Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa"

Transcrição

1 Porto de Lisboa Desenvolvimento portuário rio, Logística e Competitividade Dr. Manuel Frasquilho Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa 18 de Abril de 2007

2 Porto de Lisboa Porto de Lisboa Estuário do Tejo

3 Actividades do Estuário do Tejo V.F. V.F. XIRA XIRA CASCAIS CASCAIS LOURES LOURES OEIRAS OEIRAS LISBOA LISBOA BENAVENTE BENAVENTE ALMADA ALMADA MONTIJO MONTIJO ALCOCHETE ALCOCHETE SEIXAL SEIXAL BARREIRO BARREIRO Terminais de Contentores e Carga Geral Terminais de Granéis Líquidos MOITA MOITA Instalações Militares Núcleos de Recreio Náutico Terminais de Granéis Sólidos Terminais de Passageiros Recreio Náutico Núcleos de Pesca Estaleiros de Reparação Naval Areeiros Transporte Fluvial de Passageiros

4 Factos relevantes O primeiro porto nacional em: - entrada de navios (3 527, em 2006) - carga geral (incluindo contentorizada) - granéis sólidos alimentares - escalas de navios de cruzeiros - transporte fluvial de passageiros (entre as duas margens) E ainda: - porto preferencial para os PALOP, Brasil e EUA - porto preferencial para a ligação às Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira - porto preferencial para a região de Lisboa e Vale do Tejo - serve um hinterland próximo, industrializado, altamente consumidor e com mais de 3 milhões de habitantes - já tem tráfegos significativos com origem e destino em Espanha

5 Impacto socio-econ económico do porto de Lisboa na região de Lisboa e Vale do Tejo Impacto anual total (directo, indirecto e induzido) Cerca de 5% do PIB Regional Cerca de 2% do PIB Nacional Cerca de postos de trabalho Dados do Estudo de Impacte Sócio-Económico do Porto de Lisboa relativos a 1997 Professor Dr. Jorge Gaspar

6 Plano Estratégico Objectivo: Criar um conjunto de estratégias e de objectivos que permitam: consolidar a vantagem competitiva do porto de Lisboa, tendo presente a sua multifuncionalidade e a sua integração sustentável nos espaços urbanos circundantes; a afirmação de Lisboa como metrópole europeia, marítima e atlântica.

7 O perfil funcional do Porto de Lisboa deve garantir a sustentabilidade económica e financeira de cada uma das suas principais componentes. São determinantes para o êxito dessa dinâmica, duma nova imagem e para a sua sustentabilidade, as seguintes componentes: a) recepção e movimentação de contentores; b) recepção e movimentação de granéis agroalimentares; c) actividades integradas de turismo, recreio e lazer. Áreas de Intervenção

8 Granéis Agro-alimentares na Península nsula Ibérica

9 Movimentação de Contentores na Península nsula Ibérica

10 Evolução previsível vel do movimento de contentores CENÁRIO MENOS FAVORÁVEL Contentores de TMCD Contentores de Deep-sea e feeder Tráfego Total unit: TEU CENÁRIO MAIS FAVORÁVEL Contentores de TMCD Contentores de Deep-sea e feeder Tráfego Total

11 Capacidade actual e potencial do terminal de Alcântara

12 Acessibilidades e Logística Portuária ria

13 Tráfego fluvial de contentores

14 Diagnóstico face aos requisitos das AEM Requisitos mínimos para garantir sucesso de serviços das AEM Serviços suportado por terminal com Status C Linha regular com estatuto de Serviço Marítimo Regular Autorizado Serviços suportado por sistema One-Stop-Shopping Serviços portuários com horários ajustados de funcionamento Ligação a áreas intermodais de apoio (de igual forma com status C) Estado actual O terminal da SOTAGUS é detentor do status C As características dos serviços previstos permitem que os mesmos se candidatem a este estatuto A lógica de one-stopshoping não se encontra totalmente operacional no porto de Lisboa, faltando o envolvimento de algumas entidades Deverão ser estabelecidos horários de funcionamento ajustados e flexíveis para não afectar a competitividade do serviço intermodal Deverá ser prevista a ligação a áreas intermodais de apoio com o status C Requisitos recomendados para garantir sucesso de serviços das AEM Adopção da info-estrutura (protótipo) do PORTMOS Adopção de um sistema de monitorização e benchmarking dos serviços de transporte Acordo com entidades locais para adopção do princípio Entidade única a bordo Acordo com as entidades locais para a adopção de procedimentos e documentação simplificados 5 Acordo com as entidades Locais para a adopção de procedimentos de despacho e desembaraço electrónicos de navios e carga 6 Acordo com as entidades locais para a flexibilização do trabalho portuário Estado actual Esta info-estrutura deverá Ser operacionalizada no Porto de Lisboa, quando disponível Este sistema deverá ser estruturado e adotado Deverá ser negociado com as entidades responsáveis Deverá ser negociado com as entidades responsáveis Deverá ser negociado com as entidades responsáveis Deverá ser negociado com as entidades responsáveis CUMPRIDO Fonte: Fordesi A CUMPRIR

15 Diagnóstico face aos requisitos das AEM Requisitos responsabilidade APL Manutenção da profundidade Dos canais de acesso Tráfego todo o ano (24h/dia; 365 dias/ano) Acesso às redes principais de transportes Acessibilidades locais livres de obstáculos + existência de acessibilidades ferroviárias internas + Diferenciação de áreas de operações Estado actual Requisito Cumprido Requisito Cumprido Requisito Cumprido Requisito Cumprido Requisitos responsabilidade APL e outros actores Disponibilidade serviços portuários 24h/dia e 365 dias/ano Horários de trabalho e operações flexíveis, sem limitações horárias Adopção de procedimentos electrónicos e de uma infoestrutura de suporte aos mesmos Procedimentos de informação inter-portos através de info- -estruturas Estado actual Requisito Cumprido Requisito Cumprido Requisito Cumprido A cumprir Info-estrutura de suporte ao one- Stop-shopping Requisito Cumprido 5 Suporte de sistemas VTS/VTMIS Requisito Cumprido CUMPRIDO A CUMPRIR Fonte: Fordesi

16 Ranking dos 40 principais portos, a integrar nas AEM Posição 1º 2º 3º 4º 40º 41º Porto Hamburgo London Ports Antuérpia Luebeck Lisboa (único Português) Thessaloniki Fonte: Desk study on good flows in Europe for a pre-definition of Motorways of the sea (MOS), BMT Transport Solutions GmbH, 2006

17 Linhas de Acção 1 3 Posicionamento internacional e estratégia comercial Desenvolvimento de redes comerciais e logísticas avançadas e serviços portuários de suporte 5 Desenvolver um conjunto de acções que consubstanciem uma abordagem sistémica e estruturada de desenvolvimento e promoção do porto de Lisboa na lógica de posicionamento internacional e estratégia comercial Sustentação do desenvolvimento de comunidades avançadas e serviços de suporte às mesmas, particularmente o suporte ao desenvolvimento de redes comerciais e logísticas que sustentem a penetração num hinterland e foreland alargado Conjunto de acções que visam a materialização de todas as condições necessárias para sustentar a operacionalização das auto-estradas marítimas e abordagem a constrangimentos às cadeias intermodais Introdução no porto de Lisboa de novos conceitos logísticos, ao nível do Estado-da-arte na Europa e que sustentem níveis de serviços mais competitivos e a resolução de constrangimentos logísticos. Desenvolvimento das AEM e agilização de cadeias intermodais Introdução de novos conceitos logísticos Gestão do conhecimento e Market intelligence Estabelecimento de sistemas avançados de suporte ao decisor e de um conjunto de mecanismos de monitorização e avaliação constante da competitividade do porto e das cadeias logísticas que o servem Suporte aplicacional e informacional ao desenvolvimento do porto de Lisboa Sistemas de Informação e comunicação Fonte: Fordesi

18

(RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar)

(RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar) (RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar) Projectos Previstos para o Estuário do Tejo Porto Multifuncional TURISMO CARGA CRUZEIROS NÁUTICA RECREIO DESPORTO MARÍTIMO- TURÍSTICA OUTRAS TUTELLE CONTENTORES

Leia mais

Seminário Transporte Marítimo

Seminário Transporte Marítimo TRANSPORTES & NEGÓCIOS Seminário Transporte Marítimo www.portosdeportugal.pt A Estratégia Portuária ria Nacional 30 de Março o de 2006 LÍDIA SEQUEIRA 1 MARCOS HISTÓRICOS DA ASSOCIAÇÃO A APAJP Associação

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013 1 2 3 EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013 4 5 EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO O COMÉRCIO INDUZ A OPERAÇÃO DE TRANSPORTE Cabe ao Transporte Marítimo

Leia mais

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão A Cidade Logística Plataforma Logística do Poceirão Póvoa de Santa Iria, 03 de Dezembro 2009 1 1. Apresentação Integrado na rede de plataformas nacionais definida pelo Portugal Logístico será desenvolvido

Leia mais

horizonte25 PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DO PORTO DE LISBOA

horizonte25 PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DO PORTO DE LISBOA horizonte25 PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DO PORTO DE LISBOA Índice Mensagem do Presidente do Conselho de Administração da APL Um Novo Contexto Histórico O Porto e a Região Metropolitana de Lisboa

Leia mais

A intermodalidade e o transporte marítimo

A intermodalidade e o transporte marítimo Ana Paula Vitorino Secretária de Estado dos Transportes A intermodalidade e o transporte marítimo 27 A dinâmica da política de transportes, global e europeia, e a posição geoestratégica de Portugal justificam

Leia mais

Auto-estradas do Mar PORTMOS: Ligação Sines La Spezia Sines

Auto-estradas do Mar PORTMOS: Ligação Sines La Spezia Sines Lídia Sequeira Presidente do Conselho de Administração Administração do Porto de Sines, S.A. 11 Março 2011 Auto-estradas do Mar PORTMOS: Ligação Sines La Spezia Sines 11 Março 2011 1 Auto-Estradas do Mar

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

Transporte Marítimo e Portos

Transporte Marítimo e Portos Transporte Marítimo e Portos Disposição de Terminais num Porto - 1 Disposição geral do porto de Leixões. 1 Disposição de Terminais num Porto - 2 Porto de Rotterdam (Holanda), o maior porto europeu. Disposição

Leia mais

SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica

SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica Especializações em Transportes e Vias de Comunicação e Sistemas de Informação Geográfica Transportes / SIG / INSPIRE Painel Lisboa 6 novembro 2012 SIIG Sistema de Identificação e Informação Geográfica

Leia mais

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais Exposição de motivos Os portos comerciais do sistema portuário nacional têm

Leia mais

INDICE GERAL RELATÓRIOS ANALÍTICOS. Elaboração do Plano Estratégico do Porto de Lisboa

INDICE GERAL RELATÓRIOS ANALÍTICOS. Elaboração do Plano Estratégico do Porto de Lisboa INDICE GERAL RELATÓRIOS ANALÍTICOS A ENQUADRAMENTO LEGAL E INSTITUCIONAL B ENQUADRAMENTO TERRITORIAL E DOTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURAS C QUADRO DE REFERÊNCIA INTERNO D SISTEMA LOGÍSTICO E ANÁLISE DE MERCADO

Leia mais

PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007

PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007 PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007 Crescimento sustentado da carga movimentada 16.000 14.000 12.000 1000 TONELADAS 10.000 8.000 6.000

Leia mais

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil

ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil ENEC 2011 - Encontro Nacional de Engenharia Civil Sistema Ferroviário: Estagnação ou Desenvolvimento? Alberto Castanho Ribeiro Porto, 21 de Maio de 2011 Estrutura 1. Evolução do Caminho de Ferro 2. Desafios

Leia mais

Seminário DURATINET Lisboa, 26 novembro 2013

Seminário DURATINET Lisboa, 26 novembro 2013 Project nr 2008-1/049 MANUTENÇÃO DE ESTRUTURAS DO PORTO DE LISBOA António Martins, Eng. Civil IST Frederico Telha, Estagiário FCT-UNL Investing in our common future >O Porto de Lisboa >Intervenções realizadas

Leia mais

LOGÍSTICA EM PORTUGAL

LOGÍSTICA EM PORTUGAL LOGÍSTICA EM PORTUGAL 1 LOGÍSTICA EM PORTUGAL SUMÁRIO EXECUTIVO LOGÍSTICA EM PORTUGAL 2 LOGÍSTICA EM PORTUGAL INTRODUÇÃO CONTEXTO ATUAL 4 OBJETIVO 5 PRESSUPOSTOS ORIENTADORES 6 LOGÍSTICA EM PORTUGAL CONTEXTO

Leia mais

NAVEGABILIDADE do ESTUÁRIO do TEJO - APL

NAVEGABILIDADE do ESTUÁRIO do TEJO - APL PLANEAMENTO, COMPETITIVIDADE e SUSTENTABILIDADE 1. Aspectos Gerais da Navegabilidade no Estuário 2. Situação Actual e Futuro 2.1. Assinalamento Marítimo e Apoios à Navegação 2.2. Manutenção de Fundos Dragagens

Leia mais

EDITAL N.º 41/CML/2014. (Tomada de Posição Sobre o ANTEPROJETO DE REGIME JURÍDICO DO SISTEMA DE SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS)

EDITAL N.º 41/CML/2014. (Tomada de Posição Sobre o ANTEPROJETO DE REGIME JURÍDICO DO SISTEMA DE SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS) EDITAL N.º 41/CML/2014 (Tomada de Posição Sobre o ANTEPROJETO DE REGIME JURÍDICO DO SISTEMA DE SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS) HÉLDER SOUSA SILVA, Vice-Presidente do Conselho Metropolitano

Leia mais

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira)

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) Comissão Arco Atlântico Eduardo Borges Pires, Director de Estudos e Estratégia Sines, 11 de Março de 2011 Procura Transporte

Leia mais

22/11/2012. Principais características / Acessos. Índice. Os SIG aplicados à Gestão Portuária. Porto de Sines Porta Atlântica da Europa

22/11/2012. Principais características / Acessos. Índice. Os SIG aplicados à Gestão Portuária. Porto de Sines Porta Atlântica da Europa 22/11/2012 Índice Enquadramento do Porto de Sines SIG Histórico Porto de Sines Principais Características Os SIG aplicados à Gestão Portuária Projeto SIIG SIIG - Sistema de Identificação e Informação Geográfica

Leia mais

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura

Leia mais

Índice. Editorial 3. Um porto com história 4. Actividades portuárias e as cidades 5. O estuário do Tejo 5. NovAlcântara 6

Índice. Editorial 3. Um porto com história 4. Actividades portuárias e as cidades 5. O estuário do Tejo 5. NovAlcântara 6 Editorial 3 Um porto com história 4 Actividades portuárias e as cidades 5 Índice O estuário do Tejo 5 NovAlcântara 6 Contrato de concessão - Enquadramento jurídico 8 Terminal Contentores de Alcântara -

Leia mais

II CONGRESSO ÂNCORA (FEEM) 14 NOVEMBRO 2013 PORTOS E TRANSPORTES MARÍTIMOS TORNAR PORTUGAL NUM IMPORTANTE HUB DE TRANSPORTE MARÍTIMO

II CONGRESSO ÂNCORA (FEEM) 14 NOVEMBRO 2013 PORTOS E TRANSPORTES MARÍTIMOS TORNAR PORTUGAL NUM IMPORTANTE HUB DE TRANSPORTE MARÍTIMO II CONGRESSO ÂNCORA (FEEM) 14 NOVEMBRO 2013 PORTOS E TRANSPORTES MARÍTIMOS TORNAR PORTUGAL NUM IMPORTANTE HUB DE TRANSPORTE MARÍTIMO Miguel de Paiva Gomes (Transinsular Grupo ETE) GRUPO ETE - PORTFÓLIO

Leia mais

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 2006-2015 Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 Portugal 2015 Portugal 2015 - Metas 2005 2015 Douro Douro Oeste Oeste Serra da Estrela Serra da Estrela Alqueva Litoral Alentejano Litoral Alentejano

Leia mais

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado A Plataforma Logística de Leixões uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado Junho de 2008 O TERRITÓRIO - A fachada Atlântica O TERRITÓRIO - O Norte e o Centro de Portugal Valença Chaves

Leia mais

O Hypercluster da Economia do Mar em Portugal. (Resumo)

O Hypercluster da Economia do Mar em Portugal. (Resumo) O Hypercluster da Economia do Mar em Portugal (Resumo) O Hypercluster da Economia do Mar em Portugal Um novo domínio estratégico e um factor de afirmação A economia portuguesa está a sofrer uma descontinuidade

Leia mais

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007

Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Restituição de cauções aos consumidores de electricidade e de gás natural Outubro de 2007 Ponto de situação em 31 de Outubro de 2007 As listas de consumidores com direito à restituição de caução foram

Leia mais

Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo

Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo Plano de Ordenamento do Estuário do Tejo WORKSHOP (re)viver o Tejo FÓRUM EMPRESARIAL DA ECONOMIA DO MAR Lisboa, 30 de Março de 2011 Gabriela Moniz Administração da Região Hidrográfica do Tejo, I.P. (gabriela.moniz@arhtejo.pt)

Leia mais

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Estratégias adoptadas As estratégias adoptadas e o desempenho da APFF nos três domínios da sustentabilidade encontram-se

Leia mais

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal

A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES. Opções da União Europeia e posição de Portugal A MOBILIDADE URBANA E A SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Opções da União Europeia e posição de Portugal 1 I Parte - O Plano de Acção da EU Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Publicado pela Comissão Europeia

Leia mais

Estoril Um caso de Sucesso

Estoril Um caso de Sucesso Estoril Um caso de Sucesso Les Esturiales Bureau Meeting - Lisboa, 11 Maio/2007 Fundação Cidade Lisboa Os Concelhos da Área Metropolitana de Lisboa Mafra Loures Sintra Odivelas Amadora Cascais Oeiras Lisboa

Leia mais

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa;

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; 1 2 A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; As ilhas encontram-se dispersas por uma extensão de 600km, desde Santa Maria

Leia mais

Transportes: projectos prioritários até 2020

Transportes: projectos prioritários até 2020 Alameda dos Oceanos, Lote 1.02.1.1. Z17 1990-302 Lisboa Telef: 210140312 E-Mail: geral@adfersit.pt Site: www.adfersit.pt Transportes: projectos prioritários até 2020 A ADFERSIT (Associação Portuguesa para

Leia mais

A ligação Setúbal-Paris Business Case Serviço intermodal Portugal-França

A ligação Setúbal-Paris Business Case Serviço intermodal Portugal-França A ligação Setúbal-Paris Business Case Serviço intermodal Portugal-França Artur Alves FORDESI, SA 10 de Novembro de 2009 IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Overview Características do serviço

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL

ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL ACORDO DE COOPERAÇÃO INSTITUCIONAL Entre: o Município de Lisboa, pessoa coletiva n.º 500051070, com sede na Praça do Município, em Lisboa, neste ato representado pelo Presidente da Câmara Municipal, António

Leia mais

Setúbal, 15 de Março de 2015

Setúbal, 15 de Março de 2015 Setúbal, 15 de Março de 2015 Península de Setúbal 1 421 Km2 9 concelhos 782 044 pessoas Peso na população nacional População ativa (igual à média nacional) 7% 49% Alcochete Almada Barreiro Moita Montijo

Leia mais

11.º Congresso Nacional ADFERSIT Sistema Portuário Português: Contributo para a Competitividade das Cadeias Logísticas Multimodais

11.º Congresso Nacional ADFERSIT Sistema Portuário Português: Contributo para a Competitividade das Cadeias Logísticas Multimodais 11.º Congresso Nacional ADFERSIT Sistema Portuário Português: Contributo para a Competitividade das Cadeias Logísticas Multimodais João Pedro Braga da Cruz 17 de Outubro de 2013 1. Introdução Uma das características

Leia mais

08/Junho/2011 5ª REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO

08/Junho/2011 5ª REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO 08/Junho/2011 5ª REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO Aprovação do Relatório de Execução de 2010 Estrutura do Relatório de Execução 2010 Estrutura do Relatório de Execução de 2010 do PORL: 1. Apresentação

Leia mais

Madeira: Global Solutions for Wise Investments

Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments O Centro Internacional de Negócios da Madeira Lisboa, 20 de Abril de 2010 Índice 1. Fundamentos do CINM 2.

Leia mais

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal.

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. Porto de leixões O que é o porto de Leixões O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. História do porto de Leixões O porto de Leixões foi construído na foz do rio leça, aproveitando três

Leia mais

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE Enquadramento Comunitário e Nacional Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes, rumo a um sistema de transportes

Leia mais

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015)

Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) JAN.2012 Plano Estratégico dos Transportes (2011-2015) Transportes Públicos de Passageiros Fernando Nunes da Silva Vereador da Mobilidade - Câmara Municipal de Lisboa Plano Estratégico de Transportes (2011

Leia mais

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 534 Conclusões da Discussão Pública A Discussão Pública B Análise Preliminar à Alocação de Fundos Comunitários A Discussão Pública Discussão Pública Metodologia

Leia mais

21 ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS

21 ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS 1330 .1 SECTOR FERROVIÁRIO PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T CORREDOR DA FACHADA ATLÂNTICA 734 0 5 0 2 Conclusão do Plano de Modernização -Linha do Norte 400 300

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa

Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa + 1 Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa José Luís Cacho Presidente da Associação de Portos de

Leia mais

CORREDOR FERROVIÁRIO ATLÂNTICO DE MERCADORIAS.

CORREDOR FERROVIÁRIO ATLÂNTICO DE MERCADORIAS. www.atrcd.com CORREDOR FERROVIÁRIO ATLÂNTICO DE MERCADORIAS. ETXEBIZITZA, HERRI LAN ETA GARRAIO SAILA DEPARTAMENTO DE VIVIENDA OBRAS PÚBLICAS Y TRANSPORTES ATRCD POR QUE É IMPORTANTE IMPULSIONAR A CORREDOR

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação Nova condição territorial Na era da integração econômica regional e global, situações locais são

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

Gestão Pública da Água e Saneamento

Gestão Pública da Água e Saneamento junho de 2015 Gestão Pública da Água e Saneamento Garante Qualidade e Tarifas Mais Baixas Gestão Pública da Água e Saneamento E o projecto de Diretiva? O que lhe aconteceu? Iniciativa e luta de cidadãos

Leia mais

Lista de Candidaturas 2006/07 Cursos EFA

Lista de Candidaturas 2006/07 Cursos EFA Lista de Candidaturas 2006/07 Cursos EFA LEZÍRIA do TEJO ES/EB3 de Coruche B3 Escolar CORUCHE LEZÍRIA do TEJO ES/EB3 de Coruche B3 Escolar CORUCHE LEZÍRIA do TEJO ES Dr. Augusto César da Silva Ferreira

Leia mais

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Sintra, 13 abril 2015 1 Do plano de ação turismo 2020 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: PROCESSO ABERTO E PARTICIPADO

Leia mais

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Porto, 1 de Outubro de 2009 António Viana 2 Plano da Apresentação Missão OESF 2006 Investimentos 2009-2013 3 Missão da REFER Proporcionar ao mercado

Leia mais

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo.

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo. CONCEITOS BÁSICOS: MODO DE TRANSPORTE Tipo de veículo utilizado para a deslocação de pessoas e mercadorias. DISTÂNCIAS RELATIVA Distância entre dois lugares, em função de factores sujeitos a variação,

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu Ligação Ferroviária ria Sines/Elvas Luísa Soares Direcção de Estudos e Estratégia llsoares@refer.pt Zaragoza, 20.10.2009 Índice 1. Enquadramento

Leia mais

A Secretária de Estado dos Transportes. Eng.ª Ana Paula Vitorino

A Secretária de Estado dos Transportes. Eng.ª Ana Paula Vitorino Intervenção de Sua Excelência, A Secretária de Estado dos Transportes Eng.ª Ana Paula Vitorino por ocasião da Conferência Ibérica Qualidade Global dos Portos Aveiro, 3 de Abril de 2007 (vale a versão lida)

Leia mais

Os estudos de economia e a revisão do PROT-AML

Os estudos de economia e a revisão do PROT-AML Os estudos de economia e a revisão do PROT-AML Prof. Rui Florentino, ruiflorentino@gmail.com Prof. Álvaro Nascimento, anascimento@porto.ucp.pt Universidade Católica Portuguesa Sub-tema: A economia do território

Leia mais

MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO

MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO MARINHA MERCANTE COMO UM DOS FACTORES IMPULSIONADORES DE DESENVOLVIMENTO Arlindo Zandamela Instituto Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM) Lisboa, Portugal Zandamela.arlindo@gmail.com Sumário

Leia mais

ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA

ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA Dossier de imprensa Comunicação Tel. +34 93 230 50 94 / +34 93 230 51 85 Tel. +34 91 563 66 26 comunicacion@abertislogistica.com ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA O

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 07

Relatório de Sustentabilidade 07 Relatório de Sustentabilidade 07 Relatório de Sustentabilidade 07 Índice 1 Mensagem do Conselho de Administração 06 De Montante para o Presente 08 Indicadores Chave de Desempenho da APL 12 2 A nossa Visão

Leia mais

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã

Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Sessã o de Aberturã do VII Congresso dos Portos de Lí nguã Portuguesã Excelência, Senhor Vice Governador da Província de Benguela, Dr. João Felizardo em representação do Engº Isaac Francisco Maria dos

Leia mais

Plano DOM. Mudanças. Peso da Régua, 26 Setembro 2008 Isabel Gomes

Plano DOM. Mudanças. Peso da Régua, 26 Setembro 2008 Isabel Gomes Plano DOM Desafios, Oportunidades e Mudanças Peso da Régua, 26 Setembro 2008 Isabel Gomes De um Modelo Institucional, para um Modelo Especializado e Terapêutico. 29 de Setembro de 2008 2 Idade das crianças

Leia mais

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental

Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Análise de sustentabilidade da empresa nos domínios económico, social e ambiental Estratégias adoptadas As estratégias adoptadas e o desempenho da APA nos três domínios da sustentabilidade encontram-se

Leia mais

contexto estratégico, económico e empresarial

contexto estratégico, económico e empresarial A Marina de Albufeira Uma história de 10 anos A Marina e a cidade de Albufeira, uma relação de futuro 1997 2001 2020 A Marina de Albufeira - descrição Albufeira Algarve - Portugal 475 postos de amarração

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas

Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas Arco Ribeirinho Sul: o que é? Conceito territorial Projecto de requalificação Empresa pública Projecto decisivo para a criação da Cidade das duas margens Oportunidade de reconversão ambiental e urbanística

Leia mais

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL MOBILIDADE SUSTENTÁVEL Quem somos TIS A TIS tem como missão a geração de valor na área da mobilidade e transportes para os seus clientes e acionistas, baseado em soluções sustentáveis do ponto de vista

Leia mais

Que políticas de transportes

Que políticas de transportes Que políticas de transportes 8º ciclo de seminários - Transportes e negócios J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa) Professor Universitário e Consultor Aeroportos

Leia mais

Global forwarding: ao serviço da supply chain

Global forwarding: ao serviço da supply chain José Guilherme Tavares jgbtavares@hotmail.com .... Logística Global Logística Global Desenhar a rede Encontrar as respostas para as necessidades da Supply Chain: Qual a origem da mercadoria Condicionantes/natureza

Leia mais

AÇORES ECONOMIA 2020. Sandro Paim 09 de Outubro de 2014 Auditório do Palácio dos Capitães Generais. www.ccah.eu

AÇORES ECONOMIA 2020. Sandro Paim 09 de Outubro de 2014 Auditório do Palácio dos Capitães Generais. www.ccah.eu AÇORES ECONOMIA 2020 Sandro Paim 09 de Outubro de 2014 Auditório do Palácio dos Capitães Generais www.ccah.eu Visão dos empresários acerca das linhas orientadoras para desenvolvimento regional: 1)Gestão

Leia mais

Política de Desenvolvimento Sustentável

Política de Desenvolvimento Sustentável Política de Desenvolvimento Sustentável - Principais Linhas de Orientação - 1. Valorização do porto operacional 2. Valorização das frentes ribeirinhas 2.1. Qualificação / Integração 2.2. Preservação e

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA -

PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - PROCEDIMENTOS DE MUDANÇA DE COMERCIALIZADOR - CONSULTA PÚBLICA - 1. ENQUADRAMENTO Na sequência da consulta pública acima mencionada, promovida conjuntamente pelos reguladores português e espanhol, vem

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 12 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros O Turismo e o Sector dos Cruzeiros Agenda 1. Portugal e o Mar 2. Os Cruzeiros no PENT 3. O Turismo na Economia Portuguesa 4. O Segmento de Cruzeiros Turísticos 5. Cruzeiros Turísticos em Portugal Terminais

Leia mais

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da

Eng.ª Ana Paula Vitorino. por ocasião da INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA A SECRETÁRIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES Eng.ª Ana Paula Vitorino por ocasião da Sessão de Encerramento do Colóquio PORTO DE AVEIRO: ESTRATÉGIA E FUTURO, Ílhavo Museu Marítimo

Leia mais

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001

MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Informação à Comunicação Social 25 de Fevereiro de 2003 MOVIMENTOS PENDULARES NA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA 1991-2001 Deslocações entre o local de residência e o local de trabalho / estudo PORTUGAL MINISTÉRIO

Leia mais

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas.

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. I. O Promotor A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. A Conceito Original pretende pois afirmar-se

Leia mais

Actualmente circulamcerca de 180 000 camiões, por ano, entre França e Portugal, com um relativo equilíbrio entre os fluxos Norte/Sul e Sul/Norte.

Actualmente circulamcerca de 180 000 camiões, por ano, entre França e Portugal, com um relativo equilíbrio entre os fluxos Norte/Sul e Sul/Norte. Convite à apresentação de projectos para o lançamento de uma ou mais auto-estradas do mar entre França e Portugal sobre as fachadas atlântica e mediterrânica Os Governos francês e português estão convencidos

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 4 Ratificar a decisão de início de procedimento e de escolha do procedimento prévio à contratação, bem como todos os actos procedimentais subsequentes

Leia mais

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira

Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira Polis Litoral Operações Integradas de Requalificação e Valorização da Orla Costeira OBJECTIVOS DO POLIS LITORAL: (RCM n.º 90/2008, de 3 de Junho) a) Proteger e requalificar a zona costeira, tendo em vista

Leia mais

Shortsea e AE Marítimas

Shortsea e AE Marítimas Shortsea e AE Marítimas Lídia Sequeira Focal point MoS Seminário Transportes & Negócios 12 de Março de 2009 Rede Trans-Europeia de Transportes: O conceito de uma Rede Transeuropeia de Transportes A ideia

Leia mais

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira

O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira O Desenvolvimento do Transporte de Contêineres na Cabotagem Brasileira Mauro Dias Diretor-Presidente 1 Seminário Cabotagem Brasileira Agosto 2009 Mercado de Cabotagem de Contêineres O mercado de contêineres

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO

CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO CONCEÇÃO PLANEAMENTO OPERACIONALIZAÇÃO MAR PORTUGAL - Um Mar de Oportunidades MAR PORTUGAL Conectividade intercontinental; Todas as regiões são litorais ou insulares; Mar profundo. MAR PORTUGAL - Um Mar

Leia mais

Curso - Prático Intermodalidade Marítima-Ferroviária 3-5 de Dezembro de 2012

Curso - Prático Intermodalidade Marítima-Ferroviária 3-5 de Dezembro de 2012 Curso - Prático Intermodalidade Marítima-Ferroviária 3-5 de Dezembro de 2012 Media partners: Informação e reservas: Escola Europea de Short Sea Shipping 2E3S.eu Telefone:(+34) 93 298 6070 E-mail: info@2e3s.eu

Leia mais

o papel das dinâmicas e estratégias residenciais no desenvolvimento territorial da área metropolitana de lisboa 1

o papel das dinâmicas e estratégias residenciais no desenvolvimento territorial da área metropolitana de lisboa 1 o papel das dinâmicas e estratégias residenciais no desenvolvimento territorial da área metropolitana de lisboa 1 Maria Júlia Ferreira 2 Resumo: Palavras-chave Estratégias habitacionais; territórios residenciais;

Leia mais

2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS

2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS 2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS A Regra da Guilhotina Os regulamentos comunitários que enquadram a aplicação do QCA III apresentam uma rigidez e uma exigência

Leia mais

O FUTURO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO RIO DE MERCADORIAS EM PORTUGAL. TIS.pt

O FUTURO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO RIO DE MERCADORIAS EM PORTUGAL. TIS.pt O FUTURO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO RIO DE MERCADORIAS EM PORTUGAL Rosário Macário TIS.pt Seminário T&N, 28.09.06 Que Políticas de Transporte? Tendências Fortes na Evolução da Envolvente Externa centralidade

Leia mais

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª

Plataforma Global Find. Uma ferramenta para localização empresarial. 10 de Novembro de 2009. Maria Alexandre Costa, Engª Plataforma Global Find Uma ferramenta para localização empresarial 10 de Novembro de 2009 Maria Alexandre Costa, Engª A aicep Global Parques integra o universo da aicep Portugal Global Agência para o Investimento

Leia mais

ESTUDOS SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO NOVO AEROPORTO DE LISBOA

ESTUDOS SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO NOVO AEROPORTO DE LISBOA ESTUDOS SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO NOVO AEROPORTO DE LISBOA RELATÓRIO FINAL CAPÍTULO ACESSIBILIDADES E TRANSPORTES SUMÁRIO EXECUTIVO Neste relatório é aprofundado o objectivo do NAL em termos nacionais, o

Leia mais

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente TRANSPORTE INTERMODAL Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt

Leia mais

Ir mais longe até onde for o futuro!

Ir mais longe até onde for o futuro! Ir mais longe até onde for o futuro! DOSSIER DE IMPRENSA 2010 Luís Simões A Luís Simões (LS) é composta por 10 empresas juridicamente autónomas e agrupadas em 3 unidades de negócio: transporte, logística

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade

Manual de Gestão da Qualidade Pág.1/21 Elaborado: Aprovado: Manual de Gestão da Qualidade CONTROLO DE REVISÕES Revisão Descrição das Alterações Data Responsável AA Emissão da primeira versão 30/06/2005 Comissão Qualidade AB Alteração

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais