CAMPUS COMPUTING REPORT BR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAMPUS COMPUTING REPORT BR"

Transcrição

1 CAMPUS COMPUTING REPORT BR computação e tecnologia de informação nas instituições de ensino superior no Brasil 00 abed0809_prefacio.indd 1 8/28/09 3:16 PM

2 2010 by Associação Brasileira de Educação a Distância Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida ou transmitida de qualquer modo ou por qualquer outro meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação ou qualquer outro tipo de sistema de armazenamento e transmissão de informação, sem prévia autorização, por escrito, da Pearson Education do Brasil. Pearson Education do Brasil Diretor editorial: Roger Trimer Gerente editorial: Sabrina Cairo Supervisor de produção editorial: Marcelo Françozo Editor: Henrique Zanardi de Sá Revisão: Regiane Miyashiro e Ana Carolina de Souza Capa: Alexandre Mieda Editoração eletrônica e diagramação: Globaltec Artes Gráficas Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed) Coordenador Campus Computing Report.Br 2008: Prof. dr. Frederic Michael Litto e Prof. dr. Luis Fernandez Lopez Coordenador de pesquisa Campus Computing Report.Br 2008: Claudio André Equipe de pesquisa: André Barbosa, Anita Akemi T. Viana, Ivan D. Verona, Nivaldo S. Junior, Sabrina D Almeida, Victor F. Silva e Vinícius M. André Apoio técnico/tecnológico: Jorge Futushi Yamamoto, Clarice Gameiro da Fonseca Pachi e Anna Paula Amadeu da Costa Dados Internacionais de catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Campus Computing Report.Br : a computação e tecnologia da informação nas instituições de ensino superior no Brasil / organização Associação Brasileira de Educação a Distância. -- São Paulo : Pearson Prentice Hall, ISBN Campus Computing Report.Br 2. Computação 3. Ensino superior - Brasil 4. Questionários 5. Tecnologia da informação 6. Universidades e escolas superiores - Brasil I. Associação Brasileira de Educação a Distância. II. Título: A computação e a tecnologia da informação nas instituições de ensino superior no Brasil CDD Índice para catálogo sistemático: 1. Brasil : Instituições de ensino superior : Computação e tecnologia da informação : Questionários : Relatórios Computação e tecnologia da informação : Instituições de ensino superior : Brasil : Questionários : Relatórios Direitos exclusivos para língua portuguesa cedidos à Pearson Education do Brasil, uma empresa do grupo Pearson Education Av. Ermano Marchetti, 1435 CEP: São Paulo - SP Tel.: (11) , Fax: (11) Associação Brasileira de Educação a Distância Abed Rua Vergueiro, 875 cj CEP: São Paulo SP Tel.: (11) , Fax: (11) site: www2.abed.org.br 00 abed0809_prefacio.indd 2 8/31/09 4:58 PM

3 Agradecimentos Apoio 00 abed0809_prefacio.indd 3 9/1/09 4:09 PM

4 00 abed0809_prefacio.indd 4 8/28/09 3:16 PM

5 Sumário 1 Histórico Considerações sobre a pesquisa survey adotada no Campus Computing Report Trajetória metodológica A elaboração dos instrumentos de coleta de dados Tratamento e análise dos dados Procedimentos de pesquisa Envio de carta-convite para participação via Coleta de dados por meio do sistema de questionário on-line Recursos humanos Tecnologias digitais Questionário aplicado Tabulação e processamento de dados para análise de resultados Classificação das instituições de ensino superior Instituições respondentes Principais resultados do CCR.Br Conclusões e próximos passos Glossário Referências Anexo 1 CCR.Br 2008 Dados consolidados abed0809_prefacio.indd 5 8/28/09 3:16 PM

6 00 abed0809_prefacio.indd 6 8/28/09 3:16 PM

7 Prefácio Esta terceira edição da versão brasileira do Campus Computing Report, o CCR.Br, é resultado de um trabalho da coordenação da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), da Escola do Futuro da Universidade de São Paulo e da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Como as edições anteriores, o CCR.Br tenta mapear e quantificar, em linhas gerais, o uso das tecnologias da informação e comunicação (TICs) nas instituições brasileiras de ensino superior no final do ano de Os dados aqui apresentados devem ajudar os dirigentes das instituições de ensino, os órgãos de fomento e os pesquisadores em geral a entender o desenvolvimento das TICs nesse setor. Somos especialmente gratos ao professor dr. Kenneth C. Green, mentor e realizador da versão norte-americana do CCR por quase vinte anos, por ter autorizado o uso do nome e da metodologia na versão brasileira. Agradecemos, também, as instituições que colaboraram com suas respostas ao questionário e disponibilizaram acesso a diferentes setores de cada instituição: tecnologia, acadêmico, finanças, planejamento, entre outros. Para a próxima edição deste estudo, em 2009, contamos com sugestões que contribuam para uma melhor utilização desta publicação. Fredric M. Litto Presidente Abed 00 abed0809_prefacio.indd 7 8/28/09 3:16 PM

8 00 abed0809_prefacio.indd 8 8/28/09 3:16 PM

9 Campus Computing Report.Br 2008 Pesquisas são como fotografias: elas refletem eventos e pessoas em determinada época e local. Pesquisas individuais, como fotografias individuais, também são bidimensionais: ambas fornecem informações sobre a ampla população de pessoas ou instituições e comparações entre os elementos (pessoas, locais, objetos) na imagem ou população pesquisada. Pesquisas longitudinais como uma série de fotografias adicionam uma terceira dimensão, aquela do tempo. Os dados de uma pesquisa longitudinal de pessoas ou organizações podem fornecer rica visão de como as coisas mudam ao longo do tempo. No mundo da tecnologia da informação (TI), o tempo é um fator crucial. Mudanças em produtos e em políticas e procedimentos de campus chegam rapidamente. Contudo, as mudanças de tecnologia fomentam o aumento das expectativas entre os estudantes e a faculdade por recursos e serviços de TI. A edição de 2008 do Campus Computing Report.Br, o terceiro relatório que resume a série de pesquisas lançadas pelo prof. Fredric Litto e seus colegas, traz novos dados e apresenta novos pontos de vista sobre o planejamento de TI e questões de políticas que afetam universidades no Brasil. Esse relatório será um recurso essencial para administradores sênior de campus universitários, diretores de TI e outros, tanto dentro como fora do campus, que estejam interessados e preocupados com a infraestrutura, recursos e planejamento de TI e suas políticas. Muito frequentemente, as conversas nas universidades sobre planejamento de TI e suas políticas são guiadas por opiniões. Aqueles, entre nós, envolvidos em planejamento de TI fariam bem em seguir os ditames de W. Edwards Deming, amplamente reconhecido como pai do controle estatístico de qualidade: Confiamos em Deus, todos os outros trazem dados. O professor Litto e seus colegas merecem grande reconhecimento por seus esforços para trazer dados às discussões sobre planejamento de TI e suas questões políticas nas universidades brasileiras. Kenneth C. Green, Ph.D. Diretor-fundador Projeto Campus Computing Estados Unidos da América 00 abed0809_prefacio.indd 9 8/28/09 3:16 PM

10 00 abed0809_prefacio.indd 10 8/28/09 3:16 PM

11 1 Histórico O Campus Computing Report (CCR) é um estudo sobre o papel da computação e da tecnologia de informação na educação superior. Teve início em 1990 nos Estados Unidos por iniciativa de Keneth C. Green, da Claremont Graduate University Califórnia, e é maior estudo continuado sobre o papel da tecnologia da informação (TI) nas instituições de ensino superior (IES) norte-americanas. O Campus Computing Report 1 começou com a aplicação anual de um questionário abordando o uso da computação e da tecnologia da informação (TI) como suportes das atividades acadêmicas. Com o passar dos anos e a evolução da tecnologia, as fronteiras entre as atividades administrativas e de ensino foram se tornando menos nítidas na medida em que a TI integrava as diferentes áreas. Consequentemente, hoje o questionário do Campus Computing Report inclui algumas questões endereçadas a sistemas de gestão (Enterprise Resource Planning ERP) e outros serviços de TI existentes no campus. Dados qualitativos e quantitativos são disponibilizados anualmente para informar professores, administradores do campus e outros interessados sobre o uso da TI nas faculdades e universidades. A cada ano, cerca de 600 instituições norte-americanas, públicas e privadas, participam do Campus Computing Survey, avaliando as ações de planejamento e as políticas que definem o papel da TI nas áreas de ensino, aprendizagem e administração escolar. No Brasil, a primeira aplicação se deu em 2004, por iniciativa do Prof. Fredric M. Litto, da Escola do Futuro da USP 2. Em geral, os indivíduos que respondem aos questionários são os responsáveis pelo planejamento e pela decisão sobre as políticas de TI em cada uma das instituições participantes da pesquisa. Existem duas vias para responder à pesquisa: por documento impresso ou on-line. Os resultados acumulados permitem traçar um painel evolutivo a partir do qual são indicadas as principais tendências e políticas para recursos de TI no setor acadêmico. Pesquisas semelhantes estão sendo realizadas em países como China, Hong Kong, Japão e Cingapura. 1 Campus Computing Report nos Estados Unidos. Disponível em: <http://www.campuscomputing.net/> 2 Escola do Futuro da Universidade de São Paulo. Disponível em: <http://www.futuro.usp.br/> 01 abed0809_01_04.indd 1 8/28/09 11:19 AM

12 2 Considerações sobre a pesquisa survey adotada no Campus Computing Report 2008 Dra. Clarice Gameiro da Fonseca Pachi Rede Ansp Equipe de Pesquisa e Desenvolvimento do Nara Colaboração: Dr. Jorge Futoshi Yamamoto e Anna Paula Amadeu da Costa, MSc. Campus Computing Report (CCR) 2008 é uma pesquisa survey de caráter censitário, cujo propósito é conhecer o panorama da computação e da tecnologia da informação no Brasil, e não necessariamente estabelecer relações de causalidade entre suas observações. Essa pesquisa investiga a população das instituições de ensino superior (IES) cadastradas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (http://www.educacaosuperior.inep.gov.br/) e seu objetivo é a análise descritiva de dados de simples complexidade. A metodologia escolhida foi a de um instrumento estruturado para coleta de informações com características de corte transversal, que empregou um questionário fechado e adaptado da versão norte-americana do CCR, disponibilizado por meio de uma URL e também enviado por . A preferência por esse método de levantamento de dados deu-se pelas vantagens apresentadas, como o baixo custo operacional, a possibilidade de rapidez na obtenção das respostas e a facilidade para realizar as adaptações necessárias na estrutura das questões e no armazenamento de dados. Além disso, a facilidade de comunicação oferecida pela Internet permitiu enviar, antecipadamente, convites aos respondentes e possibilitou receber as respostas em tempo reduzido. Esse fato auxiliou as estimativas sobre o nível de participação dessas unidades elementares de análise em tempo hábil para tentar contato telefônico e, se necessário, o reenvio do questionário. Apesar de todo o empenho na condução dessa pesquisa e da visível melhoria na qualidade da versão 2008 do CCR em relação às anteriores, a obtenção de um índice satisfatório de respostas ainda foi um grande desafio para essa edição. Esse fato sugere que nossa argumentação durante as estratégias de incentivo à adesão ao questionário deve ser revista para ser mais estimulante na próxima edição, a fim de atingir mais respondentes. Reconhecemos que, como toda pesquisa survey com essas características, pode ter havido fatores limitantes aos respondentes, como a própria literatura sugere: o volume excessivo de questões, o provável desconhecimento de alguns temas abordados no questionário, a dificuldade no acesso a computadores ou à Internet. Ainda não foi possível, nesta pesquisa survey, conhecer formalmente as causas que expliquem um número de respostas limitado por parte das instituições convidadas a participar dessa investigação. Acreditamos que a popularização e a constância na periodicidade deste estudo despertarão a consciência na comunidade acadêmica brasileira sobre a importância de levantar dados a respeito da disseminação do uso de TI nos campi brasileiros. Nas próximas edições, reformularemos parte da técnica empregada. Provavelmente, num futuro próximo, algumas iniciativas simples, como a reestruturação do número de questões, a adaptação destas à realidade das instituições brasileiras de ensino ou, ainda, a modificação do caráter do CCR para um estudo feito por amostragem, poderão melhorar os índices de respostas. 01 abed0809_01_04.indd 2 8/28/09 11:19 AM

13 3 Trajetória metodológica Neste capítulo, apresentamos o caminho percorrido neste trabalho, explicitando o tipo de pesquisa escolhida (survey), sua natureza, os instrumentos e os procedimentos utilizados na coleta de dados e a caracterização dos sujeitos participantes. A trajetória metodológica seguida foi rigorosa e sistemática, apesar de flexível. Por isso foi construída sem rótulos e sem pretensão de se esgotar em si mesma. O método de pesquisa survey possui como característica relevante o interesse em produzir descrições quantitativas de uma população. O objetivo é retratar uma situação tal qual ela se dá no momento; neste caso, o objetivo é traçar um retrato da situação da TI e da computação nas instituições de ensino superior (IES). A elaboração dos instrumentos de coleta de dados Foi utilizado um questionário como instrumento de pesquisa, visando obter dados e informações sobre características, ações ou opiniões de um determinado grupo de pessoas, indicado como representante de uma população-alvo, como recomenda uma pesquisa do tipo survey. Os questionários foram compostos por perguntas de respostas fechadas e identificadas com o nome da instituição, buscando facilitar a sistematização e a análise dos dados e prezando pela objetividade das respostas. A partir dos dados coletados nas instituições respondentes, obtivemos uma fotografia das situações vivenciadas pelas IESs brasileiras no âmbito da TI e computação. As principais categorias/temas abordados, foram: Avaliação da infraestrutura de TI; Política geral de TI no campus; Política acadêmica de TI; Política referente à propriedade intelectual; Tendências, expectativas e estratégias institucionais para os próximos anos; Orçamento institucional para TI; Uso de software livre. Tratamento e análise dos dados Para a tabulação e o tratamento dos dados coletados por meio dos registros e questionários respondidos pelas instituições de IESs brasileiras, transcrevemos as informações para softwares que funcionam como planilha de cálculo, banco de dados, processador de textos e software de apresentação, procedendo às análises por meio de consolidação dos dados, elaboração de gráficos e cruzamento de informações traduzidos em percentuais, permitindo, assim, o estudo minucioso dos dados considerados nesse processo investigativo. 01 abed0809_01_04.indd 3 8/28/09 11:19 AM

14 4 Campus Computing Report.Br 2008 Procedimentos de pesquisa Os procedimentos de pesquisa realizados foram: Envio de carta-convite para participação via ; Coleta de dados por meio do sistema de questionário on-line; Tabulação e processamento de dados para análise de resultados. 01 abed0809_01_04.indd 4 8/28/09 11:19 AM

15 4 Envio de carta-convite para participação via São Paulo, fevereiro de Ref.: Convite à participação da pesquisa nacional sobre a utilização da informática e da tecnologia da informação (TI) no ensino superior Prezado(a) Senhor(a) O ano de 2008 marca o terceiro ano do Campus Computing Report no Brasil (CCR.Br 2008) e o 18º ano de aplicação do survey nas instituições de ensino superior (IES) norte-americanas. Trata-se de uma pesquisa que focaliza os planos, as políticas e os procedimentos de informática acadêmica e administrativa em instituições públicas e privadas de ensino superior. Suas respostas contribuirão para uma melhor compreensão do modo como as instituições, em todo o Brasil, estão planejando e usando os recursos de TI para enriquecer o ensino e a pesquisa. Além disso, os resultados deste estudo permitirão que os dirigentes nacionais diagnostiquem o estado da arte de usar informática e telecomunicação por essas instituições. Contamos com a participação de sua instituição. Disponibilizamos o questionário também em formato.pdf para que você possa ter acesso às informações antes de respondê-lo on-line. Para responder o questionário, é preciso: Acessar o site No menu à esquerda, selecionar CCR 2008 >> Questionário; 01 abed0809_01_04.indd 5 8/28/09 11:19 AM

16 6 Campus Computing Report.Br 2008 Observação: nessa seção, há uma versão do questionário em.pdf para que você possa ler as perguntas off-line e, só depois, respondê-las on-line. Na página que se abre, clicar no link Responder o Questionário 2008 ; Inserir seu login ( ) e a senha de acesso ao questionário; Seu login é: Senha: senha Depois de responder às questões, no final na página, clicar em Próxima página para continuar o processo (é obrigatório responder a todas as perguntas); Após responder a todas as questões (63) e receber a mensagem Obrigado pela participação na pesquisa Campus Computing Report 2008, você terá concluído o processo. 01 abed0809_01_04.indd 6 8/28/09 11:19 AM

17 Campus Computing Report.Br Em caso de dúvida, entre em contato pelo próprio site (www.campuscomputing.futuro.usp.br no menu >> Quem somos >> Fale Conosco) ou pelo Todas as respostas serão tratadas de forma confidencial e com a máxima segurança. Obrigado pela sua participação. Prof. Dr. Fredric M. Litto Coordenador Campus Computing Report. Br Prof. Ms. Claudio F. André Coordenador da Pesquisa abed0809_01_04.indd 7 8/28/09 11:19 AM

18 5 Coleta de dados por meio do sistema de questionário on-line Esta pesquisa não seria possível sem os recursos humanos e a tecnologia digital indispensáveis para se realizar um trabalho de qualidade e confiança. Recursos humanos O trabalho de contato com os responsáveis por responder o questionário nas instituições de ensino superior (IES) ocorreu por telefone e . Muitas vezes eram necessários vários contatos até que se conseguisse falar com o responsável dentro da instituição de ensino, apto a responder a pesquisa. Não encontramos, na maioria das IESs no Brasil, um profissional equivalente ao CIO (Chief Information Officer) nos Estados Unidos. Este profissional é responsável por coordenar a área de Tecnologia da Informação (TI) na instituição. A importância deste personagem cresceu muito nos últimos anos no exterior na medida em que a TI se tornava mais e mais importante nos negócios, no meio acadêmico e em diversas áreas. Infelizmente, ainda não desfrutamos dessa mesma preocupação na área de TI e, consequentemente, o verdadeiro valor de pesquisas como esta não é reconhecido e compreendido por completo em alguns contextos encontrados no leque de IES convidadas. Tecnologias digitais O desenvolvimento do sistema informatizado para acompanhamento do questionário on-line da pesquisa O desenvolvimento do questionário on-line e o acompanhamento da pesquisa podem ser representados em três etapas: análise do problema (necessidades), projeto de solução e construção do sistema. Cada uma das etapas considerou uma série de atividades cujo propósito foi analisar os requisitos, construir e detalhar os modelos de casos de uso, inserir elementos arquiteturais ligados à tecnologia utilizada, escrever o código, obter aceitação e colocar o sistema em funcionamento no ambiente web onde os usuários pudessem usá-lo. A Figura 5.1 resume brevemente as etapas de desenvolvimento do sistema on-line que serviu de apoio para a pesquisa Campus Computing Report.Br A decomposição em etapas serviu como guia para que os envolvidos pudessem saber onde estavam e, ao mesmo tempo, serviu de documentação para todo o processo por meio da Uniform Modeling Language (UML). Antes do início do desenvolvimento do sistema on-line, foi necessário conhecer seu escopo, suas necessidades de recursos, o cronograma de planejamento e execução, bem como outras informações acerca do trabalho a ser realizado. A organização das etapas situou estrategicamente a pesquisa Campus Análise do problema Projeto de solução Construção do sistema Figura 5.1 Etapas de desenvolvimento do sistema 05 abed0809_05.indd 8 8/28/09 11:19 AM

19 Campus Computing Report.Br Computing Report.Br 2008, permitiu sua priorização e o preparo da equipe para sua execução. Para isso, foi fundamental que a análise buscasse apreender todos os requisitos demandados e, a partir da obtenção dessas informações, organizar um processo para o desenvolvimento do sistema. Este processo sistemático foi concentrado em práticas de gerência de requisitos, citadas por diversos autores e organizações certificadoras de padrões internacionais, como o Software Engineering Institute no Capability Mature Model (CMM). A seguir, temos uma breve descrição de cada etapa seguida para o desenvolvimento do sistema de questionário e acompanhamento da pesquisa sobre a educação de jovens e adultos. A análise do problema Antes de iniciar o desenvolvimento do sistema, foi necessário verificar se o problema a ser resolvido havia sido completamente compreendido por todos. Uma vez alcançado o nível de compreensão suficiente, foram iniciadas as atividades de preparação para o desenvolvimento do sistema on-line. A busca de esclarecimentos para entendimento do problema foi definida de forma a não deixar dúvidas nem para o analista de sistemas, nem para os pesquisadores e colaboradores sobre o produto de software a ser desenvolvido. Também foram feitas estimativas de esforço para cada atividade, métricas e riscos que serviriam de base para o cronograma. Os principais tópicos abordados na etapa de análise do problema foram: Análise de viabilidade com base na coleta inicial de informações, requisitos e modelagem dos dados, foram feitas considerações sobre a viabilidade de se resolver do problema de construção do sistema; Recursos humanos foram mapeadas as habilidades e os perfis dos recursos necessários para satisfazer as necessidades do projeto e também definiu-se como seria o treinamento de pessoal para operacionalizar o sistema; Cronograma de atividades foi elaborada uma planilha de atividades, projetando-as no tempo e representando as atividades que teriam execução paralela, descrevendo como elas se integrariam. Também foram identificadas subatividades e dependência de terceiros (departamentos, empresas, usuários etc.), traçando o caminho crítico do projeto e apontando os marcos de verificação; Marcos de verificação foram definidos os pontos nos quais o progresso do projeto de desenvolvimento do sistema seria formalmente avaliado, com base na experiência com situações similares e nas restrições específicas do ambiente tecnológico, definindo metas para os marcos de referência, propondo critérios de avaliação de acordo com as etapas. A análise do problema permitiu visualizar gerencialmente o impacto das decisões iniciais no desenvolvimento do sistema de pesquisa e acompanhamento on-line. Permitiu ainda, discutir possíveis desafios a serem encontrados, os caminhos a serem adotados para a busca de soluções e como seria a comunicação entre pesquisadores, usuários e analistas de sistemas para o andamento qualitativo das etapas. Nessa etapa, também foram feitas as principais recomendações para a etapa seguinte, o projeto de solução. Projeto de solução O objetivo desta etapa foi direcionar os esforços para a busca de alternativas para o problema descrito na etapa anterior, sem perder de vista os requisitos apreendidos e também planejando como o sistema seria construído. Nesta etapa, houve dois macro-objetivos, cada um sob a responsabilidade de um profissional diferente. O primeiro foi criar o protótipo de interface do sistema on-line e detalhar os recursos tecnológicos, suas características e principais funcionalidades. O segundo foi especificar detalhes técnicos sobre a plataforma e os requisitos a serem usados, escolhendo a linguagem de programação, layout e banco de dados. 05 abed0809_05.indd 9 8/28/09 11:19 AM

20 10 Campus Computing Report.Br 2008 As atividades ao longo da etapa do projeto de solução tiveram por objetivo propor alternativas de desenvolvimento do sistema e justificar a alternativa escolhida. O projeto de solução foi descrito de forma estruturada com o auxílio de diagramas para demonstrar o esforço necessário para o desenvolvimento do sistema. Alguns requisitos que orientaram o projeto de solução foram: Usabilidade buscou atender corretamente as necessidades do sistema de acordo com o perfil das pessoas que o utilizariam. Ou seja, a usabilidade influencia a produtividade, a quantidade de erros e a aceitação do software pelos seus usuários; Confiabilidade buscou mostrar claramente como seriam os resultados a serem produzidos pelo sistema, que deveriam ser sempre corretos, precisos e acurados; Desempenho tratou do comprometimento de recursos tecnológicos que o sistema exigiria e o tempo para a execução das tarefas de forma compatível com suas funcionalidades; Segurança preocupou-se com a confidencialidade das informações e a proteção dos dados contra intrusos; Integridade buscou a garantia de que os dados do sistema fossem a expressão real das fontes de informação e que possíveis erros de software fossem recuperados. Os requisitos e as informações coletadas a partir das discussões com os pesquisadores orientaram o desenvolvimento de um protótipo do sistema, desde a página com as informações gerais até os relatórios do sistema. Foi a partir do protótipo que ocorreram as principais dicussões quanto ao funcionamento básico do sistema. Para que esses objetivos fossem alcançados, o sistema buscou ser navegacional, possibilitando aos usuários interagir com as diversas interfaces do ambiente. A solução proposta trabalhou com interface HTML/ASP (Hiper Text Markup Language / Active Server Pages). Por isso, o protótipo foi construído com código estático, com dados fixos, escritos para simular o uso do sistema e links entre os arquivos, para permitir aos pesquisadores emitirem seus pareceres, pois o entendimento sobre todas as funcionalidades do sistema era primordial. Questionário aplicado A partir dos procedimentos citados anteriormente, foi possível desenvolver o questionário a seguir: 1. O seu campus possui uma política formal promovendo ou exigindo recursos de computadores/ti para: Utilização de currículo Alunos de pós-graduação Alunos de graduação Educação a distância (EAD) 2. A sua instituição viabiliza a ampliação do conhecimento em TI, fluência digital e competência computacional para: Todos os alunos de graduação Todos os administradores 05 abed0809_05.indd 10 8/28/09 11:19 AM

21 Campus Computing Report.Br Todo o corpo docente Toda a equipe 3. A sua instituição cobra taxa de uso de computadores ou tecnologia para todos os estudantes? Se sim, a taxa total anual para estudantes (tempo integral) ou cobrança para o ano 2008 é de: 4. O seu campus possui um documento publicado sobre política ou código de condutas apropriadas para: (não/em desenvolvimento/sim) Contas de do campus Páginas da Internet pessoais hospedadas no campus Cópia de software protegido ou pirataria de software Uso legítimo de conteúdo protegido (livros, artigos etc.) Download de músicas ou vídeos comerciais da Web Uso social de websites como Orkut, MySpace etc. 5. Indique os sistemas operacionais/interfaces recomendados ou apoiados por sua instituição. Mac OS X UNIX Linux Windows 2003 Server Windows 2000/XP Windows Vista Open VMS Sun/Open Solaris Novell Nenhuma recomendação de sistema operacional 6. A sua instituição exige ou recomenda firmemente computadores portáteis ou PDAs para os estudantes? (indique todas as alternativas que se aplicam) (não/recomenda/exige) Computadores para todos os estudantes de graduação Computadores para graduandos em disciplinas ou programas acadêmicos específicos PDAs/computadores portáteis para graduandos em disciplinas ou programas acadêmicos específicos ipods ou outros tipos de dispositivos de mídia em disciplinas específicas Celulares para todos os alunos 05 abed0809_05.indd 11 8/28/09 11:19 AM

22 12 Campus Computing Report.Br A sua instituição recomenda especificamente uma marca ou produtos em particular para: (sim/não) Software Estudantes Docentes Administração/Equipe Hardware Se você respondeu sim para alguma parte da questão 7, continue na questão 8. Senão, continue na questão Em relação ao ano letivo de 2007, o seu campus teve acordos de fornecedor preferencial com empresas de computação que incluam revendas on-line de produtos de computador vinculados à página da Internet do campus? (sim/não) Se sim: por favor identifique todas as companhias/categorias envolvidas nestes acordos: Hardware: Acer Lenovo Apple Sony Dell Sun Gateway Toshiba HP/Compaq Software: Adobe Apple Microsoft Antivírus/produtos antispyware 9. Em relação ao ano letivo de 2007, sua instituição teve um portal do campus (identifique a melhor opção a seguir)? Não. O portal do campus não esteve disponível para o ano letivo de (pule para a questão 10) Não. A questão do portal está sob discussão/revisão. (pule para a questão 10) Sim. O portal do campus está concluído e funcionando normalmente Sim. O portal está sendo construído e estará concluído até o final de abed0809_05.indd 12 8/28/09 11:19 AM

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar

Dell Premier. Guia de Compras e Pedidos. Fazendo Login na sua Página Premier. Três formas de comprar Dell Premier Guia de Compras e Pedidos A Dell Premier é o seu próprio site de suporte e compras seguro e personalizado, que permite um processo de compra fácil, eficiente e econômico. Examine este Guia

Leia mais

FLEXPAG - Política de Privacidade

FLEXPAG - Política de Privacidade FLEXPAG - Política de Privacidade A infocusweb/flexpag tem um compromisso com o respeito à sua privacidade. Política de Privacidade Nós reconhecemos que ao optar por nos informar alguns de seus dados pessoais,

Leia mais

ANÁLISE DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL TOLEDO

ANÁLISE DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL TOLEDO 1 ANÁLISE DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO NA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL TOLEDO Melissa Marchiani Palone ZANATTA 1 João Augusto da Rocha DALBEN 2 RESUMO: Este artigo tem por objetivo descrever e analisar as tecnologias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal 29/11/2012 Índice ÍNDICE... 2 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O QUE É E-COMMERCE?... 4 3. LOJA FOCCO... 4 4. COMPRA... 13 5. E-MAILS DE CONFIRMAÇÃO... 14 6.

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 4.0. Março de 2015. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 4.0 Março de 2015 Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho de equipe.

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE Manual de Utilização do MSDN-AA Software Center Aracaju/SE 2009 Sumário Apresentação... 3 1. Solicitando ativação no MSDN-AA... 3 2. Acessando o Portal

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

DUAS RODAS DESENVOLVE PORTAL COLABORATIVO E ELIMINA PROCESSOS EM PAPEL. Case de Sucesso

DUAS RODAS DESENVOLVE PORTAL COLABORATIVO E ELIMINA PROCESSOS EM PAPEL. Case de Sucesso DUAS RODAS DESENVOLVE PORTAL COLABORATIVO E ELIMINA PROCESSOS EM PAPEL PERFIL Em 1925, surgiu a primeira fábrica de óleos essenciais do Brasil, em Jaraguá do Sul - SC. A autenticidade, a qualidade de seus

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

Existem 109 questões nesta pesquisa

Existem 109 questões nesta pesquisa FASE 2: ANÁLISE DO WEBSITE INSTRUÇÕES Leia atentamente todas as questões Explore o website em avaliação, procurando pelas questões propostas Depois, responda cada questão Algumas questões precisam de informações

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

Serviços de TIC Soluções e demandas

Serviços de TIC Soluções e demandas Serviços de TIC Soluções e demandas Superintendência de Governança Eletrônica e de Tecnologia da Informação e Comunicação (SeTIC/UFSC) 16/07/2015 CSS/SeTIC 1 Agenda SeTIC Apresentação dos serviços, por

Leia mais

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos

Novell Teaming 2.0. Novell. 29 de julho de 2009. Início Rápido. Iniciando o Novell Teaming. Conhecendo a interface do Novell Teaming e seus recursos Novell Teaming 2.0 29 de julho de 2009 Novell Início Rápido Quando você começa a usar o Novell Teaming, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ

FORMAÇÃO SÓLIDA E BENEFÍCIOS PARA VOCÊ A FUNCEX E O ENSINO A DISTÂNCIA Milhões de pessoas aderiram ao Ensino a Distância no Brasil, e a Funcex, acompanhando esta tendência, desenvolveu sua plataforma de ensino para disponibilizar os treinamentos

Leia mais

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Clorisval Gomes Pereira Júnior Possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade de Brasília (1993), graduação em Educação Artística pela Universidade de Brasília (1989) e mestrado em Design

Leia mais

Norton 360 Online Guia do Usuário

Norton 360 Online Guia do Usuário Guia do Usuário Norton 360 Online Guia do Usuário Documentação versão 1.0 Copyright 2007 Symantec Corporation. Todos os direitos reservados. O software licenciado e a documentação são considerados software

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

Projeto Intranet Institucional Project Charter. IIPC Tecnologia da Informação Versão 1.5 Outubro de 2011

Projeto Intranet Institucional Project Charter. IIPC Tecnologia da Informação Versão 1.5 Outubro de 2011 Projeto Intranet Institucional Project Charter Versão 1.5 Outubro de 1. Objetivo O Projeto Intranet do tem como objetivo a implementação de uma ferramenta de trabalho para o Voluntariado do (Sede Mundial

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Visão Geral e Navegação. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Visão Geral e Navegação Tutorial Atualizado com a versão 3.9 Copyright 2009 por JExperts Tecnologia Ltda. todos direitos reservados. É proibida a reprodução deste manual sem autorização prévia

Leia mais

Projeto Rede WiFi amplia disponibilidade, segurança e praticidade da rede de internet da UERJ

Projeto Rede WiFi amplia disponibilidade, segurança e praticidade da rede de internet da UERJ Projeto Rede WiFi amplia disponibilidade, segurança e praticidade da rede de internet da UERJ Perfil A história da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) teve início em 04 de dezembro de 1950,

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015

Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Política de privacidade do Movimento Certo Ginástica Laboral Online Última atualização: 17 de março de 2015 Esta Política de privacidade estabelece nossas políticas e procedimentos para coletar, usar e

Leia mais

Estrutura de Relacionamento:

Estrutura de Relacionamento: 1 Índice Por que ter Guia de Relacionamento e Suporte?... 3 Qual a Estrutura de Relacionamento com o Cliente?... 3 Agente de Atendimento (CAT):... 3 Gerente de Contas (GC):... 3 Gerente de Serviço (GS):...

Leia mais

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução 14

Capítulo 1 - Introdução 14 1 Introdução Em seu livro Pressman [22] define processo de software como um arcabouço para as tarefas que são necessárias para construir software de alta qualidade. Assim, é-se levado a inferir que o sucesso

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD 1. O que é EAD? EAD é a sigla para Ensino a Distância, ou Educação a Distância, uma modalidade de ensino que acontece a partir da união

Leia mais

Amway - Política de privacidade

Amway - Política de privacidade Amway - Política de privacidade Esta Política de Privacidade descreve como a Amway Brasil e determinadas filiadas, inclusive a Amway América Latina (conjuntamente Amway ) utilizam dados pessoais coletados

Leia mais

Por que Office 365? Office 365 Por que usar?

Por que Office 365? Office 365 Por que usar? Por que Office 365? Office 365 Por que usar? POR QUE OFFICE 365? Olá. Nesse guia, vamos tratar de um serviço que está sendo extremamente procurado por executivos e especialistas em TI das empresas: o Office

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Este documento tem por objetivo definir a Política de Privacidade da Bricon Security & IT Solutions, para regular a obtenção, o uso e a revelação das informações pessoais dos usuários

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security Pro fornece proteção de última geração para seu

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

São Paulo, 24 de novembro de 2005

São Paulo, 24 de novembro de 2005 São Paulo, 24 de novembro de 2005 CGI.br divulga indicadores inéditos sobre a internet no país Além de apresentar as pesquisas sobre penetração e uso da rede em domicílios e empresas, a entidade anuncia

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial

1. DOTPROJECT. 1.2. Tela Inicial 1 1. DOTPROJECT O dotproject é um software livre de gerenciamento de projetos, que com um conjunto simples de funcionalidades e características, o tornam um software indicado para implementação da Gestão

Leia mais

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de:

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: Soluções Completas Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: - Conexões compartilhada (.IP) e dedicada (.LINK); - Data Center com servidores virtuais

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Quem somos. Não somos o esperado, VAMOS MAIS ADIANTE!

Quem somos. Não somos o esperado, VAMOS MAIS ADIANTE! Bem Vindos Não importa sua necessidade, a MindFi tem soluções completas e especializadas para seu negócio. Prestamos serviços tecnológicos com excelência em atendimento e monitoramento para que seu estabelecimento

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto

1 Inicie um novo. Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007. projeto Guia de Referência Rápida de Gerenciamento de Projeto para o Project 2007 1 Inicie um novo Antes de começar um novo, uma organização deve determinar se ele se enquadra em suas metas estratégicas. Os executivos

Leia mais

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula :

Como Criar uma Aula? Na página inicial do Portal do Professor, acesse ESPAÇO DA AULA: Ao entrar no ESPAÇO DA AULA, clique no ícone Criar Aula : Como Criar uma Aula? Para criar uma sugestão de aula é necessário que você já tenha se cadastrado no Portal do Professor. Para se cadastrar clique em Inscreva-se, localizado na primeira página do Portal.

Leia mais

Principais diferenciais do Office 365

Principais diferenciais do Office 365 Guia de compras O que é? é um pacote de soluções composto por software e serviços, conectados à nuvem, que fornece total mobilidade e flexibilidade para o negócio. Acessível de qualquer dispositivo e qualquer

Leia mais

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II)

AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) AULA 3 FERRAMENTAS E APLICATIVOS DE NAVEGAÇÃO, DE CORREIO ELETRÔNICO, DE GRUPOS DE DISCUSSÃO, DE BUSCA E PESQUISA (PARTE II) A seguir vamos ao estudo das ferramentas e aplicativos para utilização do correio

Leia mais

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO

EQUIPE: ANA IZABEL DAYSE FRANÇA JENNIFER MARTINS MARIA VÂNIA RENATA FREIRE SAMARA ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA DISCIPLINA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO II PROFESSORA: PATRÍCIA

Leia mais

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual de Usuário Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual do Usuário GLPI 1. Introdução 3 2. Acessando o GLPI 4 3. Entendendo o processo de atendimento

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE

Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Proposta do projeto de extensão: Inclusão digital dos softwares livres na comunidade escolar da rede pública em Aracaju SE Resumo O projeto tem como objetivo principal promover a inclusão digital dos softwares

Leia mais

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem

Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Sistema de Gestão de Recursos de Aprendizagem Ambiente Virtual de Aprendizagem (Moodle) - - Atualizado em 29/07/20 ÍNDICE DE FIGURAS Figura Página de acesso ao SIGRA... 7 Figura 2 Portal de Cursos... 8

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

acesse: vouclicar.com

acesse: vouclicar.com Transforme como sua empresa faz negócios, com o Office 365. Vouclicar.com A TI chegou para as pequenas e médias empresas A tecnologia é hoje o diferencial competitivo que torna a gestão mais eficiente,

Leia mais

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância

CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância CARDS - Jogo Educativo na Internet para Ensino a Distância 1 Introdução Bruno Astuto Arouche Nunes Sergio Barbosa Villas-Boas 1 Henrique Falleiros Tendo em vista que o processo de ensino, nos dias de hoje,

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO 552 PROJETO DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR EM IES DO ESTADO DE SÃO PAULO Silvio Carvalho Neto (USP) Hiro Takaoka (USP) PESQUISA EXPLORATÓRIA

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais

Privacidade.

Privacidade. <Nome> <Instituição> <e-mail> Privacidade Agenda Privacidade Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Privacidade (1/3) Sua privacidade pode ser exposta na Internet: independentemente da sua

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA INTERCÂMBIOS ESTUDANTIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA

SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA SERVIÇO DE ANÁLISE DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES APLICABILIDADE PARA CALL-CENTERS VISÃO DA EMPRESA Muitas organizações terceirizam o transporte das chamadas em seus call-centers, dependendo inteiramente

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Objetivos A política de utilização da rede wireless tem como objetivo estabelecer regras e normas de utilização e ao mesmo tempo desenvolver

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Qual servidor é o mais adequado para você?

Qual servidor é o mais adequado para você? Qual servidor é o mais adequado para você? Proteção de dados Tenho medo de perder dados se e o meu computador travar Preciso proteger dados confidenciais Preciso de acesso restrito a dados Acesso a dados

Leia mais

Software Aplicativo. Introdução a Computação. Software Customizado. Software Amigável (User-Friendly) Software Empacotado

Software Aplicativo. Introdução a Computação. Software Customizado. Software Amigável (User-Friendly) Software Empacotado Software Aplicativo Introdução a Computação Software Aplicativos Software usado para solucionar um problema em particular ou realizar uma tarefa específica. Imposto de Renda Impressão MSN Adquirindo Software:

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS

PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS EMPRESA: ILION SOLUÇÕES EM INTERNET LTDA. 1 DO PRAZO: item 5.2 f) Prestação de serviços: 5 (cinco) meses, contados a partir da data da Ordem de Serviço. g) Prazo para desenvolvimento:

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como:

Manual do Aluno. O Moodle é um sistema que gerencia ambientes educacionais de aprendizagem que podem ser denominados como: Manual do Aluno É com muita satisfação que apresentamos o Reunir Unopar. Ambiente Virtual de Aprendizagem Colaborativa que tem por objetivo principal ser um espaço colaborativo de construção do conhecimento

Leia mais

Asset Inventory Service (AIS)

Asset Inventory Service (AIS) Asset Inventory Service (AIS) Última revisão feita em 02 de Setembro de 2008. Objetivo Neste artigo veremos detalhes sobre o Asset Inventory Service (AIS), um serviço disponível através do System Center

Leia mais