Wireless WDS Mesh com MIKROTIK

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Wireless WDS Mesh com MIKROTIK"

Transcrição

1 Wireless WDS Mesh com MIKROTIK Rede em WDS Mesh: A topologia de rede em formato Mesh possui comunicação bidirecional entre seus nós. Dessa forma, todos os nós na rede (Access Point) podem acessar outra(s) rede(s) através de outros nós. Conceitualmente, uma rede Mesh trabalha em determinados modos de operação, como exemplo: (Full Mesh, Mesh Parcial, Mesh híbrido,...). No tutorial abaixo veremos as formas de configuração Full e Parcial. Uma rede Mesh tem algumas vantagens, entre elas: roaming, cobertura total, redundância e tolerância à falha entre alguns links. Nas RB Mikrotik, podemos configurar uma rede mesh de métodos diferentes, mostrados de duas formas abaixo: Modelo 1: Wireless WDS Mesh com interface Mesh Modelo 2: Wireless WDS Mesh com interface bridge Modelo 1 Nesse modelo, as RouterBoard devem ser configuradas da mesma forma (Modo de operação, Banda, Frequência, criptografia, etc.). Iniciaremos a configuração dos equipamentos: Mode: Ap-Bridge Band: 2 Ghz - Only N Channel Width: 20 Mhz SSID: Qualquer nome, nesse exemplo: Reza-Moghadam Frequência: 2474 Security Profile: Default WDS Mode: Dynamic Mesh WDS Default Bridge: Mesh-Interface Mesh: Mesh-Interface Mesh Port : Ether1

2 Diagrama:

3 Interface wireless/aba Wireless :

4 Interface wireless/aba WDS: Ou via Terminal: interface wireless set ssid=reza-moghadam mode=ap-bridge band=2ghz-onlyn frequency=2412 wds-mode=dynamic-mesh wds-default-bridge=mesh-interface

5 Interfaces/Aba Mesh:

6 Interfaces/Aba Ports: Ou via Terminal: interface mesh add name=mesh-interface interface mesh port add interface=wlan1 mesh=mesh-interface

7 IP/Address: Ou via Terminal: Ip Address add address= /24 interface=mesh-interface

8 Resultado prévio da configuração (Essa configuração é a mesma para todas as RouterBoards, só há a necessidade de mudar os IPs:

9

10

11

12 No computador do cliente: Após fazer o escaneamento das redes sem-fio e conctar no SSID correto, o cliente irá passar a enxergar todas as demais RB.

13 Resumindo: Como podemos ver, todos os Access Point tem total conectividade entre si. Nesse modo, se um link cai entre dois AP's, eles usam outro caminho entre os demais equipamentos. Dessa forma, criamos uma rede Full Mesh Network, pois temos vários caminhos entre os AP's. Além disso, podemos também usar um avançado protocolo proprietário Mikrotik chamado HWMP + (Hybird Wireless Mesh Protocol + ), que não é o padrão IEEE HWMP porém também serve para rotear os caminhos em camada 2 na rede. É possível também usar dois modos de HWMP na rede Mesh para otimizar o roteamento dos caminhos. Modelo 2: Esse modo é bastante similar ao Full WDS Mesh, com a diferença de usarmos interface bridge ao invés de interface mesh, além de usar os protocolos STP e RSTP. Esses protocolos permitem criar um laço (loop) na rede camada 2. Dessa forma, uma RB age como uma bridge-root (por prioridade) na camada 2 e analisa e monitora a rede através do envio e recebimento das BPDU's ( Bridge Protocol Data Unit ).

14 Caso a RB receba uma BPDU previamente enviada por ela própria, ela irá enviar um comando de bloqueio para aquela rota (para os demais AP's). Assim, uma rota extra (em laço), irá ser desativada pelo bloqueio. Configuração: Mode: Ap-Bridge Band: 2 Ghz - Only N Channel Width: 20 Mhz SSID: Reza-Moghadam Frequency: 2474 Security Profile: Default WDS Mode: Dynamic Mesh WDS Default Bridge: Bridge-Interface Bridge: Bridge-Interface Bridge STP Mode: RSTP Mode Bridge Port: Ether1, Wlan1

15 Diagrama:

16 Aba Wireless:

17 Aba WDS: Ou pelo Terminal: interface wireless set ssid=reza-moghadam mode=ap-bridge band=2ghz-onlyn frequency=2412 wds-mode=dynamic-mesh wds-default-bridge=bridge-interface

18 Interface bridge:

19

20 Ou pelo Terminal: interface bridge add name=bridge-interface protocol-mode=rstp interface bridge port add interface=ether2 bridge=bridge-interface interface bridge port add interface=wlan1 bridge=bridge-interface Adicionar IP: Ip Address add address= /24 interface=bridge-interface Resumo: Como pudemos ver, a RB751U-1 usada no exemplo foi configurada como a Bridge-root e gerencia a rede livre de loop, ao bloquear a rota extra. Dessa forma, se a topologia for modificada, a Bridge-root cria uma nova estratégia para bloquear e/ou permitir portas. Linhas azuis: porta liberada (Porta Root) Linhas vermelhas: porta bloqueada Resultado: Com o WDS Mesh podemos ter conectividade total entre os nós da rede, além do roaming entre as células. Praticidade e segurança aliadas.

Redes Mesh. Cidades Digitais. JhonnyP

Redes Mesh. Cidades Digitais. JhonnyP Redes Mesh e Cidades Digitais JhonnyP Sobre Mim... Nome: Jonni Pianezzer Cidade: Rio do Sul Santa Catarina Brasil Trabalho há 7 anos com Redes e Wireless. Trabalho há 5 anos com Mikrotik. Presto serviços

Leia mais

BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS

BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS ANKAA WIRELESS SOLUTIONS EQUIPAMENTOS WIRELESS 2 RÁDIO 1 Crie uma interface bridge Clique no menu

Leia mais

BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS

BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS BRIDGE TRANSPARENTE ENTRE DOIS PONTOS UTILIZANDO WDS Michigan Brasil 2 RÁDIO 1 Crie uma interface bridge Clique no menu Bridge Clique em adicionar para

Leia mais

REPETIDORA WIRELESS UTILIZANDO WDS

REPETIDORA WIRELESS UTILIZANDO WDS REPETIDORA WIRELESS UTILIZANDO WDS REPETIDORA WIRELESS UTILIZANDO WDS Este exemplo mostra como configurar um repetidor wireless. O repetidor wireless estende a escala de um WLAN existente em vez de adicionar

Leia mais

AP-BRIDGE. Configurando AP-Bridge no Mikrotik: - Clique no menu Interfaces. - Clique na interface Wlan desejada e clique no botão Habilitar

AP-BRIDGE. Configurando AP-Bridge no Mikrotik: - Clique no menu Interfaces. - Clique na interface Wlan desejada e clique no botão Habilitar AP BRIDGE AP-BRIDGE Bridge ou ponte, é um dispositivo que liga duas redes que usam protocolos distintos, ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo protocolo, por exemplo ethernet ou token ring.

Leia mais

AP-BRIDGE. Configurando AP-Bridge no Mikrotik: - Clique no menu Interfaces. - Clique na interface Wlan desejada e clique no botão Habilitar

AP-BRIDGE. Configurando AP-Bridge no Mikrotik: - Clique no menu Interfaces. - Clique na interface Wlan desejada e clique no botão Habilitar AP BRIDGE AP-BRIDGE Bridge ou ponte, é um dispositivo que liga duas redes que usam protocolos distintos, ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo protocolo, por exemplo ethernet ou token ring.

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Spanning Tree Protocol O STP é executado em bridges e switches compatíveis com 802.1D. O STP foi projetado para contornar os problemas de bridging em redes redundantes. O objetivo

Leia mais

1- Vamos começar pelo que será configurado como AP: Aba Wireless:

1- Vamos começar pelo que será configurado como AP: Aba Wireless: Como fazer P2P e PmP entre produtos Airmax Ubiquiti Como exemplo, faremos uma ponto-a-ponto com um Rocket M2 e um Bullet M2, ambos com a versão de firmware v5.5.8, porém é válido para qualquer equipamento

Leia mais

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA Routerboard RB 433 Routerboard RB 750 Routerboard RB 1100 AH Redes Wireless Wireless, provém do inglês: wire (fio, cabo); less (sem); ou seja: sem fios. Utiliza

Leia mais

Guia de Instalação Rápida

Guia de Instalação Rápida Guia de Instalação Rápida 1. Instalação Elétrica a. Conecte o Plug da tomada de energia na porta DC do POE b. Conecte uma ponta de um cabo UTP (rede) paralelo na porta LAN do rádio e a outra ponta na porta

Leia mais

Redes Mesh. MUM Brasil Outubro de 2008. Eng. Wardner Maia

Redes Mesh. MUM Brasil Outubro de 2008. Eng. Wardner Maia Redes Mesh MUM Brasil Outubro de 2008 Eng. Wardner Maia Introdução Nome: Wardner Maia Engenheiro Eletricista modalidades Eletrotécnica/Eletrônica/Telecomunicações Provedor de Internet Service desde 1995

Leia mais

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES

Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Alta disponibilidade utilizando Roteamento Virtual no RouterOS GUILHERME RAMIRES Nome: Guilherme M. Ramires Analista de Sistemas Pós-Graduado em Tecnologia e Gerenciamento de Redes de Computadores CEO

Leia mais

WORKSHOP MICROWAVE COMO OBTER O MELHOR DESEMPENHO EM ENLACE PONTO A PONTO UTILIZANDO ROUTERBOARD SXT E CARTÕES MIKROTIK N

WORKSHOP MICROWAVE COMO OBTER O MELHOR DESEMPENHO EM ENLACE PONTO A PONTO UTILIZANDO ROUTERBOARD SXT E CARTÕES MIKROTIK N WORKSHOP MICROWAVE COMO OBTER O MELHOR DESEMPENHO EM ENLACE PONTO A PONTO UTILIZANDO ROUTERBOARD SXT E CARTÕES MIKROTIK 802.11N INTERFACE INICIAL ATUALIZAÇÃO Envie o pacote de atualização da versão SXT

Leia mais

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez Advanced Wireless Networks Overview & Configuration Workshop by Nicola Sanchez Microwave Wireless Telecom - Brasil Distribuidor Mikrotik no Brasil Fornecedor de Soluções em Redes Wireless Consultoria e

Leia mais

Microwave Wireless Telecom www.microwavetec.com.br

Microwave Wireless Telecom www.microwavetec.com.br Agenda Discussão sobre os padrões Wi-Fi Mikrotik Wireless Tools Throughput real do padrão Wi-Fi Redes PTP e PTMP Nstreme x CSMA/CA Nstreme2 Wi-Fi 802.11 a,b,g,n Padrões desenvolvidos para redes locais

Leia mais

Solução de baixo custo para BGP usando Mikrotik Router OS GTER 31. Bruno Lopes Fernandes Cabral

Solução de baixo custo para BGP usando Mikrotik Router OS GTER 31. Bruno Lopes Fernandes Cabral <bruno@openline.com.br> usando Mikrotik Router OS Bruno Lopes Fernandes Cabral GTER 31 São Paulo SP 13 de maio de 2011 O que é RouterOS? Distribuição Linux voltada para roteamento e wireless Simples porém

Leia mais

QoS através de túneis TE. MUM Brasil São Paulo Novembro/2011. Sérgio Souza

QoS através de túneis TE. MUM Brasil São Paulo Novembro/2011. Sérgio Souza QoS através de túneis TE MUM Brasil São Paulo Novembro/2011 Sérgio Souza 1 Sérgio Souza Profissional e empresário em Tecnologia da Informação, com atuação em gerência de redes desde 1996. Consultoria em

Leia mais

OSPFv3 no MikrotikRouterOS

OSPFv3 no MikrotikRouterOS IPv6.br Curso IPv6 Básico Projeto Final: OSPFv3 no MikrotikRouterOS Evandro de Jesus Souza Agosto-2013 Caetité-BA Cenário: 1 Etapa: Ativar o IPv6 nos roteadores, por padrão fica desativado. /system packageenable

Leia mais

Mikrotik Routerboard. Edson Lima 2015 Conhecimento só é válido quando compartilhado.

Mikrotik Routerboard. Edson Lima 2015 Conhecimento só é válido quando compartilhado. Mikrotik Routerboard Edson Lima 2015 Conhecimento só é válido quando compartilhado. O trabalho Mikrotik - Routerboad de Edson Aparecido de Lima está licenciado com uma Licença Creative Commons - AtribuiçãoNãoComercial-CompartilhaIgual

Leia mais

Acesso Ethernet com Hubs

Acesso Ethernet com Hubs Acesso Ethernet com Hubs O dado é enviado de um por vez Cada nó trafega a 10 Mbps Acesso Ethernet com Bridges Bridges são mais inteligentes que os hubs Bridges reuni os quadros entre dois segmentos de

Leia mais

Application Notes: VRRP. Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch

Application Notes: VRRP. Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch Application Notes: VRRP Aplicabilidade do Virtual Router Redundancy Protocol no DmSwitch Parecer Introdução Desenvolvimento inicial Setup básico Setup com roteamento dinâmico Explorando possibilidades

Leia mais

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Nome dos Alunos Cenário 1: Considere a seguinte topologia de rede IPB 210.0.0.1/24 IPA 10.0.0.5/30 220.0.0.1\24 4 5 3 1 IPC 10.0.0.9/30 REDE B

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO

CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO CONFIGURAÇÃO KIT PROVEDOR DE INTERNET SEM FIO IMPORTANTE: Não instale o KIT no mastro sem antes conhecer bem o SOFTWARE (firmware) de gerenciamento. Configure a placa AP e faça todos os testes possíveis,

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Professor Rene - UNIP 1 Introdução do capitulo Função do roteador Roteamento estático O roteador é um computador com uma finalidade

Leia mais

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp).

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp). Wireless LAN (WLAN) Este tutorial apresenta alguns aspectos da arquitetura e protocolos de comunicação das Redes Locais sem fio, ou Wireless Local Area Networks (WLAN's), que são baseados no padrão IEEE

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Aposente suas velhas Bridges. Migre já para OSPF com Mikrotik

Aposente suas velhas Bridges. Migre já para OSPF com Mikrotik . Anderson Marin Matozinhos Brumanet Ltda MTCNA (MikroTik Certified Network Associate) MTCWE (MikroTik Certified Wireless Engineer) MTCRE (MikroTik Certified Router Engineer) MTCTCE (MikroTik Certified

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Equipamento: O equipamento utilizado nesta demonstração é um roteador wireless D-Link modelo DI-524, apresentado na figura abaixo. A porta LAN desse

Leia mais

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos Redes Wireless 26/1/07 Rui Santos Índice Introdução Classificação das redes sem fios Padrões Wi-Fi Equipamento necessário Segurança Links 05-02-2007 2 Introdução http://pt.wikipedia.org/wiki/rede_sem_fios

Leia mais

Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas. Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza

Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas. Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza Palestra: Mikrotik: Histórico, Características, Instalação e Configurações Básicas Apresentação: Prof. Vinícius Ferreira de Souza Referencial Teórico: 1 Minicurso ministrado pelo prof. José Ferreira Neto

Leia mais

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira INTRODUÇÃO Os Access Points ou ponto de acesso wi-fi são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes sem fio e com fio (infraestrutura).

Leia mais

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR.

TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. TUTORIAL PARA CONFIGURAÇÃO MIKROTIK UTILIZANDO ROTEAMENTO DINÂMICO COM OSPF E AUTENTIÇÃO RADIUS EM NOSSO SISTEMA IXCPROVEDOR. Neste senário temos um roteador de internet que vai ser nosso gateway do MK1,

Leia mais

VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial)

VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial) VLANs e Redes IP (segundo trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Virtual LANs (VLANs) No primeiro trabalho laboratorial foi configurada uma única

Leia mais

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva Introdução à Computação Móvel IP Móvel Francisco José da Silva e Silva Francisco Silva 1 Movimentação de Host Francisco Silva 2 Movimentação de Host Se um host não estiver no enlace identificado por seu

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

WLAN WIRELESS STATION. Manual do usuário MAIT0078R00

WLAN WIRELESS STATION. Manual do usuário MAIT0078R00 WIRELESS STATION MAIT0078R00 Manual do usuário 8 1 Especificações Técnicas PQPL-24XX CPE Proeletronic Frequência Ganho VSWR Relação Frente/costa OE/OH Polarização cruzada Impedância PQPL-2412 PQPL-2417

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO. NanoStation5

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO. NanoStation5 MANUAL DE CONFIGURAÇÃO NanoStation5 NanoStation5 AAP Versão 1.0 Português Brasil HOMOLOGAÇÃO / CERTIFICAÇÃO Certificado de Homologação Nº 2805-08-4940 Este produto esta homologado pela Anatel de acordo

Leia mais

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens:

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: Redes Sem Fio Instalação Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: O Projetista é o responsável: Cálculo dos link e perdas Site survey (levantamento em campo das informações)

Leia mais

Aula Prática Roteador

Aula Prática Roteador Aula Prática Roteador INTRODUÇÃO Os roteadores são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes como, por exemplo, redes IP. Diferentes redes IPs enviam suas informações/tráfego por meio

Leia mais

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Laboratório de Redes de Computadores 2 8 o experimento Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Introdução A interligação de

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br

Rede sem fio. Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br I Workshop do POP-MG Rede sem fio Pollyana do Amaral Ferreira polly@ pop-mg.rnp.br Sumário Introdução Principais aplicações O padrão IEEE 802.11 Segurança e suas diferentes necessidades Conclusão 2/36

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

INF-110 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-110 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-110 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, fevereiro de 2016 Roteiro Introdução Fundamentos de Transmissão Digital Unidades de Medida em Telecomunicações

Leia mais

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0 COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso Versão 1.0 Florianopolis, maio de 2014. 1 Apresentação a) A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), conforme

Leia mais

MUM Brasil - MikroTiK User Meeting Florianópolis - 2015

MUM Brasil - MikroTiK User Meeting Florianópolis - 2015 EVENTO MUM Brasil - MikroTiK User Meeting Florianópolis - 2015 MikroTiK PoE Automation APRESENTAÇÃO MikroTiK PoE Automation TÍTULO: Desenvolvimento de Soluções de Automação Comercial e Residencial através

Leia mais

Redes de Computadores II INF-3A

Redes de Computadores II INF-3A Redes de Computadores II INF-3A 1 ROTEAMENTO 2 Papel do roteador em uma rede de computadores O Roteador é o responsável por encontrar um caminho entre a rede onde está o computador que enviou os dados

Leia mais

Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul

Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Redes Locais Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://professoreduardoaraujo.com Objetivos Explicar a função da redundância

Leia mais

Configurar o router de banda larga sem fios.

Configurar o router de banda larga sem fios. Configurar o router de banda larga sem fios. 1.1 Arrancar e iniciar sessão Active o seu browser e desactive o proxy ou adicione o endereço IP deste produto às excepções. Em seguida, introduza o endereço

Leia mais

Wireless Mesh Networks

Wireless Mesh Networks Wireless Mesh Networks Redes Mesh se configuram e se organizam automaticamente, com seus nós estabelecendo uma conexão ad hoc e mantendo a conectividade em malha. Isanio Lopes Araujo Santos Paradoxo: pontos

Leia mais

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Conceito de Rede e seus Elementos. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos Prof. Marciano dos Santos Dionizio Conceito de Rede e seus Elementos O conceito de rede segundo Tanenbaum é: um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial)

Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial) Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Bancada de trabalho equipamento Existem seis bancadas no laboratório

Leia mais

Redes Mesh: Estudo de caso em ambiente de WISP

Redes Mesh: Estudo de caso em ambiente de WISP Faculdade de Tecnologia SENAC Pelotas/RS Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Seminário de Andamento Redes Mesh: Estudo de caso em ambiente de WISP

Leia mais

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes

genérico proteção de rede filtragem dos pacotes Sem estado (stateless) no próprio pacote. Com estado (stateful) outros pacotes FIREWALLS Firewalls Definição: Termo genérico utilizado para designar um tipo de proteção de rede que restringe o acesso a certos serviços de um computador ou rede de computadores pela filtragem dos pacotes

Leia mais

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto Laboratório de IER 10 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto O padrão

Leia mais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais

Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais Rede de Computadores Modulo I Conceitos Iniciais http://www.waltercunha.com Bibliografia* Redes de Computadores - Andrew S. Tanenbaum Editora: Campus. Ano: 2003 Edição: 4 ou 5 http://www.submarino.com.br/produto/1/56122?franq=271796

Leia mais

Exercício 3a Filtros Anti-Spoofing

Exercício 3a Filtros Anti-Spoofing Exercício 3a Filtros Anti-Spoofing Objetivo: Implementar na rede do ISP filtros anti-spoofing. Cenário: Os endereços das interfaces físicas, o protocolo de roteamento interno e o ibgp já estão configurados.

Leia mais

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA

KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA KIT PROVEDOR COMPACT - MONTAGEM CONFIGURAÇÃO BÁSICA 1 Parabéns, você acaba de adquirir o equipamento mais avançado e de melhor relação custo/ benefício do mercado para compartilhamento de Internet via

Leia mais

Laboratório de RCO2 17 o experimento. Objetivo:

Laboratório de RCO2 17 o experimento. Objetivo: Laboratório de RCO2 17 o experimento Objetivo: Introdução i) criar uma rede sem-fio em modo ad-hoc ii) investigar o impacto da mudança de BSS (handover) nas comunicações em andamento O padrão IEEE 802.11

Leia mais

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts CTRA C U R S O SUPERIOR EM REDES E AMBIENTES OPERACIONAIS CAR Componentes Ativos de Rede Prof.: Roberto J.L. Mendonça PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR 1. De acordo com a figura abaixo determine os endereços

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES O SMARTWEB é um servidor baseado na plataforma Mikrotik que permite o gerenciamento e controle de acessos à internet. Libera acesso

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Redes Roteadas. Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil

Redes Roteadas. Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil Redes Roteadas Estudo rápido de como implantar uma rede roteada fácil Edmilson José de Almeida Filho Analista e Consultor ISP Suporte a Provedores desde 2001 Suporte Linux desde 2001 Suporte Mikrotik desde

Leia mais

PROIBIDA a reprodução total ou parcial deste manual sem a autorização do autor.

PROIBIDA a reprodução total ou parcial deste manual sem a autorização do autor. MIKROTIK RB433 RB435 MANUAL DE OPERAÇÃO HOTSPOT/PPPoE Parabéns, você acaba de adquirir o mais avançado e completo kit provedor de internet do mercado. Pode operar nas faixas de 2,4 Ghz ou 5.8 Ghz nos modos

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto Laboratório de IER 11 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto O padrão

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Redes de Computadores DCC/UFJF Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Material fortemente baseado nos slides do livro: Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet. Os slides foram

Leia mais

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital.

Fortaleza Digital. Aker FIREWALL UTM. Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Aker FIREWALL UTM Fortaleza Digital Sua empresa mais forte com uma solução completa de segurança digital. Ideal para o ambiente corporativo, com o Aker Firewall UTM você tem o controle total das informações

Leia mais

Backbones de Longa Distancia. Desafios e soluções de transportar utilizando MikroTik

Backbones de Longa Distancia. Desafios e soluções de transportar utilizando MikroTik Desafios e soluções de transportar utilizando MikroTik Mauricio Mello de Andrade Diretor de Tecnologia Internet & Sistemas Na área informática desde 1986 Na área telecom desde 1989, com as antigas BBS

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 7 - Protocolo de Roteamento de Vetor de Distância

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 7 - Protocolo de Roteamento de Vetor de Distância CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 7 - Protocolo de Roteamento de Vetor de Distância 1 Objetivos do Capítulo Entender o funcionamento dos protocolos de roteamento de vetor de

Leia mais

Spanning Tree Protocol: Evoluções

Spanning Tree Protocol: Evoluções Spanning Tree Protocol: Evoluções Fast Switching PVST Per VLAN Spanning Tree (Cisco) PVST+ Per VLAN Spanning Tree plus (Cisco) MSTP Multiple Spanning Tree Protocol - IEEE 802.1s RSTP Rapid Spanning Tree

Leia mais

Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes.

Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes. Aplicando segurança em redes locais através de gerenciamento de ativos de redes. Nome do Aluno: Anderson Rauber da Silva Daniel Devegili Descrição da Contribuição: Anderson Rauber da Silva: Introdução

Leia mais

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Manual do Usuário MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Versão 1.0 Última atualização Março 2013. 1 Introdução Obrigado por adquirir o MaxxStation MIMO 5 GHz. Esse

Leia mais

Conceitos Básicos de Switching e Roteamento Intermediário

Conceitos Básicos de Switching e Roteamento Intermediário Estudo de Caso Conceitos Básicos de Switching e Roteamento Intermediário Cisco Networking Academy Program CCNA 3: Conceitos Básicos de Switching e Roteamento Intermediário Visão geral e objetivos O seguinte

Leia mais

Capítulo 5: Roteamento Inter-VLANS

Capítulo 5: Roteamento Inter-VLANS Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 5: Roteamento Inter-VLANS Roteamento e Comutação Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers 1 Capítulo 5 5.1 Configuração

Leia mais

Montagem de um ponto de acesso de um provedor de Internet utilizando a tecnologia 5.8 GHz.

Montagem de um ponto de acesso de um provedor de Internet utilizando a tecnologia 5.8 GHz. ATIVIDADE AVALIADA Equipe: Adélcio Magalhães Milhorini 10282037 José Carlos Guimarães Junior 10282052 Pedro Henrique Botelho de Melo 10281028 Montagem de um ponto de acesso de um provedor de Internet utilizando

Leia mais

Gestão de rede wireless no campus

Gestão de rede wireless no campus Gestão de rede wireless no campus SCIFI e os desafios de uma rede sem fio na Universidade Roteiro o que é o SCIFI Evolução A Rede Wifi-UFF Mobilidade Gerência de identidade Próximos passos 3 O que é o

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 02 Modelagem de Canais de Rádio Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Fundamentos de Transmissão Digital Unidades de Medida em Telecomunicações

Leia mais

LANs, VLANs e redes IP. Laboratório I 321 bancada de trabalho

LANs, VLANs e redes IP. Laboratório I 321 bancada de trabalho 1 LANs, VLANs e redes IP (2º trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Computadores MIEEC 2010/11 José Ruela Laboratório I 321 bancada de trabalho 2 Bancada de trabalho (lab I 321) equipamento 3 Existem

Leia mais

VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná. Gustavo Kochan Nunes dos Santos. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná. Gustavo Kochan Nunes dos Santos. Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas 1 VPN entre Unimed Federação do Paraná e Singulares do Paraná Gustavo Kochan Nunes dos Santos Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba,

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Interconexão redes locais (LANs)

Interconexão redes locais (LANs) Interconexão redes locais (LANs) Descrever o método de funcionamento dos dispositivos bridge e switch, desenvolver os conceitos básicos de LANs intermediárias, do uso do protocolo STP e VLANs. Com o método

Leia mais

Guia Básico para Configuração de Switches

Guia Básico para Configuração de Switches RD Press Guia Básico para Configuração de Switches Alta Disponibilidade Switches 3Com, H3C e HPN Serie-A Diego Dias R D PR E S S Guia Básico para Configuração de Switches Alta Disponibilidade RD Press

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 Annex A Tornado 831 Annex B 1 1.1 Arrancar e iniciar sessão Active o

Leia mais

Wireless LAN (IEEE 802.11x)

Wireless LAN (IEEE 802.11x) Wireless LAN (IEEE 802.11x) WLAN: Wireless LAN Padrão proposto pela IEEE: IEEE 802.11x Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Sem estrutura pré-definida. Cada computador é capaz de se comunicar

Leia mais

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães A virtualização de processadores é uma tecnologia que foi inicialmente

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de

Leia mais