Relatório Final / Resultados 2013/14

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Final / Resultados 2013/14"

Transcrição

1 Relatório Final / Resultados 2013/14

2 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Transmitir aos alunos um conhecimento claro sobre os métodos de desenvolvimento e avaliação da aptidão física.

3 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Importância da avaliação da composição corporal. Aumento do número de alunos com excesso de peso.

4 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Segundo alguns estudos 50% das crianças obesas e 80% dos adolescentes obesos tornar-se-ão adultos obesos.

5 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Portugal é o segundo País da Europa onde se regista a maior prevalência de obesidade infantil na segunda infância (dos 3 aos 6 anos). A escola é um local privilegiado para modificar positivamente os hábitos dos jovens.

6 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Segundo um estudo do Instituto para a Avaliação e a Métrica da Saúde, da Universidade de Washington, liderado por Emmanuela Gakidou, o número de pessoas obesas e com excesso de peso mais do que duplicou nas últimas décadas em todo o mundo: Passou de 857 milhões em 1980 para 2,1 mil milhões em Fonte: Publico.pt

7 RAZÕES QUE JUSTIFICAM O PROJETO Na Europa Ocidental, os dados referentes a 2013 revelam que a obesidade e o excesso de peso afetam em média 24,2% dos rapazes até aos 20 anos, 22% das raparigas, 61,3% dos homens e 47,6% das mulheres. Fonte: Publico.pt

8 INÍCIO DAS ATIVIDADES O GAF iniciou a sua atividade no ano letivo 2005/2006.

9 METAS A médio prazo: Aumentar o tempo de atividade física semanal da nossa população escolar. Diminuir as diferenças do tempo de atividade física semanal entre rapazes e raparigas. Diminuir a prevalência da obesidade e magreza excessiva dos nossos alunos/as.

10 2013/2014 AMOSTRA = A amostra é constituída por 759 alunos (96,9%), dos quais 383 são rapazes e 376 raparigas.

11 2013/2014 AMOSTRA Idade em 15/10/ anos de idade - 16 rapazes e 17 raparigas; 10 anos de idade - 76 rapazes e 55 raparigas; 11 anos de idade - 94 rapazes e 101 raparigas; 12 anos de idade - 55 rapazes e 71 raparigas; 13 anos de idade - 78 rapazes e 68 raparigas; 14 anos de idade 59 rapazes e 58 raparigas; 15 anos de idade - 5 rapazes e 6 raparigas.

12 EVOLUÇÃO DA ESTATURA MÉDIA ,54 1,72 1,59 1,68 1,58 1,63 1,54 1,54 1,50 1,48 1,43 1,42 1,41 1,39 EST-Fem EST-Mas 0,00 1,00 2,00

13 EVOLUÇÃO DO PESO MÉDIO ,83 58,40 53,90 59,12 51,29 52,46 45,92 45,82 43,04 42,72 36,71 37,91 36,65 34,56 PES-Fem PES-Mas 0,00 50,00 100,00

14 EVOLUÇÃO DO IMC MÉDIO 15 19,35 19, ,18 20,94 20,59 19,65 19,24 19,17 19,06 19,36 IMC-Fem IMC-Mas 10 17,73 18, ,26 17,78 16,00 18,00 20,00 22,00

15 EVOLUÇÃO DA APTIDÃO AERÓBIA 15 26,40 42, ,48 54, ,68 45, ,42 41,39 VV-Fem VV-Mas 11 26,72 37, ,01 30, ,73 34,71 0,00 10,00 20,00 30,00 40,00 50,00 60,00

16 FATOR DE CORTE Cooper Institute for Aerobics Reserch, Dallas, Texas / Núcleo de Exercício e Saúde da FMH, Lisboa IMC - VALORES DE REFERÊNCIA FITNESSGRAM IDADE MASCULINOS FEMININOS 9 15, , ,3-21,0 16,6-23, ,8-21,0 16,9-24, ,0-22,0 16,9-24, ,6-23,0 17,5-24, ,5-24,5 17,5-25, ,1-25,0 17,5-25, ,5-26,5 17,5-25, ,8-27,0 17,5-26,0 >17 19,0 27,8 18,0 27,3

17 IMC - % DE RAPAZES DENTRO E FORA DA ZSAF % DE RAPAZES NA ZSAF % DE RAPAZES ACIMA DA ZSAF % DE RAPAZES ABAIXO DA ZSAF 21% 11% 68%

18 IMC - % DE RAPARIGAS DENTRO E FORA DA ZSAF % DE RAPARIGAS NA ZSAF % DE RAPARIGAS ACIMA DA ZSAF % DE RAPARIGAS ABAIXO DA ZSAF 22% 8% 70%

19 % TOTAL DE ALUNOS/AS ACIMA DA ZSAF / / /2014

20 % TOTAL DE ALUNOS/AS ABAIXO DA ZSAF / / /2014

21 % DE RAPAZES ACIMA DA ZSAF / / /2014

22 % DE RAPARIGAS ACIMA DA ZSAF / / /2014

23 EVOLUÇÃ0 DO IMC MÉDIO / ,42 20,14 20,05 19,60 19,39 19,49 19, / / / / / / /14

24 EVOLUÇÃO DA ESTATURA MÉDIA /2014 1,56 1,56 1,56 1,54 1,53 1,53 1, / / / / / / /14

25 EVOLUÇÃO DO PESO MÉDIO 2007/ ,13 49,71 49,50 46,65 46,13 46,13 44, / / / / / / /14

26 CONCLUSÕES GERAIS = Foi possível constatar um maior número de casos de excesso de peso nos rapazes (21%) e menor nas raparigas (8%). = E um maior número de casos de magreza nas raparigas (22%) e menor nos rapazes (11%).

27 CONCLUSÕES GERAIS = A percentagem total de alunos/as com excesso de peso subiu nos últimos três anos letivos: 12% em 2011/12 13% em 2012/13 14% em 2013/14.

28 CONCLUSÕES GERAIS = A percentagem total de alunos/as sinalizados com indicador de magreza, que desceu de 19% para 17% nos últimos três anos letivos.

29 CONCLUSÕES GERAIS = Os casos de magreza observados, são essencialmente situações de magreza moderada, não sendo por isso casos preocupantes.

30 CONCLUSÕES GERAIS = Para o universo da população escolar estudada, foi possível constatar nos últimos cinco anos letivos um ligeiro e constante decréscimo dos valores médios do IMC (20,42 20,14 20,05 19,6 19,39). = Nos últimos dois anos letivos o IMC estabilizou próximo dos 19,50 (19,49 19,47).

31 PRINCIPAL CONCLUSÃO = De acordo com o fator de corte utilizado, a nossa escola não está confrontada com um problema grave de sobrepeso e magreza excessiva, mas existem alguns casos que necessitam de acompanhamento.

32 BOAS PRÁTICAS Adotar estilos de vida saudáveis: Aumentar o tempo semanal de atividade física. Conhecer o valor nutricional dos alimentos. Consultar sempre as informações disponíveis nos alimentos produzidos industrialmente. Diminuir o time screening.

33 BOAS PRÁTICAS Adotar estilos de vida saudáveis Tomar sempre o pequeno almoço. Não fazer refeições excessivamente calóricas, ricas em gorduras e açucares, principalmente à noite. Comer doses normais e evitar repeti-las. Adotar uma alimentação equilibrada, privilegiando os legumes e as frutas. Se possível ir para a escola a pé.

34 BOAS PRÁTICAS Segundo o American College Sport and Medecine (ACSM), a quantidade de Exercício Físico que é necessária para melhorar e manter a saúde está indicado nas tabelas abaixo representadas:

35 BOAS PRÁTICAS Tempo frente à televisão, computador e playstation Diminuir Atividades de recreação Exercícios leves 2 3 vezes semana Exercícios aeróbios Dança e Desportos 3-5 vezes semana Deslocamentos a pé Atividades diárias Todos os dias

36 BOAS PRÁTICAS Não Existem dietas milagrosas: = Um estudo que acompanhou mais de 4000 pessoas, mostrou que aquelas que conseguiram reduzir mais o peso e a gordura corporal foram as que fizeram atividade física regular e que se alimentaram de forma saudável durante todo o ano, consumindo menos gorduras e menos alimentos industrializados.

37 BOAS PRÁTICAS Os que preferiram seguir o caminho das dietas milagrosas, à base de batidos ou suplementos emagrecedores e que saltaram refeições, perderam menos peso. Conclusão: para emagrecer é preciso mudar hábitos alimentares e fazer exercício físico para que a perda de peso seja consistente e melhore a saúde a longo prazo.

38 BOAS PRÁTICAS Correr a melhor terapia contra a depressão: = Correr três vezes por semana é uma terapia tão eficaz, para enfrentar a depressão moderada, quanto os antidepressivos. Uma equipa da Universidade Southwestern, nos Estados Unidos, demonstrou que a prática de exercícios aeróbios durante 30 minutos, três vezes por semana, diminui para metade os sintomas de uma depressão moderada. Fonte:

39 BOAS PRÁTICAS

40 ALGUNS LINKS ÚTEIS

Necessidade de transmitir aos alunos um conhecimento claro das implicações da atividade física regular e da aptidão física na saúde.

Necessidade de transmitir aos alunos um conhecimento claro das implicações da atividade física regular e da aptidão física na saúde. Gabinete de Aptidão Física / Relatório 20/ Dia da Escola Aberta (/06/20) Razões que justificaram o projeto Necessidade de transmitir aos alunos um conhecimento claro das implicações da atividade física

Leia mais

Projeto - Gabinete de Aptidão Física (GAF) Relatório 2011/2012

Projeto - Gabinete de Aptidão Física (GAF) Relatório 2011/2012 Projeto - Gabinete de Aptidão Física (GAF) Relatório 2011/2012 Grupo de Educação de Física Desporto Escolar e Dança EB, 2/3 Martim de Freitas Coimbra Razões que justificaram o projeto Necessidade de transmitir

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final ANO LETIVO 2013/2014 ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final Índice O que é o IMC? Objetivo do Estudo Procedimentos do Estudo Amostra Utilizada Apresentação dos Resultados Principais Conclusões

Leia mais

E.S.S.A ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTO ANDRÉ BARREIRO QUINTA DA LOMBA

E.S.S.A ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTO ANDRÉ BARREIRO QUINTA DA LOMBA E.S.S.A ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTO ANDRÉ QUINTA DA LOMBA BARREIRO A ACTIVIDADE FÍSICA e AQUISIÇÃO DE UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL PROJECTO DE ESCOLA EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE HÁBITOS DE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica Obesidade Bibliografia Conclusão A Bulimia nervosa é um transtorno alimentar causado pela ingestão de grandes quantidades de alimentos, seguidos

Leia mais

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Nesta aula iremos aprender sobre o conceito, as causas e as consequências da obesidade e a importância da atividade física para a prevenção e controle desta

Leia mais

Segurança Alimentar e Obesidade

Segurança Alimentar e Obesidade Riscos e Segurança Alimentar Segurança Alimentar e Obesidade Vítor Rosado Marques Ana M. P. Melo Luís F. Goulão Instituto de Investigação Científica Tropical, IICT-2013 Vítor Rosado Marques, vrosadomarques@iict.pt

Leia mais

Relatório Peso na Saúde

Relatório Peso na Saúde Relatório Peso na Saúde O projeto foi implementado durante os meses de Julho e Agosto, em 18 praias. Foram avaliados 954 indivíduos adultos, 57% do sexo feminino. As idades dos participantes variaram entre

Leia mais

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares.

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares. obesidade O que é a obesidade? A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século XXI! O excesso de peso e a obesidade são diferentes graus de uma doença em que se verifica

Leia mais

ÍNDICE. CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO Introdução Pertinência do trabalho Objectivos e Hipóteses de Estudo...

ÍNDICE. CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO Introdução Pertinência do trabalho Objectivos e Hipóteses de Estudo... ÍNDICE CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO... 1 1.1. Introdução... 1 1.2. Pertinência do trabalho... 2 1.3. Objectivos e Hipóteses de Estudo... 2 CAPÍTULO 2: REVISÃO DA LITERATURA... 5 2.1. Obesidade Infantil... 5

Leia mais

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO

REDUÇÃO & REEDUCAÇÃO PROGRAMA DE EMAGRECIMENTO Go Mag R do o Os Efeitos negativos da Obesidade na sua saúde e na sua vida: Menor expectativa de vida Baixa autoestima Mobilidade limitada Problemas nas articulações Ataque cardíaco Pressão alta 2R QUE

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Dra. Helena Maia Nutricionista OBJECTIVOS Obesidade: Riscos, prevalências e tipos Nutrição / Nutrientes Roda dos Alimentos Alimentação Mediterrânica IMC Conclusão RISCOS RELACIONADOS

Leia mais

INTRODUÇÃO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO OBJECTIVOS METODOLOGIA RESULTADOS CONCLUSÕES

INTRODUÇÃO PROBLEMA DE INVESTIGAÇÃO OBJECTIVOS METODOLOGIA RESULTADOS CONCLUSÕES ONOCOP Hotel Tivoli Marina Vilamoura 19 Novembro 2009 Joana Sousa Dietista Trabalho a ser desenvolvido no âmbito do Doutoramento em Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova

Leia mais

ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS

ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS ADOLESCENTES PORTUGUESES: ALIMENTAÇÃO E ESTILOS DE VIDA SAUDAVEIS Margarida Gaspar de Matos* Marlene Silva e Equipa Aventura Social & Saúde *Psicologa, Prof Ass F M H / UTL Coordenadora Nacional do HBSC/OMS

Leia mais

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil Maria Ana Carvalho Objectivos Adoptar estilos de vida mais saudáveis pelas crianças e famílias Alimentação Saudável e Prática de Actividade Física Melhorar

Leia mais

ESCOLA E/B, 2/3 MARTIM DE FREITAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DESPORTO ESCOLAR E DANÇA

ESCOLA E/B, 2/3 MARTIM DE FREITAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DESPORTO ESCOLAR E DANÇA ESCOLA E/B, 2/3 MARTIM DE FREITAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DESPORTO ESCOLAR E DANÇA GABINETE DE APTIDÃO FÍSICA %MG VALORES ACIMA E ABAIXO DA ZSAF - 2008/2009 IMC - VALORES DE REFERÊNCIA IDADE MASCULINOS

Leia mais

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Avaliação Dados de 2013 Periodicidade: anual desde 2006 Público: maiores de 18 anos e residentes nas 26

Leia mais

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DE ALUNOS DO PROJETO ESCOLA DA BOLA COM BASE NOS TESTES DA PROESP-BR

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÍNDICE DE MASSA CORPORAL DE ALUNOS DO PROJETO ESCOLA DA BOLA COM BASE NOS TESTES DA PROESP-BR 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ÍNDICE DE

Leia mais

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB Maria Rozimar Dias dos Santos Nóbrega José Maurício de Figueiredo Júnior Faculdades Integradas de Patos FIP

Leia mais

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios Andreia Jorge Silva Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde 1 PNS/ELS - Obesidade Saúde dos Adolescentes PNS/Saúde dos

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL Nº de Empresário Nome completo: Data: Telefone: e-mail: Data de nascimento: Idade: Sexo: Feminino Consome algum suplemento nutricional? Se sim, quantos? Sim Masculino Não Por

Leia mais

FITNESSGRAM MENSAGENS ACTIVIDADE APTIDÃO AERÓBIA FORÇA MUSCULAR, RESISTÊNCIA, FLEXIBILIDADE COMP. CORPORAL NÚCLEO DE EXERCÍCIO E SAÚDE

FITNESSGRAM MENSAGENS ACTIVIDADE APTIDÃO AERÓBIA FORÇA MUSCULAR, RESISTÊNCIA, FLEXIBILIDADE COMP. CORPORAL NÚCLEO DE EXERCÍCIO E SAÚDE Manual de Aplicação de Testes 35 APTIDÃO AERÓBIA FORÇA MUSCULAR, RESISTÊNCIA, FLEXIBILIDADE COMP. CORPORAL ACTIVIDADE ZONA SAUDÁVEL Precisa Bom Óptimo Os meus Melhorar resultados Vaivém Nº Voltas Actual

Leia mais

COMPONENTE ESPECÍFICO

COMPONENTE ESPECÍFICO GABARITO MATUTINO QUESTÃO RESPOSTA 1 C 2 D 3 E 4 D 5 C 6 DISCUSSIVA 7 DISCUSSIVA 8 DISCUSSIVA 9 DISCUSSIVA 10 DISCUSSIVA 11 D 12 D 13 E 14 C 15 E 16 B 17 D 18 C 19 E 20 C 21 A 22 C 23 A 24 D 25 D 26 A

Leia mais

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Como ter uma vida mais saudável comendo bem.

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Como ter uma vida mais saudável comendo bem. NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE Como ter uma vida mais saudável comendo bem. IDADE X NUTRIÇÃO Depois dos 65 anos, o processo de envelhecimento naturalmente acelera e afeta a saúde. Com isso, um dos cuidados

Leia mais

OBESIDADE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier

OBESIDADE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier Palavras-Chave: Destinatários Médicos dos ACES da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Dr.ª Sandra Ferreira, Dr.ª Carla Loureiro, Dr. Pascoal Moleiro Aprovação Diretor do Serviço Dr.

Leia mais

OBESIDADE NA INFÂNCIA. Dra M aria Fernanda Bádue Pereira

OBESIDADE NA INFÂNCIA. Dra M aria Fernanda Bádue Pereira OBESIDADE NA INFÂNCIA Dra M aria Fernanda Bádue Pereira Obesidade infantil Um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade. >>>>> Ingestão calórica e

Leia mais

Programas Nacionais relacionados com a Promoção de Estilos de Vida Saudáveis

Programas Nacionais relacionados com a Promoção de Estilos de Vida Saudáveis Programas Nacionais relacionados com a Promoção de Estilos de Vida Saudáveis Emília Nunes Direcção de Serviços de Promoção e Protecção da Saúde emiliann@dgsaude.min-saude.pt Carga da Doença Expressa em

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, Movimento e Linguagem na Era da Informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Dicas para emagrecer rapido e perder barriga com saúde!

Dicas para emagrecer rapido e perder barriga com saúde! Dicas para emagrecer rapido e perder barriga com saúde! Emagrecer é uma conquista e se for rápido, melhor ainda não acha? Conheça algumas dicas para emagrecer rápido. Se você quer dicas para emagrecer

Leia mais

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos

Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006. Relatório não técnico. Dieta para adultos Universidade do Algarve Faculdade das Ciências e Tecnologias Redes de Telecomunicações 2005/2006 Relatório não técnico Dieta para adultos Docente: Profª Drª Ana Isabel Leiria Discentes: Laurinda Fernandes

Leia mais

DOSSIER INSTITUCIONAL

DOSSIER INSTITUCIONAL DOSSIER INSTITUCIONAL Na Kellogg s assumimos compromissos com... Inovação Investigação Informação nutricional Marketing responsável Vida saudável INOVAÇÃO Inovação Elaboração e comercialização de produtos

Leia mais

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016 Incentivo à Alimentação Saudável Julho de 2016 Como é o hábito alimentar do brasileiro PERFIL ALIMENTAR DO ADULTO Apesar de incluir mais frutas e hortaliças na rotina, os brasileiros consomem doces e refrigerantes

Leia mais

Bons hábitos alimentares. Coma cinco vezes por dia (menor quantidade de alimentos por refeição).

Bons hábitos alimentares. Coma cinco vezes por dia (menor quantidade de alimentos por refeição). A adopção de uma dieta alimentar e equilibrada é uma das medidas mais importantes para a prevenção de alguns riscos de acidentes cardiovasculares (cardíacos, cerebrais, hipertensão, diabetes e obesidade).

Leia mais

Documento Técnico do Projeto

Documento Técnico do Projeto CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA DIVISÃO DE DESPORTO ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR - ATIVIDADE FÍSICA DESPORTIVA Documento Técnico do Projeto PROFESSORA ANA MIGUEL FIGUEIREDO ANO LETIVO 2012/2013 ÍNDICE

Leia mais

SUA SAÚDE AGORA.

SUA SAÚDE AGORA. Você está tentando emagrecer faz alguns meses. Entrou na academia, jura que está comendo melhor, mas quando sobe na balança, o ponteiro não se mexe do lugar ou, no pior dos cenários, está apontando para

Leia mais

Sumário Como Emagrecer Rápido Passo Tabela Rotina de Alimentação... 2 Passo 2 e Passo Passo Passo 6 e Passo 8...

Sumário Como Emagrecer Rápido Passo Tabela Rotina de Alimentação... 2 Passo 2 e Passo Passo Passo 6 e Passo 8... Sumário Como Emagrecer Rápido Passo 1... 1 Tabela Rotina de Alimentação... 2 Passo 2 e 3... 3 Passo 4... 4 Passo 5... 5 Passo 6 e 7...6 Passo 8...7 Passo 9 e 10...8 Para emagrecer rápido você precisa conhecer

Leia mais

VALORES CRÍTICOS DO IMC PARA A SAÚDE DOS ALUNOS DO 5º ANO DO PIBID/UNICRUZ/EDUCAÇÃO FÍSICA 1

VALORES CRÍTICOS DO IMC PARA A SAÚDE DOS ALUNOS DO 5º ANO DO PIBID/UNICRUZ/EDUCAÇÃO FÍSICA 1 VALORES CRÍTICOS DO IMC PARA A SAÚDE DOS ALUNOS DO 5º ANO DO PIBID/UNICRUZ/EDUCAÇÃO FÍSICA 1 FUHRMANN, Marlon 2 ; PANDA, Maria Denise Justo 3 Palavras Chave: IMC. PIBID. Saúde. Educação Física. Introdução

Leia mais

Compreender a obesidade infantil...

Compreender a obesidade infantil... Introdução Compreender a obesidade infantil... Você tem vindo a constatar, desde há algum tempo, que o seu filho se tem tornado mais roliço e, progressivamente, mais gordo. O médico de família, que já

Leia mais

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas Dieta Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares. Contudo, popularmente, o emprego da palavra

Leia mais

Hábitos Alimentares Saudáveis

Hábitos Alimentares Saudáveis ESCOLA PROMOTORA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS Msc. Patrícia Martins Fernandez Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo

Leia mais

AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes

AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes AULA 2 Fatores de Risco para Crianças e Adolescentes Sumário Ver Livro Didático: pág. 37 à 45 e 65 à 71. Lipídeos e Lipoproteínas Sanguíneas Quando pedir ao responsável a análise do perfil lipídico? Pais

Leia mais

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016.

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Cristiane Aparecida Rosa 1, Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2, Renata de

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE.

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE. EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE. RAMON WAGNER BARBOSA DE HOLANDA PABLO RUDÁ FERREIRA BARROS

Leia mais

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17 ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha São Paulo junho/17 Estudo VIGITEL 2016* do Ministério da Saúde aponta: brasileiros trocam alimentos naturais por industrializados

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

OBESIDADE INFANTIL NOS AÇORES

OBESIDADE INFANTIL NOS AÇORES OBESIDADE INFANTIL NOS AÇORES Exmo. Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, Senhoras e Senhores Deputados, Senhoras e Senhores Membros do Governo, Apresento-me novamente

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA.

ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA. CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE 2013/2014 1 ÍNDICE 1. Introdução. 3 2. Objetivos... 4 3. Rastreios realizados...

Leia mais

Como combater o excesso de peso?

Como combater o excesso de peso? Como combater o excesso de peso? Ideias dos alunos do Ensino Básico da Região Autónoma dos Açores nas PASE 2008 Rosalina Gabriel Ana Moura Arroz, Isabel Estrela Rego, António Félix Rodrigues, Isabel Cunha

Leia mais

CARTILHA PRÁTICA PARA O CONTROLE DA OBESIDADE

CARTILHA PRÁTICA PARA O CONTROLE DA OBESIDADE CARTILHA PRÁTICA PARA O CONTROLE DA OBESIDADE NÚCLEO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE O que é obesidade? A obesidade é uma doença crônica, complexa e multifatorial, resultante da interação de genes, ambiente, estilos

Leia mais

Como perder 7Kg em um mês. O Segredo Revelado 0

Como perder 7Kg em um mês. O Segredo Revelado 0 Como perder 7Kg em um mês O Segredo Revelado 0 Você quer saber como emagrecer 7Kg em um mês? Saiba que muitas pessoas no desespero de querer emagrecer de forma rápida, acabam seguindo dietas restritivas

Leia mais

A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1

A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1 A INFLUÊNCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GORDURA CORPORAL DOS PARTICIPANTES DO PIBEX INTERVALO ATIVO 1 CARDOSO, Eduardo Rangel 2 ; PANDA, Maria Denise de Justo 3 ; FIGUEIRÓ, Michele Ferraz

Leia mais

Prática Clínica Nutrição Esportiva

Prática Clínica Nutrição Esportiva Estratégias nutricionais para perda, manutenção e ganho de peso Profa. Raquel Simões Prática Clínica Nutrição Esportiva Manutenção do peso Saúde Desempenho esportivo Perda de peso (mais comum) Estética

Leia mais

Projeto PéAtivo: promoção da deslocação ativa, atividade lúdicomotora, saúde e bem-estar em crianças da Educação Pré-escolar

Projeto PéAtivo: promoção da deslocação ativa, atividade lúdicomotora, saúde e bem-estar em crianças da Educação Pré-escolar II Encontro de Boas Práticas Educativas Projeto PéAtivo: promoção da deslocação ativa, atividade lúdicomotora, saúde e bem-estar em crianças da Educação Pré-escolar Catarina Vasques 1 ; Élia Cordeiro 3

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

ABRANGÊNCIA METODOLOGIA

ABRANGÊNCIA METODOLOGIA PNS Pesquisa Nacional de Saúde 2013 Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas, Brasil, grandes regiões e unidades da federação Volume 1 ABRANGÊNCIA A Pesquisa Nacional de Saúde 2013

Leia mais

DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR

DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR DESEMPENHO MOTOR DE ADOLESCENTES OBESOS E NÃO OBESOS: O EFEITO DO EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR Juliana Ewelin dos Santos 1 ; Sérgio Roberto Adriano Prati 2 ; Marina Santin¹. RESUMO: Essa pesquisa quase experimental

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO

DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO DIAGNÓSTICO DA PREVALÊNCIA DA OBESIDADE INFANTIL NO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CORNÉLIO PROCÓPIO Eduardo Silva Pinheiro Neves (PIBIC-Jr/Fundação Araucária), Paulo César Paulino (Orientador),

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º CICLO 3.º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º CICLO 3.º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES 20/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º CICLO 3.º CICLO EDUCAÇÃO FÍSICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES DE MAGALHÃES DEPARTAMENTO DE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES 3. ÁREA Conhecimentos CAPACIDADES e CONHECIMENTOS

Leia mais

Podemos dizer que existe o bom e o mau carboidrato, assim como existe o bom e o mau colesterol? Tire as suas dúvidas lento este e-book.

Podemos dizer que existe o bom e o mau carboidrato, assim como existe o bom e o mau colesterol? Tire as suas dúvidas lento este e-book. e-book O BOM E O MAU CARBOIDRATO SAIBA QUE TIPO DE CARBOIDRATO VOCÊ DEVE COMER. Podemos dizer que existe o bom e o mau carboidrato, assim como existe o bom e o mau colesterol? Tire as suas dúvidas lento

Leia mais

9 de março de 2017 Dia Mundial do Rim Doença Renal e Obesidade - Estilo de Vida Saudável para Rins Saudáveis!. A BOA NOTÍCIA

9 de março de 2017 Dia Mundial do Rim Doença Renal e Obesidade - Estilo de Vida Saudável para Rins Saudáveis!. A BOA NOTÍCIA No dia 9 de março de 2017, o Dia Mundial do Rim (World Kidney Day - a campanha internacional de consciencialização sobre a importância dos nossos rins) será assinalado por milhões de pessoas em todo o

Leia mais

Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS

Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS Grande redução da desnutrição em crianças menores de 5 anos de idade nas últimas décadas: alcance antecipado de meta do

Leia mais

Quais os indicadores para diagnóstico nutricional?

Quais os indicadores para diagnóstico nutricional? Como fazer o diagnóstico nutricional? Profa. Raquel Simões Quais os indicadores para diagnóstico nutricional? Adequação da média e mediana (classificação de Gomez) Desvio-padrão (DP) ou escore Z: indica

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MARABÁ GABINETE DO VEREADOR GILSON FERREIRA DA SILVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MARABÁ GABINETE DO VEREADOR GILSON FERREIRA DA SILVA 1 Requerimento nº 006/2013 Autor: Vereador Gilson Ferreira da Silva Assunto: Solicitar a implantação de academias ao ar livre, em logradouros públicos compatível com o projeto nos bairros do Município

Leia mais

Prevalência de sobrepeso e/ou obesidade infantil na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ

Prevalência de sobrepeso e/ou obesidade infantil na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ Prevalência de sobrepeso e/ou obesidade infantil na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ Cleitor Gomes Mesquita Maria Fernanda Alves da Silva RodrigoMaciel Lima Palavras-chave: Obesidade. Hábitos alimentares.

Leia mais

O Regime de Fruta Escolar Desafios e Potencialidades para as Autarquias. Joana Russell Sampaio Município de Braga

O Regime de Fruta Escolar Desafios e Potencialidades para as Autarquias. Joana Russell Sampaio Município de Braga O Regime de Fruta Escolar Desafios e Potencialidades para as Autarquias. Joana Russell Sampaio Município de Braga Enquadramento do RFE Início no ano letivo de 2009/2010 Iniciativa de âmbito europeu que

Leia mais

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação Objetivos: Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição PNSN (1989) O objetivo central desta pesquisa foi apurar os indicadores da situação nutricional da população brasileira. Procurou-se observar quem eram

Leia mais

Visite:

Visite: Visite: http://mensagensdefenocelular.com.br/ Introdução: Um objetivo tão nobre como o de perder a gordura abdominal é antes de tudo, um passo importantíssimo para se conquistar mais saúde e qualidade

Leia mais

DIETOTERAPIA INFANTIL DOENÇAS CRÔNICAS NA INFÂNCIA OBESIDADE

DIETOTERAPIA INFANTIL DOENÇAS CRÔNICAS NA INFÂNCIA OBESIDADE DIETOTERAPIA INFANTIL DOENÇAS CRÔNICAS NA INFÂNCIA OBESIDADE Um dos principais problemas de saúde pública da atualidade, Doença nutricional que mais cresce no mundo e de mais difícil tratamento; Etiologia

Leia mais

O papel de uma estrutura municipal de nutrição

O papel de uma estrutura municipal de nutrição O Papel da Alimentação na Identidade e Competitividade das Regiões O papel de uma estrutura municipal de nutrição Bárbara Camarinha 27 e 28 de junho 2017 CENTRO CULTURAL VILA FLOR - GUIMARÃES O ponto de

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 246/XII. Recomenda ao Governo a adoção de medidas tendentes ao combate da obesidade infanto-juvenil em Portugal.

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 246/XII. Recomenda ao Governo a adoção de medidas tendentes ao combate da obesidade infanto-juvenil em Portugal. PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 246/XII Recomenda ao Governo a adoção de medidas tendentes ao combate da obesidade infanto-juvenil em Portugal. Exposição de motivos A Obesidade Infantil é actualmente considerada

Leia mais

Metas de Aprendizagem Educação Física

Metas de Aprendizagem Educação Física Metas de Aprendizagem Educação Física A definição das Metas de Aprendizagem na Área Curricular de Educação Física tem como base o Programa Nacional de Educação Física, o Currículo Nacional de Educação

Leia mais

Alimentação e Exercício Físico

Alimentação e Exercício Físico II Workshop Alimentação e Exercício Físico 12 de Dezembro de 2016 Nutricionista: Dra. Mariana Santos Costa Apresentação Dra. Mariana Santos Costa Licenciada em Ciências da Nutrição Mestrado em Exercício

Leia mais

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 195/XII

PROJETO DE LEI N.º 195/XII PROJETO DE LEI N.º 195/XII Procede à 13ª alteração ao Código da Publicidade, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 330/90, de 23 de Outubro, estabelecendo restrições à publicidade dirigida a menores de determinados

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes. Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE

Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes. Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE Agrupamento de Escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE 2015/2016 1 ÍNDICE 1. Introdução. 3 2. Objetivos... 4 3. Rastreios realizados...

Leia mais

Agrupamento de escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes. Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE

Agrupamento de escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes. Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE Agrupamento de escolas de Alhandra, Sobralinho e São João dos Montes Escola Básica 2, 3 Soeiro Pereira Gomes RASTREIOS DE SAÚDE 1 Í DICE 1. Introdução 3 2. Objectivos. 4 3. Rastreios realizados.... 4 4.

Leia mais

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015 Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar 29 de Abril 2015 Mariana Santos Departamento de Alimentação e Nutrição, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, I.P., Lisboa, Portugal

Leia mais

Alimentação saudável para o sobrevivente de câncer. Nutr. Maria Emilia de S. Fabre

Alimentação saudável para o sobrevivente de câncer. Nutr. Maria Emilia de S. Fabre Alimentação saudável para o sobrevivente de câncer Nutr. Maria Emilia de S. Fabre Novlene Williams-Mills Foi medalha de bronze nas Olimpíadas de 2012 após ter sido diagnosticada com câncer de mama Irá

Leia mais

Comer e mastigar bem devagar

Comer e mastigar bem devagar Às vezes com a nossa rotina aderir um plano de dieta e exercícios pode ser complicado, tanto quanto encontrar uma forma de perder peso sem dieta ou exercícios. Existem algumas maneiras eficazes de perder

Leia mais

Você está cansado(a) de tentar emagrecer? Saiba o que a ciência já sabe que pode ajudar!

Você está cansado(a) de tentar emagrecer? Saiba o que a ciência já sabe que pode ajudar! Você está cansado(a) de tentar emagrecer? Saiba o que a ciência já sabe que pode ajudar! ENDOCRINOLOGISTA CRM 110.130/SP 01 O básico para emagrecer funciona? Não só funciona, como é essencial! Coma a cada

Leia mais

VIGITEL Periodicidade: anual 2006 a 2011

VIGITEL Periodicidade: anual 2006 a 2011 VIGITEL 11 Sistema de Monitoramento de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas Não Transmissíveis por meio de Inquérito Telefônico Objetivos: Medir a prevalência de fatores de risco e proteção

Leia mais

DISCUSSÃO DOS DADOS CAPÍTULO V

DISCUSSÃO DOS DADOS CAPÍTULO V CAPÍTULO V DISCUSSÃO DOS DADOS Neste capítulo, são discutidos os resultados, através da análise dos dados obtidos e da comparação dos estudos científicos apresentados na revisão da literatura. No que respeita

Leia mais

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 06 Como se Nasce, Vive e Morre 090 06. Como se Nasce, Vive e Morre? Atlas do Plano Nacional de Saúde Como se Nasce, Vive e Morre? Considerações Gerais A Esperança de Vida

Leia mais

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES

PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES PREVENÇÃO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES Dra Fabrícia de Oliveira Assis Cantadori Cardiologista do HUJM Cuiabá, maio de 2015 UFMT PREVENÇÃO É procurar e utilizar métodos para prevenir doenças e/ou suas complicações,

Leia mais

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci Nutrição Aplicada à Educação Física Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci ARROZ 100 gramas CÁLCULO DE DIETA CH 25,1 PT 2,0 Lip 1,2 Consumo 300 gramas 100 gr

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE PEDROSA, Olakson Pinto. Professor do Curso de Educação Física da ULBRA * NETO, Wilson Nonato Rabelo. Graduado

Leia mais

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental 16 Estado nutricional das crianças de 7 a 10 anos de idade do Município de Vinhedo (SP) em 2005 e 2008, segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde (2007) Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda

Leia mais

mais obesos e comem cada vez menos fruta

mais obesos e comem cada vez menos fruta Jovens estão mais obesos e comem cada vez menos fruta Relatório da OMS mostra que entre 2002 e 2014 o país estagnou no combate à doença. Consumo de fruta é positivo, mas caiu muito nos últimos anos plo/11

Leia mais

e fique em forma! Por Dr. Lair Ribeiro

e fique em forma! Por Dr. Lair Ribeiro Estresse Cuide da Infantil saúde e fique em forma! Por Dr. Lair Ribeiro www.lairribeiro.com.br/ Sobre o autor Dr. Lair Ribeiro Pa lestra nte internaciona l, ex-diretor da Merck Sha rp & Dohm e e da Ciba

Leia mais

OBESIDADE E DISLIPIDEMIA NA INFANCIA E ADOLESCENCIA

OBESIDADE E DISLIPIDEMIA NA INFANCIA E ADOLESCENCIA I CONGRESSO MÉDICO DA CIDADE DE GUARULHOS OBESIDADE E DISLIPIDEMIA NA INFANCIA E ADOLESCENCIA Ana Margarida B. Moreira Pediatra e Endocrinologia Pediátrica. H.M.C.A Hospital Municipal da Criança e do Adolescente.

Leia mais

LIVRO DE ACOMPANHAMENTO PESSOAL

LIVRO DE ACOMPANHAMENTO PESSOAL Cliente Herbalife LIVRO DE ACOMPANHAMENTO PESSOAL Nome:... (Nome e apelido) O seu Treinador:... (Nome e apelido) Morada:... Cidade:... Tel:... Email:... Facebook:... BEM-VINDO À HERBALIFE A Herbalife é

Leia mais

Avaliação Nutricional

Avaliação Nutricional Avaliação Nutricional Prof a Renato Marques 5 o período de Enfermagem Importância e conceitos da Avaliação Nutricional ESTADO NUTRICIONAL Definição Condição de saúde de um indivíduo, influenciada pelo

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA

AUTOR(ES): LUIS FERNANDO ROCHA, ACKTISON WENZEL SOTANA, ANDRÉ LUIS GOMES, CAIO CÉSAR OLIVEIRA DE SOUZA, CLEBER CARLOS SILVA 16 TÍTULO: NÍVEL DE OBESIDADE ENTRE MÃES E FILHOS ESCOLARES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO AUTOR(ES):

Leia mais

Prevalência da Atividade Física em Portugal

Prevalência da Atividade Física em Portugal Prevalência da Atividade Física em Portugal Recomendações para a Atividade Física Crianças, adolescentes e jovens 60 min/dia de atividade física com intensidade moderada a vigorosa A atividade física deve

Leia mais

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO

GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO GRUPO COPPA: ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR NO CONTROLE DA OBESIDADE E PATOLOGIAS ASSOCIADAS BRIGITTE OLICHON LUMENA MOTTA REGINA BOSIO Introdução Obesidade Brasil EPIDEMIA 40% em sobrepeso 12,7% adultos obesos

Leia mais