Boletim do Escritório Pellon & Associados Maio 2012 Edição 23. RESSEGURO Online. Introdução

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim do Escritório Pellon & Associados Maio 2012 Edição 23. RESSEGURO Online. Introdução"

Transcrição

1 Rio de Janeiro São Paulo Vitória Recife Brasília Düsseldorf Boletim do Escritório Pellon & Associados Maio 2012 Edição 23 RESSEGURO Online No Brasil e no Mundo As Coberturas de Resseguro Entenda como funciona o Contrato de Resseguro Por: Sergio Barroso de Mello* Introdução A responsabilidade do ressegurador deve ser vista sob duas perspectivas distintas: primeiro, do ponto de vista da responsa- segundo aspecto qualitativo da responsabilidade máxima que convém assumir em cada risco, em cada evento danoso coberto (sinistro) ou em cada ano. Assim, 1 como bem leciona Gerathewohl, a responsabilidade do ressegurador é sinônimo de capacidade, proporcionada por um contrato de resseguro que, por sua vez, representa a contraparte pela retenção do segurador. A responsabilidade máxima do ressegurador contemplada no contrato representa simplesmente o teto geral até o qual os negócios podem ser subscritos. Justo por isso, o segundo aspecto que surge ligado à responsabilidade do ressegurador tem relação com qual classe de reclamações ele cobrirá no contrato, e quais sinistros estarão excluídos da cobertura, em razão da qualidade e não da quantidade, é dizer, os sinistros que estariam cobertos se os valores respectivos fossem o fator único. Por conseguinte, este Capítulo examina o bilidade do ressegurador N E S T A E D I Ç Ã O Contrato de Resseguro Preenchendo a lacuna de US$ 254 bilhões em seguros - Lucia Bevere - Analista Sênior de dados sobre catástrofes, Swiss Re Indústria Farmacêutica e Seguros - Rating de Seguros Clipping Luís Felipe Pellon Fundador e Presidente do Conselho Sergio Barroso de Mello Fundador e Membro do Conselho Tel

2 O OBJETO DA COBERTURA responsabilidade civil nos estaleiros ou nos postos de gasolina, não haverá tal clareza. de cobertura. O ponto importante aqui não é que o resse- Definição das classes de negócios e 2º. Especialmente se opera em nível inter- gurador se negue a aceitar ditas classes dos riscos segurados nacional, o ressegurador deve poder super- novas de cobertura ou de riscos, mas que Muitos contratos de resseguro definem o visionar os negócios que tenha aceitado em essas prejudicam posteriormente a relação objeto da cobertura referindo-se simples- vista dos possíveis acúmulos. De outro cobertura/preço, tomada originalmente mente às classes nas quais se subscrevem os modo, não estaria em situação de retroce- como base quando da celebração do contra- 2 negócios. Em tal hipótese, o ressegurador der certos contratos quando os riscos que to. não sabe, já a partir da fase de conclusão do tiver aceitado excederem sua capacidade. contrato, que classe de riscos e de sinistros Não obstante, como cada contrato pode Nessas hipóteses é recomendável acordar podem figurar em um contrato de resseguro. acumular com qualquer outro contrato, condições especiais de resseguro. Embora isso possa não ser um problema dito controle dos cúmulos se tornará particular nos países com diferença legal impossível: um contrato de resseguros de Para evitar as diferenças de opinião entre absoluta entre as distintas classes de negóci- incêndios cobrindo todos os riscos subscri- ressegurador e ressegurada após a ocorrênos e com normas estritas sobre supervisão e tos no departamento de incêndios inevita- cia de um sinistro, é conveniente limitar o contabilidade, um ressegurador usando velmente pode sobrepor-se, ocultando objeto da cobertura nos contratos obrigatóricláusulas tais como a mencionada na nota de maliciosamente um contrato de resseguros os aos negócios normais e correntes. Os rodapé 3 pode encontrar a situação muito marítimo cobrindo todos os riscos aceitos meios usados para lograr esse objetivo e para diferente nos países livres de dito sistema de pelo departamento marítimo, que, por sua excluir os tipos de seguros ou de riscos anorcontrole. vez, pode se chocar com um contrato de mais e não comuns dos contratos obrigaresseguro igualmente indefinido para os tórios variam conforme as duas classes prin- 4 Segundo informa Gerathewhol, os sindicatos negócios feitos no departamento de aci- cipais de negócios. de resseguros marítimos do Lloyd's, por exem- dentes. Nesse ponto, vale recorrer nova- plo, estão autorizados a subscrever negócios 5 mente à lição de Gerathewohl, para quem incidentais não marítimos até um determina- ditas complicações no controle de seguros As classes que protegem especifi- do percentual periodicamente fixado em obrigarão ao ressegurador a adotar uma camente os perigos mencionados relação a seus prêmios totais. Diferente é a política mais reservada na aplicação de seus Esse grupo compreende incêndios e algumas noção transmitida pelo termo incidental, limites máximos, fazendo com que a capaci- outras classes de seguros patrimoniais (espe- mas não quer dizer negócios conectados ou dade mundial que atualmente está disponí- cialmente o seguro de roubo e furacões), associados com apólices marítimas. Em realiresseguro vel fique sem ser usada. assim como rurais e granizo. Os contratos de dade, incidental não-marítimo se usa para realizados para essas classes de todos os negócios não-marítimos subscritos Por isso, geralmente, não é suficiente definir negócios sempre deveriam mostrar o alcan- pelos sindicatos de riscos marítimos, reunindo-se a responsabilidade do ressegurador referin- ce exato da cobertura, vale dizer, seguro de do assim desde seguro de imóveis residenciadivisão unicamente a certo departamento ou incêndios, seguro de perda de benefícios is até o seguro de enchentes e os contratos de dentro da organização do segurador. por incêndio, seguro de roubo, etc. todo risco da construção de uma ponte ou de Entretanto, mesmo uma especificação exata uma represa. das classes dos negócios pode ser inadequa- Como os perigos cobertos em certa classe de da, particularmente com as classes que negócios algumas vezes variam de um país Essa falta de clareza em definir o conceito de trato de resseguros. Como exemplo, os pringurador dois problemas: explosão. Deveria ser posta junto com qualdo apropriado somente se o artigo como tal está claramente definido. Tão logo como um cios subscritos no departamento marítimo da companhia ressegurada, não obstante, se este inclui, por exemplo, as apólices de incluem muitas subcategorias com diferen- ças sensíveis na característica dos riscos. Por conta dos avanços técnicos, os riscos a serem cobertos em algumas classes de negó- 1º. O preço de um artigo pode ser consideracios podem desviar-se tão consideravelmen- te das normas aplicáveis ao início do contrato que o ressegurador pode sentir que não contrato de resseguro cobre todos os negóhavia realizado o contrato (ou somente sob condições e termos diferentes) se lhe tives- sem prevenido então dos riscos e das classes para outro, sempre se deveria indicar especi- ficamente os perigos cobertos por um con- responsabilidade apresenta para o resse- cipais riscos segurados sob incêndios em quase todos os países são: incêndios; raio; quer perigo adicional a cobertura que varia de um país para outro, tal como: impacto de aviões; granizo; greve; motim, comoção civil; terremoto. 2 RESSEGURO Online

3 coberturas todo risco, razão pela qual as partes de um contrato convencionam que as Condições Gerais e Especiais do Seguro e/ou Tais exclusões estão assinaladas, por exemas Tarifas e as Normas de Tarifação vigentes plo, nas Condições Gerais dos Seguros, usana formação do mesmo devem ser conside- das normalmente com uma tarifa predeterradas como suas partes integrantes. As alte- rações fundamentais somente serão possíve- um prêmio mais alto, exigindo cálculo indiviis com o consentimento prévio do ressegura- dor. Também se convenciona, algumas vezes, condições especiais, sobretudo prêmios mais altos devido à sua periculosidade inerente. minada. Os riscos seguráveis, somente com dual, e não com uma remuneração composta pelo prêmio básico mais encargos gerais, Quando essa definição está estipulada, os que ainda não sendo necessário pedir a estão, portanto excluídos das coberturas sinistros causados por perigos distintos aos autorização prévia ao ressegurador, este efetuadas segundo as Condições Gerais do anotados expressamente no contrato de deve ser informado de tais alterações, cada Seguro. resseguros não estão cobertos. E como o alcance da responsabilidade do ressegurador está claramente descrito, a remuneração paga pelo segurador pela cobertura que O método descrito até aqui pode ser considerado como o método da lista positiva que apresenta tudo o que está incluído em um contrato de resseguros. Mas não significa que nas coberturas de excesso de dano obtém também pode fixar-se com a devida clareza. Classes de coberturas incluindo todos os riscos ou multirriscos cobertura em casos excepcionais e sob coneletrônicos, etc.); seguro marítimo (casco, mercadorias, responsabilidade civil do trans- portador, equipamentos, etc.); seguro de aviação (acidentes pessoais; responsabilida- de civil, casco, etc.); seguro de acidentes (danos a terceiros RCFV acidentes pessoa- is, autos); seguro de pessoas; e seguro de crédito. vez que se produzam, sem qualquer demora. Lista de exclusões exclusivamente os seguradores procedam exatamente desde a expectativa contrária e utilizem listas negativas apresentando os riscos e os tipos de coberturas que não figuram dentro do alcance de um contrato obri- gatório de resseguro. Como os problemas relacionados com as chamadas listas de exclusões dependem da natureza de cada classe de negócios é conveniente fazer referências a fatores essenciais comuns a todas as exclusões. - Segundo, certas categorias de riscos ou de perigos podem ser excluídos não sobre as bases de insegurança, mas porque exigiriam Em resseguro as exclusões se usam pelas seguintes razões: 1. Em conexão com as categorias de riscos considerados como inseguráveis, as exclu- sões feitas a partir dos contratos de ressegu- ros são com frequência as mesmas que as feitas sob as apólices originais, ainda que em essência estejam mais que repetidas: mesmo quando as Condições Gerais dos Seguros formam parte integrante de um contrato de Esse grupo tão heterogêneo de negócios compreende os seguros patrimoniais e nãopatrimoniais, em particular: seguros de engenharia (quebra de máquinas, risco de construção e montagem, equipamentos resseguros e determinam o alcance da cobertura, excluam o risco de guerra, o segu- rador pode vir a incluir esse risco em sua dições especiais. Se o ressegurador não deseja aceitar o risco de guerra sob qualquer condição, deve então estipular uma exclusão apropriada em seu contrato de resseguro, partindo do marco legal do princípio da autonomia de vontades dos contratantes. 2. O ressegurador e o ressegurado podem expressar opiniões diferentes sobre que perigos ou categorias de risco devem ou não devem ser excluídos sobre as bases de inse- 7 Essencialmente, como lembra Gerathwohl, existem duas razões principais para que a maioria das apólices de seguro utilizem certas exclusões: - Primeiro, as categorias de riscos ou de peri- gos individuais podem ser excluídas sobre as bases de insegurabilidade, em particular quando os sinistros estimados não são de natureza fortuita e a indenização por sinis- tros que pode apresentar-se está fora de valoração. Na maioria dos casos a inclusão do risco de guerra tornaria os negócios insegu- ráveis neste sentido. Como antes, primeiro vão ser consideradas aqui todas as classes de negócios, e depois as subcategorias correspondentes. Por conse- guinte, sob o título geral, por exemplo, de seguro de acidentes pessoais, um contrato trará especificações adicionais, como acidentes individuais, acidentes em grupo, seguro de acidentes com reembolso de prêmios e seguros de acidentes em viagem. gurabilidade. Enquanto o segurador, por exemplo, pode aceitar certos riscos políticos, tais como comoção civil ou sabotagem em sua apólice de seguro original, o ressegura- dor pode estar inclinado a usar as exclusões de seu contrato por duas razões: primeiro, pode crer que o risco original não é segurá- vel, ou seja, tem uma opinião distinta do segurador. Segundo, pode necessitar da exclusão, porque o risco, que do ponto de Ressalta Rivero 6, ao tratar das coberturas denominadas multirriesgos e pólizas combi- nadas (all risk) que, na prática, é impossível relacionar todos os perigos que incluem as vista do segurador pode ser segurável, na perspectiva do ressegurador não é segurável, RESSEGURO Online 3

4 devido à acumulação de perigos que apresenta. um âmbito geográfico particular, correrá o A gravidade particular de certos Por isso, as categorias de riscos ou risco de receber participações de uma riscos segurados perigos incluídos nas apólices originais mesma apólice original, sob vários contratos, Quando se realiza um contrato obrigatório de podem ser excluídas dos contratos de resse- cada um dos quais capaz de esgotar sua resseguros, as partes dão por firmado que guro. máxima capacidade. Como em nossos dias estão interessadas em uma carteira normal, muitos contratos obrigatórios não exigem o mais ou menos típica de mercado em relação 3. Em adição, os riscos excluídos por conta de serviço de borderôs, o ressegurador não à sua composição. A responsabilidade máxisua insegurabilidade também têm uma conhecerá essas participações múltiplas. ma do ressegurador e o preço do resseguro segunda categoria de riscos seguráveis e obtido, assim como a comissão de resseguro, resseguráveis, mas não sob os termos e Esta é exatamente a hipótese de acumulação serão fixadas segundo as normas do mercacondições normais geralmente conveniadas de responsabilidades que exige controle. do, ainda que naturalmente se terá em conta em um contrato obrigatório de resseguros. qualquer particularidade que se descubra na Além da necessidade de cobrar um prêmio Para obter proteção contra ditos cúmulos carteira ao momento de efetuar o contrato. mais alto por ditos riscos agravados, vale desconhecidos, o ressegurador pode incluir o dizer, uma necessidade que também existe serviço de borderôs para os grandes riscos, Contudo, existem certos perigos cuja inclusão no seguro, há também um elemento especí- ou excluir certas apólices da cobertura do agravaria o risco técnico de uma carteira fico no resseguro com certas repercussões resseguro obrigatório, aceitando unicamente inteira até tal grau que a colocação do contrasobre o prêmio, representado pelo controle através do resseguro facultativo. to de resseguro chegaria a ser impossível ou de acúmulos: para determinar sua responsa- teria que se efetuar contra o pagamento de bilidade total em qualquer risco ou na ocor- Poderá, assim, ser introduzido o serviço de um prêmio de resseguro muito importante. rência de qualquer sinistro e determinar se borderô nos riscos industriais de incêndio, necessitará de retrocessão, o ressegurador incluindo uma cláusula no contrato de resse- O primeiro perigo são os riscos de guerra, deve estabelecer tão exatamente quanto guros estabelecendo que os riscos com uma políticos, de eventos catastróficos, assim possível a acumulação potencial constituída soma original superior a certo limite não como o risco da energia nuclear, apesar despor vários contratos de resseguros. Como a serão aceitos na cobertura de resseguro ses perigos estarem geralmente excluídos das remuneração que paga a suas retrocessões obrigatório. Isso também se aplica ainda que apólices originais. Como assevera Rivero 9, influi no preço que calcula ele mesmo por a cota do segurador em uma certa apólice, enquanto a maioria dos países assegura o sua própria responsabilidade, se deve fazer que tenha sido aceita por via de cosseguro, risco de energia nuclear por meio de grupos referência neste comentário sob o termo não exceda o limite máximo de responsabili- nacionais reunidos, os seguradores em mui- controle de cúmulos. dade fixado em seu contrato de resseguro. tos países cobrem os perigos políticos para certas classes de negócios, seja mediante um Controle de cúmulos Uma cláusula adicional utilizada em todos os pagamento de um acréscimo no prêmio Em todos os mercados de seguros e particuis contratos de resseguro para evitar os possíve- (como ocorre bastante no transporte marítilarmente nos negócios comerciais e industritos acúmulos pode estabelecer que os contra- mo de mercadorias) ou através de apólices ais (incêndio, marítimo, responsabilidade civil obrigatórios de resseguro e de retroces- separadas (como é o caso com o risco de geral, engenharia) há riscos onde a soma são aceitos pelo ressegurador não podem ser guerra no seguro de casco marítimo). segurada é tão importante que a apólice incluídos em seu contrato de resseguro. Isso original deve ser colocada com um grande exige claramente uma confiança particular Como a periculosidade do risco político pode número de cosseguradores 8. entre o ressegurador e o segurador, o que é alterar-se fundamentalmente em um curto essencial considerando as mútuas relações espaço de tempo, os prêmios cobrados por O percentual de participação que cada cosselidades comerciais. esses riscos devem ser flexíveis, com possibigurador retém no risco total pode ser muito de ajuste a curto prazo. Por isso, a pequeno, mas a quantidade absoluta pode Sem essa cláusula, o ressegurador poderia cobertura obrigatória dos riscos políticos é de ser bastante considerável. incluir sob a cobertura de seu próprio contra- difícil aceitação. Quando, sob tais circunstâncias, os seguradosegurador to obrigatório de resseguros um contrato obrigatório de resseguros subscrito pelo Outra possibilidade é a de oferecer a cobertures levam o resseguro até os limites máximos em cujo caso, por meio da retro- ra obrigatória de resseguro em tais casos, de responsabilidade fixados em seus contraum cessão, estaria proporcionando proteção a mas informando urgentemente ao ressegura- tos obrigatórios, um ressegurador que substenha segurador para os riscos que ele não dor para facilitar-lhe a cobertura, se for creve um grande número de contratos, em condições de subscrever. necessária. 4 RESSEGURO Online

5 A exclusão de certos contratos de de dano, é dizer, apólices com dedutíveis muito altos. dedutível é apropriado deve ser respondida pelo segurador, de forma que em sua análise resseguro sob a cobertura de ressedeverá levar em conta os fatores de acúmulo e guro O problema que surge a examinar é de como se proteger com as devidas ressalvas e exclu- Como expressamos anteriormente, uma das se definiria o conceito de dedutível muito sões no próprio contrato de seguro. razões dos resseguradores algumas vezes alto. Enquanto as coberturas de excesso de negarem a cobertura aos negócios que dano podem ser excluídas geralmente da Dependendo de como sejam aplicadas e intertenham sido aceitos pelos seguradores é cobertura sob outros contratos de resseguro, pretadas essas duas razões para incluir dedutíjustamente a intenção de evitar a acumulação particularmente sob as coberturas de excesso veis, melhorar o risco moral e economizar de riscos. de dano, prescindindo da prioridade eleita, as gastos de administração, cada situação pode apólices originais podem estar sujeitas à exclu- parecer diferente. No caso das coberturas de resseguro de são somente se os dedutíveis retidos pelos excesso de dano, também surgem os riscos segurados forem muito altos, dando-se assim Sob a perspectiva da melhora do risco, um dos parâmetros geralmente usados para o a ditas apólices o caráter de uma cobertura dedutível de certo valor poderia parecer cálculo estarem deformados pela aceitação de excesso de dano. Em outras palavras, o necessário em relação ao tamanho e a solvênindiscriminada de toda classe de negócios. crescimento na quantidade do dedutível pro- cia do segurado, enquanto que sob a perspec- Esse risco é particularmente grave quando os duz uma alteração na qualidade da cobertura. tiva de evitar o alto custo nos sinistros menocontratos de excesso de dano são cobertos por meio de resseguro do mesmo tipo. Para poder determinar o alcance exato da recomendável. res, um dedutível menor poderia parecer mais cobertura que deve se proporcionar por meio 10 Em apoio, Rivero, com propriedade, leciona do resseguro, os seguradores deveriam ter Um ponto que ambas têm em comum é o que: critérios claros, demonstrando quando uma objetivo de diminuir o impacto do risco segura- En líneas generales, los contratos incluyen apólice original toma o aspecto de uma cober- do. Dita diminuição não é possível, todavia, unas exclusiones que podríamos calificar de tura de excesso de dano. quando tais dedutíveis são estabelecidos na estándar y que después suelen ser ampliadas forma de um sistema de autosseguro, suportao definidas en cada clase de ramos de seguro Na busca de tais critérios se deve considerar os do pelo segurado e não sobre as bases de uma según sus propias características. Estas exclu- motivos usados pelos seguradores para intro- apólice efetuada entre o segurado e o segurasiones suelen ser: duzir franquias e particularmente dedutíveis dor. Ditos negócios de autosseguro, em grande Guerra, hechos de carácter político-social, nas apólices de seguro. Isso se faz principal- maneira, podem referir-se realmente ao típico motín, revolución, asonada, revolución, nacio- mente por duas razões: i) para melhorar o risco seguro de uma cobertura de excesso de dano nalización, terrorismo. moral mantendo o interesse do segurado em (ED). Los riesgos de energía nuclear. um grau baixo da frequência de sinistros (intro- Los reaseguros obligatorios. dução de medidas de prevenção e de diminui- Ainda que o nível absoluto de um dedutível Los seguros y reaseguros que tengan el ção de sinistros); e ii) para eliminar os gastos de nem sempre seja um critério válido, ensina carácter de coberturas de exceso de pérdida. 11 liquidação excessivos encontrados nos peque- Gerathewohl que há certos critérios objetivos O fato é que as cláusulas das Condições Gerais nos sinistros. para definir se um dedutível, muito importan- te, ainda é verdadeiro ou se é um sistema dos Contratos de Resseguro devem prever Em relação ao primeiro ponto, a questão de se disfarçado de autosseguro, ou seja, um seguro especificamente essas exclusões, a fim de um dedutível é apropriado depende clara- com a característica típica de uma cobertura evitar o problema nefasto para a boa gestão mente do segurado e do tipo de negócio ED. Vejamos o exemplo citado pelo referido do risco em prol do segurado e do segurador, envolvido. Enquanto um dedutível de determi- doutrinador: do acúmulo de responsabilidade do ressegu- nada quantia por cada sinistro reduzirá o risco - As apólices com dedutíveis verdadeiros estão rador. moral e a probabilidade de sinistros na apólice embasadas em clausulado normal (ou sobre de incêndios, roubo, ou responsabilidade A exclusão de apólices com caracteperante terceiros contratada pelo proprietário uma base de valor total onde se aplica o princí- pio de apuração da média aritmética) e tarifas rísticas típicas de excesso de dano de uma pequena loja, dificilmente alterará a normais, reduções algumas vezes concedidas As razões para excluir as coberturas de excesso situação no caso de uma grande indústria.con- por certos dedutíveis. de dano de outros contratos de resseguro siderando o segundo aspecto, vale dizer, a também se aplicam à exclusão de apólices redução dos custos proporcionais excessivos - Em consequência, o autosseguro ligado com originais com características típicas de excesso na liquidação de sinistros, a pergunta de se um uma cobertura adicional de excesso de sinis- RESSEGURO Online 5

6 tros (vale dizer, apólices com características risco deve ser excluído ou não. Como ditas PRÓXIMA EDIÇÃO: típicas das coberturas ED) sempre será feito listas de exclusões estão baseadas na máxima -Âmbito geográfico da cobertura sob medida : as cotizações não são feitas sobre de que o segurador é consciente das caracte- -O Alcance facultativo da cobertura em casos especía base das condições normais e dos prêmios rísticas de certos riscos que realmente não ficos de tarifa, mas sobre a base do primeiro risco, conhece, em alguns casos interpretações -Definição da responsabilidade por meio de estipula- até o nível de perda máxima provável, segundo equivocadas podem ocorrer. ções especiais no contrato indique a experiência específica da apólice. Na -Os sinistros e os gastos na liquidação dos sinistros presença dessas diferenças não seria demasia- Nesse conjunto é necessário determinar -As contas do segurador para os sinistros e para os gastos na sua liquidação do difícil determinar por antecipação qual quais dos representantes do segurador -A gestão e os gastos na liquidação dos sinistros sob apólice original apresenta características típicas devem conhecer as exclusões convenciona- os contratos de resseguro de ED, assim não podendo ser aceita sob um das, cujo conhecimento está considerado -O ressarcimento e o salvamento -Definição da responsabilidade do ressegurador contrato de resseguro. como apropriado para o propósito da lista de pelas cláusulas gerais do contrato exclusões. Para traçar claramente o âmbito da De outro lado, a exclusão de certos perigos em um contrato de resseguros não apresenta nenhum problema administrativo fundamen- tal, já que tal exclusão afetará a todos os riscos inerentes dentro de uma dada carteira. Como na maioria dos casos os perigos com- preendidos serão excluídos sob a apólice normal de seguros e serão incluídos somente através de um departamento central de respor via de exceção, a cobertura completa de seguros) do resseguro facultativo para amparesseguros será proporcionada na forma usual.em contraste a isso, a exclusão das categorias de riscos individuais ou o uso de tipos especiais de coberturas implicará um esforço administrativo considerável, tanto para o segurador como para o ressegurador. O segurador, avaliando economicamente o risco original, geralmente não considerará os mesmos elementos de risco que um ressegu- rador, e não atribuirá nenhuma importância às características do risco que induziriam o ressegurador a excluir uma apólice do âmbito determinar o âmbito da cobertura de ressedo contrato obrigatório de resseguros. Isso claramente se faz difícil, senão impossí- vel, para efeito de utilização das exclusões por meio de equipamentos eletrônicos, por exem- exclusões não embasadas em tal conheciplo, sendo o resultado que cada risco compre- endido sob os critérios de exclusão deve ser determinado individualmente e ressegurado facultativamente. Além desse trabalho extra de administração, as listas de exclusões para Os riscos aceitos regularmente pelo seguracertos grupos de riscos criam também confu- são quanto ao âmbito da cobertura de resse- guro oferecida, em um número grande de indivíduos, especialmente os subscritores que podem ter a obrigação de decidir se certo cobertura de resseguro se deve pressupor que os únicos representantes do segurador cujo conhecimento se considera ser igual ao conhecimento do próprio segurador são aqueles que conhecem as exclusões e sua pertinência a cada contrato e que têm a tarefa de tomar medidas de prevenção, tais como dispor eles mesmos ou através de outros (v.g. rar os riscos implicados. Esses pré-requisitos reduzem muito o número de indivíduos que devem saber acerca dos riscos excluídos do resseguro. De outra ponta, um ressegurador exigindo uma exclusão sempre deve demonstrar que os empregados responsáveis do segurador tinham todo o conhecimento necessário, o que geralmente terá dificuldade para fazer. A melhor forma para evitar dita incerteza em guro é eliminar completamente as exclusões embasadas no conhecimento subjetivo do segurador sobre certos fatores. Em vista do adicional trabalho administrativo causado por mento subjetivo, estas também estariam limitadas a um mínimo absoluto em cada caso específico. dor, ou ao menos em geral, dependendo das condições de mercado, figurariam entre o resseguro obrigatório até onde seja possível. REFERÊNCIAS: 1Ob. Cit., Vol. 1, p Vide GERATHEWOHL, Klaus, ob. cit., Vol. 1, p As cláusulas convencionadas para esse propósito podem ter a seguinte redação: -...Acidentes pessoais, Roubo, Fidelidade e outra classe de negócios cobertos pela companhia em seu Departamneto de Acidentes... - Qualquer contrato de seguros ou de resseguros expressado na apólice ou, de outro modo, segurando contra perdas ou danos materiais ou consequências diretas ou indiretas, causados por qualquer perigo que está ou pode ser subscrito pela Companhia no Departamento de Incêndios... Essas definições de negócios cobertos são mais comuns no mercado britânico e similares. 4Ob. cit., p Ob. cit., p Ob. cit., p. 269 a 270 7Ob. cit., p Preocupado com o tema, Jorge Sánchez Villabella chegou a afirmar, categoricamente: Contra tales acumulaciones, ela segurador debe protegerse frente al exceso de responsabilidad para su cuenta neta por la afectación de vários riesgos asumidos por él. Para ello, no importa si tales acumulaciones son producto de un sólo ramo de negocio o de varios. La protección de reaseguro contra las acumulaciones se configura en forma de exceso de pérdida, esto es, una cobertura por la que el reasegurador asume los siniestros con cargo a la retención, a consecuencia de un acontecimiento que supera la prioridad pactada entre las partes, y que queda limitada para el reasegurador a un determinado importe por acontecimiento o también a un período, por ejemplo, un año (aggregate). Ob. cit., p Ob. cit., p Ob., cit., p Ob. cit., Vol. 1, p.738 e RESSEGURO Online

7 Swiss Re publications Preenchendo a lacuna de US$ 254 bilhões em seguros O problema do seguro insuficiente é grave. ONGs em áreas de desastres. A eficácia das As catástrofes naturais estão se tornando atividades de arrecadação de recursos cada vez mais caras, expondo cada vez pode depender de fatores como cobertura mais a lacuna entre perdas seguradas e nos meios de comunicação para apoiar os não seguradas. Para uma noção do apelos ao público, afinidade cultural com a problema, em 2010 o déficit entre perdas região afetada, capacidade das ONGs para econômicas e cobertura de seguros foi de acessar as áreas afetadas e disponibilidade aproximadamente US$ 175 bilhões. Em do governo para aceitar ajuda. Em 2008, foi de US$ 213 bilhões. Esse imenso comparação, as inundações devastadoras ônus financeiro precisa ser coberto por no Paquistão no verão de 2010 organizações beneficentes, ONGs, arrecadaram um valor muito mais baixo, agências de desenvolvimento, empresas US$ 2,6 bilhões, embora as perdas afetadas e, talvez mais importante, lares financeiras tenham sido de magnitude privados. similar às do terremoto no Haiti. Lucia Bevere Analista Sênior de dados sobre catástrofes, Swiss Re Informações adicionais sobre o conteúdo da Swiss Re podem ser adquiridas através do seguinte endereço: Marisa Silva Swiss Re - Communications As catástrofes naturais e causadas pelo homem resultaram em um recorde de US$ 370 bilhões em perdas econômicas em 2011, o que de longe faz dele o ano mais custoso já ocorrido. Muita atenção foi dedicada às formas e meios pelos quais o setor de seguros conseguiu honrar os US$ 116 bilhões em perdas seguradas. Porém, há pouca discussão sobre os US$ 254 bilhões em perdas não seguradas e como esses custos serão pagos. A lacuna entre perdas econômicas e O seguro insuficiente com certeza não se seguradas é especialmente grave no restringe às regiões econômicas em mundo em desenvolvimento, onde uma desenvolvimento. O terremoto no Japão catástrofe natural pode superar a causou uma perda econômica geral de no capacidade do governo para atuar como mínimo US$ 210 bilhões, mas apenas seguradora de último recurso. Em 2010, o cerca de 17% dessa perda econômica total terremoto no Haiti é um exemplo extremo. foram assumidos pelas seguradoras, um As perdas econômicas de US$ 8 bilhões número que inclui a contribuição foram equivalentes a 121% do PIB do país. significativa do esquema de Resseguros Somente 1% das perdas estavam para Terremotos do governo do Japão. seguradas e o país ficou profundamente dependente da ajuda estrangeira, No contexto europeu, a Itália é o país com principalmente em forma de doações. maior risco de terremotos. De acordo com Felizmente, neste caso a comunidade a Agência Ambiental Europeia, cerca de internacional motivou-se para contribuir 40% da população vivem em áreas sísmicas para a reconstrução. De acordo com o onde mais de 64% dos edifícios não foram Escritório da ONU para Coordenação de construídos em conformidade com as Assuntos Humanitários, cerca de US$ 4 normas antissísmicas. Porém, a Itália tem bilhões foram arrecadados pela uma das mais baixas taxas de penetração comunidade internacional para ajudar nos dos seguros para terremotos entre os esforços de reconstrução. países industrializados com alta exposição ao risco de terremotos. Desde 1970, o setor Porém, nem sempre é possível contar com de seguros cobriu apenas 2% dos US$ 50 as doações do público e a eficácia das bilhões em danos relacionados a RESSEGURO Online 7

8 terremotos. Este número está muito abaixo abalos secundários em 2010 e 2011, que As seguradoras, com seu conhecimento da cobertura contra terremotos assumida devastaram Christchurch, a segunda maior abrangente dos riscos, são um parceiro pelo setor em Turquia (7%), Japão (9%), cidade, quase 80% estavam cobertos por natural para os tomadores de decisões México (10%), Chile (26%) ou Estados seguros. quando se trata de enfrentar o risco de Unidos (38%). desastres, ajudando-os a encontrar A dependência pública do apoio do medidas de prevenção e mitigação com Entre os motivos para o desequilíbrio da governo após desastres causa uma ênfase eficácia de custos. Itália em exposição a terremotos e excessiva em medidas posteriores a penetração de seguros está o fato de que desastres. Porém, as medidas de prevenção A função das seguradoras de ajudar a os prêmios para apólices de propriedade e adaptação anteriores a desastres sociedade a lidar com os custos cada vez estão sujeitos a um imposto de permitem uma gestão mais eficaz do risco maiores dos desastres naturais precisa ser aproximadamente 22,25%, que está entre de desastres. Os governos têm uma função fortalecida. Conforme 2011 mostrou, o os mais altos na Europa. Além disso, e a exercer, porque são responsáveis por setor tem capacidade para cobrir grandes talvez mais importante, há um excesso de estabelecer a estrutura legal para essa perdas de catástrofes, reduzindo a carga confiança na intervenção governamental gestão de riscos. Os governos também têm sobre os governos, as ONGs e outras posterior aos desastres para cobrir todas as uma função importante de promover instituições. A questão é simplesmente perdas financeiras originadas com medidas de prevenção, mitigação e como o relacionamento público-privado catástrofes. evitação de riscos, como exigência do pode ser desenvolvido de forma positiva e cumprimento de códigos de construção como a conscientização das partes A expectativa de que o governo é em última rigorosos para reduzir danos decorrentes interessadas sobre essa questão pode ser instância totalmente responsável não de terremotos, gestão eficiente e proativa aumentada. apenas por fundos de contingência para as de represas e reservatórios para reduzir consequências imediatas de um desastre, danos de inundações, e sistemas de aviso mas também para a reconstrução total de antecipado para facilitar a evacuação de moradias privadas e infraestrutura, é população e bens móveis, reduzindo a bastante destacada na Itália, apesar de não perda de vidas e bens. haver obrigação jurídica de que o governo seja o segurador de último recurso. Isso foi O controle de riscos e perdas pode reduzir bem exemplificado pelo terremoto L'Aquila a severidade das perdas, mas mesmo as em Depois de se recusar a aceitar melhores medidas preventivas não podem ajuda estrangeira na reconstrução após o proteger integralmente os proprietários de terremoto L'Aquila, o governo italiano residências e negócios, especialmente liderado por Berlusconi aprovou uma lei contra as perdas financeiras. Os seguros para garantir 100% de pagamento dos são uma forma de proteger contra as esforços de reconstrução. Três anos depois, perdas financeiras resultantes de o centro histórico medieval da cidade ainda catástrofes, fornecendo os recursos pósestá isolado, porque a reconstrução foi desastres, que são tão necessários. As atrasada devido a severas restrições seguradoras também podem estimular orçamentárias resultantes da maior crise comportamentos adaptativos entre a financeira na Itália posterior à guerra. população. Por exemplo, ao vincular os Em contraste, a Nova Zelândia é um exemplo claro de como as estruturas regulatórias voltadas para o futuro causaram desenvolvimentos positivos para a implementação de cobertura de seguros. Do total de US$ 24 bilhões em perdas econômicas decorrentes dos terremotos e 8 RESSEGURO Online prêmios à presença de códigos de construção rigoroso ou à severidade do risco de catástrofe na área envolvida, os seguros podem mitigar as perdas em áreas propensas a catástrofes.

9 Rating de Seguros Contribuição: Rating de Seguros CONSULTORIA Francisco Galiza Em abril, a consultoria McKinsey divulgou estudo analisando o potencial da indústria farmacêutica no Brasil, denominado Capturing the Brazilian pharma opportunity. Ver... https://www.mckinseyquarterly.com/health_care/pharmaceuticals/ Capturing_the_Brazilian_pharma_opportunity_2944 O tom do texto é de otimismo, tomando como base três fatores: Indústria Farmacêutica e Seguros 1) No Brasil, a McKinsey realizou pesquisa com consumidores de classe média de produtos de saúde onde identificou quatro perfis distintos. Dois têm opiniões semelhantes: utilizar os serviços públicos (SUS) e comprar medicamentos genéricos. Mas os outros dois segmentos, quase a metade, pagariam para ter acesso a melhores cuidados de saúde. Por exemplo, evitar a espera por uma consulta médica ou exame, e acreditar mais fortemente na relação entre preço de um medicamento e eficácia do mesmo. 2) Em geral, as famílias de classe média com membros de idade mais avançada sofrem de mais doenças crônicas, levando a um gasto 15% maior em saúde e 10% maior em medicamentos, quando comparadas às outras de classe média. Enquanto isso, a prevalência de doenças crônicas aumenta rapidamente em mercados emergentes, até pelo crescimento da expectativa de vida das pessoas. Segundo o texto, o Brasil deverá ter um aumento nas taxas de diabetes nas próximas duas décadas. Isso é um fator importante na estratégia das empresas farmacêuticas. 3) Os planos de saúde privados empresariais estão ganhando força entre a classe média (por exemplo, em produtos para as pequenas e médias empresas). No Brasil, muitas vezes, esses planos pagam atendimento hospitalar e consultas médicas, mas menos para os remédios. Esse aspecto sugere que um orçamento significativo para a saúde familiar pode ser liberado para medicamentos. Naturalmente, muitas conclusões desse estudo sobre a indústria farmacêutica são também importantes para os segmentos de seguros de saúde e de odontologia. RESSEGURO Online 9

10 Clipping Aplicações financeiras, e não apólices, dão lucro a seguradoras Resultado da Porto Seguro e SulAmérica período, o que significa que as despesas através do volume de negócios gerado", no primeiro trimestre vem de rendimen- operacionais corroeram todas as receitas avalia. Os analistas do Goldman Sachs, tos das reservas técnicas, motivo de com venda de seguros. Ao final do ano por sua vez, dizem que, com a queda da preocupação para analistas em um passado, este indicador estava em 98,2% Selic, as ações das seguradoras vão sofrer cenário de queda da taxa Selic; ações - caracterizase lucro operacional em uma em bolsa. "No entanto, nós vemos um devem sentir impacto. seguradora quando este índice é menor potencial de recuperação na rentabilidaque As seguradoras ainda estão baseando 100%. de quando os preços começarem a recuperar completamente, provavelseus resultados na aplicação de recursos "O principal motivo foi o aumento da mente em 2013", ponderam em relatósinistralidade da reserva técnica, diante do prejuízo do produto automóvel, que rio. que têm tido com a operação de venda de apólices, em meio a um cenário de concentra dois terços do nosso negócio", pondera Marcelo Picanço, diretor Picanço, da Porto Seguro, diz que uma maior competitividade e maior incidência financeiro e de relações com investidores das estratégias para recuperação dos de eventos para pagamento de da Porto Seguro. O lucro líquido registra- resultados operacionais tem sido indenizações. O desempenho é visto do vem do resultado financeiro de R$ 261 justamente a alta de preços, além de com preocupação pelo mercado, uma milhões no primeiro trimestre do ano, ganhos de eficiência. "Estamos otimistas vez que grande parte dos investimentos alta de 26% frente ao mesmo período de que as coisas melhorem até o final do das seguradoras está alocada em ativos ano." relacionados ao juro básico, em queda desde agosto do ano passado. Em cinco A SulAmérica, por sua vez, teve lucro Melhora de eficiência operacional reuniões consecutivas, a taxa Selic caiu líquido de R$ 112,8 milhões no primeiro também tem sido a tônica do Bradesco de 12,50% ao ano para os atuais 9%, com trimestre, alta de 10,6% na comparação Seguros. A seguradora teve lucro líquido sinais emitidos pelo Banco Central de com o mesmo período de O índice de R$ 905 milhões no primeiro trimestre, que o patamar histórico de 8,75% pode combinado da seguradora foi de 101% no alta de 18,9% frente ao ano anterior. ser batido já no primeiro semestre deste primeiro trimestre. A carteira de Neste caso, o índice combinado foi de ano, o que tende a reduzir aindamais o investimentos, no entanto, gerou 85,7%. "Estamos focando em eficiência retorno obtido com a aplicação das resultados de R$ 158 milhões, alta de 3% administrativa, revisão de processos, reservas técnicas. frente ao mesmo período de automatização e redução de fluxos "Preocupa o ritmo lento de recuperação operacionais", diz o diretor Haydewaldo Dados da Confederação Nacional das das margens operacionais, que não estão Chamberlain, que afirmou que a ordem Empresas de Seguros (CNSeg) mostram suscetíveis a compensar os ventos geral no Bradesco é evitar desperdícios, que as seguradoras fecharam 2011 com contrários do ambiente de baixa taxa de tanto no banco quanto na seguradora. R$ 451,6 bilhões em investimentos, entre juro", afirma a equipe de analistas do Salles, da Lopes Filho, diz que a vantagem provisões técnicas e patrimônio líquido, Barclays, em relatório sobre a das seguradoras de bancos neste cenário sendo que mais de 90% está aplicado em SulAmérica. são os ganhos com sinergia operacionais. títulos do governo. --- Já o analista da Lopes & Filho Consultoria, Despesas operacionais têm corroído as No primeiro trimestre, o quadro se João Augusto Salles, acredita que receitas com venda de apólices nas duas manteve. A Porto Seguro, por exemplo, enquanto a Selic cair e prejudicar o seguradoras. Fonte: Brasil Econômico / registrou lucro líquido de R$ 147 milhões desempenho das reservas técnicas, ela Flávia Furlan no trimestre do ano, queda de 4% frente também permitirá crescimento econômiao mesmo período do ano passado. O co e contratação de mais seguros por índice combinado foi de 100,6% no parte da população. "A seguradora ganha 10 RESSEGURO Online

11 Lloyd s se tornará o centro mundial para Lloyd s e seus clientes, os corretores. Os substanciais, não somente para o Lloyd s, seguros e resseguros especializados em 2025 destaques são: mas também para a cidade de Londres e para a economia do Reino Unido. - Que o Lloyd s será o centro mundial para Assegurar que o Lloyd s se tornará o seguros e resseguros especializados; O Primeiro Ministro David Cameron, principal centro mundial para seguros e - O crescimento do prêmio do Lloyd s a disse: Congratulo-me com a direção e resseguros especializados, está no partir de seus mercados estabelecidos ambição com que o Lloyd s está buscando coração de uma nova e ambiciosa será, pelo menos, em linha com o planos para onde deseja estar em estratégia para o histórico mercado de crescimento do PIB para esses mercados Este é um grande exemplo da abordagem seguros, divulgada hoje. porém um crescimento ainda maior ousada e dinâmica de que precisamos será alcançado a partir dos mercados de neste momento em que estamos Chamada de Visão 2025, a estratégia foi crescimento mais rápido; trabalhando para promover o crescimenlançada na famosa Sala de Subscrição - A base de capital do mercado do Lloyd s to econômico e sustentável em todo o ( the Underwriting Room ) do prédio do será mais diversificada, com uma maior país. O CEO do Lloyd s, Richard Ward, Lloyd s em Londres em um evento contribuição dos países líderes em disse: a força do Lloyd s não é extraída especial com a presença do Primeiro crescimento; apenas da história e experiência, mas da Ministro do Reino Unido David Cameron. - A comunidade de subscrição do Lloyd s permanente inovação e adaptação. será verdadeiramente internacionalizada A Visão 2025 estabelece planos ousados com um número substancial de cidadãos Essa visão estabelece planos ambiciosos para o crescimento dos negócios do estrangeiros no mercado; para o mercado do Lloyd s crescer, Lloyd s, especialmente nos mercados de - O Lloyd s será um mercado de corretor, internacionalizar e diversificar. O nível de crescimento mais rápido de Cingapura, aproveitando ao máximo as redes interesse entre as seguradoras internaci- China, Índia, Brasil, México, Colômbia e internacionais dos corretores; e onais de alta qualidade em vir para o Turquia, para realmente internacionali- - O Lloyd terá um pequeno número de Lloyd s é alto, mas nós estaremos zar a comunidade de subscrição do poderosos centros no exterior, em alguns gerenciando a entrada desses novos Lloyd s. dos principais mercados internacionais. provedores com cuidado. Esta é uma estratégia de constante progresso, mas O Presidente e Representante Geral do Como resultado, a Cidade de Londres se não de revolução rápida. Lloyd s no Brasil, Marco Castro, disse: A tornará o maior centro mundial para Visão 2025 é um grande passo para a seguros e resseguros especializados. A visão é dinâmica e será mantida sob expansão internacional do Lloyd s; e o revisão. Brasil terá um papel fundamental nesse O Chairman do Lloyd s, John Nelson, crescimento. A ascensão da economia disse: Nossa Visão 2025 é uma espécie Sobre o Lloyd s - O Lloyd s é o mercado brasileira, combinada com a hospeda- rara nestes tempos de desafios econômi- mundial de seguros especializados e gem no país dos grandes eventos cos. É uma estratégia para o crescimen- ocupa o quinto lugar em termos de esportivos internacionais como a Copa to. receita global de prêmios de resseguros, do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e é a maior seguradora de excedentes de de 2016, apresenta grandes oportunida- O Lloyd s é um negócio internacional responsabilidades nos EUA. Em 2012, 88 des para o setor de seguros. O Lloyd s está rentável, mas queremos ter certeza de sindicatos estão subscrevendo seguros bem posicionado no Brasil para trazer sua que se tornará o verdadeiro centro no Lloyd s, cobrindo todas as classes de experiência única e riqueza de conheci- mundial para seguros e resseguros negócios de mais de 200 países e mentos para o mercado brasileiro de especializados. territórios em todo o mundo. O Lloyd s é seguros e resseguros e desempenhar um regulado pela Autoridade de Serviços papel de liderança no seu crescimento. A Visão 2025 vai ser um desafio real para Financeiros do Reino Unido (FSA o mercado do Lloyd s realizar. Financial Services Authority). Fonte: A Visão Lloyd s 2025 é o resultado da Clipping IRB-BrasilRe consulta com o mercado de subscrição do Os benefícios, no entanto, poderão ser RESSEGURO Online 11

12 Swiss Re anuncia head de resseguros para América Latina Sul A Swiss Re anunciou hoje (15) a contrata- ção de Margo Black como Head de resseguros para América Latina Sul e presidente da Swiss Re Brasil Resseguros. misso da Swiss Re com a região, afirmou comunicado nesta quarta-feira, antes da Smith. Margo possui ampla experiência reunião anual de acionistas da Allianz. A no Brasil e em outros países da América Allianz prevê um lucro operacional em do Sul, conhecendo as necessidades de torno de 8,2 bilhões de euros em 2012, gestão de riscos específicas de cada com margem de erro de 500 milhões de região. Certamente ela irá beneficiar euros para cima ou para baixo. Nos três nossos clientes que procuram soluções primeiros meses do ano, a receita inovadoras. superou 30 bilhões de euros, e o lucro operacional foi superior a 2,3 bilhões de Os prêmios de seguros na América Latina euros, de acordo com a seguradora. cresceram 9%, atingindo US$ 65 bilhões Fonte: Reuters em 2011 no segmento de vida; nos ramos elementares, o aumento foi de 10%, totalizando US$ 89 bilhões. Londres quer adiar veto da UE a seguro para petroleiros do Irã Margo Black, que ficará baseada na Swiss Re no Brasil, veio da Willis, onde atuava como Head de resseguros para o Brasil. Ela será responsável por programas de resseguros no Brasil, Chile, Colômbia e outros importantes mercados sulamericanos. A executiva terá amplo papel de liderança no desenvolvimento de negócios em vida e saúde, não apenas no Brasil, mas também em outros mercados da América Latina. Margo Black assumirá o cargo na Swiss Re em julho. Na semana passada também foi anuncia- da a contratação de Alejandro Padilla pela Swiss Re como Head de resseguros para América Latina Norte e presidente da Swiss Brokers México, Intermediário de Resseguro, S.A. de C.V, que assumirá o cargo em 1º de junho. Padilla atuava anteriormente como Country Head para o México e América Central na Cooper Gay. Os dois novos executivos irão se reportar a Eric Smith, CEO e presidente da Swiss Re para as Américas, e farão parte, na empresa, da Equipe de Direção das Américas. Nomear alguém com o calibre de Margo Black para nossa equipe latino- americana é um sinal claro do compro- A Swiss Re possui escritórios dedicados à A Grã-Bretanha quer convencer os América Latina na Cidade do México, em demais países da União Europeia a Miami e no Brasil, onde a empresa adiarem por até seis meses a proibição da solicitou autorização para atuar como oferta de seguro a navios que transporresseguradora local. A contratação como tem petróleo iraniano, sob a alegação de presidente da Swiss Re Brasil Resseguros que isso pode levar a uma perigosa S.A.está sujeita às solicitações e aprova- disparada na cotação do produto, ções regulatórias cabíveis. Fonte: Revista segundo diplomatas. Apólice A proibição, que entra em vigor em 1º de Allianz diz estar a caminho de atingir meta para 2012 julho, impede que companhias europeias de seguros e resseguros cubram navios- tanque transportando petróleo iraniano Empresa acredita que o lucro líquido do em qualquer lugar do mundo. A medida primeiro trimestre será superior a US$ deve ser muito sentida em Londres, 1,82 bilhão. importante centro do seguro marítimo. O Irã exporta 2,2 milhões de barris de A Allianz, maior seguradora da Europa, petróleo por dia, a maior parte para a disse estar a caminho de alcançar suas Ásia. Os quatro principais clientes metas de lucro para 2012, após informar China, Índia, Japão e Coreia do Sul ainda que terá um lucro líquido acima das não encontraram uma forma de substitu- previsões para o primeiro trimestre. ir as seguradoras londrinas.a medida é parte dos esforços do Ocidente para A empresa afirmou que o lucro líquido sufocar a economia iraniana com trimestral será superior a 1,4 bilhão de sanções, em represália ao programa euros (1,82 bilhão de dólares), superando nuclear da República Islâmica, suspeito a estimativa média de 1,273 bilhão de de estar voltado para o desenvolvimento euros de uma pesquisa da Reuters. de armas o que Teerã nega. Fonte: "Todos os três segmentos de negócios navalbrasil.com contribuíram para o bom começo em 2012, e estamos a caminho para alcançar nossa meta para 2012", disse o presidente-executivo, Michael Diekmann, em um 12 RESSEGURO Online

13 Munich Re registra lucro de 782 milhões no primeiro trimestre Segurador ERGO, no qual a Munich Re concentra a sua atividade seguradora primária, mostrou lucro superior ao do No primeiro trimestre de 2012, a Munich ano anterior: 97 milhões. A diferença Re obteve um lucro consolidado de 782 entre este resultado e o valor para o milhões. No mesmo período do ano segmento de seguros primários é passado, a companhia teve prejuízo de atribuído principalmente a despesas de 948 milhões. O negócio de subscrição juros para financiamento intra-grupo e teve um bom desempenho no primeiro aos depósitos de resseguros que são trimestre e o resultado do investimento mostrados nas figuras do subgrupo apresentou uma melhora acentuada. É ERGO. O faturamento geral em todas as um bom começo para 2012, com poucas linhas de negócios recuou 0,5%, de perdas importantes e mercados de milhões para milhões. Os capitais mais favoravelmente dispostos, prêmios brutos emitidos também temos postado um lucro saudável, permaneceram estáveis no primeiro comentou o CFO Jörg Schneider sobre o trimestre, passando de milhões desempenho da empresa nos primeiros para milhões. três meses. As características-chave no resultado de 782 milhões são os custos Resseguro: resultado trimestral de 634 muito mais baixos de catástrofes naturais milhões e maior renda dos investimentos do que no mesmo trimestre do ano passado. Considerando que no primeiro trimestre do ano passado o segmento de resseguro Com relação à expectativa da Munich Re foi afetado pelos encargos extremamenpara a performance dos negócios em te pesados das grandes perdas, o custo 2012, Schneider destacou: Apesar da das indenizações no primeiro trimestre difícil situação da conjuntura econômica, de 2012 foi mai baixo. O resultado estamos otimistas para 2012 e espera- operacional foi de 906 milhões. Ao mos um lucro para o ano de cerca de 2,5 todo, o segmento de resseguros foi bilhões. De janeiro a março, o Grupo responsável por cerca de 634 milhões registrou um resultado operacional de do resultado consolidado do Grupo. A 1,202 milhões. Comparado com o final de Munich Re registrou prêmio de , o patrimônio subiu 4,8% para milhões em resseguro, um aumento de 24.4 bilhões. O retorno anualizado sobre 1,7% em comparação com o mesmo o risco ajustado do capital (RORAC) subiu período do ano passado. Apesar dos 12,8% e o retorno sobre o patrimônio prêmios brutos emitidos crescerem 9,9% líquido foi de 13,1%. O volume de para milhões no segmento de prêmios brutos emitidos aumentou 2,2% resseguro de vida, caiu 2,7% (foi de para 13.3 bilhões milhões para milhões) nos segmentos de property e casualty. Seguro : situação melhor com resultado Segundo a companhia, a baixa se deve a de 145 milhões um ajustamento técnico na postagem lógica de prêmios brutos emitidos. O No segmento de seguros primários, o efeito, que equivale a cerca de 300 resultado operacional totalizou 257 milhões, deve ser compensado nos milhões para os três primeiros meses do próximos trimestres de Fonte: ano, enquanto o resultado consolidado Revista Apólice subiu para 145 milhões. O Grupo Chubb reestrutura segmento de responsabilidade civil geral O aumento de 18% na carteira de responsabilidade civil em 2011 levou a Chubb do Brasil a implantar uma nova célula de trabalho voltada especificadamente para o segmento de responsabilidade civil geral. A iniciativa visa abrir novas oportunidades de negócios e deverá impactar a reestruturação de produtos, a reformulação das cláusulas dos contratos e em novas contratações. A operação será concentrada nas áreas de manufatura, hotelaria, restaurantes, prestações de serviço, ensino e escritórios comerciais. Após a análise de mercado, identificamos a necessidade de uma nova estrutura de negócios focada essencialmente em RCG. De acordo com a Susep a rentabilidade desta modalidade de seguros chega a 47%, o que demonstra as grandes oportunidades de expansão para o setor., constata Robert Hufnagel, diretor de ramos elementares da Chubb. Para gerenciar a nova área, a companhia contratou Gutemberg Viana, o advogado possui 11 anos de experiência no mercado segurador. Ainda como parte do processo de implantação da nova área a companhia desenvolveu o serviço de Loss Control especialmente para RCG. O Loss Control é um diferencial oferecido pela Chubb onde são identificadas possíveis causas de sinistros antes que eles ocorram. Também alterou cerca de 30 cláusulas com o intuito por tornar as apólices mais objetivas. O produto de responsabilidade civil garante proteção ao segurado contra reclamações para reparos de danos involuntários, materiais e/ou corporais, causados a terceiros. RESSEGURO Online 13

14 Seguradoras reformulam processos para O aumento da eficiência operacional é o que precisam apresentar crescimento sustentável nos próximos anos e minimizar os custos de sinistros, aquisições e operações. As principais funções operacionais, como a reduzir custos, diz relatório tem motivado a transformação dos sistemas gestão de apólices, são algumas das poucas de gestão de apólices de 69% das seguradoredução áreas nas quais a transformação pode levar à Com o declínio nos lucros, resultado da crise ras ouvidas. Para 66%, a redução do custo de custos e benefícios ao cliente. financeira mundial, as seguradoras do total de propriedade (TCO) é o essencial. A mundo todo estão reformulando seus mudança desses sistemas permite que as 3) O aumento da agilidade de negócio nos processos internos, com foco na redução dos seguradoras reduzam seus custos operaciocrescimento próximos anos também é fundamental ao custos e no aumento da eficiência de nais, diminuindo o TCO em até 40% e o custo das seguradoras. A pesquisa operações. O objetivo é transformar a por apólice e ainda a ineficiência de negócio mostra que investir em gestão de apólices maneira como gerenciam as apólices, de e processos tecnológicos em até 30%. Com pode apoiar mudanças cruciais do setor de acordo com o Relatório Mundial de Seguros isso, as seguradoras poderão administrar seguros em termos de agilidade de proces da Capgemini, uma das principais melhor os desafios atuais do mercado, sos, tais como venda de cobertura, emissão provedoras de serviços de terceirização e incluindo questões regulatórias e normaticobrança de apólices, manutenção de contratos, tecnologia do mundo, e da Efma, associação vas, satisfação dos clientes e corretoras, e e faturamento de prêmios, especializada do setor. ganhar rapidez para lançar produtos (com renovações e avisos de pagamento de aumento de 60% no tempo de disponibilizafundamental prêmios. A agilidade dos negócios é O estudo explora como as seguradoras ção de novos produtos no mercado). ao progresso das seguradoras podem analisar seus negócios e identificar frente às tendências de consumo e questões oportunidades, a fim de viabilizar melhorias Mundialmente, muitas seguradoras líderes regulatórias e tecnológicas, afirma o fundamentais e duradouras em suas reconhecem que não podem continuar secretário geral da Efma, Patrick Desmarès. operações. As informações foram levantadas dependentes de sistemas legados inflexíveis em 19 mercados, incluindo o Brasil e os para a gestão de apólices, os quais as Em relação ao Brasil, o estudo ressalta que o seguintes países: Alemanha, Austrália, mantêm presas a práticas de negócios que mercado segurador brasileiro é o maior da Áustria, Bélgica, Canadá, Cingapura, inibem a competitividade em um mercado América Latina, concentrando 37% dos Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, centrado no cliente. A evolução da gestão prêmios no continente, e tem registrado Filipinas, França, Holanda, Hong Kong, Índia, de apólices, com apoio de recursos de uma das maiores taxas de crescimento do Itália, Reino Unido, Suíça e Vietnã. tecnologia, é fundamental para ajudar as mundo. Apesar do crescimento do setor, há seguradoras a encontrarem oportunidades ainda uma baixa penetração dos produtos do Apoiado por pesquisas e entrevistas para aumentar suas margens, diante do atual ramo de seguros na população brasileira, abrangentes realizadas com executivos do cenário econômico, altamente competitivo, sobretudo se comparada a outros países da setor, o relatório apresenta três conclusões afirma Vander Marques, vice-presidente de região sul do continente. Há uma concen- centrais, além de diversos dados relevantes Negócios em Serviços Financeiros da CPM tração dos volumes na região Sudeste, que sobre gestão de apólices e agilidade de Braxis Capgemini. Nessas condições, vemos detém 68% do total dos prêmios de 2010, o negócios, em linha com tendências as seguradoras modernizando seus sistemas que revela o enorme potencial do país, com regulatórias e tecnológicas específicas do para obter operações integradas que os outros 32% espalhados por todo o setor: 1) A prioridade mais imediata das seguradopermitam alcançar a desejada reduçã ;o de custos operacionais e ganho de eficiência, ampliando a agilidade de oferta de produtos território nacional. O fato é que esse cenário de crescimento ras é a gestão de apólices, o que é essencial no mercado e a satisfação dos clientes. está estimulando as seguradoras a investi- para atingir eficiência de custos e operação. rem em infraestrutura em busca de A transformação da gestão de apólices foi 2) Administração de custos e eficiência são integração de informações para aumentar a apontada como prioridade nos próximos essenciais para o desempenho dos negócios eficiência, a fidelização de clientes e a dois anos pela grande maioria das segurado- das seguradoras. As companhias enfrentam rentabilidade sustentável, afirma Vander ras europeias (93%) e norte-americanas a difícil tarefa de aumentar a receita, face à Marques, vice-presidente de Negócios em (67%). Na região Ásia-Pacífico, onde o comoditização do mercado e do fato de os Serviços Financeiros da CPM Braxis mercado de seguros se abriu para empresas clientes considerarem o preço o principal Capgemini. Por Denise Buenon em Sonho privadas apenas na última década, apenas fator de decisão de compra.as seguradoras, Seguro / matéria extraída do portal da 36% dos entrevistados veem isso como principalmente dos segmentos de não-vida CNseg (www.viverseguro.org.br) prioridade. (por exemplo, carros e patrimônio), 14 RESSEGURO Online

15 P e l l o n & A s s o c i a d o s RESSEGURO ONLINE Publicação mensal do Escritório Pellon & Associados Advocacia Esta publicação destina-se exclusivamente para fins de informação geral e não deve servir de base nem ser usada para qualquer propósito específico. O Escritório Pellon & Associados não será responsável pela confiança depositada nas informações contidas ou citadas e isenta-se especificamente de qualquer responsabilidade a elas relacionadas ou decorrente desse uso. As informações contidas ou citadas nesta publicação não constituem nem substituem o aconselhamento jurídico, contábil ou profissional e não devem ser encaradas como tal. O serviço de Clipping (elaborado originalmente por outros veículos) e inseridos nesta publicação são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do Escritório Pellon & Associados. A reprodução de qualquer matéria depende de prévia autorização. Projeto gráfico: Mônica Grynberg Cerginer Assessoria de Comunicação de Pellon & Associados Advocacia Imagens retiradas da internet 2012 Pellon & Associados Advocacia Todos os direitos reservados Sede Rio de Janeiro Rua Desembargador Viriato, nº 16 - Centro CEP Telefone: (21) Fax: (21) São Paulo Edifício Olivetti, Av. Paulista, 453, 8º e 9º andares, Centro CEP: Telefone: (11) Fax: (11) Brasília Edifício Business Point, SAS, Quadra 3, Lote 2, Bloco C, Salas 1.106/08, 1213 e 1214 CEP: Telefone: (61) Fax: (61) Vitória Edifício Palácio do Café, Av. Nossa Senhora dos Navegantes, 675, Enseada do Suá, Salas 1.110/17-11º andar CEP: Telefone: (27) Fax: (27) Recife Edifício Empresarial Boa Vista Center, Av. Lins Petit, 320, Salas 401/402 CEP: Telefone: (81) Fax: (81) Düsseldorf Pellon & Associados Europe LLP Kaiserswerther Str DEUTSCHLAND (Alemanha) Tel: (0049) Fax: (0049)

COMUNICADO À IMPRENSA

COMUNICADO À IMPRENSA 27 NOVEMBRO 2012 PODE A ECONOMIA MUNDIAL SUPORTAR UM OUTRO 2011? Novo relatório global destaca os riscos de um déficit de $168 bilhões anualizado em seguros afetando as economias de alto crescimento Uma

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Ponto de Vista CADERNOS DE SEGURO. O futuro dos resseguradores

Ponto de Vista CADERNOS DE SEGURO. O futuro dos resseguradores 24 O futuro dos resseguradores ROBERTO CASTRO Um dos efeitos trazidos pelo ressurgimento do liberalismo três décadas atrás, no bojo do processo de aprofundamento da integração econômica, política, cultural

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Nota à imprensa ab Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Contatos: Daniel Staib, Zurique Telefone +41 43 285 8136 Thomas Holzheu,

Leia mais

Como funciona o seguro

Como funciona o seguro Como funciona o seguro Sobre a Insurance Europe A Insurance Europe é a federação de seguradoras e resseguradoras da Europa. Por meio dos seus 34 órgãos membros as associações nacionais de seguradoras a

Leia mais

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS

Apoio CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS CONSEQUÊNCIAS DOS EFEITOS CLIMÁTICOS NAS OPERAÇÕES DE SEGUROS E RESSEGUROS 1 O quê vamos ver? 2 PRIMEIRA PARTE ALGUNS DADOS SOBRE O MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE SEGUROS MUNDIAL 2008-2009

Leia mais

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Por Paulo Botti, presidente da Terra Brasis, resseguradora local Nascido em 2008 após árduo trabalho e amplo diálogo entre

Leia mais

Leilão do IRB: Considerações Econômicas

Leilão do IRB: Considerações Econômicas Leilão do IRB: Considerações Econômicas Francisco Galiza - Mestre em Economia (FGV) Março/2000 SUMÁRIO: I) Introdução II) Parâmetros Usados III) Estimativas IV) Conclusões 1 I) Introdução O objetivo deste

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS COMPREENSIVOS Nilso Gonçalves Membro Comissão Ramos Diversos PDES Seguros Compreensivos

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Nota à imprensa. Página 1/5. Contatos: Relações com a mídia, Zurique Telefone + 41 43 285 7171. Lucia Bevere, Zurique Telefone + 41 43 285 9279

Nota à imprensa. Página 1/5. Contatos: Relações com a mídia, Zurique Telefone + 41 43 285 7171. Lucia Bevere, Zurique Telefone + 41 43 285 9279 Nota à imprensa a O estudo sigma da Swiss Re sobre catástrofes naturais e desastres causados pelo homem em 2012 registra US$ 77 bilhões em perdas seguradas e prejuízos econômicos na ordem de US$ 186 bilhões

Leia mais

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS A CULPA É DO TEMPO? Porque o clima já não é o que era e os desastres naturais se sucedem com maior frequência e severidade, muitos deles agravados pela mão humana, a indústria de seguros e resseguros debate-se

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Estruturação do Contrato Automático de Resseguro

Estruturação do Contrato Automático de Resseguro Estruturação do Contrato Automático de Resseguro Seminário A Arte de Elaborar o Contrato Marcus Clementino 13 de agosto de 2013 Estruturação do Contrato Automático Princípios básicos; Interesses e necessidades

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013 1 A Colocação do Resseguro Facultativo Marcus Clementino Março/2013 Marcus Clementino 2 Formação Acadêmica Engenheiro de Sistemas - PUC/RJ - 1971 Ph.D. em Matemática Aplicada - London School of Economics

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br

Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br Uma análise econômica do seguro-saúde Francisco Galiza Outubro/2005 www.ratingdeseguros.com.br Um dos ramos mais importantes do mercado segurador brasileiro é o de saúde. Surgido sobretudo com uma opção

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Novembro/2001 SUMÁRIO: I) Introdução II) Análise Comparada III) Projeções e Conclusões Francisco Galiza Consultor e Mestre

Leia mais

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi

Seguros Empresariais. Alexandre Vilardi Seguros Empresariais Alexandre Vilardi Segmentação das Empresas no Brasil Introdução O mercado brasileiro é composto por mais de 5 milhões de empresas classificadas em Grandes, Médias, Pequenas e Micros,

Leia mais

Orientações sobre a aplicação de mecanismos de resseguro cedido para o submódulo de risco específico de seguros não vida

Orientações sobre a aplicação de mecanismos de resseguro cedido para o submódulo de risco específico de seguros não vida EIOPA-BoS-14/173 PT Orientações sobre a aplicação de mecanismos de resseguro cedido para o submódulo de risco específico de seguros não vida EIOPA Westhafen Tower, Westhafenplatz 1-60327 Frankfurt Germany

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

COBERTURAS ADICIONAIS AO PROCESSO SUSEP Nº 15414.004288/2007-81 SEGURO ZURICH RISCOS NOMEADOS

COBERTURAS ADICIONAIS AO PROCESSO SUSEP Nº 15414.004288/2007-81 SEGURO ZURICH RISCOS NOMEADOS LUCROS CESSANTES CONSEQÜENTES DE DANOS MATERIAIS CLÁUSULA 1ª - OBJETO DO SEGURO 1.1. O objeto deste seguro é garantir, de conformidade com o que estiver estipulado nas demais condições desta apólice, uma

Leia mais

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias?

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias? SEGURO HABITAÇÃO Qual a importância do Seguro de Habitação? Os bens imóveis, tal como os móveis, estão sujeitos à ocorrência de eventos que lhes podem causar danos. Se não possuir um seguro válido, terá

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Entenda o seguro de responsabilidade civil

Entenda o seguro de responsabilidade civil HOME PERGUNTAS FREQUENTES MAPA DO SITE Segunda, 7 de Maio de 2012 HOME INDIVÍDUO EMPRESA MERCADO GLOSSÁRIO FALE CONOSCO RC EMPRESARIAL O que é? Tipos de coberturas Comprando uma apólice e poupando dinheiro

Leia mais

(MLRV) SEGURO RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) SEGURO RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 SEGURO RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: As coberturas oferecidas pelo mercado podem ser básicas, especiais e adicionais.

Leia mais

A ABERTURA DO MERCADO BRASILEIRO DE RESSEGUROS

A ABERTURA DO MERCADO BRASILEIRO DE RESSEGUROS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber e Adriana Maria Gödel Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é Advogado especializado em Direito Empresarial, Bancário e Mercado de Capitais e sócio-fundador

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

CAPÍTULO XI FINANÇAS

CAPÍTULO XI FINANÇAS CAPÍTULO XI FINANÇAS A. INVESTIMENTO DOS FUNDOS DA ASSOCIAÇÃO As decisões referentes aos investimentos da associação deverão tomar como base as declarações sobre normas de investimentos para o Fundo Geral

Leia mais

BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL

BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL MERCOSUL/ SGT Nº 4/CS Página 1 de 9 BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL SUMARIO DE TÉRMOS Empresa em efetivo funcionamento: Empresa que comercializou seguros no ano de referência

Leia mais

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio.

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Separadas, XL e Catlin eram duas empresas fortes e inovadoras. Juntas, somos ainda mais fortes. Conteúdo Conheça a XL Catlin Pessoas

Leia mais

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 C A P Í T U L O 1 4 Empresas de serviços Pergunta aos consultores e aposto que, para a maioria, a primeira afirmação do cliente é: Nossa empresa é diferente.

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Transcrição de Teleconferência Resultados do 2T10 Q&A SulAmérica (SULA11 BZ) 09 de agosto de 2010. Guilherme Assis, Raymond James:

Transcrição de Teleconferência Resultados do 2T10 Q&A SulAmérica (SULA11 BZ) 09 de agosto de 2010. Guilherme Assis, Raymond James: Guilherme Assis, Raymond James: Bom dia a todos. Eu tenho duas perguntas, na verdade. Arthur, a primeira é sobre a sinistralidade que vocês estão apresentando. Eu queria entender quais são os principais

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

BRASIL BROKERS. Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2010

BRASIL BROKERS. Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2010 BRASIL BROKERS Reunião Anual com Investidores APIMEC-Rio 2010 2010 Brasil 2010 Brokers Brasil Brokers Todos os Direitos Todos os Reservados Direitos Reservados Esta apresentação não constitui uma oferta,

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 01

ESCLARECIMENTO Nº 01 ESCLARECIMENTO Nº 01 Segue abaixo, perguntas formuladas por empresa participantes da licitação supra e a respectivas respostas de FURNAS: 1. Pergunta: Seção I - Instruções aos Proponentes: 1.1) 1.4 na

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES.Nº 83/99 GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Recomendação Nº

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS SEGURO DE TRANSPORTES

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS SEGURO DE TRANSPORTES GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS SEGURO DE TRANSPORTES Este glossário apresenta-se composto de palavras e expressões comumente usadas pelo mercado segurador e por vezes desconhecidas pelo grande público consumidor

Leia mais

Resseguros sem fronteiras

Resseguros sem fronteiras Resseguros sem fronteiras Ernesto Borges do Rio O dia 17 de abril já entrou para a história do setor de seguros no Brasil. Depois de 70 anos de monopólio estatal, o segmento de resseguros foi finalmente

Leia mais

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 1) Introdução Nos últimos dias úteis de 2006, o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP)

Leia mais

Plano de continuidade de negócios

Plano de continuidade de negócios Plano de continuidade de negócios Plano de continuidade de negócios INTRODUÇÃO "O seguro vai cobrir tudo, certo?" Infelizmente, não é bem assim. A NECESSIDADE DE PLANEJAR Crises acontecem. Todos os anos

Leia mais

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy

23/02/2010. Tarcísio José Massote de Godoy 23/02/2010 Tarcísio José Massote de Godoy Agenda Grupo Segurador Brasil e Mercado Segurador Mundial Mercado de Seguros na América Latina Mercado de Seguros, Previdência e Capitalização Seguros e Previdência

Leia mais

MAIS PROTEÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO. CÁ DENTRO E LÁ FORA.

MAIS PROTEÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO. CÁ DENTRO E LÁ FORA. MAIS PROTEÇÃO PARA O SEU NEGÓCIO. CÁ DENTRO E LÁ FORA. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Porquê a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida COSEC em resumo

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

MANUAL SIMPLIFICADO DO SEGURO EMPRESARIAL DA PUC-RIO

MANUAL SIMPLIFICADO DO SEGURO EMPRESARIAL DA PUC-RIO MANUAL SIMPLIFICADO DO SEGURO EMPRESARIAL DA PUC-RIO IMPORTANTE Este Manual tem função meramente informativa, não substituindo, em hipótese alguma, as condições gerais e especiais da apólice. Da mesma

Leia mais

SOBRE A MUNDIAL VISÃO

SOBRE A MUNDIAL VISÃO CARRO RESERVA SOBRE A MUNDIAL A Mundial inovou o mercado de proteção veicular, oferecendo uma grande diversidade de bene cios para você e sua empresa. Hoje, contamos com profissionais altamente qualificados,

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

COBERTURA DE PERDA DE LUCRO BRUTO E DESPESAS EXTRAORDINARIAS

COBERTURA DE PERDA DE LUCRO BRUTO E DESPESAS EXTRAORDINARIAS COBERTURA DE PERDA DE LUCRO BRUTO E DESPESAS EXTRAORDINARIAS Forma de Contratação do Limite Máximo de Responsabilidade 1. SEGURO A PRIMEIRO RISCO RELATIVO A seguradora responderá pelos prejuízos de sua

Leia mais

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 São Paulo, 07 de Novembro de 2005 - O Submarino S.A. (Bovespa: SUBA3), empresa líder dentre aquelas que operam exclusivamente no varejo eletrônico

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Objeto Estabelecer uma política adequada de gerenciamento de riscos financeiros, de modo a resguardar as empresas do grupo Endesa Brasil de

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T06 Porto Seguro 14 de Agosto de 2006

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T06 Porto Seguro 14 de Agosto de 2006 Operadora: Bom dia a todos. Sejam Bem Vindos à Teleconferência da S.A. para a discussão dos resultados referentes ao segundo trimestre de 2006. Estão presentes no evento os Srs. Casimiro Blanco Gómez,

Leia mais

Reunião IBRADEMP. O Resseguro no Brasil. Marcelo Mansur Haddad mmansur@mattosfilho.com.br 13/08/2008

Reunião IBRADEMP. O Resseguro no Brasil. Marcelo Mansur Haddad mmansur@mattosfilho.com.br 13/08/2008 Reunião IBRADEMP O Resseguro no Brasil Marcelo Mansur Haddad mmansur@mattosfilho.com.br 13/08/2008 CONCEITO DE RESSEGURO DEFINIÇÕES Ernst Hosp... is balancing fluctuating results ;... balancing results

Leia mais

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL Apesar das sequelas da crise financeira global e da ressaca de uma recessão em vários países, os analistas esperam que a procura de viagens

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

RESULTADOS BRASIL BROKERS

RESULTADOS BRASIL BROKERS RESULTADOS BRASIL BROKERS 3º Trimestre 2010 Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro instrumento financeiro,

Leia mais

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos 2012 1 2 Sobre a COSEC O que é o Seguro de Créditos

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Produção de bens e serviços de saúde A origem dos bens e serviços ofertados em qualquer setor da economia (oferta ou recursos) pode ser a produção no próprio país ou a importação.

Leia mais

CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2.000

CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2.000 CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2.000 Dispõe sobre a estruturação mínima das Condições Contratuais e das Notas Técnicas Atuariais dos Contratos exclusivamente de Seguros de Automóvel ou dos

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SUBSCRIÇÃO E ACEITAÇÃO DE RISCOS Jean Carlo de Borba Diretor SindsegSC PDES Subscrição e

Leia mais

Pesquisa. Intenção de

Pesquisa. Intenção de Pesquisa SPC BRASIL: Intenção de Compras para o Natal Novembro/2013 Pesquisa do SPC Brasil revela que brasileiros pretendem gastar mais e comprar mais presentes neste Natal Se depender dos consumidores

Leia mais

CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2000 Publicada no DOU de 09/11/2000 Dispõe sobre a estruturação mínima das Condições Contratuais e das

CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2000 Publicada no DOU de 09/11/2000 Dispõe sobre a estruturação mínima das Condições Contratuais e das CIRCULAR SUSEP Nº 145, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2000 Publicada no DOU de 09/11/2000 Dispõe sobre a estruturação mínima das Condições Contratuais e das Notas Técnicas Atuariais dos Contratos exclusivamente

Leia mais

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h

Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011. 01/03/2011 às 09:30h Conferência Telefônica dos Resultados do 4T11 e 2011 01/03/2011 às 09:30h Agenda 4T11e 2011 Principais Realizações e Destaques em 2011 Receitas, Lucro Líquido e Retorno sobre Capital Desempenho dos principais

Leia mais

2010 Começa a expansão. 11 de Setembro. Aquisição Internacional da. Sinistros pagos em. Alico MetLife (US)

2010 Começa a expansão. 11 de Setembro. Aquisição Internacional da. Sinistros pagos em. Alico MetLife (US) Breve Histórico 1868 Início das atividades 1912 Centro de Apoio aos sobreviventes do Titanic 1931 Financiamento do Empire State e do Rockfeller Center 1945 Financiamento aos Aliados durante a Segunda Guerra

Leia mais

19/05/2010. Definições. Componentes. Tipos. Mensuração. Perfis de indivíduos. Gerenciamento

19/05/2010. Definições. Componentes. Tipos. Mensuração. Perfis de indivíduos. Gerenciamento Riscos Prof. Dr. Tharcisio Bierrenbach de Souza Santos Risco: definições, tipificação e relevância Definições Componentes Tipos Mensuração Perfis de indivíduos Gerenciamento 2 Risco: definições 1 Mercado

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Reunião Pública de Analistas 2T10

Reunião Pública de Analistas 2T10 Reunião Pública de Analistas 2T10 Porto Seguro Inicio das atividades Mudança de Controle Líder nacional em seguro de automóvel Maior seguradora do Brasil Posição Companhia `Principal Produto 1 Bradesco

Leia mais

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Estamos expostos aos efeitos das perturbações e volatilidade nos mercados financeiros globais e nas economias nos países

Leia mais

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX

Resumo executivo. Metodologia. versus RESUMO EXECUTIVO DO EMC PRIVACY INDEX Privacidade versus Conveniência Resumo executivo As manchetes sobre privacidade na Internet estão fomentando um debate sobre quanto de acesso governos e empresas devem ter a atividades, comunicações e

Leia mais

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15%

FILOSOFIA DE INVESTIMENTO. Retorno esperado de um lançamento 80% 100% + 20% 100% ( ) = 60% ( 1 20% ) 20 =1,15% Através da CARTA TRIMESTRAL ATMOS esperamos ter uma comunicação simples e transparente com o objetivo de explicar, ao longo do tempo, como tomamos decisões de investimento. Nesta primeira carta vamos abordar

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR Seja bem-vindo à Blue Service Assistance, a opção mais vantajosa em assistência e clube de vantagens. É uma enorme satisfação ter você como nosso associado. A Blue Service Assistance está cada vez mais

Leia mais

Risco. Conceitos Básicos

Risco. Conceitos Básicos Risco Conceitos Básicos Risco: definições 1 Mercado Financeiro Risco A análise deste conceito é um desafio no processo de tomada de decisão, realizado segundo três conjuntos de condições: certeza, análise

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 4T11

Reunião Pública dos Analistas 4T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 4T11 Porto Seguro Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Porto Seguro Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados

Leia mais

Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL

Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL 2011 Pesquisa Virtualização e Evolução para a Nuvem RESULTADOS BRASIL ÍNDICE Evolução de TI... 4 Metodologia... 6 Foco... 8 Conclusão 1: As diferenças entre expectativas e realidade revelam a evolução

Leia mais

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers)

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) O ônus de liderar.... Construí um patrimônio sólido depois de muitos anos de trabalho. Infelizmente não posso usufruir de nada com tranquilidade...

Leia mais

Apresentação de Resultados da Lopes 2008. Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI

Apresentação de Resultados da Lopes 2008. Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI Apresentação de Resultados da Lopes 2008 Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI Aviso importante Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Moção relativa à próxima negociação sobre o comércio. internacional de produtos do sector têxtil e da

Moção relativa à próxima negociação sobre o comércio. internacional de produtos do sector têxtil e da Moção relativa à próxima negociação sobre o comércio internacional de produtos do sector têxtil e da Moção relativa à próxima negociação sobre o comércio internacional de produtos do sector têxtil e da

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

2 Conceitos de Capital

2 Conceitos de Capital Capítulo 2 Conceitos de Capital 2 Conceitos de Capital Este capítulo tem como objetivo definir o capital na visão da instituição, interligando-o aos riscos existentes nas operações das mesmas. Além disso,

Leia mais