FIGURA 1.3 Indicação dos tipos de relações num diagrama ER 1-N N-N 1-N DISTRITOS PRODUTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FIGURA 1.3 Indicação dos tipos de relações num diagrama ER 1-N N-N 1-N DISTRITOS PRODUTOS"

Transcrição

1 14 ACCESS 2013 MACROS & VBA CURSO COMPLETO Por exemplo, numa escola, se um aluno só pudesse estar inscrito numa única turma, estaríamos perante uma relação do tipo 1-1; em contrapartida, se um aluno se pudesse inscrever em várias turmas, estaríamos perante uma relação do tipo N-N. No exemplo da loja de computadores, temos três relações de dois tipos (uma do tipo N-N e duas do tipo 1-N): A relação Produtos Encomendas é do tipo N-N (vários produtos para diversas encomendas); A relação Fornecedores Encomendas é do tipo 1-N (um fornecedor pode ser solicitado por diversas vezes e uma encomenda só faz referência a um fornecedor); A relação Distritos Fornecedores é do tipo 1-N (um distrito pode acolher vários fornecedores e um fornecedor tem sede num único distrito). Em diagramas ER, o tipo de relação é assinalado no interior de losângulos, como na Figura 1.3. ENCOMENDAS 1-N FORNECEDORES N-N 1-N PRODUTOS DISTRITOS FIGURA 1.3 Indicação dos tipos de relações num diagrama ER FASE IV: DEFINIR ATRIBUTOS Os atributos representam propriedades elementares e definem os valores associados a cada ocorrência das entidades. Por exemplo, as pessoas têm idade, altura, peso; os veículos automóveis têm cor, cilindrada, número de portas. Um identificador é um atributo ou grupo de atributos que determinam univocamente uma entidade (chave). A Tabela 1.9 apresenta os atributos das entidades envolvidas no processo de encomendas.

2 UTILIZAÇÃO DA SQL 75 FIGURA 2.57 Esquema relacional completo RESOLUÇÃO (PONTO 2) Para obter uma listagem dos professores que lecionam mais de uma turma: 1) Crie uma consulta em vista de SQL e componha a instrução seguinte: SELECT Professores.P, Professores.Prof, COUNT(Turmas.T) AS Contagem FROM Professores INNER JOIN Turmas ON Professores.P=Turmas.P GROUP BY Professores.P, Professores.Prof HAVING COUNT(Turmas.T)>1 2) Guarde a consulta com o nome ProfessoresComVariasTurmas; 3) Ao executar a consulta, obtém duas linhas de retorno de facto, os professores Rui Lopes e Ana Sá monitorizam duas turmas cada (Figura 2.58); FIGURA 2.58 Lista de monitores com mais de uma turma 4) Feche a consulta. RESOLUÇÃO (PONTO 3) Para determinar o número total de turmas: 1) Crie uma consulta em vista de SQL e digite a seguinte instrução: SELECT COUNT(*) AS [Total de Turmas] FROM Turmas

3 108 ACCESS 2013 MACROS & VBA CURSO COMPLETO BOM DIA E BOA NOITE Crie uma macro capaz de mostrar o texto Bom dia!, se a hora atual estiver compreendida entre as 7:00 e as 19:00, e o texto Boa noite!, no caso inverso. Recorra à ação MessageBox (CaixaDeMensagem). RESOLUÇÃO 1) Crie uma macro na base de dados utilizada nos dois exercícios anteriores; 2) Na janela de estruturação da macro, estabeleça as duas expressões condicionais If (Se) e as respetivas ações MessageBox (CaixaDeMensagem), exatamente como na Figura 3.12; FIGURA 3.12 Utilização de condições em macros 3) Guarde a macro com o nome DiaNoite; 4) Feche a estrutura da macro; 5) Execute a macro; 6) Mediante a hora atualmente definida no sistema operativo, deverá surgir a caixa de diálogo com a mensagem correspondente.

4 126 ACCESS 2013 MACROS & VBA CURSO COMPLETO REPETIÇÕES EM NÚMERO INDETERMINADO Nos casos em que se torna percetível a necessidade de reexecução de instruções, mas não se sabe o número de vezes que determinado ciclo deve ser consumado, recorre- -se às operações de repetição em número indeterminado. Um problema clássico cuja resolução contenha este método é aquele que, dado um número inteiro superior à unidade, determina o seu fatorial 27. A representação (em linguagem natural) de um algoritmo para determinar o fatorial de um número consiste nos passos que se seguem: 1) Introdução de um número inteiro superior a 1 por parte do utilizador; 2) O primeiro fator da multiplicação é o próprio número; 3) Enquanto não se chegar à unidade O próximo fator é decrementado em uma unidade; É efetuado o produto correspondente. 4) Apresentação do fatorial. O respetivo fluxograma encontra-se disposto na Figura 4.9. INÍCIO N FAT = N FAT = FAT * N N>1 NÃO FAT SIM FIM N = N - 1 FIGURA 4.9 Fatorial de um número (fluxograma) Em pseudocódigo, obtém-se a listagem que se segue: Start 'Início do programa Input n 'Introdução de um número inteiro superior a 1 fat = n 'O primeiro fator é igual ao próprio número While n > 1 'Enquanto não se chegar à unidade n = n 1 'Decremento do fator 27 O fatorial de um número inteiro n corresponde ao produto dos números inteiros desde 1 até n; é representado por um ponto de exclamação (!) precedido do número para o qual se pretende determinar o seu fatorial; por exemplo, 5! = 5x4x3x2x1 5! = 120.

5 ARQUITETURA VBA 159 O posicionamento e as dimensões escolhidas nesta fase não são definitivos. Para redimensionar o objeto, pode utilizar um dos quadrados que o delimitam e, para alterar a sua localização no formulário, deve arrastá-lo até à posição pretendida. Tal como já foi enunciado, todos os objetos contêm propriedades predefinidas que podem ser alteradas mediante as preferências do programador. Quando terminámos o desenho do nosso objeto, o Access encarregou-se de escrever o texto Command0 na sua face. Como modificá-lo? O processo para modificar qualquer característica de determinado controlo em modo de desenho é o seguinte: 1) Selecione o objeto em causa, fazendo clique com o botão esquerdo do rato sobre o mesmo. Verificamos facilmente que o controlo está selecionado através dos quadrados a cheio que o circundam; 2) Faça clique com o botão direito do rato sobre o objeto a ser modificado. Do menu de contexto, escolha a opção Properties (Propriedades); Pode também fazer clique sobre o botão Property Sheet (Folha de Propriedades), disponível na secção Tools (Ferramentas), ou recorrer à combinação de teclas <Alt + Enter>. 3) Surge a Property Sheet (Folha de Propriedades). Esta janela apresenta uma listagem das propriedades e respetivos valores para os objetos presentemente selecionados (Figura 5.6). Caixa do objeto Tipo de objeto Separadores Propriedades Valores FIGURA 5.6 Componentes da Property Sheet (Folha de Propriedades) Na Property Sheet (Folha de Propriedades), pode encontrar as secções que apresentamos no Quadro 5.2.

6 FUNÇÕES DO VBA 227 FIGURA 6.6 Valores retornados pela função MsgBox (exemplo) FUNÇÃO INPUTBOX A função InputBox apresenta no ecrã uma caixa de mensagem padrão de sistema operativo que serve para recolher informações do utilizador na forma de texto. São utilizados os argumentos apresentados na Tabela 6.6. NOME DESCRIÇÃO OBRIGATÓRIO? TIPO Prompt Mensagem a ser apresentada na caixa. Sim String Title Texto da barra de título da janela. O texto predefinido é Microsoft Access. Não String Default Texto predefinido na caixa de introdução. Não String XPos YPos Expressão numérica que especifica, em medidas de ecrã (twips), a distância horizontal entre a extremidade esquerda da caixa de diálogo e o limite esquerdo do ecrã. Se este argumento for omitido, a caixa é centrada na horizontal. Especifica a distância vertical entre o topo da caixa de diálogo e o topo do ecrã. Se este argumento for omitido, a caixa é centrada na vertical. Não Não Number Number Helpfile Aponta para determinado ficheiro de ajuda. Não String Context Número correspondente ao tópico de ajuda para o qual o utilizador será direcionado. Não Number TABELA 6.6 Argumentos da função InputBox

7 OBJETOS DO ACCESS ) Feche o Access; 18) Feche o Word. Apenas pode executar este procedimento uma única vez, pois, caso o ficheiro já exista, o Access não consegue, por si só, eliminá-lo do sistema de ficheiros para dar origem a um novo. Se for o caso, o leitor obtém um erro em tempo de execução, com indicação de que já existe uma base de dados com o mesmo nome. Neste caso, a aplicação Access, apesar de invisível, continua a ser executada e deverá recorrer-se à combinação de teclas <Ctrl + Alt + Del> para forçar o encerramento da aplicação e terminar todos os processos a ela referentes. ANÁLISE (INSTRUÇÃO A INSTRUÇÃO) Para além das respetivas declarações e inicializações da variável e da constante globais, foi criado o procedimento TesteAccess para executar a tarefa: Dim appaccess As Object visa a declaração da variável-objeto, que irá funcionar como um apontador para a aplicação Access; Const fich As String = "C:\Curso\MacroWord.accdb" permite declarar uma constante correspondente ao caminho completo do ficheiro de base de dados a ser criado e posteriormente aberto; Set appaccess = CreateObject("Access.Application") instrução que corresponde à inicialização do objeto Application da biblioteca de Access. A partir deste instante, o Access é inicializado (sem abrir qualquer base de dados) e permanece na memória do computador enquanto a variável-objeto appaccess não for destruída ou redefinida com futuras atribuições Set; appaccess.newcurrentdatabase fich o método NewCurrentDatabase do objeto Application permite criar um novo ficheiro de base de dados (esse ficheiro é criado com o nome MacroWord e com extensão accdb); appaccess.createform fich o método CreateForm do objeto Application cria um formulário vazio no ficheiro especificado; Não é necessário especificar o nome da base de dados quando se pretende criar um formulário no ficheiro atual. appaccess.docmd.save acform, "Form1" recorreu-se ao método Save do objeto DoCmd (descendente direto do objeto Application) que, neste caso, guarda o formulário com o nome Form1; appaccess.createcontrol "Form1", actextbox, acdetail o método CreateControl do objeto Application adiciona um controlo ao formulário ou relatório especificado; esta instrução desenha no Form1 uma caixa de texto

8 AUTOMATIZAÇÃO DE FORMULÁRIOS TEXT BOX (CAIXA DE TEXTO) Controlo que obtém informações do utilizador sob a forma de texto. Estas caixas podem ser configuradas de forma a validarem a informação introduzida, antes de o programa levar a cabo determinada tarefa. Podemos, ainda, estabelecer o número de carateres (mínimo e máximo) e definir uma máscara de introdução (expressão que limita o tipo de caráter, posição a posição). Normalmente, as caixas de texto apresentam rótulos à sua esquerda, na intenção de elucidar o utilizador acerca da categoria de informação a ser digitada. Em Access, sempre que se desenha uma caixa de texto surge um controlo associado (rótulo) à sua esquerda. O formulário da Figura 8.4 contém três caixas de texto, que obtêm o nome, a idade e a profissão de um cliente de uma agência de seguros. FIGURA 8.4 Apresentação de caixas de texto OPTION GROUP (GRUPO DE OPÇÕES) Em formulários mais complexos, é comum utilizar-se este tipo de controlos no sentido de agrupar um conjunto vasto de informações em diferentes categorias. Para além de tornar o formulário mais explícito, é um contributo de mais-valia para melhorar a apresentação e estética do mesmo. O formulário apresentado na Figura 8.5 encontra-se dividido em três secções com informações diferentes: os dados pessoais de um cliente de um banco, o sexo e a sua nacionalidade. Repare-se que foi possível selecionar dois botões de opção no mesmo ecrã, isto porque ambos se encontram em secções diferentes (outra funcionalidade importante dos grupos de opção). FIGURA 8.5 Apresentação de grupos de opção

9 MODELO DAO PESQUISA DE REGISTOS (MÉTODOS FIND) A Tabela 9.4 apresenta os quatro métodos utilizados na pesquisa de registos. MÉTODO INICIA A PESQUISA A PARTIR DO NA DIREÇÃO DO FindFirst Primeiro registo. Último registo. FindLast Último registo. Primeiro registo. FindPrevious Registo atual. Primeiro registo. FindNext Registo atual. Último registo. TABELA 9.4 Métodos utilizados na pesquisa de registos (objeto Recordset) EXEMPLO Sub PesquisarRegistos() Dim db As Database Dim rst As Recordset Dim fld As Field Set db = CurrentDb Set rst = db.openrecordset("select * FROM CLIENTES") rst.findfirst "Idade Between 30 And 40" For Each fld In rst.fields texto = texto & fld.value & " " Next Debug.Print texto texto = Empty rst.findlast "Idade Between 30 And 40" For Each fld In rst.fields texto = texto & fld.value & " " Next Debug.Print texto End Sub ANÁLISE Como podemos constatar pelo resultado obtido, o primeiro cliente com idade compreendida entre 30 e 40 anos é a Ana (cliente 1) e o último cliente nessa faixa etária é o José (cliente 2): 1 Ana Maria Silva 34 Lisboa José Rodrigo dos Santos Ribeiro 31 Lisboa

10 412 ACCESS 2013 MACROS & VBA CURSO COMPLETO 10.5 MANIPULAÇÃO E PESQUISA DE DADOS Tal como no modelo DAO, é o objeto Recordset que irá permitir consultar e manipular a informação contida na base de dados. Os exemplos que se seguem utilizam a tabela Clientes como referência, que foi criada na secção 9.8 do Capítulo 9. Importe esta tabela para o ficheiro de base de dados atual através do assistente de importação de dados do Acccess [botão Access disponível no separador External Data (Dados Externos)] OBTENÇÃO DE RECORDSETS O objeto Command representa um comando a ser executado diretamente na origem de dados. A maior parte destes comandos surge na forma de instruções de SQL que permitem obter, alterar, adicionar e eliminar registos, ou até alterar o próprio esquema da base de dados. O método Execute do objeto Command é similar ao método OpenRecordset utilizado no DAO para obtenção de objetos do tipo Recordset. EXEMPLO Sub ObterRecordset() Dim con As ADODB.Connection Dim cmd As ADODB.Command Dim rst As ADODB.Recordset Set con = CurrentProject.Connection Set cmd = New ADODB.Command cmd.activeconnection = con cmd.commandtext = "SELECT * From Clientes" Set rst = cmd.execute End Sub ANÁLISE Após a criação do objeto Command (inicialização com o operador New), foi definida a propriedade CommandText do objeto Command, que armazena a instrução de SQL a ser executada na origem de dados atual (propriedade ActiveConnection). O método Execute retorna um objeto Recordset que, neste caso, possui toda a informação da tabela Clientes CONTAGEM DE REGISTOS O método RecordCount do objeto Recordset permite obter o número de registos retornados pelo método Execute. No capítulo anterior já vimos que era necessário utilizar

11 INTEGRAÇÃO COM OUTRAS TECNOLOGIAS 457 Por predefinição, é criada apenas uma instância do SQL Server Express, que é designada pelo nome da máquina onde reside e pela indicação do tipo de servidor (SQLEXPRESS), separados por um backslash (\). Reveja o nome completo da sua instância com o procedimento que levou a cabo para mostrar a caixa de diálogo apresentada na Figura ) Avance para o passo seguinte; 6) Na caixa de diálogo da Figura 11.25, utilize o modo de autenticação predefinido (pelo sistema operativo) e avance para o passo seguinte; FIGURA Criação da origem de dados SQL Server: 2º passo 7) Altere a base de dados predefinida para RH (Figura 11.26); FIGURA Criação da origem de dados SQL Server: 3º passo 8) No último passo (Figura 11.27), mantenha as configurações predefinidas e conclua o processo de criação da origem de dados.

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28.

Findo o processo de normalização, obtemos o conjunto de tabelas indicado na tabela 1.28. ACCESS 2007 MACROS & VBA - CURSO COMPLETO AS-44-33 Honda Civic YY-44-32 Opel Corsa UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno UU-44-44 Fiat Uno AA-00-01 Ford Transit TABELA ERRO! NÃO EXISTE NENHUM TEXTO COM O

Leia mais

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL

Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL OBJECTIVOS Reconhecer alguns dos objectos VBA Automatizar bases de dados recorrendo à programação VBA e scripts SQL O objecto DOCMD Este objecto permite o acesso a todas as operações sobre todos os objectos

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto FICHA 0 OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto Antes de começar a elaborar documentos com o Word é necessário que saiba o essencial sobre o funcionamento deste processador de texto. Não menos

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam

Excel - VBA. Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam Excel - VBA Docente: Ana Paula Afonso Macrocomandos (Macros) O que é uma macro? São programas que executam tarefas específicas, automatizando-as. Quando uma macro é activada, executa uma sequência de instruções.

Leia mais

VBA e Access Modo de interacção

VBA e Access Modo de interacção VBA e Access Modo de interacção As funcionalidades do VBA estão completamente integradas com o Access Um bom exemplo dessa integração é o facto dos formulários e dos módulos fazerem por defeito parte integrante

Leia mais

Pesquisa e organização de informação

Pesquisa e organização de informação Pesquisa e organização de informação Capítulo 3 A capacidade e a variedade de dispositivos de armazenamento que qualquer computador atual possui, tornam a pesquisa de informação um desafio cada vez maior

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados

Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Tarefa Orientada 2 Criar uma base de dados Objectivos: Criar uma base de dados vazia. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criar uma base dados vazia O Access é um Sistema de Gestão de Bases

Leia mais

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira

MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS. Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira MICROSOFT ACCESS MICROSOFT ACCESS Professor Rafael Vieira Professor Rafael Vieira - Access - Programa de base de dados relacional funciona em Windows Elementos de uma Base de Dados: Tabelas Consultas Formulários

Leia mais

Base de dados I. Base de dados II

Base de dados I. Base de dados II Base de dados I O que é? Uma base de dados é um simples repositório de informação, relacionada com um determinado assunto ou finalidade, armazenada em computador em forma de ficheiros Para que serve? Serve

Leia mais

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado.

Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 4.º PASSO PROGRAMAÇÃO DO CAMPO DISTRITO : PROJECTO COM ADO Deverá ser apresentada uma caixa de combinação para auxiliar o utilizador a escolher o distrito de residência do entrevistado. 1) Abra o formulário

Leia mais

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados.

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados. O QUE É O ACCESS? É um sistema gestor de base de dados relacional. É um programa que permite a criação de Sistemas Gestores de Informação sofisticados sem conhecer linguagem de programação. SISTEMA DE

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS

LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/35 LIÇÃO 1 - USANDO O GRAVADOR DE MACROS No Microsoft Office Word 2007 é possível automatizar tarefas usadas frequentemente criando

Leia mais

2. Altere o nome da folha1 para Stocks e da folha2 para Vendas.

2. Altere o nome da folha1 para Stocks e da folha2 para Vendas. DOMINE A 110% EXCEL 2010 Aplicação Prática Supondo que tem uma folha de cálculo de stocks e uma folha de cálculo de vendas, pretende-se que num mesmo livro seja preenchida a folha de vendas com base nos

Leia mais

Migrar para o Access 2010

Migrar para o Access 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Access 2010 é muito diferente do Access 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as

Leia mais

Os elementos básicos do Word

Os elementos básicos do Word Os elementos básicos do Word 1 Barra de Menus: Permite aceder aos diferentes menus. Barra de ferramentas-padrão As ferramentas de acesso a Ficheiros: Ficheiro novo, Abertura de um documento existente e

Leia mais

13. CÁLCULOS E PÁGINAS

13. CÁLCULOS E PÁGINAS 13. CÁLCULOS E PÁGINAS Os formulários podem gerar algum tipo de informação que não existe inicialmente em nenhuma tabela. Por exemplo, não existem tabelas com o total de vencimentos, nem com a quantidade

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

ISCAP. Algoritmia. Pág. 1. Ana Paula Teixeira

ISCAP. Algoritmia. Pág. 1. Ana Paula Teixeira Algoritmia Pág. 1 Os Computadores e a resolução de Problemas PROBLEMA Fase de Resolução do Problema Pág. 2 Passo difícil Solução como um PROGRAMA de Computador Solução em forma de Algoritmo Fase de Implementação

Leia mais

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7).

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7). Excel Avançado Atenção! 1. Nunca referenciamos valores, mas sim o nome da célula que contém o valor, como A1, sendo A a coluna e 1 a linha. 2. As fórmulas sempre iniciam com sinal de =. 3. Lembre-se de:

Leia mais

MICROSOFT POWERPOINT

MICROSOFT POWERPOINT MICROSOFT POWERPOINT CRIAÇÃO DE APRESENTAÇÕES. O QUE É O POWERPOINT? O Microsoft PowerPoint é uma aplicação que permite a criação de slides de ecrã, com cores, imagens, e objectos de outras aplicações,

Leia mais

Tarefa Orientada 6 Edição de Dados

Tarefa Orientada 6 Edição de Dados Tarefa Orientada 6 Edição de Dados Objectivos: Inserção de dados. Alteração de dados. Eliminação de dados. Definição de Listas de Pesquisa (Lookup Lists) O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access

Leia mais

Sumário. Visual Basic Application para Excel. Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau

Sumário. Visual Basic Application para Excel. Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau Prof. Luiz Bianchi Universidade Regional de Blumenau Visual Basic Application para Excel Sumário Introdução...3 Conceitos...3 Objetos...3 Propriedades e métodos...3 Procedimento...3 Módulo...4 Fundamentos...5

Leia mais

LeYa Educação Digital

LeYa Educação Digital Índice 1. Conhecer o 20 Aula Digital... 4 2. Registo no 20 Aula Digital... 5 3. Autenticação... 6 4. Página de entrada... 7 4.1. Pesquisar um projeto... 7 4.2. Favoritos... 7 4.3. Aceder a um projeto...

Leia mais

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35 Introdução 31 1. Bases de Dados Relacionais 31 2. Modelação de Bases de Dados 31 3. Modelo de Classes UML 32 4. Linguagem SQL 32 5. Sobre o Microsoft" Access" 32 Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema

Leia mais

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos

Microsoft Access. No Access, existem vários tipos de objectos: Tabelas. Consultas. Formulários Relatórios Macros Módulos É um SGBD do tipo relacional para a utilização em windows. Ao abrirmos o Access, podemos efectuar várias operações: abrir uma base de dados existente, ou então criar uma nova base de dados. Se criarmos

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

Tutorial 1 - Básico do VBA do Excel

Tutorial 1 - Básico do VBA do Excel Tutorial 1 - Básico do VBA do Excel Este tutorial contém a 1ª lição sobre a série Básico do VBA do Excel. Ele cobre tópicos de criação e gerenciamento de matrizes e o entendimento de estruturas de decisão

Leia mais

Sumário. Capítulo l - Introdução ao VBA

Sumário. Capítulo l - Introdução ao VBA Sumário Capítulo l - Introdução ao VBA l Capítulo 2 - O Ambiente VBE 3 2. 1. Acessando o VBE do Excel 3 2. 1. 1. Janela de Projeto 4 2. 1. 2. Janela de Propriedades 5 2. 2. Gravação de Macros 6 2. 3. Níveis

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico. Access 2003

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico. Access 2003 Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico Access 2003 28/07/2009 [Manual de Microsoft Access.] FICHA TÉCNICA DESIGNAÇÃO DA COLECTÂNEA Manual de Microsoft Access AUTOR Carlos Serranheira DESTINATÁRIOS

Leia mais

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS

NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS 1 NOÇÕES ELEMENTARES DE BASES DE DADOS Este primeiro capítulo aborda conceitos elementares relacionados com bases de dados. Os conceitos abordados neste capítulo são necessários para trabalhar adequadamente

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007

Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007 Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007 TI2009/2010_1 Índice Iniciar a Aplicação e Abrir/Criar um Novo Ficheiro Comando Base de Dados Vazia Descrição do ambiente de trabalho

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

MATRIZ DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

MATRIZ DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA: BASES DE PROGRAMAÇÃO CÓDIGO - 104 PASCAL Utilizar as instruções básicas da linguagem Pascal; Aplicar estruturas de decisão na elaboração de programas; Desenvolver programas em Pascal de forma

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo.

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo. Impressão em série de cartas de formulário e mailings em grande número Intercalação de correio Base de Dados em Excel Comece por planear o aspecto da sua página final - é uma carta, uma página de etiquetas

Leia mais

Conceitos, tabelas e consultas

Conceitos, tabelas e consultas MICROSOFT ACCESS Conceitos, tabelas e consultas 1. CONCEITOS Base de Dados é um conjunto de dados organizados SGBD (Sistema de Gestão de Base de Dados) programa que permite fazer a gestão da base de dados.

Leia mais

BARRA DE PROGRESSO EM VBA

BARRA DE PROGRESSO EM VBA BARRA DE PROGRESSO EM VBA Quando elaboramos uma programação em VBA e não sabemos o tempo de execução podemos utilizar uma alternativa para a visualização do progresso da tarefa, uma barra de progressão

Leia mais

Ficha Trabalho Access N.º1 21 de Janeiro de 2005 12.º Ano. Nome: N.º Turma: E. Criação de Tabelas

Ficha Trabalho Access N.º1 21 de Janeiro de 2005 12.º Ano. Nome: N.º Turma: E. Criação de Tabelas Ficha Trabalho Access N.º1 21 de Janeiro de 2005 12.º Ano Nome: N.º Turma: E I Desenho de uma Base de Dados Criação de Tabelas Vamos considerar uma situação de uma empresa fictícia, que comercializa determinado

Leia mais

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA OpenStax-CNX module: m47737 1 Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License

Leia mais

Consultas (Queries) ou Interrogações

Consultas (Queries) ou Interrogações Consultas (Queries) ou Interrogações Principal finalidade das interrogações: Extracção, manipulação (inserção, alteração e remoção) e definição de dados. As interrogações mais comuns destinam-se a pesquisar

Leia mais

MICROSOFT ACCESS 2000 SUMÁRIO. APOSTILA ACCESS NRTE Campinas Oeste 2003

MICROSOFT ACCESS 2000 SUMÁRIO. APOSTILA ACCESS NRTE Campinas Oeste 2003 MICROSOFT ACCESS 2000 SUMÁRIO 01 - INTRODUÇÃO 02 - INICIANDO O ACCESS 2000 03 - CRIANDO UM BANCO DE DADOS 04 - TABELAS 05 - NOME DO CAMPO 06 - TIPO DE DADOS 07 - PROPRIEDADES DOS CAMPOS 08 - FORMATO 09

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

Capítulo I Preliminares: Visual Basic na planilha eletrônica Excel.

Capítulo I Preliminares: Visual Basic na planilha eletrônica Excel. Capítulo I Preliminares: Visual Basic na planilha eletrônica Excel. 1.1. Editor do Visual Basic do Excel (VBA) A maioria dos problemas desse livro será resolvida com o VBA da planilha eletrônica Excel,

Leia mais

Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário

Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário A1.1 Introdução A macro é uma rotina de usuário no VBA usada para rotinas automática ou operações repetitivas no Excel. Macros são também chamadas subroutines;

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SC. MICROSOFT OFFICE - EXCEL 2007 Pág.: 1 EXCEL 2007 O Excel 2007 faz parte do pacote de produtividade Microsoft Office System de 2007, que sucede ao Office 2003. Relativamente à versão anterior (Excel 2003), o novo programa introduz inúmeras

Leia mais

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados SQL (Structured Querie Language) SQL é mais que uma linguagem de interrogação estruturada. Inclui características para a definição da estrutura de dados, para alterar os dados de uma base de dados, e para

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR

PLANIFICAÇÃO MODULAR Direção Regional de Educação Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA ESCOLA SECUNDÁRIA/3º DR.ª M.ª CÂNDIDA ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO POR MÓDULOS Curso Profissional em funcionamento no âmbito

Leia mais

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter Botão next na caixa de diálogo Se carregar em Cancel, o wizard é cancelado e podemos depois definir as propriedades

Leia mais

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Versão 1.4 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA 3 3. CONTROLOS GERAIS DO WINDOWS 4 3.1 ESTRUTURA HIERÁRQUICA 4 3.2 CONTROLO DE DATA 5 4. INÍCIO DA UTILIZAÇÃO 8 5. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares Folha de cálculo Excel Agrupamento de Escolas de Amares Índice 1. Funcionalidades básicas... 3 1.1. Iniciar o Excel... 3 1.2. Criar um livro novo... 3 1.3. Abrir um livro existente... 3 1.4. Inserir uma

Leia mais

1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS. Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão

1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS. Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão 1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão 1.1 CRIANDO JANELAS Precisamos criar inicialmente um formulário para cadastrar

Leia mais

Guia rápido do utilizador

Guia rápido do utilizador Guia rápido do utilizador Índice Relatório de roubo 3 Criar um novo relatório de roubo 4 Fornecer detalhes do relatório de roubo Secção 1. Especificar o computador 5 Fornecer detalhes do relatório de roubo

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Introdução à realização de macros

Introdução à realização de macros Introdução à realização de macros 1 Introdução Macros são ações que se executam automaticamente num documento do MS Office, tal como abrir um arquivo, selecionar um campo ou fazer um cálculo, isto é, é

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView

Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView Tarefa Orientada 2 Aplic. Manutenção de Produtos - DataGridView Objectivos: Criação de fonte de dados (Data Source) a partir de base de dados. Utilização de um controlo DataGridView para visualizar dados.

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Criação e eliminação de atalhos Para criar atalhos, escolher um dos seguintes procedimentos: 1. Clicar no ambiente de trabalho com o botão secundário (direito) do

Leia mais

Aplicações de Programação CNC/ISO com Microcomputador

Aplicações de Programação CNC/ISO com Microcomputador Aplicações de Programação João Manuel R. S. Tavares Joaquim Oliveira Fonseca Introdução No contexto da programação CNC seria benéfica a possibilidade de trabalhar com programas que, dentro do possível,

Leia mais

FOLHA DE CÁLCULO EXCEL

FOLHA DE CÁLCULO EXCEL 1 FOLHA DE CÁLCULO EXCEL segunda-feira, 25 de Abril de 2011 SUMÁRIO 1. Características e Potencialidades de uma folha de cálculo. 2. Ambiente de trabalho do Excel. 3. Noção de livro e de folha de cálculo.

Leia mais

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA

Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015. Visual Basic VBA Informática de Gestão 1º ano / 1º semestre Ano letivo: 2014/2015 Visual Basic VBA Macros Funções Conjunto de instruções que são executadas sempre que se desejar e pela ordem apresentada As funções são

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA

Impressão e Fotolito Oficina Gráfica da EDITORA VIENA. Todos os direitos reservados pela EDITORA VIENA LTDA Autores Karina de Oliveira Wellington da Silva Rehder Consultores em Informática Editora Viena Rua Regente Feijó, 621 - Centro - Santa Cruz do Rio Pardo - SP CEP 18.900-000 Central de Atendimento (0XX14)

Leia mais

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista Mesa Digitalizadora Manual do Utilizador Windows 2000 / XP / Vista 1 I. Informação Geral 1. Visão Geral Bem-vindo ao mundo das canetas digitais! Irá descobrir que é muito fácil controlar o seu computador

Leia mais

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 Este programa permite gerir toda a sua colecção de músicas, vídeos e até mesmo imagens, estando disponível para download no site da Microsoft, o que significa que mesmo quem

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Tecnologias da Informação e Comunicação UNIDADE 1 Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico 1º Período Elementos básicos da interface gráfica do Windows (continuação).

Leia mais

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classes em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário preservar os objetos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

MS-Excel 2010 Essencial (I)

MS-Excel 2010 Essencial (I) MS-Excel 2010 Essencial (I) Carga Horária: 20 horas Objetivos: Este curso destina-se a todos os profissionais que atuam nas áreas financeiras e administrativas, e que necessitem agilizar os seus cálculos,

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Objectivos: Funções de agregação Agrupamento e sumário de dados Funções de agregação Nesta tarefa orientada iremos formular consultas que sumariam os

Leia mais

Manual PowerPoint 2000

Manual PowerPoint 2000 Manual PowerPoint 2000 Índice 1. INTRODUÇÃO 1 2. DIRECTRIZES PARA APRESENTAÇÕES DE DIAPOSITIVOS 1 3. ECRÃ INICIAL 2 4. TIPOS DE ESQUEMA 2 5. ÁREA DE TRABALHO 3 5.1. ALTERAR O ESQUEMA AUTOMÁTICO 4 6. MODOS

Leia mais

1. Ligar o Computador Ambiente de Trabalho

1. Ligar o Computador Ambiente de Trabalho 1. Ligar o Computador Ambiente de Trabalho O Ambiente de trabalho é a imagem que nos aparece no ecrã quando ligamos o computador. As imagens e as cores no ambiente de trabalho variam, mudam de computador

Leia mais

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues

18-10-2009. Microsoft Office 2007 Processador de texto. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos. Formadora: Sónia Rodrigues Objectivos da UFCD: Utilizar um processador de texto. Pesquisar informação na. Utilizar uma aplicação de correio electrónico. UFCD 3772 Informática na óptica do utilizador fundamentos Duração: 25 Horas

Leia mais

LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais)

LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais) LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais) COMO INSTALAR OS DRIVERS DO LEITOR DE CARTÕES Abra o Portal da Ordem dos Advogados Clique no link Área Reservada que se encontra na barra vertical do lado esquerdo

Leia mais

Faça a gestão da sua base de clientes com o Gestix.

Faça a gestão da sua base de clientes com o Gestix. Gerir Clientes no Gestix A Ficha de Cliente Faça a gestão da sua base de clientes com o Gestix. O Gestix oferece-lhe diversas formas de conhecer e acompanhar os seus clientes. Explore-o como uma poderosa

Leia mais

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador MATRÍCULA ELECTRÓNICA Manual do Utilizador ÍNDICE 1 PREÂMBULO... 2 2 UTILIZAÇÃO PELOS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO... 3 2.1 Matrícula Electrónica - Acesso através do Portal das Escolas... 3 2.2 Registo de

Leia mais

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Objectivo Este guia acompanha-o através do processo de criação de uma aplicação C++ utilizando o ambiente de desenvolvimento Visual Studio 6.0. Passo 1: Criação de

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

POSTOUCH. Manual Software

POSTOUCH. Manual Software POSTOUCH Manual Software Introdução Introdução POS TOUCH é uma solução direcionada a pequenos postos de venda, que tem necessidade de criação de muitos talões de uma forma linear e rápida. A solução implementa

Leia mais

Configuração do Ambiente de Trabalho

Configuração do Ambiente de Trabalho pag. 1 Configuração do Ambiente de Trabalho 1. Utilização da Área de Trabalho Criação de Atalhos: O Windows NT apresenta um Ambiente de Trabalho flexível, adaptável às necessidades e preferências do utilizador.

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

1 Função e criação do Programa. Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões

1 Função e criação do Programa. Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões Relatório de desenvolvimento do projecto Programador/designer : Tiago MC Simões 1) Função e criação do Programa 2) Lista de transacções/funções 3) Interface Gráfico do programa 4) A base de dados 4.1)

Leia mais

Tarefa 18: Criar Tabelas Dinâmicas a partir de Listas de Excel

Tarefa 18: Criar Tabelas Dinâmicas a partir de Listas de Excel Tarefa 18: Criar Tabelas Dinâmicas a partir de 1. Alguns conceitos sobre Tabelas Dinâmicas Com tabelas dinâmicas podemos criar dinâmica e imediatamente resumos de uma lista Excel ou de uma base de dados

Leia mais

FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO

FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO Noções Básicas FIGURA. 2.2 ECRÃ DE TRABALHO 2.2.1 Painel de Tarefas (Task Pane) O painel de tarefas constitui a grande novidade do ecrã de trabalho desta nova versão do Word. Para utilizadores menos experientes,

Leia mais

Algoritmos e Programação. Prof. Tarcio Carvalho

Algoritmos e Programação. Prof. Tarcio Carvalho Algoritmos e Programação Prof. Tarcio Carvalho Conceito de Lógica A utilização da lógica na vida do indivíduo é constante, visto que é ela quem possibilita a ordenação do pensamento humano. Exemplo: A

Leia mais

Folha de Exercícios Nº 2 Access Informática II

Folha de Exercícios Nº 2 Access Informática II Objjeecctti ivoss:: - Criar uma base de dados - Criar tabelas - Criar relações entre tabelas - Criar consultas - Criar formulários - Criar relatórios Os empregados de um gabinete de advocacia decidiram

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

1.4.4 Configurar serviços de armazenamento

1.4.4 Configurar serviços de armazenamento 1.4.4 Configurar serviços de armazenamento Esta versão do Office permite guardar os documentos na nuvem do OneDrive, de modo que possa posteriormente aceder aos seus conteúdos a partir de qualquer dispositivo

Leia mais