Rodrigo Zuccolotto* Dirceu da Silva** Mauro Neves Garcia***

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rodrigo Zuccolotto* Dirceu da Silva** Mauro Neves Garcia***"

Transcrição

1 CORRELAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING POLÍTICO COM O PROCESSO DE DECISÃO DO ELEITOR Rodrigo Zuccolotto* Dirceu da Silva** Mauro Neves Garcia*** Resumo Neste artigo discute-se a correlação existente entre as estratégias mercadológicas aplicadas em um contexto político e o processo de decisão do eleitorado. São utilizados os conceitos de marketing, marketing político e um breve contexto do cenário político brasileiro para abrir a discussão e estabelecer tal correlação. Para atender ao objetivo proposto, utiliza-se uma estruturada argumentação teórica, ressaltando os vários teóricos do marketing e do marketing político como subsídio, além da utilização de uma pesquisa de abordagem qualitativa focus group para estabelecer e comprovar tal correlação. Este processo de gerenciamento mercadológico é entendido como todas as atividades que um ator (indivíduo, grupo ou organização), dentro do contexto político, desenvolve no sentido de persuadir o modo como os outros vêem os candidatos políticos, visando à criação de uma imagem social desejada. Apresenta-se então, uma situação de impacto das ações mercadológicas, construindo uma imagem sólida dos candidatos, fazendo com que se propicie a persuasão, ou seja, haja a influência dessas estratégias de marketing no comportamento do eleitor. Palavras-chave: Marketing político; processo decisório; comportamento eleitoral; atitudes e eleitores. used to discuss and to establish such correlation. Considering the objective, a structured argues are used to compare with the theories mentioned in the article, evidencing some theoreticians of the marketing and the political marketing as subsidy. Thus, two sessions of focus group are used to justify and confirm the relation existent. The process of marketing management can be considered as all the activities that an actor (individual, group or organization), inside the politician context, develops in the direction to persuade the way as the others see the politicians, aiming the creation of a desired social image. It presents a situation of impact of the marketing actions, building a solid image of the candidates, making and propritiating a persuasion process, either, has the influence of these strategies of marketing in the behavior of the electors. Key-words: Political marketing; decision process, electoral behavior; attitudes and electors. * Mestrando em Administração de Empresas pela UniFECAP- ** Professor Doutor do curso de Mestrado em Administração de Empresas da FECAP / UNICAMP ***Professor Doutor do curso de Mestrado em Administração de Empresas da FECAP Abstract: This article argues the existing correlation between the marketing strategies applied in a politician context and the decision process of the electorate. The concepts of marketing, political marketing and a brief context of the Brazilian scenario in politics are

2 Rodrigo Zuccolotto - Dirceu da Silva - Mauro Neves Garcia 1. Introdução: Marketing é a ciência que se fundamenta na identificação e interpretação de anseios do mercado para, posteriormente, poder atendê-los, satisfazendo as necessidades identificadas. Segundo Kotler (2000), o marketing é mais uma filosofia de gestão do que simplesmente vender. Marketing é a social and managerial process by which individuals and groups obtain what they need and want through creating and exchanging products and value with others. Ressalta-se que o marketing possui inúmeros campos de aplicação, dentre eles, o político. Neste contexto, o marketing é definido como a arte de informar e comunicar com o eleitor; orientar e direcionar as idéias do partido, candidato e governo, em função das necessidades que se detectam; é definir o seu público e satisfazê-los; é potenciar relações duradouras com os eleitores. Enfim, é o ajustar das medidas às necessidades do estado e da sociedade, aos anseios dos cidadãos, no sentido de os servir sempre melhor, aproximando o governo dos governados. Segundo, Liebeskind (2002), marketing politico também pode ser definido como seeking to establish, maintain and enhance long-term voter relationships at a profit for society and political parties, so that the objectives of the individual political actors and organizations involved are met. This is done by mutual exchange and fulfillment of promises. Segundo Rego (1985), o Marketing Político é um esforço planejado para se cultivar a atenção, o interesse e a preferência de um mercado de eleitores, é o caminho seguro para o sucesso de quem deseja vencer na política. Kotler (1978) relata as abordagens de marketing necessárias para que um cidadão saia do anonimato e consiga ser eleito e permaneça eleito, isto é, que um político possua uma meta dominante a fim de ser eleito e de que todos os seus planos e ações sejam escolhidos, visando a essa meta. O candidato é um novo produto procurando um lançamento bem sucedido no mercado de eleitores. Assim que for eleito, o candidato deverá sempre manter e cultivar a satisfação dos eleitores através de seu bom desempenho, organização, retórica apropriada e carisma, pois candidato carismático é aquele que dá a um grande número de eleitores a sensação de que irão, pessoalmente, beneficiar-se através da eleição do candidato. A abordagem mercadológica dentro do contexto político brasileiro surge a partir das primeiras eleições diretas, ou seja, a utilização das estratégias de marketing político surge com o restabelecimento da democracia e, por conseguinte, da concorrência eleitoral, onde os candidatos a cargos públicos começam a buscar nas estratégias mercadológicas uma melhor performance nas campanhas eleitorais. As eleições de 1989, por exemplo, têm um significado histórico por apresentarem várias novidades, entre elas, o fato de serem as primeiras eleições dentro do processo democrático, depois de mais de vinte anos de ditadura e da falta de experiência causada pela ausência de eleições livres para os cargos majoritários. Portanto, este campo do conhecimento, o do marketing político, ainda é um fenômeno complexo no Brasil por ser muito recente e por possuir muitas peculiaridades. Se por um lado é necessário analisar o eleitorado, que por ser na sua maioria pouco escolarizado e por isso, utiliza os meios de comunicação eletrônicos como principal fonte de informação sobre os candidatos, por outro, os partidos buscam através de alianças políticas o fortalecimento através de uma imagem confiável. Ressalta-se que o conceito de marketing político difere do de marketing eleitoral. O primeiro é utilizado na gestão política ou administração pública para garantir a eficiência do uso das ferramentas adequadas para a comunicação com a população, preservando a imagem do homem público e garantindo a correta avaliação popular das ações sociais impetradas pelos atores do cenário político. Já o marketing eleitoral 2

3 CORRELAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING POLÍTICO COM O PROCESSO DE DECISÃO DO ELEITOR representa hoje o que de mais eficiente pode se levar a termo em uma campanha eleitoral. Ferramenta mundialmente utilizada em processos eletivos, demonstra em várias ocasiões sua eficiência e eficácia. Não obstante, seu poder, se utilizado por amadores, pode levar o candidato a erros crassos que prejudicam ou até levam a derrotas, campanhas com chances reais de vitória. Salienta-se que algumas dúvidas e receios permanecem na sociedade acerca da associação destas duas palavras: marketing e política. Dúvidas estas que têm gerado alguns preconceitos, propagando a idéia de que o marketing político é a deturpação e corrupção da política, posto que nada mais é do que a venda do político em troca do voto em um mercado de eleitores, onde, via de regra, o eleitor se sente prejudicado. Por conseguinte, este eleitor argumenta que a embalagem, quando trabalhada pelo marketing, supera o conteúdo político, ou seja, a imagem vence o discurso. Em outro extremo, o processo de decisão do voto, segundo Veiga (2001), é um momento de incertezas e angústias na medida em que a percepção da necessidade da escolha vem associada à crença de que qualquer político que venha a ser escolhido dificilmente corresponderá à sua expectativa. Contudo, é precisamente este período de incerteza que motiva o eleitor, fazendo com que as pessoas busquem informações. Para saciar esta busca incessante por informações entram em cena os atores do marketing político e vence aquele que souber melhor utilizar e explorar este instrumento tão poderoso e atualmente uma realidade inexorável: o marketing atrelado à política, pois sábio é aquele que enxerga e percebe que numa sociedade sempre existirão os convincentes e os convencidos e, dentro deste contexto, verdades e fatos concretos e verídicos tornam-se desprezíveis, banais e impotentes diante das opiniões quando utilizadas de forma veemente, alcançando um único objetivo: persuadir e convencer os eleitores. 1.1 Ferramentas do marketing político Como o público alvo do marketing político é o mercado eleitor, os profissionais de marketing direcionam as suas estratégias para satisfazer este segmento de maneira lucrativa. Em uma campanha eleitoral, depois de uma pesquisa detalhada dos eleitores, o composto mercadológico é direcionado aos resultados dessa pesquisa. Embora dezenas de variáveis estejam envolvidas, a tomada de decisões em marketing pode ser dividida em quatro estratégias básicas, conhecidas como quatro P s : Produto, Preço, Ponto (distribuição) e Promoção. Seu conjunto forma o composto de marketing - mistura dos quatro elementos de estratégia para atender às necessidades e preferências de um mercado específico. Enquanto esta classificação em quatro itens é útil para um estudo e análise, a combinação das variáveis determina o grau de sucesso do marketing. O marketing político, embora possua as suas particularidades, também pode ser enfocado neste composto mercadológico tradicional. Estratégia de produto: no marketing político, o produto é o candidato que precisa vender sua imagem ao eleitor, buscando através das pesquisas de mercado, moldar seu perfil ao escolhido por seu públicoalvo. Estratégia de preço: no marketing político, o preço é o que o candidato propõe para ser justificável e apreciado pelos eleitores. Um dos inúmeros fatores que influenciam a estratégia de preço criada pelo profissional de marketing é a competitividade e dentro do contexto político, o candidato precisa buscar as melhores propostas para agradar o eleitor e vencer a concorrência. Estratégia de distribuição: no marketing político, a distribuição é feita através dos meios de comunicação como revistas, jornais, folhetos, televisão, Internet, entre outros; e também através de cabos eleitorais, para que a imagem do candidato e suas propostas cheguem em tempo hábil ao mercado, ou seja, os eleitores. Estratégia de promoção: no marketing político, a promoção varia de 3

4 Rodrigo Zuccolotto - Dirceu da Silva - Mauro Neves Garcia ações sociais executadas pelo candidato como remédios, transportes, alimentos, entre outras ajudas que possam incentivar o eleitor a escolher determinado candidato ou partido. Através da utilização do composto mercadológico pelos partidos e candidatos, as eleições têm uma grande mudança de perfil, onde o planejamento e execução são estudados e adaptados à realidade proposta pelo público, ou seja, o eleitorado. 2. Embasamento e fundamentação Pretende-se ao longo deste artigo verificar como se estabelece uma relação entre o comportamento do eleitor e o seu processo de decisão do voto dentro do campo eleitoral e as estratégias de marketing político que lhe são impostas durante o processo eleitoral, sejam pelos meios de comunicação ou por outras vias. A sua utilização tem crescido na última década devido à importância que lhe foi atribuída como agente catalisador de votos e, portanto, algo fundamental no processo político, além do sucesso da implantação do sistema democrático no mundo. Este crescimento é constatado com a instalação do regime democrático nos países, criando o pluripartidarismo e aumentando a concorrência. Para um maior embasamento científico, alguns artigos científicos publicados foram necessariamente utilizados. A opção por artigos estrangeiros se fez óbvia diante do estágio de maturidade que o marketing político atingiu em países como a Inglaterra e os Estados Unidos. O Shaughnessy (1990) descreve que o marketing político é algo relevante em um processo eleitoral, pois, segundo o autor, o impacto do marketing na política não tem a eficiência e eficácia do impacto do marketing nos negócios por causa das diferenças de contextos estabelecidos entre eles. O autor se contrapõe aos defensores do Marketing, entre eles, Kotler (2000) e Kuntz (1986), pois expõe de forma elucidativa que o marketing é uma disciplina cuja relevância primária se situa no campo dos negócios e, portanto, não se pode assumir que o marketing tem o mesmo efeito no contexto político. Neste sentido, a proposta do texto é to sensitise students and researchers alike to the differences in commercial and political contexts, differences of which practioners must be aware if they are to utilize political marketing to its best advantage. Segundo O Cass (1996), as relações entre os partidos políticos, os eleitores e a sociedade se fundamentam na aplicação das estratégias mercadológicas, evidenciando o marketing político e colocando-o como uma importante área de pesquisa. De acordo com o autor, Understanding such connections is vitally important for effective and efficient use of marketing in politics and also for improvement in the delivery of the political offering to society. Smith & Hirst (2001) evidenciam a importância das estratégias mercadológicas aplicadas no contexto político por uma série de razões, entre elas, a pesquisa de marketing, utilizando um amplo e complexo banco de dados, identificando os eleitores e as suas opções. Over the last decade there has been a marked increase in research into marketing s relevance and application to politics, both of a theoretical and applied nature. Segundo os autores, o marketing político deixou de ser uma venda sofisticada, utilizando a mídia eletrônica para empurrar as idéias de um partido para uma complexa estratégia, envolvendo inúmeras atividades, dentre elas, a construção de uma imagem, identificação do eleitorado, utilização de um processo de comunicação integrado e pesquisas. Butler e Collins (1994) discorrem algumas peculiaridades do marketing político. Para tanto, cita características próprias, diferentes das características convencionais utilizadas pelo marketing. An analysis of the similarities and differences between elections and other marketplaces indicates that the 4

5 CORRELAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING POLÍTICO COM O PROCESSO DE DECISÃO DO ELEITOR structural elements and the process of political marketing are significantly different from most other commercial and non-commercial industries. Nimmo (1970) discorre sobre a criação de um modelo de um plano mercadológico para os partidos políticos, incorporando técnicas para as campanhas eleitorais. De acordo com o autor, political marketing is an academic discipline is a relatively new and embryonic area. Most current definitions of political marketing (Shama, 1973) identify the political marketing process as concerned more the communication process between voters and political entities (either parties or candidates) neglecting organizational components. Nimmo demonstra que that in order to reach and communicate with those voters who are the most likely to change their allegiance inside and outside the election cycle, political strategists need to use a structured and planned approach. Gustavo Cardoso (1998) afirma que não há marketing político, pois o marketing funciona muito na perspectiva da simplificação e da redução da mensagem ao mínimo denominador comum. E há certas coisas que não podem ser reduzidas, pois quando isso se faz elas perdem o significado. A política, os candidatos e os representantes eleitos não são comparáveis aos produtos de consumo. Pelo que temos pensar em formas diferentes de abordar essa questão. Marketing político é um termo enganador. A lógica do marketing tradicional não se pode aplicar à política. Figueiredo (1998) possui uma outra concepção do assunto abordado, pois cita a importância que vêm assumindo a mídia, o marketing e as pesquisas no processo eleitoral e o crescente papel dos candidatos não são peculiaridades da democracia brasileira. Segundo ele, são fenômenos decorrentes das transformações tecnológicas e da escala das democracias contemporâneas, que certamente mudaram o funcionamento dos governos representativos. Contudo, seus efeitos no processo eleitoral não são independentes dos processos políticos que ocorrem nos períodos intereleitorais. Ou seja, o efeito da propaganda enganosa de um candidato sobre o resultado eleitoral não depende inteiramente da capacidade do marketeiro, da qualidade de sua publicidade e dos recursos técnicos de que dispõe, como parecem acreditar muitos, mas de vários outros fatores, entre eles o papel representado pela oposição no período intereleitoral, principalmente em sua capacidade de difundir informações. Kotler (1978) relata as abordagens de marketing necessárias para que um cidadão saia do anonimato e consiga ser eleito, permanecendo eleito, isto é, que um político possua uma meta dominante a fim de ser eleito e de que todos os seus planos e ações sejam escolhidos, visando a essa meta. O candidato é um novo produto procurando um lançamento bem sucedido no mercado de eleitores. Assim que for eleito, o candidato deverá sempre manter e cultivar a satisfação dos eleitores através de seu bom desempenho, organização, retórica apropriada e carisma, pois candidato carismático é aquele que dá a um grande número de eleitores a sensação de que irão, pessoalmente, beneficiar-se através da eleição do candidato. Kuntz (1986) aborda a estreita relação de um candidato político com a imprensa, citando: A notícia tem que atender, primeiro, ao interesse do leitor; segundo, às conveniências do veículo, e somente depois de satisfeitas estas duas condições é que pode atender ao candidato. O texto reflete a incessante guerra pela conquista da imprensa e, conseqüentemente, por espaço na mídia por parte dos candidatos políticos, sustentando que se sairão melhor aqueles que conseguirem manter um equilibrado relacionamento com todos os seus componentes, desde o simples repórter até os controladores dos veículos, tendo como meta obter melhores resultados, ocupando os veículos com a máxima eficácia e aproveitando os espaços que conseguirem ocupar. Domenach (1963) relata a força desta poderosa arma, a propaganda política, pois sem ela várias revoluções não seriam sequer concebíveis. O autor discute algo tão antigo quão antiga é a sociedade: a propaganda política, sendo esta a grande responsável por propiciar um consenso das massas e, por conseguinte, fazer com que estas absorvam os valores do líder e da classe dominante. Tal fato se constata quando Hitler diz: A propaganda permitiu-nos conservar o poder, a propaganda nos possibilitará a conquista do mundo (Apud, Domenach, 1963). Ou mesmo quando Lênin diz: O 5

6 Rodrigo Zuccolotto - Dirceu da Silva - Mauro Neves Garcia principal é a agitação e a propaganda em todas as camadas do povo (Apud, Domenach, 1963). Este autor defende que a propaganda ocupa o primeiro lugar na hierarquia de poderes, já que é utilizada para influenciar, persuadir, manipular e dirigir a opinião pública. Domenach relata o poder da propaganda quando ressalta algumas frases célebres, tal como a de Adolf Hitler: A propaganda deve limitar-se a um pequeno número de idéias e repeti-las incansavelmente. As massas não se lembrarão das idéias mais simples a menos que sejam repetidas centenas de vezes. Ou mesmo quando Domenach, citando Goebbels, diz que a Igreja Católica mantém-se porque repete a mesma coisa há dois mil anos... (Apud, Domenach, 1963). Apesar de ser uma ferramenta amplamente utilizada há décadas, o marketing político é considerado um ramo do conhecimento recente no país. O marketing político ainda possui áreas que precisam ser delimitadas, especialmente quando utilizadas em diferentes regiões, com realidades históricas, sociais, econômicas e culturais, pois tais variáveis podem causar ingerência na definição de seu modo de atuar. Diante disto, os objetivos do presente estudo são: estabelecer uma relação entre o marketing político e o processo de decisão do eleitor e correlacionar as estratégias mercadológicas utilizadas no contexto político com o comportamento do mercado eleitoral. 3. Metodologia Para analisar uma possível correlação entre o marketing e o processo de decisão de voto da população, foram utilizadas as pesquisas qualitativas com grupos de discussão - Focus Group (FG). Seu objetivo é possibilitar o levantamento de opiniões típicas sobre um tema, sem a preocupação de investigar o grau de generalidade dessas opiniões, o que demandaria recursos de natureza quantitativa. Portanto, os grupos de discussão funcionaram como estimuladores das impressões dos indivíduos, levando-os a falar de um tema que de outra forma ficaria amortecido pela falta de uso, uma vez que o marketing político não é fortemente presente na vida de nenhum deles. Quando participam vários utilizadores - Focus Group - a interação entre os mesmos vai dar lugar à consideração de interessantes aspectos adicionais ou à identificação de problemas comuns experimentados por muitas pessoas. As suas características gerais são (Krueger, 1994): envolvimento de pessoas; reuniões em série; homogeneidade dos participantes quanto aos aspectos de interesse da pesquisa; geração de dados; natureza qualitativa; discussão focada em tópico determinado pelo propósito da pesquisa. A função do Focus Group é, portanto, captar os requerimentos dos entrevistados, encontrando similaridade e adversidade. O trabalho baseou-se nos resultados das duas sessões de focus group realizadas em Setembro de Em ambas as sessões houve participação de oito pessoas, totalizando dezesseis eleitores, pertencentes à mesma classe social, caracterizando a homogeneidade necessária, com idades variando de 17 a 66 anos. Para evitar que os entrevistados preestabelecessem opiniões acerca do assunto, nada foi divulgado, de modo que eles permaneciam desconhecendo a investigação e os seus objetivos até o momento da realização dos grupos. Nas discussões, a opção utilizada foi a da estratégia analítica de categorização dos elementos mencionados nas discussões, dentre eles, as estratégias de marketing das campanhas, o discurso dos candidatos, os apelos ofensivos e defensivos, as características pessoais dos candidatos e a comunicação de suas plataformas eleitorais. Com relação ao marketing das campanhas, as pessoas discutiram a importância de se evidenciar o partido, as pessoas que o compõem, ao carisma do candidato, à sua competência, às mudanças propostas, à ênfase dada ao otimismo quanto ao futuro e ao histórico do candidato. Portanto, essas 6

7 CORRELAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING POLÍTICO COM O PROCESSO DE DECISÃO DO ELEITOR foram evidências consideradas importantes para se comunicar à sociedade. Alguns entrevistados confirmaram a mudança de seu voto pela forma com que determinada campanha foi comunicada a eles. O discurso do candidato é fundamental para a maioria, pois crêem no poder de persuasão do candidato, em suas crenças, promessas. Discutiram a eficiência de um discurso bem estruturado, maduro, falado com emoção, transmitindo confiança. Alguns entrevistados também confirmaram mudança de voto após serem persuadidos por um bom discurso. Consideraram os apelos desprezíveis e desnecessários em uma disputa eleitoral. Confirmaram terem mudado os seus votos quando se sentiram desrespeitados pelas campanhas apelativas estratégias mercadológicas mal aplicadas e mal geridas. As características pessoais dos candidatos foram muito citadas pelos entrevistados que consideraram fundamental um candidato com uma boa aparência e vestimenta para representá-los. Neste sentido, a embalagem do produto supera o seu conteúdo. As plataformas eleitorais, ou seja, as pretensões dos candidatos, suas prioridades atribuídas às necessidades identificadas foram amplamente discutidas e, como as anteriores, alguns também confirmaram mudança de voto em virtude da plataforma de governo ter sido estruturada e comunicada de forma estratégica pelos marketeiros. Por não ter tido a obtenção do termo de consentimento dos participantes das sessões de focus group, todos os nomes foram preservados. A mesma atitude se estendeu para as gravações das reuniões, sendo liberadas somente as anotações. 4. Resultados e discussão Verificou-se importante relação entre as estratégias mercadológicas empregadas em um contexto político e o comportamento do eleitor. A técnica de focus group aplicada evidenciou e demonstrou, dentro de suas limitações, a mudança do comportamento eleitoral da população diante da utilização do marketing como ferramenta principal em uma campanha eleitoral. Respondidos os objetivos propostos, a pesquisa embasada na técnica de focus group apontou uma correlação de dois fatores dissociados, dando uma nova abordagem ao assunto em questão, ou seja, correlacionou o marketing político com o processo de decisão do eleitor. Analisou-se a recepção e o efeito persuasivo das ações mercadológicas na intenção de voto, evidenciando que o marketing político pode influenciar as pessoas na elaboração de suas preferências eleitorais, interferindo no processo decisório dos eleitores. Há que se ratificar a contraposição estabelecida entre alguns autores - pertencentes a diferentes correntes de pensamento - sobre a influência e a importância do marketing político em um processo eleitoral. Concordando Kotler (1978), o marketing político é de fundamental importância em um processo político-eleitoral, pois através da aplicabilidade de suas técnicas, os eleitores são identificados, bombardeados e facilmente persuadidos. Um candidato é visto como um novo produto a ser lançado no mercado, ou seja, o candidato é um novo produto procurando um lançamento bem sucedido no mercado de eleitores. Os resultados do presente estudo vão de encontro aos obtidos por Kuntz (1986), pois evidencia a estreita relação de um candidato político com a imprensa, relatando que se sairá melhor aquele que conseguir manter um equilibrado relacionamento com todos os seus componentes, desde o simples repórter até os controladores dos veículos, tendo como meta obter melhores resultados, ocupando os veículos com a máxima eficácia e aproveitando os espaços que conseguirem ocupar, algo extremamente importante haja vista a utilização da mídia eletrônica atualmente. Deve-se referendar Domenach por enxergar a propaganda política como ferramenta crucial em um processo político, por ser utilizada para influenciar, persuadir, manipular e dirigir a opinião pública. 7

8 Rodrigo Zuccolotto - Dirceu da Silva - Mauro Neves Garcia Há que se concordar com Smith e Hirst (2001) que evidenciam a importância das estratégias mercadológicas aplicadas no contexto político por uma série de razões, entre elas, a pesquisa de marketing, utilizando um amplo e complexo banco de dados, identificando os eleitores e as suas opções. O marketing político deixou de ser uma venda sofisticada, utilizando a mídia eletrônica para empurrar as idéias de um partido e passou a ser uma complexa estratégia envolvendo inúmeras atividades, dentre elas, a construção de uma imagem, identificação do eleitorado, utilização de um processo de comunicação integrado, além das fundamentais pesquisas de mercado. Os resultados obtidos no presente estudo foram semelhantes aos obtidos por Butler e Collins (1997), que sublinharam as peculiaridades do marketing político, citando características próprias, diferentes das características convencionais utilizadas pelo marketing empregado comercialmente. Também corroborando com Nimmo, em face da importância das ferramentas mercadológicas torna-se necessário criar um modelo de plano mercadológico para os partidos políticos, incorporando técnicas para as campanhas eleitorais. O autor ressalta que para alcançar os objetivos desejados, os estrategistas políticos precisam usar um plano estruturado de comunicação mercadológica para se aproximarem dos eleitores. Defende-se também neste estudo, o argumento obtido nas pesquisas, muito similar ao de Aron O Cass, pois foi identificado que as relações entre os partidos políticos, os eleitores e a sociedade se fundamentam na aplicação das estratégias mercadológicas, evidenciando o marketing político e colocando-o como uma importante área de pesquisa e, conseqüentemente, ferramenta fundamental no cenário político. 5. Conclusão Este artigo poderá contribuir para o avanço do entendimento do marketing político como estratégia fundamental em um cenário de disputa eleitoral. Diante do exposto, a intenção deste trabalho foi desmistificar e mostrar à sociedade que o marketing político pode trazer muitos benefícios à democracia. A sua importância no contexto político é clara, influenciando o comportamento do mercado eleitor. Quando bem aplicado e gerido, o marketing político permite aos cidadãos um maior conhecimento da realidade política, ou seja, funciona como um agente propulsor e transformador da política e faz com ela se torne mais transparente e que a democracia funcione cada vez melhor para a sociedade. Diante disto, há que se concordar com a tese proposta de que as estratégias de marketing político influenciam o processo de decisão do eleitor. Como sugestão para futuros indica-se a realização de estudos empíricos, no sentido de verificar as relações e associações aqui propostas e comprovadas. Bem como de estudos que busquem suprir e enriquecer a discussão aqui estabelecida. Sugere-se ainda um estudo que possa verificar quais as estratégias, táticas e ações que os candidatos e profissionais do marketing, atores do cenário políticomercadológico, tipicamente usam para desenvolver a sua imagem e consolidar o seu mercado eleitor. Realizadas as considerações acima, cabem aqui algumas observações sobre a importância das estratégias mercadológicas aplicadas no cenário político, evidenciando que o candidato atual não é mais aquele que busca através de suas proposições orientar os eleitores e sim, aquele que acompanha as tendências do mercado, orientando as informações de acordo com sua visão e ambição política. Portanto, os discursos políticos não envolvem mais a emoção e sim, são construídos dentro de normas técnicas, com conteúdos baseados nos resultados de pesquisas de mercado. Os resultados do presente estudo permitem concluir, pelo menos em parte, que o processo de gerenciamento mercadológico oferece inúmeros subsídios para a compreensão e ratificação de sua 8

9 CORRELAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE MARKETING POLÍTICO COM O PROCESSO DE DECISÃO DO ELEITOR influência no processo de decisão do eleitor, na medida em que representa um mecanismo de comunicação fundamental para transmissão e difusão de idéias, imagens e ações responsáveis para a melhoria do processo democrático. 7. Referências Bibliográficas BUTLER, P, COLLINS, N., Political Marketing: structure and process, European Journal of Marketing, Vol. 28 Nº 1, pp , BUTLER, P, COLLINS, N., Strategic analysis in political markets, European Journal of Marketing, Vol. 30 Nº 10/11, pp , CARDOSO, G., As causas das questões ou o Estado à beira da sociedade de informação. ISCTE. Revista Rescensio, DOMENACH, Jean Marie. A Propaganda Política. Editora Difel, FIGUEIREDO, Marcus. "Estratégias de Persuasão Eleitoral: Uma Proposta Metodológica para o Estudo da Propaganda Eleitoral". Opinião Pública, vol. IV, nº 3, CESOP/ UNICAMP, Novembro de KOTLER, Philip. Administração de Marketing: edição do novo milênio; tradução Bazan Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro São Paulo: Prentice Hall, KOTLER, P.; KOTLER, N. (1978). Political marketing:generating effective candidates, campaigns, and causes, in Newman, B. (Ed.), Handbook of Political Marketing, Sage Publications, Thousand Oaks, CA, pp KRUEGER, R. A., Focus Groups: A Practical Guide for Applied Research. 3rd Edition. With Mary Anne Casey. Sage Publishing, Thousand Oaks, CA, KUNTZ, R. A. Manual de campanha eleitoral: Marketing Político. São Paulo, Global, LIEBESKIND, K. Politics run on new platform. Editor & Publisher, Novembro, NIMMO, D., The Political Persuaders: The techniques of Modern Election Campaigns, Prentice-Hall, Englewood Cliffs, NJ. O CASS, A. Political marketing and the marketing concept. European Journal of Marketing, Vol.30 Nº10/11, pp.45-61,

10 Rodrigo Zuccolotto - Dirceu da Silva - Mauro Neves Garcia O SHAUGNESSY, N., Social propaganda and social marketing: a critical difference? European Journal of Marketing, Vol.30 Nº10/11, pp.62-75, O SHAUGNESSY, N., The Phenomenom of Political Marketing. Macmillan, Basingstoke, REGO, F. G. Marketing político e governamental: um roteiro para campanhas políticas e estratégias de comunicação. São Paulo. Summus, SHAMA, A., Application of marketing concepts to candidate marketing, Proceedings of the fourth Conference of the Association of Consumer Research, pp , SHAMA, A., The marketing of political candidates. Journal of the Academy of Marketing Science, Vol. 4 Nº4, pp , SMITH, G., HIRST A., Strategic political segmentation: A new approach for a new era of political marketing, European Journal of Marketing, Bradford. Vol. 30, Nº 11, VEIGA, Luciana F. A Utilização de Métodos Qualitativos na Ciência Política e no Marketing Político. In: Opinião Pública, Revista Cesop, vol. VII, nº 1, Maio de

Capítulo 19 - RESUMO

Capítulo 19 - RESUMO Capítulo 19 - RESUMO Considerado como sendo um dos principais teóricos da área de marketing, Philip Kotler vem abordando assuntos referentes a esse fenômeno americano chamado marketing social, desde a

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS. PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO

A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS. PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO A Ferramenta do Marketing nas Pequenas Empresas atualmente vem sendo utilizada

Leia mais

MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS

MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS MARKETING: PRINCIPAL FERRAMENTA PARA A EFETIVAÇÃO DAS VENDAS CAUÊ SAMUEL SCHIMIDT 1 FERNANDO GRANADIER 1 Resumo O mercado atual está cada vez mais competitivo e para sobreviver nesse meio, é necessário

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE 48 Monalisa Soares Lopes Universidade Federal do Ceará (UFC) monalisaslopes@gmail.com Os estudos da política contemporânea,

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC gdelbem@tre-sc.gov.br ; gdelbem@yahoo.com.br Proposta de valores no Planejamento Estratégico da Justiça Eleitoral Gestão

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos 1 www.tecnologiadeprojetos.com.br Instituto de Pesquisas e Inovações Educacionais www.educativa.org.br A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos (Publicação interna) Maria Elasir S.

Leia mais

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia

Propaganda ideológica. Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propaganda ideológica Baseado no livro: O que é Propaganda Ideológica de Nelson Jahr Garcia Propagandas: comerciais e eleitorais Estão em todo parte: televisão, rádio, cartazes; veículos; objetos... As

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

O SUCESSO NA CULTURA ORGANIZACIONAL

O SUCESSO NA CULTURA ORGANIZACIONAL O SUCESSO NA CULTURA ORGANIZACIONAL Lorete Kosowski (OPET PR) lorete.k@gmail.com 1 Camilla Endler (OPET PR) Karla Lopes (OPET PR) RESUMO Pode-se dizer que a Cultura Organizacional é a identidade da empresa,

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo AVISO DE SESSÃO PÚBLICA Nº 001/2015 Processo Administrativo nº 5199/2014 Recebimento de Propostas e Orçamentos para Produção de Pesquisa decorrente da Concorrência Pública nº 001/2012 Serviços de Publicidade

Leia mais

Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas

Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas Revista Eletrônica Sistemas & Gestão 4 (2) 136-154 Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Gestão, TEP/TCE/CTC/PROPP/UFF Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS Rogério Chimionato Escola de Engenharia de São Carlos - USP - Área de Engenharia de Produção - Av. Dr. Carlos

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES

O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES O MARKETING DIRETO COMO CONQUISTA DE CLIENTES Rosanne Farineli Peixoto Gomes, Ivonete A. Canuto Dias, Valdete Neri Andrade, Luiz Sérgio Almeida dos Santos e Wagner Conceição INTRODUÇÃO O mercado atual

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

2 Karla Santiago Silva

2 Karla Santiago Silva Marketing:Administrando Desafios e Gerando Necessidades Karla Santiago Silva Índice 1 Marketing e A Nova Ordem de Mercado 1 2 Marketing, gerador de necessidades 3 3 Mas afinal de contas qual é o papel

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

ASPECTOS DE UMA PROPAGANDA DE SUCESSO

ASPECTOS DE UMA PROPAGANDA DE SUCESSO ASPECTOS DE UMA PROPAGANDA DE SUCESSO MACHADO, Bianca Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva CAMARGO, Lídia Discente do Curso de Administração da Faculdade

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde*

Universidade*Nove*de*Julho*1*UNINOVE* Programa*de*Mestrado*Profissional*em*Administração* *Gestão*em*Sistemas*de*Saúde* UniversidadeNovedeJulho1UNINOVE ProgramadeMestradoProfissionalemAdministração GestãoemSistemasdeSaúde Disciplina ProjetosComplexoseEstratégicosAplicadosàSaúde Códigodadisciplina GSEL04 Linhadepesquisa

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda professor Rafael Ho mann Setores envolvidos Anunciante também conhecido como cliente, é a empresa, pessoa ou

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Pesquisa Risqué Clássicos Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Grupos focais são comumente utilizados em pesquisas de marketing para determinar

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA

PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA PERFIL DOS USUÁRIOS DE E-COMMERCE EM GUAÍBA João Antonio Jardim Silveira 1 Amilto Muller ¹ Luciano Fagundes da Silva ¹ Luis Rodrigo Freitas ¹ Marines Costa ¹ RESUMO O presente artigo apresenta os resultados

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 07.04.11 Agenda: A importância do levantamento

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS INTERFACES DO MARKETING E ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carolina K. Souza Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Departamento de Engenharia de Produção, Campus universitário

Leia mais

Marketing Político na Internet - Eleições 2016

Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Implementar e administrar um Plano de Marketing Digital para as campanhas eleitorais de 2016 CEO da Agência AC7, Elcio Castilho, com 24 anos de experiência

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em Propaganda Eleitoral 6.05.200 A. Introdução A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em + - 998 O tema esquentou

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo...

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo... 1 ÍNDICE ANALÍTICO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3 2.1. Objetivos... 3 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5 3.1. Objetivo... 5 3.1.1. Negociação para comercialização e

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC.

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. PLANEJAMENTO ESTRATEGICO NAS EMPRESAS DA AMAZÔNIA: O CASO DE CRUZEIRO DO SUL/AC. César Gomes de Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre, Campus Cruzeiro do Sul/Acre, Brasil

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

MEETING DO MARKETING

MEETING DO MARKETING MEETING DO MARKETING Reputação Corporativa Ativo com Resultados Tangíveis Cristina Panella Cristina Panella Setembro Pág1 2007 Toda empresa funciona num meio ambiente de públicos Philip Kotler Pág2 Tipos

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008 Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL DUMAS, Ana Carolina¹ Guirado CALDAMONE,Camila¹ Guerino FRANCO, Nathália¹ Ribeiro; Acadêmicos do curso de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: um relato de experiência de dois estagiários de psicologia MESQUITA NETO, Rui 1 DIAS, Vanessa Aparecida 2 NUNES, Ruth Vieira 3 RESUMO A organização depende das pessoas para atingir

Leia mais

Gestão de Negócios Internacionais. Aula-tema 07: Marketing Internacional

Gestão de Negócios Internacionais. Aula-tema 07: Marketing Internacional Gestão de Negócios Internacionais Aula-tema 07: Marketing Internacional O que é Marketing? Marketing se define como um processo administrativo e social pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam

Leia mais

Marketing Pessoal. Manuel Joaquim de Sousa Pereira

Marketing Pessoal. Manuel Joaquim de Sousa Pereira Marketing Pessoal Manuel Joaquim de Sousa Pereira Índice Introdução Geral 1 Capítulo I Parte I Da massificação à individualização da comunicação 1 Introdução...................... 21 2 A comunicação....................

Leia mais

Apresenta-se a seguir, a conclusão referente aos objetivos específicos e, em seguida, ao objetivo geral:

Apresenta-se a seguir, a conclusão referente aos objetivos específicos e, em seguida, ao objetivo geral: 7. Conclusão A conclusão do trabalho de pesquisa, exposto através desta dissertação, perpassa por duas vertentes. A primeira está relacionada aos objetivos traçados no início do desenvolvimento da pesquisa,

Leia mais

PESQUISA DE MARKETING

PESQUISA DE MARKETING PESQUISA DE MARKETING CONCEITOS É a busca de informação, a investigação do fenômeno que ocorre no processo de transferência de bens ao consumidor Trata da coleta de qualquer tipo de dados que possam ser

Leia mais

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas 6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas A partir do exposto, primeiramente apresentam-se as fases discriminadas no modelo proposto por Mello (2005), porém agora direcionadas

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE

SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE SISTEMA DE GESTÃO DE EMPRESAS CONSTRUTURAS DE PEQUENO PORTE MOURA, Adilson Tadeu Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva BILESKY, Luciano Rossi Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

Eleições e Desigualdades de Gênero: Participação feminina e representação no legislativo brasileiro

Eleições e Desigualdades de Gênero: Participação feminina e representação no legislativo brasileiro Eleições e Desigualdades de Gênero: Participação feminina e representação no legislativo brasileiro Josimar Gonçalves da Silva Universidade de Brasília (UnB) Resumo: A discussão da representação das mulheres

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 43 3 METODOLOGIA DA PESQUISA Medeiros (2005) esclarece que a pesquisa científica tem por objetivo maior contribuir para o desenvolvimento humano. Para isso, conta com métodos adequados que devem ser planejados

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

Avaliando o Cenário Político para Advocacia

Avaliando o Cenário Político para Advocacia Avaliando o Cenário Político para Advocacia Tomando em consideração os limites de tempo e recursos dos implementadores, as ferramentas da série Straight to the Point (Directo ao Ponto), da Pathfinder International,

Leia mais

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT

PROCESSO DE VENDAS. FALCE, Ricardo de Carvalho. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva - FAIT PROCESSO DE VENDAS FALCE, Ricardo de Carvalho. GARCIA, Isabelle Penha. GOMES, Guilherme Martins. MELLO, Karoline de Almeida. Discente do Curso de Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

Teoria da Contingência

Teoria da Contingência Teoria da Contingência Eduardo de Oliveira Fargnoli Etel Maria Mendes de Almeida Gustavo Diniz Palhares Keiliane Souza Silvério Raphaela Gomes Marques RESUMO O objetivo principal de presente ensaio é demonstrar

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO 200 AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO Clayton Cardoso de MORAES 1 Guilherme Bernardo SARDINHA 2 O presente

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação em Educação Física: a experiência do GEPETIC s

Tecnologia da Informação e Comunicação em Educação Física: a experiência do GEPETIC s Tecnologia da Informação e Comunicação em Educação Física: a experiência do GEPETIC s Rita de Cássia Garcia Verenguer Ferdinand Camara da Costa Resumo: A gestão do conhecimento tornou-se ferramenta estratégica

Leia mais