JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL"

Transcrição

1 DISCURSO PROFERIDO POR OCASIÃO DA CERIMÔNIA DE POSSE DO DESEMBARGADOR ROQUE MIGUEL FANK NA PRESIDÊNCIA DO TRE-RS Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 29 de maio de Sabidamente, os rios nascem nas montanhas e altiplanos. Suas puras vertentes, a partir daí, juntam-se a outras, por vezes formando lagos e lagoas, por vezes juntando-se a outros rios, mas, sempre, correndo, correndo e correndo em direção ao tenebroso mar. No entanto, dizem os velhos marinheiros, pouco antes de entrar no oceano, os rios param, com medo de serem engolidos. A metáfora tem aplicação ao gestor pelo desafio que representa cada administração. É inegável o medo de ser engolido pelas engrenagens que compõem sua burocracia. No entanto, logo percebi que não se tratava do rio ser engolido pelo mar, mas de contribuir em sua formação. Ante a inexorabilidade de seu caminho, as águas interiores oferecem sua contribuição, integram-se, mormente quando o propósito é a clareza de atuação e o compartilhamento. Recordei Caetano Veloso, em Força Estranha, quando diz: [...] eu pus os pés no riacho e acho que nunca os tirei [...] Eu vi muitos homens brigando. Ouvi seus gritos. Estive no fundo de cada vontade encoberta. E a coisa mais certa de todas as coisas (Não) vale um caminho sob o sol. É o sol sobre a estrada. É o sol sobre a estrada, é o sol. Por isso a força me leva a cantar. Por isso essa força estranha no ar. Desde o primeiro momento, esteve presente, de forma objetiva, a missão da Justiça Eleitoral, de facilitadora das eleições no Estado do Rio Grande do Sul, para a garantia do princípio da efetiva representação popular. Para tanto, busquei o envolvimento de todos, descentralizando decisões administrativas e procurando a atualização conceitual em todos os 1

2 campos de atuação. Encaminhou-se uma gestão de conhecimento em que as deliberações ficassem claras e com total transparência, perenizando a credibilidade e a confiança pelas quais lutamos. Por evidente, passado 1 (um) ano, embora o curto espaço de tempo, a caminhada foi longa e complexa. A preocupação imediata consistia no pleito municipal de outubro de 2004, cuja tradição de tranqüilidade no Estado do Rio Grande do Sul, não poderia ser rompida. Como tínhamos realizado expressivo número de revisões eleitorais, começamos com o planejamento de 3 (três) encontros com todos os Juízes Eleitorais e Chefes das respectivas Zonas, a última com a presença do eminente Min. SEPÚLVEDA PERTENCE, então Presidente do colendo TSE; com debates com todas as empresas de comunicação social; com seminários com a AGERT e ANJ, sempre buscando o esclarecimento da opinião pública, sem perder o foco dos destinatários, contribuindo decisivamente para a elucidação dos possíveis pontos controvertidos, contando sempre com a ativa participação da ilustrada Procuradoria Regional Eleitoral. Em convênio com a Assembléia Legislativa, foi veiculado no trimestre anterior ao pleito municipal, o programa PLENÁRIO TRE, pela TV Assembléia, canal 16 da NET. Da mesma forma, integramo-nos permanentemente com associações municipalistas Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul - FAMURS, Associação Gaúcha de Municípios AGM, Delegações de Prefeituras Municipais DPM e UVERGS União dos Vereadores do Estado do Rio Grande do Sul. Campanhas preparatórias foram realizadas. Ao contrário de utilizar convocações, foi buscado voluntariado para os serviços eleitorais através de campanhas como MESÁRIO CIDADÃO, para a qual tivemos como parceira a colenda Assembléia Legislativa, sempre com resultados positivos. Contamos também com a inestimável colaboração de amigos da Casa como o escritor Luiz Antônio Assis Brasil, Dna. Eva Sopher, do atleta Cláudio Taffarel e da saudosa mesária voluntária Zilah Milano. Igualmente campanhas foram desenvolvidas para a qualificação dos eleitores entre 16 e menos de 18 anos, com voto facultativo. Em convênio com o egrégio Tribunal de Justiça, com o Juizado da Infância e Juventude da Capital, Secretarias Estadual (Titularidade do Dep. José Fortunatti) e Municipais de Educação e com a AJURIS foi possível desenvolver o Projeto Eleitor do Futuro, que se 2

3 desenrolou em 2 (dois) planos, com a qualificação eleitoral dos adolescentes cumprindo medidas sócio-educativas em meio fechado e com eleições parametrizadas em educandários que voluntariamente aderiram, desenvolvendo programas sugeridos por técnicos do Juizado. Igualmente, auxiliamos concretizar um programa vencedor desenvolvido pelo então Presidente da colenda Assembléia Legislativa, Deputado Estadual Vieira da Cunha, denominado Parlamento Juvenil. Em 2 (duas) oportunidades participamos de debates na ONG Instituto de Acesso à Justiça IAJ, acerca do Voto do Preso, a última no decurso do Forum Social Mundial. Na preparação da disputa eleitoral, pelo menos 2 (dois) encontros nacionais foram realizados nesta Capital: Secretários de Informática e dos Secretários de Administração e Orçamento & Finanças dos TRE s. Tenho sempre afirmado que a implantação exitosa do voto eletrônico no Brasil foi também resultado da adequação de equipamentos e desenvolvimento de sistemas informatizados, a que igualmente se soma o cadastro eletrônico nacional o mais atualizado possível e em perfeito funcionamento. Mas, para que se tenha a real dimensão de tais sistemas informatizados, com efetividade e em perfeito uso em toda a extensão territorial do Estado, de forma articulada ou isolada, convém enumerá-los, sob pena de simplificação equivocada e para que se tenha uma visão de sua extensão e complexidade. Dentre eles. a) Sistemas de seção de voto informatizado (SVI) - montador de dados (MODA) - sistema para validação dos arquivos recebidos do sistema de preparação e cadastro eleitoral para encaminhar para o Gerador de Mídias; - gerador de mídias (GM) - sistema de controle de correspondência (SISCC) - sistema de consulta ao cadastro nacional de eleitores off line (CADOFF) b) Softwares de urna autoteste - ajuste de data e hora (ADH) - gerenciador de aplicativos (GAP) - mesa receptora de justificativa (MRJ) - sistema recuperador de correspondência (RECO) - recuperador de dados (RED) 3

4 - sistema de Impressão de Boletim de Voto Digital (SISVD) - sistema de carga de urna eletrônica (SCUE) - sistema de teste exaustivo (STE) - sistema visualizador de LOG (VLOG) - sistema validador de foto (VVFotos) c) Eleição - sistema de voto oficial (VOT) - sistema de voto cantado (SVC) d) Sistema de processamento de eleições (SPE) CAND HORARIO ELEITORAL OUTDOORS SISTEMA DE RECUPERAÇÃO DO BOLETIM DE URNA (recbu) SISTEMA DE APOIO À VOTAÇÃO PARALELA (SAVP) TRANSPORTADOR e) Sistemas internos sistema de acompanhamento DP (SADP) f) assinatura eletrônica dos títulos. O domínio de tais programas permitiu atuação do TRE/RS em eleições na Argentina Província de Buenos Aires e no Equador Guaiaquil, a realização de 48 outras eleições para Conselhos Tutelares, Subprefeituras e outras. A Secretaria de Informática ainda concretizou um sistema para os procedimentos de suspensão dos direitos políticos. Lançou uma nova página interna INTRANET, com novas funcionalidades, para a rede de usuários do TRE/RS e Zonas Eleitorais. Desenvolveu o programa CRONO para planejamento e acompanhamento das atividades das Zonas e do TRE/RS, instalando mais 30 linhas dedicadas, assim como implantou o Sistema Geral de Recursos Humanos SGRH, do TSE, destacando-se o módulo local de freqüência. Na área administrativa, foi celebrado contrato de parceria com a ECT caracterizado pelo ineditismo e pela atualização da parceira na prestação de serviços externos. Da mesma forma, foi firmado termo de cooperação técnica entre os TRE s. da região Sul do 4

5 Brasil PR, SC e RS, simplificando as licitações comuns. Na administração de pessoal, houve adesão à gestão de qualidade no serviço público, percebendo-se frutos nas iniciativas e nas mudanças introduzidas. Foi possível realizar 252 nomeações entre técnicos e analistas judiciários na implementação dos cargos de 1º grau, antiga aspiração da Justiça Eleitoral, dos quais 161 já tomaram posse e prepara-se a próxima posse de mais 60 funcionários. Foi possível aprimorar o treinamento dos novos servidores já nos padrões de qualidade. As modificações de Chefias e assessoramento buscaram sempre o aperfeiçoamento do serviço. Na Secretaria Judiciária, o esforço de seus abnegados servidores permitiu que as longas pautas fossem cumpridas com alegria e satisfação em todas as coordenadorias que a compõem, introduzindo-se na Coordenadoria de Documentação e Informação a padronização técnica das publicações, consolidando-se em rede (intranet) a jurisprudência da Corte, acessível, pois, em todas as zonas eleitorais. Através de iniciativa conjunta e com representação de diversos órgãos de nossa estrutura, destaco o CENTRO DE MEMÓRIA DA JUSTIÇA ELEITORAL DO RS, em busca da preservação de nosso acervo decorrente de 60 anos de existência da JE e 30 anos do prédio, com exposição sobre a epopéia da construção 30 anos do Edifício Sede, com fotos, textos, documentos históricos e emocionante testemunho de um de seus baluartes, registrando o comparecimento de vários de seus idealistas, vindo a lume em 8 de junho próximo, o livro 60 ANOS DE JUSTIÇA ELEITORAL NO RS. Na área da gestão orçamentária buscou-se uma estratégia de planejamento e adoção de concepção sistêmica, buscando uma sintonia com os demais órgãos da Justiça Eleitoral, padronização e integração de procedimentos e com, em tempos bicudos, a meu juízo, considerável recuperação de ativos dos servidores. No âmbito de obras físicas, foi possível recuperar a arquitetura externa deste prédio. Com a colaboração dos servidores locais, foi criada a central de atendimento de eleitores de Canoas, inaugurada no dia 11 do corrente mês de maio. Foi firmado convênio com a PM de Santa Maria para viabilizar melhores instalações das zonas eleitorais sediadas naquele Município. Fica, entretanto, uma pequena frustração. A obra de complementação do chamado anexo superou a maldição do estaqueamento, já tendo saído do chão, estando sua estrutura quase ao término, esperando que possa ser concluída ainda na gestão de V.Exª., Des. 5

6 Roque. Sabidamente, por sua natureza, as eleições municipais podem ganhar a dimensão das disputas pessoais, particulares e territoriais, tornando-as por vezes ásperas. A última não fugiu a regra, ficando, entretanto, como singularidade o expressivo número de feitos em andamento, judicializando-se, pois, os conflitos, cumprindo aos Magistrados, à Corte e ao colendo TSE suas resoluções. Sem dúvida, houve a profunda dedicação dos Magistrados eleitorais e servidores em suas respectivas Zonas. Este TRE/RS protagonizou novas, disputadas e paradigmáticas eleições em Novo Hamburgo, onde igualmente foi realizada a apuração, contando-se com a solidariedade e apoio da Comunidade e da integralidade de seus integrantes que para lá se deslocaram. É hora de agradecimentos. A começar pelos eminentes Ministros Sepúlveda Pertence e Carlos Mário da Silva Velloso, ex e atual Presidente do colendo TSE, pela consideração e confiança. Ao não menos emin. MIN. LUIZ CARLOS LOPES MADEIRA, cujo gabinete foi sempre a embaixada do TRE/RS e porto seguro de nossas postulações. A peça de metal aposta à parede dos fundos deste Plenário, aparentemente disforme, mas que se conjuga, representa a forma escabinada de composição do TRE/RS, em que cada um de seus integrantes oferece sua experiência para a melhor adequação dos julgamentos. Poderia mencionar dados significativos colhidos de cada um, todavia, prefiro destacar todos aqueles com os quais tive a satisfação de atuar, a partir da composição atual: Desembargador Roque Miguel Fank, Desembargador Federal Nylson Paim de Abreu, Dr. Luiz Carlos Echeverria Piva, Dra. Lizete Andreis Sebben, Dr. Almir Porto da Rocha Filho e Maria José Schmitt Sant Anna. Também dos Desembargadores Alfredo Guilherme Englert, de quem recebi a presidência, Araken de Assis, Vasco Della Giustina, Danúbio Edon Franco, Antônio Janyr Gall Agnol Jr., Dálvio Leite Dias Teixeira, Desª. Isabel de Borba Lucas, Desembargadores Federais Manoel Lauro Volkmer de Castilhos, Desembargador Federal Vilson Darós, Dra. Mylene Maria Michel, Dr. Tasso Caubi Soares Delabary, Dra. Judith dos Santos Mottecy, Dr. Paulo Sérgio Scarparo e Dra. Lúcia Liebling Kopittke. Tive, sempre, a contribuição firme e sobranceira do Ministério Público Federal. Inicialmente com o Dr. Francisco de Assis Vieira Sanseverino, todavia, em sua maior parte, com o insigne Dr. João Heliofar de Jesus Villar, Procurador Regional Eleitoral, cuja humanidade e conhecimento sempre nortearam seus pronunciamentos e resultaram acatados. Cumpre igualmente agradecer a presteza e 6

7 proficiência da Procuradora Regional Eleitoral Substituta, Dra. Márcia Neves Pinto, e o Procurador de Justiça Dr. Gilmar Maronesi, da Coordenadoria Eleitoral de 1º Grau, pelo diálogo construtivo e franco. Estendo o agradecimento aos advogados militantes, que diuturnamente freqüentam a Casa, ajudando com sua independência e militância à construção da democracia. Uma palavra igualmente aos Prefeitos Municipais e ao digno Governador do Estado, cuja colaboração foi indispensável para o exercício das atividades eleitorais. Ainda dispomos de muitos funcionários cedidos. Realizamos igualmente parceria em vários projetos institucionais com a colenda Assembléia Legislativa, particularmente com o ex-presidente Dep. Vieira da Cunha, cujo alto espírito público permitiu as campanhas MESARIO CIDADÃO e PARLAMENTO TRE, através da TV Assembléia, contando igualmente com sua participação no treinamento dos novos servidores. O Tribunal de Justiça que colaborou no projeto ELEITOR DO FUTURO. Da mesma forma, agradeço publicamente aos jornalistas e comunicadores, como já o fiz pessoalmente aos dignos Presidentes da ARI e da AGERT, pela correção das informações, contribuindo permanentemente para o esclarecimento da opinião pública. Sempre destaquei a sinergia encontrada no corpo funcional da CASA. Há uma força estranha no ar. Há um inestimável esforço do corpo funcional na concretização de suas funções e um envolvimento com o resultado final. Agradeço-lhes a dedicação, o respeito e a compreensão na pessoa do Senhor Diretor-Geral, Dr. Antônio Augusto Portinho da Cunha. Também está prestes a deixar a Corte, onde intensamente colaborou com sua experiência e ponderação, o lagoense e emin. Des. Federal Nylson Paim de Abreu. Vamos cedê-lo para a presidência do egr. Tribunal Regional Federal da 4ª Região, formulando votos que seja tão feliz quanto foi em sua passagem pela Administração, preparado que está para as grandes mudanças que se avizinham em decorrência da almejada Reforma do Judiciário. Mas, perdendo um lagoense, outro passará a integrá-la: o emin. Des. Leo Lima. Membro de família com expressiva e respeitável vinculação com a Justiça Estadual, a começar por seu dileto pai, tio Nica, pessoa que honrou os quadros da Justiça Estadual, além dos demais 12 (doze) irmãos, de forma que é com muita satisfação que recebemos sua eleição e sua integração à Justiça Eleitoral. 7

8 Ainda que não tivesse concretizado o idealizado, procurei fazer o possível, contando, repiso, com a colaboração de todos. Novas tarefas avizinham-se, como o referendo, o recadastramento e a reforma política, com inevitável repercussão no âmbito eleitoral. Mas, meu tempo, democraticamente findou. O futuro próximo da colenda Justiça Eleitoral no Estado do RGS pertence ao emin. Des. Roque Miguel Fank. Homem sereno, dedicado, preocupado e compreensivo, que, com renovada esperança, tenho certeza, dar-lhe-á a melhor solução. Na saudação recebida no momento de minha chegada foi mencionada uma passagem em que me encontrava embarcado, daí a lembrança de Adair Philippsen, em Partida : Sem rumo, sem remo (e farto), no barco embarco e parto ao porto deserto, decerto tão perto. A V.Exª., Des. Roque, e aos que lhe estão perto, que Deus os ilumine. MUITO OBRIGADO! 8

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA JUDICIÁRIA ELEITORAL DO RIO GRANDE DO SUL EJERS ATIVIDADES JÁ REALIZADAS PELA ESCOLA 17.09.2010 - Exposição do Ministro Ricardo Lewandowski - Sobre as Eleições 2010. Realizado no Plenário do TRE-RS.

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2014 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC gdelbem@tre-sc.gov.br ; gdelbem@yahoo.com.br Proposta de valores no Planejamento Estratégico da Justiça Eleitoral Gestão

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste 1. Estrutura: a) Identificação do Órgão/Unidade: Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região /

Leia mais

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral.

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral. APRESENTAÇÃO 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. 2. E-mail para contato eje@tre-rj.gov.br. 3. Nome do Projeto. 4. Tema escolhido Gestão Sócio Ambiental. 5.

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Contribuições construídas pelo GT Juventude A avaliação das entidades e grupos que compõe o GT Juventude faz da atuação do Movimento em 2008 é extremamente

Leia mais

Carta de Serviços aos Cidadãos

Carta de Serviços aos Cidadãos Carta de Serviços aos Cidadãos Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul: a cada dia mais próximo da comunidade www.tre-jus.br O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul é um órgão do Poder

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Er REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Art 1º O Fórum da Agenda 21 Local Regional de Rio Bonito formulará propostas de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável local, através

Leia mais

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento.

DISCURSO DE POSSE. Sinto-me extremamente honrado ao assumir a Presidência da ACISB/CDL nesta cerimônia, agradeço a Deus por este momento. DISCURSO DE POSSE Boa Noite a todos! Cumprimento o ex-diretor presidente Sebastião Calais, o Prefeito Leris Braga, o vice-prefeito Alcemir Moreira, o presidente da Câmara de Vereadores Juarez Camilo, o

Leia mais

Of. nº 387/GP. Paço dos Açorianos, 13 de abril de 2011. Senhora Presidente:

Of. nº 387/GP. Paço dos Açorianos, 13 de abril de 2011. Senhora Presidente: Of. nº 387/GP. Paço dos Açorianos, 13 de abril de 2011. Senhora Presidente: Submeto à apreciação de Vossa Excelência e seus dignos Pares o presente Projeto de Lei que Cria a Secretaria Especial dos Direitos

Leia mais

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais.

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais. TRE-MT ANALIS. JUD. ADM CESPE 9. Assinale a opção correta com relação aos órgãos da justiça eleitoral. a) A justiça eleitoral é composta pelo Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ), pelo TRE, na capital de

Leia mais

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010

SENSUS. Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE. 03 a 07 de Novembro de 2010 Pesquisa e Consultoria Relatório CAMPANHA DE ESCLARECIMENTO DO TSE ELEIÇÕES 2010 FIELDS COMUNICAÇÃO TSE 03 a 07 de Novembro de 2010 Rua Grão Pará 737, 4 andar Cep 30150-341 Belo Horizonte MG Tel. 31-33042100

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2010-2014

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2010-2014 PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2010-2014 SOCIEDADE: 1. Garantir a legitimidade do processo eleitoral 01 CONFIANÇA NO PROCESSO ELEITORAL Mede o grau de confiança da população gaúcha em relação ao processo

Leia mais

COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO

COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO COMPARTILHAMENTO ENTRE BIBLIOTECAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO CAPÍTULO I Da denominação, localização e finalidades Art. 1º O Compartilhamento entre Bibliotecas

Leia mais

DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U do dia 09.10.2012

DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U do dia 09.10.2012 TÂNIA REGINA SILVA RECKZIEGEL DESEMBARGADORA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO DATA DE POSSE: 15 de outubro de 2012, com nomeação pela Presidenta Dilma Rousseff, publicada no D.O.U

Leia mais

Manual do Padrinho. Projeto Adote um Município. Aperte enter para avançar

Manual do Padrinho. Projeto Adote um Município. Aperte enter para avançar Manual do Padrinho Projeto Adote um Município Aperte enter para avançar Caro Padrinho, Esse manual tem como objetivo passar orientações sobre o seu importante papel no âmbito do Projeto Adote um Município.

Leia mais

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011

CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 CNJ REDUZ PRESSÃO SOBRE TRIBUNAIS E JUÍZES EM 2.011 Mariana Ghirello Todo ano, o Conselho Nacional de Justiça se reúne com os presidentes dos Tribunais de Justiça para identificar as necessidades do Poder

Leia mais

Senhoras e Senhores:

Senhoras e Senhores: Senhoras e Senhores: Uso a palavra em nome de todas as entidades governamentais e nãogovernamentais parceiras do Programa Justiça para o Século 21. E não é sem razão. Esse é, para todos nós, um momento

Leia mais

DISCURSO DE HOMENAGEM DA ENTREGA DA COMENDA ORLANDO GOMES AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO CESAR ASFOR ROCHA

DISCURSO DE HOMENAGEM DA ENTREGA DA COMENDA ORLANDO GOMES AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO CESAR ASFOR ROCHA DISCURSO DE HOMENAGEM DA ENTREGA DA COMENDA ORLANDO GOMES AO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO CESAR ASFOR ROCHA Magnífica Reitora da insigne Universidade Federal da Bahia, Profa. Dra. Dora Leal Rosa. Ilustríssimo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS Mensagem nº 3, de 2013. Canoas, 25 de janeiro de 2013. A Sua Excelência o Senhor Vereador Juares Carlos Hoy Presidente da Câmara Municipal de Canoas Canoas RS Senhor Presidente, Na forma da legislação

Leia mais

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Este guia pretende nortear os Grupos Escoteiros do Brasil a desenvolverem um

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 21.740 CAPÍTULO I DA ASSINATURA DIGITAL

RESOLUÇÃO Nº 21.740 CAPÍTULO I DA ASSINATURA DIGITAL RESOLUÇÃO Nº 21.740 INSTRUÇÃO Nº 85 - CLASSE 12ª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Fernando Neves. Dispõe sobre a assinatura digital dos programas fontes e programas executáveis que compõem

Leia mais

Curso de Capacitação: Processo de escolha unificado dos Conselheiros Tutelares

Curso de Capacitação: Processo de escolha unificado dos Conselheiros Tutelares Curso de Capacitação: Processo de escolha unificado dos Conselheiros Tutelares CAOPIJ CONSEC COEGEMAS - SETAS FEMURN Ministrantes: Dra. Tatiane Dantas (Advogada da FEMURN) e Dra. Isabelita Garcia (Promotora

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO

TERMO DE COMPROMISSO TERMO DE COMPROMISSO Ao primeiro de outubro de 2010, no salão da Escola Municipal de Aprendizagem Industrial, EMAI, situa na Av. Rio Branco, Santa Maria, as seguintes Instituições: ASSOCIAÇÃO NACIONAL

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

O que fazer para reformar o Senado?

O que fazer para reformar o Senado? O que fazer para reformar o Senado? Cristovam Buarque As m e d i d a s para enfrentar a crise do momento não serão suficientes sem mudanças na estrutura do Senado. Pelo menos 26 medidas seriam necessárias

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 01 19 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Implementação da Lei de Acesso a Informação A Lei de Acesso à Informação (LAI) representa mais

Leia mais

Conselho Nacional de Controle Interno

Conselho Nacional de Controle Interno Veículo: Site Congresso em Foco Data: 13/07/2012 Editoria: Lei de Acesso Coluna: - Página: - Só 12% das prefeituras dão atenção a transparência Uma mesma pergunta foi feita às administrações de 133 cidades

Leia mais

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A transparência, tônico infalível da cidadania, outorga confiabilidade e, por conseguinte, maior respeito. Por sua vez, a população, melhor informada,

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CONSELHOS TRIBUNAIS SUPERIORES

CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CONSELHOS TRIBUNAIS SUPERIORES CLIPPING DE NOTÍCIAS DO PODERJUDICIÁRIO GESTÃO ESTRATÉGICA CNJ CONSELHOS http://www.cnj.jus.br/ 12/08/2014 II Encontro Nacional debate formação de servidores do Judiciário (http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj/29333-ii-encontronacional-debate-formacao-de-servidores-do-judiciario)

Leia mais

COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO INTERNO E EXTERNO NO SERVIÇO PÚBLICO

COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO INTERNO E EXTERNO NO SERVIÇO PÚBLICO XI ENCONTRO NORDESTINO DE VEREADORES COMUNICAÇÃO E RELACIONAMENTO INTERNO E EXTERNO NO SERVIÇO PÚBLICO Adriana Nóbrega Comunicação e Marketing Político É TEMPO DE RECOMEÇAR LIÇÕES DE ÁGUIA Precisa tomar

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA

ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA Ministra do Supremo Tribunal Federal, empossada em 19 de dezembro de 2011. Nascida em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 02 de outubro de 1948. Filha do médico José Júlio

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão

Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão é um órgão do Poder Judiciário Federal e tem como principais atividades a condução do processo eleitoral, desde o alistamento

Leia mais

Obrigações Eleitorais

Obrigações Eleitorais Obrigações Eleitorais Votação no Catar Inscrição eleitoral para residentes no Catar Documentação necessária para inscrição eleitoral no Catar Transferência do título de eleitor para o Catar Documentação

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2013 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 17ª REGIÃO TRT 17ª REGIÃO RELATÓRIO DAS METAS NACIONAIS 2011

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 17ª REGIÃO TRT 17ª REGIÃO RELATÓRIO DAS METAS NACIONAIS 2011 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 17ª REGIÃO TRT 17ª REGIÃO RELATÓRIO DAS METAS NACIONAIS 2011 Vitória/ES Janeiro 2012 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 PAINEL DE METAS NACIONAIS...

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EQUIPAGEM ORIENTAÇÕES AOS GESTORES LOCAIS

FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE EQUIPAGEM ORIENTAÇÕES AOS GESTORES LOCAIS FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Conselho Tutelar EQUIPAGEM DE CONSELHOS TUTELARES O trabalho da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006

Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Luiz Ildebrando Pierry Porto Alegre, Maio de 2006 Evolução Estratégica do Movimento Qualidade RS 13 anos de atividade Instalação do Programa Cumulativo Consolidação do Programa como Promotor da Causa Evolução

Leia mais

Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social. Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis

Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social. Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis Experiências de Orçamento Participativo (OP) no Brasil: democratização da gestão pública e controle social Por Ana Claudia Teixeira Instituto Pólis O que é? Um mecanismo (ou processo) pelo qual a população

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral Abril 2013 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Letícia De Faria Sardas Corregedor

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA NACIONAL DA MAGISTRATURA DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO BRASIL

REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA NACIONAL DA MAGISTRATURA DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO BRASIL REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA NACIONAL DA MAGISTRATURA DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO BRASIL Capítulo I Da Instituição Art. 1º - A Escola Nacional da Magistratura (ENM), órgão da Associação dos Magistrados

Leia mais

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA

CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA CARTA DO PARANÁ DE GOVERNANÇA METROPOLITANA Em 22 e 23 de outubro de 2015, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano SEDU, por meio da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba COMEC,

Leia mais

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL CONJACI CONSELHO DISTRITAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE JACI-PARANÁ Distrito de Jaci-Paraná Município de Porto Velho - RO MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL Dezembro de 2012. MINUTA DE DECRETO MUNICIPAL

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar Publicada no Diário Oficial do dia 07 de julho de 2011 Estabelece a Estrutura Administrativa do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e do Ministério Público Especial; cria, modifica e extingue órgãos

Leia mais

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo e de cargos em comissão no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional

Leia mais

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013.

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o Planejamento Estratégico Participativo em execução (2009/2014), aprovado pela Resolução Administrativa

Leia mais

Conselho Federal de Enfermagem. SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil

Conselho Federal de Enfermagem. SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil Conselho Federal de Enfermagem SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil Dos Novos Tempos Cofen à Força da Mudança: a evolução administrativa do Cofen. Manoel Carlos Neri da

Leia mais

PROJETO DE CIDADANIA

PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA PROJETO DE CIDADANIA A Anamatra A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho Anamatra congrega cerca de 3.500 magistrados do trabalho de todo o país em torno de interesses

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS Na data de 03 de maio de 2011 1 o então Coordenador do Projeto Entorno, Luís Guilherme Martinhão Gimenes, reuniu-se com o Comandante Geral do

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 30/06/2015 Boletim Administrativo Eletrônico de Pessoal Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 Revisa e altera os objetivos estratégicos do plano

Leia mais

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM Fevereiro DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM 2 ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO... 3 Apresentação... 3 Missão... 4 Visão de Futuro... 4 Valores... 4 PERSPECTIVAS...

Leia mais

Planejamento estratégico, Portal e Redes Sociais. A experiência da Assembleia de Minas

Planejamento estratégico, Portal e Redes Sociais. A experiência da Assembleia de Minas Planejamento estratégico, Portal e Redes Sociais A experiência da Assembleia de Minas Um pouco de história 1979: início da informatização 1995: lançamento do Portal da Assembleia de Minas segunda casa

Leia mais

Comissão Nacional do Eleições ATA N. 36/XIV

Comissão Nacional do Eleições ATA N. 36/XIV Comissão Nacional do Eleições ATA N. 36/XIV Teve lugar no dia vinte e nove de maio de dois mil e doze, a sessão número trinta e seis da Comissão Nacional de Eleições, na sala de reuniões sita na Av. D.

Leia mais

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Unidade: Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas segti@tre-am.gov.br Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Gestão de Pessoas Jander Assis Valente, Msc Analista Judiciário/Secretário

Leia mais

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Capítulo I Da natureza da Renoi Regimento Interno Art. 1º - A Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Renoi - é uma rede de organizações e pessoas que atuam

Leia mais

Assunto: RECOMENDAÇÃO CONJUNTA MPC/MPE/MPF Portais da Transparência.

Assunto: RECOMENDAÇÃO CONJUNTA MPC/MPE/MPF Portais da Transparência. Ofício PG N.º /2014 Maceió, 22 de julho de 2014. Assunto: RECOMENDAÇÃO CONJUNTA MPC/MPE/MPF Portais da Transparência. Senhor Gestor, 1. O Ministério Público de Contas, o Ministério Público Estadual e o

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Práticas e desafios 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura Práticas e Desafios da Educação a Distância

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO OBJETIVO DO CURSO MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA Oferecer condições ferramentais para o profissional

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

A Sua Excelência o Senhor Deputado Federal RÔMULO GOUVEIA DD. Presidente da Comissão Especial do PL 1.775/2015

A Sua Excelência o Senhor Deputado Federal RÔMULO GOUVEIA DD. Presidente da Comissão Especial do PL 1.775/2015 Nota Técnica ADPF/ANPR/AJUFE Registro Civil Nacional (RCN) Proposição: PL 1.775/2015 Ementa: Dispõe sobre o Registro Civil Nacional - RCN e dá outras providências. Explicação da Ementa: Revoga a Lei nº

Leia mais

Assessoria de Gestão Estratégica. Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE

Assessoria de Gestão Estratégica. Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE Assessoria de Gestão Estratégica Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE Agenda Justiça Eleitoral no Brasil A Gestão de Processos no TSE Metodologia Gestão de Processos do TSE Melhoria dos Processos

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia.

Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer a todos, que se disponibilizaram, para estar presentes nesta cerimónia. Cumprimentos a todas as altas individualidades presentes (nomeando cada uma). Caras Colegas, Caros Colegas, Minhas Senhoras, Meus Senhores, Meus Amigos Em primeiro lugar, gostaria, naturalmente, de agradecer

Leia mais

Oficinas C Diálogo e atualização: metas do encontro de atualização apacitar, dialogar e atualizar. Essas foram as três metas principais do projeto Encontro de Atualização Administrativa, realizado pelo

Leia mais

Grupo A (Temas discutidos) - Como atrair a Comunidade para as propostas do Conselho da Comunidade?

Grupo A (Temas discutidos) - Como atrair a Comunidade para as propostas do Conselho da Comunidade? CONCLUSÕES DO I ENCONTRO DE CONSELHOS DA COMUNIDADE DA REGIÃO SUL DO BRASIL E DO III SEMINÁRIO DO PROJETO TRABALHO PARA A VIDA DA CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA DO RS, REALIZADO EM PORTO ALEGRE, EM 18 DE

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO Tipo: 1 - Finalístico Programa: 5140 - ESPAÇO ABERTO Objetivo: PROMOVER A INTEGRAÇÃO ENTRE O PODER PÚBLICO MUNICIPAL E OS MUNÍCIPES EM CONJUNTO COM OS DEMAIS ORGÃOS QUE COMPÕE A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA PARAÍBA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA PARAÍBA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA PARAÍBA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL REGIMENTO INTERNO A Comissão Institucional de Gestão Ambiental CIGA, do Ministério Público

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 54 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE ABAETETUBA

ESTADO DO PARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE ABAETETUBA Lei nº 407/2014, DE 12 DE SETEMBRO DE 2014. Dispõe sobre o Conselho e Fundo Municipal de Políticas sobre Drogas do Município de Abaetetuba e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal de

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela - UNISINOS, em 1989.

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela - UNISINOS, em 1989. JOSÉ FRANCISCO TEIXEIRA PINTO Nascimento: 26 de abril de 1962, em São Gabriel, RS. Filiação: Flávio da Silva Pinto e Maria do Carmo Teixeira Pinto. Formação Acadêmica Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais

Leia mais

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências.

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências. Diário Oficial do Município - Belo Horizonte Ano XI - Nº: 2.273-01/01/2005 Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo Lei nº 9.011 de 1º de janeiro de 2005 - Anexos LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 2013 TJM-RS NGE-JME-RS Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 [PAINEL DE INDICADORES-TJM-RS] Contém os indicadores do do Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande

Leia mais

Trabalhando em conjunto com os municípios pela melhoria da qualidade da educação pública brasileira

Trabalhando em conjunto com os municípios pela melhoria da qualidade da educação pública brasileira Trabalhando em conjunto com os municípios pela melhoria da qualidade da educação pública brasileira CONHECENDO O FNDE O FNDE é uma Autarquia Federal vinculada ao Ministério da Educação. Sua missão é prestar

Leia mais

SOLENIDADE NAS COMARCAS MODELO DE ROTEIRO

SOLENIDADE NAS COMARCAS MODELO DE ROTEIRO SOLENIDADE NAS COMARCAS - Inauguração de Fórum/Reforma - Instalação de Comarca/Vara/Juizado Especial - Inauguração de Galeria de Retratos - Lançamento de Pedra Fundamental - Inauguração de Busto - Descerramento

Leia mais

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS ESTADO DE MINAS 1 2 ESTADO DE MINAS 3 ESTADO DE MINAS http://www.em.com.br PSD de Kassab mira 'órfãos' do PMDB quercista O PSD obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira e corre

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

COMO CRIAR UMA PROCURADORIA ESPECIAL DA MULHER EM ESTADOS E MUNICÍPIOS

COMO CRIAR UMA PROCURADORIA ESPECIAL DA MULHER EM ESTADOS E MUNICÍPIOS Câmara dos Deputados COMO CRIAR UMA PROCURADORIA ESPECIAL DA MULHER EM ESTADOS E MUNICÍPIOS Brasília 2012 Como criar uma procuradoria especial da mulher em estados e municípios Mesa da Câmara dos Deputados

Leia mais