- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05"

Transcrição

1 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 70 23/09/05 a 29/09/05 Brasil poderá retaliar comercialmente os Estados Unidos O Brasil solicitará à Organização Mundial do Comércio (OMC) o direito de retaliar os Estados Unidos por causa dos subsídios pagos a seus produtores de algodão. Esta prática já foi julgada ilegal pela Organização e Washington teve seis meses para se adequar às regras do comércio internacional. Contudo, passado o prazo, não houve nenhuma manifestação concreta por parte dos americanos indicando o que fariam. O ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, disse que como forma de retaliação, poderão ser negociados com a Casa Branca eventuais benefícios comerciais para o Brasil, como a facilitação do acesso de produtos de interesse nacional no mercado norte-americano. (Folha de S. Paulo - Dinheiro - 23/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 23/09/05). Principais atores da OMC reuniram-se na embaixada brasileira em Paris Representantes da Índia, Brasil, Estados Unidos e União Européia (UE) se reuniram na embaixada brasileira em Paris para tentar retomar as negociações da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Discutimos a fundo a questão agrícola e outras e tentamos ver onde estão nossas divergências. Falta um longo caminho a percorrer mas essa reunião foi útil para compreender onde estão os problemas", avaliou o chanceler brasileiro Celso Amorim. O Brasil tem insistido na flexibilização das posições dos europeus e norte-americanos nas negociações agrícolas para que a reunião ministerial que ocorrerá em Hong Kong, em dezembro, não seja mal sucedida. (Folha de S. Paulo Dinheiro 23/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 23/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 24/09/05). Brasil insistirá na criação de uma linha emergencial de crédito no FMI O Brasil defenderá mais uma vez, na reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial (Bird), a criação de uma linha de crédito emergencial para socorrer países com boa conduta fiscal para os momentos de crise. O secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Luiz Pereira, acredita fortemente que o relatório final que será apresentado pelo diretor-gerente do FMI, Rodrigo Rato, incluirá o tema pela primeira vez. A proposta já obteve apoio do Japão e do Reino Unido. Os representantes brasileiros também defendem a redistribuição de cotas do Fundo para aumentar a representatividade das economias emergentes. Contudo, ambas propostas encontram resistência dos

2 Estados Unidos. (Folha de S. Paulo Dinheiro 23/09/05; Folha de S. Paulo Dinheiro 24/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 23/09/05). Lula assinou decreto que reconhece a China como membro da OMC O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou o decreto que reconhece a China como membro da Organização Mundial do Comércio (OMC). A partir do reconhecimento, o Brasil pode adotar legalmente medidas de contenção da importação de produtos chineses que estejam ameaçando a produção nacional. Contudo, Brasília prefere adotar uma posição conciliadora com os chineses através da negociação de reduções voluntárias das exportações chinesas para o mercado brasileiro. O Itamaraty considera o país asiático um importante aliado nas diversas negociações multilaterais. Por isso, quer evitar um confronto com Pequim. O ministro brasileiro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, viajou à Pequim, no dia 29 de setembro, para negociar com o ministro chinês do Comércio, Bo Xilai, uma autolimitação na venda de produtos chineses para o mercado brasileiro.(folha de S. Paulo Dinheiro 23/09/05; Folha de S. Paulo Dinheiro 28/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 28/09/05; O Globo Economia 27/09/05; O Globo Economia 29/09/05). Lula participou da 2ª Conferência Mundial do Café O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou, no dia 24 de setembro, da abertura da 2ª Conferência Mundial do Café, em Salvador, Bahia. Segundo o ministério da Agricultura, a Organização Mundial do Café (OIC) escolheu o Brasil para sediar o evento porque este país é o maior produtor e exportador mundial de café, além de ocupar o segundo lugar no mercado consumidor. (Folha de S. Paulo Brasil 24/09/05). Amorim visitou Estados Unidos O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, pela primeira vez desde o início do governo Lula, visitou os Estados Unidos. Além de encontrar-se com a Secretária de Estado americano, Condoleeza Rice, para acertar os detalhes da viagem do presidente George W. Bush ao Brasil - que acontecerá no dia 06 de novembro, quando passará algumas horas em Brasília - Amorim reuniu-se com o subsecretário de Estado, Nicholas Burns, e com o vice-secretário de Estado Robert Zoellick. A agenda do brasileiro abrangeu todo o leque de temas bilaterais. Os principais pontos de destaque foram o comércio, a próxima reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Hong Kong e a Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Outro tema relevante foi a continuação da liderança militar brasileira na força de estabilização da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti, que recebeu elogios por parte dos americanos. Amorim

3 tratou, ainda, com Rice e seus outros interlocutores, dos preparativos da Quarta Cúpula das Américas, marcada para o início de novembro, em Mar del Plata. Na falta de temas substantivos, os americanos temem que o evento se transforme em palco para o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, armar uma confrontação com o presidente estadunidense George W. Bush. Antes de retornar ao país, o chanceler participou de uma conferência do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos. (Folha de S. Paulo Brasil 26/09/05; O Estado de S. Paulo Nacional 27/09/05; Folha de S. Paulo Mundo 27/09/05; O Estado de S. Paulo Nacional 27/09/05; O Globo O País 27//09/05). Celso Amorim defendeu a permanecia brasileira no Haiti O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, defendeu a permanecia das Tropas de Estabilização da Paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti nos meses após o processo eleitoral pelo qual passará o país da América Central. A proposta de Amorim recebeu apoio da Secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, que pediu rapidez no processo eleitoral. Amorim esteve no país caribenho antes de encontrar-se com Rice nos EUA. O governo brasileiro enviou técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para auxiliar nas eleições, entretanto, o uso de urnas eletrônicas foi descartado pela instabilidade no fornecimento de energia naquele país. (Folha de S. Paulo Mundo 27/09/05; Folha de S. Paulo Mundo 28/09/05). G-7 poderá ser ampliado e contar com a presença do Brasil O secretário do Tesouro dos EUA, John Snow, declarou que o G-7 Grupo dos Setes países mais industrializados do mundo estará arriscando a sua relevância caso não expanda a ponto de refletir melhor a economia mundial. Outro funcionário do Tesouro americano, Fred Bergsten, disse que o grupo poderá ser ampliado no período de um ano. A proposta encontra apoio também do ministro da Fazenda Francês. Brasil e Rússia são países de reconhecida influência no comércio mundial e nos mercados financeiros, o que viabilizaria a inclusão brasileirano grupo. (Folha de S. Paulo Dinheiro 27/09/05). Brasil sediou a primeira reunião da Comunidade Sul-Americana de Nações Nos dias 29 e 30 de setembro, Brasília sediou a primeira reunião da Comunidade Sul-Americana de Nações (CASA), projeto de integração física, energética e política entre os países da América do Sul. Os presidentes de metade dos 12 países integrantes da Comunidade ausentaram-se da reunião, entre os quais o presidente da Argentina, Néstor Kirchner. (Folha de S. Paulo Dinheiro 27/09/05; Folha de S. Paulo Brasil 29/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 27/09/05; O Estado de S. Paulo Nacional 28/09/05).

4 Parlamento do Mercosul poderá ser lançado em 2007 O presidente da Comissão Parlamentar Conjunta do Mercosul, o deputado uruguaio Roberto Conde, defendeu o lançamento do parlamento do Mercosul em 1º de janeiro de Segundo Conde, as diplomacias dos países que integram o grupo já discutem essa possibilidade. O parlamento do Mercosul constituir-se-á como uma instituição transnacional com competência apenas para intervir em questões relativas à integração e todas as decisões deverão ser ratificadas pelos legislativos locais. Caso haja acordo entre os parlamentares que integram a comissão conjunta a proposta será levada à apreciação das chancelarias. Entretanto, o deputado brasileiro Julio Redeced, declarou acreditar que dificilmente a proposta será consolidada a tempo. (Folha de S. Paulo Dinheiro 27/09/05). Brasil voltou à OMC para pedir prazo para que UE suspenda subsídios O Brasil voltou à Organização Mundial do Comércio (OMC), em 28 de setembro, para pedir que o órgão estipule um prazo para que os europeus reformem sua prática de subsídios ao açúcar. A UE pode exportar até 1,3 milhão de toneladas subsidiadas do produto por ano, mas tem exportado até 4 milhões. Em abril, a OMC condenou a prática européia, mas Bruxelas não suspendeu os subsídios condenados. Agora, o bloco europeu quer transformar 1,9 milhão de toneladas de açúcar destinadas ao mercado doméstico em produto de exportação até 2007, para evitar queda no preço interno. Por isso, o Brasil, juntamente com Austrália e Tailândia, pediu na organização que os países do bloco congelem seus subsídios até a reunião ministerial da entidade em Hong Kong, em dezembro. Os europeus, no entanto, anunciaram que não irão modificar seu sistema de subsídios até que a OMC determine um prazo. A UE quer que o governo espere até janeiro de 2007 para cumprir a decisão da organização; o Itamaraty sugere como prazo o fim de (Folha de S. Paulo Dinheiro 27/09/05; Folha de S. Paulo Dinheiro 28/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 27/09/05; O Estado de S. Paulo Economia 28/09/05; O Globo Economia 29/09/05). OMS autorizou Brasil a fabricar vacina contra a gripe aviária A Organização Mundial da Saúde (OMS) autorizou o recebimento da cepa de um subtipo do vírus da gripe aviária pelo Brasil para que vacinas contra a doença sejam fabricadas. A vacina será produzida pelo Instituto Butantã, em São Paulo, que está desenvolvendo maneiras de melhorar a eficácia do produto. Com isso, o Brasil passou a integrar uma força-tarefa mundial contra a doença no caso de uma eventual epidemia, alertada pela organização. (O Estado de S. Paulo Vida& 27/09/05).

5 Secretário do Tesouro americano elogiou a política econômica brasileira O secretário do Tesouro americano, John Snow, elogiou abertamente a política econômica brasileira, em evento promovido pela Câmara Brasil-EUA, em Washington, no dia 26 de setembro. Snow citou algumas praticas do Brasil que foram por ele classificadas como maravilhosas, como o crescimento econômico pelo qual o país vem passando e a criação de empregos. (O Estado de S. Paulo Economia 27/09/05; O Globo Economia 27/09/05). Argentinos pediram compreensão aos calçadistas brasileiros A Confederação Geral Econômica (CGE) da Argentina, pediu que os exportadores de calçados do Brasil compreendessem que os argentinos precisam das atuais restrições aplicadas à entrada de sapatos brasileiros em seu país. Os empresários gaúchos haviam solicitado que o governo Lula intercedesse para que as barreiras à entrada de 700 mil pares de calçados provenientes do Brasil que estão retidos nas alfândegas argentinas fossem suspensas. Há poucas semanas, o presidente da Argentina, Nestor Kirchner, aplicou o sistema de licenças não-automáticas para a importação de calçados brasileiros, que atrasam a liberação dos carregamentos em até 60 dias, desestimulando as importações. Segundo o presidente da CGE, Marcelo Fernández, se esse sistema não fosse adotado, com a invasão do produto brasileiro, cerca de 600 argentinos do setor calçadista ficariam desempregados. O presidente Lula deverá discutir com Kirchner o caso dos calçados no encontro que terão no dia 30 de novembro, em comemoração dos 20 anos do encontro entre os presidentes José Sarney e Raúl Alfonsín, o primeiro passo para a posterior criação do Mercosul. (O Estado de S. Paulo Economia 28/09/05). Brasil limitou participação nas decisões sobre a gestão da internet Nos debates da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o futuro da gestão da internet, em Genebra, o Brasil foi acusado por Organizações Não- Governamentais (ONGs) de limitar a participação da sociedade civil. O governo brasileiro, que defende a democratização e transparência na gestão da rede mundial de computadores, hoje nas mãos dos Estados Unidos, declarou que essa limitação pretendeu evitar que empresas influenciassem no processo, e que esta é uma forma de participação regulamentada pela ONU. Entretanto, para as ONGs e para alguns diplomatas europeus, a posição assumida pelo Itamaraty causou desconforto nas reuniões. As negociações em Genebra, que devem ser concluídas até o fim da semana, originarão o documento que será encaminhado à Cúpula da Sociedade da Informação, prevista para novembro na Tunísia. (Estado de S. Paulo Economia 28/09/05).

6 Comércio dentro do Mercosul diminuiu após TEC Pesquisas indicam que, atualmente, há menos intercâmbio comercial entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai em comparação ao total comercializado pelo bloco antes da implementação da TEC (Tarifa Externa Comum), em A participação das importações do Brasil dentro do bloco estão caindo em virtude da mudança brasileira de compras e da substituição de certos produtos argentinos por produtos de outros países. A diminuição também foi atribuída ao fato dos membros do bloco exportarem commodities, produtos pouco demandados pelos países do bloco. (Folha de S. Paulo Dinheiro 29/09/05). Acordo entre Brasil e Argentina visa combater produto falso Brasil e Argentina assinaram um acordo que prevê que os dois países passem a trocar informações sobre produtos falsificados. A finalidade do documento é promover ações preventivas de educação e proteção ao consumidor através do intercâmbio de informações entre os organismos a respeito da comercialização de produtos falsificados que possam representar um risco para a saúde e segurança dos consumidores. (Folha de S. Paulo Dinheiro 29/09/05).

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 Lula faz um balanço da política externa O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sua política externa na cerimônia

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 54 03/06/05 a 09/06/05 China pode vetar reforma do Conselho de Segurança O governo brasileiro não considerou um problema diplomático a ameaça chinesa

Leia mais

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul MECANISMOS INTER-REGIONAIS BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul O que faz o BRICS? Desde a sua criação, o BRICS tem expandido suas atividades em duas principais vertentes: (i) a coordenação

Leia mais

Organização Mundial do Comércio: Possibilidades e Limites

Organização Mundial do Comércio: Possibilidades e Limites Organização Mundial do Comércio: Possibilidades e Limites Análise Integração Regional / Economia e Comércio Bernardo Erhardt de Andrade Guaracy 15 de outubro de 2003 Organização Mundial do Comércio: Possibilidades

Leia mais

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia

5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento / Integração Franceline Hellen Fukuda 17 de maio de 2008 5ª Cúpula América Latina, Caribe e União Européia Resenha Desenvolvimento

Leia mais

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial

As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial As instituições internacionais e a reorganização do espaço geográfico mundial ONU A ONU (Organização das Nações Unidas) foi fundada no dia 24 de outubro de 1945, em São Francisco, Estados Unidos. O encontro

Leia mais

OMC: estrutura institucional

OMC: estrutura institucional OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 Enquanto o GATT foi apenas

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06 Apresentação: OBSERVATÓRIO DE POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 92 14/04/06-20/04/06 O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação

Leia mais

OMC reabre a Rodada de Doha. Análise Economia & Comércio

OMC reabre a Rodada de Doha. Análise Economia & Comércio OMC reabre a Rodada de Doha Análise Economia & Comércio Celeste Cristina Machado Badaró 30 de março de 2007 OMC reabre a Rodada de Doha Análise Economia & Comércio Celeste Cristina Machado Badaró 30 de

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 100 09/06/06 a 15/06/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 100 09/06/06 a 15/06/06 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 100 09/06/06 a 15/06/06 Apresentação: O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 50 06/05/05 a 12/05/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 50 06/05/05 a 12/05/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 50 06/05/05 a 12/05/05 Presidentes reuniram-se para resolver tensões entre Argentina e Brasil Frente às recentes tensões entre Brasil e Argentina, o presidente

Leia mais

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos Seminário AMCHAM 29 de Agosto de 2013 1 1. Os acordos de comércio 2 Crise não freou celebração de acordos de comércio Soma de Acordos Preferenciais

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

AVII 8º ANO Globalização Qual é a mais próxima da realidade? Como será o futuro? Escola do futuro de 1910 Cidade-prédio de 1895 A era das redes aumentou ou diminuiu o tamanho do mundo?

Leia mais

TRATADO BRASIL - ESTADOS UNIDOS PARA EVITAR A BITRIBUTAÇÃO CÂMARA DOS DEPUTADOS

TRATADO BRASIL - ESTADOS UNIDOS PARA EVITAR A BITRIBUTAÇÃO CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Finanças e Tributação Comissão de Relações Exteriores Grupo Parlamentar Brasil-EUA AmCham Brasil Câmara Americana de Comércio Roberto Pasqualin Conselheiro Legal AmCham

Leia mais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais

Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Bali e pós-bali: Tendências nas negociações comerciais Sandra Polónia Rios 20 de maio de 2014 Roteiro 1. Antecedentes 2. O Pacote de Bali: agricultura, questões de desenvolvimento e facilitação de comércio

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Câmara dos Deputados Consultoria Legislativa Análise de Conjuntura Boletim periódico da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados Os textos são da exclusiva responsabilidade de seus autores. O boletim

Leia mais

ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc

ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc ANEXO I QUADRO COMPARATIVO DOS GOVERNOS LULA E fhc Mercadante_ANEXOS.indd 225 10/4/2006 12:00:02 Mercadante_ANEXOS.indd 226 10/4/2006 12:00:02 QUADRO COMPARATIVO POLÍTICA EXTERNA Fortalecimento e expansão

Leia mais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais

Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais Da coexistência internacional à cooperação multilateral: o papel da ONU e da OMC nas relações internacionais A Cooperação Internacional tem por objetivo conduzir o conjunto de atores que agem no cenário

Leia mais

Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol

Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol Resenha Desenvolvimento / Economia e Comércio Raphael Rezende Esteves 22 de março de 2007 1 Cooperação entre Brasil e EUA para a produção de etanol

Leia mais

A visita da presidente Dilma à China

A visita da presidente Dilma à China A visita da presidente Dilma à China Análise Ásia Déborah Silva do Monte 02 de Julho de 2011 A visita da presidente Dilma à China Análise Ásia Déborah Silva do Monte 02 de Julho de 2011 A presidente Dilma

Leia mais

Sinergia com os EUA. Henrique Rezezinski¹. Ano: 2012

Sinergia com os EUA. Henrique Rezezinski¹. Ano: 2012 ¹ Ano: 2012 1 HENRIQUE REZEZINSKI é membro do Conselho Curador do CEBRI e presidente da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (Amcham-Rio). CEBRI Centro Brasileiro de Relações Internacionais +55

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06 Apresentação: - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 84 17/02/06 a 23/02/06 O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

A ascensão dos subdesenvolvidos. Geografia Professor Daniel Nogueira

A ascensão dos subdesenvolvidos. Geografia Professor Daniel Nogueira GE GRAFIA A ascensão dos subdesenvolvidos Geografia Professor Daniel Nogueira Os grupos econômicos são grupos de países com comportamento econômico específico. Geralmente economias com aspectos semelhantes.

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

Seja um Profissional em Energia Solar

Seja um Profissional em Energia Solar Seja um Profissional em Energia Solar Nós, da Blue Sol, acreditamos no empoderamento de todos os consumidores de energia elétrica no Brasil através da possibilidade de geração própria da energia consumida.

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO

POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO POLÍTICA EXTERNA, DEMOCRACIA. DESENVOLVIMENTO GESTÃO do MÍNÍSTRO CEISO AMORÍM NO itamaraty AqosTO 95A DEZEMBRO 94 / FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO Brasília 1995 Tricentenário do nascimento de Alexandre de

Leia mais

Brasil, Vítima do Protecionismo

Brasil, Vítima do Protecionismo Brasil, Vítima do Protecionismo Marcelo Zero 1- A presidenta Dilma Rousseff vem advertindo, em todos os foros globais em que participa, sobre o tsunami monetário, perpetrado principalmente pelos EUA e

Leia mais

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro

O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro O papel do internacionalista frente ao comércio exterior brasileiro Camila Nogueira 1 Camila Texeira Introdução Com o fim da guerra fria o mundo veio a passar por uma série de mudanças no sistema internacional,

Leia mais

- Informe de Política Externa Brasileira Nº 229 25/09/09 a 01/10/09

- Informe de Política Externa Brasileira Nº 229 25/09/09 a 01/10/09 - Informe de Política Externa Brasileira Nº 229 25/09/09 a 01/10/09 Apresentação: O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Código: CONS AI01/2008. Nº de vagas: 01

TERMO DE REFERÊNCIA. Código: CONS AI01/2008. Nº de vagas: 01 TERMO DE REFERÊNCIA Denominação: Consultor(a) para atuação na área de desenvolvimento, aprofundamento e ampliação de ações e estudos relacionados à análise de tratados de direito econômico internacional

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens.

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens. TERMO DE REFERÊNCIA Denominação: Consultor(a) para atuação na área de política internacional, intercâmbio internacional de experiências em políticas de desenvolvimento rural e atividades de cooperação

Leia mais

GATS E EVOLUÇÃO INTERNACIONAL RELATÓRIO INTERCALAR

GATS E EVOLUÇÃO INTERNACIONAL RELATÓRIO INTERCALAR MARKT/2526/02 PT Orig. EN GATS E EVOLUÇÃO INTERNACIONAL RELATÓRIO INTERCALAR Commission européenne, B-1049 Bruxelles / Europese Commissie, B-1049 Brussel Bélgica. Telefone: + 32-2-299.11.11 Escritório:

Leia mais

MERCOSUR IV REUNIÃO GRUPO AD HOC SOBRE BENS E SERVIÇOS AMBIENTAIS

MERCOSUR IV REUNIÃO GRUPO AD HOC SOBRE BENS E SERVIÇOS AMBIENTAIS MERCOSUR IV REUNIÃO GRUPO AD HOC SOBRE BENS E SERVIÇOS AMBIENTAIS Brasil, 28 e 29 de agosto de 2006 MERCOSUL / SGT Nº 6 / ATA N. 2/06 IV REUNIÃO ORDINÁRIA DO GRUPO AD HOC SOBRE BENS E SERVIÇOS AMBIENTAIS

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008

PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 2008 ( Do Poder Executivo) Autoriza o Poder Executivo a doar área para a instalação da Embaixada da Delegação Especial Palestina

Leia mais

ACORDOS INTERNACIONAIS

ACORDOS INTERNACIONAIS Direito Internacional Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 53 ACORDOS INTERNACIONAIS ONU SDN (Sociedade ou Liga das Nações) Foi criada com a intenção de manter a paz. No seu período de atividade, contudo,

Leia mais

1. (FGV 2014) A questão está relacionada ao gráfico e ao texto apresentados.

1. (FGV 2014) A questão está relacionada ao gráfico e ao texto apresentados. Brasil e Commodities 1. (FGV 2014) A questão está relacionada ao gráfico e ao texto apresentados. Desde 2007, os produtos básicos sinalizam uma estabilização no quantum importado, apresentando pequena

Leia mais

O COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL

O COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL International Seminar & Book Launch of "Surmounting Middle Income Trap: the Main Issues for Brazil" Institute of Latin American Studies (ILAS, CASS) Brazilian Institute of Economics at Getulio Vargas Foundation

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade 1 de 5 Princípios de conduta, de igualdade e equidade OBJECTIVO: Assumir condutas adequadas às instituições e aos princípios de lealdade comunitária. 1 No seu relacionamento social como se posiciona face

Leia mais

Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia

Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia Acordo com Mercosul não é prioridade para novo presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker, do Partido Popular Europeu (EPP), foi eleito presidente da Comissão Europeia no dia 15 de julho. A aprovação

Leia mais

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 -Enquanto Buenos Aires se tornava mais poderosa, os lideres

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 90 31/03/06-07/04/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 90 31/03/06-07/04/06 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 90 31/03/06-07/04/06 Brasil deverá notificar China sobre salvaguardas O secretário de Comércio Exterior brasileiro, Armando Meziat informou que o governo

Leia mais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Mundo está fragmentado em centenas de países, mas ao mesmo tempo, os países se agrupam a partir de interesses em comum. Esses agrupamentos, embora não deixem de refletir

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

Tratados internacionais sobre o meio ambiente

Tratados internacionais sobre o meio ambiente Tratados internacionais sobre o meio ambiente Conferência de Estocolmo 1972 Preservação ambiental X Crescimento econômico Desencadeou outras conferências e tratados Criou o Programa das Nações Unidas para

Leia mais

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX).

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Aula 12 ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Segundo LOPES VASQUES (2007) as políticas de regulamentação, normatização e execução

Leia mais

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos MERCOSUL e ALCA Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos Tendência recente, com origens na década de 50, com a CEE Comunidade Econômica Européia Em 2007 fez 50 anos Objetivos Fortalecer

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

DOIS MUNDOS EM UM PLANETA

DOIS MUNDOS EM UM PLANETA DOIS MUNDOS EM UM PLANETA 9. Fluxos Financeiros. 10. Comércio Mundial. 11. Empresas Transnacionais. Geografia em Mapas (pgs. 04 e 05 e 10) 9º ANO 1º BIMESTRE - TU 902 AULA 5 INTRODUÇÃO Recordando Aula

Leia mais

Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio

Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio Especial Perfil Wesley Robert Pereira 08 de setembro de 2005 Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral

Leia mais

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Agosto de 2013 Efeitos da taxa de câmbio: Trilema: inflação, taxa de juros, taxa de câmbio Redução do superávit comercial e déficit estrutural em

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A PROVA DE RECUPERAÇÃO - SIMULADO OBS: GABARITO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. QUALQUER DÚVIDA DEIXAR MENSAGEM NO FACEBOOK 1. A vegetação varia de local para local baseada, sobretudo,

Leia mais

Bruxelas, 18 de Março de 2002

Bruxelas, 18 de Março de 2002 Bruxelas, 18 de Março de 2002 O tratado da UE institui uma política comercial comum cuja execução é da competência da Comissão Europeia : A política comercial comum assenta em princípios uniformes, designadamente

Leia mais

1. Histórico. . Iniciativa para as Américas (Miami 94) . 34 paises, menos Cuba. . Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001

1. Histórico. . Iniciativa para as Américas (Miami 94) . 34 paises, menos Cuba. . Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001 1. Histórico. Iniciativa para as Américas (Miami 94). 34 paises, menos Cuba. Cúpulas Presidenciais: - Santiago 1998 - Québec 2001 1. Histórico. Reunião Ministeriais de negociação - Denver 1995 - Cartagena

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21 Resenha Desenvolvimento Raíssa Daher 02 de Junho de 2010 Desenvolvimento e Meio Ambiente: As Estratégias de Mudanças da Agenda 21

Leia mais

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS

BPC Policy Brief. Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Junho, 2012 BPC Policy Brief - V. 2 N. 46 BPC Policy Brief Monitor: O caminho para Nova Déli? A reforma do FMI, a sucessão no Banco Mundial e o banco do BRICS Diego Santos Vieira de Jesus Sobre o BRICS

Leia mais

RELATÓRIO Nº, DE 2013

RELATÓRIO Nº, DE 2013 RELATÓRIO Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre a Mensagem nº 10, de 2013 (nº 28, de 1º de fevereiro de 2013, na origem), da Presidente da República, que submete à apreciação

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

Nota de trabalho. Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas REPRESENTAÇÃO COMERCIAL MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA Estado actual das negociações comerciais multilaterais sobre os produtos agrícolas

Leia mais

O processo de abertura comercial da China: impactos e perspectivas

O processo de abertura comercial da China: impactos e perspectivas O processo de abertura comercial da China: impactos e perspectivas Análise Economia e Comércio / Desenvolvimento Carolina Dantas Nogueira 20 de abril de 2006 O processo de abertura comercial da China:

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 87 10/03/06 a 16/03/06

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 87 10/03/06 a 16/03/06 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 87 10/03/06 a 16/03/06 Apresentação: O Observatório de Política Externa Brasileira é um projeto de informação semanal da Graduação em Relações Internacionais,

Leia mais

Relatório da Cúpula de Sanya

Relatório da Cúpula de Sanya Agosto de 2011. Relatório da Cúpula de Sanya I. Introdução No dia 14 de abril de 2011, os líderes do Brasil, da Rússia, da Índia, da China e da África do Sul se reuniram em Sanya, na província de Hainan,

Leia mais

número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas

número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas número 3 maio de 2005 A Valorização do Real e as Negociações Coletivas A valorização do real e as negociações coletivas As negociações coletivas em empresas ou setores fortemente vinculados ao mercado

Leia mais

ACORDO QUADRO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA DE ANGOLA E O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SOBRE O COMÉRCIO E INVESTIMENTO PREÂMBULO

ACORDO QUADRO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA DE ANGOLA E O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SOBRE O COMÉRCIO E INVESTIMENTO PREÂMBULO ACORDO QUADRO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA DE ANGOLA E O GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA SOBRE O COMÉRCIO E INVESTIMENTO PREÂMBULO O Governo da República de Angola e o Governo dos Estados Unidos

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Informe Mensal nº 06 Janeiro de 2005

- Observatório de Política Externa Brasileira - Informe Mensal nº 06 Janeiro de 2005 - Observatório de Política Externa Brasileira - Informe Mensal nº 06 Janeiro de 2005 Apresentação O Observatório de Política Externa Brasileira está em atividade desde março de 2004 e se dedica a acompanhar

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECEX SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR Grupo de Harmonização Estatística Brasil x China Em 2006 foi assinada em Beijing a criação do GHE Brasil x China, com o início do intercâmbio de dados. MINISTÉRIO

Leia mais

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Notícias do Comércio Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor do trabalho: 2.0 Nota: Data: /dezembro/2014 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 8º Trabalho de Recuperação Final de Geografia ORIENTAÇÕES: Leia atentamente

Leia mais

Apresentando uma nova visão para dar poderes ao consumidor CONGRESSO MUNDIAL. consumersinternational.org

Apresentando uma nova visão para dar poderes ao consumidor CONGRESSO MUNDIAL. consumersinternational.org CONGRESSO MUNDIAL REVELANDO O PODER DO CONSUMIDOR 18 21 DE NOVEMBRO DE 2015 BRASÍLIA Apresentando uma nova visão para dar poderes ao consumidor NÃO PERCA INSCREVA-SE AGORA! consumersinternational.org Vivemos

Leia mais

Brasil joga na terceira divisão do comércio mundial

Brasil joga na terceira divisão do comércio mundial Entrevista Arturo Porzecanski Brasil joga na terceira divisão do comércio mundial Para especialista em américa latina, próximo presidente terá trabalho para recuperar a imagem do país lá fora RAUL JUSTE

Leia mais

A Comunidade Empresarial do IBAS está concentrada em promover fluxos comerciais de US$30 bilhões até 2015

A Comunidade Empresarial do IBAS está concentrada em promover fluxos comerciais de US$30 bilhões até 2015 A Comunidade Empresarial do IBAS está concentrada em promover fluxos comerciais de US$30 bilhões até 2015 Recomendações da Terceira Reunião de Cúpula do IBAS para questões empresariais, apresentadas aos

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 1.893, DE 2007

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 1.893, DE 2007 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 1.893, DE 2007 Dispõe sobre medidas de suspensão e diluição temporárias ou extinção de da proteção de direitos de propriedade

Leia mais

O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR

O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires O BRASIL E O MUNDO NO COMÉRCIO EXTERIOR Durval de Noronha Goyos Jr. Aula Magna - Universidade de

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

ANO % do PIB (Aproximadamente) 2003 9% do PIB mundial 2009 14% do PIB mundial 2010 18% do PIB mundial 2013/2014 25% do PIB mundial

ANO % do PIB (Aproximadamente) 2003 9% do PIB mundial 2009 14% do PIB mundial 2010 18% do PIB mundial 2013/2014 25% do PIB mundial ANO % do PIB (Aproximadamente) 2003 9% do PIB mundial 2009 14% do PIB mundial 2010 18% do PIB mundial 2013/2014 25% do PIB mundial ANO Os BRICS EUA União Europeia PIB 2013 (aproximadamente) US$ 19 trilhões

Leia mais

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA?

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? Ontem, Brasília foi realmente o foco das atenções mundiais. No Brasil, um pouco menos. Não foi o Brasil que inventou isso, mas a gente registrou o fenômeno

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 15 Discurso em almoço oferecido ao

Leia mais

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 27 de setembro a 1º de outubro de 2010 Tema 4.17 da agenda CD50/26

Leia mais

ABINEE TEC 2005. Normalização e Avaliação da Conformidade. A Normalização nas Américas. Eugenio De Simone Diretor de Normalização da ABNT, Brasil

ABINEE TEC 2005. Normalização e Avaliação da Conformidade. A Normalização nas Américas. Eugenio De Simone Diretor de Normalização da ABNT, Brasil Normalização e Avaliação da Conformidade A Normalização nas Américas Eugenio De Simone Diretor de Normalização da ABNT, Brasil O QUE É A ABNT? FUNDADA EM 1940 ENTIDADE PRIVADA, SEM FINS LUCRATIVOS, DE

Leia mais

18 de maio, 19h30. Minhas primeiras palavras são de saudação ao colega Ministro Gao Hucheng, que

18 de maio, 19h30. Minhas primeiras palavras são de saudação ao colega Ministro Gao Hucheng, que PALAVRAS DO MINISTRO ARMANDO MONTEIRO POR OCASIÃO DO JANTAR OFERECIDO PELO CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL - CHINA, COM A PRESENÇA DO MINISTRO DO COMÉRCIO DA CHINA, GAO HUCHENG 18 de maio, 19h30. Minhas primeiras

Leia mais

Ações Reunião Extraordinária realizada no dia 30 de outubro de 2014

Ações Reunião Extraordinária realizada no dia 30 de outubro de 2014 R E L A Ç Õ E S I N T E R N A C I O N A I S Órgão Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Representação Efetiva Comitê de Coordenação de Barreiras Técnicas ao Comercio - CBTC

Leia mais

Mercosul debate relacionamento com Tunísia, Líbano, União Aduaneira Euroasiática e América Central (SICA)

Mercosul debate relacionamento com Tunísia, Líbano, União Aduaneira Euroasiática e América Central (SICA) Edição 07 - Dezembro de 2014 Mercosul debate relacionamento com Tunísia, Líbano, União Aduaneira Euroasiática e América Central (SICA) Na próxima semana, o Mercosul realizará as últimas reuniões sob a

Leia mais

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 ATENÇÃO: ANTES DE ASSINAR ESTA CARTA, LEIA O CONTEÚDO ATÉ O FINAL E CLIQUE NO LINK. FÓRUM DE AÇÃO EMPRESARIAL PELO CLIMA CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 O desafio da mudança do clima

Leia mais

Negócios Internacionais

Negócios Internacionais International Business 10e Daniels/Radebaugh/Sullivan Negócios Internacionais Capítulo 3.2 Influencia Governamental no Comércio 2004 Prentice Hall, Inc Objectivos do Capítulo Compreender a racionalidade

Leia mais

1. O Comitê de Promoção, presidido pelo Dr. Ernesto Illy, reuniu-se pela nova vez sob a égide do Convênio de 2001 em 25 de maio de 2006.

1. O Comitê de Promoção, presidido pelo Dr. Ernesto Illy, reuniu-se pela nova vez sob a égide do Convênio de 2001 em 25 de maio de 2006. PC 37/06 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 5 junho 2006 Original: inglês P Decisões e Resoluções

Leia mais

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Noções básicas de Comércio Exterior Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Regimes Aduaneiros É o conjunto de procedimentos ou regras previstas em lei para efetivar uma importação

Leia mais

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança

A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan. Análise Segurança A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança Bernardo Hoffman Versieux 15 de abril de 2005 A nova lei anti-secessão e as relações entre a China e Taiwan Análise Segurança

Leia mais