Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação"

Transcrição

1

2

3 Guia de Leitura do Plano Diretor de Tecnologia da Informação O Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) é um instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação (TI). O PDTI visa apoiar a Superintendência de Tecnologia da Informação (ST.A) na solução de problemas e na realização de melhorias, mediante o estabelecimento de iniciativas estratégicas e planos de ação associados, voltados para evolução da arquitetura tecnológica e dos serviços de TI, para o período de 2013 a 2016, considerando as prioridades e a estratégia de negócio da Eletrobras Furnas. É importante observar que ao longo dos trabalhos de levantamento deste PDTI, estava ocorrendo uma mudança organizacional em função do Projeto de Reestruturação Organizacional (PRO-Furnas) conduzido pela empresa Roland Berger. Em função disso, algumas citações podem estar referenciando Diretorias, Superintendências, Departamentos e Divisões, não mais existentes na atual estrutura organizacional de Furnas. Estrutura do PDTI Esse trabalho está dividido em três volumes: O Volume I trata da construção do planejamento estratégico de TI da ST.A; O Volume II traz os anexos referenciados no Volume I; O Volume III faz o detalhamento das Iniciativas Estratégicas propostas. Sinopse do Volume I (Planejamento) e seus capítulos O primeiro volume se desdobra em 9 capítulos. A Primeira Seção deste documento inclui os Capítulos de 1 a 2, que tratam da apresentação e da metodologia de construção do PDTI, além de mostrar a estrutura atual da Superintendência de Tecnologia da Informação (ST.A). Esta seção é importante para os leitores que visam entender o processo de planejamento, diagnóstico e construção do planejamento estratégico da Superintendência de Tecnologia da Informação (ST.A) da Eletrobras Furnas. A Segunda Seção deste documento inclui os Capítulos 3 e 4, que apresentam a base utilizada para assegurar o alinhamento estratégico da TI aos requisitos mandatórios ou críticos para o negócio, que incluem planos de negócio, políticas, diretrizes e requisitos de conformidade. A Terceira Seção deste documento inclui os Capítulos 6 e 7 que descrevem a análise de desempenho do planejamento anterior e o diagnóstico da situação atual. Neste planejamento foram aplicadas técnicas como análise SWOT, mapa estratégico de TI (BSC), fatores críticos de sucesso, resultados de pesquisas, diagnóstico de maturidade de processos, cadeia de valor de TI, avaliação de competência dos recursos humanos

4 da ST.A, arquitetura de informação, infraestrutura, rede, telecomunicações e segurança da informação, além do inventário das necessidades do negócio. A Quarta Seção deste documento inclui os capítulos 8 e 9 que apresentam componentes suplementares à estrutura organizacional da ST.A, sugerem a constituição de componentes funcionais, identificam os conhecimentos requeridos por unidade organizacional, apresentam a gestão de demandas como base para a tomada de decisões, estabelecem um portfólio de iniciativas de TI envolvendo 19 iniciativas estratégicas construídas ao longo do PDTI e 25 iniciativas oriundas de planos anteriores, demonstram como o portfólio de iniciativas está alinhado aos objetivos estratégicos da ST.A e da Eletrobras Furnas, tratam da priorização do portfólio, apresentam uma proposta de implementação das iniciativas ao longo de quatro anos e estabelecem uma base para a revisão, atualização e desdobramento do planejamento estratégico de TI. Sinopse do Volume II (Anexos) Todos os anexos mencionados no primeiro volume foram agrupados no Volume II. São diagramas e tabelas que irão ajudar o leitor a compreender o trabalho. A seguir é apresentada a relação de anexos e das páginas/seções do Volume I onde eles são mencionados: Anexos do Volume II Anexo 1 Indicadores de desempenho associados aos objetivos estratégicos da ST.A Anexo 2 Questionário para Pesquisa de Percepção do Negócio sobre Governança de TI Anexo 3 - Racional de Priorização dos Processos da ST.A Menções no Volume I Página 45 Página 48 Página 71 Seção Correspondente 7.2 Mapa Estratégico de TI 7.4. Percepção do Negócio sobre Governança de TI 7.7. Priorização e Modelagem dos Processos de TI Anexo 4 Diagramação de Processos da ST.A Página Priorização e Modelagem dos Processos de TI Anexo 5 Modelos Conceituais de Dados Página Modelos de Dados Anexo 6 Análise das Soluções de TI Identificadas Página Levantamento Complementar das Soluções de TI Anexo 7 Atribuições, Papéis e Conhecimentos Necessários por Unidade Organizacional Anexo 8 - Fluxo geral de atendimento de demandas estratégicas e regulares de negócio. Página 164 Página Componentes Suplementares à Estrutura Organizacional da ST.A 8.4. Gestão das Demandas de TI como base para tomada de decisões Sinopse do Volume III (Iniciativas Estratégicas) O terceiro volume apresenta um detalhamento das 19 Iniciativas Estratégicas mencionadas no Volume I, contendo recomendações, apresentando os benefícios esperados, avaliando os riscos envolvidos e estabelecendo planos de ação propostos.

5 Índice Volume II Anexo 1 Indicadores de Desempenho Associados aos Objetivos Estratégicos da ST.A... 7 Anexo 2 Questionário para Pesquisa de Percepção do Negócio sobre Governança de TI Anexo 3 Racional da Priorização de Processos da ST.A Anexo 4 - Diagramação de Processos da ST.A Anexo 5 - Modelos Conceituais de Dados Anexo 6 Análise das Soluções de TI Identificadas Anexo 7 Atribuições, Papéis e Conhecimentos Necessários por Unidade Organizacional Anexo 8 Fluxo geral de atendimento de demandas estratégicas e regulares de negócio

6

7 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 1 7 Anexo 1 Indicadores de Desempenho Associados aos Objetivos Estratégicos da ST.A Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 1 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Resultados 1 Atendimento de Iniciativas estratégicas priorizadas Percentual do portfólio de iniciativas estratégicas da ST.A priorizadas, nas quais os benefícios esperados foram devidamente atendidos (Número de iniciativas estratégicas da ST.A priorizadas, nas quais os benefícios esperados foram devidamente atendidos/número de iniciativas estratégicas da ST.A priorizadas)*100 1 Agregar valor ao resultado da corporação 2 3 Realização de revisões do portfólio Desempenho global de projetos estratégicos Quantidade de ciclos de Revisão do Portfólio da Projetos da ST.A Percentual de projetos estratégicos com indicadores de desempenho adequado Número de ciclos de revisão do portfólio realizados no período (Número de projetos com indice de desemoenho adequado/número de projetos do portfólio da ST.A)*100 4 Acompanhamento de projetos estratégicos Frequência de revisões de desempenho de projetos estratégicos Número de intervenções para monitoração do desempenho dos projetos estratégicos da cessos da ST.A. no período

8 8 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 2 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Resultados 2 Reduzir custos unitários de TI 5 Redução de custo unitário Percentual de serviços/itens relevantes do portfólio com custo unitário reduzido no período (Quantidade de serviços/itens do portfólio relevantes com custo unitário reduzido /Número de serviços/itens do portfólio relevantes da ST.A)*100 6 Alocação de custos Percentual de todos os custos de TI alocados de acordo com o modelo de custos estabelecido (Quantidade de serviços/itens do portfólio com custo alocado /Número de serviços/itens do portfólio da ST.A)*100 7 Tolerância a Risco Percentual dos riscos de TI que excedem os limites superiores de tolerância a risco (Quantidade de riscos de TI que excederam os limites superiores de tolerância no período/ Quantidade de riscos de TI cujos limites de tolerância são gerenciados)*100 3 Balancear riscos de TI 8 Agenda de revisão de riscos Frequência de revisões do plano de gerenciamento de riscos de TI (Número de revisões de risco realizadas/número de reuniões planejados junto às Diretorias)*100 9 Gerenciamento de risco de serviços e programas Percentual de processos críticos de negócio, serviços e programas de negócio habilitados por TI, cobertos por avaliação de risco. (Número de processos críticos de negócio, serviços e programas de negócio habilitados por TI, cobertos por avaliação de risco/número de processos críticos de negócio, serviços e programas de negócio habilitados por TI)*100

9 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 1 9 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 3 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Resultados 10 Qualidade das soluções de TI Percentual de soluções analisadas pelo monitoramento da qualidade e liberadas (Número de soluções analisadas pelo monitoramento da qualidade e liberadas/número de soluções produzidas)*100 4 Atender à demanda de produtos e serviços dentro do prazo, escopo, qualidade e custo estabelecidos com os clientes Desempenho global de projetos Nível de avaliação da qualidade de projetos Percentual de projetos com indicadores de desempenho dentro dos padrões considerados adequados Frequência de revisões média de qualidade de projetos (Número de projetos com indicadores de desempenho adequados/número de projetos em andamento)*100 Número de intervenções para monitoração da qualidade dos projetos estratégicos da ST.A. no período / projetos em andamento no período 13 Nível de acompanhamento de projetos Frequência de revisões média de desempenho de projetos Número de intervenções para monitoração do desempenho dos projetos estratégicos da ST.A. no período/projetos em andamento no período Partes Interessadas 5 Fornecer serviços segundo acordos de nível de serviço estabelecidos com os clientes Cumprimento de Acordos de Nível de Serviços Serviços cobertos por SLA Percentual de atendimento da ST.A em relação aos níveis de serviço acordados para entrega de serviços de TI Percentual de serviços de TI cobertos por Acordos de Nível de Serviços ((Número total de itens de acordo pactuados - Número de quebras de itens de acordo pactuados) / Número total de itens de acordo pactuados)*100 (Número de serviços/itens do portfólio cobertos por SLA /Número de serviços/itens do portfólio da ST.A)*100

10 10 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 4 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Partes Interessadas 6 Atender aos requisitos impostos por órgãos e processos regulatórios 16 Conformidade em auditoria 17 Avaliação da conformidade Percentual de apontamentos de auditoria interna e externa atendidos no prazo Frequência das revisões de conformidade (Número de apontamentos de não conformidade no período, atendidos de acordo com o estabelecido nos planos de ação/número total de não conformidades registradas pelos orgãos reguladores no período) *100 Número de intervenções para avaliação das condições da conformidade da ST.A. no período 7 Prospectar oportunidades de TI junto aos clientes 18 Capacidade propositiva Percentual de propostas discutidas pela ST.A e acatadas pelas áreas de negócio, voltadas para ampliação de sua capacidade e resultados (Número de propostas discutidas pela ST.A no período, e acatadas pelo negócio/número de propostas da ST.A discutidas no período)* Execução de Inovação Percentual de Portfolio de iniciativas de inovação da ST.A que já foram assimiladas em projetos. (Número de iniciativas de inovação do portfólio da ST.A incorporadas em projetos/número de projetos ativos no portfólio da ST.A)*100 8 Impulsionar o sucesso das Áreas com soluções inovadoras de TI 20 Atendimento de projetos com inovação Percentual do portfólio de projetos estratégicos com iniciativas de inovação, com impacto nos processos, nos quais os benefícios esperados foram devidamente atendidos (Número de projetos estratégicos com iniciativas de inovação, com impacto nos processos, nos quais os benefícios esperados foram devidamente atendidos /Número de projetos estratégicas da ST.A com iniciativas de inovação)* Satisfação sobre inovações Nível de satisfação das partes interessadas com as ideais e especialização da ST.A em relação a inovação de TI 5 - Muito satisfeito; 4 Satisfeito; 3 Indiferente; 2 Insatisfeito; 1 - Muito insatisfeito

11 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 1 11 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 5 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Processos Internos 9 Racionalizar custos gerais 22 Redução de gastos ligados a PMSO Nível de redução dos gastos com PMSO no período ((Valor orçado de PMSO no período Valor utilizado de PMSO no período)/ Valor orçado de PMSO no período))*100 sem que haja comprometimento no serviço prestado de TI nem no número de projetos estratégicos comprometidos para atendimento 23 Incidentes sem avaliação de risco Percentual incidentes críticos de TI que não foram identificados em avaliações de risco (Número de incidentes críticos de TI que não foram identificados em avaliações de risco/número total de incidentes no período)* Aprimorar os padrões de governança da TI. 24 Realização de agenda do Comitê de TI Percentual de cobertura da agenda programada para reuniões do Comitê de TI (Número de encontros realizados pelo Comitê/Número de encontros previstos na agenda programada)* Monitoramento de TI Nível de monitoramento dos Objetivos estratégicos de TI Quantidade de objetivos estratégicos monitorados por indicadores de desempenho / Quantidade de objetivos estratégicos do Mapa da ST.A 11 Elevar o nível de maturidade dos processos de TI prioritários para o Negócio Maturidade de processos prioritários Evolução de processos prioritários Nível de maturidade dos processos prioritários Grau de evolução das iniciativas associadas aos processos prioritários Somatório do grau de maturidade dos processos prioritários/número de processos prioritários (Número de iniciativas relacionadas a processos prioritários com índice de desempenho adequado/número total de iniciativas relacionadas a processos prioritários da ST.A)*100

12 12 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 6 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Processos Internos 28 Transparência na comunicação Nível de satisfação da Diretoria de FURNAS quanto a transparência, entendimento e precisão das informações sobre resultados x investimento financeiros alocados nas atividades de TI pela ST.A 5 - Muito satisfeito 4 - Satisfeito 3 - Indiferente 2 - Insatisfeito 1 - Muito insatisfeito 12 Aprimorar a comunicação 29 Consciência estratégica Percentual de empregados da ST.A informados sobres os temas definidos como estratégicos e imprescindíveis no plano de Comunicação (Número de empregados da ST.A informados sobres os temas definidos como estratégicos e imprescindíveis /Número de empregados da ST.A )* Cobertura do planejamento de comunicação Percentual de difusão de conteúdo previsto no plano de comunicação (Número de eventos de difusão realizados/número de eventos difusão de conteúdo previsto no plano de comunicação)*100

13 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 1 13 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 7 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Processos Internos 31 Desempenho da terceirização Serviços entregues fora da condição pactuada em decorrência de problemas na terceirização Número de serviços entregues fora da condição pactuada em decorrência de problemas na terceirização no período 13 Aprimorar o planejamento e controle do processo de terceirização Cumprimento de Acordos de Nível de Serviços Terceirizados Tempestividade de contratação Percentual de atendimento dos Terceiros em relação aos níveis de serviço acordados para entrega de serviços de TI Percentual de processos licitatórios dentro do previsto ((Número total de itens de acordo pactuados com terceiros - Número de quebras de itens de acordo pactuados com terceiros) / Número total de itens de acordo pactuados com terceiros)*100 (Número de processos licitatórios tramitando dentro do planejamento/número de processos licitatórios em andamento)* Transição de serviços Percentual de serviços terceirizados com plano de transição de fornecedor satisfatoriamente realizado (Número de serviços com plano de transição realizados/número de serviços contratados)* Estabelecer processo de arquitetura tecnológica 35 Compatibilidade arquitetural 36 Validação de modelo arquitetural Nível de reaproveitamento (compatibilidade) da arquitetura tecnológica Percentual do portfólio de soluções submetidas à validação arquitetural (Número de soluções implementadas com aderência ao modelo arquitetural/número total de soluções produzidas)*100 (Número de soluções submetidas a avaliação do modelo arquitetural/número total de soluções produzidas)*100

14 14 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 8 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Processos Internos 37 Qualidade de atendimento Nível de satisfação das Áreas de Negócio quanto ao atendimento nos canais de relacionamento com a ST.A 5 - Muito satisfeito 4 - Satisfeito 3 - Indiferente 2 - Insatisfeito 1 - Muito insatisfeito 15 Estabelecer estrutura de relacionamento com o negócio 38 Adequação de backlog 39 Integração TI/Negócio Nível de aceitação da área de negócio em relação a seu backlog de demandas Percentual de cobertura da agenda regular dos gerentes de relacionamento junto às respectivas Diretorias 5 - Muito satisfeito 4 - Satisfeito 3 - Indiferente 2 - Insatisfeito 1 - Muito insatisfeito (Número de eventos realizados/número de eventos planejados junto às Diretorias)* Homologação de mudanças Percentual de mudanças implantadas, sob gestão do Comitê de Mudanças com a participação das respectivas áreas de negócio (Número de mudanças implantadas, sob gestão de Comitê de Mudanças com a participação das respectivas áreas de negócio/número total de mudanças implantadas)*100

15 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 1 15 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 9 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Aprendizado 41 Capacitação no negócio Nível de execução do Plano de Capacitação direcionado à apropriação de conhecimento do negócio. Número de iniciativas de capacitação realizadas com foco no negócio/número de iniciativas de capacitação com foco no negócio, previstas no planejamento de ações educacionais)* Internalizar conhecimento sobre o negócio de Furnas Cobertura da Capacitação no negócio Qualidade de especificação Nível de cobertura do Plano de Capacitação direcionado à apropriação de conhecimento do negócio, junto aos colaboradores da ST.A. Percentual de requisitos homologados sem restrição (aderência às especificações) Número colaboradores da ST.A que receberam capacitação para apropriação de conhecimento do negócio, no período / Número colaboradores da ST.A planejados para receberem capacitação, no período)*100 (Número de requisitos homologados sem restrições de qualidade/número de requisitos submetidos à avaliação)* Utilização do conhecimento Nível de utilização do repositório de conhecimento da ST.A, com informações de negócio Número de acessos ao repositório de conhecimento no período 45 Disponibilização de conhecimento Nível de revisão de conteúdo na base de conhecimento de negócio na ST.A Número de catalogações no repositório de conhecimento no período

16 16 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A1-1: Indicadores de Desempenho da ST.A parte 10 de 11 Cod. Obj. Objetivos da ST.A Seq. Ind. Nome do Indicador Descrição do Indicador Fórmula/Escala Aprendizado 46 Clima Organizacional Resultado da pesquisa de Clima Organizacional 5 - Muito satisfeito 4 - Satisfeito 3 - Indiferente 2 - Insatisfeito 1 - Muito insatisfeito 17 Atrair, desenvolver e reter pessoal com competências essenciais. 47 Turnover 48 Ações de valorização Nível de remanejamento de pessoal para fora da ST.A. no período considerado Nível de atividade do Comitê de reconhecimento e valorização de pessoas (Número de empregados movimentados para fora da ST.A)/Número de empregados lotados na ST.A)*100 (Número de iniciativas de reconhecimento e valorização realizadas/número de iniciativas de reconhecimento e valorização previstas)* Desempenho da trilha de capacitação técnicogerencial Percentual de realização das iniciativas de capacitação com foco na habilitação das competências estratégicas técnicas e gerenciais. (Número de iniciativas de capacitação técnicogerenciais realizadas, alinhadas a estrratégia da ST.A/Número de iniciativas de capacitação técnico-gerenciais, previstas no planejamento de ações educacionais)* Fortalecer a sinergia entre as áreas da ST.A Ocorrências de integração Cobertura do plano de integração Percentual de ocorrências/incidentes detectados cuja causa caracterize deficiências na articulação entre os segmentos de TI. Percentual de iniciativas de integração entre os segmentos de TI, promovidas pela ST.A Número de ocorrências/incidentes detectados cuja causa caracterize deficiências na articulação entre os segmentos de TI. (Número de ações de integração realizadas/número de ações de integração previstas)*100

17 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 2 17 Anexo 2 Questionário para Pesquisa de Percepção do Negócio sobre Governança de TI O questionário a seguir foi aplicado antes da reestruturação proposta pelo projeto PRO-Furnas. Portanto, o leitor irá encontrar menções a antiga nomenclatura da TI.G, atual ST.A.

18 18 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 2

19 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 2 19

20 20 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3

21 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 21 Anexo 3 Racional da Priorização de Processos da ST.A A priorização de processos está em consonância com a priorização de objetivos estratégicos da ST.A, presentes em seu Mapa Estratégico, conforme apresentado na tabela A2-1. A priorização, que foi realizada pela ST.A, foi definida como alta (A), média (M) e baixa (B) importância, conforme a seguir: Tabela A2-1: Objetivos Estratégicos Identificados e priorizados pela ST.A Perspectiva ID Objetivo Prioridade Resultados Partes Interessadas R1 Agregar valor ao resultado da corporação. A R2 Reduzir custos unitários de TI. M R3 Balancear riscos de TI. A I1 I2 I3 Atender a demanda de produtos e serviços dentro do prazo, escopo, qualidade e custo estabelecidos com os clientes. Fornecer serviços segundo acordos de nível de serviço estabelecidos com os clientes. Atender os requisitos impostos por órgãos e processos regulatórios. I4 Prospectar oportunidades de TI junto aos clientes. M I5 Impulsionar o sucesso das áreas clientes com soluções inovadoras de TI. A M M M P1 Racionalizar custos gerais de TI. M Processos Internos P2 Aprimorar os padrões de governança da TI. M P3 Elevar o nível de maturidade dos processos de TI prioritários para o Negócio. P4 Aprimorar a comunicação. B P5 Aprimorar o planejamento e controle do processo de terceirização. P6 Estabelecer processo de arquitetura tecnológica. M A M P7 Estabelecer estrutura de relacionamento com o negócio. A Aprendizado A1 Internalizar conhecimento sobre o negócio de Furnas A A2 Atrair, desenvolver e reter pessoal com competências essenciais. A3 Fortalecer a sinergia entre as áreas da ST.A. M A

22 22 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 A figura A2-1 abaixo apresenta a abordagem utilizada na priorização dos processos da ST.A. Priorização de processos com base nos objetivos estratégicos da ST.A e nas recomendações do Mapa Estratégico da ST.A Correlação dos Objetivos da ST.A com as tabelas do COBIT de relacionamento entre Objetivos Genéricos de TI e Processos de TI Processos de TI (Base COBIT) Priorizados Priorização com base na relevância para conformidade com a SOX Priorização da ST.A com base nas recomendações do LES Processos Prioritários Figura A2-1: Etapas de Priorização dos Processos da ST.A

23 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 23 Priorização de Processos com Base nos Objetivos Estratégicos da ST.A e nas Recomendações do Framework COBIT O framework COBIT dispõe de tabelas que apresentam uma visão global de como os objetivos gerais de negócio relacionam-se com os objetivos de TI e os processos de TI. As tabelas permitem que um típico objetivo de negócio relacionado a TI seja mapeado, via objetivos de TI, aos processos de TI que os suporta. As tabelas são baseadas em objetivos genéricos e podem ser usadas como um guia e adaptadas para uma organização específica. A tabela A2-2 a seguir apresenta a correlação entre os objetivos identificados no Mapa Estratégico da ST.A com os objetivos de TI oriundos das tabelas do COBIT. A partir dos pesos atribuídos pela ST.A aos diversos objetivos estratégicos, foi possível identificar os objetivos de TI mais relevantes.

24 24 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A2-2: Correlação entre os Objetivos Identificados no Mapa Estratégico da ST.A com os Objetivos de TI Oriundos das Tabelas do COBIT

25 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 25 A tabela A2-3 a seguir apresenta a correlação entre os objetivos de TI com os processos de TI do COBIT. A partir das relevâncias apuradas para cada Objetivo Relacionado a TI, herdadas da tabela A2-2, foi possível identificar os processos de TI mais relevantes com base nas recomendações do COBIT.

26 26 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Tabela A2-3: Correlação entre os Objetivos de TI com os Processos de TI do COBIT

27 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 27 Consolidação dos critérios de priorização - Resultado Final A tabela A2-4 apresenta o resultado final da priorização dos processos da ST.A, considerando o resultado da priorização com base no alinhamento aos objetivos do Mapa da ST.A (oriundo da tabela A2-3), a relevância do processo atender à conformidade com a SOX e os ajustes da ST.A com base nas recomendações da PUC- Rio/LES. Tabela A2-4: Resultado da priorização de processos da ST.A

28 28 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 3 Apresentamos na tabela A2-5 abaixo os 12 processos prioritários eleitos para serem modelados. Tabela A2-5: Processos COBIT prioritários Processo EDM02 APO02 APO03 APO05 APO07 APO09 BAI01 BAI02 BAI06 BAI10 DSS01 MEA01 Descrição Assegurar Entrega dos Benefícios Gerenciar a Estratégia Gerenciar a Arquitetura Empresarial Gerenciar o Portfólio Gerenciar Recursos Humanos Gerenciar Acordos de Serviço Gerenciar Programas e Projetos Gerenciar Definições de Requisitos Gerenciar Mudanças Gerenciar Configuração Gerenciar Operações Monitorar e Avaliar Desempenho

29 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 4 29 Anexo 4 - Diagramação de Processos da ST.A A seguir serão apresentados os diagramas de contexto, fluxos e descrições das atividades referentes aos processos da ST.A. A tabela abaixo apresenta os 12 processos priorizados para modelagem. Cabe observar que os processos APO02, APO03, EDM02 e MEA01 não estão assinalados na coluna AS-IS porque foram desconsiderados no levantamento e diagramação da situação atual. Nestes casos, partimos diretamente para o desenho da situação futura (TO-BE) com base nas recomendações do COBIT e nas melhores práticas de mercado. Processos AS-IS TO-BE APO02 Gerenciar a Estratégia - X APO03 Gerenciar Arquitetura Empresarial - X APO05 Gerenciar o Portfólio X X APO07 Gerenciar Recursos Humanos X X APO09 Gerenciar Acordos de Serviço X X BAI01 Gerenciar Programas e Projetos X X BAI02 Gerenciar Definições de Requisitos X X BAI06 Gerenciar Mudanças X X BAI10 Gerenciar Configuração X X DSS01 Gerenciar Operações X X EDM02 Assegurar Entrega de Benefícios - X MEA01 Monitorar e Avaliar Desempenho - X

30 30 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 4 Modelagem da Situação Atual (AS IS) Processo APO05 Gerenciar o Portfólio (AS IS) Diagrama de Contexto Modelagem da Situação Atual (AS IS) Macroprocesso: Planejar e Organizar TI Processo: Gerenciar Portfólio de Projetos de TI Processo COBIT: APO05 - Gerenciar o Portfólio Objetivos Estratégicos Demandas do Negócio APO05 - Gerenciar o Portfólio Portfólio de Projetos Atualizado Relatório de Acompanhamento do Portfólio M1 M1 Processo de Desenvolvimento de Sistemas Furnas

31 Fluxo de Atividades P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 4 31

32 32 P l a n o D i r e t o r d e T e c n o l o g i a d a I n f o r m a ç ã o A N E X O 4 Descrição das Atividades Modelagem da Situação Atual (AS IS) Macroprocesso: Planejar e Organizar TI Processo: Gerenciar Portfólio de Projetos de TI Processo COBIT: APO05 - Gerenciar o Portfólio Subprocesso: Identificar e Selecionar Projetos para o Portfólio Entradas: Demanda do Negócio. Objetivo: Identificar projetos candidatos ao portfólio e selecionar aqueles que efetivamente serão realizados no próximo ano. Responsável: Gerentes de Departamento e de Divisão da ST.A Descrição das Atividades: Identificar projetos para o ano seguinte com base na demanda do negócio e na percepção dos gerentes da ST.A; Registrar projetos no MS-PPS (Project Portfolio Server). Observações: Não se aplica. Saídas: Projetos selecionados para o portfólio. Ferramentas de apoio MS-PPS (Project Portfolio Server)

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira Agenda Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira ITIL Publicação dos Livros revisados 2011 ITIL Correções ortográficas e concordâncias gramaticais; Ajustes

Leia mais

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Secretaria de Gestão Pública de São Paulo Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Objetivos As empresas e seus executivos se esforçam para: Manter informações de qualidade para subsidiar

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Capítulo 4 Gerenciamento da Integração do Projeto. Introdução. Vamos pensar um pouco?

Capítulo 4 Gerenciamento da Integração do Projeto. Introdução. Vamos pensar um pouco? www.emmene Capítulo 4 Gerenciamento da Integração do Projeto 1 Introdução Vamos pensar um pouco? 2 P Introdução Qual é o principal papel de um gerente de projeto? Integrar todas as partes de um projeto

Leia mais

República Federativa do Brasil Dilma Roussef Presidente da República. Ministério das Minas e Energia Edison Lobão Ministro

República Federativa do Brasil Dilma Roussef Presidente da República. Ministério das Minas e Energia Edison Lobão Ministro República Federativa do Brasil Dilma Roussef Presidente da República Ministério das Minas e Energia Edison Lobão Ministro Eletrobras Furnas Conselho de Administração José da Costa Carvalho Neto Presidente

Leia mais

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Índice 1. Processos Organizacionais... 7 1.1. A gestão da demanda... 7 1.2. e Responsabilidades... 7

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

24/09/2013. COBIT5: Novas perspectivas e desafios para a Auditoria Interna

24/09/2013. COBIT5: Novas perspectivas e desafios para a Auditoria Interna 24/09/2013 COBIT5: Novas perspectivas e desafios para a Auditoria Interna Luiz Claudio Diogo Reis, MTech, CISA, CRISC, COBIT (F), MCSO Luiz.reis@caixa.gov.br Auditor Sênior Caixa Econômica Federal Currículo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Ciência da Computação Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Agenda Histórico Conceitos básicos Objetivos Visão Geral do Modelo Publicações: Estratégia de

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta

Governança de TI UNICAMP 13/10/2014. Edson Roberto Gaseta Governança de TI UNICAMP 13/10/2014 Edson Roberto Gaseta Fundação CPqD Instituição brasileira focada em inovação Experiência em projetos de TI e de negócios Desenvolvimento de tecnologia nacional Modelo

Leia mais

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO:

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO: Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 Compromisso celebrado entre [nome da CONTRATANTE], localizada à [inserir endereço completo], inscrita no [caso Administração indireta inserir número do CNPJ],

Leia mais

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT O que é? Um framework contendo boas práticas para

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Modelo de Governança

Modelo de Governança Nome do Projeto Subproduto Responsável do Projeto / Área E-mail Desenvolvimento do Centro Nacional de Terminologia Moacyr Esteves Perche - DATASUS moacyr.perche@saude.gov.br Telefone (61) 3315-2915 Responsável

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL)

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas (MDS - ANEEL) Versão 2.0 Escritório de Gerenciamento de Projetos - EGP Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA PMBoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço

Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o. Gerenciamento de Níveis de Serviço Utilizando o CobiT e o Balanced Scorecard como instrumentos para o Gerenciamento de Níveis de Serviço Win Van Grembergen, http://www/isaca.org Tradução de Fátima Pires (fatima@ccuec.unicamp.br) Na economia

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL Conhecimento em Tecnologia da Informação Gestão de Processos Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL 2011 Bridge Consulting Apresentação É comum que as

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL POLÍTICA ORGANIZACIONAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE NA DR TECH Data 01/03/2010 Responsável Doc ID Danielle Noronha PoliticaOrg_DR_V003 \\Naja\D\Gerenciamento\Política Localização Organizacional Versão

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto,

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto, De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir.

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS Sr(as) Gerentes de Projeto, O PMBOK, compilado pela expertise do PMI Project Management Institute, é a linha mestra que nos conduz ao conhecimento

Leia mais

O Swirl Logo é uma marca comercial do Cabinet Office ITIL é uma marca comercial registrada do Cabinet Office

O Swirl Logo é uma marca comercial do Cabinet Office ITIL é uma marca comercial registrada do Cabinet Office Qualificação Profissional para PRÁTICAS ITIL PARA GERENCIAMENTO DE SERVIÇO Certificado de Fundamentos da ITIL em Gerenciamento de Serviço de TI PLANO DE ENSINO O Swirl Logo é uma marca comercial do Cabinet

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS Ana Carolina Freitas Teixeira¹ RESUMO O gerenciamento de projetos continua crescendo e cada

Leia mais

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Workshop de Teste de Software. Visão Geral. Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br

Workshop de Teste de Software. Visão Geral. Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br Workshop de Teste de Software Visão Geral Emerson Rios emersonrios@riosoft.org.br www.emersonrios.eti.br 1 AGENDA DO CURSO Conceitos Básicos Documentação Processo Plano de Teste Caso de Teste BIBLIOGRAFIA

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração

Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Gerenciamento de Projetos Modulo IV Integração Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA ATERIA (C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I PMoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

Poder Judiciário. Justiça do Trabalho. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Poder Judiciário. Justiça do Trabalho. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E INTERNET METODOLOGIA DE PRODUÇÃO DE SOFTWARE Versão 1.0 APROVAÇÃO

Leia mais

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1

Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Plano de Gerenciamento das Aquisições Exemplo 1 Este plano descreve como serão administrados os processos de aquisição de bens e serviços neste projeto. As perguntas a serem respondidas no plano são: o

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY)

COBIT (CONTROL OBJECTIVES FOR INFORMATION AND RELATED TECHNOLOGY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações

CobIT. Eduardo Mayer Fagundes. Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações CobIT Um framework para a eficiência das organizações de Tecnologia da Informação e Telecomunicações Eduardo Mayer Fagundes Copyright(c)2008 por Eduardo Mayer Fagundes 1 Agenda 1. Princípio de Gestão Empresarial

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3.

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3. 02m Conteúdo Apresentação do PMBOK Brasília, 25 de Junho de 2015 Fase 01 1.PMBOK e PMI 2. Conceitos 3.Processos Fase 02 4. Áreas de Conhecimento 10m Gerenciamento de Projetos Projeto A manifestação da

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto

Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto Gerenciamento de Integração do Projeto Planejamento e Execução do Projeto 4. Gerenciamento de integração do projeto PMBOK 2000 PMBOK 2004 4.1 Desenvolver o termo de abertura do projeto 4.2 Desenvolver

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União Palestra UNICEUB Estratégia utilizada para implantação da Governança

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE GOVERNANÇA DE TI

IMPLANTAÇÃO DE GOVERNANÇA DE TI 1 IMPLANTAÇÃO DE GOVERNANÇA DE TI André Luiz Guimarães dos Reis 1 1 João Souza Neto 2 1 Tomas Roberto C. Orlandi 3 1 andrer@correios.com.br szneto@correios.com.br tomasroberto@correios.com.br 1 Empresa

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação 20152020 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Leila

Leia mais

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO GERÊNCIA DO ESCOPO GERÊNCIA DO TEMPO GERÊNCIA DE CUSTO GERÊNCIA DA QUALIDADE Desenvolvimento do Plano

Leia mais

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL

GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL GERENCIANDO SERVIÇOS DE MENSAGENS OTT PARA UM PROVEDOR DE TELECOM GLOBAL A Sytel Reply foi comissionada por uma grande operadora global de Telecom para o fornecimento de um Service Assurance de qualidade.

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 Planejar e Organizar Gerenciar Projetos Pedro Rocha http://rochapedro.wordpress.com RESUMO Este documento trás a tradução do objetivo de controle PO10 (Gerenciamento

Leia mais

Introdução ao BPM e CBOK. Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR

Introdução ao BPM e CBOK. Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR Introdução ao BPM e CBOK Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR BPM CBOK O Guia para o Gerenciamento de Processos de Negócio - Corpo Comum de Conhecimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática

Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Implantando um Programa de Melhoria de Processo: Uma Experiência Prática Evandro Polese Alves Ricardo de Almeida Falbo Departamento de Informática - UFES Av. Fernando Ferrari, s/n, Vitória - ES - Brasil

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como:

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como: Plano de Teste (resumo do documento) I Introdução Identificador do Plano de Teste Esse campo deve especificar um identificador único para reconhecimento do Plano de Teste. Pode ser inclusive um código

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0

Resumo do BABok 2.0 O Guia de Referência de Análise de Negócio Curso de Analista de Negócio 3.0 O que é BABok? O BABok 2.0, Corpo de Conhecimento de Análise de Negócios, é considerado como um Guia Referência de Práticas de Análise de Negócio. Este guia é publicado e mantido pelo IIBA. O guia BABok

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - SETI Versão 1.0 MANAUS-AM (2010) MDS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a

Gerenciamento da Integração com metodologia PMBOK 30 h/a da Integração com 30 h/a Facundo Barbosa, MBA, PMP, ITIL, CSP 85 9444.9544 e 85 4005.5644 facunndo@mdb.com.br Slide 1 Metodologia Explanação Discussões em grupo Exercícios práticos Apresentação e estudo

Leia mais