DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 02 - Técnico Operacional, Projetos e Construção

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 02 - Técnico Operacional, Projetos e Construção"

Transcrição

1 Índice DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grup Ocupacinal 02 - Técnic Operacinal, Prjets e Cnstruçã 38. Assistente de Manutençã Geral 39. Assistente de Mei Ambiente 40. Assistente Técnic de Supriments 41. Auxiliar de 42. Auxiliar de Labratóri 43. Auxiliar de Manutençã Geral 44. Auxiliar de Tpgrafia 45. Bmbeir Hidráulic 46. Carpinteir 47. Desenhista 48. Desenhista Prjetista 49. Eletricista de Linha de Transmissã 50. Eletricista de Manutençã 51. Eletricista de Manutençã Predial 52. Eletricista de Rede de Distribuiçã 53. Especialista de Manutençã de Linha de Transmissã 54. Especialista de Manutençã de Rede de Distribuiçã 55. Especialista de Manutençã Elétrica 56. Especialista de Manutençã Eletrônica 57. Especialista de Manutençã Mecânica 58. Especialista de Operaçã 59. Especialista de Prjets e Cnstruçã 60. Ferramenteir 61. Instrumentista 62. Instrutr Técnic de Nível Superir 63. Marceneir 64. Mecânic 65. Mtrista 66. Mtrista Eletricista 67. Operadr de Centr de Operaçã e Distribuiçã 68. Operadr de Máquinas e Equipaments 69. Operadr de Sistemas 70. Operadr de Subestaçã (SE) 71. Operadr de Usina Hidrelétrica (UHE) 72. Operadr de Usina Termelétrica (UTE) 73. Operadr de Telefnia 74. Pedreir 75. Pintr Predial 76. Sldadr 77. Supervisr de Operaçã 78. Técnic Agrícla 79. Técnic de Edificações 80. Técnic de Labratóri 81. Técnic de Manutençã Elétrica 82. Técnic de Manutençã Eletrônica 83. Técnic de Manutençã Mecânica

2 84. Técnic de Manutençã de Telecmunicações 85. Técnic de Operaçã 86. Técnic de Operaçã de Rede de Distribuiçã 88. Técnic de Prjets e Cnstruçã 89. Técnic de Segurança d Trabalh 90. Tpógraf

3 C.B.O.: Assistente de Manutençã Geral Códig: 301 Cargs que Cntém a Funçã Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria III 2023E E IV 2024F F Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 2 º Grau Cmplet Elabrar e acmpanhar a prgramaçã de inspeçã e serviçs de manutençã, cm: limpeza, cnservaçã e vigilância das instalações das usinas e subestações, carpintaria, pintura, hidráulica e eletricidade predial; Crdenar e cntrlar a inspeçã de frta de veículs própris u lcads pela Empresa; Cntrlar faturas referentes a prestaçã de serviçs e/u materiais utilizads pela Empresa; Cntrlar materiais utilizads em limpeza, manutençã e cnservaçã nas instalações da Empresa; Elabrar relatóris de serviçs executads; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

4 C.B.O.: Assistente de Mei Ambiente Códig: 301 Cargs que Cntém a Funçã Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria I 2021C C II 2022D D III 2023E E IV 2024F F V 2025G G VI 2026H H Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 2 º Grau Cmplet Realizar levantament de dads para avaliações d ambiente sóci-ecnômic e cultural das áreas de influência ds empreendiments da Empresa; Realizar levantament de dads, de medições e cleta de amstras, necessáris às análises e interpretações, para elabraçã de diagnóstics de prevençã de impact ambiental nas áreas de implementaçã de empreendiments u cupaçã de áreas; Executar levantament e aplicaçã de dads que assciam cmpnentes sóci-ecnômics às características físicas e ambientais das regiões ds empreendiments, elabrand relatóris de impact sbre mei ambiente (RIMAS); Realizar levantament de dads estatístics, censs, dcuments cartgráfics e histórics que registram a densidade e a frma de cupaçã da regiã estudada, para viabilizaçã de empreendiments; Cntrlar arquivs técnics e administrativs, prvidenciand a elabraçã, revisã e atualizaçã ds dcuments, desenhs, prjets e plans; Executar manutençã de taludes gramads nas barragens e diques, vias, parques e jardins, envlvend irrigaçã, despraguejament, adubaçã, replanti e cmbate fitsanitári; Elabrar relatóris de atividades da área; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

5 C.B.O.: Assistente Técnic de Supriments Códig: 125 Cargs que Cntém a Funçã Técnic Industrial de d Carg d Carg Categria I 2031E E II 2032F F III 2033G G IV 2034H H Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 2 º Grau Técnic Cmplet Acmpanhar prcess de aquisiçã de materiais, peças e equipaments para a Empresa; Acmpanhar prcesss de inventáris, armazenagem e mvimentaçã de materiais, peças e equipaments; Participar de reuniã cm frnecedres e clientes de utras áreas da Empresa para avaliaçã d desenvlviment de cntrats; Realizar pesquisa de mercad sbre evluçã de preçs, qualidade ds prduts, cndições de frneciment para seleçã e cadastr de frnecedres; Acmpanhar flux ds dcuments de mvimentaçã junt as almxarifads; Inspecinar almxarifads; Analisar sistemas de cntrle de estque, métds de armazenament, psições mínimas e máximas ideais; Emitir relatóris, mapas, gráfics e crrespndências; Acmpanhar técnics quand d recebiment ds materiais n almxarifad; Digitar texts e dads em micrcmputadres e terminais de grande prte; Efetuar cálculs e prjeções, através de planilhas eletrônicas de dads e sftware diverss; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

6 C.B.O.: AUXILIAR DE ENGENHARIA Códig: 337 Cargs que Cntém a Funçã Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria II 2022D D III 2023E E IV 2024F F Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 2 º Grau Cmplet Realizar atividades de api à relativas à prcessament de dads e aplicaçã de mdels de simulaçã de vazões, utilizand cmputadres (micr e grande prte); Participar da elabraçã ds rçaments diverss da área; Elabrar desenhs de balançs energétics, cálculs diverss, planilhas de acmpanhament rçamentári, fluxgramas, diagramas, quadr-revisã, relatóris, desenhs técnics, gráfics, mapas estatístics, esbçs de bras civis e getécnicas; Elabrar desenhs na área de cnstruçã, peraçã, manutençã elétrica e mecânica, eletrônica, sistemas de subestações e linhas de transmissã; Organizar e manter arquivs técnics; Executar atividades relativas a serviçs de api a saneaments básics nas áreas pertencentes às instalações da UHE e vilas; Desenvlver atividades auxiliares junt às equipes de prjets nas áreas de cnstruçã civil; Realizar atividades relativas à cnstruçã de bras civis, mntagens eletrmecânicas e equipaments de telecmunicações, cmand e cntrle; Executar mntagens, ampliaçã e reduçã de desenhs técnics; Prestar api na elabraçã e cntrle de crngramas de bras civis e mntagens eletrmecânicas; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

7 C.B.O.: AUXILIAR DE LABORATÓRIO Códig: 302 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) III 2013D D 1 º Grau Cmplet IV 2014E E V 2015F F II 2022D D III 2023E E 2 º Grau Cmplet IV 2024F F Realizar atividades afetas à área de labratóri físic-químics: analisar a determinaçã das características e substâncias sólidas, líquidas e gassas, ensais de óles lubrificantes e islantes, análise de metais e cndições de sls; Cletar e analisar óle islante em transfrmadres; Preparar sluções químicas e reagentes analítics para us n labratóri e áreas afins; Realizar manutençã e cnservaçã de aparelhs em labratóris físic-químics; Operar equipaments das estações desmineralizadras e tratament d'água; Preparar prva em cncrets (ensais de resistência, cmpressã e testes de ruptura); Registrar e acmpanhar dads relativs as trabalhs executads; Aplicar e bservar nrmas e instruções técnicas de segurança; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

8 C.B.O.: AUXILIAR DE MANUTENÇÃO GERAL Códig: 303 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C III 2013D D Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet Efetuar limpeza nas salas de cmand e cntrle das casas de relés, canaletas de cmand e duts de drenagem nas subestações e usinas; Executar serviçs de manutençã de pintura industrial, preventiva e/u crretiva em máquinas, mtres, caldeiras, sistemas eletr-mecânics, geradres elétrics, equipaments auxiliares, bmbas de tratament d'água, cmpressres de ar, óle, água, cmbustível e utrs fluíds e demais equipaments das subestações e usinas; Cnfeccinar e efetuar repars em peças de madeiras nas usinas e subestações; Efetuar a instalaçã e a manutençã de redes hidráulicas e de esgt, lcalizadas nas usinas e subestações; Executar limpeza ns painéis da sala de cmand e cntrle das usinas e subestações; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

9 C.B.O.: AUXILIAR DE TOPOGRAFIA Códig: 304 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C III 2013D D Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet Executar trabalhs de tpgrafia, auxiliand em serviçs de avaliaçã de terrens, levantaments planimétrics e planialtimétrics, batend piquetes e estacas, limpeza e transprte de instruments própris as trabalhs; Auxiliar na peraçã de instruments para serviçs de lcaçã, tais cm: áreas de implantaçã, estruturas, área de empréstims e bta-fra, estradas e aerprts; Nivelar as seções lcadas, efetuand cálculs simples de rampas ds taludes, estaqueament cm piquetes, prta-mira e utrs serviçs tpgráfics; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

10 C.B.O.: BOMBEIRO HIDRÁULICO Códig: 339 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet Efetuar instalaçã de redes hidráulicas e de esgt, lcalizand e eliminand vazaments, trcand cans e manilhas, utilizand-se de vergalhões para desentupir, chaves crrente, grif, bmbas de pressã manual e utrs; Efetuar manutençã em encanaments em geral, cnsertand u trcand caixas d'água, chuveirs, rals, válvulas, registrs, cans avariads e manilhas de esgt; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

11 C.B.O.: CARPINTEIRO Códig: 340 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet Cnfeccinar e efetuar repars em peças de madeira, serrand, aplainand e/u furand tábuas, caibrs, sarrafs e utrs tips de peças; Instalar e efetuar repars em móveis e peças cnfeccinadas, cm: prtas, batentes, janelas e utrs, bem cm mntagem e desmntagem de armáris, estantes, divisórias, substituind as partes danificadas; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

12 C.B.O.: DESENHISTA Códig: 305 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C III 2013D D I 2021C C II 2022D D Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet 2 º Grau Cmplet Cpiar tabelas, diagramas, esquemas, gráfics, prjets de bras civis, instalações, equipaments e utrs, guiand-se pel riginal de plantas e crquis, bservand slicitações e instruções pertinentes e empregand pantógraf, cmpass, esquadrs e demais instruments de desenh, visand subsidiar ns trabalhs executads pelas áreas da Empresa; Ampliar u reduzir tabelas, gráfics, rgangramas, diagramas e utrs desenhs, baseand-se em crquis, esbçs u instruções; Efetuar crreções em prjets, plantas e utrs desenhs já estruturads, selecinand instruments e materiais necessáris; Efetuar desenhs em perspectivas e sb váris ânguls, bservand medidas características e utras antações técnicas, para permitir visã cmpleta das ferramentas, equipaments e demais prduts a serem fabricads; Elabrar cartazes, lgtips, placas de identificaçã, desenhs de móveis, letreirs e utrs; Desenhar transparências, cm base em dads frnecids pels técnics da área, para auxiliar s mesms em curss e palestras; Elabrar desenhs técnics referentes a mntagem, instalações, funcinament, utilizaçã, cnservaçã e repar de máquinas e equipaments; - Elabrar diagramas eletrônics, unifilares, esquemátics e utrs, cm base em nrmas internas da Assciaçã Brasileira de Nrmas Técnicas (ABNT); - Elabrar desenhs arquitetônics de salas, instalações, entradas e utrs, aplicand seus cnheciments estétic-funcinais sbre materiais e prcesss de fabricaçã, verificand prcesss de manutençã e segurança; - Cntrlar arquiv de desenhs e plantas, rdenand-s de acrd cm sistema de classificaçã vigente, visand facilitar cnsulta e evitar dans e extravis das dcumentações; - Executar utras atividades crrelatas à funçã.

13 C.B.O.: Códig: 306 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Técnic Industrial de d Carg DESENHISTA PROJETISTA d Carg Categria Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) III 2023E E IV 2024F F V 2025G G 2 º Grau Cmplet VI 2026H H I 2031E E 2 º Grau Técnic II 2032F F Cmplet III 2033G G (Curs Técnic Em IV 2034H H Edificações) Cpiar tabelas, diagramas, esquemas, gráfics, prjets de bras civis, instalações, equipaments e utrs, guiand-se pel riginal de plantas e crquis, bservand slicitações e instruções pertinentes e empregand pantógraf, cmpass, esquadrs e demais instruments de desenh, visand subsidiar ns trabalhs executads pelas áreas da Empresa; Ampliar u reduzir tabelas, gráfics, rgangramas, diagramas e utrs desenhs, baseand-se em crquis, esbçs u instruções; Efetuar crreções em prjets, plantas e utrs desenhs já estruturads, selecinand instruments e materiais necessáris; Efetuar desenhs em perspectivas e sb váris ânguls, bservand medidas características e utras antações técnicas, para permitir visã cmpleta das ferramentas, equipaments e demais prduts a serem fabricads; Elabrar cartazes, lgtips, placas de identificaçã, desenhs de móveis, letreirs e utrs; Desenhar transparências, cm base em dads frnecids pels técnics da área, para auxiliar s mesms em curss e palestras; Elabrar desenhs técnics referentes a mntagem, instalações, funcinament, utilizaçã, cnservaçã e repar de máquinas e equipaments; Elabrar diagramas eletrônics, unifilares, esquemátics e utrs, cm base em nrmas internas da Assciaçã Brasileira de Nrmas Técnicas (ABNT); Elabrar desenhs arquitetônics de salas, instalações, entradas e utrs, aplicand seus cnheciments estétic-funcinais sbre materiais e prcesss de fabricaçã, verificand prcesss de manutençã e segurança; Cntrlar arquiv de desenhs e plantas, rdenand-s de acrd cm sistema de classificaçã vigente, visand facilitar cnsulta e evitar dans e extravis das dcumentações; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

14

15 C.B.O.: Códig: 307 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de ELETRICISTA DE LINHA DE TRANSMISSÃO d Carg d Carg Categria Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) I 2011B B 1 º Grau Cmplet II 2012C C III 2013D D Curs De Capacitaçã IV 2014E E Técnica I 2021C C 2 º Grau Técnic II 2022D D Cmplet III 2023E E (Curs Técnic Em Edificações) Executar serviçs de cnstruçã e manutençã preventiva, crretiva e/u de emergência em linhas, ramais e barraments de usinas e subestações; Executar a limpeza de faixas de servidã e estradas de acess, bras de arte, pdas e derrubadas de árvres, instalações e repars de prteiras, clchetes e cercas; Executar serviçs de prteçã a sl, tais cm: desvi de água, cntensã de ersã, cnstruçã de murs de arrim e extinçã de frmigueirs; Efetuar ensais de resistividade d sl e resistência ôhmica de estrutura metálica; Executar inspeçã prgramada u de emergência terrestre e aérea em linhas de transmissã, verificand a necessidade de repars, bservand estad geral da faixa de servidã; Identificar e prvidenciar materiais adequads para realizaçã das manutenções nas linhas de transmissã; Executar a manutençã em linhas de transmissã energizadas e desenergizadas, envlvend: retirada e instalaçã de barraments, aterraments móveis, trca de cnectres, abertura e fechament de jumper; Efetuar cntrle de estque de material d setr, a fim de registrar entrada e saída de material; Efetuar cmissinament de linha de transmissã, fiscalizand estad de determinads equipaments, visand seguir nrmas d manual de cmissinament; Executar e realizar emendas de cntrapes nas estruturas de linhas de transmissã, aterrament e seccinament de cercas de fazendas que cruzam as linhas, visand a segurança d lcal; Elabrar relatóris sbre resultads das inspeções efetuadas; Dirigir veículs da Empresa para transprte de equipes, equipaments e materiais de trabalh; Preparar material adequad para s diverss tips de serviçs prgramads, retirand bastões e varas de manbras, efetuand sua limpeza, verificand cndições delimitações mecânicas e elétricas das ferramentas a serem utilizadas, cnfrme as tabelas e nrmas de utilizaçã; Fiscalizar s serviçs de rç em linhas de transmissã, bservand altura ds mesms de

16 acrd cm limite estabelecid, cm a finalidade de preservar a segurança d sistema; Efetuar cntrle de estque de material d setr, preenchend frmulári própri, a fim de registrar entrada e saída de material; Numerar e identificar estruturas; Pintar e eliminar ferrugens; Prestar api às demais equipes da Empresa n que diz respeit a serviçs que exijam habilidades e cnheciments de cnstruçã e manutençã de LTs desenergizadas; Recuperar bastões e utrs materiais de fibra de vidr, fixand-s, aplicand silicne, verniz de brilh e restauradr de rupturas, bjetivand deixar estes materiais em perfeit estad para segurança ds usuáris; Fazer mediçã de áreas desmatadas em faixas de linhas de transmissã, atuand cm fiscal; Efetuar testes de arrancaments em "estais" das estruturas, utilizand termômetr de tensã, cm bjetiv de dar esfrç n cas de sediments e fiscalizar retensinament; Zelar pela cnservaçã, cntrle, armazenament e limitações elétricas e mecânicas ds equipaments e materiais e a utilizaçã adequada ds veículs de transprte de pessas e materiais utilizads; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

17 C.B.O.: Códig: 308 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de d Carg ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO d Carg Categria Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) I 2011B B 1 º Grau Cmplet II 2012C C III 2013D D Curs De Capacitaçã IV 2014E E Técnica I 2021C C 2 º Grau Técnic II 2022D D Cmplet III 2023E E (Curs Técnic Em Edificações) Executar manutençã crretiva, preventiva e/u emergencial em: geradres, mtres, transfrmadres, disjuntres, seccinadras, pára-rais, equipaments elétrics de ptência, equipaments e instruments de mediçã e cntrle de usinas, subestações, sistemas de transmissã e distribuiçã, de acrd cm prgramações estabelecidas pela Empresa; Realizar cnservaçã e prvidenciar as ferramentas e instruments de ensai e testar equipaments para atendiments ds serviçs de manutençã; Realizar testes e ensais elétrics para aceitaçã e recebiment de nvs equipaments, instruments e instalações da usina e subestações; Acmpanhar e cntrlar a manutençã e peraçã ds sistemas, através de preenchiment de frmuláris específics; Executar inspeções prgramadas e/u emergenciais em usinas e/u subestações, para detectar e crrigir defeits e anrmalidades ds sistemas elétrics; Executar manutenções crretivas em sistemas de cntrle, cmand e prteçã de quadrs de cntrles de mtres e/u ns circuits de cmands elétrics ds equipaments de ptência das subestações e/u usinas; Executar manutençã crretiva em baterias e banc de baterias, circuits de alimentaçã para manter a cntinuidade de peraçã ds sistemas de usinas e subestações; Instalar e efetuar a manutençã de linhas, circuits de luz e frça, separand, substituind e fixand tmadas, interruptres, fusíveis, lâmpadas e reatres, quadrs e acessóris; Dirigir veículs da Empresa para execuçã de serviçs; Executar utras atividades crrelatas à funçã

18 C.B.O.: Códig: 341 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO PREDIAL d Carg d Carg Categria I 2011B B II 2012C C Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet Efetuar a manutençã nas instalações elétricas, redes de alta e baixa tensã, cabines de frça, quadrs e utrs, instaland e refrmand aparelhs de ar cndicinad, para funcinament adequad d sistema elétric ds edifícis da Empresa; Efetuar a manutençã preventiva de mtres, transfrmadres, disjuntres, reatres, equipaments elétrics em geral, sistemas de cmand, sinalizaçã e prteçã; Efetuar estuds detalhads das necessidades de demanda e levantament das características ds equipaments em funcinament a fim de dimensinar as alterações na rede e instalações elétricas; Zelar pel funcinament adequad d sistema elétric ds edifícis da Empresa, bservand s prjets executivs de eletricidade, dirimind dúvidas cm s engenheirs, bservand s detalhes de segurança n trabalh e prpnd mdificações necessárias; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

19 C.B.O.: Códig: 309 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de ELETRICISTA DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO d Carg d Carg Categria Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) I 2011B B 1 º Grau Cmplet II 2012C C III 2013D D IV 2014E E Curs De Capacitaçã Técnica Assistente Técnic de I 2021C C 2 º Grau Cmplet II 2022D D Curs De Capacitaçã III 2023E E Técnica Executar mntagem e desmntagem de linhas e redes de distribuiçã e equipaments envlvids; Executar a manutençã em redes de linhas de distribuiçã de energia elétrica: instalaçã de transfrmadres, cndutres, chaves, medidres e cnsert de rede primária; Executar a manutençã preventiva e emergência em redes de distribuiçã secundárias e n sistema de iluminaçã pública, cm: substituiçã de els fusíveis, cartuchs, chaves, isladres, lâmpadas, relés e reatres; Executar serviçs de filtragem de óle e ensai de rigidez dielétrica; Verificar leitura de medidres de energia, atendend reclamações de cnsumidres; Executar serviçs de suspensã d frneciment, religaçã de unidades cnsumidras em baixa tensã; Dirigir veículs da Empresa para execuçã de serviçs; Executar serviçs de instalaçã e manutençã d sistema de sinalizaçã de trânsit urban, fazer trcas de sinalizaçã autmática manual, quand necessári; Cumprir nrmas e instruções técnica de segurança estabelecidas pela Empresa; Mntar tip de estrutura indicada cm materiais frnecids pr elements auxiliares, desmnta estruturas a serem substituídas, aperta cnexões, estica cndutres, encabeça cndutres ns isladres; Instalar e substituir medidres de baixa tensã e mntagens de equipaments, tais cm: religadres, transfrmadres, cubículs de mediçã e chaves magnéticas; Executar pequens cnserts de rede primária, cm: trca de isladres, pára-rais, chaves uniplares e chaves fusíveis; Verificar as cndições de instalações de nvs medidres, bem cm a existência u nã de iluminaçã ds mesms; Executar retificaçã e atualizaçã de endereç de cnsumidres; Subir em pste, desligar circuit para executar trabalh em linha desenergizada, aterrar circuits para evitar acidentes na linha, instala tubulações, ligações subterrâneas, ligações aéreas e religaçã de circuits, após a cnclusã ds trabalhs prgramads; Efetuar instalaçã de chaves, relés ftelétrics e magnétics e trca els fusíveis;

20 Executar serviçs em subestações de cnsumidres primáris cm a respectiva instalaçã u retirada, aferiçã e inspeçã final ds medidres, em baixa e alta tensã; Atender reclamações de cnsumidres, aprvar ligações mnfásicas e bifásicas e cmunicar a cnsumidr sbre irregularidade encntradas nas instalações particulares; Inspecinar redes e linhas a prcura de defeits para a manutençã preventiva, mede cargas e tensões de transfrmadres de distribuiçã e lcaliza defeits em alimentadres nas redes de alta e baixa tensã; Efetuar leitura de medidres de demanda e energia ativa kw/kwh e energia reativa kwarh, mediçã em alta tensã; Inspecinar medidres de demanda e energia ativa kw/kwh, tip acumulativ e transfrmadres de crrente TC.s (mediçã em baixa e alta tensã); Efetuar e interpretar a leitura de diagramas unifilares de instalações elétricas das unidades cnsumidras; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

21 C.B.O.: ESPECIALISTA DE MANUTENÇÃO DE LINHA DE TRANSMISSÃO Códig: 310 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de d Carg d Carg Categria V 2015F F VI 2016G G VII 2017H H IV 2024F F V 2025G G VI 2026H H Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet 2 º Grau Cmplet Executar mntagem e desmntagem de linhas e redes de distribuiçã e equipaments envlvids; Executar a manutençã em redes de linhas de distribuiçã de energia elétrica: instalaçã de transfrmadres, cndutres, chaves, medidres e cnsert de rede primária; Executar a manutençã preventiva e emergência em redes de distribuiçã secundárias e n sistema de iluminaçã pública, cm: substituiçã de els fusíveis, cartuchs, chaves, isladres, lâmpadas, relés e reatres; Executar serviçs de filtragem de óle e ensai de rigidez dielétrica; Verificar leitura de medidres de energia, atendend reclamações de cnsumidres; Executar serviçs de suspensã d frneciment, religaçã de unidades cnsumidras em baixa tensã; Dirigir veículs da Empresa para execuçã de serviçs; Executar serviçs de instalaçã e manutençã d sistema de sinalizaçã de trânsit urban, fazer trcas de sinalizaçã autmática manual, quand necessári; Cumprir nrmas e instruções técnica de segurança estabelecidas pela Empresa; Mntar tip de estrutura indicada cm materiais frnecids pr elements auxiliares, desmnta estruturas a serem substituídas, aperta cnexões, estica cndutres, encabeça cndutres ns isladres; Instalar e substituir medidres de baixa tensã e mntagens de equipaments, tais cm: religadres, transfrmadres, cubículs de mediçã e chaves magnéticas; Executar pequens cnserts de rede primária, cm: trca de isladres, pára-rais, chaves uniplares e chaves fusíveis; Verificar as cndições de instalações de nvs medidres, bem cm a existência u nã de iluminaçã ds mesms; Executar retificaçã e atualizaçã de endereç de cnsumidres; Subir em pste, desligar circuit para executar trabalh em linha desenergizada, aterrar circuits para evitar acidentes na linha, instala tubulações, ligações subterrâneas, ligações aéreas e religaçã de circuits, após a cnclusã ds trabalhs prgramads; Efetuar instalaçã de chaves, relés ftelétrics e magnétics e trca els fusíveis; Executar serviçs em subestações de cnsumidres primáris cm a respectiva instalaçã u retirada, aferiçã e inspeçã final ds medidres, em baixa e alta tensã; Atender reclamações de cnsumidres, aprvar ligações mnfásicas e bifásicas e cmunicar a cnsumidr sbre irregularidade encntradas nas instalações particulares;

22 Inspecinar redes e linhas a prcura de defeits para a manutençã preventiva, mede cargas e tensões de transfrmadres de distribuiçã e lcaliza defeits em alimentadres nas redes de alta e baixa tensã; Efetuar leitura de medidres de demanda e energia ativa kw/kwh e energia reativa kwarh, mediçã em alta tensã; Inspecinar medidres de demanda e energia ativa kw/kwh, tip acumulativ e transfrmadres de crrente TC.s (mediçã em baixa e alta tensã); Efetuar e interpretar a leitura de diagramas unifilares de instalações elétricas das unidades cnsumidras; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

23 C.B.O.: Códig: 311 Cargs que Cntém a Funçã Auxiliar Técnic de Assistente Técnic de ESPECIALISTA DE MANUTENÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO d Carg d Carg Categria V 2015F F VI 2016G G VII 2017H H IV 2024F F V 2025G G VI 2026H H Requisits d Carg Esclaridade (Frmaçã) 1 º Grau Cmplet 2 º Grau Cmplet Executar serviçs especializads de manutençã de rede de distribuiçã de acrd cm as nrmas especificas, bservand as cndições de funcinament d sistema; Executar ensais, testes e estuds de viabilidade cnstrutiva em redes e linhas de distribuiçã; Executar trabalhs de levantament ds níveis de tensã ds alimentadres da rede de distribuiçã; Executar s serviçs de levantament e inspeçã de cablagem, psteaçã e equipaments, classe de tensã 15kv, cnfrntand cm dcuments específics; Efetuar cntrle da retirada de peraçã de equipaments, redes e linhas de distribuiçã, atualizand mapas, diagramas unifilares e trifílares; Verificar material utilizad em camp, bservand dispst n prjet da bra, para bter cntrle da quantidade utilizada, cnfrme especificad n referid prjet; Slicitar desligament das redes de alta tensã, preenchend frmulári própri, visand autrizar a execuçã de serviçs nas linhas de distribuiçã; Emitir relatóris sbre atendiment a cnsumidres em tensã primária u secundária e utrs relatóris sbre a rede de distribuiçã elétrica; Executar serviçs de manutençã em redes e linhas de distribuiçã energizada, tais cm: substituiçã de estruturas, cruzetas, isladres, chaves fusíveis, chaves faca e a óle uniplares e triplares, transfrmadres, religadres, pára-rais, reguladres de tensã, bem cm a peraçã de guindaut e de equipaments e veículs especiais para trabalhs em redes e linhas de distribuiçã; Fiscalizar bras de redes de distribuiçã, verificand em camp a execuçã ds serviçs, a fim de manter a qualidade e cumpriment ds trabalhs ns prazs pré-determinads; Fiscalizar bras de redes de distribuiçã cnstruídas pr terceirs, verificand a qualidade d material utilizad e serviç executad, visand cumpriment das nrmas da Empresa; Inspecinar serviçs de iluminaçã pública, bservand em camp, material utilizad e serviçs executads, visand manter perfeit funcinament e qualidade de iluminaçã; Cntrlar númer de pessal pr hra trabalhada das empreiteiras, verificand serviçs executads nas bras, visand liberaçã de faturas para pagament, bem cm cntrle d andament da bra de redes de distribuiçã; Analisar e acmpanhar prjets a serem executads em redes de distribuiçã, verificand

24 em camp cndições e viabilidade ds serviçs e material a ser aplicad, bem cm s órgãs externs que deverã acmpanhar s serviçs, a fim de viabilizar sua execuçã; Realizar a aplicaçã ds cabs reunids, verificand em camp, seu lançament, bem cm a utilizaçã de materiais necessáris e a saída ds alimentadres; Verificar crrências surgidas nas bras, participand de reuniões cm fiscais, visand tmar as devidas prvidências para andament ds serviçs; Acmpanhar desempenh d sistema elétric, através ds índices de cnfiabilidade, identificand as deficiências e sugerind recurss a serem mbilizads na melhria desses índices; Elabrar priridades de atendiment a cnsumidres envlvids nas cntingências estabelecidas para sistema elétric; Efetuar s carregaments ds circuits alimentadres durante a cntingência, estabelecend critéris a serem adtads, visand timizá-ls; Avaliar e prjetar as necessidades de nvs circuits secundáris, cresciment ds existentes u ampliaçã da capacidade de cargas ds circuits das áreas em estuds; Analisar prjets de redes e subestações particulares, bservand nível de curt circuit, visand interligaçã desses cnsumidres cm sistema da Empresa; Simular sistema de maneira a definir as prváveis deficiências, tais cm: carregament de alimentadres e subestações, perdas, quedas de tensã e utrs; Estudar e acmpanhar a aplicaçã de equipaments para a cmpulsã de reativs em rede de distribuiçã; Executar utras atividades crrelatas à funçã.

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS

ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE SANTA EFIGÊNIA DE MINAS AUXILIAR DE SECRETARIA Organizar e manter atualizad serviç de escrituraçã esclar. Redigir fícis, expsições de mtivs, atas, declarações, certidões de cntagem

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 01 - Apoio Administrativo/ Serviços G. Índice

DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 01 - Apoio Administrativo/ Serviços G. Índice Índice DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grup Ocupacinal 01 - Api Administrativ/ Serviçs G 1. Almxarife 2. Assistente Administrativ 3. Assistente Cmercial 4. Assistente de Cmunicaçã Cmercial 5. Assistente de Dcumentaçã

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO HORIZONTE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2013 2ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO HORIZONTE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2013 2ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2013 2ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL O Prefeit de Alt Hriznte, n us de suas atribuições legais, trna públic, para cnheciment ds interessads, a 2ª retificaçã d Edital de Cncurs Públic nº

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 03 - Profissional de Nív. Índice

DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grupo Ocupacional 03 - Profissional de Nív. Índice Índice DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Grup Ocupacinal 03 - Prfissinal de Nív 92. Advgad 93. Analista Administrativ 94. Analista Cmercial 95. Analista Cntábil 96. Analista de Dcumentaçã 97. Analista Ecnômic Financeir

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO:

5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5. PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO: 5.1 INTRODUÇÃO A rganizaçã da manutençã era cnceituada, até há puc temp, cm planejament e administraçã ds recurss para a adequaçã à carga de trabalh esperada.

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PIAUÍ. PROJETO OTIMIZAR Plano do Programa 1. Escp u finalidade d prjet PROJETO OTIMIZAR Plan d Prgrama O Prjet Otimizar visa aprimrar ações implantadas que têm pr bjetiv a reduçã de cnsum de materiais e criar mecanisms de avaliaçã que pssam medir

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO

Anexo 01 - Mapeamento Documentos ISO. Mapeamento dos Documentos ISO. Pasta/ forma Sala Supervisão. Pasta documentos da ISO Item 01 02 03 04 05 06 Refere a dcument PQN-02 PQN-02 07 PQN-05 08 09 10 Identificaçã Nme d registr Cntrle de emissã e distribuiçã de dcuments Matriz ds registrs da qualidade Ficha de cntrle de atualizações

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Informações mínimas necessárias à Elaboração e Apresentação dos Projetos e Orçamentos dos Empreendimentos PNHR

Informações mínimas necessárias à Elaboração e Apresentação dos Projetos e Orçamentos dos Empreendimentos PNHR Infrmações mínimas necessárias à Elabraçã e Apresentaçã ds Prjets e Orçaments ds Empreendiments PNHR 1) Frmataçã sugerida para s Cabeçalhs: Exempl de Títul: "Planta Baixa para mradias rurais d Prgrama

Leia mais

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA

MASTERCOMP ESCOLA DE INFORMÁTICA www.mastercmp.net 1 www.mastercmp.net www.mastercmp.net INFORMAÇO ES ADICIONAIS DO CURSO DE PROMODEL E MS PROJECT Prgramaçã: Carga hrária: 32 Hras Lcal: Sã Sebastiã d Paraís MG Prgramas usads n curs: MS

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas

CURSO NOVA NBR 5419 Proteção contra Descargas Atmosféricas CURSO NOVA NBR 5419 Prteçã cntra Descargas Atmsféricas Públic alv: Engenheirs eletricistas e eletrônics, técnics em eletricidade, prje6stas de sistemas elétrics, eletrônics, de telecmunicações e de cntrle

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP)

Termo de Referência para Elaboração do Relatório Ambiental Prévio (RAP) Term de Referência para Elabraçã d Relatóri Ambiental Prévi (RAP) O Relatóri Ambiental Prévi é um estud técnic elabrad pr um prfissinal habilitad u mesm equipe multidisciplinar que ferece elements para

Leia mais

Sistema de Gestão de BPM

Sistema de Gestão de BPM 1/13 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Curs Prfissinal de Técnic Auxiliar de Saúde Planificaçã Anual de Higiene, Segurança e Cuidads Gerais An Letiv 2014/2015 Códig Módul Cnteúds - - Apresentaçã 17/09/14 - - Avaliaçã Diagnóstica Inicial 6572

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Infrmática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróle e Gás Objetiv: Elabrar e desenvlver um prjet na área prfissinal,

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios:

Requerimentos de Energia Temporária: Requerimentos Mandatórios: Requeriments de Energia Temprária: Requeriments Mandatóris: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg deverá ser

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira

A atuação do Síndico Profissional é a busca do pleno funcionamento do condomínio. Manuel Pereira A atuaçã d Síndic Prfissinal é a busca d plen funcinament d cndmíni Manuel Pereira Missã e Atividades Habilidade - Cnhecems prfundamente a rtina ds cndmínis e seus prblemas administrativs. A atuaçã é feita

Leia mais

12. PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PARA ECONOMIA DE ENERGIA

12. PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PARA ECONOMIA DE ENERGIA 12. PROCEDIMENTOS DE MANUTENÇÃO PARA ECONOMIA DE ENERGIA 12.1 MANUTENÇÃO: ELEMENTO CHAVE PARA A UTILIZAÇÃO RACIONAL DE ENERGIA Um prgrama bem elabrad de manutençã é um pnt imprtante de qualquer plítica

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company.

SUMÁRIO. A Stavale & CCT oferece treinamentos abertos e in company. A Stavale & CCT ferece treinaments aberts e in cmpany. Clabradres mais qualificads e empresa mais lucrativa. Sluções mais rápidas e efetivas. Treinaments custmizads para sua empresa. Dispms de sala cm

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2015 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 2.1. Organgrama... 4 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3.

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvlviment de Sistemas 3ª série Fundaments de Sistemas Operacinais A atividade prática supervisinada (ATPS) é um métd de ensinaprendizagem desenvlvid

Leia mais

Anexo 3 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS NÃO CLÍNICOS

Anexo 3 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS NÃO CLÍNICOS ANEXO DO CONTRATO Anex 3 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS SERVIÇOS NÃO CLÍNICOS Outubr - 2012 Sumári 1. OBJETIVOS... 3 2. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 6 3. OBRIGAÇÕES GERAIS DA CONCESSIONÁRIA COMUNS A TODOS OS SERVIÇOS8

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

1ª EDIÇÃO. Regulamento

1ª EDIÇÃO. Regulamento 1ª EDIÇÃO Regulament 1. OBJETIVO O Prêmi BRASILIDADE é uma iniciativa d Serviç de Api às Micr e Pequenas Empresas n Estad d Ri de Janeir SEBRAE/RJ, idealizad pr Izabella Figueired Braunschweiger e cm a

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00

UHE SANTO ANTONIO. MARGEM ESQUERDA Análise crítica: Guilherme Todt S D- RT- 0063-13 00 UHE SANTO ANTONIO Titul: Dcument N. Rev. RELATÓRIO DE DESMOBILIZAÇÃO DO 3 MODULO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTE (ETE)- S D- RT- 0063-13 00 Elabraçã: Tarcis Camil MARGEM ESQUERDA Análise crítica:

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução

Boletim Comercial. Tema: BC003 Plano de Disponibilidade Ilimitada de Recursos UV. Introdução Bletim Cmercial Tema: BC003 Plan de Dispnibilidade Ilimitada de Recurss UV Intrduçã Sistemas de cura UV sã cada vez mais presentes em indústrias que imprimem grandes vlumes de materiais, independente d

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016

GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016 GRADE CURSO CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE PINTURA DE CAVALETE 2016 Módul l CIENCIAS EMPRESARIAIS ORGANIZAÇÃO APRESENTAÇÃO PESSOAL - DOCUMENTAÇÃO 05 de Març Sábad Das 9 às 17h Apresentaçã d curs Sbre lcal de

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES Autmaçã Predial e Segurança Patrimnial - Cndições para Frneciment OBRA: CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES Pasta: cyrella_metrplitan-pr-cf-1-0-2012.dc DATA: 14/05/2012 0 Emissã de Cndições para Frneciment

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

Plano Básico Ambiental

Plano Básico Ambiental Estaleir e Base Naval para a Cnstruçã de Submarins Cnvencinais e de Prpulsã Nuclear Plan Básic PBA Seçã II. Prjet 4. Subprjet. Centr de Mnitrament Estaleir e Base Naval para a Cnstruçã de Submarins Cnvencinais

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Crss Cuntry: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

Gerenciamento do Escopo

Gerenciamento do Escopo Pós-graduaçã Gestã Empresarial Módul GPE Gestã de Prjets Empresariais Prf. MSc Jsé Alexandre Mren prf.mren@ul.cm.br agst_setembr/2009 1 Gerenciament d Escp 3 Declaraçã d escp Estrutura Analítica d Prjet

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas

Gestão de SHST e Ambiente. Regras de Qualidade, Ambiente e Segurança aplicáveis às entidades externas 1 / 7 I. OBJETIVO E ÂMBITO Este dcument estabelece as regras de Segurança n Trabalh e Ambiente aplicáveis a entidades que venham a desenvlver actividades dentr da RESIESTRELA, em regime de cntrat, prestaçã

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão

SIG Sistema Integrado de Gestão SIG Sistema Integrad de Gestã SIGRH -Sistema Integrad de Gestã de Recurss Humans Gustav Bertld Quatrin Deivid Firin Agenda Cntextualizaçã Visã Geral ds seguintes sistemas: SIPAC, SGPP, SIGAA, SIGADMIN,

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA

MODIFICAÇÕES AO ORÇAMENTO DA DESPESA ENTIDADE MDIFICAÇÕES A RÇAMENT DA Pagina: 1 TTAL DE ALTERAÇÕES : 13 CMVC TTAL DE REVISÕES : 2 D AN CNTABILISTIC DE 2014 ATÉ À DATA : 2014/12/31 IDENTIFICAÇÃ DAS RUBRICAS MDIFICAÇÕES RÇAMENTAIS DTAÇÕES

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências

O desafio da regulação econômico-financeira dos operadores públicos de serviços de saneamento básico no Brasil: primeiras experiências O desafi da regulaçã ecnômic-financeira ds peradres públics de serviçs de saneament básic n Brasil: primeiras experiências Karla Bertcc Trindade VI Fr Iber American de Regulación 11/11/2013 - Mntevide,

Leia mais

Requerimentos para Energia Temporária: Requerimentos para práticas de trabalho:

Requerimentos para Energia Temporária: Requerimentos para práticas de trabalho: Requeriments para Energia Temprária: Requeriments para práticas de trabalh: Adtar s requeriments mínims definids n Códig Básic da Iniciativa Ética Cmercial (IEC) / Ethical Trading Initative (ETI): O empreg

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso

CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estudo de Caso CONTROLE INTERNO NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA: Um Estud de Cas Camila Gmes da Silva 1, Vilma da Silva Sant 2, Paul César Ribeir Quintairs 3, Edsn Aparecida de Araúj Querid Oliveira 4 1 Pós-graduada em

Leia mais

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno

Lista de verificação do conteúdo do Plano de Emergência Interno Intrduçã Lista de verificaçã d cnteúd d Plan de Emergência Intern (artig 18.º d Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh) O Decret-Lei n.º 254/2007, de 12 de julh, estabelece regime de prevençã de acidentes

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABATE E DESRAME DE ÁRVORES 2 DESCRIÇÃO As tarefas de abate e desrame de árvres estã habitualmente relacinadas cm s seguintes trabalhs Levantaments

Leia mais

Definir e padronizar os procedimentos para o planejamento e a execução de atividades de cerimonial no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre.

Definir e padronizar os procedimentos para o planejamento e a execução de atividades de cerimonial no âmbito do Poder Judiciário do Estado do Acre. Códig: MAP-SERPU-001 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Secretaria de Relações Públicas e Cerimnial Aprvad pr: Presidência 1 OBJETIVO Definir e padrnizar s prcediments para planejament e

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade.

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade. Sistema de Gestã de Prcesss Sistema de Gestã da Qualidade Utilizaçã ds Serviçs de Bibliteca 1- Objetiv Orientar e apiar a utilizaçã ds serviçs de Bibliteca pr parte d crp dcente, discente e cmunidade.

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: ELETRICISTA DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELETRICA - PRONATEC 200 hras ÁREA: ENERGIA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CETEC - Araguaína

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal;

O fornecedor deverá maximizar o uso de tintas, vernizes e adesivos a base de água ou óleo vegetal; Requeriments de Obstáculs Hipism Salts: Requeriments Mandatóris: Tda madeira e demais prduts flrestais utilizads devem ser cmpsts de fibra reciclada (us n pós-cnsum) u vir de fntes legais e respnsáveis,

Leia mais

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC)

III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) 1 III.3. SISTEMAS HÍBRIDOS FIBRA/COAXIAL (HFC) III.3.1. DEFINIÇÃO A tecnlgia HFC refere-se a qualquer cnfiguraçã de fibra ótica e cab caxial que é usada para distribuiçã lcal de serviçs de cmunicaçã faixa

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seçã 1. Pág. 20 Cmpnente Curricular: ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Códig: ENF-219 Pré-requisit: Nenhum

Leia mais