ORDEM DE SERVIÇO DRF/URA Nº 006/2013, de 31 de maio de Regulamenta o Controle de Acesso de Pessoas e Veículos no PSR/URA.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORDEM DE SERVIÇO DRF/URA Nº 006/2013, de 31 de maio de Regulamenta o Controle de Acesso de Pessoas e Veículos no PSR/URA."

Transcrição

1 Delegacia da Receita Federal do Brasil em Uruguaiana ORDEM DE SERVIÇO DRF/URA Nº 006/2013, de 31 de maio de Regulamenta o Controle de Acesso de Pessoas e Veículos no PSR/URA. O AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM URUGUAIANA/RS, no uso das atribuições que lhe confere o Inciso VIII, do Art. 12, da Portaria DRF/URA nº 091/2009, de 11 de maio de 2009, e com o objetivo de regulamentar o controle de acesso de pessoas e veículos no Porto Seco Rodoviário de Uruguaiana, RESOLVE: Art. 1º - O controle do acesso de pessoas e veículos no Porto Seco Rodoviário de Uruguaiana (PSR/URA) é uma responsabilidade da concessionária. 1º - Para efeitos desta ordem de serviço, entende-se como controle de acesso o registro, em sistema informatizado, da entrada e saída de pessoas e veículos no PSR/URA. 2º - O controle de acesso de pessoas se aplica a toda e qualquer pessoa que ingresse no PSR/URA, inclusive a funcionários da concessionária, prestadores de serviços, despachantes aduaneiros, ajudantes de despachante aduaneiro, motoristas, acompanhantes de motoristas, transportadores, auxiliares de transporte, visitantes e servidores de órgãos públicos. 3º - O controle de acesso de veículos se aplica a todo e qualquer veículo que ingresse no PSR/URA, inclusive caminhões, carretas, veículos de prestadores de serviço, viaturas oficiais de órgãos públicos, veículos de emergência e veículos particulares. 4º - Os registros, no que se refere ao controle de acesso de pessoas e veículos, deverão seguir especificações contidas na Portaria RFB nº 3.518, de 30 de setembro de 2011, e no Ato Declaratório Executivo Conjunto Coana/Cotec nº 2, de 26 de setembro de Art. 2º - A entrada de visitantes no PSR/URA deve ser expressamente autorizada pelo servidor de órgão público que atue junto ao porto seco ou por funcionário da concessionária com o qual o visitante irá se encontrar. 1º - Entende-se como visitante qualquer pessoa que não seja funcionário da concessionária, prestador de serviço, despachante aduaneiro, ajudante de despachante aduaneiro, motorista, acompanhante de motorista, transportador, auxiliar de transporte e servidor de órgão público

2 que atue junto ao PSR/URA. 2º - No ingresso do visitante, a concessionária deverá registrar em seu sistema de controle de acesso, além das informações previstas no ADE Conjunto Coana/Cotec nº 2, de 26 de setembro de 2003, o nome e órgão do responsável pela autorização de entrada do visitante. Art. 3º - A entrada de acompanhantes de motoristas no PSR/URA só será permitida nos casos em que o mesmo esteja ingressando na cabine do veículo, juntamente com o motorista. 1º - No ingresso do acompanhante, a concessionária deverá registrar em seu sistema de controle de acesso, além das informações previstas no ADE Conjunto Coana/Cotec nº 2, de 26 de setembro de 2003, o nome completo do motorista que o acompanha, vinculando-os. 2º - Enquanto dentro do PSR/URA, o acompanhante estará sob responsabilidade do motorista ao qual está vinculado. 3º - A permanência do acompanhante dentro do PSR/URA só será permitida enquanto o motorista ao qual está vinculado não tiver sua saída registrada. Art. 4º - A entrada de prestadores de serviço no PSR/URA está sujeita à autorização, nos seguintes termos: I Quando o serviço se destinar aos órgãos públicos que atuam junto ao PSR/URA, caberá a cada órgão autorizar expressamente a entrada do prestador de serviço. II Quando o serviço se destinar à concessionária, caberá a esta autorizar expressamente a entrada do prestador de serviço. III Quando o serviço se destinar aos veículos de transporte de carga, presentes dentro do PSR/URA, o demandante do serviço deverá apresentar requerimento à portaria da concessionária, conforme modelo previsto no Anexo I desta ordem de serviço, e caberá a esta autorizar a entrada do prestador de serviço. IV - No ingresso do prestador de serviço, a concessionária deverá registrar em seu sistema de controle de acesso, além das informações previstas no ADE Conjunto Coana/Cotec nº 2, de 26 de setembro de 2003, o nome do responsável pela autorização de ingresso. 1º - O ingresso de prestadores de serviço a que se refere o inciso III será autorizado apenas nos casos em que a execução do serviço se mostrar indispensável à continuidade da viagem do veículo ou à preservação da integridade e segurança da mercadoria transportada, e desde que não possa ser realizada em local externo ao PSR/URA. 2º - O prestador de serviço deve observar as normas de segurança do trabalho previstas em legislação própria. 3º - Na área do PSR/URA destinada ao estacionamento de veículos que transportem mercadorias perigosas não é permitida a realização de serviços que gerem faísca ou qualquer outro procedimento que gere risco de incêndio e explosão.

3 4º - O prestador de serviço a que se refere o inciso III deve ser previamente cadastrado junto à concessionária, mediante preenchimento de requerimento e apresentação da documentação conforme modelo e instruções contidas no Anexo II desta ordem de serviço. 5º - Cabe à concessionária e ao Chefe do Serviço de Despacho Aduaneiro (Sedad) o deferimento do cadastramento mencionado no parágrafo anterior. 6º - O cadastro a que se refere o 4º terá validade de 1 (um) ano, a contar da data do deferimento por parte do Chefe do Sedad, e sua renovação pode ser requerida pelo interessado. 7º - Os cadastros de prestadores de serviço, que se encontrarem ativos na data de publicação desta ordem de serviço, permanecerão válidos até o dia 28 de junho de Art 5º - É proibida a entrada de pessoas que tenham por objetivo comercializar produtos e serviços aos usuários do PSR/URA. Art. 6º - A concessionária fornecerá crachá de identificação a todas as pessoas que ingressem no PSR/URA, nos seguintes termos: I - Aos despachantes aduaneiros, ajudantes de despachante, transportadores, auxiliares de transporte e servidores de órgãos públicos que atuam junto às áreas de controle integrado (ACI), inclusive ao PSR/URA, serão fornecidos crachás de identificação individual, válidos para acesso às ACI de Uruguaiana e Paso de los Libres, conforme Ordem de Serviço DRF/URA Nº 005/2013, de 27 de maio de II - Aos funcionários da concessionária, bem como aos funcionários de empresas terceirizadas que prestam serviços permanentes à concessionária, serão fornecidos crachás de identificação individual, válidos para acesso exclusivamente ao PSR/URA. III - Aos visitantes, motoristas, acompanhantes de motoristas e prestadores de serviço não enquadrados no inciso anterior, serão fornecidos crachás genéricos, válidos para acesso exclusivamente ao PSR/URA. IV - O uso do crachá, em local visível, é obrigatório dentro do PSR/URA. V - A perda do crachá deve ser imediatamente comunicada à concessionária, que poderá cobrar pela emissão de nova via. Art. 7º - O acesso de veículos ao pátio do PSR/URA só é permitido a caminhões e carretas de transporte de cargas, viaturas oficiais de órgãos públicos, veículos da concessionária, veículos de emergência e, em casos de justificada necessidade, a veículos de prestadores de serviço previamente cadastrados conforme o art. 4º. 1º O acesso de outros veículos, não especificados no caput deste artigo, ao pátio do PSR/URA, depende de autorização expressa do Chefe do Sedad. 2º - Os veículos de prestadores de serviço não poderão permanecer estacionados junto aos veículos de carga, sendo autorizada tão somente sua aproximação temporária para descarga e

4 carga dos equipamentos e material necessário à execução do serviço. 3º - No caso do parágrafo anterior, a concessionária estabelecerá local adequado para estacionamento dos veículos dentro do PSR/URA. 4º - O veículo de prestador de serviço passará por revista na entrada e saída do PSR/URA, realizada pela segurança patrimonial da concessionária e sob acompanhamento do prestador do serviço. 5º - O prestador de serviço que recusar submeter seu veículo à revista de que trata o parágrafo anterior, não poderá ingressar com o mesmo no recinto alfandegado. Art. 8º - Os órgãos públicos de fiscalização que atuam no PSR/URA poderão determinar o impedimento da saída de veículos de transporte de carga em função de ações fiscalizatórias e determinações judiciais. Art. 9º - O acesso de veículos ao estacionamento privativo é restrito a viaturas oficiais e veículos particulares de servidores dos órgãos públicos que atuam no PSR/URA. 1º - O acesso ao estacionamento privativo por parte de veículos da concessionária e de veículos particulares de seus funcionários está autorizado, desde que existam vagas suficientes para tal. 2º - O acesso de outros veículos não especificados no caput deste artigo, ao estacionamento privativo, depende de autorização expressa do Chefe do Sedad. 3º - Nos dias e horários em que não houver expediente da RFB, o portão de acesso de veículos ao estacionamento privativo deverá permanecer fechado. Art A concessionária fornecerá cartão de identificação a todos os veículos particulares e veículos de prestadores de serviço que ingressem no PSR/URA. 1º - O referido cartão deve conter a placa do veículo e o nome do órgão ou da empresa ao qual o proprietário é vinculado. 2º - Os cartões de identificação dos veículos, enquanto estes estiverem dentro do PSR/URA, devem ser mantidos sobre o painel dos veículos, de forma a facilitar sua visibilidade e leitura. 3º - Aos veículos de visitantes, cujo ingresso no estacionamento privativo tenha sido autorizado conforme o parágrafo 2º, do Art. 9º, a concessionária fornecerá cartão de identificação genérico. 4º - A perda do cartão de identificação deve ser imediatamente comunicada à concessionária. Art. 11 Casos omissos ou não dispostos explicitamente nesta ordem de serviço serão decididos pelo Chefe do Sedad. Art A concessionária deverá arquivar por 2 (dois) anos os requerimentos mencionados

5 nesta Ordem de Serviço. Art O descumprimento do exposto nesta Ordem de Serviço sujeita o infrator às penalidades previstas na legislação, bem como às previstas no Contrato de Concessão. Art Revogam-se a Ordem de Serviço DRF/URA 001/2003 e a Ordem de Serviço DRF/URA 002/2003. Art Esta Ordem de Serviço entra em vigor em 10 de junho de Controle de Acesso - Anexo I.pdfControle de Acesso - Anexo II.pdf Felipe Rodrigues Moreira Chefe do Serviço de Despacho Aduaneiro - SEDAD

COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS

COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS COMPARATIVO ENTRE OS ARTIGOS ALTERADOS PORTARIA RFB Nº 3.518 DE 30 DE SETEMBRO DE 2011 (DOU 03/10/2011) Art. 1º - Os procedimentos para o alfandegamento de locais e recintos devem observar o disposto nesta

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 25, DE 15 DE ABRIL DE 2003 As importações de vegetais, seus produtos, derivados e partes, subprodutos,

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 682, de 4 de outubro de 2006

Instrução Normativa SRF nº 682, de 4 de outubro de 2006 Instrução Normativa SRF nº 682, de 4 de outubro de 2006 DOU de 5.10.2006 Dispõe sobre a auditoria de sistemas informatizados de controle aduaneiro, estabelecidos para os recintos alfandegados e para os

Leia mais

I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a

I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a I IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, excetuados os recolhimentos vinculados às operações de comércio exterior, a parcelamentos ordinários ou especiais e a tributos exigidos em lançamentos de ofício; ou II Contribuição

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 16/03/12 As instruções abaixo aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO

INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO INSTRUÇÃO INTERNA DE PROCEDIMENTOS - IIP PROGEPE Nº 001/2016 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Dispõe sobre os procedimentos para afastamento parcial, no país, ou integral, no país ou no

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 881/07-GSF, DE 25 DE OUTUBRO DE 2007. Institui o Sistema de Exportação - SISEXP -. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE FAZENDA, no uso das atribuições, tendo em vista o disposto no art. 82

Leia mais

Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas.

Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas. PORTARIA MF Nº 160, DE 6 DE MAIO DE 2016 DOU de 09.05.2016 Dispõe sobre autorização de afastamento do País de servidores e empregados do Ministério da Fazenda e suas entidades vinculadas. O MINISTRO DE

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 22/2014 1ª SEMANA JUNHO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 22/2014 1ª SEMANA JUNHO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 22/2014 1ª SEMANA JUNHO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

Anexo I ao Ofício Circular 136/2004-DG. REGULAMENTO DO WEBTRADING BM&F (WTr)

Anexo I ao Ofício Circular 136/2004-DG. REGULAMENTO DO WEBTRADING BM&F (WTr) Anexo I ao Ofício Circular 136/2004-DG REGULAMENTO DO WEBTRADING BM&F (WTr) CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins deste Regulamento define-se: 1. Arbitrador Cliente habilitado pela BM&F a atuar

Leia mais

Para esse propósito manifesta os seguintes argumentos: É o parecer. À consideração superior.

Para esse propósito manifesta os seguintes argumentos: É o parecer. À consideração superior. ASSUNTO: requer Regime Especial para cumprimento de obrigação acessória- emissão de um único Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas-CTRC. CONCLUSÃO: na forma do parecer. A empresa acima qualificada

Leia mais

REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE

REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE REGULAMENTO DAS SOCIEDADES PROFISSIONAIS DE CONTABILISTAS CERTIFICADOS E SOCIEDADES DE CONTABILIDADE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento estabelece as regras de constituição

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- VITÓRIA 003/2016 ALTERADO EM 14/06/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 241, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 241, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2002 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 241, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2002 Dispõe sobre o regime especial de entreposto aduaneiro na importação e na exportação. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL,

Leia mais

DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO

DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO DIVISÃO DE INFORMAÇÃO E SISTEMATIZAÇÃO SEAMB MANUAL DO LICENCIAMENTO DE FONTES MÓVEIS DE POLUIÇÃO TRANSPORTE DE PRODUTOS E RESÍDUOS PERIGOSOS PELA INTERNET Outubro 2008 MANUAL DO LICENCIAMENTO DE FONTES

Leia mais

Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto:

Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto: Principais medidas decorrentes do Decreto-Lei 197/2012, de 24 de Agosto: Artigo 29.º do CIVA 1 -Para além da obrigação do pagamento do imposto, os sujeitos passivos referidos na alínea a) do n.º 1 do artigo

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS INTRODUÇÃO Esse documento orienta as aquisições da Agência de Desenvolvimento e Inovação de Guarulhos, doravante denominada AGENDE, inscrita no CNPJ nº

Leia mais

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico

FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico FACITEC - Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico Credenciada pela portaria: MEC 292, de 15.02.2001 DOU Nº 35-E, de 19.02.2001, Seção 1 RESOLUÇÃO

Leia mais

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular.

Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório do simulador de direção veicular. DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO - DETRAN/PB Portaria nº 496/2014-DS João Pessoa, 15 de setembro de 2014. (Publicada no Diário Oficial de 19 de setembro de 2014) Dispõe sobre a regulamentação do uso obrigatório

Leia mais

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015. GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA- SEJUSP/MS AGÊNCIA ESTADUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA PENITENCIÁRIO-AGEPEN/MS PORTARIA AGEPEN Nº 4, DE 6 DE

Leia mais

o PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições,

o PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL, no uso das atribuições, 1. PRESIDÊNCIA 1.1. Portaria PORTARIA DE 26 DE FEVEREIRO DE 1998 o PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL no uso das atribuições N" 28/98 - RESOLVE: Art. I Q A utilização dos serviços de Telefonia Celular

Leia mais

Despacho n.º /2015. Regulamento Académico dos Cursos de Pós-Graduação não Conferentes de Grau Académico do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria)

Despacho n.º /2015. Regulamento Académico dos Cursos de Pós-Graduação não Conferentes de Grau Académico do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) Despacho n.º /2015 Regulamento Académico dos Cursos de Pós-Graduação não Conferentes de Grau Académico do Instituto (IPLeiria) Preâmbulo Nos termos do n.º 1 do artigo 15.º da Lei n.º 46/86, de 14.10 1,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária e ao Diferencial de Alíquota no

Parecer Consultoria Tributária Segmentos STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária e ao Diferencial de Alíquota no STDA Declaração do Simples Nacional relativa à Substituição Tributária 11/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santa Barbara-BA. A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Prefeitura Municipal de Santa Barbara-BA. A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2015 DIÁRIO DO MUNICÍPIO DE SANTA BARBARA - BAHIA PODER EXECUTIVO A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. 1 RESOLUÇÃO SEDUC Nº

Leia mais

SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013

SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013 SISCOSERV: UMA VISÃO SOBRE O SISTEMA E SUA IMPLANTAÇÃO NAS EMPRESAS Setembro/2013 O QUE É O SISCOSERV? O Siscoserv é um sistema informatizado, desenvolvido pelo Governo Federal como ferramenta para o aprimoramento

Leia mais

Minuta de Instrução Normativa

Minuta de Instrução Normativa Minuta de Instrução Normativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº [NÚMERO], DE Dispõe sobre o Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (Paint), os aspectos relativos aos trabalhos de auditoria e o Relatório Anual

Leia mais

DA IMPLANTAÇÃO E DO FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

DA IMPLANTAÇÃO E DO FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA INSTRUÇÃO NORMATIVA SME Nº 007/2013. ESTABELECE NORMAS E DIRETRIZES PARA O FUNCIONAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA NAS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE UBERLÂNDIA E REVOGA

Leia mais

Campus Recife e de Núcleos do Centro Acadêmico do Agreste, indicados no

Campus Recife e de Núcleos do Centro Acadêmico do Agreste, indicados no UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSOR TEMPORÁRIO EDITAL nº9, de 09 de abril de 202, publicado no D.O.U. nº 69, de 0 de abril de 202, Seção 3, págs. 47-48. De acordo

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 Cria o Laboratório de Análises Clínicas e Ensino em Saúde, Órgão Complementar do Instituto de Ciências Biológicas, e aprova

Leia mais

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 17, DE 2011.

ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 17, DE 2011. ATO DA COMISSÃO DIRETORA Nº 17, DE 2011. Dispõe sobre os procedimentos relativos à concessão das licenças para tratamento da própria saúde, por motivo de doença em pessoa da família, à gestante, e por

Leia mais

SISTEMA ISS - CURITIBA LIVRO ELETRÔNICO

SISTEMA ISS - CURITIBA LIVRO ELETRÔNICO PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DEPARTAMENTO DE RENDAS MOBILIÁRIAS SISTEMA ISS - CURITIBA LIVRO ELETRÔNICO EMPRESAS Curitiba 2008 2 1 - CONCEITO O Sistema ISS Curitiba

Leia mais

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 238/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 238/XII Estabelece o regime de acesso e de exercício da profissão de auditor de segurança rodoviária, de emissão dos respetivos títulos profissionais e de acesso e exercício da atividade de

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 EDITAL Nº 035/2009 PROGRAMA DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (COEMA) RESOLUÇÃO COEMA Nº 016/09

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (COEMA) RESOLUÇÃO COEMA Nº 016/09 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (COEMA) 1 RESOLUÇÃO COEMA Nº 016/09 Publicada no DOE Nº. 4634 de 04/12/2009. Regulamenta as pesquisas científicas nas Unidades de Conservação

Leia mais

Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4049, DE 29 DE AGOSTO DE 2013.

Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4049, DE 29 DE AGOSTO DE 2013. 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4049, DE 29 DE AGOSTO DE 2013. Regulamenta a Lei nº 9.322, de 25 de julho de 2013, que autoriza o Chefe do Executivo a Instituir o Programa Passe Livre Estudantil no âmbito

Leia mais

M.S PRESTADORA DE SERVIÇOS EM POÇOS ARTESIANOS

M.S PRESTADORA DE SERVIÇOS EM POÇOS ARTESIANOS CONTRATO 172/2014 CREDOR VALOR 32.010,00 DATA 23.10.2014 M.S PRESTADORA DE SERVIÇOS EM POÇOS ARTESIANOS CONTRATO FIRMADO ENTRE O MUNICÍPIO DE ÁGUA BOA MT E A EMPRESA M.S PRESTADORA DE SERVIÇOS EM POÇOS

Leia mais

DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências.

DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências. DECRETO Nº 2.377, DE 16 DE AGOSTO DE 2006. Dispõe sobre o plantio e manejo de árvores no município e dá outras providências. Itamar Borges, Prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul, Estado de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 2389 - ANTAQ, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. APROVA A NORMA QUE ESTABELECE PARÂMETROS REGULATÓRIOS A SE- REM OBSERVADOS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CONTÊINERES

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014 RESOLUÇÃO SMTR Nº 2466 DE 20 DE MARÇO DE 2014 REGULAMENTA O CARTÃO DE ESTACIONAMENTO PARA DEFICIENTE FÍSICO DE ÂMBITO NACIONAL. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais

Drawback. 1. O que é o regime de drawback?

Drawback. 1. O que é o regime de drawback? Drawback 1. O que é o regime de drawback? O drawback é um regime aduaneiro especial que consiste na suspensão, isenção ou restituição dos tributos incidentes nos produtos utilizados no processo produtivo

Leia mais

DECRETO Nº. 017/2009, de 04 de setembro de 2009.

DECRETO Nº. 017/2009, de 04 de setembro de 2009. DECRETO Nº. 017/2009, de 04 de setembro de 2009. REGULAMENTA A JUNTA MÉDICA DO MUNICÍPIO DE GUARANTÃ DO NORTE E DO FUNDO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES DE GUARANTÃ DO NORTE PREVIGUAR E

Leia mais

Política de Uso de Táxi. Novembro/2015

Política de Uso de Táxi. Novembro/2015 1 Política de Uso de Táxi Novembro/2015 2 SUMÁRIO 03 Objetivo 03 Abrangência 03 Definições Gerais 04 Papéis e Responsabilidades 05 Considerações 3 1. Objetivo: Estabelecer os procedimentos e diretrizes

Leia mais

Bagagem. Voos Nacionais. Dicas Importantes: Bagagem despachada

Bagagem. Voos Nacionais. Dicas Importantes: Bagagem despachada Bagagem Dicas ANAC Bagagem Voos Nacionais Bagagem despachada Nas aeronaves com mais de 31 assentos, cada passageiro (adulto ou criança) tem direito a 23 Kg de bagagem (franquia de bagagem). Pode-se despachar

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE GARARU LEI N. 62812016 DE 05 DE MAIO DE 2016

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE GARARU LEI N. 62812016 DE 05 DE MAIO DE 2016 1. ESTADO DE SERGIPE LEI N. 62812016 DE 05 DE MAIO DE 2016 PUBLICADO EM, i9jj,6 Agamenon Árves dos Santos Junior Assistente Administrativo Decreto no 18412011 Institui o Transporte de Taxi, Vans, Micro-ônibus

Leia mais

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB MANUAL DE PROCEDIMENTO 2013 REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB Artigo Assunto Página 1 Definições... 225 2 Conselho diretor... 225 3 Eleições e mandatos... 225 4 Deveres do conselho diretor...

Leia mais

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo.

O exame de processos de outorga de concessão deve conter em sua introdução as informações básicas relativas ao tipo de processo. Tribunal de Contas da União MANUAL PARA INSTRUÇÃO DE PROCESSOS DE LICITAÇÃO PARA OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS E DE LINHAS DE TRANSMISSÃO 1 - INTRODUÇÃO 1.1. CARACTERÍSTICAS GERAIS O exame de

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO (A) EDITAL 024.2015 PSICOLOGIA - GDHS/HCU - UFU O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ASSISTÊNCIA, ESTUDO E PESQUISA DE UBERLÂNDIA - FAEPU, no uso

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS - SEJUDH EDITAL SEC/SADH/SEJUDH Nº. 004/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO DOS MEMBROS DA SOCIEDADE CIVIL DO CONSELHO ESTADUAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA PESSOA COM

Leia mais

8 Crie um pequeno sistema para controle automatizado de estoque, com os seguintes registros:

8 Crie um pequeno sistema para controle automatizado de estoque, com os seguintes registros: TRABALHO: REGISTROS 8 Crie um pequeno sistema para controle automatizado de estoque, com os seguintes registros: CLIENTES NOTAS ITENS_NOTAS PRODUTOS Cod_cliente Num_NF Num_NF Cod_produto Endereco Cod_cliente

Leia mais

PORTARIA CG/SIC/ADG Nº 99 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011

PORTARIA CG/SIC/ADG Nº 99 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011 PORTARIA CG/SIC/ADG Nº 99 DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a instrução processual e procedimentos inerentes à apresentação à Auditoria Geral da Prestação de Contas dos Responsáveis por Almoxarifado

Leia mais

Declaração de Serviços Tomados

Declaração de Serviços Tomados Declaração de Serviços Tomados O que é isto? O que isto faz? Por meio desta página, qualquer contribuinte pode realizar a declaração dos serviços tomados para gerar as guias de Retenção. Nesta página,

Leia mais

DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009

DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009 DECRETO Nº 11.103 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2.009 Regulamenta a Lei Municipal n 5.767, de 30 de julho de 2.009 e complementa as Resoluções n 303 e 304, ambas de 18 de dezembro de 2.008 do CONTRAN, dispondo

Leia mais

LEI N 5.879, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2012.

LEI N 5.879, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2012. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI N 5.879, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2012. Autoriza o Poder Executivo a instituir, a outorgar mediante licitação e dispõe sobre a operacionalidade do

Leia mais

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40

Centro de Estudos e Pesquisas 28 Organização Social em Saúde - RJ CNPJ nº 33.927.377/0001-40 EDITAL PARA SELEÇÃO DE FORNECEDOR - AUDITORIA CONTÁBIL EXTERNA O Centro de Estudos e Pesquisas 28 (Organização Social em Saúde), entidade privada de utilidade pública, inscrito no, torna pública a realização,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 198, DE 20 DE JULHO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 198, DE 20 DE JULHO DE 2015 Publicada no Boletim de Serviço, n. 8, p. 17-22 em 7/8/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 198, DE 20 DE JULHO DE 2015 Regulamenta a licença para tratamento de saúde e a licença por motivo de doença em pessoa

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MONDIM DE BASTO REGULAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA PARA A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR I Objeto e Âmbito O presente documento define e regula o funcionamento do Sistema de Gestão

Leia mais

IV ENCONTRO DE PSICOLOGIA CUIDADOS PALIATIVOS: RESSIGNIFICANDO A PERDA, A MORTE E O MORRER 31 de Maio a 02 de Junho

IV ENCONTRO DE PSICOLOGIA CUIDADOS PALIATIVOS: RESSIGNIFICANDO A PERDA, A MORTE E O MORRER 31 de Maio a 02 de Junho IV ENCONTRO DE PSICOLOGIA CUIDADOS PALIATIVOS: RESSIGNIFICANDO A PERDA, A MORTE E O MORRER 31 de Maio a 02 de Junho EDITAL INSCRIÇÃO DE TRABALHOS A Coordenação do curso de Psicologia da Faculdade Vale

Leia mais

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA

REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DO AUTOCARRO E CARRINHA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO AUTOCARRO E CARRINHA DE NOVE LUGARES Preâmbulo Tendo em conta a nova realidade politica administrativa existente no território da União

Leia mais

CÓPIA. Coordenação-Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07

CÓPIA. Coordenação-Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07 Fl. 18 Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 348 - Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL. INFORMÁTICA. As atividades

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES DO INSTITUTO ODEON CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento tem por objetivo definir os critérios e as condições a serem observados pelo INSTITUTO

Leia mais

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Cuiabá/MT, 10/04/2013 1 MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 1. INTRODUÇÃO 1.1 - Recomenda-se a leitura deste manual antes de utilizar

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que

Leia mais

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08)

Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Ato Normativo nº 556/2008-PGJ, de 15/10/2008 (Pt. n 125.501/08) Dispõe sobre a organização e as atribuições da Assessoria Policial Militar no Ministério Público do Estado de São Paulo O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

01 - Manual de Políticas e Procedimentos 01.01 Processo aquisitivo 01.01.02 Requisição para contratação de serviços Atualizado em 16/01/2015

01 - Manual de Políticas e Procedimentos 01.01 Processo aquisitivo 01.01.02 Requisição para contratação de serviços Atualizado em 16/01/2015 Dispõe sobre as políticas, fluxos e procedimentos do processo de contração de serviços da UFAL para o ano de 2015. 1 DA POLÍTICA 1.1 Objetivos da política de compras 1.1.1 Tornar os processos de compras

Leia mais

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS

POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS COB UNIDADE RECURSOS HUMANOS E PROCESSOS GERÊNCIA DE GESTÃO DE PROCESSOS POLRH-001 GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS Revisão: 03 ÁREA RESPONSÁVEL: Recursos Humanos SUMÁRIO CAPÍTULO

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 Edital de convocação de Assembleia Geral de Entidades de Assistência Social de Diamantina para

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010

ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010 ORDEM DE SERVIÇO PF/SC n 9, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010 Disciplina a rotina a ser observada pelos procuradores federais e pela Unidade de Apoio Processual na utilização do Sistema Rito Ordinário da Justiça

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 Altera e acrescenta dispositivos à Instrução CVM nº 332, de 4 de abril de 2000, à Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, e à Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO

Leia mais

VOTO. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda.

VOTO. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda. FL. 1 de 6 VOTO PROCESSO: 00000.746624/1983-22. INTERESSADO: Faixa Azul Indústria de Móveis para Escritório Ltda. RELATOR: Diretor André Pepitone da Nóbrega RESPONSÁVEL: SUPERINTENDÊNCIA DE CONCESSÕES

Leia mais

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO ENQUADRAMENTO DO VOLUNTARIADO NA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Considerando: O relevo formativo, social, cultural e cívico do voluntariado e o papel importante que a Universidade de Aveiro (UA) pode desempenhar

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Entrada de Conhecimento de Transporte Rodoviário

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Entrada de Conhecimento de Transporte Rodoviário Entrada de Conhecimento de Transporte Rodoviário 27/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Questionamento enviado

Leia mais

CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES BPL

CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES BPL CADASTRO, TREINAMENTO E QUALIFICAÇÃO DE INSPETORES NORMA Nº NIE-CGCRE-039 APROVADA EM ABR/2013 Nº 01/ SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Documentos Complementares 5 Histórico

Leia mais

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB

REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB REGULAMENTO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E GUARDA DO ACERVO ACADÊMICO DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB Estabelece a Política para Manutenção e Guarda do Acervo Acadêmico da Escola de Direito de Brasília

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO CAPÍTULO II DA SOLENIDADE SIMBÓLICA DE ENCERRAMENTO DE CURSO

CAPÍTULO I DO OBJETIVO CAPÍTULO II DA SOLENIDADE SIMBÓLICA DE ENCERRAMENTO DE CURSO REGULAMENTO PARA A ENTREGA DOS CERTIFICADOS DE CONCLUSÃO DOS CURSOS PROEJA, PROEJA FIC, FIC, MULHERES MIL, TÉCNICOS INTEGRADOS, CONCOMITANTE e SUBSEQUENTES (PRESENCIAIS, EAD, PRONATEC) DO CÂMPUS BARBACENA

Leia mais

Mercadores. Alfandegamento. Coletânea (Versão Histórica)

Mercadores. Alfandegamento. Coletânea (Versão Histórica) Mercadores Alfandegamento Coletânea (Versão Histórica) Versão 2.06 - Março de 2014 Atualizada até: nstrução Normativa RFB nº 1.444, de 12 de fevereiro de 2014 Paulo Werneck mercadores.blogspot.com www.mercadores.com.br

Leia mais

EDITAL 2016.1-Aditamento

EDITAL 2016.1-Aditamento EDITAL 2016.1-Aditamento O Colegiado do Curso de Especialização em Organização e Gestão em Justiça Criminal e Segurança - Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional - Campos dos Goytacazes

Leia mais

Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos

Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos maiores de 23 anos e do Concurso Especial dos Estudantes

Leia mais

MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MANUSEIO E APOIO LOGÍSTICO

MACROPROCESSO ADMINISTRATIVO PROCESSO MANUSEIO E APOIO LOGÍSTICO 1 de 10 MAUEIO E APOIO LOGÍTICO MACROPROCEO ADMIITRATIVO PROCEO MAUEIO E APOIO LOGÍTICO MAUEIO E APOIO LOGÍTICO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRAGÊCIA... 2 3. DOCUMETO RELACIOADO... 2 4. PROCEDIMETO... 2 4.1 DEFIIÇÃO

Leia mais

DECRETO RIO Nº 40285 DE 24 DE JUNHO DE 2015

DECRETO RIO Nº 40285 DE 24 DE JUNHO DE 2015 DECRETO RIO Nº 40285 DE 24 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre a consolidação da legislação que versa sobre o Sistema Municipal de Transportes Oficiais no âmbito do Poder executivo e dá outras providências.

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 A Diretora da Faculdade de Direito e Ciências Sociais do Leste de Minas - FADILESTE, em conformidade com a Lei nº 9.394/96, em conformidade com o

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado do Piauí, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Orgânica do Município, e DECRETO Nº 9.540, DE 17 DE AGOSTO DE 2009. Disciplina a emissão da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e e dá outras providências, nos termos que especifica. O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, Estado

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP)

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) Conforme definido no nº 3 do Artigo 25º do Regulamento Geral dos Regimes de Reingresso

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 528, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos relacionados com a instrução de processos de autorização para funcionamento, alterações

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ/GP N. 2 DE 3 DE MARÇO DE 2016. Regulamenta o porte de arma de fogo para os servidores que exercem funções de segurança no Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE

Leia mais

Tutorial de Preenchimento de ARTs. Contrato com a CAIXA

Tutorial de Preenchimento de ARTs. Contrato com a CAIXA Pág. 1 1) Estrutura de Preenchimento das ARTs: A ART Principal deve conter as informações do contrato com a Caixa. As ARTs Múltiplas devem conter as ordens de serviço do mês e estarem vinculadas à ART

Leia mais

Tutorial de Adesão ao Cadastro. Parceria CGU & Instituto Ethos

Tutorial de Adesão ao Cadastro. Parceria CGU & Instituto Ethos Tutorial de Adesão ao Cadastro Parceria CGU & Instituto Ethos Novembro de 2013 Empresa Pró-Ética Tutorial 2 SUMÁRIO Introdução 3 Passos para adesão ao cadastro 3 Passo 1 - Preenchimento do Formulário Eletrônico

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA Julho/2015 Índice Sumário 1. Envolvidos... 3 2. Formulários Envolvidos... 3 2.1. Relatório de Solicitação de Viagem (anexo 02).... 3 2.2. Relatório de Prestação de Contas (anexo 03).... 3 3. Procedimentos...

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SÃO PAULO CREA-SP ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. ATO NORMATIVO Nº, DE DE DE. Dispõe sobre celebração de convênios com entidades de classe para maior eficiência da fiscalização profissional, através da expansão das Anotações de Responsabilidade Técnica

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PORTARIA Nº 754, DE 3 DE OUTUBRO DE 2006 O MINISTRO DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014)

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO DOS LIONS DE PORTUGAL (Despacho da Presidência Conselho de Ministros de 23.10.2014) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS Artigo Primeiro A Fundação dos Lions de Portugal é uma

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.127, de 7 de fevereiro de 2011 DOU de 8.2.2011 Dispõe sobre a apuração e tributação de rendimentos recebidos acumuladamente de que trata o art. 12-A da Lei nº 7.713, de 22

Leia mais

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DE ALAGOAS SECRETARIA DA FAZENDA DECRETO Nº 43, de 23 de fevereiro de 2001 DOE 01.03.2001 Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 35.245, de 26 de dezembro de 1991, implementando

Leia mais

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória

Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória Demarest Advogados Seminário Agronegócio: Agenda Regulatória São Paulo, 25 de fevereiro de 2015 1 CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE APP RESERVA LEGAL RL PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO

Leia mais

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br

1.8. Correspondência eletrônica dirigida ao Polo 46 do MNPEF deve ser endereçada a: aclm@df.ufpe.br, mnpef.caa@ufpe.br Universidade Federal de Pernambuco Centro acadêmico do Agreste Núcleo Interdisciplinar de Ciências Exatas e Inovação Tecnológica Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física [POLO 46 UFPE/CARUARU] EDITAL

Leia mais

Regulamento Municipal de Remoção e Recolha de Veículos

Regulamento Municipal de Remoção e Recolha de Veículos CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artº 1º Âmbito de aplicação O presente Regulamento pretende dotar o Município de um instrumento que estabeleça regras referentes à acção de fiscalização assim como à remoção

Leia mais

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE REQUISIÇÃO DE TRANSPORTES NA UFOP

TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE REQUISIÇÃO DE TRANSPORTES NA UFOP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DIVISÃO DE TRANSPORTES TUTORIAL PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE REQUISIÇÃO DE TRANSPORTES NA UFOP JANEIRO/2014 O Sistema

Leia mais

INSCRIÇÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR - PDCS (Isento de Taxa) 1º SEMESTRE DE 2015. SOLICITAÇÕES DE 12/12/14 a 13/03/15

INSCRIÇÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR - PDCS (Isento de Taxa) 1º SEMESTRE DE 2015. SOLICITAÇÕES DE 12/12/14 a 13/03/15 Informativo GR nº 002/2014. INSCRIÇÃO PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR - PDCS (Isento de Taxa) 1º SEMESTRE DE 2015 SOLICITAÇÕES DE 12/12/14 a 13/03/15 ESTE INFORMATIVO CONTÉM TODAS AS ORIENTAÇÕES

Leia mais

Parágrafo único. Além das exigências estabelecidas nos Anexos do Decreto nº 5.053, de 24 de abril de

Parágrafo único. Além das exigências estabelecidas nos Anexos do Decreto nº 5.053, de 24 de abril de MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 29, DE 14 DE SETEMBRO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013

SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA ESTUDANTIL/2013 EDITAL N 005/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO JOÃO DOS PATOS DIRETORIA GERAL NÚCLEO DE ASSISTENCIA AO EDUCANDO SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE ASSISTENCIA

Leia mais