Conheça o Sicoob Lagoacred Gerais Elementos da cultura organizacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conheça o Sicoob Lagoacred Gerais Elementos da cultura organizacional"

Transcrição

1 AMPLIAÇÃO E REFORMA DA SEDE DO SICOOB LAGOACRED GERAIS PRESTAÇÃO DE CONTAS AOS ASSOCIADOS INVESTIMENTO FEITO NO IMÓVEL SEDE DA COOPERATIVA Um novo espaço pensado e projetado para dinamizar o fluxo de informações, otimizar os processos operacionais, e principalmente, para dar mais conforto, privacidade e agilidade no atendimento dos associados. Conheça o Sicoob Lagoacred Gerais Elementos da cultura organizacional Nossa missão: Crescer com o crescimento dos associados. Nossa visão: Ser a instituição financeira preferida dos associados. Nosso propósito: Tornar a vida financeira dos associados mais organizada, agradável e bem-sucedida, com produtos e serviços de alta qualidade, por meio de um atendimento de excelência. Nosso objetivo: Oferecer linhas de crédito com baixo custo, linhas de investimentos com remuneração superior ao mercado, serviços bancários com isenção parcial ou total de tarifas e obter resultados financeiros condizentes com o porte da cooperativa, conforme meta estipulada. Nosso pensamento: Não podemos pensar no dinheiro simplesmente como dinheiro, fortuna, poder e luxo. Precisamos pensar no dinheiro como fomentador de atividades empreendedoras, como gerador de empregos, como agregador da comunidade e como patrocinador do desenvolvimento social. Nosso compromisso social: Contribuir com a sociedade na preservação do meio ambiente; na promoção do microempreendedoríssimo com crédito produtivo e orientado; e no direcionamento responsável das crianças carentes, proporcionando a elas educação, inclusão social e prosperidade intelectual. Página 1 de 12

2 Novo espaço da sede do Sicoob Lagoacred Gerais 1 Piso Muito mais espaço para atender o associado, com um layout bem distribuído que proporciona conforto e privacidade. 3 salas com espaços privativos e confortáveis para três gerentes especializados e preparados (gerente de pessoa física, gerente de pessoa jurídica e gerente de produtos/serviços) para atender o associado; 1 espaço estratégico para o gerente administrativo e o seu assistente atenderem os associados, fornecedores e empresas parceiras no dia a dia. Cabem a esta gerência todos o funcionamento e logística da cooperativa; 4 TVs para veiculação de comerciais das empresas dos associados; 8 guichês para atendimentos diversos a associados PF e PJ; 2 guichês para atendimento de produtos a associados PF e PJ; 1 balcão de atendimento simplificado com dois atendentes; 8 guichês de caixas, sendo 2 para atendimentos prioritários; 1 biombo para proporcionar privacidade e segurança para o associado no momento do seu atendimento no caixa; 8 terminais de caixas eletrônicos no setor de autoatendimento, que funciona de 6h às 21h30; 1 espaço reservado e confortável para o associado tomar café, chá e água; 1 espaço com computador e impressora para o associado imprimir seus extratos (Espaço on-line); 1 gerador de energia para atendimento da cooperativa no caso da falta de fornecimento de energia por parte da Cemig; 1 ponto de apoio para a Polícia Militar; 2 banheiros, sendo um masculino e um feminino, preparado para uso de pessoas com necessidades especiais; Página 2 de 12

3 Cadeiras suficientes, organizadas por setor e por senhas, para o associado aguardar o seu atendimento. 2º Piso (Acesso por escada e elevador) Um novo espaço para atender o associado, acrescentando novas funcionalidades e agilidade no atendimento. 7 guichês para o atendimento de parcelamento de crédito; 1 assistente de gerente especializado para o atendimento das demandas do setor; 1 gerente especializado para o atendimento do associado; 1 guichê para recepção de descontos de recebíveis; 1 balcão com duas atendentes para entrega de talões, cartões de crédito/débito, criação e alteração de senhas, malotes processados, entrega de cheques depositados devolvidos e vários outros serviços; 1 sala para o gerente geral atender os associados com mais privacidade e conforto; 3 guichês de caixas para atendimento empresarial ou para o atendimento de associados que tenham muitos documentos para serem autenticados; 1 setor operacional para processamento de adesão de associados, abertura de contas, atualização cadastral, processão de adesão de produtos, contratos de empréstimos, descontos de recebíveis, abertura de poupanças e aplicações e outros mais; 1 espaço com computador e impressora para o associado imprimir seus extratos (Espaço on-line); 1 sala TI de última geração; 1 sala de monitoramento visual em tempo real de toda a agência; 1 sala para telefonista; 1 almoxarifado organizado para o controle dos gastos com suprimentos de informática; 1 espaço organizado para o associado tomar água, café e chá; 2 banheiros, sendo um masculino e um feminino. Página 3 de 12

4 3º Piso (Acesso por escada e elevador) Um novo espaço para otimizar o fluxo de informação, decisão e verificação de conformidade. 1 Sala para o setor de Contabilidade e Recursos Humanos; 1 Sala para Controladoria; 1 Sala para Auditoria externa e Interna; 1 Sala para o departamento de marketing; 1 Sala para a Diretoria; 1 Sala para o Conselho Fiscal; 1 Sala para o Conselho de Administração; 1 Sala para a Assistência da diretoria; 1 Sala para o Almoxarifado; 1 Espaço confortável para Copa; 1 Espaço para Biblioteca, sala de leitura e descanso para os funcionários que almoçam na agência; 4º Piso (Acesso por escada e elevador) Um novo espaço para treinamento dos funcionários e dos associados. Um novo centro de excelência para a cooperativa e para a cidade. 1 Auditório para 120 pessoas com hall de espera, banheiros masculino, feminino e para pessoas com necessidades especiais, ar condicionado, som ambiente e cadeiras com prancheta escamoteáveis; 1 Foyer; 1 Copa para suporte de buffet; Página 4 de 12

5 1 Banheiro masculino e 1 feminino, preparado para uso de pessoas com necessidades especiais; 1 Sala para treinamento e capacitação de funcionários, estagiários e aprendizes, visando o atendimento das resoluções e normativos dos órgãos reguladores e sistema Sicoob Confederação; 1 Arquivo de documentos. Sobre a ampliação e reforma da Sede do Sicoob Lagoacred Gerais O motivo da ampliação e reforma: 1- Comportar o crescimento da cooperativa: a) Em 2014 a Lagoacred teve a adesão de cerca de 200 associados por mês, chegando a admitir 2048 novos associados neste ano; b) Até março de 2015, tivemos a adesão aproximada de 280 associados por mês; c) O Quadro Social, o Ativo Total, Patrimônio Líquido e Sobras da cooperativa tem alcançados crescimentos anuais muitos superiores à média do sistema financeiro e cooperativo nacional. d) Histórico de ampliações e reformas da sede do Sicoob Lagoacred Gerais desde a sua fundação: Abertura da sede (abril de 1997): 147 associados. Mudança de ponto e ampliação da sede (fevereiro de 2004): 752 associados o Após esta mudança de sede a cooperativa admitiu associados. Mudança de ponto e ampliação da sede (fevereiro de 2009): associados o Após esta mudança de sede a cooperativa admitiu associados. Ampliação e reforma da sede (março de 2015): associados Página 5 de 12

6 Como nas mudanças e reformas anteriores, a previsão é que o crescimento se mantenha promissor e altamente expressivo. 2- Somente com mais espaço, seria possível comportar tal crescimento. Os associados, anteriormente, não estavam tendo conforto, privacidade e agilidade ao ser atendido no dia a dia; 3- Como necessitaríamos aumentar o espaço de atendimento, aproveitamos a oportunidade que surgiu de alugarmos os 2 andares superiores do prédio. Foi uma oportunidade única, pois não foi necessário mudar de endereço para realizar a ampliação. São vários os fatores que indicaram a ampliação da sede: a) Permanência em um local muito estratégico comercialmente para o funcionamento de uma instituição financeira; b) Direito e preferência de renovar o contrato de locação; c) Local amplo com layout bem definido que possibilita aumentar a produtividade dos nossos colaboradores e com isso melhorar ainda mais o atendimento aos associados; d) Boas instalações sem haver a necessidade de adquirir uma sede própria. Como se sabe, sede própria não é bom negócio para as instituições financeiras. Por quê investir no imóvel que não é da cooperativa? 1- O locador tem grandes interesses em manter o imóvel a disposição da cooperativa por muitos anos; 2- O investimento será quitado em 5 anos, dentro dos critérios contábeis de amortização e depreciação. O investimento se pagará com o crescimento dos negócios, proporcionados pela ampliação e crescimento da cooperativa. Em nenhum momento o investimento trará perda no resultado para os associados; 3- Não compensa para a cooperativa comprar o imóvel, sendo inviável financeiramente ter sede própria (ver análise financeira na página 11); Página 6 de 12

7 4- O valor que foi investido na parte civil, ou seja, no prédio, será em grande parte compensada no abatimento negociado no valor do aluguel do imóvel. Dessa forma, o valor que vamos deixar de pagar, obtido na negociação do aluguel, pagará grande parte do valor investido no prédio (ver na página 10 e 11); 5- Desenvolvemos um projeto que: a) Priorizasse o atendimento ao cooperado com conforto, privacidade e segurança; b) Fortalecesse a visibilidade da cooperativa perante o mercado, atraindo associados em potencial; c) Proporcionasse conforto para os funcionários; d) Possibilitasse a criação de setores com layout propícios para a otimização das rotinas operacionais; e) Proteção do patrimônio da cooperativa. A ampliação e reforma foi pensada e projetada com o objetivo de proteger o patrimônio da cooperativa, dinamizar o fluxo de informações, e principalmente, para dar mais agilidade, conforto, segurança e privacidade aos associados durante o atendimento. O 3º piso, onde ficou instalada a Contabilidade, Recursos Humanos, Controladoria, Auditoria, Conselho de Administração, Conselho fiscal, Diretoria, Assistência da diretoria e Marketing, não houve troca do mobiliário (cadeiras, mesas e armários). Continuamos usando os móveis de 8 anos atrás. Para se ter uma ideia, a mesa de reunião do Conselho de Administração é a mesma desde a fundação da cooperativa, há 18 anos. As mesas, cadeiras e armários da Diretoria são as mesmas compradas no ano de 2004, ou seja, de 11 anos atrás. Todos podem ficar tranquilos em relação a ampliação da sede, porque fizemos um excelente negócio para a cooperativa, e obviamente para os associados. Não fizemos esse investimento para suprir algum desejo particular dos diretores ou dos funcionários, fizemos o investimento pensando no futuro e no sucesso da cooperativa. O plano orçamentário foi feito pela Diretoria, aprovado pelo Conselho de Administração, conferido pelo Agente de Controle Interno, fiscalizado pelo Conselho Fiscal e auditado pelas auditorias do Sicoob Central Cecremge e pelas auditorias externas do CNAC. Página 7 de 12

8 As tomadas de preços para compras de materiais e bens contaram com um procedimento rigoroso de análise, avaliação e transparência. Os orçamentos que apresentaram o menor preço, com a qualidade e prazo de entrega desejados pela cooperativa foram os escolhidos. Os orçamentos passaram pelas análises técnicas do gestor da obra, pelo gerente responsável e pela Diretoria Executiva, sempre embasados na ética e austeridade desta administração. Os valores investidos foram feitos dentro das normas contábeis e atenderam perfeitamente todas as auditorias que foram feitas durante e após o término da execução do projeto. Investimento feito no imóvel referente a ampliação e reforma da sede da cooperativa. Observação: os materiais, serviços, equipamentos, mobiliários foram adquiridos com Notas Fiscais, dentro das normas fiscais do município, estado e união. CIVIL Material/Serviço Valor Azulejo R$ 1.695,00 Areia Fina R$ 2.230,00 Areia Grossa R$ 2.095,00 Argamassa AC 1 R$ 3.240,60 Argamassa AC 2 R$ 1.486,60 ART (documentos exigidos pelo CREA) R$ 63,64 Bloco 15/20/40 vazado / ladrilho R$ 693,30 Brita R$ 540,00 Cal R$ 595,00 Material hidráulico R$ ,05 Reparo hidrante R$ 500,00 Cimento R$ 8.515,50 Concreto R$ 2.632,00 Ferragem R$ ,35 Granito R$ 5.623,00 Granito modificação do projeto p/ melhorias R$ 3.340,00 Laminado reforma de mesa R$ 1.579,04 Lavatório bojo R$ 1.445,89 Lavatório bojo para deficiente R$ 175,76 Página 8 de 12

9 Formica Banheiro instalação R$ 2.182,50 Material elétrico R$ ,19 Material pintura interno R$ ,30 Material pintura externo R$ 3.196,50 Mictório R$ 336,80 Piso R$ ,40 Portas/portais/fechaduras R$ 2.008,00 Porta, basculante e veneziana R$ 2.082,00 Projeto arquiteto estrutural R$ ,00 Projeto engenheiro estrutural R$ 4.000,00 Projeto engenheiro Corpo de bombeiro R$ 1.200,00 Engenheiro Weder-projetos estrutural, elétrico, hidros sanitário e corpo bombeiro R$ ,00 Acompanhamento do engenheiro R$ 5.792,00 Correio/transporte/chapa R$ 6.993,80 Rejunte e agregados R$ 1.281,51 Serviço construção civil/bombeiro R$ ,00 Serviço construção civil/bombeiro- modificação do projeto p/ melhorias R$ ,00 Serviço eletricista R$ ,00 Serviços eletricista modificação do projeto p/ melhorias R$ 7.725,00 Serviço pintura R$ ,00 Serviço pintura modificação do projeto p/ melhorias R$ ,00 Cobertura metálica do prédio R$ ,00 Terra /Maquinas para aterrar estacionamento R$ 3.166,00 Tijolo R$ 4.852,00 Telha 2.44x1.10x5 sem amianto R$ 197,50 Vaso sanitário R$ 1.792,46 Vaso sanitário para deficiente R$ 224,05 R$ ,74 AGREGADOS Equipamento/Material/Serviço Valor 2 elevadores R$ ,00 Instalação dos 2 elevadores em horário noturno R$ 6.500,00 Adaptação dos 2 elevadores de 2 paradas para 4 paradas R$ 7.540,00 2 escadas de metal com instalações p/ o 3º e 4º andar R$ ,00 R$ ,00 Página 9 de 12

10 Abatimento no preço do aluguel negociado no contrato: Em janeiro de 2014, após 5 anos no local, conforme previsto no contrato entre o locador e a cooperativa, o aluguel passou por reajuste de preço de forma a acompanhar os preços praticados no mercado local. Com isso a proposta do locador foi de R$24.000,00 (mês) para a ocupação dos 4 andares e que a reforma ficasse por conta da cooperativa. Por fim, após negociações, fechamos o valor do aluguel com uma redução no preço para compensar os gastos que a cooperativa teria com a reforma do prédio. Ano Proposta de aluguel mensal Aluguel fechado mensal Redução mensal Prazo Redução do aluguel anual 2014 R$24.000,00 R$16.500,00 R$7.500,00 12 R$90.000, R$24.000,00 R$18.500,00 R$5.500,00 12 R$66.000, R$24.000,00 R$20.000,00 R$4.000,00 12 R$48.000, R$24.000,00 R$20.000,00 R$4.000,00 12 R$48.000, R$24.000,00 R$20.000,00 R$4.000,00 12 R$48.000,00 o TOTAL DO ABATIMENTO: R$ ,00 Observação: Do valor de R$ ,74 referente a parte civil (Materiais de construção e mão de obra) e agregados (Elevadores e escadas de metal) o Sicoob Lagoacred Gerais receberá de volta o valor de R$ ,00 referente ao abatimento no valor do aluguel a ser pago ao locador. O remanescente no valor de R$ ,74 será pago pela cooperativa, o que vem representar um valor de R$3.089,06 por mês, considerando um tempo de permanência razoável no local de 10 anos. Ou seja, boa parte do valor investido no prédio foi feito com o abatimento recebido no valor negociado do aluguel. Análise financeira e viabilidade econômica em ter a sede da cooperativa em imóvel alugado e não em imóvel próprio. Descrição do cenário em índices : Valor aproximado do imóvel: R$ ,00 Valor médio do aluguel mensal: R$ ,00 (equivalente a 0,32% do valor do imóvel) Margem operacional (Receita da cooperativa): 2,10% ao mês. Resultado: 2,10% 0,32% = 1,78% (Resultado mensal da Lagoacred) Página 10 de 12

11 Descrição do cenário em valores : R$ ,00 aplicado no mercado a 2,1% ao mês = R$ ,00 (receita mês) Valor do aluguel mensal pago pela cooperativa = R$ ,00 (despesa mês) Resultado financeiro mensal = R$ ,00 R$ ,00 = R$ ,00 Resultado financeiro em 1 ano = R$ ,00 x 12 = R$ ,00 Resultado financeiro em 5 anos = R$ ,00 Resultado financeiro em 10 anos = R$ ,00 Observações complementares 1- Início do planejamento da ampliação e reforma: 23/12/2013; 2- Início da ampliação e reforma: 12/06/2014; 3- Encerramento da ampliação e reforma: 13/03/2015; 4- A ampliação e reforma foram feitas durante o funcionamento da cooperativa, onde tivemos o absoluto cuidado para não incomodar o associado durante sua estada na agência. A cooperativa não teve que ficar, por nenhum minuto fechada, nem mesmo nos momentos mais complexos da reforma, e nem mesmo quando foi feita as mudanças no 1º piso, local este de grande fluxo de associados durante o horário comercial. Boa parte da obra, que poderia vir a incomodar o associado durante o dia, tivemos a atenção em direcioná-la para o horário da noite, após às 18 horas; 5- No início da obra tomamos todas as medidas operacionais e de segurança para efetivação da ampliação e reforma, com atenção para execução das mudanças estruturais do prédio e com atenção para a não ocorrência de acidentes de trabalho por parte dos profissionais das empresas contratadas. a. Contratamos engenheiro especializado que atendesse as mais rigorosas exigências do setor da construção civil, onde foi elaborado os projetos arquitetônico, civil, elétrico, hidráulico, acessibilidade e corpo de bombeiro; b. Contratamos técnico de segurança para acompanhamento da obra, de forma a não haver acidente de trabalho. Fomos felizes e eficazes, pois, fizemos toda ampliação e reforma - durante 1 ano - e não houve nenhum acidente, sequer um arranhou aconteceu. Página 11 de 12

12 Conclusão As análises financeiras e viabilidade econômica demonstram que não é atrativo para uma instituição financeira imobilizar seus ativos circulantes, pois estes devem estar disponíveis para ser movimentado no negócio da instituição e gerar os retornos financeiros desejados por todo investidor. Podemos comprovar este comportamento ao observar que praticamente todos os bancos em funcionamento no Brasil não mantiveram suas agências próprias. Aqueles que ainda tinham imóveis próprios venderam para terceiros e depois os alugaram para ali manter as suas agências em pleno funcionamento. Ainda que um imóvel próprio venha a se valorizar pelos índices do mercado imobiliário, certamente não dará retornos tão equivalentes quanto o dinheiro sendo usado na movimentação do negócio da cooperativa, gerando riquezas para os associados. E mesmo que a valorização do imóvel venha dar retornos significativos, estes serão tributados como atos não cooperativos, e ainda, sendo considerado pelos órgãos reguladores do sistema financeiro como uma atividade conflitante com o que determina o estatuto da cooperativa. Fator importante: o investimento feito não vai prejudicar o resultado da cooperativa, pelo contrário, vai promover mais resultados e sobras, considerando que a logística e fluxo de trabalho estão mais dinâmicos e otimizados, e principalmente, considerando que o associado está mais satisfeito com o conforto, privacidade e agilidade no atendimento. Portanto, o associado pode se sentir bem representado. Todo investimento na ampliação e reforma da sede da Lagoacred foi feito para lhe dar o melhor atendimento no dia a dia, e ainda com certeza, o melhor retorno financeiro. E tudo foi feito dentro das normas legais e aprovado por todas as alçadas da cooperativa, e ainda, validada pelas auditorias. Sendo só para o momento, deixamos os nossos cordiais cumprimentos. Muito obrigado! Lagoa da Prata / MG, 13 de março de Diretoria Executiva Conselho de Administração Sicoob Lagoacred Gerais Página 12 de 12

SICOOB NORTE. Resultados

SICOOB NORTE. Resultados SICOOB NORTE Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Norte conseguiu ótimos resultados, numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado financeiro

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA LOCAÇÃO DE IMÓVEL Nº 001/2015

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA LOCAÇÃO DE IMÓVEL Nº 001/2015 Página 1 de 5 EDITAL DE CHAMAMENTO A COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS (POTIGÁS), por intermédio da sua Diretoria Executiva, na forma das disposições contidas no artigo 24, inciso X, da Lei 8.666/93 e alterações

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Projeto de Lei n.º 013/2015

Projeto de Lei n.º 013/2015 [ Página n.º 1 ] ESTABELECE NORMAS DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO E ADEQUAÇÃO DE AMBIENTES DE ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE CASTANHEIRA-MT, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Pró-Reitoria de Planejamento, Desenvolvimento e Finanças Orçamento Participativo 2014

Universidade Federal do Rio de Janeiro Pró-Reitoria de Planejamento, Desenvolvimento e Finanças Orçamento Participativo 2014 Formulário 01 - Previsão de Demandas DESPESAS DE CUSTEIO 1.465.000 Cód. Despesa Auxílio Financeiro a Estudante 3.3.90.18 Ajuda de custo para participação em apresentações, congressos e seminários 3.3.90.18

Leia mais

(Favor digitar ou preencher com letra de forma.) Como soube deste programa de assistência?... ... ... (1) Nome da organização:... (2) Endereço:...

(Favor digitar ou preencher com letra de forma.) Como soube deste programa de assistência?... ... ... (1) Nome da organização:... (2) Endereço:... ASSISTÊNCIA A PROJETOS COMUNITÁRIOS E DE SEGURANÇA HUMANA FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO (Favor digitar ou preencher com letra de forma.) SOBRE O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DO GOVERNO DO JAPÃO Como soube deste

Leia mais

MANUAL GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

MANUAL GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO 1 - INTRODUÇÃO Define-se como risco de mercado a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da flutuação nos valores de mercado de posições detidas pela Cooperativa, o que inclui os riscos das operações

Leia mais

MANUAL DO LOCATÁRIO. Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação

MANUAL DO LOCATÁRIO. Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação MANUAL DO LOCATÁRIO Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SEU NOVO LAR VISTORIA E OCUPAÇÃO MANUTENÇÕES E BENFEITORIAS PAGAMENTO E REAJUSTE DESOCUPAÇÃO DO

Leia mais

case rabobank Rabobank Maior banco do setor de alimentos e agronegócio do mundo mostra integração e mobilidade em sua nova sede, em São Paulo

case rabobank Rabobank Maior banco do setor de alimentos e agronegócio do mundo mostra integração e mobilidade em sua nova sede, em São Paulo Rabobank Maior banco do setor de alimentos e agronegócio do mundo mostra integração e mobilidade em sua nova sede, em São Paulo [ 42 ] OFFICE STYLE OFFICE STYLE [ 43 ] Em 1896, na Holanda, surgiu um novo

Leia mais

PLANOS ESPECIAIS 2008

PLANOS ESPECIAIS 2008 PLANOS ESPECIAIS 2008 DEMONSTRATIVO 4 BIMESTRE SARP SECRETARIA ADJUNTA DA RECEITA PÚBLICA - SARP INSTITUCIONAL Secretaria Adjunta da Receita Pública SECRETARIA ADJUNTA DA RECEITA PÚBLICA - SARP NEGÓCIO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br Parabéns! Agora você faz parte de uma cooperativa Sicoob e conta com todos os produtos e serviços de um banco,

Leia mais

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA EVOLUÇÃO DO SEGMENTO DE PROMOÇÃO DE CRÉDITO: A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA Desenvolvendo Pessoas e Fortalecendo o Sistema Renato Martins Oliva Agenda O que é ABBC Missão e valores Bancos de pequena e média

Leia mais

Esta é a tela em que você assistirá as palestras ;-)

Esta é a tela em que você assistirá as palestras ;-) Denis Levati Corretor de imóveis com ampla experiência. É historiador e atua como coordenador de conteúdo no blog Guru do Corretor, veículo de relevância nacional, especializado no mercado imobiliário.

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS

A NOVA CONTABILIDADE DOS MUNICÍPIOS Apresentação O ano de 2009 encerrou pautado de novas mudanças nos conceitos e nas práticas a serem adotadas progressivamente na contabilidade dos entes públicos de todas as esferas do Governo brasileiro.

Leia mais

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Julho/2008 Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Principal instrumento de captação de recursos de médio e longo prazos, a debênture representa para muitas companhias a porta de entrada no mercado

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL, DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO E RELATÓRIO DE CONTROLE ORÇAMENTÁRIO

RELATÓRIO GERENCIAL, DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO E RELATÓRIO DE CONTROLE ORÇAMENTÁRIO TITULOS/MESES Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Notas CIRC. E REALIZÁVEL LONGO PRAZO 563.039.643,69 DISPONIBILIDADES 7.682,65 CAIXA 2.529,22 BANCOS 5.153,43 APLICAÇÕES INTERFINANCEIRAS DE

Leia mais

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual

SICOOB - Contabilidade. Período: 01/08/2013 a 31/08/2013. Conta Cod. Red. Descrição da Conta Saldo Anterior Débitos Créditos Saldo Atual 1.0.0.00.00-7 CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 58.764.189,56 169.901.510,67 169.746.419,72 58.919.280,51 1.1.0.00.00-6 DISPONIBILIDADES 469.845,67 62.841.447,38 62.796.662,79 514.630,26 1.1.1.00.00-9

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

Grupo Citi no Brasil

Grupo Citi no Brasil Crédito Consignado Grupo Citi no Brasil Grupo Citi no Brasil Segmento voltado a pessoas físicas e pequenas empresas, com variada gama de produtos e serviços diferenciados. Atendimento exclusivo a pessoas

Leia mais

MODELO DE PLANO DE CONTAS

MODELO DE PLANO DE CONTAS 26 MODELO DE PLANO DE CONTAS SINTÉTICA ANALÍTICA TÍTULO 1 ATIVO 1.1 CIRCULANTE 1.1.1 DISPONÍVEL 1.1.1.1 Caixa 1.1.1.2 Bancos Conta Movimento 1.1.1.3 Aplicações de Liquidez Imediata 1.1.2 CRÉDITOS DE VENDAS

Leia mais

4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS

4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS 44 4 MÓDULO 4 DOCUMENTOS COMERCIAIS 4.1 Cheque O cheque é uma ordem de pagamento à vista. Pode ser recebido diretamente na agência em que o emitente mantém conta ou depositado em outra agência, para ser

Leia mais

Tabela de Tarifas Pessoa Natural

Tabela de Tarifas Pessoa Natural Divulgada em: 02/03/205 Vigência a partir de: 20/04/205 PADRONIZAÇÃO DOS S PRIORITÁRIOS 2 LISTA DE S CANAIS DE ENTREGA SIGLA NO EXTRATO VALOR DA TARIFA CADASTRO. CADASTRO R$ 25,00 CONTA DE DEPÓSITOS 2.

Leia mais

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE

O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE O QUE SÃO COOPERATIVAS DE CRÉDITO PERFIL INSTITUCIONAL DESEMPENHO ECONÔMICO SOLUÇÕES FINANCEIRAS SUSTENTABILIDADE AGENTES DA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DAS COMUNIDADES ONDE ATUAM Principais

Leia mais

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES

MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES MANUAL DE DESCRIÇÃO E FUNÇÕES TÍTULO DO CARGO: Diretor Comercial Garantir as melhores condições de rentabilidade para a empresa, na prospecção, desenvolvimento, contratação de obras e serviços. Superior

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA. 1. Considerando os conceitos de passivos e provisões, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA. I. Provisões são passivos com prazo ou valor incertos.

Leia mais

Soluções. para sua Empresa

Soluções. para sua Empresa Atendimento Outras Soluções Investimentos Soluções para Parceiros e Empregados Soluções para sua Empresa Linhas de Crédito Seguros e Cartões Soluções em Recebimentos Soluções em Pagamentos Soluções sob

Leia mais

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Quem Somos Somos uma sociedade de advogados dedicada à assistência e orientação jurídica as empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda.

Empréstimo. Pagamento em até 30 meses; Sem taxa de abertura de crédito; Parcelas debitadas em conta; Limites analisados pela renda. Produtos Conta Corrente Com isenção de tarifas de manutenção, dez folhas cheques, quatro extratos mensais, emissão de extratos on-line, tarifas reduzidas, só na Credlíder. Conta Poupança A Poupança Credlider

Leia mais

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé 1. Objetivo O presente guia tem como objetivo orientar o empreendedor a como preencher o Formulário de Pré-proposta para financiamento, item fundamental para início

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA EM DST/AIDS

CENTRO DE REFERÊNCIA EM DST/AIDS DATA DA VISITA: 24/04/2015 Coordenador (a): Lauer Marinho Sandenberg E-mail: ddaids@vitoria.es.gov.br Endereço: Rua Cais do São Francisco, nº 54 Bairro: Centro Telefone: (27) 3132-5107 Horário de funcionamento:

Leia mais

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão MÓDULO IX - CUSTOS A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão 1 Conteúdo Objetivo do custeio Conceito de valor Gestão de Custos versus Gestão Estratégica Componentes básicos de custos

Leia mais

Informativo. dezembro/2013. Prezados cooperados,

Informativo. dezembro/2013. Prezados cooperados, Informativo Prezados cooperados, dezembro/ Rapidamente chegamos ao fim de. Um ano de muito trabalho e de grandes conquistas, de muitas entregas e muitas ações realizadas alinhadas à nossa visão de envidar

Leia mais

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas Manual de Usuário Seguro para Igrejas Seguro para Igrejas Mensagem do Diretor A Adventist Risk Management Sul-Americana é uma parceira da Divisão Sul-Americana referente à administração de riscos. Nosso

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras Notas Explicativas das Demonstrações Financeiras No ano de 2012 o Londrina Country Club atualizou o plano de contas de sua demonstração de resultado. O objetivo é atualizar a nomenclatura das contas permitindo

Leia mais

Finance Training - Treinamento Gerencial e Consultoria Empresarial

Finance Training - Treinamento Gerencial e Consultoria Empresarial Página 1 de 5. 05/09/2011 ORÇAMENTO BASE ZERO uma ferramenta gerencial para redução de custos e otimização de resultados, distribuição de dividendos e nível de retorno dos investimentos Prof. Ricardo Ferro

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Guia de Recursos e Funcionalidades

Guia de Recursos e Funcionalidades Guia de Recursos e Funcionalidades Sobre o Treasy O Treasy é uma solução completa para Planejamento e Controladoria, com o melhor custo x benefício do mercado. Confira alguns dos recursos disponíveis para

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

LAM AUDITORES INDEPENDENTES

LAM AUDITORES INDEPENDENTES COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CERRP Relatório de Auditoria das Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012. LAM AUDITORES INDEPENDENTES

Leia mais

Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração

Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração Modelo de Lista de Verificação de Nova Administração Da publicação do IREM : Estratégias de Negócios para Administradoras de Imóveis Richard F. Muhlebach, CPM Alan A. Alexander, CPM A sua empresa acabou

Leia mais

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/01/11 a 31/01/11

FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 Período: 01/01/11 a 31/01/11 FUNDACAO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE Folha: 1 17 T 1 ATIVO 41.752.495,74D 4.036.938,36 4.262.358,02 41.527.076,08D 23 T 1.1 ATIVO CIRCULANTE 1.250.072,51D 3.944.278,77 4.201.929,51 992.421,77D 30 T 1.1.01

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL, DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO E NOTAS EXPLICATIVAS

RELATÓRIO GERENCIAL, DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO E NOTAS EXPLICATIVAS Titulos/Meses dezembro-06 janeiro-07 fevereiro-07 março-07 abril-07 maio-07 junho-07 Notas CIRCULANTE E REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 4.418.607,04 4.532.392,35 4.648.629,79 - - - - DISPONIBILIDADE 171.907,15

Leia mais

NORMATIVO SARB 004/2009, revisto e atualizado em 17 de junho de 2015 e publicado em 13 de julho de 2015.

NORMATIVO SARB 004/2009, revisto e atualizado em 17 de junho de 2015 e publicado em 13 de julho de 2015. NORMATIVO SARB 004/2009, revisto e atualizado em 17 de junho de 2015 e publicado em 13 de julho de 2015. O Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN institui o NORMATIVO

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ ATIVO IMOBILIZADO Considerações Gerais Sumário 1. Conceito 2. Classificação Contábil Das Contas do Ativo Imobilizado 3. Imobilizado em Operação 3.1 - Terrenos 3.2 - Edificações 3.3 - Instalações 3.4 -

Leia mais

ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003.

ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003. ANEXO I PEÇAS EXIGIDAS PELAS IN/TCU Nº 47, DE 2004, DN/TCU Nº 62, DE 2004, IN/SFC Nº 2, DE 2000, E NE/SFC Nº 2, DE 2003. Discriminação da peça I Rol de Responsáveis, assinado pela Diretoria Colegiada,

Leia mais

Franquia DR FAZ TUDO

Franquia DR FAZ TUDO Franquia DR FAZ TUDO Grupo Zaiom Artur Hipólito e Marco Imperador, em meados de 2008, criaram o Grupo Zaiom oferecendo aos empreendedores brasileiros um modelo dinâmico, desafiador e de baixo investimento

Leia mais

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE!

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! A EMPRESA A Fast Solution é uma empresa especializada em desenvolver soluções integradas em sistemas de impressão,

Leia mais

Fundamentação Legal. Abordagens. Lei 11.947, de 16 de junho de 2009. Resolução nº 10, de 18 de abril de 2013, e alterações.

Fundamentação Legal. Abordagens. Lei 11.947, de 16 de junho de 2009. Resolução nº 10, de 18 de abril de 2013, e alterações. Fundamentação Legal Lei 11.947, de 16 de junho de 2009. Resolução nº 10, de 18 de abril de 2013, e alterações. Resolução nº 9, de 2 de março de 2011, e alterações. Resolução nº 15, de 10 de julho de 2014,

Leia mais

www.sistemainfo.com.br Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Processo de transporte e logística Objetivo

www.sistemainfo.com.br Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Processo de transporte e logística Objetivo Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Agilidade, segurança e flexibilidade nos processos são os compromissos da Sistema Informática com seus clientes. Sediada em Criciúma,

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO 03/2009 ENTRE O COMAER/ CFIAe & CAIXA (CEF) INSTRUÇÕES AOS BENEFICIÁRIOS DA CFIAe GENERALIDADES A Caixa de Financiamento Imobiliário da Aeronáutica (CFIAe) vem acompanhando as taxas

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais

Este princípio se refere ao grau de exposição ao risco socioambiental das atividades e das operações de uma instituição.

Este princípio se refere ao grau de exposição ao risco socioambiental das atividades e das operações de uma instituição. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO Este Documento contém os aspectos a serem observados pelos administradores, colaboradores, prestadores de serviço, clientes e usuários dos produtos e serviços oferecidos pela Renascença

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O C O M E R C I A L

A P R E S E N T A Ç Ã O C O M E R C I A L A P R E S E N T A Ç Ã O C O M E R C I A L A EMPRESA Há mais de 30 anos no mercado, a Betha Espaço se consolidou como uma das maiores imobiliárias do Espírito Santo. Líder em Locação no estado, apresenta

Leia mais

Contabilidade Básica Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Conceito Conta Nome dado aos componentes patrimoniais (bens, direitos, obrigações e Patrimônio Líquido) e aos elementos de resultado

Leia mais

Plano de Negócio EON. Escola Digital

Plano de Negócio EON. Escola Digital Plano de Negócio EON Escola Digital Resumo Executivo A EON é uma startup de educação que tem como principal objetivo capacitar profissionais do mundo digital, levando conhecimento específico, relevante

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques "Um bom plano de negócios deve mostrar claramente a competência da equipe, o potencial do mercado-alvo e uma idéia realmente inovadora; culminando em um

Leia mais

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes

HTL SP Participações S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Administradores e Acionistas HTL

Leia mais

RELATÓRIO. gestão abr-2009 / out 2010

RELATÓRIO. gestão abr-2009 / out 2010 RELATÓRIO gestão abr-2009 / out 2010 Apresentação Decreto Estadual nº. 28.833, de 18 de janeiro de 2006, desapropriação do imóvel cinemas Ritz e Astor(1974); Área total de 1.684,80m² - inaugurado em 2007,cuja

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Grupo Zaiom: sócios diretores

Grupo Zaiom: sócios diretores OPEN DOORS Grupo Zaiom Grupo Zaiom Artur Hipólito e Marco Imperador, em meados de 2008, criaram o Grupo Zaiom oferecendo aos empreendedores brasileiros um modelo dinâmico, desafiador e de baixo investimento

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

(Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) Estado: Pacífico. (6) Pessoa para contato (caso seja diferente da indicada no item (5)).

(Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) Estado: Pacífico. (6) Pessoa para contato (caso seja diferente da indicada no item (5)). ASSISTÊNCIA A PROJETOS COMUNITÁRIOS E DE SEGURANÇA HUMANA FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO (Favor preencher com letra de forma ou datilografado.) 1. Requerente (1) Organização: Associação ABC de Amparo à Criança

Leia mais

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial

Ementário do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial 01 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS I EMENTA: Introdução à administração de recursos humanos; orçamento de pessoal; processo de recrutamento e seleção de pessoal; processo de treinamento e desenvolvimento

Leia mais

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO Atual

Leia mais

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados

SICOOB CREDIROCHAS. Resultados SICOOB CREDIROCHAS Resultados 2014 MENSAGEM DA DIRETORIA O Sicoob Credirochas conseguiu ótimos resultados numa clara demonstração da força do trabalho cooperativo, na busca por maior participação no mercado

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ RUA EMILIANO PERNETA Nº 174 - CENTRO - CURITIBA-PARANA C N P J - 76.654.607 / 0001-57

INSTITUTO DE ENGENHARIA DO PARANÁ RUA EMILIANO PERNETA Nº 174 - CENTRO - CURITIBA-PARANA C N P J - 76.654.607 / 0001-57 Pagina 01 R E C E I T A S ASSOCIADOS Efetivos 5.607,30 10.869,20 363.128,89 Institucionais 1.616,65 2.190,28 46.692,18 Ausentes 642,48 224,92 21.175,97 Universitários 81,67 84,59 6.644,66 7.948,10 13.368,99

Leia mais

REGULAMENTO. Condomínio Destaque por Excelência 2014

REGULAMENTO. Condomínio Destaque por Excelência 2014 REGULAMENTO Condomínio Destaque por Excelência 2014 SECOVI-SC Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis e dos Condomínios Residenciais e Comerciais de Santa Catarina,

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL Sumário O que é Leasing?... 04 As partes deste negócio... 05 Entendendo o Leasing... 06 Modalidades de Leasing... 07 A escolha do bem... 08 Este guia tem por objetivo

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Garantir a excelência na prestação de serviços de intermediação e consultoria, visando a satisfação e segurança de seus clientes e colaboradores.

Garantir a excelência na prestação de serviços de intermediação e consultoria, visando a satisfação e segurança de seus clientes e colaboradores. QUEM SOMOS A Maria do Carmo Imóveis atua desde 1978 na administração, locação e venda de imóveis comerciais e residenciais em toda a região Oeste da Grande São Paulo. Carrega consigo toda a experiência

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014 NOTA TÉCNICA Nº 09/2014 Brasília, 4 de abril de 2014. ÁREA: Contabilidade Municipal TÍTULO: Tratamento Contábil das Despesas do Programa Mais Médicos REFERÊNCIA(S): Portaria SGTES nº 30, de 12/02/2014

Leia mais

A CONTABILIDADE E O AVANÇO DA TECNOLOGIA. http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/contabilidadeetecnologia.htm

A CONTABILIDADE E O AVANÇO DA TECNOLOGIA. http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/contabilidadeetecnologia.htm A CONTABILIDADE E O AVANÇO DA TECNOLOGIA Reinaldo Luiz Lunelli Texto do site: http://www.portaldecontabilidade.com.br/tematicas/contabilidadeetecnologia.htm Com o passar dos anos, a contabilidade tem sofrido

Leia mais

Guia de facilidades Bradesco Prime

Guia de facilidades Bradesco Prime Este material foi impresso em papel certificado FSC. Marketing 7778 out/14 Guia de facilidades Bradesco Prime No Bradesco Prime, você é prioridade sempre. Contar com a presença do Bradesco Prime em 100%

Leia mais

Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo

Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo Financiamento de Micro e Pequenas Empresas (MPEs) no Estado de São Paulo SONDAGEM DE OPINIÃO Outubro de 2006 1 Características da Pesquisa Objetivos: Identificar as principais formas utilizadas pelas empresas

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

Exemplo de imovel. Casa em excelente bairro já alugada

Exemplo de imovel. Casa em excelente bairro já alugada Exemplo de imóvel Exemplo de imovel Casa em excelente bairro já alugada Você poderá acessar análises detalhadas de cada um destes investimentos em nosso website, nos links apresentados no nosso site em:

Leia mais

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados.

Com o objetivo de manter um alto nível de qualidade, nossos colaboradores são rigorosamente selecionados e treinados. A MBS SERVIÇOS possui o conhecimento necessário e indispensável para oferecer qualidade e agilidade nas realizações dos serviços prestados. Possuímos sede própria com toda infraestrutura necessária para

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil

Ordem dos Advogados do Brasil EXCELENTÍSSIMOS SENHORES: PRESIDENTE, DIRETORES E MEMBROS DO EGRÉGIO CONSELHO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECÇÃO DE SÃO PAULO. Para os devidos fins, apresentamos as Demonstrações Contábeis referentes

Leia mais