EQUAÇÃO DO 2 GRAU. Seu primeiro passo para a resolução de uma equação do 2 grau é saber identificar os valores de a,b e c.

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EQUAÇÃO DO 2 GRAU. Seu primeiro passo para a resolução de uma equação do 2 grau é saber identificar os valores de a,b e c."

Transcrição

1 EQUAÇÃO DO GRAU Você já estudou em série nterior s equções do 1 gru, o gru de um equção é ddo pelo mior expoente d vriável, vej lguns exemplos: x + = 3 equção do 1 gru já que o expoente do x é 1 5x 8 = 4 equção do 1 gru já que o expoente do x é 1 x + x 3 = 0 equção do gru já que o mior expoente de x é x 3x = 0 equção do gru já que o mior expoente de x é 3x + = 4 equção do gru já que o mior expoente de x é Um equção do gru em su form genéric e reduzid present-se como x + bx + c = 0 ess é form de equção do gru n vriável x, nem sempre vriável será x el pode ser qulquer vriável, em físic por exemplo se us muito vriável t, ssim form genéric seri t + bt + c = 0. As letrs, b e c representm números reis e o nunc pode ser zero, pois se for zero, zero vezes qulquer termo é sempre zero ssim o termo x deixri de existir, por consequênci deixri de ser um equção do gru. Seu primeiro psso pr resolução de um equção do gru é sber identificr os vlores de,b e c. Observe que é coeficiente de x, ou sej, é o número que ntecede o x em qulquer posição que o x estej lembrndo que o sinl compnh o número. O vlor de b é o coeficiente de x, ou sej, é o número que ntecede o x em qulquer posição que o x estej lembrndo que o sinl compnh o número. O vlor de c nós chmmos de termo independente, pois ele não depende de x, pr identificr o vlor de c ele será o termo que não tenh vriável considerd n equção. Ex: x + 3x + 5 = 0 vej que =, b = 3 e c = 5 Ex: 3x 5x + = 0 vej que = 3, b = - 5( sinl de menos compnh) e c = Ex: - 4x 3 + x = 0 vej que = - 4, b = e c = - 3, vej que eu troquei n equção ordem dos termos b e c. lembre-se que o b compnh o x e compnh x em qulquer posição que eles estejm. Outr cois importnte, todos os três exemplos vistos cim tem vlor de.b e c neste cso dizemos que equção do gru é complet. Pois se el não tiver s três letrs, b e c são chmds de incomplets, vej exemplos de equções incomplets:

2 Ex: x + x = 0 vej que = e b = ess equção só tem dois termos, por isso é incomplet, o termo c não prece neste cso c é zero. Ex: 3x 5 = 0 vej que = 3 e c = -5 ess equção só tem dois termos, por isso é incomplet, o termo b não prece neste cso b é zero. Ex: 7x = 0 vej que neste exemplo só se tem um termo que é = 7 neste cso b é zero e c tmbém é zero. FORMA REDUZIDA DE UMA EQUAÇÃO DO GRAU Um equção do gru só poderá ser resolvid qundo estiver n su form reduzid, genericmente são três s forms reduzids, vej: x + bx + c = 0 equção complet x + bx = 0 equção incomplet, só tem e b. x + c = 0 equção incomplet, só tem e c. x = 0 equção incomplet, só tem Um equção n su form reduzid não poderá presentr, dois ou mis termos que tenh x, dois ou mis termos que tenh x, dois ou mis termos que tenh o termo independente. Ex: Reduzir su form norml equção 5x + 3 = x 5x + 7x 8. Vej que nest equção tem termos, pel form reduzid só pode ter no máximo três termos. Como se trt de um equção do gru vmos colocr todos os termos no 1 membro, lembre-se de um regr básic de equção quem troc de membro troc de sinl. Assim temos 5x x + 5x 7x = 0 vej que eu já comecei colocr n ordem 1 foi os termos de, depois os termos de b e por ultimo os termos de c. Agor vmos resolver os termos semelhntes, plicndo s operções de números inteiros 5x x, +5x 7x e Ficndo ssim 3x x + 11 = 0 ess é form reduzid é um equção complet e está no ponto de ser resolvid. Ex: Reduzir su form norml equção ( x 3 ) 3 ( x 5 ) = 7 Elimin os prênteses fzendo multiplicção conforme indicdo, não esqueç de fzer jogo de sinl. x x + 15 = 7, orgnizndo x x = 0 resolvendo

3 4x + = 0 form reduzid e incomplet. Ex: Reduzir su form norml equção ( x + ) = ( x 3 ).( x + 3 ) Neste exemplo prece no 1 membro um qudrdo d som e no um produto d som pel diferenç (produtos notáveis ssunto d série nterior). ( 1 termo ) +. ( 1 termo ). ( termo ) + ( termo ) = ( 1 termo ) - ( termo ) (x) +. x. + = x 3 resolvendo s potêncis e s multiplicções 4x + 8x + 4 = x 9 orgnizndo 4x x + 8x = 0 reduzindo os termos semelhntes 3x + 8x + 13 = 0 equção reduzid e pront pr ser resolvid. Ex: Reduzir su form norml equção x + x 3 3 = 1 Qundo presentr denomindor, devemos tirr o mmc e colocr ele pr os dois membros, dividir pelo denomindor e multiplicr pelo numerdor. Vej como fic x + 3( x 3) = 1 eliminmos os denomindores x + 3( x 3) = 1resolvemos gor multiplicção +3(x 3) x + 3x 9 = 1 orgnizndo 3x + x 9 1 = 0, resolvendo os termos semelhntes 3x + x 10 = 0 ess é form reduzid. EQUAÇÕES INCOMPLETAS RESOLUÇÃO DA EQUAÇÕES DO GRAU ATENÇÃO: Primeiro devemos colocr s equções n form reduzid pr depois resolver. Você viu que s equções incomplets são de três tipos x = 0, x + c = 0 e x + b = 0 A equção x + c = 0 como el só present e c dizemos que el é um equção do tipo c, Vej no psso psso como seri resolução.

4 Ex: Resolver no conjunto dos reis equção x 49 = 0 x 49 = 0 seprmos s vriáveis, ou sej o termo c vi pr o membro x = 49 o expoente tmbém vi pr o membro e vir ± x = ± 49 resolvendo riz temos x = ± 7 logo S = { 7, - 7 } Ex: Resolver no conjunto dos reis equção x 50 = 0 x 50 = 0 seprndo s vriáveis de não vriáveis x = 50 o que está multiplicndo o x vi pr o membro dividir 50 x = resolvendo divisão x = 5 o expoente tmbém vi pr o membro e vir ± x = ± 5 resolvendo riz temos x = ± 5 logo S = { 5, - 5 } Ex: Resolver no conjunto dos reis equção x + 4 = 0 x + 4 = 0 seprndo s vriáveis de não vriáveis x = - 4 o expoente tmbém vi pr o membro e vir ± x = ± 4 ATENÇÃO: Não existe riz qudrd de número negtivo no conjunto dos reis, portnto equção não tem solução. Logo solução é um conjunto vzio, S = { }. A equção x + bx = 0 como el só present e b dizemos que el é um equção do tipo b, utilizremos pr resolução desse tipo de equção um conteúdo visto em série nterior chmdo de ftor comum.vej no psso psso como seri resolução. Ex: Resolver no conjunto dos reis equção x + x = 0 x + x = 0 ftor comum é um número ou letr que estej em todos os termos pós ftorção no cso ftorndo temos x.x + x = 0 tem x nos dois termos ele é o ftor comum. colocmos o ftor comum em evidenci, pegmos então cd termo d equção e dividimos pelo ftor comum, x : x = x e x : x = esses resultdos ficm dentro de prêntese. x. ( x + ) = 0 cd termo o x e o x + será igul zero. x = 0 e x + = 0 resolve ess equção e fic x = logo S = { 0, }

5 Ex: Resolver no conjunto dos reis equção x + x = 0 x + x = 0 ftorndo temos.x.x +.3.x = 0 colocmos o ftor comum x em evidenci, pegmos então cd termo d equção e dividimos pelo ftor comum, x : x = x e x : x = 3 esses resultdos ficm dentro de prêntese. x. ( x + 3 ) = 0 cd termo o x e o x + 3 será igul zero. x = 0 resolvendo e x + 3 = 0 resolvendo x = 0 x = - 3 x = 0 logo S = { 0, - 3 } EQUAÇÕES COMPLETAS Pr resolução de equções complets utilizremos FÓRMULA DE BHASKARA com ess fórmul tmbém podemos resolver equções incomplets. x b ± = o símbolo que está dentro d riz é um letr greg chmd de delt e trtd dentro d fórmul de Bhskr é chmd de DISCRIMINANTE. O vlor do discriminnte é clculdo pel expressão b 4..c ssim temos que = b 4c Resolver no conjunto dos reis equção x 5x + = 0 1 você deve identificr vlores de, b e c. = 1, b = - 5 e c =, vmos substituir esses vlores n fórmul do, outr cois qundo letr tiver vlor negtivo coloque dentro de prêntese. = b 4c substituindo os vlores de, b e c = ( 5) 4.1. resolvendo potênci e multiplicção = 5 4 resolvendo =1 gor que temos o vmos substituí-lo n fórmul b ± x =

6 b ± x = qundo for substituir o vlor de b cuiddo, tem o - d fórmul e o - de 5 ( 5) ± 1 x = eliminmos o prêntese com jogo de sinl, resolve riz e fz.1 multiplicção 5 ±1 x = vej que tem um sinl de + e outro de -, ssim vmos ter x e x 5 +1 x = som e x = resolve divisão 5 1 x = subtri 4 x = resolve divisão x = 3 x = S = {, 3 } Resolver no conjunto dos reis equção x 3x 10 = 0 1 você deve identificr vlores de, b e c. = 1, b = - 3 e c = - 10, vmos substituir esses vlores n fórmul do, outr cois qundo letr tiver vlor negtivo coloque dentro de prêntese. = b 4c substituindo os vlores de, b e c = ( 3) 4.1.( 10) resolvendo potênci e multiplicção = resolvendo = 49 gor que temos o vmos substituí-lo n fórmul b ± x = b ± x = qundo for substituir o vlor de b cuiddo, tem o - d fórmul e o - de 3 ( 3) ± 49 x = eliminmos o prêntese com jogo de sinl, resolve riz e fz.1 multiplicção 3± 7 x = vej que tem um sinl de + e outro de -, ssim vmos ter x e x 3+ 7 x = som 3 7 x = subtri e conserv o sinl do mior vlor bsoluto

7 10 x = resolve divisão 4 x = resolve divisão x = 5 x = Logo S = { -, 5 } 7 1 Resolver no conjunto dos reis equção x x + = 0 3 Neste cso temos que 1 orgnizr equção, tirmos o mmc que é coloc um mmc pr cd membro, divide por cd denomindor e multiplic pelo numerdo. x 7x + = 0 eliminmos os denomindores e temos um equção pront x 7x + = 0 qui temos =, b = - 7 e c = clculndo o delt temos = ( 7) 4.. resolvendo potênci e multiplicção = temos então =1 gor que temos o vmos substituí-lo n fórmul b ± x = b ± x = qundo for substituir o vlor de b cuiddo, tem o - d fórmul e o - de 7 ( 7) ± 1 x = eliminmos o prêntese com jogo de sinl, resolve riz e fz. multiplicção 7 ±1 x = vej que tem um sinl de + e outro de -, ssim vmos ter x e x x = som 1 8 x = simplific frção por 4 1 x = x = subtri 1 x = simplific frção por 1 1 x = Logo S = { 3, 1 }

8 Resolver no conjunto dos reis equção x 4x + 4 = 0 = b 4c clculmos o vlor do delt = ( 4) resolve potênci e multiplicção =1 1 temos então = 0 gor que temos o vmos substituí-lo n fórmul b ± x = ( 4) ± 0 x = eliminmos o prêntese com jogo de sinl, resolve riz e fz.1 multiplicção 4 ± 0 x = vmos clculr x e x x = som 4 x = divide 4 0 x = subtri 4 x = divide x = x = OBS: qundo = 0 equção present x = x logo solução é só o,não se coloc no conjunto solução elemento repetido S = { }. Resolver no conjunto dos reis equção x + x + 5 = 0 = b 4c clculmos o vlor do delt = resolve potênci e multiplicção =1 0 resolvendo temos = 4 S = não existe ATENÇÃO: Qundo o delt é negtivo equção não present solução nos reis, pois não existe no reis 4.

9 ESTUDO DAS RAÍZES Se você observr s equções que cbmos de resolver, existe equções que presentrm em su solução x e x, teve um que presentou x = x e outro que não presentou solução. O estudo ds rízes está relciondo esss soluções, n relidde els se comportm desss três forms por cus do DELTA, vej: Qundo delt é mior que zero ( > 0 ), ou sej, positivo equção present DUAS RAÍZES REAIS E DIFERENTES. Qundo delt é igul zero ( = 0 ), ou sej, nulo equção present DUAS RAÍZES REAIS E IGUAIS. Qundo delt é menor que zero ( < 0 ), ou sej, negtivo equção NÃO APRESENTA RAÍZES REAIS. Vej exemplos de plicção desse estudo: Dd equção x x k = 0, Qul deve ser o vlor de k pr que equção dus rízes reis e diferentes? Pr que equção tenh dus rízes reis e diferentes é necessário ter > 0, ou sej: b 4.. c > 0 substituindo os vlores = 1, b = - e c = - k ( - ) ( -k ) > 0 resolvendo potênci e multiplicção(jogo de sinl) 3 + 4k > 0 virou um inequção do 1 gru, sepr vriável de não vriável 4k > - 3 o 4 que está multiplicndo k, troc de membro e vi divide K > K > é só resolver divisão 4 OBS: isso que dizer que se você substitui o vlor de k n equção por qulquer vlor mior que - 9 o DELTA vi ser positivo portnto terá x e x. Dd equção x 4x + k + = 0, Qul deve ser o vlor de k pr que equção não tenh rízes reis? Pr que equção não tenh rízes reis é necessário ter < 0, ou sej: b 4.. c < 0 substituindo os vlores = 1, b = - 4 e c = k + OBS: sempre que substituímos, b e c se for negtivo ou tiver dois termos que é o cso do vlor de c devemos colocr dentro de prêntese. ( - 4 ) ( k + ) < 0 resolvendo potênci e multiplicção

10 1 4 ( k + ) < 0 eliminmos o prêntese multiplicndo pelo 4 (com o jogo de sinl) 1 4k 8 < 0 seprndo vriável de não vriável - 4k < resolvendo no membro - 4k < - 8 o 1 membro d inequção é negtivo ( 4k ), devemos então multiplicá-l por 1 e i CUIDADO o sinl de < mud de sentido pss ser >. 4k > 8 o 4 vi dividir K > 4 8 finlmente K > Dd equção kx + x + 3 = 0, Qul deve ser o vlor de k pr que equção tenh dus rízes reis e iguis? Pr que equção tenh dus rízes reis e iguis é necessário ter = 0, ou sej: b 4.. c = 0 substituindo os vlores = k, b = e c = 3 4. k. 3 = 0 resolvendo potênci e multiplicção 3 1 k = 0 sepr vriável de não vriável - 1 k = - 3 multiplic por 1 1k = 3 o 1 vi dividir 3 K = finlizndo 1 K = 3 Dd equção x + kx + 9 = 0, Qul deve ser o vlor de k pr que equção tenh dus rízes reis e diferentes? Pr que equção tenh dus rízes reis e diferentes é necessário ter > 0, ou sej: b 4.. c > 0 substituindo os vlores = 1, b = K e c = 9 ( k ) > 0 resolvendo potênci e multiplicção ( com jogo de sinl) 4k - 3 > 0 virou um equção do do tipo AC, sepr s vriáveis 4k > 3 o 4 vi dividir K 3 > resolve divisão 4

11 K > 9 o expoente vir ± K > ± 9 resolvendo riz temos K > ± 3 RELAÇÃO ENTRE COEFICIENTES E RAIZES SOMA E PRODUTO DAS RAÍZES Como você já viu equção pode ter x e x e som ou produto desss rízes é dd trvés de um relção com os coeficientes d equção que são os vlores de, b e c. RELAÇÃO DA SOMA DAS RAÍZES Pel fórmul de Bhskr b x = b ± x = nós podemos ter b + x = e b + b + Logo x + x = + dição de frção com o mesmo denomindor, conservmos os denomindores e sommos os numerdores b + b + x + x = resolvendo b b = -b e + = 0 b x + x = simplificndo frção temos então A relção d som é x + x = b RELAÇÃO DO PRODUTO DAS RAÍZES Pel fórmul de Bhskr b x = b ± x = nós podemos ter b + x = e b + b Logo x. x =. multiplicção de frção, multiplicmos numerdor com numerdor e denomindor com denomindor.

12 ( b + ).( b ) x. x = no numerdor temos um produto d som pel diferenç ().() pel regr dos produtos notáveis temos ( b) ( ) que vi dr b b x. x = gor vmos substituir por b -4c dentro de prêntese por cus do 4 sinl b ( b 4c) x. x = eliminmos o prêntese com jogo de sinl 4 b b + 4c x. x = eliminndo b e simplificndo 4 por 4 temos então 4 A relção do produto x. x = c Exemplos de plicção Dd equção x 7x + 10 = 0 sem resolver equção determine o vlor d som e o produto ds rízes. SOMA PRODUTO X + X = X + X = b c substitui vlores de e b X. X = substitui vlores de e c ( 7) 10 fz jogo de sinl e divide X. X = fz divisão 1 1 X + X = 7 X. X = 10 Se você resolver equção verá que solução del é e 5, vej se somr d 7 e se multiplicr dr 10. Dd equção x 1x + 0 = 0 sem resolver equção determine o vlor d som e o produto ds rízes. SOMA PRODUTO X + X = X + X = b c substitui vlores de e b X. X = substitui vlores de e c ( 1) 0 fz jogo de sinl e divide X. X = fz divisão X + X = X. X = 10

13 Clcule o vlor de K n equção x + Kx + 1 = 0 pr que som ds rízes sej igul -7. A questão forneceu que som ds rízes é -7, ssim temos que x + x = - 7 Pel relção x + x = b substituímos x +x por -7 e por 1 e b por K K 7 = temos então 7 = K multiplicndo por -1 1 K = 7 Clcule o vlor de K n equção kx + 1x + 1 = 0 pr que o produto ds rízes sej igul 8. A questão forneceu que o produto ds rízes é 8, ssim x. x = 8 Pel relção x. x = c substituímos x. x por 8, c por 1 e por K 1 8 = temos qui um proporção,multiplicmos os meios pelo os extremos K 8K = 1 o 8 vi dividir 1 K = resolve divisão 8 K = Clcule o vlor de K n equção x 9x + K = 0 pr que diferenç entre mior e menor riz sej 1. Considerndo que x sej mior e x sej menor riz temos então que x x = 1 Podemos considerr que temos um equção com dus vriáveis x e x pr termos o vlor de um dess vriáveis é necessário ter um outr equção com s mesms dus b vriáveis, podemos então usr relção x + x = substituído o b e o temos x + x = 9 como temos dus equção com dus vriáveis formmos então um sistem de equção x x = 1 resolvendo o sistem pelo método d dição (vej como x + x = 9 resolver sistems no conteúdo de sistem de equção n prte II ) vmos ter x = 10 resolvendo vmos ter x = 5 Substituímos n equção dd o vlor de x que encontrmos e clculmos o vlor de K

14 x 9x + K = 0 substituindo então vmos ter k = 0 resolvemos potênci e multiplicção K = 0 seprndo s vriáveis temos K = 45 5 logo K = 0 Clcule o vlor de K n equção x 9x + K = 0 de modo que um ds rízes sej o dobro d outr. Se um riz é o dobro d outr então temos que x = x utilizmos relção d som b pr encontrr outr equção x + x = substituído o b e o temos x + x = 9 como temos dus equção com dus vriáveis formmos então um sistem x = x de equção neste cso vmos substituir o x por x n segund equção. x + x = 9 x + x = 9 substituindo o x por x x + x = 9 somndo x +x temos 3x 3x = 9 resolvendo temos X = 3 Substituímos o x por 3 n equção dd x 9x + K = 0 substituindo K = 0 resolvendo potênci e multiplicção K = 0 seprndo s vriável de não vriável K = 7 9 logo K = 18 Clcule o vlor de K n equção x 5x + K = 0 pr que som dos inversos ds rízes sej Se riz é x então seu inverso é e o inverso de x é questão diz que som x x 5 dos inversos é então teremos

15 = no 1 membro temos um dição de frção com denomindores diferentes x x tirmos então o mmc de x e x que x. x vmos dividir pelo denomindor e multiplicr pelo numerdor, pens no 1 membro ssim x.x dividido por x é igul x e x.x dividido por x é igul x x + x 5 = x. x substituindo gor temos que clculr x + x que dr 5 e x. x que dr K 5 5 = K multiplicmos os meios pelos extremos 5K = 30 o 5 vi dividir 30 K = logo 5 K = FORMAÇÃO DE UMA EQUAÇÃO DO GRAU Tendo o conhecimento dos vlores de x e de x podemos formr equção do gru trvés d relção d som e do produto ds rízes. Chmndo X + X de S (de som ) e X. X de P ( de produto ) utilizremos fórmul x Sx + P = 0 pr formr equção. Obter equção do gru em que sus rízes sejm e 3. Devemos clculr S e P S = x + x P = x. x S = + 3 P =. 3 S = 5 P = Substituímos S e P n fórmul x Sx + P = 0 x - 5x + = 0 ess é equção procurd Obter equção do gru em que sus rízes sejm 3 e - 5. Devemos clculr S e P S = x + x P = x. x S = 3 + ( - 5 ) fz jogo de sinl P = 3. (- 5 )

16 S = 3 5 P = - 15 S = - Substituímos S e P n fórmul x Sx + P = 0 x - ( - )x + ( - 15 ) = 0 eliminmos os prênteses com jogo de sinl x + x 15 = 0 ess é equção procurd 1 1 Obter equção do gru em que sus rízes sejm e 4 Clculndo S e P S = X + X P = X. X s = + denomindores diferente tir mmc p =. resolve 4 4 multiplicção +1 s = resolve o numerdor 4 1 p = 8 3 s = Substituímos S e P n fórmul x Sx + P = x x + = 0 devemos reduzir equção su form norml tirndo o mmc 4 8 8x x + 1 = eliminmos os denomindores 8x x + 1 = 0 gor sim temos equção procurd.

FUNÇÃO DO 2º GRAU OU QUADRÁTICA

FUNÇÃO DO 2º GRAU OU QUADRÁTICA FUNÇÃO DO º GRAU OU QUADRÁTICA - Definição É tod função do tipo f() = + + c, com *, e c. c y Eemplos,, c números e coeficient termo vr vr iável iável es independen reis indepemdem dependente de te ou te

Leia mais

MATEMÁTICA. Professor : Dêner Rocha. Monster Concursos 1

MATEMÁTICA. Professor : Dêner Rocha. Monster Concursos 1 MATEMÁTICA Professor : Dêner Roch Monster Concursos Adição e Subtrção de Números Inteiros ) (+) + (+7) = + + 7 = +0 (tirmos os prentes e conservmos os sinis dos números) b) (-9) + (-8) = - 9-8 = -7 (tirmos

Leia mais

Um disco rígido de 300Gb foi dividido em quatro partições. O conselho directivo ficou. 24, os alunos ficaram com 3 8

Um disco rígido de 300Gb foi dividido em quatro partições. O conselho directivo ficou. 24, os alunos ficaram com 3 8 GUIÃO REVISÕES Simplificção de expressões Um disco rígido de 00Gb foi dividido em qutro prtições. O conselho directivo ficou com 1 4, os docentes ficrm com 1 4, os lunos ficrm com 8 e o restnte ficou pr

Leia mais

Área entre curvas e a Integral definida

Área entre curvas e a Integral definida Universidde de Brsíli Deprtmento de Mtemátic Cálculo Áre entre curvs e Integrl definid Sej S região do plno delimitd pels curvs y = f(x) e y = g(x) e s rets verticis x = e x = b, onde f e g são funções

Leia mais

EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS

EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES POLINOMIAIS Um dos grndes problems de mtemátic n ntiguidde er resolução de equções polinomiis. Encontrr um fórmul ou um método pr resolver tis equções er um grnde desfio. E ind hoje

Leia mais

Prof. Ms. Aldo Vieira Aluno:

Prof. Ms. Aldo Vieira Aluno: Prof. Ms. Aldo Vieir Aluno: Fich 1 Chmmos de mtriz, tod tbel numéric com m linhs e n coluns. Neste cso, dizemos que mtriz é do tipo m x n (onde lemos m por n ) ou que su ordem é m x n. Devemos representr

Leia mais

EQUAÇÃO DO 2 GRAU ( ) Matemática. a, b são os coeficientes respectivamente de e x ; c é o termo independente. Exemplo: x é uma equação do 2 grau = 9

EQUAÇÃO DO 2 GRAU ( ) Matemática. a, b são os coeficientes respectivamente de e x ; c é o termo independente. Exemplo: x é uma equação do 2 grau = 9 EQUAÇÃO DO GRAU DEFINIÇÃO Ddos, b, c R com 0, chmmos equção do gru tod equção que pode ser colocd n form + bx + c, onde :, b são os coeficientes respectivmente de e x ; c é o termo independente x x x é

Leia mais

Bhaskara e sua turma Cícero Thiago B. Magalh~aes

Bhaskara e sua turma Cícero Thiago B. Magalh~aes 1 Equções de Segundo Gru Bhskr e su turm Cícero Thigo B Mglh~es Um equção do segundo gru é um equção do tipo x + bx + c = 0, em que, b e c são números reis ddos, com 0 Dd um equção do segundo gru como

Leia mais

MATEMÁTICA. Equações do Segundo Grau. Professor : Dêner Rocha. Monster Concursos 1

MATEMÁTICA. Equações do Segundo Grau. Professor : Dêner Rocha. Monster Concursos 1 MATEMÁTICA Equções do Segundo Gru Professor : Dêner Roh Monster Conursos 1 Equções do segundo gru Ojetivos Definir equções do segundo gru. Resolver equções do segundo gru. Definição Chm-se equção do º

Leia mais

Definição: uma permutação do conjunto de inteiros {1, 2,..., n} é um rearranjo destes inteiros em alguma ordem sem omissões ou repetições.

Definição: uma permutação do conjunto de inteiros {1, 2,..., n} é um rearranjo destes inteiros em alguma ordem sem omissões ou repetições. DETERMINANTES INTRODUÇÃO Funções determinnte, são funções reis de um vriável mtricil, o que signific que ssocim um número rel (X) um mtriz qudrd X Sus plicções envolvem crcterizção de mtriz invertível,

Leia mais

Recordando produtos notáveis

Recordando produtos notáveis Recordndo produtos notáveis A UUL AL A Desde ul 3 estmos usndo letrs pr representr números desconhecidos. Hoje você sbe, por exemplo, que solução d equção 2x + 3 = 19 é x = 8, ou sej, o número 8 é o único

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

Propriedades Matemáticas

Propriedades Matemáticas Proprieddes Mtemátics Guilherme Ferreir guifs2@hotmil.com Setembro, 2018 Sumário 1 Introdução 2 2 Potêncis 2 3 Rízes 3 4 Frções 4 5 Produtos Notáveis 4 6 Logritmos 5 6.1 Consequêncis direts d definição

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES DETERMINANTES

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES DETERMINANTES Universidde Federl do Rio Grnde FURG Instituto de Mtemátic, Esttístic e Físic IMEF Editl - APES DETERMINANTES Prof Antônio Murício Medeiros Alves Profª Denise Mri Vrell Mrtinez Mtemátic Básic pr iêncis

Leia mais

( 2 5 ) simplificando a fração. Matemática A Extensivo V. 8 GABARITO. Matemática A. Exercícios. (( ) ) trocando a base log 5 01) B 04) B.

( 2 5 ) simplificando a fração. Matemática A Extensivo V. 8 GABARITO. Matemática A. Exercícios. (( ) ) trocando a base log 5 01) B 04) B. Mtemátic A Etensivo V. Eercícios 0) B 0) B f() = I. = y = 6 6 = ftorndo 6 = = II. = y = 6 = 6 = pel propriedde N = N = De (I) e (II) podemos firmr que =, então: ) 6 = = 6 ftorndo 6 = = pel propriedde N

Leia mais

MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES PROF. JORGE WILSON

MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES PROF. JORGE WILSON MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES PROF. JORGE WILSON PROFJWPS@GMAIL.COM MATRIZES Definição e Notção... 11 21 m1 12... 22 m2............ 1n.. 2n. mn Chmmos de Mtriz todo conjunto de vlores, dispostos

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES MATRIZES

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 - CAPES MATRIZES Universidde Federl do Rio Grnde FURG Instituto de Mtemátic, Esttístic e Físic IMEF Editl - CAPES MATRIZES Prof. Antônio Murício Medeiros Alves Profª Denise Mri Vrell Mrtinez Mtemátic Básic pr Ciêncis Sociis

Leia mais

Aula 1 - POTI = Produtos Notáveis

Aula 1 - POTI = Produtos Notáveis Aul 1 - POTI = Produtos Notáveis O que temos seguir são s demonstrções lgébrics dos sete principis produtos notáveis e tmbém prov geométric dos três primeiros. 1) Qudrdo d Som ( + b) = ( + b) * ( + b)

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Vetores e Álgebra Linear Prof a : Msc. Merhy Heli Rodrigues Determinantes

Universidade Federal de Pelotas Vetores e Álgebra Linear Prof a : Msc. Merhy Heli Rodrigues Determinantes Universidde Federl de Pelots Vetores e Álgebr Liner Prof : Msc. Merhy Heli Rodrigues Determinntes Determinntes Definição: Determinnte é um número ssocido um mtriz qudrd.. Determinnte de primeir ordem Dd

Leia mais

Função Modular. x, se x < 0. x, se x 0

Função Modular. x, se x < 0. x, se x 0 Módulo de um Número Rel Ddo um número rel, o módulo de é definido por:, se 0 = `, se < 0 Observção: O módulo de um número rel nunc é negtivo. Eemplo : = Eemplo : 0 = ( 0) = 0 Eemplo : 0 = 0 Geometricmente,

Leia mais

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes

Material envolvendo estudo de matrizes e determinantes E. E. E. M. ÁREA DE CONHECIMENTO DE MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROFESSORA ALEXANDRA MARIA º TRIMESTRE/ SÉRIE º ANO NOME: Nº TURMA: Mteril envolvendo estudo de mtrizes e determinntes INSTRUÇÕES:. Este

Leia mais

Aula 10 Estabilidade

Aula 10 Estabilidade Aul 0 Estbilidde input S output O sistem é estável se respost à entrd impulso 0 qundo t Ou sej, se síd do sistem stisfz lim y(t) t = 0 qundo entrd r(t) = impulso input S output Equivlentemente, pode ser

Leia mais

DETERMINANTES. Notação: det A = a 11. Exemplos: 1) Sendo A =, então det A = DETERMINANTE DE MATRIZES DE ORDEM 2

DETERMINANTES. Notação: det A = a 11. Exemplos: 1) Sendo A =, então det A = DETERMINANTE DE MATRIZES DE ORDEM 2 DETERMINANTES A tod mtriz qudrd ssoci-se um número, denomindo determinnte d mtriz, que é obtido por meio de operções entre os elementos d mtriz. Su plicção pode ser verificd, por exemplo, no cálculo d

Leia mais

Resolução Numérica de Sistemas Lineares Parte I

Resolução Numérica de Sistemas Lineares Parte I Cálculo Numérico Resolução Numéric de Sistems ineres Prte I Prof. Jorge Cvlcnti jorge.cvlcnti@univsf.edu.br MATERIA ADAPTADO DOS SIDES DA DISCIPINA CÁCUO NUMÉRICO DA UFCG - www.dsc.ufcg.edu.br/~cnum/ Sistems

Leia mais

1. Conceito de logaritmo

1. Conceito de logaritmo UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DE MATEMÁTICA Logritmos Prof.: Rogério

Leia mais

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR

COLÉGIO OBJETIVO JÚNIOR COLÉGIO OJETIVO JÚNIOR NOME: N. o : DT: / /0 FOLHETO DE MTEMÁTIC (V.C. E R.V.) 9. o NO Este folheto é um roteiro pr você recuperr o conteúdo trblhdo em 0. Como ele vi servir de bse pr você estudr pr s

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M24 Equações Polinomiais. 1 (PUC-SP) No universo C, a equação

Matemática. Resolução das atividades complementares. M24 Equações Polinomiais. 1 (PUC-SP) No universo C, a equação Resolução ds tividdes complementres Mtemátic M Equções Polinomiis p. 86 (PUC-SP) No universo C, equção 0 0 0 dmite: ) três rízes rcionis c) dus rízes irrcionis e) um únic riz positiv b) dus rízes não reis

Leia mais

Marcus Vinícius Dionísio da Silva (Angra dos Reis) 9ª série Grupo 1

Marcus Vinícius Dionísio da Silva (Angra dos Reis) 9ª série Grupo 1 Mrcus Vinícius Dionísio d Silv (Angr dos Reis) 9ª série Grupo 1 Tutor: Emílio Ruem Btist Júnior 1. Introdução: Este plno de ul tem o ojetivo gerl de mostrr os lunos um processo geométrico pr resolução

Leia mais

Comprimento de arco. Universidade de Brasília Departamento de Matemática

Comprimento de arco. Universidade de Brasília Departamento de Matemática Universidde de Brsíli Deprtmento de Mtemátic Cálculo Comprimento de rco Considerefunçãof(x) = (2/3) x 3 definidnointervlo[,],cujográficoestáilustrdo bixo. Neste texto vmos desenvolver um técnic pr clculr

Leia mais

Incertezas e Propagação de Incertezas. Biologia Marinha

Incertezas e Propagação de Incertezas. Biologia Marinha Incertezs e Propgção de Incertezs Cursos: Disciplin: Docente: Biologi Biologi Mrinh Físic Crl Silv Nos cálculos deve: Ser coerente ns uniddes (converter tudo pr S.I. e tender às potêncis de 10). Fzer um

Leia mais

NÃO existe raiz real de um número negativo se o índice do radical for par.

NÃO existe raiz real de um número negativo se o índice do radical for par. 1 RADICIAÇÃO A rdicição é operção invers d potencição. Sbemos que: ) b) Sendo e b números reis positivos e n um número inteiro mior que 1, temos, por definição: sinl do rdicl n índice Qundo o índice é,

Leia mais

Fundamentos da Matemática

Fundamentos da Matemática Fundmentos d Mtemátic PROF. VLAMIR TEIXEIRA º SEMESTRE LETIVO: 0 ÍNDICE. CONJUNTOS NUMÉRICOS.... INTERVALOS.... EXERCÍCIOS.... EXPRESSÕES ALGÉBRICAS E REVISÃO GERAL PROPRIEDADES BÁSICAS DA ÁLGEBRA: ADIÇÃO,

Leia mais

ALGEBRA LINEAR AUTOVALORES E AUTOVETORES. Prof. Ademilson

ALGEBRA LINEAR AUTOVALORES E AUTOVETORES. Prof. Ademilson LGEBR LINER UTOVLORES E UTOVETORES Prof. demilson utovlores e utovetores utovlores e utovetores são conceitos importntes de mtemátic, com plicções prátics em áres diversificds como mecânic quântic, processmento

Leia mais

d) xy 2 h) x c a b c) d) e) 20

d) xy 2 h) x c a b c) d) e) 20 AS RESPOSTAS ESTÃO NO FINAL DOS EXERCÍCIOS. Rdicis ) Escrev em form de potênci com epoente frcionário ) Escrev em form de rdicl ) Dividindo o índice do rdicl e os epoentes de todos os ftores do rdicndo

Leia mais

Equação do 2º grau. Sabemos, de aulas anteriores, que podemos

Equação do 2º grau. Sabemos, de aulas anteriores, que podemos A UA UL LA Equção do 2º gru Introdução Sbemos, de us nteriores, que podemos resover probems usndo equções. A resoução de probems peo método gébrico consiste em gums etps que vmos recordr: Representr o

Leia mais

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa

Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Integrção Numéric Diogo Pinheiro Fernndes Pedros Universidde Federl do Rio Grnde do Norte Centro de Tecnologi Deprtmento de Engenhri de Computção e Automção http://www.dc.ufrn.br/ 1 Introdução O conceito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Resumo. Nesta aula, utilizaremos o Teorema Fundamental do Cálculo (TFC) para o cálculo da área entre duas curvas.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Resumo. Nesta aula, utilizaremos o Teorema Fundamental do Cálculo (TFC) para o cálculo da área entre duas curvas. CÁLCULO L1 NOTAS DA DÉCIMA SÉTIMA AULA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Resumo. Nest ul, utilizremos o Teorem Fundmentl do Cálculo (TFC) pr o cálculo d áre entre dus curvs. 1. A áre entre dus curvs A

Leia mais

Equação do 2º grau. Sabemos, de aulas anteriores, que podemos

Equação do 2º grau. Sabemos, de aulas anteriores, que podemos A UA UL LA Acesse: http://fuvestibur.com.br/ Equção do 2º gru Introdução Sbemos, de us nteriores, que podemos resover probems usndo equções. A resoução de probems peo método gébrico consiste em gums etps

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério d Educção Universidde Federl do Rio Grnde Universidde Abert do Brsil Administrção Bchreldo Mtemátic pr Ciêncis Sociis Aplicds I Rodrigo Brbos Sores . Mtrizes:.. Introdução:

Leia mais

Material Teórico - Módulo de Razões e Proporções. Proporções e Conceitos Relacionados. Sétimo Ano do Ensino Fundamental

Material Teórico - Módulo de Razões e Proporções. Proporções e Conceitos Relacionados. Sétimo Ano do Ensino Fundamental Mteril Teórico - Módulo de Rzões e Proporções Proporções e Conceitos Relciondos Sétimo Ano do Ensino Fundmentl Prof. Frncisco Bruno Holnd Prof. Antonio Cminh Muniz Neto Portl OBMEP 1 Introdução N ul nterior,

Leia mais

Integral. (1) Queremos calcular o valor médio da temperatura ao longo do dia. O valor. a i

Integral. (1) Queremos calcular o valor médio da temperatura ao longo do dia. O valor. a i Integrl Noção de Integrl. Integrl é o nálogo pr unções d noção de som. Ddos n números 1, 2,..., n, podemos tomr su som 1 + 2 +... + n = i. O integrl de = té = b dum unção contínu é um mneir de somr todos

Leia mais

a) 3 ( 2) = d) 4 + ( 3) = g) = b) 4 5 = e) 2 5 = h) = c) = f) = i) =

a) 3 ( 2) = d) 4 + ( 3) = g) = b) 4 5 = e) 2 5 = h) = c) = f) = i) = List Mtemátic -) Efetue s dições e subtrções: ) ( ) = d) + ( ) = g) + 7 = b) = e) = h) + = c) 7 + = f) + = i) 7 = ) Efetue s multiplicções e divisões: ).( ) = d).( ) = g) ( ) = b).( 7) = e).( 6) = h) (

Leia mais

(x, y) dy. (x, y) dy =

(x, y) dy. (x, y) dy = Seção 7 Função Gm A expressão n! = 1 3... n (1 está definid pens pr vlores inteiros positivos de n. Um primeir extensão é feit dizendo que! = 1. Ms queremos estender noção de ftoril inclusive pr vlores

Leia mais

Teorema 1. Seja A um anel comutativo. Então A é um domínio de integridade se e somente se A é isomorfo a um subanel de um corpo.

Teorema 1. Seja A um anel comutativo. Então A é um domínio de integridade se e somente se A é isomorfo a um subanel de um corpo. 1. Domínios Um domínio de integridde (ou simplesmente domínio) é um nel comuttivo unitário A tl que se, b A e b = 0 então = 0 ou b = 0. Por exemplo Z e Z[X] são domínios e mis em gerl se A é um domínio

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte B

Universidade Federal do Rio Grande FURG. Instituto de Matemática, Estatística e Física IMEF Edital 15 CAPES. FUNÇÕES Parte B Universidde Federl do Rio Grnde FURG Instituto de Mtemátic, Esttístic e Físic IMEF Editl 5 CPES FUNÇÕES Prte B Prof. ntônio Murício Medeiros lves Profª Denise Mri Vrell Mrtinez UNIDDE FUNÇÕES PRTE B. FUNÇÂO

Leia mais

MATEMÁTICA BÁSICA 8 EQUAÇÃO DO 2º GRAU

MATEMÁTICA BÁSICA 8 EQUAÇÃO DO 2º GRAU MATEMÁTICA BÁSICA 8 EQUAÇÃO DO 2º GRAU Sbemos, de uls nteriores, que podemos resolver problems usndo equções. A resolução de problems pelo médtodo lgébrico consiste em lgums etps que vmso recordr. - Representr

Leia mais

CONJUNTOS NUMÉRICOS NOTAÇÕES BÁSICAS. : Variáveis e parâmetros. : Conjuntos. : Pertence. : Não pertence. : Está contido. : Não está contido.

CONJUNTOS NUMÉRICOS NOTAÇÕES BÁSICAS. : Variáveis e parâmetros. : Conjuntos. : Pertence. : Não pertence. : Está contido. : Não está contido. CONJUNTOS NUMÉRICOS NOTAÇÕES BÁSICAS,,... A, B,... ~ > < : Vriáveis e prâmetros : Conjuntos : Pertence : Não pertence : Está contido : Não está contido : Contém : Não contém : Existe : Não existe : Existe

Leia mais

Matrizes. Matemática para Economistas LES 201. Aulas 5 e 6 Matrizes Chiang Capítulos 4 e 5. Márcia A.F. Dias de Moraes. Matrizes Conceitos Básicos

Matrizes. Matemática para Economistas LES 201. Aulas 5 e 6 Matrizes Chiang Capítulos 4 e 5. Márcia A.F. Dias de Moraes. Matrizes Conceitos Básicos Mtemátic pr Economists LES uls e Mtrizes Ching Cpítulos e Usos em economi Mtrizes ) Resolução sistems lineres ) Econometri ) Mtriz Insumo Produto Márci.F. Dis de Mores Álgebr Mtricil Conceitos Básicos

Leia mais

AULA 1. 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Linguagem Matemática

AULA 1. 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Linguagem Matemática 1 NÚMEROS E OPERAÇÕES 1.1 Lingugem Mtemátic AULA 1 1 1.2 Conjuntos Numéricos Chm-se conjunto o grupmento num todo de objetos, bem definidos e discerníveis, de noss percepção ou de nosso entendimento, chmdos

Leia mais

Testes de Radiciação

Testes de Radiciação Testes de Rdicição ) O vlor de 7 9 é ) ) Vlor d epressão ) 7 0 é : ) O número. ) é rcionl e menor que é rcionl e mior que é rcionl e menor que é rcionl e mior que não é rel ) (UFRGS) Se = e = ) número

Leia mais

Aula 09 Equações de Estado (parte II)

Aula 09 Equações de Estado (parte II) Aul 9 Equções de Estdo (prte II) Recpitulndo (d prte I): s equções de estdo têm form (sistems de ordem n ) = A + B u y = C + D u onde: A é um mtriz n n B é um mtriz n p C é um mtriz q n D é um mtriz q

Leia mais

Os números racionais. Capítulo 3

Os números racionais. Capítulo 3 Cpítulo 3 Os números rcionis De modo informl, dizemos que o conjunto Q dos números rcionis é composto pels frções crids prtir de inteiros, desde que o denomindor não sej zero. Assim como fizemos nteriormente,

Leia mais

x u 30 2 u 1 u 6 + u 10 2 = lim (u 1)(1 + u + u 2 + u 3 + u 4 )(2 + 2u 5 + u 10 )

x u 30 2 u 1 u 6 + u 10 2 = lim (u 1)(1 + u + u 2 + u 3 + u 4 )(2 + 2u 5 + u 10 ) Universidde Federl de Viços Deprtmento de Mtemátic MAT 40 Cálculo I - 207/II Eercícios Resolvidos e Comentdos Prte 2 Limites: Clcule os seguintes ites io se eistirem. Cso contrário, justique não eistênci.

Leia mais

Função Quadrática (Função do 2º grau) Profº José Leonardo Giovannini (Zé Leo)

Função Quadrática (Função do 2º grau) Profº José Leonardo Giovannini (Zé Leo) Função Qudrátic (Função do º gru) Proº José Leonrdo Gionnini (Zé Leo) Zeros ou rízes e Equções do º Gru Chm-se zeros ou rízes d unção polinomil do º gru () = + b + c, reis tis que () =., os números DEFINIÇÃO:

Leia mais

Cálculo de Limites. Sumário

Cálculo de Limites. Sumário 6 Cálculo de Limites Sumário 6. Limites de Sequêncis................. 3 6.2 Exercícios Recomenddos............... 5 6.3 Limites de Funções.................. 7 6.4 Exercícios Recomenddos...............

Leia mais

Rumo Curso Pré Vestibular Assistencial - RCPVA Disciplina: Matemática Professor: Vinícius Nicolau 03 de Maio de 2015

Rumo Curso Pré Vestibular Assistencial - RCPVA Disciplina: Matemática Professor: Vinícius Nicolau 03 de Maio de 2015 Rumo Curso Pré Vestibulr Assistencil - RCPVA Disciplin: Mtemátic Professor: Vinícius Nicolu 03 de Mio de 015 Qundo chel cubo con le cose ppresso Se qqugli á qulche numero discreto 1 Troun duo ltri differenti

Leia mais

TECNÓLOGO EM CONSTRUÇÃO CIVIL. Aula 7 _ Função Modular, Exponencial e Logarítmica Professor Luciano Nóbrega

TECNÓLOGO EM CONSTRUÇÃO CIVIL. Aula 7 _ Função Modular, Exponencial e Logarítmica Professor Luciano Nóbrega 1 TECNÓLOGO EM CONSTRUÇÃO CIVIL Aul 7 _ Função Modulr, Eponencil e Logrítmic Professor Lucino Nóbreg FUNÇÃO MODULAR 2 Módulo (ou vlor bsolutode um número) O módulo (ou vlor bsoluto) de um número rel, que

Leia mais

Matemática B Extensivo V. 8

Matemática B Extensivo V. 8 Mtemátic B Extensivo V. 8 Resolv Aul 9 9.01) = ; b = c = + b c + 9 c = Distânci focl = c 0 9.0) x = 0 0 x = ; b = c = + b c = + c = Como o eixo rel está sobre o eixo e o centro é (0, 0), então F 1 (0,

Leia mais

Elementos de Análise - Lista 6 - Solução

Elementos de Análise - Lista 6 - Solução Elementos de Análise - List 6 - Solução 1. Pr cd f bixo considere F (x) = x f(t) dt. Pr quis vlores de x temos F (x) = f(x)? () f(x) = se x 1, f(x) = 1 se x > 1; F (x) = se x 1, F (x) = x 1 se x > 1. Portnto

Leia mais

Exercícios. setor Aula 25

Exercícios. setor Aula 25 setor 08 080409 080409-SP Aul 5 PROGRESSÃO ARITMÉTICA. Determinr o número de múltiplos de 7 que estão compreendidos entre 00 e 000. r 7 00 7 PA 05 30 4 n 994 00 98 98 + 7 05 n + (n ) r 994 05 + (n ) 7

Leia mais

Aula 27 Integrais impróprias segunda parte Critérios de convergência

Aula 27 Integrais impróprias segunda parte Critérios de convergência Integris imprópris segund prte Critérios de convergênci MÓDULO - AULA 7 Aul 7 Integris imprópris segund prte Critérios de convergênci Objetivo Conhecer dois critérios de convergênci de integris imprópris:

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Universidde Estdul do Sudoeste d Bhi Deprtmento de Estudos Básicos e Instrumentis 3 Vetores Físic I Prof. Roberto Cludino Ferreir 1 ÍNDICE 1. Grndez Vetoril; 2. O que é um vetor; 3. Representção de um

Leia mais

Aula de solução de problemas: cinemática em 1 e 2 dimensões

Aula de solução de problemas: cinemática em 1 e 2 dimensões Aul de solução de problems: cinemátic em 1 e dimensões Crlos Mciel O. Bstos, Edurdo R. Azevedo FCM 01 - Físic Gerl pr Químicos 1. Velocidde instntâne 1 A posição de um corpo oscil pendurdo por um mol é

Leia mais

Módulo e Equação Modular (valor absoluto)?

Módulo e Equação Modular (valor absoluto)? Mtemátic Básic Unidde 6 Função Modulr RANILDO LOES Slides disponíveis no nosso SITE: https://ueedgrtito.wordpress.com Módulo e Equção Modulr (vlor bsoluto)? - - - - R uniddes uniddes Definição, se, se

Leia mais

Introdução à Integral Definida. Aula 04 Matemática II Agronomia Prof. Danilene Donin Berticelli

Introdução à Integral Definida. Aula 04 Matemática II Agronomia Prof. Danilene Donin Berticelli Introdução à Integrl Definid Aul 04 Mtemátic II Agronomi Prof. Dnilene Donin Berticelli Áre Desde os tempos mis ntigos os mtemáticos se preocupm com o prolem de determinr áre de um figur pln. O procedimento

Leia mais

Progressões Aritméticas

Progressões Aritméticas Segund Etp Progressões Aritmétics Definição São sequêncis numérics onde cd elemento, prtir do segundo, é obtido trvés d som de seu ntecessor com um constnte (rzão).,,,,,, 1 3 4 n 1 n 1 1º termo º termo

Leia mais

Matemática para Economistas LES 201. Aulas 5 e 6 Matrizes Chiang Capítulos 4 e 5. Luiz Fernando Satolo

Matemática para Economistas LES 201. Aulas 5 e 6 Matrizes Chiang Capítulos 4 e 5. Luiz Fernando Satolo Mtemátic pr Economists LES Auls 5 e Mtrizes Ching Cpítulos e 5 Luiz Fernndo Stolo Mtrizes Usos em economi ) Resolução sistems lineres ) Econometri ) Mtriz Insumo Produto Álgebr Mtricil Conceitos Básicos

Leia mais

43,24-12,97 30,27 14,94 + 0,48 38,61

43,24-12,97 30,27 14,94 + 0,48 38,61 Nome: ª SÉRIE ENSINO MÉDIO DATA: 08 / 0 / 08 ADIÇÃO Definição: Ddos dois ou mis números, chm-se dição, operção pel qul ch-se um outro número que contenh extmente tods s uniddes somds. As uniddes somds

Leia mais

FUNÇÕES. Mottola. 1) Se f(x) = 6 2x. é igual a (a) 1 (b) 2 (c) 3 (d) 4 (e) 5. 2) (UNIFOR) O gráfico abaixo. 0 x

FUNÇÕES. Mottola. 1) Se f(x) = 6 2x. é igual a (a) 1 (b) 2 (c) 3 (d) 4 (e) 5. 2) (UNIFOR) O gráfico abaixo. 0 x FUNÇÕES ) Se f() = 6, então f ( 5) f ( 5) é igul () (b) (c) 3 (d) 4 (e) 5 ) (UNIFOR) O gráfico bio 0 () não represent um função. (b) represent um função bijetor. (c) represent um função não injetor. (d)

Leia mais

TÓPICOS DE REVISÃO MATEMÁTICA I MÓDULO 4 : Álgebra Elementar 3 a Série Ensino Médio Prof. Rogério Rodrigues. NOME :... Número :...Turma :...

TÓPICOS DE REVISÃO MATEMÁTICA I MÓDULO 4 : Álgebra Elementar 3 a Série Ensino Médio Prof. Rogério Rodrigues. NOME :... Número :...Turma :... TÓPICOS DE REVISÃO MATEMÁTICA I MÓDULO Álger Eleentr Série Ensino Médio Prof Rogério Rodrigues NOME Núero Tur I) PRODUTOS NOTÁVEIS ) Qudrdo d so de dois teros ( ) ) Qudrdo d diferenç ( ) c) Produto d so

Leia mais

Formas Quadráticas. FUNÇÕES QUADRÁTICAS: denominação de uma função especial, definida genericamente por: 1 2 n ij i j i,j 1.

Formas Quadráticas. FUNÇÕES QUADRÁTICAS: denominação de uma função especial, definida genericamente por: 1 2 n ij i j i,j 1. Forms Qudrátics FUNÇÕES QUADRÁTICAS: denominção de um função especil, definid genericmente por: Q x,x,...,x x x x... x x x x x... x 1 n 11 1 1 1 1n 1 n 3 3 nn n ou Qx,x,...,x 1 n ij i j i,j1 i j n x x

Leia mais

Integrais Imprópias Aula 35

Integrais Imprópias Aula 35 Frções Prciis - Continução e Integris Imprópis Aul 35 Alexndre Nolsco de Crvlho Universidde de São Pulo São Crlos SP, Brzil 05 de Junho de 203 Primeiro Semestre de 203 Turm 20304 - Engenhri de Computção

Leia mais

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Aplicações da Integral

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Aplicações da Integral www.engenhrifcil.weely.com Resumo com exercícios resolvidos do ssunto: Aplicções d Integrl (I) (II) (III) Áre Volume de sólidos de Revolução Comprimento de Arco (I) Áre Dd um função positiv f(x), áre A

Leia mais

Matemática para Economia Les 201. Aulas 28_29 Integrais Luiz Fernando Satolo

Matemática para Economia Les 201. Aulas 28_29 Integrais Luiz Fernando Satolo Mtemátic pr Economi Les 0 Auls 8_9 Integris Luiz Fernndo Stolo Integris As operções inverss n mtemátic: dição e sutrção multiplicção e divisão potencição e rdicição A operção invers d diferencição é integrção

Leia mais

x 0 0,5 0,999 1,001 1,5 2 f(x) 3 4 4,998 5,

x 0 0,5 0,999 1,001 1,5 2 f(x) 3 4 4,998 5, - Limite. - Conceito Intuitivo de Limite Considere função f definid pel guinte epressão: f - - Podemos obrvr que função está definid pr todos os vlores de eceto pr. Pr, tnto o numerdor qunto o denomindor

Leia mais

BANCO DE EXERCÍCIOS - 24 HORAS

BANCO DE EXERCÍCIOS - 24 HORAS BANCO DE EXERCÍCIOS - 4 HORAS 9º ANO ESPECIALIZADO/CURSO ESCOLAS TÉCNICAS E MILITARES FOLHA Nº 07 GABARITO COMENTADO 1) Se o resto d divisão de 47 por x é 7, então x divide 47 7 = 40 D mesm mneir, x divide

Leia mais

Interpretação Geométrica. Área de um figura plana

Interpretação Geométrica. Área de um figura plana Integrl Definid Interpretção Geométric Áre de um figur pln Interpretção Geométric Áre de um figur pln Sej f(x) contínu e não negtiv em um intervlo [,]. Vmos clculr áre d região S. Interpretção Geométric

Leia mais

y 5z Grupo A 47. alternativa A O denominador da fração é D = 46. a) O sistema dado é determinado se, e somente se: b) Para m = 0, temos: = 2 x y

y 5z Grupo A 47. alternativa A O denominador da fração é D = 46. a) O sistema dado é determinado se, e somente se: b) Para m = 0, temos: = 2 x y Grupo A 4. lterntiv A O denomindor d frção é D = 4 7 = ( 0 ) = 4. 46. ) O sistem ddo é determindo se, e somente se: m 0 m 9m 0 9 m b) Pr m, temos: x + y = x = y x + y z = 7 y z = x y + z = 4 4y + z = x

Leia mais

y m =, ou seja, x = Não existe m que satisfaça a inclinação.

y m =, ou seja, x = Não existe m que satisfaça a inclinação. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL COLÉGIO DE APLICAÇÃO - INSTITUTO DE MATEMÁTICA LABORATÓRIO DE PRÁTICA DE ENSINO EM MATEMÁTICA Professores: Luis Mzzei e Mrin Duro Acdêmicos: Mrcos Vinícius e Diego

Leia mais

Matemática Régis Cortes FUNÇÃO DO 2 0 GRAU

Matemática Régis Cortes FUNÇÃO DO 2 0 GRAU FUNÇÃO DO 2 0 GRAU 1 Fórmul de Bháskr: x 2 x 2 4 2 Utilizndo fórmul de Bháskr, vmos resolver lguns exeríios: 1) 3x²-7x+2=0 =3, =-7 e =2 2 4 49 4.3.2 49 24 25 Sustituindo n fórmul: x 2 7 25 2.3 7 5 7 5

Leia mais

LISTA PREPARATÓRIA PARA RECUPERAÇÃO FINAL MATEMÁTICA (9º ano)

LISTA PREPARATÓRIA PARA RECUPERAÇÃO FINAL MATEMÁTICA (9º ano) PARTE I ) Determine s potêncis: ) 4 = b) - = ) Escrev usndo potênci de bse 0: ) 7 bilhões: b) um milionésimo: ) Trnsforme os números ddos em potencições e simplifique epressão: 0000000 00000 5 = 4) Escrev

Leia mais

Após encontrar os determinantes de A. B e de B. A, podemos dizer que det A. B = det B. A?

Após encontrar os determinantes de A. B e de B. A, podemos dizer que det A. B = det B. A? PROFESSOR: EQUIPE DE MATEMÁTICA BANCO DE QUESTÕES - MATEMÁTICA - ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================= Determinntes - O vlor

Leia mais

Sistems Lineres Form Gerl onde: ij ij coeficientes n n nn n n n n n n b... b... b...

Sistems Lineres Form Gerl onde: ij ij coeficientes n n nn n n n n n n b... b... b... Cálculo Numérico Módulo V Resolução Numéric de Sistems Lineres Prte I Profs.: Bruno Correi d Nóbreg Queiroz José Eustáquio Rngel de Queiroz Mrcelo Alves de Brros Sistems Lineres Form Gerl onde: ij ij coeficientes

Leia mais

I REVISÃO DE CONCEITOS BÁSICOS

I REVISÃO DE CONCEITOS BÁSICOS I REVISÃO DE CONCEITOS BÁSICOS. Elementos Básicos de Mtemátic. Regrs de Sinis ADIÇÃO: - qundo os números tem o mesmo sinl, somm-se os módulos e tribui-se o resultdo o sinl comum. E: (+)+(+9)=+4 ou 4 (-)+(-)=

Leia mais

Potencial Elétrico. Evandro Bastos dos Santos. 14 de Março de 2017

Potencial Elétrico. Evandro Bastos dos Santos. 14 de Março de 2017 Potencil Elétrico Evndro Bstos dos Sntos 14 de Mrço de 2017 1 Energi Potencil Elétric Vmos começr fzendo um nlogi mecânic. Pr um corpo cindo em um cmpo grvitcionl g, prtir de um ltur h i té um ltur h f,

Leia mais

Ângulo completo (360 ) Agora, tente responder: que ângulos são iguais quando os palitos estão na posição da figura abaixo?

Ângulo completo (360 ) Agora, tente responder: que ângulos são iguais quando os palitos estão na posição da figura abaixo? N Aul 30, você já viu que dus rets concorrentes formm qutro ângulos. Você tmbém viu que, qundo os qutro ângulos são iguis, s rets são perpendiculres e cd ângulo é um ângulo reto, ou sej, mede 90 (90 grus),

Leia mais

COLÉGIO SANTO IVO Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio

COLÉGIO SANTO IVO Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio COLÉGIO SANTO IO Educção Infntil - Ensino Fundmentl - Ensino Médio Roteiro de Estudo pr Avlição do 3ºTrimestre - 016 Disciplin: Mtemátic e Geometri Série: 1ª Série EM Profª Cristin Nvl Orientção de Estudo:

Leia mais

RESUMO DE INTEGRAIS. d dx. NOTA MENTAL: Não esquecer a constante para integrais indefinidas. Fórmulas de Integração

RESUMO DE INTEGRAIS. d dx. NOTA MENTAL: Não esquecer a constante para integrais indefinidas. Fórmulas de Integração RESUMO DE INTEGRAIS INTEGRAL INDEFINIDA A rte de encontrr ntiderivds é chmd de integrção. Desse modo, o plicr integrl dos dois ldos d equção, encontrmos tl d ntiderivd: f (x) = d dx [F (x)] f (x)dx = F

Leia mais

outras apostilas de Matemática, Acesse:

outras apostilas de Matemática, Acesse: Acesse: http://fuvestibulr.com.br/ N Aul 30, você já viu que dus rets concorrentes formm qutro ângulos. Você tmbém viu que, qundo os qutro ângulos são iguis, s rets são perpendiculres e cd ângulo é um

Leia mais

ÁLGEBRA LINEAR Equações Lineares na Álgebra Linear EQUAÇÃO LINEAR SISTEMA LINEAR GEOMETRIA DA ESQUAÇÕES LINEARES RESOLUÇÃO DOS SISTEMAS

ÁLGEBRA LINEAR Equações Lineares na Álgebra Linear EQUAÇÃO LINEAR SISTEMA LINEAR GEOMETRIA DA ESQUAÇÕES LINEARES RESOLUÇÃO DOS SISTEMAS EQUAÇÃO LINEAR SISTEMA LINEAR GEOMETRIA DA ESQUAÇÕES LINEARES RESOLUÇÃO DOS SISTEMAS Equção Liner * Sej,,,...,, (números reis) e n (n ) 2 3 n x, x, x,..., x (números reis) 2 3 n Chm-se equção Liner sobre

Leia mais

"Bem-vindos ao melhor ano de suas vidas #2018"

Bem-vindos ao melhor ano de suas vidas #2018 COLÉGIO SHALOM Ensino Fundmentl 8ª no ( ) 65 Profº: Wesle d Silv Mot Disciplin: Mtemátic Aluno ():. No. Trblho de recuperção Dt: 17 /12/ 2018 "Bem-vindos o melhor no de sus vids #2018" 1) Sobre s proprieddes

Leia mais

QUESTÃO 01. QUESTÃO 02.

QUESTÃO 01. QUESTÃO 02. PROVA DE MATEMÁTICA DO O ANO _ EM DO COLÉGIO ANCHIETA BA. ANO 6 UNIDADE III PRIMEIRA AVALIAÇÃO. ELABORAÇÃO: PROFESSOR OCTAMAR MARQUES. PROFESSORA MARIA ANTÔNIA GOUVEIA. QUESTÃO. Quntos inteiros são soluções

Leia mais

b a f(x) dx a f(x)dx = 0 f(x)dx a f(x)dx = - b f(x)dx b f(x)dx = c f(x)dx + b f(x)dx ou - f(x)dx ou - f(x)dx f (x) y f (x) 1 DEFINIÇÃO DE INTEGRAL

b a f(x) dx a f(x)dx = 0 f(x)dx a f(x)dx = - b f(x)dx b f(x)dx = c f(x)dx + b f(x)dx ou - f(x)dx ou - f(x)dx f (x) y f (x) 1 DEFINIÇÃO DE INTEGRAL DEFINIÇÃO DE INTEGRAL Dentro do conceito do cálculo, temos que integrl foi crid pr delimitr áre A loclizd sob um curv f() em um plno crtesino. A f () b A notção mtemátic d integrl cim é: A = b f() d 2

Leia mais

OPERAÇÕES ALGÉBRICAS

OPERAÇÕES ALGÉBRICAS MATEMÁTICA OPERAÇÕES ALGÉBRICAS 1. EXPRESSÕES ALGÉBRICAS Monômio ou Termo É expressão lgébric mis sintétic. É expressão formd por produtos e quocientes somente. 5x 4y 3x y x x 8 4x x 4 z Um monômio tem

Leia mais

Desigualdades - Parte II. n (a1 b 1 +a 2 b a n b n ) 2.

Desigualdades - Parte II. n (a1 b 1 +a 2 b a n b n ) 2. Polos Olímpicos de Treinmento Curso de Álgebr - Nível Prof. Mrcelo Mendes Aul 9 Desigulddes - Prte II A Desiguldde de Cuchy-Schwrz Sejm,,..., n,b,b,...,b n números reis. Então: + +...+ ) n b +b +...+b

Leia mais

Resolução Numérica de Sistemas Lineares Parte I

Resolução Numérica de Sistemas Lineares Parte I Cálculo Numérico Módulo V Resolução Numéric de Sistems ineres Prte I Profs.: Bruno Correi d Nóbreg Queiroz José Eustáquio Rngel de Queiroz Mrcelo Alves de Brros Sistems ineres Form Gerl... n n b... n n

Leia mais

Matemática A - 10 o Ano Ficha de Trabalho

Matemática A - 10 o Ano Ficha de Trabalho Fich de Trlho Álger - Rdicis Mtemátic - 0 o no Fich de Trlho Álger - Rdicis Grupo I. Sejm e dois números nturis diferentes que tis que x =. onclui-se então que x pode ser ddo por qul ds expressões ixo?

Leia mais

MÉTODO DA POSIÇÃO FALSA EXEMPLO

MÉTODO DA POSIÇÃO FALSA EXEMPLO MÉTODO DA POSIÇÃO FALSA Vimos que o Método d Bissecção encontr um novo intervlo trvés de um médi ritmétic. Ddo o intervlo [,], o método d posição fls utiliz médi ponderd de e com pesos f( e f(, respectivmente:

Leia mais

Revisão EXAMES FINAIS Data: 2015.

Revisão EXAMES FINAIS Data: 2015. Revisão EXAMES FINAIS Dt: 0. Componente Curriculr: Mtemátic Ano: 8º Turms : 8 A, 8 B e 8 C Professor (): Anelise Bruch DICAS Use s eplicções que form copids no cderno; Use e buse do livro didático, nele

Leia mais

MATEMÁTICA PROFº ADRIANO PAULO LISTA DE FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1º GRAU - ax b, sabendo que:

MATEMÁTICA PROFº ADRIANO PAULO LISTA DE FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1º GRAU - ax b, sabendo que: MATEMÁTICA PROFº ADRIANO PAULO LISTA DE FUNÇÃO POLINOMIAL DO º GRAU - Dd unção = +, determine Dd unção = +, determine tl que = Escrev unção im, sendo que: = e - = - - = e = c = e - = - A ret, gráico de

Leia mais