Procedimento para realização de Doutoramento com apoio do ISEL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimento para realização de Doutoramento com apoio do ISEL"

Transcrição

1 ISEL Serviço de Documentação e Publicações Procedimento para realização de Doutoramento com apoio do ISEL Lisboa, Novembro

2 Índice Procedimentos para realização de Doutoramento com apoio do ISEL... 3 Fase I... 5 Fase II... 6 Fase III... 7 Anexos. 8 2

3 Procedimentos para realização de Doutoramento com apoio do ISEL Com o objectivo de uniformizar procedimentos sobre a realização de doutoramento por parte de docentes do ISEL e o conhecimento deste por parte dos serviços do ISEL elaborou-se o presente documento. Os procedimentos aqui descritos destinam-se a regular a forma de relação entre o docente doutorando e o ISEL unicamente para as situações em que o docente pretende o apoio do ISEL seja sobre a forma de componente financeira (bolsas, apoio directo, etc.), seja sobre a forma da distribuição de serviço docente (dispensas, distribuição favorável da carga horária, etc.). Fase I 1 O docente informa o Presidente da Área Departamental da sua intenção de candidatura a um programa doutoral, indicando a correspondente área científica e estabelecimento de ensino i ; 2- Após a aceitação da intenção de candidatura ao doutoramento (validado com a tomada de conhecimento do Presidente da Área Departamental), o docente informa o Conselho Técnico-Científico, o Presidente do ISEL e o Serviço de Documentação e Publicações do ISEL dessa decisão; 3- O Serviço de Documentação e Publicações do ISEL faculta aos docentes os documentos necessários para dar prosseguimento ao processo: a declaração de docência (emitida pelo Serviço de Recursos Humanos) ii e o requerimento para pedido de isenção de propinas de doutoramento iii. Estes documentos deverão ser apresentados pelos docentes nos estabelecimentos de ensino onde se candidatem para efectuar o doutoramento; 4- O docente solicita a equiparação a bolseiro iv (requerimento dos Recursos Humanos, no qual serão dados todos os pareceres) que, posteriormente, em reunião do CTC é aprovada e comunicada aos Recursos Humanos e assume o termo de compromisso v de permanecer ao serviço nos três anos após conclusão do doutoramento em caso de necessidade por parte do ISEL; 3

4 Fase II 5- A partir do ano de inscrição e no final de cada ano frequentado de doutoramento os docentes deverão entregar o Relatório de Actividades vi realizadas acompanhado com os pareceres dos Orientadores. Este documento deverá ser remetido em formatos papel e electrónico para o Conselho Técnico-Científico, com conhecimento ao Serviço de Documentação e Publicações do ISEL (apenas em formato electrónico); 6 Após a emissão de Parecer ao Relatório de Actividades pelo Conselho Técnico- Científico, este deverá ser comunicado ao docente e ao Serviço de Documentação e Publicações do ISEL; Fase III 7 Assim que a tese de doutoramento for defendida publicamente é entregue no Serviço de Documentação e Publicações do ISEL uma cópia em formato papel e uma cópia em formato digital (pdf) acompanhado com autorização vii de disponibilização e divulgação; 8 A equiparação a bolseiro cessa automaticamente no término do período solicitado pelo docente ao CTC; 9 Toda a documentação relativa aos processos de doutoramentos é arquivada no Serviço de Documentação e Publicações do ISEL. 4

5 Fase I Apresentação de Intenção de Doutoramento Informa o Presidente da Área Departamental da intenção de candidatura Intenção de Candidatura ao Programa Doutoral Sim Informa o Conselho Técnico- Científico, o Presidente do ISEL e o Serviço de Documentação e Publicações da candidatura Tomada de conhecimento/ Deferimento Não Arquivamento da documentação O Serviço de Documentação e Publicações faculta aos docentes os documentos necessários Declaração de docência / Requerimento para pedido de isenção de propinas Entrega da candidatura no estabelecimento de ensino a efectuar o Doutoramento Informa os Recursos Humanos Entrega do pedido de equiparação a bolseiro no Conselho Técnico- Científico e assinatura de compromisso Realização do Doutoramento Deferimento pelo Conselho Técnico-Científico Arquivamento de toda a documentação relativa ao processo de candidatura ao Doutoramento 5

6 Fase II Realização do Doutoramento Realização do Relatório de Actividades anualmente com pareceres dos orientadores Relatório de Actividades Relatório de Actividades formatos papel e electrónico Entrega do Relatório de Actividades no Conselho Técnico- Científico Conhecimento ao Serviço de Documentação e Publicações Relatório de Actividades formato electrónico Parecer do Conselho Técnico- Comunicação do parecer ao Serviço de Documentação e Publicações Arquivamento dos Relatórios de Actividades com os pareceres 6

7 Fase III Defesa Pública da Tese de Doutoramento Cessação da equiparação a bolseiro Arquivamento de toda a documentação relativa ao processo de Doutoramento Entrega no Serviço de Documentação e Publicações da Tese Entrega na Biblioteca do ISEL Tese formatos papel e digital (pdf) / autorização de disponibilização e divulgação Divulgação e disponibilização da Tese i Preenchimento de anexo I Intenção de Candidatura ao Programa Doutoral. ii Preenchimento de anexo II Declaração de docência. iii Preenchimento de anexo III Pedido de isenção de propinas. O requerimento para a isenção de propinas tem o seguinte enquadramento legal: ECDESP (Estatuto da Carreira do Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnico) no qual se exige a obtenção do grau de Doutor para efeitos de progressão de carreira e no Decreto-Lei n.º 107/2008 de 25 de Julho. Estes documentos legais não revogam o n.º 4 do art.º 4 do Decreto-Lei n.º 216/92 de 13 de Outubro que refere que: «Estão isentos do pagamento de propinas os docentes do Ensino Superior que, nos termos do respectivo estatuto, estejam obrigados à obtenção dos graus de mestre e de doutor». iv Preenchimento de anexo IV Pedido de Equiparação a Bolseiro. v Preenchimento de anexo V Termo de compromisso. vi Preenchimento de anexo VI Relatório de Actividades. vii Preenchimento de anexo VII Autorização de disponibilização e divulgação. 7

8 ANEXOS 8

9 Programa Doutoral Identificação do Docente INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA ANEXO I Intenção de Candidatura ao Doutoramento A entregar na Área Departamental (O preenchimento deverá ser feito em letra legível, usando preferencialmente maiúsculas) Número Mecanográfico Nome do Docente: Contacto: Área Departamental: Área Cientifica: Universidade: Escola: Área Cientifica: Documentos a entregar: Documento comprovativo da aceitação da intenção de Doutoramento Presidente da Área Departamental Tomei conhecimento Presidente do ISEL Tomei conhecimento Docente (Assinatura Presidente da Área Departamental) / /201 (Assinatura Presidente do ISEL) / /201 (Assinatura do docente) / /201_ Após aceitação da intenção de doutoramento: Presidente do Conselho Técnico-Científico Serviço de Documentação e Publicações (Assinatura Presidente do CTC) / /201 (Responsável pelo Serviço) / /201_ 9

10 ANEXO II D E C L A R A Ç Ã O Para os devidos efeitos e a pedido do interessado, se declara que o (nome do docente), exerce funções docentes neste Instituto, com a categoria de, desde (dia /mês / ano). Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, (data) Recursos Humanos Núcleo Docente 10

11 ANEXO III Pedido de isenção de propina de doutoramento Exmo. Senhor (nome do responsável máximo da instituição à qual se solicita a isenção de pagamento de propinas) (Nome do docente) filho de e de, nascido a / /, natural de, concelho de, de nacionalidade portuguesa, portador do BI/Cartão de Cidadão nº, passado pelo Arquivo de Identificação de em / /, residente em telefone, exercendo as funções de docente desde Dia/Mês/Ano, no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, com a categoria de, vem requerer ao abrigo do nº 4 do artigo 4º do Decreto-Lei n.º216/92 de 13 de Outubro a isenção de pagamento de propinas de doutoramento. Pede deferimento Lisboa, de de (nome do docente) 11

12 ANEXO IV Pedido de Equiparação a Bolseiro Exmo. Senhor Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa filho de e de, português, natural de Concelho de, portador do Bilhete de Identidade nº de / /, passado pelo Arquivo de Identificação, exercendo as funções de neste Instituto, requer a V. Exa se digne autorizar a Equiparação a Bolseiro, a tempo, pelo período de / / a / / a fim de poder desenvolver o trabalho de investigação conducente ao seu, sob orientação de. Pede deferimento Lisboa, de de 12

13 ANEXO V Termo de Compromisso de prestação de serviço no ISEL durante 3 anos após a obtenção do grau de Doutor Exmo. Senhor Presidente do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (O preenchimento deverá ser feito em letra legível, usando preferencialmente maiúsculas) Declaro, para os devidos fins, que eu, Portador(a) do Bilhete de Identidade nº natural de (freguesia, concelho), filho(a) de e de, residente em (endereço e código postal), assumo o compromisso de prestação de serviço no ISEL durante três anos após a obtenção do grau de Doutor. Assinatura do doutorando(a): Local de data: 13

14 ANEXO VI Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) Área Departamental de Área Científica de Relatório de Actividades relativo ao º Semestre de / - Relatório de dispensa de Serviço do docente concedida para prossecução do Programa de Doutoramento em da(o) (Nome da Instituição) referente ao ano lectivo de /. Docente: Nº Mecanográfico: 14

15 ÍNDICE 1. Introdução... pag.nº 2. Resumo....pag.nº 3. Objectivos... pag.nº 4. Descrição do trabalho efectuado no ano anterior...pag.nº 5. Descrição do trabalho a desenvolver...pag.nº 6. Publicações...pag.nº Anexo - Índice provisório da tese Título da Dissertação: Plano de Estudos Propõe-se para este trabalho de Doutoramento em,. O plano de estudos seguirá a seguinte estrutura de trabalho: (exemplo) i. ii. iii. Cronograma Actualmente os pontos i, ii e iii encontram-se em (conclusão/em curso/etc) Os pontos e encontram-se em fase de (conclusão/em curso/etc). Plano Curricular No que diz respeito ao plano curricular o aluno concluiu com aprovação as seguintes disciplinas: 15

16 (exemplo) 1º Semestre ano/ano 2º Semestre ano/ano Doutorando(a Lisboa, de de 201 (Assinatura do doutorando(a)) Orientador(a) Lisboa, de de 201 (Assinatura do orientador(a)) 16

17 ANEXO VII Declaração de divulgação da Tese de Doutoramento Nome Endereço electrónico: Telef./Telem.: N.º BI: Designação do Doutoramento: Ano de Conclusão: Título da Tese: Orientador (es): Declaro que autorizo o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa a arquivar uma cópia da tese e a inserir o seu conteúdo, em formato pdf, na internet e intranet, possibilitando assim o seu conhecimento a todos os utilizadores, desde que, sejam garantidos os direitos de autor. Mais concedo ao Instituto Superior de Engenharia de Lisboa a possibilidade de reproduzir, no todo a dissertação, em qualquer formato de ficheiro, com a finalidade de a disponibilizar a Instituições de Ensino ou Investigação, a Centros de Documentação e Bibliotecas, para fins pedagógicos ou de investigação. Assinatura do docente: Lisboa, de

18

PROCEDIMENTO PARA ALTERAÇÃO DE DIRETOR TÉCNICO DE FARMÁCIA DE OFICINA

PROCEDIMENTO PARA ALTERAÇÃO DE DIRETOR TÉCNICO DE FARMÁCIA DE OFICINA PROCEDIMENTO PARA ALTERAÇÃO DE DIRETOR TÉCNICO DE FARMÁCIA DE OFICINA 1. Requisitos legais a) A direção técnica da farmácia é assegurada em permanência, por farmacêutico diretor técnico, registado na Secretaria

Leia mais

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE

Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE Universidade do Minho PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS INTEGRADO CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM ENGENHARIA ELECTRÓNICA INDUSTRIAL E COMPUTADORES 1 Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação)

Leia mais

União de Facto. Requerimento nº Recibo nº Atestado nº. Exmo(a) Senhor(a) Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Pontinha e Famões

União de Facto. Requerimento nº Recibo nº Atestado nº. Exmo(a) Senhor(a) Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Pontinha e Famões União de Facto Requerimento nº Recibo nº Atestado nº Exmo(a) Senhor(a) Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Pontinha e Famões Nome: Data de Nascimento: Natural de Nacionalidade Portador

Leia mais

REGULAMENTO. Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos do Mestrado em Engenharia de Materiais

REGULAMENTO. Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos do Mestrado em Engenharia de Materiais REGULAMENTO DA Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos do Mestrado em Engenharia de Materiais Aprovado pela Comissão Científica de Curso Mestrado em Engenharia de Materiais 1

Leia mais

REGULAMENTO Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos Integrados em Engenharia Mecânica

REGULAMENTO Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos Integrados em Engenharia Mecânica REGULAMENTO da Unidade curricular Dissertação de Mestrado do 2º Ciclo de Estudos Integrados em Engenharia Mecânica Aprovado pela Comissão Científica de Curso Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica Ano

Leia mais

Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos. I. Disposições Gerais. Artigo 1º.

Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos. I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Regulamento de Mobilidade Internacional de Estudantes do Instituto de Estudos Políticos I. Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) 1. O presente Regulamento rege a mobilidade internacional de estudantes

Leia mais

EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA EXERCÍCIO DA ATIVIDADE DE INTERMEDIAÇÃO DE MEDICAMENTOS DE USO HUMANO REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA A intermediação de medicamentos é qualquer atividade ligada à venda ou compra de medicamentos, com exceção

Leia mais

Equiparação a Bolseiro

Equiparação a Bolseiro Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) Equiparação a Bolseiro Regulamento Preâmbulo Face ao disposto no artigo 29º- A do Decreto-Lei nº 207/2009, de 31 de Agosto - Estatuto da Carreira do Pessoal Docente

Leia mais

Manual de Matrículas

Manual de Matrículas Manual de Matrículas Inscrições 2013/2014 Introdução O presente documento constitui um Manual que visa ajudar os estudantes durante o processo de matrículas/inscrições para o ano lectivo 2013/2014. O documento

Leia mais

Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões

Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões Ex.mo(a) Senhor(a) Presidente da Câmara Municipal de Odivelas (A preencher pelos serviços) Processo n.º / / Pedido de Consulta de Processo/Fotocópias/2ª Vias Alvarás/Certidões Identificação do Requerente

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA INSCRIÇÃO DE ADVOGADO PROVENIENTE DA UNIÃO EUROPEIA DOCUMENTOS A ENTREGAR (Reg. Nº 232/2007, de 4 de Setembro) 1) Requerimento de inscrição (Anexo A) 2) Boletim de inscrição com a assinatura pessoal e

Leia mais

Freguesia de Penela da Beira

Freguesia de Penela da Beira EDITAL Alexandre Rui Lopes Escudeiro, Presidente da Junta de Freguesia de Penela da Beira: Torna público que esta Junta de Freguesia em reunião extraordinária de 17 de Setembro de 2010, aprovou o seguinte

Leia mais

Nota Informativa. Em caso de dúvida poderão contactar, sempre que o entendam, os serviços competentes desta Direcção Regional.

Nota Informativa. Em caso de dúvida poderão contactar, sempre que o entendam, os serviços competentes desta Direcção Regional. Nota Informativa As minutas aqui expostas, passíveis de impressão, pretendem dinamizar o Principio da colaboração da Administração com os particulares (vd. Artº 7.º do CPA) em conjugação com o Principio

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinete Apoio à Reitoria 1.

REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinete Apoio à Reitoria 1. REGULAMENTO Depósito de Documentos no Repositório Científico Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor 1.1 Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial 26 de Março de 2012 Data de aplicação da

Leia mais

Assim, o regulamento de provas de Agregação da Universidade Católica Portuguesa rege-se pelas seguintes normas:

Assim, o regulamento de provas de Agregação da Universidade Católica Portuguesa rege-se pelas seguintes normas: DESPACHO NR/R/0094/2008 ASSUNTO: Regulamento de provas de agregação Na sequência da publicação do Decreto-Lei nº 239/2007, de 19 de Junho e ao fim de alguns meses de aplicação na UCP, considerou-se conveniente

Leia mais

/ / Regulamentos REGULAMENTO DE ACUMULAÇAO DE FUNÇOES DA U.PORTO. Capítulo 1. Âmbito e objecto. Artigo 1.0. Capítulo II Pessoal docente Artigo 2.

/ / Regulamentos REGULAMENTO DE ACUMULAÇAO DE FUNÇOES DA U.PORTO. Capítulo 1. Âmbito e objecto. Artigo 1.0. Capítulo II Pessoal docente Artigo 2. Regulamentos REGULAMENTO DE ACUMULAÇAO DE FUNÇOES DA U.PORTO FAEMsEÃ1 CONSELHO DE GESTÃO DE 1 L / / Tendo sido necessário enquadrar, do ponto de vista jurídico e institucional, o conjunto de regras que

Leia mais

o Identificação do medicamento (nome comercial, DCI, n.º de lote, tamanho de embalagem);

o Identificação do medicamento (nome comercial, DCI, n.º de lote, tamanho de embalagem); Requisitos e condições necessários à obtenção de autorização para dispensa de medicamentos ao domicílio e através da Internet por parte das farmácias, ao abrigo da Portaria n.º 1427/2007, de 2 de novembro

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM

PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENFERMAGEM REGULAMENTO 1 - Justificação As Ciências da Saúde têm registado nos últimos anos um progresso assinalável em múltiplos domínios. Este progresso assenta, em grande

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-DOUTORAMENTO NO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO MINHO. Artigo 1º (âmbito)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-DOUTORAMENTO NO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO MINHO. Artigo 1º (âmbito) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-DOUTORAMENTO NO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DO MINHO Preâmbulo Tem vindo a aumentar o número de candidatos, especialmente estrangeiros, que pretendem realizar estudos

Leia mais

FICHA DE CANDIDATURA Candidatura apresentada por pessoas singulares (uma única pessoa ou um grupo de pessoas)

FICHA DE CANDIDATURA Candidatura apresentada por pessoas singulares (uma única pessoa ou um grupo de pessoas) FICHA DE CANDIDATURA Candidatura apresentada por pessoas singulares (uma única pessoa ou um grupo de pessoas) 1. Candidatos INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO: Esta ficha deverá ser preenchida apenas no caso

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO E PROPRIEDADE HORIZONTAL. Registo de Entrada

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO E PROPRIEDADE HORIZONTAL. Registo de Entrada Registo de Entrada Despacho Registado em SPO Reqº.n.º. / / Procº. / / Data / / O Assist. Técnico Em, / / O Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO E

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

REGULAMENTO TESE DE MESTRADO

REGULAMENTO TESE DE MESTRADO REGULAMENTO TESE DE MESTRADO GUIA DE PREPARAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE DO ISCEM 1. TRAMITAÇÃO DE DISSERTAÇÃO... 3 2. CONFIDENCIALIDADE... 4 3. ESTRUTURA E FORMATO DA DISSERTAÇÃO...4

Leia mais

REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA

REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA REGULAMENTO DO REGIME DE VINCULAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE DE CARREIRA CONTRATO EM FUNÇÕES PÚBLICAS ISCTE-INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA O presente Regulamento tem por objecto regulamentar a vinculação

Leia mais

Regulamento dos Programas de Pós-Doutoramento na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa. Artigo 1º.

Regulamento dos Programas de Pós-Doutoramento na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa. Artigo 1º. Regulamento dos Programas de Pós-Doutoramento na Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica Portuguesa Artigo 1º Âmbito 1. O presente regulamento aplica-se aos Programas de Pós-Doutoramento

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Intercâmbio de Estudantes, Estágio Profissional e Voluntariado Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com)

Leia mais

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 Sendo a transparência dos processos de candidatura e recrutamento de estudantes um dos elementos constituintes do sistema interno

Leia mais

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas I - Matrículas 1. A matrícula é o acto administrativo, a realizar no início de cada ano lectivo e que confere ao estudante o direito a ingressar no estabelecimento

Leia mais

Perguntas mais frequentes nos concursos de pessoal docente

Perguntas mais frequentes nos concursos de pessoal docente Perguntas mais frequentes nos concursos de pessoal docente 1 Como instruir uma candidatura a concurso de Professor Catedrático? 3.º Cópia de trabalhos que hajam sido selecionados pelo candidato como mais

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim principal de estimular a investigação nos vários ramos do saber, a Fundação Calouste

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

PROCEDIMENTO DE ISENÇÃO OU REDUÇÃO DE TAXAS OU OUTRAS RECEITAS

PROCEDIMENTO DE ISENÇÃO OU REDUÇÃO DE TAXAS OU OUTRAS RECEITAS IMP.PS.01.481.02 1/5 PROCEDIMENTO DE ISENÇÃO OU REDUÇÃO DE TAXAS OU OUTRAS RECEITAS Despacho: Espaço reservado aos serviços Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Ciências do Desporto REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE DOUTOR EM CIÊNCIAS DO DESPORTO Artigo 1.º Criação 1. A Universidade da Beira

Leia mais

Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes. Identificação do Requerente.

Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes. Identificação do Requerente. Exmo.(a) Senhor(a) Presidente da Câmara Municipal de Odivelas (A preencher pelos serviços) Processo n.º Requerimento de Manutenção e Inspeção de Ascensores, Monta-Cargas, Escadas Mecânicas e Tapetes Rolantes

Leia mais

EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória

EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória REQUERIMENTO: CMPV 218/2 EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL Número de Processo / / Data de Entrada / / Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória (nome do requerente ), Contribuinte (pessoa singular

Leia mais

Recebido por: Lisboa, de de 2015

Recebido por: Lisboa, de de 2015 COMPROVATIVO DE CANDIDATURA Nome: N.º de Candidatura: Entregou nestes serviços em / / 2015, a formalização da sua candidatura ao Procedimento de Seleção e Recrutamento Ano Escolar 2015-2016. Fotocópia

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)

REGULAMENTO DE BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE) REGULAMENTO DE BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE) Esta acção visa promover a formação avançada em ambiente empresarial, através da cooperação entre empresas e universidades em torno de projectos

Leia mais

Regulamento de concurso para Diretor

Regulamento de concurso para Diretor Regulamento de concurso para Diretor Nos termos do disposto no artigo 22.º, do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de abril, e do Decreto-Lei nº 137/2012 de 2 de Julho, torna-se público, que se encontra aberto

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE MÉ RITO PARA ESTUDOS PÓ S-GRADUADOS DO ANO ACADÉ MICO DE

CANDIDATURA A BOLSA DE MÉ RITO PARA ESTUDOS PÓ S-GRADUADOS DO ANO ACADÉ MICO DE 2016/2017 學 年 研 究 生 獎 學 金 申 請 申 請 人 可 於 研 究 生 資 助 發 放 技 術 委 員 會 的 網 上 系 統 直 接 填 寫 申 請 表 後, 列 印 及 簽 署, 並 連 同 其 他 申 請 文 件 交 到 大 學 生 中 心 ( 地 址 : 澳 門 荷 蘭 園 大 馬 路 68-B 號 華 昌 大 廈 地 下 B 座 ) CANDIDATURA A BOLSA

Leia mais

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL

INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL INSCRIÇÃO DE ADVOGADO INSCRITO NA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1 - Por força do disposto no EOA, os cidadãos de nacionalidade brasileira diplomados por qualquer faculdade de Direito do Brasil ou de Portugal,

Leia mais

COMPROVATIVO DE CANDIDATURA

COMPROVATIVO DE CANDIDATURA COMPROVATIVO DE CANDIDATURA Nome: Nº de Candidatura: Entregou nestes serviços em / / 2015, a formalização da sua candidatura ao Procedimento de Seleção e Recrutamento Ano Escolar de 2015-2016. Fotocópia

Leia mais

REGULAMENTO Licenças Sabáticas. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor. Gabinete de Apoio à Reitoria GAR julho 2014.

REGULAMENTO Licenças Sabáticas. Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor. Gabinete de Apoio à Reitoria GAR julho 2014. REGULAMENTO Licenças Sabáticas Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinete de Apoio à Reitoria GAR 1.0 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e confirmado por: Data de Aprovação Inicial Página

Leia mais

Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM)

Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) Condições de Venda Fora das Farmácias de Medicamentos Para Uso Humano Não Sujeitos a Receita Médica (MNSRM) O Decreto Lei n.º 134/2005, de 16 de agosto, aprovou o regime de venda de medicamentos não sujeitos

Leia mais

REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES do Norte REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES DATA DE Nº DO PROCESSO 1 EXMO. (ª) SR. (ª): 1 2 NATUREZA DA ACUMULAÇÃO: Pública Privada FASE: Inicial Renovação 2 Situação no serviço

Leia mais

EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO, OBRAS DE URBANIZAÇÃO OU TRABALHOS DE REMODELAÇÃO DE TERRENOS

EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO, OBRAS DE URBANIZAÇÃO OU TRABALHOS DE REMODELAÇÃO DE TERRENOS Registo n.º Data / / O Funcionário EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO, OBRAS DE URBANIZAÇÃO OU TRABALHOS DE REMODELAÇÃO DE TERRENOS Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cascais

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS:

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS: Regulamento para inscrição e execução do Trabalho Final de Curso (TF) a ser desenvolvido no ano de 2017, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo Considerando que nas últimas décadas temos vindo a assistir ao aumento dos índices de envelhecimento e de dependência das pessoas idosas entre

Leia mais

CONTRATO DE PARCERIA ENTRE O LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL E O INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO

CONTRATO DE PARCERIA ENTRE O LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL E O INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO CONTRATO DE PARCERIA ENTRE O LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL E O INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO ENQUADRAMENTO O Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e o Instituto Superior Técnico (IST)

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objectivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspectos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

Listagem de Campos de Dados a integrar na Base de Dados Pessoais de Membros da Ordem dos Arquitectos

Listagem de Campos de Dados a integrar na Base de Dados Pessoais de Membros da Ordem dos Arquitectos opções de resposta pré-formatadas 1.º nível 2.º nível QUADRO 1 Identificação nome completo nome profissional nome próprio apelido foto sexo masculino feminino data de nascimento nacionalidade lista fechada

Leia mais

1. A presente norma transitória reguladora aplica-se aos procedimentos inerentes ao pedido de inscrição e atribuição do cartão de leitor.

1. A presente norma transitória reguladora aplica-se aos procedimentos inerentes ao pedido de inscrição e atribuição do cartão de leitor. Capítulo I DEFINIÇÃO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO 1. A presente norma transitória reguladora aplica-se aos procedimentos inerentes ao pedido de inscrição e atribuição do cartão de leitor. 2. Entende-se por inscrição

Leia mais

Câmara Municipal. Município de Alenquer. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer,

Câmara Municipal. Município de Alenquer. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Departamento de Urbanismo Município de Alenquer Câmara Municipal REGISTO DE ENTRADA Nº Em / / Proc. N.º / / O Func. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Alenquer, EMISSÃO DE ALVARÁ DE OBRAS DE

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF)

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) I. DEFINIÇÃO Em atendimento às Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação, todo aluno do Curso de Engenharia Florestal deverá, obrigatoriamente,

Leia mais

EDITAL Nº 03/2016 PPGBiotec PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO DE PÓS-DOUTORADO VOLUNTÁRIO FLUXO CONTÍNUO

EDITAL Nº 03/2016 PPGBiotec PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO DE PÓS-DOUTORADO VOLUNTÁRIO FLUXO CONTÍNUO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE GURUPI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA Rua Badejós, chácaras 69/72, Zona Rural 77402-970 Gurupi/TO (63) 3311-3504 www.uft.edu.br ppgbiotec@uft.edu.br

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito I N S T I T U T O D E E N G E N H A R I A B I O M É D I C A REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente regulamento, aprovado pela Fundação

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química EDITAL 2016/03: PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO DE ALUNOS REGULARES DE MESTRADO E DOUTORADO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA ABRIL A JUNHO 2016 A Comissão Coordenadora do da Escola Politécnica

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro (EPE) Aluno. Dados Pessoais. (Esta informação é necessária para posterior recuperação de password) Morada

Ensino Português no Estrangeiro (EPE) Aluno. Dados Pessoais. (Esta informação é necessária para posterior recuperação de password) Morada Inscrição para a frequência de cursos de Educação Pré-escolar, Ensino Básico e Secundário Aluno Dados Pessoais Nome completo*: Nacionalidade: Data de nascimento (dia/mês/ano): Local de nascimento: Doc.

Leia mais

1 - IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome ou Denominação Social. Nº de Contribuinte ou Identificação de Pessoa Coletiva Morada ou Sede Social

1 - IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome ou Denominação Social. Nº de Contribuinte ou Identificação de Pessoa Coletiva Morada ou Sede Social 1/6 REQUERIMENTO PARA: LICENCIAMENTO DE PEDREIRA / LICENÇA DE EXPLORAÇÃO Despacho: Espaço reservado aos serviços Apresentação do pedido (nos termos Decreto Lei nº 340/2007) Anexo IV A preencher pela entidade

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS - 1.º CICLO - Direito

TRANSFERÊNCIAS - 1.º CICLO - Direito TRANSFERÊNCIAS - 1.º CICLO - Direito PORTARIA N.º 401/2007, DE 5 DE ABRIL, ALTERADA PELA PORTARIA N.º 232-A/2013, DE 22 DE JULHO, E REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social

Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Processo de Candidatura ao Concurso Público Local para atribuição de fogos municipais de Habitação Social Quatro Fogos de Habitação Unifamiliar, sitos na Vila e Freguesia de Vila Nova de Paiva, em regime

Leia mais

Doutoramento em Saúde Pública

Doutoramento em Saúde Pública Doutoramento em Saúde Pública Normas regulamentares Artigo 1.º Criação do curso A Universidade Nova de Lisboa, através da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/UNL), em cumprimento do disposto no Decreto-Lei

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL PPGIE 01/2017

PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL PPGIE 01/2017 1 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD/CAPES EDITAL PPGIE 01/2017 1. O Programa de da U F R GS informa que estarão abertas, no período de 3 a 22 de abril de 2017, inscrições para candidaturas

Leia mais

Doutoramento em Economia

Doutoramento em Economia Doutoramento em Economia 2010/2011 O Programa O Programa de Doutoramento em Economia tem como objectivo central proporcionar formação que permita o acesso a actividades profissionais de elevada exigência

Leia mais

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra. Despacho:

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra. Despacho: 1/5 REQUERIMENTO PARA: Despacho: Espaço reservado aos serviços PEDIDO DE CERTIDÃO DE DESTAQUE Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra (nome do requerente),

Leia mais

DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CENTRO REGIONAL DAS BEIRAS DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Regulamento 1º CRIAÇÃO E OBJECTIVOS 1. A Universidade Católica Portuguesa, através da Faculdade de Educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Fundação Universidade Federal do ABC Pró-Reitoria de Pós-Graduação Coordenadoria Acadêmica Avenida dos Estados, 5001 Bairro Bangu Santo André - SP CEP 09210-580 PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

Av.Dr. Ariberto Pereira da Cunha, 333 CEP Guaratinguetá-SP BRASIL (012) (012)

Av.Dr. Ariberto Pereira da Cunha, 333 CEP Guaratinguetá-SP BRASIL (012) (012) Curso de Graduação de Licenciatura em Matemática NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1. DO OBJETO a) No último ano do Curso de Graduação de Licenciatura em Matemática, o aluno deve desenvolver

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES AVISO 1. Nos termos do nº 2 do artigo 21º da Lei nº 2/2004, de 15 de Janeiro, com a redacção dada pela Lei nº 51/2005, de 30 de Agosto, e pela

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS ARTº. 1 (NATUREZA, OBJECTIVOS E ORGANIZAÇÃO) 1. O Departamento de Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico)

REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico) REGULAMENTO DO TRABALHADOR-ESTUDANTE (aprovado pelo Conselho Directivo em 2 de Dezembro de 2009, sob proposta do Conselho Pedagógico) O novo Código do Trabalho aprovado pela Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro,

Leia mais

Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Escola Superior de Enfermagem de Coimbra CURSO DE PÓS-LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO (Portaria nº 42/2005 de 17 de Janeiro e Portaria n.º 268/2002, de 13 de Março) Ano Lectivo 2009/2010 FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

Leia mais

Regulamento dos Programas de Mobilidade Internacional (Rev. Setembro 2013)

Regulamento dos Programas de Mobilidade Internacional (Rev. Setembro 2013) Regulamento dos Programas de Mobilidade Internacional (Rev. Setembro 2013) Preâmbulo O Instituto Superior Técnico, adiante designado como IST, oferece aos seus alunos diferentes Programas de Mobilidade

Leia mais

ALTERAÇÃO AO ALVARÁ DE LICENÇA DE LOTEAMENTO. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória

ALTERAÇÃO AO ALVARÁ DE LICENÇA DE LOTEAMENTO. Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória REQUERIMENTO: CMPV 211/2 ALTERAÇÃO AO ALVARÁ DE LICENÇA DE LOTEAMENTO Número de Processo / / Data de Entrada / / Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória (nome do requerente ), Contribuinte

Leia mais

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CARTOGRAFIA PEDIDO DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CARTOGRAFIA PEDIDO DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA 1/5 REQUERIMENTO PARA: PEDIDO DE CARTOGRAFIA PEDIDO DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Despacho: Espaço reservado aos serviços Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exm.º Sr. Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

Guia de Procedimentos

Guia de Procedimentos Guia de Procedimentos Atribuição de Bolsas de Investigação do CIIMAR Gabinete Gestão de Projetos Gabinete Apoio Jurídico Investigador Responsável Constituição do Júri; Elaboração da 1ª. Ata; Elaboração

Leia mais

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL PREÂMBULO O programa de doutoramento organiza, estrutura e explicita o percurso dos estudantes de doutoramento

Leia mais

Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa

Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa Regulamento do Cartão Jovem Municipal Nota justificativa Considerando que o Município do Barreiro tem como princípio o bem-estar, a realização pessoal e a plena participação social dos jovens. Considerando

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

Processo de Inscrição 50 cc

Processo de Inscrição 50 cc Processo de Inscrição 50 cc Estrada da Luz, nº90, 1º - 1600-160 Lisboa Portugal Tel.+351 210 036 600 Fax. +351 210 036 649 www.prp.pt e-mail: prp@prp.pt Instruções para inscrição no curso de formação de

Leia mais

ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR

ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR ESTUDANTE INTERNACIONAL CANDIDATURAS, EMOLUMENTOS, CRITÉRIOS DE SERIAÇÃO E DOCUMENTOS A APRESENTAR Prazos de Candidatura 2016/17: Primeira fase: 01 a 27 de março Segunda fase: 06 a 24 de junho Nota: Para

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO FINANCEIRA ÀS ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS PROMOTORAS DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DE SAÚDE DO CONCELHO DE SINTRA

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO FINANCEIRA ÀS ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS PROMOTORAS DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DE SAÚDE DO CONCELHO DE SINTRA 1/6 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO FINANCEIRA ÀS ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS PROMOTORAS DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DE SAÚDE DO CONCELHO DE SINTRA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA (nº SM ) Exmº Sr. Presidente da Câmara

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO INTERNO DE ATRIBUIÇÃO DE EQUIVALÊNCIA DE HABILITAÇÕES ESTRANGEIRAS AO GRAU DE LICENCIADO EM ENFERMAGEM (De acordo com o Decreto-Lei nº 283/83, de 21 de

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Científico RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Por deliberação da Comissão Coordenadora do, de 3

Leia mais

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA EDITAL N. 1 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA MONITORIA DA EMPRESA JÚNIOR, ESCRITÓRIO MODELO E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE

Leia mais

EMISSÃO DE ADITAMENTO AO ALVARÁ DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO Nº.

EMISSÃO DE ADITAMENTO AO ALVARÁ DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO Nº. Registo n.º Data / / O Funcionário EMISSÃO DE ADITAMENTO AO ALVARÁ DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO Nº. Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cascais IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE (Preencher com letra

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC) Objectivos Como definido no Decreto-Lei nº 74/2006, o grau de doutor é conferido aos que demonstrem: Capacidade de compreensão sistemática

Leia mais

Edital Pós-Doutorado. Bolsa CAPES/PNPD

Edital Pós-Doutorado. Bolsa CAPES/PNPD Edital Pós-Doutorado Bolsa CAPES/PNPD Dezembro/2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO A ESPM, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação stricto sensu e do Programa de Mestrado

Leia mais

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS (Documento aprovado na 7ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da ESTBarreiro/IPS, de 20 de Outubro de 2010) CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei

REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei REGULAMENTO DOS DOUTORAMENTOS PELA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Introdução No desenvolvimento da Lei e do Regulamento dos Doutoramentos da Universidade de

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INÍCIO DE OBRA

COMUNICAÇÃO DE INÍCIO DE OBRA 1/5 Despacho: Espaço reservado aos serviços COMUNICAÇÃO DE INÍCIO DE OBRA Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra (nome), contribuinte (pessoa singular

Leia mais

FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO

FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO FLUXOGRAMAS DE PROCEDIMENTOS DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO SECÇÃO I PROCEDIMENTOS ACADÉMICOS 1- Criação de cursos conferentes de grau; 2- Extinção de cursos conferentes de grau; 3- Alteração ou reformulação

Leia mais

RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Conselho Científico RECONHECIMENTO DE GRAU ACADÉMICO AO ABRIGO DO TRATADO DE AMIZADE COOPERAÇÃO E CONSULTA ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Por deliberação da Comissão Coordenadora

Leia mais

DOCUMENTOS A ENVIAR PELAS USF PARA A ELABORAÇÃO DE ADENDAS AOS PARECERES TÉCNICOS

DOCUMENTOS A ENVIAR PELAS USF PARA A ELABORAÇÃO DE ADENDAS AOS PARECERES TÉCNICOS DOCUMENTOS A ENVIAR PELAS USF PARA A ELABORAÇÃO DE ADENDAS AOS PARECERES TÉCNICOS No sentido de agilizar o processo de emissão de adendas aos pareceres técnicos das USF e evitar os atrasos que se têm verificado

Leia mais

INFORMAÇÕES E MANUAL. Matrícula / Inscrição ALUNOS COLOCADOS NO ISEL PELO 1º ANO 1ª VEZ OU CNAES - 1ª FASE ATUAIS ALUNOS DO ISEL

INFORMAÇÕES E MANUAL. Matrícula / Inscrição ALUNOS COLOCADOS NO ISEL PELO 1º ANO 1ª VEZ OU CNAES - 1ª FASE ATUAIS ALUNOS DO ISEL INFORMAÇÕES E MANUAL Matrícula / Inscrição 2013-14 - ALUNOS COLOCADOS NO ISEL PELO 1º ANO 1ª VEZ OU CNAES - 1ª FASE 2013 - ATUAIS ALUNOS DO ISEL - OUTROS CONCURSOS DE ACESSO Autor Data Inscrições / Matrículas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 01 / 2014 - DE 10

Leia mais

Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM

Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM Regulamento CARTÃO BARCELOS JOVEM PREÂMBULO O projecto Cartão Barcelos Jovem é um documento emitido pela Casa da Juventude da Câmara Municipal de Barcelos, capaz de conceder benefícios na utilização de

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses 1 Procedimentos para depósito dos exemplares de Dissertação e Tese 1. Da apresentação do Trabalho 1.1. Capa A capa deverá conter os elementos essenciais para a identificação do trabalho, a saber: I. -

Leia mais