Fls.: 3 / 6. Avenida Augusto Chermont Abaetetuba - PA. Cliente: D A T A : 09/05/2013. Relatório nº : 082 / 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fls.: 3 / 6. Avenida Augusto Chermont Abaetetuba - PA. Cliente: D A T A : 09/05/2013. Relatório nº : 082 / 2013"

Transcrição

1 Iníci: 0/0/ d /0/ N de Glpes / 0 SP 0 D Nível d água Inicial: 0,0m Final: 0,m /0/ / Relatóri nº : 0 / Intern :. mm Pes kg extern : 0. mm Altura de queda : cm Revestiment :. mm Simblgidtada: Nº-SPT Nul Nº-SPT 0 cm inicias Argila silt arensa cm pedregulh,0,0 0 N.A (final) = 0,m Mle* Argila silt arensa /0 /0 0 Argila silt arensa de cr cinza clar,0, /0 /0,0 /0 /0 /0 /0 /0 /0 Argila silt arensa cm pedregulh /0 /0 Areia média siltsa,0 /0 /0 /0 /0 /0 /0 /0, /0 /0 Argila silt arensa cm pedregulh,0 /0 LIMITE DA SONDAGEM =,0m CREA - D - M.Sc. Getecnia N.A. (final) = 0,m

2 Iníci: 0/0/ d 0/0/ N de Glpes / 0 SP D Nível d água Inicial: 0,0m Final: 0,00m /0/ / Relatóri nº : 0 / Intern :. mm Pes kg extern : 0. mm Altura de queda : cm Revestiment :. mm Simblgidtada: Nº-SPT Nul Nº-SPT 0 cm inicias Areia média cm pedregulh,0, /0 /0 /0 /0 0 N.A (final) = 0,00m Puc** cmpacta Areia fina siltsa cm pedregulh /0 /0 Argila silt arensa de cr cinza clar,0 /0 /0, /0 /0,,0 /0 /0 /0 /0 Areia fina de cr vermelha,0 /0 /0 /0 /0 Areia fina siltsa /0 /0 Areia fina siltsa de cr amarel /0 /0, /0 /0 /0 /0 /0 /0 /0, /0 /0 Argila silt / LIMITE DA SONDAGEM =,m CREA - D - M.Sc. Getecnia N.A. (final) = 0,00m

3 Iníci: 0/0/ d 0/0/ N de Glpes / 0 SP 0 D Nível d água Inicial: 0,00m Final: 0,00m /0/ / Relatóri nº : 0 / Intern :. mm Pes kg extern : 0. mm Altura de queda : cm Revestiment :. mm Simblgidtada: Nº-SPT Nul Nº-SPT 0 cm inicias Argila silt arensa de cr cinza clar,0 0 N.A (final) = 0,00m Argila rgânica,0, 0/0 * cmpacta Areia média cm pedregulh Argila silt arensa, /0 /0 /0 /0 0 Puc** cmpacta Areia fina siltsa,0 /0 /0 /0 /0,0 /0 /0 /0 Argila silt arensa cm pedregulh /0 LIMITE DA SONDAGEM =,0m Obs: Lâmina D água: Maré Cheia:,0 Maré Seca: 0,00 CREA - D - M.Sc. Getecnia N.A. (final) = 0,00m

4 Iníci: 0/0/ d 0/0/ N de Glpes / 0 SP 0 D Nível d água Inicial: 0,00m Final: 0,00m /0/ / Relatóri nº : 0 / Intern :. mm Pes kg extern : 0. mm Altura de queda : cm Revestiment :. mm Simblgidtada: Nº-SPT Nul Nº-SPT 0 cm inicias Ffa** Areia fina siltsa cm pedregulh /0 0 N.A (final) = 0,00m,0 Argila rgânica,0, /0 /0 /0 0 * cmpacta Areia média cm pedregulh /0 /0 /0 /0 0 Argila silt arensa de cr cinza clar,0,0 /0 /0 /0 /0 /0 /0 Areia fina siltsa,0, 0/0 /0 /0 /0 /0 /0 Areia grssa de cr cinza clar / LIMITE DA SONDAGEM =,m Obs: Lâmina D água: Maré Cheia:,0 Maré Seca: 0,00 CREA - D - M.Sc. Getecnia N.A. (final) = 0,00m

5 /0/ CROQUIS DE LOCALIZAÇÃO DOS FUROS DE SONDAGEM / AUTO POSTO MILENA AMARAL II TRAPICHE ORLA SP - 0,m,00m AVENIDA AUGUSTO CHERMONT FEIRA FEIRA FEIRA AVENIDA DOM PEDRO II s/escala CREA - D - M.Sc. Getecnia

6 /0/ CROQUIS DE LOCALIZAÇÃO DOS FUROS DE SONDAGEM / MERCADO MISTO MERCADO DO PEIXE ORLA SP - 0,0m,00m TRAPICHE BALSA AUTO POSTO MILENA SP -,00m,0m TRAPICHE ORLA,0m,00m SP - 0 AVENIDA AUGUSTO CHERMONT RUA MAJOR FREDERICO s/escala CREA - D - M.Sc. Getecnia

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA

SONDAGEM A TRADO INICIO PERFIL INDIVIDUAL INTERCEPTOR DE ESGOTO Córrego Brejo Alegre - Araguari / MG TECMINAS ENGENHARIA FN. (017) 334-334 - CEP. 02-080 CLIENTE 0,39 /08/2014 TÉRMINO /08/2014 ATERRO DE AREIA FINA, ARGILOSA, MARROM ACINZENTADA. 903,090 ST.01 AREIA FINA, MUITO ARGILOSA, AMARELA ACINZENTADA. 2,63 cinza ARGILA

Leia mais

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO

Porto Alegre, 10 de agosto de 2010 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO Porto Alegre, de agosto de 0 À TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA ª REGIÃO Ref. OBRA OS0/ RUA DE JULHO, S/N - SANT O ÂNGELO/RS Ass.: Relatório de Sondagem Prezados Senhores: Vimos através desta apresentar-lhes

Leia mais

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS

Associado à. Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS Associado à Associação Brasileira de Mecânica do Solos 38 ANOS 38 ANOS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA PONTE PARAUAPEBAS - PARÁ DATA Outubro de 2011 Belém, 11 de outubro de 2011 Referência: Ponte em Parauapebas,

Leia mais

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO

AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES E OBRAS RELATÓRIO DE SONDAGEM A PERCUSSÃO Av. JC-15, com R.BF-25 e BF-23, Jd. Curitiba Cidade: Goiânia GO Goiânia, 11 de outubro de 2011. AGETOP AGÊNCIA GOIANA DE TRANSPORTES

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM

RELATÓRIO DE SONDAGEM Vitória, 19 de junho de 201 RELATÓRIO DE SONDAGEM CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE KENNEDY OBRA/LOCAL: SANTA LUCIA - PRESIDENTE KENNEDY CONTRATO: ETFC.0..1.00 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...02 PERFIL

Leia mais

ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353

ANEXO 1. DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353 ANEXO 1 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA DOS LOCAIS DE SONDAGEM A TRADO km 353 Foto 1 Vista do local de execução da sondagem a trado ST-01 (km353). Foto 2- Vista dos tipos de materiais ocorrentes no local da sondagem

Leia mais

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2"

NA INICIAL:0,00 15:30Hrs 22/06/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 24/06/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO 2 SONDAGEM SP Nº 07 NA INICIAL:0,00 :30Hrs /0/09 COTA(m) RN: (m) FINAL:0,00 09:00Hrs 4/0/09 AMOSTRADOR - Ø EXTERNO " DATA:/0/09 Nº DE GOLPES 30cm INICIAIS --------------- REVESTIMENTO - Ø 1/" 0 1 0 0 3 0

Leia mais

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM

CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 009/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.01.0065/2014 ANEXO V LAUDO DE SONDAGEM CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 00/0 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.0.0.00/0 ANEXO V LAUDO DE INTRODUÇÃO Neste documento estão relacionados os resultados obtidos na execução de Sondagem à Percussão tipo T em

Leia mais

Boletim de campo para sondagem/ poço de monitoramento

Boletim de campo para sondagem/ poço de monitoramento Sigla SP1 Data de início 21/12/2009 Data de término 21/12/2009 UTM - N (m) 7.382.650 Diâmetro da perfuração 4 UTM - E (m) 327.753 Diâmetro da Instalação - Altitude do terreno (m) Prof. total do poço (m)

Leia mais

BASENG Engenharia e Construção LTDA

BASENG Engenharia e Construção LTDA RELATÓRIO DE INVESTIGAÇÃO GEOLÓGICO- GEOTÉCNICA: SONDAGEM A PERCUSSÃO LT2 ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO CONTRUÇÃO DE UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO HOSPITAL E MATERNIDADE Praia de Boiçucanga São Sebatião / SP

Leia mais

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL)

ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) ANEXO 4 SONDAGEM (ORIGINAL) 1. RELATÓRIO DE SONDAGEM 1.1 Objetivos O presente relatório tem por objetivo descrever os critérios e procedimentos adotados na execução dos serviços de sondagem geotécnica

Leia mais

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela)

Prof. (m) Areia fina siltosa marrom. Areia fina marrom. Areia siltosa com pedregulhos variegada (amarela) Areia fina variegada (amarela) Cliente: Sondagem: RS 1735 SP-01 Obra: Campus Experimental Folha: 01/03 Local: Jazida Mineração Veiga Cota do Furo: +0.27 m Município: Araquari SC Na: -2.55 m 01 siltosa marrom 08 02 marrom 09 03 marrom

Leia mais

RELATORIO DE SONDAGEM ROTATIVA MISTA RELATORIO DE POÇO DE INSPEÇÃO RELATORIO FINAL DE ENSAIOS GEOTÉCNICOS

RELATORIO DE SONDAGEM ROTATIVA MISTA RELATORIO DE POÇO DE INSPEÇÃO RELATORIO FINAL DE ENSAIOS GEOTÉCNICOS PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE SMURBE SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS URBANAS A/C GERENTE DO CONTRATO SMURBE 097/2009 ENG.º LUIZ CARLOS MACHADO ROSA CONTRATO SMURBE 097/09 ORDEM DE SERVIÇO 21/09

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT RODOVIA : BR-304/CE TRECHO : ENTR. BR-116 (BOQUEIRÃO DO CESÁRIO) DIVISA CE/RN SUBTRECHO

Leia mais

Servimo-nos da presente para apresentar-lhes os resultados da Prospecção geotécnica do subsolo realizada para a obra em foco.

Servimo-nos da presente para apresentar-lhes os resultados da Prospecção geotécnica do subsolo realizada para a obra em foco. Goiânia (Go), 15 de julho de 211 Relatório de Prospecção Geotécnica do Subsolo N. 64/211 Cliente: TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO Obra: EDIFICAÇÃO COMERCIAL Local: Rua Japão c/ Rua Fortaleza,

Leia mais

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC)

PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PROJETO BÁSICO COM DETALHAMENTO CONSTRUTIVO DOS MOLHES DE FIXAÇÃO DA BARRA DO RIO ARARANGUÁ, MUNICÍPIO DE ARARANGUÁ (SC) PRODUTO III INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO POR SPT

Leia mais

SONDAGEM À PERCUSSÃO DATA: 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35

SONDAGEM À PERCUSSÃO DATA: 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35 SONDAGEM TMU 2 : 15/04/2010 HORA: 07:36 / 23:41 COTA : 2,23 COORDENADAS: N: 748137.82 E: 982 8295.35 SP-01 0.00 Obs: Extremidade do revestimento ao N.A 1,50 COTA: 2.48 COTA: 2,23 N.A MAX. Lámina D'agua

Leia mais

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA.

À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. RELATÓRIO N 002/2013 À INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL - DEPARTAMENTO DA PARAIBA. Largo São Frei Pedro Gonçalves, n 02, Varadouro - João Pessoa/PB. SONDAGEM SPT SONDAGEM DE SIMPLES RECONHECIMENTO COM

Leia mais

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação

Professor Douglas Constancio. 1 Elementos especiais de fundação. 2 Escolha do tipo de fundação Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação 2 Escolha do tipo de fundação Americana, junho de 2005 0 Professor Douglas Constancio 1 Elementos especiais de fundação Americana, junho de

Leia mais

SONDAGEM À PERCUSSÃO SPT-T (Standard Penetration Test with Torsion)

SONDAGEM À PERCUSSÃO SPT-T (Standard Penetration Test with Torsion) T E C I C O - Sndagem de Sls S/S Ltda. R. Taquari, Fne (**) - - CEP 5- - Lndrina PR E-mail: tecnicnsndagem@sercmtel.cm.br SODAGEM À PERCUSSÃO -T (Standard Penetratin Test with Trsin) RELATÓRIO SS - FIAL

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA DO RIO GRANDE DO SUL RUA VISCONDE DE PELOTAS, 227 CAXIAS DO SUL/RS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA DO RIO GRANDE DO SUL RUA VISCONDE DE PELOTAS, 227 CAXIAS DO SUL/RS RELATÓRIO DE SONDAGEM E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA DO RIO GRANDE DO SUL RUA VISCONDE DE PELOTAS, CAXIAS DO SUL/RS Responsáveis técnicos Eng. Norton Quites Eng. Civil - Crea-RS

Leia mais

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações

Faculdade de Engenharia Departamento de Estruturas e Fundações 1. MÉTODOS DIRETOS Os métodos diretos englobam todas as investigações que possibilitam a visualização do perfil e retirada de amostra. Os procedimentos de investigação são bem definidos nas normas ABNT

Leia mais

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul

BR-290/BR-116/RS Ponte sobre o Rio Guaíba Pista Dupla com 3 Faixas Porto Alegre, Eldorado do Sul CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS MOLES DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE E SUAS MELHORIAS COM ADIÇÃO DE CAL V WORKSHOP DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NAS CONCESSÕES Apresentação Lélio A. T. Brito, MSc., CONCEPA

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE ÁGUA & MINÉRIO SONDAGENS DE SOLO LTDA SONDAGENS DE SIMPLES RECONHECIMENTO - SPT NBR 6484 e NBR 8036 da ABNT INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS IBIRAMA Rua Getúlio Vargas, 3006 Bela Vista Furos F-1 a

Leia mais

EXERCÍCIOS DOSAGEM DE CONCRETO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I

EXERCÍCIOS DOSAGEM DE CONCRETO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I EXERCÍCIOS DOSAGEM DE CONCRETO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I 1º Exercício: Seja o traço de concreto 1 : 4 : 6 : 0,6 em massa: a. Calcular o traço misto para cada saco de cimento. b. Calcular as quantidades

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT

RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT FL. 201 MASTERSOLO Engenharia Ltda RELATÓRIO DE SONDAGEM - SPT CLIENTE: OBRA.- ENDEREÇO: RUA TAMANDARÉ, ESQ. AV JOSÉ FERREIRA DE SANTANA QD-323-B.LT-6- RESIDENCIAL GOBATO CIDADE: GOIATUBA - GO MASTERSOLO

Leia mais

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO

RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO RELATÓRIO SONDAGENS A PERCUSSÃO NBR /00 INSTITUTO FEDERAL DE EDUÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TARINENSE Áreas de Estudo: terreno onde será implantado o Campus de Brusque DGEO GEOLOGIA E ENGENHARIA AMBIENTAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil

MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil MEMORIAL DESCRITIVO Rio Branco, Acre Brasil ÍNDICE DO MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O PROJETO 2. CONSTRUÇÃO 3. INSTALAÇÕES 4. COBERTURA 5. DISPOSIÇÕES FINAIS 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE

Leia mais

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O

INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS PARA O PROJETO DE FUNDAÇÕES O SOLO, NUM PROBLEMA DE FUNDAÇÕES DEVE SER ACEITO TAL COMO SE APRESENTA Para um projeto de fundações bem elaborado, deve-se conhecer: -os tipos de

Leia mais

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança?

Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Por que é importante um relatório técnico das condições da vizinhança? Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Execução de edificações Serviços preliminares Elementos de prospecção geotécnica

Leia mais

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS

PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE ROCHAS - ESPECIFICAÇÕES GERAIS PRESCRIÇÕES PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE SONDAGEM MISTA E PROJETO DE DESMONTE DE - ESPECIFICAÇÕES GERAIS Revisão n.º 1 2 3 4 5 7 Data 18/03/11 Responsável Heber 1/14 INDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ELEMENTOS

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO

RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO Belo Horizonte, de março de 07. RL 06 RELATÓRIO TÉCNICO: SONDAGEM À PERCUSSÃO (Segundo as Normas Brasileiras NBR 68 e NBR 750) Responsável Técnico: Engenheiro Rogério Avelar Marinho Fillho (CREA:08.86/D)

Leia mais

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010)

Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Tópicos Especiais de Engenharia Civil ALBUQUERQUE SOBRINHO, E. J. (2010) Introdução Investigações diretas e indiretas Qual sua importância e aplicação? Quais as técnicas empregadas nas investigações diretas

Leia mais

SONDAGEM SP.01 888,371

SONDAGEM SP.01 888,371 E= 0..0, N= 0. * PROJESOFT (0)-0 0 0 0 0 0 0 0 /0/ /0/,0,0,0,,0 ATERRO ARGILOSO COLORAÇÃO VERMELHA E CINZA ARGILA ARENOSA COLORAÇÃO MARROM E CINZA / /,,m = IMPENETRÁVEL AO AMOSTRADOR -,m = IMPENETRÁVEL

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF ENGENHARIA DE SOLOS E INFRA-ESTRUTURA LTDA FUNDAÇÕES SONDAGENS CONSULTORIA TECNICA REFORÇO DE ESTRUTURAS Ref.: Setor de Autarquias Norte Quadra 04 Bloco B - BRASÍLIA-DF DS: Prezados Senhores, Estamos apresentando

Leia mais

Laboratório de Geotecnia. Ensaios Laboratoriais de Caracterização do Agregado Leve LECA

Laboratório de Geotecnia. Ensaios Laboratoriais de Caracterização do Agregado Leve LECA Laboratório de Geotecnia Ensaios Laboratoriais de Caracterização do Agregado Leve LECA Relatório LABGEO - 22 Ensaios Laboratoriais de Caracterização do Agregado Leve LECA Relatório LABGEO - Out/22 Ensaios

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Termo de Referência para Elaboração do Plano Avenida Nascimento de Castro, 2127 Lagoa Nova Natal RN

Leia mais

MINI CURSO BÁSICO DE ORÇAMENTO DE OBRAS

MINI CURSO BÁSICO DE ORÇAMENTO DE OBRAS MINI CURSO BÁSICO DE ORÇAMENTO DE OBRAS Prof. MSc. Salomão Peres Elgrably Email: salomao_elgrably@terra.com.br Endereço: Avenida Conselheiro Furtado, 2438 apto 403 Belém PA Fone: (91) 3229-2616 9164-3323

Leia mais

TEXTURA E GRANULOMETRIA DOS SOLOS

TEXTURA E GRANULOMETRIA DOS SOLOS TEXTURA forma e tamanho das partículas GRANULOMETRIA medida dos tamanhos das partículas COMPORTAMENTO MECÂNICO TEXTURA PROPRIEDADES HIDRÁULICAS CLASSIFICAÇÃO TEXTURAL Quanto ao tamanho dos grãos solos

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM

RELATÓRIO DE SONDAGEM RELATÓRIO DE SONDAGEM Cliente: TJMG Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais Local: Vazante - MG Obra: Novo Fórum Tipo: Sondagem de Simples Reconhecimento, com SPT. Data: 27/03/2012 Uberaba, 27 de

Leia mais

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010

ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Referente ao Pregão nº 038/2010 ANEXO IX ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Referente ao Pregão nº 038/2010 LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO ITEM 1: Blusa para usuários do sexo feminino, colarinho, com pence de busto no sentido horizontal frente e pence

Leia mais

Sistema Laminar Alto. Ecotelhado

Sistema Laminar Alto. Ecotelhado Sistema Laminar Alto Sistema Laminar Alto Objetivo O Sistema Laminar Alto tem como objetivo proporcionar a laje plana, uma cobertura vegetada para conforto térmico do ambiente interno e maior convívio

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

RP 17 TA RP 17 FF RP 23 TAL

RP 17 TA RP 17 FF RP 23 TAL Caixas Plásticas RP 17 TA Aplicação: Transporte de produtos em geral. Cores disponíveis: azul, vermelho, amarelo, cinza, verde, laranja, branco leitoso, preto e branco natural. Medidas: 18A x 40L x 60C

Leia mais

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma

Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos por Norma COBRAMSEG 00: ENGENHARIA GEOTÉCNICA PARA O DESENVOLVIMENTO, INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE. 00 ABMS. Estudo Comparativo do Coeficiente de Absorção dos Solos do Terciário de Maceió-Al, com os Valores Sugeridos

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: AIRES, LUMIAR FÊNIX, FÊNIX CONTR PETIT Obrigado por adquirir o VENTISOL. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o

Leia mais

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento

PAVIMENTO ESTUDOS GEOTÉCNICOS. Prof. Dr. Ricardo Melo. Terreno natural. Seção transversal. Elementos constituintes do pavimento. Camadas do pavimento Universidade Federal da Paraíba Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Laboratório de Geotecnia e Pavimentação ESTUDOS GEOTÉCNICOS Prof. Dr. Ricardo Melo PAVIMENTO Estrutura construída após

Leia mais

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO

TOMADA DE PREÇOS Nº 01/2015 ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO SEÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS Rua Deodoro da Fonseca, 7 Centro Natal/RN CEP:.0-00. Fone: () - Fax: () -1 TOMADA DE PREÇOS Nº 01/ ANEXO I-E SONDAGEM DE SOLO DO TERRENO Tomada de Preços nº 01/ PRRN RELATÓRIO

Leia mais

Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS

Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS 318 Eixo Temático ET-06-003 - Recuperação de Áreas Degradadas CARACTERIZAÇÃO DOS SOLOS PARA IMPLANTAÇÃO DE UMA BIORRETENÇÃO EM LOTES RESIDENCIAIS Mayco Sullivan Araújo de Santana RESUMO Para implantar

Leia mais

JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO. Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento.

JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO. Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento. JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento. CONCEITO DO PROJETO Esse projeto a ser apresentado foi

Leia mais

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS CATALO DE PRODUTOS SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO E PINTURA EPOXI VERMELHO MODELO AP E PQS Aba na base que impede

Leia mais

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS

7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.0 PERMEABILIDADE DOS SOLOS 7.1 Introdução A permeabilidade é a propriedade que o solo apresenta de permitir o escoamento da água através s dele. O movimento de água através s de um solo é influenciado

Leia mais

O que é filtragem? Técnicas de filtragem para irrigação. Porque utilizar a filtragem? Distribuição das partículas sólidas

O que é filtragem? Técnicas de filtragem para irrigação. Porque utilizar a filtragem? Distribuição das partículas sólidas Técnicas de filtragem para irrigação Prof. Roberto Testezlaf Faculdade de Engenharia Agrícola UNICAMP IV SIMPÓSIO DE CITRICULTURA IRRIGADA Bebedouro, 06 de julho de 2006 O que é filtragem? Processo de

Leia mais

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina.

Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Identificação de Solos Moles em Terrenos Metamórficos Através de Sondagem Barra Mina. Marcio Fernandes Leão UFRJ e UERJ, Rio de Janeiro, Brasil, marciotriton@hotmail.com RESUMO: Em terrenos estudados na

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARECHAL DEODORO Secretaria Municipal de Administração

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARECHAL DEODORO Secretaria Municipal de Administração PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE MARECHAL DEODORO Secretaria Municipal de Administração Um íugar melhor para todos Ofício n^. 04-149/2011/SEMAD Marechal Deodoro, 04 de

Leia mais

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A):

RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): RELATÓRIO DE SONDAGEM À PERCUSSÃO COM SPT EXECUTADAS NA SGAN 909, LOTES D E E - ASA NORTE / DF INTERESSADO (A): Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios - TJDFT PUBLICAÇÃO: Reforsolo 2033/15

Leia mais

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1.

ESTRUTURA CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS CONSTRUÇÃO EM COMPENSADO. 5 32 x 44. 4 32 x 68. 3 Serrado de. 6 Cavernas do meio do barco. 8 44 x 143 1. ESTRUTURA 17 18 Serrado de 20 x 193 CONSTRUÇÃO COM TÁBUAS 5 32 x 44 14 16 x 143 4 32 x 68 3 Serrado de 32 x 143 3 Cavernas da popa ao meio do barco: 32 x 143 6 Cavernas do meio do barco até proa: 32 x

Leia mais

RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO

RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO RETROANÁLISE DO MOVIMENTO DE MASSA DE TALUDE DE SOLO ESTUDO DE CASO Flávia Aparecida Tavares Bonadeu (1), Adailton Antônio dos Santos (2). UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)flaviabonadeu@hotmail.com,

Leia mais

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA

UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA UNIVERSIDADE MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL PARECER DE GEOTECNIA Rua Macéio, s/n Bairro Barcelona São Caetano do Sul /SP PAR 15026 Março/2015 Revisão 0 CPOI Engenharia e Projetos Ltda Índice 1. INTRODUÇÃO...3

Leia mais

MANUAL - POLICARBONATO POLICARBONATO CHAPAS E TELHAS TELEVENDAS. SÃO PAULO: +55 11 3871 7888 CAMPINAS: +55 19 3772 7200 www.vick.com.

MANUAL - POLICARBONATO POLICARBONATO CHAPAS E TELHAS TELEVENDAS. SÃO PAULO: +55 11 3871 7888 CAMPINAS: +55 19 3772 7200 www.vick.com. MANUAL POLICARBONATO POLICARBONATO CHAPAS E TELHAS TELEVENDAS SÃO PAULO: +55 11 3871 7888 CAMPINAS: +55 19 3772 7200 wwwvickcombr POLICARBONATO COMPACTO O Policarbonato Compacto é muito semelhante ao vidro

Leia mais

CARRINHO DE PICOLÉ THERMOTOTAL TRICICLO MOD.: L400 MOD.: T375. MOD.: T450 CAPACIDADE DA CAIXA: de 350 a 400 picolés MOD.: T350 CAPACIDADE DA CAIXA:

CARRINHO DE PICOLÉ THERMOTOTAL TRICICLO MOD.: L400 MOD.: T375. MOD.: T450 CAPACIDADE DA CAIXA: de 350 a 400 picolés MOD.: T350 CAPACIDADE DA CAIXA: TRICICLO MOD.: L400 Parte Superior: 600 x 575mm Parte Inferior: 700 x 620mm / Altura: 490mm PESO: 68Kg Cabo espumado; Rodas aro 20 com pneus com câmara de ar; Combinação entre as cores: Azul, Amarelo,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO CAMPUS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO CAMPUS BIOESTATÍSTICA Aula 0 TÓPICOS ABORDADOS: Introdução a estatística; Coleta de dados; Estatística descritiva; Distribuição de frequências; Notação de somatório Medidas de posição. ESTATÍSTICA É um ramo da

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil Canteiro

Leia mais

Check list e Avaliação. Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO - Check list e Avaliação Dados do Imóvel: Endereço:

Leia mais

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília. ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL UNIP - Universidade Paulista Campus Brasília ICET Instituto de Ciências e Tecnologia PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL PROJETO DE FUNDAÇÕES POR ESTACA DE UM EDIFÍCIO RESIDENCIAL

Leia mais

Vestibular Comentado - UVA/2013.1 Conhecimentos Específicos

Vestibular Comentado - UVA/2013.1 Conhecimentos Específicos Vestibular Comentado - UVA/3. Física Comentários: Professores: João Batista e Joelson Studart. Um paraquedista salta de uma altura de. m. Após 45 m de queda, a força de resistência do ar se iguala à força

Leia mais

Manual técnico Mercadão Chapa & Ferro Medidas e espessuras de Chapas. Chapa de ferro Galvanizada

Manual técnico Mercadão Chapa & Ferro Medidas e espessuras de Chapas. Chapa de ferro Galvanizada Chapa de ferro Galvanizada # 28 Galvanizada Espessura (0,43mm) Peso por m² - 3,85 kg Inteira 2000 x 1200 Inteira 2500 x 1200 Corte / Bico Diamante ( m² ) # 24 Galvanizada Espessura (0,60mm) Peso por m²

Leia mais

LUKE COMÉRCIO LOCAÇÕES E EVENTOS LTDA

LUKE COMÉRCIO LOCAÇÕES E EVENTOS LTDA Piso Elevado & Piso de Cobertura LUKE COMÉRCIO LOCAÇÕES E EVENTOS LTDA Avenida Santa Efigênia, 139 Vila Paraíso Guarulhos/SP CEP 07242-100 Tel.: 55 11 49702130 / 49702127 PISO ELEVADO COM COMPENSADO DE

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL TERESINA - PIAUÍ PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 19ª REGIÃO VARA DO TRABALHO DE PENEDO-AL RUA EM PROJETO A (LAGOA DO OITEIRO), PENEDO-AL SETEMBRO/ 2014 RELATÓRIO RS-23.09/2014 ÍNDICE

Leia mais

Breezy 300 FABRICAdO em B300 espanha

Breezy 300 FABRICAdO em B300 espanha Breezy 300 FABRICAdO em B300 espanha A cadeira de alumínio standard mais ligeira Configuração Standard Cadeira de alumínio encartável para facilitar o transporte Apoia pés desmontáveis, giratórios para

Leia mais

APRENDENDO A VERIFICAR A POSIÇÃO DA PORTA

APRENDENDO A VERIFICAR A POSIÇÃO DA PORTA APRENDENDO A VERIFICAR A POSIÇÃO DA PORTA POR DENTRO DO VÃO; POR TRÁS DO VÃO; LAJE DE LAJE DE PAINEL PARA FECHAMENTO DO ROLO LADO EXTERNO LADO INTERNO LADO EXTERNO LADO INTERNO ATENÇÃO: O local onde ira

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELOS: WIND MDF/PLAST. WIND LIGHT MDF/PLAST. COMERCIAL Obrigado por adquirir o VENTISOL. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura

Leia mais

REDE CTPETRO AMAZÔNIA PROJETO PI2 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DA DINÂMICA DO SOLO

REDE CTPETRO AMAZÔNIA PROJETO PI2 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DA DINÂMICA DO SOLO REDE CTPETRO AMAZÔNIA PROJETO PI2 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DA DINÂMICA DO SOLO Coordenadora: Maria do Rosário Rodrigues B R OBJETIVO GERAL Por meio de uma avaliação integrada dos atributos do meio físico

Leia mais

DFA em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST)

DFA em Engenharia de Estruturas. Fundações de Estruturas. Ensaios de campo. Jaime A. Santos (IST) DFA em Engenharia de Estruturas Fundações de Estruturas Ensaios de campo Jaime A. Santos (IST) Ensaio de penetração dinâmica SPT O ensaio SPT (Standard Penetration Test) é realizado na base de um furo

Leia mais

PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 10 20 Unid. TINTA RELEVO DIMENSIONAL frasco com 25g, na cor rosa. CREAS:4 PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 11 20

PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 10 20 Unid. TINTA RELEVO DIMENSIONAL frasco com 25g, na cor rosa. CREAS:4 PAIF:4 PROJOVEM:4 PETI:4 IDOSO:4 11 20 ANEXO II Aquisição de material de artesanato para uso nas atividades desenvolvidas nos projetos sociais junto ao CRAS, coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social Item Quant. Unidade

Leia mais

Ao final do trajeto, João estará no ponto: a) A b) B c) C d) D

Ao final do trajeto, João estará no ponto: a) A b) B c) C d) D QUIZ 1) (Prova Brasil 2007) A figura abaixo ilustra as localizações de alguns pontos no plano. João sai do ponto X, anda 20 metros para a direita, 30 metros para cima, 40 metros para a direita e 10 metros

Leia mais

INOVAÇÃO E SIMPLICIDADE

INOVAÇÃO E SIMPLICIDADE INOVAÇÃO E SIMPLICIDADE Os suportes para monitor são inovadores por sua simplicidade, combinando performance e estilo. Funcionalidade e estilo, os suportes para monitor promovem ergonomia e economia de

Leia mais

UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE

UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE UM CASO DE OBRA ESPECIAL: CONTENÇÃO PELO MÉTODO DE SOLO GRAMPEADO, SUBJACENTE A UM SOLO GRAMPEADO PRÉ-EXISTENTE AUTORES Engenheiro Alberto Casati Zirlis, diretor da Solotrat Engenharia Geotécnica Ltda.

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: Pavimentação em Paralelepípedo na Travessa Ten. Joaquim dos Santos. Março / 2010 1 SUMÁRIO 1. PLACA DA OBRA:... 3 2. PREPARO DO SUBLEITO:... 3 3. MEIO-FIO:... 4 4. COLCHÃO

Leia mais

Propriedades das partículas do solo

Propriedades das partículas do solo 1 Propriedades das partículas do solo 1 - Natureza das partículas 2 - Peso específico das partículas 3 - Densidade relativa das partículas 4 - Densidade real das partículas no laboratório 5 - Formas de

Leia mais

Sistema Laminar Médio. Ecotelhado

Sistema Laminar Médio. Ecotelhado Sistema Laminar Médio Sistema Laminar Médio Objetivo O Sistema Laminar Médio tem como objetivo proporcionar a laje plana, uma cobertura vegetada para conforto térmico do ambiente interno e maior convívio

Leia mais

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS

DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS DEPARTAMENTO DE GEOTECNIA E LABORATÓRIOS A Interserviços possui um Departamento de Geotecnia e Laboratórios móveis e fixos de engenharia Civil e Química. Com técnicos nacionais formados no Laboratório

Leia mais

MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE

MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA ARQUIVO DESLIZANTE ESPECIFICAÇÕES DE MOBILIÁRIO DE INFORMÁTICA E ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL,

Leia mais

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica

MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica MANUAL DE BOLSO Nº 1: Investigação Geotécnica OUTUBRO DE 2012 T E R R E S T R E. empresa sedeada em Itu/SP fornece consultas, projetos, ensaios especiais e serviços na área de geotecnia, drenagem, pavimentação,

Leia mais

1 a QUESTÃO Valor 1,0

1 a QUESTÃO Valor 1,0 1 a QUESTÃO Valor 1,0 Um esquimó aguarda a passagem de um peixe sob um platô de gelo, como mostra a figura abaixo. Ao avistá-lo, ele dispara sua lança, que viaja com uma velocidade constante de 50 m/s,

Leia mais

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT

AULA 5. NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos. Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT AULA 5 NBR 6122- Projeto e Execução de Fundações Métodos Empíricos Relação entre Tensão Admissível do Solo com o número de golpes (N) SPT março 2014 Disciplina - Fundações Zeide Nogueira Furtado Relação

Leia mais

Sistema Hidromodular. Ecotelhado

Sistema Hidromodular. Ecotelhado Sistema Hidromodular Sistema Hidromodular Objetivo O Sistema Hidromodular tem como objetivo proporcionar a laje, uma cobertura vegetada para conforto térmico do ambiente interno e maior convívio com a

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA Orçamento Unidade Básica de Saúde - Fronteira Estrutura para o acesso e identificação do

Leia mais

Granulometria. Marcio Varela

Granulometria. Marcio Varela Granulometria Marcio Varela Granulometria Definição: É a distribuição, em porcentagem, dos diversos tamanhos de grãos. É a determinação das dimensões das partículas do agregado e de suas respectivas porcentagens

Leia mais

1. CONCEITO: 2. CLASSIFICAÇÃO: AGLOMERANTES. Ativos. Inertes. Aéreos. Hidráulicos. Endurecem por secagem Ex.: argila (barro cru)

1. CONCEITO: 2. CLASSIFICAÇÃO: AGLOMERANTES. Ativos. Inertes. Aéreos. Hidráulicos. Endurecem por secagem Ex.: argila (barro cru) 1. CONCEITO: É um material ativo (pulverulento), que promove a ligação entre os grãos do material inerte (agregado). Exemplos: gesso, cal e cimento). São usados para a fabricação de: Pastas: aglomerante

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Publicada no Diário Oficial de 26 de Janeiro de 2013. NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Sumário:

Leia mais

BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO

BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO BIOENGENHARIA DE SOLOS ENGENHARIA NATURAL AULA 2 PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DO SOLO IGOR PINHEIRO DA ROCHA ENGENHEIRO FLORESTAL, M.Sc. AS FASES DO SOLO Fase sólida (Matriz do solo) Material mineral

Leia mais

Ensaios de Laboratório em Mecânica dos Solos Curva de Retenção de Água

Ensaios de Laboratório em Mecânica dos Solos Curva de Retenção de Água Ensaios de Laboratório em Mecânica dos Solos Curva de Retenção de Água Prof. Fernando A. M. Marinho 2010 Teor de Umidade nos Vazios (adensamento) Índice de Vazios 3 2.5 2 1.5 1 S = 100% e = wg s Tensão

Leia mais

CATÁLOGO. Qualidade. & segurança. FCV - Ind. Platinense de Extintores Ltda. Rua Deputado José Afonso,634. Santo Antônio da Platina - PR

CATÁLOGO. Qualidade. & segurança. FCV - Ind. Platinense de Extintores Ltda. Rua Deputado José Afonso,634. Santo Antônio da Platina - PR 0 CNPJ - NASHA 1,0 NASHA,0 38.719.118/0001-47 CATÁLOGO FCV - Ind. Platinense de Extintores Ltda. Rua Deputado José Afonso,634 Santo Antônio da Platina - PR Telefax: (43)3534-4340 www.fcvextintores.com.br

Leia mais

Interpretação da análise de solo

Interpretação da análise de solo Interpretação da análise de solo Tabela de interpretação A orientação para interpretação da análise de solo são organizadas em manuais estaduais e regionais. Manual Tabelas de interpretação Recomendações

Leia mais

A mesma mesa do 1º ao 12º ano

A mesma mesa do 1º ao 12º ano SOC.EQUIPAMENTOS ESCOLARES, LDA. R A mesma mesa do 1º ao 12º ano MODELO CERTIFICADO EN 1729 Apresentamos lhe a mesa carteira ajustável à altura do utente, tampo inclinável de 0º a 20º Refª 2201.18.0101

Leia mais

Definição. laje. pilar. viga

Definição. laje. pilar. viga Definição É a rocha artificial obtida a partir da mistura, e posterior endurecimento, de um aglomerante (normalmente cimento portland), água, agregado miúdo (areia quartzoza), agregado graúdo (brita),

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Lift para Monitores de Plasma/ LCD e outros dispositivos GLI 201- GLI 211 GLI 260 (Com Rotacionador) Validade da Garantia Somente quando o produto é instalado por revendedores credenciados

Leia mais