1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração"

Transcrição

1 Órgãos Sociais 1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração A. Competência para a Determinação Compete à Assembleia Geral a aprovação da política de remunerações dos membros do Conselho de Administração. Para dar cumprimento ao disposto na Lei nº 28/2009, de 19 de Junho, que estabeleceu, designadamente, o regime de aprovação da política de remuneração dos membros dos órgãos de administração e de fiscalização das entidades de interesse público, e ao disposto no Estatuto de Gestor Público (DL nº 71/2007, de 27 de Março, com as alterações introduzidas pelo DL nº 8/2012, de 18 de Janeiro), foi aprovada pela Assembleia Geral anual da CLF a política de remuneração dos membros do Conselho de Administração, tendo como referência os princípios orientadores da política de fixação de remunerações dos membros dos órgãos sociais das empresas do Grupo Caixa Geral de Depósitos, aprovados pelo Conselho de Administração da sociedade mãe do Grupo. B. Estrutura das Remunerações A remuneração fixa dos membros com funções executivas do Conselho de Administração tem como referência uma grelha salarial aplicável aos administradores executivos das empresas do Grupo CGD, a qual é construída atendendo à dimensão, à complexidade de gestão e às condições concorrenciais do mercado de emprego do sector de atividade onde cada uma das empresas do Grupo está inserida. A remuneração variável dos administradores da Sociedade com funções executivas é atribuída individualizada e anualmente, em função da avaliação do desempenho no exercício em causa, não excedendo 50% da remuneração fixa anual. Os membros do Conselho de Administração sem funções executivas não têm qualquer remuneração, fixa ou variável. O Estatuto Remuneratório apenas foi fixado para os vogais do Conselho de Administração que compõem a Comissão Executiva. Anos 2013 e 2014 Comissão Executiva da CLF Remuneração base (a auferir 14 vezes por ano) Remuneração c/ redução 5% + 10% (nos termos da Lei nº 12A/2010 e da Lei nº 55A/2010) Presidente da CE António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Vogal da CE Manuel José de Sales Caldeira Vogal da CE Maria Teresa Pires dos Valente Jan a Dez/ ,25(*) ,35 Jan a Dez/ ,13 (*) ,76 Jan a Dez/ , ,00 (*) Remunerações aprovadas pela Comissão de Remunerações, conforme ata da reunião de 5 de julho de 2012.

2 Ano de 2012 Comissão Executiva da CLF Remuneração base (a auferir 12 vezes por ano) Remuneração c/ redução 5% + 10% (nos termos da Lei nº 12A/2010 e da Lei nº 55A/2010) Jan a Mar/ , ,10 Presidente da CE António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Abr a Jun/ ,00(*) ,00 Jul a Dez/ ,25(**) ,35 Vogal da CE Manuel José de Sales Caldeira Jan a Jun/ , ,00 Jul a Dez/ ,13 (**) ,76 Vogal da CE Maria Teresa Pires dos Valente Jan a Dez/ , ,00 (*) A partir de Abril de 2012, a remuneração mensal de ,00 do Presidente da CE passou a ser suportada integralmente pela CLF. (**) Remunerações aprovadas pela Comissão de Remunerações, conforme ata da reunião de 5/7/2012. Ano de 2011 Presidente Remuneração de 5.994,00 euros, 14 vezes por ano; Vogais Remuneração de ,00 euros, 14 vezes por ano. Em 2011, pela aplicação do artigo 12º da Lei nº 12A/2010, de 30 de Junho, e do artigo 19º da Lei nº 55A/2010, de 31 de Dezembro, as remunerações fixadas foram reduzidas em 5% +10%. Ano de 2010 Presidente Remuneração de 7.043,00 euros, 14 vezes por ano; Vogais Remuneração de ,00 euros, 14 vezes por ano. A partir de 01 de Junho de 2010 e pela aplicação do artigo 12º da Lei nº 12A/2010, de 30 de Junho, as remunerações fixadas foram reduzidas em 5%. Ano de 2009 Presidente Remuneração de 5.500,00 euros, 14 vezes por ano; Vogais Remuneração de ,00 euros, 14 vezes por ano.

3 2. Remuneração e outras regalias liquidadas aos Membros do Conselho de Administração Ano de 2014 Fixado Classificação Vencimento Despesas Representação Identificar Entidade Pagadora José Pedro Cabral dos n.a n.a n.a n.a n.a n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro S n.a ,25 CGD Destino Manuel José de Sales Caldeira S n.a ,13 CGD Destino Maria Teresa Pires dos Valente S n.a ,00 CGD Destino Nota: EGP Estatuto do Gestor Público; OPRLO Opção pela Remuneração do Lugar de Origem; O/D: Origem/Destino EGP OPRLO Variável Fixa ** Outra Redução Lei 12A/2010 Redução (Lei OE) Redução anos anteriores * Bruta após Reduções José Pedro Cabral dos n.a n.a n.a n.a n.a n.a n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro , , , ,90 Manuel José de Sales Caldeira , , , ,64 Maria Teresa Pires dos Valente , , , ,00 Nota: * Indicar os motivos subjacentes a este procedimento ** Incluir a remuneração + despesas de representação Remuneração Anual ( ) Redução de anos anteriores: refere a remunerações regularizadas no ano em referência pertencentes a anos anteriores Sub. Refeição Beneficios Sociais( ) Regime de Proteção Social Seguro Seguro de Seguro Outros de acidentes de vida Saúde Pessoais Identificar Valor Identificar Valor José Pedro Cabral dos n.a n.a n.a n.a n.a n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro 2 763,90 CGA/Fund ,68 n.a n.a n.a n.a Manuel José de Sales Caldeira 2 686,20 CGA/Fund ,91 n.a n.a n.a n.a Maria Teresa Pires dos Valente 2 763,90 CGA/Fund ,92 n.a n.a n.a Subsídio Estudo 287,60 Plafond mensal definido Gastos com Comunicações Móveis ( ) Valor Anual José Pedro Cabral dos n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro n.a 401,67 Manuel José de Sales Caldeira n.a 452,88 Maria Teresa Pires dos Valente n.a 1 051,15 Observações Encargos com Viaturas Valor de Nº Valor da Viatura Celebração Modalidade Ano Ano referência da Presta Renda Valor Anual atribuída de contrato (1) Inicio Termo viatura ções Mensal [S/N] [S/N] [ ] [identificar] [ ] [ ] José Pedro Cabral dos N N n.a n.a n.a n.a n.a n.a n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro S N ,00 Renting , ,65 António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro S N ,00 Renting , ,48 Manuel José de Sales Caldeira S N ,00 Renting , ,51 Manuel José de Sales Caldeira S N ,00 Renting , ,44 Maria Teresa Pires dos Valente S N ,00 Renting , ,01 Maria Teresa Pires dos Valente S N ,00 Renting , ,79 Legenda: Legenda: (1) aquisição; ALD; Leasing ou outra

4 Plafond Mensal definido para Gastos anuais associados a Viaturas ( ) Outras Combustível Portagens Seguro Reparações Observações José Pedro Cabral dos n.a n.a n.a n.a n.a António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro n.a 1 228,99 526, ,12 n.a Manuel José de Sales Caldeira n.a 2 299,15 770,37 499,17 n.a Maria Teresa Pires dos Valente n.a 1 836,11 952,25 755,21 n.a Deslocações em Serviço Gastos anuais associados a Deslocações em Serviço ( ) Custo com Ajudas de Outras Alojamento custo Identficar Valor Gasto total com viagens (Σ) José Pedro Cabral dos António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro 625,83 821,76 308, ,83 Manuel José de Sales Caldeira 1 462,17 560,23 679, ,42 Maria Teresa Pires dos Valente Ano de 2013 Presidente Vogal Vogal Vogal José Pedro Manuel José Cabral dos de Sales Caldeira António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Maria Teresa Pires dos Valente TOTAL Remuneração Remuneração base anual/fixa , , , ,32 Despesas de Representação (Anual) Senha de presença (Valor Anual) Redução decorrente da Lei nº 12A/ , , , ,90 Redução decorrente da Lei n. 64B/ , , , ,88 Suspensão do pagamento dos subsídios de férias e de natal Reduções de anos anteriores Remuneração Anual Efetiva , , , ,54 Remuneração Variável IHT Outras (identificar detalhadamente) Outras regalias e compensações Gastos anuais de utilização de comunicações móveis * 467,23 569,10 530, ,38 Subsídio anual de refeição 2.763, , , ,40 Outros (identificar detalhadamente) Subsídio de Estudo 287,60 287,60 Encargos com benefícios sociais Regime de proteção social , , , ,24 Parque Automóvel Valor da última renda de 2013/Data início do 990,38 contrato atual jul/ ,16 set/ ,63 set/2010

5 Valor da renda/prestação anual da viatura de serviço , , , ,05 Valor anual do combustível gasto com a viatura 1.258, , , ,55 Informações Adicionais Regime de proteção social Segurança social N N N Outro (indicar) CGA/F CGA/F CGA/F 1.1. Exercício de funções remuneradas fora do grupo (s/n) N N N (*) O valor diz respeito ao custo com telemóveis e placas Ano de 2012 Presidente Vogal Vogal Vogal José Pedro Cabral dos António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Manuel José de Sales Caldeira Maria Teresa Pires dos Valente TOTAL Remuneração Remuneração base anual/fixa , , , ,22 Despesas de Representação (Anual) Senha de presença (Valor Anual) Redução decorrente da Lei nº 12A/ , , , ,72 Redução decorrente da Lei nº 64B/ , , , ,77 Suspensão do pagamento dos subsídios de férias e natal , , , ,75 Reduções de anos anteriores Remuneração Anual Efetiva , , , ,97 Remuneração Variável IHT Outras (identificar detalhadamente) Outras regalias e compensações Gastos anuais na utilização de comunicações móveis 190,63 503,30 167,82 861,78 Subsídio anual de refeição 2.303, , , ,20 Outros (identificar detalhadamente) Subsídio de Estudo 287,60 287,60 Encargos com benefícios sociais Regime de proteção social (anual) , , , ,94 Parque Automóvel Valor da última renda mensal de 2012/Data início do contrato atual Valor da Renda/prestação anual da viatura de serviço 990,07 julho ,85 setembro ,32 setembro , , , ,68 Valor anual do combustível gasto com a viatura 1.546, , , ,68 Informações Adicionais

6 Regime de Proteção Social Segurança Social N N N Outro (indicar) Exercício de funções remuneradas fora do grupo (s/n) CGA/FPensõ es Pen sões Pen sões N N N Ano de 2011 Vogal Vogal Vogal António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Manuel José de Sales Caldeira Maria Teresa Pires dos Valente TOTAL 1. Remuneração 1.1. Remuneração base anual/fixa , , , , Redução decorrente da Lei 12/ , , , , Redução decorrente da Lei 55A/ , , , , Remuneração anual efetiva ( ) , , , , Senha de presença 1.6. Acumulação de funções de gestão 1.7. Remuneração variável 1.8. IHT (isenção de horário de trabalho) 1.9. Outras (identificar detalhadamente) 2. Outras regalias e compensações 2.1. Plafond anual em comunicações móveis 2.2. Gastos de utilização de telefones 223,61 499,55 102,30 825, Subsídio de refeição 1.274, , , , Outros (identificar detalhadamente) Subsídio de Estudo 287,60 287,60 3. Encargos com benefícios sociais 3.1. Regime de proteção social , , , , Seguros de saúde 3.3. Seguros de vida 3.4. Seguros de acidentes pessoais 3.5. Outros (identificar detalhadamente) 4. Parque Automóvel 4.1. Marca 4.2. Modelo E250 CDI E250 CDI C250 CDI 4.3. Modalidade de Aquisição Renting Renting Renting 4.4. Ano de Início Ano Termo Valor da renda média mensal da viatura de serviço 790,75 758,33 694, Valor das rendas de viaturas de serviço 9.489, , , , Nº de meses a que o valor total das rendas pago com a viatura de serviço diz respeito Valor do combustível gasto com a viatura de serviço 983, , , ,00

7 4.10. Nº de meses a que o valor de combustível gasto com a viatura de serviço diz respeito Plafond anual de combustível atribuído Outros (identificar detalhadamente) Valor de portagens relativo a viatura de serviço 287,00 477,00 409, ,00 5. Informações Adicionais 5.1. Opção pela remuneração de origem (s/n) N N N 5.2. Remuneração ilíquida anual pelo ligar de origem 5.3. Regime de proteção social Segurança Social N N N Outro 5.4. Exercício de funções remuneradas fora grupo N N N 5.5. Outras (identificar detalhadamente) Ano de 2010 Vogal Vogal Vogal António Paulo Rosa Agostinho Pinheiro Manuel José de Sales Caldeira Maria Teresa Pires dos Valente TOTAL 1. Remuneração 1.1. Remuneração base anual/fixa , , , , Redução decorrente da Lei 12/ , , , , Remuneração anual efetiva ( ) , , , , Senha de presença 1.5. Acumulação de funções de gestão 1.6. Remuneração variável 1.7. IHT (isenção de horário de trabalho) 1.8. Outras (identificar detalhadamente) 2. Outras regalias e compensações 2.1. Plafond anual em comunicações móveis 2.2. Gastos de utilização de telefones 211,99 908,37 165, , Subsídio de refeição 1.352, , , , Outros (identificar detalhadamente) Subsídio de Estudo 256,70 256, Deslocações 1.584,90 529, ,40 3. Encargos com benefícios sociais 3.1. Regime de proteção social , , , , Seguros de saúde 3.3. Seguros de vida 3.4. Seguros de acidentes pessoais 3.5. Outros (identificar detalhadamente) 4. Parque Automóvel 4.1. Marca 4.2. Modelo E250 CDI E250 CDI C250 CDI

8 4.3. Modalidade de Aquisição Renting Renting Renting 4.4. Valor das rendas de viaturas de serviço , , , , Valor do combustível gasto com a viatura de serviço 1.374, , , , Plafond anual de combustível atribuído 4.7. Outros (identificar detalhadamente) Valor de portagens relativo a viatura de serviço 275,63 535,66 426, ,78 5. Informações Adicionais 5.1. Opção pela remuneração de origem (s/n) N N N 5.2. Remuneração ilíquida anual pelo ligar de origem 5.3. Regime de proteção social Segurança Social N N N Outro 5.4. Exercício de funções remuneradas fora grupo N N N 5.5. Outras (identificar detalhadamente) 3. Remuneração do Revisor Oficial de Contas (ROC) e Fiscal Único Serviços ROC e Fiscal Único (em euros e s/iva) Oliveira Rego & Associados, SROC

Estatuto remuneratório fixado

Estatuto remuneratório fixado Estatuto remuneratório fixado De acordo com o estabelecido pela Comissão de Vencimentos em 14 de abril de 2004, os membros dos Órgãos Sociais podem auferir as seguintes remunerações principais brutas:

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único Modelo de Governo II 2014-2016 Cargo Órgãos Sociais Eleição Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Francisca Passo Valente Carneiro Fernandes José Manuel Matos da Silva Sandra Bela de

Leia mais

Remunerações e outras regalias

Remunerações e outras regalias Remunerações e outras regalias 1. Mesa Assembleia Geral Não se aplica 2. Conselho de Administração Exercício de 2012 Adaptado ao EGP (Sim/Não) sim sim sim sim sim sim Remuneração Total (1.+2.+3.+4.) 69,863.78

Leia mais

Estatuto remuneratório fixado

Estatuto remuneratório fixado Estatuto remuneratório fixado O estatuto remuneratório dos órgãos sociais para o mandato 2015-2017, fixado por deliberação social unânime por escrito de 1 de julho de 2015, estabelece: 1. Mesa Assembleia

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice-Presidente Secretário Mesa da Assembleia-geral Não Aplicável Presidente Conselho de Administração Izabel Maria Nunes Rodrigues Daniel

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso.

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso. Modelo de Governo Mandato III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vogal (1) Vogal (2) Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso RCM nº8/2014 de 25.02

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE

RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE Relatório sobre o Governo da Sociedade 1. Missão, objectivos e políticas da empresa a) A Companhia das Lezírias (CL) na sua qualidade de maior empresa agrícola portuguesa

Leia mais

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12.

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12. Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente João Manuel Alves da Silveira Ribeiro 12/2015, de 12.02(*) 2015-2017 Vogal (1 Mário de Figueiredo Bernardes

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Modelo do Governo Mandato I - 2013-2015 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração Presidente: Fernando Manuel Marques Vogal Executivo: Diretora Clínica: Enfermeiro Diretor: Augusta

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração (1) (2) Director Clínico (3) Enf. Director (4) Eng. Joaquim Nabais Esperancinha Dr. António José Horta Lérias Eng. João

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Vice- Secretário Dra. Sara Alexandra Pereira Simões Duarte Ambrósio Dra. Rita Maria Pereira Silva Dr. Cláudio José Sarmento

Leia mais

Mesa da Assembleia Geral

Mesa da Assembleia Geral Mesa da Assembleia Geral Remuneração Anual ( ) Cargo (Início Fim) Fixada (1) Bruto Pago 2009-2011 (*) Presidente da Mesa Paulo Marques Fernandes 640 1.280 (2) 2009-2011 (*) Vice-Presidente António Lorena

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Secretário Professora Doutora Maria Helena Vaz de Carvalho Nazaré Dr. José Carlos Moreira Amaral (cessou

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração Modelo de Governo O modelo de governo adoptado pela Polis Litoral Norte é o modelo clássico, composto pelo Conselho de Administração, Assembleia Geral e Fiscal Único, constituindo estes os seus órgão sociais

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Margarida Fernanda Coelho Murta Rebelo da Silveira. José Gaspar Monteiro Rodrigues

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Margarida Fernanda Coelho Murta Rebelo da Silveira. José Gaspar Monteiro Rodrigues Modelo de Governo Mandato 2015 2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) Margarida Fernanda Coelho Murta Rebelo da Silveira

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Modelo de Governo Mandato (2014-2016) Quadro III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dra. Luísa Maria do Rosário

Leia mais

Perspectiva Fiscal SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA. de 2012. de 2012

Perspectiva Fiscal SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA. de 2012. de 2012 Perspectiva Fiscal SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA de de 2012 ÍNDICE SUJEIÇÃO CONCEITO DE REMUNERAÇÃO REMUNERAÇÃO ACESSÓRIA EXEMPLOS DE REMUNERAÇÕES SUJEITAS BREVE ANÁLISE DO CONCEITO DE REMUNERAÇÃO DO CÓDIGO

Leia mais

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins.

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Modelo de Governo MANDATO ATUAL (*) Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Vice- Conselho de Administração Dr. António Manuel Palma Ramalho Dr. José Serrano Gordo Eng.º José Luis Ribeiro dos Santos Dr. Alberto

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz Modelo de Governo Mandato I Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Secretário Presidente não Executivo Vogal Vogal Presidente Vogal Efetivo - ROC Vogal Efetivo Vogal Suplente - ROC Mesa da Assembleia

Leia mais

1: RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 1.1: MENSAGEM DO PRESIDENTE... 5 1.2: GOVERNO DA SOCIEDADE... 9 1.3: CUMPRIMENTO DAS ORIENTAÇÕES LEGAIS...

1: RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 1.1: MENSAGEM DO PRESIDENTE... 5 1.2: GOVERNO DA SOCIEDADE... 9 1.3: CUMPRIMENTO DAS ORIENTAÇÕES LEGAIS... 1: RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 1.1: MENSAGEM DO PRESIDENTE... 5 1.2: GOVERNO DA SOCIEDADE... 9 1.3: CUMPRIMENTO DAS ORIENTAÇÕES LEGAIS... 35 1.4: ATIVIDADE DESENVOLVIDA E PERSPETIVAS PARA 2012... 45 1.5:

Leia mais

Governo Mandato 2015 2017

Governo Mandato 2015 2017 Governo Mandato 2015 2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) Margarida Fernanda Coelho Murta Rebelo da Silveira José Gaspar

Leia mais

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015 Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01.REV/SIAC/2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM O PESSOAL TÉCNICO DO BENEFICIÁRIO E LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Nos termos

Leia mais

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático de Declaração de Remunerações (2016 V5.10) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Não aplicável

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Não aplicável Modelo de Governo Mandato 2007/2009 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice- Presidente Secretário Mesa da Assembleia Geral Não aplicável Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Director

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração Modelo de Governo Mandato 2015-2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) José Manuel de Araújo Cardoso Manuel Basto Carvalho

Leia mais

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 164.º, alínea d), 167.º, alínea g), e 169.º, n.º 2, da Constituição, o seguinte: Artigo

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS)

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 1 (DESPESAS ELEGÍVEIS) SISTEMA DE APOIO ÀS TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO AVISO NORTE - 46-2015 - 03 PROMOÇÃO DO ESPÍRITO EMPRESARIAL AVISO NORTE - 51-2015

Leia mais

As alterações do OE 2015 e da Lei 82-E/2014 com impacto nas relações laborais

As alterações do OE 2015 e da Lei 82-E/2014 com impacto nas relações laborais COELHO RIBEIRO E ASSOCIADOS SOCIEDADE CIVIL DE ADVOGADOS As alterações do OE 2015 e da Lei 82-E/2014 com impacto nas relações laborais CRA Coelho Ribeiro e Associados, SCARL Portugal Janeiro 2015 No passado

Leia mais

ORÇAMENTO DA DESPESA

ORÇAMENTO DA DESPESA 01 00 00 Administração Autárquica DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 255.313,99 01 01 Remunerações certas e permanentes 176.770,19 01 01 01 Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos

Leia mais

4: RELATÓRIO E PARECER DO CONSELHO FISCAL... 139

4: RELATÓRIO E PARECER DO CONSELHO FISCAL... 139 ÍNDICE 1: RELATÓRIO DE GESTÃO... 3 1.1: MENSAGEM DO PRESIDENTE... 5 1.2: GOVERNO DA SOCIEDADE... 9 1.3: OUTRAS DECLARAÇÕES OBRIGATÓRIAS... 33 1.4: ATIVIDADE DESENVOLVIDA E PERSPETIVAS PARA 2012... 43 1.5:

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à ordem 19.1. Depósitos à ordem 17.2. Depósitos a prazo 19.2. Depósitos a prazo

Leia mais

ESTATUTO REMUNERATÓRIO. Conselho de Administração remunerações globais mensais ilíquidas:

ESTATUTO REMUNERATÓRIO. Conselho de Administração remunerações globais mensais ilíquidas: ESTATUTO REMUNERATÓRIO Ao abrigo do artigo 8.º dos Estatutos da CP, aprovados pelo Decreto-Lei n.º 137- A/2009, de 12 de junho, conjugado com o n.º 2 do artigo 28.º do EGP, com a aplicação das regras constantes

Leia mais

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático de Declaração de Remunerações (2016 V5.16) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

Remunerações dos Gestores Públicos em 2011

Remunerações dos Gestores Públicos em 2011 Remunerações dos Gestores Públicos em 2011 Relatório 2012 Julho 2012 Ministério das Finanças Relatório sobre as Remunerações dos Gestores Públicos em 2011 é uma publicação da Direção-Geral do Tesouro e

Leia mais

APOIO PRINCIPAL: Orçamento do Estado 2013

APOIO PRINCIPAL: Orçamento do Estado 2013 APOIO PRINCIPAL: Orçamento do Estado 2013 AGENDA Redução Remuneratória Duodécimos Subsídio de Natal Faltas por Doença Subsídio de Férias IRS CES Horário de Trabalho Esclarecimentos Horário de Trabalho

Leia mais

Regime geral dos trabalhadores por conta de outrem

Regime geral dos trabalhadores por conta de outrem Gastos e operações com o pessoal Os recursos humanos implicam gastos: Remunerações fixas e/ou variáveis recebidas pelos trabalhadores vinculados à empresa por contrato individual de trabalho; Remunerações

Leia mais

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático de Declaração de Remunerações (2016 V5.4) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES)

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) 20.1. Linhas de crédito e contas correntes [Empréstimos a taxa variável] Linha PME Crescimento 2015 Euribor a 6 meses + Spread 2,700% a 4,300% Entre 2,611% e 4,254% Prazo Máximo: 4 anos (inclui possibilidade

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 10.45 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 10.45 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RELATIVA AO PONTO SEGUNDO DA ORDEM DOS TRABALHOS O Conselho de Administração da ALTRI, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral

Leia mais

Nota Informativa Nº 8 / GGF / 2012. ASSUNTO: SUBSÍDIO DE FÉRIAS E DE NATAL Artigo 21º da Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro

Nota Informativa Nº 8 / GGF / 2012. ASSUNTO: SUBSÍDIO DE FÉRIAS E DE NATAL Artigo 21º da Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro Nota Informativa Nº 8 / GGF / 2012 ASSUNTO: SUBSÍDIO DE FÉRIAS E DE NATAL Artigo 21º da Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro Tendo em atenção algumas dúvidas que têm vindo a ser colocadas pelas escolas sobre

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA DIRECÇÃO DO CENTRO SOCIAL DE TOLOSA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA DIRECÇÃO DO CENTRO SOCIAL DE TOLOSA REUNIÃO ORDINÁRIA DA DIRECÇÃO DO CENTRO SOCIAL DE TOLOSA 02/Dezembro/2014 ACTA N.º13/2014 Aos dois dias do mês de Novembro de dois mil e catorze, pelas vinte horas e trinta minutos, na Sede do Centro Social

Leia mais

Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais

Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais Tributações autónomas, gastos e encargos não fiscais Este trabalho pode auxiliá-lo numa tarefa nem sempre clara nem sempre fácil: o apuramento das tributações autónomas. Para tal, são-lhe apresentadas

Leia mais

FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA

FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA RECEITAS CORRENTES 01 Impostos directos 10.102,Oe 01 02 Outros 10.102,Oe 010208 imposto municipal imóveis (rústico) 1.000,00 010209 Imposto Municipal

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração Modelo de Governo Mandato 2012 (a partir de 25 de janeiro de 2012) - 2014 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) Margarida Fernanda

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 13.REV1/2011 SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS E METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM

Leia mais

Balancete Geral (Acumulado até Regularizações) - 2012

Balancete Geral (Acumulado até Regularizações) - 2012 Pág. 1/5 Data b.: 31-13-2012 11 Caixa 2.628,04 2.297,40 330,64 0,00 111 Caixa 2.628,04 2.297,40 330,64 0,00 Soma Líquida 2.628,04 2.297,40 330,64 0,00 Soma Saldos 330,64 0,00 12 Depósitos à ordem 152.341,84

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º /2011. Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras

RESOLUÇÃO N.º /2011. Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras RESOLUÇÃO N.º /2011 Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 12.00 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 12.00 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PONTO SEGUN DA ORDEM S TRABALHOS O Conselho de Administração da COFINA, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral que os resultados

Leia mais

Índice. 116 Demonstrações Financeiras Consolidadas 184 Relatório de Auditoria

Índice. 116 Demonstrações Financeiras Consolidadas 184 Relatório de Auditoria Relatório Anual 2012 Índice 5 Grupo TAP 6 Mensagem do Presidente do Conselho Geral e de Supervisão 8 Entrevista com o Presidente do Conselho de Administração Executivo 10 Estrutura acionista do Grupo

Leia mais

A ação da Docapesca cinge-se, fundamentalmente, a duas atividades de negócio:

A ação da Docapesca cinge-se, fundamentalmente, a duas atividades de negócio: I - GOVERNO DA SOCIEDADE PRINCÍPIOS DE BOM GOVERNO 1. MISSÃO, OBJETIVOS E POLÍTICAS DA EMPRESA ENQUADRAMENTO A Docapesca Portos e Lotas, SA é a entidade que, nos termos do Decreto-Lei n.º 107/90, de 27

Leia mais

NEWSLETTER Fevereiro 2014 SEGURANÇA SOCIAL 2014

NEWSLETTER Fevereiro 2014 SEGURANÇA SOCIAL 2014 NEWSLETTER Fevereiro 2014 SEGURANÇA SOCIAL 2014 SEGURANÇA SOCIAL 2014 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. ALTERAÇÕES SEGURANÇA SOCIAL 4 3. BASES DE INCIDÊNCIA 6 3 1. Introdução Com a entrada em vigor da Lei do Orçamento

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 11.00 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 11.00 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PONTO SEGUN DA ORDEM S TRABALHOS Nos termos legais e estatutários, o Conselho de Administração propõe que o Resultado Líquido

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA F. RAMADA INVESTIMENTOS, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 10:30 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA F. RAMADA INVESTIMENTOS, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 10:30 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA F. RAMADA INVESTIMENTOS, SGPS, S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PONTO SEGUN DA ORDEM S TRABALHOS da F. RAMADA INVESTIMENTOS, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral que o

Leia mais

União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela

União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela Pág. n.º 1 01 ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA... 769100,89 01 DESPESAS COM O PESSOAL:... 54506,91 01.01 Remunerações certas e permanentes:... 34358,38 01.01.01 Tit. de órgãos de soberania e m. de órgãos autárquicos

Leia mais

A partir de que momento devem os docentes contratados ser remunerados?

A partir de que momento devem os docentes contratados ser remunerados? CONTRATAÇÃO A partir de que momento devem os docentes contratados ser remunerados? Conforme decorre do disposto no n.º 11 do artigo 9.º do Decreto lei n.º 132/2012, de 27 de junho, na redação conferida

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ORGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO 1. Objectivos da Política de Remuneração dos órgãos de administração e fiscalização da Companhia de Seguros Açoreana, SA (

Leia mais

AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013)

AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013) AJUDAS DE CUSTO E SUBSÍDIOS DE REFEIÇÃO E VIAGEM (2013) Com a entrada em vigor da Lei do Orçamento do Estado para 2013 (n.º 66 -B/2012, de 31 de Dezembro de 2012), procedeu -se à actualização da remuneração

Leia mais

autoridade tributária e aduaneira

autoridade tributária e aduaneira Classificação: 000.05.02 Seg.: Pública Proc.: 20 13/2 Of.Circulado N.': 20 164 2013-02-07 Entrada Geral : N.o Identificação Fiscal (NIF): Sua Ref. a ; Técnico: MGN Exmos Senhores Subdiretores-Gerais Diretores

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE

CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE A tributação nesta Categoria de rendimentos é fundamentalmente baseada na existência de uma remuneração proveniente do trabalho por conta de outrém. A classificação como

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 11.45 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 14 DE ABRIL DE 2015, PELAS 11.45 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PONTO SEGUN DA ORDEM S TRABALHOS O Conselho de Administração da ALTRI, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral que o Resultado

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 2. EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida

NOTA TÉCNICA Nº 2. EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NOTA TÉCNICA Nº 2 EIXO 1 Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida NATUREZA E LIMITES MÁXIMOS DOS CUSTOS ELEGÍVEIS (Decreto - Regulamentar 84-A/2007, na sua atual redação e Despacho Conjunto das Secretarias

Leia mais

BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO Última atualização 15.04.2015 1 Tipos de bolsas 1.1 Quais os tipos de bolsas e montantes definidos no Regulamento das Bolsas? As bolsas distinguem-se de

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

Retribuir. Compensação. Recompensa. Ordenado. Remunerar

Retribuir. Compensação. Recompensa. Ordenado. Remunerar Gestão do sistema retributivo e de sistemas de incentivos Principais objectivos Benefícios directos e indirectos; fixos e variáveis Factores que afectam a remuneração Qualificação e avaliação de funções

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DE 17 DE ABRIL DE 2012

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DE 17 DE ABRIL DE 2012 PONTO UM DA ORDEM DE TRABALHOS: O Conselho de Administração propõe aos Senhores Accionistas: Apreciar, discutir e votar o Relatório de Gestão, o Balanço, as Demonstrações de Resultados, a Demonstração

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 13.REV2/2013 SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS E METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Modelo de Governo O CHBA integra o SNS (Serviço Nacional de Saúde), estando sujeito ao modelo de governo definido pela tutela. O CHBA, EPE opera desde 31-12-2005, em resultado da extinção dos hospitais

Leia mais

Associação de Solidariedade Social de Ferrel ORÇAMENTO 2016

Associação de Solidariedade Social de Ferrel ORÇAMENTO 2016 ORÇAMENTO 2016 ORÇAMENTO 2016 DADOS DO ORÇAMENTO Ano económico: 2016 Versão: Inicial Orgão deliberativo (Assembleia geral) Nome Cargo NIF Vitor Manuel Dias Ramos Presidente 204298652 Manuel Fernando Martins

Leia mais

Nota Informativa 2/2012 Maio 2012 DSAJAL/DAAL Setor Empresarial Local

Nota Informativa 2/2012 Maio 2012 DSAJAL/DAAL Setor Empresarial Local Nota Informativa 2/2012 Maio 2012 DSAJAL/DAAL Setor Empresarial Local Reduções remuneratórias I- Enquadramento ao Setor Empresarial Local O regime jurídico do setor empresarial local (SEL) 1 integra duas

Leia mais

Noções de Processamento Salarial

Noções de Processamento Salarial C A P Í T U L O I Noções de Processamento Salarial MANUAL PRÁTICO LIDEL n Noções de Processamento Salarial Apresentamos neste capítulo algumas noções básicas de processamento salarial na vertente administrativa

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 25 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013. Série. Número 181

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013. Série. Número 181 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 Série Suplemento Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA MADEIRA Decreto Legislativo Regional n.º 31/2013/M Segunda alteração ao

Leia mais

Código Contributivo Uma nova visão. Luís Leon 30 de Novembro de 2010 2010 Deloitte & Associados, SROC, SA

Código Contributivo Uma nova visão. Luís Leon 30 de Novembro de 2010 2010 Deloitte & Associados, SROC, SA Código Contributivo Uma nova visão Luís Leon 30 de Novembro de 2010 2 Novo Código Contributivo Tax Global Employer Services Alargamento da base contributiva Código Contributivo Aproximação ao Código do

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA CONTRATO 07/2013 EXERCÍCIO 2013 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 Número da Nota Fiscal emitida - - - - - - 92 99 110 121/133-157 - - Depósitos realizados

Leia mais

-----------------------------------Extracto da Acta número quarenta e dois-------------------- No dia quatro de Maio de dois mil e dez pelas

-----------------------------------Extracto da Acta número quarenta e dois-------------------- No dia quatro de Maio de dois mil e dez pelas -----------------------------------Extracto da Acta número quarenta e dois-------------------- No dia quatro de Maio de dois mil e dez pelas dezassete horas e dez minutos, reuniu na sede social sita na

Leia mais

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício Anexo à Instrução nº 5/96 IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os custos correntes do exercício 70 - JUROS E CUSTOS EQUIPARADOS 703 - Juros de recursos

Leia mais

Car Policy Benchmark

Car Policy Benchmark Car Policy Benchmark LeasePlan Consultancy Services André Freire 30 de Setembro 2015 LeasePlan Consultancy Services Serviços de Consultoria Em Portugal a LeasePlan iniciou a sua aposta nos serviços de

Leia mais

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Tipo de Propriedade 1ª Habitação Residência habitual do agregado familiar (habitação própria permanente). 2ª Habitação Residência não habitual do agregado familiar

Leia mais

Conta Gerência 2012 Liliana Silva Toc n.º 70105 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO 2012

Conta Gerência 2012 Liliana Silva Toc n.º 70105 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO 2012 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO 2012 1. Identificação da entidade: Designação: Fundação Padre Manuel Pereira Pinho e Irmã- Lar paroquial de Santa Maria Morada: Rua Padre Pinho,

Leia mais

FREGUESIA DE GÂMBIA-PONTES-ALTO DA GUERRA

FREGUESIA DE GÂMBIA-PONTES-ALTO DA GUERRA Despesas Orçamentais 505.374,37 Correntes 356.434,90 010300.0101010100 Meio Tempo - Presidente 8,546.02 010300.0101010200 Compensação mensal Secretário / Tesoureiro 5,275.68 010300.0102130100 Senhas de

Leia mais

Taxa reduzida em serviços de reparação de velocípedes

Taxa reduzida em serviços de reparação de velocípedes IVA Dedução em Viaturas de turismo Passa a ser possível a dedução integral do IVA em despesas relativas à aquisição, fabrico, importação, locação e transformação em viaturas ligeiras de passageiros ou

Leia mais

Município de Gouveia. Programa de apoio à criação de emprego no Concelho de Gouveia

Município de Gouveia. Programa de apoio à criação de emprego no Concelho de Gouveia Programa de apoio à criação de emprego no Concelho de Gouveia (Regulamento) Preâmbulo A promoção do desenvolvimento económico no Concelho de Gouveia está intimamente ligada à implementação de medidas de

Leia mais

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Conforme aprovado em Assembleia Geral de 22 de julho de 2011 e posterior alteração pela Deliberação Unânime por Escrito de 27 de junho de 2012. CAPÍTULO I Natureza,

Leia mais

Porque pensamos que é urgente e indispensável explicar e elucidar todos os portugueses

Porque pensamos que é urgente e indispensável explicar e elucidar todos os portugueses O Sindicato Nacional do Pessoal da Aviação Civil, que representa todos os Tripulantes de Cabina de Portugal associados àquela instituição recebeu um comentário que muito representa o sentimento geral dos

Leia mais

Exame de. Fiscalidade de Empresas 11

Exame de. Fiscalidade de Empresas 11 Exame de Fiscalidade de Empresas 11 (Época Especial para Alunos Finalistas) Ano Lectivo 2005/2006 16/09/2006 Prática Docentes: António Vítor Almeida Campos Carlos Manuel de Freitas Lázaro João Andrade

Leia mais

Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Popular de Moçambique e a República Portuguesa.

Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Popular de Moçambique e a República Portuguesa. Decreto n.º 87/79 de 20 de Agosto Acordo Especial de Cooperação no Domínio do Sector Eléctrico entre a República Portuguesa e a República Popular de Moçambique O Governo decreta, nos termos da alínea c)

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Não aplicável

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Não aplicável Modelo de Governo Mandato 2011/2013 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice- Presidente Secretário Mesa da Assembleia Geral Não aplicável Presidente Director Clínico Enfermeiro Director Vogal

Leia mais

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto *

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Nos termos da Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 26 de Julho, que aprovou o Programa para a Produtividade e o Crescimento da Economia, foi delineado

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 15/2015 de 23 de Janeiro de 2015 Considerando que o Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U dirigido a jovens recém-licenciados, mestres

Leia mais

Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649.

Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649. Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649.154 Jan..Agosto 54% 51% 46% 49% 45% 46% 280.821.456 124.481.637

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2015

OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2015 OFÍCIO CIRCULAR Nº 2 / DGPGF / 2015 Às Escolas Básicas e Secundárias. Agrupamentos de Escolas Escolas Profissionais Públicas. X X X DATA: 2015/janeiro/07 ASSUNTO: Processamento de Remunerações em 2015

Leia mais

DECRETO-LEI N.º 94-D/98,

DECRETO-LEI N.º 94-D/98, DECRETO-LEI N.º 94-D/98, de 17 de Abril Fundo de Apoio ao Estudante Ao definir as bases gerais do financiamento do ensino superior público, a Lei n.º 113/97, de 16 de Setembro, veio criar, enquadrando-o

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

SOCIEDADE DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO PORTO STCP, S.A.

SOCIEDADE DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO PORTO STCP, S.A. SOCIEDADE DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO PORTO STCP, S.A. RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS 1º SEMESTRE 2014 Índice 1 Relatório de Gestão... 3 1.1 CARACTERIZAÇÃO DAS PARTICIPAÇÕES SOCIAIS... 3 1.2 EVOLUÇÃO

Leia mais