Carta de Intenções. Dos Wajãpi e dos moradores do Assentamento Perimetral Norte

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carta de Intenções. Dos Wajãpi e dos moradores do Assentamento Perimetral Norte"

Transcrição

1 Carta de Intenções Dos Wajãpi e dos moradores do Assentamento Perimetral Norte Nós, indígenas Wajãpi, agricultores familiares moradores do Projeto de Assentamento Perimetral Norte e estudantes da Escola Família Agrícola da Perimetral Norte, que somos vizinhos, nos envolvemos no Projeto Carteira Indígena, que o Conselho das Aldeias Wajãpi Apina e a Associação Wajãpi Terra, Ambiente e Cultura Awatac desenvolveram com apoio do Iepé e do Ministério do Meio Ambiente, para fortalecer nossas relações e, assim, realizar na prática a proposta da Faixa da Amizade. Por isso, nos reunimos no Centro de Formação e Documentação Wajãpi, Terra Indígena Wajãpi, durante a última reunião do Projeto, entre 07 e 08 de dezembro de 2015,e pactuamos os seguintes objetivos comuns para a gestão socioambiental integrada, participativa e de base comunitária de nossa região, que chamamos de Faixa da Amizade: 1. Queremos continuar nos relacionando, nos conhecendo e, assim, lutando juntos pelos direitos (diferenciados) uns dos outros. 2. Queremos que o Estado reconheça nossos direitos, como a Consulta Prévia, Livre e Informada (Convenção 169 da OIT) aos indígenas, e os direitos à participação nas políticas públicas para os moradores do Assentamento, para que, assim, a Faixa da Amizade possa ser definitivamente instalada e reconhecida pelo Estado. 3. Queremos continuar trabalhando unidos, fortalecendo nossas alianças, para conseguirmos fazer, juntos, a gestão socioambiental integrada e participativa da região, reflorestando a Faixa da Amizade com frutíferas nativas, construindo um Plano de Gestão Comunitário da Faixa e, assim, obrigando o Estado (Incra, Sema, IEF, Imap, Funai, ICMBio, Rurap, e outros) a cumprir seu papel, realizando políticas públicas e garantindo Página 1 de 5

2 nossos direitos, respeitando nossas diferentes culturas e conhecimentos. 4. Queremos continuar trabalhando juntos para que o Estado respeite nossas decisões quanto à gestão socioambiental da região, dando assistência aos moradores do Assentamento, para que possam desenvolver-se através de iniciativas e políticas públicas sustentáveis (como projetos de cultivo e reflorestamento, e especialmente apoio e assistência técnica à agricultura familiar e consolidação de suas cadeias produtivas). Para isso, queremos continuar unidos para conseguir que processos de formação continuada sobre legislação agrária, fundiária, indigenista, ambiental, e sobre associativismo, cooperativismo, fortalecimento de cadeias produtivas, sistemas agroflorestais, e permacultura de frutíferas nativas para os Wajãpi e para os assentados sejam implementados. 5. Para isso, decidimos continuar trabalhando unidos para ocupar espaços como conselhos consultivos do Parque Nacional, da Resex Beija-Flor Brilho de Fogo, do Mosaico e da Flota, desenvolver mais projetos como o Carteira Indígena, fortalecer a Efapen e para continuar formando e valorizando os jovens como temos feito em todo esse processo, para que eles ocupem as instâncias de governança como os conselhos consultivos, comitês de bacias, e outros. Queremos fortalecer os jovens da Perimetral, através do Fórum de Jovens para que, assim, os jovens influenciem positivamente as políticas públicas e promovam a formação para a cidadania em suas comunidades. Também diagnosticamos e entramos em acordo que os seguintes problemas estão nos impedindo de realizar esses objetivos: 1. A falta de apoio para o fortalecimento das associações das nossas comunidades do Assentamento, o que faz com que os assentados duvidem das decisões de seus representantes, não consigam reunir suas comunidades e chegar a consensos, e não consigam se organizar para conseguir cursos e Página 2 de 5

3 formações que melhorem sua participação nas instâncias decisórias. Isso acontece porque o Estado não dá apoio para que nossas organizações sejam fortalecidas, e, algumas vezes, atrapalha nossa organização comunitária. 2. A falta de informação, formações e divulgação das iniciativas dos órgãos de governo. 3. Falta de consulta prévia, livre e informada aos indígenas por parte do Estado. 4. Alguns órgãos públicos servem a interesses políticos e econômicos, e não participam de reuniões de instâncias de governança e controle social (como reuniões do Mosaico, das associações, de conselhos consultivos). 5. Iniciativas como PEC 215, PAC 2, e políticas que não respeitam os direitos dos povos indígenas, usando seu nome para conseguir legitimidade. 6. Falta de implementação das políticas públicas para fortalecer a agricultura familiar, em detrimento do vasto apoio ao agronegócio dado pelo Estado. 7. Falta de estrutura para a reforma agrária adequada no Assentamento Perimetral Norte. Como as politicas públicas a que temos direito não nos contemplam, nossas atividades produtivas são fragilizadas, e isso enfraquece a proteção territorial. Isso causa pressões sobre o Assentamento e sobre as áreas protegidas da região. 8. Incentivos à atividades madeireiras, construções de barragens e à grandes empreendimentos (como hidrelétricas, agronegócio, pecuária e mineração), que tomam conta de todo o mercado comercial, afetando a agricultura familiar e até os indígenas. 9. Falta de fiscalização adequada e de espaços para nosso controle social sobre esses empreendimentos e pautas de interesse regional. 10.Falta de apoio do Estado para a formação cidadã e falta de projetos para beneficiar os cidadãos. Para chegar a esses objetivos comuns, concordamos que devemos superar esses problemas, e pactuamos trabalhar em conjunto: Página 3 de 5

4 - Fortalecendo as formações dos jovens Wajãpi e jovens da Perimetral para que, assim, possamos fortalecer sua participação em instâncias de governança importantes para influenciar as políticas públicas de maneira positiva e, com isso, mobilizarem e organizarem suas comunidades. Para fazer isso, queremos fortalecer o Coletivo de Jovens e Meio Ambiente na Perimetral e envolver os Wajãpi. - Fortalecendo as instâncias de governança e participação como os conselhos consultivos do Mosaico, da Flota, do Parque, e conselhos de saúde, comitês de bacias, Conselho Municipal de Desenvolvimento Comunitário. - Fortalecendo iniciativas como os Fóruns da Juventude, as atividades que fizemos pelo Projeto Carteira Indígena e, agora, o Projeto GATI, para que os jovens troquem experiências sobre as formações que recebem, como a formação dos Agentes Socioambientais e Pesquisadores Wajãpi. - Fazendo capacitações sobre legislação em geral, ambiental e fundiária, associativismo, cooperativismo, fortalecimento de cadeias produtivas, para assentados e Wajãpi (jovens, homens e mulheres). Essas formações devem ser diferenciadas, para respeitar e valorizar suas especificidades. - Fortalecendo a participação das mulheres (indígenas e assentadas) em fóruns de governança. - Fortalecendo iniciativas como as do Carteira Indígena e a Faixa da Amizade para continuarmos debatendo problemas comuns e construindo soluções comuns; - Criando um Comitê Gestor Paritário (Associações Wajãpi e dos assentados), incluindo jovens e mulheres, para possibilitar a gestão socioambiental compartilhada da Faixa da Amizade, independentemente de qual base territorial ela venha e a ter, e criar e implementar o Plano de Gestão Socioambiental da Faixa. Esse Comitê deve reunir Wajãpi e vizinhos, de maneira representativa e legítima, para apreciar problemas e pactuar soluções comuns, que devem ser apresentadas aos órgãos públicos, através das instâncias competentes, como o Conselho Consultivo do Mosaico e da Flota. Página 4 de 5

5 - Lutando juntos para continuar fortalecendo a Efapen. - Ajudando os moradores do Assentamento a criar o Conselho das Vilas do Assentamento Perimetral Norte, para ajuda-los a fortalecer sua organização e a pactuar consensos, como os Wajãpi fazem com o Apina. Assim, nós produzimos essa Carta de Intenções, e queremos que o Estado e nossos parceiros respeitem as nossas decisões quanto ao nosso futuro e nosso desenvolvimento, nos termos da legislação que nos ampara e dessa Carta. Assinamos, Conselho das Aldeias Wajãpi Apina Associação Wajãpi Terra Ambiente e Cultura Instituto Iepé Escola Família Agrícola da Perimetral Norte Efapen Moradores do Projeto de Assentamento Perimetral Norte envolvidos no Projeto Mosaico de Áreas Protegidas da Amazônia Oriental Página 5 de 5

Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará

Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará Mosaico de Áreas Protegidas do Oeste do Amapá e Norte do Pará Acadebio, 13 a 17 de agosto de 2012 Márcia Nogueira Franceschini Instituto de Pesquisa e Formação Indígena PLANO DA APRESENTAÇÃO 2006-2010:

Leia mais

MARCO LÓGICO DO HOTSPOT CERRADO

MARCO LÓGICO DO HOTSPOT CERRADO MARCO LÓGICO DO HOTSPOT CERRADO 2016-2021 Objetivo Metas Meios de Verificação Premissas Importantes Envolver a sociedade civil na conservação da biodiversidade globalmente ameaçada, por meio de investimentos

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

CMRV Panorama Amapaense

CMRV Panorama Amapaense Governo do Estado do Amapá Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural - SDR Instituto Estadual de Florestas do Amapá IEF/AP CMRV Panorama Amapaense Mariane Nardi Christianni Lacy Soares Redd+ para o

Leia mais

Carta de Compromisso. Página 1 de 5

Carta de Compromisso. Página 1 de 5 Carta de Compromisso Nos dias 27 a 28 de setembro, reunimos 66 participantes de 33 organizações (representantes da sociedade civil, governo, entidades bancárias e financiadores) durante o Seminário Políticas

Leia mais

Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais

Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais Povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais Instalação e operação de grandes empreendimentos na Amazônia Isabelle Vidal Giannini Cássio Ingles de Sousa Papel da consultoria Apoio na construção

Leia mais

Comunidades Rurais e Extrativistas do Norte do Tocantins, Potencial e Produtos

Comunidades Rurais e Extrativistas do Norte do Tocantins, Potencial e Produtos Comunidades Rurais e Extrativistas do Norte do Tocantins, Potencial e Produtos Região do Bico do Papagaio Conforme o Sistema de Informações Territoriais, o Bico do Papagaio é composto por 25 municípios

Leia mais

O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA

O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA O COMITÊ GRAVATAHY E SEU TERRITÓRIO DE IRRIGAÇÃO E USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA PAULO ROBINSON DA SILVA SAMUEL¹; KELY BOSCATO PEREIRA² ¹ Engenheiro atuando na área de Gestão Ambiental na Universidade Federal

Leia mais

Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios

Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios Eixo 1: Fortalecimento da gestão ambiental municipal AGENDAS PRIORITÁRIAS 1. IMPLANTAR E/OU CONSOLIDAR O SISTEMA MUNICIPAL

Leia mais

PLANO SAFRA AMAZÔNIA

PLANO SAFRA AMAZÔNIA Ministério do Desenvolvimento Agrário Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Incra PLANO SAFRA AMAZÔNIA Janeiro 2014 AMAZÔNIA LEGAL 771 MUNICÍPIOS 9 ESTADOS 61% DO TERRITÓRIO BRASILEIRO 5.217.423

Leia mais

é o resultado de tudo isso: uma conquista de todos. Juliana Sampaio Juliana Veloso Cristina Amorim Karinna Matozinhos Maurício Angelo Sylvia Mitraud

é o resultado de tudo isso: uma conquista de todos. Juliana Sampaio Juliana Veloso Cristina Amorim Karinna Matozinhos Maurício Angelo Sylvia Mitraud Para colher o que queremos é preciso semente boa e trabalho árduo, O Plano Estadual da Agricultura Familiar de Mato Grosso, que você vai conhecer nesta cartilha, c o n t e ú d o SEAF-MT e IPAM edição de

Leia mais

Sistema Estadual de REDD+ de Mato Grosso

Sistema Estadual de REDD+ de Mato Grosso Sistema Estadual de REDD+ de Mato Grosso Minuta do Anteprojeto de Lei Diálogos Setoriais OAB, 19 de abril de 2011 Grupo de Trabalho de REDD do Fórum Estadual de Mudanças Climáticas de MT Laurent Micol

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016.

EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016. EDITAL PARA SELEÇÃO NACIONAL DE BOAS PRÁTICAS DE ATER NA AGRICULTURA FAMILIAR E NA REFORMA AGRÁRIA - Edição 2016. A Secretaria Nacional da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

CURSO POLÍTICAS PÚBLICAS NO SEMIÁRIDO DO NORDESTE: PARTICIPAÇÃO E JUVENTUDE. Profº Guilherme Soares UFRPE

CURSO POLÍTICAS PÚBLICAS NO SEMIÁRIDO DO NORDESTE: PARTICIPAÇÃO E JUVENTUDE. Profº Guilherme Soares UFRPE POLÍTICAS PÚBLICAS NO SEMIÁRIDO DO NORDESTE: PARTICIPAÇÃO E JUVENTUDE. Profº Guilherme Soares UFRPE : POLÍTICAS PÚBLICAS NO SEMIÁRIDO DO NORDESTE: Módulo III O AMBIENTE OPERACIONAL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS:

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) torna público o termo de referência para a contratação de consultor especializado para produzir informações

Leia mais

Oficina. Grandes Obras na Amazônia. Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra

Oficina. Grandes Obras na Amazônia. Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra Oficina Grandes Obras na Amazônia Tema 5: Ordenamento Territorial e Biodiversidade *Síntese* Ane Alencar Paulo Moutinho e Raissa Guerra Rumo da discussão FORMULAÇÃO DE DIRETRIZES PARA POLÍTICAS PÚBLICAS

Leia mais

09:15 às 09: Estado e povos tradicionais: políticas públicas destinadas ao território tradicional.

09:15 às 09: Estado e povos tradicionais: políticas públicas destinadas ao território tradicional. AGENDA DE ENTREVISTAS - MESTRADO DIA 16/11 QUARTA-FEIRA 08:30 às 09:10 201713060031-9 Economia Solidária e Cooperativismo na Amazônia: Tecnologias Sociais e autonomia territorial em Terras Quilombolas

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS

INDICADORES ECONÔMICOS INDICADORES ECONÔMICOS PRODUTO INTERNO BRUTO PIB Apresentação: Lana Oliveira Gerente Serviços Ambientais Instituto Estadual de Florestas Diversidade Ambiental Área de floresta 80% do Estado, 7% das florestas

Leia mais

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL PERNAMBUCO RELATÓRIO FINAL COMISSÃO EECUTIVA Pesqueira/PE Setembro/2011 1 IV CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ALIMENTAÇÃO

Leia mais

QUE NOS INSPIRA! ESSE É O IDEAL

QUE NOS INSPIRA! ESSE É O IDEAL Promover a sustentabilidade na produção do cacau, a melhoria na renda da comunidade local e a conservação dos recursos naturais. ESSE É O IDEAL QUE NOS INSPIRA! Flickr.com/outdoorPDK PROJETO Produção e

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE CONTRATAÇÃO E TERMO DE REFERÊNCIA O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) torna público o Termo de Referência para a contratação de técnico de campo do Projeto Nossa Terra: Gestão

Leia mais

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR MISSÃO Promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país. MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR Diretoria

Leia mais

DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA

DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA DIRETRIZES de Ação OFICINA I MANTIQUEIRA 1. Implementação da trilha de longa distância que liga Monte Verde (SP) à Itatiaia (RJ), apelidada trans Mantiqueira. (Ver dissertação de mestrado do gestor Waldir

Leia mais

Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades

Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades Regularização fundiária de territórios caiçaras: instrumentos e possibilidades Oficina Gestão da Orla e Regularização Fundiária de Imóveis da União 09/11/2015, Caraguatatuba "Arco-íris na plataforma de

Leia mais

Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia

Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia Economia Verde e as Comunidades Tradicionais da Amazônia Carlos Gabriel Koury Secretário Executivo Idesam Manaus, Outubro 2011 IDESAM Criado em 2004; Programas Temáticos: Mudanças Climáticas e Serviços

Leia mais

Comunidade Remanescente de Quilombo Mandira Cananéia/SP

Comunidade Remanescente de Quilombo Mandira Cananéia/SP Comunidade Remanescente de Quilombo Mandira Cananéia/SP Localização do Mandira Mandira Nossa História Atividades Comunitárias MANEJO DE OSTRAS Atividades Comunitárias CORTE E COSTURA/ARTESANATO Atividades

Leia mais

Documento Final Oficina-seminário sobre conteúdo e regras de aplicação do direito de consulta livre, prévia e informada no Brasil

Documento Final Oficina-seminário sobre conteúdo e regras de aplicação do direito de consulta livre, prévia e informada no Brasil 1 Documento Final Oficina-seminário sobre conteúdo e regras de aplicação do direito de consulta livre, prévia e informada no Brasil A Rede de Cooperação Alternativa (RCA), juntamente com a Associação Brasileira

Leia mais

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária Constituição do Brasil O que é SCJS Uma Estrategia De Reconhecimento e

Leia mais

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

ADVERTÊNCIA. Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União. Ministério da Saúde Gabinete do Ministro ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.311, DE 23 DE OUTUBRO DE 2014 Altera a Portaria nº 2.866/GM/MS, de 2 de

Leia mais

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE FORUM DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE Recife,

Leia mais

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Secretaria de Agricultura Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural Secretaria de Agricultura 6º Congresso de Educação Agrícola Superior e 51ª Reunião Anual da ABEAS A Sustentabilidade das Profissões da Área Rural e a Inovação

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DO TERRITÓRIO DO POVO PAITER SURUÍ

PLANO DE GESTÃO DO TERRITÓRIO DO POVO PAITER SURUÍ PLANO DE GESTÃO DO TERRITÓRIO DO POVO PAITER SURUÍ 1 er. Encuentro REDD+ Indigena Amazonico Rio Branco, Acre (Brasil) 20 de mayo 2014 Almir Narayamoga Surui Lider Maior do Povo Paiter Surui PAITER SURUÍ

Leia mais

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas,

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas, Carta Aberta Dos Representantes dos Povos das Terras Indígenas Rio Branco, Uru Eu Wau Wau, Igarapé Lourdes, Rio Guaporé e Seringueiros da RESEXs Federal e Estadual do Rio Cautário, tornam públicas suas

Leia mais

Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira).

Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira). Apoio à elaboração de uma política de gestão sustentável da floresta e da biodiversidade no Estado do Amapá (Amazônia brasileira). Gestão de Florestas do Amapá (GEFLO). Lidiane Vieira Áreas de Abrangência

Leia mais

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz Não é possível exibir esta imagem no momento. II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz 1 Longo e grave histórico de conflitos( ES e BA ) Relacionamento com comunidades

Leia mais

ATER PARA MULHERES. O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil

ATER PARA MULHERES. O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil ATER PARA MULHERES O processo de organização das mulheres na construção do Feminismo e da Agroecologia no Brasil PARA NÓS A AGROECOLOGIA É Um modo de produzir, relacionar e viver na agricultura que implica

Leia mais

Mosaico Mantiqueira. Clarismundo Benfica. São Paulo, Maio de 2009

Mosaico Mantiqueira. Clarismundo Benfica. São Paulo, Maio de 2009 Mosaico Mantiqueira Integração de Ações Regionais Foto: Clarismundo Benfica Clarismundo Benfica São Paulo, Maio de 2009 Mosaicos de UCs rede formal de UCs trabalhando para melhorar as capacidades individuais

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2 1. Introdução A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos dos Municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória COOPMETRO é uma entidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/ CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO EXTENSIONISTA

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/ CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO EXTENSIONISTA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 - CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO EXTENSIONISTA (Administração; Gestão Ambiental; Engenharia de produção; Engenharia de Alimentos ou Engenharia Agronômica) NO ÂMBITO DO PROJETO CTA/MDA

Leia mais

Política Comercial e de Direitos Humanos. 1 Introdução 2 Comprometimento 3 Entrega 4 Controle

Política Comercial e de Direitos Humanos. 1 Introdução 2 Comprometimento 3 Entrega 4 Controle Política Comercial e de Direitos Humanos 1 Introdução 2 Comprometimento 3 Entrega 4 Controle BP 2013 Política Comercial e de Direitos Humanos 1. Introdução Disponibilizamos energia para o mundo. Encontramos,

Leia mais

AGROECOLOGIA TECNÓLOGO Oferta por meio do SiSU 2º semestre

AGROECOLOGIA TECNÓLOGO Oferta por meio do SiSU 2º semestre AGROECOLOGIA TECNÓLOGO Oferta por meio do SiSU 2º semestre DESCRIÇÃO DO CURSO: O Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia forma profissionais para desenvolver, de modo pleno e inovador, as atividades

Leia mais

Nove áreas temáticas do programa

Nove áreas temáticas do programa Nove áreas temáticas do programa Com base no Plano de Ação FLEGT da União Europeia, a gerência do programa estabeleceu nove áreas temáticas apoiadas pelo programa. Sob cada tema, há uma lista indicativa

Leia mais

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome

Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome - 06-23-2016 Exposição fotográfica: cinco anos de cooperação por um mundo sem fome por Por Dentro da África - quinta-feira, junho 23,

Leia mais

III ENCONTRO ESTADUAL DE AGROECOLOGIA E II FESTA ESTADUAL DAS SEMENTES CARTA POLÍTICA E AGENDA DE LUTAS

III ENCONTRO ESTADUAL DE AGROECOLOGIA E II FESTA ESTADUAL DAS SEMENTES CARTA POLÍTICA E AGENDA DE LUTAS III ENCONTRO ESTADUAL DE AGROECOLOGIA E II FESTA ESTADUAL DAS SEMENTES CARTA POLÍTICA E AGENDA DE LUTAS novembro de 2013 CARTA POLÍTICA Durante os dias em que participamos do III Encontro de Agroecologia

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL TERMO DE ADESÃO AO COMPROMISSO NACIONAL PELA PARTICIPAÇÃO SOCIAL O Município (NOME), representado

Leia mais

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe.

O Brasil Melhorou. 36 milhões. de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos. 42 milhões. de brasileiros ascenderam de classe. O Brasil Melhorou 36 milhões de brasileiros saíram da pobreza em 10 anos 42 milhões de brasileiros ascenderam de classe Fonte: SAE/PR O Brasil Melhorou O salário mínimo teve um aumento real de 70% Em 2003,

Leia mais

CARTA ABERTA DA DELEGAÇÃO DO ACRE E SUDOESTE DO AMAZONAS

CARTA ABERTA DA DELEGAÇÃO DO ACRE E SUDOESTE DO AMAZONAS CARTA ABERTA DA DELEGAÇÃO DO ACRE E SUDOESTE DO AMAZONAS Carta Aberta nº 001/2016/Delegação De: Delegação do Acre e Sudoeste do Amazonas Para: Poder Legislativo, Executivo e Judiciário Brasília-DF, 21

Leia mais

EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO. Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente.

EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO. Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente. EFETIVIDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO DO CAMPO PAVINI, Gislaine Cristina 1 RIBEIRO, Maria Lucia 2 Eixo Temático: Política Pública da Educação e da Criança e do Adolescente. RESUMO Este trabalho

Leia mais

Programa de Competitividade da Agricultura Familiar de Santa Catarina

Programa de Competitividade da Agricultura Familiar de Santa Catarina Programa de Competitividade da Agricultura Familiar de Santa Catarina Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável Secretaria de Estado da Infraestrutura Secretaria de Estado do Turismo,

Leia mais

DOCUMENTO FINAL. Seminário Técnico. Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização

DOCUMENTO FINAL. Seminário Técnico. Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização DOCUMENTO FINAL Seminário Técnico Frutas Nativas do Rio Grande do Sul: manejo, beneficiamento e comercialização No dia 06 de dezembro de 2010 ocorreu o Seminário Frutas Nativas do RS: manejo, beneficiamento

Leia mais

CEADEC 16 anos de história e de luta

CEADEC 16 anos de história e de luta CEADEC 16 anos de história e de luta O CEADEC é uma organização não governamental, qualificada como Oscip Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que atua na assessoria à formação de cooperativas

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15

GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15 GRUPO DE TRABALHO EDUCAÇÃO AMBIENTAL Kharen Teixeira (coord.) Uberlândia, 29/04/15 Portaria CTPI 23/2013 Atribuições: I Propor diretrizes e ações de Educação Ambiental relacionadas aos recursos hídricos

Leia mais

O Ordenamento Fundiário no Brasil. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária

O Ordenamento Fundiário no Brasil. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária O Ordenamento Fundiário no Brasil Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA MISSÃO Implementar a política de reforma agrária e realizar

Leia mais

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios

Serviços Técnicos e Gestão Ambiental no Agronegócio Diretoria de Agronegócios 47º Café com Sustentabilidade - Febraban Pecuária Sustentável: Agentes financeiros como indutores de boas práticas Modelos de financiamento e investimento: incentivos à adoção de boas práticas socioambientais

Leia mais

Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia

Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia Mercados verdes e Consumo Sustentável Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH Uma estratégia de redução do desmatamento na Amazônia 17/05/2017 Frank Krämer Conteúdo A GIZ no

Leia mais

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989);

A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); A organização da ECO-92 foi solicitada pela resolução da Assembléia Geral das Nações Unidas (dezembro, 1989); Essa reunião mundial (CNUMAD - 92) foi organizada para elaborar a estratégia para deter e reverter

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 008/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 008/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( )

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( ) Setembro 2016 4.571 7.464 7.000 6.418 5.891 5.012 5.831 11.030 11.651 13.730 13.786 13.227 12.911 14.896 14.896 14.286 16.531 17.770 18.161 17.383 17.259 18.226 18.165 19.014 21.050 21.651 25.396 27.772

Leia mais

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 Regularização Fundiária e os Conflitos Sociais Áreas Protegidas Mineração

Leia mais

Sena Madureira e Manoel Urbano

Sena Madureira e Manoel Urbano Plano de Manejo Sena Madureira e Manoel Urbano Contexto - entorno PM1 Conselho Deliberativo PM2 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 PM1 12 meses PM2 16 meses (aprovação do CD) Diagnóstico 2003 (jun a out)

Leia mais

131 - Núcleo de Agroecologia Ivinhema: ATER diferenciada valorizando saberes, conhecimentos e experiências no Território do Vale do Ivinhema, MS

131 - Núcleo de Agroecologia Ivinhema: ATER diferenciada valorizando saberes, conhecimentos e experiências no Território do Vale do Ivinhema, MS 131 - Núcleo de Agroecologia Ivinhema: ATER diferenciada valorizando saberes, conhecimentos e experiências no Território do Vale do Ivinhema, MS PEDROSA, Rosangela Aparecida. APOMS, pedrosarosangela@hotmail.com;

Leia mais

Propor que os cursos de Pedagogia e outras licenciaturas incentivem o conhecimento e atuação nestes espaços. Incluir algumas horas de

Propor que os cursos de Pedagogia e outras licenciaturas incentivem o conhecimento e atuação nestes espaços. Incluir algumas horas de CARTA DE SÃO CARLOS Os participantes do VIII Seminário Estadual do Fórum Paulista de Educação de Jovens e Adultos, reunidos na Universidade Federal de São Carlos, no dia 03 de setembro de 2016 para refletir

Leia mais

CARTA DO AHUMÃ -II Encontro dos Jovens Indígenas de Oiapoque

CARTA DO AHUMÃ -II Encontro dos Jovens Indígenas de Oiapoque CARTA DO AHUMÃ -II Encontro dos Jovens Indígenas de Oiapoque Nós, jovens indígenas, reunidos no II Encontro dos Jovens Indígenas de Oiapoque, que reuniu delegações do Rio Oiapoque (TI Juminã), da BR-156,

Leia mais

Licenciamento Ambiental de Grandes Empreendimentos, Povos Indígenas, Comunidades Tradicionais e Quilombolas

Licenciamento Ambiental de Grandes Empreendimentos, Povos Indígenas, Comunidades Tradicionais e Quilombolas Licenciamento Ambiental de Grandes Empreendimentos, Povos Indígenas, Comunidades Tradicionais e Quilombolas DIRETRIZES PARA POLI TICAS PU BLICAS E PRA TICAS EMPRESARIAIS PARA INSTALAC A O E OPERAC A O

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AOS POVOS INDÍGENAS

PROGRAMA DE APOIO AOS POVOS INDÍGENAS PROGRAMA DE APOIO AOS POVOS INDÍGENAS BRASIL ESTRATÉGIA 2015-2019 Introdução A Noruega procura ter um papel ativo nos esforços para proteger e promover os direitos dos povos indígenas e para melhorar suas

Leia mais

REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO PARA A REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS PROGRAMAÇÃO DAS REUNIÕES DE MOBILIZAÇÃO SOCIAL 19h00 - ABERTURA 19h15 - APRESENTAÇÃO SOBRE PLANO DIRETOR 19h30 - MOMENTO DE

Leia mais

Política Territorial da Pesca e Aquicultura

Política Territorial da Pesca e Aquicultura Política Territorial da Pesca e Aquicultura Esplanada dos Ministérios, bloco D, CEP 70.043-900 - Brasília/DF Telefone: (61) 3218-3865 Fax (61)3218-3827 www.mpa.gov.br comunicacao@mpa.gov.br APRESENTAÇÃO

Leia mais

Brasil Sem Miséria RURAL

Brasil Sem Miséria RURAL Brasil Sem Miséria RURAL O desafio de acabar com a miséria Nos últimos anos, 28 milhões de brasileiros superaram a pobreza; Apesar disso, ainda há 16 milhões de pessoas extremamente pobres no Brasil; Para

Leia mais

Conselhos e Conferências Nacionais

Conselhos e Conferências Nacionais Conselhos e Conferências Nacionais Conferências Nacionais Caro prefeito e cara prefeita, As conferências constituem importantes instrumentos de participação popular na construção e acompanhamento de políticas

Leia mais

LIDERANÇA DO PT NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

LIDERANÇA DO PT NA CÂMARA DOS DEPUTADOS LIDERANÇA DO PT NA CÂMARA DOS DEPUTADOS Núcleo Agrário da Bancada do Partido dos Trabalhadores Analise sobre a Proposta de Lei Orçamentária 218 Os Cortes Rasos nas Ações Estruturantes das áreas Agrícola,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA - PROExC EDITAL Nº 5, de 18 de setembro de 2017. PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o

Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO <!ID1397273-0> PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o Programa Organização Produtiva de Mulheres Rurais, que visa

Leia mais

O fazer de nossas mãos pelo fortalecimento sindical.

O fazer de nossas mãos pelo fortalecimento sindical. O fazer de nossas mãos pelo fortalecimento sindical. CONTRIBUIÇÃO SINDICAL O que é? É um tributo previsto na Constituição Federal (CF) e Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), cujo recolhimento é obrigatório.

Leia mais

O objetivo do programa DEL. Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte.

O objetivo do programa DEL. Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte. CENÁRIO O objetivo do programa DEL Aumentar a competitividade e capacidade de transformação dos municípios de pequeno e médio porte. 3 Princípios do DEL Protagonismo dos Atores Política de Produto Desenvolviment

Leia mais

A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO I DA POLÍTICA DE FOMENTO À ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEUS AGENTES

A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO I DA POLÍTICA DE FOMENTO À ECONOMIA SOLIDÁRIA E SEUS AGENTES P R O J E T O D E L E I - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Institui a política de fomento à economia solidária, e dá outras providências. A Câmara Municipal de São Bernardo do Campo decreta: CAPÍTULO

Leia mais

Princípios e critérios para a produção de carvão vegetal utilizado na produção de ferro gusa para a cadeia produtiva do aço sustentável brasileiro.

Princípios e critérios para a produção de carvão vegetal utilizado na produção de ferro gusa para a cadeia produtiva do aço sustentável brasileiro. Princípios e critérios para a produção de carvão vegetal utilizado na produção de ferro gusa para a cadeia produtiva do aço sustentável brasileiro. Introdução ao documento: Os Princípios e Critérios (P&C)

Leia mais

Plano Estadual do Livro e Leitura da Bahia ( ) Textos de referência

Plano Estadual do Livro e Leitura da Bahia ( ) Textos de referência Plano Estadual do Livro e Leitura da Bahia (2013-2022) Textos de referência 1. PROBLEMAS DIAGNOSTICADOS a. Índices elevados de analfabetismo e baixo nível de escolaridade da população. b. Fragilidade de

Leia mais

Resolução adotada pela Assembleia Geral. [sobre o relatório do 3 o Comitê (A/56/572)] 56/117. Políticas e programas envolvendo a juventude

Resolução adotada pela Assembleia Geral. [sobre o relatório do 3 o Comitê (A/56/572)] 56/117. Políticas e programas envolvendo a juventude Nações Unidas A/RES/56/117 Assembleia Geral Distribuição: Geral 18 de janeiro de 2002 56 a sessão Item 108 da pauta Resolução adotada pela Assembleia Geral [sobre o relatório do 3 o Comitê (A/56/572)]

Leia mais

Ministério do Ambiente. Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade

Ministério do Ambiente. Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade Ministério do Ambiente Uma Contribuição para o Desenvolvimento Econômico do Brasil a Partir do Uso Sustentável da Biodiversidade Diversidade Sociocultural Megabiodiversidade BRASIL: Algumas Estatísticas

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PELA PECUÁRIA SUSTENTÁVEL

ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PELA PECUÁRIA SUSTENTÁVEL ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PELA PECUÁRIA SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por meio dos Procuradores da República subscritos, no regular exercício de suas atribuições institucionais, com base nos

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais Projeto de Lei de Iniciativa Popular Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais O projeto de lei de iniciativa popular é uma ferramenta que possibilita aos cidadãos a apresentação de propostas de

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO Lato Sensu EM EXTENSÃO RURAL 1. Curso: Curso de Pós-Graduação em nível de ESPECIALIZAÇÃO em EXTENSÃO RURAL. 2. Justificativa O programa de Pós-graduação

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE

RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE RELATÓRIO FINAL DA I CONFERENCIA NACIONAL DE EMPREGO E TRABALHO DECENTE Realizada de 08 a 11 de agosto de 2012 MÁRIO DOS SANTOS BARBOSA Assessor Especial para Assuntos Internacionais Coordenador da I CNETD

Leia mais

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE 2009 PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE GESTORES AMBIENTAIS PNC/PR Elias Araujo Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos CONSTRUINDO O PLANO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE Texto de apoio

Leia mais

Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios

Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios Regularização Fundiária no Brasil Experiências e Desafios Francisco Urbano Araújo Filho Coordenador Geral de Reordenamento Agrário O Território Brasileiro Área em km²: 8.511.000 N Unidades Federativas:

Leia mais

Núcleo de Pesquisa Aplicada à Pesca e Aquicultura do Tocantins NUPA NORTE 05 Plano de Ação 2/semestre

Núcleo de Pesquisa Aplicada à Pesca e Aquicultura do Tocantins NUPA NORTE 05 Plano de Ação 2/semestre Núcleo de Pesquisa Aplicada à Pesca e Aquicultura do Tocantins NUPA NORTE 05 Plano de Ação 2/semestre Coordenadora: Sylvia Salla Setubal Secretaria: Gislene Magali Silva I. Capacitação Calendário das ofertas

Leia mais

Mecanismos financeiros para a conservação

Mecanismos financeiros para a conservação Mecanismos financeiros para a conservação FUNDOS PARA A VIDA Fundo Kayapó Fundo Amapá Fundo de apoio ao uso público BA/ES Photo 1 4.2 x 10.31 Position x: 8.74, y:.18 Fundo Kayapó Uma aliança de longo prazo

Leia mais

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA

EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA EIXO III EDUCAÇÃO, TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CULTURA, CIÊNCIA, TECNOLOGIA, SAÚDE, MEIO AMBIENTE DOCUMENTO REFERÊNCIA SUGESTÃO Desde os anos 1980, observam-se transformações significativas

Leia mais

CORREDOR DE BIODIVERSIDADE DO ARAGUAIA

CORREDOR DE BIODIVERSIDADE DO ARAGUAIA CORREDOR DE BIODIVERSIDADE DO ARAGUAIA CORREDOR DE BIODIVERSIDADE Região de grande importância biológica onde são desenvolvidas atividades visando associar a proteção da biodiversidade com o desenvolvimento

Leia mais

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 5 Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 1 CONTROLE SOCIAL: O controle social é entendido como a participação do cidadão na gestão

Leia mais

Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ

Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para Mulheres Rurais Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para Mulheres Rurais Meta: Projetos Apoiados: 1

Leia mais

Processo de regulamentação dos procedimentos de consulta prévia no Brasil Convenção 169 OIT

Processo de regulamentação dos procedimentos de consulta prévia no Brasil Convenção 169 OIT Secretaria-Geral da Presidência da República Secretaria Nacional de Articulação Social Processo de regulamentação dos procedimentos de consulta prévia no Brasil Convenção 169 OIT Maio de 2013 Introdução

Leia mais

I Encontro Nacional do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

I Encontro Nacional do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares I Encontro Nacional do Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares GRUPO DE TRABALHO Municípios das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul Criação do Grupo Articulador Definir quem é o grupo

Leia mais

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura

Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Regimento Interno da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura Capítulo I Da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) Artigo 1º A Comissão Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) é um colegiado autônomo,

Leia mais

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS

PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO DO MUNICÌPIO DE BOM JESUS DO ITABAPOANA PROGREDIR BOM JESUS PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO INTEGRADO RURAL PROJETO: PROMOVER O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 215/2012 Deputado(a) Altemir Tortelli

PROJETO DE LEI Nº 215/2012 Deputado(a) Altemir Tortelli DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, terça-feira, 10 de fevereiro de 2015. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 215/2012 Institui a Política Estadual de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS NA FORMAÇÃO DE TÉCNICOS AGRÍCOLAS COM OS PRINCÍPIOS AGROECOLÓGICOS: REFLEXÕES A PARTIR DA PESQUISA E EXTENSÃO

DESAFIOS E PERSPECTIVAS NA FORMAÇÃO DE TÉCNICOS AGRÍCOLAS COM OS PRINCÍPIOS AGROECOLÓGICOS: REFLEXÕES A PARTIR DA PESQUISA E EXTENSÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA DESAFIOS E PERSPECTIVAS NA FORMAÇÃO DE TÉCNICOS AGRÍCOLAS COM OS PRINCÍPIOS AGROECOLÓGICOS: REFLEXÕES A PARTIR DA PESQUISA E EXTENSÃO COSTA, Davi Silva 1 RAMOS, Bianca Stephanie Paranhos

Leia mais

Unidade de Doações Nacionais e Internacionais

Unidade de Doações Nacionais e Internacionais Relatório anual funbio 2015 3 Unidade de Doações Nacionais e Internacionais Unidade de Doações Nacionais e Internacionais Relatório anual funbio 2015 5 O projeto envolveu 21 famílias de agricultores familiares,

Leia mais