2017 1º Trimestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2017 1º Trimestre. Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Estatísticas criminais do estado de São Paulo"

Transcrição

1 017 1º Trimestre Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo Estatísticas criminais do estado de São Paulo

2 SUMÁRIO Letalidade Violenta > APRESENTAÇÃO... > PRODUÇÃO DAS ESTATÍSTICAS CRIMINAIS...4 > PRINCIPAIS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE > LETALIDADE VIOLENTA...7 > CRIMES VIOLENTOS...9 Homicídio doloso Latrocínio Estupro... 0 Roubo (outros)... 5 Roubo de veículo... > LETALIDADE E VITIMIZAÇÃO POLICIAL...7 Participação das mortes por policiais na letalidade violenta... 8 Pessoas mortas e feridas pelas polícias Pessoas mortas pelas polícias versus policiais mortos Policiais mortos e feridos Distribuição espacial das mortes decorrentes de oposição à intervenção policial... 4 Perfil das vítimas de mortes decorrentes de oposição à intervenção policial no estado > ATIVIDADE POLICIAL...51 Apreensão de armas Prisões Autos de apreensão adolescentes em conflito com a lei... 0 Instauração de inquéritos... 4 > CONSIDERAÇÕES FINAIS...9 LISTA DE SIGLAS E ABREVIAÇÕES BO Boletim de ocorrência CAP Coordenadoria de Análise e Planejamento Deinter Departamento de Polícia Judiciária do Interior DP Distrito policial LAI Lei de Acesso à Informação MDOIP Morte decorrente de oposição à intervenção policial SDP Instituto Sou da Paz SSP/SP Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo

3 > > APRESENTAÇÃO Desde 01, o Instituto Sou da Paz analisa as estatísticas divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP/SP) com o objetivo de contribuir para a melhor compreensão da dinâmica criminal e atividades policiais em cada região do estado. A presente edição do Boletim Sou da Paz Analisa é dedicada à análise das estatísticas do 1º trimestre de 017, divulgadas pela SSP/SP em 7 de abril de 017. Além de considerar os dados oficiais da SSP/SP, as análises apresentadas também utilizam dados das Corregedorias das Polícias Civil e Militar do Estado de São Paulo publicados no Diário Oficial, informações dos boletins de ocorrência disponíveis no portal SSP Transparência 1 e dados obtidos via Lei de Acesso à Informação (LAI), fornecidos pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da SSP/SP. Apesar de nova redução dos homicídios dolosos no estado, o crescimento do número de vítimas da letalidade violenta foi um destaque negativo do 1º trimestre de 017, bem como o aumento dos estupros em todas as regiões. Por outro lado, os roubos de veículo registraram nova queda, o que indica consolidação de uma tendência positiva. Esta edição traz análises inéditas sobre estupros de vulneráveis, roubos de telefones celulares no estado e a natureza das prisões efetuadas nos diferentes distritos policiais da capital. Ainda que os roubos a pedestres tenham caído na capital, roubos de celular cresceram 7,% em relação ao 1º trimestre de 01. Em sete a cada dez roubos a pedestres registrados na capital, ao menos um dos objetos subtraídos foi um celular. Também chamou atenção o fato de que 100% das prisões em alguns dos distritos da cidade foram realizadas em flagrante. Esperamos que as análises aqui apresentadas contribuam para o debate público e auxiliem os gestores da área de segurança a desenvolverem políticas públicas que efetivamente reduzam a violência em nosso estado. 1. SSP Transparência. Disponível em Acesso: 15/05/017.

4 > > PRODUÇÃO DAS ESTATÍSTICAS CRIMINAIS As estatísticas oficiais sobre a criminalidade, atividades policiais, letalidade e vitimização policial no estado de São Paulo são publicadas trimestralmente no Diário Oficial do Estado e no site da SSP/SP, seguindo as determinações da lei 9.155/1995 (que obriga a publicação trimestral das informações) e a Resolução 11/001 (que trata sobre as fontes para coleta de dados). Os dados criminais e operacionais são fornecidos pelas Polícias Civil e Militar à Coordenadoria de Análise e Planejamento da SSP/SP (CAP), enquanto as informações acerca da letalidade e vitimização policial são produzidas pelas Corregedorias de Polícia no âmbito da Resolução 51/ A CAP realiza a publicação mensal e trimestral dessas informações tanto no Diário Oficial como no site da secretaria. Em setembro de 01, a SSP/SP publicou a Resolução 14/01 5, determinando que homicídios dolosos cometidos por policiais em serviço e fora de serviço, e assim classificados pelas Corregedorias, seriam contabilizados junto aos homicídios dolosos comuns no âmbito da resolução 11/001. Em contrapartida, as mortes decorrentes de intervenção policial cometidas por policiais em serviço ou fora que assim fossem classificadas pelas corregedorias seriam contabilizadas em quadro próprio, não sendo somadas aos homicídios dolosos comuns. Cabe destacar, ainda, que é competência do Delegado de Polícia a determinação da natureza da ocorrência. Esta natureza pode, por sua vez, ser alterada em um Boletim de Ocorrência (BO) complementar. De acordo com a Resolução SSP-10/001, BOs complementares que alteram a natureza do registro original devem ser computados de forma discriminada e em substituição ao boletim original, evitando a duplicidade de informações. O prazo para as delegacias contabilizarem informações complementares é definida pela Portaria DGP 1/001, que estabelece como prazo o 10 º dia do mês subsequente ao mês de registro da ocorrência, inclusive de vítimas de tentativa de homicídio que vêm a óbito posteriormente. Esporadicamente, a SSP/SP atualiza as estatísticas oficiais no Diário Oficial e Internet. 7 Em 4 de agosto de 01, foi publicada no Diário Oficial a Resolução SSP-88, que trouxe importantes mudanças em relação à divulgação de estatísticas criminais pela SSP/SP. 8 A resolução determinou a inclusão de dois novos indicadores criminais ao rol de estatísticas divulgadas trimestralmente, além de determinar para março de cada ano a divulgação do número consolidado de homicídios dolosos ocorridos no ano anterior no estado. Essa foi uma medida positiva, que sinaliza a intenção de ampliar a transparência e melhorar a qualidade das informações disponíveis ao público.. Lei 9.155/1995, de 15 de maio de Disponível em: Acesso: 15/05/017.. Resolução 11/001, de 08 de maio de 001. Disponível em: Acesso: 15/05/ Resolução SSP-51/000, de 15 de dezembro de 000. Disponível em: Acesso: 15/05/ Resolução SSP-14/01, de de setembro de 01. Disponível em: Acesso: 15/05/017.. Resolução 10/001, de 08 de maio de 001. Disponível em Acesso: 15/05/ Para mais informações sobre a produção e análise de estatísticas criminais em São Paulo, acesse: Manual de Interpretação, Secretaria da Segurança Pública Coordenadoria de Análise e Planejamento, 005. Disponível em: Acesso: 15/05/ Resolução SSP-88/01, de 4 de agosto de 01. Disponível em: Acesso: 15/05/017. 4

5 > > PRINCIPAIS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 017 Letalidade Violenta LETALIDADE VIOLENTA A letalidade violenta no estado de São Paulo cresceu 8% no 1º trimestre de 017, quando houve uma morte a cada 100 minutos. Policiais foram responsáveis por um terço das mortes na capital e um quinto delas no estado. Crimes Violentos 1 Morte a cada 100 minutos Os homicídios dolosos caíram 1,% no estado como um todo, mas cresceram significativamente na Grande São Paulo, que sofreu alta de 1,% de vítimas em comparação com o 1º trimestre de 01. Houve incremento nos casos de estupro em todas as macrorregiões. Na capital e na Grande São Paulo, o aumento chegou a quase 0% durante o período analisado. Em todas as regiões, os estupros de vulneráveis 9 representaram mais de 0% do total, ultrapassando 90% em alguns distritos policiais da capital. Os latrocínios (roubos seguidos de morte) aumentaram 5,1% em todo o estado frente ao primeiro trimestre de 01, atingindo o pior resultado dos últimos dez anos. ESTUPROS Houve incremento em todas as macrorregiões 0 % Os roubos de veículo diminuíram,4% no estado. CAPITAL GRANDE SP 9. Estupro de vulnerável é qualquer ato libidinoso com um menor de 14 anos, ou alguém que não possua o necessário discernimento para a prática do ato, seja por enfermidade ou deficiência mental, ou que não possa oferecer resistência, por qualquer outra causa (Art. 17-A do Código Penal, incluído pela Lei nº 1.015, de 07 de agosto de 009). 5

6 Letalidade e Vitimização Policial Policiais em serviço e fora de serviço foram responsáveis por 8 mortes no estado no 1º trimestre de 017. Considerando a proporção entre civis e policiais mortos em serviço e fora de serviço, a atuação policial no estado foi três vezes mais letal que no mesmo período de 01. Por outro lado, o volume de mortes de policiais em serviço e fora de serviço foi o menor para um trimestre desde o início de 014. Atividade Policial MORTES CAUSADAS POR POLICIAIS 8 MORTES NO ESTADO DE SP Verificou-se redução de armas apreendidas em todas as regiões do estado entre os primeiros trimestres de 01 e 017, seguindo uma tendência de queda consolidada. Não houve mudança no patamar de prisões efetuadas. Apesar de prevalecer a prisão em flagrante, o número de pessoas presas por mandado no primeiro trimestre de 017 foi o maior já verificado dos primeiros trimestres da última década. ARMAS APREENDIDAS Em alguns distritos da capital 100% das prisões efetuadas no primeiro trimestre de 017 foram em flagrante, enquanto em outras localidades o percentual de flagrantes representa menos de 0% das prisões REDUÇÃO EM TODAS AS REGIÕES DO ESTADO

7 > > LETALIDADE VIOLENTA a cada O número de vítimas de violência letal no estado cresceu no 1º trimestre de 017 em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram 97 vítimas a mais, ou três por dia. A cada minutos, uma pessoa foi morta no estado de São Paulo entre janeiro e março. minutos 1 Morte no estado de SP Letalidade violenta no estado de São Paulo PESSOAS MORTAS ESTADO Vítimas de homicídio doloso Variação,% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Vítimas de latrocínio ,% Lesão corporal seguida de morte Mortos pelas Polícias Civil e Militar em serviço (1) ,% (1) Morte decorrente de intervenção policial Polícia Civil e Militar em serviço. () Morte decorrente de intervenção policial Polícia Civil e Militar fora de serviço e homicídio doloso cometido por policial militar fora de serviço, com provável excludente de ilicitude. Fonte: SSP/SP e Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Mortos pelas Polícias Civil e Militar fora de serviço () Total de mortes violentas ,9% 8,1% 7

8 A participação das mortes cometidas por policiais no cômputo da letalidade violenta chegou a 18,1% no estado, contra 1,8% no 1º trimestre de Na capital, policiais foram responsáveis por 4% das mortes violentas. 10. Excluídos os homicídios dolosos sem excludente de ilicitude, contabilizados na rubrica homicídio doloso da SSP/SP. Houve três ocorrências em todo o estado no 1º trimestre de 017. Policiais foram responsáveis por 4 % das mortes violentas na capital Letalidade violenta por região ESTADO CAPITAL GRANDE SP INTERIOR Mortos pela Polícia Civil e Militar em serviço (1) Mortos pela Polícia Civil e Militar fora de serviço () Vítimas de lesão corporal seguida de morte Vítimas de latrocínio Vítimas de homicídio doloso 01 1º Tri 4,4% 1,4%,% 7,% 8,0% 01 1º Tri,0%,% 5,% 10,4% 01 1º Tri 8,0% 7,% 1,9% 7,%,% 01 1º Tri 84,8%,% 017 1º Tri 4,8% 1,% 0,9% 8,% 7,7% 11,4% 017 1º Tri,5% 0,% 9,7% 4,8% 017 1º Tri 10,9% 0,% 8,% 75,8% 1,0% 9,1% 1,5% 7,% 017 1º Tri 81,% 55,8% (1) Morte decorrente de intervenção policial Polícia Civil e Militar em serviço. () Morte decorrente de intervenção policial Polícia Civil e Militar fora de serviço e homicídio doloso cometido por policial militar fora de serviço, com provável excludente de ilicitude. Fonte: SSP/SP e Corregedorias das Polícias Civil e Militar. 8

9 > > CRIMES VIOLENTOS Cresceram os índices de três crimes que compõem a categoria Crimes violentos 11 da SSP/SP, em comparação com o 1º trimestre de 01. Os únicos crimes cujos registros caíram foram o homicídio doloso apesar de um acréscimo no número de vítimas e o roubo de veículo. 11. Compõem a categoria Crimes violentos da SSP/SP os seguintes delitos: homicídio doloso, latrocínio (roubo seguido de morte), extorsão mediante sequestro, roubo (outros) e roubo de veículo. Segundo a SSP/SP, o indicador foi criado com o objetivo de descrever a distribuição espacial e temporal apenas dos delitos que envolvem violência, uma vez que são aqueles que geram maior alarme social, que repercute de forma mais importante do ponto de vista do custo e da comoção social (Manual de Interpretação de Estatísticas de Criminalidade, SSP/SP, disponível em: Acesso: 15/05/017). Criminalidade violenta no estado CRIME Homicídio doloso (1) Variação -1,% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Latrocínio (1) ,1% Estupro ,5% Extorsão mediante sequestro 0,0% Roubo (outros) ,% Roubo de veículo ,4% (1) Considerando o total de ocorrências, não vítimas. Fonte: SSP/SP. Total ,% 9

10 Homicídio doloso O número de ocorrências de homicídio doloso caiu no estado no 1º trimestre de 017, mas houve registro de 5 vítimas a mais em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse aumento se explica pelo crescimento de 1,% de vítimas de homicídio na Grande São Paulo: vinte pessoas a mais por mês entre janeiro e março de 017. O maior aumento de vítimas (+1,%) que ocorrências (+5,4%) indica que houve homicídios múltiplos. +1,% +5,4% Homicídios múltiplos na Grande São Paulo Homicídio doloso por região REGIÃO Capital OCORRÊNCIAS 188 Variação -15,7% 01 1º Trimestre Grande São Paulo 185 5,4% 017 1º Trimestre Interior ,0% Estado ,% VÍTIMAS Variação Capital Grande São Paulo ,0% 1,% Interior ,0% Fonte: SSP/SP. Estado ,7% 10

11 Na capital, os homicídios caíram significativamente, de uma média mensal de 74, em 01, para ocorrências durante o 1º trimestre de 017. Além disso, os homicídios dolosos seguiram concentrados em áreas periféricas da cidade: dos 10 distritos policiais com mais ocorrências de homicídio doloso no 1º trimestre de 017, apenas um estava localizado na região central da capital (1º DP Sé). Dos 10 distritos com mais ocorrências de homicídio doloso, apenas 1 estava no centro 10 distritos policiais com mais homícidios dolosos 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre DISTRITO POLICIAL 9ºDP Parque Santo Antônio 100º DP Jardim Herculano 85º DP Jardim Mirna 90º DP Parque Novo Mundo 74º DP Jaraguá 54º DP Cidade Tiradentes 9º DP Teotônio Vilela 7º DP Jaçanã 47º DP Capão Redondo 1º DP Sé OCORRÊNCIAS Variação 11,1% 1,5% -7,% 75,0% 0,0% 0,0% 100,0% 00,0% -7,5% -8,% VÍTIMAS Variação Fonte: SSP/SP. 9ºDP Parque Santo Antônio 100º DP Jardim Herculano 85º DP Jardim Mirna 90º DP Parque Novo Mundo 74º DP Jaraguá 54º DP Cidade Tiradentes 9º DP Teotônio Vilela 7º DP Jaçanã 47º DP Capão Redondo 1º DP Sé ,% -9,1% -18,% 100,0% 0,0% 0,0% 100,0% 50,0% -44,4% -8,% 11

12 Dos 9 DPs, verificou-se queda dos índices de homicídio doloso em 9, manutenção em 4, e aumento em 0. Por um lado, houve destaques bastante positivos, como o 55º DP Parque São Rafael, sem nenhuma ocorrência, contra cinco no 1º trimestre de 01, e o 8º DP Lajeado, com uma ocorrência, contra seis no mesmo período. Por outro lado, alguns dos DPs que haviam registrado apenas um homicídio no 1º trimestre de 01 tiveram piora expressiva, como o 70º DP Vila Ema, onde ocorreram cinco homicídios dolosos entre janeiro e março de 017, e no 91º DP Ceagesp, com quatro casos. A única das três macrorregiões em que houve crescimento dos homicídios foi a Grande São Paulo. Metade dos 8 municípios que compõem a região teve piora em seus índices. Foi o º trimestre consecutivo em que se constatou aumento nos registros de homicídio doloso na Região Metropolitana. Os índices vinham caindo após o recrudescimento da violência letal na região no º semestre de 015, marcado pela ocorrência de chacinas como a de Osasco e Barueri, e voltaram a crescer a partir de meados de 01. É necessário continuar monitorando os dados nos próximos trimestres para verificar se o crescimento dos crimes contra a vida é de fato uma tendência na Grande São Paulo. Fonte: SSP/SP. Metade dos 8 municípios que compõem a região da Grande São Paulo teve piora em seus índices Distribuição espacial dos homicídios dolosos na capital º TRI Nenhuma ocorrência 1 ou ocorrências ou 4 ocorrências 5 ou ocorrências 7 ou 8 ocorrências Entre 9 e 11 ocorrências º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera 1 1

13 Os piores resultados se deram nos municípios de Barueri (00% de aumento, ou dez ocorrências a mais), Taboão da Serra (00%, ou quatro ocorrências a mais), Francisco Morato (1%, ou quatro ocorrências mais) e Diadema (100% de aumento, ou seis ocorrências a mais). Chamou atenção o caso de Guarulhos, com 19 ocorrências e vítimas a mais do que no 1º trimestre de 01, incremento que correspondeu a quase 40% do aumento verificado para a Região Metropolitana como um todo Segundo os boletins de ocorrência disponíveis no portal SSP Transparência da SSP/SP, houve cinco ocorrências em que mais de uma pessoa foi morta entre janeiro e março de 017 em Guarulhos. Três delas tiveram duas vítimas cada, e as demais somaram três e quatro vítimas cada. Quanto ao local dos fatos, três ocorreram na área de circunscrição do 9º DP, uma na área do 4º DP, e a outra na área do º DP. PIORES RESULTADOS Barueri Taboão da Serra Francisco Morato Diadema 10 municípios da Grande São Paulo com mais homicídios dolosos 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre MUNICÍPIO Guarulhos Barueri São Bernardo do Campo Osasco Diadema Carapicuíba Itaquaquecetuba Suzano Mauá Santo André OCORRÊNCIAS Variação 55,9% 00,0%,7% -18,8% 100,0% -15,4% 4,9% 80,0% 50,0% -18,% VÍTIMAS Variação Guarulhos 8 1 0,5% Barueri ,0% São Bernardo do Campo Osasco Diadema ,8% -17,% 11,7% Carapicuíba Itaquaquecetuba ,4% 57,1% Fonte: SSP/SP. Suzano Mauá Santo André ,0% 50,0% -18,% 1

14 No interior, a redução dos homicídios dolosos no 1º trimestre de 017 foi um destaque positivo, pois a região havia registrado incremento no número de ocorrências em 01. No Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter) 1 São José dos Campos, por exemplo, houve ocorrências a menos. Já os índices da região do Deinter 5 São José do Rio Preto pioraram novamente. Em 01, os homicídios dolosos na região cresceram 1,%. O Deinter Campinas também chamou atenção, com 11 ocorrências e vítimas a mais do que o registrado no 1º trimestre de 017. A diferença tão grande entre ocorrências e vítimas se deve à chacina registrada no primeiro dia do ano na cidade de Campinas, que deixou doze mortos Na ocasião, um homem invadiu uma festa de Réveillon e matou a ex-mulher, o filho e mais dez pessoas. Veja quem são as vítimas da chacina em festa de Réveillon em Campinas, Folha de São Paulo, Cotidiano, 01/01/07. Disponível em: goo.gl/gxjpki. Acesso: 15/05/017. Homicídio doloso por Deinter HOMICÍDIOS Deinter 1 São José dos Campos Deinter Campinas OCORRÊNCIAS Variação -5,5% 18,0% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Deinter 7 Sorocaba Deinter Ribeirão Preto Deinter 9 Piracicaba Deinter Santos Deinter 5 São José do Rio Preto Deinter 4 Bauru Deinter 8 Presidente Prudente Deinter 10 Araçatuba Total ,% -15,% -11,7%,% 7,5% -8,9% 50,0% -51,9% -5,0% VÍTIMAS Variação Deinter 1 São José dos Campos Deinter Campinas ,5%,1% Fonte: SSP/SP. Deinter 7 Sorocaba Deinter Ribeirão Preto Deinter 9 Piracicaba Deinter Santos Deinter 5 São José do Rio Preto Deinter 4 Bauru Deinter 8 Presidente Prudente Deinter 10 Araçatuba Total ,8% -15,9% -14,5%,% 7,5% -5,0% 4,% -51,9% -,% 14

15 Latrocínio Houve aumento de 5,1% das ocorrências de roubo seguido de morte no estado durante o primeiro trimestre de 017. O acréscimo mais significativo se deu na capital, onde foram registradas 11 ocorrências e 1 vítimas a mais no primeiro trimestre de 017 o pior resultado dos últimos dez anos em número de ocorrências e vítimas PIOR RESULTADO DOS ÚLTIMOS DEZ ANOS NA CAPITAL Latrocínio por região REGIÃO Capital OCORRÊNCIAS 4 Variação 47,8% 01 1º Trimestre Grande São Paulo 0 7 5,0% 017 1º Trimestre Interior 4 4,5% Estado ,1% VÍTIMAS Variação Capital 5 5,% Grande São Paulo 0 7 5,0% Interior 44,% Fonte: SSP/SP. Estado ,% 15

16 Latrocínios no estado de São Paulo Primeiros trimestres de 007 a Ocorrências Vítimas Fonte: SSP/SP

17 Cabe ressaltar que o roubo seguido de morte permanece um evento raro apenas um em 9 roubos culminou em um latrocínio, proporção que se manteve relativamente estável ao longo dos anos. 14 APENAS 1EM9 14. Número de latrocínios frente à soma de ocorrências de roubo (outros), roubo de veículo e latrocínio. ROUBOS CULMINOU EM MORTE Proporção de roubos que culminaram na morte da vítima no estado Primeiros trimestres de 007 a 017 0,11% 0,11% 0,11% 0,1% 0,10% 0,10% 0,10% 0,10% 0,09% 0,08% 0,08% Fonte: SSP/SP

18 Na capital, o aumento de latrocínios culminou num incremento de 5,% do total de vítimas de roubo seguido de morte entre os primeiros trimestres de 01 e 017. Entre os distritos com maior número de ocorrências de latrocínio, apenas sete registraram latrocínios em ambos primeiros trimestres analisados: º DP Itaquera, 7º DP Campo Limpo, 50º DP Itaim Paulista, 8º DP Lajeado, 89º DP Portal do Morumbi, 100º DP Jardim Herculano e 101º DP Jardim das Imbuias. Dez distritos policiais com mais latrocínios no 1º trimestre de º Trimestre 017 1º Trimestre DISTRITO POLICIAL 85º DP Jardim Mirna 8º DP Lajeado 49º DP São Mateus 5º DP Parque do Carmos 99º DP Campo Grande 50º DP Itaim Paulista º DP Itaquera 7º DP Campo Limpo 89º DP Portal do Morumbi 100º DP Jardim Herculano 101º DP Jardim Imbuias OCORRÊNCIAS Variação - 100,0% ,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% VÍTIMAS Variação Fonte: SSP/SP. 85º DP Jardim Mirna 8º DP Lajeado 49º DP São Mateus 5º DP Parque do Carmos 99º DP Campo Grande 50º DP Itaim Paulista º DP Itaquera 7º DP Campo Limpo 89º DP Portal do Morumbi 100º DP Jardim Herculano 101º DP Jardim Imbuias ,0% ,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 18

19 Enquanto no primeiro trimestre de 01 7 distritos policiais da capital não registraram nenhuma ocorrência de roubo seguido de morte, em 017 apenas 5 distritos não tiveram casos de latrocínio, o que indica além de um maior número de ocorrências, uma maior dispersão dessas pelo território da capital. 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre 7 distritos policiais da capital não registraram nenhuma ocorrência de roubo seguido de morte Fonte: SSP/SP. Apenas 5 distritos não tiveram casos de latrocínio Distribuição espacial das ocorrências de latrocínio na capital º TRI Nenhuma ocorrência Uma ocorrência Duas ocorrências Três ocorrências º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera 19 19

20 Estupro Os estupros registraram aumento de 7,5% no estado durante o 1º trimestre de 017. Enquanto o aumento no interior foi pouco expressivo (oito casos a mais), o cenário da capital e da Grande São Paulo é preocupante (+19,% e +18,%, respectivamente). Sete entre dez vítimas de estupro no estado eram menores de 14 anos e/ou pessoas portadoras de condições que as impediam de discernir ou oferecer resistência Art. 17-A do Código Penal, incluído pela Lei nº 1.015, de 07 de agosto de 009. Estupro por região REGIÃO Capital TOTAL Variação 19,% 01 1º Trimestre Grande São Paulo ,% 017 1º Trimestre Interior ,5% Estado ,5% Proporção de ocorrências de estupro de vulnerável em relação ao total por região 1º trimestre de 017 (1) Ocorrências totais de estupro Ocorrências de estupro de vulnerável Capital 1 Grande SP 507 Interior Estado.7 4,9% 4,5% 9,1% 7,% (1) O dado sobre estupro de vulnerável só passou a ser divulgado no segundo semestre de 01. Fonte: SSP/SP

21 Na capital, ainda que o resultado do 1º trimestre de 017 tenha sido pior que o do mesmo período de 01, ele interrompeu a sequência de alta verificada durante o ano passado. Estupros por região Interior 1.49 Capital Grande SP Trimestre: 1º º º 4º 1º º º 4º 1º º º 4º 1º Fonte: SSP/SP

22 Registros de estupro aumentaram em 49 dos 9 Distritos Policiais da capital. Em 17 DPs, houve mais que o dobro de ocorrências em relação ao 1º trimestre de 01. Destacam-se os casos do 10º DP Penha de França (1 ocorrências, contra três), 14º DP Pinheiros (dez ocorrências, contra duas), 7º DP Jardim Robru (oito, contra uma) e 77º DP Santa Cecília (sete, contra uma). Dos dez DPs com mais registros no 1º trimestre de 017, cinco foram da zona leste da cidade. Cabe destacar, ainda, que em determinados distritos, nove entre dez casos envolveram vítimas vulneráveis. Diante da subnotificação de ofensas sexuais, não é possível determinar se há mais estupros contra vulneráveis nessas áreas ou se a proporção é alta porque vítimas maiores de 14 anos notificam menos os crimes contra elas praticados. REGISTROS DE ESTUPRO Veja gráfico na próxima página 5,7% Aumento em 49 dos 9 distritos policiais da capital

23 10+ Dez Distritos Policiais com mais estupros no 1º trimestre de º Trimestre 017 1º Trimestre DISTRITO POLICIAL 47º DP Capão Redondo 50º DP Itaim Paulista 101º DP Jardim das Imbuias 4º DP Perus 7º DP Jaçanã 98º DP Jardim Miriam 8º DP Lajeado 5º DP Parque do Carmo 59º DP Jardim Noêmia 10º DP Penha de França TOTAL Variação 5,% -5,0% 0,0% 1,% 5,0% 7,% 55,% 1,% 85,7%,% Proporção de ocorrências de estupro de vulnerável em relação ao total por DP 1º trimestre de 017 (1) Ocorrências totais de estupro Ocorrências de estupro de vulnerável 47º DP 8,% 50º DP 19,% 101º DP 18 88,9% 4º DP 17 8,4% 7º DP 15 9,% 98º DP 14 85,7% 8º DP 14 85,7% 5º DP 14 71,4% 59º DP 1 9,% 10º DP 1 7,9% (1) O dado sobre estupro de vulnerável só passou a ser divulgado no segundo semestre de 01. Fonte: SSP/SP.

24 Por fim, ressalta-se que os estupros cresceram em 0 dos 8 municípios da Grande São Paulo, sendo que quase três quartos dos 78 estupros a mais registrados no 1º trimestre de 017 ocorreram nos municípios de Cotia ( ocorrências a mais), Carapicuíba (18) e Guarulhos (17) Fonte: SSP/SP. CRESCIMENTO DO ESTUPRO NOS MUNICÍPIOS DA GRANDE SÃO PAULO OS ESTUPROS CRESCERAM EM 0 DOS 8 MUNICÍPIOS DA GRANDE SÃO PAULO Distribuição espacial dos estupros na capital º TRI Nenhuma ocorrência Entre 1 e 5 ocorrências Entre e 9 ocorrências Entre 10 e 14 ocorrências Entre 15 e 18 ocorrências Entre 19 e ocorrências º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera 4 4

25 Roubo (outros) Os roubos (outros) aumentaram discretamente em todo o estado no primeiro trimestre de 017, sendo que houve alta na capital de ocorrências. Foi o maior volume de roubos (outros) para um primeiro trimestre no estado e o segundo maior da série histórica desde a implantação da delegacia eletrônica em 014. Aumento de ocorrências na capital Roubo (outros) por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação,8% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,4% Interior 1.8 1,% 1.8 Estado ,% Fonte: SSP/SP. 5

26 Em geral, mais da metade das ocorrências de roubo nos primeiros trimestres de 01 e 017 trataram de crimes contra pedestres ( transeunte ). A segunda dinâmica mais frequente foram os roubos de veículo (cerca de 0% dos casos), seguida pelos roubos a estabelecimentos comerciais (pouco mais de %) Perfil de Roubo, Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Disponível em: Última visualização: 08/05/017. Roubos (outros) no no estado de São Paulo Dados trimestrais de 014 a Trimestre: 1º º º 4º 1º º º 4º 1º º º 4º 1º Fonte: SSP/SP

27 Considerando todos os roubos inclusive de veículos, houve aumento do roubo de celulares nos primeiros três meses de 017, em especial do total de ocorrências em que o único objeto subtraído foi um celular. 017 AUMENTO DO ROUBO DE CELULARES NO 1º TRIMESTRE Percentual de ocorrências de roubo com relato de subtração de celular em relação ao total de roubos Total de roubos no estado Ocorrências com relato de roubo de celular dentre outros objetos Ocorrências em que o único objeto roubado foi um celular ,0% 5,0% 8,4%,%,5%,1%,0% 1,% 7,5%,4% 1,% 4,9% JANEIRO FEVEREIRO MARÇO Fonte: SSP/SP. 7

28 Segundo dados obtidos pelo Sou da Paz por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), o número de registros de roubo a transeunte caiu,% na comparação entre os primeiros trimestres de 01 e 017. Contudo, se forem consideradas apenas as ocorrências em que o objeto subtraído foi um celular, nota-se um aumento de 7,% dos roubos. Roubo a Transeunte ROUBO A TRANSEUNTE Variação 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Total de ocorrências ,% Casos em que houve subtração de celular 7,% Fonte: Lei de Acesso à Informação SSP/SP. 8

29 Em geral, a maior parte dos roubos a transeunte em que houve subtração de celular ocorreu no período noturno (entre 18h e h59) e na região da ª Delegacia Seccional de Santo Amaro. Além disso, dos dez distritos policiais da capital com maior número de ocorrências de roubo a transeunte com subtração de celular, nove fazem parte da lista dos dez distritos policiais com maior número de ocorrências de roubos (outros): 1º DP Sé, º DP Campos Elíseos, 4º DP Consolação, 14º DP Pinheiros, 7º DP Campo Limpo, 47º DP Capão Redondo, 49º DP São Mateus, 50º DP Itaim Paulista e 74º DP Jaraguá. Em distritos como o º DP Campos Elíseos, 4º DP Consolação e 14º DP Pinheiros, os roubos a transeunte com subtração de celular representaram mais de 0% das ocorrências de roubo (outros) no primeiro trimestre de 017. Dez distritos policiais com maior número de roubos a transeunte com subtração de celular ROUBO A TRANSEUNTE COM SUBTRAÇÃO DE CELULAR º DP Campos Elíseos 4º DP Consolação 47º DP Capão Redondo Variação 5,5% 47,8% 10,5% 01 1º Trimestre 50º DP Itaim Paulista ,% 017 1º Trimestre 7º DP Campo Limpo 14º DP Pinheiros ,% 47,9% 49º DP São Mateus ,9% 1º DP Sé ,0% 74º DP Jaraguá ,% 9º DP Teotônio Vilela ,% Fonte: Lei de Acesso à Informação SSP/SP. 9

30 Na capital, metade dos distritos policiais registrou aumento dos roubos (outros) no primeiro trimestre de 017 em comparação ao primeiro trimestre de 01. Certos locais na região central da capital apresentaram piora significativa, como o º DP Bom Retiro, 77º DP Santa Cecília, 4º DP Consolação e 1º DP Sé. Já entre os distritos que policiais que tiveram redução dos registros de roubos (outros), destacam-se o 58º DP Vila Formosa e 9º DP Parque Santo Antônio º TRIMESTRE METADE DOS DISTRITOS DA CAPITAL REGISTROU AUMENTO DE ROUBOS Dez distritos policiais com maior aumento da incidência de roubo (outros) DISTRITO POLICIAL 100º DP Jardim Herculano 14º DP Pinheiros Variação 9,4% 0,5% 9º DP Jaguaré ,9% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre 1º DP Sé 7º DP Vila Penteado 4º DP Consolação ,1% 4,9% 7,% 77º DP Santa Cecília ,5% 54º DP Cidade Tiradentes ,4% 40º DP Vila Santa Maria ,0% º DP Bom Retiro ,7% Fonte: SSP/SP. 0

31 As ocorrências de roubo (outros) foram dispersas pelo território da capital nos primeiros trimestres de 01 e 017, com concentrações na região sul (em especial no 7º DP Campo Limpo e 47º DP Capão Redondo), no centro do município (1º DP Sé e º DP Campos Elíseos) e em duas localidades na zona leste (49º DP São Mateus e 50º DP Itaim Paulista). Na Grande São Paulo, houve redução de,4% na incidência de roubo (outros) 480 ocorrências a menos em 017 do que em 01. Assim como na capital, metade dos territórios da região registrou redução dos roubos e a outra metade teve aumento. Como destaques negativos, ressaltamos a piora na divisa com a zona leste da capital: Ferraz de Vasconcelos (+78,5%), Poá (+7,%), Suzano (,%) e Itaquaquecetuba (19,0%). A região do interior que concentrou o maior número de ocorrências de roubo (outros) foi o Deinter Santos, com mais de cinco mil roubos no 1º trimestre de 017. Em seguida, apareceram o Deinter Campinas, Deinter 9 Piracicaba e Deinter Ribeirão Preto. Entre as regiões que reduziram os roubos (outros), o destaque fica para o Deinter 9 Piracicaba, com 5 ocorrências a menos no primeiro trimestre de 017 em relação ao mesmo período do ano anterior. Fonte: SSP/SP. Distribuição espacial das ocorrências de roubo (outros) na capital º TRI Entre e 9 ocorrências Entre 9 e 5 ocorrências Entre 5 e 751 ocorrências Entre 75 e 981 ocorrências Entre 98 e 111 ocorrências º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera 1 1

32 Roubo de veículo ROUBO DE VEÍCULO Os roubos de veículo sofreram redução em todas as regiões do estado de São Paulo, chegando ao menor valor já verificado para um 1º trimestre desde 011. MENOR VALOR PARA UM 1º TRIMESTRE DESDE 011 Roubo de veículo por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação -7,0% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,5% Interior ,8%.955 Estado ,4% Fonte: SSP/SP.

33 Roubo de veículo no estado de São Paulo Primeiros trimestres de 007 a º007 1º008 1º009 1º010 1º011 1º01 1º01 1º014 1º015 1º01 1º017 Fonte: SSP/SP.

34 Notou-se tendência mais clara de redução dos roubos de veículo na capital entre o 1º trimestre de 014 e o º trimestre de 015, após a publicação da Lei Estadual nº 15.7 de de janeiro de A lei dispõe sobre a destinação de veículos em fim de vida útil e também sobre o desenvolvimento de operações conjuntas da Secretaria da Segurança Pública, Secretaria da Fazenda, prefeituras e o Detran voltadas ao controle do comércio ilegal de peças. 17. Lei nº 15.7 de 0 de janeiro de 014. Dispõe sobre a destinação de veículos em fim de vida útil e dá outras providências. Disponível em: - Acesso: 15/05/017. Roubo de veículo por regiões do estado de São Paulo Dados trimestrais de 014 a Interior Capital Grande SP Trimestre: 1º º º 4º 1º º º 4º 1º º º 4º 1º Fonte: SSP/SP

35 Na capital, houve redução dos roubos de veículos em 50 distritos policiais, sobretudo no eixo centro-sul, como no 4º DP Consolação, 5º DP Aclimação, 15º DP Itaim Bibi e 78º DP Jardins. Já as pioras foram mais acentuadas nas zonas oeste (7º DP Lapa) e leste (º DP Vale do Aricanduva). Historicamente, os roubos de veículo se concentram na zona leste, em distritos como 49º DP São Mateus, 55º DP Parque São Rafael, 9º DP Teotônio Vilela e 70º DP Vila Ema, localidades que figuram entre os dez distritos com maior número de roubos de veículo no primeiro trimestre de 017. Dez distritos policiais com maior número de roubos de veículo no primeiro trimestre de 017 DISTRITO POLICIAL 49º DP São Mateus 5º DP Jabaquara 55º DP Parque São Rafael Variação 18,% -5,7% -7,9% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre 70º DP Vila Ema 9º DP Teotônio Vilela 50º DP Itaim Paulista ,5% 9,5% -0,1% 5º DP Parque do Carmo ,0% 44º DP Guaianases ,5% º DP Pirituba ,5% 41º DP Vila Rica ,5% Fonte: SSP/SP. Fonte: SSP/SP. 5

36 Além do elevado número de ocorrências normalmente detectado na zona leste da capital, nos primeiros trimestres de 01 e 017 também foi possível verificar mais casos de roubo de veículo no sudeste e norte da capital. São exemplos o 7º DP Campo Belo, 5º DP Jabaquara, 97º DP Americanópolis e 98º DP Jardim Miriam na região sudeste e 8º DP Freguesia do Ó, 4º DP Perus e 87º DP Vila Pereira Barreto ao norte. Na Grande São Paulo, os municípios que registraram o maior volume de ocorrências de roubo de veículo no primeiro trimestre de 017 foram Diadema, Guarulhos, São Bernardo, Osasco e Santo André.Todas estas cidades exceto Santo André, apresentaram redução dos roubos de veículo em relação ao primeiro trimestre de 01. Já em relação ao interior, as regiões de Piracicaba (Deinter 9) e Campinas (Deinter ) tiveram o maior volume de casos no primeiro trimestre de 017, sendo que seis das dez divisões de Polícia Judiciária do interior tiveram redução dos roubos de veículos. Fonte: SSP/SP. Distribuição espacial das ocorrências de roubo de veículo na capital º TRI Entre 1 e 110 ocorrências Entre 111 e 19 ocorrências Entre 0 e 9 ocorrências Entre 0 e 48 ocorrências Entre 49 e 548 ocorrências º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera

37 > > LETALIDADE E VITIMIZAÇÃO POLICIAL O número de pessoas mortas por policiais em serviço e fora de serviço no estado de São Paulo aumentou 17,% no 1º trimestre de 017 uma pessoa foi morta por policiais a cada nove horas. Pessoas mortas pelas Polícias em serviço e fora de serviço no estado PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS EM SERVIÇO Variação 15,4% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Morte decorrente de oposição à intervenção policial Homicídio doloso ,% -100,0% PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS FORA DE SERVIÇO Morte decorrente de oposição à intervenção policial 54 5,% 18,9% Homicídio doloso com provável excludente de ilicitude Homicídio doloso 1 00,0% Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. TOTAL DE PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS ,% 7

38 Participação das mortes por policiais na letalidade violenta A participação das mortes decorrentes de oposição à intervenção policial na letalidade violenta cresceu no estado no 1º trimestre de 017. Policiais em serviço e fora de serviço responderam por 18 a cada 100 mortes violentas registradas, mesmo em um cenário de aumento das vítimas de homicídio e latrocínio. POLICIAIS DENTRO E FORA DE SERVIÇO FORAM RESPONSÁVEIS POR 18 A CADA100 MORTES NO ESTADO DE SP Participação das mortes por oposição à intervenção policial na letalidade violenta no estado Vítimas de morte decorrente de oposição à intervenção policial (1) 01 5 Variação 1,9% 01 1º Trimestre Vítimas de homicídio doloso ,% 017 1º Trimestre Vítimas de latrocínio ,% Vítimas de lesão corporal seguida de morte (1) Morte decorrente de intervenção policial em serviço e fora de serviço e homicídio doloso com excludente de ilicitude. Fonte: SSP/SP e Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Proporção de mortes decorrentes de oposição à intervenção policial 1,8% 18,1% 8

39 Conforme apontado em edições passadas do boletim Sou da Paz Analisa, a participação da letalidade policial na letalidade violenta da capital tem sido maior do que no estado, chegando a 0% no 1º trimestre de 01, e 4% no 1º trimestre de 017. Participação das mortes por oposição à intervenção policial na letalidade violenta na capital Vítimas de morte decorrente de oposição à intervenção policial (1) Variação 11,9% 01 1º Trimestre Vítimas de homicídio doloso ,0% 017 1º Trimestre Vítimas de latrocínio 5 5,% Vítimas de lesão corporal seguida de morte 0 - (1)Morte decorrente de intervenção policial em serviço e fora de serviço e homicídio doloso com excludente de ilicitude. Fonte: SSP/SP e Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Proporção de mortes decorrentes de oposição à intervenção policial 0,0%,9% 9

40 Pessoas mortas e feridas pelas polícias Segundo especialistas em Direito Penal e violência policial como Paul Chevigny, o número de mortes provocadas por policiais deve ser inferior ao número de feridos, já que o policial deve empregar os meios necessários para conter situações de perigo utilizando a força de forma proporcional ao risco ao qual está submetido CHEVIGNY, Paul G. O Uso da Força Letal pelas Polícias como Controle Social: Jamaica, Argentina, e Brasil. Fórum do Direito Criminal. Kluwer Academic Publishers, p A proporção entre pessoas mortas e feridas pelas Polícias se manteve idêntica quando considerado o agregado de confrontos envolvendo agentes em serviço e fora de serviço. Contudo, policiais em serviço feriram mais do que mataram no 1º trimestre de 017, ao contrário do que ocorreu no mesmo período do ano anterior. Já a atuação de policiais de folga se tornou mais letal, ainda que em ambos os períodos o número de mortos tenha sido inferior ao de feridos. Pessoas mortas versus pessoas feridas pelas polícias em serviço e fora de serviço no estado Em serviço PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS CIVIL E MILITAR (1) PESSOAS FERIDAS PELAS POLÍCIAS CIVIL E MILITAR () Proporção mortos vs. feridos 1,1 0,9 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre ,5 Fora de serviço 115 0, (1) Morte decorrente de intervenção policial e homicídio doloso com e sem excludente de ilicitude. () Lesão corporal decorrente de intervenção policial e lesão corporal dolosa. Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Total ,8 0,8 40

41 Pessoas mortas pelas Polícias versus policiais mortos Outro critério para avaliar o uso da força letal pelas Polícias é o número de civis mortos para cada policial morto, segundo Paul Chevigny. Quando a proporção entre civis e policiais mortos for superior a 15:1, isso pode sugerir que a força letal foi utilizada para fins outros que não a preservação da vida. Sob esse prisma, a atuação das Polícias no estado de São Paulo foi três vezes mais letal no 1º trimestre de 017, quando civis morreram para cada policial morto, contra nove civis para cada policial no 1º trimestre de 01. No universo das ocorrências envolvendo policiais fora de serviço, a proporção aumentou consideravelmente: foram 11 civis para cada policial morto, contra três civis para cada policial no mesmo período do ano anterior. Pessoas mortas versus policiais mortos em serviço e fora de serviço no estado Em serviço PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS CIVIL E MILITAR (1) POLICIAIS CIVIS E MILITARES MORTOS Pessoas mortas vs. Policiais mortos 50:1 57:1 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre :1 Fora de serviço 11:1 0 9:1 (1) Morte decorrente de intervenção policial e homicídio doloso com e sem excludente de ilicitude. Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Total 8 9 :1 41

42 Na capital, 1 pessoas foram mortas para cada confronto com morte do policial em serviço e fora, menos do que no estado. Todavia, a atuação de policiais em serviço na capital foi muito mais letal do que na média estadual: foram 81 civis mortos por policial morto, contra 57 para um no estado. 81 CIVIS MORTOS 1 POLICIAL MORTO ATUAÇÃO DE POLICIAIS EM SERVIÇO NA CAPITAL Pessoas mortas versus policiais mortos em serviço e fora de serviço na capital Em serviço PESSOAS MORTAS PELAS POLÍCIAS CIVIL E MILITAR (1) POLICIAIS CIVIS E MILITARES MORTOS 1 Pessoas mortas vs. Policiais mortos - 81:1 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre 0 1 :1 Fora de serviço : :1 (1) Morte decorrente de intervenção policial e homicídio doloso com e sem excludente de ilicitude. Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Total 15 1:1 4

43 É importante lembrar que o ano de 01 foi marcado pelo aumento da proporção de civis mortos para cada policial morto na capital em serviço e fora de serviço no estado, de 9:1 no 1º trimestre do ano para :1 no 4º trimestre. Nesse sentido, o resultado do 1º trimestre de 017 interrompeu a sequência de alta, ainda que pior do que o resultado do mesmo período do ano anterior. O mesmo se aplica às mortes fora de serviço. A proporção atingiu seu recorde no 4º trimestre de 01, com civis mortos por policiais de folga para cada agente morto nessa situação. Ainda que muito mais baixa, a proporção encontrada no 1º trimestre de 017 foi a ª maior registrada desde o início de 014. Proporção de civis mortos para cada policial morto na capital,0,5 0,8 18,7 Civis mortos para cada policial morto Em serviço e fora de serviço 14,5 Civis mortos para cada policial morto Fora de serviço 1,1 4,0 7,4,0 8,, 1,4 5,4 5,,0 8,5 8,5 4,1 7,0 8,5, 10, 5,7 11,5 10,5 8,8 Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. Trimestre: 1º º 014 º 4º 1º º 015 º 4º 1º º º 4º 1º Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar. 4

44 Policiais mortos e feridos Do ponto de vista dos riscos enfrentados por policiais, houve ligeira melhora no 1º trimestre de 017. Para cada policial morto, 1 foram feridos, ou seja, 7% dos policiais vitimados em confrontos foram a óbito, frente a 1% nos mesmo período de 01. Policiais mortos versus policiais feridos em serviço e fora de serviço no estado Em serviço POLICIAIS CIVIS E MILITARES MORTOS POLICIAIS CIVIS E MILITARES FERIDOS 5 71 Proporção feridos vs. mortos :1 4:1 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre 19 47,5:1 Fora de serviço 7 :1 11 5:1 Total Fonte: Corregedorias das Polícias Civil e Militar :1 44

45 Além disso, o número de policiais mortos no 1º trimestre de 017 no estado foi o menor para um trimestre desde o início de 014. Considerando apenas o universo de mortes ocorridas durante a folga das vítimas, a redução em relação ao 1º trimestre de 01 foi da ordem de 8%. A evolução desse indicador pode sugerir que as Polícias adotaram medidas efetivas voltadas à redução da vitimização policial º TRI REDUÇÃO DE MORTES POLICIAIS Policiais mortos em serviço e fora de serviço no estado de São Paulo Policiais mortos em serviço Policiais mortos fora de serviço Fonte: SSP/SP. Trimestre: 1º º 014 º 4º 1º º º 4º 1º º º 4º 1º

46 Distribuição espacial das mortes decorrentes de oposição à intervenção policial 19 Cerca de 80% das mortes decorrentes de oposição à intervenção policial durante o 1º trimestre de 017 se deram em 15 dos 45 municípios do estado de São Paulo. Além da capital, que concentrou 4% das ocorrências, estiveram entre as 15 localidades com mais mortes seis cidades da Grande São Paulo, quatro da Baixada Santista, e quatro do restante do interior. No 1º trimestre de 01, esses mesmos 15 municípios concentraram pouco mais de 70% das mortes em confrontos policiais. Veja gráfico na próxima página 19. A consulta ao portal permitiu identificar 195 vítimas fatais no 1º trimestre de 017 e 1 no mesmo período do ano anterior. Portal SSP Transparência, Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, disponível em: gl/xgu5ym. Acesso: 15/05/017. 4

47 Alguns destes municípios se destacaram pela proporção de mortes provocadas por policiais no cômputo da letalidade violenta. Se no estado essa proporção foi de 18,1% no 1º trimestre de 017, em quatro municípios ela foi mais que o dobro, chegando a 44,4% em São Vicente e 8% em Cubatão, ambos municípios da Baixada Santista. Isso pode indicar que o uso da força letal pelas Polícias nessa região demanda revisão. Municípios com mais MDOIP (mortes decorrentes de oposição à intervenção policial) no1º trimestre de 017 MUNICÍPIO São Paulo Santo André São Bernardo do Campo Sorocaba Variação 7,1% 00,0% 1,% º Trimestre Guarulhos Osasco 5 5 0,0% 0,0% 017 1º Trimestre Guarujá 4 100,0% São José dos Campos ,0% São Vicente 4,% Bauru 0 - Campinas 4-5,0% Cubatão 50,0% Diadema 4-5,0% Fonte: SSP/SP. Itapecerica da Serra Praia Grande 1 00,0% 50,0% 47

48 Na capital, a participação das mortes decorrentes de oposição à intervenção policial na letalidade violenta chegou a,9% em 017, contra 0% no primeiro trimestre de 01. Ela cresceu substancialmente no 7º DP Campo Limpo, onde uma a cada duas mortes violentas entre janeiro e março de 017 foi cometida por policiais; e no 74º DP Jaraguá, com proporção semelhante. Por outro lado, a proporção de mortes cometidas por policiais caiu na área do 49º DP São Mateus, em parte devido ao aumento no número de homicídios dolosos e latrocínios ali registrados. Observa-se, ainda, que sete DPs registraram três ou mais casos no 1º trimestre de 017 e responderam por 0% dos casos de MDOIP no 1º trimestre de 017 e 17% no 1º trimestre de 01. Quatro estão localizados na zona leste da cidade: 49º DP São Mateus, 9º DP Teotônio Vilela, 70º DP Vila Ema e 90º DP Parque Novo Mundo. Participação de MDOIP na letalidade violenta nos DPs com mais registros de MDOIP 0 no 1º trimestre de 017 7º DP - Campo Limpo DISTRITO POLICIAL MDOIP LETALIDADE VIOLENTA (1) 74º DP - Jaraguá MDOIP/ Letalidade violenta 1,7% 50,0% 5,0% 45,5% 01 1º Trimestre 49º DP - São Mateus ,9%,% 017 1º Trimestre 70º DP - Vila Ema ,0% 44,4% 8º DP - Vila Amália 5 0,0% 100,0% 9º DP - Teotônio Vilela 0 9 -,% 0. Consideraram-se apenas os DPs com ao menos um registro de MDOIP por mês. (1) Soma das vítimas de homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte de MDOIP. Fonte: SSP/SP. 90º DP - Parque Novo Mundo ,9% 7,% 48

49 Perfil das vítimas de mortes decorrentes de oposição à intervenção policial no estado 1 As vítimas de MDOIP no estado de São Paulo no 1º trimestre de 017 foram quase todas do sexo masculino, havendo apenas uma mulher entre os mortos. Trata-se de perfil diferente das vítimas de homicídio doloso no mesmo período, em que 14,4% foram mulheres º TRIMESTRE Também vale observar que jovens de até 4 anos de idade corresponderam a 5% do total de ocorrências. Comparando as idades das vítimas de MDOIP e homicídio doloso, verifica-se que jovens (15 a 9 anos) foram 1,5% dos mortos em decorrência de oposição à intervenção policial, ao passo que esse grupo correspondeu a 0% das vítimas de homicídio doloso. PERFIL DE VÍTIMAS DE MORTES DECORRENTES DE OPOSIÇÃO À INTERVENÇÃO POLICIAL NO ESTADO Veja gráfico na próxima página 5% CORRESPONDEM A JOVENS DE ATÉ 4 ANOS DE IDADE 1. A informação sobre as idades das vítimas de homicídio doloso foi extraída do Perfil de Homicídio publicado pela SSP/SP. Não há informação sobre a cor das vítimas nos boletins de ocorrência disponíveis no portal SSP-Transparência. Disponível em: Acesso: 15/05/

50 Faixa etária das vítimas de MDOIP e homicídio doloso no estado - 1º trimestre de 017 Até 14 anos De 15 a 19 anos 0,5% 1,1% 8,0%,% Vítimas de MDOIP De 0 a 4 anos 1,0% 5,% Vítimas de homicídio doloso De 5 a 9 anos 9,7% 9,7% De 0 a 4 anos,7% 1,4% De 5 a 9 anos 4,% 11,5% 40 anos ou mais,1%,% Fonte: SSP/SP. Sem informação 17,7% 4,% 50

51 > > ATIVIDADE POLICIAL Apreensão de armas A apreensão de armas no estado sofreu queda de 9% entre os primeiros trimestres de 01 e 017, resultado que segue uma tendência já observada ao longo de 01. Foi o menor número total de armas apreendidas para um 1º trimestre desde 007. APREENSÃO DE ARMAS QUEDA DE 9% ENTRE OS PRIMEIROS TRIMESTRES DE 01 E 017 Armas apreendidas por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação -11,4% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,1% Interior ,7% Estado ,0% Fonte: SSP/SP. 51

52 O padrão consolidado de redução de homicídios e apreensões de armas no estado pode sugerir uma redução da circulação de armas de fogo no território. Apreensão de armas no estado Primeiros trimestres de 007 a 017 NÚMERO DE OCORRÊNCIAS Fonte: SSP/SP

53 A Grande São Paulo apresentou uma redução significativa das apreensões no 1º trimestre de 017. Um total de dos 8 municípios registraram um menor número de armas de fogo apreendidas do que no mesmo período em 01. Localidades como Diadema, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Osasco, Santo André e São Bernardo do Campo concentraram o maior número de apreensões de armas de fogo e, no 1º trimestre de 017, quatro dessas seis localidades registraram redução de armas apreendidas. As regiões ao leste da capital (Ferraz de Vasconcelos, Mauá, Santo André e São Caetano do Sul) e oeste (Embu das Artes, Itapevi, Osasco, Santana de Parnaíba, Taboão da Serra) foram responsáveis por 40% das apreensões de armas da Grande São Paulo no primeiro trimestre de 017 e registraram um aumento de,9% das apreensões. Armas apreendidas por município da Grande São Paulo MUNICÍPIO Diadema 8 5 Variação -,9% 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Guarulhos Mogi das Cruzes ,7% -71,1% Osasco ,% Santo André 5 58,% São Bernardo do Campo 9-10,1% Fonte: SSP/SP. 5

54 Prisões As prisões efetuadas no estado aumentaram no 1º trimestre de 017 em relação ao mesmo período de 01, em parte devido ao crescimento na Grande São Paulo. PRISÕES EFETUADAS NÚMERO DE PESSOAS PRESAS POR MANDADO FOI O MAIOR DOS PRIMEIROS TRIMESTRES DA ÚLTIMA DÉCADA Prisões efetuadas por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação -4,7% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,8% Interior ,% Estado ,% Fonte: SSP/SP. 54

55 Historicamente, as prisões em flagrante compõem a maioria das prisões efetuadas em todas as regiões do estado. Na capital, os presos em flagrante representaram 71,% das prisões efetuadas no 1º trimestre de 017, enquanto no interior esta proporção foi de,8% no mesmo período. PRESOS EM FRAGRANTE 1º TRI CAPITAL INTERIOR 71,%,8% Proporção de presos em flagrante e por mandado por região CAPITAL GRANDE SP INTERIOR ESTADO Flagrante 1,1%,0% 4,% 9,5% Mandado 01 1º Tri 78,9% 01 1º Tri 74,0% 01 1º Tri 5,8% 01 1º Tri 70,5% 8,8% 1,5% 7,% 4,0% 017 1º Tri 71.% 017 1º Tri 8,5% 017 1º Tri,8% 017 1º Tri,0% Fonte: SSP/SP. 55

56 Contudo, ainda que tenha prevalecido a prisão em flagrante, houve aumento de 18,4 dos presos por mandado no estado, continuando tendência observada desde 015. Na capital, o universo das prisões por mandado cresceu 44,9% quando comparados os resultados dos primeiros trimestres de 01 e 017. Pessoas presas em flagrante por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação -,8% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,% Interior ,1% Estado ,7% Fonte: SSP/SP. 5

57 Pessoas presas por mandado por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação 44,9% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,9% Interior ,0% Estado ,4% Fonte: SSP/SP. 57

58 Presos em flagrante e por mandado no estado Primeiros trimestres de 007 a Pessoas presas em flagrante Pessoas presas por mandado Fonte: SSP/SP. 58

59 Na capital, os dados indicam que os mesmos Distritos Policiais se destacaram em ambos trimestres analisados pelo elevado número de pessoas presas, como o 4º DP Ponte Rasa, 50º DP Itaim Paulista e º DP Vila Jacuí na zona leste, º DP Bom Retiro e 8º DP Brás no centro e 101º DP Jardim das Imbuias na zona sul. No entanto, a proporção de prisões em flagrante e por mandado foram diferentes entre os distritos policiais da capital. Como exemplo, 100% das prisões efetuadas no 15º DP Itaim Bibi e 1º DP Vila Carrão foram em flagrante, ao passo que apenas 1,8% das prisões efetuadas no 5º DP Artur Alvim e 7,9% das prisões do 4º DP Cidade A E Carvalho foram em flagrante. Fonte: SSP/SP. Pessoas presas na capital (flagrante e mandado) º TRI Entre 17 e 14 presos Entre 15 e 1 presos Entre e 9 presos Entre 40 e 44 presos Entre 447 e 554 presos º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera 59 59

60 Autos de apreensão adolescentes em conflito com a lei Evidenciou-se queda de,% dos autos de apreensão de adolescentes em conflito com a lei no estado frente ao resultado do 1º trimestre de 01. Entre as regiões, a redução dos autos de apreensão foi mais significativa no interior, onde é maior o volume de adolescentes apreendidos após cometerem atos infracionais. Autos de apreensão por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação 10,% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,% Interior ,4% Estado ,% Fonte: SSP/SP. Fonte: SSP/SP. 0

61 Assim como as prisões em geral, a maioria dos autos de apreensão de adolescentes ocorre em situações de flagrante. Na capital, flagrantes compuseram 98,% das apreensões de adolescentes no 1º trimestre de 017, frente a 74,0% no interior durante o mesmo período. Proporção de adolescentes apreendidos em flagrante e por mandado por região CAPITAL GRANDE SP INTERIOR ESTADO Flagrante,% 9,7% 10,7% 89,%,% 0,% Mandado 01 1º Tri 01 1º Tri 01 1º Tri 7,7% 01 1º Tri 79,8% 1,4% 98,% 1,1% 8,9%,0% 18,7% 017 1º Tri 017 1º Tri 017 1º Tri 74,0% 017 1º Tri 81,% Fonte: SSP/SP. 1

62 Ainda que haja diminuição do total de adolescentes apreendidos por envolvimento com atos infracionais, chama atenção que o total de apreensões verificadas no 1º trimestre de 017 foi o segundo maior desde 007, tanto para apreensões em flagrante quanto por mandado º TRIMESTRE TOTAL DE APREENSÕES: SEGUNDO MAIOR DESDE 007 Adolescentes apreendidos em flagrante e por mandado no estado Primeiros trimestres de 007 a Adolescentes apreendidos em flagrante Adolescentes apreendidos por mandado Fonte: SSP/SP.

63 Na capital, 18 Distritos Policiais concentraram as apreensões de adolescentes em conflito com a lei no 1º trimestre de 017. Destacaram-se o 50º DP Itaim Paulista, º DP Vila Jacuí, 78º DP Jardins e 89º DP Portal do Morumbi. No interior, houve redução do número total de adolescentes apreendidos em flagrante em nove Departamentos de Polícia Judiciária (Deinter) e por mandado em sete Deinter durante o primeiro trimestre de 017. O Deinter Ribeirão Preto e Deinter 9 Piracicaba concentraram o maior volume de adolescentes apreendidos. Em ambas as regiões houve um menor número de adolescentes apreendidos em flagrantes no 1º trimestre de 017 em relação a 01, ao passo que o total de adolescentes apreendidos por mandado diminuiu em Ribeirão Preto e aumentou em Piracicaba. Fonte: SSP/SP. Adolescentes apreendidos na capital (flagrante e mandado) º TRI Nenhum adolescente Entre 1 e adolescentes Entre e 44 adolescentes Entre 45 e adolescentes Entre 7 e 88 adolescentes Entre 89 e 110 adolescentes º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera

64 Instauração de inquéritos Cresceram os Boletins de Ocorrência registrados no estado no 1º trimestre de 017, resultado já esperado uma vez que houve aumento dos crimes violentos no estado, capital e interior. Boletins de Ocorrência registrados por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação 0,8% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,% Interior ,% Estado ,7% Fonte: SSP/SP. 4

65 Assim como alertado em outras edições do Boletim Sou da Paz Analisa, chama atenção que o aumento dos Boletins de Ocorrência não tenha sido acompanhado por um aumento dos inquéritos instaurados. Em locais como a capital e Grande São Paulo, por exemplo, houve aumento do volume de Boletins de Ocorrência registrados e redução da instauração de inquéritos. Inquéritos instaurados por região 01 1º Trimestre REGIÃO Capital Variação -0,% 017 1º Trimestre Grande São Paulo ,9% Interior ,% Estado ,1% Fonte: SSP/SP. 5

66 Além disso, cabe destacar que os distritos que mais instauraram inquéritos na capital não foram necessariamente aqueles que apresentaram a maior incidência de crimes violentos, mas localidades que possuem elevados índices de prisão e apreensão de adolescentes em conflito com a lei. Fonte: SSP/SP. INSTAURAÇÃO DE INQUÉRITOS Distritos com mais instaurações: índices elevados de prisão e apreensão de adolescentes em conflito com a lei Inquéritos instaurados na capital (flagrante e mandado) º TRI Entre 4 e 1 inquéritos Entre 14 e inquéritos Entre 4 e inquéritos Entre 4 e 4 inquéritos Entre 44 e 5 inquéritos º TRI º DP Sé º DP Bom Retiro º DP Campos Elísios 4º DP Consolação 5º DP Aclimação º DP Cambuci 7º DP Lapa 8º DP Brás 9º DP Carandiru 10º DP Penha da França 11º DP Santo Amaro 1º DP Pari 1º DP Casa Verde 14º DP Pinheiros 15º DP Itaim Bibi 1º DP Vila Clementino 17º DP Ipiranga 18º DP Alto da Moóca 19º DP Vila Maria 0º DP Água Fria 1º DP Vila Matilde º DP São Miguel Paulista º DP Perdizes 4º DP Ponte Rasa 5º DP Parelheiros º DP Sacomã 7º DP Campo Belo 8º DP Freguesia do Ó 9º DP Vila Diva 0º DP Tatuapé 1º DP Vila Carrão º DP Itaquera º DP Pirituba 4º DP Vila Sônia 5º DP Jabaquara º DP Vila Mariana 7º DP Campo Limpo 8º DP Vila Amália 9º DP Vila Gustavo 40º DP Vila Santa Maria 41º DP Vila Rica 4º DP Pq. São Lucas 4º DP Cid. Ademar 44º DP Guaianases 45º DP Vila Brasilândia 4º DP Perus 47º DP Capão Redondo 48º DP Cidade Dutra 49º DP São Mateus 50º DP Itaim Paulista 51º DP Butantã 5º DP Pq. São Jorge 5º DP Pq. do Carmo 54º DP Cidade Tiradentes 55º DP Pq. São Rafael 5º DP Vila Alpina 57º DP Pq. da Moóca 58º DP Vila Formosa 59º DP Jd. Noêmia º DP Ermelino Matarazzo º DP Vila Jacuí 4º DP Cidade A. E. Carvalho 5º DP Artur Alvim º DP Vale do Aricanduva 7º DP Jd. Robru 8º DP Lajeado 9º DP Teotônio Vilela 70º DP Vila Ema 7º DP Vila Penteado 7º DP Jaçanã 74º DP Jaraguá 75º DP Jd. Arpoador 77º DP Santa Cecília 78º DP Jardins 80º DP Vila Joaniza 81º DP Belém 8º DP Pq. Bristol 85º DP Jd. Mirna 87º DP Vila Pereira Barreto 89º DP Portal do Morumbi 90º DP Pq. Novo Mundo 91º DP Ceagesp 9º DP Pq. Santo Antônio 9º DP Jaguaré 95º DP Heliópolis 9º DP Monções 97º DP Americanópolis 98º DP Jd. Miriam 99º DP Campo Grande 100º DP Jd. Herculano 101º DP Jd. Imbuias 10º DP Socorro 10º DP COHAB Itaquera

67 Considerando a distribuição das prisões em flagrante, prisões por mandado e crimes violentos por Distrito Policial em relação aos dados de instauração de inquéritos, as variações do volume de inquéritos instaurados não acompanharam os crimes violentos, ao passo em que houve forte correlação entre a instauração de inquéritos e as prisões em flagrante. Isso indica que o dado sobre a instauração de inquéritos não necessariamente reflete os esforços investigativos das autoridades no combate à criminalidade violenta, aparentando ser uma consequência da lavratura do auto de prisão em flagrante. Veja gráfico na próxima página 7

68 Nota: O coeficiente de correlação demonstra a associação linear entre duas variáveis. Um dado positivo significa uma associação positiva, ou seja, um aumento dos crimes violentos ou das prisões por flagrante e mandado acompanha um aumento da instauração de inquéritos. Valores até 0,4 indicam uma associação fraca entre duas variáveis e, portanto, tornam difícil prever o resultado de uma a partir da observação de outra. Este é o caso da associação entre crimes violentos e inquéritos instaurados. Valores entre 0,4 e 0,7 indicam uma associação moderada entre duas variáveis, sendo possível notar maior similaridade entre os dados. Este é o caso da associação entre a instauração de inquéritos e as prisões por mandado. Já resultados acima de 0,7 indicam uma associação forte entre duas variáveis, ou seja, mudanças em uma claramente podem ser percebidas na outra. Este é o caso da associação entre a instauração de inquéritos e as prisões em flagrante. Coeficiente de correlação entre a distribuição de crimes violentos e prisões por Distrito Policial em relação à instauração de inquéritos Crimes violentos Inquéritos instaurados ,4 0,4 01 1º Trimestre 017 1º Trimestre Prisão em flagrante Inquéritos instaurados 0,8 0,90 Prisão por mandado Inquéritos instaurados 0,4 0,55 Fonte: SSP/SP. 8

69 > > CONSIDERAÇÕES FINAIS A redução contínua dos homicídios dolosos é, sem dúvida, uma conquista importante no campo da segurança pública paulista. O 1º trimestre de 017 trouxe nova queda dos homicídios no estado como um todo, ainda que alguns homicídios múltiplos tenham elevado o número de vítimas desse crime. Outro destaque positivo foi a menor vitimização policial, sobretudo no horário de folga. O número de policiais mortos no estado foi o menor para um trimestre desde o início de 014. Contudo, a letalidade violenta cresceu significativamente no estado uma pessoa foi morta a cada 100 minutos devido ao acréscimo de mortes provocadas por policiais em serviço e de folga. Em alguns locais da capital, metade das mortes violentas foram provocadas por policiais. Além disso, o incremento de 1,% de roubos (outros) no 1º trimestre de 017 preocupa porque o volume de casos contabilizado em 01 foi o maior da série histórica. À luz deste contexto, é lançado o desafio de fortalecer o controle interno e externo do uso da força letal pela Polícia, sempre assegurando a justa e necessária proteção aos policiais. Caso contrário, conter a letalidade violenta no estado se tornará tarefa cada vez mais difícil. Também são fundamentais medidas preventivas e repressivas para combater o crescimento de roubos. Os Distritos Policiais da capital que mais instauraram inquéritos não foram necessariamente aqueles que apresentaram maior incidência de crimes violentos, mas sim as localidades que possuem elevados índices de prisão e apreensão de adolescentes. Notou-se, ainda, que os flagrantes responderam por 100% de todas as prisões realizadas em determinados distritos da capital. Espera-se que a investigação dos crimes violentos seja priorizada e reforçada. 9

70 017 1º Trimestre Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo AGOSTO 017 INSTITUTO SOU DA PAZ STITUTO SOU DA PAZ Rua Luiz Murat, 0 CEP: São Paulo - SP Tel.: /institutosoudapaz /isoudapaz /instituto.soudapaz /tvsoudapaz Diretor Executivo Ivan Marques Coordenadora de Gestão do Conhecimento Stephanie Morin Coordenadora de Comunicação Institucional Janaina Baladez Sou da Paz Analisa - 1º Trimestre 017 Análise e Redação: Ana Carolina Pekny e Fabiana Bento Revisão: Ana Carolina Pekny, Fabiana Bento, Izabelle Mundim, Stephanie Morin, Renata Itaborahy e Vinicius Georges Projeto gráfico, diagramação, gráficos e tabelas: FIB Fábrica de Ideias Brasileiras

71 Dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo

Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013

Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013 Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013 Desde o início de 2012 o Instituto Sou da Paz tem se voltado a análise sistemática das estatísticas divulgadas pela

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO SETEMBRO DE 2014. Os aluguéis de casas e apartamentos na capital paulista ficaram praticamente estabilizados em setembro de 2014, relativamente

Leia mais

Imovelweb index. Cidade de São Paulo Relatório mensal Abril 2016

Imovelweb index. Cidade de São Paulo Relatório mensal Abril 2016 Imovelweb index Cidade de São Paulo Relatório mensal Objetivos, características, metodologia OBJETIVO: oferecer estatísticas abrangentes e confiáveis que acompanhem a evolução dos preços de venda e aluguel

Leia mais

Uso de Serviços Públicos de Saúde

Uso de Serviços Públicos de Saúde Uso de Serviços Públicos de Saúde Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. OBJETIVO GERAL Levantar junto à população da área em estudo

Leia mais

CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE (2011) Principais Resultados RUA NA MUNICIPALIDADE DE SÃO PAULO

CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE (2011) Principais Resultados RUA NA MUNICIPALIDADE DE SÃO PAULO Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social - SMADS Núcleo de Pesquisas em Ciências Sociais - FESPSP CENSO DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NA

Leia mais

CEInfo. Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010. Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo

CEInfo. Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010. Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo Boletim CEInfo Informativo Censo Demográfico 2010 nº 02, Julho 2012 Resultados parciais do Censo Demográfico 2010 para o Município de São Paulo Apresentação Dando continuidade a divulgação dos dados do

Leia mais

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 LOCALIDADES/REGIÃO SERVIÇO MÍNIMO LOCALIDADE CENTRO

Leia mais

DIA 04/05/2015 (SEGUNDA-FEIRA)

DIA 04/05/2015 (SEGUNDA-FEIRA) ROTEIRO DE ELEIÇÃO DE DELEGADOS SINDICAIS 2015/2016 DIA 04/05/2015 (SEGUNDA-FEIRA) 8h30 13h30 14h30 08h30 9h40 CDD PAULISTA CDD JARDIM AMÉRICA CDD ESTÁDIO AC CONSOLAÇÃO AC FREI CANECA AC PRAÇA DO CARMO

Leia mais

Homicídios na cidade de São Paulo: diagnóstico das ocorrências registradas entre janeiro de 2012 e junho de 2013

Homicídios na cidade de São Paulo: diagnóstico das ocorrências registradas entre janeiro de 2012 e junho de 2013 Homicídios na cidade de São Paulo: diagnóstico das ocorrências registradas entre janeiro de 2012 e junho de 2013 Homicídios na cidade de São Paulo: diagnóstico Fabiana Bento e Ligia Rechenberg Organização:

Leia mais

A GEOGRAFIA DO VOTO NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DO BRASIL: 1989-2006

A GEOGRAFIA DO VOTO NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DO BRASIL: 1989-2006 A GEOGRAFIA DO VOTO NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DO BRASIL: 1989-2006 Cesar Romero Jacob Dora Rodrigues Hees Philippe Waniez Violette Brustlein Fernando Collor de Melo Eleição presidencial de 1989 Primeiro

Leia mais

Bem-estar, desigualdade e pobreza

Bem-estar, desigualdade e pobreza 97 Rafael Guerreiro Osório Desigualdade e Pobreza Bem-estar, desigualdade e pobreza em 12 países da América Latina Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, México, Paraguai, Peru,

Leia mais

Estudos. População e Demografia

Estudos. População e Demografia População e Demografia Prof. Dr. Rudinei Toneto Jr. Guilherme Byrro Lopes Rafael Lima O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde 1991, divulga anualmente uma base com a população dos

Leia mais

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Abril DE 2014 EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Em 2013, cresceu o número de diaristas e diminuiu o de mensalistas com e sem carteira de trabalho. Elevou-se o rendimento médio

Leia mais

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500 ZONA SECCIONAL FISCAL Nº DISTRITO DISTRITOS Oeste Oeste Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP: 05060-000 Tel.(11) 3834-0530 lapa@crosp.org.br Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP:

Leia mais

Segurança e Justiça. Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano

Segurança e Justiça. Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano Segurança e Justiça Coordenador de Área: prof. Álvaro Alves de Moura Jr. Professor Responsável: Paulo Rogério Scarano Estagiários: Fernanda Crivorncica, Milena Castro de Medeiros, Ricardo Antônio Saito

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014

ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 ESTUDO TÉCNICO N.º 12/2014 Principais resultados da PNAD 2013 potencialmente relacionados às ações e programas do MDS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA DE AVALIAÇÃO E GESTÃO

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento As projeções populacionais até 2030 para os distritos da capital, realizadas pela Fundação

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 Os contratos novos de aluguéis de casas e de apartamentos na capital paulista subiram em média 0,6% em novembro relativamente

Leia mais

NO TERRITÓRIO TEM O CAPS ITAPEVA E O CRATOD DO ESTADO AD II: 1 AD III: 2 ADULTO III: 1 ADULTO II: 3 INFANTIL: 2

NO TERRITÓRIO TEM O CAPS ITAPEVA E O CRATOD DO ESTADO AD II: 1 AD III: 2 ADULTO III: 1 ADULTO II: 3 INFANTIL: 2 CENTRO OESTE CAPS AD PINHEIROS R. Nicolau Gagliardi, 439 Pinheiros 38163959 3010201 X CAPS AD II V MADALENA PROSAM Rua Heitor Penteado, 1448 Sumaré 38621385 2091429 X CAPS AD III CENTRO R. Frederico Alvarenga,

Leia mais

Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo

Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo SUMÁRIO EXECUTIVO O Produto Interno Bruto (PIB) do estado do Espírito Santo é calculado anualmente pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) em parceria com o Instituto eiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas

Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas Ranking da criminalidade nos maiores municípios Paulistas Este trabalho desenvolvido pelo pesquisador estatístico José Peres Netto, cria um ranking de criminalidade nos 60 maiores municípios de São Paulo

Leia mais

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização

LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização LOCALIZAÇÃO E EXPANSÃO NO VAREJO: Estratégias, Modelos e Operacionalização ESTRATÉGIAS E MODELOS DE EXPANSÃO Juracy Parente GV-cev FGV-EAESP 16 de set de 2004 ESTRATÉGIAS E MODELOS DE EXPANSÃO (LOCALIZAÇÃO)

Leia mais

CRAS - Centro de Referência de Assistência Social

CRAS - Centro de Referência de Assistência Social CRAS - Centro de Referência de Assistência Social O Centro de Referência de Assistência Social CRAS é uma unidade pública estatal de base territorial, localizada em áreas de vulnerabilidade social. Executa

Leia mais

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos Programa de Bolsa de Estudos Rotary e Faculdades Integradas Rio Branco em prol da Educação 1 4610 RCSP 1001 4610 RCSP-Alto da Lapa 1002 4610 RCSP-Alto de Pinheiros 1003 4610 RCSP-Armando de Arruda Pereira

Leia mais

Projeto 10Envolver. Nota Técnica

Projeto 10Envolver. Nota Técnica Nota Técnica Referência: Análise dos dados do componente Educação do Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios de 2013 (Atlas do Desenvolvimento Humano 2013, PNUD, IPEA, FJP) para os municípios incluídos

Leia mais

PESQUISA CRECI SETEMBRO/2007

PESQUISA CRECI SETEMBRO/2007 PESQUISA CRECI SETEMBRO/2007 Pesquisa CRECI-SP Imóveis usados/aluguel residencial Cidade de São Paulo Setembro de 2007 Renda insuficiente e falta de imóveis adequados travam venda de usados em São Paulo

Leia mais

Pena de Morte: Devemos ou não defendê-la?

Pena de Morte: Devemos ou não defendê-la? BuscaLegis.ccj.ufsc.br Pena de Morte: Devemos ou não defendê-la? *Roberto Ramalho A pena de morte é um tema bastante controverso entre os estudiosos do Direito, da Criminologia, da Sociologia, da Medicina

Leia mais

O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO

O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO O JOVEM COMERCIÁRIO: TRABALHO E ESTUDO O comércio sempre foi considerado como porta de entrada para o mercado de trabalho sendo, assim, um dos principais setores econômicos em termos de absorção da população

Leia mais

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo Atividade Turística Julho de 20 15 de setembro de 20 Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 20, valor correspondente a

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2012 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA

SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA Metodologia e Amostra Pesquisa junto às consultoras Natura da cidade de São Paulo. Metodologia quantitativa, questionário auto-preenchido COLETA DOS DADOS Setembro

Leia mais

A+B1 B2+C DE 58 Estações 04 Linhas 900 Carros Linha 1 - Azul 2,200.000 Linha 2 - Verde 1,200.000 Linha 3 - Vermelha 3,000.000 Linha 5 - Lilás 563.000 Estações Fluxo Estações Fluxo Estações Fluxo Estações

Leia mais

ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município.

ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município. NOTA TÉCNICA Nº 23/2016 Brasília, 14 de Junho de 2016. ÁREA: Estudos Técnicos e Saúde TÍTULO: Parâmetros referente a quantidade de Agentes de Combate à Endemias (ACE) por Município. 1- LEGISLAÇÃO A Lei

Leia mais

Mudanças nos Preços Relativos

Mudanças nos Preços Relativos Mudanças nos Preços Relativos Tabela 1 Variação acumulada do IPCA: eiro/ junho/ Discriminação Brasil Belém 1/ Nordeste Sudeste Sul Centro- Gráfico 1 - Alteração no peso do IPCA por segmento de consumo:

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 No primeiro mês de 2015, os aluguéis registraram alta de 0,4%, comparado com o mês anterior. Considerando o comportamento

Leia mais

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos Atividade Turística Junho 2013 14 de agosto de 2013 Hotelaria com aumentos nas dormidas e proveitos A hotelaria registou 4,4 milhões de dormidas em junho de 2013, mais 8,6% do que em junho de 2012. Para

Leia mais

Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Agosto 2015

Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Agosto 2015 Preço médio de imóveis residenciais em São Paulo Agosto 2015 Crédito foto: Lucas B. Salles, 2008, Wikipedia (https://en.wikipedia.org/wiki/file:edif%c3%adcio_copan,_sp.jpg) Introdução Cenário macro econômico

Leia mais

Preço médio do m 2 permanece estável pelo segundo mês consecutivo

Preço médio do m 2 permanece estável pelo segundo mês consecutivo Preço médio do m 2 permanece estável pelo segundo mês consecutivo No acumulado em 12 meses o Índice FipeZap registrou elevação de 0,21%, a menor já observada na série histórica O Índice FipeZap que acompanha

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Os aluguéis das casas e apartamentos no mês de maio permaneceram estáveis em relação aos valores de abril. Em relação

Leia mais

DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015

DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 Cria os Conselhos Tutelares de Capão Redondo, Cidade Líder, Jaraguá,

Leia mais

André Urani (aurani@iets.inf.br)

André Urani (aurani@iets.inf.br) Um diagnóstico socioeconômico do Estado de a partir de uma leitura dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE (1992-4) André Urani (aurani@iets.inf.br) Maceió, dezembro de 5 Introdução

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 As pessoas que procuraram moradias para alugar em agosto de 2013 encontraram locações com valores mais altos em relação

Leia mais

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em 2015. 5ª Coletiva de imprensa 26/3/2015

Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em 2015. 5ª Coletiva de imprensa 26/3/2015 Situação da transmissão da dengue no Município de São Paulo em 2015 5ª Coletiva de imprensa 26/3/2015 BRASIL: Casos notificados - 224.101 ; Coeficiente de Incidência ncia 110,5 Região Sudeste - 145.020

Leia mais

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo

ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo ROTEIRO DE EXPOSIÇÃO Índices inflacionários, evolução salarial da categoria e despesa de pessoal no Estado de São Paulo SINDSAÚDE-SP 17/10/2008 COMPORTAMENTO DOS PREÇOS No período 2001-2008, presenciamos

Leia mais

CADEIRA PÃO DE AÇÚCAR DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA UM NOVO MAPA DA CRIMINALIDADE NA CIDADE DE SÃO PAULO

CADEIRA PÃO DE AÇÚCAR DE PESQUISA EM SEGURANÇA PÚBLICA UM NOVO MAPA DA CRIMINALIDADE NA CIDADE DE SÃO PAULO Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Associado à Fundação Armando Álvares Penteado Rua Ceará, 2 São Paulo/ SP CEP 01243-010 Tel 11 3 824-9633 Fax 825-2637 CADEIRA PÃO DE AÇÚCAR DE PESQUISA EM

Leia mais

ISS Eletrônico. Formato de Arquivos para Transmissão de Documentos Declarados através do aplicativo OFFLINE. Extensão do Arquivo JUNHO2006.

ISS Eletrônico. Formato de Arquivos para Transmissão de Documentos Declarados através do aplicativo OFFLINE. Extensão do Arquivo JUNHO2006. ISS Eletrônico Formato de Arquivos para Transmissão de Documentos Declarados através do aplicativo OFFLINE Caro contribuinte. A transmissão de arquivos é uma facilidade fornecida pelo sistema de ISS Eletrônico

Leia mais

Preço de imóvel usado sobe até 92,84% no 1º semestre e aluguel aumenta 66,23% em SP

Preço de imóvel usado sobe até 92,84% no 1º semestre e aluguel aumenta 66,23% em SP Pesquisa CRECISP Imóveis Usados - Venda/Aluguel Residencial Junho e Balanço 1º Semestre de 2012 Preço de imóvel usado sobe até 92,84% no 1º semestre e aluguel aumenta 66,23% em SP Apartamentos de acabamento

Leia mais

Rodrigo Leandro de Moura Gabriel Leal de Barros

Rodrigo Leandro de Moura Gabriel Leal de Barros TEXTO PARA DISCUSSÃO Nota Técnica: O Custo Público com Reprovação e Abandono Escolar na Educação Básica Rodrigo Leandro de Moura Gabriel Leal de Barros Pesquisadores de Economia Aplicada do FGV/IBRE Fevereiro

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO AUTORIZATIVA Nº, DE DE DE 2015.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO AUTORIZATIVA Nº, DE DE DE 2015. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO AUTORIZATIVA Nº, DE DE DE 2015. Autoriza a revisão da configuração dos conjuntos de unidades consumidoras e estabelece os limites para os indicadores

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DEPARTAMENTO DE PESQUISA, ANÁLISE DE INFORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

BANCA GRANDE SÃO PAULO VESTIBULAR 2015

BANCA GRANDE SÃO PAULO VESTIBULAR 2015 BANCA GRANDE SÃO PAULO VESTIBULAR 2015 A ASR Mídia entende a mídia exterior como uma poderosa ferramenta de comunicação, fundamental para construção de uma imagem positiva para sua marca. Roteiros especiais

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo

Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo PREGÃO FEDERAL n.º 23/2009 APÊNDICE B Etapas de execução dos serviços Serviços que deverão ser executados na 1ª etapa. Comercial com 15 pavimentos: 1º ao 11º, 13º e 14º andares sim não sim 4.641 Sede I

Leia mais

Informações Gerenciais de. Contratações Públicas de Bens. e Serviços de Tecnologia da. Informação

Informações Gerenciais de. Contratações Públicas de Bens. e Serviços de Tecnologia da. Informação Informações Gerenciais de Contratações Públicas de Bens e Serviços de Tecnologia da Informação janeiro a dezembro de 2012 Sumário Executivo MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Em 2012, os órgãos da administração

Leia mais

Indicadores Sociais Municipais 2010. Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010

Indicadores Sociais Municipais 2010. Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010 Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Indicadores Sociais Municipais 2010 Uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico 2010 Rio, 16/11/ 2011 Justificativa:

Leia mais

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015 HIV/AIDS - 215 3/11/215 Página 1 de 6 1. Descrição da doença A AIDS é uma doença causada pelo vírus do HIV, que é um retrovírus adquirido principalmente por via sexual (sexo desprotegido) e sanguínea,

Leia mais

SÃO PAULO, 6 DE MAIO DE 2014;

SÃO PAULO, 6 DE MAIO DE 2014; SÃO PAULO, 6 DE MAIO DE 2014; Famílias 'expulsas' por aluguel alto no bairro da Copa engrossam invasões A maior parte dos 2,5 mil barracos erguidos desde sábado na ocupação 'Copa do Povo', em Itaquera,

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA. As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana

GOVERNANÇA METROPOLITANA. As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana Março / 2012 Mobilidade é o deslocamento de pessoas e bens nas cidades. É sustentável quando: Valoriza o deslocamento do pedestre. Proporciona mobilidade às

Leia mais

A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil. 02 de Dezembro de 2015

A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil. 02 de Dezembro de 2015 A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil 02 de Dezembro de 2015 Adolescentes são assassinados na Baixada Fluminense Rio de Janeiro Diário da Manhã 02/10/2015 Estudo mostra que

Leia mais

08/05 DRE Pirituba Subprefeitura Lapa Local Emei Santos Dumont - Rua Diana, 250 - Pompéia Telefone: 3873-6281/ 3864-0999 Horário - 9h às 13h

08/05 DRE Pirituba Subprefeitura Lapa Local Emei Santos Dumont - Rua Diana, 250 - Pompéia Telefone: 3873-6281/ 3864-0999 Horário - 9h às 13h Relação de locais para as plenárias públicas 04/05 DRE - São Mateus Subprefeitura - São Mateus Local - CEU São Mateus - Rua Curumatim, 221 - Parque Boa Esperança Telefone: 11 2732-8117 05/05 DRE - Ipiranga

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA PMCMV Fundo de Arrendamento Residencial - FAR PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DO PROJETO DE TRABALHO TÉCNICO SOCIAL EMPREENDIMENTO RESIDENCIAL: ALPHA.

Leia mais

MÍDIA KIT 2015/16 A MAIOR REVISTA GRATUITA DE SÃO PAULO

MÍDIA KIT 2015/16 A MAIOR REVISTA GRATUITA DE SÃO PAULO Revista MÍDIA KIT 2015/16 A MAIOR REVISTA GRATUITA DE SÃO PAULO 15 ANOS DE CREDIBILIDADE Com 15 anos de presença marcante nos bairros de São Paulo, a Revista Em Condomínios leva ao morador de apartamentos

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 1 Trimestre RESULTADOS OBTIDOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que

Leia mais

O que esta acontecendo com a Região Metropolitana de São Paulo Análise Socioeconômica Carlos Paiva*

O que esta acontecendo com a Região Metropolitana de São Paulo Análise Socioeconômica Carlos Paiva* O que esta acontecendo com a Região Metropolitana de São Paulo Análise Socioeconômica Carlos Paiva* Com a divulgação da Pesquisa da Mobilidade de São Paulo, com dados de 2012 (OD 2012) pelo Metrô-SP, torna-se

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ 2014 ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

Configuração e tipologias

Configuração e tipologias OsE s p a ç o sp ú b l i c o ses u ai n f l u ê n c i an ame l h o r i ad aq u a l i d a d ed ev i d a O que são Espaços Públicos? P O espaço público é considerado como aquele que, dentro do território

Leia mais

Sondagem do Setor de Serviços

Sondagem do Setor de Serviços Sondagem do Setor de Serviços % Setor 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Agropecuária 5,9 4,9 4,7 4,8 5,0 5,2 Indústria 25,8 25,1 24,7 23,9 23,3 21,8 Serviços 54,1 55,8 56,5 57,3 56,8 58,9 Impostos líquidos

Leia mais

PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005

PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005 PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005 Pesquisa CRECI-SP Imóveis usados/aluguel residencial Novembro de 2005 Capital/SP Locação de imóveis aumenta 1,93% e a venda de usados tem alta modesta em SP O número de imóveis

Leia mais

Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios

Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Fernando Haddad Prefeito Antonio da Silva Pinto Secretário da Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial Maurício

Leia mais

REDE HOSPITALAR. São Paulo

REDE HOSPITALAR. São Paulo REDE HOSPITALAR São Paulo ACESSE O PORTAL DE SERVIÇOS ON-LINE A partir de agora as Unimeds conseguirão fazer uma nova busca no Portal de Serviços On-line: identificar em qual prestador das redes das filiais

Leia mais

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 2,65% NO MÊS DE MARÇO

CESTA BÁSICA DE CASCA REGISTRA AUMENTO DE 2,65% NO MÊS DE MARÇO ANO 20 Nº 209 ABRIL/2016 Publicação Mensal do Centro de Pesquisa e Extensão da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis - CEPEAC Guilherme Mondin dos Santos (Estagiário CEPEAC/UPF);

Leia mais

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08

www.ccee.org.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 www.cceorg.br Nº 009 Setembro/2014 0800 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e

Leia mais

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação

Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação Governo de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação ET CA/SP/SEPLAN nº 02/2013 Evolução da extrema pobreza em Mato

Leia mais

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas

Crise da construção acentua-se, embora com quebras menos pronunciadas Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas Conjuntura da Construção n.º 70 Julho

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014. O mercado de contratos novos de locação residencial realizados em junho na cidade de São Paulo registrou variação de

Leia mais

A greve dos Auditores Fiscais da Recita Federal do Brasil já é uma realidade.

A greve dos Auditores Fiscais da Recita Federal do Brasil já é uma realidade. 18 de março de 2008 A greve dos Auditores Fiscais da Recita Federal do Brasil já é uma realidade. O primeiro dia de greve dos AFRFBs demonstrou que a categoria não aceitará o não atendimento de suas reivindicações

Leia mais

Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado retorna a nível pré-crise

Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado retorna a nível pré-crise Pesquisa CRECI Imóveis usados/aluguel-venda residencial Cidade de São Paulo Fevereiro de 2009 Pesquisa apurou crescimento de 31,23% na locação Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado

Leia mais

Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010

Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010 1 São Paulo, 11 de janeiro de 2011. NOTA À IMPRENSA Custo da cesta básica tem forte alta na maioria das capitais em 2010 Catorze, das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 224, DE 2010 Altera o art. 14 da Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003, para determinar como causa de aumento de pena do crime de porte ilegal de arma de fogo

Leia mais

REDUÇÃO DE ROUBOS: DESAFIO PARA A SEGURANÇA PÚBLICA

REDUÇÃO DE ROUBOS: DESAFIO PARA A SEGURANÇA PÚBLICA REDUÇÃO DE ROUBOS: DESAFIO PARA A SEGURANÇA PÚBLICA Definição do crime de roubo Art. 157 Código Penal - ROUBO: Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência à

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016.

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. A Diretora da, no uso de suas atribuições legais, torna pública a realização do Processo Seletivo e faz saber o número de VAGAS

Leia mais

Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo

Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo 1ª ZONA ELEITORAL - EITORAL ATENDIDOSASTA Endereço Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 453 BELA VISTA Telefone (0xx11) 3101 9031/3101 8683/3106 9167 Fax 3101

Leia mais

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 8 Accounting Policies, Changes in Accounting Estimates and Errors

Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 8 Accounting Policies, Changes in Accounting Estimates and Errors Diagnóstico da Convergência às Normas Internacionais IAS 8 Accounting Policies, Changes in Accounting Estimates and Errors Situação: PARCIALMENTE DIVERGENTE 1. Introdução deve ser aplicado: O IAS 8 Accounting

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOTECNIA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO PRIMEIRO SEMESTRE LETIVO DE 2016 A coordenadora do programa de pós-graduação em Fitotecnia da Universidade

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. Especulação leva à queda de preço nos lançamentos de imóveis em Brasília

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. Especulação leva à queda de preço nos lançamentos de imóveis em Brasília + Boletim de Conjuntura Imobiliária 41ª Edição Comercial de 2012 Secovi-DF, Setor de Diversões Sul, Bloco A, nº44, Centro Comercial Boulevard,Salas 422/424, (61)3321-4444, www.secovidf.com.br Econsult

Leia mais

Exmo. Sr. Dr. Procurador Regional dos Direitos do Cidadão Pedro Antônio de Oliveira Machado,

Exmo. Sr. Dr. Procurador Regional dos Direitos do Cidadão Pedro Antônio de Oliveira Machado, São Paulo, 16 de março de 2016 Ao Ministério Público Federal Procuradoria da República no Estado de São Paulo Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão A/c: Exmo. Sr. Dr. Procurador Regional dos Direitos

Leia mais

Outubro 2009 INDIVIDUAL / FAMILIAR

Outubro 2009 INDIVIDUAL / FAMILIAR Outubro 2009 INDIVIDUAL / FAMILIAR A Unimed Paulistana é uma Cooperativa Médica e todos os médicos que atendem aos beneficiários dos planos são donos da empresa. Isso garante a qualidade dos serviços prestados.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO do CNE (ainda depende Homologação do Ministro da Educação) Regulamenta o art. 52, inciso I da Lei 9.394, de 1996, e dispõe sobre normas e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS INFORMAÇÃO Nº 46 EVOLUÇÃO DO MERCADO DOS COMBUSTÍVEIS RODOVIÁRIOS 1º TRIMESTRE DE 2016 - COTAÇÕES E PREÇOS GASOLINA 95, GASÓLEO RODOVIÁRIO E GPL AUTO INTRODUÇÃO

Leia mais

Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo

Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo Pesquisa CRECI Aluguel-Venda residencial/imóveis usados Cidade de São Paulo Dezembro de 2008 Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo Nem o 13 o salário salvou

Leia mais

DESIGUALDADE DE RENDA NAS REGIÕES NAS REGIÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO

DESIGUALDADE DE RENDA NAS REGIÕES NAS REGIÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO 535 DESIGUALDADE DE RENDA NAS REGIÕES NAS REGIÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO Rosycler Cristina Santos Simão (USP) 1. INTRODUÇÃO É de conhecimento geral que o Brasil destaca-se no cenário mundial como um dos

Leia mais

Apresentação dos encontro de formação Plano Individual de Atendimento para medidas de proteção e medidas socioeducativas

Apresentação dos encontro de formação Plano Individual de Atendimento para medidas de proteção e medidas socioeducativas Apresentação dos encontro de formação Plano Individual de Atendimento para medidas de proteção e medidas socioeducativas Iniciativa Apoio Realização Objetivo e Público Objetivo Geral Ampliar o conhecimento

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indicadores CNI ISSN 2317-7322 Ano 6 Número 12 dezembro de SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indústria da construção termina ano com queda intensa A indústria da construção encerrou com queda intensa e

Leia mais

Figuras 3 e 4-Chuva Média e observada para o mês de fevereiro, respectivamente

Figuras 3 e 4-Chuva Média e observada para o mês de fevereiro, respectivamente ANÁLISE E PREVISÃO CLIMÁTICA PARA O SEMIÁRIDO E LITORAL LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE No monitoramento das chuvas que ocorrem sobre o Estado do Rio Grande do Norte é observado que durante o mês de Janeiro

Leia mais

Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo

Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo Tabela 1 - Preços da gasolina nos municípios do Estado de São Paulo Nº DE POSTOS PREÇO AO CONSUMIDOR MARGEM DO PREÇO DE VENDA DA DISTRIBUIDORA AMOSTRADOS PREÇO MÉDIO PREÇO MÍNIMO PREÇO MÁXIMO POSTO PREÇO

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares

O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE. Célia Maria Vilela Tavares O DIRIGENTE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA CONAE 2014 E DO PNE Célia Maria Vilela Tavares Pré PNE: conferências municipais de educação, participação nas conferências estaduais e na

Leia mais

Manual de Utilização. Ao acessar o endereço www.fob.net.br chegaremos a seguinte página de entrada: Tela de Abertura do Sistema

Manual de Utilização. Ao acessar o endereço www.fob.net.br chegaremos a seguinte página de entrada: Tela de Abertura do Sistema Abaixo explicamos a utilização do sistema e qualquer dúvida ou sugestões relacionadas a operação do mesmo nos colocamos a disposição a qualquer horário através do email: informatica@fob.org.br, MSN: informatica@fob.org.br

Leia mais