Application Notes: OAM - EFM. Ethernet in the First Mile

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Application Notes: OAM - EFM. Ethernet in the First Mile"

Transcrição

1 Application tes: OAM - EFM Ethernet in the First Mile

2 Application tes: OAM - EFM Ethernet in the First Mile. Data 28/04/2010, Revisão 1.17 Parecer Introdução Desenvolvimento Habilitando o OAM Visualização da configuração do OAM Status do Protocolo OAM Negociação habilitada Negociação desabilitada Tunelamento do OAM Visualização da configuração do tunelamento Status do Protocolo OAM Aplicações Link unidirecional SDH Anel EAPS Links de rádio Rede com Spanning-Tree Parecer Este documento descreve o funcionamento do protocolo de OAM Operations, Administration, and Maintenance chamado EFM Ethernet in the First Mile existente na linha de switches DATACOM séries 3000, 4000 e EDD. Introdução O protocolo OAM EFM é definido no padrão IEEE 802.3AH, o OAM prové mecanismos utéis para monitorar o status do link como indicação de falha remota do link ou controle remoto da loopback. o OAM prové aos operadores de rede a habilidade de monitorar a saúde da rede e rapidamente determinar a localização de links com falhas ou condições de falhas. O OAM prové um mecanismo de camada de link para complementar aplicações de camadas mais altas. as informações do protocolo são transmitidas atráves do frame slow Protocol chamado de OAM Protocol Data Units (OAMPDUs). o OAMPDUs contém a informação de status e controle usada para monitorar, testar e solucionar problemas de link atráves do protocolo OAM quando habilitado nas interfaces. Os PDUS do OAM são ponto-a-ponto, ou seja são trocados somente entre uma interface e outra não sendo encaminhados por switches. DATACOM 1

3 Desenvolvimento Habilitando o OAM Habilitando o OAM na interface 1/25 do switch. DmSwitch3000#configure DmSwitch3000(config)#interface ethernet 1/25 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#oam Alterando o intervalo de envio das PDUs. Valor mínimo é de 100 e máximo de 1000 Milisegundos. Obs: O valor Padrão é de 1000 Milisegundos. DmSwitch3000#configure DmSwitch3000(config)#interface ethernet 1/25 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#oam pdu-interval 100 Alterando o limite de espera pela PDU. Valor mínimo é de 3 e máximo de 10 segundos. Obs: O valor Padrão é de 5 segundos. DmSwitch3000#configure DmSwitch3000(config)#interface ethernet 1/25 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#oam pdu-loss-limit 3 Alterando MAC de destino das PDUs Esta opção é utilizada em casos de switches que filtrem o MAC padrão do Slow Protocols 01:80:C2:00:00:02, desta forma é necessário configurar o MAC de destino como alternativo, este MAC é proprietário da DATACOM 01:04:DF:00:00:02. DmSwitch3000#configure DmSwitch3000(config)#interface ethernet 1/25 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#slow-protocols destination-address alternative Para alterar para o MAC de destino padrão standard DmSwitch3000#configure DmSwitch3000(config)#interface ethernet 1/25 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#slow-protocols destination-address standard ou através do comando no DATACOM 2

4 DmSwitch3000(config-if-eth-1/25)#no slow-protocols destination-address Visualização da configuração do OAM DmSwitch3000#show oam Events: Discovery: UL - Link Down/Unidirectional link CE - Critical Event TO - Link OAM timeout NO - event -- - OAM disabled/interface shutdown/unknown(remote) UN - Unsatisfied/Unknown(Remote) IN - Incomplete CO Local OAM disabled/local interface shutdown Dest. Address: ST - Standard IEEE OAMPDUs destination MAC address AL - Alternative OAMPDUs destination MAC address Local Remote Discovery Dest. OAMPDU Port Enable Event Event Local Remote Addr. Vendor/Model Interval Limit / 1 NO ST ms 5 1/ 2 NO ST ms 5 1/ 3 NO ST ms 5 1/ 4 NO ST ms 5 1/ 5 NO ST ms 5 1/ 6 NO ST ms 5 1/ 7 NO ST ms 5 1/ 8 NO ST ms 5 1/ 9 NO ST ms 5 1/10 NO ST ms 5 1/11 NO ST ms 5 1/12 NO ST ms 5 1/13 NO ST ms 5 1/14 NO ST ms 5 1/15 NO ST ms 5 1/16 NO ST ms 5 1/17 NO ST ms 5 1/18 NO ST ms 5 1/19 NO ST ms 5 1/20 NO ST ms 5 1/21 NO ST ms 5 1/22 NO ST ms 5 1/23 NO ST ms 5 1/24 NO ST ms 5 1/25 YES NO NO CO CO ST DATACOM ms 5 1/26 NO ST ms 5 1/27 NO ST ms 5 1/28 NO ST ms 5 Visualização detalhada da configuração de todas interfaces. DmSwitch3000#show oam detail Visualização detalhada da configuração somente da interface selecionada. DATACOM 3

5 DmSwitch3000#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Remote discovery: Local event: event Remote event: event Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: Vendor: 00:04:DF Model: 17 Status do Protocolo OAM Topologia utilizada para mostrar o status das interfaces quando for desconectado o RX ou TX utilizando negociação ou sem negociação. Negociação habilitada Com negociação habilitada nas interfaces se for desconectado o RX,TX ou ambos o link irá ficar DOWN, devido a isto as interfaces dos dois switches irão ficar com estado unidirecional. show log ram tail Jan 1 19:27:02 DM3000 : <5> Interface Ethernet 1/25 changed state to down Jan 1 19:27:02 DM3000 : <4> Unidirectional link detected or link down on port 1/25, blocking show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: DATACOM 4

6 Destination address: IEEE Standard OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: Local discovery: Unknown Remote discovery: Local event: Link is down/unidirectional Remote event: event Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: t available show interfaces status ethernet 1/25 Information of Eth 1/25 Basic information: Port type: SFP MAC address: 00:04:DF:12:A4:16 Configuration: Name: Port admin: Up Speed-duplex: Auto Capabilities: 10M half, 10M full, 100M half, 100M full, 1000M full Flow-control: Disabled MDIX: Auto Slow Protocols MAC: Standard LACP: Disabled OAM: Loopback Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Link-Flap Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Current status: Link status: Down (BLOCKED) - Unidirectional Link show interfaces link Speed: (t-) 10Mbit/s, (h-) 100Mbit/s, (g-) 1Gbit/s, (x-) 10Gbit/s Duplex: (-h) Half, (-f) Full Blocked: (LF) Link-flap, (LB) Loopback, (UD) Unidirectional, (1X) 802.1X (BL) Backup-link Config.: (SD) Shutdown Unit SD SD UD Negociação desabilitada Com negociação desabilitada nas interfaces, a interface do switch que perder o RX irá ficar com link DOWN e estado Unidirecional e a interface do switch que perder o TX irá ficar com link UP e estado crítico critical event, nos dois casos as interfaces são bloqueadas para receber ou enviar somente PDUs do OAM. DATACOM 5

7 Equipamento que perdeu o RX DM3000-2#show log ram tail Mar 26 14:19:36 DM3000_106 : <5> Interface Ethernet 1/25 changed state to down Mar 26 14:19:36 DM3000_106 : <4> Unidirectional link detected or link down on port 1/25, blocking DM3000-2# show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: Local discovery: Remote discovery: Local event: Remote event: Remote link status: Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Variable retrieval: Peer information: IEEE Standard Unknown Link is down/unidirectional event OK Yes t available DM3000-2#show interfaces status ethernet 1/25 Information of Eth 1/25 Basic information: Port type: SFP MAC address: 00:04:DF:12:8A:42 Configuration: Name: Port admin: Up Speed-duplex: 1000M full Capabilities: 10M half, 10M full, 100M half, 100M full, 1000M full Flow-control: Disabled MDIX: Auto Slow Protocols MAC: Standard LACP: Disabled OAM: Loopback Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Link-Flap Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Current status: Link status: Down (BLOCKED) - Unidirectional Link DM3000-2# show interfaces link Speed: (t-) 10Mbit/s, (h-) 100Mbit/s, (g-) 1Gbit/s, (x-) 10Gbit/s Duplex: (-h) Half, (-f) Full Blocked: (LF) Link-flap, (LB) Loopback, (UD) Unidirectional, (1X) 802.1X (BL) Backup-link Config.: (SD) Shutdown Unit UD DATACOM 6

8 Equipamento que perdeu o TX DM3000-1#show log ram tail Jan 1 19:53:41 DM3000_106 : <4> OAM: critical event detected on port 1/25, blocking DM3000-1#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Unknown Remote discovery: Local event: Critical event Remote event: -- Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: t available DM3000-1#show interfaces status ethernet 1/25 Information of Eth 1/25 Basic information: Port type: SFP MAC address: 00:04:DF:12:A4:16 Configuration: Name: Port admin: Up Speed-duplex: 1000M full Capabilities: 10M half, 10M full, 100M half, 100M full, 1000M full Flow-control: Disabled MDIX: Auto Slow Protocols MAC: Standard LACP: Disabled OAM: Loopback Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Link-Flap Detection: - Unblock hysteresis: 30 sec Current status: Link status: Up (BLOCKED) - Critical Event Operation speed-duplex: 1000M full Flow control: Disabled MDIX: rmal DM3000-1#show interfaces link Speed: (t-) 10Mbit/s, (h-) 100Mbit/s, (g-) 1Gbit/s, (x-) 10Gbit/s Duplex: (-h) Half, (-f) Full Blocked: (LF) Link-flap, (LB) Loopback, (UD) Unidirectional, (1X) 802.1X (BL) Backup-link Config.: (SD) Shutdown DATACOM 7

9 Unit UD Tunelamento do OAM Exemplo de aplicação com OAM utilizando tunelamento através de uma nuvem para podermos conhecer o estado do link das interfaces dos switches das pontas. Configuração dos Switches DM DM3000-1#configure DM3000-1(config)#lldp DM3000-1(config)#interface vlan 100 DM3000-1(config-if-vlan-100)#set-member untagged ethernet 1/25 DM3000-1(config-if-vlan-100)#interface ethernet 1/25 DM3000-1(config-if-eth-1/25)#switchport native vlan 100 DM3000-1(config-if-eth-1/25)#oam DM3000-1(config-if-eth-1/25)#speed-duplex 1000full DM3000-1(config-if-eth-1/25)#no negotiation DM4004 DM4004#configure DM4004(config)#lldp DM4004(config)#interface vlan 200 DM4004(config-if-vlan-200)#set-member untagged ethernet range 2/1 2/2 DM4004(config-if-vlan-200)#interface ethernet range 2/1 2/2 DM4004(config-if-eth-2/1-to-2/2)#switchport native vlan 200 DM4004(config-if-eth-2/1-to-2/2)#interface ethernet 2/1 DM4004(config-if-eth-2/1)#l2protocol-tunnel oam DM4004(config-if-eth-2/1)#speed-duplex 1000full DM4004(config-if-eth-2/1)#no negotiation DATACOM 8

10 DM4001 DM4001#configure DM4001(config)#lldp DM4001(config)#interface vlan 200 DM4001(config-if-vlan-200)#set-member untagged ethernet range 1/1 1/2 DM4001(config-if-vlan-200)#interface ethernet range 1/1 1/2 DM4001(config-if-eth-1/1-to-1/2)#switchport native vlan 200 DM4001(config-if-eth-1/1-to-1/2)#interface ethernet 1/1 DM4001(config-if-eth-1/1)#l2protocol-tunnel oam DM4001(config-if-eth-1/1)#speed-duplex 1000full DM4001(config-if-eth-1/1)#no negotiation DM DM3000-2#configure DM3000-2(config)#lldp DM3000-2(config)#interface vlan 100 DM3000-2(config-if-vlan-100)#set-member untagged ethernet 1/25 DM3000-2(config-if-vlan-100)#interface ethernet 1/25 DM3000-2(config-if-eth-1/25)#switchport native vlan 100 DM3000-2(config-if-eth-1/25)#oam DM3000-1(config-if-eth-1/25)#speed-duplex 1000full DM3000-1(config-if-eth-1/25)#no negotiation Visualização da configuração do OAM Verificando nos Switches DM3000 que o OAM está completo. DM DM3000-1#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Remote discovery: Local event: event Remote event: event Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: Vendor: 00:04:DF Model: 17 DATACOM 9

11 DM DM3000-2# show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Remote discovery: Local event: event Remote event: event Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: Vendor: 00:04:DF Model: 19 Visualização da configuração do tunelamento Verificando se o tunelamento está habilitado no DM4004 e DM4001. DM4004 DM4004#show l2protocol-tunnel interface ethernet 2/1 Eth 2/1 CDP packets tunneling: Disabled STP packets tunneling: Disabled VTP packets tunneling: Disabled PVST packets tunneling: Disabled UDLD packets tunneling: Disabled PAgP packets tunneling: Disabled LACP packets tunneling: Disabled 802.1X packets tunneling: Disabled OAM packets tunneling: Marker packets tunneling: Disabled GVRP packets tunneling: Disabled DM4001 DM4001#show l2protocol-tunnel interface ethernet 1/1 Eth 1/1 CDP packets tunneling: Disabled STP packets tunneling: Disabled VTP packets tunneling: Disabled PVST packets tunneling: Disabled DATACOM 10

12 UDLD packets tunneling: Disabled PAgP packets tunneling: Disabled LACP packets tunneling: Disabled 802.1X packets tunneling: Disabled OAM packets tunneling: Marker packets tunneling: Disabled GVRP packets tunneling: Disabled Status do Protocolo OAM Status do protocolo na topologia com tunelamento quando for desconectado o RX ou TX utilizando negociação. Enlace DM DM4004 Perda do RX da interface 1/25 do DM e TX da interface 2/1 do DM4004 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Unidirectional Link UP Link UP Critical Event Perda do TX da interface 1/25 do DM e RX da interface 2/1 do DM4004 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Critical Event Link DOWN Link UP Critical Event Enlace DM DM4001 DATACOM 11

13 Perda do RX da interface 2/2 do DM4004 e TX da interface 1/2 do DM4001 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Critical Event Link DOWN Link UP Critical Event Perda do TX da interface 2/2 do DM4004 e RX da interface 1/2 do DM4001 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Critical Event Link UP Link DOWN Critical Event Enlace DM DM Perda do RX da interface 1/25 do DM e TX da interface 1/1 do DM4001 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Critical Event Link UP Link UP Unidirectional Perda do TX da interface 1/25 do DM e RX da interface 1/1 do DM4001 Switch DM DM4004 DM4001 DM Estado Critical Event Link UP Link DOWN Critical Event DATACOM 12

14 Aplicações Link unidirecional SDH Exemplo de utilização do protocolo OAM utilizando uma topologia com transporte SDH Synchronous digital hierarchy. Configuração dos Switches DM DM3000-1#configure DM3000-1(config)#lldp DM3000-1(config)#interface vlan 100 DM3000-1(config-if-vlan-100)#set-member untagged ethernet 1/25 DM3000-1(config-if-vlan-100)#interface ethernet 1/25 DM3000-1(config-if-eth-1/25)#switchport native vlan 100 DM3000-1(config-if-eth-1/25)#oam DM DM3000-2#configure DM3000-2(config)#lldp DM3000-2(config)#interface vlan 100 DM3000-2(config-if-vlan-100)#set-member untagged ethernet 1/25 DM3000-2(config-if-vlan-100)#interface ethernet 1/25 DM3000-2(config-if-eth-1/25)#switchport native vlan 100 DM3000-2(config-if-eth-1/25)#oam Verificar o neighbor do DM e 2 para verificar a existência de comunicação dos equipamentos passando pelo SDH. DM3000-1# show lldp neighbor LLDP Eth 1/25 Total neighbors = 1 Neighbor: Chassis ID (subtype 4): 00:04:DF:12:8A:29 DATACOM 13

15 Port ID (subtype 5): Port25 Port Description : Ethernet Port on unit 1, port:25 System Name : DM System Description : DmSwitch3224F2 System Capabilities Supported: bridge System Capabilities : bridge DM3000-2#show lldp neighbor LLDP Eth 1/25 Total neighbors = 1 Neighbor: Chassis ID (subtype 4): 00:04:DF:12:A3:FD Port ID (subtype 5): Port25 Port Description : Ethernet Port on unit 1, port:25 System Name : DM System Description : DmSwitch3324F2 System Capabilities Supported: bridge router System Capabilities : bridge Queda do link SDH Se houver uma queda do link SDH será logado na RAM/FLASH e Syslog se configurado uma mensagem de critical event detected e a interface 1/25 será bloqueada. DM DM3000-1# show log ram tail Mar 19 19:42:43 DM3000_106 : <4> OAM: critical event detected on port 1/25, blocking DM3000-1#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Unknown Remote discovery: Local event: Critical event Remote event: -- Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: DATACOM 14

16 DM Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: t available DM3000-2#show log ram tail Mar 19 19:42:44 DM3000_106 : <4> OAM: critical event detected on port 1/25, blocking DM3000-2#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Unknown Remote discovery: Local event: Critical event Remote event: -- Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: t available Restabelecimento do link SDH Quando for restabelecido o link SDH será logado na RAM/FLASH e Syslog se configurado uma mensagem de critical event recovered e a interface 1/25 será desbloqueada. DM DM3000-1#show log ram tail Mar 19 19:52:42 DM3000_106 : <4> OAM: critical event recovered on port 1/25, unblocking DM3000-1#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: Local discovery: Remote discovery: Local event: Remote event: Remote link status: IEEE Standard event event OK DATACOM 15

17 DM Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: Vendor: 00:04:DF Model: 17 DM3000-2#show log ram tail Mar 19 19:52:43 DM3000_106 : <4> OAM: critical event recovered on port 1/25, unblocking DM3000-2#show oam detail ethernet 1/25 Ethernet 1/25: OAM configuration: OAM Enable: Destination address: OAMPDU Interval (ms): 1000 OAMPDU Loss Limit: 5 OAM status: IEEE Standard Local discovery: Remote discovery: Local event: event Remote event: event Remote link status: OK Negotiated Capabilities: Link events: Remote loopback: Unidirectional support: Yes Variable retrieval: Peer information: Vendor: 00:04:DF Model: 19 DATACOM 16

18 Anel EAPS Dada a topologia abaixo: O anel EAPS está inicialmente completo. O switch master do anel EAPS emite Bridge Protocol Data Unit BPDUs pela sua porta primária apenas; a porta secundária recebe as BPDUs emitidas pela primária, e este recebimento assegura que o anel está Completo. Quando o canal TX1 é rompido, o master para de receber as BPDUs na porta secundária. Ocorre então o chaveamento no master, no qual a porta secundária é desbloqueada. Com o rompimento, não ocorre queda de link entre os elementos T2 e T3 do anel, e os caminhos de RX continuam funcionais entre estes elementos. O anel agora encontra-se na seguinte situação: ambas as portas do master estão desbloqueadas; o tráfego de dados no anel está bloqueado no sentido horário mas debloqueado no sentido anti-horário. Como solução, poderia-se provisionar os links entre os elementos com EFM. O OAM atua como heart-beat no link, bloqueando o mesmo caso seja interrompida a passagem de dados entre os elementos. A grande vantagem é não usar como critério apenas o estado UP do link para dizer que o mesmo está OK. DATACOM 17

19 Links de rádio Dada a topologia abaixo: Na topologia, existem dois switches ligados por dois canais de comunicação redundantes; estes canais de comunicação são dois links de rádio. Caso seja rompida a comunicação entre as WANs de um dos links de rádio, esta mudança não será propagada para as LANs, fazendo com que os switches não detectem a queda no link. Como efeito disso, a convergência de alguns protocolos L3 é afetada, pois o VLAN link detect não atuará. Os tempos de convergência podem chegar a 40s para OSPF, 5 minutos para BGP, pois estes são os tempos de timeout destes protocolos. caso de rotas estáticas a convergência não irá ocorrer jamais. Caso os dois links estejam provisionados com backup-link, a proteção de link não ocorrerá. Provisionado os links entre os elementos com EFM, a porta será bloqueada assim que o OAM detectar que a passagem de dados foi interrompida. Após isso, o VLAN link detect forcará o início da reconvergência dos protocolos L3; no caso do Backup-link, o chaveamento ocorrá corretamente. DATACOM 18

20 Rede com Spanning-Tree Dada a topologia abaixo: Na figura, o link entre D e C está bloqueado pelo STP. Ocorrendo interrupção na passagem de BPDUs de STP entre os elementos A e B sem que haja queda no link (link de rádio, SDH, por exemplo), os elementos B, D e ficarão isolados na topologia até que ocorra o timeout do protocolo. Este timeout pode ser de até 30 segundos. Provisionando todos os links com EFM, a interrupção poderia ser detectada em até 300ms, equivalendo a 3 heart-beats do protocolo EFM com intervalo de 100ms. DATACOM 19

Application Notes: VRRP. Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch

Application Notes: VRRP. Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch Application Notes: VRRP Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch Parecer Introdução Desenvolvimento inicial Setup básico Setup com roteamento dinâmico Explorando possibilidades

Leia mais

Mensagens de SYSLOG. Linha DmSwitch. Descrição simplificada das mensagens disponíveis

Mensagens de SYSLOG. Linha DmSwitch. Descrição simplificada das mensagens disponíveis Mensagens de SYSLOG Linha DmSwitch Descrição simplificada das mensagens disponíveis Informações adicionais podem ser obtidas através do setor de Suporte DATACOM (suporte@datacom.ind.br ou telefone 51 3358

Leia mais

Software EMS Manual do usuário. CTS2780

Software EMS Manual do usuário. CTS2780 Software EMS Manual do usuário. CTS2780 V2-11/07/2014 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 GERENCIAMENTO DO OLT CTS2780... 4 1. ADICIONANDO A OLT NO EMS... 4 2. GERENCIAMENTO DO CHASSI... 7 2.1. Device Information...

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Spanning Tree Protocol O STP é executado em bridges e switches compatíveis com 802.1D. O STP foi projetado para contornar os problemas de bridging em redes redundantes. O objetivo

Leia mais

Compatibilidade de Firmwares do DM810 Versões de Firmware e Funcionalidades. Características das Versões de Firmwares

Compatibilidade de Firmwares do DM810 Versões de Firmware e Funcionalidades. Características das Versões de Firmwares Compatibilidade de s do Versões de e Funcionalidades Características das Versões de s Versão Release Arquivo 09/02/2015 0434-16.im 4.2 06/10/2014 0434-15.im 10/05/2013 0434-13.im 23/10/2012 0434-12.im

Leia mais

VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial)

VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial) VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Virtual LANs (VLANs) No primeiro trabalho laboratorial foi configurada uma única

Leia mais

Application Notes: OAM - CFM. Connectivity Fault Management

Application Notes: OAM - CFM. Connectivity Fault Management Application tes: OAM - CFM Connectivity Fault Management Application tes: OAM - CFM Connectivity Fault Management. Data 28/04/2010, Revisão 1.17 Parecer Introdução Conceitos Maintenance Domain Maintenance

Leia mais

Spanning Tree Protocol: Evoluções

Spanning Tree Protocol: Evoluções Spanning Tree Protocol: Evoluções Fast Switching PVST Per VLAN Spanning Tree (Cisco) PVST+ Per VLAN Spanning Tree plus (Cisco) MSTP Multiple Spanning Tree Protocol - IEEE 802.1s RSTP Rapid Spanning Tree

Leia mais

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay. Data 29/10/2009 Parecer Introdução Desenvolvimento Funcionamento do DHCP Funcionamento

Leia mais

Application Notes: OSPF. Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 OSPF

Application Notes: OSPF. Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 OSPF Application Notes: OSPF Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 OSPF Application Notes: OSPF Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 OSPF. Data 07/05/2010, Revisão 1.2 Parecer Introdução

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

7.5 Redes Locais Novas Tecnologias em LANs. Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados

7.5 Redes Locais Novas Tecnologias em LANs. Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados 7.5 Redes Locais Novas Tecnologias em LANs Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados Sumário: Novas Técnicas aplicadas na Ethernet Full-duplex na Ethernet Controlo de

Leia mais

Application Notes: SNMP. Configuração do protocolo SNMP

Application Notes: SNMP. Configuração do protocolo SNMP Application Notes: SNMP Configuração do protocolo SNMP Application Notes: SNMP Configuração do protocolo SNMP. Data 10/05/2010, Revisão 1.1 Introdução Desenvolvimento Configurando o Protocolo SNMP Traps

Leia mais

Application Notes: QoS Básico. Exemplo para aplicação de QoS

Application Notes: QoS Básico. Exemplo para aplicação de QoS Application Notes: QoS Básico Exemplo para aplicação de QoS Application Notes: QoS Básico Exemplo para aplicação de QoS. Data 15/03/2010, Revisão 1.2 Introdução Topologia e configurações do DmSwitch Aplicação

Leia mais

Capítulo 4 - Aprendendo sobre Outros Dispositivos

Capítulo 4 - Aprendendo sobre Outros Dispositivos CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 4 - Aprendendo sobre Outros Dispositivos 1 Objetivos do Capítulo Aprender a ativar e desativar o CDP; Usar o comando show cdp neighbors; Determinar

Leia mais

DMVIEW 7.6 MANUAL DE GERÊNCIA METRO ETHERNET. 204.0221.12 rev. 12 08/08/12

DMVIEW 7.6 MANUAL DE GERÊNCIA METRO ETHERNET. 204.0221.12 rev. 12 08/08/12 DMVIEW 7.6 MANUAL DE GERÊNCIA METRO ETHERNET 204.0221.12 rev. 12 08/08/12 204.0221.12 - DmView - Manual de Gerencia Metro Ethernet.doc - Página 1 de 149 GARANTIA Sistema de Gestão da Qualidade certificado

Leia mais

Guia de Laboratório de Redes Switches: Spanning Tree e VLANs

Guia de Laboratório de Redes Switches: Spanning Tree e VLANs Guia de Laboratório de Redes Switches: Spanning Tree e VLANs 1 Introdução Este trabalho tem como objectivo familiarizar os alunos com os switches e respectivos protocolos. Com este intuito são apresentadas

Leia mais

Application Notes: Proteção da CPU e Gerência do DmSwitch. Uso das proteções para evitar alto consumo de CPU e memória, bem como acessos à gerência

Application Notes: Proteção da CPU e Gerência do DmSwitch. Uso das proteções para evitar alto consumo de CPU e memória, bem como acessos à gerência Application Notes: Proteção da CPU e Gerência do DmSwitch Uso das proteções para evitar alto consumo de CPU e memória, bem como acessos à gerência Application Notes: Proteção da CPU e Gerência do DmSwitch

Leia mais

Interconexão redes locais (LANs)

Interconexão redes locais (LANs) Interconexão redes locais (LANs) Descrever o método de funcionamento dos dispositivos bridge e switch, desenvolver os conceitos básicos de LANs intermediárias, do uso do protocolo STP e VLANs. Com o método

Leia mais

Encaminhamento exterior BGP-4

Encaminhamento exterior BGP-4 Encaminhamento exterior BGP-4 (quarto trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Encaminhamento interior OSPF

Encaminhamento interior OSPF Encaminhamento interior OSPF (terceiro trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral

Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral Link Aggregation IEEE 802.3ad Uma Visão Geral Marcelo Fernandes Systems Engineer Dezembro, 2013 Introdução Link Aggregation (LA): Combinação de múltiplos enlaces físicos funcionando como um único enlace

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

Acesso Ethernet com Hubs

Acesso Ethernet com Hubs Acesso Ethernet com Hubs O dado é enviado de um por vez Cada nó trafega a 10 Mbps Acesso Ethernet com Bridges Bridges são mais inteligentes que os hubs Bridges reuni os quadros entre dois segmentos de

Leia mais

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO - Apresentação da DATACOM - Soluções para Acesso - ADSL/VDSL - GPON - Metro Ethernet - Soluções para Distribuição (Transporte) - Soluções

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

LANs, VLANs e redes IP. Laboratório I 321 bancada de trabalho

LANs, VLANs e redes IP. Laboratório I 321 bancada de trabalho 1 LANs, VLANs e redes IP (2º trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Computadores MIEEC 2010/11 José Ruela Laboratório I 321 bancada de trabalho 2 Bancada de trabalho (lab I 321) equipamento 3 Existem

Leia mais

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts CTRA C U R S O SUPERIOR EM REDES E AMBIENTES OPERACIONAIS CAR Componentes Ativos de Rede Prof.: Roberto J.L. Mendonça PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR 1. De acordo com a figura abaixo determine os endereços

Leia mais

Elemento central da rede par trançado Camada física do modelo OSI Cascateamento de hubs

Elemento central da rede par trançado Camada física do modelo OSI Cascateamento de hubs Elemento central da rede par trançado Camada física do modelo OSI Cascateamento de hubs Porta UTP Regra 5-4-3 (em desuso) Porta UTP específica Hubs são enxergados como um único equipamento (geralmente

Leia mais

Application Notes: VLAN-Translate & QinQ. Utilização e exemplos de aplicação

Application Notes: VLAN-Translate & QinQ. Utilização e exemplos de aplicação Application Notes: VLAN-Translate & QinQ Utilização e exemplos de aplicação Application Notes: VLAN-Translate & QinQ Utilização e exemplos de aplicação. Data 17/06/2010, Revisão 1.2 Parecer Introdução

Leia mais

Ao escolher os protocolos nesta fase do projeto, você terá subsídio para listar as características funcionais dos dispositivos a ser adquiridos

Ao escolher os protocolos nesta fase do projeto, você terá subsídio para listar as características funcionais dos dispositivos a ser adquiridos Seleção de Protocolos de Switching e Roteamento Protocolos de switching/roteamento diferem quanto a: Características de tráfego gerado Uso de CPU, memória e banda passante O número máximo de roteadores

Leia mais

Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga

Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga Agregação de enlace ethernet e balanceamento de carga Sobre LAG na terminologia ethernet: Agregação de enlace (link aggregation), balanceamento de carga (load balancing), ligação de enlace (link bonding)

Leia mais

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch LAB-VLANs 1 VLANs and IP networks Manuel P. Ricardo João Neves Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto LAB-VLANs 2 1. Computadores ligados ao Switch Bancada x, computador y Computadores gnuxy

Leia mais

REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM

REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM REDES MPLS BGP PROFESSOR: MARCOS A. A. GONDIM Roteiro Introdução ao BGP Sistema Autonômo Fundamentos do BGP Sessão BGP Cabeçalho BGP Mensagem BGP Tabelas BGP Estados do BGP Border Gateway Protocol (BGP)

Leia mais

Trabalho de VLANs e Redes IP

Trabalho de VLANs e Redes IP Trabalho de VLANs e Redes IP FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2008/09 José Ruela Bancada de trabalho Configuração inicial Inicialmente todos os computadores gnuxy devem estar configurados na mesma

Leia mais

DmSwitch 3000 Series maio de 2015

DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Metro Ethernet Series A linha de produtos DmSwitch 3000 oferece soluções confiáveis de alto desempenho para ambientes Metro Ethernet LAN e Redes Corporativas.

Leia mais

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Laboratório de Redes de Computadores 2 8 o experimento Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Introdução A interligação de

Leia mais

LICENCIATURA EM ENG. DE SISTEMAS E INFORMÁTICA Redes e Serviços de Banda Larga. Laboratório 4. OSPF Backbone

LICENCIATURA EM ENG. DE SISTEMAS E INFORMÁTICA Redes e Serviços de Banda Larga. Laboratório 4. OSPF Backbone Laboratório 4 OSPF Backbone Equipamento necessário: Três OmniSwitches Objectivo: Este laboratório tem como objectivo familiarizar os alunos com as configurações RIP em comutadores OmniSwitch. Sintaxe dos

Leia mais

Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes.

Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes. Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes. Nome do Aluno: Anderson Rauber da Silva Daniel Devegili Descrição da Contribuição: Anderson Rauber da Silva: Introdução

Leia mais

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco Instituto Federal do Ceará IFCE Campus de Canindé Prof. DSc. Rodrigo Costa - rodrigo.costa@ifce.edu.br Introdução à Tecnologia Cisco Definições Básicas Mercado em Redes Componentes Básicos Funcionamento

Leia mais

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Laboratório de IER 7 o experimento Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Introdução LANs Ethernet (padrão IEEE 802.3 e extensões) atualmente são construídas com switches

Leia mais

Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server)

Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server) Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server) Topologia DFL-210 Porta 1 com Vlan Default. Todas as portas estão c/ o VID da Vlan Default Tagged (Port Trunk) DGS-3024 Porta 2 à 8, correspondem

Leia mais

Guia Básico para Configuração de Switches

Guia Básico para Configuração de Switches RD Press Guia Básico para Configuração de Switches Alta Disponibilidade Switches 3Com, H3C e HPN Serie-A Diego Dias R D PR E S S Guia Básico para Configuração de Switches Alta Disponibilidade RD Press

Leia mais

Application Notes: DmSwitch AAA. Uso do TACACS

Application Notes: DmSwitch AAA. Uso do TACACS Application Notes: DmSwitch AAA Uso do TACACS Application Notes: DmSwitch AAA Uso do TACACS. Data 11/06/2010, Revisão 1.0 1. Introdução 2. Instalação do tacplus 2.1. Instalação do tacplus 2.1.1. Atualizar

Leia mais

Configuração de redes no Gnu/Linux

Configuração de redes no Gnu/Linux Configuração de redes no Gnu/Linux Comando ifconfig: É utilizado basicamente para configurar o ip, a mascara de rede e outras opções de placas de rede. Rodado sem opções ele retorna todas as placas de

Leia mais

RCO2. Redes Locais (LANs): Arquitetura IEEE 802

RCO2. Redes Locais (LANs): Arquitetura IEEE 802 RCO2 Redes Locais (LANs): 1 Conjunto de padrões no escopo das camadas de enlace e física 2 Exemplos de padrões partes da arquitetura IEEE 802: 3 Alguns padrões da família IEEE 802: 802.2 LLC 802.3 Equivalente

Leia mais

Application Notes: BGP. Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 BGP

Application Notes: BGP. Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 BGP Application Notes: BGP Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 BGP Application Notes: BGP Treinamento sobre o protocolo de roteamento L3 BGP. Data 07/05/2010, Revisão 1.3 Parecer Introdução Sistemas

Leia mais

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco 2014/1 Roteiro de Aula Correção Exercícios Aula Anterior O que é o Roteador? Componentes

Leia mais

Conectando à malha multicast da RNP

Conectando à malha multicast da RNP Conectando à malha multicast da RNP Laboratório - SCI 2003 Raniery Pontes Outubro 2003 2003 RNP SCI 2003 Laboratório multicast Objetivo Demonstrar os mecanismos para conexão de clientes acadêmicos à malha

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão Objetivos S1 VLAN 1 192.168.1.2

Leia mais

VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL

VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL VLAN Trunking Protocol O VLAN Trunking Protocol (VTP) foi criado pela Cisco (proprietário) para resolver problemas operacionais em uma rede comutada com VLANs. Só deve ser utilizado

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

Exemplo de configuração do Catalyst Switched Port Analyzer (PERÍODO) Índice

Exemplo de configuração do Catalyst Switched Port Analyzer (PERÍODO) Índice Exemplo de configuração do Catalyst Switched Port Analyzer (PERÍODO) Índice Introdução Pré-requisitos Catalyst Switches que Suportam SPAN, RSPAN e ERSPAN Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações

Leia mais

Configuração de VLANS em ambientes CISCO

Configuração de VLANS em ambientes CISCO Configuração de VLANS em ambientes CISCO Vanderlei Lemke Kruger, André Moraes 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATEC - Senac) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro Curso Superior de Tecnologia em Redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Pontes. Aula 14. VLANs. Pontes (bridges) Virtual LANs (VLANs) 2005-2006

Pontes. Aula 14. VLANs. Pontes (bridges) Virtual LANs (VLANs) 2005-2006 Aula 14 (bridges) Virtual LANs () FCUL 2005-2006 Nível 1/2 vs nível 3 A interligação de redes é, de acordo com os modelos OSI ou TCP/IP, feita no nível 3. Vantagens da interligação nível 3 Genérica, pois

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I Aula 03 Configuração Básica Cisco IOS Prof: Jéferson Mendonça de Limas O que é um Roteador? O roteador é composto de: CPU (Processador) RAM ROM Sistema

Leia mais

DATACOM. Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD. Documento Público Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD Página 1 de 45

DATACOM. Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD. Documento Público Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD Página 1 de 45 DATACOM Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD Documento Público Manual CESoP DmSwitch 2104 EDD Página 1 de 45 Sumário 1 Introdução ao Serviço de Emulação de Circuitos sobre Pacotes (CESoP)...4 1.1 TDM... 4 1.2

Leia mais

4 Equipamentos de interligação de redes

4 Equipamentos de interligação de redes Capítulo 4 4 Equipamentos de interligação de redes 1 Equipamentos Equipamentos passivos: cabos, conectores, distribuidores, Equipamentos informáticos: PC s e servidores Equipamentos activos: repetidores,

Leia mais

Balanceamento de carga em GNU/Linux

Balanceamento de carga em GNU/Linux Balanceamento de carga em GNU/Linux O que temos e o que falta? Fernanda G Weiden Google's mission To organize the world s information and make it universally accessible and useful Introdução Serviço no

Leia mais

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015

Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 Aditamento nº 01 Pregão Eletrônico nº 15/01526 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Aquisição de Ativos de Rede. Data: 04/05/2015 1. Por meio deste aditamento, inserimos o Anexo I Especificações Técnicas.

Leia mais

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR.

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. Neste senário temos um roteador de internet que vai ser nosso gateway do MK1,

Leia mais

BGP no Bloqueio de DoS Flood

BGP no Bloqueio de DoS Flood BGP no Bloqueio de DoS Flood Eduardo Ascenço Reis GTER18 BGP no Bloqueio de DoS Flood ear 04 Out 2004 1/41 Agenda Definição

Leia mais

Cisco Networking Academy Program. Spanning Tree Protocol

Cisco Networking Academy Program. Spanning Tree Protocol Caminhos redundantes e nenhum Spanning Tree. Então, qual é o problema? Portas 10BaseT (12) Hub Portas 10BaseT (12) 0 0-9 0-2 7-7 6-5 D - F E 0 0-9 0-2 7-7 6-9 6-9 3 Host PC2 SW_A Host PC1 SW_B Portas 100BaseT

Leia mais

Redes de Computadores Laboratório 2. Estabelecimento de enlaces ponto-a-ponto

Redes de Computadores Laboratório 2. Estabelecimento de enlaces ponto-a-ponto Redes de Computadores Laboratório 2 Estabelecimento de enlaces ponto-a-ponto Objetivos: i) Criar enlace PPP entre roteadores ii) Criar enlace HDLC entre roteadores iii) Comparar a vazão (throughput) desses

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I AULA 07 Roteamento Dinâmico / Protocolo RIP Prof: Jéferson Mendonça de Limas Protocolos de Roteamento Dinâmico Em 1969 a ARPANET utilizava-se de algoritmos

Leia mais

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br UNIP rffelix70@yahoo.com.br Introdução Protocolo OSPF O protocolo OSPF é um protocolo de roteamento link-state (estado de enlace). A idéia por trás de roteamento link-state é simples e pode ser apresentada

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Locais Virtuais - VLANs Paulo Coelho 005 Versão 1.0 1 Segmentação de LANs As redes são normalmente segmentadas de modo a reflectir a estrutura administrativa da empresa aumentar

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES. VIRTUAL LANs & VTP

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES. VIRTUAL LANs & VTP GESTÃO DE SISTEMAS E REDES VIRTUAL LANs & VTP OUTLINE VIRTUAL LAN IEEE802.1Q FORMATO DA FRAME ENCAMINHAMENTO DE FRAMES INTERNETWORKING VLAN TRUNKING PROTOCOL DOMÍNIOS MODOS ANÚNCIOS PRUNING VTP- CDP IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

Switch>: User mode Limitado a comandos básicos de monitoramento.

Switch>: User mode Limitado a comandos básicos de monitoramento. Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Laboratório de Redes I Professor Eduardo Maroñas Monks Resumo de Comandos Cisco IOS (Switch 2960) versão 1b Modos

Leia mais

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX

ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX ANEXO 5 AO CONTRATO DE INTERCONEXÃO DE REDES CLASSE V ENTRE SAMM E XXX NºXXX PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS, PROCEDIMENTOS DE TESTES E PARÂMETROS DE QUALIDADE 1. PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1.1 As Partes observarão

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas

Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas Multilink PPP em roteadores back-to-back com interfaces seriais múltiplas Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Produtos Relacionados Convenções Configurar Diagrama de Rede

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Antes de começar a configurar o seu switch, você deve estabelecer suas conexões. Existem dois tipos de conexões: através da porta de console e através da porta Ethernet. A porta

Leia mais

Equipamentos de Interconexão

Equipamentos de Interconexão Equipamentos de Interconexão Hubs, Pontes e Switches Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br Interconexão de Redes Repetidor Um repetidor ( repeater ) é um dispositivo

Leia mais

Sumário 1 Introdução... 1 2 O Modelo OSI... 13 3 Switching e VLANs... 53

Sumário 1 Introdução... 1 2 O Modelo OSI... 13 3 Switching e VLANs... 53 Sumário 1 Introdução... 1 1.1 Um Resumo da História da Cisco Systems... 1 1.2 Sobre a Certificação Cisco Certified Network Associate CCNA... 2 1.2.1 Por que Tornar-se um CCNA?... 3 1.2.2 Perguntas Freqüentes...

Leia mais

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Nome: Guilherme M. Ramires Analista de Sistemas Pós-Graduado em Tecnologia e Gerenciamento de Redes de Computadores CEO

Leia mais

XI Seminário Técnico de Proteção e Controle 18 a 21 de novembro de 2012 Florianópolis Santa Catarina Brasil

XI Seminário Técnico de Proteção e Controle 18 a 21 de novembro de 2012 Florianópolis Santa Catarina Brasil Topologias de rede ethernet tipo anel para grandes sistemas elétricos baseados na norma IEC61850 Paulo Antunes Souza Jr Newton de Carvalho Fernandez Gilberto Morgado Siemens I&C SG EA Baumier Siemens I&C

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação A camada de enlace, cujo protocolo é utilizado para transportar um datagrama por um enlace individual, define o formato dos pacotes trocados entre os nós nas extremidades, bem como

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados

1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados 1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados VLANS - Virtual LANs Objectivo Criação de redes locais virtuais sobre uma rede local física composta por um ou mais equipamentos

Leia mais

Procedimentos para configuração de Filters

Procedimentos para configuração de Filters 1 Procedimentos para configuração de Filters 1- Para realizar o procedimento de configuração de Filters, acesse agora a página de configuração do Roteador. Abra o Internet Explorer e digite na barra de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES. Elementos da rede (Repetidor, hub, bridge, switch, router) Spanning Tree Protocol UALG/FCT/DEEI 2005/2006

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES. Elementos da rede (Repetidor, hub, bridge, switch, router) Spanning Tree Protocol UALG/FCT/DEEI 2005/2006 ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES Elementos da rede (Repetidor, hub, bridge, switch, router) Spanning Tree Protocol Engª de Sistemas e Informática Licenciatura em Informática UALG/FCT/DEEI 2005/2006

Leia mais

Laboratório 3.5.1: Configuração de VLAN básica

Laboratório 3.5.1: Configuração de VLAN básica Diagrama de topologia Tabela de endereçamento Dispositivo (Nome do host) Interface Endereço IP Máscara de sub-rede Gateway padrão S1 VLAN 99 172.17.99.11 255.255.255.0 N/A S2 VLAN 99 172.17.99.12 255.255.255.0

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Laboratório Configuração de um túnel ponto a ponto VPN GRE

Laboratório Configuração de um túnel ponto a ponto VPN GRE Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão OESTE G0/1 172.16.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 (DCE) 10.1.1.1 255.255.255.252 N/A Tunnel0 172.16.12.1

Leia mais

LD302 - AssetView IHM

LD302 - AssetView IHM MANUAL DO USUÁRIO LD302 - AssetView IHM AssetView IHM A S V L D 3 0 2 M P www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas dos endereços

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

Fluxograma de Solução de Problemas de PPP

Fluxograma de Solução de Problemas de PPP Fluxograma de Solução de Problemas de PPP Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Terminologia Fluxogramas de Solução de Problemas Fase do Protocolo de Controle

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste exercício deve conseguir completar as seguintes

Leia mais

Packet Tracer 4.0: Overview Session. Conceitos e práticas

Packet Tracer 4.0: Overview Session. Conceitos e práticas Packet Tracer 4.0: Overview Session Conceitos e práticas Processo de Flooding ou Inundação envia informações por todas as portas, exceto aquela em que as informações foram recebidas; Cada roteador link-state

Leia mais

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva Prof. Marcel Santos Silva Embora os roteadores possam ser usados para segmentar os dispositivos de LAN, seu principal uso é como dispositivos de WAN. Os roteadores têm interfaces de LAN e WAN. As tecnologias

Leia mais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais http://www.waltercunha.com Bibliografia* Redes de Computadores - Andrew S. Tanenbaum Editora: Campus. Ano: 2003 Edição: 4 ou 5 http://www.submarino.com.br/produto/1/56122?franq=271796

Leia mais

Cisco Packet Tracer 5.3

Cisco Packet Tracer 5.3 Cisco Packet Tracer 5.3 www.rsobr.weebly.com O PT 5.3 (Packet Tracer) permite criar ambientes de redes LANs e WANs e além disso simular também, permitindo realizar diversas situações como por exemplo:

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Exercício Prático: Conexão Router 1841 Fa0/0 192.168.1.1 255.255.255.0 Switch (PRINCIPAL) Fa0/1 trunk ------ Router (EMPRESA

Exercício Prático: Conexão Router 1841 Fa0/0 192.168.1.1 255.255.255.0 Switch (PRINCIPAL) Fa0/1 trunk ------ Router (EMPRESA UNISUL UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIDADE DIBI MUSSI DISCIPLINA/UA REDE DE COMPUTADORES PROFª ANA LÚCIA R. WIGGERS Exercício Prático: Fa 0/0 IP 192.168.1.1/24 Dispositivo

Leia mais