Regimes Próprios de Previdência Social

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regimes Próprios de Previdência Social"

Transcrição

1 Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal Coordenação de Normatização Regimes Próprios de Previdência Social Consolidação da Legislação Federal Atualizada até 15 de fevereiro de 2016

2

3 SUMÁRIO Lista de Normas... 7 Capítulo Primeiro Reforma Constitucional da Previdência... 9 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (arts. 24, 30, 37, 38, 39, 40, 42, 142, 144, 149, 195, 201, 202 e 249 e arts. 19 e 100 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) Emenda Constitucional n o 20, de 15 dezembro de Emenda Constitucional n o 41, de 19 de dezembro de Emenda Constitucional n o 47, de 05 de julho de Emenda Constitucional n o 70, de 29 de março de Emenda Constitucional n o 88, de 07 de maio de Capítulo Segundo Previdência no Serviço Público Lei Geral da Previdência no Serviço Público: Lei n o 9.717, de 27 de novembro de Aplicação das Disposições da Emenda Constitucional n o 41, de 19 de dezembro de 2003: Medida Provisória n o 167, de 19 de fevereiro Lei n o , de 18 de junho de Disciplinamento da Aposentadoria Compulsória: Lei Complementar n o 152, de 3 de dezembro de Regulamentação da Lei Geral da Previdência no Serviço Público: Portaria MPS n o 402, de 10 de dezembro de Instituição do Certificado de Regularidade Previdenciária - CRP: Decreto n o 3.788, de 11 de abril de Implementação do Certificado de Regularidade Previdenciária - CRP: Portaria MPS n o 204, de 10 de julho de Instituição do Programa de Certificação Institucional e Modernização da Gestão dos RPPS - Pró-Gestão RPPS : Portaria MPS n o 185, de 14 de maio de Aplicações dos Recursos dos Regimes Próprios de Previdência Social: Resolução CMN n o 3.922, de 25 de novembro de Portaria MPS n o 519, de 24 de agosto de Plano de Contas e Procedimentos Contábeis para os Regimes Próprios de Previdência Social: Portaria MPS n o 509, de 12 de dezembro de Normas aplicáveis às avaliações e reavaliações atuariais dos Regimes Próprios de Previdência Social: Portaria MPS nº 403, de 10 de dezembro de Portaria MPS nº 746, de 27 de dezembro de Instruções e Orientações Normativas Referentes a Regime Próprio de Previdência Social: Instrução Normativa SPS/MPS nº 01, de 22 de julho de Instrução Normativa SPPS/MPS nº 02, de 13 de fevereiro de

4 Orientação Normativa SPS/MPS n o 01, de 06 de janeiro de Orientação Normativa SPS/MPS n o 02, de 31 de março de Orientação Normativa SPPS/MPS n o 01, de 30 de maio de Auditoria Fiscal dos Regimes Próprios de Previdência Social: Lei n o , de 16 de março de 2007 ( 3 o e 4 o do art. 11) Processo Administrativo Previdenciário - PAP: Portaria MPS n o 530, de 24 de novembro de Lei sobre a Aposentadoria do Policial: Lei Complementar n o 51, de 20 de dezembro de Lei da Previdência Complementar dos Servidores Públicos Federais: Le n o , de 30 de abril de Capítulo Terceiro Compensação Previdenciária Lei n o 9.796, de 5 de maio de Decreto n o 3.112, de 6 de julho de Portaria MPAS n o 6.209, de 16 de dezembro de Portaria Interministerial MPS/MF nº 410, de 29 de julho de Emissão de Certidão de Tempo de Contribuição pelos Regimes Próprios de Previdência Social: Portaria MPS n o 154, de 15 de maio de Capítulo Quarto Regime Geral de Previdência Social Normas referentes a servidores públicos Custeio do Regime Geral de Previdência Social: Lei n o 8.212, de 24 de julho de 1991 (art. 12, I, g, h, i, j, 6 o, e art. 13) Benefícios do Regime Geral de Previdência Social: Lei n o 8.213, de 24 de julho de 1991 (art. 10, art. 11, I, alíneas g, h, i, j, e 5 o, art. 12, art. 41-A, art. 94, art. 95 e art. 96) Regulamento da Previdência Social: Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999 (art. 6 o, I e II, art. 8 o, art. 9 o, I, alíneas f, g, i, j, l, m, n, p, q, art. 10, 2 o do art. 11, art. 40, arts. 125 a 135, art. 191 e 4 o do art. 229) Capítulo Quinto Responsabilidades Lei de Responsabilidade Fiscal: Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de Lei de Crimes contra as Finanças Públicas: Lei n o , de 19 de outubro de Lei de Crimes contra a Previdência: Lei n o 9.983, de 14 de julho de Lei de Crimes Tributários: Lei n o 8.137, de 27 de dezembro de 1990 (arts. 1 o, 2 o e 11) Lei n o 9.430, de 27 de dezembro de 1996 (art. 83) Lei n o , de 30 de maio de 2003 (art. 9 o )

5 Código Penal: Decreto-Lei n o 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (arts. 168-A, 299 e 337-A) Lei da Improbidade Administrativa: Lei n o 8.429, de 2 de junho de Crimes de Responsabilidade do Presidente da República, Ministros de Estado, Ministros do Supremo Tribunal Federal, Procurador-Geral da República, Governadores e Secretários dos Estados: Lei n o 1.079, de 10 de abril de Crimes de Responsabilidade dos Prefeitos e Vereadores: Decreto-Lei n o 201, de 27 de fevereiro de

6

7 LISTA DE NORMAS CONSTITUIÇÃO E EMENDAS CONSTITUCIONAIS: Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (arts. 24, 30, 37, 38, 39, 40, 42, 142, 144, 149, 195, 201, 202 e 249 e arts. 19 e 100 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias) Emenda Constitucional n o 20, de 15 dezembro de Emenda Constitucional n o 41, de 19 de dezembro de Emenda Constitucional n o 47, de 05 de julho de Emenda Constitucional n o 70, de 29 de março de Emenda Constitucional n o 88, de 07 de maio de LEIS COMPLEMENTARES: Lei Complementar n o 51, de 20 de dezembro de Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de Lei Complementar n o 152, de 3 de dezembro de DECRETOS-LEIS: Decreto-Lei n o 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (arts. 168-A, 299 e 337-A) Decreto-Lei n o 201, de 27 de fevereiro de LEIS ORDINÁRIAS: Lei n o 1.079, de 10 de abril de Lei n o 8.137, de 27 de dezembro de 1990 (arts. 1 o, 2 o e 11) Lei n o 8.212, de 24 de julho de 1991 (art. 12, I, g, h, i, j, 6 o, e art. 13) Lei n o 8.213, de 24 de julho de 1991 (art. 10, art. 11, I, alíneas g, h, i, j, e 5 o, art. 12, art. 41-A, art. 94, art. 95 e art. 96) Lei n o 8.429, de 2 de junho de Lei n o 9.430, de 27 de dezembro de 1996 (art. 83) Lei n o 9.717, de 27 de novembro de Lei n o 9.796, de 5 de maio de Lei n o 9.983, de 14 de julho de Lei n o , de 19 de outubro de Lei n o , de 30 de maio de 2003 (art. 9 o ) Lei n o , de 18 de junho de Lei n o , de 16 de março de 2007 ( 3 o e 4 o do art. 11) Le n o , de 30 de abril de MEDIDAS PROVISÓRIAS: Medida Provisória n o 167, de 19 de fevereiro

8 DECRETOS: Decreto n o 3.048, de 6 de maio de 1999 (art. 6 o, I e II, art. 8 o, art. 9 o, I, alíneas f, g, i, j, l, m, n, p, q, art. 10, 2 o do art. 11, art. 40, arts. 125 a 135, art. 191 e 4 o do art. 229) Decreto n o 3.112, de 6 de julho de Decreto n o 3.788, de 11 de abril de RESOLUÇÕES: Resolução CMN n o 3.922, de 25 de novembro de PORTARIAS: Portaria MPAS n o 6.209, de 16 de dezembro de Portaria MPS n o 154, de 15 de maio de Portaria MPS n o 204, de 10 de julho de Portaria MPS n o 402, de 10 de dezembro de Portaria MPS nº 403, de 10 de dezembro de Portaria Interministerial MPS/MF nº 410, de 29 de julho de Portaria MPS n o 519, de 24 de agosto de Portaria MPS nº 746, de 27 de dezembro de Portaria MPS nº 509, de 12 de dezembro de Portaria MPS nº 530, de 24 de novembro de Portaria MPS nº 185, de 14 de maio de INSTRUÇÕES NORMATIVAS: Instrução Normativa SPS/MPS nº 01, de 22 de julho de Instrução Normativa SPPS/MPS nº 02, de 17 de fevereiro de ORIENTAÇÕES NORMATIVAS: Orientação Normativa SPS/MPS n o 01, de 06 de janeiro de Orientação Normativa SPS/MPS n o 02, de 31 de março de Orientação Normativa SPPS/MPS n o 01, de 30 de maio de

9 CAPÍTULO PRIMEIRO REFORMA CONSTITUCIONAL DA PREVIDÊNCIA 9

10 10

11 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 (Publicada no D.O.U. de 05/10/1988)... TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO... Capítulo II DA UNIÃO... Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:... XII - previdência social, proteção e defesa da saúde;... 1 o No âmbito da legislação concorrente, a competência da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais. 2 o A competência da União para legislar sobre normas gerais não exclui a competência suplementar dos Estados. 3 o Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os Estados exercerão a competência legislativa plena, para atender a suas peculiaridades. 4 o A superveniência de lei federal sobre normas gerais suspende a eficácia da lei estadual, no que lhe for contrário.... Art. 30. Compete aos Municípios: I - legislar sobre assuntos de interesse local; II - suplementar a legislação federal e a estadual no que couber;... 11

12 Capítulo VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA... Seção I Disposições Gerais Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: Art. 37. A administração pública direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e, também, ao seguinte:... X - a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o 4 o do art. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: X - a revisão geral da remuneração dos servidores públicos, sem distinção de índices entre servidores públicos civis e militares, far-se-á sempre na mesma data; XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos Municípios, o subsídio do Prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos Procuradores e aos Defensores Públicos; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, 19/12/2003) Alteração: Original: XI - a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos Ministros do Supremo Tribunal Federal; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) XI - a lei fixará o limite máximo e a relação de valores entre a maior e a menor remuneração dos servidores públicos, observados, como limites máximos e no âmbito dos respectivos poderes, os valores percebidos como 12

13 remuneração, em espécie, a qualquer título, por membros do Congresso Nacional, Ministros de Estado e Ministros do Supremo Tribunal Federal e seus correspondentes nos Estados, no Distrito Federal e nos Territórios, e, nos Municípios, os valores percebidos como remuneração, em espécie, pelo Prefeito; XII - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo; XIII - é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: XIII - é vedada a vinculação ou equiparação de vencimentos, para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público, ressalvado o disposto no inciso anterior e no art. 39, 1 o ; XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não serão computados nem acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não serão computados nem acumulados, para fins de concessão de acréscimos ulteriores, sob o mesmo título ou idêntico fundamento; XV - o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis, ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. 39, 4 o, 150, II, 153, III, e 153, 2 o, I; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Alteração: XV - os vencimentos dos servidores públicos são irredutíveis, e a remuneração observará o que dispõem os arts. 37, XI e XII, 150, II, 153, III e 2 o, I; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, 05/02/1998) XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso XI: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários: a) a de dois cargos de professor; (Incluída pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico; (Incluída pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 34, de 13/12/2001) Alteração: c) a de dois cargos privativos de médico; (Incluída pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) XVII - a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias, e sociedades controladas, direta ou indiretamente, pelo poder público; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 13

14 Original: XVII - a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias, empresas públicas, sociedades de economia mista e fundações mantidas pelo Poder Público;... 9 o O disposto no inciso XI aplica-se às empresas públicas e às sociedades de economia mista, e suas subsidiárias, que receberem recursos da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 1998) 10. É vedada a percepção simultânea de proventos de aposentadoria decorrentes do art. 40 ou dos arts. 42 e 142 com a remuneração de cargo, emprego ou função pública, ressalvados os cargos acumuláveis na forma desta Constituição, os cargos eletivos e os cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 1998) 11. Não serão computadas, para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005)... Art. 38. Ao servidor público da administração direta, autárquica e fundacional, no exercício de mandato eletivo, aplicam-se as seguintes disposições: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: Art. 38. Ao servidor público em exercício de mandato eletivo aplicam- se as seguintes disposições: I - tratando-se de mandato eletivo federal, estadual ou distrital, ficará afastado de seu cargo, emprego ou função; II - investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo, emprego ou função, sendolhe facultado optar pela sua remuneração; III - investido no mandato de Vereador, havendo compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não havendo compatibilidade, será aplicada a norma do inciso anterior; IV - em qualquer caso que exija o afastamento para o exercício de mandato eletivo, seu tempo de serviço será contado para todos os efeitos legais, exceto para promoção por merecimento; V - para efeito de benefício previdenciário, no caso de afastamento, os valores serão determinados como se no exercício estivesse. 14

15 Seção II Dos Servidores Públicos (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998) Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas. (Vide decisão do STF na ADI n o 2.135) 1 Alteração: Original: Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal, integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas. 1 o A fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório observará: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) I - a natureza, o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) II - os requisitos para a investidura; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) III - as peculiaridades dos cargos. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: 1 o A lei assegurará, aos servidores da administração direta, isonomia de vencimentos para cargos de atribuições iguais ou assemelhados do mesmo Poder ou entre servidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, ressalvadas as vantagens de caráter individual e as relativas à natureza ou ao local de trabalho. 2 o A União, os Estados e o Distrito Federal manterão escolas de governo para a formação e o aperfeiçoamento dos servidores públicos, constituindo-se a participação nos cursos um dos requisitos para a promoção na carreira, facultada, para isso, a celebração de convênios ou contratos entre os entes federados. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Original: 2 o Aplica-se a esses servidores o disposto no art. 7 o, IV, VI, VII, VIII, IX, XII, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII, XXIII e XXX. 3 o Aplica-se aos servidores ocupantes de cargo público o disposto no art. 7 o, IV, VII, VIII, IX, XII, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXII e XXX, podendo a lei estabelecer requisitos diferenciados de admissão quando a natureza do cargo o exigir. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 4 o O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio 1 O Supremo Tribunal Federal, no julgamento em sede cautelar da ADI n o 2.135, em 02/08/2007, suspendeu a eficácia do caput do art. 39 da Constituição Federal, na redação dada pela Emenda Constitucional n o 19, de 1998, com efeitos ex-nunc, ressaltando a subsistência, até o julgamento definitivo da ação, da validade dos atos anteriormente praticados com base em legislações eventualmente editadas durante a vigência do dispositivo suspenso. 15

16 fixado em parcela única, vedado o acréscimo de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, X e XI. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 5 o Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios poderá estabelecer a relação entre a maior e a menor remuneração dos servidores públicos, obedecido, em qualquer caso, o disposto no art. 37, XI. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 6 o Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário publicarão anualmente os valores do subsídio e da remuneração dos cargos e empregos públicos. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 7 o Lei da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão, autarquia e fundação, para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e produtividade, treinamento e desenvolvimento, modernização, reaparelhamento e racionalização do serviço público, inclusive sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) 8 o A remuneração dos servidores públicos organizados em carreira poderá ser fixada nos termos do 4 o. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 19, de 04/06/1998) Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário, mediante contribuição do respectivo ente público, dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: Original: Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, é assegurado regime de previdência de caráter contributivo, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Art. 40. O servidor será aposentado: I - por invalidez permanente, sendo os proventos integrais quando decorrentes de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificadas em lei, e proporcionais nos demais casos; II - compulsoriamente, aos setenta anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de serviço; III - voluntariamente: a) aos trinta e cinco anos de serviço, se homem, e aos trinta, se mulher, com proventos integrais; b) aos trinta anos de efetivo exercício em funções de magistério, se professor, e vinte e cinco, se professora, com proventos integrais; c) aos trinta anos de serviço, se homem, e aos vinte e cinco, se mulher, com proventos proporcionais a esse tempo; d) aos sessenta e cinco anos de idade, se homem, e aos sessenta, se mulher, com proventos proporcionais ao tempo de serviço. 1 o Lei complementar poderá estabelecer exceções ao disposto no inciso III, "a" e "c", no caso de exercício de atividades consideradas penosas, insalubres ou perigosas. 2 o A lei disporá sobre a aposentadoria em cargos ou empregos temporários. 3 o O tempo de serviço público federal, estadual ou municipal será computado integralmente para os efeitos de aposentadoria e de 16

17 disponibilidade. 4 o Os proventos da aposentadoria serão revistos, na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, sendo também estendidos aos inativos quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos servidores em atividade, inclusive quando decorrentes da transformação ou reclassificação do cargo ou função em que se deu a aposentadoria, na forma da lei. 5 o O benefício da pensão por morte corresponderá à totalidade dos vencimentos ou proventos do servidor falecido, até o limite estabelecido em lei, observado o disposto no parágrafo anterior. 6 o As aposentadorias e pensões dos servidores públicos federais serão custeadas com recursos provenientes da União e das contribuições dos servidores, na forma da lei. (Parágrafo incluído pela Emenda Constitucional n o 3, de 17/03/1993) 1 o Os servidores abrangidos pelo regime de previdência de que trata este artigo serão aposentados, calculados os seus proventos a partir dos valores fixados na forma dos 3 o e 17: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) I - por invalidez permanente, sendo os proventos proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) II - compulsoriamente, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, aos 70 (setenta) anos de idade, ou aos 75 (setenta e cinco) anos de idade, na forma de lei complementar; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 88, de 07/05/2015) Alteração: II - compulsoriamente, aos setenta anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) III - voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público e cinco anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, observadas as seguintes condições: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) a) sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribuição, se homem, e cinqüenta e cinco anos de idade e trinta de contribuição, se mulher; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) b) sessenta e cinco anos de idade, se homem, e sessenta anos de idade, se mulher, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Alteração: 1 o Os servidores abrangidos pelo regime de previdência de que trata este artigo serão aposentados, calculados os seus proventos a partir dos valores fixados na forma do 3º: I - por invalidez permanente, sendo os proventos proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificadas em lei; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 2 o Os proventos de aposentadoria e as pensões, por ocasião de sua concessão, não poderão exceder a remuneração do respectivo servidor, no cargo efetivo em que se deu a 17

18 aposentadoria ou que serviu de referência para a concessão da pensão. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 3 o Para o cálculo dos proventos de aposentadoria, por ocasião da sua concessão, serão consideradas as remunerações utilizadas como base para as contribuições do servidor aos regimes de previdência de que tratam este artigo e o art. 201, na forma da lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) 18 Alteração: 3 o Os proventos de aposentadoria, por ocasião da sua concessão, serão calculados com base na remuneração do servidor no cargo efetivo em que se der a aposentadoria e, na forma da lei, corresponderão à totalidade da remuneração. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 4 o É vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos abrangidos pelo regime de que trata este artigo, ressalvados, nos termos definidos em leis complementares, os casos de servidores: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) I - portadores de deficiência; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) II - que exerçam atividades de risco; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) III - cujas atividades sejam exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) Alteração: 4 o É vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos abrangidos pelo regime de que trata este artigo, ressalvados os casos de atividades exercidas exclusivamente sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física, definidos em lei complementar. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 5 o Os requisitos de idade e de tempo de contribuição serão reduzidos em cinco anos, em relação ao disposto no 1 o, III, "a", para o professor que comprove exclusivamente tempo de efetivo exercício das funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 6 o Ressalvadas as aposentadorias decorrentes dos cargos acumuláveis na forma desta Constituição, é vedada a percepção de mais de uma aposentadoria à conta do regime de previdência previsto neste artigo. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Alteração: 6 o As aposentadorias e pensões dos servidores públicos federais serão custeadas com recursos provenientes da União e das contribuições dos servidores, na forma da lei. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 3, de 17/03/1993) 7 o Lei disporá sobre a concessão do benefício de pensão por morte, que será igual: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) I - ao valor da totalidade dos proventos do servidor falecido, até o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. 201, acrescido de setenta por cento da parcela excedente a este limite, caso aposentado à data do óbito; ou (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003)

19 II - ao valor da totalidade da remuneração do servidor no cargo efetivo em que se deu o falecimento, até o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. 201, acrescido de setenta por cento da parcela excedente a este limite, caso em atividade na data do óbito. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: 7 o Lei disporá sobre a concessão do benefício da pensão por morte, que será igual ao valor dos proventos do servidor falecido ou ao valor dos proventos a que teria direito o servidor em atividade na data de seu falecimento, observado o disposto no 3 o. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 8 o É assegurado o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes, em caráter permanente, o valor real, conforme critérios estabelecidos em lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: 8 o Observado o disposto no art. 37, XI, os proventos de aposentadoria e as pensões serão revistos na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, sendo também estendidos aos aposentados e aos pensionistas quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos servidores em atividade, inclusive quando decorrentes da transformação ou reclassificação do cargo ou função em que se deu a aposentadoria ou que serviu de referência para a concessão da pensão, na forma da lei. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 9 o O tempo de contribuição federal, estadual ou municipal será contado para efeito de aposentadoria e o tempo de serviço correspondente para efeito de disponibilidade. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 10. A lei não poderá estabelecer qualquer forma de contagem de tempo de contribuição fictício. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 11. Aplica-se o limite fixado no art. 37, XI, à soma total dos proventos de inatividade, inclusive quando decorrentes da acumulação de cargos ou empregos públicos, bem como de outras atividades sujeitas a contribuição para o regime geral de previdência social, e ao montante resultante da adição de proventos de inatividade com remuneração de cargo acumulável na forma desta Constituição, cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração, e de cargo eletivo. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 12. Além do disposto neste artigo, o regime de previdência dos servidores públicos titulares de cargo efetivo observará, no que couber, os requisitos e critérios fixados para o regime geral de previdência social. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 13. Ao servidor ocupante, exclusivamente, de cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração bem como de outro cargo temporário ou de emprego público, aplica-se o regime geral de previdência social. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 14. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, desde que instituam regime de previdência complementar para os seus respectivos servidores titulares de cargo efetivo, poderão fixar, para o valor das aposentadorias e pensões a serem concedidas pelo regime de que trata este artigo, o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 19

20 15. O regime de previdência complementar de que trata o 14 será instituído por lei de iniciativa do respectivo Poder Executivo, observado o disposto no art. 202 e seus parágrafos, no que couber, por intermédio de entidades fechadas de previdência complementar, de natureza pública, que oferecerão aos respectivos participantes planos de benefícios somente na modalidade de contribuição definida. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: 15. Observado o disposto no art. 202, lei complementar disporá sobre as normas gerais para a instituição de regime de previdência complementar pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, para atender aos seus respectivos servidores titulares de cargo efetivo. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 16. Somente mediante sua prévia e expressa opção, o disposto nos 14 e 15 poderá ser aplicado ao servidor que tiver ingressado no serviço público até a data da publicação do ato de instituição do correspondente regime de previdência complementar. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 17. Todos os valores de remuneração considerados para o cálculo do benefício previsto no 3 o serão devidamente atualizados, na forma da lei. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) 18. Incidirá contribuição sobre os proventos de aposentadorias e pensões concedidas pelo regime de que trata este artigo que superem o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. 201, com percentual igual ao estabelecido para os servidores titulares de cargos efetivos. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) 19. O servidor de que trata este artigo que tenha completado as exigências para aposentadoria voluntária estabelecidas no 1 o, III, a, e que opte por permanecer em atividade fará jus a um abono de permanência equivalente ao valor da sua contribuição previdenciária até completar as exigências para aposentadoria compulsória contidas no 1 o, II. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) 20. Fica vedada a existência de mais de um regime próprio de previdência social para os servidores titulares de cargos efetivos, e de mais de uma unidade gestora do respectivo regime em cada ente estatal, ressalvado o disposto no art. 142, 3 o, X. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) 21. A contribuição prevista no 18 deste artigo incidirá apenas sobre as parcelas de proventos de aposentadoria e de pensão que superem o dobro do limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. 201 desta Constituição, quando o beneficiário, na forma da lei, for portador de doença incapacitante. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) Seção III Dos Militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998) Art. 42. Os membros das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares, instituições organizadas com base na hierarquia e disciplina, são militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998)

21 Alteração: 10 Aplica-se aos servidores a que se refere este artigo, e a seus pensionistas, o disposto no art. 40, 4 o, 5 o e 6 o (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 3, de 17/03/1993) Original: Art. 42. São servidores militares federais os integrantes das Forças Armadas e servidores militares dos Estados, Territórios e Distrito Federal os integrantes de suas polícias militares e de seus corpos de bombeiros militares. 1 o As patentes, com prerrogativas, direitos e deveres a elas inerentes, são asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da reserva ou reformados das Forças Armadas, das polícias militares e dos corpos de bombeiros militares dos Estados, dos Territórios e do Distrito Federal, sendo-lhes privativos os títulos, postos e uniformes militares. 2 o As patentes dos oficiais das Forças Armadas são conferidas pelo Presidente da República, e as dos oficiais das polícias militares e corpos de bombeiros militares dos Estados, Territórios e Distrito Federal, pelos respectivos Governadores. 3 o O militar em atividade que aceitar cargo público civil permanente será transferido para a reserva. 4 o O militar da ativa que aceitar cargo, emprego ou função pública temporária, não eletiva, ainda que da administração indireta, ficará agregado ao respectivo quadro e somente poderá, enquanto permanecer nessa situação, ser promovido por antigüidade, contando-se-lhe o tempo de serviço apenas para aquela promoção e transferência para a reserva, sendo depois de dois anos de afastamento, contínuos ou não, transferido para a inatividade. 5 o Ao militar são proibidas a sindicalização e a greve. 6 o O militar, enquanto em efetivo serviço, não pode estar filiado a partidos políticos. 7 o O oficial das Forças Armadas só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele incompatível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em tempo de paz, ou de tribunal especial, em tempo de guerra. 8 o O oficial condenado na justiça comum ou militar a pena privativa de liberdade superior a dois anos, por sentença transitada em julgado, será submetido ao julgamento previsto no parágrafo anterior. 9 o A lei disporá sobre os limites de idade, a estabilidade e outras condições de transferência do servidor militar para a inatividade. 10 Aplica-se aos servidores a que se refere este artigo, e a seus pensionistas, o disposto no art. 40, 4 o e 5 o. 11 Aplica-se aos servidores a que se refere este artigo o disposto no art. 7 o, VIII, XII, XVII, XVIII e XIX. 1 o Aplicam-se aos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios, além do que vier a ser fixado em lei, as disposições do art. 14, 8 o ; do art. 40, 9 o ; e do art. 142, 2 o e 3 o, cabendo a lei estadual específica dispor sobre as matérias do art. 142, 3 o, inciso X, sendo as patentes dos oficiais conferidas pelos respectivos governadores. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Alteração: 1 o Aplicam-se aos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios, além do que vier a ser fixado em lei, as disposições do art. 14, 8 o ; do art. 40, 3 o ; e do art. 142, 2 o e 3 o, cabendo a lei estadual específica dispor sobre as matérias do art. 142, 3 o, inciso X, sendo as patentes dos oficiais conferidas pelos respectivos Governadores.(Redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998) 2 o Aos pensionistas dos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios aplica-se o que for fixado em lei específica do respectivo ente estatal. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: 2 o Aos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios e a seus 21

22 pensionistas, aplica-se o disposto no art. 40, 7 o e 8 o. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Alteração: 2 o Aos militares dos Estados, do Distrito Federal e dos Territórios e a seus pensionistas, aplica-se o disposto!no art. 40, 4 o e 5 o ; e aos militares do Distrito Federal e dos Territórios, o disposto no art. 40, 6 o.(redação dada pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998)... TÍTULO V DA DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS... Capítulo II DAS FORÇAS ARMADAS Art As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. 1 o Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização, no preparo e no emprego das Forças Armadas o Os membros das Forças Armadas são denominados militares, aplicando-se-lhes, além das que vierem a ser fixadas em lei, as seguintes disposições: (Incluído pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/021998)... VIII - aplica-se aos militares o disposto no art. 7 o, incisos VIII, XII, XVII, XVIII, XIX e XXV e no art. 37, incisos XI, XIII, XIV e XV, bem como, na forma da lei e com prevalência da atividade militar, no art. 37, inciso XVI, alínea c ; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 77, de 11/02/2014) Alteração: VIII - aplica-se aos militares o disposto no art. 7 o, incisos VIII, XII, XVII, XVIII, XIX e XXV e no art. 37, incisos XI, XIII, XIV e XV; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998) IX - REVOGADO pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003 Alteração: IX - aplica-se aos militares e a seus pensionistas o disposto no art. 40, 7 o e 8 o ; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Alteração: IX - aplica-se aos militares e a seus pensionistas o disposto no art. 40, 4 o,5 o e 6 o ; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998) X - a lei disporá sobre o ingresso nas Forças Armadas, os limites de idade, a estabilidade e outras condições de transferência do militar para a inatividade, os direitos, os deveres, a remuneração, as prerrogativas e outras situações especiais dos militares, consideradas 22

23 as peculiaridades de suas atividades, inclusive aquelas cumpridas por força de compromissos internacionais e de guerra. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 18, de 05/02/1998)... Capítulo III DA SEGURANÇA PÚBLICA Art A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos: I - polícia federal; II - polícia rodoviária federal; III - polícia ferroviária federal; IV - polícias civis; V - polícias militares e corpos de bombeiros militares o Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.... TÍTULO VI DA TRIBUTAÇÃO E DO ORÇAMENTO Capítulo I DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Seção I Dos Princípios Gerais... Art Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas, observado o disposto nos arts. 146, III, e 150, I e III, e sem prejuízo do previsto no art. 195, 6 o, relativamente às contribuições a que alude o dispositivo. 1 o Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão contribuição, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício destes, do regime previdenciário de que 23

24 trata o art. 40, cuja alíquota não será inferior à da contribuição dos servidores titulares de cargos efetivos da União. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 41, de 19/12/2003) Alteração: 1 o Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão instituir contribuição, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefício destes, de sistemas de previdência e assistência social. (Parágrafo Renumerado pela Emenda Constitucional n o 33, de 11/12/2001)... TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL... Capítulo II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção I Disposições Gerais... Art A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais: I - do empregador, da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei, incidentes sobre: (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) a) a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) b) a receita ou o faturamento; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) c) o lucro; (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Original: I - dos empregadores, incidente sobre a folha de salários, o faturamento e o lucro; II - do trabalhador e dos demais segurados da previdência social, não incidindo contribuição sobre aposentadoria e pensão concedidas pelo regime geral de previdência social de que trata o art. 201; (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Original: II - dos trabalhadores; III - sobre a receita de concursos de prognósticos. IV - do importador de bens ou serviços do exterior, ou de quem a lei a ele equiparar. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 42, de 19/12/2003) 24

25 1 o As receitas dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios destinadas à seguridade social constarão dos respectivos orçamentos, não integrando o orçamento da União. 2 o A proposta de orçamento da seguridade social será elaborada de forma integrada pelos órgãos responsáveis pela saúde, previdência social e assistência social, tendo em vista as metas e prioridades estabelecidas na lei de diretrizes orçamentárias, assegurada a cada área a gestão de seus recursos. 3 o A pessoa jurídica em débito com o sistema da seguridade social, como estabelecido em lei, não poderá contratar com o Poder Público nem dele receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. 4 o A lei poderá instituir outras fontes destinadas a garantir a manutenção ou expansão da seguridade social, obedecido o disposto no art. 154, I. 5 o Nenhum benefício ou serviço da seguridade social poderá ser criado, majorado ou estendido sem a correspondente fonte de custeio total. 6 o As contribuições sociais de que trata este artigo só poderão ser exigidas após decorridos noventa dias da data da publicação da lei que as houver instituído ou modificado, não se lhes aplicando o disposto no art. 150, III, "b". 7 o São isentas de contribuição para a seguridade social as entidades beneficentes de assistência social que atendam às exigências estabelecidas em lei. 8 o O produtor, o parceiro, o meeiro e o arrendatário rurais e o pescador artesanal, bem como os respectivos cônjuges, que exerçam suas atividades em regime de economia familiar, sem empregados permanentes, contribuirão para a seguridade social mediante a aplicação de uma alíquota sobre o resultado da comercialização da produção e farão jus aos benefícios nos termos da lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) Original: 8 o O produtor, o parceiro, o meeiro e o arrendatário rurais, o garimpeiro e o pescador artesanal, bem como os respectivos cônjuges, que exerçam suas atividades em regime de economia familiar, sem empregados permanentes, contribuirão para a seguridade social mediante a aplicação de uma alíquota sobre o resultado da comercialização da produção e farão jus aos benefícios nos termos da lei. 9 o As contribuições sociais previstas no inciso I do caput deste artigo poderão ter alíquotas ou bases de cálculo diferenciadas, em razão da atividade econômica, da utilização intensiva de mão-de-obra, do porte da empresa ou da condição estrutural do mercado de trabalho. (Redação dada pela Emenda Constitucional n o 47, de 05/07/2005) Alteração: 9 o As contribuições sociais previstas no inciso I deste artigo poderão ter alíquotas ou bases de cálculo diferenciadas, em razão da atividade econômica ou da utilização intensiva de mão-de-obra. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 10. A lei definirá os critérios de transferência de recursos para o sistema único de saúde e ações de assistência social da União para os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, e dos Estados para os Municípios, observada a respectiva contrapartida de recursos. (Incluído pela Emenda Constitucional n o 20, de 15/12/1998) 25

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PARECER Nº, DE 2003 Redação, para o segundo turno, da Proposta de Emenda à Constituição nº 67, de 2003 (nº 40, de 2003, na Câmara dos Deputados).

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO. Art. 1º A Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: Art

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO. Art. 1º A Constituição Federal passa a vigorar com as seguintes alterações: Art COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A APRECIAR E PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40-A, DE 2003, QUE "MODIFICA OS ARTS. 37, 40, 42, 48, 96, 142 E 149 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, O ART. 8º DA

Leia mais

REFORMA PREVIDENCIÁRIA Quadro Comparativo

REFORMA PREVIDENCIÁRIA Quadro Comparativo DIAP Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar www.diap.org.br REFORMA PREVIDENCIÁRIA Quadro Comparativo 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados,

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003.

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003. EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003. (Publicada no D.O.U. de 31/12/2003) Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3 o do art. 142

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal Coordenação

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal Coordenação

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Regimes Próprios de Previdência Social Consolidação da Legislação Federal Atualizada até 3 de julho de 2013 SUMÁRIO Lista

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Regimes Próprios de Previdência Social Consolidação da Legislação Federal Atualizada até 31 de julho de 2012 SUMÁRIO Lista

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Regimes Próprios de Previdência Social Consolidação da Legislação Federal Atualizada até 2 de maio de 2012 SUMÁRIO Capítulo

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da Constituição Federal e dispositivos

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE 2003 (Do Poder Executivo) Modifica os artigos 37, 40, 42, 48, 96, 142 e 149 da Constituição Federal, o artigo 8º da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 8 Brastra (4376 bytes) Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 As MESAS da CÂMARA DOS DEPUTADOS e do SENADO

Leia mais

Regimes Próprios de Previdência Social

Regimes Próprios de Previdência Social Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Regimes Próprios de Previdência Social Consolidação da Legislação Federal Atualizada até 28 de junho de 2010 SUMÁRIO Capítulo

Leia mais

II - compulsória, aos setenta anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição;

II - compulsória, aos setenta anos de idade, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição; PORTARIA MPAS N 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 DOU DE 17/12/98 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição que lhe conferem o art. 87, parágrafo único, inciso II, da

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 c Publicada no DOU 31-12-2003. Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da Constituição

Leia mais

REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE (D.O.U ) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U

REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE (D.O.U ) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE 28.08.2000 (D.O.U. 29.08.2000) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U. - 17.12.98) O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição

Leia mais

Nos termos do art. 194, da Constituição Federal:

Nos termos do art. 194, da Constituição Federal: NOTA TÉCNICA EM RELAÇÃO À CONSTITUCIONALIDADE DA METODOLOGIA UTILIZADA PELA ANFIP ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM SEU ESTUDO ANÁLISE DA SEGURIDADE SOCIAL 2015

Leia mais

Direito Administrativo Professor Rodrigo Motta

Direito Administrativo Professor Rodrigo Motta CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá

Leia mais

Aula nº. 87 APOSENTADORIA DO SERVIDOR. Na CF/88 é no art. 201 que encontramos a previdência social, regime de aposentadoria dos celetistas.

Aula nº. 87 APOSENTADORIA DO SERVIDOR. Na CF/88 é no art. 201 que encontramos a previdência social, regime de aposentadoria dos celetistas. Curso/Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO Aula: APOSENTADORIA DO SERVIDOR AULA 87 Professor(a): LUIZ JUNGSTEDT Monitor(a): PAULA CAROLINE OLIVEIRA Aula nº. 87 APOSENTADORIA DO SERVIDOR 1 APOSENTADORIA E

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999.

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999. SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999. Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990 Cargo, emprego, função Parte 2 Prof. Thamiris Felizardo -Concurso Público -O prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Dos Servidores Públicos (Art. 039 a 041) Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo DOS SERVIDORES PÚBLICOS (ART. 039 A 041) CONSTITUIÇÃO DA

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Das Forças Armadas Professor: André Vieira Direito Constitucional CAPÍTULO II DAS FORÇAS ARMADAS Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Das Forças Armadas Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional CAPÍTULO II DAS FORÇAS ARMADAS Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha,

Leia mais

Direito Previdenciário e Infortunístico

Direito Previdenciário e Infortunístico Direito Previdenciário e Infortunístico (o presente texto representa apenas anotações para exposição do autor sem validade para citação) 8º tema Previdência Social para os Servidores Públicos. Desde 1990,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Seguridade Social - Disposições Gerais Professor: André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

DISPOSIÇÕES GERAIS 37. A

DISPOSIÇÕES GERAIS 37. A DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade,

Leia mais

Aula nº. 28 GASTO COM A SEGURIDADE SOCIAL

Aula nº. 28 GASTO COM A SEGURIDADE SOCIAL Curso/Disciplina: Direito Financeiro Aula: Direito Financeiro - 28 Professor(a): Luiz Jungstedt Monitor(a): Bruna Paixão Aula nº. 28 GASTO COM A SEGURIDADE SOCIAL RGPS ADMINISTRADO PELO INSS ART. 201,

Leia mais

Previdência no Serviço Público:

Previdência no Serviço Público: Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Previdência no Serviço Público: Consolidação da Legislação Federal Coleção Previdência Social Volume 01 3ª edição atualizada

Leia mais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS I

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS I DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS I CF, art. 37, I Podem ocupar cargo, emprego e função pública Norma constitucional de eficácia contida I - Brasileiro Deve preencher os requisitos estabelecidos na lei Requisitos

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE DOU DE 16/12/98

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE DOU DE 16/12/98 EMENDA CONSTITUCIONAL N 20-98 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 - DOU DE 16/12/98 Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências.

Leia mais

Câmara dos Deputados Liderança da Minoria. Constituição Federal PEC nº 287/2016 Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações:

Câmara dos Deputados Liderança da Minoria. Constituição Federal PEC nº 287/2016 Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações: Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Altera os arts. 37, 40, 42, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece

Leia mais

(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade,

Leia mais

Edição Número 128 de 06/07/2005

Edição Número 128 de 06/07/2005 Atos do Congresso Nacional Edição Número 128 de 06/07/2005 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 47 Altera os arts. 37, 40, 195 e 201 da Constituição Federal, para dispor sobre a previdência social, e dá outras providências.

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Professor Cristiano de Souza www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO: DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DISPOSIÇÕES GERAIS) CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE

Leia mais

PEC 287/ REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

PEC 287/ REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PEC 287/2016 - REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL 29º SEMINÁRIO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA ABIPEM FLORIANÓPOLIS - SC - 08 DE MARÇO DE 2017 Regras

Leia mais

Previdência no Serviço Público:

Previdência no Serviço Público: Ministério da Previdência Social Secretaria de Políticas de Previdência Social Previdência no Serviço Público: Consolidação da Legislação Federal Coleção Previdência Social Volume 01 3ª edição atualizada

Leia mais

Da Administração Pública na CFRB/88 Art. 37 ao 41

Da Administração Pública na CFRB/88 Art. 37 ao 41 Direito Constitucional Da Administração Pública na CFRB/88 Art. 37 ao 41 Princípios Art. 37, caput: A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito

Leia mais

Princípios Constitucionais Versus Princípios da Administração Pública

Princípios Constitucionais Versus Princípios da Administração Pública ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990 Regime Previdenciário Parte 1 Prof. Thamiris Felizardo -RPPS -Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos Estados, do Distrito

Leia mais

LEI Nº , DE 18 DE JUNHO DE 2004 (DOU DE )

LEI Nº , DE 18 DE JUNHO DE 2004 (DOU DE ) LEI Nº 10.887, DE 18 DE JUNHO DE 2004 (DOU DE 21.06.2004) Dispõe sobre a aplicação de disposições da Emenda Constitucional no 41, de 19 de dezembro de 2003, altera dispositivos das Leis nos 9.717, de 27

Leia mais

Parte I Constituição da República Federativa do Brasil

Parte I Constituição da República Federativa do Brasil Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: I - plebiscito; II - referendo; III - iniciativa

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO PREVIDÊNCIA SOCIAL DO SERVIDOR PÚBLICO REFORMA E PERSPECTIVAS LEANDRO MACÊDO 1 REGIME PRÓPRIO: ABRANGÊNCIA DOS MEMBROS DA MAGISTRATURA Art. 40. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos

Leia mais

Acumulação de Cargos/Proventos. Cleuton Sanches

Acumulação de Cargos/Proventos. Cleuton Sanches Acumulação de Cargos/Proventos Cleuton Sanches Referências Constitucionais Art. 37. XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado

Leia mais

Data de Ingresso no Serviço Público

Data de Ingresso no Serviço Público Data de Ingresso no Serviço Público A data de ingresso no serviço público é variável que determina as regras de aposentadoria voluntária que podem ser elegíveis pelo servidor, considerando a sucessão das

Leia mais

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência Reforma da Previdência LEI Nº 10.887, DE 18 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a aplicação de disposições da Emenda Constitucional no 41, de 19 de dezembro de 2003, altera dispositivos das Leis nos 9.717, de

Leia mais

AGENTES PÚBLICOS (Continuação)

AGENTES PÚBLICOS (Continuação) Curso/Disciplina: Noções de Direito Administrativo / 2017 Aula: Agentes Públicos (Parte II) / Aula 10 Professor: Leandro Velloso Monitora: Kelly Silva Aula 10 AGENTES PÚBLICOS (Continuação) Na aula anterior

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo facebook.com/professoratatianamarcello facebook.com/tatiana.marcello.7 @tatianamarcello Conceitos Introdutórios Administração Direta Órgãos públicos da União, dos Estados, do Distrito

Leia mais

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência)

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Altera os arts. 37, 40, 109, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.887, DE 18 DE JUNHO DE 2004. Dispõe sobre a aplicação de disposições da Emenda Constitucional n o 41, de 19 de dezembro

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO. Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações: Art

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO. Art. 1º A Constituição passa a vigorar com as seguintes alterações: Art PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Altera os arts. 37, 40, 42, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece regras de transição e dá outras providências. Art.

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N.º 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998

EMENDA CONSTITUCIONAL N.º 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 Constituição Federal de 1988 EMENDA CONSTITUCIONAL N.º 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. AS MESAS DA CÂMARA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 of 6 4/9/2010 2:01 PM Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 Modifica o sistema de previdência social, estabelece

Leia mais

Subchefia de Assuntos Parlamentares

Subchefia de Assuntos Parlamentares Subchefia de Assuntos Parlamentares PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Altera os arts. 37, 40, 42, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece regras de transição

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, DE 15 DE DEZEMBRO DE 1998 Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal,

Leia mais

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência)

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 287, de 2016 (Reforma da Previdência) Altera os arts. 37, 40, 109, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece

Leia mais

Comparativo Reforma da Previdência

Comparativo Reforma da Previdência Comparativo Reforma da Previdência PEC 287/2016 Artigos da Constituição Federal de 88 alterados Redação Atual da CF/88 Alteração proposta pela PEC 287/2016 (Redação original) Alteração proposta pela PEC

Leia mais

TETO das REMUNERAÇÕES E SUBSÍDIOS REZA A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, EM SEU ARTIGO 37, INCISO XI:

TETO das REMUNERAÇÕES E SUBSÍDIOS REZA A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, EM SEU ARTIGO 37, INCISO XI: AGENTES PÚBLICOS 2.ª PARTE TETO das REMUNERAÇÕES E SUBSÍDIOS REZA A CONSTITUIÇÃO FEDERAL, EM SEU ARTIGO 37, INCISO XI: A REMUNERAÇÃO E OS SUBSÍDIOS DOS OCUPANTES DE CARGOS, FUNÇÕES E EMPREGOS PÚBLICOS

Leia mais

Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências.

Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20, de 15 de dezembro de 1998 c Publicado no DOU 16-12-1998. c EC nº 41, de 19-12-2003, modifica dispositivos da CF e desta Emenda. Modifica o sistema de previdência social, estabelece

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial LEX VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Orientador Empresarial LEX Alteração na Legislação Previdenciária Emenda Constitucional 41/2003 Aplicação LEI Nº 10.887, DE 18 DE JUNHO

Leia mais

Constituição do Estado de Santa Catarina

Constituição do Estado de Santa Catarina Direito Constitucional Constituição do Estado de Santa Catarina Dos Militares Estaduais Art. 31: São militares estaduais os integrantes dos quadros efetivos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar,

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA ASSESSORIA TÉCNICA LEI COMPLEMENTAR Nº 049, DE 21 DE JANEIRO DE 2005.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA ASSESSORIA TÉCNICA LEI COMPLEMENTAR Nº 049, DE 21 DE JANEIRO DE 2005. ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA ASSESSORIA TÉCNICA LEI COMPLEMENTAR Nº 049, DE 21 DE JANEIRO DE 2005. Altera a Lei Complementar nº 039, de 9 de janeiro de 2002, que institui o Regime de Previdência Estadual do

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar

Leia mais

Federal e dispositivos da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, e dá outras providências.

Federal e dispositivos da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, e dá outras providências. 40862 Sexta-feira 12 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Dezembro de 2003 O SR. PRESIDENTE (José Sarney) Encerrada a votação: Votaram SIM 27 Srs. Senadores; e NÃO, 48. Não houve abstenção. Total: 75 votos. As emendas

Leia mais

QUADRO DE INCONSTITUCIONALIDADES PEC 287/2016

QUADRO DE INCONSTITUCIONALIDADES PEC 287/2016 QUADRO DE INCONSTITUCIONALIDADES PEC 287/2016 PEC 287/2016 RPPS Aposentadoria por tempo de contribuição e por invalidez 2º Os proventos de aposentadoria não poderão ser inferiores ao limite mínimo ou superiores

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo facebook.com/professoratatianamarcello facebook.com/tatiana.marcello.7 @tatianamarcello Edital ESCRIVÃO INVESTIGADOR Constituição Federal: artigos 37, 39, 41 Dos princípios da Administração

Leia mais

Rioprevidência com Você SEAERJ. Coordenadoria de Aposentadoria

Rioprevidência com Você SEAERJ. Coordenadoria de Aposentadoria Rioprevidência com Você SEAERJ Coordenadoria de Aposentadoria Levar aos servidores do Estado do Rio de Janeiro a Educação Previdenciária, ampliando os conhecimentos dos seus direitos e deveres como servidor

Leia mais

Apresentação: Constitucionalização e transformações no Direito Administrativo XV.

Apresentação: Constitucionalização e transformações no Direito Administrativo XV. Apresentação: Constitucionalização e transformações no Direito Administrativo XV. seção i Das Disposições gerais 1 Art. 37, caput 2 Considerações gerais 2 Reforma Administrativa e Emenda Constitucional

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL. DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios SEGURIDADE SOCIAL. SEGURIDADE SOCIAL Princípios Constitucionais

SEGURIDADE SOCIAL. DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios SEGURIDADE SOCIAL. SEGURIDADE SOCIAL Princípios Constitucionais SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO AFRF - Exercícios Prof. Eduardo Tanaka SAÚDE SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL ASSISTÊNCIA SOCIAL 1 2 SEGURIDADE SOCIAL Conceituação: A seguridade social compreende

Leia mais

Direito Previdenciário para o TCE-PE Parte 2

Direito Previdenciário para o TCE-PE Parte 2 Direito Previdenciário para o TCE-PE Parte 2 Prof. Hugo Goes www.acasadoconcurseiro.com.br DECADÊNCIA E PRESCRIÇÃO (LEI Nº 8.213/91) REVISÃO DO ATO DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIO Lei nº 8.213/91 Art. 103.

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Prefeitura Municipal de Caxias do Sul

Estado do Rio Grande do Sul Prefeitura Municipal de Caxias do Sul LEI COMPLEMENTAR Nº 252, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2005. Altera dispositivos da Lei Complementar n 241, de 29 de junho de 2005, que dispõe sobre a organização da previdência social dos servidores públicos do

Leia mais

Emenda à Constituição EMENDA À CONSTITUIÇÃO

Emenda à Constituição EMENDA À CONSTITUIÇÃO Emenda à Constituição EMENDA À CONSTITUIÇÃO 57 2003 Altera os arts. 14, 25, 31, 39, 125 e 290 e revoga os 1 e 2 do art. 32 da Constituição do Estado e acrescenta os arts. 112 a 121 ao Ato das Disposições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 R EFO R M A D A P R EV ID ÊN C IA P EC 287 EC 20/98 fim da aposentadoria proporcional, criação do 85/95 para o servidor público EC 41/03 Aposentadoria por

Leia mais

Custeio da Seguridade Social

Custeio da Seguridade Social ENCONTRO 02 Custeio da Seguridade Social Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos

Leia mais

CONSTITUIÇÃO PEC Nº 287

CONSTITUIÇÃO PEC Nº 287 CONSTITUIÇÃO PEC Nº 287 Artigo 201 Art. 1º Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 2663, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006.

LEI COMPLEMENTAR Nº 2663, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. LEI COMPLEMENTAR Nº 2663, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Altera a Lei Municipal 2.330, de 19 de dezembro de 2002 que Dispõe sobre o Regime Próprio de Previdência Social do Município de Linhares ES, e dá outras

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei:

A CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte lei: 1/10 LEI Nº 10.817 de 28 de outubro de 2003. (Regulamentada pelo Decreto nº 1210/2003) "DISPÕE SOBRE A INCORPORAÇÃO DE VERBAS REMUNERATÓRIAS AOS PROVENTOS DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR PÚBLICO

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição.

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição. DEFINIÇÃO É um incentivo pago ao servidor que já preencheu todos os requisitos para se Aposentar, mas opta por permanecer na ativa. Deferido o abono, o servidor continua recolhendo a contribuição previdenciária,

Leia mais

Hoje finalizaremos Vacância de Cargo Público, estudando Aposentadoria e Acumulação de Cargo Público.

Hoje finalizaremos Vacância de Cargo Público, estudando Aposentadoria e Acumulação de Cargo Público. Turma e Ano: Flex B Matéria / Aula: Administrativo aula 6 Monitora: Luiza Jungstedt Professor: Luíz Oliveira Castro Jungstedt Hoje finalizaremos Vacância de Cargo Público, estudando Aposentadoria e Acumulação

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO - PEC 287

QUADRO COMPARATIVO - PEC 287 QUADRO COMPARATIVO - PEC 287 TEXTO ORIGINAL DA CF TEXTO ORIGINAL DA PEC TEXTO DO SUBSTITUTIVO REGRA PERMANENTE Art. 37 [...] 13. O servidor titular de cargo efetivo poderá ser readaptado ao exercício de

Leia mais

Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário

Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário Tropa de Elite Delegado Federal Direito Previdenciário Seguridade Social André Studart 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Conceito de Seguridade Social Art. 194.

Leia mais

LEI N o , DE 18 DE JUNHO DE 2004

LEI N o , DE 18 DE JUNHO DE 2004 LEI N o 10.887, DE 18 DE JUNHO DE 2004 (Conversão da Medida Provisória n o 167/2004) Atualizada até 28/05/2009 Dispõe sobre a aplicação de disposições da Emenda Constitucional n o 41, de 19 de dezembro

Leia mais

A Remuneração dos Auditores-Fiscais

A Remuneração dos Auditores-Fiscais A Remuneração dos Auditores-Fiscais Introdução A intenção deste estudo é de verificar a possibilidade de incremento de remuneração dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil, sem afetar o subsidio,

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Da Seguridade Social - Da Previdência Social Professor: André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção III DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Art. 201. A PREVIDÊNCIA

Leia mais

Agentes Públicos. Disposições Constitucionais. RAD Profa. Dra. Emanuele Seicenti de Brito

Agentes Públicos. Disposições Constitucionais. RAD Profa. Dra. Emanuele Seicenti de Brito Agentes Públicos Disposições Constitucionais RAD 2601 - Profa. Dra. Emanuele 1 Conceito Todos aqueles que exercem função pública, ainda que em caráter temporário ou sem remuneração. 2 Espécies de agente

Leia mais

ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO Nome do Cargo: Nome do Candidato: Naturalidade: Estado: Data de nascimento: / / CPF: Sexo: Masc [ ] Fem. [ ] Escolaridade: Identidade: Órgão Emissor: UF: Emissão: / / Portador

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS PROJETO DE EMENDA À LEI ORGÂNICA MUNICIPAL Nº 1, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2013. Altera dispositivos da Lei Orgânica Municipal de Canoas. Art. 1 o Altera o art. 76 da Lei Orgânica Municipal de Canoas que passa

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo facebook.com/professoratatianamarcello facebook.com/tatianamarcello @tatianamarcello Direito Administrativo/Constitucional Da Administração Pública Teto remuneratório Agentes públicos

Leia mais

O país vem passando por um processo acelerado de envelhecimento populacional, em função da queda da taxa de fecundidade e do aumento da expectativa

O país vem passando por um processo acelerado de envelhecimento populacional, em função da queda da taxa de fecundidade e do aumento da expectativa O país vem passando por um processo acelerado de envelhecimento populacional, em função da queda da taxa de fecundidade e do aumento da expectativa de sobrevida que ocorreu, principalmente, por conta das

Leia mais

Seguridade do Servidor Federal Lei 8112/1990

Seguridade do Servidor Federal Lei 8112/1990 Seguridade do Servidor Federal Lei 8112/1990 - Lei 8122/1990, arts. 183 a 230 Professora Claudete Pessôa SEGURIDADE SOCIAL DO SERVIDOR A União manterá Plano de Seguridade Social para o servidor e sua família

Leia mais

REFORMA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

REFORMA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA REFORMA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA Análise do texto publicado na imprensa em 04/02/2019 Rogério Viola Coelho Guilherme Pacheco Monteiro DESCONSTITUCIONALIZAÇÃO A proposta delega à lei complementar

Leia mais

Aula nº. 90 ACUMULAÇÃO DE CARGOS E REMUNERAÇÃO DO SERVIDOR

Aula nº. 90 ACUMULAÇÃO DE CARGOS E REMUNERAÇÃO DO SERVIDOR Curso/Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO Aula: ACUMULAÇÃO DE CARGOS E REMUNERAÇÃO DO SERVIDOR AULA 90 Professor(a): LUIZ JUNGSTEDT Monitor(a): PAULA CAROLINE OLIVEIRA Aula nº. 90 ACUMULAÇÃO DE CARGOS E

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: Art

A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: Art 1 GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 8347, DE 01 DE DEZEMBRO DE 2005. Altera a Lei nº 8.095/02, com as adequações à Emenda Constitucional nº 41, de 31 de dezembro de 2003 e à Emenda Constitucional n 47, de 05

Leia mais

Aula Previdência Social: O Sistema Previdenciário brasileiro é dividido em 2 grandes ramos: Previdência Pública e Privada.

Aula Previdência Social: O Sistema Previdenciário brasileiro é dividido em 2 grandes ramos: Previdência Pública e Privada. Página1 Curso/Disciplina: Ordem Social, Econômica e Financeira. Aula: 02 Professor (a): Marcelo Tavares Monitor (a): Fabiana Pimenta Aula 02 1.3 Previdência Social: O Sistema Previdenciário brasileiro

Leia mais

Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências.

Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. EMENDA CONSTITUCIONAL N o 20, de 15 de dezembro de 1998 Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. c Publicada no DOU de 16-12-1998. c EC nº 41,

Leia mais

Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência

Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social Emenda Constitucional nº 41 e o impacto nos Regimes Próprios de Previdência FORTALEZA/CE,, ABRIL DE 2004 MUDANÇA DA BASE DE CÁLCULO

Leia mais