PLANO EDUCATIVO LOCAL - PEL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO EDUCATIVO LOCAL - PEL 2015 2016"

Transcrição

1 PLANO EDUCATIVO LOCAL - PEL O Bairro-Escola Rio Vermelho é uma iniciativa que se desenvolve desde Nos primeiros dois anos, conseguiu mobilizar escolas e comunidade para juntas promoverem o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens, estudantes das escolas públicas do Rio Vermelho. Em setembro de 2014, uma Comissão Gestora foi constituída para pensar um processo de construção coletiva do Plano Educativo Local a partir de um diagnóstico sobre a educação das escolas públicas parceiras, meio ambiente, cultura, segurança pública e a rede de atenção do Rio Vermelho. O Plano Educativo Local é o resultado de um processo de debate e escutas junto à comunidade do Rio Vermelho produzido nos encontros do Grupo Ampliado de maio a novembro e finalizado no III Seminário Bairro-Escola, em dezembro de O Plano Educativo Local é um documento orientador que apresenta as metas e as ações estratégicas elaboradas pelos próprios agentes do território à luz da Educação Integral Inovadora. Serve para criar e fortalecer uma rede intersetorial que possa estruturar uma agenda local da educação integral e viabilize a integração das dinâmicas sociais, artísticas e culturais. Serve, ainda, para criar mecanismos de governança local para que a iniciativa Bairro-Escola Rio Vermelho possa ter uma sustentabilidade de médio e longo prazo. Para 2015, o resultado esperado é que comunidade do Rio Vermelho possa gradualmente ir assumindo o compromisso das ações de educação integral no território, orientadas pelo Plano Educativo Local e, com isso, colaborar no objetivo maior do Bairro-Escola Rio Vermelho, que é a melhoria no aprendizado dos estudantes através da inovação dos processos didáticos e escolares e inspire uma renovação educacional na cidade de Salvador e no estado da Bahia. 1

2 EIXOS DE TRABALHO METAS AÇÕES PRIORITÁRIAS EIXO 1 - GESTÃO ESCOLAR METAS: Garantir encontros regulares de autoavaliação da escola sobre o desempenho do seu papel, resultados alcançados e desafios a serem superados. Nº AÇÃO PRIORITÁRIA PARCEIRO BAIRRO-ESCOLA RV COMO PERÍODO DE EXECUÇÃO 01 Ocupação de espaços ociosos da Faculdade Rui Barbosa Professor - Realização de dinâmicas de grupo Unidade Escolar para desenvolver um Fernando Moragas e estudantes de por segmento escolar trabalho de escuta da comunidade psicologia Escolar 02 Transformação dos espaços físicos das escolas com o apoio de parceiros do bairro. Nova proposição complementar à ação: Criação de projeto pedagógico para apresentação às empresas interessadas em fazer reformas ou pequenas intervenções. 03 Oficinas para as relações interpessoais que possam trabalhar: autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e interpessoal Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia - Realização de intervenções Artísticas - Busca de parceria com a faculdade de arquitetura da UFBA (Projeto Curiar) - Verificação do processo de autorização das Secretarias para intervenções/reformas nos espaços das escolas públicas. - Realização de dinâmicas de grupo 2

3 Juliana Cristina/UFBA 04 Assembleias envolvendo: comunidade, alunos, professores, funcionários e gestão 05 Formação em serviço para funcionários Sara Regina (Coord. Do Projeto Turismo e Proteção à Infância PLAN) 06 Promover encontros com a comunidade para atualização e desenvolvimento do PPP 07 Promover encontros mensais com os funcionários na intenção de aproximar e fortalecer os vínculos 08 Planejar ações de integração entre professores e alunos 09 Capacitação para a comunidade escolar GEMOB - Grupo de Mobilização Social para Controle e Prevenção de Zoonoses (Secretaria Municipal de Saúde) 10 Construção do PPP para garantir os objetivos comuns a todos 11 Criar grupo oficial de cada turma no Facebook; assim como de cada série e da escola 12 Promover encontros mensais convidando os familiares/responsáveis para participar de palestras, debates, estudos, exibição de filmes, etc 13 Criar momentos periódicos de GEMOB - Grupo de Mobilização Social para Controle e Prevenção de Zoonoses (Secretaria Municipal de Saúde) - Parceria com o projeto de extensão da UFBA/Instituto de Psicologia OBS.: Para os participantes é necessário envolver o conselho escolar das próprias escolas - Encontros de formação sobre Violência e Exploração Sexual de crianças, adolescentes e jovens. - Ações sócio-educativas para o combate de doenças (palestras, apresentação de vídeos, peça teatral Xô-xô Dengue) - Ações sócio-educativas para o combate de doenças (palestras, apresentação de vídeos, peça teatral Xô-xô Dengue) 3

4 autoavaliação dos trabalhos de todos os funcionários da escola 14 Provocar o interesse da comunidade escolar através de atividades que ampliem a visão sobre a própria escola 15 Organizar encontros educativos na escola convidando 1 pessoa da comunidade na intenção da escola se aproximar da comunidade 16 Socializar com a comunidade escolar mensalmente as perspectivas de mudanças na escola 17 Fazer uma dinâmica semanal entre professores e entre alunos EM Osvaldo Cruz (Katia Larissa) e Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André) - Articulação entre a coordenação pedagógica da EM Osvaldo Cruz (Katia Larissa) e o professor articulador do Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André) para troca de experiências sobre processos de gestão e de práticas pedagógicas 4

5 EIXO 2 - PROFESSORES METAS: Promover a formação continuada para docentes para desenvolver práticas de Educação Integral planejadas e coletivas, com a legitimação e apoio das Secretarias de Educação. Nº AÇÃO PRIORITÁRIA PARCEIRO BAIRRO-ESCOLA RV COMO PERÍODO DE EXECUÇÃO 18 - Formação para professores para o uso de recursos tecnológicos Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM - Contato com o Parque tecnológico para a formação dos professores Jardel Gonçalves Escola Politécnica UFBA Tatiana Centro de Arte-Educação Mário Gusmão (CEART) Paulo Quadros CNS/UFBA - Contato com as unidades da UFBA - Disponibilização de tempo para a formação dos professores -Contatos com profissionais da área 19 Construção de estratégias entre os professores e coordenadores pedagógicos para lidar com as situações de distorção idade-série. 20 Encontrar outros parceiros para a formação de professores/ Alinhar a - Vera Lúcia Paróquia Rio Vermelho Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM - Contato com o CJCC para formação dos professores no Colégio Central - Contatos conforme as necessidades formativas dos 5

6 vontade do professor com as necessidades formativas Tatiana Centro de Arte-Educação Mário Gusmão (CEART) Sara Regina (Coord. Do Projeto Turismo e Proteção à Infância PLAN) - Paulo Quadros (Instituto CNS/UFBA) professores - Disponibilização de tempo para a formação dos professores via CEART, com foco na metodologia de arteeducação - Formação em Violência e Exploração Sexual - Formação em Questão Sóciocientífica 21 Momentos de integração entre os professores para trocas de experiências sobre desafios e propostas de solução/ Encontros de formação entre escolas que possuem um índice de IDEB com status satisfatório com as que possuem o status de alerta para troca de estratégias na superação dos desafios 22 Formação de professores para ampliar o conhecimento sobre o desenvolvimento de adolescentes e crianças 23 Construir conjuntamente um calendário - Vera Lúcia Paróquia Rio Vermelho - Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia (Victor, Caio e Gabriel) - Contatos conforme as necessidades formativas dos professores - Articulação interna dos professores e gestores do Col. Est. Dionísio Cerqueira para os encontros de trocas de experiências. - Articulação com outros estudantes para a realização da formação sobre o desenvolvimento de adolescentes e crianças 6

7 de formação articulada. Sendo possível aprofundar nas escolas 24 Levantar dados sobre os problemas de saúde que mais acomete os educadores 25 Mudar a forma de trazer os pais para a escola (ações apontadas pelos pais como momento de formação com os profissionais do bairro) 26 Potencializar a relação com as universidades como forma de trazer os profissionais para a formação com professores e para trazer projetos para a escola. Garantir um Termo de Formalização 27 Construir ações que deem visibilidade ao que se tem produzido na escola Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia (Victor e Caio) - Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia (Victor, Caio e Gabriel) - Jardel Gonçalves Escola Politécnica da UFBA - Tatiana Dumet - Escola Politécnica da UFBA Juliana Cristina/UFBA Tatiana Centro de Arte-Educação Mário Gusmão (CEART) Juliana Cristina/UFBA - Articulação com outros estudantes para levantar dados sobre os problemas de saúde que mais acomete os educadores - Compartilhamento de experiências do Colégio Est. Dionísio Cerqueira para a aproximação dos pais junto à escola - Articulação com professores e estudantes para realizar formação com professores e para realização de projetos em parceria com a escola, conforme as demandas apresentadas. - Articulação para realizar formação com professores e para realização de projetos em parceria com a escola, conforme as demandas apresentadas. - Parceria com projeto de extensão da UFBA/Instituto de Psicologia - Apoio na produção de produtos artísticos via CEART - Contato com Carmela, responsável pelo Blog do Rio Vermelho 7

8 EIXO 3 - ESTUDANTES METAS: Garantir novos espaços de diálogo e interação entre os professores e estudantes que paute questões sobre seus aprendizados, sobre a escola, relação aluno e professor e seus projetos de vida. - Valorizar as identidades e expressões das crianças, adolescentes e jovens. Nº AÇÃO PRIORITÁRIA PARCEIRO BAIRRO-ESCOLA RV COMO PERÍODO DE EXECUÇÃO 28 Desenvolver e estimular a cultura de liderança da classe Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) - Compartilhamento de experiências dos estudantes do Col. Est. Dionísio Cerqueira com os jovens das outras escolas. Pois, o Col. Dionísio já tem líderes que participam do conselho escolar. 29 Protagonismo da própria aprendizagem dos estudantes - Como você quer aprender? O que você quer aprender? Exemplo: Para cada fechamento da Paulo Quadros CNS/UFBA Antônio Ivo (Graal) Parceiros do Bairro-Escola - GEMOB - Grupo de Mobilização - Contato com pessoas com perfil de liderança que possam trazer suas experiências, à exemplo de Tereza Paim, Victor Gradin, Samanta Quadros. - Festival da Primavera/Festival Bairro-Escola Rio Vermelho - Colocação de um stand na feira de 8

9 unidade, fazer um projeto como uma feira de conhecimentos, gincana ou festival de talentos 30 Criar momentos para ouvir as histórias de vida dos alunos/ Ter tempo para os alunos onde eles possam expor suas necessidades, medos, traumas incertezas. Ouvir mais Social para Controle e Prevenção de Zoonoses (Secretaria Municipal de Saúde) Juliana Cristina/UFBA Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia (Victor, Caio e Gabriel) - Vera Lúcia Paróquia do Rio Vermelho conhecimentos das escolas ou no Festival da Primavera/Festival Bairro-Escola Rio Vermelho - Parceria com a UFBA/Instituto de Psicologia para atendimento aos estudantes via disciplinas regulares, estágios e/ou serviços de extensão - Atividade continuada que possa envolver o grupo de estágio do curso de psicologia da Faculdade Ruy Barbosa (1 semana do mês na praça do Colégio Est. Manoel Devoto) - Apoio na organização de um Serviço de Orientação Educacional com Fichas de Inscrição e Acompanhamento dos estudantes atendidos 31 Ampliar espaços na escola para a promoção de atividades culturais que não sejam apenas em datas comemorativas Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) 32 Ter outras atividades fora da sala de Paulo Quadros CNS/UFBA - Doação de livros - Participação nos grupos de jovens para escutas individuais e coletivas na Paróquia de Santanna - Compartilhamento de experiências dos estudantes do Col. Est. Dionísio Cerqueira com os jovens das outras escolas sobre suas ações Culturama, Fazendo o Self e Reciclarte 9

10 aula. Ter leitura na praça e em outros lugares. Conhecer o bairro melhor 33 Socializar as criações dos estudantes (hip-hop, dança, etc)/ Festivais de talentos entre as escolas/ Professores na valorização das potencialidades dos estudantes 34 Debate de histórias inventadas e de livros Paulo Quadros CNS/UFBA Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM - Jardel Gonçalves Escola Politécnica da UFBA - Aulas de música para os estudantes - Desfile de moda (Projeto com apoio do instituto Embeleze) - Organização de um concurso de poesia com o apoio de outros parceiros 35 Uso de vitrines digitais OBS.: a sugestão dos participantes é que os professores estimulem os estudantes a utilizarem facebook, blogs para compartilharem suas produções artísticas (danças, poesias, letras de musica, contos...) 36 Laboratórios de Informática abertos e gerenciados pelos estudantes 37 Retomar a questão das caixas de sugestões, críticas e reclamações Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Produção das caixas de sugestões 38 Criar um dia de leitura para que os alunos leiam um livro e fale em uma roda de pessoas que eles mais gostaram do livro - Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) - Compartilhar a experiência da atividade Culturama realizada no Col. Est. Dionísio com outros estudantes 39 Ações com contação de histórias para Ailson Carvalho Tenente da 12ª - Contato com a Dona Eloísa 10

11 todas as idades CIPM (Conselho de Segurança - AMARV) que possui um trabalho de contação de histórias OBS.: A EM Osvaldo Cruz está com uma campanha de doação de livros infantis (Faixa etária de 4 a 13 anos) que prevê, entre outras ações, a realização um projeto de literatura para os seus estudantes 11

12 EIXO 4 - ESCOLA E COMUNIDADE METAS: - Envolver as famílias em atividades dentro e fora das escolas, de caráter educativo, terapêutico e de empreendedorismo. - Sensibilizar a família para as questões de abuso, violência e exploração sexual de crianças, adolescentes e jovens para que estes saibam identificar e prevenir sobre tais questões e como acessar a rede de atenção mais próxima. - Tornar a rede apoio e atenção mais atenta às questões escolares e da comunidade circundante, ampliando as informações de acesso e identificação das instituições que tratam sobre o abuso e violência contra crianças e adolescentes. - Mobilizar as escolas públicas sobre o lixo, através de projetos de reciclagem para produção de artesanato, instrumentos musicais e figurino. - Desenvolver ações educativas que envolvam questões relacionadas a educação sexual e a valorização do corpo através da dança, teatro e música. Nº AÇÃO PRIORITÁRIA PARCEIRO BAIRRO-ESCOLA RV COMO PERÍODO DE EXECUÇÃO 40 Encontrar estratégia de espaço de fala - Colégio Estadual Dionísio dos diferentes segmentos na Cerqueira (Luiz André Professor comunidade escolar articulador) 41 Verificar se as escolas possuem Conselho Escolar atuante e fomentar sua criação - Compartilhamento de experiências com outras escolas sobre as estratégias do Colégio Est. Dionísio Cerqueira para garantir o envolvimento da comunidade escolar 42 Promover oficinas para os pais de forma - Colégio Estadual Dionísio - Compartilhamento de experiências 12

13 a aproximá-los da escola 43 Trabalho educativo e de lazer voltados para a família 44 Oficinas com as famílias para que esses saibam identificar e prevenir abusos e violência contra crianças, adolescentes e jovens, além do uso e abuso de drogas 45 Projetos com faculdades paraacompanhamento psicológico para as famílias Cerqueira (Luiz André Professor articulador) GEMOB - Grupo de Mobilização Social para Controle e Prevenção de Zoonoses (Secretaria Municipal de Saúde) - Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) - Juliana Cristina/UFBA Faculdade Rui Barbosa Professor Fernando Moragas e estudantes de psicologia (Victor, Caio e Gabriel) - Jamile Castro/Empresária do espaço Terapêutico Espelho D Alma Juliana Cristina/UFBA do Colégio Est. Dionísio Cerqueira para a aproximação dos pais junto à escola - Ações sócio-educativas para o combate de doenças (Abraço Amigo e Saúde na Praça) - Compartilhamento de experiências do Colégio Est. Dionísio Cerqueira para a aproximação dos pais junto à escola - Apresentação e debate de vídeos educativos - Contato e apoio do CETAD/ Verificarão a possibilidade de atendimento para estudantes na clínica da Faculdade Ruy Barbosa - Verificará com a Faculdade da Cidade a possibilidade de atendimentos para as famílias através de estágios/ Projeto integrado de trabalho/parceria para estágios. - Parceria com a UFBA/Instituto de Psicologia para atendimento aos estudantes via disciplinas regulares, estágios e/ou serviços de extensão 13

14 46 Parceria com os estabelecimentos (Ex Óticas, Farmácias): 47 Parceria com os hotéis para exposição dos trabalhos dos alunos (Ex: Exposição artística, peças de teatro) 48 Ação educativa para a construção de lixeiras escolares feitas pelos próprios estudantes, a partir de material reciclável 49 Mobilização das escolas sobre o cuidado com os descartes do seu lixo produzido e possibilidades de reutilização de alguns materiais - Jamile Castro/Empresária do espaço Terapêutico Espelho D Alma - Paulo Quadros CNS/UFBA Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) Colégio Estadual Dionísio Cerqueira (Luiz André Professor articulador) Paulo Quadros CNS/UFBA Victor Corujeira/Faculdade Rui Barbosa - Contato com a Faculdade da Cidade para a possibilidade de atendimentos para as famílias através de estágios/ Projeto integrado de trabalho/parceria para estágios. - Contato com a psicóloga Maria Virginia Bazani que já possui projeto na área - Compartilhamento de experiências do Colégio Est. Dionísio Cerqueira sobre experiência exitosa do Projeto Reciclar junto aos estudantes - Compartilhamento de experiências do Colégio Est. Dionísio Cerqueira sobre experiência exitosa do Projeto Reciclar junto aos estudantes - Apoio na construção de um projeto multidisciplinar com professores/estudantes - Contato com a produção do espetáculo O bosque dos Santos para ser apresentado nas escolas 14

15 50 Entrega de um selo para os estabelecimentos do Rio Vermelho que adotarem a coleta seletiva 51 Os parceiros contribuem com contêineres para coleta seletiva com empresa de reciclagem de lixo fazendo valer a coleta seletiva 52 Parceria com a ronda para fazer atividades de prevenção nas escolas 53 Trabalho sobre defesa/segurança pessoal, ensinar aos estudantes o cuidado consigo e com os outros, e trabalhos de resolução de conflitos 54 Mobilização dos estudantes sobre o abuso e exploração sexual Paulo Quadros CNS/UFBA Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Victor Corujeira/Faculdade Rui Barbosa Sara Regina (Coord. Do Projeto Turismo e Proteção à Infância PLAN) - Contato com a Cooperativa de Agentes Ambientais (Canore) - Articulação com o PROERD (trabalho já existente)/contato com o CEDECA Sr. Valdemar - Oficina para intervenções artísticas, jornal, mural. - Formação em Violência e Exploração Sexual 15

16 EIXO 5 - ENSINO E APRENDIZAGEM METAS: Contribuir para a promoção de processos de ensino-aprendizagem inovadores protagonizados pelos professores e em parceria com parceiros da comunidade, de forma que sejam mais dinâmicas, criativas e que explorem outros espaços da escola e da comunidade Nº AÇÃO PRIORITÁRIA PARCEIRO BAIRRO-ESCOLA RV COMO PERÍODO DE EXECUÇÃO 55 Encontros de formação entre escolas que possuem um índice de IDEB com status satisfatório com as que possuem o status de alerta para troca de estratégias na superação dos desafios 56 Articulação entre as escolas futuras com as escolas de origem, nas quais haverá passagens dos estudantes de um ensino para o outro (Fund I para Fund II e do Fund II para o EM). 57 Revisão do currículo atual com atualização de conteúdos do interesse dos estudantes 58 Utilização de espaços do bairro para as atividades educativas, artísticas e culturais com os estudantes. Ex.: Teatro do Caballeros para ensaios e apresentações. Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Victor Corujeira/Faculdade Rui Barbosa - Parceria com profissionais reconhecidos em diversas áreas para a organização de um seminário sobre orientação vocacional - Contato com a Cooperativa do Parque de Pituaçu (COPA) para conhecer o projeto ambiental - Contato com a Sitorne para concessão de espaço - Contato com o SESC para disponibilização de pauta solidária 16

17 - Contato com a Faculdade Ruy Barbosa para disponibilização do Palco 59 Visitas orientadas pelos professores em estabelecimentos do bairro 60 Seminários entre educadores das diversas escolas do bairro para troca de experiências exitosas/ Consolidar, dentre as escolas, relatos de experiências de ensino-aprendizagem exitosas 61 Formação com as escolas sobre aula passeio com metodologia de ensinoaprendizagem GEMOB - Grupo de Mobilização Social para Controle e Prevenção de Zoonoses (Secretaria Municipal de Saúde) Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Ailson Carvalho Tenente da 12ª CIPM Victor Corujeira/Faculdade Rui Barbosa - Ações sócio-educativas para o combate de doenças (Abraço Amigo e Saúde na Praça) - Apoio no deslocamento dos estudantes nas ruas do bairro do Rio Vermelho (sistema de escolta) e para outros espaços da cidade (disponibilização de ônibus gratuito) - Contato com a Cooperativa do Parque de Pituaçu (COPA) para conhecer o projeto ambiental e, ainda, para que professores e estudantes possam vivenciar uma aula passeio - Contato com a professora Rita Valente (Faculdade Ruy Barbosa) sobre a disponibilidade de 17

18 compartilhar metodologias de aula passeio. Antônio Ivo (Graal) - Contato com o Museu da Misericórdia e outros museus para as visitas das escolas 18

METAS DO PLANO MUNICIPAL UBERABA MG

METAS DO PLANO MUNICIPAL UBERABA MG METAS DO PLANO MUNICIPAL UBERABA MG Outubro 2012 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE UBERABA Anderson Adauto Pereira Prefeito Municipal Paulo José de Mesquita Vice-prefeito Fábio José Macciotti Costa Presidente

Leia mais

Instrução Operacional e Manual de Orientações nº 01 SNAS MDS / SEB - MEC, 18 de dezembro de 2014.

Instrução Operacional e Manual de Orientações nº 01 SNAS MDS / SEB - MEC, 18 de dezembro de 2014. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Instrução Operacional e Manual de Orientações nº 01

Leia mais

As metas do Plano Nacional de Cultura

As metas do Plano Nacional de Cultura As metas do Plano Nacional de Cultura PRESIDENTA DA REPÚBLICA Dilma Rousseff VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA Michel Temer MINISTRA DE ESTADO DA CULTURA Ana de Hollanda CHEFE DE GABINETE Maristela Rangel SECRETÁRIO-EXECUTIVO

Leia mais

Programa Mais Educação P A S S O P A S S O

Programa Mais Educação P A S S O P A S S O Programa P A S S O A P A S S O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Concepções e Orientações Curriculares para Educação Básica Programa

Leia mais

Mudando sua Escola, Mudando sua Comunidade, Melhorando o Mundo! Sistematização da Experiência em Educomunicação

Mudando sua Escola, Mudando sua Comunidade, Melhorando o Mundo! Sistematização da Experiência em Educomunicação Mudando sua Escola, Mudando sua Comunidade, Melhorando o Mundo! Sistematização da Experiência em Educomunicação EXPEDIENTE Organizadores Mário Volpi e Ludmila Palazzo (UNICEF) Textos Associação Cidade

Leia mais

Programa Mais Educação P A S S O P A S S O

Programa Mais Educação P A S S O P A S S O Programa P A S S O A P A S S O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Programa Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade Diretoria de Educação Integral, Direitos

Leia mais

METAS DO PLANO NACIONAL DE CULTURA

METAS DO PLANO NACIONAL DE CULTURA METAS DO PLANO NACIONAL DE CULTURA Dezembro de 2011 METAS DO PLANO NACIONAL DE CULTURA 5 PRESIDENTA DA REPÚBLICA Dilma Rousseff VICE -PRESIDENTE DA REPÚBLICA Michel Temer MINISTRA DE ESTADO DA CULTURA

Leia mais

Ministério da Educação MEC

Ministério da Educação MEC Ministério da Educação MEC PLANO DE METAS COMPROMISSO TODOS PELA EDUCAÇÃO GUIA DE PROGRAMAS BRASÍLIA, JUNHO DE 2007. 1 SUMÁRIO GESTÃO EDUCACIONAL 1. Planejamento Estratégico da Secretaria PES 2. Plano

Leia mais

República Federativa do Brasil

República Federativa do Brasil República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria de Políticas de Educação em Direitos Humanos

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Fundamental PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL CONTINUADO PARÂMETROS EM AÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL

Ministério da Educação Secretaria de Educação Fundamental PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL CONTINUADO PARÂMETROS EM AÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL Ministério da Educação Secretaria de Educação Fundamental PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL CONTINUADO PARÂMETROS EM AÇÃO EDUCAÇÃO INFANTIL Brasília 1999 Secretaria de Educação Fundamental Iara

Leia mais

aprimorando os olhares

aprimorando os olhares SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Diretoria de Orientação Técnica Divisão de Orientação Técnica de Educação Infantil Avaliação na Educação Infantil: aprimorando os olhares São Paulo - 2014 Prefeitura da

Leia mais

8. ENSINO FUNDAMENTAL

8. ENSINO FUNDAMENTAL 8. ENSINO FUNDAMENTAL 8.1 ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL A legislação educacional brasileira define que o ensino fundamental, com duração de oito anos, é de freqüência obrigatória e oferta gratuita

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE CURRÍCULOS E EDUCAÇÃO INTEGRAL MANUAL OPERACIONAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE CURRÍCULOS E EDUCAÇÃO INTEGRAL MANUAL OPERACIONAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE CURRÍCULOS E EDUCAÇÃO INTEGRAL MANUAL OPERACIONAL DE EDUCAÇÃO INTEGRAL Brasília/DF 2014 1 SUMÁRIO 1. PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO... 4 2. OFERTAS

Leia mais

Diretrizes do Programa Ensino Integral

Diretrizes do Programa Ensino Integral 1 Diretrizes do Programa Ensino Integral GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Governador Geraldo Alckmin Vice Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Jacobus Cornelis Voorwald Secretário-Adjunto

Leia mais

Percursos da Educação Integral. em busca da qualidade e da equidade

Percursos da Educação Integral. em busca da qualidade e da equidade Percursos da Educação Integral em busca da qualidade e da equidade Percursos da Educação Integral em busca da qualidade e da equidade 1ª Edição São Paulo abril 2013 Coordenação Técnica Iniciativa Iniciativa

Leia mais

De Jovem. para Jovem. Educação Entre Pares

De Jovem. para Jovem. Educação Entre Pares De Jovem para Jovem Educação Entre Pares RG Redação Maria Adrião Realização UNICEF Anna Penido, Silvio Kaloustian, Ana Maria Silva, Denise Bueno Revista Viração Paulo Lima, Vivian Ragazzi, Camila Caringe

Leia mais

O que revela. o espaço escolar? Um livro para diretores de escola

O que revela. o espaço escolar? Um livro para diretores de escola O que revela o espaço escolar? Um livro para diretores de escola O que revela o espaço escolar? Um livro para diretores de escola Os espaços Apresentação 4 Escola 6 Pátio e quadra 22 Corredor 40 Sala de

Leia mais

Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências

Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências Heloísa Lück Dimensões da gestão escolar e suas competências Editora Positivo Curitiba 2009 Ficha Catalográfica Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP,

Leia mais

Formando. Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola. Construindo Agenda 21 na Escola

Formando. Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola. Construindo Agenda 21 na Escola Ministério do Meio Ambiente Ministério da Educação Formando Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola Construindo Agenda 21 na Escola Brasília, 2004 1 Diretor de Educação para a Diversidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC MINISTÉRIO DA CULTURA MinC EDITAL MAIS CULTURA NAS UNIVERSIDADES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC MINISTÉRIO DA CULTURA MinC EDITAL MAIS CULTURA NAS UNIVERSIDADES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC MINISTÉRIO DA CULTURA MinC EDITAL MAIS CULTURA NAS UNIVERSIDADES A União, representada pelo Ministério da Educação MEC e pelo Ministério da Cultura MinC, convoca as Instituições

Leia mais

Guia para a formação de profisionais de

Guia para a formação de profisionais de Ministério da Saúde Ministério da Educação UNESCO UNICEF UNFPA Guia para a formação de profisionais de saúde e de educação Saúde e Prevenção nas Escolas Série Manuais nº 76 Brasília junho/2007 2006. Ministério

Leia mais

1 livro Tipificação Nacional.indd 1 19/1/2010 15:30:48

1 livro Tipificação Nacional.indd 1 19/1/2010 15:30:48 1 RESOLUÇÃO Nº 109, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2009 Aprova a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. O Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), em reunião ordinária realizada nos dias 11

Leia mais

Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação

Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação Diálogos sobre a Gestão Municipal Processos na Educação I. APRESENTAÇÃO II. GESTÃO DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL 1. O panorama da Política Municipal

Leia mais

Panorama da Educação Integral: Perspectivas e Desafios.

Panorama da Educação Integral: Perspectivas e Desafios. Panorama da Educação Integral: Perspectivas e Desafios. Ah, a rua! Só falam de tirar as crianças da rua. Para sempre? Eu sonho com as ruas cheias delas. É perigosa, dizem: violência, drogas... E nós adultos,

Leia mais

SALVADOR. Construindo um novo futuro

SALVADOR. Construindo um novo futuro Construindo um novo futuro 2013 2016 CARTA do prefeito 6 EDITORIAL 8 Apresentação 10 áreas TEMÁTICAS EDUCAÇÃO 22 SAÚDE 32 JUSTIÇA SOCIAL 42 AMBIENTE de NEGóCIOS 52 TURISMO E CULTURA 60 MOBILIDADE 72 AMBIENTE

Leia mais

DÉCADA DE AÇÃO PELA SEGURANÇA NO TRANSITO 2011-2020

DÉCADA DE AÇÃO PELA SEGURANÇA NO TRANSITO 2011-2020 DÉCADA DE AÇÃO PELA SEGURANÇA NO TRANSITO 2011-2020 Resolução ONU n 2, de 2009 1. INTRODUÇÃO O Plano Nacional de Redução de Acidentes e Segurança Viária para a Década 2011-2020, cujo texto foi produzido

Leia mais

faq_apdz_2012_rev2.indd 1 01/06/12 11:39

faq_apdz_2012_rev2.indd 1 01/06/12 11:39 faq_apdz_2012_rev2.indd 1 01/06/12 11:39 faq_apdz_2012_rev2.indd 2 01/06/12 11:39 Apresentação Seja bem-vindo ao Programa Aprendiz Legal! O Aprendiz Legal atende a milhares de jovens em todo o Brasil,

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A VIDA

COMPETÊNCIAS PARA A VIDA COMPETÊNCIAS PARA A VIDA Trilhando Caminhos de Cidadania Este material é seu. Use sem moderação. Brasília, julho de 2012. 2 Expediente Realização: Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Gary

Leia mais

Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097. Um Projeto a partir de uma Lei

Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097. Um Projeto a partir de uma Lei : Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei 10.097 Um Projeto a partir de uma Lei A proposta de construir a Cartilha para ONGs: Como Elaborar um Programa de Aprendizagem a partir da Lei

Leia mais