MARKETING POLÍTICO: AFINAL DE CONTAS, ISSO EXISTE?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MARKETING POLÍTICO: AFINAL DE CONTAS, ISSO EXISTE?"

Transcrição

1 MARKETING POLÍTICO: AFINAL DE CONTAS, ISSO EXISTE? Carlos Eduardo Machado Munhoz Administrador de Empresas e Consultor Empresarial atuando no Planejamento Estratégico de Marketing e Plano de Promoção e Comunicação de pequenas, médias e grandes empresas há 9 anos, Bacharel e Mestrando em Administração de Empresas, pesquisador nas áreas de TI, ERP, CRM, SCM e BI. Membro-fundador, ex-presidente e ex-diretor de Marketing da FASEJ e membro permanente do Conselho Deliberativo Honorário. SITE: O assunto marketing político vem ganhando relevância indiscutível no Brasil, em especial nos últimos 3 anos. Muito se fala e mais ainda se escreve sobre o assunto, mas muitas vezes o termo marketing político ganha significados pejorativos. Vejamos uma pequena amostra disso, a partir de trechos de matérias publicadas na grande imprensa brasileira recentemente: 1) Sei que é exigir muito, mas a melhor ação que o prefeito a ser eleito neste ano pode fazer para aprimorar o capital humano a maior riqueza de sua comunidade é investir na formação dos professores. Eleitoralmente, até compreendo por que não se investe mais dinheiro e energia nessa formação. São ações invisíveis, ao contrário da inauguração de obras. Além disso, a semente plantada hoje será colhida por outra pessoa -talvez muito tempo depois. Para complicar, a opinião pública não demanda essa prioridade, refém que é, muitas vezes, do SHOW DE MARKETING ou, pior, refém da ignorância. O que mais existe, até agora, são projetos fracos, inconsistentes, limitados, ao lado de algumas experiências que, embora sejam férteis, ainda estão escassamente disseminadas. Professor sabe-nada, coluna do respeitado jornalista Gilberto Dimenstein publicada na Folha de São Paulo do dia 30 de Maio de O texto discutia dados sobre a formação de professores no Brasil, relacionando o assunto às eleições municipais que deverão acontecer neste ano. 2) Na atual conjuntura, marcada pelo baixo crescimento, pelo desemprego e pela decepção do eleitorado em relação às promessas feitas durante as eleições presidenciais, é bem provável que pelo menos nas grandes capitais como São Paulo o debate municipal ceda algum espaço a questões federais. O governo federal é o primeiro a avistar esse cenário e, ao que tudo indica, APELARÁ MAIS UMA VEZ PARA O MARKETING. Seria preferível que, para variar, o discurso e a propaganda 1

2 cedessem lugar à ação. Editorial da Folha de São Paulo, de 06 de Maio de 2004, discutindo as eleições municipais. 3) As propagandas do governo federal na TV que utilizaram imagens enganosas foram feitas de uma maneira eticamente inaceitável. Essa é a opinião de especialistas sobre o assunto ouvidos ontem pela Folha. O caso é gravíssimo. Não dá margem para nenhum tipo de tergiversação. Eticamente é intolerável, diz Clóvis de Barros Filho, professor de Filosofia da Comunicação da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing) de São Paulo e de Ética da Escola de Comunicações e Artes da USP (Universidade de São Paulo). Na segunda-feira, reportagem da Folha revelou que uma peça publicitária que divulgava ações do governo utilizou imagens enganosas. Enquanto anunciava números do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), a propaganda mostrava imagens de uma propriedade em Cotia (SP), de 1 milhão de metros quadrados, que nunca recebeu verba do governo. Ontem a Folha revelou que outra propaganda oficial apresentava problemas. O comercial, que divulgava ações do Bolsa-Família programa de transferência de renda do governo, também utilizava imagens enganosas, além de anunciar dados incorretos. As duas peças, que tiveram a coordenação de produção feita pelo MARQUETEIRO Duda Mendonça, foram tiradas do ar. Reportagem da Folha de São Paulo, de 01 de Abril de 2004, intitulada Publicidade do governo federal na televisão utilizou imagens enganosas. 4) Intelectuais de esquerda, tanto quanto sindicalistas e representantes da Igreja, estão no DNA do PT. A debandada de parte desse suporte constitutivo só mostra quanto o Partido dos Trabalhadores mudou, em termos ideológicos, após assumir o governo. Isso não é necessariamente ruim, inclusive porque muitas dessas figuras ilustres gostariam que o governo Lula seguisse à risca a cartilha estatizante que encalacraria de vez o país. Até o momento a política econômica continua a ser realista, e o presidente jura que nada mudará nesse sentido. É uma declaração tranqüilizadora, embora não suficiente. Já passou da hora de aprofundar reformas que permitam que se vá além da ortodoxia monetarista. O problema não é não ouvir os intelectuais do partido, ou a parcela que sobrou deles. A questão é ter fingido que ouviu. E repita-se: fingir ter ouvido na elaboração de um projeto de governo que jamais existiu. Sabe-se hoje que o que o partido chamava de projeto não passava de um conjunto de promessas tiradas provavelmente da cabeça de um publicitário. Entre elas, a de gerar em quatro anos 10 milhões de empregos. O governo do PT, que até há pouco tempo se deliciava com os benefícios da publicidade, precisa se dar conta que MARKETING TEM LIMITE. Ao sucumbir à prática de dar embalagem vistosa a produtos de sabor insosso ou até mesmo falsos, esquece-se de que quem adquire a mercadoria, cedo ou tarde, percebe o rabo de gato no corpo da falsa lebre. No caso do governo petista, as últimas pesquisas mostram que a fila para devolução do produto está crescendo. Trecho de reportagem da Revista VEJA, Edição 1848 de 07 de Abril de 2004, aprofundando a discussão acerca da descoberta, à época, da utilização de imagens falsas na propaganda institucional do governo federal. Há inúmeros outros textos que utilizam-se da conotação de marketing dentro do contexto político, mas reproduzi-los, todos, consumiria um espaço absurdo e não traria resultados ao menos para a discussão mais relevante aqui. Todavia, estes 4 trechos indicam, claramente, vícios que acabaram sendo incorporados àquilo que muitas pessoas PENSAM ser marketing na verdade, não é. 2

3 Em todos os trechos destacados inicialmente a expressão marketing está num contexto negativo, pois propositadamente ou não o termo figura como meio para prejudicar as pessoas. No trecho 1, o termo show de marketing alude a uma população refém de uma imagem que não é verdadeira, uma ilusão e a partir deste paralelo, discute as dificuldades do investimento no capital humano da comunidade. No trecho 2, o texto aponta para a possibilidade de que, talvez, em decorrência de uma fraca ação prática (e real, concreta, tangível), determinada organização (o governo, no caso), apele para o marketing, como se este tivesse o dom de iludir as pessoas, de mostrar coisas que não existem a fim de garantir um objetivo qualquer. No trecho 3, chama a atenção a associação entre uma prática abominável (a propaganda enganosa) e as ações rotineiras do SUPOSTO profissional do marketing, o tal marqueteiro. Aliás, cabe no mínimo um bom estranhamento desta expressão, marqueteiro, que ao meu modesto ver é pobre de espírito, infeliz e não corresponde ao trabalho real exigido por um profissional (sério) de marketing. O exemplo da utilização do termo marqueteiro (grifado no item 3) refere-se ao publicitário Duda Mendonça, tido como um dos grandes responsáveis pelo sucesso da campanha presidencial do PT em 2002, que resultou na eleição do candidato Luis Inácio Lula da Silva. Não cabe, aqui, algum tipo de análise ou demonstração de opinião ideológica ou política o foco é o marketing. O termo marqueteiro deveria fazer referência ao profissional responsável pelas atividades de marketing que muitas vezes é confundido com publicitário. Não se trata de demérito, muito pelo contrário, mas publicitário é uma coisa e marqueteiro é outra! O publicitário é o profissional responsável pelo planejamento, execução, controle e feedback de ações de publicidade e propaganda, campanhas institucionais ou comerciais, criação de jingles, slogans, programação visual etc. É um trabalho assaz fascinante, mas bastante diferente do trabalho de um marqueteiro. No trecho número 4, da Revista Veja, foi destacado o trecho marketing tem limite, pretendendo indicar que graças ao marketing é possível enganar as pessoas, mas apenas até um certo ponto, um limite, depois do qual as pessoas abririam os olhos e veriam a verdade. As ações do marketing são muito mais amplas para ficar na definição tradicional, podemos lembrar que o composto de marketing é associado a 4 itens, que compõem as estratégias de uma empresa ou organização: PRODUTO, PREÇO, PROMOÇÃO e PRAÇA. São os quatro P s do marketing, aos quais a maioria dos autores e especialistas no assunto se referem. De maneira reduzida e extremamente sintetizada, poderíamos definir da seguinte forma: 3

4 a) PRODUTO São as definições e estratégias que mostram a uma organização quais devem ser as características do produto ou serviço que ela pretende fornecer a consumidores em potencial; sob esta chancela devem ser discutidas características físicas e tangíveis do produto (embalagem, cor, quantidade de produtos por embalagem, design, benefícios, durabilidade, garantia etc), bem como intangíveis (estratégia de marca, logotipo, mix de produtos a diversidade, como por exemplo: utilizar a mesma marca para produtos diferentes, como xampu, desodorante, sabonete e condicionador e parcerias/associações). b) PREÇO São definições quanto ao valor que será cobrado, formas de pagamento disponíveis para o consumidor-alvo, política de beneficiamento (quais práticas de descontos serão adotadas, se for o caso), estratégias de penetração de mercado (por exemplo, quando do lançamento de um produto a empresa praticar preços inferiores ao custo de um produto, de maneira a tornar este produto acessível a uma maior quantidade de potenciais consumidores) e estratégia de comparação do produto com seus concorrentes. c) PROMOÇÃO sob esta chancela incluem-se as estratégias de comunicação, promoção do produto (atenção: promoção de vendas, aqui, indica ações que visem promover um produto, como leve 3 e pague 2, venda casada, crossselling etc). Incluem-se ações como propaganda, publicidade e comunicação direta entre outras tantas. d) PRAÇA Do original place em inglês, muitas vezes traduzido como Distribuição, indica as estratégias de logística, distribuição, vendas, alocação e armazenamento dos produtos, escolha dos canais de venda etc. Esclarecidos estes pontos, podemos vislumbrar que a ação do publicitário está mais inclinada a posicionar-se no item c, promoção, do que no conjunto dos 4 itens que compõem a definição do marketing. O profissional de marketing, além de ter que pensar na questão da promoção e da comunicação, precisa ainda participar ativamente na elaboração do produto, definir estratégias de preço e avaliar muito bem as estratégias de distribuição dos produtos da organização. Desta maneira, a utilização da expressão marketing político pressupõe a existência de um PRODUTO (seria o candidato a qualquer cargo eletivo um produto?), uma estratégia de DISTRIBUIÇÃO (OK, serviços não têm, via de regra, estratégias de distribuição, então poderíamos relevar este item), uma estratégia de PROMOÇÃO E COMUNICAÇÃO (OK, horário político pode ser melhor utilizado) e finalmente uma estratégia de PREÇO (por definição não deveria haver, mas eleger um político, qualquer que seja, sempre tem um preço, não?!). 4

5 Esta comparação é bastante frágil, pois a rigor não se pode exigir satisfação garantida ou seu dinheiro de volta, ou com o perdão do trocadilho satisfação garantida ou seu voto de volta. No âmbito do marketing, os profissionais passaram de uma visão do mercado para um enfoque do consumidor e como fica, então, o relacionamento com o consumidor de uma campanha política? No atual estágio das discussões, me parece que este é um impasse e talvez até a origem da confusão e da mal-aplicação do termo marketing político. Certamente esta discussão ganhou um fôlego extra a partir, justamente, da campanha presidencial do PT em Hoje, muitos jornalistas atacam o marketing realizado no decorrer desta campanha, instigando a crescente percepção de que foi realizada uma campanha de marketing que vendeu o que não existia novamente surge a mesma sensação causada pela propaganda enganosa. O que houve na campanha presidencial de 2002, na verdade, é muito distante das melhores práticas do marketing. As melhores práticas organizacionais, atualmente, indicam para os seguintes caminhos: O cliente passou a ter maior importância, donde surge a expressão customer driven organization, ou organização voltada para o consumidor; O marketing passa a integrar uma das áreas estratégicas de toda a organização, ajudando no desenvolvimento de produtos, prospecção de clientes, melhoras no resultado financeiro, melhoras na relação entre a organização e a sociedade (com práticas de filantropia, ações sociais e iniciativas que ofereçam melhoria na qualidade de vida de uma determinada população/comunidade, não importando o tamanho). Desta maneira, passa a atender melhor não apenas o setor comercial da organização (que, historicamente, tem uma relação tumultuada com o departamento de marketing), os demais funcionários da empresa (que, graças a outra mania ou febre, acabou gerando a expressão colaboradores ) mas a toda a sociedade que cerca esta organização; O relacionamento existente entre uma organização/empresa e seus clientes/consumidores baseia-se na verdade, no respeito mútuo e na percepção de benefícios para ambos os lados. Não se pretende, aqui, analisar se de fato houve propaganda enganosa nesta ou naquela campanha política isso cabe ao eleitor decidir. Contudo, cabe, sim, uma discussão sobre os meios utilizados nas campanhas e que, ao final das contas, acaba sendo percebido pelas pessoas como sendo o tal marketing político. A profissionalização da política brasileira deveria ser algo extremamente positivo, haja vista a evolução da sociedade como um todo. Após longos anos sob a ameaça permanente da ditadura militar, dos golpes políticos, da repressão e da censura, o desejo pela liberdade é uma 5

6 constante bem-vinda, diga-se. Entretanto, a sociedade brasileira viu-se encurralada no início do processo democrático, dado que a cena política era dominada pelas mesmas pessoas que antes eram participantes ativa dos governos militares, das ditaduras. Se fôssemos analisar aquele período (que antecede as primeiras eleições gerais diretas, em 1988/1989) sob a chancela do marketing ou mesmo da administração poderíamos encontrar inúmeros casos de vício do produto, o que, em linguagem popular (e sábia) pode ser chamado de defeito de fabricação. Aquelas pessoas que, de alguma maneira, apresentavam-se como opções à antiga (e derrocada) ditadura eram, elas mesmas, peças do jogo militar ao qual o Brasil foi apresentado durante cerca de 20 anos. Tratava-se, pois, de um produto disfarçado isso se fosse possível tratar uma pessoa com a mesma abordagem que se trata uma pessoa. Mas, sinceramente, não acredito que isso seja possível. Uma pessoa emite opiniões, tem o direito de mudar de idéia, de evoluir, mudar; uma pessoa presume-se pensa, o que não acontece com nenhum produto. Talvez um conceito que foi muito difundido há alguns anos tenha contribuído para esta visão, essa abordagem das pessoas como sendo produtos (me lembro de uma capa da Revista Exame, de anos atrás, que falava justamente sobre isso se não me engano o título era algo como A marca Você S/A, e que algum tempo depois ajudou a batizar uma nova publicação da Editora Abril, a revista Você S/A, da qual eu recebi o exemplar zero para avaliação, por ser assinante da Exame há tempos). Essa divagação, aliás, mostra que a tendência de tratar as pessoas como produtos não é nova nem mesmo é brasileira! Provavelmente a massificação e disseminação dessa idéia se deu nos Estados Unidos, no final da década de 70, e atingiu seu ápice no crítico período dos anos 80/90. Época dos yuppies, das fortunas que se faziam (e perdiam) em questão de horas na ciranda financeira de Wall Street, de excesso de riqueza. Possivelmente, este excesso de riqueza ajudou na disseminação desta prática, de tratar pessoas como produtos mas Andy Warhol, num certo sentido, já fazia isto com sua pop-art. Podemos ver mais um traço da influência norte-americana nesta questão do marketing político: a terra do Tio Sam também foi a maior difusora dessa idéia, uma semente quando Richard Nixon e John Kennedy participaram daquele histórico debate televisionado, em Setembro de Era a primeira vez na história americana uma terra cercada de ideais de liberdade, democracia e oportunidades que dois candidatos à Presidência enfrentavam-se desta maneira; mais do que servir aos 70 milhões de telespectadores americanos, esta prática acabou sendo disseminada por outros países e chegou ao Brasil, no famoso debate entre os candidatos Luis Inácio Lula da Silva e Fernando Collor de Mello. Desde então, sua importância veio crescendo, até que quase perdê-la: atualmente os debates não têm mais aquele mesmo gosto para o eleitor. Vimos maiores investimentos nas campanhas (de rádio e televisão), vimos discussões acerca do financiamento público de campanhas, escândalos e acusações de 6

7 todos os lados sobre supostas irregularidades em campanhas eleitorais, denúncias de compras de votos etc. Neste rol de ações que antecedem eleições, as pessoas começaram a solidificar a concepção de que podem votar e, em maior ou menor grau, acabaram perdendo o interesse no ato em si sem necessariamente precisar de um debate entre os candidatos para fazer sua escolha. Não se pode descartar, ainda, a relevância da Internet como meio de comunicação aberto às ações político-eleitorais, assim como jornais, revistas e panfletos. Mas, justamente quando as pessoas começam a perder o interesse nos debates, observamos um crescimento das chamadas ações de marketing político : os políticos, seus assessores e os profissionais contratados para ajudarem nas campanhas eleitorais perceberam que havia outros métodos para sensibilizar e convencer o eleitor. Foi o nascimento da concepção do tal marketing político. Mas, afinal de contas, será que EXISTE marketing político? Na minha modesta opinião, não. Creio tratar-se de mais uma expressão utilizada para preencher uma lacuna: assim como a democracia está engatinhando no Brasil, o processo eleitoral também tem buracos que muita gente não sabe como preencher. Isso, apenas o tempo poderá mostrar. Contudo, nesse meio tempo, cria-se o termo marketing político a partir de uma percepção (errônea) generalizada, um verdadeiro senso-comum, a respeito das atividades desempenhadas pelo marketing. Afinal, se não é possível determinar estratégias de preço, de distribuição, de canais de venda, de política de satisfação do consumidor, o que resta ao marketing político? Resta aquilo que sempre existiu: comunicação e promoção. A campanha presidencial de 2002 viu apenas algumas diferenças em termos de comunicação: o PT conseguiu utilizar a estratégia mais eficaz e mais eficiente de comunicação e promoção do candidato, pois atingiu parcela majoritária do eleitorado (o público-alvo ). Assim, o publicitário Duda Mendonça cumpriu com extrema competência o objetivo organizacional que lhe foi apresentado: eleger o candidato do partido que o contratou através de uma comunicação que atingiu um desejo de grande parcela da população: o desejo de mudança. A estratégia de comunicação do PT foi certeira, na medida em que percebeu uma comoção nacional clamando por mudanças nos rumos políticos, econômicos e sociais e a promoção do candidato exaltava justamente o comprometimento e a promessa da mudança. Uns certamente vão questionar estas afirmações, alegando que as tais mudanças foram apenas promessas de campanha, e que na verdade não ocorreram (há, inclusive, aquela piadinha velha, sobre o terceiro mandato do PSDB, indicando a continuidade às políticas do 7

8 governo anterior que o PT, depois de assumir, manteve). Bem, não vou analisar se isso é fato ou não, pois não é o foco deste texto. Contudo, promessas de campanhas são apenas isso: promessas. Se o candidato irá cumprir ou não é uma questão a ser analisada pelo eleitor, após a eleição daquele candidato. Mais uma prova de que o aclamado marketing político não existe: cadê a possibilidade que todo consumidor deve ter de reclamar de vícios do produto? Ora, o candidato não é um produto, certo? Se fosse, deveria haver, sim, uma política para que o comprador do produto (o eleitor) tivesse a possibilidade de exigir o funcionamento conforme prometido no anúncio ou assegurar o dinheiro de volta. Contudo, não é possível exigir um voto de volta (novamente, com o perdão do trocadilho), nem tampouco o Código de Defesa do Consumidor prevê ressarcimento em caso de o produto não corresponder à propaganda. Se houve ou não propaganda enganosa é uma discussão que, aliás, NÃO envolve todo o marketing, apenas a estratégia de comunicação adotada. É muito comum as empresas contratarem agências de propaganda que irão responsabilizar-se por grande parcela da comunicação desta empresa mas se a agência veicula uma propaganda errada, enganosa, falsa sobre a empresa contratante ou mesmo sobre um único produto, a agência é punida e às vezes a empresa contratante também (caso haja conivência ou algo do gênero). Assim como inúmeros modismos no jargão da administração (ou, como preferem muitos gurus metidos a espertos, do management o que, a rigor, é a mesma coisa, mas em inglês fica mais chique na visão bitolada e pobre), o marketing político tem uma clara tendência a fazer água muito em breve. Não sustenta-se uma discussão a partir de pressupostos frágeis, influenciáveis da mesma maneira, por exemplo, creio que marketing esportivo é outra besteira, outro modismo cretino, mas esta questão fica para uma outra hora. Nesse ínterim, contudo, não pode ser confundido com propaganda enganosa nem com práticas desleais pois o marketing, na essência, nasceu com o propósito inverso: sua base é atender às necessidades e desejos dos consumidores de um produto ou serviço. Quem afirma que existe um marketing político poderia comprovar facilmente se tem razão: crie um produto (não me refiro a clonar uma pessoa, mas sim desenvolver um produto mesmo), precifique-o, estabeleça políticas de troca ou devolução em caso de defeito, desenvolva a estratégia de comunicação e promoção, faça a distribuição do seu produto e garanta que este produto permaneça num cargo eletivo por pelo menos 4 anos. Alguém já imaginou um refrigerante como Presidente da República (as más línguas, certamente, poderão pensar numa garrafa de cachaça ou uísque, devido a fatos recentes, mas insisto: o foco desse texto é outro!)? Quem poderia prever uma calça remetendo um projeto de lei? Uma caneta ou um microcomputador teria condições de enfrentar um comício? Um carro 8

9 certamente enfrentaria uma carreata (novo trocadilho inevitável) sem problemas, mas não se adequaria a um encontro internacional da ONU, não é mesmo? Uma geladeira dificilmente conseguiria inaugurar obras fantásticas (mas se o fizesse, certamente chamaria a atenção e ganharia foto nas capas de todos os jornais!), assim como um celular nunca foi visto presidindo uma CPI. Não acredito que os autores desses textos usados como exemplo sejam ignorantes, nem tampouco tenham tido má-fé ou intenção deliberada de prejudicar os profissionais de marketing (eu incluso) todavia, me sinto na obrigação de esclarecer, ou pelo menos tentar ajudar a elucidar melhor esta onda de marketing político que vem assolando o Brasil. Evidentemente este artigo não pretende encerrar um assunto tão amplo e quente, mas podemos começar a refletir sobre o que é marketing político e o que é apenas enganação com um nome diferente, não?! Assim, duas considerações finais: 1) O marketing não surgiu com o intuito de enganar pessoas muito pelo contrário! Então, jamais se deve confundir propaganda enganosa (seja a feita por empresas, governos, candidatos, partidos, agiotas) com marketing. 2) Um texto muito interessante sobre o assunto pode ser lido em: Apesar de refletir uma idéia com a qual não concordo (e na qual vejo diversas falhas), é uma abordagem interessante para enriquecer uma discussão sobre a questão. O princípio, aliás, vale para outras divisões que foram inventadas recentemente para o marketing, como: pessoal, esportivo, social...daqui a pouco teremos marketing bancário, marketing automobilístico, marketing cosmetológico, marketing editorial, marketing plúmeo, marketing religioso, marketing termiátrico, marketing sexual, marketing canino etc... 9

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010)

GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE DESVENDANDO A NOTÍCIA. Pastor recua e garante que nunca irá queimar o Alcorão (Folha UOL/ 10/09/2010) GABARITO ATIVIDADE DE CLASSE Questão 1 DESVENDANDO A NOTÍCIA Certos acontecimentos que ganham destaque na mídia internacional costumam, como se diz na linguagem corrente, esconder problemas ou polêmicas

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA JUNHO DE 2007 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública nacional Universo Eleitores e potenciais eleitores brasileiros que

Leia mais

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propaganda ideológica Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propagandas: comerciais e eleitorais Estão em todo parte: televisão, rádio, cartazes; veículos; objetos... As

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade!

Enem. Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Enem Dicas para você se dar bem na prova. A prova do ENEM está ai e você precisa de uma boa nota, certo? Verdade! Não tem mais para onde correr: O resto dos seus dias depende disso. Ou pelo menos é assim

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

NOVAS HABILIDADES PARA O DEPARTAMENTO DE TI ORIENTADO A SERVIÇOS

NOVAS HABILIDADES PARA O DEPARTAMENTO DE TI ORIENTADO A SERVIÇOS NOVAS HABILIDADES PARA O DEPARTAMENTO DE TI ORIENTADO A SERVIÇOS Ser o líder de TI de uma empresa pode ser uma situação bem parecida com estar em uma plataforma de petróleo em chamas. O departamento de

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido!

Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! Curso: Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia Ênio Padilha 2006 Módulo 1: Introdução. Marketing, esse famoso Desconhecido! 1.1. MIX DE MARKETING Você já deve ter feito o nosso Teste de Conhecimentos

Leia mais

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa...

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Sobre o estudo perfil Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Amostra: Total: 1.035 respondentes Consumidores: 805 Profissionais: 230 objetivo

Leia mais

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Erros e Dicas para Vender seus Serviços MElina Kunifas 2010 WWW. M E L I N A K U N I F A S. C O M Caro leitor, este livreto tem o propósito de educar e

Leia mais

presidente Brasil Por Nízea Coelho

presidente Brasil Por Nízea Coelho a PRIMEIRA presidente do Brasil Por Nízea Coelho 1 Lula é um fenômeno no mundo Historiador, mestre e futuro doutor. Este é Leandro Pereira Gonçalves, professor de História do Centro de Ensino Superior

Leia mais

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO -

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - A estrutura a seguir foi desenvolvida com base no escopo da disciplina de Planejamento Estratégico de Comunicação,

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

Introdução. Pra quem é esse ebook?

Introdução. Pra quem é esse ebook? Introdução Se você está lendo esse ebook é porque já conhece o potencial de resultados que o marketing digital e o delivery online podem trazer para a sua pizzaria. Bem como também deve saber que em pouco

Leia mais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Bases legais Constituição Federal Lei das Eleições (Lei 9.504/97) Lei das Inelegibilidades (LC 64/90) Código Eleitoral Resoluções do TSE Finalidade da Legislação

Leia mais

coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing.

coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing. 10 coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing. Quem é o seu público? Para quem você quer vender? Parece óbvio, não? Mas muitos empreendedores engasgam para responder esta pergunta. Na

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 21/07/2015 A 128ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 12 a 16 de julho de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

A Eficácia da Comunicação no Varejo (O que funciona e o que não funciona) Congresso ABEP 2006

A Eficácia da Comunicação no Varejo (O que funciona e o que não funciona) Congresso ABEP 2006 A Eficácia da Comunicação no Varejo (O que funciona e o que não funciona) Congresso ABEP 2006 Mar / 2006 Por que focar no Varejo? Investimentos em Mídia Volume em R$ 5.540.176 Varejo representa 27% dos

Leia mais

Capítulo 1 Por que Google Marketing?

Capítulo 1 Por que Google Marketing? Capítulo 1 Por que Google Marketing? O Google modificou substancialmente a maneira como o mercado lida com a informação e informação, na nossa sociedade pós terceira onda, é tudo. Do dinheiro ao eletrodoméstico,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 89 CNT 18 a 22 de Junho de 2007 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis usados, além do crescimento de renda da população e

Leia mais

O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO

O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO O TEMA DAS POLÍTICAS SOCIAIS NO DEBATE POLÍTICO ELEITORAL BRASILEIRO Pela primeira vez desde 1984 uma das grandes figuras da política moderna no Brasil, Luis Ignácio Lula da Silva, não será candidato a

Leia mais

Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO MULTIPLATAFORMA

Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO MULTIPLATAFORMA 29. 09. 2014 Geral Nome da pesquisa Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO Autor 2 Apêndice: Pesquisa Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO A reunião na agência foi muito positiva. Márcio

Leia mais

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento.

O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. 2º Seminário Nacional de REDES SOCIAIS e E-GOV para Administração Pública O marketing aplicado aos mandatos : A importância da leitura de cenário para o planejamento. Daniel Machado Especialista em Marketing

Leia mais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais Os desafios do Bradesco nas redes sociais Atual gerente de redes sociais do Bradesco, Marcelo Salgado, de 31 anos, começou sua carreira no banco como operador de telemarketing em 2000. Ele foi um dos responsáveis

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO

5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO 5 dicas incríveis de Facebook Ads para iniciantes. 1 INTRODUÇÃO Este e book foi criado após ter percebido uma série de dúvidas de iniciantes em Facebook Ads. O seu conteúdo é baseado na utilização da plataforma

Leia mais

Da propaganda ao marketing ao Visual Merchandising, como nasceu o seu interesse pelo Visual Merchandising?

Da propaganda ao marketing ao Visual Merchandising, como nasceu o seu interesse pelo Visual Merchandising? A experiência no ambiente de loja é essencial para a relação entre o consumidor e a marca. Não é mais simplesmente uma questão de produtos, é preciso tornar a própria loja interessante e aconchegante para

Leia mais

O LABORATÓRIO DE PESQUISA DA UNICARIOCA

O LABORATÓRIO DE PESQUISA DA UNICARIOCA Ingressar em um emprego mediante concurso público é ambição para muitas pessoas, isso se deve ao fato de que o salário oferecido, a estabilidade, os benefícios na maioria dos cargos é bastante superior

Leia mais

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados Datafolha, propaganda e eleitores nos estados 23 de agosto de 2010 1. Vitória de Dilma no 1º turno Bastou uma semana de horário eleitoral gratuito em rádio e televisão ao lado do presidente Lula para Dilma

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL Prof. a Fabiana Baraldi - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Estratégias de Comunicação

Estratégias de Comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi A propaganda é parte do marketing e uma das ferramentas da comunicação. Uma boa estratégia de marketing não garante que a campanha de propaganda será boa, mas é condição essencial

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

AULA 20. Atendimento

AULA 20. Atendimento AULA 20 Atendimento Marketing em Serviços Marketing em serviços pode ser definido com o conjunto de atividades que objetivam a análise, o planejamento, a implementação e o controle de programas destinados

Leia mais

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 1. CAPA 2. SUMÁRIO 3. INTRODUÇÃO FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 4. DESCRIÇÃO DA EMPRESA E DO SERVIÇO 4.1 Descrever sua Visão, VISÃO DA EMPRESA COMO VOCÊS IMAGINAM A EMPRESA

Leia mais

nao e moleza Quem entende de avaliação é quem está na escola

nao e moleza Quem entende de avaliação é quem está na escola nao e moleza Quem entende de avaliação é quem está na escola Estudantes trabalhadores A Educação de Jovens e Adultos (EJA) nas escolas foi uma conquista dos trabalhadores. Desde os anos 50, diversos movimentos

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 Recentemente, escrevi uma crônica cujo texto apresentava algumas possíveis causas para que o processo de formação

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

Os tempos mudaram. Campanha de valorização

Os tempos mudaram. Campanha de valorização Campanha de valorização Os tempos mudaram Terceira fase da Campanha de Valorização do Marketing Direto enfatiza a revolução nas formas de conquistar o público e a proximidade da disciplina com as novas

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA GUIA PARA A ESCOLHA DO PERFIL DE INVESTIMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Caro Participante: Preparamos para você um guia contendo conceitos básicos sobre investimentos, feito para ajudá-lo a escolher

Leia mais

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil.

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil. Compras de Final de Ano Veja as vantagens e como é prático comprar pela internet: Você não sai de casa para comprar; Recebe o produto no conforto do seu lar; Filas? Esqueça; Não precisa bater perna atrás

Leia mais

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 Bárbara Fernandes Valente da Cunha 2 * Palavras-chaves: Comunicação

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

Pgm 652 - Problemas da telefonia celular - 14/08/2012

Pgm 652 - Problemas da telefonia celular - 14/08/2012 Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 27/12/2012-21h41 Pgm 652 - Problemas da telefonia celular - 14/08/2012 O programaobservatório da Imprensa na TV, exibido ao vivo na terça-feira (14/08)

Leia mais

Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. "Uma arma verdadeiramente competitiva"

Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. Uma arma verdadeiramente competitiva Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos "Uma arma verdadeiramente competitiva" Pequeno Histórico No período do pós-guerra até a década de 70, num mercado em franca expansão, as empresas se voltaram

Leia mais

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial Começo minha reflexão de hoje pensando um pouco na história da Administração, nos princípios de gestão e formas como as empresas hoje são geridas.

Leia mais

Caros ouvintes vos peço. Atenção uma vez mais. Para fazer uma análise. Creio interessa demais. O tema é muito importante. Me escutem por um instante

Caros ouvintes vos peço. Atenção uma vez mais. Para fazer uma análise. Creio interessa demais. O tema é muito importante. Me escutem por um instante A POLÍTICA E A POLITICAGEM Literatura de cordel Autor: PAULO TARCISO Caros ouvintes vos peço Atenção uma vez mais Para fazer uma análise Creio interessa demais O tema é muito importante Me escutem por

Leia mais

Televisão brasileira: o início da problemática 1

Televisão brasileira: o início da problemática 1 Televisão brasileira: o início da problemática 1 AUTOR: QUINTANA JÚNIOR, José CURSO: Comunicação Social Jornalismo/Unifra, Santa Maria, RS OBRA: CAPARELLI, Sérgio. Televisão e capitalismo no Brasil: com

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente.

A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente. .a agência A LB Comunica desenvolve estratégias e ações de marketing e comunicação, feitas sob medida para a realidade e as necessidades de cada cliente. Nosso compromisso é auxiliar empresas e organizações

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Tema geral: Como o eleitor escolheu seus candidatos em 2010

Pesquisa de Opinião Pública Tema geral: Como o eleitor escolheu seus candidatos em 2010 Pesquisa de Opinião Pública Tema geral: Como o eleitor escolheu seus candidatos em 2010 Apresentação: Somos pesquisadores da Universidade Federal do Ceará e gostaríamos de saber como as pessoas votaram

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença?

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença? MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS Qual a diferença? Marketing promocional É uma ferramenta que se utiliza de várias outras para promover a promoção de vendas. Por exemplo: Marketing promocional

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

Aviso Legal...6. Sobre o autor... 7. Prefácio... 8. 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11. 2. Importação Seus Mistérios...

Aviso Legal...6. Sobre o autor... 7. Prefácio... 8. 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11. 2. Importação Seus Mistérios... Conteúdo Aviso Legal...6 Sobre o autor... 7 Prefácio... 8 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11 2. Importação Seus Mistérios... 14 2.1 Importar é Legal?... 15 2.2 Por Que Importar?... 15 2.3

Leia mais

Prazo de Validade e indústria de alimento

Prazo de Validade e indústria de alimento Prazo de Validade e indústria de alimento Luiz Eduardo Carvalho Na Inglaterra uma cerveja em lata apresenta e prazo de validade nas tampas superior e inferior, bem como alerta no rótulo para que tal informação

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 127ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 23/03/2015 A 127ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 16 a 19 de março de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

Resultados da 112ª Pesquisa CNT de Opinião

Resultados da 112ª Pesquisa CNT de Opinião Resultados da 112ª Pesquisa CNT de Opinião Brasília, 03/08/2012 A 112ª Pesquisa CNT de Opinião, realizada de 18 a 26 de Julho de 2012 e divulgada hoje (03 de Agosto de 2012) pela Confederação Nacional

Leia mais

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional

Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010. Regional Pesquisa Qualitativa Campanha Brasil 2010 Regional Julho de 2010 Pesquisa de Avaliação Campanha Brasil 2010 - Regional No período entre 28 de junho e 02 de julho de 2010 foram realizados os Grupos Focais

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

Proposta de publicidade

Proposta de publicidade Proposta de publicidade Olá, prezado (a) Vimos por meio deste apresentar nosso Jornal e a nossa proposta de publicidade para seu negocio ou serviço, que segue-se adiante. Informação é fundamental nos dias

Leia mais

PROPAGANDA INSTITUCIONAL

PROPAGANDA INSTITUCIONAL 1 www.oxisdaquestao.com.br PROPAGANDA INSTITUCIONAL Praga da mentira sustentada com dinheiro público Texto de CARLOS CHAPARRO O Brasil que nos é vendido pela comunicação institucional dos governos federal,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas

Unidade IV. Comunicação Empresarial. Profª. Cleide de Freitas Unidade IV Comunicação Empresarial Profª. Cleide de Freitas Resumo aula anterior Variações Línguísticas Níveis da fala Modelos de redação Veículos de redação administrativa Vantagens e desvantagens da

Leia mais

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br

COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO. Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA CONTEXTO Professora Rosicler Bettarelli rbettarelli@cidadesp.edu.br A COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA...... deve ser elaborada a partir do quadro sociocultural do consumidor alvo COMUNICAÇÃO

Leia mais