Crie seus próprios plug-ins para o IDE do Delphi

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Crie seus próprios plug-ins para o IDE do Delphi"

Transcrição

1

2 Open Tools API Crie seus próprios plug-ins para o IDE do Delphi Gustavo Chaurais Se você já pensou: o Delphi é tão bom, mas por que o IDE não tem mais essa funcionalidade para facilitar meu trabalho?, certamente irá se identificar com o que a Open Tools API (OTA) permite fazer. De maneira rápida e fácil, podemos implementar desde simples itens no menu a poderosos assistentes com a função de automatizar a criação de formulários. Só dependemos de nossa criatividade e/ou necessidade para criar excelentes plug-ins e melhorar ainda mais a ferramenta de trabalho. Hoje existem diversos plugins, pagos e gratuitos, disponíveis na internet para download. Por exemplo, podemos citar o GExperts e o CnPack, que oferecem conjuntos de funcionalidades para aumentar ainda mais a produtividade do desenvolvedor. Neste artigo, você aprenderá a criar seus próprios plug-ins e wizards para o IDE do Delphi, usando OTA. Um primeiro exemplo Hacking Antes de começarmos a utilizar a API do OTA, vamos ver como podemos acessar os objetos do IDE através de pacotes. Note que essa é uma maneira totalmente desaconselhada para a construção de plug-ins, pois existem meios que nos garantem uma maior confiabilidade em tal tarefa, principalmente no tocante a compatibilidade entre versões da ferramenta. No Delphi, crie um pacote (File>New>Other>Package), adicione nele uma nova unit (File>New>Unit) e salve os arquivos como HackingPackage.dpk e Hacking.pas, respectivamente. Substitua o conteúdo de Hacking.pas pelo código da Listagem 1 e lembre-se que a declaração do método Register é case-sensitive. Compile e instale seu pacote. Quando lhe for perguntado sobre a adição de uma referência à VCL, responda OK. Veja que conseguimos acessar facilmente os objetos internos do IDE e alterar algumas propriedades, como o título e a cor do formulário principal. A seção finalization da unit, que só pode ser declarada se existir initialization, servirá para restaurarmos os valores antigos e liberarmos regiões alocadas da memória. Agora, a menos que você queira continuar com o IDE do Delphi na cor vermelha, desinstale o pacote através de Component>Install Packages. Mais uma vez, devemos salientar que essa técnica deve ser usada somente em situações extremas, e foi apresentada aqui apenas para fins didáticos. Como veremos, existem soluções muito mais elegantes para a construção de plug-ins. Listagem 1. Código de Hacking.pas do projeto HackingPackage unit Hacking; interface uses Forms, Graphics; procedure Register; implementation var TituloAntigo: string; CorAntiga: TColor; procedure Register; begin TituloAntigo := Application.Title; // Muda o Caption do próprio Delphi Application.Title := Revista ClubeDelphi ; CorAntiga := Application.MainForm.Color; // Muda a cor do main form do IDE Application.MainForm.Color := clred; end; initialization finalization Application.Title := TituloAntigo; Application.MainForm.Color := CorAntiga; end. Open Tools API e IOTAWizard A Open Tools API, comumente chamada apenas de OTA, pode ser compreendida como um conjunto de ferramentas para a extensão do IDE. Sua infra-estrutura é baseada em interfaces e pacotes, ou seja, para registrar um plug-in que exerça determinada tarefa, é preciso apenas implementar a interface correspondente e compilar tudo em um pacote. Além disso, os plug-ins construídos poderão rodar tanto no Delphi quanto no C++ Builder, sem grandes problemas. Dica: Para o bom entendimento deste artigo, é ideal que o leitor tenha conhecimento básico sobre o uso de interfaces. Para aprender mais sobre interfaces, consulte a minha coluna no portal ClubeDelphi (www.clubedelphi.net). 6 Edição 70- ClubeDelphi

3 API Hooking Michael Benford Parte III Monitorando cópia, execução e exclusão de arquivos No primeiro artigo desta série (edição 68), fomos apresentados à técnica de API Hooking. Vimos do que se trata, tivemos noções de como ela funciona etc. Na segunda parte (edição 69), aprendemos sobre o conceito de IPC (Inter Process Communication), que nos permite fazer uma DLL conversar com um aplicativo executável. Agora, na terceira e última parte desta série, iremos desenvolver uma aplicação completa usando o que aprendemos, para sabermos bem do que ela é capaz de fazer. Resolvi dar esse desfecho à trilogia porque a maioria dos programadores desconhece a técnica de API Hooking. E, quando ficam sabendo do que se trata, inicialmente não percebem o quanto ela é avançada. Eis o que faremos: um aplicativo que monitore as ações do sistema operacional sobre arquivos, mais especificamente em programas executáveis. O usuário irá criar uma lista de aplicativos protegidos e, com base nela, nosso software irá vigiar o sistema e bloquear alterações no arquivo. Uma tarefa cansativa O leitor que acompanhou esta série deve ter notado que a codificação das DLL s usadas no processo de hooking, dependendo de quais API s serão hookadas, pode tornar-se bastante trabalhosa. Para cada API, devemos ter uma variável de função e um callback, que são clones da declaração da API original. Para a função CreateProcess, por exemplo, precisaríamos escrever duas vezes seus 10 parâmetros. Pior, se fosse necessário usar a variável Next dentro do callback, o que é comum em praticamente 100% dos casos, mais uma codificação da API deveria ser escrita. E isso é apenas para a versão Ansi da API. Resta ainda a versão Wide, que acarretaria a digitação de mais três declarações muito parecidas com a primeira (seriam mudados apenas os tipos Ansi para Wide em parâmetros string). No final, isso demandaria a codificação de 60 parâmetros. Implementar tanto código igual em lugares diferentes, além de ser uma tarefa trabalhosa e totalmente manual, é um processo altamente propenso a erros. E se tratando de API Hooking, a omissão de um parâmetro em callbacks e/ou variáveis Next pode levar o sistema operacional à instabilidade, forçando um reboot no PC para que as coisas voltem ao normal (veja Regras de hooking, na edição 68). Um grande aliado Observando esse problema, percebi que a automatização do processo reduziria o tempo gasto na digitação do código extenso e eliminaria as chances de erro por parte do programador. Então, criei um expert para o IDE do Delphi, que gera todo o código da DLL automaticamente, facilitando nossa vida. Usaremos essa ferramenta para o desenvolvimento da aplicação proposta para este artigo. Este plug-in que desenvolvi é distribuído como um software freeware e está disponível para as versões 6, 7 e 2005 do Delphi (com código-fonte, que pode servir de base para quem quiser criar seus próprios plug-ins). Para baixar, acesse os sites ou clicando no link Downloads. Em seguida, feche o Delphi, caso ele esteja aberto, execute o arquivo baixado e siga as instruções apresentadas pelo assistente de instalação. Nota: Por ser uma versão beta, algumas funcionalidades apresentadas aqui podem mudar ou desaparecer (pouco provável) na versão final. Mãos à obra! Vamos começar pela criação da DLL que será utilizada pelo nosso aplicativo. Como dito anteriormente, ele vai monitorar operações sobre programas. Então, devemos saber quais API s hookar em cada situação. Essas situações, com suas respectivas API s, são: Cópia: CopyFileA/W, CopyFileExA/W; Mudança de pasta/unidade e renomeação: MoveFileA/W, MoveFileExA/W; Exclusão: DeleteFileA/W; Execução: CreateProcessA/W; Edição de atributos: SetFileAttributesA/W. Precisamos, portanto, criar uma DLL que contenha as variáveis Next e os callbacks dessas API s. Para isso, faremos uso de nosso wizard. Muito bem. Clique no menu File, selecione New e Other. Clique sobre o nó (ou aba, se seu Delphi é anterior ao 2005) API Hooking. Marque então API Hook DLL Wizard e clique em OK. A primeira tela do assistente será mostrada. Como primeiro passo, devemos escolher uma biblioteca de funções de hooking para utilizar. Por padrão, o assistente já vem com duas pré-configuradas. Ambas são as comentadas na primeira parte desta série de artigos, sendo uma delas a nossa já conhecida BmsApiHook, do colega Bruno Martins Stuani. Selecione-a e clique em Avançar. A próxima etapa é selecionar quais API s queremos hookar (Figura 1). Edição 70 - ClubeDelphi 15

4 Cadastros com Firebird Everson Volaco Criando cadastros básicos em Delphi utilizando Stored Procedures dinâmicas Neste artigo veremos como criar Stored Procedures dinâmicas no Firebird 1.5.x para uso, de forma genérica, em telas de cadastro desenvolvidas em Delphi 7 ou 2005/2006. O objetivo principal é demonstrar como reutilizar Stored Procedures do banco de dados em diferentes telas de cadastro de nossa aplicação, como também reutilizar código através do suporte a herança de formulários. Nossa aplicação Delphi conterá um formulário de cadastro genérico que será utilizado como base para a criação de todas as telas de cadastro do sistema, onde utilizaremos em todas elas apenas duas Stored Procedures do banco de dados: uma para inclusão, alteração e exclusão dos dados, e outra para consulta dos dados. Nota: Para o exemplo deste artigo utilizei o Delphi 7 com o driver DBX InterXpress for Firebird (Upscene Productions), que pode ser baixado a partir do site O mesmo exemplo podem ser desenvolvido em Delphi 6, 2005 ou Criando o banco de dados Para a criação do banco de dados e de seus objetos utilizei a ferramenta IBExpert Personal Edition que pode ser baixada gratuitamente a partir do site Para criar o banco de dados que será utilizado em nosso exemplo, abra o IBExpert e selecione a opção Database>Create Database a partir do menu principal da ferramenta. Na janela Create Database preencha as informações necessárias para a criação do banco de dados Firebird (veja a Figura 1). Por padrão, o campo Client Library File vem configurado para a biblioteca do InterBase (gds32.dll). Como estamos utilizando Firebird, altere esse campo apontando o mesmo para a biblioteca fbclient.dll que está disponível dentro do diretório Bin da instalação do Firebird. Ao clicar no botão OK será aberta a janela Database Registration para que possamos registrar nosso banco de dados dentro do IB Expert. Para o campo Server Version selecione o banco e versão que está utilizando, no nosso caso Firebird 1.5. Para o campo Database Alias, digite uma alias para o banco de dados, por exemplo: Cadastro. Através do botão Test Connect é possível testar a conexão com o banco de dados recém criado. Pronto, basta clicar no botão Register para registrar o novo banco dentro do IBExpert. Para conectar no banco basta dar um clique duplo em cima do alias Cadastro criado na janela Database Explorer ou ainda a partir da opção Connect to Database disponível no menu de contexto. Criando as Tables, Generators e Triggers Antes de implementarmos as Stored Procedures com SQL dinâmico, principal assunto deste artigo, devemos criar os outros objetos que farão parte do nosso banco de dados, como por exemplo, as tabelas de cadastros que serão utilizadas por nossa aplicação Delphi para armazenar os dados informados pelo usuário. Após conectar no banco de dados, acesse a opção Tools>SQL Editor disponível no menu principal para acessar o editor de SQL do IBExpert. Será dentro dessa janela que executaremos todas as instruções DDL (Linguagem de Definição de Dados) para criar nossos objetos, inclusive as SP s. Nota: A ferramenta IBExpert traz consigo opções para facilitar a criação e gerenciamento dos objetos dentro do banco de dados. Para acessar essas opções, basta selecionar o tipo do objeto que deseja trabalhar dentro da janela Database Explorer e selecionar as opções de Create, Alter ou Drop desse tipo de objeto a partir do menu de contexto. Figura 1. Criando o banco de dados Firebird através do IBExpert Personal Edition Começaremos criando as tabelas que farão parte do banco de dados. Nesse exemplo criaremos duas tabelas: Clientes e Fornecedores. Dentro do SQL Editor entre com as instruções SQL, uma por vez, como mostrado na Listagem 1. Para fazer o auto-incremento do campo-chave de cada uma das tabelas criadas, utilizaremos Generators, Triggers e a função GEN_ID. Como visto em artigos anteriores sobre IB/FB, Generators são Edição 70 - ClubeDelphi 19

5 Delphi + Ajax.NET Rodolfo de Faria Otimizando o tráfego HTTP com chamadas assíncronas e Callbacks em aplicações ASP.NET Conforme já foi dito em outros artigos da ClubeDelphi, para desenvolver para Web é necessário quebrar paradigmas. Um deles é que um Web Form (ASP.NET) é limitado e não possui tantos recursos quanto um formulário tradicional (TForm da VCL). Ajax surge como uma opção para enriquecer as interfaces via Web e melhorar a usabilidade das páginas, deixando-as mais responsivas. O funcionamento do protocolo HTTP é chamado de request/ response, isto é, a cada ação do usuário (clique por ex.), uma requisição é enviada ao servidor e após uma espera, outra página HTML é devolvida ao browser (ou seja, há refresh total da página). Esse ciclo clique, espera, atualiza página é demorado, consome banda e é pouco eficiente. E se pudéssemos atualizar apenas as partes da página onde de fato houve modificações? Ajax faz isso e também permite que o usuário continue interagindo com a página enquanto uma requisição paralela está em andamento. Neste artigo veremos como são implementadas requisições síncronas e assíncronas usando a biblioteca Ajax.NET e como as páginas podem ser atualizadas sem efetuar postback (execução do método Submit do formulário da página). Uma roupagem nova para tecnologias já conhecidas O acrônimo Ajax significa Asynchronous Javascript + XML e consiste na combinação do objeto XmlHttpRequest com JavaScript e XML para envio e recebimento de informações sem a necessidade de se efetuar postback. Com ele é possível fazer requisições em background e atualizar a tela de modo transparente para o usuário, assemelhando-se a uma aplicação desktop. O termo Ajax foi cunhado por Jesse James Garrett da empresa Adaptive Path (www.adaptivepath.com), mas o objeto XmlHttp Request já existia no Internet Explorer desde sua versão 5 como um componente ActiveX. Outros browsers já possuem uma implementação nativa desse objeto. Ajax.NET Ajax.NET é uma biblioteca open source para.net Framework que visa simplificar a programação com Ajax. Baixe-a no endereço: ajax. schwarz-interactive.de. No site existem duas versões: Ajax.NET e Ajax. NET Professional. Usaremos a primeira versão. Veja na Figura 1 a ilustração de uma solução Ajax. No lado cliente uma função JavaScript cria um objeto XMLHTTP Request e faz uma requisição de dados ao servidor. No lado servidor um HttpHandler recebe a requisição, chama um dos métodos marcados com o atributo [AjaxMethodAttribute] e serializa o objeto de retorno usando JSON (JavaScript Object Notation). No cliente, a string JSON é transformada novamente em objeto, a função de callback é chamada e alguma parte da página é atualizada. Isso acontece de maneira transparente para o usuário. Neste artigo, para ver como o Ajax funciona na prática, vamos criar uma aplicação simples com dois controles HtmlTextBox, onde iremos digitar no primeiro controle e uma descrição aparecerá no segundo. Adicionando Ajax.dll ao projeto No Delphi 2005 ou 2006 crie uma nova ASP.NET Web Application e salve-a como DemoAjax. No Project Manager dê um clique de direita e escolha Add Reference (Figura 2). No editor, clique em Browse, localize o arquivo Ajax.dll e clique em OK. Adicione Ajax na cláusula uses da unit. Editando o Web.Config No Project Manager dê um duplo clique no arquivo Web.Config e insira o código a seguir dentro da tag system.web: <httphandlers> <add verb= POST,GET path= ajax/*.ashx type= Ajax.PageHandlerFactory, Ajax /> </httphandlers> Figura 1. Ilustração de uma solução Ajax baseada na imagem obtida de Edição 70 - ClubeDelphi 25

6 Debugando com Codesite Bruno Sonnino Conheça uma excelente ferramenta para debugar seu código Você está desenvolvendo um aplicativo e as coisas não estão correndo como deveriam: o programa não faz o que deveria fazer, você tem muita dificuldade para seguir o código usando o debugger integrado do Delphi, pois os métodos se entrelaçam e eventos são ativados durante a execução, ou mesmo o erro está no meio de uma rotina de reescrita da tela (nesse caso, quando o debugger é ativado a tela é coberta e a rotina é chamada novamente), ou mesmo sua aplicação é multithreaded, onde diversas tarefas são executadas simultaneamente (por exemplo aplicações Web ou servidores de aplicação DataSnap). Normalmente, minha primeira opção quando isso acontece é colocar uma chamada para ShowMessage para que a caixa de diálogo mostre o valor da variável. Quando a rotina com erro é chamada diversas vezes, isso é impraticável, pois temos que clicar no botão OK cada vez, além de interromper a execução, escondendo bugs e introduzindo outros. Passo então para a segunda opção: criar um arquivo de log, usando WriteLn. Essa opção é mais interessante, pois não interrompe a aplicação e permite mostrar todas as informações que desejo. Esse enfoque funciona até o momento em que as funções começam a se entrelaçar ou quando tenho que enviar informações mais complexas, como uma imagem. Uma solução para esses problemas pode ser o CodeSite, da Raize Software, já premiado como melhor ferramenta de debugging pela revista Delphi Informant. Introdução ao CodeSite O CodeSite, que pode ser obtido em é como um super gerador de arquivos de log, pois permite enviar dados de diversos tipos para o log, inclusive tipos personalizados. O log pode então ser visualizado localmente, no Viewer, gravado num arquivo, para ser visto em outro computador ou mesmo enviado para outra máquina. As mensagens podem ser de diversos tipos, sendo mostradas com ícones diferentes, podendo ser filtradas, para esconder mensagens desnecessárias. Após instalar o CodeSite, basta incluir a unit CodesiteLogging na cláusula uses e usar o método Send, do objeto CodeSite, como: Dispatcher e a mensagem enviada é mostrada no CodeSite Viewer, como na Figura 1. O Send é um método sobrecarregado e pode receber diversos tipos como parâmetro. Você pode enviar para o log de mensagens dados de diversos tipos: strings, inteiros, imagens, listas e até dados personalizados (como veremos mais adiante). Você pode incluir na mensagem uma string explicativa e também um tipo de mensagem. Conforme o tipo, a mensagem é mostrada com um ícone diferente no log. O código a seguir envia as mensagens disponíveis no CodeSite. Note que não enviamos a mensagem csmclear, que limpa o Viewer. var i: Integer; begin for i := csmfirst to csmlast do if i <> csmclear then Codesite.Send(i, Mensagem número, i); A Figura 2 mostra o log de mensagens após a execução do código. Muitas dessas mensagens não serão enviadas dessa maneira. Por exemplo, para enviar um separador ao Viewer, usamos o método Add- Separator ou para limpar as mensagens usamos o método Clear. Usando o CodeSite O método Send, embora seja muito importante, é apenas parte do que o CodeSite pode fazer. Um recurso muito interessante é o tracing CodeSite.Send( Teste de mensagem ); Ao executar o programa, duas coisas acontecem: aparece um novo ícone na barra de tarefas, ao lado do relógio: é o CodeSite Figura 1. CodeSite Viewer 32 Edição 70 - ClubeDelphi

7 DataSnap e SOAP Guinther Pauli Aplicações distribuídas usando ClientDataSet, XML e Web Services Quando pensamos na criação de aplicações para Internet, a primeira coisa que vem à mente é o desenvolvimento Web. Usando um browser, podemos acessar nossa aplicação a partir de qualquer local do planeta, consultar informações dinâmicas vindas de um banco de dados, fazer compras on-line, efetuar cadastros e muito mais. Usando tecnologias como ASP.NET Web Forms com o Delphi, podemos criar aplicações Web de forma muito semelhante ao que já estamos acostumados a fazer no Desktop. Os problemas começam a surgir quando tentamos fazer na Web as mesmas coisas que estamos acostumados a fazer com a VCL Win32. Em várias oportunidades aqui na Revista, e também nas palestras que tenho ministrado sobre desenvolvimento Web, a primeira coisa que gosto de deixar claro é: um browser não é um formulário Delphi. Considero os protocolos HTTP e HTML arcaicos para serem usados como base na construção de aplicações; esses protocolos nasceram há anos, quando a Internet se limitava a consulta de informações estáticas, como imagens e textos (do tempo onde as primeiras aplicações dinâmicas sugiram com o CGI - Writeln). De lá pra cá, tudo o que se fez, foi meramente criar tecnologias que facilitam o desenvolvimento sobre eles, mas as limitações continuam a existir. Claro, temos alguns facilitadores, mas nada como o velho e bom TForm. Por exemplo, ao desenvolver para Web, você precisa aprender algumas coisas que até então pareciam esotéricas para quem sempre desenvolveu para Desktop: manter estado, fazer gerenciamento de sessão, processar requisições HTTP, ter uma preocupação triplicada com escalabilidade e por aí vai. Como se já não bastasse, o HTML oferece um conjunto pobre de elementos (tags) para a construção de formulários, se comparamos com a VCL. É muito mais fácil construir uma interface rica de elementos visuais usando VCL. Porém, a necessidade de acessar informações On-Line e centralizar o banco de dados em um local que possa ser acessado pela Internet, não nos deixa outra saída: mais cedo ou mais tarde vamos precisar construir aplicações para Web! O que proponho neste artigo é unificar o melhor dos dois mundos: a facilidade do desenvolvimento Desktop com VCL Win32 com os benefícios que só a Internet oferece. Você aprenderá hoje, neste artigo, a criar aplicações distribuídas para Internet usando VCL ( TFormbased, ao invés de um browser), DataSnap, SOAP e Web Services. E o melhor de tudo, você verá que graças ao Delphi, esse trabalho se torna muito simples, rápido, prático e RAD. Vantagens ao utilizar DataSnap com SOAP Antes de começar nosso exemplo, na já tradicional metodologia passo a passo, gostaria de justificar o porquê da abordagem que estou propondo e quais as suas vantagens: Ao usar VCL para desenvolver para Internet, você não precisa aprender outro framework. Podemos continuar usando os mesmos controles que já usamos há anos; É muito simples migrar uma solução client/server para a abordagem proposta, você vai economizar tempo e código; Não sofreremos com as limitações impostas pelo HTTP e HTML: esqueça gerenciamento de estado, sessão, processamento de requisições e afins; Diferente do HTML, que a cada requisição trafega formulários completos (resfresh total da página no postback), mesmo que você tenha solicitado a simples mudança em um controle, em nossa solução tudo o que vai tr afegar por HTTP são os dados dinâmicos, em formato XML; Aplicações client e usando essa arquitetura são chamadas rich-client, elas contém basicamente código de tratamento de interface. O acesso a dados, regras de negócio, SQL, tudo fica no servidor. Isso garante uma centralização e compartilhamento de acesso. Usando as tecnologias abordadas neste artigo, você poderá ao final: Acessar seu banco de dados a partir de qualquer lugar da Internet; Criar aplicações distribuídas para a Internet. Você pode, por exemplo, centralizar o banco de dados e servidor de aplicação na matriz da empresa e distribuir as aplicações clientes para as filiais, que terão acesso a dados em tempo real e que se mantêm sempre atualizados, sem a necessidade de sincronização; Poderá ter sua aplicação oferecida como um serviço: seus clientes podem pagar um taxa, por exemplo, e acessar a aplicação através da Internet, sem a necessidade de nenhuma configuração local na empresa, tudo fica configurado e armazenado no servidor. Arquitetura da solução Para ter uma visão geral da arquitetura da aplicação que será criada, veja o esquema da Figura 1. Durante todo este tutorial, sempre que tiver uma dúvida de como a solução está sendo implementada e em que camada está sendo empregada determinada tecnologia, consulte essa figura. Ela será nosso mapa. Temos três camadas envolvidas na solução: C amada de Dados: o banco de dados (SGBD), nesse caso usaremos o Firebird 1.5; 38 Edição 70- ClubeDelphi

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi Índice Índice...1 Desenvolvendo Conduits...2 (Passo a Passo)...2 Criando um Arquivo.mdb... 2 Arquivos...6 Instalando os componentes... 7 Recompilando os Comonentes do Delphi...13 Configurando a Conexão

Leia mais

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7 Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul Informação e Comunicação: Habilitação Técnica de Nível Médio Técnico em Informática Programação Android na IDE Eclipse PROGRAMANDO ANDROID

Leia mais

Instalando o Internet Information Services no Windows XP

Instalando o Internet Information Services no Windows XP Internet Information Services - IIS Se você migrou recentemente do Windows 95 ou 98 para o novo sitema operacional da Microsoft Windows XP, e utilizava antes o Personal Web Server, deve ter notado que

Leia mais

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software

MANUAL DO ANIMAIL 1.0.0.1142 Terti Software O Animail é um software para criar campanhas de envio de email (email Marketing). Você pode criar diversas campanhas para públicos diferenciados. Tela Principal do sistema Para melhor apresentar o sistema,

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR)

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR) CAPÍTULO2 1. A ESTRUTURA DE UM APLICATIVO Quando iniciamos uma aplicação em Delphi ele interpreta que iremos desenvolver um projeto. Este gerencia um conjunto de recursos como Forms, Units, objetos, funções

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX Vinícius Barreto de Sousa Neto Libgdx é um framework multi plataforma de visualização e desenvolvimento de jogos. Atualmente ele suporta Windows, Linux,

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

O Primeiro Programa em Visual Studio.net

O Primeiro Programa em Visual Studio.net O Primeiro Programa em Visual Studio.net Já examinamos o primeiro programa escrito em C que servirá de ponto de partida para todos os demais exemplos e exercícios do curso. Agora, aprenderemos como utilizar

Leia mais

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2.

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. 1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. Editando um Artigo 4.3. Excluindo um Artigo 4.4. Publicar

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014 UNIVERSIDADE CEUMA Ambientação JAVA Versão 0.1 08/01/2014 Este é um modelo de configuração para desenvolvimento no ambiente Java. MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 Sumário Sumário... 2 1

Leia mais

Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015]

Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015] Guia de Instalação do SARA Portal Web TOTVS [06/2015] Sumário 1. Instalação do Portal WEB SARA... 3 2. Instalação do Protheus... 4 3. Atualização do Binário do Protheus... 5 4. Atualização do RPO... 6

Leia mais

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi.

Introdução ao Delphi. Introdução. Edições do Software. Capítulo 1. InforBRás - Informática Brasileira Ltda. O Que é o Delphi. Capítulo 1 O Que é o Delphi Diferenças entre Delphi Client/Server do Delphi for Windows Características que compõem o Integrated Development Invironment (IDE) Como o Delphi se encaixa na família Borland

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Professional. Guia do Usuário

Professional. Guia do Usuário Professional Guia do Usuário Conteúdo Introdução a SYNCING.NET... 3 Bem-vindo a SYNCING.NET... 3 Utilizando SYNCING.NET... 3 Como funciona SYNCING.NET?... 3 Requisitos Técnicos... 5 Instalação... 6 Registro...

Leia mais

Instalação do Componente TcomPort

Instalação do Componente TcomPort Instalação do Componente TcomPort O componente para porta serial TcomPort, pode ser baixado na página www.jclima.tk. Estando na página principal, selecione o link para a página downloads. Selecione então

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco 1 Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco MARCELO JALOTO (marcelo@jaloto.net) é graduado no curso superior Projetos e Gestão de Redes de Computadores e formado no curso Técnico em Processamento

Leia mais

HOME. Guia de Usuário

HOME. Guia de Usuário HOME Guia de Usuário Contenido Introdução a SYNCING.NET... 3 Bem-vindo a SYNCING.NET... 3 Utilizando SYNCING.NET... 3 Como funciona SYNCING.NET?... 3 Requisitos Técnicos... 5 Instalação... 6 Registro...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

SCPIWeb. SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 )

SCPIWeb. SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 ) 2010 SCPIWebDespRec Aplicação Web para Consulta de Despesas e Receitas ( Lei Complementar nº 131 de 27 Maio de 2009 ) SCPIWebCotacao Aplicação Web para Cotação de Preços via Internet Resumo de Instruções

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o conceito aplicações orientada a serviços via web Apresentar o papel dos contentores

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1

Notas de Versão. Versão 6.0 SP1 Notas de Versão Versão 6.0 SP1 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas por direitos autorais pertencentes à Pitney

Leia mais

Configuração Do Firebird no Ide NetBeans

Configuração Do Firebird no Ide NetBeans Configuração Do Firebird no Ide NetBeans Inicialmente devemos fazer o download do Netbeans 5.5 localizado no site da Sun (www.sun.com). Em seguida baixar o driver JayBird, localizado no site do firebird

Leia mais

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva

Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Google Web Toolkit* Clério Damasceno Soares, Daniel da Silva Filgueiras e Fábio Figueiredo da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF-MG Campo Universitário Bairro Marmelos Juiz de Fora MG Brasil

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010

Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010 Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010 Manual de Instalação do Sistema Orion Phoenix 1.0 - Novembro/2010 Página 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. VISÃO GERAL...3 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO.

COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. COMPARTILHAMENTO DO DISCO E PERMISSÕES DE REDE PÚBLICAS E DE GRUPOS DE TRABALHO. 1. Compartilhar a máquina servidor clicando com o botão direito do mouse em disco local e no menu de contexto não pção Propriedades.

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR 1 - Integra Services Atenção: o Integra Services está disponível a partir da versão 2.0 do software Urano Integra. O Integra Services é um aplicativo que faz parte

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

Cadastro de Orçamento Utilizando Tablet Android

Cadastro de Orçamento Utilizando Tablet Android Cadastro de Orçamento Utilizando Tablet Android Instalação, configuração e manual 1 Conteúdo Instalação... 4 Requisitos mínimos... 4 Windows 8... 5 Instalação do IIS no Windows 8... 5 Configuração do IIS

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS AP_ Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS Manual de Instalação Tempro Software StavTISS Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3. INSTALAÇÃO... 4 4.

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. Guia de Instalação do SolidWorks 2010 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Conteúdo O que é?... 4 Histórico... 4 Onde Baixar?... 4 Diferença entre Firebird e o Interbase... 4 Como instalar?... 4 Instalando o Ibexpert...

Conteúdo O que é?... 4 Histórico... 4 Onde Baixar?... 4 Diferença entre Firebird e o Interbase... 4 Como instalar?... 4 Instalando o Ibexpert... Apostila FIREBIRD 1 Firebird Equipe: BARBARA CAROLINE SOUZA DE OLIVEIRA Nº 04 GUILHERME ROBERTO PINTO DE SOUZA Nº 16 JOSÉ ROSA MARTINS NETO Nº 22 RAFAEL ALVES DE SOUSA Nº 36 WELLINGTON COSTA SANTOS OLIVEIRA

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens em utilizar este serviço para facilitar a administração de pastas compartilhadas em uma rede de computadores.

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012 Para WebReporter 2012 Última revisão: 09/13/2012 Índice Instalando componentes de pré-requisito... 1 Visão geral... 1 Etapa 1: Ative os Serviços de Informações da Internet... 1 Etapa 2: Execute o Setup.exe

Leia mais

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação).

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação). Módulo Nota Fiscal Eletrônica Sispetro Roteiro de Instalação Módulo Autenticador NFE Pré-Requisitos O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de

Leia mais

Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap

Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap Introdução Em artigo anterior a framework na Active Delphi, apresentados o TMS Aurelius, uma framework para mapeamento objeto-relacional (ORM) e mostramos

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO LUÍS MONTE CASTELO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE INFORMÁTICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO I PROFESSOR:

Leia mais

ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA...

ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA... Instalação do Sistema Urano Integra em Sistema Operacional Windows 1 ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA.... 3 1.1 URANO INTEGRA... 3 1.2 JAVA RUNTIME

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP Cleber de F. Ferreira¹, Roberto Dias Mota¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil cleberferreirasi@hotmail.com, motaroberto@hotmail.com Resumo.

Leia mais

Gerenciador de Referências. EndNote. Nonato Ribeiro Biblioteca de Ciências e Tecnologia (UFC)

Gerenciador de Referências. EndNote. Nonato Ribeiro Biblioteca de Ciências e Tecnologia (UFC) Gerenciador de Referências EndNote Nonato Ribeiro Biblioteca de Ciências e Tecnologia (UFC) Pesquisa na Web of Science O que é o EndNote? Funcionalidades da ferramenta Como incluir citações no Word usando

Leia mais

Manual de Atualização Versão 3.6.4.

Manual de Atualização Versão 3.6.4. Manual de Atualização Versão 3.6.4. Sumário 1. AVISO... 1 2. INTRODUÇÃO... 2 3. PREPARAÇÃO PARA ATUALIZAÇÃO... 3 4. ATUALIZANDO GVCOLLEGE E BASE DE DADOS... 7 5. HABILITANDO NOVAS VERSÕES DO SISTEMA....

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS O QUE É PHP Se você já programa PHP, aconselho que pule para o capítulo 7 desse livro. Pois até esse capitulo iremos abordar algoritmos em PHP até a construção de uma classe com seus métodos e atributos

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Este tutorial visa preparar o computador com os softwares necessários para a utilização dos sistemas de visualização

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Apresento neste artigo como criar uma aplicação web totalmente orientada a objetos usando o framework NHibernate e a linguagem C#. Nossa meta é construir

Leia mais

Tutorial MSN Messenger

Tutorial MSN Messenger Tutorial MSN Messenger Este tutorial irá ensiná-lo(a) a usar o programa MSN Messenger, utilizado para conversação Online. Dependendo da sua conexão a página pode demorar um pouco até ser carregada totalmente.

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

MANUAL DE FTP. Instalando, Configurando e Utilizando FTP

MANUAL DE FTP. Instalando, Configurando e Utilizando FTP MANUAL DE FTP Instalando, Configurando e Utilizando FTP Este manual destina-se auxiliar os clientes e fornecedores da Log&Print na instalação, configuração e utilização de FTP O que é FTP? E o que é um

Leia mais

MULTIACERVO - VERSÃO 18.* MANUAL PARA CONVERSÃO DA VERSÃO 17.* PARA 18.*

MULTIACERVO - VERSÃO 18.* MANUAL PARA CONVERSÃO DA VERSÃO 17.* PARA 18.* MULTIACERVO - VERSÃO 18.* MANUAL PARA CONVERSÃO DA VERSÃO 17.* PARA 18.* CONTEÚDO: A) Procedimentos comuns para todas as arquiteturas B) Procedimentos exclusivos arquitetura com sgbd MS-SQL-SERVER C) Procedimentos

Leia mais

Dominando Action Script 3

Dominando Action Script 3 Dominando Action Script 3 Segunda Edição (2014) Daniel Schmitz Esse livro está à venda em http://leanpub.com/dominandoactionscript3 Essa versão foi publicada em 2014-05-02 This is a Leanpub book. Leanpub

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Atualizando do Windows XP para o Windows 7

Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizar o seu PC do Windows XP para o Windows 7 requer uma instalação personalizada, que não preserva seus programas, arquivos ou configurações. Às vezes, ela

Leia mais

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa? Que tipo de navegadores são suportados? Preciso permitir 'cookies' O que são 'cookies' da sessão? O sistema está pedindo que eu faça meu login novamente e diz que minha sessão expirou. O que isso significa?

Leia mais

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes 01 - Apresentação do SiteMaster - News Edition O SiteMaster foi desenvolvido para ser um sistema simples de gerenciamento de notícias, instalado em seu próprio computador e com configuração simplificada,

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

Manual de Instalação GBS-EGIS

Manual de Instalação GBS-EGIS INDÍCE Capítulo Página Microsoft SQL Server 2000 03 Instalação EGIS - SERVIDOR 04 Instalação EGIS - CLIENT 20 Acessando e Configurando o Sistema 24 Instalação do Cliente do MS SQL Server 2000 25 Configurações

Leia mais

Java Exemplo MDI. Tela Principal

Java Exemplo MDI. Tela Principal Java Exemplo MDI Nesta aula criaremos uma aplicação simples de cadastro para avaliar o nível de dificuldade/facilidade que é desenvolver softwares com a tecnologia Java. No NetBeans, crie um novo projeto

Leia mais

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 Sobre o PostGIS PostGIS é um Add-on (complemento, extensão)

Leia mais

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64)

Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Página1 Token SafeNet Authentication Cliente 8.3 (x32 e x64) Manual do Usuário Página2 Índice O que é Token?... 03 Instalação do Token... 04 Verificação do Certificado... 07 Troca de Senhas...10 Página3

Leia mais

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013)

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013) FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 () 1 Sumário: PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO VERSÃO 5.8... 4 ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA VIA CD... 6 1º Passo Atualizações e Alterações da Versão 5.8...

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Ferramentas RAD e DELPHI

Ferramentas RAD e DELPHI Origem: http://my.opera.com/maicokrause/blog/ferramentas-rad-e-delphi Data: 17 Nov 2009 Autor: Maico Krause Ferramentas RAD e DELPHI Thursday, 16. July 2009, 14:27:40 Desenvolvimento, Delphi, Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD. Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD. Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS GIZ/PROGRAD Tutorial UFMG Virtual Os primeiros passos do docente Nereu Agnelo Cavalheiro contato@nereujr.com Tutorial UFMG Virtual Primeiros passos do docente Este

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o

Veja abaixo um exemplo de como os dados são mostrados quando usamos o Objeto DataGridView O controle DataGridView é um dos objetos utilizados para exibir dados de tabelas de um banco de dados. Ele está disponível na guia de objetos Data na janela de objetos do vb.net. Será

Leia mais

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon MDaemon GroupWare plugin para o Microsoft Outlook Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon Versão 1 Manual do Usuário MDaemon GroupWare Plugin for Microsoft Outlook Conteúdo 2003 Alt-N Technologies.

Leia mais

Elaborado por SIGA EPCT. Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados

Elaborado por SIGA EPCT. Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados Elaborado por SIGA EPCT Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados Versão Outubro - 2011 Sumário 1 Introdução 2 2 Algumas observações 3 3 Obtendo e instalando

Leia mais

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL DIGISAT ERRO MIDAS.DLL Para resolver esta questão, faça o download do "Registra Midas" e "midas.dll" que estão disponíveis nos links abaixo e salve-os dentro da pasta de instalação do sistema. Em seguida,

Leia mais

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Use o Google Drive para armazenar e acessar arquivos, pastas e documentos do Google Docs onde quer que você esteja. Quando você altera um arquivo na web, no

Leia mais

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR MANUAL E DICAS DO ASSISTENTE VIRTUAL (AV) POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 ÍNDICE Introdução...3 Requisitos e Restrições do Assistente...3 Diferenças da Versão

Leia mais

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o Conceito de Classes e Objetos Capacitar para a criação de objetos simples

Leia mais

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server

Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Integração entre o IBM HTTP SERVER, APACHE WEB Server e IBM Websphere Application Server Índice Resumo sobre este documento... 3 Integrando o IBM HTTP Server com o IBM WebSphere Application Server... 3

Leia mais

Configurando o IIS no Server 2003

Configurando o IIS no Server 2003 2003 Ser ver Enterprise Objetivo Ao término, você será capaz de: 1. Instalar e configurar um site usando o IIS 6.0 Configurando o IIS no Server 2003 Instalando e configurando o IIS 6.0 O IIS 6 é o aplicativo

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais