Baixarias no violão de 6 cordas - Matéria publicada na Revista Violão Pró

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Baixarias no violão de 6 cordas - Matéria publicada na Revista Violão Pró"

Transcrição

1 Baixarias no violão de 6 cordas - Matéria publicada na Revista Violão Pró Olá pessoal. Hoje vamos falar sobre as baixarias feitas pelo violão de seis cordas Historicamente, o instrumento acompanhante, que realizava linhas melódicas contrapontísticas nos baixos, era o violão de seis cordas. O próprio mestre Dino, iniciou suas gravações com um violão convencional. Outros nomes importantes, que deram status de violão de baixaria ao 6 cordas foram: Meira, Bola Sete, Mão de Vaca, Jorge Santos, Arlindo Cachimbo, César Faria, Jessé Silva... Algumas gravações importantes para se ouvir são: 1) Amor não se compra (Bonfiglio de Oliveira) - gravação de Garoto (Aníbal Augusto Sardinha) ao cavaquinho solo e Bola Sete ao violão. 2) Pé de Moleque (Jacob do Bandolim) - gravação de Jacob, com César Farias e Jessé, ambos com violões de 6 cordas. 3) Choros de Waldir Azevedo, (Vê se gostas, Pedacinhos do céu, Brasileirinho, Carioquinha, Queira-me bem, Amigos do samba...) em suas 1as gravações. Nas quais se destaca o violão genial de Jorge Santos, que dá uma verdadeira aula de baixarias e levadas criativas. Você pode ouvir algumas dessas gravações no site do Instituto Moreira Salles -http://www.ims.com.br - na seção pesquisa e acervo» música. Bem, vamos à Teoria: CONDUÇÃO DOS BAIXOS Antes de pensar na baixaria, é preciso saber conduzir os baixos. Para isso, é preciso conhecer todas as tríades e acordes de sétimas e sextas e suas inversões. Lembre-se: 1ª Inversão» acorde com 3ª no baixo; 2ª inversão» acorde com 5ª no baixo e 3ª inversão» acorde com 7ª no baixo. Exemplos de condução de baixos: Exemplo 1 Exemplo 2 No exemplo 1, os baixos repetidos em Ré menor (1º compasso) e em Lá com sétima (2º compasso) enfraquecem a condução. Porém, no exemplo 2, utilizando as inversões de Ré menor (Dm/F) e Lá com sétima (A7/C#), resolvemos o problema, dando mais mobilidade à linha do baixo.

2 Um bom exemplo de condução de baixos é o tango-brasileiro Odeon, de Ernesto Nazareth. Exemplo 3 Note o caminho linear ou escalar que é gerado nos baixos por uma boa condução. Isto só é possível com a utilização das inversões. Sempre que possível, utilize esse procedimento. Comparando os trechos de Odeon: Sem condução dos baixos: (excesso de saltos e falta de mobilidade) Exemplo 5 Com condução dos baixos: (caminho linear, mobilidade) Exemplo 6 Na Prática, as baixarias tem duas características: 1) de obrigação, baixarias consagradas por gravações, arranjos, ou fazem parte da composição, portanto, devem ser feitas. 2) de preparação, baixarias que iniciam e finalizam as partes, que preparam modulações, e mesmo baixarias feitas nas pausas da melodia principal.

3 A baixaria, na sua construção, pode ser escalar (diatônica, cromática, simétrica, alterada, modos...), arpejada, mista (escalar e arpejada) ou florida (pode conter apojaturas, antecipações, notas de passagem, bordaduras, escapadas). Exemplos Práticos de Baixarias: Escalares: Arpejada: Exemplo 7 Esta baixaria também pode ser resolvida em Dó menor. Mista: Exemplo 8 A 1ª baixaria também pode ser resolvida em Dó menor.

4 Exemplo 9 Florida Exemplo 10 É importante que você transporte essas baixarias para todos os tons e todas as digitações possíveis. Qualquer dúvida Bom Estudo!.: Escala de DÓ maior :..: Escala de RÉ maior :..: Escala de MI maior :.

5 .: Escala de FÁ maior:.: Escala de SOL maior :..: Escala de LÁ maior :..: Escala de SI maior:. Sequências maiores com subida C A7 Dm G7 Gm C7 F Fm D B7 Em A7 Am D7 G Gm E C#7 F#m B7 Bm E7 A Am

6 F D7 Gm C7 Cm F7 Bb Bbm G E7 Am D7 Dm G7 C Cm A F#7 Bm E7 Em A7 D Dm Bb G7 Cm F7 Fm Bb7 Eb Ebm Sequências menores com subida Cm C7 Fm Bb7 Eb Ab Dm7(5b) G7 Gm7(5b) C7 Fm Bb7 Eb Ab Dm7(5b) G7 Cm Dm D7 Gm C7 F Bb Em7(5b) A7 Am7(5b) D7 Gm C7 F Bb Em7(5b) A7 Dm Em E7 Am D7 G C F#m7(5b) B7 Bm7(5b) E7 Am D7 G C F#m7(5b) B7 Em Fm F7 Bbm Eb7 Ab Db Gm7(5b) C7 Cm7(5b) F7 Bbm Eb7 Ab Db Gm7(5b) C7 Fm Gm G7 Cm F7 Bb Eb Am7(5b) D7 Dm7(5b) G7 Cm F7 Bb Eb Am7(5b) D7 Gm Am A7 Dm G7 C F Bm7(5b) E7 Em7(5b) A7 Dm G7 C F Bm7(5b) E7 Am Bbm Bb7 Ebm Ab7 Db Gb Cm7(5b) F7 Fm7(5b) Bb7 Ebm Ab7 Db Gb Cm7(5b) F7 Bbm Bm B7 Em A7 D G C#m7(5b) F#7 F#m7(5b) B7 Em A7 D G C#m7(5b) F#7 Bm Afinação cavaco bandolim D G A - E

Tríades. Teoria Musical. Formação acordes I. Tríades. Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4

Tríades. Teoria Musical. Formação acordes I. Tríades. Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4 Teoria Musical Formação acordes I Tríades Assista a aula completa em: http://youtu.be/zw7v4tma8j4 1 Fórmula para Tríades Maiores: Fundamental 3ª Maior 5ª Justa C Dó Mi Sol Terça maior Fórmula para Tríades

Leia mais

ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO...

ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO... Índice ÍNDICE... 1 APRESENTAÇÃO... 3 CONHECENDO O SEU INSTRUMENTO... 4 O TECLADO... 4 TIPOS DE TECLADOS... 4 Sintetizadores... 4 Teclados com acompanhamento automático... 4 Workstations... 4 Pianos digitais...

Leia mais

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Apostila de Iniciação ao Violão e Guitarra Miigueell do Prrado Urrttado São Carlos SP, 23 de fevereiro de 2006. Contatos: miguelurtado@yahoo.com.br miguelurtado@polvo.ufscar.br Proibido reprodução do material

Leia mais

F C G Am Meu coração se alegra com cantos e palmas celebro F C Bb C Dm Ao Deus Uno Santo e Trino, vivendo bem a fé que professo.

F C G Am Meu coração se alegra com cantos e palmas celebro F C Bb C Dm Ao Deus Uno Santo e Trino, vivendo bem a fé que professo. DIA DO SENHOR (Letra e Música André Cruz) Faixa 1 Intro: : Am G F G : Am G Am F G Hoje é o dia do senhor Am G Am F G Quero celebrar com a Igreja Am G Am F G Bom é adentrar pelos teus átrios Am G Am Pois

Leia mais

Como Tocar Cavaquinho

Como Tocar Cavaquinho Como Tocar Cavaquinho Conteúdo Introdução... 4 O Objetivo... 4 Música... 5 O Cavaquinho... 5 Início... 6 Conhecendo As Cifras... 6 (Tríade)... 7 Escalas... 7 Mão Esquerda... 11 Mão Direita... 12 Conhecendo

Leia mais

Prof. Juarez Barcellos

Prof. Juarez Barcellos Acordes Elementares Acordes maiores e menores (terça maior ou menor) em tríade (três notas) no estado fundamental (sem inversão) (Para acordes maiores basta dizer o nome da nota tônica e fica subentendido

Leia mais

DESDE O PRINCÍPIO Jorge Camargo, Jorge Rehder e Guilherme Kerr Neto

DESDE O PRINCÍPIO Jorge Camargo, Jorge Rehder e Guilherme Kerr Neto DESDE O PRINCÍPIO Jorge Camargo, Jorge Rehder e Guilherme Kerr Neto Intro: Gm Gm7M(4) Gm7 G 7 4 Gm Cm7 A 7 4 (b5) Aº F6 Dm7 G7(#5) G7 Cm(add9) Ab7(9) Bb/F F 7 4 F7 Bb Am7 D7 Gm Gm/F Eb7M C7/E F F7/Eb Desde

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA. Apostila De Teclado. Comissão de ensino Vale do Aço

IGREJA CRISTÃ MARANATA. Apostila De Teclado. Comissão de ensino Vale do Aço IGREJA CRISTÃ MARANATA Apostila De Teclado Comissão de ensino Vale do Aço Introdução O Teclado é um dos instrumentos mais utilizados hoje em dia, por sua grande flexibilidade e diversificação. Com um simples

Leia mais

Início em Arranjos Musicais

Início em Arranjos Musicais Marcelo Morales Torcato Início em Arranjos Musicais 1ª. Edição Pauliceia Marcelo Morales Torcato 2009 PRIMEIRA AULA. As notas musicais são sete: dó; ré; mi; fá; sol; lá; si. Também podem ser representadas

Leia mais

maior com sétima maior ( 1, 3, 5, 7 )

maior com sétima maior ( 1, 3, 5, 7 ) Antenor de Carvalho Neto ( antenorcneto@oi.com.br) Neste tutorial veremos os acordes encontrados no campo harmônico maior, suas inversões e exemplos com trechos de músicas. Nestes exemplos, coloquei sugestões

Leia mais

Leonardo Belga Improvisação LIVRO 3 Iniciando na Improvisação No Violão, Guitarra, Baixo Elétrico E Outros Instrumentos

Leonardo Belga Improvisação LIVRO 3 Iniciando na Improvisação No Violão, Guitarra, Baixo Elétrico E Outros Instrumentos Leonardo Belga mprovisação LVR niciando na mprovisação No Violão, Guitarra, Baixo Elétrico E utros nstrumentos Arpejo (Tríades e Tétrades), Escala Pentatônica Menor, Pentatônica Menor com Blue note Para

Leia mais

27 Acordes Substitutos Diatônicos - Conteúdo

27 Acordes Substitutos Diatônicos - Conteúdo Introdução Princípio Geral de Substituição de Acordes Tonalidades Maiores: Acordes Substitutos da Tônica Tonalidades Maiores: Acordes Substitutos da Subdominante Tonalidades Maiores: Acordes Substitutos

Leia mais

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR?

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? MARCAS - FABRICANTES As Fotos mostram alguns modelos mais usados de Capotraste. Teoricamente o capotraste ou braçadeira, uma vez adaptado ao braço do violão,

Leia mais

WWW.CANTOPRAVIVER.COM

WWW.CANTOPRAVIVER.COM Rio Antigo (C) - Chico Anísio e Nonato Buzar 1 Quero um bate papo na esquina Fm6 Eu quero o Rio Antigo com crianças na calçada Gm7(9) C7 Brincando sem perigo, sem Metrô sem Frescão F7M o ontem no amanhã

Leia mais

Usa As Minhas Mãos. Intro: C9 G/B Bb/Eb D. Sei que queres tocar cada um que se abrir D/F# C/E D G Sei que queres agir com poder neste lugar

Usa As Minhas Mãos. Intro: C9 G/B Bb/Eb D. Sei que queres tocar cada um que se abrir D/F# C/E D G Sei que queres agir com poder neste lugar Usa As Minhas Mãos Intro: C9 G/B Bb/Eb D G C/G Sei que queres tocar cada um que se abrir D/F# C/E D G Sei que queres agir com poder neste lugar G Am Sei que queres curar cada coração aqui D Am G/B C E

Leia mais

HARMONIA. A à Z. Por: Fábio Leão

HARMONIA. A à Z. Por: Fábio Leão HARMONIA DE A à Z Por: Fábio Leão 1 Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição -Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil. Para ver uma cópia desta licença, visite:

Leia mais

www.gruporuah.com LETRAS E CIFRAS DO CD VAI COMEÇAR A MISSA

www.gruporuah.com LETRAS E CIFRAS DO CD VAI COMEÇAR A MISSA www.gruporuah.com LETRAS E CIFRAS DO CD VAI COMEÇAR A MISSA 2010 1 1 VAI COMEÇAR A MISSA (Entrada) Intr.: F#7 D B7 E A B7 E Vai começar a missa e o amor de Deus está A E F#7 B7 Bem junto a nós, inundando

Leia mais

04 Armadura de Clave Como identificar o Tom a partir dos acidentes da Armadura de Clave. 06 Relação Tom x Acidentes. 12 Círculo das Quintas

04 Armadura de Clave Como identificar o Tom a partir dos acidentes da Armadura de Clave. 06 Relação Tom x Acidentes. 12 Círculo das Quintas 03 Introdução onalidade 04 Armadura de Clave Como identificar o om a partir dos acidentes da Armadura de Clave 06 Relação om x Acidentes ons com sustenidos ons com bemóis 12 Círculo das Quintas ons Vizinhos

Leia mais

REPERTÓRIO 18/05/2012

REPERTÓRIO 18/05/2012 REPERTÓRO 18/05/2012 ZULEDE EU NÃO TENHO ONDE MORAR A DOGO MARACANGALHA G# EDNA ORAÇAO MAE MENNNHA B rita FLHOS DE GANDH B zuleide SAMBA PRAS MOCAS dora DEXA A FUMAÇA ENTRAR B bruno MANERAS MRAM A DEUSA

Leia mais

4. COMO TRANSPOR AS CIFRAS NO VIOLÃO

4. COMO TRANSPOR AS CIFRAS NO VIOLÃO 4. COMO TRANSPOR AS CIFRAS NO VIOLÃO 4.1. Como Fazer A transposição de cifras no braço do violão deslocando o acorde para a direita ou para a esquerda é muito fácil. Basta conhecer as notas das cordas

Leia mais

VIOLÃO POPULAR EXPLICANDO TUDO PELAS CIFRAS. Autor: MR. DIRSOM

VIOLÃO POPULAR EXPLICANDO TUDO PELAS CIFRAS. Autor: MR. DIRSOM VIOLÃO POPULAR EXPLICANDO TUDO PELAS CIFRAS Autor: MR. DIRSOM 1. O QUE SÃO CIFRAS 1.1. CIFRA DE ACORDES CONCEITO A Cifra é um símbolo usado para representar um acorde de uma forma prática. A Cifra é composta

Leia mais

REPERTÓRIO 14/09/2012. REGINA L FITA AMARELA Cm FLAVIA ARGUMENTO D. DANIEL ACERTO DE CONTAS Dm. BRUNO MANEIRAS Em.

REPERTÓRIO 14/09/2012. REGINA L FITA AMARELA Cm FLAVIA ARGUMENTO D. DANIEL ACERTO DE CONTAS Dm. BRUNO MANEIRAS Em. REPERTÓRO 14/09/2012 REGNA L/ MONCA / CRS DANEL e ZE HUGO C / BRUNO D / MARCOTNHA PEGUE UM TA NO NORTEPEGUE UM TA NO NORTE A C/D REGNA L FTA AMARELA Cm FLAVA ARGUMENTO D DANEL ACERTO DE CONTAS Dm BRUNO

Leia mais

Apostila Básica de Violão

Apostila Básica de Violão Apostila Básica de Violão Resumos para aulas MARANATA O Senhor Jesus Vem! Sumário Introdução... 2 Estrutura musical... 3 Cifras... 4 Acordes e Escalas... 4 Conhecendo o violão... 5 Enfim a prática!...

Leia mais

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS

FÓRMULA VIOLÃO EXPRESS Direitos Autorais Todos os Direitos reservados a Fábio de Amorim Teodoro. Este e-book só pode ser distribuído juntamente com o Curso Gratuito Fórmula Violão Express. Parartestes Alongamento dodo ViolãoViolão

Leia mais

ACORDES CIFRADOS. Zé Galía

ACORDES CIFRADOS. Zé Galía ACORDES CIFRADOS No curso da historia, a musica, assim como outras artes,teve um significado muito importante na representaçao de grupos sociais. Nao se sabe exatamente desde quando ela faz parte da nossa

Leia mais

A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais. Palavras chave: Violão solo brasileiro, Marco Pereira, jazz, Garoto.

A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais. Palavras chave: Violão solo brasileiro, Marco Pereira, jazz, Garoto. A obra de Marco Pereira para violão solo: aspectos composicionais Julio Cesar Moreira LEMOS, UFG - EMAC. Julioczar10@gmail.com Werner AGUIAR, UFG EMAC werneraguiar@gmail.com Palavras chave: Violão solo

Leia mais

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo,

PROVA ESCRITA. 2. Tendo como referencia as escalas maiores abaixo, PROVA ESCRITA 1. De acordo com o trecho musical abaixo assinale a alternativa que corresponde as notas escritas em suas devidas alturas, segundo a escala geral. A) Lá3-Sol3-Fá3-Fá4-Sol4-Lá4-Si2-Dó3-Lá2-Sol2-Lá3-Si3-Dó3.

Leia mais

Sapato Velho (acústico)

Sapato Velho (acústico) Page 1 of 8 Home ig Último Segundo Economia Esporte TV ig Gente Delas ASSINE E-mail Acesso Internet Suporte Antivírus SAC login cifras e tablaturas entrevistas notícias dicionário de acordes fórum Digite

Leia mais

WWW.CANTOPRAVIVER.COM

WWW.CANTOPRAVIVER.COM 40 ANOS (F) PAULO CESAR FEITAL E ALTAY VELOSO 1 São 40 anos de aventura Desde que mãe teve a doçura De dar a luz pra esse seu nego E a vida cheia de candura Botou canção nesses meus dedos E me entregou

Leia mais

Acordes para Teclado e Piano by Ernandes

Acordes para Teclado e Piano by Ernandes Acordes para Teclado e Piano by Ernandes As notas abaixo formam a escala de C, com sua representação na pauta do piano: Os acordes cifrados são formados por três ou mais notas tocadas ao mesmo tempo ou

Leia mais

Guitarra ACORDE MAIOR COM QUINTA AUMENTADA. Dó com quinta aumentada. Ré com quinta aumentada. Profª Tiago Silveira

Guitarra ACORDE MAIOR COM QUINTA AUMENTADA. Dó com quinta aumentada. Ré com quinta aumentada. Profª Tiago Silveira Guitarra Profª Tiago Silveira ACORDE MAIOR COM QUINTA AUMENTADA Dó com quinta aumentada Ré com quinta aumentada Mi com quinta aumentada Fá com quinta aumentada Sol com quinta aumentada Lá com quinta aumentada

Leia mais

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 13º Passo

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 13º Passo INSTRUTOR Zeh Blackie CURSO DE GUITARRA Nível Básico 13º Passo Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos

Leia mais

F# F#m7M9 G#m7 F#/A# B9 G#/C C#sus4 %

F# F#m7M9 G#m7 F#/A# B9 G#/C C#sus4 % 01 - É Tempo de Festa F % % % % F Eb7M % Gm7 % Bb Gm7 F/A Bb7M Csus4 F F % Gm7 % Bb % Eb Bb/D Bb Csus4 F C/F Eb % F C/F Eb Bb Alegre estou em Tua casa ó Deus, o meu louvor entoarei. F C/F Eb % F C/F Eb

Leia mais

COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA. Som da Vila. Cifras e Fichas Técnicas

COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA. Som da Vila. Cifras e Fichas Técnicas COMUNIDADE DA VILA IGREJA PRESBITERIANA Som da Vila Cifras e Fichas Técnicas Músicas 1. Nosso Louvor... 3 2. És... 4 3. Toda Honra, Glória e Louvor... 5 4. Agora e Sempre... 6 5. Àquele que pode... 7 6.

Leia mais

ÍNDICE. CAPÍTULO 1 O CAVAQUINHO...1 Breve História (origem) O instrumento (afinação, cordas)

ÍNDICE. CAPÍTULO 1 O CAVAQUINHO...1 Breve História (origem) O instrumento (afinação, cordas) ÍNDICE CAPÍTULO 1 O CAVAQUINHO...1 Breve História (origem) O instrumento (afinação, cordas) CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS...4 Definição (Semitom e Tom) Acidentes musicais (sustenido, bemol e bequadro) CAPÍTULO

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música?

NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? NOTAÇÃO MUSICAL: Como se escreve música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música por meio

Leia mais

CIFRAS E LETRAS DAS MÚSICAS DO EP CANTAMOS A VIDA - Grupo Ruah. Ficha técnica. Grupo Ruah é composto por:

CIFRAS E LETRAS DAS MÚSICAS DO EP CANTAMOS A VIDA - Grupo Ruah. Ficha técnica. Grupo Ruah é composto por: Ficha técnica Gravado, mixado e masterizado no stúdio Trítono (Londrina PR) Arranjos, produção e direção musical: Daniel Cavalini e Felipy Andrade CIFRAS LTRAS DAS MÚSICAS DO P CANTAMOS A VIDA - Grupo

Leia mais

Elaboração de: Jorge Nobre

Elaboração de: Jorge Nobre Aprendendo a tocar o clarinete Elaboração de: Jorge Nobre CLARINETE Instrumento musical de sopro Compreende um tubo, geralmente de madeira, que tem a extremidade em forma de campânula e um bocal cônico

Leia mais

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS:

FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: FORMAÇÃO E ESTRUTURAS DOS ACORDES; ESCALAS: CROMÁTICA, DIATÔNICA, NATURAL, GREGAS, MELÓDICAS, HARMÔNICAS, DIMINUTAS, PENTATÔNICAS. SINAIS COMUNS E SÍMBOLOS MUSICAIS NOÇÕES DE IMPROVISAÇÃO: RITÍMICA, BASE

Leia mais

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO

INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO INICIAÇÃO À MÚSICA E AO VIOLÃO MARIO SALES SANTOS CAMPO HARMÔNICO São Paulo 2013 SUMARIO O QUE É O CAMPO HARMÔNICO... 02 OUTROS CAMPOS MAIORES... 03 HARMONIZAÇÃO PELO C.H E DICA DE COMPOSIÇÃO... 05 O QUE

Leia mais

19/10/2012 LUCAS CAXAMBU E EDNA / DORA MADALENA DO JUCU A LUCAS MARACANGALHA F BRUNO FILHOS DE GANDHI C CRIS PIMENTA NO VATAPA A

19/10/2012 LUCAS CAXAMBU E EDNA / DORA MADALENA DO JUCU A LUCAS MARACANGALHA F BRUNO FILHOS DE GANDHI C CRIS PIMENTA NO VATAPA A 19/10/2012 LUCAS CAXAMBU E EDNA / DORA MADALENA DO JUCU A LUCAS MARACANGALHA F BRUNO FLHOS DE GANDH C REGNA L QUE SAUDADES TENHO DA BAHA C CRS PMENTA NO VATAPA A EDNA F / DORA C ALGUEM ME AVSOU F C CRS

Leia mais

Workshop Improvisação. Improvisação com tríades sobrepostas. Aplicação sobre os modos. Introdução

Workshop Improvisação. Improvisação com tríades sobrepostas. Aplicação sobre os modos. Introdução Workshop Improvisação Improvisação com tríades sobrepostas Aplicação sobre os modos Introdução Improvisar em contextos ou passagens modais é um desafio presente para todos os saxofonistas. Muitas vezes

Leia mais

Harmonia 2. Por: Alan Gomes

Harmonia 2. Por: Alan Gomes Harmonia 2 Por: Alan Gomes NOTA Este método foi planejado e desenvolvido para ser um diferencial no mercado, com conteúdos bastante explicativos e completos, visando tanto o iniciante quanto o profissional

Leia mais

RODA AGOSTO DE 2015 DANIELLA DESDE QUE SAMBA A. HUMBERTO AMIGO É PRA ESSAS COISAS Em FEITICO DA VILA - D RITA TONGA DA MIRONGA - D LAMA - AM

RODA AGOSTO DE 2015 DANIELLA DESDE QUE SAMBA A. HUMBERTO AMIGO É PRA ESSAS COISAS Em FEITICO DA VILA - D RITA TONGA DA MIRONGA - D LAMA - AM RODA AGOSTO DE 2015 SANTA MORENA - Dm ASSANHADO - A BOLE BOLE - G FLOR DE ABACATE - C CASA DE BAMBA - C / D / E JURA - C PELO TELEFONE - F FUTUROS AMANTES - F FESTA DO INTERIOR - G MESTRE SALA DOS MARES

Leia mais

PROVA COM RESPOSTAS 18 QUESTÕES. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2014.2

PROVA COM RESPOSTAS 18 QUESTÕES. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2014.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ COMISSÃO EXECUTIVA DO VESTIBULAR Vestibular 2014.2 CURSO DE MÚSICA EXAME DE HABILIDADE ESPECÍFICA EHE PROVA COM RESPOSTAS LOCAL DA PROVA CAMPUS DO ITAPERI N o DA SALA EXAME

Leia mais

Página 1 de 18. CANTO PRA VIVER WWW.CANTOPRAVIVER.COM 2568-6544 cantopraviver@cantopraviver.com

Página 1 de 18. CANTO PRA VIVER WWW.CANTOPRAVIVER.COM 2568-6544 cantopraviver@cantopraviver.com Página 1 de 18 Página 2 de 18 APOSTILA PERCEPÇÃO HARMÔNICA BÁSICO A OFICINA DE PERCEPÇÃO HARMÔNICA SERÁ TRABALHADA EM DOIS NÍVEIS (MÓDULOS): MÓDULO A ==> Serão passadas noções de teoria musical, intervalos,

Leia mais

1ª situação: Quando a nota mais alta (aguda) do intervalo pertence à escala de referência:

1ª situação: Quando a nota mais alta (aguda) do intervalo pertence à escala de referência: APRENDA MÚSICA Vol II 1. Intervalos Neste volume do curso de música iremos aprender as tétrades que são acordes formados por quatro notas. Para isso usaremos uma nomenclatura de intervalos que será apresentada

Leia mais

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Popular Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas particulares

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática

Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2012. Disciplina: matemática Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 01 Disciplina: matemática Prova: desafio nota: QUESTÃO 16 (UNESP) O gráfico a seguir apresenta dados

Leia mais

Acordes, sua estrutura e cifragem

Acordes, sua estrutura e cifragem Por Turi Collura Acordes, sua estrutura e cifragem O acorde é composto por um grupo de notas que soam simultaneamente. É uma unidade sonora, formada de, no mínimo 3 sons (certamente, podemos ter harmonias

Leia mais

Tal qual criança (Eduardo Sá) tom: E

Tal qual criança (Eduardo Sá) tom: E Tal qual criança (Eduardo Sá) tom: E Intro: G7M F#(11add)/E COMUNIAE CATÓLICA SHALOM #m7(5#) G#m7 9 G9 13 F#m7 11 B7 E7m F#/E #m7m G#m7 9 Se tento enxergar teu mundo com meus olhos E7m F#(add11) A/E

Leia mais

Seis obras referenciais análise musical

Seis obras referenciais análise musical Seis obras referenciais análise musical Alexandre Francischini SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros FRANCISCHINI, A. Laurindo Almeida: dos trilhos de Miracatu às trilhas em Hollywood [online].

Leia mais

Escalas III Escalas - III Escala Menor Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v1393

Escalas III Escalas - III Escala Menor Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v1393 Escalas - III Escala Menor Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v9 Philippe Lobo Sumário Introdução Escalas Menores... 0 Entendendo a escala Contextualização teórica... 0 Transpondo

Leia mais

CIFRAS - CUKA FRESCA

CIFRAS - CUKA FRESCA INTRODUÇÃO: D9 A/C# Bm7/11 G7+ D9 A/C# G7+ G/A A/C# CIFRAS - CUKA FRESCA EU VOU TE AMAR Bm7/11 G7+ G/A A/C# QUANDO SENTIR TRISTEZA E NÃO PUDER TE ACALMAR Bm7/11 G7+ G/A QUANDO HOUVER UM VAZIO QUE NÃO POSSA

Leia mais

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Clássico Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas

Leia mais

TEXTURA DE MELODIA ACOMPANHADA PARA GUITARRA ELÉTRICA E VIOLÃO PIERO EMMANUEL GRANDI

TEXTURA DE MELODIA ACOMPANHADA PARA GUITARRA ELÉTRICA E VIOLÃO PIERO EMMANUEL GRANDI UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE LETRAS E ARTES INSTITUTO VILLA LOBOS CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO ARTÍSTICA HABILITAÇÃO EM MÚSICA TEXTURA DE MELODIA ACOMPANHADA PARA

Leia mais

Tétrades; Um Estudo de Harmonia

Tétrades; Um Estudo de Harmonia Adriano de Carvalho Batista Tétrades; Um Estudo de Harmonia Aplicado à Guitarra Elétrica Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado em Música do Instituto de Artes da UNICAMP como requisito parcial para

Leia mais

MANUAL DO PROFESSOR. - Inscrições Colégios. Colégios Participantes de Temporadas anteriores:

MANUAL DO PROFESSOR. - Inscrições Colégios. Colégios Participantes de Temporadas anteriores: MANUAL DO PROFESSOR - Inscrições Colégios Colégios Participantes de Temporadas anteriores: O Professor deverá acessar o link Inscrições Colégios no menu esquerdo da página inicial do site da LE2 e com

Leia mais

CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA

CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA CANTOS DA PRIMEIRA EUCARISTIA CANTO DE ENTRADA: E B7 E B7 E B7 E B7 E Jesus meu amigo, estou aqui, estou aqui para celebrar, para agradecer e A B7 partilhar o pão e a Fé. A B G#m C#m A F# B7 Celebrar o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - COORDENAÇÃO DE CONCURSO VESTIBULAR PROCESSO SELETIVO SERIADO - 2007 MÚSICA INSTRUÇÕES - Ao receber este caderno de prova verifique se contém

Leia mais

HELIO DELMIRO, VILLA LOBOS E O CHORO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE CHAMA E CHOROS NO.1

HELIO DELMIRO, VILLA LOBOS E O CHORO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE CHAMA E CHOROS NO.1 673 HELIO DELMIRO, VILLA LOBOS E O CHORO: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE CHAMA E CHOROS NO.1 Vinícius José Spedaletti Gomes Universidade de São Paulo USP Mestrado em Musicologia SIMPOM: Subárea de Musicologia

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA

REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA REGULAMENTO TÉCNICO 2013-2016 GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2014 CATEGORIA PRÉ INFANTIL B Faixa etária - 9 e 10 anos, completos no ano da competição. Provas a) Salto (altura da mesa 1,10 metro); b) Barras

Leia mais

O Espírito de Deus se move

O Espírito de Deus se move O Espírito de Deus se move Introdução: D A G D D A/C# G/B G/A D D A G D D A/C# G/B C9 G/B Gm/Bb G/A D A G D O Espírito de Deus se move, se move D A/C# No mundo inteiro Ele se move G/B G/A D E aqui neste

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos...

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos... Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos... 11 1 Apresentação Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Vamos sair na

Leia mais

APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama

APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama APRENDA MÚSICA Vol I 1. As notas musicais no endecagrama Devido à grande extensão do teclado e conseqüentemente um grande número de notas, localizadas em diferentes oitavas, precisamos de dois pentagramas.

Leia mais

1 Introdução. Curso prático de violão básico

1 Introdução. Curso prático de violão básico 1 1 Introdução Curso prático de violão básico Desde muito, os instrumentos musicais fascinam as pessoas com um poder incrível. O violão não foge a esta regra, e talvez seja o mais cativante de todos por

Leia mais

MuseCode. (1) Uma abordagem aritmé5ca à música tonal (2) À procura da linearidade na música tonal

MuseCode. (1) Uma abordagem aritmé5ca à música tonal (2) À procura da linearidade na música tonal MuseCode (1) Uma abordagem aritmé5ca à música tonal (2) À procura da linearidade na música tonal José Carlos L. Ramalho (Junho de 2010) (rev. Novembro 2011, Março 2012) Mo5vação Fazemos muitos cálculos

Leia mais

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli.

Teoria Musical. O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. Teoria Musical O trecho musical abaixo foi extraído do Adagio da TRIO SONATA Op. 3 nº 2, de Arcangelo Corelli. 01. Com base no trecho musical acima, analise as proposições a seguir. 0-0) As notas Sol sustenido

Leia mais

LIÇÃO I O BRAÇO DA GUITARRA E NOTAS MUSICAIS. Obviamente você conhece a escala musical convencional, certo? Bom, por via das dúvidas aí

LIÇÃO I O BRAÇO DA GUITARRA E NOTAS MUSICAIS. Obviamente você conhece a escala musical convencional, certo? Bom, por via das dúvidas aí LIÇÃO I O BRAÇO DA GUITARRA E NOTAS MUSICAIS vai: Obviamente você conhece a escala musical convencional, certo? Bom, por via das dúvidas aí Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si É usual que se repita a primeira nota da

Leia mais

MINI-CURSO DE TECLADO

MINI-CURSO DE TECLADO MINI-CURSO DE TECLADO Introdução: Salve, Salve Companheiros das Teclas... Bem, permitam-me primeiramente apresentar-me. Meu nome é Júnior, e a convite do Marcus a partir de hoje estarei disponibilizando

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO

CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO ESTADUAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA FEMININA 2015 CATEGORIAS FEMININAS: REGULAMENTO Pré-Mirim: até 6 anos Mirim: 7 e 8 anos, completos no ano da competição Pré-Infantil: 09 e 10 anos, completos

Leia mais

VIOLÃO 1. escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar.

VIOLÃO 1. escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar. VIOLÃO 1 escalas, formação de acordes, tonalidade e um sistema inédito de visualização de trechos para improvisar CD com solos e acompanhamento Saulo van der Ley Guitarrista e violonista Composição & Regência

Leia mais

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos.

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. O processo da produção musical tem sete pontos bem distintos. Antes de entender melhor os sete

Leia mais

Apostila - Estruturação e Linguagem Musical I (2011) PARTE II TEORIA MUSICAL

Apostila - Estruturação e Linguagem Musical I (2011) PARTE II TEORIA MUSICAL PARTE II TEORIA MUSICAL 75 HARMONIA: produção e estudo das relações de tensão e relaxamento entre as notas. "Tensão" e "relaxamento" são termos abstratos que sempre acabam surgindo na literatura sobre

Leia mais

PRODUÇÃO CULTURAL E DESIGN

PRODUÇÃO CULTURAL E DESIGN SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO EDITAL Nº 44, DE 25 DE MARÇO DE 2014. PROVA

Leia mais

Utilizando a Focus 14 e Focus 40 Blue com ios. Guia de Combinação de Teclas

Utilizando a Focus 14 e Focus 40 Blue com ios. Guia de Combinação de Teclas Utilizando a Focus 14 e Focus 40 Blue com ios Guia de Combinação de Teclas 2 Freedom Scientific 11800 31 st Court North St. Petersburg, Florida 33716-1805 USA Web site: www.freedomscientific.com E POR:

Leia mais

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon

Avaliação de Empresas Profa. Patricia Maria Bortolon Avaliação de Empresas RISCO E RETORNO Aula 2 Retorno Total É a variação total da riqueza proporcionada por um ativo ao seu detentor. Fonte: Notas de Aula do Prof. Claudio Cunha Retorno Total Exemplo 1

Leia mais

18/11/2011 debora SEBASTIANA leo COSA NOSTRA osvaldo FILHOS DE GANDHI cris VAI SABER

18/11/2011 debora SEBASTIANA leo COSA NOSTRA osvaldo FILHOS DE GANDHI cris VAI SABER 18/11/2011 debora SEBASTIANA C leo COSA NOSTRA C osvaldo ILHOS DE GANDHI C cris VAI SABER A lira ABRE ALAS rita DINDINHA miriam SALA DE REBOCO ricardo O SOL NASCERÁ regina CORDAS DE AÇO lucia ALTAR PARTICULAR

Leia mais

TIPO A TEORIA MUSICAL. As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli:

TIPO A TEORIA MUSICAL. As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli: 1 TEORIA MUSICAL As questões 01 a 03 referem-se ao trecho musical a seguir, de Lulli: 1. Observe o trecho musical acima e responda: 0-0) A tonalidade predominante deste trecho musical é Si bemol Maior.

Leia mais

WWW.CANTOPRAVIVER.COM

WWW.CANTOPRAVIVER.COM COM QUE ROUPA (E) - Noel Rosa 1 E B7 E B7 Agora vou mudar minha conduta E C#7 F#m7 C#7 Eu vou pra luta, pois eu quero me aprumar F#m7 C#7 F#m7 Vou tratar você com força bruta B7 E B7 E Pra poder me reabilitar

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina CONCURSO VESTIBULAR 2.004 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA Nome do Candidato: Assinatura: PROVA COLETIVA 1- A prova está dividida em 4 questões com as seguintes pontuações: Questão 1: 1,8

Leia mais

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. PESQUISA OPERACIONAL -PROGRAMAÇÃO LINEAR Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ROTEIRO Esta aula tem por base o Capítulo 2 do livro de Taha (2008): Introdução O modelo de PL de duas variáveis Propriedades

Leia mais

MÓDULO 2 Topologias de Redes

MÓDULO 2 Topologias de Redes MÓDULO 2 Topologias de Redes As redes de computadores de modo geral estão presentes em nosso dia adia, estamos tão acostumados a utilizá las que não nos damos conta da sofisticação e complexidade da estrutura,

Leia mais

Carlos de Salles Soares Neto csalles@deinf.ufma.br Segundas e Quartas, 17h40 às 19h10

Carlos de Salles Soares Neto csalles@deinf.ufma.br Segundas e Quartas, 17h40 às 19h10 Algoritmos I Variáveis, Entrada e Saída de Dados Carlos de Salles Soares Neto csalles@deinf.ufma.br Segundas e Quartas, 17h40 às 19h10 Variáveis Área de memória para o armazenamento de dados Variáveis

Leia mais

Raf ELECTRONICS. Caixa Postal 50411 CEP 03029-970 São Paulo SP site: www.videoke.com.br e-mail: videoke@videoke.com.br 5/12/03, 6:08 PM

Raf ELECTRONICS. Caixa Postal 50411 CEP 03029-970 São Paulo SP site: www.videoke.com.br e-mail: videoke@videoke.com.br 5/12/03, 6:08 PM Raf ELECTRONICS Caixa Postal 50411 CEP 03029-970 São Paulo SP site: www.videoke.com.br e-mail: videoke@videoke.com.br 1000 1 VMP-1000 MANUAL DO USUÁRIO APARELHO AUDIOVISUAL DE KARAOKÊ COMBINA COMPUTADOR,

Leia mais

TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL.

TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL. TOM, SEMITOM, SUSTENIDO, BEMOL. Tom e semitom (ou tono e semitono): são diferenças específicas de altura, existentes entre as notas musicais, isto é, são medidas mínimas de diferença entre grave e agudo.

Leia mais

Índice. Curso Prático de Guitarra

Índice. Curso Prático de Guitarra Índice Introdução... 01 Notas no seu Instrumento... 02 Escala Cromática Diatônica... 04 Relatividade entre Acordes... 05 Harmonia... 06 Formação de Dissonâncias... 07 Conhecendo melhor os Intervalos...

Leia mais

Escalas II Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977

Escalas II Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977 Escalas - II Escala Maior Natural Assista a aula completa em: http://cifraclub.tv/v977 Sumário Introdução Escalas Naturais... 0 Conceitos preliminares Tônica, Tom e Tonalidade... 0 Melodia e Harmonia...

Leia mais

música. Exemplo de instrumentos de ritmo: Instrumentos de Percussão (bateria, pandeiro, tamborim, etc.)

música. Exemplo de instrumentos de ritmo: Instrumentos de Percussão (bateria, pandeiro, tamborim, etc.) Introdução A Teoria Musical é tida por muitos como uma coisa chata e difícil, mas quando compreendida torna-se fácil e muito interessante, pois nos fará entender, questionar, definir e escrever o que tocamos

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD.

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta. Resposta. a) calcule a área do triângulo OAB. b) determine OC e CD. Questão Se Amélia der R$,00 a Lúcia, então ambas ficarão com a mesma quantia. Se Maria der um terço do que tem a Lúcia, então esta ficará com R$ 6,00 a mais do que Amélia. Se Amélia perder a metade do

Leia mais

RELATÓRIO SIMPLIFICADO FINAL PSICOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET 2ª UNIDADE. Instrução Geral ao Relatório:

RELATÓRIO SIMPLIFICADO FINAL PSICOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET 2ª UNIDADE. Instrução Geral ao Relatório: 1 RELATÓRIO SIMPLIFICADO FINAL PSICOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET 2ª UNIDADE Prof. Dr. Alexsandro Medeiros do Nascimento Pós-Graduação em Psicologia Cognitiva Departamento de Psicologia - UFPE Instrução

Leia mais

NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues.

NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. Lista 12: Equilíbrio do Corpo Rígido NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Ler os enunciados com atenção. iii.

Leia mais

XXXII COMEERJ PÓLOS VIII, XIII e XVIII (8ª REGIÃO) Ser cristão: Uma questão de vivência. APOSTILA DE MÚSICA

XXXII COMEERJ PÓLOS VIII, XIII e XVIII (8ª REGIÃO) Ser cristão: Uma questão de vivência. APOSTILA DE MÚSICA XXXII COMEERJ PÓLOS VIII, XIII e XVIII (8ª REGIÃO) Ser cristão: Uma questão de vivência. APOSTILA DE MÚSICA Sumário 1) ÁGUA DA VIDA (Marcelo Manga)...3 2) O AMOR DE JESUS (Ariovaldo Filho)...3 3) CORAGEM

Leia mais

Para se entender a explicação que se segue, alguns conhecimentos são indispensáveis:

Para se entender a explicação que se segue, alguns conhecimentos são indispensáveis: FORMAÇÃO DE ACORDES 1. Introdução Para se entender a explicação que se segue, alguns conhecimentos são indispensáveis: a) Notação de Cifras: Notação mundialmente usada para representar as notas musicais

Leia mais

As Notas Musicais. O processo moderno utiliza códigos quando se refere a cada uma das notas. Este código é chamado de CIFRA.

As Notas Musicais. O processo moderno utiliza códigos quando se refere a cada uma das notas. Este código é chamado de CIFRA. Para focalizar a mente façamos um ditado.omplete. As Notas Musicais São aqueles 7 nomes que todo mundo já ouviu falar (Dó, Ré Mi, Fá, Sol, Lá e Si) mas, ao contrário do que muitas pessoas pensam, existem

Leia mais

Canguru Matemático sem Fronteiras 2014

Canguru Matemático sem Fronteiras 2014 http://www.mat.uc.pt/canguru/ Destinatários: alunos do 12. ano de escolaridade Nome: Turma: Duração: 1h 30min Não podes usar calculadora. Em cada questão deves assinalar a resposta correta. As questões

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados Prof. Hugo Souza Após vermos uma breve contextualização sobre esquemas para bases dados e aprendermos

Leia mais

2. DIVIDIR UM ÂNGULO RETO EM 3 PARTES IGUAIS

2. DIVIDIR UM ÂNGULO RETO EM 3 PARTES IGUAIS 1 DESENHO GEOMÉTRICO AULA 2T EXERCÍCIOS RESOLVIDOS 1. TRANSPORTAR UM ÂNGULO PARA SOBRE UMA SEMI-RETA: - Construa o ângulo BÔA qualquer e ao lado a semi-reta O'. - Abra no compasso a medida OA, coloque

Leia mais