15/8/2011. Dom Dimas MINISTÉRIO DO CATEQUISTA. Apresentação (D. Eugênio Rixen)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "15/8/2011. Dom Dimas MINISTÉRIO DO CATEQUISTA. Apresentação (D. Eugênio Rixen)"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO CATEQUISTA Dom Dimas Mesmo crescendo o número de serviços eclesiais, o do catequista ainda é necessário e fundamental e com características peculiares (RM 73). Isto vem sendo estudado e refletido na Igreja. O Documento 95, Estudos da CNBB, Ministério do Catequista, é um trabalho feito em mutirão. Conforme o DNC, o ministério da catequese pode ser conferido a catequistas e ocupa lugar de relevo nos ministérios da Igreja (n. 232). Diz o Documento que os objetivos sejam alcançados no caminho do discipulado e da missionariedade (DA). Apresentação (D. Eugênio Rixen) Sempre houve na Igreja serviços, funções e tarefas. Entre eles aparece a educação da fé, isto é, a catequese. O desafio é formar catequistas capazes e eficientes. O Vaticano II trouxe renovação catequética e litúrgica. Jesus escolheu discípulos e discípulas para acompanhálo na missão. Entre eles o da catequese, com o ministério de catequista. Falamos hoje em catequese evangelizadora. No ministério da catequese é instituído o ministério de catequista. 1

2 Apresentação Dar à catequese condições de passos certos e seguros. No ciclo da rotatividade, alguns catequistas são instituídos. São educadores da fé com tempo razoável e estável. A Igreja é espaço de serviços e ministérios. Características: serviço único, oficial e de caráter próprio (DNC, 39). Com esse serviço, a Igreja edifica a vida cristã. Para isto, o catequista deve colocar-se na escola de Jesus. Introdução O que é mesmo ministério na Igreja. Começa com a missão de Jesus e passa pela missão da Igreja. É um carisma em forma de serviço reconhecido pela Igreja. O serviço é a parte visível do carisma. Mas há uma distinção entre serviço e ministério. O serviço não tem a consistência de ministério. O ministério é serviço instituído, ligado à missão da Igreja. Introdução Ele é assumido com estabilidade e razoável permanência. Quem o recebe, torna-se responsável pela função. Responde com responsabilidade pela missão assumida. Baseia-se no carisma e na necessidade da comunidade. É reconhecido pela Igreja, que o encarna e visibiliza. Classificação: reconhecidos, confiados, instituídos e ordenados. Um serviço não precisa ser reconhecido. O ministério, sim. 2

3 VER: Novos desafios, novas respostas 1. Presença e atuação dos catequistas na Igreja do Brasil. Tem sido importante a atuação de leigos e leigas na vida da Igreja nos últimos 50 anos. Destaca-se a valorização da bíblia como eixo da catequese. A catequese passou a ter autoridade, atualidade e potencialidade. Surgiram os cursos de formação em busca de qualidade. Assim a catequese tem tido fecundos resultados. Passa a ser missão de toda a comunidade. 1. Presença e atuação dos catequistas na Igreja do Brasil. Os estudos da Palavra de Deus estão ampliando o sentido Nele busca-se aprofundamento e conhecimento da Palavra. A catequese passa a ser completa, orgânica, sistemática e evangelizadora. Ela abriu o seu leque para todas as idades. Em 1983 a Catequese Renovada pedia prioridade para a catequese de adultos. No Brasil hoje passamos de 800 mil catequistas. 1. Presença e atuação dos catequistas na Igreja do Brasil. Houve tempo em que a catequese era apenas doutrinal. Não se trabalhava na catequese a amizade com Jesus Cristo na liturgia. Não havia preocupação com a experiência comunitária e o compromisso apostólico. Hoje se dá mais valor à religiosidade popular e sua importância para a catequese. A V Conferência de Aparecida fala da identidade católica, dada pela catequese. 3

4 2. O ministério do catequista na história da Igreja Houve sempre, na atuação da catequese, deficiências e sombras, estímulos e luzes. A história é mestra da vida e influencia na catequese. Catequese significa falar de cima, fazer eco, ecoar, ressoar. É informar, contar, comunicar uma notícia (At 21, 21-24). Catequese é dar uma instrução (At 18, 25; Rm 2, 18). 2. O ministério do catequista na história da Igreja Formas da catequese: gritar, anunciar, evangelizar, testemunhar, ensinar, catequizar, pregar e transmitir. Caminho dito por São Paulo sobre o anúncio: leite espiritual e alimento sólido (I Cor 3,2; At 5,12-14). Na era patrística a catequese era instrução fundamental. Era o catecumenato em preparação para o batismo. Na cristandade, a catequese é doutrinal. 2. O ministério do catequista na história da Igreja Na cristandade, a catequese foi separada da celebração litúrgica. Na Idade Média aparece a catequese para adultos. Causas disto: ignorância religiosa, deterioração moral, crise nos laços com a Igreja. De perguntas e respostas, a base passa a ser o livro. Na época contemporânea é interativa e quer catequizar todo o povo. Surge a idéia da catequese permanente. 4

5 3. O ministério do catequista no contexto atual O catequista de hoje precisa ter o perfil da cultura. Deve ter: Fé profunda, identidade cristã e eclesial, ser missionário e ter sensibilidade social. Deve ser e sentir-se membro de uma comunidade. Ter convicções sólidas e ser capaz de transmiti-las. DNC: O ministério da Palavra exige o ministério da catequese. Entre muitos catequistas, alguns devem receber o mandato. ILUMINAR: Inspiração e fundamento para o ministério do catequista da catequese. Nos vários serviços e ministérios encontramos o ministério A base está apoiada no envio de Abraão, Moisés, Jetro, profetas etc. A Palavra vem do céu, da terra, do alto, de baixo, de Deus, dos homens. A Palavra eterna do Pai agora responde pelo nome de Jesus. Ela é anunciada no seio da família de Deus. No NT, João é a voz; Jesus é a Palavra. Quem escuta Jesus, escuta o próprio Deus. Confundem-se Palavra e voz, mensagem e mensageiro, dizer e viver. Os doze foram enviados para anunciar o Reino. Quem suscita e sustenta a missão é o Espírito Santo. 5

6 Tudo está contextualizado no ide de Jesus. A Palavra era oral; agora é escrita. A Igreja antiga criava ministérios para o anúncio. Citemos os apóstolos, os doutores, os evangelistas, os pastores. Na carta aos Hebreus Jesus é chamado de sacerdote. Hipólito Romano fala em ministério do catequista (231). A Igreja é sujeito da catequese e lugar dos serviços e ministérios. Acontece a catequese na unidade, pluralidade e variedade. Ministério não é desigualdade, mas diaconia, serviço. O carisma é dom que habilita a pessoa para realizar algo. Portanto, carisma é serviço reconhecido pela Igreja. É importante o serviço na Igreja, ligado à missão. 2. O ministério do catequista numa Igreja ministerial O serviço não depende de reconhecimento oficial. O ministério, sim. O ministério de catequista é uma modalidade do ministério É a modalidade mais específica, densa e mais encarnada. Supõe-se vocação específica para o ministério da catequese. O vocacionado é ligado à caminhada da comunidade. Antes de assumir ministério, o catequista é pessoa. 6

7 Deve haver o primado do ser sobre o fazer. Temos hoje: ministério reconhecido, confiado, instituído e ordenado. Catequista apoiado pelo pároco e pela comunidade, é reconhecido. Recebendo uma designação especial, é confiado. O ministério instituído é conferido pela Igreja. Temos hoje os ministérios de leitor e acólito. A instituição é feita através de um rito litúrgico próprio. O tempo e a forma do ministério dependem de cada Diocese. Vantagem: Ministério assumido com responsabilidade própria. Desvantagens: Risco de desmotivar outros catequistas. Risco da pessoa se achar mais importante. Inveja, ciúme de setores da comunidade e desmotivação dos demais. AGIR: Que ministros para qual catequese? 1. O ministério do catequista no conjunto da evangelização. EN: O ensino catequético tem lugar privilegiado na evangelização. CR: A catequese está no mais amplo contexto da evangelização. O momento é de criar na catequese uma mística missionária. Frutos da catequese: Conversão, seguimento, discipulado, missão. A catequese hoje é mais missionária, catecumenal, eclesial, histórica. 7

8 1. O ministério do catequista no conjunto da evangelização. DNC: O ministério da catequese é ministério da Palavra. O catequista deve ser profeta hoje. Características do catequista: Identificação pessoal, capacidade, assimilação. Identificar-se com o caráter próprio da evangelização. Deve fundamentar a fé e dar formação integral ao cristão. 2. Requisitos para instituição do ministério do catequista. Formas: Reconhecido, confiado ou instituído. Não serão muitos os catequistas instituídos. Quatro níveis: pessoal, diocesano, paroquial e comunitário. Cada nível com suas normas próprias (ver págs 64 67). Dom Paulo Mendes Peixoto. 8

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10

Princípios para uma Catequese Renovada. Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Princípios para uma Catequese Renovada Eu vim para que tenham a vida Jo 10,10 Por que Renovada? Podemos renovar o que ainda não existe? Como renovar? Introdução A renovação atual da catequese nasceu para

Leia mais

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

O que percebemos... - Ausência da família - Formação do catequista - Adultos que não são prioridades - Pouco envolvimento do clero - Catequese para os sacramentos - Rotatividade dos catequistas

Leia mais

Coleção Chamados à Vida Chamados À Vida, Chamados À Vida Em Jesus Cristo,

Coleção Chamados à Vida Chamados À Vida, Chamados À Vida Em Jesus Cristo, Coleção Chamados à Vida Em preparação à Eucaristia 1ª Etapa: Chamados à vida 2ª Etapa: Chamados à vida em Jesus Cristo 3ª Etapa: Chamados à vida em Comunidade. 4ª Etapa: Chamados à vida para amar e servir.

Leia mais

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão.

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Como animadores da comunhão, temos a missão de acolher,

Leia mais

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio

1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 1- ASSUNTO: Curso de liturgia na Paróquia Santo Antônio 2- TEMA: Liturgia 3- OBJETIVO GERAL Assessorar as 12 comunidades pertencentes à Paróquia Santo Antônio, motivando-as a celebrar com fé o Mistério

Leia mais

Roteiro de leitura e síntese para compreender. o significado da Comunidade Eclesial

Roteiro de leitura e síntese para compreender. o significado da Comunidade Eclesial Roteiro de leitura e síntese para compreender o significado da Comunidade Eclesial Comunidade Eclesial Sinal do Reino no presente e no futuro O livro está dividido em 4 capítulos: Refletindo sobre Comunidade

Leia mais

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA?

EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? EM RESUMO, QUE LUZES NOS TRAZ O DOCUMENTO DE APARECIDA? O documento Conclusivo da V Conferência contém inúmeras e oportunas indicações pastorais, motivadas por ricas reflexões à luz da fé e do atual contexto

Leia mais

SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE

SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE Quem é o leigo catequista? SER CATEQUISTA NOS DIAS DE HOJE Pessoas que descobrem, na experiência de fé e na inserção na comunidade, a vocação de catequista. Exercem essa missão com esmero, com doação e

Leia mais

ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ!

ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ! ENCONTRAMOS O SENHOR! VEM E VÊ! CATEQUESE: PERSPECTIVA CRISTOLÓGICO-BÍBLICA 1 Viram o Senhor e conheceram coisas maravilhosas: que coisas são estas? A catequese visa ajudar outros a encontrarem o Senhor

Leia mais

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade

ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade ANIMAÇÃO BÍBLICA DA PASTORA: uma nova mentalidade Tanto o Documento de Aparecida (248) como a Exortação Apostólica Verbum Domini (73) se referem à uma nova linguagem e a um novo passo na questão bíblica:

Leia mais

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral

Diocese de Criciúma. Plano. Diocesano. de Pastoral Diocese de Criciúma Plano Diocesano de Pastoral 2012-2016 OBJETIVO GERAL Nós, povo de Deus da Diocese de Criciúma, animados pela Santíssima Trindade, queremos: Evangelizar vivendo em comunidade, como Igreja

Leia mais

INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS

INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS INSTRUMENTO DE ESTUDO ESCOLAS CATEQUÉTICAS ORIENTAÇÕES III. ESCOLAS BÍBLICO - CATEQUÉTICAS 23. Muitas são as modalidades de formação dos catequistas tais como cursos, jornadas, encontros, semanas catequéticas,

Leia mais

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC Bispo Diocesano de Limeira (SP)

Dom Vilson Dias de Oliveira, DC Bispo Diocesano de Limeira (SP) Apresentação Que a paz do Cristo esteja com você e todos os seus. A mim pelo ofício do dever, apresento este Manual do Ministro Leigo, preparado e organizado pelo Revmo. Pe. Pedro Leandro Ricardo, Reitor

Leia mais

PLANO TRIENAL DE FORMAÇÃO PERMANENTE para Catequistas

PLANO TRIENAL DE FORMAÇÃO PERMANENTE para Catequistas PLANO TRIENAL DE FORMAÇÃO PERMANENTE para Catequistas Crescer em humanidade e na fé através de processos ricos em humanidade e fé João Paulo II XV jornadas da Juventude Tor Vergata -2000 «Evangelizar constitui,

Leia mais

Plano de Pastoral da Arquidiocese de São Salvador da Bahia

Plano de Pastoral da Arquidiocese de São Salvador da Bahia Arquidiocese de São Salvador da Bahia Plano de Pastoral da Arquidiocese de São Salvador da Bahia 2015 2019 O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor

Leia mais

Partir de cada realidade e suas particularidades NOVA PAROQUIA, uma Comunidade Comunidades (setorização), Estado permanente de missão

Partir de cada realidade e suas particularidades NOVA PAROQUIA, uma Comunidade Comunidades (setorização), Estado permanente de missão PISTAS DE AÇÃO GRUPO 1 Partir de cada realidade e suas particularidades, para criar conselhos missionários diocesanos e paroquiais onde ainda não existem, e fortalecer aqueles existentes, para dinamizar

Leia mais

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal

ITINERÁRIO CATEQUÉTICO. Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal ITINERÁRIO CATEQUÉTICO Iniciação à vida cristã: Um processo de inspiração catecumenal COMO É PROPOSTO O PROCESSO CATEQUÉTICO NO ITINERÁRIO? O Itinerário orienta a construção do processo catequético conforme

Leia mais

NOTA PASTORAL REESTRUTURAÇÃO DA CÚRIA DIOCESANA. 1. A renovação conciliar na reestruturação da Cúria Diocesana

NOTA PASTORAL REESTRUTURAÇÃO DA CÚRIA DIOCESANA. 1. A renovação conciliar na reestruturação da Cúria Diocesana NOTA PASTORAL REESTRUTURAÇÃO DA CÚRIA DIOCESANA 1. A renovação conciliar na reestruturação da Cúria Diocesana A renovação da Igreja, como comunidade enviada em missão, tão necessária para evangelizar a

Leia mais

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus

Paróquia missionária comunidades de comunidades. Animada pela Palavra de Deus Paróquia missionária comunidades de comunidades Animada pela Palavra de Deus Renovação paroquial Toda paróquia é chamada a ser o espaço onde se recebe e se acolhe a Palavra (172). Sua própria renovação

Leia mais

PRIMEIRA URGÊNCIA Uma Igreja em estado permanente de missão

PRIMEIRA URGÊNCIA Uma Igreja em estado permanente de missão PRIMEIRA URGÊNCIA Uma Igreja em estado permanente de missão Na linha da primeira urgência das DGAE, uma Igreja em estado permanente de missão, destacam-se as seguintes ações concretas: - Formação e missão;

Leia mais

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado UMA TENTATIVA RESUMO Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado SÍNTESE Mostra e revela as relações entre elementos

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA

ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA ESPECIALIZAÇÃO CATEQUÉTICA PARNAÍBA 23-24/0102017 Pe. João Paulo PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ PARÓQUIA E CATECUMENATO LINHAS DE AÇÃO DA CATEQUESE PAROQUIAL A URGÊNCIA DE UMA RENOVAÇÃO PAROQUIAL A

Leia mais

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra);

1.1 Recuperar a comunidade (Base do Antigo Israel); 1.2 A nova experiência de Deus: o Abbá (Oração e escuta comunitária da Palavra); Uma nova paróquia Introdução DA: Conversão Pastoral Escolha de outro caminho; Transformar a estrutura paroquial retorno a raiz evangélica; Jesus: modelo (vida e prática); Metodologia: Nele, com Ele e a

Leia mais

A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto

A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto A comunicação na Igreja do Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Moisés Sbardelotto Uma longa história de vivência e exercício da ação evangelizadora como prática de comunicação no Brasil 1963 Inter

Leia mais

A COMUNICAÇÃO EVANGELIZADORA

A COMUNICAÇÃO EVANGELIZADORA A COMUNICAÇÃO EVANGELIZADORA Dom Vilson Dias de Oliveira, DC Diocese de Limeira SP Bispo referencial da Comunicação no Regional Sul 1 da CNBB domvilson@uol.com.br A importância da formação para a comunicação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 011/2007-PROEC/UNICENTRO Aprova o projeto de extensão Escola de Teologia para Leigos Nossa Senhora das Graças, na modalidade de curso de extensão, na categoria de projeto de extensão permanente,

Leia mais

Educomunicação no Discurso e na Prática Religiosa 1 Proposta da CNBB às suas comunidades eclesiais. Mauricio Nascimento Cruz Filho 2

Educomunicação no Discurso e na Prática Religiosa 1 Proposta da CNBB às suas comunidades eclesiais. Mauricio Nascimento Cruz Filho 2 Educomunicação no Discurso e na Prática Religiosa 1 Proposta da CNBB às suas comunidades eclesiais Mauricio Nascimento Cruz Filho 2 RESUMO A comunicação que se estabelece entre o universo religioso com

Leia mais

Teologia Sistemática

Teologia Sistemática Teologia Sistemática Patriarcado de Lisboa Instituto Diocesano de Formação Cristã Escola de Leigos 1º Semestre 2014/2015 Docente: Juan Ambrosio Fernando Catarino Tema da sessão A Igreja 1. Identidade e

Leia mais

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e

O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identifica-nos com Jesus- Caminho, abrindo-nos ao seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade,

Leia mais

"Com pedras, os homens constróem catedrais; mas com gestos de amor constróem a Humanidade".

Com pedras, os homens constróem catedrais; mas com gestos de amor constróem a Humanidade. "Com pedras, os homens constróem catedrais; mas com gestos de amor constróem a Humanidade". Os Pais, Primeiros Educadores da Fé Existe um ambiente privilegiado em que os casais, sem excluir outros lugares,

Leia mais

MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL

MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL MINISTÉRIO DE FORMAÇÃO RCCBRASIL WORKSHOP ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO 2013 Recordando o papel da formação na RCC O Ministério de Formação surgiu da necessidade de formação permanente daqueles que estão

Leia mais

Catequese e Renovação

Catequese e Renovação Catequese e Renovação Lugar de Magnificat e Conversão Alguns desafios que poderão ajudar a pensar o acto catequético: -----Pensar as dificuldades e as possibilidades da transmissão da fé no mundo de hoje

Leia mais

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa

O Sacramento da Ordem - V Seg, 29 de Dezembro de :26 - Pe. Henrique Soares da Costa Pe. Henrique Soares da Costa No artigo passado vimos em que sentido o sacramento da Ordem confere um modo especial de participar do único sacerdócio de Cristo. Veremos, agora como é celebrado este sacramento,

Leia mais

OFICINA. Formadora: Helena Gaia

OFICINA. Formadora: Helena Gaia OFICINA Formadora: Helena Gaia Deus abre à Igreja os horizontes de uma humanidade mais preparada para a sementeira evangélica (João Paulo II, RM n. 3). DA, 548: Compartilhar o dom do Encontro c/ Cristo

Leia mais

Paróquia de Ceira. Plano Pastoral

Paróquia de Ceira. Plano Pastoral Plano Pastoral 2012 13 A Igreja tem no mundo uma missão a cumprir que Lhe foi confiada por Jesus Cristo. Ela tem de tentar ser fiel a essa missão através: Da Profecia, ou o anúncio do Evangelho; Da Diaconia,

Leia mais

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português 1º Ano Paroquial e CNE Escutismo Católico Português JESUS GOSTA DE MIM Proporcionar às crianças um bom acolhimento eclesial, pelos catequistas e por toda a comunidade cristã (cf CT 16 e 24). Ajudá-las

Leia mais

A DINÂMICA DA EVANGELIZAÇÃO NA ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE

A DINÂMICA DA EVANGELIZAÇÃO NA ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE A DINÂMICA DA EVANGELIZAÇÃO NA ARQUIDIOCESE DE BELO HORIZONTE INTRODUÇÃOODUÇÃO Só uma Igreja missionária e evangelizadora experimenta a fecundidade e a alegria de quem realmente realiza sua vocação. Assumir

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 049-PROEC/UNICENTRO, DE 27 DE MARÇO DE 2014. Altera o anexo I E II da Resolução nº035- PROEC/UNICENTRO, de 06 de maio de 2013 e aprova o Relatório Final. O PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO E CULTURA

Leia mais

Módulo III O que anuncia a Catequese?

Módulo III O que anuncia a Catequese? Módulo III O que anuncia a Catequese? Diocese de Aveiro Objectivos Tomar consciência da realidade complexa do ser humano a quem levamos, hoje, uma Boa Nova. Compreender a importância da Sagrada Escritura

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

BÊNÇÃOS DECORRENTES DO MINISTÉRIO PASTORAL

BÊNÇÃOS DECORRENTES DO MINISTÉRIO PASTORAL Lição nº 11 BÊNÇÃOS DECORRENTES DO MINISTÉRIO PASTORAL Pr. Roberto Monteiro Castro 14 DE JUNHO 2015 Texto Áureo Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles

Leia mais

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé

Calendário Janeiro. Fevereiro. São Paulo da Cruz - Calvário 20/02 qui 14h00 Equipe Regional de Comunicação Região Sé Calendário 2014 Janeiro 01/01 qua Confraternização Universal 01/01 qua Solenidade da Santa Mãe de Deus 22 a 24 --- Triduo para a Festa de São Paulo Catedral da Sé 25/01 sáb 09h00 Celebração da Festa de

Leia mais

ministério do catequista Elementos básicos para a formação

ministério do catequista Elementos básicos para a formação ministério do catequista Elementos básicos para a formação Coleção CATEQUESE Catequese junto à pessoa com deficiência mental, Ana Shirlei P. Vinhal, Lucy Ângela C. Freitas Catequese e liturgia: Duas faces

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA CATEQUESE

ORGANIZAÇÃO DA CATEQUESE Proposta Comissão Diocesana ORGANIZAÇÃO DA CATEQUESE - MATERIAL DIDÁTICO - INSCRIÇÕES (crianças, adolescentes, adultos) - FORMAÇÃO DOS CATEQUISTAS- ORGANIZAÇÃO DA CATEQUESE OBJETIVO: Que a catequese na

Leia mais

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Imersão progressiva na onda do Espírito, acompanhada por testemunhas feita de escuta, encontros e experiências no coração do REINO/COMUNIDADE

Leia mais

O papel da Paróquia na formação dos seus agentes

O papel da Paróquia na formação dos seus agentes O papel da Paróquia na formação dos seus agentes Braga 30 de Julho de 2011 P.e Luís Miguel FIGUEIREDO RODRIGUES luis@diocese-braga.pt 1 ????? O que é uma paróquia? O que é um cristão? O que é um agente

Leia mais

GRUPO DE ORAÇÃO. Formação Missionária Diocese de Osasco

GRUPO DE ORAÇÃO. Formação Missionária Diocese de Osasco GRUPO DE ORAÇÃO Formação Missionária Diocese de Osasco Conceito Comunidade carismática presente em um lugar (...) que cultiva a oração, a partilha e todos os outros aspectos da vivência do Evangelho, a

Leia mais

O Rito de Iniciação Cristã de Adultos (= RICA) Características fundamentais e Perguntas mais frequentes...

O Rito de Iniciação Cristã de Adultos (= RICA) Características fundamentais e Perguntas mais frequentes... O Rito de Iniciação Cristã de Adultos (= RICA) Características fundamentais e Perguntas mais frequentes... O que é RICA? O Rito de Iniciação Cristã é destinado a adultos que ouviram o anúncio do mistério

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO

ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO ORIENTAÇÕES PARA A PASTORAL DO DÍZIMO Sumário Introdução 1. A compreensão do dízimo 1.1 Os fundamentos do dízimo 1.2 O que é o dízimo? 1.3 As dimensões do dízimo 1.4 As finalidades do dízimo 2. Orientações

Leia mais

Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização

Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização Luzes dos Documentos Conciliares Para a Nova Evangelização Prof. Denilson A. Rossi O que se entende por Nova Evangelização? Quais são as luzes dos documentos conciliares para a Nova Evangelização? Em que

Leia mais

MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS

MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS MINISTÉRIOS DO POVO DE DEUS Novas condições eclesiais A Igreja é como uma família, a filha da mãe Maria. A Igreja, de fato, não é uma instituição fechada em si mesma ou uma associação privada, uma ONG,

Leia mais

Catequese Paroquial FÉ CELEBRADA: Eu estou no meio deles (Mt 18,20)

Catequese Paroquial FÉ CELEBRADA: Eu estou no meio deles (Mt 18,20) Paróquia de São Cristóvão de Selho (2013-2014) 1 Catequese Paroquial 2013-2014 FÉ CELEBRADA: Eu estou no meio deles (Mt 18,20) Linhas de Força 2013-2014 O Ano Pastoral da Catequese Paroquial 2013-2014

Leia mais

Quero afirmar ao Papa Francisco a comunhão filial e a presença orante da Igreja do Porto.

Quero afirmar ao Papa Francisco a comunhão filial e a presença orante da Igreja do Porto. Dia 20 de Setembro Dia de oração pela Paz Foi há precisamente 30 anos que o Papa João Paulo II se reuniu em Assis, Itália, com os Responsáveis das principais religiões do Mundo para rezar pela paz. Trinta

Leia mais

Processo de Formação na RCC Brasil

Processo de Formação na RCC Brasil Processo de Formação na RCC Brasil I Como entendemos a Formação na Vida do Movimento: A Formação está presente em todos os ministérios, de maneira sólida e abrangente. Por este motivo podemos dizer que

Leia mais

Minha alma tem sede de Deus e deseja o Deus vivo. (Sl

Minha alma tem sede de Deus e deseja o Deus vivo. (Sl 41,3) Assim como o povo de Deus no deserto, experimentou a provação, particularmente da sede. Jesus nos convida a saciarmos com água viva. Minha alma tem sede de Deus e deseja o Deus vivo. (Sl Todos nós

Leia mais

Acesso ao Jesus da História

Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é A UNIVERSIDADE CATÓLICA E A SUA PROJECÇÃO EVANGELIZADORA A Universidade Católica, pela sua identidade e missão, tem um indeclinável projecto de evangelização. A Universidade Católica é, por definição,

Leia mais

DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc

DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc DIRETÓRIO DA PASTORAL FAMILIAR doc 79-2004 O trabalho da PF é amplo e abrangente; principal enfoque é PROMOVER, FORTALECER e EVANGELIZAR a família. Uma das principais ações: UNIR ESFORÇOS PARA QUE A FAMÍLIA

Leia mais

A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação

A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação A comunicação da Igreja no Brasil na ótica do Diretório de Comunicação Uma longa história de vivência e exercício da ação evangelizadora como prática de comunicação no Brasil 1963 - Inter mirifica, fruto

Leia mais

SINE como Processo Integrador para que os Planos Pastorais de Dioceses e Paróquias Alcancem suas Metas

SINE como Processo Integrador para que os Planos Pastorais de Dioceses e Paróquias Alcancem suas Metas SINE como Processo Integrador para que os Planos Pastorais de Dioceses e Paróquias Alcancem suas Metas Dom Luis Albeiro Cortés Rendón - Colômbia INTRODUÇÃO Diante da pergunta o que é o SINE?, Padre Alfonso

Leia mais

Pontifícias Obras Missionárias

Pontifícias Obras Missionárias Pontifícias Obras Missionárias www.pom.org.br Três Campanhas Campanha da Fraternidade (1963) Na Quaresma - coleta Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) Campanha Missionária (DMM - 1926) No mês de Outubro

Leia mais

Celebração para o dia do/a Catequista Sugestão 2014-CNBB

Celebração para o dia do/a Catequista Sugestão 2014-CNBB Celebração para o dia do/a Catequista Sugestão 2014-CNBB INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos e gratidão, colocamos em suas mãos uma sugestão para a Celebração do dia do Catequista,

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus RELEMBRAR A MISSÃO NOS EVANGELHOS 1. Jesus Cristo homem é o exemplo padrão para o exercício da Missão de Deus (intimidade

Leia mais

Abraão Moisés Davi. Jesus

Abraão Moisés Davi. Jesus A natureza missionária da igreja Derivada da promessa de Deus de criar um Povo para Si dada para cada uma das três principais figuras : Abraão Moisés Davi Cumprida e exemplificada na pessoa de Jesus CTC

Leia mais

Ano Litúrgico Ano C

Ano Litúrgico Ano C Ano Litúrgico 2009-2010 Ano C TEMPO DO ADVENTO 29/11 1º Domingo do Advento A redenção está próxima. Jeremias 33,14-16; Salmo 25(24); 1 Tessalonicenses 3,12-4,2; Lucas 21,25-28. 34-36 6/12 2º Domingo do

Leia mais

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL

Acesso ao Jesus da História ROSSI & KLINGBEIL Acesso ao Jesus da História 2 O Acesso ao Jesus da História A preocupação central da cristologia é o acesso ao Jesus da história. Se as cristologias do NT não são biografias, que acesso temos, então, ao

Leia mais

LIÇÃO 9 A MISSÃO ENSINADORA DA IGREJA. Prof. Lucas Neto

LIÇÃO 9 A MISSÃO ENSINADORA DA IGREJA. Prof. Lucas Neto LIÇÃO 9 A MISSÃO ENSINADORA DA IGREJA Prof. A GLÓRIA É DE DEUS INTRODUÇÃO O MINISTÉRIO TRÍPLICE DE JESUS Jesus Cristo em seu ministério tríplice pregou, curou e ensinou, mas o ensino foi a atividade mais

Leia mais

2003 ANO VOCACIONAL TEMA: Batismo, fonte de todas as vocações. LEMA: Avancem para águas mais profundas (cf. Lc 5,4)

2003 ANO VOCACIONAL TEMA: Batismo, fonte de todas as vocações. LEMA: Avancem para águas mais profundas (cf. Lc 5,4) DIOCESE DE PIRACICABA Equipe diocesana de catequese Paróquia Imaculada Conceição da Vila Rezende Pastoral da Crisma. http://www.catequesecrista.hpgcom.br A minha vocação é a maneira que eu encontrei para

Leia mais

A atuação na Pascom na ótica do Diretório de comunicação. Elaboração: Ir. Elide Fogolari

A atuação na Pascom na ótica do Diretório de comunicação. Elaboração: Ir. Elide Fogolari A atuação na Pascom na ótica do Diretório de comunicação Elaboração: Ir. Elide Fogolari Comunicação na Igreja: a atuação da Pascom (Capitulo 10) A pastoral da comunicação se estrutura a partir do Diretório

Leia mais

Programas de Pastoral

Programas de Pastoral Programas de Pastoral PROGRAMA CULTURA VOCACIONAL Caderno 5 02 1. Apresentação Na INSA a Animação Vocacional tem por finalidade trabalhar a cultura vocacional e o despertar do jovem para a vocação no sentido

Leia mais

PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ 1 Processo de Inspiração Catecumenal -Diocese de Uruguaiana-

PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ 1 Processo de Inspiração Catecumenal -Diocese de Uruguaiana- PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ 1 Processo de Inspiração Catecumenal -Diocese de Uruguaiana- APRESENTAÇÃO Impulsionados pelo espírito renovador do Concílio Ecumênico Vaticano II e, mais recentemente,

Leia mais

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI)

A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) A REVELAÇÃO E A MISSÃO DE DEUS (MISSIO DEI) Teologia Bíblica da Missão de Deus Tema missiológico comum: Reino de Deus Mais de 70 vezes é referido por Jesus nos Evangelhos O tema destaca-se do começo ao

Leia mais

Diocese de Patos-PB CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES 2017

Diocese de Patos-PB CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES 2017 Diocese de Patos-PB CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES 2017 OBJETIVO GERAL Evangelizar, tendo como modelo Jesus Cristo, rosto da misericórdia e missionário do Pai, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula,

Leia mais

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA 17-03-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze A Igreja no desígnio de Deus O que significa a palavra Igreja? Designa o povo que Deus convoca e reúne de todos os

Leia mais

Três eixos temáticos. I. A alegria do Evangelho II. Sinodalidade e Comunhão III. Testemunho e Profetismo

Três eixos temáticos. I. A alegria do Evangelho II. Sinodalidade e Comunhão III. Testemunho e Profetismo Três eixos temáticos I. A alegria do Evangelho II. Sinodalidade e Comunhão III. Testemunho e Profetismo Um eixo transversal: A Igreja em saída na perspectiva ad gentes - Segue o método ver, julgar e agir

Leia mais

Vogal Mariano Cadernos de Serviços

Vogal Mariano Cadernos de Serviços Vogal Mariano Cadernos de Serviços Nome: Conselho Local / Regional / Nacional Centro Local: No dia 27 de Novembro de 1830, Nossa Senhora apareceu a Santa Catarina de Labouré, suscitando a devoção da Medalha

Leia mais

Animação bíblica da escola

Animação bíblica da escola Animação bíblica da escola Coleção Animação Bíblica Da Pastoral Bíblica à Animação Bíblica da Pastoral, Gabriel Naranjo Salazar A animação Bíblica da Pastoral: sua identidade e missão, Santiago Silva Retamales

Leia mais

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL CNBB REGIONAL SUL 2 CALENDÁRIO ATIVIDADES REGIONAIS

CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL CNBB REGIONAL SUL 2 CALENDÁRIO ATIVIDADES REGIONAIS CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL CNBB REGIONAL SUL 2 CALENDÁRIO 2016 - ATIVIDADES REGIONAIS DATA REALIZAÇÃO EVENTO LOCAL JANEIRO 26 a 28 COMUNIDADES ECLESIAIS DE BASE SEMINÁRIO DE ASSESSORES NACIONAL

Leia mais

Assembleia Formativa CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO -CATECUMENAL-

Assembleia Formativa CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO -CATECUMENAL- Assembleia Formativa CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO -CATECUMENAL- AGENDA DA APRESENTAÇÃO 1. Os diretórios; 2. A palavra Catecumenato; 3. A iniciação Cristã; 4. O processo: Estilo Catecumenal; 5. Conceitos; 6.

Leia mais

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma

Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma 10/02/2011. Crisma 2010/2011. Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma Crisma 2010/2011 Encontro 29 Tempo Liturgico e Quaresma O Ano litúrgico é o período de doze meses, divididos em tempos litúrgicos, onde se celebram como memorial, os mistérios de Cristo, assim como a memória

Leia mais

CATEQUESE: A ALEGRIA DO ENCONTRO COM JESUS CRISTO

CATEQUESE: A ALEGRIA DO ENCONTRO COM JESUS CRISTO CATEQUESE: A ALEGRIA DO ENCONTRO COM JESUS CRISTO Apresentação do documento de trabalho para os coordenadores da catequese PROPOSTA DE LEITURA E METODOLOGIA Como surgiu? Um novo documento era pedido pelos

Leia mais

Assessoria de Educação. Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã

Assessoria de Educação. Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã Assessoria de Educação Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã Agenda O que é a EBD? Considerações sobre o Ensino Algumas recomendações para os professores

Leia mais

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS ANDRÉA ALMEIDA DE GÓES ANDRÉ LUIZ DE GÓES NUNES VITOR NUNES ROSA 1 2 ORIENTAÇÕES PARA A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS DOCUMENTO DA CNBB - 52 3 SENTIDO LITÚRGICO DA CELEBRAÇÃO

Leia mais

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

Metas/Objetivos Descritores de Desempenho/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação Domínio Religião e experiência religiosa Cultura cristã e visão cristã da vida Ética e moral cristã DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 5º ANO Calendarização:

Leia mais

LIÇÃO 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA

LIÇÃO 13 A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL NESTA ÚLTIMA HORA INTRODUÇÃO - Concluindo o estudo deste trimestre sobre evangelização, estudaremos a necessária integralidade desta atividade mais importante, da razão de ser da igreja. - A evangelização tem de ser integral.

Leia mais

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015

Fiéis em cristo. Direitos e deveres dos fiéis leigos. Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 Fiéis em cristo Direitos e deveres dos fiéis leigos Paróquia São Francisco de Assis Ribeirão Preto 05/08/2015 A igreja Necessidade de se fazer a distinção quando usamos o termo IGREJA. Quando falamos em

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura.

INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. INTRODUÇÃO AO TRIMESTRE - Trimestre temático O desafio da evangelização obedecendo ao ide do Senhor Jesus de levar as boas novas a toda criatura. - A Igreja foi criada para dar seguimento ao ministério

Leia mais

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias Finalidade: Descobrir-se Cristão Objectivos: Participar na eucaristia Concretizar projecto comunitário (partilha fraterna) Tema do Período Em Diálogo 1 1º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos

Leia mais

UMA PROPOSTA DO TEMPO DE PRÉ- CATECUMENATO PARA A CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL

UMA PROPOSTA DO TEMPO DE PRÉ- CATECUMENATO PARA A CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL UMA PROPOSTA DO TEMPO DE PRÉ- CATECUMENATO PARA A CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL (A proposal from the precatechumenate time for the catechumenal inspiration catechism) João Melo e Silva Junior Graduado

Leia mais

O CONCEITO DOS DONS ESPIRITUAIS

O CONCEITO DOS DONS ESPIRITUAIS ECLESIOLOGIA AULA V JESUS CRISTO COMO CABEÇA DA IGREJA DISTRIBUI AOS MEMBROS DO CORPO, DONS, RESPONSABILIDADES E MINISTÉRIOS, PARA EDIFICAÇÃO UNS DOS OUTROS E PARA CRESCIMENTO. Definição de Dons Os dons

Leia mais

Assembleia Regional Movimento de Cursilho de Cristandade RETROSPECTIVA

Assembleia Regional Movimento de Cursilho de Cristandade RETROSPECTIVA RETROSPECTIVA Nascemos na estrada 1949 - PALMA DE MAIORCA 1962 /63 - SÃO PAULO CARISMA 1. é um movimento eclesial que, 2. mediante um método próprio, possibilita 3. a vivência do fundamental cristão, 4.

Leia mais

Profissão Solene e Consagração Monástica de Ir. Maria Aparecida. Mandirituba, 31 de maio de 2015.

Profissão Solene e Consagração Monástica de Ir. Maria Aparecida. Mandirituba, 31 de maio de 2015. Profissão Solene e Consagração Monástica de Ir. Maria Aparecida. Mandirituba, 31 de maio de 2015. Caríssima Ir. Maria Aparecida, Caríssimas Prioresas Ana Maria e Chantal, Caríssimas monjas deste Mosteiro,

Leia mais

ARQUIDIOCESE DE NITERÓI PARÓQUIA SÃO FRANCISCO XAVIER PLANO PASTORAL 2014 NITERÓI

ARQUIDIOCESE DE NITERÓI PARÓQUIA SÃO FRANCISCO XAVIER PLANO PASTORAL 2014 NITERÓI ARQUIDIOCESE DE NITERÓI PARÓQUIA SÃO FRANCISCO XAVIER PLANO PASTORAL 2014 NITERÓI Sonho com uma opção missionária capaz de transformar tudo, para que os costumes, estilos, horários, linguagens e toda a

Leia mais

Vocação é missão do cristão leigo no Mundo

Vocação é missão do cristão leigo no Mundo Vocação é missão do cristão leigo no Mundo Paróquia Santa Rita de Cássia - Linhares - 11/06/2016 Assessora: Patrícia Teixeira Moschen Lievore O material utilizado é baseado no trabalho do Professor Dr.

Leia mais

EVANGELISMO. Uma ideia nada popular. razão externa: religião como fenômeno particular. razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo

EVANGELISMO. Uma ideia nada popular. razão externa: religião como fenômeno particular. razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo EVANGELISMO Uma ideia nada popular razão externa: religião como fenômeno particular razão interna: confusão entre evangelismo e proselitismo O QUE EVANGELISMO NÃO É? Não é um convite para ir uma reunião

Leia mais

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes

Devocional. Céus Abertos Pastor Carlito Paes BÍBLIA Devocional Céus Abertos Pastor Carlito Paes 2 ROTEIRO BÍBLIA: ENTENDENDO A PALAVRA DE DEUS O que devo conhecer sobre a bíblia? Diversidade dos Autores Condições de alguns autores quando foram inspirados

Leia mais

XVIII Encontro da Pastoral Familiar

XVIII Encontro da Pastoral Familiar XVIII Encontro da Pastoral Familiar Sub-Região Campinas Dioceses: Campinas, São Carlos, Piracicaba, Bragança Paulista, Limeira e Amparo Serra Negra, 03 e 04 de agosto de 2013 Tema: Fé, Família e Juventude

Leia mais

Catecumenato Uma Experiência de Fé

Catecumenato Uma Experiência de Fé Catecumenato Uma Experiência de Fé APRESENTAÇÃO PARA A 45ª ASSEMBLÉIA DA CNBB (Regional Nordeste 2) www.catecumenato.com O que é Catecumenato? Catecumenato foi um método catequético da igreja dos primeiros

Leia mais

Dízimo Apresentação: Deus ama quem dá com alegria (II Cor 9,7). (Por Dom Leonardo)

Dízimo Apresentação: Deus ama quem dá com alegria (II Cor 9,7). (Por Dom Leonardo) 1 Dízimo 2016 Apresentação: Deus ama quem dá com alegria (II Cor 9,7). (Por Dom Leonardo) A missão pede entrega, doação e generosidade. Dízimo é participar no anúncio do Evangelho da Alegria. Anúncio que

Leia mais