Mercado Imobiliário. Celso Petrucci. Economista-Chefe do SecoviSP. 16ª Conferência Internacional da LARES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mercado Imobiliário. Celso Petrucci. Economista-Chefe do SecoviSP. 16ª Conferência Internacional da LARES"

Transcrição

1 Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do SecoviSP 16ª Conferência Internacional da LARES

2 Economia 2

3 Atividade econômica - de crescimento do PIB no Brasil Impeachment da Presidente Dilma Roussef 7,54 6,06 5,09 3,96 3,20 5,76 4,40 3,10 0,50 1,40 1,10 3,92 3,02 1,93 1,30 0,10-3,85-3,14-0, * 17* FHC (2º Lula (1º Lula (2º Dilma (1º Mandato) Mandato) Mandato) Mandato) * Previsão Relatório Focus 23/09/2016 Fonte: IBGE Dilma / Temer (2º Mandato) 3

4 Lançamentos Residenciais (12 meses) e Variação do PIB () Mil Unidades 48 9,0 43 7,0 5,0 38 3,0 33 1,0 28-1,0 23-3,0 18-5,0 13-7,0 PIB real em Fonte: IBGE e Embraesp/Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 4

5 Meta taxa SELIC ( a.a.) COPOM 25,00 20,00 15,00 10,00 Média = 12 5,00 Ago/16 14,25 Dez/16 13,75 Dez/17 11,00 0,00 * desde 30/07/15 o COPM mantém a meta de juros em 14,25 a.a. * dez/2016 e dez/17 - Previsão Relatório Focus 23/09/2016 Fonte: BACEN 5

6 Inflação IPCA (variação 12 meses) 14,00 12,00 10,00 8,00 6,00 4,00 Efeito da correção dos preços administrados Jan/16 10,71 16 Ago/16 8,97 Dez/16 7,25 Dez/17 5,07 2,00 0,00 * dez/2016 e dez/17 - Previsão Relatório Focus 23/09/2016 Fonte: IBGE 6

7 Índices de confiança com ajuste sazonal 130 confiança do consumidor Set/16 80, confiança do comércio Set/16 74,6 confiança da indústria 110 Ago/16 82, Fonte: confiança da construção Com o início do processo de afastamento da presidente Dilma no mês de abril/2016, os índices de confiança do FGV mercado começaram a melhorar Set/16 88,2 7

8 Saldo de empregos formais - CAGED (em milhares) Total - Brasil M16 Construção Civil - Brasil M16 Fonte: M.T.E. Nos últimos 12 meses (set/15 a ago/16), o saldo de empregos formais na Construção Civil é de -409,2 mil 8

9 Mercado Imobiliário Nacional 9

10 Regiões que Possuem Pesquisa do Mercado Imobiliário São Luís RM Fortaleza RM Natal Manaus João Pessoa RM Recife Maceió Cuiabá Salvador e Região RM Goiânia Belo Horizonte Distrito Federal Vitória e Região Rio de Janeiro Maringá Curitiba Porto Alegre RMSP Joinville 10

11 Unidades residenciais lançadas Unidades Lançadas 1S15 Belo Horizonte N.D. Cuiabá 592 Curitiba Distrito Federal 232 Joinville 732 Maceió 850 Manaus N.D. Maringá Porto Alegre 979 Rio de Janeiro RM de Fortaleza RM de Goiânia RM de João Pessoa Região Pesquisada Unidades Variação Lançadas 1S16 N.D. N.D N.D. N.D. 260 N.D RM de Natal RM de Recife RM de São Paulo Fonte: CBIC/CII Elaboração: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 11

12 Unidades residenciais novas vendidas Unidades Unidades Variação Vendidas Vendidas 1S15 1S16 Belo Horizonte N.D. N.D. N.D. Cuiabá Curitiba Distrito Federal Joinville Maceió 747 N.D. N.D. Manaus N.D N.D. Maringá Porto Alegre Rio de Janeiro RM de Fortaleza RM de Goiânia RM de João Pessoa RM de Natal RM de Recife RM de São Paulo Salvador e Elaboração: Departamento de Economia e Estatística3.100 Secovi-SP Região Pesquisada Fonte: CBIC/CII 12

13 Oferta final disponível imóveis residenciais novos Região Pesquisada Fonte: CBIC/CII Oferta Final Oferta Final Variação Junho/2016 Junho/2015 Belo Horizonte N.D N.D Cuiabá Curitiba Distrito Federal Joinville Maceió N.D Manaus N.D Maringá Porto Alegre Rio de Janeiro RM de Fortaleza RM de Goiânia RM de João Pessoa RM de Natal RM de Recife RM de São Paulo Salvador e Elaboração: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP N.D N.D. N.D

14 Lançamentos e Vendas de Imóveis Residenciais Em mil unidades 77,6 83,9 36,1 23, Lançamentos 1S16 Vendas Fonte: CBIC/CII Elaboração: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 14

15 Oferta por Fase de Obra Junho/2016 Imóveis Imóveis Região em Imóveis na Pesquisada Construçã Prontos Planta o Cuiabá Distrito Federal Joinville Manaus Maringá Porto Alegre Rio de Janeiro RM de Fortaleza RM de Goiânia RM de Natal* RM de Recife RM de São Paulo Salvador e Região 19,51 18,70 Jun/ ,79 Na Planta *não foi informado o estágio da obra de todos os empreendimentos Fonte: CBIC/CII Elaboração: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP Em Construção 15

16 Preço Médio M² de Área Privativa Em R$ Média = R$ 5,6 mil Fonte: CBIC/CII Elaboração: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 16

17 Mercado Imobiliário Cidade de São Paulo 17

18 Lançamentos e vendas de imóveis residenciais Cidade de São Paulo, em mil unidades 36,6 32,8 35,8 35,9 28,3 20,2 28,3 27,0 23,8 22,6 24,9 25,7 33,3 39,0 21,6 20,1 34,5 31,6 38,2 38,1 Lançamentos 28,5 34,2 34,0 23,0 16,0 17,0 Vendas Fonte: Embraesp/Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 18

19 Lançamentos e vendas - acumulado em 12 meses Cidade de São Paulo em mil unidades 50 Ago/08 45, Ago/08 43,1 Jul/16 18, Jul/16 17, Média lançamentos = 31,2 mil unidades Média vendas = 28,8 mil unidades 0 Lançamentos Vendas Média Lançamentos Fonte: Embraesp/Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 19

20 Porcentagem de Distratos sobre as Vendas da Amostra da PMI Média dos últimos 12 meses Cidade de São Paulo 25,0 Mar/1 5 21,9 20,0 Jul/16 23,6 15,0 10,0 5,0 0,0 Média = 8,2 Mai/0 8 2,2 de distratos Fonte: Departamento de Economia Secovi-SP Média 20

21 Acumulado de Janeiro a julho Cidade de São Paulo Unidades Lançadas VGL Valor global lançado Em R$ Milhões atualizado pelo INCC-DI de julho/ , , , M14 7M15 7M16 Unidades Vendidas M M15 7M16 7M14 7M15 7M16 VGV Valor global vendido Em R$ Milhões atualizado pelo INCCDI de julho/ , 5.470, , M14 Fonte: Embraesp/ Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 7M15 7M16 21

22 Unidades lançadas 7M16 Cidade de São Paulo De janeiro a julho de 2016 foram lançadas unidades na cidade de São Paulo, com predomínio Imóveis de 2de: dormitórios, com ticket médio de até R$ 500 mil, metragem média de até 65m² e localizados na zona Leste da cidade ou mais Dorms. 3 Dorms. 2 Dorms. 1 Dorm Tipologia Faixa de preço 16 Faixa F-Acima de $1,5milhão Faixa D -$750 a $1milhão Faixa B -$225 a $500 mil 30 Metragem Faixa E -$1 a $1,5 milhão Faixa C -$500 a $750 mil Faixa A- Até R$225 mil Mais de 180 m² Entre 131 e 180 m² Entre 86 e 130 m² Entre 66 e 85 m² Entre 46 e 65 m² Até de 45 m² Zona da Cidade Sul Oeste Norte 17 Leste Centro Fonte: Embraesp/ Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 22 22

23 Unidades vendidas de janeiro a julho de 2016 Cidade de São Paulo De janeiro a julho de 2016 foram comercializadas unidades na cidade de São Paulo, e assim como nos lançamentos, com predomínio de: Imóveis de 2 dormitórios, com ticket médio de até R$ 500 mil, metragem média de até 65m² e localizados na zona Leste da cidade ou mais Dorms. 3 Dorms. 2 Dorms. 1 Dorm Tipologia aixa de preço Faixa F-Acima de $1,5milhão Faixa D -$750 a $1milhão Faixa B -$225 a $500 mil 65 3 Faixa E -$1 a $1,5 milhão Faixa C -$500 a $750 mil Faixa A- Até R$225 mil Mais de 180 m² Entre 131 e 180 m² Entre 86 e 130 m² Entre 66 e 85 m² Entre 46 e 65 m² Até de 45 m² Metragem ona da Cidade Sul Oeste 16 Norte Leste Centro Fonte: Embraesp/ Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 23 23

24 VSO (Vendas Sobre Oferta) 12 meses Cidade de São Paulo 75,7 69,1 65,6 Média = 64,4 64,3 60,062,6 57,8 59,1 50,3 46,0 41,538,2 51,9 *Vendas Sobre Oferta: UV = unidades vendidas / DI = unidades distratadas / OFi = oferta inicial (em unidades) / UL = unidades lançadas Fonte: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 24

25 Oferta final cidade de São Paulo Mai/ Jul/16 24, Set/ Fonte: Departamento de Economia e Estatística Secovi-SP 25

26 Preço médio m² de área útil dos lançamentos julho/2016 Município de São Paulo Imóveis Verticais Novos 2,7 3,1 3,2 3,5 3,2 3,6 3,9 5,2 6,6 7,3 8,7 9,2 8,8 9,2 Var do Preço e Var Real em relação ao ano anterior 33,4 26,6 23,8 19,7 17,7 12,4 10,6 16,2 10,1 7,2 5,7 4,8 3,8 3,2 1,6 1,5 0,4-1,1 4,7-3,8 10,7-4,5-7,5-5,0-12,9-14,7 Preço Fonte: Embraesp / Elaboração: Secovi- Var Real 26 * Considerando a variação dos últimos 12 meses

27 Demanda 27

28 Casamentos e divórcios - Brasil Casamentos Divórcios* *Tabela Processos de divórcios encerrados e concedidos, em 1ª instância Fonte: IBGE

29 Arranjos familiares com parentesco Part. Var = -20 Var = 35 Var = Fonte: IBGE 2001 Var =

30 Famílias que Moram em Domicílios Alugados ou Cedidos Por Faixa de Renda mensal Familiar - Em milhares de famílias 16,8 milhões de famílias vivem em domicílios alugados ou cedidos ,25 milhões de famílias com renda superior a R$ Fonte: IBGE Microdados da PNAD/ Estimativa IBOPE

31 Estudo de Demanda de imóveis residenciais O Secovi-SP contratou um estudo desenvolvido pela FGV, com o objetivo de mensurar a demanda potencial de imóveis residenciais de 2015 a 2025; O resultado do estudo foi obtido através da elaboração de cenários sociodemográficos e econômicos. 31

32 Cenário para demanda habitacional evolução do estoque de domicílios Incremento Região Norte Região Nordeste Região Sudeste Região Sul Região Centro Oeste Brasil Increment Estoque o Estoque Incremento de domicílios da ordem de 14,5 milhões de São Paulo - entre UF unidades 2015 e 2025; 5 Regiões Metropolitanas - Em termos absolutos, este incremento está pouco abaixo do São Paulo observado entre 2004 e 2014, de quase 15 milhões de Rio de Janeiro unidades. Fonte: FGV 32

33 Demanda por domicílios para 2025 Faixas de renda Até R$ De R$ até R$ De R$ até R$ De R$ até R$ De R$ até R$ Acima de R$ Total Brasil Increment Increment Estoque Estoque o o Entre 2004 e 2014, o número de domicílios com renda até R$ caiu devido ao período de crescimento econômico e redução das desigualdades; - Dadas as dinâmicas das variáveis-chave projetadas até 2025, o maior incremento em termos absolutos deverá se concentrar na faixa 33 Fonte: FGV de renda entre R$ e R$

34 Perspectivas para a Economia 34

35 Propostas estruturais do novo Governo PEC 241/16 estabelece teto para gastos públicos para 20 anos; Pacote de concessões e privatização (Infraestrutura); Reforma da Previdência Social. 35

36 Propostas estruturais do novo Governo Com o andamento/aprovação das medidas propostas pelo Governo, o cenário será de boas notícias para o mercado a partir de 2017: SELIC entre 10 e 11 a.a. Inflação (IPCA) dentro da meta de 4,5 a.a. Recursos Caderneta de Poupança Retorno gradual do Mercado Imobiliário 36

37 Obrigado! Celso Petrucci Economista-Chefe do SecoviSP

A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo. Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP

A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo. Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP A Força do Grande ABC no Mercado Imobiliário de São Paulo Flavio Amary Vice-Presidente do Secovi-SP Momento Econômico Atual Indicadores Econômicos Taxa de Desemprego (média) Medo Desemprego 11,5% 97,50

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Balanço do Mercado Imobiliário 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Balanço do Mercado Imobiliário 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP ECONOMIA ANvidade Econômica Crescimento Real (%) PIB e Construção Civil 13,3 10,6 5,8 9,2 6,9 6,1 4,95,1 4,0 3,2 0,2 8,3

Leia mais

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria

Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria Celso Petrucci Economista pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado FECAP Iniciou as atividades em crédito imobiliário em 1976, na Diretoria de Programas Habitacionais da Nossa Caixa/Nosso Banco;

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP

Panorama do Mercado Imobiliário. Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Panorama do Mercado Imobiliário Celso Petrucci Economista-Chefe do Secovi-SP Município de São Paulo Lançamentos Residenciais Mun. de São Paulo Mil Unidades Média = 31,7 22,6 24,9 25,7 39,0 34,5 31,6 38,2

Leia mais

O Cenário Econômico e o Mercado Imobiliário de Campinas. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

O Cenário Econômico e o Mercado Imobiliário de Campinas. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP O Cenário Econômico e o Mercado Imobiliário de Campinas Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 1º SEMESTRE DE 2013 1 2 ÍNDICE ECONOMIA MERCADO IMOBILIÁRIO CIDADE SÃO PAULO Lançamentos Comercialização REGIÃO METROPOLITANA EMPREENDIMENTOS COMERCIAIS MERCADO NACIONAL

Leia mais

Esgotamento do Funding Tradicional?

Esgotamento do Funding Tradicional? Esgotamento do Funding Tradicional? Novos instrumentos vão vigorar no curto prazo? Gueitiro Matsuo Genso 12ª Conferência Internacional da LARES São Paulo 19 a 21 de setembro, 2012 Agenda Relevância no

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM 2012 1 2 Índice Economia Mercado Imobiliário Lançamentos Comercialização RMSP Mercado Nacional Empreendimentos Comerciais Financiamento Imobiliário Previsões para 2013

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013. Balanço do Mercado Imobiliário 1

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013. Balanço do Mercado Imobiliário 1 BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO Acumulado Janeiro a Setembro de 2013 Balanço do Mercado Imobiliário 1 Balanço do Mercado Imobiliário 2 Mercado de imóveis novos apresenta crescimento Em 2013, o mercado de

Leia mais

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes

Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes Bolha Imobiliaria ou Novo Patamar de Preços? Claudio Bernardes BOLHA IMOBILIÁRIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos econômicos, mas por mera expectativa de aumento futuro de preços INDÍCIOS

Leia mais

Vendas de imóveis novos aumentam em dezembro de 2014

Vendas de imóveis novos aumentam em dezembro de 2014 1 DEZEMBRO DE 2014 Vendas de imóveis novos aumentam em dezembro de 2014 Pesquisa do Mercado Imobiliário do Secovi-SP registra evolução posi va no volume comercializado pelo segundo mês consecu vo A comercialização

Leia mais

Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos

Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos FEVEREIRO DE 2014 Pesquisa Secovi-SP aponta recuo no mercado de imóveis novos Imóveis de 2 e 3 dormitórios foram destaques positivos em fevereiro, mês de variação negativa O mercado de imóveis novos residenciais

Leia mais

Balanço do Mercado Imobiliário - Primeiro Semestre 2011. Mercado de Imóveis Novos Residenciais no Primeiro Semestre 2011

Balanço do Mercado Imobiliário - Primeiro Semestre 2011. Mercado de Imóveis Novos Residenciais no Primeiro Semestre 2011 Balanço do Mercado Imobiliário - Primeiro Semestre 2011 Mercado de Imóveis Novos Residenciais no Primeiro Semestre 2011 1 DIRETORIA Presidente João Crestana Economista-chefe Celso Petrucci Mercado de Imóveis

Leia mais

Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP

Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP Estabilização dos preços nos mercados de Real Estate residencial. A bolha arrefeceu? Claudio Bernardes Presidente do Secovi-SP BOLHA IMOBILIARIA Aumento de preços dirigidos NÃO por fundamentos economicos,

Leia mais

Vendas de imóveis residenciais novos crescem em São Paulo

Vendas de imóveis residenciais novos crescem em São Paulo Vendas de imóveis residenciais novos crescem em São Paulo De acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário do Secovi-SP, em novembro de 2013 a comercialização de unidades foi 28,6% superior à do mês de

Leia mais

COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA

COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Desigualdade e Pobreza no Brasil Metropolitano Durante a Crise Internacional: Primeiros COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Brasília, 4 de agosto de 2009 Brasil:

Leia mais

Destaque Setorial - Bradesco

Destaque Setorial - Bradesco Construção Residencial 16 de dezembro de 2014 Ajuste dos estoques de imóveis residenciais reforça expectativa de menor crescimento da atividade de construção civil nos próximos trimestres Departamento

Leia mais

Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade

Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade CIDOB AECID EL BRASIL DESPUES DE LULA. Éxitos y desafíos en la reducción de la pobreza y el liderazgo regional Política Social no Brasil e seus Efeitos sobre a Pobreza e a Desigualdade Lena LAVINAS Instituto

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2001 2010 A DÉCADA DA RETOMADA CELSO PETRUCCI Diretor Executivo Economista chefe do Secovi SP Versão 1005133-20100617 CPE CPE - ACCB/CCMA/JJA/MAB/RSO - ACCB/JJA/MAB/RSO 1/37

Leia mais

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2011. CELSO PETRUCCI Diretor executivo Economista chefe do Secovi SP

BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2011. CELSO PETRUCCI Diretor executivo Economista chefe do Secovi SP BALANÇO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2011 0, CELSO PETRUCCI Diretor executivo Economista chefe do Secovi SP DEMANDA DO MERCADO IMOBILIÁRIO DEMANDA POR IMÓVEIS RESIDENCIAIS FATORES QUE INFLUENCIAM NAS COMPRAS

Leia mais

JPP CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 17.216.625/0001-98

JPP CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 17.216.625/0001-98 JPP CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 17.216.625/0001-98 RELATÓRIO DO ADMINISTRADOR 1º SEMESTRE/2015 1 SUMÁRIO I. DESCRIÇÃO DOS NEGÓCIOS REALIZADOS NO SEMESTRE... 3 II. PROGRAMA DE INVESTIMENTOS

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Março de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV

Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Bolha imobiliária: realidade ou ficção? Marcelo Barros, economista, professor da FBV Antônio Pessoa, economista, professor da FBV Las Vegas - EUA Barro Recife/PE Qual é o imóvel mais caro? Fonte: Blog

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 26 de janeiro de 2010.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 26 de janeiro de 2010. Análise CEPLAN Recife, 26 de janeiro de 2010. Temas que serão discutidos na Análise Ceplan A conjuntura econômica título em mestre 2010 e perspectivas para 2011 (Brasil, Nordeste, Estados); Informe especial

Leia mais

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados Preço médio de locação inicia 2016 em queda de 0,16% Resultado de janeiro leva o Índice FipeZap de Locação a mostrar a nona queda nominal seguida na comparação com o mês anterior Os preços de locação iniciaram

Leia mais

1 a 15 de janeiro de 2015

1 a 15 de janeiro de 2015 1 a 15 de janeiro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana INTRODUÇÃO Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas

A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO. Fundação Getulio Vargas A INDÚSTRIA DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO Fundação Getulio Vargas FGV Março 2015 A SONDAGEM ABCIC DESEMPENHO RECENTE DA CONSTRUÇÃO A Sondagem - Metodologia EMPRESAS A Sondagem - Metodologia Temas Pesquisados

Leia mais

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75%

CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% VILA LEOPOLDINA 1 CORINTHIANS 25% 32,88% SÃO PAULO 21% 22,00% PALMEIRAS 18% 14,63% SANTOS 5% 5,88% FLAMENGO 4% 2,25% NENHUM 24% 19,75% Fonte: DNA Paulistano Datafolha 2009. 2 Características Fonte: GeoSecovi

Leia mais

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324

75,4. 1,95 mulher, PNAD/08) Taxa de analfabetismo (15 anos ou mais em %) 4,4% População urbana 5.066.324 SEMINÁRIO ESTRUTURA E PROCESSO DA NEGOCIAÇÃO COLETIVA CONJUNTURA DO SETOR RURAL E MERCADODETRABALHOEMSANTA DE EM CATARINA CONTAG CARACTERÍSTICAS C C S GERAIS CARACTERÍSTICA GERAIS DE SANTA CATARINA Área

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados - Março/2011 http://www.zap.com.br/imoveis/fipe-zap http://www.fipe.org.br/web/indices/fipezap

Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados - Março/2011 http://www.zap.com.br/imoveis/fipe-zap http://www.fipe.org.br/web/indices/fipezap Índice FipeZap registra variação de 2,4% em março e 6,4% no primeiro trimestre; Preço do m 2 anunciado em São Paulo ultrapassa R$ 5.000 pela primeira vez A variação do Índice FipeZap Composto em março/2011

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011

Code-P0. Copa 2014. Situação das ações do Governo Brasileiro. Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P0 Copa 2014 Situação das ações do Governo Brasileiro Brasília, 2 de junho de 2011 Code-P1 O que o Brasil quer com a Copa do Mundo FIFA Mobilizar o país Promover o país no mundo Constituir arenas

Leia mais

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013

BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 BRASIL: o fim de um modelo ou um ajuste cíclico? MAIO 2013 Novo padrão de consumo Mar 00 Sep 00 Mar 01 Sep 01 Mar 02 Sep 02 Mar 03 Sep 03 Mar 04 Sep 04 Mar 05 Sep 05 Mar 06 Sep 06 Mar 07 Sep 07 Mar 08

Leia mais

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010

ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (INPC) E A CESTA BÁSICA DEZEMBRO/2010 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) apresenta os resultados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor e a Cesta Básica para a Região Metropolitana de Fortaleza.

Leia mais

Imovelweb index. Cidade de São Paulo Relatório mensal Abril 2016

Imovelweb index. Cidade de São Paulo Relatório mensal Abril 2016 Imovelweb index Cidade de São Paulo Relatório mensal Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 E 3. Noções de Economia e Finanças pg 26 5 a 7 questões 3.1 Conceitos Básicos de Economia 3.2 Conceitos Básicos de

Leia mais

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 1 pico = 100 Valor de Mercado das Bolsas Mundiais pico 100 Atual 80 Japão 60 40 crise 1929 20

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP

GRUPO DE ECONOMIA / FUNDAP ANEXO ESTATÍSTICO Produto Interno Bruto Tabela 1. Produto Interno Bruto Em R$ milhões Em U$ milhões 1 (último dado: 3º trimestre/) do índice de volume 2009 2010 (3ºtri) 2009 2010 (3ºtri) Trimestre com

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura (resultados de julho de 2008) setembro/08 1 Principais destaques Em julho/08 as micro e pequenas empresas (MPEs) apresentaram queda de 3% no faturamento real

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 No primeiro mês de 2015, os aluguéis registraram alta de 0,4%, comparado com o mês anterior. Considerando o comportamento

Leia mais

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros?

O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? O comportamento recente da taxa real de juros no Brasil: existe espaço para uma queda maior da taxa de juros? José Luís Oreiro * O Banco Central do Brasil iniciou o recente ciclo de flexibilização da política

Leia mais

PESQUISA COM EMPRESÁRIOS

PESQUISA COM EMPRESÁRIOS PESQUISA COM EMPRESÁRIOS OBJETIVO DA PESQUISA AVALIAR A EXPECTATIVA DE VENDAS DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA DE BELO HORIZONTE PARA O NATAL DE 2015 INFORMAÇÕES METODOLÓGICAS Coleta de dados de 26/10

Leia mais

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO

SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO PÁGINA 1 Página 1 SECRETARIA DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E MINERAÇÃO SICM SUPERINTENDÊNCIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS SCS Informativo CODAV ATACADO, VAREJO E DISTRIBUIÇÃO I N F O R M A T I V O B I M E S T R A L

Leia mais

Brasil Março 2016. Mercado em números

Brasil Março 2016. Mercado em números Março 2016 Mercado em números Guiana Venezuela Suriname Columbia Guiana Francesa Designação oficial: República Federativa do Capital: Brasília Localização: Leste da América do Sul Peru Fronteiras terrestres:

Leia mais

CRESCIMENTO DO PIB MUNDIAL (%)

CRESCIMENTO DO PIB MUNDIAL (%) 1 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 CRESCIMENTO DO PIB

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Os aluguéis das casas e apartamentos no mês de maio permaneceram estáveis em relação aos valores de abril. Em relação

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP

Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil. Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP Perspectivas do Crédito Imobiliário no Brasil Octavio de Lazari Junior Presidente - ABECIP São Paulo 5 de dezembro de 2012 Fiabci Brasil - Perspectivas 2013 Agenda 1 - Brasil: Ambiente Macroeconômico 2

Leia mais

18º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS

18º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS 18º CENSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO DE PORTO ALEGRE IMÓVEIS NOVOS 1 INTRODUÇÃO EDIÇÃO 2015 A Comissão da Indústria Imobiliária (CII/SINDUSCON-RS) vem desenvolvendo desde 1998, através do Departamento de Economia

Leia mais

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR INTERIOR DE SÃO PAULO Flavio Amary Vice-presidente do Interior do Secovi-SP e Diretor Regional em Sorocaba e Região PARTICIPAÇÃO % DO

Leia mais

MERCADO IMOBILIÁRIO DE SOROCABA FLAVIO AMARY

MERCADO IMOBILIÁRIO DE SOROCABA FLAVIO AMARY MERCADO IMOBILIÁRIO DE SOROCABA FLAVIO AMARY Vice Presidente do Interior SOROCABA Complexo Toyota SOROCABA CARACTERÍSTICAS Quarta cidade mais populosa do interior (sem considerar a RMSP); É a 29ª cidade

Leia mais

Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió

Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió Residencial e Comercial JANEIRO/2014 Ano XIV Nº 168 CONSTRUTOR DO MERCADO IMOBILIÁRIO Participe também da pesquisa IVV. Contatos: Ademi Rita (32319499)

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013)

Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável. BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Centro de Promoção do Desenvolvimento Sustentável BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA (Atualizado em julho de 2013) Viçosa Minas Gerais Junho de 2013 1 DEMOGRAFIA BOLETIM ESTÁTISTICO DE VIÇOSA TABELA 1 Evolução

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Ministério da Fazenda. Junho 20041

Ministério da Fazenda. Junho 20041 Ministério da Fazenda Junho 20041 Roteiro Os avanços do Governo Lula O Brasil está crescendo Consolidando a agenda para o crescimento 2 Os avanços do Governo Lula 3 Consolidando a estabilidade macroeconômica

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015

Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Construção civil: desempenho e perspectivas 10/02/2015 Emprego com Carteira Evolução Recente Fonte: MTE, SindusCon-SP/FGV Emprego com Carteira Segmento Dez 2014 / Dez 2013 Dez 2014 / Nov 2014 dessaz. Acumulado

Leia mais

Ativa Corretora. Novembro de 2010

Ativa Corretora. Novembro de 2010 Ativa Corretora Novembro de 2010 Roteiro A economia global passa por ajustes severos, quase que simultaneamente, o que torna o trabalho de previsão ainda mais complexo do que o normal. Existem ainda questões

Leia mais

Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros. Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip

Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros. Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip Trajetória do Mercado Imobiliário e Cenários Futuros Octavio de Lazari Junior Presidente - Abecip Índice 1. Evolução do Crédito Imobiliário 2. Novo Governo 3. Crédito Imobiliário: Jan Jul.2015 4. Condições

Leia mais

Bancos financiam crescentemente a produção

Bancos financiam crescentemente a produção Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nota do dia 25 de julho de 2007 Fontes: Bacen, IBGE e CNI Elaboração: Febraban Bancos financiam crescentemente a produção Pessoa Jurídica O crédito destinado

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

1. Atividade Econômica

1. Atividade Econômica Julho/212 O Núcleo de Pesquisa da FECAP apresenta no seu Boletim Econômico uma compilação dos principais indicadores macroeconômicos nacionais que foram publicados ao longo do mês de referência deste boletim.

Leia mais

Cresce o emprego formal em todos os setores de atividade

Cresce o emprego formal em todos os setores de atividade 6 jul 2006 Nº 3 Cresce o emprego formal em todos os setores de atividade Por Antonio Marcos Ambrozio Economista da Secr. de Assuntos Econômicos Recuperação dos Houve um postos de trabalho grande aumento

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2015 Expectativas para 2016. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo 26 de Janeiro de 2016

Coletiva de Imprensa. Balanço de 2015 Expectativas para 2016. Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo 26 de Janeiro de 2016 Coletiva de Imprensa Balanço de 2015 Expectativas para 2016 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo 26 de Janeiro de 2016 Índice 1 2 3 4 5 6 Condições Macroeconômicas Consumidor Construção

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. Os aluguéis de casas e apartamentos na capital paulista ficaram praticamente estabilizados em setembro de 2014, relativamente

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Subtítulo da Apresentação

Subtítulo da Apresentação Subtítulo da Apresentação MOTIVAÇÃO METODOLOGIA 15 cidades analisadas Análise do valor médio dos imóveis cadastrados no VivaReal 15 cidades + 1,8 mi Maior Base de imóveis entre os portais Análise de Intenção

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió Residencial e Comercial NOVEMBRO/2014 Ano XIV - Nº 178

Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió Residencial e Comercial NOVEMBRO/2014 Ano XIV - Nº 178 Mercado Imobiliário da Região Metropolitana de Maceió Residencial e Comercial NOVEMBRO/2014 Ano XIV Nº 178 CONSTRUTOR DO MERCADO IMOBILIÁRIO Participe também da pesquisa IVV. Contatos: Ademi Rita (32319499)

Leia mais

XVIIIª. Conjuntura, perspectivas e projeções: 2014-2015

XVIIIª. Conjuntura, perspectivas e projeções: 2014-2015 XVIIIª Conjuntura, perspectivas e projeções: 2014-2015 Recife, 18 de dezembro de 2014 Temas que serão discutidos na XVIII Análise Ceplan: 1. A economia em 2014: Mundo Brasil Nordeste, com ênfase em Pernambuco

Leia mais

Mercado imobiliário apresenta crescimento em Sorocaba

Mercado imobiliário apresenta crescimento em Sorocaba Mercado imobiliário apresenta crescimento em Sorocaba O município de Sorocaba apresentou, no último ano, um crescimento de quase 70% no número de lançamentos de imóveis em condomínios. Entre outubro de

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03/2013. IPCA e INPC AMPLIAÇÃO DA ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA

NOTA TÉCNICA 03/2013. IPCA e INPC AMPLIAÇÃO DA ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA NOTA TÉCNICA 03/2013 IPCA e INPC AMPLIAÇÃO DA ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA A partir do mês de janeiro de 2014, com divulgação em fevereiro do mesmo ano, o Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor

Leia mais

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda

O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda O Sistema de Financiamento Habitacional no Brasil: Potencial para atender o déficit e a demanda Claudia Magalhães Eloy Rio de Janeiro, setembro de 2015 IUHF, UNIAPRAVI Financiamento Habitacional no Brasil

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 25º Edição - Abril de 2014 SUMÁRIO Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação 3 Seção Especial 5 Nível de Atividade 8 Emprego 9 Emprego direto em planos de saúde 10 Renda

Leia mais

Cesta Básica DIEESE/PROCON atinge o maior valor de sua história. Gráfico 1 Cesta Básica DIEESE/PROCON Valor Diário (EM URV/Real) 190,00 2º. Sem.

Cesta Básica DIEESE/PROCON atinge o maior valor de sua história. Gráfico 1 Cesta Básica DIEESE/PROCON Valor Diário (EM URV/Real) 190,00 2º. Sem. ANOTE Informativo Eletrônico do DIEESE Ano 4, N.º. 38 Maio de 2.003 1 CONJUNTURA Cesta Básica DIEESE/PROCON atinge o maior valor de sua história Calculada diariamente desde março de 1990, ou seja, a mais

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A B R I L, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 27 de maio de 2016 Crédito imobiliário alcança R$ 3,5 bilhões em abril

Leia mais

Economia Brasileira: Câmbio, Balança de Pagamentos e a Política Fiscal. Affonso Celso Pastore

Economia Brasileira: Câmbio, Balança de Pagamentos e a Política Fiscal. Affonso Celso Pastore Economia Brasileira: Câmbio, Balança de Pagamentos e a Política Fiscal Affonso Celso Pastore 1 índice (basket / US$) Entramos em um ciclo de valorização do dólar. A experiência dos dois ciclos anteriores

Leia mais

Cenários para mitigar riscos do mercado imobiliário baseados em estudo de demandas

Cenários para mitigar riscos do mercado imobiliário baseados em estudo de demandas Cenários para mitigar riscos do mercado imobiliário baseados em estudo de demandas Eng. Emmanuel Braz braz.emmanuel@gmail.com (61)8128-5709 Qual é a realidade do Mercado Imobiliário Brasileiro? Mercado

Leia mais

Perspectivas para o crédito imobiliário em 2015. José Aguiar Superintendente Abecip

Perspectivas para o crédito imobiliário em 2015. José Aguiar Superintendente Abecip Perspectivas para o crédito imobiliário em 2015 José Aguiar Superintendente Abecip São Paulo, 29 de Outubro de 2014 AGENDA: Overview Pilares do crescimento Crédito imobiliário: situação atual E o funding?

Leia mais

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS

Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS Anexo III Metas Fiscais III.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101,

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

5 MOEDA E CRÉDITO. ipea SUMÁRIO

5 MOEDA E CRÉDITO. ipea SUMÁRIO 5 MOEDA E CRÉDITO SUMÁRIO Na reunião de fevereiro último, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a meta para a taxa Selic em 25 pontos-base (pb), fazendo-a chegar a 10,75% ao ano (a.a.). Essa redução

Leia mais

BOLETIM ECONÔMICO JANEIRO/08. Sumário: 1 Conjuntura: 1.1 Índices de Preços:

BOLETIM ECONÔMICO JANEIRO/08. Sumário: 1 Conjuntura: 1.1 Índices de Preços: BOLETIM ECONÔMICO JANEIRO/08 Sumário: 1 Conjuntura: 1.1 Índices de Preços: A variação do IPCA acumulado em dezembro alcançou 4,46%. Com isso inverteu a tendência de queda da inflação que vinha sendo observada

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007

Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007 Apresentação de Resultados do 3T07 7 de novembro de 2007 Destaques 3T07 Lucro líquido de R$45,5 milhões Resultados consolidados Companhia de menor custo no mercado (CASK consolidado = R$14,2 centavos /

Leia mais

VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE. Claudio Conz Presidente da Anamaco

VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE. Claudio Conz Presidente da Anamaco VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO Claudio Conz Presidente da Anamaco O universo de lojas varejistas de material de construção no Brasil segundo a RAIS (Relatório Anual de Informações Sociais) do

Leia mais

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz

Estudo Estratégico n o 5. Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz Estudo Estratégico n o 5 Desenvolvimento socioeconômico na metrópole e no interior do Rio de Janeiro Adriana Fontes Valéria Pero Camila Ferraz PANORAMA GERAL ERJ é o estado mais urbano e metropolitano

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 Introdução Guilherme R. S. Souza e Silva * Lucas Lautert Dezordi ** Este artigo pretende

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços A inflação, considerada a evolução dos índices de preços ao consumidor e por atacado, apresentou contínua elevação ao longo do trimestre encerrado em maio. Esse movimento, embora tenha traduzido

Leia mais

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br Agenda painel.fipezap.com.br Agenda Mapa de Preços do ZAP Índice FipeZap novos dados do mercado Mapa de Preços Índice FipeZap Novos dados Agenda 1 2 3 4 5 Introdução Índice FipeZap: novas cidades Evolução

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços 2 A inflação mais elevada no trimestre finalizado em fevereiro evidenciou, essencialmente, o realinhamento dos preços monitorados e livres, pressões pontuais advindas da desvalorização cambial,

Leia mais