SOCIEDADE BRASILEIRA DE UVEÍTES E INFLAMAÇÕES INTRA OCULARES ESTATUTO SOCIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOCIEDADE BRASILEIRA DE UVEÍTES E INFLAMAÇÕES INTRA OCULARES ESTATUTO SOCIAL"

Transcrição

1 SOCIEDADE BRASILEIRA DE UVEÍTES E INFLAMAÇÕES INTRA OCULARES ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS Art. 1º A SOCIEDADE BRASILEIRA DE UVEÍTES E INFLAMAÇÕES INTRA OCULARES, sucessora da Sociedade Brasileira de Uveítes fundada em , com seus atos constitutivos registrados sob o nº , em , no 4º Oficial de Registro Civil de Pessoa Jurídicas, doravante designada simplesmente SBU, é uma associação, de caráter científico e cultural, sem quaisquer fins lucrativos, com prazo de duração indeterminado, constituída por docentes, médicos e profissionais da saúde que se regerá pelo presente estatuto e pelas leis aplicáveis à espécie. Art. 2º A SBU tem por finalidade e foro na Capital do Estado de São Paulo, podendo criar sub sedes e Seções Regionais em todo território nacional. Art. 3º A SBU tem por finalidade congregar os médicos oftalmologistas, cientistas, técnicos e outros profissionais na área de saúde que se interessem pela especialidade, objetivando o aperfeiçoamento do ensino, técnicas de diagnósticos e terapêuticos, colaboradores no Brasil e no Exterior com Institutos Educacionais, Universidades, Instituições Públicas e Privadas em programas de desenvolvimento tecnológico nas áreas de medicina, bioengenharia, engenharia hospitalar, técnicas administrativas, operacionais, de pesquisa básica e clinica e assistencial medica em campos específicos da Uveítes, podendo: a) Promover reuniões, congressos, simpósios, cursos de especialização e de reciclagem; b) Promover a divulgação de conhecimento através de cedição e publicações técnicas e cientificas; c) Interessar se pela formação adequada e continuada de novos profissionais, discutindo métodos, formando opiniões e buscando a valorização do trabalho, zelando para que seus atos sejam pautados pelo cumprimento rigoroso do código de ética profissional; d) Defender os legítimos interesses de seus associados; e) Conceder, na forma regulamentar, os Títulos a que fazem jus os seus membros; f) Promover o intercâmbio com outras entidades congêneres.

2 Art. 4º No desenvolvimento de suas atividades, a SBU observará os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e de eficiência e não fará qualquer discriminação de raça, cor, gênero ou religião. CAPÍTULO II DOS ASSOCIADOS, SEUS DIREITOS E DEVERES Art. 5º A SBU é constituída por um ilimitado número de associados, distribuídos nas seguintes categorias: a) Fundadores São os subscritores da Ata da Assembléia Geral de Fundação da SBU. b) Titulares São os oftalmologistas que solicitarem e forem aceitos pela Diretoria, mediante comprovação das seguintes qualificações: I. Titulo de oftalmologista conferido pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia; II. Ter pelo menos 02 (dois) anos de experiência em serviço de Uveítes reconhecido pela SBU; III. Ser aprovado em exames, que serão realizados bienalmente, em época marcada pelo Conselho Fiscal; IV. Apresentar Curriculum Vitae documentado com comprovantes. c) Efetivos São os oftalmologistas com titulo conferido pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia, médicos residentes e estudiosos da Especialidade de Oftalmologia, que solicitarem e forem aceitos pela Diretoria da SBU. d) Honorários São os oftalmologistas, nacionais ou estrangeiro, que tenham se destacado no setor de Uveítes aos quais o título Fo concedido por decisão da Assembléia Geral. e) Beneméritos São as pessoas físicas ou jurídicas que tenham contribuído financeiramente com a SBU, indicados pela Diretoria e aprovados pela Assembléia Geral. 1º A qualidade de associado é intransferível e, seja qual for a sua categoria, não será titular de nenhuma quota ou fração ideal de patrimônio da SBU. 2º Os associados não serão reembolsados das contribuições que realizaram por ocasião da fundação da SBU ou que venham a realizar posteriormente em favor da mesma. Art. 6º São direitos dos associados da SBU: a) Participar das Assembléias Gerais com direito a palavra; b) Participar de reuniões de caráter cientifico, de cursos e de todos os eventos promovidos pela SBU, respeitadas as normas regimentais; c) Ter acesso às conclusões de estudos e matérias elaboradas pela SBU; d) Solicitar, a qualquer tempo, a sua demissão do quadro de associados; e) Ter assegurada ampla defesa nos processos ético disciplinares.

3 Art. 7º São direitos exclusivos dos associados Fundadores, Titulares e Efetivos, além dos previstos no artigo anterior: a) Receber titulo ou certificado de associado de acordo com a categoria à qual pertencer; b) Votar nas decisões das Assembléias Gerais e ser votado para os cargos da Diretoria e Conselho Fiscal; c) Convocar Assembléia Geral nos termos do art. 15. Art. 8º Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenha sido legitimamente conferida, a não ser nos casos e pela forma previstos em lei ou neste estatuto. Art. 9º São deveres dos associados: a) Observar os preceitos da deontologia médica, trabalhando para que a SBU cumpra as suas finalidades; b) Acatar as decisões legítimas da Diretoria; c) Pagar pontualmente a anuidade estabelecida; d) Cumprir as disposições estatutárias e regimentais; e) Desempenhar, com zelo e dedicação as funções que assumir por eleição ou nomeação; Art. 10º O associado será excluído da SBU quando: a) Deliberadamente solicitar a sua demissão; b) Praticar qualquer ato contrário a este estatuto ou que o desabone ou, ainda, que possa prejudicar o conceito ou a idoneidade da SBU; c) Deixar de recolher a contribuição devida por mais de dois anos, após notificação prévia, por escrito. Parágrafo único A exclusão de associado é atribuição da Assembléia Geral, garantindo ao interessado amplo direito de defesa. Art. 11º Os associados não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelos encargos da SBU. CAPÍTULO III DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS Art. 12º A SBU será organizada e administrada pelos seguintes órgãos: a) Assembléia Geral; b) Diretoria; c) Conselho Fiscal. a) Da Assembléia Geral Art. 13º A Assembléia Geral, órgão de deliberação soberano da SBU, se constituirá dos associados em pleno gozo de seus direitos estatutários.

4 Art. 14º A Assembléia Geral Ordinária realizar se á bienalmente preferencialmente durante o Congresso Brasileiro de Oftalmologia ou no último quadrimestre do ano, por convocação do Presidente, através de edital enviado a todos os associados, via postal, correio eletrônico ou outro meio conveniente aos associados, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias. Art. 15º A Assembléia Geral realizar se á, extraordinariamente, quando convocado com uma antecedência mínima de 10 (dez) dias, pela Diretoria, pelo Conselho Fiscal ou por requerimento de 1/5 (um quinto) dos associados com direito a voto para tratar dos assuntos exclusivos de sua pauta. Art. 16º As Assembléias instalar se ão em primeira convocação com a presença de 2/3 (dois terços) dos associados e, em segunda convocação, 30 (trinta) minutos após a primeira, com qualquer número de associados presentes, ressalvado o disposto no parágrafo único do artigo subseqüente. Art. 17º Compete à Assembléia Geral: a) Eleger os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal; b) Destituir os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal; c) Aprovar reformas do Estatuto; d) Decidir sobre a fusão, incorporação e dissolução da SBU; e) Decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais; f) Deliberar sobre os relatórios de atividades e as contas da Diretoria dos dois últimos exercícios sociais; g) Tomar conhecimento e aprovar o plano bienal de trabalhos a ser desenvolvimento; h) Deliberar sobre os assuntos levados à sua pauta; i) Deliberar sobre a admissão de associados honorários e beneméritos; j) Deliberar sobre a exclusão de associados. Parágrafo único Para as deliberações a que se referem os itens b, c e d, é exigido a concordância de 2/3 (dois terços) dos presentes à assembléia especialmente convocada para a finalidade, devendo estar presentes na primeira convocação a maioria absoluta dos associados e 1/3 (um terço) na segunda e demais convocações. Art. 18º A SBU adotará práticas de gestão administrativa necessárias e suficientes a coibir a obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios e vantagens pessoais, em decorrência da participação nos processos decisórios. b) Da Diretoria Art. 19º A Diretoria, órgão de administração da SBU será constituída por Presidente, Vice Presidente, Secretário, Secretário Adjunto e Tesoureiro. Art. 20º A Diretoria será eleita por escrutínio secreto pela Assembléia Geral dos associados durante o Congresso Brasileiro de Oftalmologia ou caso esse não se realize, no decurso do último quadrimestre do ano civil, para um mandato de 2 (dois) anos, vedadas reeleições para o mesmo cargo em mandatos consecutivos.

5 Art. 21º Compete à Diretoria: a) Elaborar e submeter à Assembléia Geral a proposta de programação anual da SBU; b) Definir as diretrizes básicas, regulamentar e emitir ordens executivas para disciplinar o funcionamento interno da SBU; c) Aprovar a instalação de Regionais e propor à Assembléia o desligamento das que persistirem em funcionar de forma irregular; d) Elaborar e encaminhar à Assembléia Geral o plano bienal de trabalhos a serem desenvolvidos; e) Executar a programação de atividades da SBU; f) Elaborar o Regimento Interno; g) Reunir se com instituições públicas e privadas para mútua colaboração em atividades de interesse comum; h) Contratar e demitir empregados; i) Promover a admissão de associados Titulares e Efetivos; j) Encaminhar à Assembléia Geral as proposta de reforma do Estatuto; k) Deliberar sobre os pedidos de admissão de associados; l) Constituir procuradores com poderes e prazos especificados no mandato. Art. 22º A Diretoria determinará a periodicidade de suas reuniões. Art. 23º Compete ao Presidente: a) Representar a SBU ativa e passivamente, judicial e extra judicialmente; b) Dirigir e supervisionar as atividades da SBU; c) Cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno; d) Convocar e presidir as Reuniões de Diretoria, Conselho Fiscal e da Assembléia Geral; e) Apresentar à Assembléia Geral o relatório anual de atividades e a prestação de contas do exercício; f) Firmar, juntamente com o Tesoureiro ou outro Diretor, os documentos necessários à movimentação do numerário disponível e após aprovação da Diretoria firmar convênios e contratos; g) Contratar profissionais de reconhecida formação para assessorá lo na administração da SBU após aprovação da Diretoria; h) Apresentar relatório sobre o seu mandato, dar posse aos novos membros da sociedade, à Diretoria eleita e tomar providências administrativas urgentes, omissas nestes Estatutos; i) Em conjunto com um dos Diretores, constituir procuradores com poderes e prazos definidos no mandato. Art. 24º Compete ao Vice Presidente, substituir o Presidente em suas ausências ou impedimentos assumindo o mandato em caso de vacância, auxiliando o na administração da SBU.

6 Art. 25º Compete ao Secretario Geral: a) Secretariar as reuniões da Diretoria e da Assembléia Geral e redigir as atas, mantendo sob sua guarda os livros e arquivos pertinentes; b) Expedir diplomas e certificados aos associados, subscrevendo os com o Presidente; c) Dirigir os serviços da secretaria e executar outras atividades inerentes ao cargo; d) Responsabilizar se pelas publicações; e) Elaborar os relatórios de atividades e os planos de trabalho; f) Cumprir e fazer cumprir as determinações emanadas do Presidente; Art. 26º Compete ao Secretário Adjunto, substituir o Secretário geral ou o Tesoureiro em suas ausências ou impedimentos assumindo o mandato em caso de vacância, auxiliando os na administração da SBU. Art. 27º Compete ao Tesoureiro: a) Arrecadar e contabilizar as contribuições dos associados, rendas, auxílios e donativos, mantendo em dia a escrituração da SBU; b) Manter sob sua responsabilidade todos os valores pertencentes à sociedade, depositando os em estabelecimentos bancários; c) Pagar as despesas autorizadas pela Diretora, assinando em conjunto com o Presidente todos os documentos necessários à movimentação do numerário disponível; d) Apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados; e) Apresentar ao Conselho Fiscal a escrituração da SBU, incluindo os relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas; f) Conservar, sob sua guarda e responsabilidade, os documentos relativos à tesouraria; g) Administrar os fundos e rendas da SBU; h) Elaborar os balanços, prestação de contas e plano orçamentário anual dando lhes a publicidade necessária e colocando os à disposição para exame de qualquer cidadão; i) Providenciar a realização de auditoria, inclusive por auditores externos independentes, se for o caso, sobre a totalidade de suas contas conforme previsto em legislação; j) Cumprir e fazer cumprir as determinações emanadas do Presidente; c) Do Conselho Fiscal Art. 28º O Conselho Fiscal será composto por 3 (três) membros eleitos pela Assembléia para um mandato de 2 (dois) anos, podendo ser reeleito.

7 Art. 29º Compete ao Conselho Fiscal: a) Opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para a Assembléia Geral; b) Requisitar ao Tesoureiro, a qualquer tempo, documentação comprobatória das operações econômico financeiras realizadas pelo SBU c) Acompanhar o trabalho de eventuais auditores externos independentes; d) Convocar extraordinariamente a Assembléia Geral. Parágrafo Único O Conselho Fiscal reunir se á sempre que necessário. CAPÍTULO IV DAS SECÇÕES REGIONAIS Art. 30º No âmbito de cada Estado, Distrito Federal ou Território da Federação, os associados ali domiciliados, poderão constituir uma Secção Regional, mediante aprovação da Diretoria e homologação da Assembléia Geral. Parágrafo Único Para a constituição de uma Secção Regional, é necessário a existência de, no mínimo, 10 (dez) associados por jurisdição, podendo a Diretoria agrupar duas ou mais regiões em um única Secção Regional quando o limitado número de associados justificar tal medida. Art. 31º As Secções Regionais serão dotadas de personalidade jurídica, patrimônio e administração próprios, com jurisdição e sede nos Estados, Distrito Federal ou Territórios em que estiverem localizadas. Art. 32º As Secções Regionais tem por finalidade auxiliar a SBU na consecução de seus objetivos, atuando em harmonia e cooperação com a Diretoria da SBU servindo de elo entre esta e os associados sob sua jurisdição. Art. 33º As Secções Regionais adotarão a denominação: SBU SOCIEDADE BRASILEIRA DE UVEÍTES E INFLAMAÇÕES INTRA OCULARES Regional... (nome do seu Estado ou Território). Poderão, também, utilizar o logotipo da SBU ao lado do seu próprio logotipo. Art. 34º Os estatutos sociais das Secções Regionais serão adequados às peculiaridades locais não podendo conflitar com o presente estatuto. Parágrafo único As Secções regionais deverão encaminhar à SBU cópia de qualquer reforma ou alteração em seus estatutos, independentemente de solicitação.

8 CAPÍTULO V DAS RECEITS E DESPESAS Art. 35º Os recursos financeiros necessários à manutenção da SBU poderão ser obtidos por: a) As anuidades e contribuições eventuais dos associados; b) O resultado líquido proveniente de suas atividades estatutárias, como cursos, simpósios, congressos e outros; c) As doações, legados, auxílios, subvenções, prêmios, contribuições e as aquisições advindas de pessoa física ou jurídica, pública ou privada, nacional ou estrangeira; d) Quaisquer outras receitas patrimoniais ou eventuais; CAPÍTULOS VI DO PATRIMÔNIO Art. 36º O patrimônio da SBU será constituído, dentre outros de bens moveis, imóveis, veículos, ações e títulos da divida pública. Art. 37º No caso de dissolução da SBU, o respectivo patrimônio liquido será transferido para outra entidade congênere, a critério da Assembléia Geral, registrada no Conselho Nacional de Assistência Social. Art. 38º A SBU não distribui entre os seus associados ou conselheiros, diretores, empregados ou doadores eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos, bonificações, participações ou parcela do seu patrimônio. Auferido mediante os exercício de suas atividades e os aplica integralmente, no país na consecução do seu objetivo social. CAPÍTULO VII DA PRESTAÇÃO DE CONTAS Art. 39º A Prestação de Contas da SBU observará no mínimo: a) Os princípios fundamentais de contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade; b) A publicidade, por qualquer meio eficaz, no encerramento do exercício fiscal, do relatório de atividades e das demonstrações financeiras da entidade, colocando os à disposição para o exame de qualquer cidadão; c) A realização de auditoria, inclusive por auditores externos independentes, se for o caso, da aplicação dos eventuais recursos; Parágrafo Único O exercício financeiro coincidira com o ano civil.

9 CAPÍTULO VIII DAS DISPOSIÇOES GERAIS Art. 40º A SBU não remunera, sob qualquer forma, os cargos de sua Diretoria e do Conselho Fiscal, cujas atuações são inteiramente gratuitas. Parágrafo Único A proibição contida neste artigo não gera incompatibilidade com a prestação de serviços profissionais, desde que atendido o disposto no artigo 38º. Art. 41º A SBU somente será dissolvida por decisão de Assembléia Geral especialmente convocada para a finalidade, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades, observado o disposto neste estatuto.. Art. 42º O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão da Assembléia Geral especialmente convocada para esse fim observado o disposto no parágrafo único do artigo 17 e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório. Art. 43º Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e, quando necessário, referendados pela Assembléia Geral.

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P Legenda: Texto em negrito: cláusulas que devem necessariamente constar do estatuto, por força da Lei nº 9.790/99 Texto em

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o - A (o) também designada (o) pela sigla, (se usar sigla), fundada (o) em de de é uma associação, sem

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E FINS Art. 1 A União Garcense de Aeromodelismo (UGA) é uma pessoa jurídica de direito privado, entidade

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO

ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO 1 ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO ESTATUTO 2011 2 SUMÁRIO CAPÍTULO TÍTULO I Da Denominação, Sede e Fins II Dos Associados III Da Administração IV Do Patrimônio V Da Prestação de Contas VI Das Disposições

Leia mais

Estatuto Social. Interaction Design Association IxDA-CURITIBA

Estatuto Social. Interaction Design Association IxDA-CURITIBA Estatuto Social Interaction Design Association IxDA-CURITIBA CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidades Art. 1º A Interaction Design Association Capítulo Curitiba, também designada simplesmente como

Leia mais

ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS

ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS Art. 1º - A ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA, doravante designada pela sigla ABO, é uma pessoa

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - O INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF - ADAPTSURF, doravante designado por entidade, constituído em 30/12/2007,

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O Movimento de Alfabetização Regional

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º O PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO: Art. 01º - A Associação de Promoção à Assistência Social, Educacional e de Desenvolvimento Econômico de Goiás,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1 - O Instituto do Carste, também designado pela sigla IC, constituído em 15 de dezembro de 2007, é uma pessoa jurídica

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O GRUPO DE AJUDA À CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO também designado

Leia mais

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ)

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Capítulo I Da Associação Art. 1º - A Associação Cecília e João (ACJ), entidade de personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede em

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP Capitulo I Da DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - A Afinidades GLSTAL Gays, Lésbicas, Simpatizantes e Transgênero de Alagoas também

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV Estatuto ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, OS FINS E A SEDE DA ASSOCIAÇÃO. Art. 1º - A associação é denominada Sociedade Brasileira de Fisiologia

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - Constitui- se sob a denominação de Contemporâneo pessoa jurídica de direito privado,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES Art. 1º A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista é uma sociedade

Leia mais

Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - FINEDUCA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO

Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - FINEDUCA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º - A Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação, doravante denominada FINEDUCA, é uma associação civil de direito privado,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social

ESTATUTO SOCIAL. MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social 1 ESTATUTO SOCIAL MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A organização não-governamental Moinhos da Cidadania - Projetos de Desenvolvimento

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PIRANGUÇUENSE DE ARTESANATO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A Associação Piranguçuense de Artesanato, doravante denominada APA, fundada em 04 de outubro de 2008, é

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL ESTATUTO SOCIAL 1 ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E TEMPO DE DURAÇÃO Artigo 1º - Fica constituída a ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL,

Leia mais

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETIVOS e DURAÇÃO Art. 1º. A Associação Brasileira de Redistribuição de Excedente, também designada pela sigla

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A Associação Paulista de Fanfarras e Bandas, também designada pelas siglas, OCIFABAN (Organização Cultural

Leia mais

Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária

Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária Integração também designado IACI. Aos 18 dias do mês de

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO

Leia mais

Brigada 1 Combate Voluntário a Incêndios Florestais CNPJ 05 840 482 0001/01

Brigada 1 Combate Voluntário a Incêndios Florestais CNPJ 05 840 482 0001/01 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - Da Denominação, da Sede, do Foro e do Prazo de Duração Art. 1º - A Brigada 1, também designada pela sigla B1, constituída aos vinte e três dias de março de dois mil e três,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o O URUBUZÃO CLUBE DE AMIGOS, fundado em 01 de Agosto de 2007 é uma Associação, sem fins econômicos, que terá duração por tempo indeterminado, sede no Município

Leia mais

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas (IQUANTA) Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art. 1º - O Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas,

Leia mais

ESTATUTO DA ANPTECRE

ESTATUTO DA ANPTECRE ESTATUTO DA ANPTECRE ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM TEOLOGIA E CIÊNCIAS DA RELIGIÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA, SEDE, DURAÇÃO Art. 1º A ANPTECRE Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa

Leia mais

Associação Pelotas Pró Turismo

Associação Pelotas Pró Turismo Associação Pelotas Pró Turismo ESTATUTO SOCIAL Capítulo I: Da Denominação, Regime, Sede, Foro e Duração. Artigo 1º: Artigo 2º: Artigo 3º: A Associação Pelotas Pró-Turismo, que para efeitos promocionais

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete.

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. Artigo 1º - A ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS, doravante, neste estatuto, denominada pelo

Leia mais

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos Versão Final NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO Capítulo I Da entidade e seus objetivos Art. 1º - O NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - A Casa do Cuidar é uma associação civil, de direito privado, sem fins lucrativos e econômicos e duração por tempo

Leia mais

ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL

ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL Art. 1 - Aos 24 dias do mês de maio de 2011, fica constituída, através deste instrumento

Leia mais

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º A Associação Brasileira de Patchwork e Quilt, doravante designada ABPQ, é uma sociedade

Leia mais

Estatuto da Associação de Pais e Professores do

Estatuto da Associação de Pais e Professores do CNPJ: 82.898.404/0001-09 Estatuto da Associação de Pais e Professores do CENTRO EDUCACIONAL MENINO JESUS Fundada em 1973, Florianópolis/SC C A P Í T U L O I Da Associação e seus fins Art. 1º. - A Associação

Leia mais

ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES

ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Artigo 1º A Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros, desde já também designado pela

Leia mais

ESTATUTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE BIOLOGIA CELULAR - S.B.B.C. CNPJ. 61.849.352/0001-00

ESTATUTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE BIOLOGIA CELULAR - S.B.B.C. CNPJ. 61.849.352/0001-00 ESTATUTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE BIOLOGIA CELULAR - S.B.B.C. DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CNPJ. 61.849.352/0001-00 Artigo 1º - A Sociedade Brasileira de Biologia celular (S.B.B.C.) é uma Sociedade Juridica

Leia mais

Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região

Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - A Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região é uma associação civil, de direito privado,

Leia mais

SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA

SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Artigo 1º: A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL

REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A REDE DE SEMENTES DO CERRADO, também designada neste Estatuto por REDE, é uma associação civil, pessoa jurídica

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE Preâmbulo Os representantes do CONFAUeD, reunidos em assembléia, no dia 30 de junho de 2011, para instituição dos regimentos dos seus laboratórios e núcleos, após deliberação aprovou o REGIMENTO INTERNO

Leia mais

Modelo de estatuto de Associação

Modelo de estatuto de Associação Modelo de estatuto de Associação CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. O Instituto de Solidariedade Educacional e Cultural também

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DA ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO AEXAL-EEL/USP CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidades Artigo 1º - A Associação dos Ex-Alunos da

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

1ª Alteração do Estatuto Social INSTITUTO MAR ADENTRO. Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins

1ª Alteração do Estatuto Social INSTITUTO MAR ADENTRO. Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - O Instituto MAR ADENTRO: Promoção e gestão do conhecimento de ecossistemas aquáticos, a seguir denominado pela sigla MAR ADENTRO, é uma associação civil,

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS LIGA ESTATUTO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS Art. 1- A Liga constituída em de de, é uma entidade civil, beneficente, sem fins lucrativos de assistência social e orientação, de pessoa jurídica de

Leia mais

Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil

Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil Sociedade do Sol Sosol CNPJ n 05202923/0001-40 Ata da Assembleia Geral de Fundação da Sociedade do Sol No dia vinte e nove de novembro

Leia mais

Associação Brasileira de Instrutores Bombeiros Ensinar, aprender e inspirar Rua Zero, 1222 Centro Brasília DF CEP 10.122-000 www.abibombeiros.com.

Associação Brasileira de Instrutores Bombeiros Ensinar, aprender e inspirar Rua Zero, 1222 Centro Brasília DF CEP 10.122-000 www.abibombeiros.com. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INSTRUTORES BOMBEIROS CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1º A Associação Brasileira de Instrutores Bombeiros, também designada pela sigla ABIB, fundada em

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP Capítulo I Da Denominação, Sede e Fins Art. 1º - O Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável, neste estatuto designada

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração Art. 1º - A Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas,

Leia mais

ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art.

ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art. ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art. 1º - O ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL,

Leia mais

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA Estatutos Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 Capítulo I Da denominação, dos fins e da sede da Associação Artigo 1º

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - O Instituto Estre de Responsabilidade Sócio-Ambiental,

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA "CRIANÇA FELIZ" CAPÍTULO I

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA CRIANÇA FELIZ CAPÍTULO I ESTATUTO 1 ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA "CRIANÇA FELIZ" CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Fins Art. 1 º - Art. 2 º - A Associação Filantrópica "Criança Feliz" também designada pela sigla de AFCF, constituída

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA LITERÁRIA PENDÃO REAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Duração e Finalidade

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA LITERÁRIA PENDÃO REAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Duração e Finalidade ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA LITERÁRIA PENDÃO REAL CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Duração e Finalidade Artigo 1º - A ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA LITERÁRIA PENDÃO REAL, adiante denominada simplesmente

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O BEBÊ. Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O BEBÊ. Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O BEBÊ CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objetivos e Duração. Art 1 - Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS SOBRE O BEBÊ (ABEBÊ) foi constituída

Leia mais

INSTITUTO HL7 BRASIL DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DE PADRÕES EM INFORMÁTICA EM SAÚDE ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação e da Natureza Jurídica

INSTITUTO HL7 BRASIL DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DE PADRÕES EM INFORMÁTICA EM SAÚDE ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação e da Natureza Jurídica INSTITUTO HL7 BRASIL DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DE PADRÕES EM INFORMÁTICA EM SAÚDE ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Denominação e da Natureza Jurídica Art. 1º - O Instituto HL7 Brasil - Desenvolvimento e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA AMABRA ESTATUTO

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA AMABRA ESTATUTO ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DAS ARTES DE BRASÍLIA AMABRA ESTATUTO Capítulo I - Da denominação, sede, duração e natureza. Art. 1º- A Associação dos Amigos das Artes de Brasília, também chamada AMABRA, fundada

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE FATEC JÚNIOR PRAIA GRANDE CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO. Artigo 1º - A Empresa Júnior dos alunos da Faculdade

Leia mais

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos

REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I. Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos REGIMENTO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DIRETORIA RIO GRANDE DO NORTE CAPITULO I Da Caracterização, Sede, Foro e Objetivos Art.1º A Diretoria Regional (DR) da SBEM-RN é órgão executivo

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA, também designada

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES AMIGOS DE ILHA SOLTEIRA - AMAIS.

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES AMIGOS DE ILHA SOLTEIRA - AMAIS. 1 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES AMIGOS DE ILHA SOLTEIRA - AMAIS. CAPÍTULO I - Da denominação, da sede, duração e finalidade. Art. 1º - A Associação dos Moradores Amigos de Ilha Solteira AMAIS, é

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA, OBJETIVOS, DENOMINAÇÃO, SEDE e PRAZO Do nome e da natureza jurídica

Leia mais

CDT - TELEFONE: 3248.1018 / 3248.1019 - PESSOAS JURÍDICAS - e-mail: pj@cdtsp.com.br

CDT - TELEFONE: 3248.1018 / 3248.1019 - PESSOAS JURÍDICAS - e-mail: pj@cdtsp.com.br CDT - TELEFONE: 3248.1018 / 3248.1019 - PESSOAS JURÍDICAS - e-mail: pj@cdtsp.com.br SUGESTÃO de texto para estatuto de constituição de Associações. Observação: As informações deste arquivo deverão ser

Leia mais

COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL

COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS também designado pela sigla,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU 'I r/"- /,,_\, - _ ~J" ~, ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU E ASSISTENCIAL "GENTE AMIGA". Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1 - A Associação Beneficente, Educacional e Assistencial Gente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS DIÁCONOS BATISTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA ADIBERJ

ASSOCIAÇÃO DOS DIÁCONOS BATISTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA ADIBERJ ASSOCIAÇÃO DOS DIÁCONOS BATISTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA ADIBERJ Capítulo I Nome, Constituição e Objetivo Art. 1º - A ADIBERJ é uma sociedade civil de natureza religiosa constituída

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE SECRETARIADO - SBSEC

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE SECRETARIADO - SBSEC ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE SECRETARIADO - SBSEC CAPÍTULO I Da Natureza e Objetivos Art. 1º - A Sociedade Brasileira de Secretariado, doravante denominada SBSEC, constituída em 21 de Outubro

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ

ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ ESTATUTO SOCIAL DA COMISSÃO ESTADUAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA DO ESTADO DO PARANÁ CAPÍTULO I DA SOCIEDADE, DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, PRAZO E FINALIDADES Artigo 1 - A Comissão Estadual de Residência Médica

Leia mais

ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE

ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO Artigo 1º. O IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE, denominado IDBRASIL, é uma associação de direito privado,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO.

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO. ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO. Art. 1º. A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO INSTITUTO DE RADIOPROTEÇÂO E DOSIMETRIA, ASSIRD, é uma sociedade civil, sem

Leia mais

ESTATUTO AMARRIBO BRASIL

ESTATUTO AMARRIBO BRASIL ESTATUTO AMARRIBO BRASIL Aprovado em Assembleia Geral de 02/08/2014 Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Artigo 1º - Os Amigos Associados de Ribeirão Bonito AMARRIBO- doravante designada por entidade,

Leia mais

ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET.

ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET. ABDEPP/Freinet ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO, ESTUDOS E PESQUISAS DA PEDAGOGIA FREINET. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FORO ART. 1 o - Sob a denominação de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA DIVULGAÇÃO,

Leia mais

ESTATUTO DA ENTIDADE OBRAS SOCIAIS ÁGUA VIVA

ESTATUTO DA ENTIDADE OBRAS SOCIAIS ÁGUA VIVA ESTATUTO DA ENTIDADE OBRAS SOCIAIS ÁGUA VIVA NOME e SEDE Art. 1º - A Instituição OBRAS SOCIAIS ÁGUA VIVA (OSÁV) é uma associação civil, sem fins lucrativos, de caráter social e cultural de personalidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982

REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 REGIMENTO INTERNO Aprovado dia 02 de julho de 1982 Artigo 1º. - A FUNDAÇÃO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM AGRONOMIA, MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA - FUNEP, além das disposições constantes de seu Estatuto

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ)

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) ESTATUTO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (ANPARQ) CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1 - A Associação Nacional de Pesquisa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA - 1 - CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. A Associação Nacional de Pesquisadores em Dança, associação sem fins lucrativos

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL CAPÍTULO I - DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - A Associação Instituto Crescer Legal, doravante denominado simplesmente Instituto, é

Leia mais

Estatuto da Associação. de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS

Estatuto da Associação. de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Estatuto da Associação de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A Associação de Assistência ao Adolescente, associação civil sem fins lucrativos, fundada e instalada

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA HOSPITALAR. CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA HOSPITALAR. CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA HOSPITALAR CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO Artigo 1º. A SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA HOSPITALAR, também designada pela

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º O Colegiado Estadual de Procuradores e Advogados Municipais de Santa Catarina, que passará a utilizar com exclusividade a denominação

Leia mais

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS Art. 1 - O Núcleo de Medicina Interna dos Hospitais Distritais, também designado abreviadamente por N. M. I. H. D., é uma Associação sem fins lucrativos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

COLEGIADO DE FISCAIS DE TRIBUTOS, AUDITORES FISCAIS E TÉCNICOS DA TRIBUTAÇÃO DA AMOSC REGIMENTO INTERNO

COLEGIADO DE FISCAIS DE TRIBUTOS, AUDITORES FISCAIS E TÉCNICOS DA TRIBUTAÇÃO DA AMOSC REGIMENTO INTERNO COLEGIADO DE FISCAIS DE TRIBUTOS, AUDITORES FISCAIS E TÉCNICOS DA TRIBUTAÇÃO DA AMOSC REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º O Colegiado de Fiscais de Tributos, Auditores

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS ABANDONADOS A4 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS ABANDONADOS A4 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS ABANDONADOS A4 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, REGIME JURÍDICO, DURAÇÃO, SEDE E FORO Art. 1. A ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DOS ANIMAIS- A4, associação de direito privado, sem fins

Leia mais

CENTRO DE ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE E À CRIANÇA COM HUMANISMO - CAACCH E S T A T U T O CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

CENTRO DE ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE E À CRIANÇA COM HUMANISMO - CAACCH E S T A T U T O CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CENTRO DE ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE E À CRIANÇA COM HUMANISMO - CAACCH E S T A T U T O CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º - O CENTRO DE ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE E À CRIANÇA COM HUMANISMO

Leia mais

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO

CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO CLUBE DE SEGUROS DE PESSOAS E BENEFÍCIOS DO ESTADO DO PARANÁ CVG/PR ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEUS FINS, SEDE E DURAÇÃO ARTIGO 1º O Clube de Seguros de Pessoas e Benefícios do Estado

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC Estatuto Social. Aprovado pela Assembléia Geral em 25 de março de 2006. SUMÁRIO CAPÍTULO I Da Denominação, Sede,

Leia mais

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 Aprova o Estatuto da Fundação Cidade das Artes. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que dispõe o Decreto

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI

ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI ESTATUTO SOCIAL DO CRPSI ESTATUTO REGISTRADO NO CARTÓRIO DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS DA COMARCA DE CONCEIÇÃO DO COITÉ BAHIA, sob Número: 6.893, protocolo 2, fls. 117, Registro n.º 477, livro

Leia mais

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS

ESTATUTO CAPÍTULO I. DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO CAPÍTULO II DAS FINANÇAS ESTATUTO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE e DURAÇÃO Art. 1 o. Sob a denominação APA de Jaboticabal - Associação Protetora dos Animais de Jaboticabal - fica fundada nesta cidade, onde terá sua sede,

Leia mais

Proposta de estatuto Movimento Roessler para Defesa Ambiental. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

Proposta de estatuto Movimento Roessler para Defesa Ambiental. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Proposta de estatuto Movimento Roessler para Defesa Ambiental Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O Movimento Roessler para Defesa Ambiental também designado Movimento Roessler, constituído

Leia mais