOGOTIPO: MASCOTE: OBJECTIVOS: CLUBE DO AMBIENTE Plano de Atividades O Clube do Ambiente (CLA), integrado nas estruturas Socioeducativas do Projeto Educativo da Escola, tem por objetivo

Leia mais

O Mar Perto de Ti Sistemas Dunares

O Mar Perto de Ti Sistemas Dunares O Mar Perto de Ti Sistemas Dunares Projeto dirigido aos alunos do 2º ciclo e 3º ciclo do ensino básico. Tem como principais objetivos a transmissão de conhecimentos relacionados com a conservação e proteção

Leia mais

Plano de Acção. (Provisório) Página 1 de 5

Plano de Acção. (Provisório) Página 1 de 5 Plano de Acção (Provisório) 2009-2010 Página 1 de 5 Diagnóstico Objectivos Acções Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transportes Biodiversidade Alterações Climáticas Elementos

Leia mais

Há 5 anos no Programa Eco-Escolas...

Há 5 anos no Programa Eco-Escolas... Há 5 anos no Programa Eco-Escolas... Os 7 passos 1- Conselho Eco-Escolas Coordenadora do Programa Professores das três turmas da escola Alunos Delegados do Ambiente das três turmas Assistente Operacional

Leia mais

Sê a Mudança que queres ver no Mundo Ghandi. FÓRUNS PROFESSORES 2016 A Metodologia do Programa Eco-Escolas Moderador: Paulo Sérgio de Oliveira

Sê a Mudança que queres ver no Mundo Ghandi. FÓRUNS PROFESSORES 2016 A Metodologia do Programa Eco-Escolas Moderador: Paulo Sérgio de Oliveira Sê a Mudança que queres ver no Mundo Ghandi FÓRUNS PROFESSORES 2016 A Metodologia do Programa Eco-Escolas Moderador: Paulo Sérgio de Oliveira Os Maracujás Representante dos Enc. de Educação Sem nome Bananas

Leia mais

Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções?

Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções? Recolha Selectiva Multimaterial -Que Soluções? Concelho de Valongo Câmara Municipal de Valongo Departamento de Ambiente e Qualidade de Vida Divisão de Qualidade Ambiental Sector de Higiene Urbana Caracterização

Leia mais

rama vocacionado para a educação mbiental, sustentabilidade e cidadania implementado pela Fundação para a Educação Ambiental em vários países

rama vocacionado para a educação mbiental, sustentabilidade e cidadania implementado pela Fundação para a Educação Ambiental em vários países rama vocacionado para a educação mbiental, sustentabilidade e cidadania implementado pela Fundação para a Educação Ambiental em vários países em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa através

Leia mais

A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho.

A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho. A autoavaliação é o processo em que a escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar o seu desempenho. Finalidades Identificar pontos fortes e fracos e oportunidades de

Leia mais

mandamentos mandamentos do produtor de lixo

mandamentos mandamentos do produtor de lixo 10 mandamentos mandamentos do produtor de lixo 1 Reduzo o lixo que produzo Quando vou às compras, levo sacos reutilizáveis. Prefiro produtos concentrados, com pouca embalagem. Entrego os bens que já não

Leia mais

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições

Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Instruções para a redução, o tratamento e a separação de resíduos de materiais resultantes de convenções e exposições Introdução: Para se articular com a política de tratamento de resíduos sólidos Reciclagem

Leia mais

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola.

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. Ex.mo/a Senhores/as Este questionário faz parte dum estudo que pretendemos realizar no âmbito da conclusão da etapa de Licenciatura, do

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA AGENDA LIPOR LIPOR 28 de Novembro de 2006

APRESENTAÇÃO DA AGENDA LIPOR LIPOR 28 de Novembro de 2006 APRESENTAÇÃO DA AGENDA LIPOR 2007 LIPOR 28 de Novembro de 2006 A Lipor Associação de Municípios - 1982 Gestão e tratamento de RSU 1 000 000 hab 230 colaboradores Horta da Formiga Centro de compostagem

Leia mais

NOME DO PROJETO: Projecto PROSEPE Clube Floresta Guardiões da floresta

NOME DO PROJETO: Projecto PROSEPE Clube Floresta Guardiões da floresta NOME DO PROJETO: Projecto PROSEPE Clube Floresta Guardiões da floresta COORDENADOR/A: José Miguel Faria PLANIFICAÇÃO ELEMENTOS DA EQUIPA Docente Adjunta: Ana Maria Oliveira (Professora Titular de Turma

Leia mais

A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também,

A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também, A Taxa de Insucesso Escolar verificada no Concelho, revela-se bastante elevada quando comparada com a registada a nível nacional. De referir também, o facto de o insucesso escolar aumentar à medida que

Leia mais

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Plano Agrupamento Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Prioridades Objectivos Estratégias ACÇÕES METAS AVALIAÇÃO P.1. Obj. 1 E.1 Ao 3.º dia de ausência do aluno, efectuar contacto telefónico,

Leia mais

CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD

CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD CATÁLOGO CONTENTORES DIVERSOS EM PEAD MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO A ALMOVERDE Ecologia, Lda. dedica se, desde o seu início, à comercialização de equipamentos para a recolha selectiva de

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL

GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO AMBIENTAL 1 POLÍTICA AMBIENTAL A Direcção da Organização, ao seu mais alto nível, deve traçar o seu caminho ambiental, explicitando-o num documento escrito, através do qual demonstrará

Leia mais

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ)

Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) Regulamento Interno de Funcionamento do Gabinete de Apoio à Qualidade (GAQ) 1 Índice I Disposições Legais... 3 Artigo 1º - Objecto e âmbito de aplicação... 3 II Modelo Organizacional... 3 Artigo 2º - Definição

Leia mais

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente

Auto-Regulação e Melhoria das Escolas. Auto-avaliação - uma PRIORIDADE. Auto-avaliação do Agrupamento de Escolas de Gil Vicente Agrupamento de Escolas de Auto-Regulação e Melhoria das Escolas Auto-avaliação - uma PRIORIDADE Equipa de Avaliação Interna 2009/2010 1 Agrupamento de Escolas de Enquadramento legal Justificação Novo Paradigma

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Formadora - Magda Sousa MÓDULO 1 NORMATIVOS LEGAIS OBJECTIVO Interpretar e aplicar a legislação, regulamentos

Leia mais

Praticando os 3 R s. Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s

Praticando os 3 R s. Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s Praticando os 3 R s Caderno APIS Nº 1 Praticando os 3 R s O que são os 3 R s? Reduzir Reutilizar Reciclar Em nosso cotidiano, nós já fazemos isso, as vezes sem perceber: tentamos economizar aqui e ali,

Leia mais

O caminho dos resíduos

O caminho dos resíduos ALGAR Olá! Eu sou o Eco-Herói e vou mostrar-te O caminho dos resíduos Esta página é tua, pinta-me! 1.º Ciclo O caminho dos resíduos O lixo que produzimos e que colocamos no contentor normal segue num camião

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO E IMAGEM 2011/2012 RESINORTE, S. A.

PLANO DE COMUNICAÇÃO E IMAGEM 2011/2012 RESINORTE, S. A. PLANO DE COMUNICAÇÃO E IMAGEM 2011/2012 RESINORTE, S. A. COMUNICAÇÃO AMBIENTAL I. Eco-aulas, palestras e workshops Ações de formação e sensibilização sobre a temática dos resíduos nas escolas que as solicitem.

Leia mais

Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral

Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral Teresa Maria de Serpa Pinto Freitas do Amaral Prof. Auxiliar (exclusividade) Formação Pré-Graduada Licenciatura em Ciências da Nutrição pela Universidade do Porto (1989). Formação Pós-Graduada Doutoramento

Leia mais

Escola Básica do Castro

Escola Básica do Castro Pl Ação 2014-2015 1 Escola Básica do Castro Tema Diagnóstico (situações a melhorar) Objetivo(s) Meta(s) Ações e Atividas Previstas Recursos Intervenientes Calendarização Avaliação- instrumentos e Indicadores

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA REGULAMENTO INTERNO DA ESCOLA DE MUSICA Artigo 1º Objecto A Associação Cultural Musimax é uma Escola do Ensino Artístico Especializado em Música, e tem como principal objecto o ensino da música. Artigo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE FERREIRA DIAS METAS EDUCATIVAS

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE FERREIRA DIAS METAS EDUCATIVAS ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE FERREIRA DIAS METAS EDUCATIVAS ANO LECTIVO: 2012/2013 INTRODUÇÃO O PROGRAMA EDUCAÇÃO 2015 lançado pelo Ministério da Educação a partir do ano lectivo de 2010-2011 pretende,

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

O consumidor e as embalagens

O consumidor e as embalagens O consumidor e as embalagens Luísa Schmidt e Susana Valente Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa 12-Mar-14 1 O Papel do Consumidor 1. Separar: motivações e desmotivações 2. Diferentes

Leia mais

Este guia de bolso apresenta sugestões de lanches fáceis de transportar, saudáveis e adequados às faixas etárias indicadas.

Este guia de bolso apresenta sugestões de lanches fáceis de transportar, saudáveis e adequados às faixas etárias indicadas. Guia de Bolso Introdução ao guia Este guia de bolso apresenta sugestões de lanches fáceis de transportar, saudáveis e adequados às faixas etárias indicadas. As quantidades e tipos de alimentos foram calculados

Leia mais

Profª. Klícia Regateiro. O lixo

Profª. Klícia Regateiro. O lixo Profª. Klícia Regateiro O lixo Tipos de lixo O Definem-se resíduos sólidos como o conjunto dos produtos não aproveitados das atividades humanas: O domésticas, comerciais, industriais, de serviços de saúde

Leia mais

OBJECTIVOS: Prevenção Participação Associativismo Reflexão LINHAS DE ACTUAÇÃO:

OBJECTIVOS: Prevenção Participação Associativismo Reflexão LINHAS DE ACTUAÇÃO: LINHAS DE ACTUAÇÃO: OBJECTIVOS: Incentivar a criação das associações de pais e EE, do ensino não superior; Intervir e defender os interesses dos educandos, fomentando a colaboração entre pais, alunos e

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas do Viso 2005/2006. Agenda 21 Escolar. Um instrumento de cidadania

Agrupamento Vertical de Escolas do Viso 2005/2006. Agenda 21 Escolar. Um instrumento de cidadania Agrupamento Vertical de Escolas do Viso 2005/2006 Agenda 21 Escolar Um instrumento de cidadania A Escola Sede Situada em Ramalde, junto à Quinta do Rio, foi aqui que nasceu a ideia de implementar a Agenda

Leia mais

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Ano lectivo 2009/2010 PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Equipa: Ana Luísa Leal António Sousa Célia Oliveira Justa Costa PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE 1º PERÍODO ÁREA de INTERVENÇÃO- HÁBITOS ALIMENTARES DEFICITÁRIOS

Leia mais

Programa Semana da Terra 2015 S. João da Madeira (20 a 26 de abril)

Programa Semana da Terra 2015 S. João da Madeira (20 a 26 de abril) Programa Semana da Terra 2015 S. João da Madeira (20 a 26 de abril) Dia 20 (segunda-feira) 10h00 Abertura Semana da Terra Hastear da Bandeira Praça 25 de Abril Largada de pombos Centro Columbófilo 14h30

Leia mais

CATÁLOGO PAPELEIRAS/CINZEIRO

CATÁLOGO PAPELEIRAS/CINZEIRO CATÁLOGO PAPELEIRAS/CINZEIRO MENOS RESÍDUOS - MENOS POLUIÇÃO MAIS FUTURO A ALMOVERDE Ecologia, Lda. dedica se, desde o seu início, à comercialização de equipamentos para a recolha selectiva de resíduos

Leia mais

Estrutura Educativa: T.O.C. (todos os Clubes)

Estrutura Educativa: T.O.C. (todos os Clubes) Ao longo do ano 2º período II. SERVIÇOS TÉCNICO PEDAGÓGICOS Estrutura Educativa: T.O.C. (todos os Clubes) Participação dos pais e encarregados de educação na vida da escola Realizar uma actividade global

Leia mais

CANDIDATURA AO PROGRAMA

CANDIDATURA AO PROGRAMA CANDIDATURA AO PROGRAMA CIDADES AMIGAS DAS CRIANÇAS Modelo de Caracterização do Município O documento deve ser preenchido em PDF, utilizando a funcionalidade de preenchimento de campos do presente formulário.

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS

RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS RECOLHA SELECTIVA ECOPONTOS O QUE É UM ECOPONTO? Ecoponto é uma bateria de contentores individuais destinados a receber separadamente os diversos materiais para reciclagem. Os ecopontos de Oliveira de

Leia mais

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil Maria Ana Carvalho Objectivos Adoptar estilos de vida mais saudáveis pelas crianças e famílias Alimentação Saudável e Prática de Actividade Física Melhorar

Leia mais

PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO 2010/2011

PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO 2010/2011 Escola Profissional Agrícola Fernando Barros Leal Quinta da Fonte Portela Apartado 4 2565-909 Runa Telefone: 261314072 Fax: 261313234 Email: epatv@mail.telepac.pt PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO 2010/2011

PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO 2010/2011 Escola Profissional Agrícola Fernando Barros Leal Quinta da Fonte Portela Apartado 4 2565-909 Runa Telefone: 261314072 Fax: 261313234 Email: epatv@mail.telepac.pt PROGRAMA ECO-ESCOLAS - PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar

O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar O estado de saúde depende em muito de comportamentos saudáveis, como não utilizar drogas (licitas ou ilícitas), alimentar-se correctamente, praticar exercício físico, entre outras. No entanto, e o nosso

Leia mais

Tratamento de resíduos

Tratamento de resíduos Tratamento de resíduos Resíduo: Um resíduo é qualquer substância ou objecto de que o ser humano pretende desfazer-se por não lhe reconhecer utilidade. Prioridades a seguir no tratamento de resíduos sólidos:

Leia mais

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015 Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar 29 de Abril 2015 Mariana Santos Departamento de Alimentação e Nutrição, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, I.P., Lisboa, Portugal

Leia mais

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos

Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Colégio de Engenharia Agronómica O ACTO DE ENGENHARIA AGRONÓMICA Ordem dos Engenheiros 6 de Janeiro de 2006 O Acto de Engenharia Agronómica Prescrição e Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos Paulo Cruz

Leia mais

Plano de Ação Planificação de Atividades Eco-Escolas: desenvolver competências de literacia ambiental"

Plano de Ação Planificação de Atividades Eco-Escolas: desenvolver competências de literacia ambiental AÇÃO DE FORMAÇÃO ECO ESCOLAS 2016 UMA PARCERIA CFOR/ABAE Plano de Ação Planificação de Atividades Eco-Escolas: desenvolver competências de literacia ambiental" Centro de Formação da Associação dos Professores

Leia mais

Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007

Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007 Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007 I Nota Introdutória e II Objectivos e Estratégias Com a elaboração do presente plano de actividades do Serviço Técnico Sócio Educativo de Deficientes Profundos

Leia mais

PES 2011 / EB Salgueiro Maia

PES 2011 / EB Salgueiro Maia PES 2011 / 2012 Data 15 de Setembro de 2011 Professor(a) Página 1 de 9 ATIVIDADES OBJETIVOS INTERVENIENTES RECURSOS CALENDARIZA- Semana da Alimentação Reflexão sobre os lanches Reconhecer a importância

Leia mais

Constituição dos Clubes Ambiental

Constituição dos Clubes Ambiental Constituição dos Clubes Ambiental Escolas saudáveis, crianças saudáveis, meio ambiente saudável 1 Introdução: Um clube ambiental é um grupo de voluntários que trabalham juntos para tornar o ambiente local

Leia mais

Campanha de sensibilização do pnase

Campanha de sensibilização do pnase São Tomé, 28 de Fevereiro de 2017. Campanha de sensibilização do pnase Em alusão a 1 de Março, Dia Africano da Alimentação Escolar, o Ministério da Educação Cultura de São Tomé e Príncipe dá início à campanha

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DIÁRIA 11/01/2011

PLANIFICAÇÃO DIÁRIA 11/01/2011 INSTITUIÇÃO FORMADORA: ISEC CURSO: Mestrado de Qualificação para a Docência em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do ensino Básico PLANIFICAÇÃO DIÁRIA 11/01/2011 INSTITUIÇÃO DE INTERVENÇÃO: Jardim

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE Relatório de Reflexão Critica do Plano Anual de Atividades Ano Letivo 2011/2012 1ºPeríodo Índice Índice 2 Introdução 3 Grau execução e de satisfação 4 Participação dos agentes

Leia mais

Plano. para a Implementação Vertical. Ensino Experimental das Ciências

Plano. para a Implementação Vertical. Ensino Experimental das Ciências Plano para a Implementação Vertical Ensino Experimental das Ciências Panoias - Braga 2010/2011 ÍNDICE 1-INDRODUÇÃO--------------------------------------------------------------------------------- 3 2-OBJECTIVOS

Leia mais

Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB

Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB Ecocentro Recolha e Centro de Triagem Resiaçores Recolha SMAH Compostagem - TERAMB Incineração - TERAMB Aterro Sanitário - TERAMB SMAH Recolha, transporte de resíduos urbanos e limpeza pública Resiaçores

Leia mais

Paulo Rodrigues I

Paulo Rodrigues I Paulo Rodrigues I paulo.rodrigues@lipor.pt UNIVERSOLIPOR População 969.036 habitantes 10.3% da população de Portugal em 650 km 2 (0.8% do território nacional) Produção Anual de RSU (ano 2009) 505.665 toneladas

Leia mais

REFEITÓRIOS. Novembro de 2016

REFEITÓRIOS. Novembro de 2016 REFEITÓRIOS ADJUDICADOS PRAZO DE EXECUÇÃO DO CONTRATO 1 janeiro 2015 a 31 julho de 2017 PERÍODO LETIVO PERÍODO NÃO LETIVO Comunicação/Autorização DGEstE OBJETIVO DO CONTRATO Serviço de Refeições Equilibradas

Leia mais

TEMAS DO PLANO DE AÇÃO Tema trabalhado pela escola Resíduos Água Energia Espaços Exteriores Biodiversidade Agricultura Biológica Floresta Mar

TEMAS DO PLANO DE AÇÃO Tema trabalhado pela escola Resíduos Água Energia Espaços Exteriores Biodiversidade Agricultura Biológica Floresta Mar TEMAS DO PLANO DE AÇÃO Tema trabalhado pela escola Resíduos Água Energia Espaços Exteriores Biodiversidade Agricultura Biológica Floresta Mar Mobilidade / Transportes Alterações Climáticas Ruído Alimentação

Leia mais

Capítulo I. Definição, Objecto e Objectivos da RBAL. Cláusula 1.ª. Definição. Cláusula 2.ª. Objecto. Cláusula 3.ª. Objectivos

Capítulo I. Definição, Objecto e Objectivos da RBAL. Cláusula 1.ª. Definição. Cláusula 2.ª. Objecto. Cláusula 3.ª. Objectivos PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Preâmbulo A Rede de Bibliotecas de Alcochete, adiante designada RBAL, visa a prossecução de uma dinâmica de trabalho colaborativo quer ao nível da organização, gestão e disponibilização

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009

PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009 PLANO DE ACTIVIDADES ANO SOCIAL 2008/2009 As associações de pais visam a defesa e a promoção dos interesses dos seus associados em tudo quanto respeita à educação e ensino dos seus filhos e educandos que

Leia mais

Escola Secundária de Ponte de Lima Projecto de Estufa de Hidroponia

Escola Secundária de Ponte de Lima Projecto de Estufa de Hidroponia Introdução Centrado na problemática Ser criativo para, através de Projectos sustentáveis, melhorar, de forma directa ou indirecta, a qualidade de vida de comunidades locais carenciadas nasceu o nosso Projecto;

Leia mais

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo

ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo GUIA DE ATIVIDADES de educação ambiental ATIVIDADES CENTRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Pré-Escolar e 1º Ciclo Centro de Educação Ambiental de Albufeira Localização: Quinta da Palmeira - R. dos Bombeiros Voluntários

Leia mais

1.3.Formação da Equipa de Qualidade Constituição definitiva. 1.4.Sensibilização para a Qualidade

1.3.Formação da Equipa de Qualidade Constituição definitiva. 1.4.Sensibilização para a Qualidade Implementação do Sistema de Gestão de Qualidade da Segurança Social Nível C 1.1.Reflexão sobre o que significa um processo de Qualidade Pertinência / Oportunidade para o CST IPSS Reunião Técnica 5 de Fevereiro

Leia mais

INQUÉRITO AOS CAMPOS DE GOLFE APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS IMPACTE AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL

INQUÉRITO AOS CAMPOS DE GOLFE APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS IMPACTE AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL INQUÉRITO AOS CAMPOS DE GOLFE IMPACTE AMBIENTAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 18 de junho de 2015 Carla Simões Turismo de Portugal AGENDA 1. Enquadramento 2. Universo respostas válidas

Leia mais

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT - 2010 Grau de Satisfação para Colaboradores sobre a Satisfação Global Nº de inquéritos recebidos 90 P1. Imagem global da organização. 0 2

Leia mais

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 2 Princípios da agricultura biológica

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 2 Princípios da agricultura biológica Eco new farmers Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica Sessão 2 Princípios da agricultura biológica Módulo 1 Introdução à agricultura biológica Sessão 2 Princípios da agricultura biológica www.econewfarmers.eu

Leia mais

CENTRO de SAÚDE de SANTA MARIA da FEIRA PROJECTO. COM PESO e MEDIDA. Enfermeira. Lara F. C. Monteiro

CENTRO de SAÚDE de SANTA MARIA da FEIRA PROJECTO. COM PESO e MEDIDA. Enfermeira. Lara F. C. Monteiro CENTRO de SAÚDE de SANTA MARIA da FEIRA PROJECTO COM PESO e MEDIDA Enfermeira Lara F. C. Monteiro Março, 2008 0. Sumário 1. Introdução... Pág. 02 2. Justificação do projecto... Pág. 03 3. Nome do projecto...

Leia mais

ESTATÍSTICAS AMBIENTAIS DO DISTRITO DE BRAGANÇA. Co-Financiamento:

ESTATÍSTICAS AMBIENTAIS DO DISTRITO DE BRAGANÇA. Co-Financiamento: ESTATÍSTICAS AMBIENTAIS DO DISTRITO DE BRAGANÇA Co-Financiamento: Índice 1. Introdução... 2 2. Registo de resíduos sólidos urbanos por municípios em 2008... 3 3. Quantidade de RSU recolhido por município

Leia mais

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) 1

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo)   1 Coleta Seletiva Consciência limpa Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo) E-mail: cecgodoy@gmail.com 1 Proposta da palestra Apresentar para a Comunidade Móbile informações importantes sobre Responsabilidade

Leia mais

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca

Pacto de Milão. Desafio para as Autarquias. Lucinda Fonseca Pacto de Milão Desafio para as Autarquias Lucinda Fonseca Caracterização CARACTERIZAÇÃO PACTO DE MILÃO /03 Freguesias: 26 Área: 302,33 km 2 População residente: 56 264 Densidade populacional: 185,9 hab/

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp.

Sistemas de Gestão Ambiental. Gestão de Resíduos. Vídeo. Contextualização. Soluções. Instrumentalização. Aula 5. Prof. Esp. Sistemas de Gestão Ambiental Aula 5 Gestão de Resíduos Prof. Esp. Felipe Luiz Vídeo Contextualização Lixão no Oceano Pacífico. Disponível em:

Leia mais

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA

1. Introdução AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MAIA 1. Introdução A avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Maia, da responsabilidade da IGEC, decorreu de 17 a 20 de novembro do ano transato. A classificação de Muito Bom em todos os domínios enche-nos

Leia mais

Escola Secundária da Portela

Escola Secundária da Portela Universidade de Lisboa Introdução à Prática Profissional I Escola Secundária da Portela Filipa Burgo Inês Almeida 21 de Janeiro de 2011 Localização Avenida das Escolas, nº20 Portela de Sacavém 2685-202,

Leia mais

Plantas Aromáticas e Medicinais. Joaquim Morgado

Plantas Aromáticas e Medicinais. Joaquim Morgado Plantas Aromáticas e Medicinais Joaquim Morgado AIRV Viseu, 30 de Junho de 2011 www.ervital.pt bio@ervital.pt Empresa criada em 1997, tendo como actividade económica principal a produção, transformação

Leia mais

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES

ANEXO IV MAPA DE INICIATIVAS / ACÇÕES MAPA DE S / 01. Dotar os responsáveis pela gestão escolar de formação técnica em Balanced Scorecard; 01.1. Dotar os Orgãos de Gestão de formação em BSC. Acção 1. Sensibilizar os órgãos de gestão para a

Leia mais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais

Metas Curriculares. Ensino Básico. Ciências Naturais Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 2013 8.º ANO TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO

PLANO DE INTERVENÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EQUIPA INTERDISCIPLINAR PLANO DE INTERVENÇÃO ANOS LECTIVOS 2009/2010 e 2010/2011 ÍNDICE Nota Introdutória.. 3 Parte I - Caracterização..4 1.1 Caracterização do Ambiente Interno.4

Leia mais

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS

DEPOSIÇÃO INTERNA DE RESÍDUOS 1 de 7 1. Para a execução de uma correta gestão de resíduos deve-se assegurar que após a utilização de um bem se devem seguir, sempre que possível, novas utilizações do mesmo. 2. Não sendo viável a sua

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO 2010 - DEPARTAMENTO: 1º Ciclo PCA1 Coordenador(a): Fernando Martins Tel/Tem:

Leia mais

EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I

EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I 1 EXPLORAÇÃO DO CD-ROM AMBIENTE I Depois de nos termos inteirado do conteúdo, actividades e funcionamento do CD-ROM o Ambiente I, através do GUIÃO DE EXPLORAÇÃO, vamos agora tentar resolver alguns desafios:

Leia mais

A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL DE CRIANÇAS E JOVENS

A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL DE CRIANÇAS E JOVENS DEBATE A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL DE CRIANÇAS E JOVENS 17 de Março de 2017 18.00 21.30 Pavilhão do Conhecimento Centro Ciência Viva O debate informal A Alimentação Saudável de Crianças e Jovens propôs-se identificar

Leia mais

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação

Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Agrupamento de Escolas Terras de Larus Escola Básica 2,3 da Cruz de Pau Ciências Naturais 8º Ano Ficha de Avaliação Nome: n.º Turma: Data: Classificação: Prof: Enc. Edu. 1. As figuras seguintes ilustram

Leia mais

CAI RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO

CAI RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO 2008-2009 RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO CAI COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA DOMÍNIOS DE AVALIAÇÃO Funcionamento e Organização dos Apoios Educativos. Contributo dos

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 Terra, um planeta com vida Sistema Terra: da célula à biodiversidade 1. Compreender as condições próprias da Terra que a tornam o único planeta com vida conhecida no Sistema Solar 1.1. Identificar a posição

Leia mais

Relatório Final de Actividade. Ano Lectivo 2010/2011

Relatório Final de Actividade. Ano Lectivo 2010/2011 Relatório Final de Actividade Ano Lectivo 2010/2011 A) DESENVOLVIMENTO DA ACTIVIDADE DESIGNAÇÃO: (+)APOIAR_PAT RESPONSÁVEIS: MARTHA FERNANDES E LICÍNIO PEREIRA LOCAL: ESCOLA EB 2,3 DIOGO CÃO DINAMIZADORES:

Leia mais

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Apresentado por: Julia Ussy Félix Maputo, Fevereiro de 2014 SEQUÊNCIA

Leia mais

Cultura de Segurança Alimentar conjunto de valores que devem ser seguidos para produzir e fornecer alimentos seguros

Cultura de Segurança Alimentar conjunto de valores que devem ser seguidos para produzir e fornecer alimentos seguros Mestrado em Engenharia Unidade Curricular Segurança Reforçar a Cultura da Segurança para reduzir as taxas de doenças transmitidas por alimentos Autores: Powell D., Jacob C., Chapman B. Cultura de Segurança

Leia mais

Projecto Prosepe Ciclo: Prevenção dos incêndios florestais pela educação 2014/15 Tema: Os incêndios florestais não queimam apenas árvores

Projecto Prosepe Ciclo: Prevenção dos incêndios florestais pela educação 2014/15 Tema: Os incêndios florestais não queimam apenas árvores Projecto Prosepe Ciclo: Prevenção dos incêndios florestais pela educação 2014/15 Tema: Os incêndios florestais não queimam apenas árvores Nome do Clube da Floresta: Os Palmeirinhas Nome da Escola: A preencher

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CONCURSO RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS 2011

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CONCURSO RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS 2011 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CONCURSO RECOLHA DE ÓLEOS ALIMENTARES USADOS 2011 Fe RESÍDUOS DO NORDESTE, EIM Agosto de 2011 Resíduos do Nordeste, EIM 1. INTRODUÇÃO A Empresa Intermunicipal Resíduos do Nordeste,

Leia mais

Descobre tudo sobre um...

Descobre tudo sobre um... Escola Básica 1,2,3/JI de Angra do Heroísmo Dia Mundial da Alimentação 16 de Outubro de 2010 Descobre tudo sobre um... PEQUENO-ALMOÇO PORQUÊ? Porque, após uma noite de sono, em que estivemos várias horas

Leia mais

a 27 abril

a 27 abril 2013 22 a 27 abril Dia 22 abril 10h30 Abertura Semana da Terra CERCI Sessão de Teatro dinamizada pelos utentes da CERCI Largada de pombos Centro Columbófilo Inauguração da exposição Recipientes para deposição

Leia mais

Autoavaliação do Agrupamento

Autoavaliação do Agrupamento Autoavaliação do Agrupamento Utilização da cantina escolar (Escola Básica António Dias Simões) (Escola Secundária Dr. José Macedo Fragateiro) (Ano letivo 2014 / 2015) julho 2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DO ESTATUTO ORGÂNICO JESUS MAIATO Director Nacional de Segurança Social do MAPTSS Benguela. 22. Maio 2014 INSTALAÇÃO DOS NOVOS DEPARTAMENTOS

Leia mais

Autonomia e Gestão Novos Desafios

Autonomia e Gestão Novos Desafios Autonomia e Gestão Novos Desafios Francisco Oliveira Reforço da participação das famílias e comunidades na direcção estratégica da Escola Reforçar a liderança das Escolas Reforço da autonomia das Escolas

Leia mais

Guião da entrevistas à Presidente do Conselho Executivo. Presidente. Blocos Objectivos Perguntas

Guião da entrevistas à Presidente do Conselho Executivo. Presidente. Blocos Objectivos Perguntas ANEXO U Guião das entrevistas à PCE e à CDTs Guião da entrevistas à Presidente do Conselho Executivo Presidente Blocos Objectivos Perguntas - Introdução à entrevista - Explanação dos objectivos da mesma

Leia mais

Boas práticas para o Desenvolvimento Sustentável O contributo do Município de Mafra

Boas práticas para o Desenvolvimento Sustentável O contributo do Município de Mafra Seminário Eco-EscolasEscolas 2017 Boas práticas para o Desenvolvimento O contributo do Município de Mafra Câmara Municipal de Mafra Ílhavo - 20, 21 e 22 de janeiro de 2017 Seminário Eco-EscolasEscolas

Leia mais