V.2 Dispositivos de Interacção

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "V.2 Dispositivos de Interacção"

Transcrição

1 Melhor e Pior? V Documentação e Dispositivos V.2 Dispositivos de Interacção HCI, Cap.2 (pags ), Alan Dix V.2 Dispositivos de Interacção 2 Resumo Aula Anterior! Importância, características e guia de estilos dos manuais! Manuais convencionais! Princípios e guias para manuais! Ajudas Interactivas Sumário! Dispositivos de Entrada de Dados!Texto!Teclados, Escrita à mão, Fala!Coordenadas!Ratos e derivados!tabletes!3d!novos dispositivos V.2 Dispositivos de Interacção 3 V.2 Dispositivos de Interacção 4 O Computador! Composto por vários elementos! Cada um destes elementos afecta a interacção! Dispositivos de Entrada Introdução de texto e apontar! Dispositivos de Saída Ecrãs (grandes e pequenos), papel digital! Realidade Virtual Interacção e ecrãs especiais! Interacção Física e.g. Som, tacto, etc.! Papel Como saída (impressão) e entrada (scanner)! Memória RAM & permanente, capacidade e acesso! Processamento Velocidade de processamento, rede V.2 Dispositivos de Interacção 5 Um Sistema Computacional Típico! Ecrã+janelas! Teclado! Rato! Variações! Desktop! Laptop! PDA! Os dispositivos ditam os estilos de interacção que os sistemas suportam! Dispositivos diferentes, suportarão diferentes estilos de Interacção V.2 Dispositivos de Interacção 6 1

2 Dispositivos de Entrada de Dados!Introdução de Texto!Introdução de Coordenadas!Unidades Complexas!Novos Dispositivos Dispositivos de Introdução de Texto! Teclados (normais)! Teclados de acordes! Teclados de telefones! Escrita à mão! Fala V.2 Dispositivos de Interacção 7 V.2 Dispositivos de Interacção 8 Teclados! Dispositivo mais comum para introduzir texto! Permite introdução rápida de texto (utilizadores experientes)! Carregar uma tecla fecha uma ligação, gerando um código de caracter! Ligados por cabo ou wireless V.2 Dispositivos de Interacção 9 Ergonomia do Teclado! Forma da Tecla! Distância entre Teclas! Pressão mínima necessária! Movimento da tecla para a premir! Posição das teclas "importantes"! Tamanho!... V.2 Dispositivos de Interacção 10 Tipos de Teclados! Diferem na disposição das teclas!qwerty!alfabético!dvorak!acordes (teclas de "piano")!(azerty / HCESAR) Teclado QWERTY! Origem nas máquinas de escrever! Desenvolvido por C. Latham Sholes (US Pat 1878)! Só letras e dígitos em posições fixas! Combinações de letras em posições afastadas (restrições tecnológicas)! Teclado mais usado V.2 Dispositivos de Interacção 11 V.2 Dispositivos de Interacção 12 2

3 Teclado QWERTY (US Pat 1878) Teclado Alfabético! Teclado lento para profissionais!... e para principiantes! Nicho de mercado nos organizadores pessoais! Não apresentam vantagens V.2 Dispositivos de Interacção 13 V.2 Dispositivos de Interacção 14 Teclado DVORAK Disposição do Teclado DVORAK! Optimizar a velocidade através de:! 56% do número de acções efectuadas pela mão direita;! combinação de teclas accionadas em alternância pela mão esquerda e direita;! teclas mais usadas localizadas na fila central do teclado;! minimizar o nº de acções efectuadas com dedos fracos.! Resultados:! melhoria da velocidade em 10%-15% (estudos dos autores)! diminuição da fadiga. (menor distância, melhor ergonomia)! Mas! melhorias não foram suficientes! Estudos não conclusivos! lobby do QWERTY não quer mudar!! V.2 Dispositivos de Interacção 15 V.2 Dispositivos de Interacção 16 Teclado de Acordes Exemplos! Letras produzidas por combinações de uma ou mais teclas (como acordes num piano)! Tipicamente têm entre 5 a 8 teclas! Vantagens:! compacto; operável com uma mão! fácil de aprender (poucas horas)! melhoria significativa da velocidade! Nicho de mercado - Wearables! Inconvenientes:! Resistência social! Fadiga. V.2 Dispositivos de Interacção 17 V.2 Dispositivos de Interacção 18 3

4 Relação entre Velocidades + Rápido - Por acordes + Lentos!QWERTY, Alfabético, DVORAK!Estudos não apresentam vantagens claras entre os vários desenhos!velocidade +- semelhante!para utilizadores experientes arranjo parece ser irrelevante (Dvorak 5% + rápido que QWERTY) V.2 Dispositivos de Interacção 19 Teclado Telefones! Teclas numéricas com multiplos clicks 2 a b c 6 - m n o 3 - d e f 7 - p q r s 4 - g h i 8 - t u v 5 - j k l 9 - w x y z! hello = [pausa]555666! Surpreendentemente rápido!! T9 ( adivinha palavra)! Uma tecla corresponde a uma letra! Usa dicionário para adivinhar a palavra correcta! hello = 43556! No entanto existem ambiguidades: 72 -> pa, ra, sa?? V.2 Dispositivos de Interacção 20 Teclados Especiais Teclado Laser! Teclado para uma mão (Esq.)! Teclado vertical (Dir.)! Procuram reduzir o RSI (Repetitive Strain Injuries)* * Occur from repeated physical movements doing damage to tendons, nerves, muscles, and other soft body tissues. V.2 Dispositivos de Interacção 21 V.2 Dispositivos de Interacção 22 Teclado com Display Teclados para Jogos (WoW) V.2 Dispositivos de Interacção 23 V.2 Dispositivos de Interacção 24 4

5 Reconhecimento Caligráfico! Algoritmos pouco eficientes! reconhecimento de gestos/caracteres! aprendizagem dos movimentos a efectuar (Palm)! introdução de notas (pouca informação)! Vantagens:! Escrita sobre o ecrã (feedback directo)! Utilização de gestos para outros fins (edição, desenho).! Inconveniente:! Ocorrência de erros -> necessidade de edição! Mais lento que teclado (50%) Base de uma nova geração de equipamentos informáticos - PDAs, SmartPhones V.2 Dispositivos de Interacção 25 Reconhecimento de Fala! Área promissora... vai para alguns anos :-(! Limitações:! 97% de sucesso, mas é um erro em cada 30 palavras! Melhora para vocabulários limitados! Ruído ambiente! Diferentes utilizadores! Dificuldade em efectuar correcções.! Nichos de mercado:! acesso a informação por telefone (pergunta / resposta fechada, menus activados por fala);! pessoas com deficiências ou tarefas com mãos ocupadas. V.2 Dispositivos de Interacção 26 Dispositivos Introdução de Coordenadas! Rato! Trackball! Joystick! Ecrãs sensíveis ao toque! Tabletes digitalizadoras! Canetas ópticas! Touch pad Rato! Desenvolvido em 1964 por Douglas Engelbart:! 2 rodas que fornecem coordenadas xy relativas;! estrutura em madeira;! permitia movimentos só em x ou em y (funcionalidade não suportada actualmente).! Evoluções:! Uso de bola; ratos ópticos; tecla de desenrolamento (scrolling). V.2 Dispositivos de Interacção 27 V.2 Dispositivos de Interacção 28 Trackball e Joystick! Para pessoas com necessidades especiais e não só EasyBall! Crianças (2 a 6 anos)! Diâmetro: 10 cm! 1 único botão V.2 Dispositivos de Interacção 29 V.2 Dispositivos de Interacção 30 5

6 Interruptores! Teclas virtuais no ecrã! O utilizador carrega quando a tecla que pretende está realçada Ecrãs Sensíveis ao Toque! Funcionamento:! matriz de feixes luminosos! alteração da capacitância! reflexões acústicas! Vantagens:! Rápido! Bom p/ menus! Problemas:! Calibração;! Pouca definição (dimensão do dedo); V.2 Dispositivos de Interacção 31 V.2 Dispositivos de Interacção 32 Tablet PCs, Digitalizadoras Overlays V.2 Dispositivos de Interacção 33 V.2 Dispositivos de Interacção 34 Unidades Localizadoras - Classificação! Introdução de Coordenadas!Absolutas vs Relativas! Controlo do Cursor!Directas vs Indirectas Introdução de Coordenadas Absoluta: Tablete Ecrã Sensível ao Toque Relativa: Rato Joystick, Trackball Características Absoluta: Referencial fixo Pode emular uma unidade relativa Aconselhável para digitalização Relativa: Referencial dinâmico Aconselhável para grandes movimentos V.2 Dispositivos de Interacção 35 V.2 Dispositivos de Interacção 36 6

7 Controlo do Cursor Directa: TabletPC ou Tablete com ecrã Ecrã Sensível ao Toque Indirecta: Rato Tablete ( normal ) Desvantagens Directa: Fadiga no braço Difícil posicionamento preciso TabletPC melhorou a situação Indirecta: Requer Aprendizagem V.2 Dispositivos de Interacção 37 Critérios de Escolha! Espaço físico (requerido vs disponível)! Velocidade de entrada (Caracteres, pontos)! Precisão (alvo + pequeno seleccionável)! Taxa de erros! Tempo de aprendizagem! Tempo de aquisição! Preferência dos utilizadores! Custo V.2 Dispositivos de Interacção 38 Dispositivos para Realidade Virtual e Interacção 3D Posição no espaço 3D! Ratos 3D! Data Glove! Rastreamento óptico!spaceball:!3d translação + orientação (rotação) 6GDL!Sensível à pressão!controlo visualiz. em CAD pitch yaw roll V.2 Dispositivos de Interacção 39 V.2 Dispositivos de Interacção 40 Polhemus! Rastreamento Magnético! 6 Graus de Liberdade! Posição (x, y, z)! Orientação! Usado em ambientes virtuais! Grande área (> 3m 3 )! Lag time elevado (.1s)! Interferência de metais Data Glove! Posição, orientação e movimento de dedos! Comum em ambientes imersivos! Permite agarrar, empurrar etc. Objectos virtuais! Possível retorno físico (force feedback) via exosqueleto V.2 Dispositivos de Interacção 41 V.2 Dispositivos de Interacção 42 7

8 Rastreamento Óptico Outros Dispositivos cameras! Câmaras, elementos reflectores! Dispositivos de entrada 3D sem fios:! Caneta,! Palette,! Elementos tangíveis Footmouse EyeTracking V.2 Dispositivos de Interacção 43 V.2 Dispositivos de Interacção 44 Phantom! Caneta com Retorno táctil TactaPad! Utilização das duas mãos para interagir! Retorno táctil! Vídeo V.2 Dispositivos de Interacção 45 V.2 Dispositivos de Interacção 46 Wiimote 30 Milhões Wii vendidas até Junho Um dos dispositivos mais comuns Camara infravermelha 1024x768 Segue 4 100Hz. Acelerometro a +/-3g 8-bits 3 100Hz Video! Personics Porto de expansão V.2 Dispositivos de Interacção Vídeo 47 V.2 Dispositivos de Interacção 48 8

9 Conclusões! Multiplicidade de Dispositivos de Interacção! Entrada de Texto! Introdução de coordenadas! Não existe um dispositivo melhor! Critérios:! Grau de adequação à tarefa! Ergonomia (RSI)! Eficiência Referências Adicionais Bill Buxton s home page on input devices (actualizada em Novembro 2008) InputSources.html V.2 Dispositivos de Interacção 49 V.2 Dispositivos de Interacção 50 Próxima Aula! Desenho de Páginas Web! Importância de páginas bem desenhadas! Diferenças entre IU para Web e Desktop! Dez erros mais comuns em desenho Web! Processo de desenho para a Web! Ler: The Design of Sites, Cap. 1, 4 e 5, D. Duyne, J. Landay, J. Hong V.2 Dispositivos de Interacção 51 V.2 Dispositivos de Interacção 52 9

V.2 Dispositivos de Interacção

V.2 Dispositivos de Interacção Melhor e Pior? V.2 DISPOSITIVOS DE INTERACÇÃO HCI, Cap.2 (pags. 59-97) Alan Dix 2 Resumo Aula Anterior Sumário o Importância, características e guia de estilos dos manuais o Manuais convencionais o Princípios

Leia mais

V.2 DISPOSITIVOS DE INTERACÇÃO

V.2 DISPOSITIVOS DE INTERACÇÃO V.2 DISPOSITIVOS DE INTERACÇÃO HCI, Cap.2 (pags. 59-97) Alan Dix Melhor e Pior? 2 1 Resumo Aula Anterior o Importância, características e guia de estilos dos manuais o Manuais convencionais o Princípios

Leia mais

V Documentação e Dispositivos. V.2 Dispositivos de Interacção

V Documentação e Dispositivos. V.2 Dispositivos de Interacção V Documentação e Dispositivos HCI, Cap.2 (pags. 59-97), Alan Dix Melhor e Pior? 2 IPM 2007/2008 1 Resumo Aula Anterior Importância, características e guia de estilos dos manuais Manuais convencionais Princípios

Leia mais

V.2 Dispositivos de Interacção

V.2 Dispositivos de Interacção Melhor e Pior? V Documentação e Dispositivos HCI, Cap.2 (pags. 59-97), Alan Dix 2 Resumo Aula Anterior Sumário Importância, características e guia de estilos dos manuais Dispositivos de Entrada de Dados

Leia mais

V.2 Dispositivos de Interacção

V.2 Dispositivos de Interacção Melhor e Pior? V Documentação e Dispositivos HCI, Cap.2 (pags. 59-97), Alan Dix 2 Resumo Aula Anterior Importância, características e guia de estilos dos manuais Manuais convencionais Princípios e guias

Leia mais

Interacção Homem-Máquina Os Computadores Dispositivos e Estilos de Interacção

Interacção Homem-Máquina Os Computadores Dispositivos e Estilos de Interacção Interacção Homem-Máquina Os Computadores Dispositivos e Estilos de Interacção Pedro Campos dme.uma.pt/pcampos pcampos@uma.pt Na Aula Anterior... Ficámos a conhecer os Humanos Hoje ficaremos a conhecer

Leia mais

Interação Humana com Computador

Interação Humana com Computador Interação Humana com Computador Tecnologias de Computadores André Ferraz N.º24881 Jason Costa N.º25231 Ana Pereira N.º25709 IHC Estudo, planeamento e desenho de uma interação entre o utilizador e computadores.

Leia mais

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual.

604 wifi. Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. 604 wifi FUNÇÕES WIFI e Internet Suplemento ao Manual do Utilizador ARCHOS 504/604 Versão 1.2 Visite www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente deste manual. Este manual contém informações

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA TOUCH SCREEN Eduardo Reis Tomiassi¹, Wyllian Fressatti 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí -Paraná- Brasil tomiassi88@hotmail.com, wyllian@unipar.br Resumo: Neste trabalho

Leia mais

IV.4 Análise de Dados da Avaliação

IV.4 Análise de Dados da Avaliação Melhor e Pior? IV - Avaliação IV.4 Análise de Dados da Avaliação Interactive System Design, Cap. 10, William Newman IV.4 Análise de Dados da Avaliação 2 Melhor e Pior? Resumo Aula Anterior! Avaliação com

Leia mais

Características Interativo Evolution IR

Características Interativo Evolution IR Características Interativo Evolution IR Introdução Os quadros interactivos Evolution IR estão a mudar a forma como muitos professores e formadores se aproximam aos seus alunos. Este quadro interactivo

Leia mais

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo

Se ouço esqueço, se vejo recordo, se faço aprendo Se ouço o esqueço, se vejo recordo, se faço o aprendo Meios de Armazenamento Secundário Principais Dispositivos de Entrada Principais Dispositivos de Saída Outros Dispositivos de Entrada/Saída Meios de

Leia mais

IV AVALIAÇÃO. Resumo Aula Anterior IV.2 AVALIAÇÃO PREDITIVA. o Avaliação Heurística (Cont.) o Fases da Avaliação Heurística

IV AVALIAÇÃO. Resumo Aula Anterior IV.2 AVALIAÇÃO PREDITIVA. o Avaliação Heurística (Cont.) o Fases da Avaliação Heurística IV AVALIAÇÃO IV.2 AVALIAÇÃO PREDITIVA HCI, Cap. 12, Alan Dix Interactive System Design, Cap. 8, William Newman Resumo Aula Anterior o Avaliação Heurística (Cont.) o Fases da Avaliação Heurística Treino;

Leia mais

Avaliação Preditiva. Capítulo 9. HCI, Cap. 12, AlanDix. Interactive System Design, Cap. 8, William Newman

Avaliação Preditiva. Capítulo 9. HCI, Cap. 12, AlanDix. Interactive System Design, Cap. 8, William Newman Avaliação Preditiva Capítulo 9 HCI, Cap. 12, AlanDix Interactive System Design, Cap. 8, William Newman Transparências da disciplina de Interfaces Homem-Máquina IST, Mário Rui Gomes e Joaquim Jorge Resumo:

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula 1 - Introdução a Tecnologia da Informação A tecnologia da informação, diz respeito ao aspecto tecnológico de um

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/7 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 1.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios Ambiente de trabalho Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior. Actualmente, o Windows é

Leia mais

INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3. Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação

INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3. Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3 Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação CONTEÚDO Revisão Framework PACT Atividade de Revisão REVISANDO Design de sistemas é importante, instigante

Leia mais

Interacção com o Utilizador. 5. O computador. Nuno Miguel Gil Fonseca

Interacção com o Utilizador. 5. O computador. Nuno Miguel Gil Fonseca Interacção com o Utilizador 5. O computador Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Constituido por 5 grandes grupos de elementos Dispositivos de Input entrada de texto e pointing. Dispositivos

Leia mais

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO

ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DE UM SISTEMA INFORMÁTICO Nesta apresentação, aprenderá a reconhecer os principais periféricos ou dispositivos de entrada/saída de dados/informação. 23-10-2008 1 DISPOSITIVOS

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente Gráfico Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e que comunique com o exterior. Actualmente o Windows é

Leia mais

Manual Brother Image Viewer para Android

Manual Brother Image Viewer para Android Manual Brother Image Viewer para Android Versão 0 POR Definições de notas Ao longo deste Manual do Utilizador, é utilizado o seguinte ícone: NOTA As Notas indicam o que fazer perante uma determinada situação

Leia mais

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES

INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES INSTALAÇÃO e MANUTENÇÃO de MICRO COMPUTADORES 2010/2011 1 Equipamentos informáticos Hardware e Software Hardware refere-se aos dispositivos físicos (electrónicos, mecânicos e electromecânicos) que constituem

Leia mais

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista Mesa Digitalizadora Manual do Utilizador Windows 2000 / XP / Vista 1 I. Informação Geral 1. Visão Geral Bem-vindo ao mundo das canetas digitais! Irá descobrir que é muito fácil controlar o seu computador

Leia mais

SPS ZOOM 300. 3D Laser Scanner

SPS ZOOM 300. 3D Laser Scanner 3D Laser Scanner 3D Laser Scanner O 3D laser scanner é um equipamento que faz coletas de dados espaciais precisos de objetos ou ambientes. As nuvens de pontos coletadas podem ser utilizadas para construção

Leia mais

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010 Oficina de Multimédia B ESEQ 12º i 2009/2010 Conceitos gerais Multimédia Hipertexto Hipermédia Texto Tipografia Vídeo Áudio Animação Interface Interacção Multimédia: É uma tecnologia digital de comunicação,

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Correcção da ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas

Leia mais

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe Computação Gráfica Dispositivos de Visualização Profa. Carolina Watanabe Material elaborado pela Profa. Marcela X. Ribeiro, UFSCar, Atualizado pela Profa. Carolina Watanabe, UNIR 1 Dispositivos de Visualização/Exibição

Leia mais

Migrar para o Excel 2010

Migrar para o Excel 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Excel 2010 é muito diferente do Excel 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as partes

Leia mais

TIC 1 @prendendo TECLADO

TIC 1 @prendendo TECLADO TIC 1 @prendendo O O Teclado é um dispositivo através do qual introduzimos letras, números e sinais no computador. A disposição das teclas na primeira fila de letras definem no como um teclado do tipo

Leia mais

Colocar em prática. Tópicos para aprender. Colocar em prática. Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board

Colocar em prática. Tópicos para aprender. Colocar em prática. Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board Utilizar as aplicações da Microsoft Windows num quadro interactivo SMART Board Quando se encontra a trabalhar em contexto grupal, a utilização do quadro interactivo SMART Board poderá ajudá-lo a poupar

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

Migrar para o Access 2010

Migrar para o Access 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Access 2010 é muito diferente do Access 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as

Leia mais

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 Índice ÍNDICE...2 COMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 O QUE É A ERGONOMIA?...3 ERGONOMIA NO TRABALHO....3 POSIÇÕES CORRECTAS A TER NO TRABALHO....4 O EQUIPAMENTO ERGONÓMICO...6 MONITOR...7 TECLADOS E

Leia mais

Assunto: Apresentação da Core Factor

Assunto: Apresentação da Core Factor Assunto: Apresentação da Core Factor Índice A. Breve apresentação da empresa... 3 1. Sobre nós... 3 2. Serviços... 3 3. Objectivos... 3 4. Parcerias... 4 B. Contactos... 8 1. Pessoas... 8 2. Empresa...

Leia mais

Placa Principal (Motherboard)

Placa Principal (Motherboard) Placa Principal (Motherboard) Placa mãe placa de circuito impresso. Slots de expansão conectores onde se ligam as placas de expansão. Barramento ou bus fios condutores dispostos em paralelo. Constituição

Leia mais

Manual de Utilizador. CNCVisual. Julho de 2006. Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica. Autor: Bruno Lameiro

Manual de Utilizador. CNCVisual. Julho de 2006. Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica. Autor: Bruno Lameiro Manual de Utilizador CNCVisual Julho de 2006 Âmbito do Projecto de 5º Ano de Engenharia Mecânica Autor: Bruno Lameiro Introdução: A existência do manual de utilizador da aplicação CNCVisual tem como objectivo

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Sistemas Operacionais: Software Oculto Introdução a Computação Sistemas Operacionais Serve como um intermediário entre o hardware e os softwares aplicativos. Sistema Operacional Software de sistemas Kernel

Leia mais

Instalar o Software da Impressora... 2. Consulte o Manual do Usuário para obter informações e instruções detalhadas não abordadas neste manual.

Instalar o Software da Impressora... 2. Consulte o Manual do Usuário para obter informações e instruções detalhadas não abordadas neste manual. GUIA RÁPIDO para o utilizador do Windows Vista ÍNDICE Capítulo 1: REQUISITOS DO SISTEMA... 1 Capítulo 2:... 2 Instalar o Software da Impressora... 2 Instalar o Software para a Impressão em Rede... 5 Capítulo

Leia mais

Interfaces Pessoa-Máquina (IPM)

Interfaces Pessoa-Máquina (IPM) Interfaces Pessoa-Máquina (IPM) III.3 Estilos de Interacção HCI, Cap. 3, Alan Dix 1 Melhor e Pior? 2 1 Resumo da Aula Anterior Praticamos Avaliação Heurística Consolidamos resultados Modelos para Avaliação

Leia mais

Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes. InterwriteBoard Guia de Iniciação

Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes. InterwriteBoard Guia de Iniciação Quadros Interactivos Multimédia e Formação Contínua de Docentes InterwriteBoard Guia de Iniciação A. Jorge Mesquita Maio, 2008 Conteúdo Introdução... 1 Antes de iniciar... 1 Caneta interactiva... 1 Interagir

Leia mais

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário

PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA. Sumário PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL DO IFRS Manual Rápido do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 1 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 1 Procedimentos para Download e Instalação do NVDA... 2 Iniciando

Leia mais

DJ CONSOLE 4-Mx. DJ/Música DESCRIÇÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Controlador de DJ grande de metal com áudio integrado e jog wheels grandes

DJ CONSOLE 4-Mx. DJ/Música DESCRIÇÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Controlador de DJ grande de metal com áudio integrado e jog wheels grandes DJ/Música DJ CONSOLE 4-Mx DESCRIÇÃO Controlador de DJ grande de metal com áudio integrado e jog wheels grandes Características principais Estação de mistura grande para DJ digitais móveis - Controlador

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas das Tecnologias

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/8 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 2.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013

MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 MANUAL DO NVDA Novembro de 2013 PROJETO DE ACESSIBILIDADE VIRTUAL Núcleo IFRS Manual do NVDA Sumário O que são leitores de Tela?... 3 O NVDA - Non Visual Desktop Access... 3 Procedimentos para Download

Leia mais

Os elementos básicos do Word

Os elementos básicos do Word Os elementos básicos do Word 1 Barra de Menus: Permite aceder aos diferentes menus. Barra de ferramentas-padrão As ferramentas de acesso a Ficheiros: Ficheiro novo, Abertura de um documento existente e

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Espectro da Voz e Conversão A/D

Espectro da Voz e Conversão A/D INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES GUIA DO 1º TRABALHO DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES I Espectro da Voz e Conversão A/D Ano Lectivo de

Leia mais

QUARTZ. Moderno e Funcional. O modelo QUARTZ foi desenvolvido para uso exclusivo em interiores.

QUARTZ. Moderno e Funcional. O modelo QUARTZ foi desenvolvido para uso exclusivo em interiores. Moderno e Funcional O modelo QUARTZ foi desenvolvido para uso exclusivo em interiores. Poderá funcionar como ponto de informação da instituição / empresa onde está instalado, consulta de internet por parte

Leia mais

Guia Rápido do TVR 12

Guia Rápido do TVR 12 Guia Rápido do TVR 12 Figura 1: Ligações do painel traseiro 1. "Loop through" para um máximo de 16 câmaras analógicas (consoante o modelo de DVR). 2. Ligar a um dispositivo RS-232. 3. Ligar até quatro

Leia mais

Manual de instalação e configuração da Magic Key

Manual de instalação e configuração da Magic Key Manual de instalação e configuração da Magic Key Índice 1. Instalação física dos componentes... 1 1.1. Instalação da câmara... 1 1.2. Instalação dos infravermelhos... 2 1.3. Posicionamento do utilizador...

Leia mais

ConfigFree - Gestão simplificada de ligações

ConfigFree - Gestão simplificada de ligações ConfigFree - Gestão simplificada de ligações As ligações sem fios tornaram-se essenciais no estabelecimento de comunicações em qualquer parte em qualquer momento, permitindo aos utilizadores manterem-se

Leia mais

Quadro Interactivo GUIÃO DE APOIO

Quadro Interactivo GUIÃO DE APOIO Quadro Interactivo GUIÃO DE APOIO Para o correcto funcionamento do Quadro Interactivo é necessário: Quadro Interactivo; Projector de Vídeo; Software específico (ActivInspire); Caneta ActivPen. 1 CALIBRAÇÃO

Leia mais

FOLHA DE CÁLCULO EXCEL

FOLHA DE CÁLCULO EXCEL 1 FOLHA DE CÁLCULO EXCEL segunda-feira, 25 de Abril de 2011 SUMÁRIO 1. Características e Potencialidades de uma folha de cálculo. 2. Ambiente de trabalho do Excel. 3. Noção de livro e de folha de cálculo.

Leia mais

Faculdade de Educação e Psicologia

Faculdade de Educação e Psicologia Faculdade de Educação e Psicologia Mestrado em Ciências da Educação Especialização em Informática Educacional Internet e Educação Histórias exemplares da Internet. X-Y Position Indicator for a Display

Leia mais

Modelos Conceptuais I

Modelos Conceptuais I Modelos Conceptuais I Capítulo 5 Conceptual Models, J. Johnson and A. Henderson (artigo da revista Interactions, Jan. 2002) Interaction Design, Cap. 2 J. Preece Resumo da aula anterior As capacidades das

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Experimente a marca mais inovadora no que respeita a soluções tácteis integradas

Experimente a marca mais inovadora no que respeita a soluções tácteis integradas Smart innovation! ctouch.eu Experimente a marca mais inovadora no que respeita a soluções tácteis integradas www.ctouch.co.uk Sinta o poder do Toque! A Tecnologia Active IRO faz com que a CTOUCH seja a

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR HARDWARE GRÁFICO Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR Mar/2012 Introdução Características do hardware Funcionalidades do hardware gráfico Influência da área

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

Computadores e Informática Guia de introdução às Tecnologias da Informação e Comunicação

Computadores e Informática Guia de introdução às Tecnologias da Informação e Comunicação Computadores e Informática Guia de introdução às Tecnologias da Informação e Comunicação Autor: António Eduardo Marques Colecção: Soluções Revisão: Centro Atlântico Capa e paginação: António J. Pedro Centro

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 Objectivos No final do módulo, os formandos deverão: i. Identificar os elementos base

Leia mais

GeoMafra SIG Municipal

GeoMafra SIG Municipal GeoMafra SIG Municipal Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar a

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo Conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior; Windows: sistema operativo mais utilizado nos

Leia mais

Notebook 10 Software para aprendizagem colaborativa

Notebook 10 Software para aprendizagem colaborativa Notebook 10 Software para aprendizagem colaborativa Crie momentos extraordinários na sala de aula O software premiado Notebook está a criar o padrão mundial para criar, ensinar e gerir aulas interactivas

Leia mais

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída

Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Dispositivos de entrada, saída, entrada e saída Classificação dos dispositivos (ou periféricos) ricos) Entrada Teclado Rato, touchpad, pointing device, track ball Scanner Câmaras digitais (fotográficas

Leia mais

Pesquisa experimental

Pesquisa experimental 1 Aula 7 Interação Humano-Computador (com foco em métodos de pesquisa) Prof. Dr. Osvaldo Luiz de Oliveira 2 Pesquisa experimental Wilhelm Wundt (1832-1920), Pai da Psicologia Experimental. Leituras obrigatórias:

Leia mais

Software Registado e Certificado pela AT GESTÃO DE LAVANDARIAS. mercado exigente! Certificado. Retail Solutions

Software Registado e Certificado pela AT GESTÃO DE LAVANDARIAS. mercado exigente! Certificado. Retail Solutions Certificado Eficiência Eficiência para para vencer... vencer... Num Num mercado mercado exigente! exigente! Software Registado e Certificado pela AT LAVA i Índice Introdução Apresentação da Empresa Pág.

Leia mais

No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento.

No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento. Sessão nº 2 Iniciar um novo documento Objectivos: No final desta sessão o formando deverá ser capaz de aceder ao Word e iniciar um novo documento. Iniciar um novo documento Ao iniciar-se o Word, este apresenta

Leia mais

Dispositivos apontadores e teclado

Dispositivos apontadores e teclado Dispositivos apontadores e teclado Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registadas da Microsoft Corporation nos EUA. As informações

Leia mais

Calculadora Virtual HP Prime

Calculadora Virtual HP Prime Calculadora Virtual HP Prime Número de peça HP: NW280-3002 Edição 2, fevereiro de 2014 Avisos Legais Este manual e os exemplos nele incluídos são fornecidos "tal como estão" e estão sujeitos a alteração

Leia mais

Painel Alt+F1 K, Caixa Mágica, Configurações Editor de Menus

Painel Alt+F1 K, Caixa Mágica, Configurações Editor de Menus 1 Apresentação Todos os programas podem ser executados através do menu de aplicações, menu K (Figura 1.41) O menu K é o principal menu do KDE, podendo ser activado clicando-se sobre o K, no Painel, ou

Leia mais

Karisma. Mesa Interactiva

Karisma. Mesa Interactiva KARISMA Made in Portugal Mesa Interactiva Esta mesa foi desenvolvida para suportar as novas tecnologias existentes no mercado, podendo utilizar displays de tecnologia SAW, Infravermelhos ou mesmo ProCap

Leia mais

Portátil Série Aspire

Portátil Série Aspire Portátil Série Aspire Guia rápido Registo do produto Ao utilizar o dispositivo pela primeira vez, recomenda-se que o registe. O registo dar-lhe-á acesso a vantagens úteis, como: Assistência mais rápida

Leia mais

TYPE-S. Thin and light protective keyboard case For Samsung GALAXY Tab S 10.5. Setup Guide

TYPE-S. Thin and light protective keyboard case For Samsung GALAXY Tab S 10.5. Setup Guide TYPE-S Thin and light protective keyboard case For Samsung GALAXY Tab S 10.5 Setup Guide TYPE-S Thin and light protective keyboard case For Samsung GALAXY Tab S 10.5 Contents Português 59 www.logitech.com/support/type-s

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE MANUEL DA FONSECA Curso Profissional: Técnico de Gestão e Equipamentos Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS GRUPO 550 CICLO DE FORMAÇÃO 2012/2015 ANO LECTIVO 2012/2013 DISCIPLINA:

Leia mais

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica;

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica; Mapas Destinado especialmente aos Utilizadores do GEOPORTAL, nele são descritas e explicadas as diferentes funcionalidades existentes no FrontOffice (GEOPORTAL). O GEOPORTAL é baseado em tecnologia Web,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES

CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES 1 CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES Desktop: São os computadores pessoais, os PC s. São chamados de desktop por serem considerados micros de mesa, veja a figura ao lado. Muito cobrado em concurso é ter uma

Leia mais

Introdução à Multimédia conceitos

Introdução à Multimédia conceitos 1. Introdução à Multimédia conceitos Popularidade mercado potencial aparece nos anos 90 Avanços Tecnológicos que motivaram o aparecimento/ desenvolvimento da MULTIMÉDIA Indústrias envolvidas - Sistemas

Leia mais

No VirtualBox, carregar no Botão Novo (New), que irá abrir o Assistente de Criação de Máquina Virtual para criar uma nova VM.

No VirtualBox, carregar no Botão Novo (New), que irá abrir o Assistente de Criação de Máquina Virtual para criar uma nova VM. INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES INFORMÁTICAS EFA NS/NÍVEL III UFCD 5 FORMADOR: PAULO RELVAS Fontes: http://www.formatds.org/instalar-ubuntu-no-virtualbox/ MANUAL DE INSTALAÇÃO UBUNTU 8.10 SOBRE VBOX DA SUN

Leia mais

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br Hardware e Software Professor: Felipe Schneider Costa felipe.costa@ifsc.edu.br Agenda Hardware Definição Tipos Arquitetura Exercícios Software Definição Tipos Distribuição Exercícios 2 Componentesde um

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1

Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10.1 Esta adenda ao Guia de Consulta Rápida ZoomText 10 abrange novas funcionalidades e outras alterações específicas ao ZoomText 10.1. Para obter instruções

Leia mais

Prof. Célio Conrado 1

Prof. Célio Conrado 1 O usuário se comunica com o núcleo do computador (composto por CPU e memória principal) através de dispositivos de entrada e saída (dispositivos de E/S). Todo objeto que faz parte do sistema e tem por

Leia mais

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL Fevereiro/2002 - Portalegre Introdução A necessidade de efectuar cálculos complexos de uma forma mais rápida e fiável,

Leia mais

OBTENHA O MÁXIMO RENDIMENTO DAS SUAS REUNIÕES

OBTENHA O MÁXIMO RENDIMENTO DAS SUAS REUNIÕES Série Epson EB-1400Wi OBTENHA O MÁXIMO RENDIMENTO DAS SUAS REUNIÕES projecte até permite anotações de vários utilizadores imprima, guarde e partilhe CONCEBIDOS PARA OS NEGÓCIOS SISTEMA INTERACTIVO INTEGRADO

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente de trabalho Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique

Leia mais

Instruções de utilização do portal Web da Visteon

Instruções de utilização do portal Web da Visteon FORD MOTOR COMPANY LIMITED Issued by European Warranty Operations Ford Customer Service Division Instruções de utilização do portal Web da Visteon 1. Entrar Na janela de endereço no seu browser da internet,

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Desenho de Software Departamento de Matemática Universidade dos Açores Hélia Guerra helia@uac.pt desenho Desenho (dicionário Priberam on-line) do Lat.! designu s. m., arte de representar

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

LOUSA INTERATIVA MANUAL

LOUSA INTERATIVA MANUAL LOUSA INTERATIVA MANUAL Obrigado por comprar uma lousa Mastervision o Quadro Branco Interativo da Arquimedes Automação e Informática. A Arquimedes respresenta a marca MarterVision sob licença da empresa

Leia mais

VirtualKeyboard. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida

VirtualKeyboard. Grupo de Investigação em Robótica. Universidade de Lérida VirtualKeyboard Grupo de Investigação em Robótica Universidade de Lérida Manual de utilização e perguntas frequentes O que é o VirtualKeyboard? O VirtualKeyboard é um programa gratuito que simula um teclado

Leia mais

GeoMafra Portal Geográfico

GeoMafra Portal Geográfico GeoMafra Portal Geográfico Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar

Leia mais

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de:

AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos. Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: AULA 3: BrOffice Writer Numeração de páginas e outros comandos Objetivo Ao final dessa aula, você deverá ser capaz de: Conhecer o controle de exibição do documento; Fazer a correção ortográfica do documento

Leia mais

Ladibug Software de Imagem para o Apresentador Virtual Manual do Utilizador

Ladibug Software de Imagem para o Apresentador Virtual Manual do Utilizador Ladibug Software de Imagem para o Apresentador Virtual Manual do Utilizador Índice 1. Introdução... 2 2. Requisito do Sistema... 2 3. Instalar Ladibug... 3 4. Ligação... 6 5. Iniciar a utilização do Ladibug...

Leia mais